Estudo do texto narrativo. José Manuel Martins Cobrado

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estudo do texto narrativo. José Manuel Martins Cobrado"

Transcrição

1 1

2 O TEXTO NARRATIVO O texto narrativo é o relato de uma história, real ou imaginária, contada (narrada) por um narrador, cujas personagens se envolvem numa acção que decorre num determinado espaço, durante certo período de tempo. Neste tipo de texto, pode surgir a narração, a descrição, o diálogo e mesmo algumas reflexões ( são os chamados modos de expressão). É uma forma de comunicação, literária ou não literária, que tem por finalidade relatar um ou mais acontecimentos. Segundo Harry Shaw, a narração ou narrativa é uma forma de discurso o qual se exemplifica em história, notícias de jornais, biografias, autobiografias, anedotas, contos, fábulas, lendas, novelas, romances, epopeias. É dinâmica, com predomínio do verbo no pretérito perfeito, na 3ª pessoa. No processo narrativo, distinguimos: o narrador, o narratário (destinatário ou leitor) e o sujeito de quem se fala. O NARRADOR é alguém que o criador da obra literária põe a contar a história: CIÊNCIA DO NARRADOR - Conhecimento omnisciente o narrador sabe tudo o que diz respeito às acções. - Conhecimento interno o narrador, na sua ciência, está com e como a personagem. Pode tomar posição é subjectivo. - Conhecimento externo - o narrador informa, apenas, os aspectos exteriores e não toma posição é objectivo. PRESENÇA DO NARRADOR POSIÇÃO DO NARRADOR PARTICIPANTE Dentro NÃO PARTICIPANTE Fora Objectivo limita-se a narrar friamente os acontecimentos. Subjectivo narra os acontecimentos declarando ou sugerindo a sua posição. - Como protagonista (personagem principal) narração na 1ª pessoa autodiegético. - Como personagem secundária homodiegético. É observador. Narração na 3ª pessoa heterodiegético. 2

3 AS CATEGORIAS DA NARRATIVA A ACÇÃO (intriga, diegese, história): Relevo Delimitação - Central ou principal é o acontecimento principal. - Secundária são acontecimentos de menor importância. - Fechada acção solucionada até ao pormenor. - Aberta acção não solucionada PERSONAGENS: Relevo Organização das sequências narrativas Processo de caracterização Retrato Densidade psicológica - Encadeamento ordenação cronológica das acções. - Alternância entrelaçamento das acções. - Encaixe introdução de uma acção noutra. - Central ou principal personagem à volta da qual a acção se desenrola, individual ou colectiva. - Secundária personagem de menor importância para a acção, adjuvantes ou oponentes. - Figurante não participa, apenas é referida. - Directa através de palavras da personagem acerca de si própria, de palavras de outras personagens, de afirmações do narrador. - Indirecta deduções do leitor acerca da personagem, a partir de atitudes ou acções da mesma. - Físico características físicas, idade, vestuário. - Psicológico carácter, personalidade. - Tipos ou planas (por vezes caricaturas) não têm individualidade própria; representam grupos sociais - Redondas são individualizadas. 3

4 ESPAÇO: (onde?) Lugar ou lugares onde decorre a acção - Físico lugar onde a acção se realiza - Psicológico o lugar do pensamento e emoção das personagens - Social o meio social a que pertencem e onde se deslocam as personagens. TEMPO: (quando?) Tempo ou tempos em que decorre a acção - Cronológico marcas da passagem do tempo (dia, mês, ano, século, etc. - Psicológico o tempo sentido pelas personagens. - Histórico enquadradramento histórico das acções. Analepse recuo no tempo. Prolepse avanço no tempo. MODOS DE EXPRESSÃO: - Narração é o relato de acontecimentos, é um momento de avanço da acção (núcleos ou cardinais). Predominam os verbos. - Descrição é o descrever de personagens, lugares, objectos, etc. São momentos de pausa (catálises) Predominam os adjectivos e os nomes. - Diálogo é a fala entre duas ou mais personagens. 4

5 ORGANIZAÇÃO DAS SEQUÊNCIAS NARRATIVAS: 1- Encadeamento: As sequências entrelaçam-se sucessivamente. A B C D E F G A não contém B B não contém A 2- Encaixe: quando numa narrativa principal está ou estão contidas outras secundárias. A B A contém B B contém A 3- Alternância: quando o narrador deixa um assunto para introduzir outro, sem pôr de parte o anterior, de forma que, no fim, todos se juntam. A B C A contém BC C contém B 5

6 A CARTA Quando queremos comunicar com amigos, familiares, que estão longe, podemos fazê-lo de vários modos, um deles é através da carta. Se quisermos oferecer um produto, pedir uma informação, utilizaremos o mesmo meio, mas com características diferentes. Há, pois, diversos tipos de cartas e têm regras específicas. Carta pessoal Olá Margarida, Meleças, 20 de Setembro de 2007 Então como tens passado? Essas férias passaram-se numa boa? As minhas foram óptimas, mas agora regressei ao Colégio. Hoje foi um dia especial, pois reencontrei os meus antigos colegas. Foi só matar saudades, mas o horário é que não é para brincadeira e os livros, nem imaginas, pesam toneladas! Olha, parece que tenho uns profs porreiros, mas é só o princípio! E a tua nova escola? Já arranjaste amigos? Conta-me depressa as novidades, pois daqui a uns tempos começam os testes e não é fácil arranjar tempo para tanta conversa. Dá cumprimentos aos teus pais e irmão. Para ti, carradas de beijocas. A sempre amiga Clara - A data aparece à direita da folha, na parte superior. - Depois, escreve-se a saudação, segundo a relação que se mantém com o destinatário. - Usa-se uma linguagem simples, clara e coloquial. - A despedida está de acordo com a saudação. - Assina-se à direita. Carta comercial Livraria CVG Av. Dr. João António Nabais, 71/73 Meleças Belas S/ref. S/comum. N/ref. Meleças 2/1 1./09/ 07 11/1 20/09/07 Assunto: Encomenda de livros Exmos. Srs. Exmos. Srs. António & Joel Lda. Avenida Roma, Lisboa Acusamos a recepção da carta de V. Exas., donde retirámos a encomenda de livros que nesta data lhe enviamos. Incluso encontrarão V. Exas. a respectiva factura no montante de 100 euros. Com a melhor consideração D. V. Exas. Atentamente O Responsável (assinatura) - No canto superior esquerdo, deve indicar-se o nome do remetente e no superior direito, mais abaixo, o do destinatário. - No corpo da carta, deve usar-se uma linguagem elaborada de acordo com o nível do destinatário. - A fórmula de despedida é seguida pela assinatura do remetente e cargo que exerce. 6

7 COLÉGIO VASCO DA GAMA Língua Portuguesa TRABALHO DE GRUPO E INDIVIDUAL SOBRE A NARRATIVA PLANO NOME: TURMA: Nº: _ 7º ANO I - CONTEXTUALIZAÇÃO "Para atender às diferentes características dos alunos e das tarefas em que se ocupam, o professor deve prever modos flexíveis de organização que permitam formas distintas de interacção na turma: professor/turma, professor/pequeno grupo, professor/aluno, aluno(s)/turma, aluno/pequeno grupo, aluno/aluno." In Programa de Língua Portuguesa do Ministério da Educação É, pois, neste clima de aula em que se aceitam e integram diferenças pessoais e culturais e em que desejo que prevaleça a confiança e respeito mútuos, em ordem ao desenvolvimento de condutas autónomas e de cooperação, que proponho a execução das seguintes actividades no âmbito do estudo da narrativa, tendo como ponto de partida "O Cavaleiro da Dinamarca". Antes do trabalho de grupo e individual, procura ler o livro e assinalar os seguintes pontos: 1- VIAJAR COM AS PERSONAGENS Identifica a (s) personagem (s) principal (s) e secundárias do conto. Caracteriza a (s) personagem (s) principal (s). 2- VIAJAR COM A ACÇÃO Delimita e resume a introdução, o desenvolvimento e a conclusão. Procura ver se é uma narrativa aberta ou fechada, justificando a tua resposta. Identifica núcleos e catálises, estabelecendo as respectivas diferenças linguísticas. 3- VIAJAR COM O ESPAÇO E COM O TEMPO Identifica os espaços principais e o tempo com expressões do conto. Descobre a importância do tempo na acção. 4- VIAJAR COM O NARRADOR Identifica os diferentes narradores e caracteriza os mesmos quanto à ciência e quanto à presença. Faz o levantamento de diferentes sensações (auditivas, tácteis, visuais, olfactivas e cinéticas). 5- VIAJAR COM AS PALAVRAS (Trabalhos para entregar ao professor) Trabalho individual: Escreve uma carta em que o Cavaleiro conta à esposa, aos filhos e aos amigos as impressões da sua longa viagem. Trabalho de grupo: V. S. F. F. Numa cartolina, escrevam a biografia da autora e desenhem o percurso do Cavaleiro, mencionando os locais, ilustrados com imagens e transcrições do conto. 7

8 II- CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO a) 60% do trabalho será avaliado progressivamente ao longo de 6 aulas orientadas pelo professor, tendo em conta os seguintes critérios: cooperação na definição inicial do projecto partilha dos conhecimentos com os colegas respeito pela opinião dos colegas cumprimento das tarefas definidas pelo professor e pelo grupo informação recolhida material apresentado concretização e redacção dos textos a originalidade / criatividade a correcção linguística a organização e a apresentação. b) Os restantes 40% terão em conta o trabalho individual. c) O trabalho iniciar-se-á na última semana de Outubro e deverá ser entregue ao professor no final da 1ª semana de Dezembro do ano d) Material: o livro "O Cavaleiro da Dinamarca, folhas A4, cola, cartolina, tesoura e USB. e) O último teste do 1º período terá algumas questões sobre O Cavaleiro da Dinamarca. f) Elementos do grupo: Professor: Enc. de Educação: Meleças, 20 de Outubro de

Elementos da narrativa. Acção. Tempo. Espaço. Personagens. Narrador. Modos de Expressão e representação. Narratário

Elementos da narrativa. Acção. Tempo. Espaço. Personagens. Narrador. Modos de Expressão e representação. Narratário Elementos da narrativa Acção Tempo Espaço Personagens Narrador Modos de Expressão e representação Narratário O texto narrativo Conta acontecimentos ou experiências conhecidas ou imaginadas, o que implica

Leia mais

AS CATEGORIAS DA NARRATIVA

AS CATEGORIAS DA NARRATIVA AS CATEGORIAS DA NARRATIVA ACÇÃO ESPAÇO TEMPO PERSONAGENS NARRADOR MODALIDADES DE DISCURSO ACÇÃO É constituída por sequências narrativas provocadas pelas personagens e situa-se num espaço e num tempo mais

Leia mais

Acção Espaço Tempo Personagem Narrador

Acção Espaço Tempo Personagem Narrador Acção Espaço Tempo Personagem Narrador A acção é constituída por sequências narrativas (acontecimentos) provocadas ou experimentadas pelas personagens, que se situam num espaço e decorrem num tempo, mais

Leia mais

texto narrativo ação espaço tempo personagens narrador. narração descrição diálogo monólogo

texto narrativo ação espaço tempo personagens narrador. narração descrição diálogo monólogo Português 2014/2015 O texto narrativo conta acontecimentos ou experiências conhecidas ou imaginadas. Contar uma história, ou seja, construir uma narrativa, implica uma ação, desenvolvida num determinado

Leia mais

Categorias da narrativa

Categorias da narrativa Categorias da narrativa Ação Conjunto de acontecimentos que constituem uma narrativa e que são relatados, mas há que distinguir a importância de cada um deles para a história. Ação principal: constituída

Leia mais

Disciplina: Português 2012 / º Ano Módulo: 4 Texto narrativo FICHA INFORMATIVA. Comunicação literária

Disciplina: Português 2012 / º Ano Módulo: 4 Texto narrativo FICHA INFORMATIVA. Comunicação literária Comunicação literária FICH INFORMTIV Disciplina: Português 2012 / 2013-1º no Módulo: 4 Texto narrativo O que faz do homem aquilo que ele é, um ser distinto de todos os demais seres vivos, é a linguagem,

Leia mais

Texto Narrativo. P R O F. ª A n a L ú c i a M o t a

Texto Narrativo. P R O F. ª A n a L ú c i a M o t a Texto Narrativo P R O F. ª A n a L ú c i a M o t a Texto narrativo É um relato de um acontecimento ou uma série de acontecimentos, reais ou imaginários; Exemplos de textos narrativos: conto, novela, romance,

Leia mais

Aulas 21 à 24 TEXTO NARRATIVO

Aulas 21 à 24 TEXTO NARRATIVO Aulas 21 à 24 Prof. Sabrina Moraes TEXTO NARRATIVO Maioritariamente escrito em prosa, o texto narrativo é caracterizado por narrar uma história, ou seja, contar uma história através de uma sequência de

Leia mais

Elementos da narrativa

Elementos da narrativa Elementos da narrativa Narrador presente narrador ausente O narrador é aquele que conta a história Uma narrativa Quando não participa na história narrada, relatando apenas acontecimentos na terceira pessoa

Leia mais

Teste Formativo sobre o CONTO

Teste Formativo sobre o CONTO Unidade Temática: Contos do séc. XX Escola Básica 2,3/ S de Vale de Cambra Português 10ºAno Profª Dina Baptista Teste Formativo sobre o CONTO Fonte Bibliográfica: http://www.netprof.pt Nota: Esta ficha

Leia mais

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Cadaval Departamento de Línguas Planificação Anual de Língua Portuguesa 6º Ano de escolaridade

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Cadaval Departamento de Línguas Planificação Anual de Língua Portuguesa 6º Ano de escolaridade Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Cadaval Departamento de Línguas Planificação Anual de Língua Portuguesa 6º Ano de escolaridade 1º Período 1/13 Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Cadaval Ano Lectivo

Leia mais

TEXTO DE APOIO DE PORTUGUÊS CATEGORIAS DA NARRATIVA

TEXTO DE APOIO DE PORTUGUÊS CATEGORIAS DA NARRATIVA TEXTO DE APOIO DE PORTUGUÊS CATEGORIAS DA NARRATIVA A narrativa é o relato de acontecimentos que remetem para o conhecimento do Homem e das suas realizações no mundo; é uma forma de literatura que compreende

Leia mais

Escola Básica e Secundária À Beira Douro. Planificação de Língua Portuguesa 6º ano. Ano lectivo

Escola Básica e Secundária À Beira Douro. Planificação de Língua Portuguesa 6º ano. Ano lectivo Escola Básica e Secundária À Beira Douro Planificação de Língua Portuguesa 6º ano Ano lectivo 2010-2011 COMPETÊNCIAS Alargamento da compreensão a géneros formais e públicos do oral. Criação de autonomia

Leia mais

CATEGORIAS DA NARRATIVA

CATEGORIAS DA NARRATIVA CATEGORIAS DA NARRATIVA 1.1. O texto narrativo A narrativa é o género literário que permite contar ou relatar factos, acontecimentos ou sequências de acções encadeadas, efectivamente ocorridos ou inventados.

Leia mais

Síntese da Planificação da Disciplina de Português - 9 º Ano

Síntese da Planificação da Disciplina de Português - 9 º Ano Síntese da Planificação da Disciplina de Português - 9 º Ano Dias de aulas previstos Período 2.ª 3.ª 4.ª 5.ª 6.ª 1.º período 13 13 13 12 13 2.º período 10 9 9 11 11 3.º período 9 10 9 9 10 (As aulas previstas

Leia mais

Artigo definido / artigo indefinido e seu emprego Nome Género Formação do feminino Formação do plural. Unidade 0

Artigo definido / artigo indefinido e seu emprego Nome Género Formação do feminino Formação do plural. Unidade 0 NÍVEL DE PROFICIÊNCIA LINGUÍSTICA A1/A2 COMPETÊNCIA COMUNICATIVA PARTE 1 PRAGMÁTICA LINGUÍSTICA Unidade 0 Vamos aprender Português! Identificar marcas da identidade cultural portuguesa / língua portuguesa

Leia mais

Planificação periódica de LÍNGUA PORTUGUESA. 5ºAno 2010/20011

Planificação periódica de LÍNGUA PORTUGUESA. 5ºAno 2010/20011 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO Escola EB 2/3 João Afonso de Aveiro DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS Planificação periódica de LÍNGUA PORTUGUESA 5ºAno 200/200 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO Escola EB 2/3 João

Leia mais

Capítulo 7. Conceitos-Chave e sua Operacionalização Empírica

Capítulo 7. Conceitos-Chave e sua Operacionalização Empírica A Narrativa na Encruzilhada 70 Capítulo 7. Conceitos-Chave e sua Operacionalização Empírica Estabelecido o modelo da investigação e de forma a poder operacionalizar a análise empírica, foi necessário definir

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CUBA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CUBA DISCIPLINA : LÍNGUA PORTUGUESA : 6ºano ANO LECTIVO: 2007/2008 PLANIFICAÇÃO ANUAL COMPETÊNCIAS GERAIS Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar

Leia mais

Texto utilitário - A CARTA

Texto utilitário - A CARTA Texto utilitário - A CARTA A carta Intencionalidade comunicativa da carta Tipos de carta Estrutura da carta Sobrescrito A CARTA Instrumento de comunicação em que um EU específico se dirige a um TU, também

Leia mais

Síntese da Planificação da Disciplina de Língua Portuguesa 6 º Ano

Síntese da Planificação da Disciplina de Língua Portuguesa 6 º Ano Síntese da Planificação da Disciplina de Língua Portuguesa 6 º Ano Período Dias de aulas previstos 2.ª 3.ª 4.ª 5.ª 6.ª 1.º período 13 12 12 12 14 2.º período 10 11 11 12 12 3.º período 8 8 8 8 9 (As Aulas

Leia mais

Área de Competência-Chave: Portefólio Reflexivo de Aprendizagem. ESLC - Mediadora: Marina Santos

Área de Competência-Chave: Portefólio Reflexivo de Aprendizagem. ESLC - Mediadora: Marina Santos Área de Competência-Chave: Portefólio Reflexivo de Aprendizagem A AUTOBIOGRAFIA É uma descrição ou narrativa dos aspectos mais significativos da vida de um indivíduo, contados por si próprio. 2 Autobiografia

Leia mais

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar situações e

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ANO: 6.º DISCIPLINA: Língua Portuguesa UNIDADE/TEMA CONTEÚDOS Texto narrativo; Banda Desenhada; Compreensão de enunciados orais; Expressão Oral Categorias da narrativa: o Tipo de

Leia mais

TRABALHAR COM GÊNEROS TEXTUAIS NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO. Maria da Graça Costa Val Faculdade de Letras/UFMG CEALE FAE/UFMG

TRABALHAR COM GÊNEROS TEXTUAIS NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO. Maria da Graça Costa Val Faculdade de Letras/UFMG CEALE FAE/UFMG TRABALHAR COM GÊNEROS TEXTUAIS NO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO Maria da Graça Costa Val Faculdade de Letras/UFMG CEALE FAE/UFMG De onde vem a proposta de trabalhar com gêneros textuais? PCN de 1ª a 4ª séries

Leia mais

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar situações e

Leia mais

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano A 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano A 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano A 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar situações

Leia mais

Gêneros Literários OBRAS LITERÁRIAS: QUANTO À FORMA = VERSO & PROSA QUANTO AO CONTEÚDO = GÊNEROS LITERÁRIOS

Gêneros Literários OBRAS LITERÁRIAS: QUANTO À FORMA = VERSO & PROSA QUANTO AO CONTEÚDO = GÊNEROS LITERÁRIOS GÊNEROS LITERÁRIOS Gêneros Literários OBRAS LITERÁRIAS: QUANTO À FORMA = VERSO & PROSA QUANTO AO CONTEÚDO = GÊNEROS LITERÁRIOS Gêneros Literários GÊNERO ÉPICO (NARRATIVO) = Quando é contada uma história.

Leia mais

Referir actividades relacionadas com as férias e os tempos livres. Saber orientar-se num aeroporto. Falar sobre a importância da língua inglesa

Referir actividades relacionadas com as férias e os tempos livres. Saber orientar-se num aeroporto. Falar sobre a importância da língua inglesa AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA À BEIRA DOURO - MEDAS LÌNGUA ESTRANGEIRA I (Inglês 9º Ano) 1º PERÍODO AULAS PREVISTAS ( 38 a 41 ) PLANIFICAÇÃO ANUAL 2010/2011 Competências

Leia mais

TEXTO NARRATIVO: COMO É ESSE GÊNERO?

TEXTO NARRATIVO: COMO É ESSE GÊNERO? AULAS 9 À 12 Prof. Sabrina Moraes TEXTO NARRATIVO: COMO É ESSE GÊNERO? A narração é um tipo de texto que conta uma sequência de fatos, sejam eles reais ou imaginários, nos quais as personagens atuam em

Leia mais

Texto utilitário - A CARTA

Texto utilitário - A CARTA Texto utilitário - A CARTA A carta Intencionalidade comunicativa da carta Tipos de carta Estrutura da carta Sobrescrito. 1 A CARTA Instrumento de comunicação em que um EU específico se dirige a um TU,

Leia mais

Instituto Politécnico da Guarda. Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto. Catarina José Camacho de Caires nº 6509

Instituto Politécnico da Guarda. Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto. Catarina José Camacho de Caires nº 6509 Instituto Politécnico da Guarda Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto Didáctica da Expressões Expressão Dramática Plano de sessão Catarina José Camacho de Caires nº 6509 Sessão n.º 25 Idade

Leia mais

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano B 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano B 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA - 5.º Ano B 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar situações

Leia mais

Escola Básica Integrada de Angra do Heroísmo

Escola Básica Integrada de Angra do Heroísmo Escola Básica Integrada de Angra do Heroísmo Área: Língua Portuguesa Programa de Recuperação de Escolaridade 2º/3º ANO Blocos/Conteúdos Objectivos Avaliação Comunicação Oral - Comunica oralmente, com progressiva

Leia mais

Língua Portuguesa 7º Ano

Língua Portuguesa 7º Ano Língua Portuguesa 7º Ano Ano lectivo: 2010 / 2011 1º Período Diagnose Como estudar melhor Materiais auxiliares do estudo: dicionário; enciclopédia; manual; gramática; obra de leitura integral; CD áudio;

Leia mais

Planificação periódica LÍNGUA PORTUGUESA

Planificação periódica LÍNGUA PORTUGUESA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO Escola EB 2/3 João Afonso de Aveiro Planificação periódica LÍNGUA PORTUGUESA 6ºAno 2008/2009 Planificação 1º Período 6º Ano 2008-2009 UNIDADE Conteúdos Actividades O regresso

Leia mais

Géneros textuais e tipos textuais Armando Jorge Lopes

Géneros textuais e tipos textuais Armando Jorge Lopes Géneros textuais e tipos textuais [texto de apoio para o curso de doutoramento em ciências da linguagem aplicadas ao ensino de línguas/universidade Pedagógica, Maputo, Outubro de 2015] Armando Jorge Lopes

Leia mais

Programa de Português 4º Ano

Programa de Português 4º Ano Programa de Português 4º Ano Introdução Reconhece-se a Língua Materna como o elemento mediador que permite a nossa identificação, a comunicação com os outros e a descoberta e compreensão do mundo que nos

Leia mais

ESTRUTURA DO TEXTO NARRATIVO. Prof.ª Nivania Alves

ESTRUTURA DO TEXTO NARRATIVO. Prof.ª Nivania Alves ESTRUTURA DO TEXTO NARRATIVO Prof.ª Nivania Alves A narração é um modo de organização de texto cujo conteúdo está vinculado, em geral, às ações ou acontecimentos contados por um narrador. Para construir

Leia mais

Salesianos Mogofores Colégio. Rota de Aprendizagem PORTUGUÊS 9º ano Grupo de Português

Salesianos Mogofores Colégio. Rota de Aprendizagem PORTUGUÊS 9º ano Grupo de Português Rota de Aprendizagem 2015-2016 PORTUGUÊS 9º ano Grupo de Português * Em anexo encontra-se Lista de Obras e Textos para Iniciação à Educação literária; e Metas Curriculares (3º Ciclo - 9º Ano): Domínios

Leia mais

Planificação de uma Unidade de Aprendizagem

Planificação de uma Unidade de Aprendizagem Planificação de uma Unidade de Aprendizagem 1 Contexto Área curricular: Língua Portuguesa Tema: Texto lúdico-poético Nível: 1º Ciclo (4º Ano) Escola: Os alunos que frequentam esta escola, e particularmente

Leia mais

Teoria Literária. Estudo da Narrativa 23/05/09

Teoria Literária. Estudo da Narrativa 23/05/09 Teoria Literária Estudo da Narrativa DEFINIÇÃO: NARRATIVA nar.ra.ção sf (lat narratione) 1 Ato ou efeito de narrar. 2 Conto, descrição, discurso, narrativa. 3 Exposição verbal ou escrita de um ou mais

Leia mais

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA 9.º Ano Turmas A e B

DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA 9.º Ano Turmas A e B 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA 9.º Ano Turmas A e B COMPETÊNCIAS GERAIS CG1- Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar

Leia mais

Estudo dos gêneros literários

Estudo dos gêneros literários Estudo dos gêneros literários Os gêneros literários são um conjunto de obras que apresentam características semelhantes tanto em termos de forma como conteúdo. Existem três categorias básicas de gênero:

Leia mais

Descrição da Escala Língua Portuguesa - 5 o ano EF

Descrição da Escala Língua Portuguesa - 5 o ano EF Os alunos do 5º ano do Ensino Fundamental < 125 identificam o sentido de expressão típica da fala coloquial utilizada em segmento de história em quadrinhos; e o local em que se desenrola o enredo, em anedota.

Leia mais

Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos

Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos narrados. Tempo histórico - refere-se à época ou momento histórico

Leia mais

CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO

CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO LÍNGUA PORTUGUESA 1ºAno e 2ºAno de escolaridade Domínios Competências Sabe escutar para reproduzir pequenas mensagens

Leia mais

+10. anos GUIA DE LEITURA. Filipa Didier. O pássaro em branco e outras histórias. Bruno Santos Ilustrações de Senhor de Si

+10. anos GUIA DE LEITURA. Filipa Didier. O pássaro em branco e outras histórias. Bruno Santos Ilustrações de Senhor de Si GUIA DE LEITURA Filipa Didier O pássaro em branco e outras histórias Bruno Santos Ilustrações de Senhor de Si +10 anos Apresentação da obra Três contos singulares com histórias repletas de aventuras que

Leia mais

CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO

CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO DO 1ºCICLO CRITÉRIOS/INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO - 1ºAno e 2ºAno de escolaridade Domínios Competências Avaliação Sabe escutar para reproduzir pequenas mensagens e para

Leia mais

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA AULA 12 PG 1 Este material é parte integrante da disciplina Linguagem e Argumentação Jurídica oferecido pela UNINOVE. O acesso às atividades, as leituras interativas, os exercícios, chats, fóruns de discussão

Leia mais

Narrativa e informação

Narrativa e informação Narrativa e informação emissor = formulador da sintaxe da mensagem receptor = intérprete da semântica A recepção qualifica a comunicação. É por isso que o receptor tem papel fundamental no processo de

Leia mais

Programa Curso Português nível A1 e A2

Programa Curso Português nível A1 e A2 Unidade 1 : Olá! Como está? Programa Curso Português nível A1 e A2 Apresentar-se Cumprimentar Despedir-se Dar informações de carácter pessoal Nome Morada Estado civil Nacionalidades Países / Cidades Profissões

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM PLANIFICAÇAO DE OFICINA DE TEATRO ANO: 8º Ano ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/5

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM PLANIFICAÇAO DE OFICINA DE TEATRO ANO: 8º Ano ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/5 p.1/5 SÓCIO-AFECTIVA 1. Dinâmica do Grupo 2. Dinâmica Individual 0. Aprofundar a dinâmica do Grupo Reconhecimento da nova realidade do Grupo. Comunicação com o outro e com o Grupo. Argumentação e negociação

Leia mais

Ficha Informativa: CARTA

Ficha Informativa: CARTA DEPARTAMENTO CURRICULAR DE LÍNGUAS PORTUGUÊS - 10.º Ano de escolaridade Ficha Informativa: CARTA CARTAS Tipos Destinatários Finalidades Carta pessoal ou familiar Pessoas com as quais se tem laços afetivos

Leia mais

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Cadaval Departamento de Línguas

Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Cadaval Departamento de Línguas Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos Cadaval Departamento Línguas 1 Planificação Anual Língua Escola Portuguesa Básica dos 6º 2º e Ano 3ª Ciclos ida Ano lectivo 2009/2010 Planificação Anual Língua Portuguesa

Leia mais

3 - (PUC-PR) Empregue o pronome relativo acompanhado ou não de preposição, nas lacunas das frases a seguir.

3 - (PUC-PR) Empregue o pronome relativo acompanhado ou não de preposição, nas lacunas das frases a seguir. 3 - (PUC-PR) Empregue o pronome relativo acompanhado ou não de preposição, nas lacunas das frases a seguir. 1. Fez o anúncio... todos ansiavam. 2. Avise-me... consistirá o concurso. 3. Existe um decreto...

Leia mais

REVISÃO PROFESSORA FÁTIMA DANTAS

REVISÃO PROFESSORA FÁTIMA DANTAS REVISÃO PROFESSORA FÁTIMA DANTAS RELATOS DE VIAGEM Características e finalidade VAMOS RECORDAR? O autor regista fatos e acontecimentos ocorridos ao longo de uma viagem, por meio de suas próprias perspectivas

Leia mais

Planificação Anual do Ensino Aprendizagem Educação Visual - 7º Ano 2011/2012

Planificação Anual do Ensino Aprendizagem Educação Visual - 7º Ano 2011/2012 Planificação Anual do Ensino Aprendizagem Educação Visual - 7º Ano 2011/2012 Unidade Didáctica Apresentação Teste Diagnóstico PLANIFICAÇÃO - 1º PERÍODO :: Professor(a) Estagiária: Ana Sofia Gomes de Jesus

Leia mais

Diversidade Textual. Gêneros do Discurso e Tipos de Texto

Diversidade Textual. Gêneros do Discurso e Tipos de Texto Diversidade Textual Gêneros do Discurso e Tipos de Texto O que são os gêneros discursivos? Todas as esferas da atividade humana, por mais variadas que sejam, estão sempre relacionadas com a utilização

Leia mais

O que é o teatro? Uma das mais antigas expressões artísticas do Homem; Tem origem no verbo grego theastai (ver, contemplar, olhar), e no vocábulo greg

O que é o teatro? Uma das mais antigas expressões artísticas do Homem; Tem origem no verbo grego theastai (ver, contemplar, olhar), e no vocábulo greg O TEXTO DRAMÁTICO Ridendo castigat mores (a rir se criticam os costumes) O que é o teatro? Uma das mais antigas expressões artísticas do Homem; Tem origem no verbo grego theastai (ver, contemplar, olhar),

Leia mais

Escola E.B. 2,3 Fialho de Almeida Cuba Língua Portuguesa 9º Ano de Escolaridade Ano lectivo: 2007 / 2008 Planificação a Longo e Médio Prazo

Escola E.B. 2,3 Fialho de Almeida Cuba Língua Portuguesa 9º Ano de Escolaridade Ano lectivo: 2007 / 2008 Planificação a Longo e Médio Prazo Escola E.B. 2,3 Fialho de Almeida Cuba Língua Portuguesa 9º Ano de Escolaridade Ano lectivo: 2007 / 2008 Planificação a Longo e Médio Prazo Unidade Sociabilidade e Diagnose O aluno: Comunicação oral: -

Leia mais

Rota de Aprendizagem PORTUGUÊS 9º ano Grupo de Português

Rota de Aprendizagem PORTUGUÊS 9º ano Grupo de Português Rota de Aprendizagem 2016-2017 PORTUGUÊS 9º ano Grupo de Português * Em anexo encontra-se Lista de Obras e Textos para Iniciação à Educação literária; e Metas Curriculares (3º Ciclo - 9º Ano): Domínios

Leia mais

Descrição da Escala Língua Portuguesa - 7 o ano EF

Descrição da Escala Língua Portuguesa - 7 o ano EF Os alunos do 7º ano do Ensino Fundamental 150 identificam a finalidade de produção do texto, com auxílio de elementos não verbais e das informações explícitas presentes em seu título, em cartaz de propaganda

Leia mais

Você conhece a sua bíblia?

Você conhece a sua bíblia? Você conhece a sua bíblia? RECORDANDO... Um breve tratado sobre as Escrituras - 66 livros: 39 AT + 27 NT - Ela é a revelação de Deus - Autores diferentes mas uma mesma mente formadora Interpretando a Bíblia

Leia mais

História de um primeiro amor Sugestão de Leitura

História de um primeiro amor Sugestão de Leitura História de um primeiro amor Sugestão de Leitura Convidamos você e seus alunos adolescentes a conhecerem mais uma história de amor comovente: História de um primeiro amor, do escritor Drummond Amorim.

Leia mais

Planificação a Médio Prazo Educação Visual - 7ºAno 2011/2012

Planificação a Médio Prazo Educação Visual - 7ºAno 2011/2012 Planificação a Médio Prazo Educação Visual - 7ºAno 2011/2012 Unidade Didática Apresentação Teste Diagnóstico PLANIFICAÇÃO - 1º PERÍODO :: Professor(a) Estagiária: Ana Sofia Gomes de Jesus Competências

Leia mais

Interpretar discursos orais com diferentes graus de formalidade e complexidade. Registar,

Interpretar discursos orais com diferentes graus de formalidade e complexidade. Registar, DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS PORTUGUÊS 8º ANO A Ano Letivo: 2012/2013 Introdução /Metas Consigna-se no Despacho n.º 5306/2012, de 18 de abril de 2012, que o desenvolvimento do ensino será orientado por Metas

Leia mais

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014

CURRÍCULO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS/ CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2013/2014 1º Ciclo Metas/Domínios Objetivos gerais Conteúdos Programáticos Critérios 4º Ano Oralidade O4 Comprensão do oral Expressão oral Escutar para aprender e construir conhecimentos Utilizar técnicas para registar

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE SAMPAIO Ano Lectivo 2008/ Planificação a Longo Prazo ESPANHOL L/E (Iniciação nível I) 10ºAno Formação Específica

ESCOLA SECUNDÁRIA DE SAMPAIO Ano Lectivo 2008/ Planificação a Longo Prazo ESPANHOL L/E (Iniciação nível I) 10ºAno Formação Específica ESCOLA SECUNDÁRIA DE SAMPAIO Ano Lectivo 2008/ 2009 Planificação a Longo Prazo ESPANHOL L/E (Iniciação nível I) 10ºAno Formação Específica Objectivos de aprendizagem Competências comunicativas Conteúdos

Leia mais

Síntese da Planificação da Área de Língua Portuguesa 1º Ano

Síntese da Planificação da Área de Língua Portuguesa 1º Ano Síntese da Planificação da Área de Língua Portuguesa 1º Ano Período Dias de aulas previstos 2.ª 3.ª 4.ª 5.ª 6.ª 1.º período 13 12 12 12 14 2.º período 10 11 11 12 12 3.º período 9 9 9 9 10 (Carga horária:

Leia mais

PORTUGISISKA Currículo para o ensino da língua sueca para imigrantes

PORTUGISISKA Currículo para o ensino da língua sueca para imigrantes PORTUGISISKA Currículo para o ensino da língua sueca para imigrantes Objetivos do ensino O programa de ensino da língua sueca para imigrantes é um programa de formação linguística qualificado que visa

Leia mais

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Planificação Anual º Ciclo- Português- Curso Vocacional

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Planificação Anual º Ciclo- Português- Curso Vocacional Módulo 1 - Texto narrativo Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Planificação Anual 2015-2016 2º Ciclo- Português- Curso Vocacional Organização modular Módulos Conteúdos Carga horária Conto Popular

Leia mais

Miguel Torga. Acção. pela sua angústia e sofrimento em plena arena, aquando a tourada.

Miguel Torga. Acção. pela sua angústia e sofrimento em plena arena, aquando a tourada. Miura Miguel Torga Acção Relevo: - Acção central O estado de espírito do touro Miura, pautado pela sua angústia e sofrimento em plena arena, aquando a tourada. - Acções secundárias A presença de outros

Leia mais

Capítulo 1 1ª Fase Objectivos e Conteúdos

Capítulo 1 1ª Fase Objectivos e Conteúdos Capítulo 1 1ª Fase Objectivos e Conteúdos 1.1 Objectivos Após a primeira fase do ICCLE (sigla inglesa para Curriculum Internacional para o Ensino da Língua Chinesa) os estudantes compreendem definições

Leia mais

Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos

Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos Tempo Caracteriza o desencadear dos fatos. Tempo cronológico ou tempo da história - determinado pela sucessão cronológica dos acontecimentos narrados. Tempo histórico - refere-se à época ou momento histórico

Leia mais

O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance.

O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance. Ensino Médio 1º ano O conto é a forma narrativa, em prosa, de menor extensão (no sentido estrito de tamanho), ainda que contenha os mesmos componentes do romance. Entre suas principais características,

Leia mais

NOME: TURMA: Nº: 1. Assinala com X a intenção principal que presidiu à elaboração deste texto:

NOME: TURMA: Nº: 1. Assinala com X a intenção principal que presidiu à elaboração deste texto: NOME: TURMA: Nº: FICHA 9 COMPETÊNCIA: COMPREENSÃO do ORAL Instruções: vais realizar um exercício de compreensão do oral. Ouve a canção Por quem não esqueci do Sétima Legião. No final da primeira audição,

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE PORTUGUÊS Básico II

PLANIFICAÇÃO DE PORTUGUÊS Básico II 1º Período PLANIFICAÇÃO DE PORTUGUÊS Básico II 5º Ano Ano Lectivo: 2010/2011 Estratégias. Nós e a Escola -Organização do material -Conhecer o Manual -Outros auxiliares de estudo -O uso do Dicionário -

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LETIVO 2012 / 2013

PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LETIVO 2012 / 2013 09-10-2012 PLANIFICAÇÃO MODULAR ANO LETIVO 2012 / 2013 N.º ORDEM N.º DE HORAS CURSO DE TÉCNICO DE GESTÃO EQUINA DISCIPLINA: FRANCÊS CONTINUAÇÃO N.º TOTAL DE MÓDULOS: 3 DESIGNAÇÃO DO MÓDULO 1 27 PARCOURS

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE PORTUGUÊS DO ENSINO BÁSICO. Escola Básica Integrada de Rabo de Peixe

IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE PORTUGUÊS DO ENSINO BÁSICO. Escola Básica Integrada de Rabo de Peixe IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE PORTUGUÊS DO ENSINO BÁSICO Escola Básica Integrada de Rabo de Peixe Sumário Introdução 2 PONTOS DE PARTIDA: Currículo Nacional do Ensino Básico publicado em 2001. O Programa

Leia mais

Escola Básica 2/3 Dr. Vieira de Carvalho. Texto Narrativo e Outros textos 1º e 2º períodos

Escola Básica 2/3 Dr. Vieira de Carvalho. Texto Narrativo e Outros textos 1º e 2º períodos Escola Básica 2/3 Dr. Vieira de Carvalho Planificação de Língua Portuguesa 8º Ano - Ano Lectivo 2008/ 2009 Texto Narrativo e Outros textos 1º e 2º períodos Unidade Temática Conteúdos Competências Específicas

Leia mais

PLANO NACIONAL DE LEITURA

PLANO NACIONAL DE LEITURA PLANO NACIONAL DE LEITURA Objectivos: Desenvolver competências nos domínios da leitura e da escrita, bem como a criação de hábitos de leitura nos alunos ; Incutir o gosto de ler ; Criar leitores autónomos;

Leia mais

CURSOS CIENTÍFICO HUMANÍSTICOS DE LÍNGUAS E HUMANIDADES Planificação anual de ESPANHOL 10.º ano (iniciação) Turmas: E Professora: Cecília Marinho

CURSOS CIENTÍFICO HUMANÍSTICOS DE LÍNGUAS E HUMANIDADES Planificação anual de ESPANHOL 10.º ano (iniciação) Turmas: E Professora: Cecília Marinho CURSOS CIENTÍFICO HUMANÍSTICOS DE LÍNGUAS E HUMANIDADES Planificação anual de ESPANHOL 10.º ano (iniciação) Turmas: E Professora: Cecília Marinho 1 - Estrutura e Finalidades da disciplina A disciplina

Leia mais

Programa de Português 2º Ano

Programa de Português 2º Ano Programa de Português 2º Ano Introdução Reconhece-se a Língua Materna como o elemento mediador que permite a nossa identificação, a comunicação com os outros e a descoberta e compreensão do mundo que nos

Leia mais

ESPANHOL PROVA DE EXAME FINAL DE ÂMBITO NACIONAL DE. Nível de Continuação. Data: Número do Processo: SE.04.07/ º Ano de Escolaridade

ESPANHOL PROVA DE EXAME FINAL DE ÂMBITO NACIONAL DE. Nível de Continuação. Data: Número do Processo: SE.04.07/ º Ano de Escolaridade gabinete de avaliação educacional INFORMAÇÃO N.º 07/05 Data: 18.01.05 Número do Processo: SE.04.07/05 Para: Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular Inspecção Geral de Educação Direcções

Leia mais

ESPANHOL PROVA DE EXAME FINAL DE ÂMBITO NACIONAL DE. Nível de Iniciação. Data: Número do Processo: SE.04.06/ º Ano de Escolaridade

ESPANHOL PROVA DE EXAME FINAL DE ÂMBITO NACIONAL DE. Nível de Iniciação. Data: Número do Processo: SE.04.06/ º Ano de Escolaridade gabinete de avaliação educacional INFORMAÇÃO N.º 06/05 Data: 18.01.05 Número do Processo: SE.04.06/05 Para: Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular Inspecção Geral de Educação Direcções

Leia mais

Tarefas de escrita. Planificação Redacção Revisão

Tarefas de escrita. Planificação Redacção Revisão MANUAL H Actividades de outros domínios Ficha demonstrativa das características estruturais e formais da biografia e autobiografia. (p. 95-96) Leitura e interpretação de 1 texto. (p.97) Referência à construção

Leia mais

Que instrumentos utilizar na observação? (continuação)

Que instrumentos utilizar na observação? (continuação) Que instrumentos utilizar na observação? (continuação) In: Pensar avaliação, melhorar a aprendizagem /IIE Lisboa: IIE, 1994 REGISTOS DE INCIDENTES CRÍTICOS Os registos de incidentes críticos consistem

Leia mais

PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2ª FASE - REDAÇÃO ESCOLA ENSINO FUNDAMENTAL: 6º ANO

PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2ª FASE - REDAÇÃO ESCOLA ENSINO FUNDAMENTAL: 6º ANO PRÊMIO CORUJA DO SERTÃO 2014 2ª FASE - REDAÇÃO ESCOLA ENSINO FUNDAMENTAL: 6º ANO Jaguarari, novembro de 2014. CADERNO DO 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Este caderno contém: A proposta de redação; Os critérios

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE ESPANHOL FORMAÇÃO ESPECIFICA

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE ESPANHOL FORMAÇÃO ESPECIFICA Manual adoptado: Es-pa-ñol 3 pasos 10º - Identificar informações - Educação para a cidadania - Alfabeto; - Manual; globais e específicas em 1º Período mensagens orais, sobre temas - Aspectos sociais e

Leia mais

Testes de diagnóstico de Português. Fausto Caels

Testes de diagnóstico de Português. Fausto Caels Testes de diagnóstico de Português Língua Não Materna Fausto Caels Equipa Grupo Língua e Diversidade Linguística ILTEC Maria Helena Mira Mateus Fausto Caels Nuno Carvalho Dulce Pereira (FLUL ILTEC) Ana

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais.  PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

EMENTA OBJETIVO GERAL. Ampliar os conhecimentos gramaticais, utilizando-os de forma apropriada nas práticas de linguagem oral e escrita.

EMENTA OBJETIVO GERAL. Ampliar os conhecimentos gramaticais, utilizando-os de forma apropriada nas práticas de linguagem oral e escrita. Ensino Fundamental II 7º ano PLANO DE ENSINO DISCIPLINA Língua Portuguesa PROFESSOR Ana Paula dos Santos Cabral CARGA HORÁRIA TURMA ANO LETIVO TOTAL SEMANAL 7º ano A 2017 1.1 - Gêneros literários: poema

Leia mais

Escreva seu livro! Como começar. Por: Miguel Angel.

Escreva seu livro! Como começar. Por: Miguel Angel. Escreva seu livro! Como começar. Por: Miguel Angel. Olá, vamos conversar um pouco sobre o texto narrativo, suas artimanhas e algumas dicas para começar seu livro. Não se iluda achando que os grandes escritores

Leia mais

Português Língua Não Materna (A2)

Português Língua Não Materna (A2) Prova de Exame Nacional de Português Língua Não Materna (A2) Prova 28/739 2009 12.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Para: Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular

Leia mais

Gêneros Textuais. E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais?

Gêneros Textuais. E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais? Gêneros Textuais E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais? Para começar, vamos observar as imagens abaixo, reproduções de uma receita, uma manchete de

Leia mais

Português Língua Não Materna (B1)

Português Língua Não Materna (B1) Prova de Exame Nacional de Português Língua Não Materna (B1) Prova 29/839 2009 12.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Para: Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA

PLANIFICAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA À BEIRA DOURO - MEDAS PLANIFICAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA 8.º ANO PARA O ANO LECTIVO 2010-2011 Conteúdos leccionados ao longo do ano lectivo: COMPETÊNCIAS NÍVEIS DE DESEMPENHO

Leia mais

Prof. Moisés Alves de Oliveira

Prof. Moisés Alves de Oliveira Prof. Moisés Alves de Oliveira Nos atuais sistemas de compreensão da linguagem, tudo o que se escreve recebe o nome genérico de redação. Que podemos distinguir em três tipos: Descrição; Narração; Dissertação.

Leia mais

Nome: Número: Data: Série: 6ª Turma: Disciplina: Redação Professor: Aline Augustin MATERIAL DE APOIO EXAME FINAL Narração Descritiva

Nome: Número: Data: Série: 6ª Turma: Disciplina: Redação Professor: Aline Augustin MATERIAL DE APOIO EXAME FINAL Narração Descritiva Nome: Número: Data: Série: 6ª Turma: Disciplina: Redação Professor: Aline Augustin MATERIAL DE APOIO EXAME FINAL - 2012 Narração Descritiva Narração - Ao encadear uma sequência de fatos (reais ou imaginários)

Leia mais