ROM (Read Only Memory) È a memória apenas para leitura. È nela que está gravada a BIOS, a primeira camada de software de um computador.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ROM (Read Only Memory) È a memória apenas para leitura. È nela que está gravada a BIOS, a primeira camada de software de um computador."

Transcrição

1 GLOSSÁRIO MICROPROCESSADOR ou CPU É o chip mais importante do computador, cabendo a ele o processamento de todas as informações que passam pelo computador. Ele reconhece quando alguma tecla foi pressionada, quando o mouse foi movido, quando um som está sendo executado e tudo mais... Devido a sua importância, consideramos o processador como o cérebro do computador e vamos estudá-lo com mais detalhamento. MEMÓRIA RAM É um conjunto de chips que acumulam as informações enquanto estão sendo processadas, é mais ou menos assim: o que estiver sendo apresentado no monitor está armazenado, neste momento, na RAM. Toda e qualquer informação que estiver sendo processada, todo e qualquer programa que esteja sendo executado está na memória RAM. A memória RAM é vendida na forma de pequenas placas chamadas pentes. RAM significa Memória de Acesso Aleatório, ou seja, o computador altera seu conteúdo constantemente, sem permissão da mesma, o que é realmente necessário. Como a memória RAM é alimentada eletricamente, seu conteúdo é esvaziado quando desligamos o computador. Sem chance de recuperação, ou seja, é um conteúdo volátil. ROM (Read Only Memory) È a memória apenas para leitura. È nela que está gravada a BIOS, a primeira camada de software de um computador. CMOS É uma memória RAM especial, que armazena os dados da configuração do computador do usuário. Por ser volátil, necessita de uma bateria para manter estes dados (inclusive a hora certa). É lida pela BIOS quando da inicialização da máquina. MEMÓRIA CACHE É uma memória que está entre o processador e a RAM, para fazer com que o acesso à RAM seja mais veloz. A Memória Cache normalmente é formada por circuitos dentro do processador, para que sua velocidade seja ainda maior. Uma vez acessada uma informação, ela não precisará ser acessada mais uma vez na RAM, o computador vai buscá-la na Cache, pois já estará lá. DISCO RÍGIDO Winchester ou HD, é um dispositivo de armazenamento magnético na forma de discos sobrepostos. É no Disco Rígido que as informações são gravadas de forma permanente, para que possamos acessá-las posteriormente. As informações gravadas nos discos rígidos (ou nos disquetes) são chamadas arquivos. BARRAMENTO Também conhecido como BUS é o nome dado ao conjunto de vias que fazem a informação viajar dentro do computador. O BUS liga o processador aos periféricos e às placas externas que se encaixam na placa mãe. SLOTS São fendas na placa mãe que permitem o encaixe de outras placas, como as de vídeo, som, rede, etc. Veremos, a seguir, mais detalhadamente os Slots, os barramentos e suas características. PERIFÉRICOS - ENTRADA São aqueles que fazem a informação entrar na CPU, ou seja, tem mão única do usuário para a CPU. Ex:Teclado, Mouse, Câmera, Microfone, Scanner, etc. - SAÍDA São os dispositivos que permitem que a informação saia da CPU para o usuário. Ex: Monitor, impressora, Caixas de Som, Plotter, Data Show (Projetor), entre outros. - MISTOS (Entrada e Saída) São periféricos de mão dupla, ora a informação entra na CPU, ora ela sai. Ex: Disquete, Disco Rígido, Modem, Placa de Rede, e as Memórias (RAM e CACHE). Nestes dispositivos, a CPU tem o direito de LER (entrada) e GRAVAR (saída). Para explicar outros periféricos, acompanhe a listagem abaixo: MODEM É um periférico que permite a conexão com outro computador através de uma Rede Dial-up (conexão telefônica) para, por exemplo, permitir o acesso à Internet. SCANNER Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1

2 Periférico que captura imagens e as coloca na tela, é assim que colocamos as fotos para serem alteradas no computador. PLOTTER Impressora de grade porte, que serve para imprimir plantas baixas em projetos de engenharia e arquitetura, que opera movendo uma (ou várias) canetas ao longo de dois eixos cartesianos. PLACA DE REDE Permite que o computador se conecte a uma rede local (LAN) através de cabos específicos, chamados cabos de rede. PLACA DE SOM Permite que o computador emita som estéreo pelas caixinhas de som. PLACA DE VÍDEO Realiza a comunicação entre processador e monitor, sem esse periférico, o computador não conseguiria desenhar na tela do monitor, ou seja, não seria possível trabalhar. Atualmente, os micros vendidos nas maiorias das lojas do país apresentam todos os periféricos básicos já inseridos na Placa Mãe, são os chamados Micros com Tudo ON BOARD, ou seja: Placa de Som, Placa de Rede, Placa de Vídeo, Fax/Modem vêm todos já dentro da placa mãe. Esses micros são fáceis de instalar e mais baratos, mas a qualidade dos produtos colocados nas placas mãe deve ser bem escolhida pelos que fabricam e comercializam os produtos. Além do mais, essas placas normalmente vêm de fábrica com poucos Slots (lacunas para encaixar outras placas), o que limita muito as possibilidades de Upgrade (melhoria no computador, como aumento de recursos, velocidade, etc...). IDE É o tipo de interface dos HDs e CDs/DVDs (inclusive gravadores) antigos. Também chamado de PATA (transferência paralela). SATA Modelo mais moderno de interface de HDs, CDs e DVDs (inclusive gravadores). Permite transferências de dados mais rápidas devido à sua arquitetura serial (daí a letra S na sigla). USB (Universal Serial Bus) Barramento Serial Universal, que permite a conexão chamada hotplug (ou seja, com o computador ligado) de qualquer dispositivo com este padrão. De câmeras digitais a impressoras e pen drives (dispositivos de armazenamento portáteis, sem baterias, com capacidade entre 512MB e 4GB). 2 Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

3 PRATICANDO... 1) Realiza uma intermediação na comunicação entre Processador e Memória RAM, a fim de torná-la mais rápida nas operações repetidas, estamos falando de: a) Disco Rígido b) Memória Cache c) Driver de Impressora d) Antimemória 2) É um Periférico de Entrada e saída que auxilia na comunicação com outros computadores através da linha telefônica, estamos falando de: a) Fax b) Placa de Rede c)modem d) Placa de Som 3) 128 MB de memória é a quantidade de armazenamento de dados padrão para os computadores atuais, esta memória que falamos é: a) Memória Cache b) Memória RAM c) Memória Auxiliar d) Memória de Disco 4) Em geral, o equipamento que apresenta maior capacidade de armazenamento de dados digitais em um microcomputador é o (a): a) Disco flexível b) Disco Rígido c) Memória RAM instalada d) Memória ROM e) CD-ROM 5) O disquete de 3 ½ Polegadas é utilizado, como padrão, para a transmissão de dados entre computadores que não possuem conexão entre si, e durante muito tempo foi a única maneira de se trocar arquivos entre computadores, mas é limitado, devido à sua capacidade máxima de: a) 1,44 MB b) 2,00 MB c) 14,4 MB d) 1,38 MB 6) Avalie as sentenças abaixo I. Todo micro necessita, para conectar à internet, de uma placa de rede. II. Memória Cache é mais lenta que a memória RAM III. Os dados gravados na Memória RAM são permanentes IV. O Drive de disquete é um periférico somente de entrada Assinale quais as alternativas estão corretas: a) I e II b) II e III c) Todas d) Nenhuma 7) As caixas de som de um computador são periféricos de saída, pois os dados saem da CPU para o usuário, assim como acontece com a impressora. Mas o Scanner é considerado: a) Parte integrante da CPU b) Periférico Misto (Entrada e Saída) c) Periférico de Entrada d) Periférico de Saída 8) O BIOS é um CHIP que tem instruções gravadas de fábrica para realizar durante a inicialização do computador, o tipo de memória que armazena os dados do BIOS é: a) RAM b) SRAM c) CACHE d) ROM 9) Julgue os seguintes itens, a respeito de componentes e periféricos típicos dos computadores atuais: Atualmente, são comuns modems que permitem transmissão a taxas superiores a 1024 bps. A função do Scanner é aumentar a capacidade de memória do computador Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 3

4 Todas as unidades de CD-ROM permitem a escrita e a leitura dos dados em CDs. Diversas impressoras do tipo jato de tinta podem imprimir em cores Diversos tipos de mouses atuais conectam-se ao computador por meio de portas seriais. O número de itens corretos é igual a: a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) No que se refere a hardware de microcomputadores do tipo PC e de seus periféricos, assinale a opção correta. a) Todos os discos rígidos utilizados em microcomputadores atuais utilizam gravação óptica. b) Existem atualmente microcomputadores do tipo PC com capacidade de memória RAM superior a 500 mil bytes c) Apesar de as impressoras matriciais de impacto terem uma qualidade gráfica pior que as impressoras a laser, uma grande vantagem das primeiras sobre as segundas é que aquelas têm sempre uma velocidade de impressão maior que estas. d) A função da placa de modem é controlar os sinais que vão do computador para o monitor de vídeo. e) Os discos flexíveis de 3½ polegadas permitem um armazenamento de até 144 gigabytes. 4 Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

5 I INTRODUÇÃO 1. HARDWARE Conceito São todos os componentes físicos de um sistema de informática. Composto de unidades eletrônicas, mecânicas, magnéticas e ópticas Periféricos: Todos os dispositivos físicos existentes no computador que se comunicam com a unidade central de processamento (CPU), através destes dispositivos é possível enviar e receber dados do computador. São divididos da seguinte forma. Periféricos de Entrada: São veículos a partir dos quais o computador recebe informações do meio externo. Esses dispositivos recebem as instruções e os dados fornecidos pelo usuário e os transferem para dentro do micro. Ex: Teclado, mouse, caneta ótica, mesa digitalizadora, leitora de código de barras, scanner, webcam. Periféricos de Saída: São os dispositivos através dos quais o computador transmite informações para o meio externo. Ex.: Monitor, Impressora. Periféricos de Entrada e Saída: São dispositivos que tanto recebem dados provenientes da unidade central como os transferem para unidade central de processamento (CPU). Ex: Monitor Touch Screen, diskette, HD CPU (Central Processor Unit ou Unidade Central de Processamento): A unidade central é formada pelo microprocessador pela memória principal ou primária e vários circuitos auxiliares. Costuma-se ser montada em uma mesma placa, comumente chamada de placa mãe (Motherboard). Nela impera o microprocessador, que acaba dando o nome a toda a máquina. Por exemplo: micro computador Pentium significa um computador cujo micro processador usa um chip Pentium fabricado pela Intel. É o microprocessador que executa (roda) um programa, que por sua vez, é um conjunto de instruções organizadas e armazenadas de forma coerente na memória que permite ao processador executar uma determinada tarefa. A velocidade com que o computador executa essas tarefas guarda estreita relação com a freqüência indicada (por exemplo: 2800 MHz 2.8GHz). Assim quanto mais rápida a freqüência do processador, mais depressa ele executará suas tarefas. Porém a velocidade de um computador não depende somente da freqüência do processador, é preciso que a memória e os circuitos auxiliares o acompanhem. O microprocessador Pentium (aqui mostrado com uma ampliação de 2,5 vezes) é fabricado pela Intel Corporation. Contém mais de três milhões de transistores, e pode fazer que algumas partes de seus circuitos sejam mais lentas ou literalmente desliguem quando não são necessárias. ATENÇÃO: A empresa AMD usa um método distinto para numerar seus processadores. Por exemplo, um Athlon 3800+, embora tenha freqüência de clock interna de 2.1GHz, tem performance igual ou superior a de um Pentium de 2.8GHz. Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 5

6 Pentium IV Athlon Memórias: RAM: Sigla de random access memory (memória de acesso aleatório). Em informática, memória baseada em semicondutores que pode ser lida e gravada pelo microprocessador ou outros dispositivos de hardware. Normalmente, o termo RAM se refere à memória volátil, que não conserva seu conteúdo quando o computador é desligado. Está intimamente ligada à velocidade, quanto mais memória RAM mais veloz será o computador. Também conhecida por memória principal. ROM: Sigla de read-only memory (memória somente leitura). Em informática, memória baseada em semicondutores que contém instruções ou dados que podem ser lidos, mas não modificados. Tem a função de testar os dispositivos do computador para que o sistema operacional inicie sem problemas. Massa: São dispositivos armazenadores não voláteis, ou seja, as informações não se perdem se houver queda ou corte de energia. Podem ser divididas em duas categorias: magnéticas e digitais. Magnéticos: Recobertas de um material que possibilita a gravação magnética de dados. Podem ser ainda rígidas ou flexíveis. Rígidas: Denominado de Hard Disk (antigamente chamados de Winchester, uma tecnologia) ou, ainda, Disco Rígido, é o principal elemento armazenador de um computador, isto devido a sua velocidade de acesso e pela alta capacidade de armazenamento, é nele que ficam gravados: o sistema operacional, os programas aplicativos e a maioria dos dados do usuário. O HD (Hard Disk) é constituído de uma pilha de discos de metal contida em uma câmara selada sua unidade de disco. O motor do HD faz com que o conjunto de discos gire a uma velocidade elevadíssima, a partir de 3600 rpm (rotações por minuto), podendo chegar a rpm, e a cabeça de leitura e gravação acessa ou grava dados no disco sem encostar-se em sua superfície. Caso existisse contato as cabeças marcariam a superfície magnética acarretando a perda de dados e principalmente a destruição imediata da mesma. O tamanho padrão de um HD varia entre de 80 GB a 400 GB (embora HDs acima de 1 TB estejam em desenvolvimento). Flexíveis: Plano feito de mylar (um filme de poliéster) recoberto com óxido de ferro com partículas minúsculas capazes de manter um campo magnético, é encapsulado em um envoltório protetor de plástico. Pouco depois de surgirem os microcomputadores, os disquetes, ou discos flexíveis, se tornaram o principal meio de armazenamento de informações. Neles eram gravados tanto aplicativos quanto trabalhos desenvolvidos a partir destes aplicativos. A unidade possui um eixo que gira o disquete e uma cabeça de leitura e gravação que se move para frente e para trás (da borda para o centro e vice-versa), posicionando-se em qualquer ponto da superfície do disco, permitindo o acesso aos dados de forma direta. Também conhecido como disquete 3 ½ (diâmetro do disco em polegadas) tem capacidade de armazenar 1,44 MB. Existem também dispositivos magnéticos de armazenamento em larga escala, amplamente utilizado para cópias de segurança (Backup) nas empresas, são eles, o Zip Drive que tem capacidade entre 100 MB a 250 MB e o Jazz Drive que varia entre 1 GB a 2 GB. 6 Atualizada 29/01/2008 Digital ou Óptico: Ao contrário dos meios magnéticos de Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

7 1.4. Unidades de Medida armazenamento o CD (Compact Disk) utiliza um sensor óptico para leitura de dados. O advento dos meios digitais se deu no início dos anos 90 com a popularização do CD-ROM, dispositivo no qual só era possível ler os dados no disco. Tornou-se comum o uso de gravadores de CD no microcomputadores, conhecidos como CD-RW (Compact Disk Recordable Writeable) tem capacidade de armazenamento de 650 MB e 700 MB. DVD: Seguindo o padrão de mídia (meio) óptica, o DVD veio preencher a lacuna aberta pela necessidade de maior capacidade de armazenamento, possibilitando que 4.7 GB de dados sejam gravados em sua superfície. Assim como o CD, há as variações DVD-R e DVD-RW, que permitem, respectivamente, gravar os dados apenas uma vez (DVD-R) ou gravá-los e apagá-los (DVD-RW). Há, ainda, uma mídia especial que possibilita a gravação em duas camadas (DVD-DL), que permite o dobro de armazenamento, ou seja, 9.4GB. DVD Blu-Ray (BD): Tecnologia de ponta, que utiliza um laser azul (daí o nome) em vez dos tradicionais vermelho ou infravermelho. Esta tecnologia possibilita a gravação de 25 GB de dados (ou de 50 GB em dupla camada), o que equivale a cerca de 6h de vídeo em alta definição. Bit - A definição formal de bit é: "Um bit é um dígito binário, a menor unidade de informação de um computador. Um bit pode assumir apenas um entre dois valores: 0 e 1." Traduzindo em algo mais palpável: o processador central do computador (seja ele Intel, AMD, Cyrix, etc.) é, no fim das contas, nada mais que milhões de pequenos transistores. Os transistores são chaves elétricas minúsculas, que assumem apenas dois estados: ligado (o circuito está fechado e passa eletricidade); ou desligado (o circuito está aberto e a eletricidade não passa). Quando aplicamos uma corrente elétrica em uma das extremidades do processador, o resultado que sairá do outro lado depende do estado de todos os transistores presentes. Mas isto é a parte física da coisa. É necessário haver uma tradução lógica das correntes elétricas, algo que possa ser interpretado em uma linguagem compreensível ao ser humano. O bit é a representação lógica do estado de um transistor do processador, e isto fica bem óbvio pelos valores que ele pode assumir: Bit com valor ZERO: o transistor está desligado, o circuito está aberto. Bit com valor UM: o transistor está ligado, o circuito está fechado. Então você pergunta: e daí? Daí que esta unidade de informação pode representar muitas coisas: um pixel aceso ou apagado para compor uma imagem de um monitor; uma gota de tinta que pode ou não ser espirrada no papel para realizar uma impressão; um número, que pode ser convertido em uma letra, que pode fazer parte de uma palavra presente no documento que você digitou em seu processador de texto (na verdade, são necessários oito bits para representar um número, vindo daí o conceito de byte); parte de uma operação aritmética; e por aí vai. Enfim, o bit é a menor partícula de informação processada em um computador; é a interface entre a parte física e a parte lógica da máquina. Byte - A definição formal de byte é: "a abreviação de binary term (termo binário). Um único byte é composto de 8 bits consecutivos capazes de armazenar um único caractere." Em outras palavras: apesar do bit ser a menor unidade de informação interpretável pela linguagem do computador, são necessários 8 deles juntos para que possam exprimir algo interpretável pela linguagem humana. Cada byte representa um dígito. Cada caracter (ou letra, de modo mais simples) é um byte. Então, os caracteres A, etc, são representados por um único byte. Não se pode esquecer que o espaço em branco também é uma letra (caracter) e, portanto, ocupa um byte. ATENÇÃO: bit é abreviado com b minúsculo. Byte, com B maiúsculo Equivalência entre unidade de medida UNIDADE SÍMBOLO CORRESPONDÊNCIA VALOR 1 Kilo Byte 1 KB 2 10 bits 1024 B 1 Mega Byte 1 MB 2 20 bits 1024 KB 1 Giga Byte 1 GB 2 30 bits 1024 MB 1 Tera Byte 1 TB 2 40 bits 1024 GB 1 Peta Byte 1 PB 2 50 bits 1024 TB 1 Exa Byte 1 EB 2 60 bits 1024 PB ATENÇÃO: Por exemplo, 1 TB corresponde a de Bytes! Ou seja, mais de UM TRILHÃO de Bytes ou OITO TRILHÕES de bits. Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 7

8 1.6. As Gerações dos Computadores GERAÇÃO Primeira geração Segunda geração Terceira geração Quarta Geração 1970 Hoje CARACTERÍSTICAS 2 Uso de válvulas (esquentavam e queimavam com facilidade) 3 Pesavam muito (toneladas) 4 Uso militar 5 Uso de transistores 6 Maior potência e confiabilidade 7 Redução de tamanho e consumo 8 Uso em empresas de grande porte e por militares 9 Uso de circuitos integrados LSI (chip) 10 Máquinas menores, mais poderosas e de baixo custo 11 Uso em empresas de grande e médio portes 12 Uso de circuitos integrados VLSI 1 (chip menor) 13 Surge o microprocessador computador pessoal IBM/PC 14 Início da utilização de disquetes 15 Uso doméstico Costuma-se dizer que a quinta geração (em desenvolvimento) estará ligada ao uso da inteligência artificial.software 1.7. Conceito Conjunto de instruções que coordenam o funcionamento do micro. Sem ele o computador seria completamente inútil. Poderíamos defini-lo como a parte lógica do computador. Fazendo uma analogia com o corpo humano, poderíamos dizer que o hardware seria o corpo físico, enquanto o software seria o raciocínio e o conhecimento Tipos de Software Podemos classificar em duas categorias: sistema operacional e software aplicativo. Sistemas Operacionais: É o programa que estabelece a interface entre os programas aplicativos e a lógica eletrônica do equipamento em si. É, portanto, um programa que estabelece uma ponte entre o hardware e os demais programas, chamada aplicativos, os principais softwares básicos são os sistemas operacionais, os principais estão descritos abaixo: MS-DOS (Microsoft Disk Operation System): Durante muitos anos foi o sistema operacional mais popular do mundo, em função, do volume de aplicações desenvolvidas para aquele ambiente. É um sistema que utiliza a digitação direta dos comandos na tela, o chamado sistema de linha de comando (o prompt). OS-2: Foi desenvolvido para equipamentos 386, mas vem sendo largamente utilizado nos processadores mais modernos, porque utiliza muito bem os recursos do microprocessador, tais como de simular máquinas virtuais, paginação de memória e recursos de segurança. O OS-2 foi concebido tanto para uso doméstico como para grandes corporações; WINDOWS: O advento do Windows mudou completamente a forma de operar a máquina, a facilidade de usar este ambiente de interface gráfica, baseado no mouse, foi conseguida com pela reprodução de um ambiente de trabalho. O grande número de ícones (imagens gráficas), menus, janelas e toda uma série de formas de representar informações por meio de símbolos variados e coloridos reduziu a necessidade de memorizar dezenas de comandos necessários ao uso do programa. O Windows tem como principais versões: Windows 3.1, Windows 3.11, Windows 95, Windows 98, Windows ME, Windows NT, Windows 2000, Windows XP e Windows Vista. LINUX: O Linux começou com a idéia de um estudante chamado Linus Torvalds de criar um clone dos sistemas UNIX da época que eram caros e não rodavam nos computadores 386 que ele tinha em casa. Assim, ele pegou um UNIX educacional chamado Minix e passou a escrever um sistema melhor, o qual ele registrou na licença GPL (General Public License). Essa licença afirma que não se deve fechar o código de qualquer trabalho derivado do programa com essa licença. O nome 1 LSI-Large Scale Integration. VLSI-Very Large Scale Integration. Respectivamente, integração em larga escala e integração em escala muito ampla. Diz respeito ao número de componentes que podem ser encapsulados em um único chip. Por exemplo, o processador de um aplaca gráfica atual tem entre 222 e 681milhões de transistores! Sem contar os quase 55 milhões do processador... Por isso a ENORME quantidade de calor gerada, que EXIGE um cooler (ventilador para resfriamento) tanto na CPU processador, quando na GPU placa gráfica. Nas CPUs modernas que usam aplicações pesadas, chega-se a 56 C. 8 Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

9 Linux deriva de Linux = Linus + UNIX. Logo, várias pessoas tomaram conhecimento dessa iniciativa pela Internet e se entusiasmaram, passando a contribuir com o sistema que hoje é totalmente funcional, rápido, barato, atualizado e contando com milhares de aplicativos. Software Aplicativo: Como o próprio nome sugere, aplicativo é o programa que atende às necessidades específicas de processamento de dados de cada usuário. É todo arquivo executável que possa rodar sob um sistema operacional. O aplicativo realiza uma tarefa por si só, ou seja, não depende de outros programas para funcionar. Por exemplo, o arquivo winword.exe é o Microsoft Word, aplicativo utilizado para edição de textos. Os arquivos de extensão *.doc, por sua vez, são os documentos criados pelo Word, e não realizam uma tarefa por si só. Sendo assim, arquivos *.doc não constituem um aplicativo. Editores de Texto: Programas que dão suporte a criação e formatação de textos, podendo também inserir objetos gráficos como, figuras, caixas de texto, tabelas, etc. Planilha Eletrônica: Programa de auxilio a cálculos em geral, muito usado em contabilidades, possibilita a realização de operações complexas de maneira rápida e prática, podendo também gerar gráficos, mapas e banco de dados. Banco de Dados: Programas que permitem gerar e manipular dados armazenados em uma estrutura computacional (tabela), muito utilizados para cadastros em geral, mala direta, etiquetas, etc. Gerador de Apresentações: Programa destinado a criação de apresentações com recursos multimídia (áudio, vídeo e animações) largamente utilizado por instituições acadêmicas, professores, palestrantes. Editores Gráficos: Programas ligados à criação de artes gráficas e manipulação e tratamento de imagens. Players: Programas destinados a rodar arquivos de áudio, vídeo e CD s musicais. Alguns Players podem também converter as músicas de um CD em arquivos e assim armazená-los em disco, são chamados de Rippers. Compactadores: Programas utilizados para compactação e quebra de arquivos em volumes para que sejam armazenados em disquetes. Muitos dos aplicativos comerciais integram estes programas para fazer sistema de Backup (cópia de segurança). O conjunto formado por programas de edição de texto, planilhas eletrônicas, banco de dados e gerador de apresentações é denominado SUÍTE de aplicativos de escritórios. Há uma alternativa gratuita ao conhecido Office 2, da Microsoft, que mantém TODAS as características daquele produto e ainda acrescenta novas, podendo ler e gravar arquivos naquele formato. Trata-se do OpenOffice, disponível livremente na Internet Programas Específicos Desenvolvidos para atender as necessidades específicas de um tipo de usuário ou de uma empresa, como, por exemplo, um programa para cálculo de arrecadação de impostos federais, ou para agendamento de consultas médicas na rede pública de saúde, ou ainda para sorteios de bingo e aleatorização de valores para jogos da Caixa Econômica Federal Shareware Software que é distribuído livremente, desde que seja mantido o seu formato original, sem modificações, e seja dado o devido credito ao seu autor. Normalmente, foi feito para ser testado durante um curto período de tempo (período de teste/avaliação) e, caso seja utilizado, o usuário tem a obrigação moral de enviar o pagamento ao seu autor. Quando é feito o registro, é normal receber-se um manual impresso do programa, assim como uma versão melhorada, possibilidade de assistência técnica e informações acerca de novas versões Arquivo É um agrupamento de bits que formam uma unidade lógica que possa ser interpretada pelo processador do PC. Na verdade, os arquivos são tudo que compõe o software do computador. O sistema operacional, os aplicativos e os documentos que são manipulados pela máquina são compostos de milhares de arquivos. Cada arquivo é definido por um nome e uma extensão. A extensão é um código universal que determina o tipo de arquivo em questão. Combinado com o nome identifica exclusivamente o arquivo dentro de um mesmo diretório. Até 1995 (antes do lançamento do Windows 95), todos os arquivos eram obrigados a adotar a notação 8.3. Isto é: nome com no máximo oito dígitos e extensão com no máximo três dígitos, separados por um ponto. Além disso, não eram permitidos alguns caracteres especiais nem espaços para 2 Que, em inglês, significa escritório. Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 9

10 1.12. Pasta definir estes componentes. Com o advento do Windows 95, esta notação passou a ser mais flexível, sendo agora conhecida como 255.8: nomes com até duzentos e cinqüenta e cinco caracteres (incluindo espaços) e extensões com até oito caracteres. Alguns tipos de arquivos conhecidos são:.exe: são os arquivos executáveis, ou seja, arquivos binários que executam alguma ação específica e produzem algum resultado. Exemplos: notepad.exe (bloco de notas), sol.exe (paciência), deltree.exe (executável do DOS utilizado para excluir diretórios)..com: têm a mesma função dos arquivos.exe, mas ficam carregados diretamente na memória durante todo o tempo em que o computador estiver ligado. Exemplos: command.com (interpretador de linha de comando do DOS; é praticamente o DOS em si), win.com (núcleo do Windows)..txt: ao contrário dos dois tipos de arquivos acima, os arquivos-texto não são compostos por números binários, e sim por caracteres ASCII. Sendo assim, eles não executam nenhuma ação, servem apenas para armazenar dados..bat: os arquivos de lote nada mais são que arquivos-texto que contém uma série de comandos DOS em seqüência. Seria uma forma "primitiva" de programação, uma maneira de automatizar operações para facilitar a vida do usuário. Uma exceção é concedida ao arquivo AUTOEXEC.BAT, particularmente importante para PC s que utilizem DOS e Windows 3.x. Este arquivo de lote é necessário para que o sistema operacional funcione corretamente, uma vez que ele executa uma série de operações essenciais na inicialização do computador: carregar drivers de configuração de teclado e vídeo, carregar TSR s (programas residentes na memória, como anti-vírus ou compactadores de disco rígido), definir variáveis de ambiente, etc..dll: sigla em inglês para dynamic link library, ou biblioteca de vínculo dinâmico. Imagine este arquivo como sendo um "pedaço" de um arquivo executável. A maioria dos aplicativos escritos para Windows executam algumas funções comuns, como abrir e salvar arquivos, configurar impressoras, gerenciar cores do vídeo, tocar sons, etc. Se cada aplicativo abrigasse tais funções em seu próprio arquivo executável, o tamanho de tal arquivo seria enorme, o que consumiria rapidamente o espaço disponível no HD, além de tornar penoso o processo de instalação do mesmo em outros micros. Convencionou-se então de "quebrar" o executável em várias partes menores, e as partes que executassem funções comuns seriam armazenadas num diretório acessível a todos os aplicativos. Tais partes foram então chamadas de dll s, e o diretório comum aos aplicativos é conhecido como \WINDOWS\SYSTEM. O próprio Windows já oferece uma grande quantidade de dll s com várias funções úteis, simplificando a vida do programador, padronizando o sistema e diminuindo o tamanho final do aplicativo. Nome dado aos diretórios nos computadores Macintosh, UNIX (LINUX incluído) e PCs com Windows 95 ou posterior. Uma pasta serve para agrupar arquivos de um mesmo tipo ou programas. 10 Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

11 2. INTERNET 2.1. Conceito Internet, interconexão de redes de informática que permite aos computadores conectados comunicar-se diretamente. O termo refere-se a uma interconexão em particular, de caráter planetário e aberto ao público, que conecta redes de informática de organismos oficiais, educativos e empresariais. Também existem sistemas de redes menores (Intranet) geralmente para o uso de uma única organização. A precursora da Internet nos anos 80 e início dos 90 chamava-se BBS - Bulletin Board System. Um computador ou vários que permitiam que os usuários se conectassem a ele através de uma linha telefônica, normalmente trocavam mensagens, fotos, programas, etc. Ao contrário da Internet as BBS s não tinham ambiente gráfico, usavam recursos de linha de comando Como funciona a Internet Internet é um conjunto de redes locais conectadas entre si através de um computador especial para cada rede, conhecido como gateway. A interconexão entre gateways se efetua através de diversas vias de comunicação, entre as quais figuram linhas telefônicas, fibras ópticas e enlaces por rádio. Podem juntar-se às redes adicionais conectando novas portas. A informação que deve ser enviada a uma máquina remota é etiquetada com o endereço computadorizado da dita máquina. Os distintos tipos de serviço proporcionados pela Internet utilizam diferentes formatos de endereço na Internet. As redes situadas fora dos Estados Unidos utilizam sufixos que indicam o país, por exemplo, (.br) para Brasil ou (.ar) para Argentina. Dentro dos Estados Unidos, o sufixo anterior especifica o tipo de organização a que pertence a rede de informática em questão, que, por exemplo, pode ser uma instituição educativa (.edu), um centro militar (.mil), um órgão do Governo (.gov) ou uma organização nãogovernamental (.org). Uma vez endereçada, a informação sai de sua rede de origem através de uma porta 3. Dali é encaminhada de porta em porta até que chegue à rede local que contém a máquina de destino. A Internet não tem um controle central, isto é, nenhum computador individual que dirija o fluxo de informação. Isto diferencia a Internet e aos sistemas de redes semelhantes de outros tipos de serviços de informática de rede como CompuServe, América Online (AOL), Universo Online (UOL) ou Microsoft Network Site É o conjunto de documentos (denominados páginas,que podem conter textos, imagens, aplicativos JAVA, scripts JavaScript e uma infinidade de tecnologias que, aos poucos, vão sendo empregadas) devidamente publicados na World Wide Web. Um site na Web mantém em execução um programa chamado servidor de páginas na Web, que processa os pedidos de informações, feitos ao site Homepage É a primeira, ou a principal, de uma série de páginas que compõem um site. Cada site pode ter um número de páginas, e a homepage funciona como o índice de um livro ou a capa de uma revista. Através dela, o visitante pode procurar as páginas que correspondem ao assunto que lhes despertou o interesse Hiperlinks São trechos de texto, ou imagens, preparados para conectar à outra página, ou outro ponto da página que está sendo vista (link - âncora). Quando o link tem a forma de texto, geralmente aparece sublinhado e em cor diferente do restante do texto. Quando esse link já foi usado, ou a página indicada já foi visitada, o texto sublinhado tem sua cor mudada. 3 A porta não é física, mas lógica. Isso quer dizer que não há uma porta como se conhece na vida real, mas uma metáfora digital, que permite a conexão entre equipamentos. Em cada computador há portas disponíveis para conexão. Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 11

12 2.6. www World Wide Web. Sistema de hipermídia 4 desenvolvido por Timothy Berners-Lee, em 1990, no CERN, é a mais importante aplicação da Internet. O termo é usado em geral como sinônimo de Internet; mas numa definição rígida, refere-se às aplicações da Rede que usam o HTTP, protocolo de transferência de hipertexto (baseado na linguagem HTML). Na prática, isso exclui a maior parte das aplicações de , de FTP (protocolo de transmissão de arquivos) e a Usenet, por exemplo URL 2.8. Modem Sigla de Universal Resource Locator, método de identificação de documentos ou lugares na Internet, que se utiliza principalmente na World Wide Web (WWW). Consiste em uma cadeia de caracteres que identifica o tipo de documento, o computador, o diretório e os subdiretórios no qual se encontra o documento e seu nome. Por exemplo, o URL da home page do Museu Histórico Nacional é Modulador Demodulador. Dispositivo que permite ligar um computador à linha telefônica, para assim estar apto a comunicar com outros. Muitos dos modems são também capazes de realizar funções de fax. A sua aplicação mais importante será porventura a ligação à Internet (através de um provedor de acesso) Download & Upload Uma conexão com a Internet é um caminho de duas vias: na maior parte do tempo recebemos informações da Web (como por exemplo, ao acessar uma homepage), mas também enviamos informações, toda vez que clicamos em um link, ou preenchemos um formulário de cadastro, ou enviamos um . O ato de navegar pela via desta "estrada digital" na qual ENVIAMOS informações é conhecido como UPLOAD. O caminho inverso, ou seja, o ato de RECEBER informações vindas da Web (seja acessando um site, recebendo s ou copiando um arquivo para nosso disco rígido) é conhecido como DOWNLOAD. ATENÇÃO: ENVIAR = upload RECEBER = download O protocolo da Internet (TCP/IP) O protocolo da Internet (IP) é o suporte lógico básico empregado para controlar o sistema de redes. Este protocolo especifica como os computadores encaminham a informação desde o computador emissor até o computador receptor. Outro protocolo denominado Protocolo de Controle de Transmissão (TCP) comprova se a informação chegou ao computador de destino e, caso contrário, faz com que seja novamente remetida. O Protocolo da Internet (IP) e o Protocolo de Controle de Transmissão (TCP) foram desenvolvidos em 1973 pelo norte-americano Vinton Cerf como parte de um projeto patrocinado pela Agência de Programas Avançados de Investigação (ARPA, siglas em inglês) do Departamento de Defesa dos Estados Unidos. A Internet começou como uma rede de informática (chamada ARPAnet) que conectava redes de computadores de várias universidades e laboratórios de pesquisa nos Estados Unidos. World Wide Web foi desenvolvida em 1989 pelo britânico Timothy Berners-Lee para o Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (CERN, sigla em francês) Aplicativos e Ferramentas relacionados à Internet Navegadores Conhecidos como browsers, os navegadores permitem visitar as páginas (Homepages) da Internet, efetuar busca em site de pesquisa, baixar arquivos, servem também bater papo em salas de chat, ouvir música, entre outras atividades. Mosaic foi o primeiro programa (browser) para o WWW concebido pela NCSA (EUA). Com ele a web tomou um grande impulso, pois foi a primeira ferramenta que permitia visualizar a informação da Internet, e utiliza-la, de forma gráfica e atraente. 4 Chame-se hipermídia à navegação feita de modo não-linear. Ou seja, o usuário tem a liberdade de seguir o caminho que quiser, clicando sobre os diversos links da página, em vez de lê-los um-a-um como em um livro. 12 Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

13 Atualmente o navegador mais utilizado é o Internet Explorer. Um navegador gratuito que conquistou a liderança na guerra dos browser por estar enraizado ao sistema operacional Microsoft Windows. Esta guerra tinha como líder o navegador Netscape Navigator, que não conseguiu acompanhar a evolução da Internet e cedeu a liderança para o navegador da Microsoft. Uma aposta dos usuários é sobre o Mozilla Firefox. Gratuito, veloz e com mais funcionalidades que seus concorrentes, vem conquistando cada vez mais os computadores domésticos e corporativos. Correndo por fora dessa briga podemos encontrar o navegador Opera, uma alternativa com menos recursos e opções que os demais navegadores, mas que está sendo adotada em dispositivos portáteis como celulares e handhelds (Correio Eletrônico) São programas destinados a troca de mensagens eletrônicas, podendo também gerenciar grupos de usuários, enviar arquivos anexados (multimídia ou não), determinar prioridades no envio de mensagens, organizar um catálogo de endereços, realizar mala direta, etc. O programa mais usado hoje em dia é o Outlook Express da Microsoft, assim com o Internet Explorer, ele já está enraizado ao sistema operacional Windows. Para enviar um utiliza-se o protocolo SMTP (Simple Mail Transfer Protocol) e para receber utiliza-se o protocolo POP (Post Office Protocol). O precursor foi o Eudora. Existe também o WebMail, sistema que não necessita de um aplicativo específico instalado na máquina, todo o processo é executado via browser. A grande vantagem está no fato que o usuário pode acessar a sua conta de qualquer computador com acesso a Internet em qualquer parte do mundo. O endereçamento tem a forma: que significa que um usuário, chamado paulo tem uma conta em um computador chamado horus, do tipo comercial (.com), situado na Itália (.it). Para conhecer as siglas dos países sugerese uma pesquisa no Google. (Por convenção, o único país que sem sigla são os Estados Unidos. Os demais usam o padrão das duas letras...) ATENÇÃO: A sigla é escrita SEMPRE com o caracter e em minúsculo e com hífen entre o e e a palavra mail CHAT Bate-papo online, utilizando canais de IRC (Internet Relay Chat) ou programas da World Wide Web FTP HTTP HTML Sigla de File Transfer Protocol, protocolo de transferência de arquivos que se utiliza na Internet e outras redes para transmitir arquivos. O endereçamento é do tipo: ftp://servidor/caminho/nomedoarquivo. Sigla de Hypertext Transport Protocol. É o protocolo que define como é que dois programas/servidores devem interagir, de maneira a transferirem entre si comandos ou informações relativos a WWW. Sigla de Hypertext Markup Language, linguagem de marcas de hipertexto. Formato padrão de documentos de texto que se utiliza desde 1989 na World Wide Web (WWW). Em um documento HTML existem marcas que indicam os atributos do texto (negrito, centralizado ). Outras indicam como responder a eventos gerados pelo usuário. A marca mais importante é o vínculo (hyperlink), que pode conter a URL de outro documento. O software que permite consultar documentos na World Wide Web chama-se navegador da Web. A vantagem deste formato é que, ao ser um padrão aceito, qualquer um pode construir um 5 Ao pé-da-letra, computador de mão. É bem menor que um notebook, com tamanho quase igual a de um telefone celular, mas com capacidade de processamento comparável a dos computadores de mesa. Muitas vezes têm recursos como rede sem fio (wireless) e/ou bluetooth, que permitem a comunicação entre dispositivos que disponham da mesma tecnologia. No caso do bluetooth, a distância é de cerca de 10 metros. Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 13

14 navegador. Além disso, a maioria dos lugares na Web segue este padrão fácil de implementar, pelo que o crescimento da WWW tem sido exponencial. HTML evolui porque se criam novas marcações acompanhadas de navegadores capazes de interpretá-las Listas e Fóruns São serviços que permitem a troca de informações, de caráter público, entre os usuários da rede. As listas usam o correio eletrônico ( ) para receber e distribuir mensagens aos seus assinantes. Cada lista trata de um tema específico. O assinante pode assim participar das discussões, conhecer a opinião dos outros participantes e receber notícias relacionadas ao tema de interesse. Um exemplo é a lista mantida pela Rede Brasileira de Informação e Documentação sobre a infância e adolescência, cujo endereço é Grupos de Discussão ou Newsgroups IRC É um pouco diferente das listas. As mensagens, agrupadas por tema, são guardadas em servidores (a principal rede é a Usenet), e podem ser pesquisadas e selecionadas para leitura. O endereçamento tem a forma: news:nomedoforum. Sigla de Internet Relay Chat. É um sistema que permite a interação de vários usuários ao mesmo tempo, divididos por grupos de discussão. Ao contrario dos newsgroups essa discussão é feita em tempo real. Os usuários deste sistema podem entrar num grupo já existente ou criar o seu próprio grupo. Conhecido também como bate papo Mensagens Instantâneas São programas similares aos de , a diferença básica é a tecnologia P2P (peer-to-peer ou ponto a ponto), os programas de mensagem instantânea utilizam um servidor central somente para notificar o usuário de que seu amigo X conectou-se à Internet. A partir daí o usuário pode ter uma conexão remota, ou seja, sem a interferência do servidor. Possibilita o envio instantâneo de mensagens, arquivos, permite a consulta no banco de dados dos usuários do sistema. O ICQ é o principal programa do gênero Comunidades digitais Tendo iniciado como um projeto de final de curso de um estudante, o Orkut (que leva o nome do estudante Orkut Büyükkokten, engenheiro do Google, que hospeda o serviço) é um exemplo bemsucedido de comunidade digital, com milhões de usuários cadastrados no mundo, na qual pode-se publicar fotos e discutir vários temas nas inúmeras comunidades criadas a cada dia. As estatísticas mostram que cerca de 71% dos usuários são (ou dizem-se) brasileiros! O MySpace é um alternativa ao Orkut, embora bem menos conhecida. Há rumores na Internet que os grandes astros de Hollywood preferem-no ao Orkut. Talvez pelo restrito número de membros Busca e Pesquisa na Internet Os serviços de busca e pesquisa na Internet divididos em Busca Indexada, Busca por Diretório, Busca Regional e Serviços Especiais. No entanto, é comum que cada serviço ofereça mais de uma opção, freqüentemente busca indexada e por diretório. Busca Indexada: geralmente usa-se uma palavra chave para efetuar a busca, podendo também usar operadores booleanos para filtragem das informações. Exemplos: Busca por Diretório: As informações são dispostas em categorias. Os serviços baseados em diretórios oferecem quase sempre uma opção de busca indexada. Busca Regional: Os serviços de busca regional se dedicam a registrar páginas de um determinado país ou região (Portugal) (Brasil) (México) Serviços Especiais: São mecanismos de busca específica. Serviços para localizar imagens, músicas, programas, endereços de , etc. 14 Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

15 (software) (música em formato MP3) Abaixo, modelo funcional da WWW (World Wide Web): Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 15

16 3. REDES Conceito Mecanismo através do qual os computadores podem se comunicar e/ou compartilhar hardware ou software. A tecnologia disponível permite que um usuário se ligue a um computador central, a qualquer distância, através de sistema de comunicação de dados, que consiste em estações, canais, equipamentos de comunicação e programas específicos que unem os vários elementos do sistema, basicamente as estações, a um computador central Topologias A topologia de uma rede depende do projeto das operações, da confiabilidade e do seu custo operacional. Ao se planejar uma rede, muitos fatores devem ser considerados, mas o tipo de participação dos nodos é um dos mais importantes. Um nodo pode ser fonte ou usuário de recursos, ou uma combinação de ambos. Anel - Uma rede em anel consiste de estações conectadas através de um caminho fechado. Nesta configuração, muitas das estações remotas ao anel não se comunicam diretamente com o computador central. Redes em anel são capazes de transmitir e receber dados em qualquer direção, mas as configurações mais usuais são unidirecionais, de forma a tornar menos sofisticado os protocolos de comunicação que asseguram a entrega da mensagem corretamente e em seqüência ao destino. Quando uma mensagem é enviada por um modo, ela entra no anel e circula até ser retirada pelo nó destino, ou então até voltar ao nó fonte, dependendo do protocolo empregado. O último procedimento é mais desejável porque permite o envio simultâneo de um pacote para múltiplas estações. Outra vantagem é a de permitir a determinadas estações receber pacotes enviados por qualquer outra estação da rede, independentemente de qual seja o nó destino. Os maiores problemas desta topologia são relativos a sua pouca tolerância a falhas. Qualquer que seja o controle de acesso empregado, ele pode ser perdido por problemas de falha e pode ser difícil determinar com certeza se este controle foi perdido ou decidir qual nó deve recriá-lo. Erro de transmissão e processamento podem fazer com que uma mensagem continue eternamente a circular no anel. A utilização de uma estação monitora contornar estes problemas. Outras funções desta estação seriam: iniciar o anel, enviar pacotes de teste e diagnóstico e outras tarefas de manutenção. A estação monitora pode ser dedicada ou uma outra que assuma em determinado tempo essas funções. Esta configuração requer que cada nodo seja capaz de remover seletivamente mensagens da rede ou passá-las adiante para o próximo nó. Nas redes unidirecionais, se uma linha entre dois nodos cair, todo sistema sai do ar até que o problema seja resolvido. Se a rede for bidirecional, nenhum ficará inacessível, já que poderá ser atingido pelo outro lado. Barra - Nesta configuração todos os nós (estações) se ligam ao mesmo meio de transmissão. A barra é geralmente compartilhada em tempo e freqüência, permitindo transmissão de informação. Nas redes em barra comum, cada nó conectado à barra pode ouvir todas as informações transmitidas. Esta característica facilita as aplicações com mensagens do tipo difusão (para múltiplas estações). Existe uma variedade de mecanismos para o controle de acesso à barra pode ser centralizado ou descentralizado. A técnica adotada para acesso à rede é a multiplexação no tempo. Em controle centralizado, o direito de acesso é determinado por uma estação especial da rede. Em um ambiente de controle descentralizado, a responsabilidade de acesso é distribuída entre todos os nós. Nas topologias em barra, as falhas não causam a parada total do sistema. Relógios de prevenção ( watchdog-timer ) em cada transmissor devem detectar e desconectar o nodo que falha no momento da transmissão. O desempenho de um sistema em barra comum é determinado pelo meio de transmissão, número de nós conectados, controle de acesso, tipo de tráfego entre outros fatores. O tempo de resposta pode ser altamente dependente do protocolo de acesso utilizado. Estrela - Neste tipo de rede, todos os usuários comunicam-se com um nó central, tem o controle supervisor do sistema, chamado host. Através do host os usuários podem se comunicar entre si e com processadores remotos ou terminais. No segundo caso, o host funciona como um comutador de mensagens para passar os dados entre eles. O arranjo em estrela é a melhor escolha se o padrão de comunicação da rede for de um conjunto de estações secundárias que se comunicam com o nó central. As situações onde isto é mais acontece são aquelas em que o nó central está restrito às funções de gerente das comunicações e a operações de diagnósticos. O gerenciamento das comunicações por este nó central pode ser por chaveamento de pacotes ou de circuitos. 6 Cabe, aqui, um capítulo especial sobre IP, disponível no anexo A. Recomenda-se sua leitura para o entendimento do conceito por trás de intranet e internet. 16 Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

17 O nodo central pode realizar outras funções além das de chaveamento e processamento normal. Por exemplo, pode compatibilizar a velocidade de comunicação entre o transmissor e o receptor. Se o protocolo dos dispositivos fonte e destino utilizarem diferentes protocolos, o nó central pode atuar como um conversor, permitindo duas redes de fabricantes diferentes se comunicar. No caso de ocorrer falha em uma estação ou no elo de ligação com o nó central, apenas esta estação fica fora de operação. Entretanto, se uma falha ocorrer no nó central, todo o sistema pode ficar fora do ar. A solução deste problema seria a redundância, mas isto acarreta um aumento considerável dos custos. A expansão de uma rede deste tipo de rede só pode ser feita até um certo limite imposto pelo nó central: em termos de capacidade de chaveamento, número de circuitos concorrentes que podem ser gerenciados e número de nós que podem ser servidos. O desempenho obtido numa rede em estrela depende da quantidade de tempo requerido pelo nó central para processar e encaminhar mensagens, e da carga de tráfego de conexão, ou seja, é limitado pela capacidade de processamento do nó central. Esta configuração facilita o controle da rede e a maioria dos sistemas de computação com funções de comunicação possuem um software que implementa esta configuração. Tipos de Topologia Estrela Anel (Token Ring) Barramento Pontos Positivos 2 É mais tolerante a falhas 3 Fácil de instalar usuários 4 Monitoramento centralizado Razoavelmente fácil de instalar Requer menos cabos Desempenho uniforme a) Simples e fácil de instalar b) Requer menos cabos c) Fácil de entender Pontos Negativos Custo de Instalação maior porque recebe mais cabos Se uma estação para todas param Os problemas são difíceis de isolar. A rede fica mais lenta em períodos de uso intenso. Os problemas são difíceis de isolar Rede Local (LAN Local Area Network) Formada por um grupo de computadores, podendo incluir ou não periféricos, que são conectados entre si dentro de uma área. Cada estação está ligada entre si através de cabeamento a uma unidade de controle central, que administra o tráfego das informações locais. Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 17

18 3.4. Rede Remota Dependendo do porte da empresa, é necessário usar uma ligação com tecnologia remota, pois as estações se encontram distantes do equipamento central e, portanto, não podem se ligar a ele através de cabo.intranet 3.5. Intranet, a Internet Corporativa. 6. SEGURANÇA INTRANET: Conjunto de redes internas de uma organização, que usa a internet para estabelecer contato umas com as outras. O termo Intranet tem pouco de vida, mas ganha adeptos mais rapidamente que sua irmã mais velha a Internet, são usuários especiais: as Corporações. A Internet é a novidade mais útil, consistente e acessível que a informática nos trás. São milhões de computadores interligados em todo o mundo, o acesso é fácil e imediato, as informações se apresentam de forma gráfica, agradável. Qualquer pessoa ou empresa pode buscar e fornecer informações via Internet. Pode-se dizer que uma empresa poderá dispor seus dados na Internet pelo mesmo custo e com a mesma qualidade que uma pessoa qualquer, é bom, e é barato. Grandes corporações já constataram como vale a pena! Atualmente, quem acessa a Internet, conhece o seu lado popular, sites sobre lazer, shopping, cultura, etc... As Intranets têm a ver com os sistemas corporativos de informações, que também podem ser acessados via Internet. As empresas descobriram que podem criar redes como a Internet, porém privadas, as Intranets, que cumprem o papel de conectar entre si filiais, departamentos, fornecedores, clientes, etc, mesclando (com segurança) as suas redes particulares de informação com a estrutura de comunicações da Internet. As oportunidades de modernização operacional são incontáveis. Re-engenharias à parte, é natural que as remodelagens mais sensacionais passem a acontecer daqui para frente. Introdução O computador vem se tornando uma ferramenta cada vez mais importante para comunicação. Isso ocorre porque eles, independentemente de marca, modelo, tipo e tamanho têm uma linguagem comum: o sistema binário. Pouco a pouco, percebeu-se que era fácil trocar informações entre computadores. Primeiro, de um para outro. Depois, com a formação de redes, até o surgimento da Internet, que hoje pode interligar computadores de todo o planeta. Senhas Mas, qualquer usuário da Internet pode acessar uma conta de utilizando qualquer computador espalhado pelo mundo. Desde que, ele saiba o username e a senha. A senha nunca deve ter letras que completem uma palavra (exemplo: "morango"), também não pode ser seu nome ao contrário, data de nascimento, número de telefone. Isso torna fácil alguém invadir uma conta de para receber as mensagens. Ao cadastrar sua senha procure misturar números com letras maiúsculas e minúsculas. A recomendação dos experts é a utilização de senhas de difícil dedução, como: 1q$roPm!K, com caracteres minúsculos e maiúsculos junto a algarismos e símbolos especiais. Pode ser difícil de lembrar, mas também será difícil de ser deduzida. 18 Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

19 Arquivos Anexados Para quem recebe diversos s por dia certos cuidados precisam ser tomados. Por exemplo: não abrir arquivo anexo sem verificar o tipo, ou seja, sua extensão. O vírus ILOVEYOU se espalhou por máquinas de todo o mundo, danificando vários arquivos (MP3, JPG, entre outros), além de apossar do catálogo de endereços do Outlook Express para enviar arquivos infectados para todos os destinatários. Portanto é bom verificar com um antivírus atualizado se o arquivo anexado está infectado. Cookies Cookies são arquivos de texto enviados pelos sites, que registram informações sobre as páginas que você visita na Internet. Você já deve ter visto em uma página da Internet a seguinte frase: Seja bem-vindo fulano-de-tal. Simplesmente o servidor registrou sua primeira visita enviado um cookie para você, logicamente este servidor é seu provedor de acesso ou algum site onde você preencheu algum formulário. Você pode encontrar todos os Cookies que foram enviados para você na pasta \Windows\Cookies. Você pode apagá-los sem nenhum problema ou configurar seu navegador para não aceitar os cookies. Vírus e Antivírus Vírus - são programas de computador desenvolvidos por pessoas desocupadas e mal-intencionadas com o "simples" objetivo de destruir toda a informação contida em seu computador. Este tipo de programa foi batizado assim, pois, como seu correspondente biológico, o vírus de computador: Multiplica-se: um único programa destes pode contaminar de um a TODOS os arquivos de seu PC. Entendese por contaminar o ato de reescrever o conteúdo de um arquivo no seu nível mais elementar (os bits), causando mau funcionamento ou alterando sua função inicial; Precisa de um hospedeiro: o PC com seus milhares de arquivos é um prato cheio para a contaminação dos vírus; Atacam em situações pré-determinadas: alguns vírus entram em ação imediatamente após instalarem-se no computador; outros, no entanto, ficam em estado ocioso aguardando a ocorrência de um determinado evento gerado pelo sistema para atacar. É o caso do famigerado "Sexta Feira 13", que só contaminava o PC se o calendário interno indicasse que a máquina havia sido ligada em uma sexta-feira e no dia 13 de qualquer mês e ano; Procura se esconder: muitos vírus são disfarçados em arquivos comuns, sendo impossível detectá-los simplesmente vasculhando os arquivos do PC. Além disso, alguns vêm com nomes atraentes, como "Cartadeamor.txt", "FeiticeiraNua.jpg", etc. Os primeiros vírus eram criados na forma de arquivos executáveis (*.exe ou *.com). Hoje em dia, encontramos também vírus na forma de macros do Microsoft Word ou Excel, rotinas em JScript ou VBScript (*.js ou *.vbs) e também como outros programas classificados de Cavalos-de-Tróia, que se instalam em seu PC e permitem a invasão (monitoramento ou controle) por hackers através da Internet, além dos worms ( vermes ), que se espalham com velocidade impressionante pela rede mundial. Antigamente, as únicas maneiras de ter o seu computador contaminado por um vírus eram através de disquetes ou troca de arquivos via rede local. Hoje em dia, a principal responsável pela disseminação destes programas destruidores é a Internet, principalmente através da troca de s. O vírus de computador é uma espécie de praga em franca expansão, e enquanto existirem pessoas mal-intencionadas com conhecimentos de computação, nunca poderá ser eliminada. Mas é possível se prevenir. Veja como: Sempre mantenha em seu computador as versões mais atualizadas dos melhores programas antivírus do mercado. No momento, há versões gratuitas (totalmente funcionais), como o AVG, disponível para download. ATENÇÃO: Nunca abra arquivos anexos a s recebidos de pessoas que você não conhece. Evite sequer ler seu conteúdo, excluindo-os imediatamente. E, sobretudo, mantenha o antivírus atualizado! Mesmo um recebido de conhecidos poderá conter vírus, trojans e worms... Mesmo os disquetes recebidos de amigos devem ser vasculhados pelos antivírus. Se o computador de seu colega não possuir um destes, ele pode estar contaminado e ele não sabe! Não possua um comportamento "promíscuo", evitando instalar todo programa que passe pelas suas mãos ou acessando sites suspeitos pela Internet. Finalmente (esta é para usuários avançados que utilizem Windows 95, 98, ME, NT, 2000, XP ou Vista): desative a opção "Ocultar extensões de tipos de arquivos registrados (ou conhecidos)" em "Opções de Pasta" do Windows Explorer. ATENÇÃO: Se algum dos arquivos anexos a s que você receber apresentarem as extensões *.pif, *.exe, *.com, *.js ou *.vbs, exclua-os imediatamente! Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 19

20 Backup Cópia de segurança de arquivos, geralmente mantida em disquetes, fitas magnéticas ou CD-R, que permitem o resgate de informações importantes ou programas em caso de falha do disco rígido. A maioria dos aplicativos comercial conta com uma rotina própria de cópias de segurança, porém no próprio Windows existe o Microsoft Backup. Este termo denomina equipamentos de reserva usados na substituição de outros com problemas. Firewall Mecanismo de defesa cuja função básica é a de restringir o fluxo de dados entre duas redes. Atua como uma barreira entre duas redes. Permite que usuários internos acessem facilmente o mundo externo. Pode-se também bloquear a entrada e saída de pacotes. Concentra os problemas em um único ponto.6. REDES (Protocolo IP) IP Internet Protocol Desvendando a rede... Quando foi tratado o assunto redes e protocolos, mencionou-se um protocolo chamado TCP/IP como sendo a mãe de todos os protocolos de rede. Na verdade, é o protocolo usado nas comunicações entre as redes, internas ou externas. Mas o mérito é do IP, que atribui um endereço ÚNICO a cada computador da rede (tanto interna quanto da Internet). Seu funcionamento é o seguinte: Cada computador a ser conectado em rede tem uma placa com um endereço único (chamado MAC address, gravado pelo fabricante). Contudo, não é prático conhecer-se o MAC address de cada computador, pois uma placa de rede fabricada na Coréia poderia ter sido instalada em um comutador da Dinamarca, inviabilizando a pesquisa por fabricante. Então, a solução foi criar grupos de endereçamento por região do planeta, mas atendendo a uma norma. De acordo com esta norma, cada endereço IP (chamado, a partir de agora, apenas de IP) deve estar na forma a.b.c.d, com a, b, c e d estando no intervalo entre 0 e 255. Por exemplo, o IP é válido. Mas não é (basta observar o segundo número. É maior que 255. Portanto, inválido). Um órgão, chamado Internic, determina quais IPs serão utilizados por quais países. No Brasil, por exemplo, os IPs iniciam são, geralmente, 200.x.y.z; 201.x.y.z e, mais recentemente, 189.x.y.z. Assim, é fácil para a rede encontrar um determinado computador, pois basta ver em qual rede está conectado para encontrar a sub-rede e, assim, o computador. Exemplo: (IP do curso Aprovação) 200 é o país (Brasil) 219 é a GRANDE rede 151 é a sub-rede 58 é o computador especificado Como a rede opera de modo inteligente, é tarefa dos roteadores buscar a melhor rota para os computadores a serem acessados, não buscando por esse computador em redes não pertencentes ao Brasil (IPs com início 200). Baseados em uma tabela interna que é atualizada todos os dias, através de uma troca de arquivos de endereços (para que sejam marcadas as alterações e inclusões de novos computadores), os roteadores e servidores de DNS 7 atualizam suas informações, vinculando determinados computadores a seus IPs. Há diversas classes de IPs, de acordo com o número de computadores a ser instalado: Classe IP Rede Host No. de computadores A a.b.c.d a b.c.d B a.b.c.d a.b c.d Domain Name Server - Servidor de Nomes de Domínio. É um serviço das redes que fazem a conversão entre o nome de um computador e seu respectivo IP. Não seria muito prático saber de cor os IPs dos computadores a acessar. Por isso, a WWW é acessada pelo NOME de domínio (o nome que foi cadastrado no órgão competente) em vez de pelo IP, embora isso seja perfeitamente válido, uma vez que o IP está atrelado ao nome de domínio registrado. 20 Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

21 C a.b.c.d a.b.c d 256 Então, teoricamente, uma rede classe A teria redes, cada uma com 16 milhões de computadores. Uma classe B, redes, cada uma com 65 mil computadores. A C, 2 milhões de redes, cada uma com 256 computadores. Na prática, nem todos os IPs são utilizados. A tabela a seguir mostra as classes de redes e seus respectivos IPs de acordo com o padronizado: Classe A: até Classe B: até Classe C: até Classe D: até multicast 9 Classe E: até multicast reservado ATENÇÃO: A faixa de endereços a não está disponível. Trata-se de um caso especial, chamado localhost, que SEMPRE se refere ao computador local, ou seja, no qual o usuário está trabalhando, mesmo que um IP tenha sido atribuído a ele. Então, TODO computador tem um endereço A atribuição de IPs pode ser realizada de duas formas: a) através de um serviço especial chamado DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol), que configura cada computador de uma rede corporativa com um IP disponível dentro de uma faixa pré-estabelecida. Exemplo: Um servidor DHCP pode ser programado a distribuir IPs na faixa a Tem-se, então, 255 IPs à disposição. Pode-se, ainda, utilizar os endereços 10.x.y.z. Este endereços (192.x.y.z e 10.x.y.z) NÃO são visíveis fora da rede na qual se situam. b) através da configuração manual de cada computador pelo administrador de redes da empresa, de acordo com um planejamento para evitar conflito de IPs (dois computadores não podem ter o mesmo IP dentro da mesma rede). Então, como ainda não estão faltando IPs, já que o crescimento na venda de computadores tem crescido ao longo dos anos? Por dois motivos simples! 2 Como os computadores com IPs 192.x.y.z ou 10.x.y.z NÃO se vêem fora da rede em que estão, pode-se atribuir, nas empresas A e B, redes com estes IPs, uma vez que não fazem parte da mesma rede e, por isso, não há conflito de IPs. 3 Como a Internet, como um todo, está crescendo com a enorme quantidade de computadores conectados, um novo padrão está sendo estabelecido, chamado IPV6 (que é uma melhoria do atual IPV4, que permite 4 bilhões - 4 x de endereços distintos cujo fim foi previsto para abril de 2010). Isso permitirá o absurdo número de 3.4 x IPs possíveis! ATENÇÃO: A Internet só existe enquanto houver computadores conectados a ela. Se, por algum motivo, os computadores forem desligados da rede não da tomada elétrica, mas da rede lógica, NÃO haverá mais Internet. Portanto, isso reforça a definição de InterNet Interconnected Networks, ou seja, redes interconectadas. 8 9 Em vez das esperadas 256 redes, apenas metade está disponível. A outra metade serve para outros fins. Refere-se à comunicação de uma rede com várias ao mesmo tempo. Daí a expressão multi. Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 21

22 II CONCEITOS BÁSICOS Arquivos São todos os dados digitais salvos (gravados) com um nome e que recebem uma extensão por consequência do programa que o originou. Geralmente são gravados na memória secundária, por exemplo, disco rígido, disquete, CD, DVD, etc. Extensão a terminação do nome de um arquivo após o ponto que identifica o tipo de arquivo. Alguns exemplos de extensões mais comuns: DOC: Documento gerado pelo Word; XLS: Pasta de trabalho do Excel; EXE: Arquivo Executável (um programa); TXT: Arquivo de texto simples gerado pelo Bloco de Notas; PDF: Arquivo no formato PDF (protegido), que s pode ser lido (aberto) pelo programa Adobe Acrobat Reader; HTM ou HTML: São páginas da Internet - Web; ZIP: Arquivo compactado (havendo diminuição do tamanho dos arquivos em bytes) pelo programa WINZIP; RAR: Arquivo compactado (havendo diminuição do tamanho dos arquivos em bytes) pelo programa WINRAR; MDB: Arquivo de banco de dados gerado pelo programa Access; RTF: Arquivo de texto que trabalha com formatação negrito, itálico e sublinhado, mas no permite figuras, bordas e tabelas. Esse arquivo está entre um txt e um doc; DLL: Arquivo de biblioteca que auxilia um arquivo executável, pois alguns programas precisam de seus assistentes para funcionarem; DBF: Arquivo de banco de dados gerado pelo dbase e que o Excel é capaz de abrir ou criar; JPEG ou JPG: Arquivos de imagens que geralmente so encontrados na Internet. Possuem boa resolução (visualização da imagem) no monitor, mas sua impresso perde qualidade; PPT: Arquivos de Slides gerados pelo PowerPoint. GIF: Pequenos arquivos (que podem ou não conter animação), geralmente encontrados na Internet, compatíveis com todos os processadores de texto, editores de apresentação e programas gráficos. o mais portável dos formatos gráficos. SWF: Arquivos gerados pelo programa Flash. São utilizados como animação de pequenas figuras ou de páginas na Internet. SCR: Arquivos de proteção de tela do Windows. Atualmente estão sendo distribuídos através da Internet na forma de vírus de computador. BMP: Arquivos gerados pelo programa Paint do Windows. São arquivos de imagens e/ou desenhos. Unidades de disco São representadas através de letras do alfabeto. Por exemplo: A: - o disquete é representado, no Windows, pelo ícone abaixo: Exemplo de unidade A: OBS.: Os computadores modernos esto abolindo o drive de disquete, que está sendo substituído cada vez mais pelos pendrives, que têm maior capacidade, durabilidade e confiabilidade. B: - o disquete, mas s ser representado pelo computador caso o usuário instale ao mesmo uma segunda unidade de disquete. (Raríssimo de ser encontrado). C: - o disco rígido é representado, no Windows, pelo ícone abaixo: Exemplo de unidade C: D:- dependendo de qual drive tenhamos instalado no computador essa unidade poder ser: um CD-ROM, DVD-ROM, CD- RW, DVD-RW ou uma parte do disco rígido (o disco estando particionado). 22 Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

23 OBS.: As unidades de disco, teoricamente, poderão ser denominadas usando-se até a letra Z: mas, geralmente, as unidades a partir da letra U: são unidades de rede para compartilhamento de arquivos em empresas. Pastas São metáforas de armazenamento de arquivos nas unidades de disco, para uma melhor organização dos dados no computador. Também conhecidas como diretórios. A figura a seguir mostra um exemplo de unidade, pasta e arquivo: O armário representa a unidade C: (disco rígido), as gavetas são as pastas e o arquivo é a informação que está na gaveta. OBS: A pasta não possui tamanho, ou seja, tem 0 (ZERO) Byte. Particionamento do Disco Rígido Define-se particionamento como a divisão de uma mesma unidade em várias partes iguais ou diferentes, gerando, assim, as divisões. Terão letras diferentes para cada nova unidade. Se um disco rígido C: for particionado em duas partes, o mesmo passará a conter as unidades C: e D: (sendo a unidade de CD/DVD automaticamente renomeada para E:). Qual a finalidade de particionar (dividir) um disco rígido? Para instalar dois sistemas operacionais diferentes como, por exemplo, Linux e Windows. Ambas as unidades geradas pelo particionamento serão independentes (salvo se o disco rígido se danificar). Cabe ressaltar que não se pode instalar dois sistemas operacionais na MESMA partição do HD, uma vez que a instalação de um SO irá apagar (formatar) os dados daquela unidade. Formatação Formatar é preparar uma unidade de disco ou parte dele (partição) para ser usada. Quando se formata um disco, seus dados são completamente apagados da FAT, mas os conteúdos das trilhas e dos setores permanecem até serem adicionadas novas informações sobre as anteriores (soprepondo-as aos antigos dados). Para formatar uma unidade, basta selecionar a mesma e clicar no menu arquivo, opção formatar. Tipos de formatação Existem três tipos de formatação: a rápida, a completa e a física. Formatação rápida: permite apagar apenas os dados da FAT 10 deixando, assim, as informações nas trilhas e setores do disco. 10 File Allocation Table Tabela de Alocação de Arquivos. Como se fosse um índice, determina em quais locais do disco encontram-se os arquivos. Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 23

24 Formatação completa: permite apagar os dados da FAT e corrigir possíveis erros dos clusters 11, mas, mesmo utilizando essa formatação, os dados não serão apagados em definitivo das trilhas e setores dos discos. Formatação física: permite apagar os dados da FAT e das trilhas e setores possibilitando correções nos setores OBS: mesmo utilizando a formatação física, existem programas que possibilitam a recuperação dos dados do disco rígido, normalmente utilizados pela polícia federal em casos de pesquisa forense. A FAT em detalhes... A FAT, então, é uma tabela cuja finalidade é manter os registros vitais para mostrar onde um determinado arquivo foi armazenado. Essa tabela possui tamanho fixo como, por exemplo, FAT 12 bits (utilizada pelo disquete), FAT 16 bits (utilizada pelo DOS, Win 3.x e Win 9x) e finalmente a FAT 32 bits (que pode ser utilizada pelo Win 95 e 98, Win 2000 e XP). O número dos bits indica quantos são utilizados para armazenar as informações dos dados em cada posição da tabela. Existem várias desvantagens quando uma unidade é formatada com uma FAT, pois haverá desperdício de espaços, limites de 2 GB por partição e muita fragmentação dos dados. Também é necessário o estudo de outra tabela denominada NTFS (Sistemas de arquivos NT), que possui grandes vantagens em relação à FAT. As principais vantagens de se formatar um disco com NTFS são: velocidade de acesso das informações na unidade; não há desperdício de espaços nas unidades, pois os setores são mínimos (512 bytes contra os monstruosos 4kb das versões anteriores; acessa diretamente discos de até 2 TB e não há problemas de fragmentação (as informações são mais organizados) e, principalmente, a segurança dos dados (que é um pouco maior em relação a FAT). O Windows Vista, embora ainda use a FAT-32, migrará para um sistema de arquivos inteiramente novo, o WinFS (Windows File System) ao ser liberado o primeiro Service Pack 12. Formas de Gravação de Arquivos nas Unidades Todo arquivo é gravado de forma fragmentada (desorganizada) nas trilhas e setores das seguintes unidades : disco rígido, disquete, CD, DVD e disco ZIP, embora haja a gravação desfragmentada (organizada) apenas nas unidades de fita como, por exemplo, na fita DAT, utilizada para backups. A fragmentação, em um HD, é responsável pela lentidão no acesso aos arquivos, uma vez que não estão gravados seqüencialmente no disco (de forma contígua). Então, há a necessidade de utilizar-se, a cada um ou dois meses, programas de desfragmentação (DEFRAG) e de verificação de integridade do sistema de arquivos (SCANDISK). Versões do Windows Windows 3.x Foi a primeira versão do Windows que permitiu aos usuários utilizarem os processadores de 32 bits da Intel o (386), pois o DOS era incapaz de trabalhar com esta quantidade de bits. A partir desse momento veio a grande utilização da GUI (Interface Gráfica do Usuário) que revolucionou o mercado da o Windows 3.0. As versões do Microsoft Windows 3.0, Windows 3.11 e Windows for Workgroups 3.1 não são Sistemas Operacionais, ou seja, na realidade são aplicativos do DOS. Essas versões não possibilitam a multitarefa preemptiva (utilização de vários programas ao mesmo tempo pelo processador). Windows 9.x O Windows 95 é de fato um sistema operacional que permitia o processamento de dados de 16 bits (programas DOS), bem como novos programas de 32 bits. Possui uma FAT de 16 bits. O Windows 95 foi o primeiro Sistema Operacional da Microsoft com Interface Gráfica e com multitarefa preemptiva. Surgiu aqui um suporte automático de instalação de drivers (programas de instalação de hardware) para os usuários, denominado Plug and Play. O Plug and Play tem como finalidade a instalação de um novo equipamento físico sem que os usuários possuam conhecimentos técnicos avançados, ou seja, é um assistente de instalação de hardware. O Windows 98 foi lançado em 1998 sendo uma versão melhorada do Win 95, oferecendo melhor estabilidade, conectividade com a Internet e atualizações de drivers, ou seja, houve um melhoramento no Plug and Play. Possui uma FAT de 16 ou 32 bits. 11 É um conjunto de setores do disco rígido. Atenção para não confundir essa expressão com o cluster formado por diversos computadores, usando o poder de processamento simultâneo de todos, formando um super-computador. 12 Traduzindo-se ao pé-da-letra, significa Pacote de Serviços. È, às vezes, chamado de patch ( remendo ), pelo fato de consertar algunmas falhas que foram notadas apenas após seu lançamento oficial e/ou acrescentar novas funcionalidades. 24 Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

25 O Windows ME Milênio foi lançado em 2000 e trouxe dores de cabeça para os usuários, pois o mesmo veio com várias falhas (bugs) o que tornava o sistema instável. Não houve grandes avanços nessa versão. O Windows NT foi projetado para computadores de 32 bits especificamente para computadores cliente/servidor, o mesmo é formado por dois componentes o Windows NT Workstation e Windows NT Server. O Win NT Workstation é utilizado nos computadores do tipo desktop individuais que estão conectados a uma rede na qual existe um servidor com o Win NT Server instalado. Era muito utilizado na área corporativa, pois o seu custo era menor em relação a uma implantação de rede com UNIX. O Windows CE foi projetado para o tipo de computador conhecido como HANDHELD ou popularmente chamado de Palmtop. É uma versão simplificada do Windows 95 e 98 que permite a criação de documentos simplificados (com o uso do mini-office instalado) para transferir os dados para o computador e assim manipulá-los. O Windows XP É o mais utilizado atualmente, mas não é o mais novo. Usa o núcleo do NT e teve a interface remodelada. O Windows Vista teve seu debut em 2007 e está disponível em várias versões: das mais simples, com menos recursos, às mais completas, voltadas para entusiastas de jogos e multimídia (versão Ultimate). Seu desenvolvimento foi a maior de todas as mudanças já realizadas pela Microsoft, exigindo uma máquina poderosa para exibir sua nova interface, a Aero, com transparências e outras características gráficas que tornam-no um dos mais belos 13 SOs disponíveis! As versões dos SOs da Microsoft voltados ao segmento corporativo também sofreram atualizações: o Windows Server 2003 e, em breve, o Server 2008, são baseados no núcleo do NT e mantém as características do XP em termos de interface. Existe um controle de versão, além daquela chamada comercial (que é, a princípio, a versão final, totalmente depurada 14 ). Inicia-se com a alpha, apenas para uso interno da empresa. Em seguida vem a beta, para um seleto grupo de desenvolvedores, que buscam relatar os problemas encontrados. Uma vez resolvidos esses problemas, liberam-se, na seqüência, as chamadas versões RC (release candidate candidata a liberação ), que são pré-versões, para os últimos retoques e consertos. Geralmente há a RC1 e a RC2. Logo depois, vem a versão final ou RTM (released to manufacturing liberada para produção ), que é aquela encontrada nas lojas. 13 Belo, aqui, diz respeito APENAS a questões estéticas. Vale a pena saber que, devido a sua certa incompatibilidade e altíssima exigência em termos de hardware, não é (ainda) parte integrante dos concursos, a menos que explicitamente descrito no edital. 14 Depurar, em informática, é retirar TODOS os problemas e erros (bugs) possíveis. Tornar a versão pura. Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 25

26 II INTERNET Acesso à internet Tecnologia Velocidade (Subida/Descida) Comentários Modem 33,6/56 Kbps Barato e universal Lento Modem Duplex 67,2/112 Kbps Barato e versátil Velocidade razoável ISDN 128/128 Kbps Moderadamente rápido Instalação difícil Modem a cabo 10Mbps/42Mbps Alta velocidade Cabo difundido em no ramo de descida muitas casas Satélites 33,6/400 Kbps Disponível mesmo Serviço caro Em locais remotos ADSL Variável Rápido Preços razoáveis Servidores Internet podem oferecer vários serviços como copiar arquivos, enviar mensagens para outros usuários, , FTP, TELNET,participar de grupos de discussão e visitar serviços de informação são os principais. 1. Terminal Remoto (Telnet) O Telnet é o serviço que possibilita o acesso a máquinas remotas, como se seu terminal estivesse conectado a ela. Por exemplo, uma pessoa localizada no Laboratório de do Departamento de, pode acessar o Núcleo de Processamento de Dados (NPD) através deste serviço e, com isso, pode-se fazer uma impressão de texto nas impressoras do NPD, caso as do laboratório estejam inoperantes. É importante salientar que pode-se fazer uma conexão com qualquer máquina, desde que esta esteja na Internet, e que ofereça o serviço de Telnet. Desta forma uma pessoa localizada em Vitória pode se conectar com uma máquina localizada no Japão. Para isto, é necessário que o usuário possua uma conta na máquina remota ou que a máquina ofereça acesso público. Este serviço é importante pois possibilita a distribuição de recursos computacionais. Por exemplo, a utilização de um supercomputador em um local distante, o acesso a bibliotecas e a serviços oferecidos por outras bases de dados como jornais, revistas, etc. 2. Correio Eletrônico ( ) O (Eletronic Mail) é um serviço de correio eletrônico, onde pode-se trocar correspondência de uma forma rápida e barata com outras pessoas, de forma análoga ao correio tradicional. Utilizando-se desta analogia, uma carta, quando enviada, deve conter o endereço do destinatário e do remetente. No correio eletrônico também usa-se endereços, denominados endereços eletrônicos. Caso você cometa algum erro ao escrever o endereço do destinatário, a sua mensagem não será entregue e retornará a você para que possa envia-la à pessoa correta. Entretanto, se a combinação de nomes digitado existir na Internet, a sua carta será entregue a uma outra pessoa, e não retornará à você. As mensagens de possuem alguns identificadores básicos que formam o cabeçalho da mensagem, a fim de identificar origem, destino, assunto, etc. O correio eletrônico é o recurso mais antigo e mais utilizado da Internet. Qualquer pessoa que tem um endereço na Internet pode mandar uma mensagem para qualquer outra que também tenha um endereço, não importa a distância ou a localização. Não é necessário pagar individualmente as mensagens enviadas. Ele tem várias vantagens sobre outros meios de comunicação: alcança o destinatário em qualquer lugar em que estiver, é mais rápido, não depende de linhas que podem estar ocupadas (como o fax) nem de idas ao correio e é incrivelmente mais barato que o telefone (se levarmos em conta uma comunicação interurbana). Além disso, não se está limitado a mandar apenas cartas por correio eletrônico, pode-se enviar programas, arquivos e imagens. Um endereço de correio eletrônico obedece a seguinte estrutura: à esquerda do (chamado no Brasil e em alguns outros países de arroba, mas significa at na ) fica o nome ou apelido do usuário. À direita, ficam os nomes da empresa ou organização que fornece o acesso, o tipo de instituição e finalmente o país. Por exemplo: Onde: pmaximo é o nome do usuário gmail é a empresa que oferece o serviço.com é o tipo de empresa, ou seja, comercial (igual ao endereço www) 26 Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

27 Se houvesse mais um campo, indicaria o país onde se encontra o servidor. Neste caso, como não há o campo, considera-se o domínio geográfico como sendo os Estados Unidos. Os documentos escritos em HTML são feitos no padrão ASCII e contém o texto do documento propriamente dito mais as tags HTML. A linguagem HTML é a forma que os documentos são estruturados para poderem ser visualizados pelos browsers de WWW. Quando a linguagem HTML surgiu não existiam ferramentas para a edição dos documentos. Os documentos eram editados em arquivos textos normais e depois podiam ser visualizados por um browser. Com a explosão da WWW começaram a surgir as ferramentas de editoração de HTML www): Os tipos de instituição que podemos encontrar são (esta relação também pode ser utilizada para os endereços da edu - educação (universidades, escolas, etc.) net - rede gov governamental mil militar org - organização não lucrativa com comercial Siglas de países mais comuns na rede são (esta relação também pode ser utilizada para os endereços da WWW): WWW (World Wide Web).de Alemanha.us - Estados Unidos.ar Argentina.ru - Federação Russa.br Brasil.fr França.ca Canadá.it Itália.cl _ Chile.jp Japão.cn China.pt Portugal.es Espanha.br Brasil.uk Reino Unido O WWW é um serviço que possibilita a navegação na Internet, porém a obtenção destas informações não são através de menus e sim através de hipertexto. O Hipertexto consiste em um texto com palavras chaves destacadas, estas palavras quando selecionadas fazem uma ligação com um outro texto, este pode estar em um diretório, disco ou máquina diferente dos atuais. Isto configura a não seqüencialidade (não-linearidade) do texto. Um exemplo de hipertexto é o help do Windows. O objetivo original para a criação do WWW era o de possibilitar a utilização da Internet via ambiente gráfico. Seria possível então utilizar recursos multimídia, como sons e imagens. Visando a redução de tráfego na linhas da Internet, foi implantado também o WWW sem a utilização de imagens, pois estas possuem grandes tamanhos e congestionam os canais de comunicação. A Web nasceu em 1991 no laboratório CERN, na Suíça. Seu criador, Tim Berners-Lee, a concebeu apenas como uma linguagem que serviria para interligar computadores do laboratório e outras instituições de pesquisa e exibir documentos científicos de forma simples e fácil de acessar. A Web cresceu muito rápido. Em 1993 já era comum em universidades que estudantes fizessem páginas na Internet com informações pessoais. O que determinou seu crescimento foi a criação de um programa chamado Mosaic, que permitia o acesso à Web num ambiente gráfico, tipo Windows. Antes do Mosaic só era possível exibir textos na Web. A "antiga" Internet, antes da Web, exigia do usuário disposição para aprender comandos em Unix (sistema operacional) bastante complicados e enfrentar um ambiente pouco amigável, unicamente em texto. A Web fez pela Internet o que o Windows fez pelo computador pessoal. A World Wide Web é a parte multimídia da Internet. As páginas podem ter fotos, animações, trechos de vídeo e sons. É a região mais fácil de usar de toda a rede. O único programa necesário é um navegador (browser). A chave do sucesso da World Wide Web é o hipertexto (os documentos são elaborados em HTML). Os textos e imagens são interligados através de palavras-chave (links), tornando a navegação simples e agradável. A Web é formada por milhões de lugares conhecidos como sites. Existem sites de universidades, empresas, órgãos do governo e até sites pessoais. As informações estão organizadas na forma de páginas ligadas entre si. Quando você acessa um site, normalmente entra pela porta da frente, onde existe uma mensagem de boas-vindas e uma espécie de índice para as demais páginas. Essa entrada se chama página principal, ou home-page. As ligações entre as páginas, conhecidas como hyperlinks ou ligações de hipertexto, não ocorrem apenas dentro de um site. Elas podem ligar informações armazenadas em Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 27

28 computadores, empresas ou mesmo continentes diferentes. Na Web, é possível que uma página faça referência a praticamente qualquer documento disponível na Internet. O que faz essa malha de informações funcionar é um sistema de endereçamento que permite a cada página ter a sua própria identificação. Assim, desde que o usuário saiba o endereço correto, é possível acessar qualquer arquivo da rede. Outlook Express O Microsoft Outlook Express coloca o mundo da comunicação on-line em sua área de trabalho. Seja para trocar correspondência eletrônica com colegas e amigos ou associar-se a grupos de notícias para trocar idéias e informações, aqui estão as ferramentas. Pastas - a tela do Outlook Express é dividida em três partes. À esquerda, fica a janela com a lista de pastas. Para ver o conteúdo de cada pasta, basta clicar sobre seu nome. Quando isso é feito, a parte superior da metade à direita passa a exibir a lista das mensagens daquela pasta, trazendo informações como o nome do remetente, o assunto da mensagem e a data de chegada. As mensagens normalmente aparecem por ordem de chegada, as mais recentes no final da lista. Mensagens - Você também pode ordenar as mensagens por outros itens, como o nome do remetente. Clique sobre o título da coluna em questão. Clique novamente, e você irá alternar entre a ordem crescente e decrescente. A coluna que estiver ordenando as mensagens é indicada por um pequeno triângulo em seu cabeçalho. As mensagens ainda não lidas aparecem na lista em negrito e com o pequeno envelope à esquerda fechado. Na janela das pastas, as que tiverem mensagens não lidas aparecem em negrito, com a indicação do total de mensagens nãolidas à direita, entre parênteses. Para ler uma mensagem, basta clicar sobre ela na lista. Seu conteúdo é automaticamente exibido na janela abaixo da lista de mensagens. Se ela tiver arquivos anexados ("attachments"), aparecerá o desenho de um pequeno clipe de papel à esquerda da mensagem na lista e outro maior, no cabeçalho da janela da mensagem (se for ela que estiver selecionada). Se o Outlook Express for capaz de interpretar esse arquivo (como no caso de uma foto), ele o exibe no pé da mensagem. Caso contrário, será necessário que você salve o arquivo em disco ou indique um programa para abri-lo. Para fazer isso, clique sobre o clipe maior. Uma lista com todos os arquivos anexados (podem ser vários) é exibida. Escolha o arquivo desejado na lista. O Outlook Express pergunta então se quer abrir ou salvar o arquivo no disco. No primeiro caso, o programa usará o programa padrão do Windows para abertura daquele tipo de arquivo. Se nenhum programa estiver definido, o programa pedirá que você indique qual quer usar. No segundo caso, bastará dizer onde quer gravar o arquivo no disco. Se não quiser mais a mensagem, basta clicar sobre ela na lista e depois a tecla "Delete" do teclado ou o botão "Excluir" na barra de botões. Isso não apaga completamente a mensagem, que é apenas movida para a pasta "Itens excluídos". Se quiser apagar definitivamente a mensagem, precisa repetir a operação nessa pasta. Como enviar Para enviar um , clique no botão "Redigir mensagem" na barra de botões. Isso abrirá uma tela de mensagem em branco, como a exibida abaixo. 28 Atualizada 29/01/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores

Informática. Prof. Paulo Máximo. Data de impressão: 22/07/2008. www.conquistadeconcurso.com.br

Informática. Prof. Paulo Máximo. Data de impressão: 22/07/2008. www.conquistadeconcurso.com.br Informática Prof. Paulo Máximo Data de impressão: 22/07/2008 UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR/CURITIBA Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br

Leia mais

MOTAGEM E MANUTENÇÃO Hardware. Professor: Renato B. dos Santos

MOTAGEM E MANUTENÇÃO Hardware. Professor: Renato B. dos Santos MOTAGEM E MANUTENÇÃO Hardware Professor: Renato B. dos Santos 1 O computador é composto, basicamente, por duas partes:» Hardware» Parte física do computador» Elementos concretos» Ex.: memória, teclado,

Leia mais

Conceitos Básicos de Informática. Antônio Maurício Medeiros Alves

Conceitos Básicos de Informática. Antônio Maurício Medeiros Alves Conceitos Básicos de Informática Antônio Maurício Medeiros Alves Objetivo do Material Esse material tem como objetivo apresentar alguns conceitos básicos de informática, para que os alunos possam se familiarizar

Leia mais

Informática para Banca IADES. Hardware e Software

Informática para Banca IADES. Hardware e Software Informática para Banca IADES Conceitos Básicos e Modos de Utilização de Tecnologias, Ferramentas, Aplicativos e Procedimentos Associados ao Uso de Informática no Ambiente de Escritório. 1 Computador É

Leia mais

Informática. aprovacao.com.br. www.cursoaprovacao.com.br. Teoria e Exercícios. TFC CGU Tele - Transmitido. www.cursoaprovacao.com.

Informática. aprovacao.com.br. www.cursoaprovacao.com.br. Teoria e Exercícios. TFC CGU Tele - Transmitido. www.cursoaprovacao.com. Informática TFC CGU Tele - Transmitido Mais de 360 aprovados na Receita Federal em 2006 67 das 88 vagas no AFRF no PR/SC 150 das 190 vagas no TRF no PR/SC 150 das 190 vagas no TRF Teoria e Exercícios Prof.

Leia mais

sobre Hardware Conceitos básicos b Hardware = é o equipamento.

sobre Hardware Conceitos básicos b Hardware = é o equipamento. Conceitos básicos b sobre Hardware O primeiro componente de um sistema de computação é o HARDWARE(Ferragem), que corresponde à parte material, aos componentes físicos do sistema; é o computador propriamente

Leia mais

apresentado no monitor está armazenado, neste momento, na RAM. Toda

apresentado no monitor está armazenado, neste momento, na RAM. Toda 1. GLOSSÁRIO MICROPROCESSADOR ou CPU É o chip mais importante do computador, cabendo a ele o processamento de todas as informações que passam pelo computador. Ele reconhece quando alguma tecla foi pressionada,

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO O que é a Informática? A palavra Informática tem origem na junção das palavras: INFORMAÇÃO + AUTOMÁTICA = INFORMÁTICA...e significa, portanto, o tratamento da informação

Leia mais

I - A COMUNICAÇÃO (INTERFACE) COM O USUÁRIO:

I - A COMUNICAÇÃO (INTERFACE) COM O USUÁRIO: I - A COMUNICAÇÃO (INTERFACE) COM O USUÁRIO: Os dispositivos de comunicação com o usuário explicados a seguir servem para dar entrada nos dados, obter os resultados e interagir com os programas do computador.

Leia mais

MODULO II - HARDWARE

MODULO II - HARDWARE MODULO II - HARDWARE AULA 01 O Bit e o Byte Definições: Bit é a menor unidade de informação que circula dentro do sistema computacional. Byte é a representação de oito bits. Aplicações: Byte 1 0 1 0 0

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Componentes Sistema Informação Hardware - Computadores - Periféricos Software - Sistemas Operacionais - Aplicativos - Suítes Peopleware - Analistas - Programadores - Digitadores

Leia mais

Conceitos Básicos sobre Sistema de Computação

Conceitos Básicos sobre Sistema de Computação Conceitos Básicos sobre Sistema de Computação INFORMÁTICA -É Ciência que estuda o tratamento automático da informação. COMPUTADOR Equipamento Eletrônico capaz de ordenar, calcular, testar, pesquisar e

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE HARDWARE. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA

CONCEITOS BÁSICOS DE HARDWARE. Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA CONCEITOS BÁSICOS DE HARDWARE Disciplina: INFORMÁTICA 1º Semestre Prof. AFONSO MADEIRA COMPUTADOR QUANTO AO TIPO COMPUTADOR SISTEMAS DE COMPUTAÇÃO o Analógico o Digital o Híbrido o Hardware (parte física)

Leia mais

b) Estabilizador de tensão, fonte no-break, Sistema Operacional, memória principal e memória

b) Estabilizador de tensão, fonte no-break, Sistema Operacional, memória principal e memória CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISUTEC DISCIPLINA: INTRODUÇÃO A COMPUTAÇÃO PROF.: RAFAEL PINHEIRO DE SOUSA ALUNO: Exercício 1. Assinale a opção que não corresponde a uma atividade realizada em uma Unidade

Leia mais

Hardware 2. O Gabinete. Unidades Derivadas do BYTE. 1 KB = Kilobyte = 1024B = 2 10 B. 1 MB = Megabyte = 1024KB = 2 20 B

Hardware 2. O Gabinete. Unidades Derivadas do BYTE. 1 KB = Kilobyte = 1024B = 2 10 B. 1 MB = Megabyte = 1024KB = 2 20 B 1 2 MODULO II - HARDWARE AULA 01 OBiteoByte Byte 3 Definições: Bit é a menor unidade de informação que circula dentro do sistema computacional. Byte é a representação de oito bits. 4 Aplicações: Byte 1

Leia mais

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto

Introdução a Informática. Prof.: Roberto Franciscatto Introdução a Informática Prof.: Roberto Franciscatto 4.1 HARDWARE COMPONENTES BÁSICOS Qualquer PC é composto pelos mesmos componentes básicos: Processador, memória, HD, placa-mãe, placa de vídeo e monitor

Leia mais

Prof. Esp. Lucas Cruz

Prof. Esp. Lucas Cruz Prof. Esp. Lucas Cruz O hardware é qualquer tipo de equipamento eletrônico utilizado para processar dados e informações e tem como função principal receber dados de entrada, processar dados de um usuário

Leia mais

Informática Aplicada Revisão para a Avaliação

Informática Aplicada Revisão para a Avaliação Informática Aplicada Revisão para a Avaliação 1) Sobre o sistema operacional Windows 7, marque verdadeira ou falsa para cada afirmação: a) Por meio do recurso Windows Update é possível manter o sistema

Leia mais

Lista de Exercícios Introdução à Informática

Lista de Exercícios Introdução à Informática Lista de Exercícios Introdução à Informática Histórico e Evolução da Computação 1. Cite alguns problemas que o uso de válvulas provocava nos computadores de 1ª geração. 2. O que diferencia os computadores

Leia mais

Computação I. Profa. Márcia Hellen Santos marciasantos@uepa.br

Computação I. Profa. Márcia Hellen Santos marciasantos@uepa.br Computação I Profa. Márcia Hellen Santos marciasantos@uepa.br MÓDULO I- Introdução à Informática Hardware Hardware? HARDWARE é a parte física do computador. É o conjunto de componentes mecânicos, elétricos

Leia mais

BITS E BYTES COMO O COMPUTADOR ENTENDE AS COISAS

BITS E BYTES COMO O COMPUTADOR ENTENDE AS COISAS BITS E BYTES COMO O COMPUTADOR ENTENDE AS COISAS Toda informação inserida no computador passa pelo Microprocessador e é jogada na memória RAM para ser utilizada enquanto seu micro trabalha. Essa informação

Leia mais

Desafio 1 INFORMÁTICA PARA O TRT

Desafio 1 INFORMÁTICA PARA O TRT Desafio 1 INFORMÁTICA PARA O TRT Queridos alunos, vencem o desafio os 3 primeiros alunos a enviar as respostas corretas para o meu e-mail, mas tem que acertar todas... ;-) Vou começar a responder os e-mails

Leia mais

Noções de Hardware. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com)

Noções de Hardware. André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Noções de Hardware André Aziz (andreaziz.ufrpe@gmail.com) Francielle Santos (francielle.ufrpe@gmail.com) Gerações de hardware Tipos de computadores Partes do Microcomputador Periféricos Armazenamento de

Leia mais

SENAI São Lourenço do Oeste. Introdução à Informática. Adinan Southier Soares

SENAI São Lourenço do Oeste. Introdução à Informática. Adinan Southier Soares SENAI São Lourenço do Oeste Introdução à Informática Adinan Southier Soares Informações Gerais Objetivos: Introduzir os conceitos básicos da Informática e instruir os alunos com ferramentas computacionais

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET

Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET Hardware de Computadores Questionário II 1. A principal diferença entre dois processadores, um deles equipado com memória cache o

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Aula 23 http://www.ic.uff.br/~bianca/introinfo/ Aula 23-07/12/2007 1 Histórico da Internet Início dos anos 60 Um professor do MIT (J.C.R. Licklider) propõe a idéia de uma Rede

Leia mais

Informática. Aulas: 01 e 02/12. Prof. Márcio Hollweg. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.

Informática. Aulas: 01 e 02/12. Prof. Márcio Hollweg. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM. Informática Aulas: 01 e 02/12 Prof. Márcio Hollweg UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO

Leia mais

Sistema Gerenciador de Locadora Glossário Versão 1.1

Sistema Gerenciador de Locadora Glossário Versão 1.1 GLOSSÁRIO Sistema Gerenciador de Locadora Glossário Versão 1.1 Responsável: Gustavo Teles GL01 Glossário 01 Página 1 de 7 A Aba - 1. Ficha com objetivo de separar ou agrupar em um mesmo contexto campos

Leia mais

Módulo 1 Introdução às Redes

Módulo 1 Introdução às Redes CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 1 Introdução às Redes Ligação à Internet Ligação à Internet Uma ligação à Internet pode ser dividida em: ligação física; ligação lógica; aplicação. Ligação física

Leia mais

ILHA I GERENCIAMENTO DE CONTEÚDO CMS DISCIPLINA: Introdução à Computação MÓDULO II Memórias e Processamento

ILHA I GERENCIAMENTO DE CONTEÚDO CMS DISCIPLINA: Introdução à Computação MÓDULO II Memórias e Processamento MÓDULO II Memórias e Processamento Esse módulo irá relatar sobre as memórias seus tipos e a ligação com os tipos variados de processamento. Leia atentamente todo o conteúdo e participe dos fóruns de discursão,

Leia mais

Informática. Informática. Valdir. Prof. Valdir

Informática. Informática. Valdir. Prof. Valdir Prof. Valdir Informática Informática Valdir Prof. Valdir Informática Informática PROVA DPF 2009 Julgue os itens subseqüentes, a respeito de Internet e intranet. Questão 36 36 - As intranets, por serem

Leia mais

02. A extensão padrão para arquivos de áudio digital no ambiente Windows é:

02. A extensão padrão para arquivos de áudio digital no ambiente Windows é: Prova sobre informática para concursos. 01 A definição de Microcomputador é: a) Equipamento com grade capacidade de memória principal (256 Megabytes), vários processadores, alta velocidade de processamento.

Leia mais

INTERNET -- NAVEGAÇÃO

INTERNET -- NAVEGAÇÃO Página 1 INTRODUÇÃO Parte 1 O que é a Internet? A Internet é uma rede mundial de computadores, englobando redes menores distribuídas por vários países, estados e cidades. Ao contrário do que muitos pensam,

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II INTERNET Protocolos de Aplicação Intranet Prof: Ricardo Luís R. Peres As aplicações na arquitetura Internet, são implementadas de forma independente, ou seja, não existe um padrão

Leia mais

Prof. Sandrina Correia

Prof. Sandrina Correia Tecnologias de I informação de C omunicação 9º ANO Prof. Sandrina Correia TIC Prof. Sandrina Correia 1 Objectivos Definir os conceitos de Hardware e Software Identificar os elementos que compõem um computador

Leia mais

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux 1. De que forma é possível alterar a ordem dos dispositivos nos quais o computador procura, ao ser ligado, pelo sistema operacional para ser carregado? a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento,

Leia mais

Arquitetura Genérica

Arquitetura Genérica Arquitetura Genérica Antes de tudo, vamos revisar o Modelo Simplificado do Funcionamento de um Computador. Modelo Simplificado do Funcionamento de um Computador O funcionamento de um computador pode ser

Leia mais

frozza@ifc-camboriu.edu.brcamboriu.edu.br

frozza@ifc-camboriu.edu.brcamboriu.edu.br Informática Básica Conceitos Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.brcamboriu.edu.br Conceitos INFOR MÁTICA Informática INFOR MAÇÃO AUTO MÁTICA Processo de tratamento da informação

Leia mais

2012/2013. Profª Carla Cascais 1

2012/2013. Profª Carla Cascais 1 Tecnologias de Informação e Comunicação 7º e 8º Ano 2012/2013 Profª Carla Cascais 1 Conteúdo Programático Unidade 1 Informação/Internet Unidade 2 Produção e edição de documentos -Word Unidade 3 Produção

Leia mais

Curso Técnico de Nível Médio

Curso Técnico de Nível Médio Curso Técnico de Nível Médio Disciplina: Informática Básica 2. Hardware: Componentes Básicos e Funcionamento Prof. Ronaldo Componentes de um Sistema de Computador HARDWARE: unidade

Leia mais

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 Valdick Sales FONE : 9992-4166 E-MAIL/ORKUT/FACEBOOK: valdick@gazetaweb.com Twitter : @valdicksales Pagina na Web: www.valdick.com E-mail contato da turma: facima@valdick.com

Leia mais

Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com. Informática

Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com. Informática Prof. Daniel Gondim danielgondimm@gmail.com Informática Componentes de um SC Hardware X Software Memória do Computador Hardware X Software Toda interação dos usuários de computadores modernos é realizada

Leia mais

Hardware. Prof. Luiz Carlos Branquinho Informática Básica Gestão Comercial

Hardware. Prof. Luiz Carlos Branquinho Informática Básica Gestão Comercial Hardware Prof. Luiz Carlos Branquinho Informática Básica Gestão Comercial Conteúdo Definição do hardware; Tipo e tamanho dos computadores; Família dos computadores; Elementos do hardware; Portas de comunicação.

Leia mais

Trabalho 01 Conceitos básicos de Microinformática

Trabalho 01 Conceitos básicos de Microinformática Trabalho 01 Conceitos básicos de Microinformática Disciplina: Informática. Professor: Denis Henrique Caixeta. Valor: 4 pontos Visto no caderno 1) Quais são as características dos primeiros computadores?

Leia mais

HARDWARE PARTE FÍSICA DO COMPUTADOR

HARDWARE PARTE FÍSICA DO COMPUTADOR HARDWARE PARTE FÍSICA DO COMPUTADOR Que bicho é esse? Você pode se perguntar quando vislumbra um computador, não se preocupe, se trata apenas de mais um eletrodoméstico das famílias do novo milênio. O

Leia mais

SUMÁRIO. 6. FERRAMENTAS E APLICATIVOS ASSOCIADOS À INTERNET: navegação, correio eletrônico, grupos de discussão, busca e pesquisa...

SUMÁRIO. 6. FERRAMENTAS E APLICATIVOS ASSOCIADOS À INTERNET: navegação, correio eletrônico, grupos de discussão, busca e pesquisa... RAFAEL MACEDO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 162 QUESTÕES DE PROVAS DA BANCA ORGANIZADORA DO CONCURSO SEFAZ/MS E DE OUTRAS INSTITUIÇÕES DE MS GABARITADAS. Seleção das Questões: Prof. Rafael Macedo Coordenação

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 1 OBJETIVOS 1. Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações e transações empresariais?

Leia mais

COMPUTADORES PC. Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br 24/11/2009 CRONOGRAMA INFORMÁTICA - BANRISUL EDITAL

COMPUTADORES PC. Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br 24/11/2009 CRONOGRAMA INFORMÁTICA - BANRISUL EDITAL CRONOGRAMA INFORMÁTICA - BANRISUL Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br AULAS 1 E 2 CONCEITOS BÁSICOS/HARDWARE AULA 3 SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS AULA 4 EXCEL AULA 5 WORD AULA 6 CALC E WRITER AULAS

Leia mais

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador

Microsoft Internet Explorer. Browser/navegador/paginador Microsoft Internet Explorer Browser/navegador/paginador Browser (Navegador) É um programa que habilita seus usuários a interagir com documentos HTML hospedados em um servidor web. São programas para navegar.

Leia mais

Apresentação. Conceitos Iniciais. www.profricardobeck.com.br. contato@profricardobeck.com.br. Apresentação & Introdução.

Apresentação. Conceitos Iniciais. www.profricardobeck.com.br. contato@profricardobeck.com.br. Apresentação & Introdução. Apresentação www.profricardobeck.com.br contato@profricardobeck.com.br Apresentação & Introdução Condicionamento Material Didático Site / E-mail Testes? Edital Conceitos Iniciais 1 Mensurando Dados Sistemas

Leia mais

Formação Modular Certificada. Arquitetura interna do computador. Hardware e Software UFCD - 0769. Joaquim Frias

Formação Modular Certificada. Arquitetura interna do computador. Hardware e Software UFCD - 0769. Joaquim Frias Formação Modular Certificada Arquitetura interna do computador Hardware e Software UFCD - 0769 Joaquim Frias Computador É um conjunto de dispositivos eletrónicos capaz de aceitar dados e instruções, executa

Leia mais

Apresentação. Conceitos Iniciais. Apresentação & Introdução. www.profricardobeck.com.br. contato@profricardobeck.com.br.

Apresentação. Conceitos Iniciais. Apresentação & Introdução. www.profricardobeck.com.br. contato@profricardobeck.com.br. Apresentação Apresentação & Introdução Condicionamento www.profricardobeck.com.br contato@profricardobeck.com.br Material Didático Site / E-mail Testes? Edital Mensurando Dados Sistemas de numeração Conceitos

Leia mais

Hardware e Software. Professor: Felipe Schneider Costa. felipe.costa@ifsc.edu.br

Hardware e Software. Professor: Felipe Schneider Costa. felipe.costa@ifsc.edu.br Hardware e Software Professor: Felipe Schneider Costa felipe.costa@ifsc.edu.br Agenda Hardware Definição Tipos Arquitetura Exercícios Software Definição Tipos Distribuição Exercícios 2 Componentesde um

Leia mais

COMPUTADORES PC. Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br CRONOGRAMA INFORMÁTICA. AULAS 1 e 2 COMPUTADORES PC AULA 3 MS WINDOWS

COMPUTADORES PC. Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br CRONOGRAMA INFORMÁTICA. AULAS 1 e 2 COMPUTADORES PC AULA 3 MS WINDOWS CRONOGRAMA AULAS 1 e 2 COMPUTADORES PC AULA 3 MS WINDOWS INFORMÁTICA Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br AULA 4 EDITORES DE TEXTO AULA 5 PLANILHAS DE CÁLCULO AULA 6 INTERNET O COMPUTADOR, INDEPENDENTE

Leia mais

INFORMÁTICA INFORMÁTICA

INFORMÁTICA INFORMÁTICA 1 FATEC Faculdade de Tecnologia de Jundiaí Tratamento Sistemático da informação! Prof. Cláudio Farias Rossoni ou... 1 2 Informação Automática Informática é a ciência que estuda o tratamento automático

Leia mais

// Questões para estudo

// Questões para estudo // Questões para estudo 2 // Ferramentas Básicas de Internet e Web 2.0 1. Sobre a internet, marque a opção correta: A) A internet poder ser definida como uma rede mundial, composta por mihões e milhões

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Introdução a Microinformática Turma H Redes e Internet Giordane Lima Porque ligar computadores em Rede? Compartilhamento de arquivos; Compartilhamento de periféricos; Mensagens

Leia mais

UCP. Memória Periféricos de entrada e saída. Sistema Operacional

UCP. Memória Periféricos de entrada e saída. Sistema Operacional Arquitetura: Conjunto de elementos que perfazem um todo; estrutura, natureza, organização. Houaiss (internet) Bit- Binary Digit - Número que pode representar apenas dois valores: 0 e 1 (desligado e ligado).

Leia mais

Informática Aplicada Revisão para a Avaliação

Informática Aplicada Revisão para a Avaliação Informática Aplicada Revisão para a Avaliação 1) É necessário criar várias cópias de documentos importantes em locais diferentes. Esses locais podem ser pastas no HD interno ou HD externo, ou então em

Leia mais

O paradigma de que se mexer no computador ele pode quebrar.

O paradigma de que se mexer no computador ele pode quebrar. 1 O paradigma de que se mexer no computador ele pode quebrar. Tópicos: 2 Números Binários Unidades de Medida de Informação Arquitetura Básica Hardware Software Periféricos de Entrada Periféricos de saída

Leia mais

Introdução à Informática ARQUITETURA DE COMPUTADORES

Introdução à Informática ARQUITETURA DE COMPUTADORES Universidade do Contestado Campus Concórdia Curso de Engenharia Ambiental Prof.: Maico Petry Introdução à Informática ARQUITETURA DE COMPUTADORES DISCIPLINA: Informática Aplicada O Que éinformação? Dados

Leia mais

15/08/2013 DIREITO DA. Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA

15/08/2013 DIREITO DA. Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA DIREITO DA INFORMÁTICA Professor: Luis Guilherme Magalhães (62) 9607-2031 INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA 1 CONCEITOS BÁSICOS Informática infor + mática. É o tratamento da informação de forma automática Dado

Leia mais

O Computador e seus Componentes Referência: Aula 2

O Computador e seus Componentes Referência: Aula 2 INFORMÁTICA E COMPUTAÇÃO CMP 1060 Conceitos Básicos B sobre Informática O Computador e seus Componentes Referência: Aula 2 CONCEITOS BÁSICOS B : Informática - infor + mática. É o tratamento da informação

Leia mais

Arquitetura e Organização de Computadores Introdução à Organização do Computador

Arquitetura e Organização de Computadores Introdução à Organização do Computador 1 Arquitetura e Organização de Computadores Introdução à Organização do Computador Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Curso: Sistemas de Informação Introdução 2 O Computador é uma ferramenta que

Leia mais

INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET. Prof. Marcondes Ribeiro Lima

INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET. Prof. Marcondes Ribeiro Lima INFORMÁTICA FUNDAMENTOS DE INTERNET Prof. Marcondes Ribeiro Lima Fundamentos de Internet O que é internet? Nome dado a rede mundial de computadores, na verdade a reunião de milhares de redes conectadas

Leia mais

Desenvolvimento em Ambiente Web. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Desenvolvimento em Ambiente Web. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Desenvolvimento em Ambiente Web Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Internet A Internet é um conjunto de redes de computadores de domínio público interligadas pelo mundo inteiro, que tem

Leia mais

MINI DICIONÁRIO TÉCNICO DE INFORMÁTICA. São apresentados aqui alguns conceitos básicos relativos à Informática.

MINI DICIONÁRIO TÉCNICO DE INFORMÁTICA. São apresentados aqui alguns conceitos básicos relativos à Informática. Tecnologias da Informação e Comunicação MINI DICIONÁRIO TÉCNICO DE INFORMÁTICA São apresentados aqui alguns conceitos básicos relativos à Informática. Informática: Tratamento da informação por meios automáticos.

Leia mais

Programação de Computadores

Programação de Computadores Programação de Computadores Computadores: Ferramentas para a Era da Informação Material Didático do Livro: Introdução à Informática Capron,, H. L. e Johnson, J. A Pearson Education Componentes de um Sistema

Leia mais

Por razões, é requerido um módulo de E/S, que deve desempenhar duas funções principais:

Por razões, é requerido um módulo de E/S, que deve desempenhar duas funções principais: Entrada e Saída Além do processador e da memória, um terceiro elemento fundamental de um sistema de computação é o conjunto de módulos de E/S. Cada módulo se conecta com o barramento do sistema ou com

Leia mais

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Capítulo1 - Introdução à Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Agosto de 2007 - Página

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Capítulo1 - Introdução à Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Agosto de 2007 - Página CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Capítulo1 - Introdução à Redes 1 Requisitos para Conexão à Internet Para disponibilizar o acesso de um computador à rede, devem ser levados em consideração 03 parâmetros:

Leia mais

1. CAPÍTULO COMPUTADORES

1. CAPÍTULO COMPUTADORES 1. CAPÍTULO COMPUTADORES 1.1. Computadores Denomina-se computador uma máquina capaz de executar variados tipos de tratamento automático de informações ou processamento de dados. Os primeiros eram capazes

Leia mais

Vamos identificar dois deles:

Vamos identificar dois deles: Vamos identificar dois deles: Computador, que máquina é essa? Vamos usá-la? Vamos conhecer mais de perto o computador. É uma máquina capaz de variados tipos de tratamento automático de informações ou processamento

Leia mais

Aplicativos Informatizados da Administração. Hardware A evolução e o impacto dos computadores nas áreas de negócios.

Aplicativos Informatizados da Administração. Hardware A evolução e o impacto dos computadores nas áreas de negócios. Aplicativos Informatizados da Administração Hardware A evolução e o impacto dos computadores nas áreas de negócios. Habilidades, Competências e Bases Tecnológicas Bases tecnológicas: Fundamentos de equipamentos

Leia mais

Informática. Tipos de Computadores CONHECENDO O COMPUTADOR E SEUS PERIFÉRICOS

Informática. Tipos de Computadores CONHECENDO O COMPUTADOR E SEUS PERIFÉRICOS CONHECENDO O COMPUTADOR E SEUS PERIFÉRICOS A Informática não é um bicho de sete cabeças. Ou é até que conheçamos e desvendemos este bicho. Tudo o que é desconhecido para nós sempre nos parece algo difícil

Leia mais

MEMÓRIA. A memória do computador pode ser dividida em duas categorias:

MEMÓRIA. A memória do computador pode ser dividida em duas categorias: Aula 11 Arquitetura de Computadores - 20/10/2008 Universidade do Contestado UnC/Mafra Sistemas de Informação Prof. Carlos Guerber MEMÓRIA Memória é um termo genérico usado para designar as partes do computador

Leia mais

Desenvolvimento de Aplicações Web

Desenvolvimento de Aplicações Web Desenvolvimento de Aplicações Web André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Método de Avaliação Serão realizadas duas provas teóricas e dois trabalhos práticos. MF = 0,1*E + 0,2*P 1 + 0,2*T 1 + 0,2*P

Leia mais

SISTEMAS INFORMÁTICOS

SISTEMAS INFORMÁTICOS SISTEMAS INFORMÁTICOS Nesta apresentação, aprenderá a distinguir Hardware de software, identificar os principais componentes físicos de um computador e as suas funções. Hardware e Software Estrutura de

Leia mais

PROCESSAMENTO DE DADOS

PROCESSAMENTO DE DADOS PROCESSAMENTO DE DADOS Aula 1 - Hardware Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari Profa. Dra. Amanda Liz Pacífico Manfrim Perticarrari 2 3 HARDWARE Todos os dispositivos físicos que constituem

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Introdução Redes de Computadores é um conjunto de equipamentos que são capazes de trocar informações e compartilhar recursos entre si, utilizando protocolos para se comunicarem e

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 6.1 6 OBJETIVOS OBJETIVOS ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 6.1 2003 by Prentice Hall Qual é a capacidade de processamento e armazenagem

Leia mais

Princípios de Internet e Termos mais Utilizados. Internet

Princípios de Internet e Termos mais Utilizados. Internet Princípios de Internet e Termos mais Utilizados Internet A Comunicação é a melhor palavra para descrever a Internet. São serviços e facilidades que, para algumas pessoas, é o lugar onde elas encontram

Leia mais

Microinformática. Perguntas:

Microinformática. Perguntas: Microinformática UNICERP Disciplina: Informática Prof. Denis Henrique Caixeta Perguntas: Como foi a evolução da computação? Qual a função do computador? O que é Hardware? O que é Software? BIT, Byte, etc

Leia mais

c) Programa d) Unidade de saída 2) Dados e programas adicionais que não são usados pelo processador são armazenados em a) Armazenamento secundário

c) Programa d) Unidade de saída 2) Dados e programas adicionais que não são usados pelo processador são armazenados em a) Armazenamento secundário UFPI CCN DIE Introdução a Computação C 1) A Unidade central de processamento é um exemplo de a) Software b) Hardware c) Programa d) Unidade de saída 2) Dados e programas adicionais que não são usados pelo

Leia mais

Conceitos básicos sobre TIC

Conceitos básicos sobre TIC Conceitos básicos sobre TIC Origem da palavra Informática Informação + Automática Informática Significado: Tratamento ou processamento da informação utilizando meios automáticos, nomeadamente o computador.

Leia mais

Componentes de um Sistema de Computador

Componentes de um Sistema de Computador Componentes de um Sistema de Computador HARDWARE: unidade responsável pelo processamento dos dados, ou seja, o equipamento (parte física) SOFTWARE: Instruções que dizem o que o computador deve fazer (parte

Leia mais

INSTITUTO MARTIN LUTHER KING CURSO PROCESSAMENTO DE DADOS DISCIPLINA: HARDWARE

INSTITUTO MARTIN LUTHER KING CURSO PROCESSAMENTO DE DADOS DISCIPLINA: HARDWARE Memória ROM Vamos iniciar com a memória ROM que significa Read Only Memory, ou seja, uma memória somente para leitura. Isso quer dizer que as instruções que esta memória contém só podem ser lidas e executadas,

Leia mais

Escola Secundária de Emídio Navarro

Escola Secundária de Emídio Navarro Escola Secundária de Emídio Navarro Curso Secundário de Carácter Geral (Agrupamento 4) Introdução às Tecnologias de Informação Correcção da ficha de trabalho N.º 1 1. Refere algumas das principais áreas

Leia mais

Aula 01 Introdução à Informática. Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br www.profbrunogomes.com.br

Aula 01 Introdução à Informática. Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br www.profbrunogomes.com.br Aula 01 Introdução à Informática Prof. Bruno Gomes bruno.gomes@ifrn.edu.br www.profbrunogomes.com.br Agenda da Aula Introdução à Informática; Dados x Informação; O Computador (Hardware); Unidades de medida.

Leia mais

Informática, Internet e Multimídia

Informática, Internet e Multimídia Informática, Internet e Multimídia 1 TIPOS DE COMPUTADOR Netbook Notebook Computador Pessoal 2 Palmtop / Handheld Mainframe TIPOS DE COMPUTADOR Computador Pessoal O Computador Pessoal (PC Personal Computer),

Leia mais

AULA 2. Informática Básica. Gustavo Leitão. gustavo.leitao@ifrn.edu.br. Disciplina: Professor: Email:

AULA 2. Informática Básica. Gustavo Leitão. gustavo.leitao@ifrn.edu.br. Disciplina: Professor: Email: AULA 2 Disciplina: Informática Básica Professor: Gustavo Leitão Email: gustavo.leitao@ifrn.edu.br Índice Continuação aula anterior... Memória Barramento Unidades de armazenamento Periféricos Interfaces

Leia mais

Estrutura geral de um computador

Estrutura geral de um computador Estrutura geral de um computador Prof. Helio H. L. C. Monte-Alto Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu

Leia mais

Introdução à estrutura e funcionamento de um Sistema Informático

Introdução à estrutura e funcionamento de um Sistema Informático Introdução à estrutura e funcionamento de um Sistema Informático Elementos que constituem o Computador O funcionamento do computador é possível devido aos vários elementos interligados que o constituem:

Leia mais

Noções básicas sobre sistemas de computação

Noções básicas sobre sistemas de computação Noções básicas sobre sistemas de computação Conceitos e definições Dado: Pode ser qualquer coisa! Não tem sentido nenhum se estiver sozinho; Informação: São dados processados. Um programa determina o que

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE Capítulo 6 ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE HARDWARE E SOFTWARE 6.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Qual é a capacidade de processamento e armazenagem que sua organização precisa para administrar suas informações

Leia mais

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS INFORMÁTICA PARA CONCURSOS Prof. BRUNO GUILHEN Vídeo Aula VESTCON MÓDULO I - INTERNET Aula 01 O processo de Navegação na Internet. A CONEXÃO USUÁRIO PROVEDOR EMPRESA DE TELECOM On-Line A conexão pode ser

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Conceitos básicos de informática O que é informática? Informática pode ser considerada como significando informação automática, ou seja, a utilização de métodos

Leia mais

16/09/2012. Agenda. Introdução. Introdução. Introdução. Introdução. Curso Conexão Noções de Informática. Aula 1 Arquitetura de Computadores (Hardware)

16/09/2012. Agenda. Introdução. Introdução. Introdução. Introdução. Curso Conexão Noções de Informática. Aula 1 Arquitetura de Computadores (Hardware) Curso Conexão Noções de Informática Aula 1 Arquitetura de Computadores (Hardware) Agenda ; Arquitetura do Computador; ; ; Dispositivos de Entrada e Saída; Tipos de Barramentos; Unidades de Medidas. Email:

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais Sistemas de Entrada/Saída Princípios de Hardware Sistema de Entrada/Saída Visão Geral Princípios de Hardware Dispositivos de E/S Estrutura Típica do Barramento de um PC Interrupções

Leia mais

Conceitos básicos (Hardware/Software) CESPE

Conceitos básicos (Hardware/Software) CESPE Conceitos básicos (Hardware/Software) CESPE INDEA/MT (Adaptada). Cargo: Área: Técnico Agrícola Aplicação: 3/11/2002 1. Julgue os itens seguintes. 1. A função da placa de fax/modem é a de interligar o computador

Leia mais