OLHO D' AGUA DOS BORGES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OLHO D' AGUA DOS BORGES"

Transcrição

1 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 31/10/ Distância da capital: 321 km - Área: 141 Km 2 - Localização Mesorregião: Oeste Potiguar Microrregião: Umarizal - População: (IBGE/2007) - Número de domicílios: IDH: (87 no RN) - PIB: R$ ,00 (IBGE/2006) - PIB per capta: R$ 3.184,00 (IBGE/2006) - Empreendimentos cadastrados: PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS Tabela 1 Tipo de empreendimento Forma de Funcionamento Número de negócios Percentual (%) Associação ou Sindicato 01 0,58 Empresa Individual (Antiga Firma Individual) 10 5,81 Setor Público 19 11,05 Sociedade Anônima - - Sociedade Ltda. 02 1,16 Outras organizações sem fins lucrativos 04 2,33 Sem constituição ,42 Não informado 08 4,65 Total Geral ,00 Tabela 2 Tipo de Atividade Atividade Número de negócios Percentual (%) Agronegócio - - Comércio 79 45,93 Estrutura 26 15,12 Indústria 11 6,39 Serviço 56 32,56 Não Informado - - Total Geral ,00 1

2 Tabela 3 Classificação dos empreendimentos Classificação Número de negócios Percentual (%) Administração pública, defesa e seguridade social 08 4,62 Alimentação 23 13,29 Atividades esportivas e de recreação e lazer 01 0,58 Aluguéis não-imobiliários e gestão de ativos intangíveis nãofinanceiros 01 0,58 Serviços de escritório, de apoio administrativo e outros serviços prestados às empresas 04 2,31 Atividades jurídicas, de contabilidade e de auditoria 01 0,58 Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas 13 7,51 Comércio por atacado, exceto veículos automotores e motocicletas 11 6,36 Comércio varejista 67 38,72 Construção de edifícios 01 0,58 Obras de infra-estrutura 01 0,58 Educação 05 2,89 Fabricação de produtos alimentícios 02 1,16 Fabricação de produtos de minerais não-metálicos 02 1,16 Preparação de couros e fabricação de artefatos de couro, artigos para viagem e calçados 02 1,16 Atividades de organizações associativas 08 4,62 Outras atividades de serviços pessoais 17 9,83 Reparação e manutenção de equipamentos de informática e comunicação e de objetos pessoais e domésticos 03 1,73 Atividades de atenção à saúde humana 01 0,58 Serviços de assistência social sem alojamento 01 0,58 Correio e outras atividades de entrega 01 0,58 Total Geral ,00 Tabela 4 Tempo de funcionamento por atividade produtiva valores percentuais Tempo (em anos) Até 2-21,92-20,00 20,45 3 a 5-17,81-20,00 20,46 6 a 10-20, ,73 11 a 15-17, ,18 16 a 20-8,22-20,00 6,82 21 a 25-5,48-10,00 2,27 26 a 30-2, ,27 Acima de 30-5,48-30,00 6,82 2

3 Tabela 5 Faixa de faturamento por atividade produtiva valores percentuais Faturamento R$ 1,00 Até ,83-100,00 100,00 Acima de , Tabela 6 Principais problemas por atividade produtiva valores percentuais Principais problemas Baixo lucro - 12,68-11,11 9,09 Carga tributária elevada - 4,23-11,11 4,55 Concorrência - 4,23-11,11 15,91 Desconhecimento do mercado - 1,41-11,11 6,82 Despesas com aluguel - 1, ,27 Despesas com pessoal - 1, Dificuldade na aquisição ou falta de matéria-prima - 1, ,27 Falta de capital de giro - 40,85-44,44 38,64 Falta de clientes - 7,04-22,22 13,64 Falta de crédito - 1, ,55 Falta de mão de obra qualificada ,27 Instalações inadequadas ,11 9,09 Maus pagadores - 42,25-11,11 25,00 Ponto inadequado ,27 Problemas financeiros - 18,31-11,11 11,36 Taxa de juros elevadas - 4, ,27 Esta questão admite múltiplas respostas 3

4 Tabela 7 Número de empregados por atividade produtiva Número de empregados Atividade produtiva valor absoluto s Total Média - 1,18-1,80 1,50 Mínimo Máximo Tabela 8 Principais problemas por empreendimento valores percentuais Principais problemas Empreendimentos (%) Formal Informal Baixo lucro - 12,17 Carga tributária elevada - 5,22 Concorrência - 9,57 Desconhecimento do mercado - 4,35 Despesas com aluguel - 1,74 Despesas com pessoal - 0,87 Dificuldade na aquisição ou falta de matéria-prima 9,09 0,87 Falta de capital de giro 36,36 40,87 Falta de clientes 9,09 11,30 Falta de crédito - 2,61 Falta de mão de obra qualificada - 0,87 Instalações inadequadas - 4,35 Maus pagadores 45,45 32,17 Ponto inadequado - 0,87 Problemas financeiros 18,18 15,65 Taxa de juros elevadas 9,09 2,61 Esta questão admite múltiplas respostas. 4

5 3 PERFIL DO EMPREENDEDOR SEXO FAIXA ETÁRIA 5

6 Tabela 9 Faixa etária por atividade produtiva valores percentuais Faixa etária (em anos) Até 20-2,78-11,11 9,09 21 a 30-18,05-22,22 18,18 31 a 40-26,39-11,11 27,27 41 a 50-20,83-22,22 29,55 51 a 60-16,67-22,23 11,36 Acima de 60-15,28-11,11 4,55 ESCOLARIDADE Tabela 10 Nível de escolaridade por atividade produtiva valores percentuais Escolaridade Sem Instrução - 11, ,55 Alfabetizado - 5,55-11,11 6,82 Fundamental incompleto - 33,33-22,22 45,45 Fundamental completo - 1, ,55 Médio incompleto - 13,89-11,11 6,81 Médio completo - 29,17-55,56 25,00 Superior incompleto - 2, ,27 Superior completo - 1, ,55 Pós-graduação - 1, Tabela 11 Escolaridade por tipo de empreendimento valores percentuais Escolaridade Empreendimentos (%) Formal Informal Sem Instrução - 8,55 Alfabetizado - 6,84 Fundamental incompleto 18,18 37,61 Fundamental completo - 2,56 Médio incompleto 18,18 10,26 Médio completo 63,64 27,35 Superior incompleto - 2,56 Superior completo - 2,56 Pós-graduação - 1,71 6

7 4 SATISFAÇÃO COM A ATIVIDADE DESENVOLVIDA SATISFAÇÃO Tabela 12 Fatores de influência na decisão de iniciar o negócio produtivo valores percentuais Fatores de influência Complementar a renda familiar - 31,43-44,44 21,43 Desejo de ter o próprio negócio - 62,86-33,33 45,24 Estava desempregado - 15, ,05 Experiência na área - 5,71-22,22 14,29 Fez pesquisa de mercado - 1, Identificou uma oportunidade - 1, ,76 Por influência de outras pessoas - 2, ,14 Recebeu incentivos governamentais ,38 Tinha capital disponível - 1, Tradição familiar - 2,86-11,11 2,38 Vocação - 12,86-22,22 19,05 Esta questão admite múltiplas respostas 7

8 5 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E INOVAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 8

9 Tabela 13 Utilização da Internet para fins empresariais, por atividade produtiva - valores percentuais Utilização da Internet para fins empresariais - 1, ,55 Internet para comprar produtos e serviços - 1, ,27 Internet para divulgar a empresa ,27 Internet para realizar suporte ao cliente ,27 Internet para realizar transações bancárias ,11 4,55 Internet para vender produtos e serviços ,27 Não utiliza internet - 95,71-88,89 86,36 Pesquisa com auxílio dos sites de busca - 1, ,82 Programa para comunicação instantânea ,27 Videoconferência ou teleconferência ,11 - Esta questão admite múltiplas respostas. INOVAÇÃO 9

10 6 MERCADO AQUISIÇÃO DE MATÉRIA-PRIMA Tabela 14 Aquisição de matéria-prima por atividade produtiva valores percentuais Origem da compra Do município - 15,28-22,22 33,33 Do próprio Estado - 50,00-66,67 61,90 De outros Estados - 44,44-11,11 4,76 De outros Países Esta questão admite múltiplas respostas 10

11 COMERCIALIZAÇÃO Tabela 15 Comercialização de produtos ou serviços por atividade produtiva valores percentuais Comercialização Para o município - 87,50-55,56 83,33 Para o próprio Estado - 20,83-44,44 35,71 Para outros Estados Para outros Países Esta questão admite múltiplas respostas COMUNICAÇÃO Tabela 16 Veículo de comunicação para obtenção de informações valores percentuais Veículo de comunicação Carro de som - 4, ,55 /blog - 2, ,27 Folhetos - 4,17-11,11 4,55 Jornal - 2,78-22,22 6,82 Rádio - 5, ,82 TV - 83,33-66,67 75,00 Esta questão admite múltiplas respostas. 11

12 CARTEIRA DE CLIENTES Tabela 17 Número de clientes, por semana, por atividade produtiva Clientes Atividade produtiva s Total Média - 53,01-30,00 44,26 Máximo

GOVERNADOR DIX-SEPT ROSADO

GOVERNADOR DIX-SEPT ROSADO 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 04/04/1963 - Distância da capital: 320 km - Área: 1.129 Km 2 - Localização Mesorregião: Oeste Potiguar Microrregião: Chapada do Apodi - População: 12.374 (IBGE/2007)

Leia mais

CAIÇARA DO RIO DO VENTO

CAIÇARA DO RIO DO VENTO 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 19/01/1963 - Distância da capital: 95 km - Área: 261 Km 2 - Localização Mesorregião: Central Potiguar Microrregião: Angicos - População: 3.064 (IBGE/2007) - Número

Leia mais

Forma de Funcionamento Número de negócios Percentual (%) Empresário Individual (Antiga Firma Individual) 36 7,61. Fundação - - Setor Público 3 0,63

Forma de Funcionamento Número de negócios Percentual (%) Empresário Individual (Antiga Firma Individual) 36 7,61. Fundação - - Setor Público 3 0,63 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 03/05/1758 - Distância da capital: 31 km - Área: 294 Km 2 - Localização Mesorregião: Leste Potiguar Microrregião: Macaíba - População: 36.990 (IBGE/2007) - Número

Leia mais

SÃO BENTO DO NORTE 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS

SÃO BENTO DO NORTE 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 25/11/1953 - Distância da capital: 140 km - Área: 289 Km 2 - Localização Mesorregião: Central Potiguar Microrregião: Macau - População: 3.529 (IBGE/2007) - Número

Leia mais

PEDRA PRETA 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS

PEDRA PRETA 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 19/01/1963 - Distância da capital: 149 km - Área: 295 Km 2 - Localização Mesorregião: Central Potiguar Microrregião: Angicos - População: 2.659 (IBGE/2007) - Número

Leia mais

CORONEL JOÃO PESSOA 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS

CORONEL JOÃO PESSOA 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 19/12/1963 - Distância da capital: 453 km - Área: 117 Km 2 - Localização Mesorregião: Oeste Potiguar Microrregião: Serra de São Miguel - População: 4.827 (IBGE/2007)

Leia mais

CIDADE ALTA 1 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS. Tabela 1 Tipo de empreendimento

CIDADE ALTA 1 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS. Tabela 1 Tipo de empreendimento 1 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS Tabela 1 Tipo de empreendimento Forma de Funcionamento Número de negócios Percentual (%) Associação ou Sindicato 31 3,33 Cooperativa 5 0,54 Empresa Individual (Antiga Firma

Leia mais

CAPIM MACIO PERFIL DOS BAIRROS DE NATAL CAPIM MACIO. Trabalho realizado por: SEBRAE/RN ESTUDOS E PESQUISAS

CAPIM MACIO PERFIL DOS BAIRROS DE NATAL CAPIM MACIO. Trabalho realizado por: SEBRAE/RN ESTUDOS E PESQUISAS PERFIL DOS BAIRROS DE NATAL CAPIM MACIO Trabalho realizado por: SEBRAE/RN ESTUDOS E PESQUISAS NATAL/RN SETEMBRO/2010 1 Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Norte SEBRAE/RN Serviço

Leia mais

BARRO VERMELHO PERFIL DOS BAIRROS DE NATAL BARRO VERMELHO. Trabalho realizado por: SEBRAE/RN ESTUDOS E PESQUISAS

BARRO VERMELHO PERFIL DOS BAIRROS DE NATAL BARRO VERMELHO. Trabalho realizado por: SEBRAE/RN ESTUDOS E PESQUISAS PERFIL DOS BAIRROS DE NATAL BARRO VERMELHO Trabalho realizado por: SEBRAE/RN ESTUDOS E PESQUISAS NATAL/RN SETEMBRO/2010 1 Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Norte SEBRAE/RN

Leia mais

ALECRIM ALECRIM. Trabalho realizado por: SEBRAE/RN ESTUDOS E PESQUISAS

ALECRIM ALECRIM. Trabalho realizado por: SEBRAE/RN ESTUDOS E PESQUISAS ALECRIM Trabalho realizado por: SEBRAE/RN ESTUDOS E PESQUISAS NATAL/RN SETEMBRO/2010 1 Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Norte SEBRAE/RN Serviço de Apoio às Micro e Pequenas

Leia mais

ANTONIO MARTINS 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS

ANTONIO MARTINS 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 08/05/1963 - Distância da capital: 357 km - Área: 245 Km 2 - Localização Mesorregião: Oeste Potiguar Microrregião: Umarizal - População: 6.997 (IBGE/2007) - Número

Leia mais

Forma de Funcionamento Número de negócios Percentual (%)

Forma de Funcionamento Número de negócios Percentual (%) 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 30/12/1943 - Distância da capital: 71 km - Área: 240 Km 2 - Localização Mesorregião: Agreste Potiguar Microrregião: Agreste Potiguar - População: 14.483 (IBGE/2007)

Leia mais

LAJES PINTADAS 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS

LAJES PINTADAS 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 31/12/1958 - Distância da capital: 128 km - Área: 130 Km 2 - Localização Mesorregião: Agreste Potiguar Microrregião: Borborema Potiguar - População: 4.217 (IBGE/2007)

Leia mais

Unidade de Gestão Estratégica. Regional Entorno do DF

Unidade de Gestão Estratégica. Regional Entorno do DF Unidade de Gestão Estratégica Perfil Socioeconômico Regional Entorno do DF Sebrae em Goiás Conselho Deliberativo Marcelo Baiocchi Carneiro Presidente Diretoria Executiva Manoel Xavier Ferreira Filho Diretor

Leia mais

Unidade de Gestão Estratégica. Regional Metropolitana

Unidade de Gestão Estratégica. Regional Metropolitana Unidade de Gestão Estratégica Perfil Socioeconômico Regional Metropolitana Sebrae em Goiás Conselho Deliberativo Marcelo Baiocchi Carneiro Presidente Diretoria Executiva Manoel Xavier Ferreira Filho Diretor

Leia mais

Cenários. Perfil Socioeconômico. Regional Metropolitana Aparecida

Cenários. Perfil Socioeconômico. Regional Metropolitana Aparecida Cenários Perfil Socioeconômico Regional Metropolitana Aparecida Sumário Apresentação... 03 Dados Socioeconômicos... 04 Municípios... 06 Área e População... 08 Aspectos Socioculturais... 09 PIB... 11 Negócios

Leia mais

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Entorno do DF

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Entorno do DF Unidade de Gestão Estratégica Perfil Socioeconômico Regional Entorno do DF Sebrae em Goiás Conselho Deliberativo Pedro Alves de Oliveira Presidente Diretoria Executiva Igor Montenegro Diretor Superintendente

Leia mais

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Entorno do DF

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Entorno do DF Unidade de Gestão Estratégica Perfil Socioeconômico Regional Entorno do DF Sebrae em Goiás Conselho Deliberativo Marcelo Baiocchi Carneiro Presidente Diretoria Executiva Manoel Xavier Ferreira Filho Diretor

Leia mais

Cenários. Perfil Socioeconômico. Regional Sudoeste

Cenários. Perfil Socioeconômico. Regional Sudoeste Cenários Perfil Socioeconômico Regional Sudoeste Sumário Apresentação... 03 Dados Socioeconômicos... 04 Municípios... 06 Área e População... 08 Aspectos Socioculturais... 09 PIB... 11 Negócios Empresariais...

Leia mais

Cenários. Perfil Socioeconômico. Regional Metropolitana do DF

Cenários. Perfil Socioeconômico. Regional Metropolitana do DF Cenários Perfil Socioeconômico Regional Metropolitana do DF Sumário Apresentação... 03 Dados Socioeconômicos... 04 Municípios... 06 Área e População... 08 Aspectos Socioculturais... 09 PIB... 11 Negócios

Leia mais

Perfil e desafios dos microempreendedores no Brasil

Perfil e desafios dos microempreendedores no Brasil Perfil e desafios dos microempreendedores no Brasil Adriana Fontes IETS e UFRJ Brasília, 13 de maio de 2009. Introdução O que é informalidade? Fenômeno multidimensinoal Presente na sociedade nas: empresas,

Leia mais

Cenários. Perfil Socioeconômico. Regional Oeste

Cenários. Perfil Socioeconômico. Regional Oeste Cenários Perfil Socioeconômico Regional Oeste Sumário Apresentação... 03 Dados Socioeconômicos... 04 Municípios... 06 Área e População... 08 Aspectos Socioculturais... 09 PIB... 11 Negócios Empresariais...

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 0033_V1_2014 CADASTRO GERAL DE EMPREGO E DESEMPREGO DA CIDADE DE JARAGUÁ DO SUL - JUNHO DE

NOTA TÉCNICA Nº 0033_V1_2014 CADASTRO GERAL DE EMPREGO E DESEMPREGO DA CIDADE DE JARAGUÁ DO SUL - JUNHO DE NOTA TÉCNICA Nº 0033_V1_2014 CADASTRO GERAL DE EMPREGO E DESEMPREGO DA CIDADE DE JARAGUÁ DO SUL - JUNHO DE 2014 - Jaraguá do Sul (SC), Julho de 2014. ALINHAMENTO ESTRATÉGICO Jaraguá Ativa: Cidade inteligente

Leia mais

ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO DE JUIZ DE FORA

ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO DE JUIZ DE FORA ANÁLISE DO MERCADO DE TRABALHO DE JUIZ DE FORA Equipe: Prof. Dr. Lourival Batista de Oliveira Junior (Coordenador) Prof. Dr. Ricardo da Silva Freguglia (Pesquisador) MSc. Igor Vieira Procópio (Pesquisador)

Leia mais

Mercado de Trabalho Brasileiro Retrospectiva 2012 a 2016 Brasil. Rio de Janeiro, 31/01/2017

Mercado de Trabalho Brasileiro Retrospectiva 2012 a 2016 Brasil. Rio de Janeiro, 31/01/2017 Mercado de Trabalho Brasileiro Retrospectiva 2012 a 2016 Brasil 1 Rio de Janeiro, 31/01/2017 Observação: Os indicadores para retrospectiva foram construídos através da média aritmética dos quatro trimestres

Leia mais

Perfil do Microempreendedor Individual Sebrae Goiás

Perfil do Microempreendedor Individual Sebrae Goiás Perfil do Microempreendedor Individual 2015 Sebrae Goiás Metodologia Entrevistas por telefone com 9.657 Microempreendedores Individuais no Brasil; 384 Microempreendedores Individuais em Goiás; Entrevistas

Leia mais

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DISTRITO FEDERAL JULHO DE 2017

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DISTRITO FEDERAL JULHO DE 2017 DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DISTRITO FEDERAL JULHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Distrito Federal. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Distrito Federal. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Distrito Federal Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PERFIL DA POPULAÇÃO DISTRITO FEDERAL Distrito Federal 3,04 1,03 milhões* milhão* População Domicílios Classe B 7% Classes

Leia mais

Tendências e cenários sobre micro e pequenas empresas

Tendências e cenários sobre micro e pequenas empresas Tendências e cenários sobre 0800 570 0800 www.sebraesp.com.br twitter.com/sebraesp facebook.com/sebraesp youtube.com/user/sebraesaopaulo olanda Estatísticas básicas da participação das MPEs na economia

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. "Plano de Negócios" Empreendedor(a): WALKYRIA NOBREGA DE OLIVIRA

PLANO DE NEGÓCIOS. Plano de Negócios Empreendedor(a): WALKYRIA NOBREGA DE OLIVIRA PLANO DE NEGÓCIOS "Plano de Negócios" Empreendedor(a): WALKYRIA NOBREGA DE OLIVIRA Março/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio 1.2 Empreendedores 1.3 Empreendimento

Leia mais

O que é considerado pequeno negócio no Brasil? De acordo com a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Lei 123/2006)

O que é considerado pequeno negócio no Brasil? De acordo com a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Lei 123/2006) O que é considerado pequeno negócio no Brasil? De acordo com a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Lei 123/2006) REALIZAÇÕES SEBRAE BAHIA - 2015 Onde essas empresas estão Os Pequenos Negócios representam

Leia mais

Qual desenvolvimento queremos?

Qual desenvolvimento queremos? Qual desenvolvimento queremos? Apresentação preparada para o Forum do Desenvolvimento da ABDE Nelson Marconi Escola de Economia de São Paulo FGV e Presidente da Associação Keynesiana Brasileira 02 de dezembro

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Registro 3 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo,

Leia mais

MAPEAMENTO DA ATIVIDADE ECONÔMICA NO DF. Brasília, 16/02/2017 CODEPLAN

MAPEAMENTO DA ATIVIDADE ECONÔMICA NO DF. Brasília, 16/02/2017 CODEPLAN MAPEAMENTO DA ATIVIDADE ECONÔMICA NO DF Brasília, 16/02/2017 CODEPLAN ROTEIRO O TRABALHO DE MAPEAMENTO DAS EMPRESAS PELA CODEPLAN E A FONTE DE DADOS O QUE JÁ CONHECEMOS SOBRE O MERCADO DE TRABALHO NO DISTRITO

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL RA Central 1 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São

Leia mais

Indicadores Socioeconômicos. Página 1

Indicadores Socioeconômicos. Página 1 Pessoas Empregadas por Subsetores 2. Ind. 3. Ind. 5. Agua, Nome do Indicador 1.Agricultura Extrativa Transformação 4. Eletrecidade Esgoto 6. Construção 7. Comércio 8. Transporte 9. Alojamento 10. Informação

Leia mais

Aula Mercado para as MPE s. Prof. M.Sc. Aécio Flávio de Paula Filho

Aula Mercado para as MPE s. Prof. M.Sc. Aécio Flávio de Paula Filho Aula Mercado para as MPE s Prof. M.Sc. Aécio Flávio de Paula Filho Mercado e Composição de Preços Estudo de Mercado 2 2 Estudo de Mercado O Estudo de Mercado é uma ferramenta para auxiliar na tomada de

Leia mais

1. Curso Superior de Tecnologia em Comércio Exterior:

1. Curso Superior de Tecnologia em Comércio Exterior: LISTA DE CURSOS DE TECNOLOGIA APTOS AO REGISTRO NO CRA-GO 1. Curso Superior de Tecnologia em Comércio Exterior: 1.1. Tecnologia em Exportação e Importação; 1.2. Tecnologia em Gerência de Comércio Exterior;

Leia mais

DIRETORIA DE PESQUISAS DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC

DIRETORIA DE PESQUISAS DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC DIRETORIA DE PESQUISAS DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC Nota metodológica da série retropolada 2002-2009 PIB dos Municípios - Referência 2010 (versão para informação e comentários) Versão 1 outubro

Leia mais

PR Ministério da Educação

PR Ministério da Educação PLANO DE NEGÓCIOS SIMPLIFICADO Obs.: este formulário deverá ser entregue após a realização do Curso sobre Elaboração de Plano de Negócios que está previsto para fevereiro e março de 2013. A FUTURA EMPRESA

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Estado de São Paulo 1 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado

Leia mais

R - MONTANHÃO MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO REGIÕES DE PLANEJAMENTO (OP) A B E F G K J H. Atualização 2014

R - MONTANHÃO MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO REGIÕES DE PLANEJAMENTO (OP) A B E F G K J H. Atualização 2014 A B MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO SECRETARIA DE ORÇAMENTO E PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO DEPARTAMENTO DE INDICADORES SOCIAIS E ECONÔMICOS C D E F MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO REGIÕES DE PLANEJAMENTO

Leia mais

BAIXADA SANTISTA. Regime de Contratação Serviços 49 Faxineiro C.L.T. Bertioga Alfabetizado 6

BAIXADA SANTISTA. Regime de Contratação Serviços 49 Faxineiro C.L.T. Bertioga Alfabetizado 6 Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Regime de Contratação Local de Trabalho Escolaridade 49 Faxineiro Bertioga Alfabetizado Outros 2 Motorista de caminhão (rotas regionais e internacionais) Experiência

Leia mais

Os Impactos do Simples Nacional

Os Impactos do Simples Nacional Estudo especial Os Impactos do Simples Nacional 14 de setembro de 2017 Transmissão ao vivo em: videoteca.sebrae.com.br 1 1 Características do estudo Fontes de informações: 1. SRF 2. IBGE 3. RAIS 4. Funcex/Secex

Leia mais

ARAÇATUBA. Regime de Contratação Serviços 1 Cobrador externo C.L.T. Andradina Ensino Médio 0

ARAÇATUBA. Regime de Contratação Serviços 1 Cobrador externo C.L.T. Andradina Ensino Médio 0 Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Regime de Contratação Local de Trabalho Escolaridade 1 Cobrador externo C.L.T. Andradina Médio Construção Civil 1 Vendedor de comércio varejista C.L.T. Andradina Alfabetizado

Leia mais

BAIXADA SANTISTA. Regime de Contratação Serviços 2 Pintor de veículos (fabricação) C.L.T. Bertioga Alfabetizado 6. Prestador de Serviços

BAIXADA SANTISTA. Regime de Contratação Serviços 2 Pintor de veículos (fabricação) C.L.T. Bertioga Alfabetizado 6. Prestador de Serviços Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Regime de Contratação Local de Trabalho Escolaridade 2 Pintor de veículos (fabricação) Bertioga Alfabetizado Outros 1 Representante comercial autônomo Outros 2 Motorista

Leia mais

Fábrica de Ideias: Identificação de tendências e oportunidades para os. pequenos negócios nos bairros de Mossoró/RN ALTO DE SÃO MANOEL

Fábrica de Ideias: Identificação de tendências e oportunidades para os. pequenos negócios nos bairros de Mossoró/RN ALTO DE SÃO MANOEL Fábrica de Ideias: Identificação de tendências e oportunidades para os pequenos negócios nos bairros de Mossoró/RN ALTO DE SÃO MANOEL Mossoró/RN 2014 1 INTRODUÇÃO O presente trabalho pretende auxiliar

Leia mais

BARRETOS. Regime de Contratação Comércio 1 Operador de caixa C.L.T. Barretos Ensino Médio 6

BARRETOS. Regime de Contratação Comércio 1 Operador de caixa C.L.T. Barretos Ensino Médio 6 Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Regime de Contratação Local de Trabalho Escolaridade Comércio 1 Operador de caixa C.L.T. Médio 1 Técnico de telecomunicações (telefonia) 2 Operador de máquinas-ferramenta

Leia mais

BAIXADA SANTISTA. Regime de Contratação Construção Civil 1 Vendedor pracista C.L.T. Bertioga Ensino Médio 0

BAIXADA SANTISTA. Regime de Contratação Construção Civil 1 Vendedor pracista C.L.T. Bertioga Ensino Médio 0 Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Regime de Contratação Local de Trabalho Escolaridade Construção Civil 1 Vendedor pracista Bertioga Médio 2 Lavador de veículos Bertioga Alfabetizado 1 Jardineiro Cubatão

Leia mais

BARRETOS. 6 Motorista de caminhão (rotas regionais e internacionais) Temporário Barretos

BARRETOS. 6 Motorista de caminhão (rotas regionais e internacionais) Temporário Barretos Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Pessoa física 1 Empregado doméstico arrumador Comércio 1 Montador de móveis e artefatos de madeira Pessoa física 1 Empregado doméstico faxineiro 1 Esteticista Regime

Leia mais

Negócios Promissores Especialistas em pequenos negócios / / sebrae.com.br

Negócios Promissores Especialistas em pequenos negócios / / sebrae.com.br Negócios Promissores 2015 Milhões de Optantes Número de pequenos negócios no Brasil cresceu 272% nos últimos sete anos 10,0 9,3 8,2 8,0 7,1 6,0 5,6 4,3 4,0 2,0 2,5 2,6 3,2 0,0 2007 2008 2009 2010 2011

Leia mais

A Mulher e a Participação no Mercado de Trabalho de Mato Grosso do Sul

A Mulher e a Participação no Mercado de Trabalho de Mato Grosso do Sul A Mulher e a Participação no Mercado de Trabalho de Mato Grosso do Sul O Sebrae/MS realizou um estudo sobre a Mulher e o Mercado de trabalho no MS, utilizando as seguintes fontes: Ministério do Trabalho

Leia mais

Fábrica de Ideias: Identificação de tendências e oportunidades para os. pequenos negócios nos bairros de Mossoró/RN ABOLIÇÃO

Fábrica de Ideias: Identificação de tendências e oportunidades para os. pequenos negócios nos bairros de Mossoró/RN ABOLIÇÃO Fábrica de Ideias: Identificação de tendências e oportunidades para os pequenos negócios nos bairros de Mossoró/RN ABOLIÇÃO Mossoró/RN 2014 1 INTRODUÇÃO O presente trabalho pretende auxiliares os empreendedores

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE SERVIÇOS PMS ATIVIDADES PESQUISADAS

PESQUISA MENSAL DE SERVIÇOS PMS ATIVIDADES PESQUISADAS PESQUISA MENSAL DE SERVIÇOS PMS ATIVIDADES PESQUISADAS Serviços prestados às famílias Alojamento e alimentação Hotéis, motéis, pousadas, albergues de turismo, etc. Restaurantes, bares, churrascarias, cantinas,

Leia mais

BAIXADA SANTISTA. Regime de Contratação Serviços 49 Faxineiro C.L.T. Bertioga Alfabetizado 6

BAIXADA SANTISTA. Regime de Contratação Serviços 49 Faxineiro C.L.T. Bertioga Alfabetizado 6 Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Regime de Contratação Local de Trabalho Escolaridade 49 Faxineiro C.L.T. Bertioga Alfabetizado 6 2 Pintor de veículos (fabricação) C.L.T. Bertioga Ensino Fundamental

Leia mais

N - DOS ALVARENGA (JD. DAS ORQUÍDEAS)

N - DOS ALVARENGA (JD. DAS ORQUÍDEAS) A B MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO SECRETARIA DE ORÇAMENTO E PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO DEPARTAMENTO DE INDICADORES SOCIAIS E ECONÔMICOS C D E F MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO REGIÕES DE PLANEJAMENTO

Leia mais

FRANCA. Regime de Contratação Serviços 1 Jardineiro C.L.T. Batatais Ensino Médio 6. Outros 1 Vendedor em domicílio Estagiário Batatais Ensino Médio 3

FRANCA. Regime de Contratação Serviços 1 Jardineiro C.L.T. Batatais Ensino Médio 6. Outros 1 Vendedor em domicílio Estagiário Batatais Ensino Médio 3 Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Regime de Contratação Local de Trabalho Escolaridade Serviços 1 Jardineiro C.L.T. Batatais Médio Outros 1 Vendedor em domicílio Estagiário Batatais Médio 3 Outros

Leia mais

Rio de Janeiro, 22/11/2016. Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016

Rio de Janeiro, 22/11/2016. Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016 1 Rio de Janeiro, 22/11/2016 Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL RA Central 4 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São

Leia mais

Plano Financeiro. Projeto Empreendedor Redes de Computadores

Plano Financeiro. Projeto Empreendedor Redes de Computadores Plano Operacional e Plano Financeiro Projeto Empreendedor Redes de Computadores Plano Operacional 1.Layout Por meio do layout ou arranjo físico, você irá definir como será a distribuição dos diversos setores

Leia mais

Ranking dos estados. Pessoal ocupado* (Mil pessoas) Receita Bruta de Revenda* (R$ bilhões)

Ranking dos estados. Pessoal ocupado* (Mil pessoas) Receita Bruta de Revenda* (R$ bilhões) Setor terciário Comércio 2 Ranking dos estados Pessoal ocupado* (Mil pessoas) Mil pessoas % 1º São Paulo 2.971,5 28,9 2º Minas Gerais 1.169,5 11,4 3º Rio de Janeiro 914,2 8,9 4º Paraná 777,3 7,6 5º Rio

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua 2012-2017 Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017 Rio de Janeiro, 17 de novembro de 2017 Força de Trabalho no Brasil Pesquisa

Leia mais

Venda Nova do Imigrante-ES

Venda Nova do Imigrante-ES Venda Nova do Imigrante-ES Capital Nacional do Agroturismo Turismo Rural - Agroturismo ENCONTRO NACIONAL COM OS NOVOS PREFEITOS E PREFEITAS Localização ENCONTRO NACIONAL COM OS NOVOS PREFEITOS E PREFEITAS

Leia mais

COLETIVA DE IMPRENSA. Rafael Cervone Presidente da Abit

COLETIVA DE IMPRENSA. Rafael Cervone Presidente da Abit COLETIVA DE IMPRENSA Rafael Cervone Presidente da Abit RESULTADOS 2014 Var.% em relação ao mesmo período do ano anterior 2013 2014* Perfil 2014* Emprego +7.273-20.000 1,6 milhão Produção Vestuário -1,3%

Leia mais

BAIXADA SANTISTA. Regime de Contratação Administração Pública 1 Inspetor de alunos de escola privada C.L.T. Guarujá Ensino Médio 0

BAIXADA SANTISTA. Regime de Contratação Administração Pública 1 Inspetor de alunos de escola privada C.L.T. Guarujá Ensino Médio 0 Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Regime de Contratação Local de Trabalho Escolaridade Administração Pública 1 Inspetor de alunos de escola privada C.L.T. Guarujá Médio Administração Pública 2 Operador

Leia mais

Douglas Fabian. Bacharel em Administração. MBA Gestão Estratégica de Pessoas

Douglas Fabian. Bacharel em Administração. MBA Gestão Estratégica de Pessoas Douglas Fabian Bacharel em Administração MBA Gestão Estratégica de Pessoas PLANO DE NEGÓCIOS PLANO DE NEGÓCIOS O que é um plano de negócios? INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO É um documento que especifica, em

Leia mais

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Centro

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Centro Unidade de Gestão Estratégica Perfil Socioeconômico Regional Centro Sebrae em Conselho Deliberativo Pedro Alves de Oliveira Presidente Diretoria Executiva Igor Montenegro Diretor Superintendente Wanderson

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL São José do Rio Preto 1 o trimestre de 2016 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS), os empregos formais celetistas

Leia mais

Perfil do Jovem Empreendedor Garibaldense

Perfil do Jovem Empreendedor Garibaldense Perfil do Jovem Empreendedor Garibaldense ANÁLISE DE DADOS: PROF DR FABIANO LARENTIS / PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO ( PPGA) Método -Pesquisa Quantitativa; -Envio de questionário a... (complementar)

Leia mais

ANEXO III COMPOSIÇÃO DOS GRUPAMENTOS DE ATIVIDADE AGRÍCOLA

ANEXO III COMPOSIÇÃO DOS GRUPAMENTOS DE ATIVIDADE AGRÍCOLA ANEXO III COMPOSIÇÃO DOS GRUPAMENTOS DE ATIVIDADE CÓDIGO DENOMINAÇÕES Agricultura, pecuária e serviços relacionados com estas atividades 01101 Cultivo de arroz 01102 Cultivo de milho 01103 Cultivo de outros

Leia mais

MARÍLIA. Regime de Contratação. Outros 7 Ajudante de motorista C.L.T. Assis Ensino Fundamental 6

MARÍLIA. Regime de Contratação. Outros 7 Ajudante de motorista C.L.T. Assis Ensino Fundamental 6 Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Comércio 20 Instalador de sistemas eletroeletrônicos de segurança Comércio 2 Reparador de rádio, TV e som Construção Civil 1 Comércio 1 Comércio 1 Outros 5 Instalador

Leia mais

BARRETOS. Regime de Contratação Prestador de Serviços 6 Motorista de caminhão (rotas regionais e internacionais) Temporário Barretos

BARRETOS. Regime de Contratação Prestador de Serviços 6 Motorista de caminhão (rotas regionais e internacionais) Temporário Barretos Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação 1 Esteticista Agropecuária, Extrativa Vegetal, Regime de Contratação Local de Trabalho Motorista de caminhão (rotas regionais e internacionais) Temporário Barretos

Leia mais

Setor produtivo G03 - Borracha e Plástico. Contém estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE /01 Confecção de roupas profissionais, exceto sob

Setor produtivo G03 - Borracha e Plástico. Contém estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE /01 Confecção de roupas profissionais, exceto sob Setor produtivo G03 - Borracha e Plástico. Contém 1114186 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 1413-4/01 Confecção de roupas profissionais, exceto sob medida 1413-4/02 Confecção, sob medida, de roupas

Leia mais

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: MATO GROSSO DO SUL

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: MATO GROSSO DO SUL MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: MATO GROSSO DO SUL O número de empregos formais no estado alcançou 653,6 mil em dezembro de 2014, representando

Leia mais

Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria

Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria Rede Setorial da Indústria Os desafios setoriais à competitividade da indústria brasileira Economia brasileira: situação atual e desafios ao crescimento da indústria São Paulo, 10 de setembro de 2013 ROTEIRO

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul 2017 1) Julho 2017: Fechamento de 541 postos de trabalho na indústria estadual. Resultado de 4.613 contratações e 5.154 demissões; Maiores

Leia mais

ARAÇATUBA. Regime de Contratação Pessoa física 1 Copeiro C.L.T. Andradina Ensino Médio 6

ARAÇATUBA. Regime de Contratação Pessoa física 1 Copeiro C.L.T. Andradina Ensino Médio 6 Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Regime de Contratação Local de Trabalho Escolaridade Pessoa física 1 Copeiro C.L.T. Andradina Ensino Médio 6 Pessoa física 1 Cozinheiro geral C.L.T. Andradina Ensino

Leia mais

Pesquisa de Orçamento Doméstico

Pesquisa de Orçamento Doméstico Fonte: Sistema Fecomércio MG EE A Pesquisa de Orçamento Doméstico de Belo Horizonte é um balizador do comportamento das famílias, relativo aos seus compromissos correntes e financeiros. A falta de planejamento,

Leia mais

ebook COMO UTILIZAR A REDE DE TROCA EX&CO NA SUA EMPRESA OU ASSOCIAÇÃO? Pense diferentemente, seja criativo! ex&co reinventemos a economia local

ebook COMO UTILIZAR A REDE DE TROCA EX&CO NA SUA EMPRESA OU ASSOCIAÇÃO? Pense diferentemente, seja criativo! ex&co reinventemos a economia local ebook COMO UTILIZAR A REDE DE TROCA EX&CO NA SUA EMPRESA OU ASSOCIAÇÃO? Pense diferentemente, seja criativo! ex&co reinventemos a economia local Sumário O que pode trocar com outras empresas ou associações?

Leia mais

RELACIONAMENTO COM A POLÍCIA MILITAR GUTO/LEVS-FINEP

RELACIONAMENTO COM A POLÍCIA MILITAR GUTO/LEVS-FINEP RELACIONAMENTO COM A POLÍCIA MILITAR GUTO/LEVS-FINEP Tabelas Índice de Tabelas Tabela 1. Distribuição das Entrevista por Setor... 3 Tabela 2 Conhece algum Policial que patrulha o bairro por tempo de Residência......

Leia mais

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: SANTA CATARINA

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: SANTA CATARINA MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: SANTA CATARINA O número de empregos formais no estado alcançou 2,274 milhões em dezembro de 2014, representando

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul Outubro registrou o oitavo mês consecutivo com redução de postos de trabalho na Indústria sul-matogrossense. No mês, o saldo negativo

Leia mais

BARRETOS. Regime de Contratação. Comércio 1 Padeiro C.L.T. Barretos Alfabetizado 6 Indústria de Transformação Outros 1

BARRETOS. Regime de Contratação. Comércio 1 Padeiro C.L.T. Barretos Alfabetizado 6 Indústria de Transformação Outros 1 Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Comércio Comércio Comércio Outros 2 Mecânico de manutenção de automóveis, motocicletas e veículos similares Eletricista de instalações (veículos automotores e máquinas

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Ribeirão Preto 4 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de

Leia mais

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: CEARÁ

Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: CEARÁ MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Características do Emprego Formal RAIS 2014 Principais Resultados: CEARÁ O número de empregos formais no estado alcançou 1,552 milhão em dezembro de 2014, representando

Leia mais

PESQUISA ANUAL DE COMÉRCIO

PESQUISA ANUAL DE COMÉRCIO MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA IBGE PESQUISA ANUAL DE COMÉRCIO NOTAS METODOLÓGICAS Notas Metodológicas A Pesquisa Anual de Comércio - PAC

Leia mais

Ceará: Resultados do PIB Trimestral 3 0 Trimestre/2007

Ceará: Resultados do PIB Trimestral 3 0 Trimestre/2007 Ceará: Resultados do PIB Trimestral 2003-2007 eloisa@ipece.ce.gov.br rogerio.soares@ipece.ce.gov.br Fortaleza 2009 CEARÁ: COMPOSIÇÃO Ceará: DO Resultados PRODUTO INTERNO do PIB BRUTO Trimestral A PREÇOS

Leia mais

RIBEIRÃO PRETO. Regime de Contratação Outros 1 Vendedor de comércio varejista C.L.T. Brodowski Ensino Médio 6 Indústria de Transformação

RIBEIRÃO PRETO. Regime de Contratação Outros 1 Vendedor de comércio varejista C.L.T. Brodowski Ensino Médio 6 Indústria de Transformação Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Regime de Contratação Local de Trabalho Escolaridade Outros 1 Vendedor de comércio varejista C.L.T. Brodowski Ensino Médio 6 Experiência (Em Meses) 1 Desenhista projetista

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CALÇADOS MARIA "MARIA DAS NEVES FERNANDES NETA" Empreendedor(a): JOï ½O TEBERGE NETO

PLANO DE NEGÓCIOS CALÇADOS MARIA MARIA DAS NEVES FERNANDES NETA Empreendedor(a): JOï ½O TEBERGE NETO PLANO DE NEGÓCIOS CALÇADOS MARIA "MARIA DAS NEVES FERNANDES NETA" Empreendedor(a): JOï ½O TEBERGE NETO Junho/2015 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio 1.2 Empreendedores

Leia mais

Vale do Aço. Fevereiro/2016

Vale do Aço. Fevereiro/2016 Fevereiro/2016 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL São José do Rio Preto 4 o trimestre de 2014 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado

Leia mais

Perfil Socioeconômico Itabirito

Perfil Socioeconômico Itabirito Perfil Socioeconômico 2017 Sumário 1. Caracterização do Município......3 1.1 Componentes da Microrregião de Planejamento... 3 1.2 Distância Aproximada dos Principais Centros... 3 2. População e Eleitorado......

Leia mais

P P E B P A SEBRAE Francisco José Cesarino

P P E B P A SEBRAE Francisco José Cesarino P P E B P A SEBRAE Francisco José Cesarino Gerente Adjunto da Unidade de Gestão Estratégica do SEBRAE Brasil cesarino@sebrae.com.br 284 Perfil das pequenas empresas brasileiras e os projectos de apoio

Leia mais

M - DOS ALVARENGA (JD. LAURA)

M - DOS ALVARENGA (JD. LAURA) A B MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO SECRETARIA DE ORÇAMENTO E PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO DEPARTAMENTO DE INDICADORES SOCIAIS E ECONÔMICOS C D E F MUNICÍPIO DE SÃO BERNARDO DO CAMPO REGIÕES DE PLANEJAMENTO

Leia mais

BAIXADA SANTISTA. Serviços 2 Mecânico de refrigeração C.L.T. Cubatão Ensino Médio 6

BAIXADA SANTISTA. Serviços 2 Mecânico de refrigeração C.L.T. Cubatão Ensino Médio 6 Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Regime de Contratação Local de Trabalho Pessoa física 1 Piloto fluvial C.L.T. Bertioga Outros 4 2 Instrutor de aprendizagem e treinamento industrial Mecânico de manutenção

Leia mais

PROGRAMA DE AVALIAÇÃO SOCIOECONÔMICA DE ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO ( Anexo I)

PROGRAMA DE AVALIAÇÃO SOCIOECONÔMICA DE ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO ( Anexo I) UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS E COMUNITÁRIOS COORDENADORIA DE PROGRAMAS SOCIAS PROGRAMA DE AVALIAÇÃO SOCIOECONÔMICA DE ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO ( Anexo

Leia mais

Coordenação de Serviços e Comércio COSEC 07/2017

Coordenação de Serviços e Comércio COSEC 07/2017 Coordenação de Serviços e Comércio COSEC 07/2017 Pesquisa Anual de Comércio PAC 2015 Sumário Objetivos da PAC Segmentos e classes de atividade Aspectos metodológicos Principais resultados Objetivos da

Leia mais

Taxa de desemprego em relativa estabilidade

Taxa de desemprego em relativa estabilidade PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO DO ABC 1 PED ABC JUNHO 2 DE 2016 DIVULGAÇÃO N o 62 Taxa de desemprego em relativa estabilidade Aumenta o nível de ocupação nos Serviços e se reduz na Indústria

Leia mais

ARAÇATUBA. Regime de Contratação Serviços 44 Alimentador de linha de produção C.L.T. Andradina Alfabetizado 6

ARAÇATUBA. Regime de Contratação Serviços 44 Alimentador de linha de produção C.L.T. Andradina Alfabetizado 6 Setor da Economia Qtde Vagas Ocupação Regime de Contratação Local de Trabalho Escolaridade 44 Alimentador de linha de produção C.L.T. Andradina Alfabetizado Construção Civil 1 Vendedor de comércio varejista

Leia mais

COMÉRCIO VAREJISTA JUNHO DE 2017

COMÉRCIO VAREJISTA JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais