CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE REGULAMENTO. Subsídio "Apoio ao Estudante"

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE REGULAMENTO. Subsídio "Apoio ao Estudante""

Transcrição

1 CÂMARA MUNICIPAL DE BELMONTE REGULAMENTO Subsídio "Apoio ao Estudante" A educação é a forma mais simples de transformar uma sociedade. Uma população mais culta permite acolher novas ideias de futuro e perspectivas de sucesso. O concelho de Belmonte é rico em matéria humana, que deve ser valorizada e estimulada. Sobressaem dois problemas demográficos no concelho de Belmonte, por um lado há uma redução do número de crianças que nascem, por outro lado, temos uma fuga dos jovens com mais de 18 anos para outros concelhos, quer por motivos académicos quer por motivos profissionais. Sendo certo que no nosso concelho não há instituições de ensino superior e tendo consciência que no interior do país a oferta curricular do ensino superior não ocupa todas as áreas de estudo, a Câmara Municipal de Belmonte, tem o dever de apoiar aqueles estudantes que se deslocam do nosso concelho para outros, do interior, litoral ou ilhas, para poderem prosseguir os estudos. As universidades e politécnicos têm já uma política social de apoio a estudantes com necessidades económicas através da concessão de bolsas de estudos, porém, os cortes orçamentais da administração central implicaram uma redução nas verbas destinadas a estes alunos. Há ainda famílias que não sendo beneficiárias destas bolsas de estudo fazem uma enorme ginástica no orçamento mensal para suportar os custos com a educação dos filhos. É um dever das instituições públicas, como as autarquias, apoiar as suas populações nos momentos de dificuldades. Apoiar os jovens estudantes é também apoiar o futuro, dando um primeiro passo naquilo que será amanhã a população ativa do concelho de Belmonte. Assim, ao abrigo do disposto no art.º 241º da Constituição da República Portuguesa e alínea g' do n.º 1 do art.º 25 e alínea k' do n.º 2 do art.º 33, ambos da Lei n.º 75/2013 de 12/09, a Câmara Municipal de Belmonte aprova a presente proposta de regulamento. 1

2 Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º Âmbito e Objetivo 1. O presente regulamento aplica - se à área territorial do concelho de Belmonte. 2. O presente regulamento tem por objetivo ajudar os jovens estudantes do ensino superior, residentes no concelho de Belmonte, durante a frequência do ciclo de estudos no ensino superior, conducentes ao grau de licenciatura ou mestrado, quando integrado. Artigo 2º Beneficiários São beneficiários do presente regulamento os jovens, com idade compreendida entre os 17 e os 30 anos, que frequentem o ensino superior público, pela primeira vez, residentes no concelho de Belmonte, com necessidades económicas comprovadas. Artigo 3º Apoio de Estudante 1. O "Apoio ao Estudante" subdivide - se em dois subsídios: a) Apoio Extra a Bolseiro: subsídio a pagar a alunos que já sejam bolseiros do ensino superior e que demonstrem terem necessidades económicas graves; b) Apoio a Estudantes Não Bolseiros: subsídio a pagar a alunos que não sejam beneficiários de bolsas de estudos ou de qualquer outro apoio público e que comprovem terem dificuldades em suportar os custos da frequência no ensino superior. 2. O "Apoio ao Estudante" é um subsídio mensal pago durante 10 (dez) meses, o equivalente à duração do ano letivo e respeitante aos meses de Setembro a Dezembro e de Janeiro a Junho. Capítulo II Candidatura Artigo 4º Condições Gerais de Candidatura 1. Podem candidatar-se a qualquer das modalidades do subsídio "Apoio ao Estudante", quem preencha os seguintes requisitos, cumulativamente: a) Ter idade compreendida entre os 17 e os 30 anos; b) Ser residente há pelo menos 2 anos no concelho de Belmonte; c) Estar matriculado num curso do ensino superior público conducente ao grau de licenciado ou mestre, quando seja mestrado integrado; 2

3 d) Frequentar o ensino superior pela primeira vez; e) Ter aproveitamento escolar nos termos determinados para a instituição que frequenta, exceto se a candidatura for feita no 1º ano de curso. f) O agregado familiar ter a situação fiscal regularizada; g) Preencher os requisitos específicos de cada modalidade de subsídio, nos termos dos artigos seguintes. 2. A candidatura é apresentada em requerimento próprio. Artigo 5º Apresentação e apreciação da candidatura 1. A candidatura ao subsídio "Apoio ao Estudante", nas suas duas modalidades, é apresentada em requerimento próprio acompanhado da documentação exigível e entregue no Gabinete de Ação Social da Câmara Municipal de Belmonte. 2. A apreciação da candidatura é feita no prazo de 30 dias a contar da receção do requerimento e de todos os documentos exigíveis. 3. Se no momento da entrega do requerimento faltar algum documento, os 30 dias contam a partir da entrega do último documento. 4. A decisão será comunicada por escrito ao requerente. 5. Da proposta de indeferimento há lugar a audiência prévia nos termos do art.º 100º e seguintes do CPA. Capítulo IV Apoio Extra a Bolseiro Artigo 6º Prazo de candidatura 1. O candidato deve requerer o subsídio no prazo de 30 dias a contar do início do ano letivo. 2. Após o deferimento da bolsa de apoio social da instituição de ensino, o candidato deve apresentar, no prazo de 30 dias o documento comprovativo da atribuição da referida bolsa. Artigo 7º Requisitos específicos de candidatura 1. Os candidatos devem preencher os requisitos gerais do art.º 4º e o seguinte requisito específico: a) Ser beneficiário de bolsa de apoio social na instituição que frequenta. 2. Devem os candidatos entregar a seguinte documentação: a) Fotocópia do B.I. e cartão de contribuinte ou C. C.; 3

4 b) Certidão emitida pela respetiva junta de freguesia que ateste a residência há pelo menos três anos no concelho de Belmonte; c) Certidão emitida pela respetiva junta de freguesia que ateste a composição do agregado familiar; d) Fotocópia do comprovativo de matrícula; e) Documento comprovativo do aproveitamento escolar no ano letivo anterior ou documento que indique que frequenta pela primeira vez o 1º ano do curso; f) Documento comprovativo da situação de bolseiro e qual o valor atribuído; g) Fotocópia da declaração de rendimentos do próprio ou do agregado familiar, com descriminação dos rendimentos e património: h) Fotocópia de documento comprovativo de liquidação de IRS/IRC que indique expressamente o escalão a que pertence; i) Documento indicativo do n.º de conta ou NIB para onde o subsídio deve ser pago. Artigo 8º Determinação do subsídio 1. O valor a atribuir como subsídio "Apoio ao Estudante", a alunos que sejam bolseiros na instituição de ensino que frequentam, é determinado de acordo com o escalão a que pertençam em termos fiscais, o próprio ou o seu agregado familiar. 2. O valor do subsídio é determinado do seguinte modo: a) Alunos pertencentes ao primeiro escalão: 100,00; b) Alunos pertencentes ao segundo escalão: 80,00; c) Alunos pertencentes ao terceiro escalão: 60, Se da apreciação da documentação entregue se verificar que o candidato, embora pertencente a um dos escalões acima determinados, não está numa situação de carência financeira, nomeadamente por ter outro tipo de apoios que em conjunto excedam 1 SMN, pode a Câmara Municipal determinar, fundamentadamente, a não atribuição do subsídio. 4. No período entre a entrega da candidatura ao apoio extra ao bolseiro e o deferimento da bolsa de apoio social da instituição de ensino que frequenta, ao candidato poderá ser-lhe atribuído o escalão mínimo a atribuir aos estudantes não bolseiros, com efeitos retractivos à data de candidatura ao apoio extra bolseiro. Capítulo V Apoio a Estudantes Não Bolseiros Artigo 9º Prazo de candidatura 1. Os candidatos devem requerer o subsídio no prazo de 30 dias a contar: a) Da não atribuição de bolsa de apoio social, no caso de a terem requerido; b) Do início do ano letivo respetivo, no caso de não terem requerido bolsa de apoio social; 4

5 c) Da verificação da situação de carência económica inesperada. 2. No caso da alínea c' do n.º anterior, a atribuição do subsídio não têm efeitos retroativos ao início do ano letivo. Artigo 10º Requisitos específicos de candidatura 1. Os candidatos devem preencher os requisitos gerais do art.º 4º e o seguinte requisito específico: a) Não ser beneficiário de bolsa de apoio social ou de qualquer outra na instituição que frequenta. 2. Os candidatos devem entregar a documentação solicitada no art.º 7, aliena a), b), c), d), e), g) e i) e a seguinte documentação: a) Documento emitido pela instituição de ensino que frequenta que ateste que o candidato não é bolseiro; b) Fotocópia de documentos que permitam aferir despesas mensais certas, ainda que variáveis nos valores, como renda, água, luz, gás, despesas de saúde, etc.; Artigo 11º Determinação do subsídio 1. Os estudantes que não sejam bolseiros na instituição de ensino que frequentam mas que, comprovadamente, demonstrem terem carências económicas próprias ou do seu agregado familiar, podem receber apoio num valor que oscila entre os 40,00 e os 60,00 mensais. 2. O valor concreto do subsídio é determinado pela Câmara Municipal de Belmonte, após análise da documentação exigida no artigo seguinte, tendo em consideração a declaração de rendimentos e, nomeadamente, os encargos anuais com habitação, saúde, educação, mas também o n.º de elementos do agregado familiar e o património deste. 3. Não serão consideradas candidaturas cujo rendimento mensal per capita seja superior ou igual a 1.5 IAS atual. 4. Para os devidos efeitos do cálculo de rendimento per capita do agregado familiar, aplica-se a seguinte formula: R =RF-D 12N Sendo que: R = rendimento per capita; RF = rendimento anual ilíquido do agregado familiar; D = despesas fixas anuais; N = número de elementos do agregado familiar. 5

6 Capítulo VI Fiscalização Artigo 12º 1. A Câmara Municipal de Belmonte pode em qualquer momento cessar o pagamento do subsídio, caso se verifique que o requerente deixa de preencher os requisitos gerais e específicos de atribuição. 2. A Câmara Municipal de Belmonte pode ainda, em qualquer altura, diligenciar no sentido de obter informações, por prova idónea, sobre a veracidade das declarações e elementos apresentados. 3. Caso de verifique uma situação de falsas declarações, pode a Câmara Municipal exigir a reposição dos valores entregues, sem dispensar o respetivo procedimento criminal. Capítulo VII Disposições finais e transitórias Artigo 13º Atualização dos valores Os valores monetários constantes do presente regulamento são atualizados por deliberação pela Câmara Municipal de Belmonte. Artigo 14º Casos omissos Os casos omissos serão analisados, pontualmente, pela Câmara Municipal de Belmonte. Artigo 15º Norma Revogatória É revogado o regulamento "SOCIAL'IN" na parte relativa às bolsas de estudos. Artigo 16º Regime especial para o ano letivo 2013/ Para efeitos no ano letivo 2013/2014, os alunos podem requerer o subsídio na modalidade "apoio extra a bolseiro" e, no caso de alunos a quem tenha sido indeferida a bolsa, o "apoio a estudante não bolseiro", até 30 dias após a entrada em vigor do presente regulamento. 6

7 2. O deferimento do requerimento de subsídio, para o ano letivo 2013/2014, não tem efeito retroativo à data de início do ano letivo, valendo apenas para os meses seguintes, até ao términus do mesmo. Artigo 17º Entrada em vigor O presente regulamento entra em vigor 15 dias após a sua publicação em edital. 7

Regulamento Municipal para a Concessão de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES

Regulamento Municipal para a Concessão de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES 2015 Regulamento Municipal para a Concessão de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior MUNICIPIO DE FORNOS DE ALGODRES Índice Nota Justificativa... 2 Capítulo I Disposições Gerais... 2 Artigo

Leia mais

Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior. Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009

Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior. Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009 Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo Para o Ensino Superior Aprovado após deliberação em reunião de Câmara de dia 16 de Dezembro de 2009 Beja, 2009 Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece

Leia mais

Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo

Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo Regulamento Municipal de Bolsas de Estudo Preâmbulo A educação e formação dos jovens famalicenses são factores essenciais para o desenvolvimento económico e social do concelho e da região onde nos inserimos.

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SALVATERRA DE MAGOS. Regulamento para atribuição de bolsas de estudo a alunos do ensino superior. Preâmbulo

CÂMARA MUNICIPAL DE SALVATERRA DE MAGOS. Regulamento para atribuição de bolsas de estudo a alunos do ensino superior. Preâmbulo CÂMARA MUNICIPAL DE SALVATERRA DE MAGOS Regulamento para atribuição de bolsas de estudo a alunos do ensino superior Preâmbulo O desenvolvimento de medidas de carácter social com o intuito de melhorar as

Leia mais

MUNICIPIO DE VILA DO BISPO REGULAMENTO DE ATRIBIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO

MUNICIPIO DE VILA DO BISPO REGULAMENTO DE ATRIBIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO MUNICIPIO DE VILA DO BISPO REGULAMENTO DE ATRIBIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO E BOLSAS DE INVESTIGAÇÃO Preâmbulo É atribuição das Autarquias locais deliberar em matéria de acção social, designadamente no que

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO. Preâmbulo

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO. Preâmbulo REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO Preâmbulo Faz parte da missão do grupo Águas de Portugal (Grupo AdP) constituir-se como uma referência no setor do ambiente, de forma a promover a universalidade,

Leia mais

Regulamento da Ação Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico

Regulamento da Ação Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico Regulamento da Ação Social Escolar - 1.º Ciclo do Ensino Básico Preâmbulo A Educação constitui uma das atribuições fundamentais dos Municípios desde 1984 e a sua implementação obedece a um conjunto de

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE INCENTIVO Á NATALIDADE

PROJETO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE INCENTIVO Á NATALIDADE PROJETO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE INCENTIVO Á NATALIDADE Preâmbulo Considerando: - A crescente intervenção dos Municípios, no âmbito das políticas de ação social, com vista, por um lado, à progressiva

Leia mais

CAPÍTULO I Disposições Gerais

CAPÍTULO I Disposições Gerais REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR Preâmbulo O direito a uma justa e efetiva igualdade de oportunidades no acesso e sucesso escolares, consagrado constitucionalmente,

Leia mais

MUNICIPIO DE LAGOA Algarve

MUNICIPIO DE LAGOA Algarve Processo de Candidatura a Bolsas de Estudo para alunos do concelho de Lagoa que frequentam cursos do ensino superior Página 1/7 * DOCUMENTAÇÃO A APRESENTAR * 1. Requerimento ao Presidente da Câmara Municipal

Leia mais

REQUERIMENTO APOIO AO ESTUDANTE

REQUERIMENTO APOIO AO ESTUDANTE REQUERIMENTO APOIO AO ESTUDANTE Tipo de Apoio solicitado APOIO EXTRA BOLSEIRO APOIO A ESTUDANTES NÃO BOLSEIROS Data Entrega Requerimento: / / Data Entrega documentos: / / Informação técnica: Valor a conceder:

Leia mais

MUNICÍPIO DE AMARES. Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo para os Cursos do Ensino Médio e Superior

MUNICÍPIO DE AMARES. Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo para os Cursos do Ensino Médio e Superior MUNICÍPIO DE AMARES Regulamento de Concessão de Bolsas de Estudo para os Cursos do Ensino Médio e Superior A educação é, no contexto do mundo actual, uma tarefa que cabe a toda a sociedade. Neste sentido,

Leia mais

Regulamento para Atribuição de Bolsas de Estudo

Regulamento para Atribuição de Bolsas de Estudo Artigo 1º Objecto O presente regulamento estabelece as normas de atribuição de bolsas de estudo por parte da Câmara Municipal de Vila do Porto a estudantes residentes no concelho, matriculados e inscritos

Leia mais

Câmara Municipal de Vila do Bispo. Regulamento Municipal de Apoio Social a Famílias Carenciadas

Câmara Municipal de Vila do Bispo. Regulamento Municipal de Apoio Social a Famílias Carenciadas Câmara Municipal de Vila do Bispo Regulamento Municipal de Apoio Social a Famílias Carenciadas Nota Justificativa A deliberação de Câmara de 17 de Fevereiro de 2009, que originou a criação do Regulamento

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DO CEFAD. Preâmbulo:

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DO CEFAD. Preâmbulo: Preâmbulo: O desenvolvimento das sociedades democráticas exige cada vez mais políticas educativas que promovam uma efectiva igualdade de oportunidades, traduzida na aposta da qualificação para a promoção

Leia mais

Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico

Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico Normas para concessão de auxílios económicos no 1.º ciclo do ensino básico ENQUADRAMENTO Desde a Constituição da República de 1976 que está consagrada a universalidade, obrigatoriedade e gratuitidade do

Leia mais

CANDIDATURA A BOLSA DE ESTUDO

CANDIDATURA A BOLSA DE ESTUDO Ex. mo Sr. Presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova I - IDENTIFICAÇÃO E RESIDÊNCIA BI/Cartão do Cidadão NIF E-mail Data de Nascimento NIB Estado Civil Naturalidade Sexo Filiação do Cônjuge (Se

Leia mais

Regulamento do CARTÃO MUNICIPAL SÉNIOR. Nota Justificativa

Regulamento do CARTÃO MUNICIPAL SÉNIOR. Nota Justificativa Regulamento do CARTÃO MUNICIPAL SÉNIOR Nota Justificativa Perante o envelhecimento e solidão em que os idosos do concelho se encontram e, tendo em conta a saúde e rendimentos precários que os caracterizam,

Leia mais

MUNICÍPIO DE VALPAÇOS PREÂMBULO

MUNICÍPIO DE VALPAÇOS PREÂMBULO REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO PREÂMBULO Nos termos do artigo 235.º n.º 2 da Constituição da República Portuguesa, as Autarquias são pessoas colectivas territoriais dotadas de

Leia mais

Regulamento Municipal de Apoio ao (à) Segundo(a) Filho(a) e Seguintes

Regulamento Municipal de Apoio ao (à) Segundo(a) Filho(a) e Seguintes Preâmbulo Considerando que a intervenção dos municípios na área do desenvolvimento social é cada vez mais premente, quer com intuito da progressiva inserção social e melhoria das condições de vida dos

Leia mais

NORMAS DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO E EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

NORMAS DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO E EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR NORMAS DE AÇÃO SOCIAL ESCOLAR DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO E EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1 PREÂMBULO Atenta à diferenciação de oportunidades de acesso à educação, o Município de Almada tem preconizado uma política

Leia mais

REGULAMENTO AÇÃO SOCIAL ESCOLAR 1º CICLO MANUAIS ESCOLARES

REGULAMENTO AÇÃO SOCIAL ESCOLAR 1º CICLO MANUAIS ESCOLARES REGULAMENTO AÇÃO SOCIAL ESCOLAR 1º CICLO MANUAIS ESCOLARES Divisão de Educação e Promoção Social Ano Letivo 2014/2015 Regulamento Municipal para atribuição de Auxílios Económicos relativos a manuais escolares,

Leia mais

REGULAMENTO DO SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO TIRSO

REGULAMENTO DO SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO TIRSO REGULAMENTO DO SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO DA CÂMARA MUNICIPAL DE SANTO TIRSO Artigo 1.º (Âmbito) 1 O presente regulamento regula a concessão de subsídio ao arrendamento pelo município de Santo Tirso. 2 Podem

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DA CÂMARA MUNICIPAL DE ALJUSTREL NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DA CÂMARA MUNICIPAL DE ALJUSTREL NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DA DE ALJUSTREL NOTA JUSTIFICATIVA O Município de Aljustrel tem como objectivo primacial a prossecução dos interesses próprios e comuns dos seus

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO À VACINAÇÃO INFANTIL NÃO COMPARTICIPADA

PROJETO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO À VACINAÇÃO INFANTIL NÃO COMPARTICIPADA PROJETO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO À VACINAÇÃO INFANTIL NÃO COMPARTICIPADA Regulamento n.º / Aprovado em Câmara Municipal a Aprovado em Assembleia Municipal a PÁG. 01 / 09 CAPITULO I... 4 DISPOSIÇÕES

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE OEIRAS. Regulamento Municipal para o Programa de Turismo Sénior

CÂMARA MUNICIPAL DE OEIRAS. Regulamento Municipal para o Programa de Turismo Sénior CÂMARA MUNICIPAL DE OEIRAS Regulamento Municipal para o Programa de Turismo Sénior Preâmbulo Considerando a necessidade de apoiar as pessoas idosas, proporcionando-lhes momentos lúdicos, de lazer e de

Leia mais

Município de Monforte REGULAMENTO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO

Município de Monforte REGULAMENTO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO Município de Monforte REGULAMENTO CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO Convertido para formato digital em 16 de fevereiro de 2013. Aplicação do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa - Cumprimento da Resolução do

Leia mais

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO. Preâmbulo

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO. Preâmbulo REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO Preâmbulo A educação e formação dos jovens são fatores essenciais para o desenvolvimento económico e social do concelho e da região onde nos inserimos. Neste

Leia mais

Universidade Lusófona do Porto Bolsas de Estudo. Regulamento

Universidade Lusófona do Porto Bolsas de Estudo. Regulamento Universidade Lusófona do Porto Bolsas de Estudo Regulamento 1. Requisitos a cumprir para candidatura - Não ser detentor/a de grau académico universitário; - Não beneficiar de outra bolsa de estudo ou vantagem

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DO CARTÃO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE ALCOUTIM

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DO CARTÃO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE ALCOUTIM MUNICÍPIO DE ALCOUTIM Câmara Municipal REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DO CARTÃO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE ALCOUTIM REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DO CARTÃO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE ALCOUTIM Preâmbulo Atenta à grave situação

Leia mais

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSA DE ESTUDO (1ª REVISÃO)

REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSA DE ESTUDO (1ª REVISÃO) REGULAMENTO DE ATRIBUIÇÃO DE BOLSA DE ESTUDO (1ª REVISÃO) PREÂMBULO O Centro de Apoio Social e Acolhimento C.A.S.A. Bernardo Manuel Silveira Estrela, doravante designado por C.A.S.A., é uma Instituição

Leia mais

Município de Chamusca AV I S O

Município de Chamusca AV I S O Município de Chamusca AV I S O Dr. Paulo Jorge Mira Lucas Cegonho Queimado, Presidente da Câmara Municipal de Chamusca. TORNA PÚBLICO que, nos termos e para os efeitos do disposto no art.118. º do Código

Leia mais

Universidade Portucalense Infante D. Henrique

Universidade Portucalense Infante D. Henrique Universidade Portucalense Infante D. Henrique Bolsas de Estudo Regulamento 1. Requisitos a cumprir para candidatura a) Não ser detentor de grau académico universitário; b) Não beneficiar de outra bolsa

Leia mais

Termos e Condições de atribuição de Bolsas de Estudo para o Ensino Superior. Universidade Portucalense Infante D. Henrique

Termos e Condições de atribuição de Bolsas de Estudo para o Ensino Superior. Universidade Portucalense Infante D. Henrique Termos e Condições de atribuição de Bolsas de Estudo para o Ensino Superior Universidade Portucalense Infante D. Henrique 1. Requisitos a cumprir para candidatura a) Não ser detentor de grau académico

Leia mais

Frequenta ou já frequentou algum projeto financiado pelo Programa Escolhas? Sim Não Se respondeu sim, indique o nome do projeto:

Frequenta ou já frequentou algum projeto financiado pelo Programa Escolhas? Sim Não Se respondeu sim, indique o nome do projeto: FORMULÁRIO DE CANDIDATURA Atribuição de Bolsas de Estudo a alunos(as) do Ensino Superior Ano letivo 2016/2017 1. IDENTIFICAÇÃO DO(A) CANDIDATO(A) 1.1. Dados Pessoais Nome Completo Data de Nascimento /

Leia mais

Nome. Nome do Pai. Nome da Mãe. Morada N.º Freguesia Código Postal - Telefone . Nome. Nome. Nome

Nome. Nome do Pai. Nome da Mãe. Morada N.º Freguesia Código Postal - Telefone  . Nome. Nome. Nome REQUERIMENTO DE CANDIDATURA JARDIM DE INFÂNCIA CÁLCULO DA COMPARTICIPAÇÃO FAMILIAR PELA UTILIZAÇÃO DE COMPONENTES DE APOIO À FAMÍLIA ESTABELECIMENTO DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Ano letivo / IDENTIFICAÇÃO DO

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO A ARRENDATÁRIOS CAMARÁRIOS E SEU AGREGADO FAMILIAR PORTADORES DE DOENÇAS CRÓNICAS OU INCAPACITANTES

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO A ARRENDATÁRIOS CAMARÁRIOS E SEU AGREGADO FAMILIAR PORTADORES DE DOENÇAS CRÓNICAS OU INCAPACITANTES 1 REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO A ARRENDATÁRIOS CAMARÁRIOS E SEU AGREGADO FAMILIAR PORTADORES DE DOENÇAS CRÓNICAS OU INCAPACITANTES NOTA JUSTIFICATIVA A Portaria n.º 288/83, de 17 de Março, estatuiu o

Leia mais

Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo a Alunos e Alunas do Ensino Superior

Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo a Alunos e Alunas do Ensino Superior Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo a Alunos e Alunas do Ensino Superior Nota justificativa O desenvolvimento de sociedades democráticas exige cada vez mais o desenvolvimento e a implementação

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPARTICIPAÇÃO EM DESPESAS COM MEDICAMENTOS. Nota Justificativa

REGULAMENTO DE COMPARTICIPAÇÃO EM DESPESAS COM MEDICAMENTOS. Nota Justificativa REGULAMENTO DE COMPARTICIPAÇÃO EM DESPESAS COM MEDICAMENTOS Nota Justificativa O quadro sócio demográfico atual diverge do tradicional. As questões do envelhecimento das populações estão em foco devido

Leia mais

2ª Alteração ao Regulamento Municipal de Apoio à Fixação de Jovens e Famílias. Artigo 1º. Artigo 1º Objeto

2ª Alteração ao Regulamento Municipal de Apoio à Fixação de Jovens e Famílias. Artigo 1º. Artigo 1º Objeto 2ª Alteração ao Regulamento Municipal de Apoio à Fixação de Jovens e Famílias Artigo 1º Os artigos 1º, 2º e 3º que passam a ter a seguinte redação: Artigo 1º Objeto 1. O Programa de apoio visa contribuir

Leia mais

Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento estabelece as regras de adesão e utilização do Cartão Almodôvar Solidário.

Artigo 1º Âmbito O presente Regulamento estabelece as regras de adesão e utilização do Cartão Almodôvar Solidário. Regulamento do Cartão Almodôvar Solidário Preâmbulo Decorridos cerca de seis anos sobre a implementação do Cartão Municipal do Idoso, o qual constituiu um importante marco no apoio aos mais desfavorecidos,

Leia mais

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO A ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS PREÂMBULO

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO A ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS PREÂMBULO REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO A ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS PREÂMBULO O presente regulamento municipal constitui um dos instrumentos que permitirá materializar a intenção

Leia mais

PROJETO REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROGRAMA DE COMPARTICIPAÇÃO DE MEDICAMENTOS AOS IDOSOS CARENCIADOS

PROJETO REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROGRAMA DE COMPARTICIPAÇÃO DE MEDICAMENTOS AOS IDOSOS CARENCIADOS PROJETO REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROGRAMA DE COMPARTICIPAÇÃO DE MEDICAMENTOS AOS IDOSOS CARENCIADOS PREÂMBULO Os idosos são tradicionalmente um grupo social com dificuldades reconhecidas que advém, sobretudo

Leia mais

Regras Técnicas

Regras Técnicas Regras Técnicas 2007-2008 2008 Considerando o regime de atribuição de bolsas de estudo a estudantes do Ensino Superior Público, determino os critérios e procedimentos técnicos a adoptar pelos Serviços

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL. DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL. DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura FORMULÁRIO DE CANDIDATURA AO APOIO AO ARRENDAMENTO HABITACIONAL DOCUMENTAÇÃO OBRIGATÓRIA para instrução da candidatura (APRESENTAR ORIGINAIS E ENTREGAR FOTOCÓPIAS DE TODOS OS DOCUMENTOS) B.I./ C.C./Cédula

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO A ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS

REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO A ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS REGULAMENTO MUNICIPAL DE ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIO AO ARRENDAMENTO A ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS Regulamento Municipal de Atribuição de Subsídio ao Arrendamento a Estratos Sociais Desfavorecidos 1 Nota

Leia mais

Proposta de Alterações ao Regulamento Municipal para Atribuição de Apoio ao Arrendamento. Preâmbulo

Proposta de Alterações ao Regulamento Municipal para Atribuição de Apoio ao Arrendamento. Preâmbulo Proposta de Alterações ao Regulamento Municipal para Atribuição de Apoio ao Arrendamento Preâmbulo A atual situação socioeconómica e a forma como atinge as famílias mais carenciadas do concelho é uma das

Leia mais

PROJETO CUIDAR TRATAR DAS NOSSAS PESSOAS REDE INTERMUNICIPAL DE CUIDADOS DE SAÚDE. Metodologia de Avaliação e Seleção de Candidatos

PROJETO CUIDAR TRATAR DAS NOSSAS PESSOAS REDE INTERMUNICIPAL DE CUIDADOS DE SAÚDE. Metodologia de Avaliação e Seleção de Candidatos PROJETO CUIDAR TRATAR DAS NOSSAS PESSOAS REDE INTERMUNICIPAL DE CUIDADOS DE SAÚDE PROTOCOLO INTERMUNICIPAL ENTRE OS MUNICÍPIOS DE VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO E OLHÃO Metodologia de Avaliação e Seleção de

Leia mais

Regulamento Municipal de Atribuição de. Bolsas de Mérito Desportivo

Regulamento Municipal de Atribuição de. Bolsas de Mérito Desportivo PREÂMBULO O desporto assume na sociedade atual um papel de extrema importância, não apenas na promoção da saúde, do desenvolvimento económico e na formação dos cidadãos mas, igualmente, como elemento valorizador

Leia mais

REGULAMENTO DO SUBSIDIO AO ARRENDAMENTO DO MUNICÍPIO DE SANTO TIRSO. Nota Justificativa

REGULAMENTO DO SUBSIDIO AO ARRENDAMENTO DO MUNICÍPIO DE SANTO TIRSO. Nota Justificativa REGULAMENTO DO SUBSIDIO AO ARRENDAMENTO DO MUNICÍPIO DE SANTO TIRSO Nota Justificativa Com o novo quadro legal de atribuições e competências das autarquias locais, previstas no Anexo I da Lei 75/2013,

Leia mais

MUNICÍPIO DE FIGUEIRA DE CASTELO RODRIGO. Projeto de Regulamento Municipal de medidas de apoio social e incentivo à fixação de pessoas e famílias

MUNICÍPIO DE FIGUEIRA DE CASTELO RODRIGO. Projeto de Regulamento Municipal de medidas de apoio social e incentivo à fixação de pessoas e famílias Projeto de Regulamento Municipal de medidas de apoio social e incentivo à fixação de pessoas e famílias Preâmbulo Considerando que a intervenção dos municípios na área social é cada vez mais premente,

Leia mais

Regulamento do Trabalhador - Estudante da Escola Superior de Dança. Artigo 1.º. Objeto e âmbito

Regulamento do Trabalhador - Estudante da Escola Superior de Dança. Artigo 1.º. Objeto e âmbito Regulamento do Trabalhador - Estudante da Escola Superior de Dança Artigo 1.º Objeto e âmbito O presente regulamento tem como objetivo estabelecer os requisitos de atribuição do estatuto de trabalhador

Leia mais

APOIO À RECUPERAÇÃO HABITACIONAL DE ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS

APOIO À RECUPERAÇÃO HABITACIONAL DE ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS APOIO À RECUPERAÇÃO HABITACIONAL DE ESTRATOS SOCIAIS DESFAVORECIDOS FORMULÁRIO DE CANDIDATURA I. Apoio à recuperação habitacional 1ª Candidatura Recandidatura POR FAVOR LEIA ATENTAMENTE O FORMULÁRIO DE

Leia mais

1. A Fundação Eugénio de Almeida definirá, anualmente, o montante global de recursos financeiros destinados à concessão de bolsas de estudo.

1. A Fundação Eugénio de Almeida definirá, anualmente, o montante global de recursos financeiros destinados à concessão de bolsas de estudo. REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS de ESTUDO PARA LICENCIATURA (1º CICLO) Aprovado pelo Conselho de Administração da Fundação Eugénio de Almeida em 26 de Setembro de 2008 ARTIGO 1º ÂMBITO E OBJECTO

Leia mais

Regulamento do Cartão Municipal do Idoso

Regulamento do Cartão Municipal do Idoso Regulamento do Cartão Municipal do Idoso Preâmbulo Considerando a importância crescente do papel das autarquias locais, no âmbito do apoio às populações, a Câmara Municipal de Grândola atenta que está

Leia mais

REGULAMENTO DA COMPONENTE SÓCIO-EDUCATIVA DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

REGULAMENTO DA COMPONENTE SÓCIO-EDUCATIVA DE APOIO À FAMÍLIA NOS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR ARTIGO 1º Objecto 1- O presente regulamento tem por objecto definir o funcionamento dos serviços da componente de apoio à família, no âmbito de: a) Fornecimento de almoço b) Prolongamento de horário 2-

Leia mais

NORMAS DE APOIO ÀS FAMÍLIAS PARA FREQUÊNCIA DOS CENTROS DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES, NO ÂMBITO DA AÇÃO SOCIAL

NORMAS DE APOIO ÀS FAMÍLIAS PARA FREQUÊNCIA DOS CENTROS DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES, NO ÂMBITO DA AÇÃO SOCIAL NORMAS DE APOIO ÀS FAMÍLIAS PARA FREQUÊNCIA DOS CENTROS DE ATIVIDADES DE TEMPOS LIVRES, NO ÂMBITO DA AÇÃO SOCIAL A Câmara Municipal de Sesimbra apoia famílias de contexto socioeconómico fragilizado, através

Leia mais

REGULAMENTO DE INCENTIVO À NATALIDADE

REGULAMENTO DE INCENTIVO À NATALIDADE REGULAMENTO DE INCENTIVO À NATALIDADE JUNTA DE FREGUESIA DE CANDEMIL Regulamento de Incentivo à Natalidade na Freguesia de Candemil Nota Justificativa Considerando que a diminuição da Natalidade é um problema

Leia mais

MUNICÍPIO DE BARRANCOS

MUNICÍPIO DE BARRANCOS MUNICÍPIO DE BARRANCOS Regulamento do Programa Casa Jovem Programa Municipal de Apoio ao Arrendamento Jovem e de Incentivo ao Mercado de Arrendamento Local Preâmbulo No âmbito do Programa de Intervenção

Leia mais

MUNICIPIO DE MESÃO FRIO

MUNICIPIO DE MESÃO FRIO MUNICIPIO DE MESÃO FRIO REGULAMENTO MUNICIPAL DO PROGRAMA SOCIAL DE APOIO À HABITAÇÃO DO MUNICIPIO DE MESÃO FRIO A, em conformidade com as atribuições e competências consignadas aos Municípios, nomeadamente

Leia mais

Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo e Outros Apoios aos Alunos do Ensino Superior Preâmbulo

Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo e Outros Apoios aos Alunos do Ensino Superior Preâmbulo Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo e Outros Apoios aos Alunos do Ensino Superior Preâmbulo Considerando que o direito a uma justa e efectiva igualdade de oportunidades no acesso e

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALTER DO CHÃO

MUNICÍPIO DE ALTER DO CHÃO MUNICÍPIO DE ALTER DO CHÃO REGULAMENTO OFICINA DOMICILIÁRIA Preâmbulo O Município de Alter do Chão, no âmbito da prossecução de uma política social com responsabilidade, tem tido a preocupação de contribuir

Leia mais

DESPACHO N. GR.03/05/2011

DESPACHO N. GR.03/05/2011 DESPACHO N. GR.03/05/2011 Regulamento Estatuto de Trabalhador-Estudante da Universidade do Porto No uso da competência que me é consagrada na alínea o) do n 1 do artigo 400 dos Estatutos da Universidade

Leia mais

Regulamento do Cartão - Jovem Raiano Município de Idanha-a-Nova. Preâmbulo

Regulamento do Cartão - Jovem Raiano Município de Idanha-a-Nova. Preâmbulo MUNICÍPIO DE IDANHA-A-NOVA Contribuinte número 501 121 030 CÂMARA MUNICIPAL DE IDANHA-A-NOVA Regulamento do Cartão - Jovem Raiano Município de Idanha-a-Nova Preâmbulo Considerando que o Município de Idanha-a-Nova,

Leia mais

Regulamento Municipal das Atividades de Animação e de Apoio à Família da Educação Pré-escolar Ano letivo 2014/2015 e seguintes

Regulamento Municipal das Atividades de Animação e de Apoio à Família da Educação Pré-escolar Ano letivo 2014/2015 e seguintes Regulamento Municipal das Atividades de Animação e de Apoio à Família da Educação Pré-escolar Ano letivo 2014/2015 e seguintes Preâmbulo A Lei 5/97, de 10 de Fevereiro, Lei-Quadro da Educação Pré-Escolar,

Leia mais

(Preâmbulo) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º (Objeto e âmbito)

(Preâmbulo) CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS. Artigo 1.º (Objeto e âmbito) (Preâmbulo) Conforme disposto no Decreto-Lei nº 113/2014 de 16 de julho, aprova-se o Regulamento dos Concursos Especiais de Acesso e Ingresso no Ensino Superior a aplicar no Instituto Superior de Ciências

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DA ATRIBUIÇÃO DE APOIOS À HABITAÇÃO

PROJETO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DA ATRIBUIÇÃO DE APOIOS À HABITAÇÃO PROJETO DE REGULAMENTO MUNICIPAL DA ATRIBUIÇÃO DE APOIOS À HABITAÇÃO Considerando que o artigo 23º n.º 2 alíneas h) e i), da Lei n.º 75/2013, de 3 de Setembro, refere que os municípios dispõem de, entre

Leia mais

Regulamento do Programa Municipal de Incentivo à Natalidade Nota Justificativa

Regulamento do Programa Municipal de Incentivo à Natalidade Nota Justificativa Regulamento do Programa Municipal de Incentivo à Natalidade Nota Justificativa Considerando: - A importância que a área do desenvolvimento social assume na política de ação social do Município de Cinfães;

Leia mais

CALHETA D ESPERANÇAS

CALHETA D ESPERANÇAS CÂMARA MUNICIPAL DA CALHETA MADEIRA REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO À FAMILIA E INCENTIVO À NATALIDADE CALHETA D ESPERANÇAS Página 1 de 5 Nota Justificativa Considerando a crescente intervenção deste Município

Leia mais

Regulamento do Cartão Municipal do Idoso do Concelho de Ferreira do Zêzere

Regulamento do Cartão Municipal do Idoso do Concelho de Ferreira do Zêzere REGULAMENTOS Regulamento do Cartão Municipal do Idoso do Concelho de Ferreira do Zêzere MUNICÍPIO DE FERREIRA DO ZÊZERE CÂMARA MUNICIPAL Aprovado pela Câmara Municipal por deliberação de 09 de fevereiro

Leia mais

Freguesia de Penela da Beira

Freguesia de Penela da Beira EDITAL Alexandre Rui Lopes Escudeiro, Presidente da Junta de Freguesia de Penela da Beira: Torna público que esta Junta de Freguesia em reunião extraordinária de 17 de Setembro de 2010, aprovou o seguinte

Leia mais

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO -ENSINO SUPERIOR-

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO -ENSINO SUPERIOR- REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO -ENSINO SUPERIOR- Aprovado em Sessão Ordinária da Assembleia Municipal em 11 de dezembro de 2015 Capítulo I Disposições gerais Artigo 1.º Leis Habilitantes

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO AOS ESTUDANTES DO ENSINO SECUNDÁRIO E ENSINO SUPERIOR

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO AOS ESTUDANTES DO ENSINO SECUNDÁRIO E ENSINO SUPERIOR REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO AOS ESTUDANTES DO ENSINO SECUNDÁRIO E ENSINO SUPERIOR O Município de Avis, confiante na energia catalisadora da geração jovem do seu Concelho os jovens são o futuro da força

Leia mais

Regulamento do Cartão Social do Município de Mértola

Regulamento do Cartão Social do Município de Mértola Preâmbulo O Município de Mértola tem vindo a desenvolver e a promover medidas sociais com o objectivo de erradicar fenómenos de pobreza e de exclusão social numa lógica de solidariedade social local activa,

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DO TARIFÁRIO SOCIAL DE ÁGUA, SANEAMENTO E RESÍDUOS SÓLIDOS DA MAIA PREÂMBULO

REGULAMENTO MUNICIPAL DO TARIFÁRIO SOCIAL DE ÁGUA, SANEAMENTO E RESÍDUOS SÓLIDOS DA MAIA PREÂMBULO PREÂMBULO 1. A progressiva degradação da situação económica das famílias portuguesas, em virtude da situação em que se encontra todo o território nacional, exige aos serviços públicos, a tomada de decisões

Leia mais

Regulamento do Fundo Social de Emergência Preâmbulo

Regulamento do Fundo Social de Emergência Preâmbulo Regulamento do Fundo Social de Emergência Preâmbulo A Câmara Municipal de Cinfães, através de medidas de intervenção, inclusão e apoio social, tem vindo a promover ações concertadas e articuladas com os

Leia mais

Regulamento para Atribuição de Transportes Escolares do Município de Mafra NOTA JUSTIFICATIVA

Regulamento para Atribuição de Transportes Escolares do Município de Mafra NOTA JUSTIFICATIVA NOTA JUSTIFICATIVA Dando cumprimento às atribuições do Município no domínio da Educação, conforme previsto nas alíneas d) do n.º 1 do artigo 13.º e a) do n.º 3 do artigo 19.º da Lei n.º 159/99, de 14 de

Leia mais

INSTITUTO DE GEOGRAFIA E ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO Regulamento dos regimes de Reingresso e Mudança de Par Instituição/ Curso

INSTITUTO DE GEOGRAFIA E ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO Regulamento dos regimes de Reingresso e Mudança de Par Instituição/ Curso INSTITUTO DE GEOGRAFIA E ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO Regulamento dos regimes de Reingresso e Mudança de Par Instituição/ Curso A Portaria nº 181-D/2015, de 19 de junho, aprova o Regulamento Geral dos Regimes

Leia mais

REGULAMENTO. Projeto Esperança

REGULAMENTO. Projeto Esperança REGULAMENTO Projeto Esperança Aprovação Câmara Municipal: 21-12-2015 Assembleia Municipal: 12-02-2016 REGULAMENTO PROJETO ESPERANÇA PREÂMBULO O Município de Arruda dos Vinhos, no desenvolvimento da sua

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO E DE MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO DA ESCOLA SUPERIOR ARTÍSTICA DO PORTO (ESAP)

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO E DE MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO DA ESCOLA SUPERIOR ARTÍSTICA DO PORTO (ESAP) REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO E DE MUDANÇA DE PAR INSTITUIÇÃO/CURSO DA ESCOLA SUPERIOR ARTÍSTICA DO PORTO (ESAP) Conforme definido no nº 3 do Artigo 25º do Regulamento Geral dos Regimes de Reingresso

Leia mais

GUIA PRÁTICO BOLSA DE ESTUDO

GUIA PRÁTICO BOLSA DE ESTUDO Manual de GUIA PRÁTICO BOLSA DE ESTUDO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/11 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Bolsa de Estudo (4010 v1. 15) PROPRIEDADE Instituto

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE GRÂNDOLA REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO PARA O ENSINO SUPERIOR

CÂMARA MUNICIPAL DE GRÂNDOLA REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO PARA O ENSINO SUPERIOR CÂMARA MUNICIPAL DE GRÂNDOLA REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO PARA O ENSINO SUPERIOR Cap. I Disposições Gerais Artigo 1º Objeto O presente regulamento disciplina a atribuição de bolsas de

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ALUNOS DO ENSINO SUPERIOR RESIDENTES NO CONCELHO DE VILA VERDE

REGULAMENTO MUNICIPAL PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ALUNOS DO ENSINO SUPERIOR RESIDENTES NO CONCELHO DE VILA VERDE REGULAMENTO MUNICIPAL PARA ATRIBUIÇÃO DE BOLSAS DE ESTUDO A ALUNOS DO ENSINO SUPERIOR RESIDENTES NO CONCELHO DE VILA VERDE SERVIÇO DE EDUCAÇÃO JUNHO DE 2014 VILA VERDE MUNICÍPIO EDUCADOR ÍNDICE Preâmbulo

Leia mais

Despacho N.º 32/2015

Despacho N.º 32/2015 Despacho N.º 32/2015 Publicam-se, em anexo, os Regulamentos de Propinas dos Ciclos de Estudos (1.º, 2.º e 3.º) e Pós-Graduação para o ano letivo de 2015/2016. Lisboa, 16 de julho de 2015 O Diretor (Prof.

Leia mais

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE APOIOS SÓCIO-ECONÓMICOS AOS ALUNOS DO ENSINO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO

REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE APOIOS SÓCIO-ECONÓMICOS AOS ALUNOS DO ENSINO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO REGULAMENTO PARA ATRIBUIÇÃO DE APOIOS SÓCIO-ECONÓMICOS AOS ALUNOS DO ENSINO PRÉ-ESCOLAR E DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Os Municípios têm vindo a assumir, cada vez mais, um papel importante no domínio da

Leia mais

01 de abril de 2016 Republicação

01 de abril de 2016 Republicação Regulamento Geral dos Regimes de Reingresso e de Mudança de Par Instituição / Curso no Ensino Superior e do Concurso Especial de Acesso para Titulares de Cursos Superiores 2016 01 de abril de 2016 Republicação

Leia mais

Nome da Mãe: Data Nascimento: / / Estado Civil:

Nome da Mãe: Data Nascimento: / / Estado Civil: DATA DE INSCRIÇÃO / / ANO LETIVO SALA SAÍDA EM / / FICHA DE INSCRIÇÃO N.º ALUNO DADOS DA CRIANÇA Nome Completo: Nome por que é tratado: Data de Nascimento: / / Sexo: F M CC/Boletim Nascimento: NIF: NISS:

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DO CARTÃO OEIRAS SÉNIOR 65+ Preâmbulo

REGULAMENTO MUNICIPAL DO CARTÃO OEIRAS SÉNIOR 65+ Preâmbulo REGULAMENTO MUNICIPAL DO CARTÃO OEIRAS SÉNIOR 65+ Preâmbulo Considerando que nas últimas décadas temos vindo a assistir ao aumento dos índices de envelhecimento e de dependência das pessoas idosas entre

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA MUNICIPAL DE INCENTIVO À NATALIDADE

REGULAMENTO DO PROGRAMA MUNICIPAL DE INCENTIVO À NATALIDADE REGULAMENTO DO PROGRAMA MUNICIPAL DE INCENTIVO À NATALIDADE Preâmbulo Considerando: - A importância que a área do desenvolvimento social assume na acção do Município de São Pedro do Sul; - O interesse

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 407/XIII/2.ª

PROJETO DE LEI N.º 407/XIII/2.ª Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 407/XIII/2.ª SIMPLIFICA E PREVINE EVENTUAIS FRAUDES NA ATRIBUIÇÃO DO SUBSÍDIO SOCIAL DE MOBILIDADE ATRIBUÍDO A RESIDENTES NAS REGIÕES AUTÓNOMAS (Primeira alteração

Leia mais

ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO

ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS E ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO DO REQUERIMENTO O requerimento deve ser preenchido manualmente. Para este efeito utilize o

Leia mais

Regulamento sobre a atribuição de apoios para aquisição de medicação e do cartão municipal do idoso. Preâmbulo

Regulamento sobre a atribuição de apoios para aquisição de medicação e do cartão municipal do idoso. Preâmbulo Regulamento sobre a atribuição de apoios para aquisição de medicação e do cartão municipal do idoso Preâmbulo Os apoios sociais assumem particular relevância perante o atual panorama de fragilidade em

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Gabinete do Reitor

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Gabinete do Reitor REGULAMENTO DE PROPINAS As instituições de Ensino Superior prestam um serviço de ensino que deve ser qualitativamente exigente e adaptado aos objetivos de formação global do cidadão e de formação específica

Leia mais

FINALIZAÇÃO DE OBRAS CINEMATOGRÁFICAS

FINALIZAÇÃO DE OBRAS CINEMATOGRÁFICAS ANEXO IX PROGRAMA DE APOIO AO CINEMA SUBPROGRAMA DE APOIO À PRODUÇÃO, NA MODALIDADE DE APOIO À FINALIZAÇÃO DE OBRAS CINEMATOGRÁFICAS 1. Candidatos e beneficiários 1.1. Podem candidatar-se os produtores

Leia mais

REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS

REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS REQUERIMENTO PRESTAÇÕES POR ENCARGOS FAMILIARES ABONO DE FAMÍLIA PRÉ-NATAL E ABONO DE FAMÍLIA PARA CRIANÇAS E JOVENS INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO O requerimento deve ser preenchido manualmente.

Leia mais

UNIÃO DAS FREGUESIA DE RECARDÃES E ESPINHEL

UNIÃO DAS FREGUESIA DE RECARDÃES E ESPINHEL UNIÃO DAS FREGUESIA DE RECARDÃES E ESPINHEL REGULAMENTO DE INCENTIVO À NATALIDADE Página 1 de 7 Nota Justificativa Considerando que a diminuição da Natalidade é um problema premente e preocupante nas regiões

Leia mais

Regulamento de Apoio a Iniciativas Regulares ou Pontuais, de Natureza Educativa, Desportiva, Recreativa, Cultural, Social e Outras

Regulamento de Apoio a Iniciativas Regulares ou Pontuais, de Natureza Educativa, Desportiva, Recreativa, Cultural, Social e Outras Regulamento de Apoio a Iniciativas Regulares ou Pontuais, de Natureza Educativa, Desportiva, Recreativa, Cultural, Social e Outras 1 NOTA JUSTIFICATIVA O Município de Chaves entende como sendo de interesse

Leia mais

Alteração ao Regulamento Municipal de Concessão de Apoio Financeiro à Família

Alteração ao Regulamento Municipal de Concessão de Apoio Financeiro à Família MUNICfPIO DE MONTALEGRE Alteração ao Regulamento Municipal de Concessão de Apoio Financeiro à Família Considerando a crescente intervenção dos Municípios no âmbito das políticas de ação social, com vista,

Leia mais

Câmara Municipal da Lourinhã

Câmara Municipal da Lourinhã Câmara Municipal da Lourinhã Tarifas de Abastecimento de Água, de Saneamento e De Resíduos Sólidos Urbanos Capítulo I Tarifa Social O Município da Lourinhã propõe um novo tarifário de cariz social. As

Leia mais

Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo aos Alunos do Ensino Superior

Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo aos Alunos do Ensino Superior Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo aos Alunos do Ensino Superior Preâmbulo A Constituição da República Portuguesa define, no n.º 2 do Artigo 73.º, que o Estado promove a democratização

Leia mais