Aulas 1 a 2 Iluminismo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aulas 1 a 2 Iluminismo"

Transcrição

1 Aulas 1 a 2 Iluminism 1.Cnceit: 2. Quand: 3. Onde? Mviment filsófic, intelectual e científic que cntrariu as bases d Antig Regime. Se caracterizu pel empenh em estender a razã cm crítica e guia de tds s camps da experiência humana; Sécul XVIII; Inglaterra (iníci) França (auge); 4. Imprtante O iluminism representu basicamente a frma da burguesia interpretar mund. 5. Características básicas: Racinalism; A razã cm únic guia infalível para se chegar a cnheciment e à sabedria Cientificism; A valrizaçã d questinament, da investigaçã e da experimentaçã cm frma de cnheciment tant da natureza quant da sciedade, da plítica e da ecnmia Defesa das liberdades individuais. A crença ns direits naturais, à liberdade e à psse de bens materiais Antiabslutism; A defesa da liberdade plítica e ecnômica e da igualdade de tds perante a lei. Anticlericalism; O cnceit de univers cm uma máquina gvernada pr leis físicas que pdem ser determinadas e estudadas, nã se submetend a interferências de cunh divin.

2 6. Principais representantes d Iluminism: Precursres: A) Renê Descartes (FRA) Pai d pensament racinalista mdern. Descartes fundamenta-se na razã humana, a base deste sistema é Cgit, erg sum (Pens, lg exist) Sustenta que s elements fundamentais da razã sã expresss em quatr regras: Regra da evidência: Nã aclher jamais cm verdadeira uma cisa que nã se recnheça evidentemente cm tal, ist é, evitar a precipitaçã e precnceit. Regra da análise: Dividir cada uma das dificuldades em tantas partes necessárias para melhr reslvê-las. Regra da síntese: Ir d mais simples a mais cmplex. Regra da enumeraçã: Realizar sempre enumerações tã cuidadas e revisões gerais que se pssa ter certeza de nada haver mitid. B) JOHN LOCKE (ING): Cnsiderad Pai d Iluminism Defendia: Cnheciment = experiência e razã. Direits naturais e inalienáveis ds hmens: Vida, liberdade e prpriedade. LIBERALISMO POLÍTICO. Os gverns existem para preservar esses direits. Defesa da Mnarquia Parlamentar (Cnstitucinal).

3 7. Esclas Ecnômicas: A) LIBERALISMO Principal representante ADAM SMITH (ING): Defendia: B) FISIOCRACIA (FRA): Pai da ecnmia. Riqueza = trabalh Divisã d trabalh. Nã intervençã d Estad na Ecnmia. Livre cncrrência Lei da ferta e da prcura Versã francesa d liberalism ecnômic. Características: Nã intervençã d Estad na ecnmia. Riqueza = agricultura. Teórics destacads: Lema: QUESNAY, GOURNAY, MIRABEU, DUPONT E TURGOT. Laissez faire, laissez passer, le mnde va de lui-même (Deixai fazer, deixai passar, que mund anda pr si mesm). 8. PENSADORES POLÍTICOS: A) CHARLES LOUIS DE SECONDAT O BARÃO DE MONTESQUIEU (FRA): Principal bra: O ESPÍRITO DAS LEIS Submissã de TODOS perante a lei. Divisã de pderes: executiv, legislativ e judiciári. Harmnia e autnmia entre s pderes.

4 B) FRANÇOIS-MARIE AROUET VOLTAIRE (FRA): Crítica a cler e a mnarquia abslutista Defensr: A humanidade só será feliz n dia em que últim rei fr enfrcad nas tripas d últim padre.. Igualdade jurídica. Mnarquia ilustrada. Liberdade de expressã. C) DIDEROT e D ALEMBERT (FRA): Enciclpedistas. Pss nã cncrdar cm nenhuma das palavras que vcê disser, mas defenderei até a mrte direit de vcê dizê-las. Organizadres de uma enciclpédia de 33 vlumes, elabrada cm bjetiv de resumir s principais cnheciments da épca ns camps artístic, científic e filsófic. Defendia racinalism, a independência d Estad em relaçã à Igreja e a cnfiança n prgress human pr mei das realizações científicas D) JEAN-JACQUES ROUSSEAU (FRA): O mais imprtante e influente. Principal bra: O Cntrat Scial A sciedade e estad nascem d cnvêni entre as pessas, em benefíci de seus interesses cmuns. O sberan é própri pv. A fnte d pder emana d própri pv. Seu pensament difere ds teórics d iluminism; Criticava s pensadres que elevavam a razã à categria de uma verdadeira deusa. Era republican representu pensament das camadas ppulares da épca. Afirmava que a sciedade civil fundu-se na ideia de prpriedade privada e que essa é a rigem da desigualdade humana.

5 9. O Desptism Esclarecid: Cnceit: Objetiv: Defendia que a terra pertence a tds. Defendia a limitaçã ds tamanhs da prpriedade privada (tend em vista acreditar que esta é inevitável) Reis abslutistas que influenciads pels ideias iluministas prmvem refrmas em seus países, prém sem abdicar de seu imens pder. Tentativa de evitar rebeliões internas. PAÍS REI MEDIDAS ÁUSTRIA JOSÉ II Fim da servidã e relativa liberdade de imprensa RÚSSIA CATARINA II Criaçã d ensin leig e de uma Universidade em Mscu PRÚSSIA FREDERICO II Chamad rei filósf, eliminu as trturas em seu país e criu ensin brigatóri. PORTUGAL JOSÉ I (rientad pel ministr Pmbal) Cmbate a influência inglesa na ecnmia de seu país, incrementa a prduçã industrial e cmbate a influência plítica da Igreja n seu país atacand e expulsand s jesuítas d rein ESPANHA CARLOS III (rientad pel ministr Aranda) Reduziu a trtura e a influência da Inquisiçã n país e expulsu s jesuítas 10. Imprtância d Iluminism: Influenciu uma série de mviments na Eurpa e fra dela que abalam definitivamente Antig Regime a lng ds séculs XVIII e XIX. Exempl: Independência ds EUA e a Revluçã Francesa. Base d pensament cntemprâne em muitas sciedades cidentais, n que diz respeit a rganizaçã plítica, ecnômica e scial.

6 Fntes de pesquisa ANGLO: Ensin médi: livr text. Sã Paul: Angl, 2002 COTRIM, Gilbert. História Glbal: Brasil e Geral vlume únic. 8 ed. Sã Paul: Saraiva, GRINSCHPUN. Iair: Iluminism.pdf PETTA, Niclina Luiza de. et al. História: uma abrdagem integrada: vlume únic. Sã Paul: Mderna,

quarta-feira, 4 de maio de 2011 A CRISE DO ANTIGO REGIME O ILUMINISMO

quarta-feira, 4 de maio de 2011 A CRISE DO ANTIGO REGIME O ILUMINISMO A CRISE DO ANTIGO REGIME Definição: movimento filosófico, intelectual e científico que contrariou as bases do Antigo Regime; Quando: século XVIII; Onde? ING (início), FRA (auge); Quem? O iluminismo representou

Leia mais

ILUMINISMO. Prof.ª Maria Auxiliadora

ILUMINISMO. Prof.ª Maria Auxiliadora ILUMINISMO Prof.ª Maria Auxiliadora A CRISE DO ANTIGO REGIME O ILUMINISMO O Antigo Regime vigorou entre os séculos XVI a XVIII na maioria dos países europeus. Este período caracterizou-se pelo: poder absoluto

Leia mais

Cap. 11 Iluminismo Prof. Dawison Sampaio. Cap. 11- Iluminismo Prof. Dawison Sampaio

Cap. 11 Iluminismo Prof. Dawison Sampaio. Cap. 11- Iluminismo Prof. Dawison Sampaio Cap. 11- Iluminismo 1. Introdução a) As origens do Iluminismo podem ser encontradas na chamada revolução científica, do século XVII. b) Grande progresso na filosofia e na ciência (Física, Química, Matemática

Leia mais

1B Aula 01. O Iluminismo

1B Aula 01. O Iluminismo 1B Aula 01 O Iluminismo O contexto histórico em que surgiu o Iluminismo O Iluminismo foi acima de tudo uma revolução cultural porque propôs uma nova forma de entender a sociedade e significou uma transformação

Leia mais

O Século das Luzes HISTÓRIA 01 AULA 25 PROF. THIAGO

O Século das Luzes HISTÓRIA 01 AULA 25 PROF. THIAGO O Século das Luzes HISTÓRIA 01 AULA 25 PROF. THIAGO Contexto Revolução Científica do século XVII Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Crise do Antigo

Leia mais

1B Aula 01. O Iluminismo

1B Aula 01. O Iluminismo 1B Aula 01 O Iluminismo O contexto histórico em que surgiu o Iluminismo O Iluminismo foi acima de tudo uma revolução cultural porque propôs uma nova forma de entender a sociedade e significou uma transformação

Leia mais

ILUMINISMO. Prof.ª Maria Auxiliadora

ILUMINISMO. Prof.ª Maria Auxiliadora ILUMINISMO Prof.ª Maria Auxiliadora A CRISE DO ANTIGO REGIME O ILUMINISMO O Antigo Regime vigorou entre os séculos XVI a XVIII na maioria dos países europeus. Este período caracterizou-se pelo: poder absoluto

Leia mais

Aulas 4 a 6 Revolução Francesa

Aulas 4 a 6 Revolução Francesa Aulas 4 a 6 Revluçã Francesa 1. Cnceit Mviment scial e plític crrid na França n final d sécul XVIII que teve pr bjetiv principal derrubar Antig Regime e instaurar um Estad demcrátic que representasse e

Leia mais

O ILUMINISMO SÉCULO XVII - XVIII

O ILUMINISMO SÉCULO XVII - XVIII O ILUMINISMO SÉCULO XVII - XVIII ILUMINISMO: A BUSCA PELA RACIONALIDADE Somente pela razão os homens atingiriam o progresso, em todos os sentidos. A razão permitiria instaurar no mundo uma nova ordem,

Leia mais

As origens do Iluminismo

As origens do Iluminismo GISELE MASSON PPGE-UEPG As origens do Iluminismo O Iluminismo foi um conjunto de ideias que tiveram origem na Europa, no século XVII, e se desenvolveu especialmente no século XVIII, o qual ficou conhecido

Leia mais

Sobre a liberdade e a autoridade

Sobre a liberdade e a autoridade ILUMINISMO Sobre a liberdade e a autoridade "Nenhum homem recebeu da natureza o direito de comandar os outros. A liberdade é um presente do céu, e cada indivíduo da mesma espécie tem o direito de gozar

Leia mais

ILUMINISMO LUZ DA RAZÃO CONTRA AS TREVAS DA IGNORÂNCIA

ILUMINISMO LUZ DA RAZÃO CONTRA AS TREVAS DA IGNORÂNCIA ILUMINISMO LUZ DA RAZÃO CONTRA AS TREVAS DA IGNORÂNCIA Conceito: O Iluminismo foi um movimento ideológico do século XVIII, que defendeu a liberdade de expressão e o fim de todo regime opressor. O Iluminismo

Leia mais

Aula 31 - Movimentos sociais e políticos no século XIX - as ondas revolucionárias

Aula 31 - Movimentos sociais e políticos no século XIX - as ondas revolucionárias Aula 31 - Mviments sciais e plítics n sécul XIX - as ndas revlucinárias CONTEXTO Derrta de Napleã Bnaparte (Napleã I) Restauraçã d Abslutism (Cngress de Viena) Cnsequência Cnjunt de revltas crridas na

Leia mais

Aula 35 O Segundo Reinado brasileiro (1840-1889): a política externa

Aula 35 O Segundo Reinado brasileiro (1840-1889): a política externa Aula 35 O Segund Reinad brasileir (1840-1889): a plítica externa 1 - CONFLITOS PLATINOS: Causa básica: Cntrle da navegaçã na Bacia d Prata. Causas secundárias: Disputas territriais e enfraqueciment de

Leia mais

Iluminismo. Prof. Victor Creti Bruzadelli

Iluminismo. Prof. Victor Creti Bruzadelli Prof. Victor Creti Bruzadelli Contexto histórico: Fortalecimento dos Estados Nacionais Modernos; Aumento das contradições do Antigo Regime: Absolutismo; Sociedade de ordens; Mercantilismo; Poder da Igreja.

Leia mais

Definição O Iluminismo (também conhecido como Ilustração ou Esclarecimento) foi um movimento intelectual e filosófico que teve origens na Inglaterra d

Definição O Iluminismo (também conhecido como Ilustração ou Esclarecimento) foi um movimento intelectual e filosófico que teve origens na Inglaterra d Definição O Iluminismo (também conhecido como Ilustração ou Esclarecimento) foi um movimento intelectual e filosófico que teve origens na Inglaterra durante o século XVIII. Definição As ideias defendidas

Leia mais

Contexto. Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton. Concepção racionalista do mundo Leis Naturais

Contexto. Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton. Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Revolução Científica do século XVII Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Contexto Crise do Antigo Regime Questionamento dos privilégios do Clero

Leia mais

Guerra Civil (1642-1648)

Guerra Civil (1642-1648) Prof. Thiago Revolução Inglesa Governo Despótico de Carlos I (1625-1648) Petição de Direitos (1628) Exigência do Parlamento Cobrança do ship money em cidades do interior desobediência ao Parlamento Guerra

Leia mais

O ILUMINISMO 8º ANO. Prof. Augusto e Marcos Antunes

O ILUMINISMO 8º ANO. Prof. Augusto e Marcos Antunes O ILUMINISMO 8º ANO Prof. Augusto e Marcos Antunes O ILUMINISMO Movimento que justificou a ascensão da burguesia ao poder político O Iluminismo foi um movimento intelectual, ocorrido na Europa, principalmente

Leia mais

Cinco sentidos da Economia Social. Américo M. S. Carvalho Mendes

Cinco sentidos da Economia Social. Américo M. S. Carvalho Mendes Cinc sentids da Ecnmia Scial Améric M. S. Carvalh Mendes ATES Área Transversal de Ecnmia Scial Universidade Católica Prtuguesa Prt 29 de Nvembr de 2015 Améric M. S. Carvalh Mendes Cinc sentids da Ecnmia

Leia mais

(Uepg 2010) O liberalismo é uma corrente de pensamento econômico e político que se originou no século XVIII. A seu respeito, assinale o que for

(Uepg 2010) O liberalismo é uma corrente de pensamento econômico e político que se originou no século XVIII. A seu respeito, assinale o que for (Uepg 2010) O liberalismo é uma corrente de pensamento econômico e político que se originou no século XVIII. A seu respeito, assinale o que for correto. 01) A Riqueza das Nações, livro escrito pelo inglês

Leia mais

O iluminismo ou Século das luzes

O iluminismo ou Século das luzes O iluminismo ou Século das luzes Início O contexto histórico em que surgiu o Iluminismo Burguesia e Iluminismo As luzes da razão O que o iluminismo defendia O que o iluminismo combatia Os pensadores iluministas

Leia mais

Aulas 16 e 17 A independência da América Espanhola

Aulas 16 e 17 A independência da América Espanhola Aulas 16 e 17 A independência da América Espanhla 1 - A independência da América Espanhla Cnceit: Quand: A) Fatres externs: Prcess de libertaçã das clônias espanhlas. Aprximadamente entre 1810 e 1830.

Leia mais

5 O LIBERALISMO IDEOLOGIA E REVOLUÇÃO, MODELOS E PRÁTICAS NOS SÉCULOS XVIII E XIX 4. O LEGADO DO LIBERALISMO NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XIX

5 O LIBERALISMO IDEOLOGIA E REVOLUÇÃO, MODELOS E PRÁTICAS NOS SÉCULOS XVIII E XIX 4. O LEGADO DO LIBERALISMO NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XIX 1. O liberalismo, uma ideologia centrada na defesa dos direitos humanos Liberalismo - opõe-se ao absolutismo e às tiranias - defende liberdade de iniciativa económica - promove a burguesia - defende os

Leia mais

Foi um movimento intelectual que surgiu durante o século XVIII na Europa, que defendia o uso da razão (luz) contra o Antigo Regime (trevas) e pregava

Foi um movimento intelectual que surgiu durante o século XVIII na Europa, que defendia o uso da razão (luz) contra o Antigo Regime (trevas) e pregava Foi um movimento intelectual que surgiu durante o século XVIII na Europa, que defendia o uso da razão (luz) contra o Antigo Regime (trevas) e pregava maior liberdade econômica e política. Antigo Regime:

Leia mais

Puras e Impuras depende da qualidade exercida. 8) Quais são as concentrações de poder segundo Aristóteles?

Puras e Impuras depende da qualidade exercida. 8) Quais são as concentrações de poder segundo Aristóteles? Plitica Módul 01 Crreçã 1) Qual é significad de plítica para Platã? a verdadeira arte plítica é a arte que cura a alma. 2) Para Platã quem pde se trnar plític? É smente quand filsf trna-se plític, u vice-

Leia mais

Aulas 26 a 29 A Europa no século XIX

Aulas 26 a 29 A Europa no século XIX Aulas 26 a 29 A Eurpa n sécul XIX CONTEXTO Derrta de Napleã Bnaparte (Napleã I) Restauraçã d Abslutism (Cngress de Viena) Cnsequência Cnjunt de revltas crridas na Eurpa até an de 1848 Causas básicas: Crises

Leia mais

O PENSAMENTO MODERNO

O PENSAMENTO MODERNO GISELE MASSON PPGE-UEPG RENASCIMENTO SÉC. XV XVI: radicalização de progressos feitos nos séculos precedentes. O mais adequado é usar a expressão aparecimento, afloramento da modernidade. (CHÂTELET, 1994).

Leia mais

A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E O LIBERALISMO ECONÔMICO

A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E O LIBERALISMO ECONÔMICO A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E O LIBERALISMO ECONÔMICO Na segunda metade do século XVIII, a Inglaterra iniciou um processo que teve consequências em todo o mundo. Esse novo sistema de produção modificou as relações

Leia mais

Aula 19 Brasil Império: o Primeiro Reinado (1822 1831) A monarquia autoritária

Aula 19 Brasil Império: o Primeiro Reinado (1822 1831) A monarquia autoritária Aula 19 Brasil Impéri: Primeir Reinad (1822 1831) A mnarquia autritária 1. Assembléia Cnstituinte de 1823 Já havia sid cnvcada na regência de D. Pedr (03/06/1822) Abertura da Assembléia Cnstituinte (03/05/1823)

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DE ECONOMIA

PLANIFICAÇÃO DE ECONOMIA Módul 5 O ESTADO E A ATIVIDADE ECONÓMICA 1- Estad nçã e Apresentar a nçã de Estad Expsiçã ral Avaliaçã d prcess de 32 funções Trabalhs de grup trabalh: grelhas de Nçã Caraterizar as funções d Leitura e

Leia mais

Resumos Soltos Geografia 9º ano. Unidade 1: Contrastes de Desenvolvimento. 1.2 Interdependência entre espaços com diferentes níveis de desenvolvimento

Resumos Soltos Geografia 9º ano. Unidade 1: Contrastes de Desenvolvimento. 1.2 Interdependência entre espaços com diferentes níveis de desenvolvimento Unidade 1: Cntrastes de Desenvlviment 1.2 Interdependência entre espaçs cm diferentes níveis de desenvlviment Os principais países em desenvlviment surgem de antigas clónias eurpeias. Principais bstáculs

Leia mais

Aulas 68 e 69 O Nazi fascismo

Aulas 68 e 69 O Nazi fascismo Aulas 68 e 69 O Nazi fascism 1. Cnceit: Tip de gvern ttalitári característic n períd entre guerras (1918 1939). 2. Onde? Itália, Prtugal e Espanha (Fascism) Alemanha (Nazism) 3. Características básicas:

Leia mais

Colégio Avanço de Ensino Programado

Colégio Avanço de Ensino Programado α Colégio Avanço de Ensino Programado Trabalho Bimestral 1º Semestre - 1º Bim. /2016 Nota: Professor (a): Alessandra Disciplina: História Turma: 2ª Série Ensino Médio Nome: Nº: Atividade deverá ser entregue

Leia mais

Colégio Avanço de Ensino Programado

Colégio Avanço de Ensino Programado α Colégio Avanço de Ensino Programado Trabalho de Recuperação1º Semestre - 1º Bim. /2016 Nota: Professor (a): Alessandra Disciplina: História Turma: 2ª Série Ensino Médio Nome: Nº: ORIENTAÇÕES PARA DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Sinopse das entrevistas realizadas aos agentes sociais ligados à velhice (Dirigentes, técnicos e auxiliares de acção directa)

Sinopse das entrevistas realizadas aos agentes sociais ligados à velhice (Dirigentes, técnicos e auxiliares de acção directa) Sinpse das entrevistas realizadas as agentes sciais ligads à velhice (Dirigentes, técnics e auxiliares de acçã directa) Dimensã 1 Experiência e trabalh n lar Prblemáticas Entrevistad A19 Análise Temp de

Leia mais

SIC Gerenciando Através s da Confiabilidade. Fabiana Pereira da Silva Vale

SIC Gerenciando Através s da Confiabilidade. Fabiana Pereira da Silva Vale SIC 2013 Gerenciand Através s da Cnfiabilidade Fabiana Pereira da Silva Vale Intrduçã Atualmente as empresas de mineraçã vivem num cenári parecid cm s estudads e bservads pr Adam Smith e Frederick Taylr

Leia mais

O Iluminismo. defesa dos ideais de liberdade, igualdade, tolerância e justiça. Frontispício da Enciclopédia (1772)

O Iluminismo. defesa dos ideais de liberdade, igualdade, tolerância e justiça. Frontispício da Enciclopédia (1772) O Iluminismo Movimento cultural e filosófico que se desenvolveu na Europa, no século XVIII (Século das Luzes), e que se caracterizou pela afirmação do valor da Razão e do conhecimento para atingir o progresso;

Leia mais

O Papel dos Tipos de Regulação em Mercados de Eletricidade

O Papel dos Tipos de Regulação em Mercados de Eletricidade O Papel ds Tips de Regulaçã em Mercads de Eletricidade Seminári Treinament de CNELEC Instituções e Relações Regulatórias Maput, Mçambi que 20 de agst, 2009 Ashley C. Brwn Executive Directr, Harvard Electricity

Leia mais

GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO

GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO ENSINO MÉDIO SÉRIE: 3ª TURMAS:ABC ETAPA:2ª ANO: 2017 PROFESSOR(A): CÁSSIO LIMA ALUNO(A): Nº: I INTRODUÇÃO Este rteir tem cm bjetiv rientá-l ns estuds de recuperaçã. Ele

Leia mais

ILUMINISMO MARCOS ROBERTO

ILUMINISMO MARCOS ROBERTO Filósofos Iluministas reunidos no salão de madame Geoffrin. Óleo sobre tela de Anicet-Charles Lemonnier, 1812 Fonte: História Viva ILUMINISMO MARCOS ROBERTO DEFINIÇÃO Corrente de pensamento dominante no

Leia mais

O CONHECIMENTO CIENTÍFICO SOBRE A SOCIEDADE

O CONHECIMENTO CIENTÍFICO SOBRE A SOCIEDADE O CONHECIMENTO CIENTÍFICO SOBRE A SOCIEDADE 1. O homem como produtor de conhecimento 2. O conhecimento, tipos de conhecimento e a ciência 3. A construção da Sociologia como ciência 4. O que é um fato social,

Leia mais

Aulas 3 e 4 - Antiguidade Ocidental - Roma

Aulas 3 e 4 - Antiguidade Ocidental - Roma Aulas 3 e 4 - Antiguidade Ocidental - Rma 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS: Península itálica (Láci); Ri Tibre; Sl fértil desenvlviment da agricultura; Litral puc recrtad ausência de prts naturais em abundância;

Leia mais

... Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano Universidade Federal de Pernambuco

... Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Urbano Universidade Federal de Pernambuco Prgrama de Pós-graduaçã em Desenvlviment Urban Universidade Federal de Pernambuc TEORIA DO PLANEJAMENTO E DA GESTÃO URBANA EMENTA DA DISCIPLINA: A disciplina se prpõe analisar quadr de planejament e gestã

Leia mais

Aulas 45 e 46 O Imperialismo no século XIX

Aulas 45 e 46 O Imperialismo no século XIX Aulas 45 e 46 O Imperialism n sécul XIX 1. Cnceit: 2. Onde? Dmíni de vastas áreas d planeta pr parte de nações industrializadas (ING, FRA, HOL, BEL, ALE, ITA, JAP, EUA, RUS). África e Ásia (Neclnialism)

Leia mais

Iluminismo. Prof. Diego Gomes

Iluminismo. Prof. Diego Gomes Iluminismo Prof. Diego Gomes E-mail: diegogomes.historia@gmail.com John Locke (1632-1704) Defesa do direito natural: vida, liberdade e propriedade Governo e sociedade civil é uma construção ou contrato

Leia mais

observe a imagem... Praça dos três poderes em Brasília (DF) Você conhece este lugar? O que a imagem representa?

observe a imagem... Praça dos três poderes em Brasília (DF) Você conhece este lugar? O que a imagem representa? O Iluminismo Imagem:Mario Roberto Durán Ortiz/ Public Domain observe a imagem... Praça dos três poderes em Brasília (DF) Você conhece este lugar? O que a imagem representa? Após a leitura da imagem, descobrimos

Leia mais

REGULAMENTO 1ª EDICÃO PRÉMIO FOOD FAB LAB

REGULAMENTO 1ª EDICÃO PRÉMIO FOOD FAB LAB REGULAMENTO 1ª EDICÃO PRÉMIO FOOD FAB LAB O TAGUSVALLEY assume um papel fundamental cm agente dinamizadr da invaçã e ecnmia da regiã e prcura as cndições necessárias para que as atividades ecnómicas sejam

Leia mais

Psicologia Sócio-Interacionista Próxima

Psicologia Sócio-Interacionista Próxima Psiclgia Sóci-Interacinista Próxima Teria sóci-históric-cultural d desenvlviment das funções mentais superires. Inicie a leitura clicand em Próxima n cant superir direit da tela, u utilize menu à sua esquerda

Leia mais

CRIMES. DICiITAL. n,. Editor~ NO MEIO AMBIENTE .., 1'1. Celso Antonio Pacheco Fiorillo Christiany Pegorari Conte. ~ Saraiva B22. !

CRIMES. DICiITAL. n,. Editor~ NO MEIO AMBIENTE .., 1'1. Celso Antonio Pacheco Fiorillo Christiany Pegorari Conte. ~ Saraiva B22. ! .., 1'1 I'IJ!li 111 ll I- IA ~ - CRIMES NO MEIO AMBIENTE DICiITAL Cels Antni Pachec Firill Christiany Pegrari Cnte B22 @ n,. Editr~ ~ Saraiva SUMARIO,. - ', CAP(TULO 1 - DO MEIO AMBIENTE DIGITAL... 11

Leia mais

Ciência Política - I. O Iluminismo a Teoria do Contrato Social e as origens da desigualdade entre os homens em Jean Jacques Rousseau

Ciência Política - I. O Iluminismo a Teoria do Contrato Social e as origens da desigualdade entre os homens em Jean Jacques Rousseau Ciência Política - I O Iluminismo a Teoria do Contrato Social e as origens da desigualdade entre os homens em Jean Jacques Rousseau Nasceu em : (Genebra, 28 de Junho de 1712 Ermenonville, 2 de Julho de

Leia mais

Contribuição de Oliveira Vianna para a Sociologia Política brasileira

Contribuição de Oliveira Vianna para a Sociologia Política brasileira Cntribuiçã de Oliveira Vianna para a Scilgia Plítica brasileira [ Cmentáris a trabalh de Ricard Silva 1 Valmr Schichet 1 c a) E I nicialmente, gstaria de agradecer a prtunidade de participar deste debate

Leia mais

PROFESSOR (A): ASSINATURA DOS PAIS E/ OU RESPONSAVEIS:

PROFESSOR (A): ASSINATURA DOS PAIS E/ OU RESPONSAVEIS: NOME: DATA: TURMA: 8º PROFESSOR (A): ASSINATURA DOS PAIS E/ OU RESPONSAVEIS: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO 1º TRI DISCIPLINA: História NOTA: 1- "Todo o poder vem de Deus. Os governantes, pois, agem como ministros

Leia mais

Pobreza, Exclusão e Políticas Públicas inclusivas para a Infância

Pobreza, Exclusão e Políticas Públicas inclusivas para a Infância Clóqui Dinâmicas Actuais da Pbreza e da Exclusã Scial Cnceptualizações, Plíticas e Intervenções Assciaçã Prtuguesa de Scilgia 25 de Nvembr de 2010 Lisba Pbreza, Exclusã e Plíticas Públicas inclusivas para

Leia mais

13/02/2015 GP II 1. Tópicos. A organização industrial do trabalho foi gerada a partir de conflitos entre trabalhadores e patrões.

13/02/2015 GP II 1. Tópicos. A organização industrial do trabalho foi gerada a partir de conflitos entre trabalhadores e patrões. Tópics pg 1. Mviments Flexibilizadres das Relações d Trabalh 2 2. A regulamentaçã d trabalh n Brasil 4 3. Legislaçã Trabalhista 7 4. A Relaçã de Empreg 8 5. Outras frmas de cntrataçã: Autônm 10 6. Outras

Leia mais

DE CONFISSÃO LUTERANA: seguimos os princípios da Reforma Protestante, liderada por Martim Lutero.

DE CONFISSÃO LUTERANA: seguimos os princípios da Reforma Protestante, liderada por Martim Lutero. Igreja Evangélica de Cnfissã Luterana n Brasil IGREJA: é a cmunhã de pessas que cnfessam a mesma fé n trin Deus e assumem mesm bjetiv de vivenciar e testemunhar a palavra de Deus. EVANGÉLICA: nssa fé é

Leia mais

ILUMINISMO. sociais que contribuíram para mudanças ou rupturas em processos de disputa pelo poder.

ILUMINISMO. sociais que contribuíram para mudanças ou rupturas em processos de disputa pelo poder. ILUMINISMO HABILIDADE 13 A li t ã d i t HABILIDADE 13 - Analisar a atuação dos movimentos sociais que contribuíram para mudanças ou rupturas em processos de disputa pelo poder. Conceito Também denominado

Leia mais

Recordando algumas reflexões racionalistas: Descartes, Leibniz e Espinosa enalteceram a racionalidade humana. A razão é a única fonte de conhecimento

Recordando algumas reflexões racionalistas: Descartes, Leibniz e Espinosa enalteceram a racionalidade humana. A razão é a única fonte de conhecimento ILUMINISMO E O PENSAMENTO MODERNO A LUZ DA RAZÃO A razão no Iluminismo Recordando algumas reflexões racionalistas: Descartes, Leibniz e Espinosa enalteceram a racionalidade humana. A razão é a única fonte

Leia mais

Revoluções, ideias e transformações econômicas do século XIX. Profª Ms. Ariane Pereira

Revoluções, ideias e transformações econômicas do século XIX. Profª Ms. Ariane Pereira Revoluções, ideias e transformações econômicas do século XIX Profª Ms. Ariane Pereira As transformações na Europa final do século XVIII Ideias Iluministas: liberdade e igualdade; Revolução Francesa estabeleceu

Leia mais

Geografia. Matemática. Cronograma de Atividades 1º Bimestre - 6º Ano / E.F Data Pontuação Atividade Descrição Observação

Geografia. Matemática. Cronograma de Atividades 1º Bimestre - 6º Ano / E.F Data Pontuação Atividade Descrição Observação Crngrama de Atividades 1º Bimestre - 6º An / E.F. - 2017 Gegrafia 31/03 4,0 Avaliaçã Mensal Individual e sem cnsulta Exercícis Psitiv ON 03/04 Tarefas / Dever Em casa: cm cnsulta, a términ de cada unidade

Leia mais

Marcadores Sociais Douglas Blanco

Marcadores Sociais Douglas Blanco Marcadres Sciais Duglas Blanc Os Marcadres Desigualdade de Classe; Desigualdade de Gêner; Desigualdade de Geraçã; Desigualdade Racial; Desigualdade de Orientaçã Sexual; Desigualdade de Classe Distribuiçã

Leia mais

Primeira Intervenção (Oradores)

Primeira Intervenção (Oradores) Oeiras, Ambiente e Mei Urban - Relatóri da Sessã Cm bjectiv de trnar prcess de revisã d PDM Oeiras numa prtunidade de definir um cnjunt de estratégias e linhas de acçã sólidas e eficazes na cncretizaçã,

Leia mais

Formação da Economia Global

Formação da Economia Global Formação da Economia Global *Capitalismo Comercial Séculos XV e XVI Expansão Comercial Renascimento (arte, cultura, filosofia e ciências, século XIII a XVI) Matéria- prima MercanGlismo metais preciosos

Leia mais

A FLORESTA DE QUE PRECISAMOS...

A FLORESTA DE QUE PRECISAMOS... A FLORESTA DE QUE PRECISAMOS... SUMÁRIO EXECUTIVO DAS CONCLUSÕES 17 DE OUTUBRO DE 2016 ENQUADRAMENTO O Clégi de Engenharia Flrestal da Ordem ds Engenheirs, em clabraçã cm a Universidade de Lisba, a Universidade

Leia mais

Revista Orbe 1 (Campanha Parâmetros)

Revista Orbe 1 (Campanha Parâmetros) RESUMO Intercm Sciedade Brasileira de Estuds Interdisciplinares da Cmunicaçã Revista Orbe 1 (Campanha Parâmetrs) Janne Alves de SOUZA 2 Caren Dias ALMEIDA 3 Darlan Harn Pereira DIONÍSIO 4 Gisele Harumi

Leia mais

Cronograma de Atividades 2º Bimestre - 7º Ano / E.F Data de Pontuação Atividade Descrição Observação

Cronograma de Atividades 2º Bimestre - 7º Ano / E.F Data de Pontuação Atividade Descrição Observação Crngrama de Atividades 2º Bimestre - 7º An / E.F. - 2017 Gegrafia Data da Pntuaçã Atividade Descriçã Observaçã realizaçã 08/06 4,0 Avaliaçã Mensal Individual e sem cnsulta. 23/05 3,0 Trabalh d filme: Um

Leia mais

1- As matrizes clássicas do Estado de Direito - Características comuns 2- O Rule of Law Britânico

1- As matrizes clássicas do Estado de Direito - Características comuns 2- O Rule of Law Britânico 1- As matrizes clássicas do Estado de Direito - Características comuns 2- O Rule of Law Britânico Profa. Nina Ranieri 15/09/2017 1 Plano de aula I - Introdução As matrizes clássicas do Estado de Direito

Leia mais

Incidências subjetivas na Agricultura Familiar.

Incidências subjetivas na Agricultura Familiar. XXVII Cngres de la Asciación Latinamericana de Scilgía. VIII Jrnadas de Scilgía de la Universidad de Buens Aires. Asciación Latinamericana de Scilgía, Buens Aires, 2009. Incidências subjetivas na Agricultura

Leia mais

Cronograma de Atividades 1º Bimestre - 8º Ano / E.F

Cronograma de Atividades 1º Bimestre - 8º Ano / E.F Crngrama de Atividades 1º Bimestre - 8º An / E.F. - 2017 Gegrafia Pntuaçã Atividade Descriçã Observaçã 31/03 4,0 Mensal Individual e sem cnsulta 3,0 Exercícis Psitiv ON 03/04 3,0 Tarefas / Dever 03/04

Leia mais

ILUMINISMO (Séc. XVII e XVIII)

ILUMINISMO (Séc. XVII e XVIII) ILUMINISMO (Séc. XVII e XVIII) Corrente política, intelectual e filosófica de clara influência burguesa que se desenvolveu, inicialmente, na Inglaterra do século XVII e, posteriormente, atingiu toda a

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

A escola inclusiva e a formação de educadores: reflexões preliminares

A escola inclusiva e a formação de educadores: reflexões preliminares 3 PONTO DE VISTA A escla inclusiva e a frmaçã de educadres: reflexões preliminares Dra. Rberta Gai 1 Há muit temp tem se falad numa refrma esclar, mas puc tem sid feit para que iss crra. As crianças, de

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 6 ANO

ENSINO FUNDAMENTAL CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 6 ANO ENSINO FUNDAMENTAL Cruzeir 3213-3838 Octgnal 3213-3737 www.ciman.cm.br CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 6 ANO Brasília, 5 de agst de 2015. Car alun, Segue a agenda d 3º bimestre. Nela, vcê encntra infrmações imprtantes

Leia mais

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geração de Guias para ST, DIFAL e FCP

CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geração de Guias para ST, DIFAL e FCP CATÁLOGO DE APLICAÇÕES Geraçã de Guias para ST, DIFAL e FCP 1. Objetivs Gerar títuls n cntas a pagar cm ttal de ICMS-ST, DIFAL e/u FCP das ntas fiscais de saída. Página 2 de 6 2. Requisits 2.1. RF01 Geraçã

Leia mais

A. Temas de campanha... 2 B. Conhecimento da data das eleições e interesse... 3 C. Probabilidade de votar... 4

A. Temas de campanha... 2 B. Conhecimento da data das eleições e interesse... 3 C. Probabilidade de votar... 4 Direcçã-Geral da Cmunicaçã Direcçã C - Relações cm s Cidadãs UNIDADE SONDAGENS DE OPINIÃO ELEIÇÕES EUROPEIAS 2009 11/12/2008 Eurbarómetr standard (EB 70 1 ) Outn 2008 Primeirs resultads: média eurpeia

Leia mais

O Discurso de Ramsay, seus desdobramentos

O Discurso de Ramsay, seus desdobramentos O Discurso de Ramsay, seus desdobramentos . Valdemar José dos Santos Filho A O Discurso de Ramsay, seus desdobramentos São Paulo 2017 2017. Valdemar José dos Santos Filho Todos os direitos reservados.

Leia mais

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: HISTÓRIA EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARCIAL

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: HISTÓRIA EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARCIAL INSTITUTO GEREMARIO DANTAS Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Fone: (21) 21087900 Rio de Janeiro RJ www.igd.com.br Aluno(a): 3º Ano: C31 Nº Professor: Roberto Nascimento COMPONENTE CURRICULAR:

Leia mais

Blog: Banco de Questões : REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E REVOLUÇÃO FRANCESA LISTA DE EXERCÍCIOS

Blog:  Banco de Questões : REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E REVOLUÇÃO FRANCESA LISTA DE EXERCÍCIOS Blog: WWW.PROFTACIUSFERNANDES.WORDPRESS.COM Banco de Questões : tacius_f@hotmal.com REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E REVOLUÇÃO FRANCESA LISTA DE EXERCÍCIOS 1) "O processo histórico que levou à substituição das ferramentas

Leia mais

Plano de Recuperação Semestral 1º Semestre 2017

Plano de Recuperação Semestral 1º Semestre 2017 Disciplina: HISTÓRIA Série/Ano: 8º ANO Professores: Flávio, Maurício e Silvio Objetivo: Proporcionar ao aluno a oportunidade de resgatar os conteúdos trabalhados durante o 1º semestre nos quais apresentou

Leia mais

3. VISÃO DE FUTURO E ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DE LONGO PRAZO

3. VISÃO DE FUTURO E ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DE LONGO PRAZO 3. VISÃO DE FUTURO E ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO DE LONGO PRAZO 47 48 3.1. VISÃO DE FUTURO DO MAIS RN PARA 2035 A classe empresarial ptiguar apresenta para a sciedade uma Visã de Futur usada e desafiadra.

Leia mais

V SEMANA INTEGRADA: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

V SEMANA INTEGRADA: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE V SEMANA INTEGRADA: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DATA DE REALIZAÇÃO DO EVENTO: 19 a 23 de junh de 2017. A prpsta da V Semana Integrada: Ensin, Pesquisa e Extensã visa prtunizar

Leia mais

Apresentação Sauter Ibérica. Creating Sustainable Environments.

Apresentação Sauter Ibérica. Creating Sustainable Environments. Apresentaçã Sauter Ibérica Creating Sustainable Envirnments. Através das nssas sluções aumentams a eficiência energética tend sempre cm precupaçã a prteçã ambiental. Assumims a respnsabilidade pr cntribuir

Leia mais

Qual é o ponto de humor da charge abaixo? SOCIALISMO

Qual é o ponto de humor da charge abaixo? SOCIALISMO Qual é o ponto de humor da charge abaixo? SOCIALISMO SOCIALISMO SOCIALISMO A História das Ideias Socialistas possui alguns cortes de importância. O primeiro deles é entre os socialistas Utópicos e os socialistas

Leia mais

Iluminismo IDADE MODERNA

Iluminismo IDADE MODERNA IDADE MODERNA Iluminismo Movimento cultural que se desenvolveu na Inglaterra, Holanda e França, e se espalhou por várias partes do Mundo, nos séculos XVII e XVIII. Nessa época, o desenvolvimento intelectual,

Leia mais

Primeiros resultados 27/11/2013. Ano Internacional da Estatística 1

Primeiros resultados 27/11/2013. Ano Internacional da Estatística  1 INQUÉRITO À FECUNDIDADE 2013 Primeirs resultads 27/11/2013 2013 An Internacinal da Estatística www.statistics2013.rg 1 O Institut Nacinal de Estatística realizu, em 2013, Inquérit à Fecundidade, cuj principal

Leia mais

Biografia de Augusto Comte

Biografia de Augusto Comte Biografia de Augusto Comte Augusto Comte nasceu em 19 de janeiro de 1798, em Montpellier, e faleceu em 5 de setembro de 1857, em Paris. Filósofo e auto-proclamado líder religioso, deu à ciência da Sociologia

Leia mais

8.º ANO ENSINO BÁSICO HISTÓRIA ANA FILIPA MESQUITA CLÁUDIA VILAS BOAS

8.º ANO ENSINO BÁSICO HISTÓRIA ANA FILIPA MESQUITA CLÁUDIA VILAS BOAS 8.º ANO ENSINO BÁSICO HISTÓRIA ANA FILIPA MESQUITA CLÁUDIA VILAS BOAS DOMÍNIO E EXPANSÃO E MUDANÇA DOS SÉCULOS XV E XVI DOMÍNIO F O CONTEXTO EUROPEU DOS SÉCULOS XVII E XVIII ÍNDICE 2 Renasciment, expansinism

Leia mais

ARTESANATO MANUFATURA PRODUÇÃO INDUSTRIAL FERRA- MENTAS MANUAIS DIVISÃO DO TRABALHO FERRAMENTAS MECÂNICAS INDIVIDUAL TRABALHO

ARTESANATO MANUFATURA PRODUÇÃO INDUSTRIAL FERRA- MENTAS MANUAIS DIVISÃO DO TRABALHO FERRAMENTAS MECÂNICAS INDIVIDUAL TRABALHO Definição: conjunto de transformações técnicas, econômicas e sociais caracterizadas pela substituição da energia física pela mecânica, da ferramenta pela máquina e da manufatura pela fábrica. ARTESANATO

Leia mais

O Mercado de Valores Mobiliários e o Desenvolvimento Económico. União dos Escritores Angolanos

O Mercado de Valores Mobiliários e o Desenvolvimento Económico. União dos Escritores Angolanos O Mercad de Valres Mbiliáris e Desenvlviment Ecnómic Uniã ds Escritres Anglans 10 de Agst de 2016 Objectivs Objectiv Geral Cmpreender papel d Mercad de Valres Mbiliáris n desenvlviment ecnómic Objectivs

Leia mais

ILUMINISMO, ILUSTRAÇÃO OU FILOSOFIA

ILUMINISMO, ILUSTRAÇÃO OU FILOSOFIA O ILUMINISMO ILUMINISMO, ILUSTRAÇÃO OU FILOSOFIA DAS LUZES Começou na Inglaterra e se estendeu para França, principal produtor e irradiador das ideias iluministas. Expandiu-se pela Europa, especialmente

Leia mais

Crise do Sistema Colonial: Rebeliões Coloniais e Tentativas de Emancipação

Crise do Sistema Colonial: Rebeliões Coloniais e Tentativas de Emancipação Aula 6 Crise do Sistema Colonial: Rebeliões Coloniais e Tentativas de Emancipação 1 O declínio colonial Setor 1605 2 A crise do Sistema Colonial ealvespr@gmail.com Contexto 1.1 O Declínio Colonial no Brasil

Leia mais

PROCEDIMENTO CORPORATIVO DIVISÃO DE CRÉDITO E COBRANÇA TÍTULO: ANÁLISE DE DOCUMENTAÇÃO GOVERNO SEGMENTO TOP E PME

PROCEDIMENTO CORPORATIVO DIVISÃO DE CRÉDITO E COBRANÇA TÍTULO: ANÁLISE DE DOCUMENTAÇÃO GOVERNO SEGMENTO TOP E PME TÍTULO: PC 2 1/9 Objetiv: Apresentar as regras gerais para análise da dcumentaçã de pedids prvenientes d segment Gvern da carteira TOP e PME. Abrangência: Nacinal Cnceit Licitar Hmlgar Adjudicar ferecer

Leia mais

Assembléia Le islativa do Estado de Rondôni

Assembléia Le islativa do Estado de Rondôni Recebid, Autue-se e Inclua em pauta. Assembléia Le islativa d Estad de Rndôni ọ...j c, ATOR: ESTADO DE RONDÔNIA Assembléia Leail?tiva 1 2 MAl 2015 Prll: j q6'! 5-,--_ TADO AELCIO DA TV - PP Prcess: J1().

Leia mais

TESTES DE SOFTWARE.

TESTES DE SOFTWARE. TESTES DE SOFTWARE Definições... Cntext de desenvlviment... Quem participa? Imprtância: www.treinaweb.cm.br/curss-nline/testes-e-prjets http://www.tiexames.cm.br/nvsite2015/curs_teste_sftware_ctfl.php

Leia mais

Universidade Federal de Sergipe Programa de Pós-graduação em Enfermagem Mestrado Acadêmico em Enfermagem

Universidade Federal de Sergipe Programa de Pós-graduação em Enfermagem Mestrado Acadêmico em Enfermagem Universidade Federal de Sergipe Prgrama de Pós-graduaçã em Enfermagem Mestrad Acadêmic em Enfermagem IV SEMINÁRIO: FUNDAMENTOS TEÓRICOS E FILOSÓFICOS DA CIÊNCIA EM ENFERMAGEM: FILOSOFIA DO CUIDADO E PENSAMENTO

Leia mais

Legislação Laboral e Segurança Social 2016

Legislação Laboral e Segurança Social 2016 Inscrevase até 28 de Setembr e btenha descnts Seminári Prátic de 2016 - Htel**** revist e actualizad Legislaçã Labral e Segurança Scial 2016 de acrd cm a Legislaçã vigente e de cumpriment brigatóri 3 dias

Leia mais

A Estratégia do Tribunal de Justiça do Rio Grande Do Sul

A Estratégia do Tribunal de Justiça do Rio Grande Do Sul A Estratégia d Tribunal de Justiça d Ri Grande D Sul PODER JUDICIÁRIO Missã: De acrd cm fundament d Estad, Pder Judiciári tem a Missã de, perante a sciedade, prestar a tutela jurisdicinal, a tds e a cada

Leia mais

DATA: 03 / 05 / 2016 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE HISTÓRIA 8.º ANO/EF

DATA: 03 / 05 / 2016 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE HISTÓRIA 8.º ANO/EF SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA UNIDADE DATA: 03 / 05 / 206 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE HISTÓRIA 8.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR: 8,0

Leia mais