IMAGENS DE UM ELEFANTE INDIANO, NOS ANOS DE 1551 E 1552, EM PERCURSO EUROPEU (SARAMAGO).

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IMAGENS DE UM ELEFANTE INDIANO, NOS ANOS DE 1551 E 1552, EM PERCURSO EUROPEU (SARAMAGO)."

Transcrição

1 IMAGENS DE UM ELEFANTE INDIANO, NOS ANOS DE 1551 E 1552, EM PERCURSO EUROPEU (SARAMAGO). Denise Rocha- Fundação Universidade do Tocantins- UNITINS, Palmas. Cintia de Vito Zollner- UNESP- UNITINS-Pibic. Resumo: O projeto hegemônico de D. Manuel, o Venturoso ( ), por meio da expansão marítima, refletiu-se na exibição de poderio pelas terras conquistadas, cristalizado plasticamente, com a chegada de animais exóticos em solo português: um elefante branco, presente para o Papa Leão X, em 1514; e no ano seguinte, um rinoceronte, também, enviado para Roma. Tais paquidermes, entre outros animais considerados exóticos, causaram fascínio e temor. Em continuidade dessa propaganda política lusa, Dom João III, rei de Portugal e Algarves, esposo de dona Catarina d Áustria, ofereceu, no ano de 1551, ao arquiduque austríaco Maximiliano II, genro do imperador Carlos V, um elefante que viera de Goa, com seu tratador. De Lisboa, pela Espanha, desembarcando em Gênova, passando pelos Alpes do Tirol até a chegada triunfal em Viena, a passagem do elefante, denominado Salomão, causou admiração, e permaneceu na memória e em litografias. Serão apresentados os diversos momentos da chegada do animal em Lisboa, bem como o sucesso de sua aparição, como membro especial da comitiva de Maximiliano, em retorno ao seu país de origem. As diversas etapas desse percurso europeu estão presentes em documentos históricos, em obras de arte e no romance A viagem do elefante, de José Saramago, publicado em Palavras-chave: Elefante, imagem, literatura. IMAGES OF AN INDIAN ELEPHANT, IN 1551 AND 1552, IN EUROPEAN ROUTE BY SARAMAGO. Abstract : Dom Manuel o Venturoso s hegemonic project ( ), by means of maritime expansion, became manifest in the ostentation of power caused by the conquered lands, plastically crystallized, with the arrival of exotic animals in Portugal: a white elephant, a gift offered by Pope Leo X, in 1514; and in the following year, a rhinoceros also sent to Rome. Such pachyderms, among other animals considered as exotic, caused enchantment and fear. Proceeding with that Portuguese policy propaganda, Dom João III, King of Portugal and Algarves, husband of Dona Catarina from Áustria, offered, in 1551, to the Austrian archduke Maximilian II, son-in-law of Emperor Charles V, an elephant which came from Goa, with its caretaker. On the way from Lisbon, through Spain, being landed in Genoa, crossing the Tyrol Alps until its triumphal arrival in Vienna, the parade of Solomon, the elephant s name, caused astonishment, and was kept in the memory and in lithographies. Several moments of the animal s arrival in Lisbon will be presented, as well as the success of its apparition, as a special member of Maximiliam s cortège, on its way back to its home country. Various phases of such a European trajectory are found out in historical documents, in works of art and in the novel A viagem do elephant, by José Saramago, published in Keywords: Elephant; image; narrative. 839

2 Introdução No ano de 2009, a Fundação José Saramago reconstituiu o caminho do elefante Salomão, em homenagem ao percurso do paquiderme indiano, que de Goa, junto com seu tratador, foi para Lisboa e seguiu até Viena, nos anos de 1551 e 1552: fato histórico tematizado na obra A viagem do elefante, de Saramago, publicada em Como não existe registro português da jornada do paquiderme em direção a terras espanholas, Saramago optou por não mencionar lugares, pelos quais teriam passado o animal e cortejo, citando somente a cidade de Figueira de Castelo Rodrigo, na fronteira com a Espanha. Durante essa viagem geográfica e sentimental, da qual participaram Saramago, sua esposa Pilar, duas amigas do casal, funcionários da Fundação, uma equipe de documentaristas e cinco jornalistas, o escritor explica, que foi por causa do desrespeito manifestado ao elefante Salomão após sua morte, que decidiu contar a história verídica dele: Depois de morrer, cortaram-lhe as patas para fazer delas bengaleiros. Isso não podia ter sido feito a um elefante que foi de Lisboa andando, atravessando os Alpes. (LOPES, 2009: p. 28). O tema da fugacidade da vida, do sucesso e do esquecimento permeia a obra. A história do elefante conhecido como Salomão para os portugueses, e Soliman para os austríacos, iniciou-se em 1549, em Goa, na Índia, com permanência dele e de seu tratador, por cerca de dois anos, no Terreiro do Paço, próximo a Torre de Belém, em Lisboa, com partida para a Espanha até a Áustria. Essa viagem, que durou cerca de dezenove meses, em meio a calor escaldante, poeira, tempestade, neve; em trajetória a pé ou a pata (Saramago); e por meio de navio, teve a seguinte rota: Lisboa, Figueira de Castelo Rodrigo, Valladolid, Gênova, Pádua, Trento, Alpes do Tirol (Dolomites), até Viena. Nos anos 1551 e 1552, a Inquisição atuava para suprimir a heresia dentro do catolicismo, e o Concílio de Trento ( ) estava reunido na época da passagem do cortejo de Maximiliano e seu elefante. Em Portugal, o Santo Ofício havia sido criado no ano de Na obra de Saramago, Salomão é o personagem principal, e seu tratador, o conarca Subhro, é o protagonista, o qual manteve contato com D. João III, de Portugal; com o comandante do Exército luso; com o chefe austríaco dos couraceiros; com o arquiduque Maximiliano de Habsburg e membros da comitiva real, entre outros membros do imenso séquito. Das crônicas, poesias, pinturas, gravuras, medalha e estátua feitas a Áustria, nos séculos XVII e XVIII, que são testemunhas oculares da história (Burke), o elefante e seu tratador ressurgem no ano de 2008 na obra de Saramago. O tratador indiano aparece como o ex-cêntrico, na terminologia de Hutcheon, que aborda a tendência revisionista do novo romance histórico, no qual os esquecidos da historiografia oficial ganham projeção. 1- Narrativas e História: registros verbais e visuais. O autor inglês Peter Burke em sua obra Testemunha ocular: história e imagem, esclarece que [...] as imagens, assim como textos e testemunhos orais, constituem-se numa forma importante de evidência histórica. Elas registram atos de testemunho ocular. (Burke, 2004: p. 17). A partir dos anos 1980, surgiram textos denominados de novo romance histórico, que por meio da ironia, e da paródia enfatizam o discurso do oprimido, do ex-cêntrico, que enfrentam os mecanismos do poder ( metaficção historiográfica ). (Hutcheon, 1991: p ; 250). 840

3 2-Elefantes na Europa e a diplomacia portuguesa. Animais considerados exóticos, como o elefante, o rinoceronte, o símio, o papagaio, entre outros, foram enviados pelo rei português D. Manuel, o Venturoso ( ) a outros soberanos, como testemunho concreto da chegada lusa na África e na Índia. A presença do elefante na Europa não era nenhuma novidade: o primeiro exemplar domesticado, denominado como Aboul-Abbas, foi ofertado como presente de Haroun Al- Rahid, califa abássida de Bagdá, ao Imperador Carlos Magno. Quatro séculos mais tarde, um elefante foi trazido da Terra Santa para o imperador Frederico II; outro, presenteado para Luís IX da França, foi oferecido a Henrique III, seu cunhado inglês. No ano de 1477, Afonso V, o Africano, rei português, enviou um animal para o rei de Nápoles, René d Anjou. No ano de 1507, Hans Burgkmair faz uma gravura Um homem de Calecute montado num elefante, que se encontra no Fine Arts Museum, em São Francisco- E. U. A.. Em 1511, surgem dois elefantes em Portugal: um presente do rei de Cochim ao rei D. Manuel, e o outro adquirido por Afonso de Albuquerque, um exemplar branco, que foi presenteado ao Papa Leão X, juntamente com quarenta e três outros animais exóticos, que chegaram no dia 20 de março de 1514, em Roma. Para agradar ao mesmo pontífice, o rei luso enviou um rinoceronte, que morreu afogado, pois o número intenso de visitantes ao animal sobrecarregou a embarcação, que afundou. Em 20 de maio de 1515, chegou em Lisboa, outro elefante, proveniente de Champanel- Diu, com Ocem, seu tratador, para viver na menagerie de D. Manuel, no Palácio da Ribeira: era uma das prendas do Sultão Muzafar II ofertada ao Vice-rei português, na Índia. (BEDINI, Silvio. The Pope s Elephant, apud BARBAS, wiki, p. 5 e 6). O elefante Salomão ou Soliman, 1 nascido em 1540, na India, foi um presente para o arquiduque austríaco Maximiliamo ( ), casado com sua prima, a infanta Maria da Espanha ( ), e sobrinho do Imperador Carlos V. Existem duas possibilidades sobre a pessoa que ofertou o animal asiático a Maximiliano: em Portugal, supõe-se que o bicho tenha sido um mimo do rei D. João III; na Áustria, diz-se que o arquiduque conheceu o paquiderme em Madri, que tinha sido um presente do Príncipe João do Brasil, filho de D. João III, a sua noiva Joana, filha mais nova de Carlos V e de Isabela de Portugal. (Wiki- Soliman _Elefant). O jovem austríaco Maximiliano, que tinha sido enviado, aos 16 anos, para a corte católica de seu tio na Espanha, por demonstrar interesse nos textos do reformador Martin Luther (WAJDA, 1980: 258), era regente em Valadolid, no ano de 1551, e tinha um grande amor por animais exóticos. O elefante, presenteado a ele, era macho, e tinha 12 anos, quando saiu de Madri rumo a Viena, no ano de ( Wiki- Soliman _Elefant). Nessa época ocorriam vários conflitos religiosos: a reforma protestante, iniciada na Alemanha, com Martin Luther, em 1517; e que foi expandida na Suíça com Ulrich Zwingli, e Johann Calvin. O movimento de renovação católica foi intensificado com a criação da Companhia de Jesus (1534) por Ignatius de Loyola, e com o Concílio de Triento ( ), que estava reunido na época da passagem do cortejo de Maximiliano e seu elefante. A Inquisição, como instituição complexa criada para suprimir a heresia dentro do catolicismo, surgiu em Portugal, no ano de A comitiva de Maximiliano, sua esposa Maria e dois filhinhos -Ana da Áustria ( ), que tinha cerca de um ano e dois meses; e Fernando da Áustria ( ), com cinco meses- saiu de Madrid, para Barcelona, com embarque em navio para Gênova, passando por Milão, Cremona, Mantua, indo em direção ao norte, via Etschtal, chegando, no dia 13 de dezembro, em Triento, onde o Concílio se reunia; e causando profunda curiosidade. Nessa cidade foi construída uma estátua de madeira do elefante, que continha saídas para 1 Conforme a bibliografia austríaca, a informação sobre a existência de uma carta de D. João III de Portugal a Maximiliano, na qual explica a origem do nome do elefante Soliman- em referência ao sultão Süleyman I, seria a invenção de um cronista austríaco em uma época de zombaria ao monarca osmano (OPLL, 2004: 242). 841

4 fogos de artifício, como homenagem à passagem de Maximiliam, o futuro imperador do Sacro-Império Romano de Nação Germânica. O cortejo seguiu para o Tirol, pela rota de Brenner, por Bozen, onde o príncipe herdeiro se reuniu, por longo tempo, com diplomatas, e o elefante seguiu para Brixen, com chegada em 2 de janeiro de 1552, e estadia de 14 dias, que foi celebrada por meio de uma pintura na parede o elefante, o tratador e um homem-, que até hoje pode ser contemplada no Hotel Elephant, anteriormente, chamado de Herberg Zum Hellephant. O séquito seguiu pelo Eisacktal, por Brenner, e no dia 6 de janeiro chegou a Innsbruck; de Hall, a comitiva seguiu em navio pelo rio Inn até Wasserburg (24 de janeiro), onde uma enfermidade de Maximiliam exigiu uma permanência mais prolongada, e o artista Michael Minck fez uma imagem do animal em gravura retangular de madeira (1552), e outra circular (1554) para a medalha comemorativa da passagem do colosso na cidade. Figura 1- Medalha comemorativa do elefante Soliman e do tratador, com traje indiano, turbante e bastão, de Michael Minck, Wasseburg, Fonte: <http://de.wikipedia.org/wiki/soliman_(elefant)> Essa imagem, como símbolo do poderio expansionista luso na Índia, e da diplomacia portuguesa na Europa, eternizou, em metal, o elefante Soliman e seu anônimo tratador. Na metade de fevereiro, o cortejo seguiu para Mühldorf am Inn, e a viagem foi interrompida pelo início da gravidez de D. Maria 2. No final do mês, o séquito chegou em Passau na nascente do Inn no rio Donau (Danúbio), atingindo Linz, cidade-residência da dinastia dos Habsburg, na qual o prefeito Jörg Hutter -o pai- encomendou uma pintura para a fachada de sua casa, como forma de celebração da passagem do elefante, a qual pode ser contemplada nos dias atuais, na praça Hauptplatz, Maria da Espanha chegou, em Viena, com cinco meses de gravidez, e deu à luz, no dia 18 de julho de 1522, a Rudolf ( ) que se tornou imperador como Rudolf II. O pequeno Fernando, nascido na Espanha, morreu dia 25 de junho de 1552, em Viena, com um ano e quatro meses, depois de ter sobrevivido a longa e cansativa viagem da Espanha a Áustria. 842

5 No dia 6 de março de 1552, o séquito de Maximiliam e D. Maria teve uma entrada triunfal em Viena, com entrada pela porta medieval Kärtner Tor até a moradia inicial do elefante na Wasserglacis. Em uma residência localizada ao lado de Am Graben, próxima da Praça Stockim-Eisen- Platz, uma imagem do elefante Soliman, com o seu tratador sentado na sua nuca, empunhando o bastão (1552), que comemorava um feito extraordinário: o salvamento da filhinha do proprietário, Anton Gienger, a qual na confusão da passagem do elefante caiu no meio da rua, e foi amparada pelo animal, que a pegou com a tromba e devolveu à mãe Maria Ginger ((www.sagen). Infelizmente, no século XIX, a casa foi demolida. Existe uma imagem, em gravura de metal, da praça Am Graben, que mostra uma parte da moradia citada, já chamada de Elefantenhaus. Figura 2- A Casa do elefante (Das Elefantenhaus), em Viena (detalhe), gravura em metal, ca. 1720, de imagem da fachada da residência (detalhe), elefante e tratador, com traje e chapéu de estilo austríaco. Fonte: <http://de.wikipedia.org/wiki/soliman_(elefant)> A beleza imponente do paquiderme e a habilidade de seu cuidador foram imortalizadas em fachada de residência e em gravura de metal, na Áustria. Surgiram vários estabelecimentos comerciais em Viena, e outras localidades, que tinham nomes relacionados ao elefante Soliman e ao seu tratador: Zum schwarzen, weissen ou goldenen Elefanten. (ACKERL, 1988: 72). O nome Zum wilden Mann- Ao homem selvagem- surgiu em alusão ao tratador indiano de Soliman, que tinha pele escura. Soliman foi colocado em local para visitação, e depois foi conduzido para a Menagerie, em Eberdorsdorf, onde permaneceu cerca de um ano e meio, e faleceu por causa de alimentação inadequada, ou por um descuido do tratador. O corpo do animal foi dividido: com parte de seus ossos foi feito um tamborete espécie de poltrona- que contém uma inscrição gravada no assento com informações sobre a origem do elefante, peso, e o caminho para Viena. O móvel, que trocou de proprietários, e por isso, tem gravuras com as heráldicas deles (OPLL, 2004: 843

6 229 ff.), encontra-se na coleção do Stifts Kremsmünster, desde o final do século XVII. Maximiliam mandou empalhar a pele do paquiderme, que foi adornada com dentes de gesso, e foi presenteada a Albrecht V von Bayern ( ), que a remeteu para a Kunstkammer em Munique, Baviera. Em 1928, Soliman foi para o Bayerische Nationalmuseum, na mesma cidade, e durante a Segunda Guerra Mundial, parte do animal empalhado embolorou. Das sobras foram feitas solas de sapato, no dia 28 de novembro de (OPLL, 2004: 255.). Figura 3- Tamborete de Soliman, gravado com o escudo das armas de Maximiliano II, 1552, Stifts Kremsmünster, Kremsmünster, Áustria. (Ossos de elefante). Fonte:<http://queridobestiario.blogspot.com/2009/09/ otamborete-de-salomao.html> O estranho assento reflete o interesse europeu da época em expor peças de bestiário exótico em gabinetes de curiosidades. 3-A viagem do elefante (2008), de José Saramago. Em estadia em Salzburg, cidade austríaca, conhecida como a pátria do pianista Mozart, Saramago ( ) 3 estava no Restaurant Der Elefant, no qual viu pequenas figuras de madeira de representações de localidades e monumentos, que indicavam um itinerário, a partir da Torre de Belém, em Lisboa. A docente e leitora da universidade local, Gilda Lopes Encarnação, que estava presente, contou ao escritor sobre a história da viagem do elefante indiano, fato que o motivou a escrever sua narrativa, estruturada em dezoito capítulos nãonumerados. Catarina da Áustria, esposa de D. João III de Portugal, decide presentear o elefante Salomão, celebrado e esquecido, em Lisboa, a seu primo Maximiliano, que tencionava regressar a sua pátria, com a esposa Maria e dois filhinhos. Acompanhados de soldados, boeiros, e artesãos, bem como de um carro de intendência dos militares, e outro de boi, que transportava alimentos e água para o animal, o conarca Subhro (Branco) e o elefante se põem a caminho da Espanha, atravessando descampados, aldeias, cidades, montanhas, geleiras, 3 José de Sousa Saramago, que recebeu o Prêmio Nobel de Literatura de 2008, escreveu outros romances de fundo histórico: Memorial do convento (1982); O ano da morte de Ricardo Reis (1984), e História do cerco de Lisboa (1989). 844

7 despertando grande curiosidade nas pessoas, e marcando o triunfante retorno de Maximiliano e família, membros da nobreza, serviçais, entre outros, para a Áustria. O arquiduque rebatizou o tratador e o elefante, com palavras no idioma alemão, como sinal de pertencimento ao reino de Maximiliano: Já decidi, e ficas avisado de que me enfadarei contigo se voltares a pedir-mo, mete na tua cabeça que o teu nome é fritz e nenhum outro. O conarca desabafa com o elefante: Éramos subhro e salomão, agora seremos fritz e solimão. (SARAMAGO, 2008: 158). A parte mais difícil da viagem é a da travessia dos Alpes no inverno, local que guarda as recordações da passagem de Aníbal e de outros elefantes. O narrador critica o exército luso, despreparado para conduzir o elefante para a Espanha, e elogia o preparo austríaco militar, estratégico e administrativo na empreitada transnacional; bem como destila seu desprezo pela nobreza parasita e pelo catolicismo. A chegada triunfal de Maximiliano e comitiva, em Viena, foi intensivada, principalmente, pela presença do elefante, que salvou uma criança, a qual tinha caído a seus pés. O arquiduque agradeceu ao conarca Fritz por ter evitado uma tragédia, e desejou: Que sejas bem-vindo a viena e que viena te mereça, a ti e a solimão, aqui sereis felizes. (SARAMAGO, 2008: 218). O elefante morreu quase dois anos depois, foi esfolado, e suas patas dianteiras foram transformadas em recipiente para bengalas, bastões, guarda-chuvas e sombrinhas, o qual foi colocado na entrada do palácio. O narrador conclui: Como se vê, a Salomão não lhe serviu de nada ter-se ajoelhado. (SARAMAGO, 2008: 255). O conarca recebeu vultuoso pagamento pelos seus serviços prestados à coroa austríaca, comprou uma mula e um burro, e anunciou que regressaria a Lisboa, no entanto nada mais se soube dele. Conclusão. O conarca indiano anônimo, que acompanhou nos anos 1520 a 1552, o elefante da Índia, para Portugal, passando pela Espanha, Itália, até a Áustria, foi reverenciado em pinturas, gravuras, medalha, crônicas e poemas. Tais imagens verbais e visuais são testemunhas oculares (Burke), de um feito histórico, de tradição portuguesa, desde o reinado de D. Manuel, o Venturoso ( ): o envio de presentes para soberanos, e inclusive, a um papa, de animais exóticos da África e da Índia, como forma de demonstração do poderio em além-mar. O feito internacional do tratador indiano foi cristalizado, mas o seu nome ficou oculto, imerso na biografia do Arquiduque Maximiliano, Imperador do Sacro- Império Romano de Nação Germânica, e do rei D. João III, de Portugal. Do limbo do esquecimento, Saramago resgatou o conarca, que teve glória momentânea, e lhe deu voz na narrativa de cunho histórico, A viagem do elefante: publicada no ano de 2008, com características de metaficção historiográfica (Hutcheon), que por meio de ironia e paródia, permite a um ex-cêntrico a tomar a palavra e a criticar, principalmente, o catolicismo apostólico romano e seu sistema de indulgências, no século XVI. Indicações bibliográficas ACKERL, Isabella. Die Chronik Wiens. Wien: Chronik Verlag, BARBAS, Helena. Monstros: O rinoceronte e o elefante- Da ficção dos Bestiários à realidade testemunhal. Actas do V Encontro Luso-Alemão- Akten der V. Deutsch Portuguiesischen Arbeitsgespräche (Köln- Lisboa, 2000). P , revisto e acutalizado em 7. Fev Disponível em: em: março BURKE, Peter. Testemunha ocular: história e imagem. Tradução de Vera Maria Xavier dos Santos e revisão técnica Daniel Aarão Reis Filho. Bauru, São Paulo: Edusc,

8 DER ERSTE ELEFANT IN WIEN. Disponível em: <http://www.sagen.at/texte/sagen/oesterreich/wien/allgemein/derersteelefant.htm >.Acesso em: março HUTCHEON, Linda. Poética do Pós-Modernismo: história, teoria, ficção. Tradução de Ricardo Cruz. Rio de Janeiro: Imago, LOPES, Isabel. A viagem, o elefante e o escritor. Revista Única, 1. ago, p , OETTERMANN, Stephan. Die Schaulust am Elefanten: Eine Elephantographia Curiosa. Frankfurt am Main: Verlag Syndikat, OPLL, Ferdinand. ein(e) vorhin in Wien nie gesehene rarität von jedermann bewundert. Zum leben, Tod und nachleben des ersten Wiener Elefantes. Studien zur Wiener Geschichte, Jahbuch des Vereins für Geschichte der Stadt Wien: Wien, 2004, S Band 60. SOLIMAN (Elefant). Disponível em: <http://de.wikipedia.org/wiki/soliman_(elefant)> Acesso em: março WAJDA, Stephan. Der Weg der Kompromisse: Maximilian II e Rudolf II. In:. Felix Austria: Eine Geschichte Österreichs. Wien: Verlag Carl Ueberreuter, S

Há que imaginar a Europa nos séculos XII e XIII como um imenso tabuleiro de

Há que imaginar a Europa nos séculos XII e XIII como um imenso tabuleiro de SEXTA CRUZADA (1228 1229) O Desencadeamento. Desde 1187 Jerusalém permanecia em mãos dos Muçulmanos. Nenhuma das Cruzadas anteriores havia conseguido avanço algum em terra Santa. Desta forma havia a necessidade

Leia mais

REFORMA E CONTRARREFORMA. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista de Montes Claros

REFORMA E CONTRARREFORMA. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista de Montes Claros REFORMA E CONTRARREFORMA Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista de Montes Claros INTRODUÇÃO A Reforma Religiosa e o Renascimento ocorreram na mesma época e expressam a grande renovação de ideias

Leia mais

As Grandes navegações: a conquista da América e do Brasil. Descobrimento ou Conquista?

As Grandes navegações: a conquista da América e do Brasil. Descobrimento ou Conquista? As Grandes navegações: a conquista da América e do Brasil. Descobrimento ou Conquista? Navegar era preciso, era Navegar era preciso navegar... Por quê? O que motivou o expansionismo marítimo no século

Leia mais

Mosteiro dos Jerónimos

Mosteiro dos Jerónimos Mosteiro dos Jerónimos Guia de visita dos 6 aos 12 anos Serviço Educativo do Mosteiro dos Jerónimos/ Torre de Belém Bem-vindo ao Mosteiro dos Jerónimos A tua visita de estudo começa logo no Exterior do

Leia mais

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Índice Clique sobre tema desejado: A origem dos Estados Nacionais Contexto Histórico: crise feudal (séc. XIV-XVI) Idade Média Idade Moderna transição Sociedade

Leia mais

10 MULHERES PODEROSAS DA HISTÓRIA. No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, uma seleção com aquelas que governaram com mãos de ferro.

10 MULHERES PODEROSAS DA HISTÓRIA. No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, uma seleção com aquelas que governaram com mãos de ferro. 10 MULHERES PODEROSAS DA HISTÓRIA No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, uma seleção com aquelas que governaram com mãos de ferro. 10. Maria Stuart País que governou Escócia Período 1542-1567

Leia mais

CENTRO CULTURAL DE BELÉM. PALESTRAS SOBRE HISTÓRIA DE PORTUGAL Janeiro Março de 2015. Segunda Parte Época Moderna

CENTRO CULTURAL DE BELÉM. PALESTRAS SOBRE HISTÓRIA DE PORTUGAL Janeiro Março de 2015. Segunda Parte Época Moderna CENTRO CULTURAL DE BELÉM PALESTRAS SOBRE HISTÓRIA DE PORTUGAL Janeiro Março de 2015 Segunda Parte Época Moderna Nuno Gonçalo Monteiro Instituto de Ciências Sociais Universidade de Lisboa Quarta Sessão

Leia mais

UNIFICAÇÃO Ã DA D ITÁLIA

UNIFICAÇÃO Ã DA D ITÁLIA UNIFICAÇÃO DA ITÁLIA SUIÇA PENÍNSULA ITÁLICA ÁUSTRIA ESLOVENIA UNIFICAÇÃO DA ITÁLIA Localizada no centro-sul da Europa. Ao norte, faz fronteira com França, Suíça, Áustria e Eslovênia ao longo dos Alpes.

Leia mais

Prova Escrita de História e Geografia de Portugal

Prova Escrita de História e Geografia de Portugal PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de História e Geografia de Portugal 6º Ano de Escolaridade Prova 05 / 2.ª Fase 12 Páginas Duração da Prova: 90 minutos.

Leia mais

As reformas religiosas do século XVI

As reformas religiosas do século XVI As reformas religiosas do século XVI Crise na Igreja: a contestação e a ruptura Prof. Nilson Urias Crises religiosas na Europa No início do século XVI, a Igreja vivia uma época de profunda crise. Século

Leia mais

15 / 14-17H O Ano da Morte de Ricardo Reis Passeio pedestre percurso Miss Lisbon Início: Fundação José Saramago Chegada: Casa Fernando Pessoa.

15 / 14-17H O Ano da Morte de Ricardo Reis Passeio pedestre percurso Miss Lisbon Início: Fundação José Saramago Chegada: Casa Fernando Pessoa. SARAMAGO E PESSOA NAS RUAS DE LISBOA DIA(S) DO DESASSOSSEGO 15-17 NOV 15 / 10-16.30H 16 / 10-15.30H Leituras no Metro e ascensores por seis actores do Grupo Éter Metro de Lisboa (4 linhas) e Ascensores

Leia mais

Rota dos 3 Castelos. 2.ºAbrantes. 3.º Belver. 1.ºAlmourol. Monte da Várzea Almourol. 38 km. Almourol Abrantes. 20 Km. Abrantes Belver.

Rota dos 3 Castelos. 2.ºAbrantes. 3.º Belver. 1.ºAlmourol. Monte da Várzea Almourol. 38 km. Almourol Abrantes. 20 Km. Abrantes Belver. 2.ºAbrantes 1.ºAlmourol 3.º Belver Monte da Várzea Almourol 38 km Rota dos 3 Castelos Almourol Abrantes 20 Km Abrantes Belver 30 Km Belver Monte da Várzea 11 Km Partida: Casa Branca, Monte da Várzea 2

Leia mais

CADERNO DE ATIVIDADES. História

CADERNO DE ATIVIDADES. História COLÉGIO ARNALDO 2015 CADERNO DE ATIVIDADES História Aluno (a): 4º ano: Turma: Professor (a): Valor: 20 pontos Conteúdo de Recuperação O que é História. Identificar a História como ciência. Reconhecer que

Leia mais

REFORMA PROTESTANTE E CONTRARREFORMA CATÓLICA. Professor: Eduardo C. Ferreira

REFORMA PROTESTANTE E CONTRARREFORMA CATÓLICA. Professor: Eduardo C. Ferreira REFORMA PROTESTANTE E CONTRARREFORMA CATÓLICA Professor: Eduardo C. Ferreira REFORMA PROTESTANTE MOVIMENTO DE CONTESTAÇÃO AOS DOGMAS DA IGREJA CATÓLICA, APÓS SÉCULOS DE FORTE PODER INFLUÊNCIA NA EUROPA.

Leia mais

Reforma Religiosa. Contra-Reforma. Crise da Igreja no séc. XVI. Crise da Igreja no séc. XVI. O Movimento Reformista - Início 30/01/2015

Reforma Religiosa. Contra-Reforma. Crise da Igreja no séc. XVI. Crise da Igreja no séc. XVI. O Movimento Reformista - Início 30/01/2015 Crise da Igreja no séc. XVI Reforma Religiosa e Contra-Reforma Muitos Humanistas criticaram a Igreja de então devido ao comportamento dos seus membros: Os Papas estavam mais interessados no luxo e no seu

Leia mais

Newsletter Numisma nº 10 Setembro de 2015

Newsletter Numisma nº 10 Setembro de 2015 Newsletter Numisma nº 10 Setembro de 2015 As palavras e as frases Raridades, Eduard Niepoort, a moeda reproduzida no catálogo, Jorge de Brito, Alexandrino Passos, entre outras são uma constante nos 1345

Leia mais

BÉLGICA. As Feitorias Portuguesas na Flandres. Bruxelas * Brugges * Ghant * Antuérpia. Leuven * Maline * Aachen * Maastricht

BÉLGICA. As Feitorias Portuguesas na Flandres. Bruxelas * Brugges * Ghant * Antuérpia. Leuven * Maline * Aachen * Maastricht BÉLGICA As Feitorias Portuguesas na Flandres Bruxelas * Brugges * Ghant * Antuérpia Leuven * Maline * Aachen * Maastricht 5 Dias / 4 Noites 1º Dia LISBOA / BRUXELAS Comparência no Aeroporto da Portela

Leia mais

A defesa militar da Amazônia. Quem defendia a Amazônia brasileira, antes de o Brasil existir como nação

A defesa militar da Amazônia. Quem defendia a Amazônia brasileira, antes de o Brasil existir como nação A defesa militar da Amazônia Celso Castro e Adriana Barreto de Souza Quem defendia a Amazônia brasileira, antes de o Brasil existir como nação independente? A pergunta, contraditória em seus próprios termos,

Leia mais

INFANTE D. HENRIQUE VISTO ATRAVÉS DA FILATELIA

INFANTE D. HENRIQUE VISTO ATRAVÉS DA FILATELIA INFANTE D. HENRIQUE VISTO ATRAVÉS DA FILATELIA O Infante D. Henrique, (fig. 1 Selo da Emissão de 1960 5º Centenário da Morte D. Henrique - Retrato do tirado dos painéis de Nuno Gonçalves, Século XVI),

Leia mais

O CONDE DE TAROUCA E A DIPLOMACIA NA ÉPOCA MODERNA

O CONDE DE TAROUCA E A DIPLOMACIA NA ÉPOCA MODERNA A/483251 ISABEL CLUNY O CONDE DE TAROUCA E A DIPLOMACIA NA ÉPOCA MODERNA Prefácio ARMANDO MARQUES GUEDES Livros I Horizonte ÍNDICE PREFÁCIO 9 INTRODUÇÃO 13 Primeira Parte A CASA ALEGRETE/ /TAROUCA E A

Leia mais

a) Identifique e caracterize a situação histórica a que a charge se refere.

a) Identifique e caracterize a situação histórica a que a charge se refere. Revisão Específicas 1. (FUVEST) Observe esta charge: a) Identifique e caracterize a situação histórica a que a charge se refere. b) Explique quais são os principais elementos do desenho que permitem identificar

Leia mais

Prof. Cristiano Pissolato. Formação dos Estados nacionais. França

Prof. Cristiano Pissolato. Formação dos Estados nacionais. França Prof. Cristiano Pissolato Formação dos Estados nacionais França Ducado da Normandia sob controle Plantageneta (ING). Ducado da Bretanha administrada pela dinastia Plantageneta (ING) a partir de 1116 porque

Leia mais

SEVILHA- 2013. Viagens Abreu - Alvará Nº 35 / 58 Avenida 25 de Abril, 2 Edifício Abreu 2795-195 Linda-a-Velha

SEVILHA- 2013. Viagens Abreu - Alvará Nº 35 / 58 Avenida 25 de Abril, 2 Edifício Abreu 2795-195 Linda-a-Velha SEVILHA- 2013 SEVILHA Capital da Comunidade Autónoma da Andaluzia, no Sul da Espanha. Situada nas margens do rio Guadalquivir, a 87 km do oceano Atlântico, possui o porto mais importante da Andaluzia.

Leia mais

Guia de exploração pedagógico-didático dos PowerPoint (amostra)

Guia de exploração pedagógico-didático dos PowerPoint (amostra) Guia de exploração pedagógico-didático dos PowerPoint (amostra) Apresentamos um conjunto de 8 PowerPoint que abordam todos os conteúdos programáticos e das Metas Curriculares do 8.º ano. Estes obedecem

Leia mais

Crise no Império Romano. Capítulo 6

Crise no Império Romano. Capítulo 6 Crise no Império Romano Capítulo 6 A falta de escravos leva ao aparecimento do sistema do colonato. Corte nas verbas do exército, gera revolta e briga entre os generais. Os generais passam a não obedecer

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Sobre Fernando Pessoa

APRESENTAÇÃO. Sobre Fernando Pessoa SUMÁRIO APRESENTAÇÃO Sobre Fernando Pessoa... 7 Ricardo Reis, o poeta clássico... 21 ODES DE RICARDO REIS... 29 CRONOLOGIA... 170 ÍNDICE DE POEMAS... 175 5 6 APRESENTAÇÃO Sobre Fernando Pessoa Falar de

Leia mais

DATAS COMEMORATIVAS. FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro

DATAS COMEMORATIVAS. FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro FESTAS JUNINAS 12 de junho Santo Antônio 24 de junho São João 29 de junho São Pedro As festas juninas fazem parte da tradição católica, mas em muitos lugares essas festas perderam essa característica.

Leia mais

Conteúdo para recuperação do I Semestre. 7º ANO Feudalismo; A crise do sistema feudal.

Conteúdo para recuperação do I Semestre. 7º ANO Feudalismo; A crise do sistema feudal. Conteúdo para recuperação do I Semestre I Bimestre II Bimestre 7º ANO Feudalismo; A crise do sistema feudal. As Reformas Religiosas; A África. Feudalismo; Sistema político, econômico e social que se formou

Leia mais

Sumário. Nota prévia 13 Nota introdutória O homem e a história 15 A biografia género histórico 16 -Referências 18

Sumário. Nota prévia 13 Nota introdutória O homem e a história 15 A biografia género histórico 16 -Referências 18 Sumário Nota prévia 13 Nota introdutória O homem e a história 15 A biografia género histórico 16 -Referências 18 Preâmbulo A memória de um destino singular 21 PARTE I 0 VENTUROSO Toledo, 29 de Abril de

Leia mais

1ª Dinastia Afonsina ou Borgonha

1ª Dinastia Afonsina ou Borgonha CRONOLOGIA - REIS DE PORTUGAL O seguinte quadro pretende resumir as quatro dinastias portuguesas bem como indicar algumas informações de acontecimentos importantes ocorridos em cada reinado. 1ª Dinastia

Leia mais

BANDEIRA NACIONAL. Clique para avançar. Ria Slides

BANDEIRA NACIONAL. Clique para avançar. Ria Slides BANDEIRA NACIONAL Clique para avançar A Bandeira Nacional é um dos Símbolos Nacionais, assim como o são o Hino Nacional, as Armas Nacionais e o Selo Nacional. É o Símbolo da nossa Pátria. O Símbolo do

Leia mais

As portas do nosso passado estão no Museu de Évora Visite-nos!

As portas do nosso passado estão no Museu de Évora Visite-nos! As portas do nosso passado estão no Museu de Évora Visite-nos! O Museu de Évora, para além de oferecer as designadas «visitas clássicas» que criam pontes de contacto entre os diversos públicos que o visitam

Leia mais

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPEIA E CONQUISTA DA AMÉRICA Nos séculos XV e XVI, Portugal e Espanha tomaram a dianteira marítima e comercial europeia, figurando entre as grandes

Leia mais

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O sistema feudal entra em crise com o advento das cidades e a expansão do comércio, somados a outros fatores. 1) Necessidade de moedas, crescimento das cidades

Leia mais

Colonização da América do Norte Formação dos Estados Unidos

Colonização da América do Norte Formação dos Estados Unidos Colonização da América do Norte Formação dos Estados Unidos A ocupação da América do Norte foi marcada por intensos conflitos entre ingleses e indígenas da região. Duas companhias de comércio foram autorizadas

Leia mais

16» 23 Novembro 2012

16» 23 Novembro 2012 16» 23 Novembro 2012 Biblioteca Municipal Ferreira de Castro JOSÉ SARAMAGO 90 ANOS BIOGRAFIA José Saramago nasceu na aldeia ribatejana de Azinhaga, concelho de Golegã, no dia 16 de novembro de 1922. Os

Leia mais

Ola Europa - ECONÔMICA (a partir de abr/2016)

Ola Europa - ECONÔMICA (a partir de abr/2016) Ola Europa - ECONÔMICA (a partir de abr/2016) Operador: Europamundo Vacaciones Dias de Saída na Semana Moeda: Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom Dias Limite para Venda: X Quantidade mínima de passageiros por

Leia mais

843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno.

843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno. História 8A - Aula 22 As Monarquias Feudais 843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno. -Séculos IX e X sociedade francesa se feudalizou. -Poder real enfraqueceu. -Condes,

Leia mais

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br EUROPA NO SÉCULO XIX A INGLATERRA NO SÉCULO XIX: Era Vitoriana (1837-1901): Hegemonia marítima inglesa. Fortalecimento do poder político da burguesia. Expansão da economia industrial 2ª Revolução Industrial.

Leia mais

Dia da implantação da República (5 de Outubro de 1910) Até 1910, Portugal encontrava-se governado por reis, tendo sido nesta data que mudou a sua

Dia da implantação da República (5 de Outubro de 1910) Até 1910, Portugal encontrava-se governado por reis, tendo sido nesta data que mudou a sua Dia da implantação da República (5 de Outubro de 1910) Até 1910, Portugal encontrava-se governado por reis, tendo sido nesta data que mudou a sua forma de governo, de uma Monarquía para uma República.

Leia mais

AUSTRIA & os Castelos da Baviera

AUSTRIA & os Castelos da Baviera AUSTRIA & os Castelos da Baviera VIENA * SALZBURGO * INNSBRUCK MUNIQUE 8 Dias/ 7 Noites 16.08. 23.0.08.2008.2008 VIENA * SALZBURGO * INNSBRUCK MUNIQUE Proposta de Itinerário De 16 a 23 Agosto 2008 8 Dias/

Leia mais

HISTÓRIA COMENTÁRIO DA PROVA

HISTÓRIA COMENTÁRIO DA PROVA COMENTÁRIO DA PROVA De uma forma geral, a prova foi boa com questões claras e bem articuladas. Louvável a intenção de cobrar reflexões sobre a históriografia, bem como a de revisitar o passado a partir

Leia mais

O RISCO ESPREITA, MAIS VALE JOGAR PELO SEGURO

O RISCO ESPREITA, MAIS VALE JOGAR PELO SEGURO ANA MARIA MAGALHÃES ISABEL ALÇADA [ ILUSTRAÇÕES DE CARLOS MARQUES ] O RISCO ESPREITA, MAIS VALE JOGAR PELO SEGURO COLEÇÃO SEGUROS E CIDADANIA SUGESTÃO PARA LEITURA ORIENTADA E EXPLORAÇÃO PEDAGÓGICA DO

Leia mais

PERÍODO Início da Idade Moderna Século XVI ONDE COMEÇOU? ALEMANHA QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS? a ruptura ( rompimento) e a divisão da Igreja

PERÍODO Início da Idade Moderna Século XVI ONDE COMEÇOU? ALEMANHA QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS? a ruptura ( rompimento) e a divisão da Igreja A REFORMA RELIGIOSA A REFORMA, FOI UM MOVIMENTO RELIGIOSO EM OPOSIÇÃO À IGREJA CATÓLICA PERÍODO Início da Idade Moderna Século XVI ONDE COMEÇOU? ALEMANHA QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS? a ruptura ( rompimento)

Leia mais

LUÍS REIS TORGAL. SUB Hamburg A/522454 ESTADO NOVO. Ensaios de História Política e Cultural [ 2. IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

LUÍS REIS TORGAL. SUB Hamburg A/522454 ESTADO NOVO. Ensaios de História Política e Cultural [ 2. IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA LUÍS REIS TORGAL SUB Hamburg A/522454 ESTADOS NOVOS ESTADO NOVO Ensaios de História Política e Cultural [ 2. a E D I Ç Ã O R E V I S T A ] I u IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2 0 0 9 ' C O I M B R

Leia mais

Reformas Religiosas: Reforma e Contra-Reforma

Reformas Religiosas: Reforma e Contra-Reforma Ano Lectivo 2010/2011 HISTÓRIA Agrupamento de Escolas de Fronteira Escola Básica Integrada Frei Manuel Cardoso 8º Ano Apresentação nº 10 Renascimento e Reforma Reformas Religiosas: Reforma e Contra-Reforma

Leia mais

A vinda da família real e o governo joanino no Brasil

A vinda da família real e o governo joanino no Brasil A vinda da família real e o governo joanino no Brasil A Europa no século XIX Napoleão realizou uma série de batalhas para a conquista de novos territórios para a França. O exército francês aumentou o número

Leia mais

Cite e analise UMA SEMELHANÇA e UMA DIFERENÇA entre a religião muçulmana e a religião cristã durante a Idade Média.

Cite e analise UMA SEMELHANÇA e UMA DIFERENÇA entre a religião muçulmana e a religião cristã durante a Idade Média. Questão 1: Leia o trecho abaixo a responda ao que se pede. COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO COPESE Quando Maomé fixou residência em Yatrib, teve início uma fase decisiva na vida do profeta, em seu empenho

Leia mais

Torre de Belém Lisboa

Torre de Belém Lisboa Torre de Belém Lisboa 12 Torre de Belém APRESENTAÇÃO Construída entre 1514 e 1519, estrategicamente localizada no rio Tejo, para defender a barra, a Torre de Belém é um misto de torre medieval e de baluarte

Leia mais

Oficinas Pedagógicas: Mosteiro dos Jerónimos. Ateliê "Animais do Mundo" (Pré-escolar) - 48 alunos:

Oficinas Pedagógicas: Mosteiro dos Jerónimos. Ateliê Animais do Mundo (Pré-escolar) - 48 alunos: Oficinas Pedagógicas: Mosteiro dos Jerónimos Ateliê "Animais do Mundo" (Pré-escolar) - 48 alunos: Era uma vez um rei chamado Manuel I que gostava de animais... Através da história deste Mosteiro, iremos

Leia mais

David Sampaio Dias Barbosa

David Sampaio Dias Barbosa David Sampaio Dias Barbosa Morada institucional Universidade Católica Portuguesa CEHR - Universidade Católica Portuguesa - Palma de Cima 2649-023 Lisboa PORTUGAL Formação académica 1972 - Licenciatura

Leia mais

Hamlet. William Shakespeare. É só o Começo. Coleção

Hamlet. William Shakespeare. É só o Começo. Coleção William Shakespeare Adaptação para neoleitores, a partir do original em inglês: Paulo Seben Revisão técnica: Pedro Garcez Supervisão: Luís Augusto Fischer Hamlet Versão adaptada para neoleitores a Coleção

Leia mais

Atualidades. Prof Rodrigo Ocampo Barbati

Atualidades. Prof Rodrigo Ocampo Barbati Atualidades Prof Rodrigo Ocampo Barbati SOCIEDADE Módulo XXV Ano Nacional Joaquim Nabuco - 2010 Há cem anos, em janeiro de 1910, morria o abolicionista pernambucano que ajudou a libertar os escravos. Entre

Leia mais

ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL

ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL AULA 10 LITERATURA PROFª Edna Prado ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL I - CONTEXTO HISTÓRICO Na aula passada nós estudamos as principais características do Romantismo e vimos que a liberdade era a mola

Leia mais

A TRANSFERÊNCIA DA FAMÍLIA REAL PARA O BRASIL. Está ligada às Guerras Napoleônicas e ao decreto do BLOQUEIO CONTINENTAL PORTUGAL

A TRANSFERÊNCIA DA FAMÍLIA REAL PARA O BRASIL. Está ligada às Guerras Napoleônicas e ao decreto do BLOQUEIO CONTINENTAL PORTUGAL A TRANSFERÊNCIA DA FAMÍLIA REAL PARA O BRASIL Está ligada às Guerras Napoleônicas e ao decreto do BLOQUEIO CONTINENTAL De um lado, a pressão napoleônica para Portugal aderir ao bloqueio PORTUGAL De outro

Leia mais

Grandes Exploradores

Grandes Exploradores Obras de referência para toda Grandes Exploradores A ousadia, a determinação e o espírito de aventura das figuras que marcam a descoberta e a exploração do Planeta. Do fundo do mar aos polos, do coração

Leia mais

OCS: Observador Online

OCS: Observador Online Observador Online ID: 58199358 04-03-2015 Visitas diárias: 95730 OCS: Observador Online Obra Completa do padre António Vieira é hoje oferecida ao papa Francisco http://observador.pt/2015/03/04/obra-completa-do-padre-antonio-vieira-e-hojeoferecida-ao-papa-francisco/

Leia mais

Cronologia do Mosteiro de S. Bento da Saúde

Cronologia do Mosteiro de S. Bento da Saúde Cronologia do Mosteiro de S. Bento da Saúde 1 1545 1563 Concílio de Trento. 2 1567 Fundação da Congregação de S. Bento no reino de Portugal. 3 1569 O Mosteiro beneditino de São Martinho de Tibães torna-se

Leia mais

I MOEDA 2/2000-59 I. Durante a regência e remado de D. João VI ( 1799-l ~26 ), Portugal conheceu mais

I MOEDA 2/2000-59 I. Durante a regência e remado de D. João VI ( 1799-l ~26 ), Portugal conheceu mais Durante a regência e remado de D. João VI ( 1799-l ~26 ), Portugal conheceu mais I MOEDA 2/2000-59 I movações na simbologia e na emblemática nac10nais - msí!,'llias e cores das suas fitas e laços - do

Leia mais

A Itália é um país com mais de trinta séculos de história. Foi, de facto, sede de grandes civilizações que influenciaram profundamente a evolução de

A Itália é um país com mais de trinta séculos de história. Foi, de facto, sede de grandes civilizações que influenciaram profundamente a evolução de HISTÓRIA DA ITÁLIA A Itália é um país com mais de trinta séculos de história. Foi, de facto, sede de grandes civilizações que influenciaram profundamente a evolução de toda a cultura ocidental. Berço da

Leia mais

Informações e instruções para os candidatos

Informações e instruções para os candidatos A preencher pelo candidato: Nome: N.º de inscrição: Documento de identificação: N.º: Local de realização da prova: A preencher pelo avaliador: Classificação final: Ass: Informações e instruções para os

Leia mais

CURSO LIVRE HISTÓRIA DO ENSINO ARTÍSTICO EM PORTUGAL PROGRAMA. 2.1. Francisco da Holanda e a sua perspectiva sobre o ensino artístico.

CURSO LIVRE HISTÓRIA DO ENSINO ARTÍSTICO EM PORTUGAL PROGRAMA. 2.1. Francisco da Holanda e a sua perspectiva sobre o ensino artístico. CURSO LIVRE HISTÓRIA DO ENSINO ARTÍSTICO EM PORTUGAL 8 de Abril a 1 de Julho (interrupção no dia 10 de Junho que é feriado) 4ª feira, das 18h 30m às 20h 30m 24h, 12 sessões PROGRAMA 1. A Idade Média 1.1.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Assessoria para a Comunicação Social

Presidência da República Casa Civil Assessoria para a Comunicação Social Visita de Suas Majestades os Reis de Espanha à Região Autónoma da Madeira 30 de Julho a 1 de Agosto de 2009 PROGRAMA ANOTADO PARA ÓRGÃOS DE INFORMAÇÃO [ Informações úteis para os jornalistas estão indicadas

Leia mais

A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos.

A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos. HISTÓRIA 8º ANO A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos. Por volta do século XIII, o rei João sem terras estabeleceu novos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA QUINTA DO CONDE Escola Básica Integrada/JI da Quinta do Conde. Departamento de Ciências Humanas e Sociais HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL Distribuição dos tempos letivos disponíveis para o 5 º ano de escolaridade 1º Período 2º Período 3º Período *Início:15-21 de setembro 2015 *Fim:17 dezembro 2015 *Início:4

Leia mais

Dia da bandeira Tá na cara que é orgulho

Dia da bandeira Tá na cara que é orgulho Dia da bandeira Tá na cara que é orgulho 19 de novembro Hino à Bandeira Música de Francisco Braga Letra de Olavo Bilac Apresentado pela primeira vez em 15 de agosto de 1906 (Extraído do livro Bandeira

Leia mais

24 junho a.c 1545-1563 1584 1627 1641 1769 1808 1950. Acontecimento 1641 Ano da proibição do uso de fogueiras e fogos de artifício.

24 junho a.c 1545-1563 1584 1627 1641 1769 1808 1950. Acontecimento 1641 Ano da proibição do uso de fogueiras e fogos de artifício. Salvador da Bahia Leitura: atividades RESPOSTAS Pula a fogueira, João! 1. 24 junho a.c 1545-1563 1584 1627 1641 1769 1808 1950 Data Acontecimento 1641 Ano da proibição do uso de fogueiras e fogos de artifício.

Leia mais

Duarte Ribeiro de Macedo

Duarte Ribeiro de Macedo BIBLIOTECA DIPLOMÁTICA - Série Ana Maria Homem Leal de Faria A 398608 Duarte Ribeiro de Macedo Um diplomata moderno 1618-1680 Ministério dos Negócios Estrangeiros ÍNDICE Siglas e Abreviaturas 15 Preâmbulo

Leia mais

Obs.: José recebeu em sonho a visita de um anjo que lhe disse que seu filho deveria se chamar Jesus.

Obs.: José recebeu em sonho a visita de um anjo que lhe disse que seu filho deveria se chamar Jesus. Anexo 2 Primeiro momento: contar a vida de Jesus até os 12 anos de idade. Utilizamos os tópicos abaixo. As palavras em negrito, perguntamos se eles sabiam o que significava. Tópicos: 1 - Maria e José moravam

Leia mais

PORTUGAL NO PASSADO. Portugal nos séculos XV e XVI A Expansão

PORTUGAL NO PASSADO. Portugal nos séculos XV e XVI A Expansão PORTUGAL NO PASSADO Portugal nos séculos XV e XVI A Expansão Conquistada a paz com Castela, D. João I procurou recuperar as finanças do Reino que se encontravam exauridas após vinte e oito anos de hostilidades.

Leia mais

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA 1 As autoras A vivência como professoras foi a base de trabalho das autoras. Na sala de aula, puderam conviver com a realidade de leitura

Leia mais

"Aqui Também é Portugal"

Aqui Também é Portugal A 337669 "Aqui Também é Portugal" A Colónia Portuguesa do Brasil e o Salazarismo Heloísa Paulo Quarteto 2000 índice Prefácio 13 Introdução 17 Parte I A visão da emigração e do emigrante no ideário salazarista

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CAMPO MAIOR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CAMPO MAIOR 1. Promover o espírito solidário e de voluntariado; desenvolvimento cultural e científico dos alunos; tomar contacto com realidades museológicas Visita às exposições sobre o lince e Projeto de Arte 2ª

Leia mais

LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS

LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS 1 LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS Lc 19 1 Jesus entrou em Jericó e estava atravessando a cidade. 2 Morava ali um homem rico, chamado Zaqueu, que era chefe dos cobradores

Leia mais

PORTUGAL. 1º. DIA -Lisboa. 2º. Dia - Sintra, Cascais e Estoril

PORTUGAL. 1º. DIA -Lisboa. 2º. Dia - Sintra, Cascais e Estoril PORTUGAL 1º. DIA -Lisboa Saída do Hotel para visita da cidade de Lisboa. Visitaremos o centro da cidade como Praça do Rossio, Avenida da Liberdade, Praça do Marquês de Pombal, Parque Eduardo VII. Colina

Leia mais

Análise discursiva e da imagem dos indígenas que foram veiculados no jornal O Liberal nos anos de 1990 e 2011¹

Análise discursiva e da imagem dos indígenas que foram veiculados no jornal O Liberal nos anos de 1990 e 2011¹ Análise discursiva e da imagem dos indígenas que foram veiculados no jornal O Liberal nos anos de 1990 e 2011¹ ProfªDrªIvânia dos Santos Neves, Professora dos cursos de Comunicação Social e Letras e do

Leia mais

Planificação Anual. Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015

Planificação Anual. Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015 Planificação Anual Professor: José Pinheiro Disciplina: História e Geografia de Portugal Ano: 5.º Turmas: B Ano letivo: 2014-2015 UNIDADE DIDÁTICA: TEMA A: DOS PRIMEIROS POVOS À FORMAÇÃO DO REINO DE PORTUGAL.

Leia mais

Bandeira de Portugal Significado, cores e história da bandeira portuguesa

Bandeira de Portugal Significado, cores e história da bandeira portuguesa UNIDADE: Viagem a Portugal / Portugal SITUAÇÃO DE USO Seleção de roteiro turístico. EXPETATIVAS DE APRENDIZAGEM - Selecionar informações; - Formular questões; - Utilizar o verbo representar ; - Produzir

Leia mais

Forma de organização econômica e tutorial rural na qual o trabalhador arrenda uma porção de terreno sob condição de reservar parte de sua produção como pagamento ao proprietário. O colono é denominado

Leia mais

ALSÁCIA E FLORESTA NEGRA

ALSÁCIA E FLORESTA NEGRA ALSÁCIA E FLORESTA NEGRA STRASBOURG * COLMAR * FREIBURG * TITISEE Luxembourg * Baden-Baden * Heidelberg 7 Dias / 6 Noites 1º DIA LISBOA / LUXEMBOURG Comparência no Aeroporto da Portela. Formalidades e

Leia mais

SÉRIE 10: Cenários. para olhar. pensar, imaginar... e fazer. Coliseu construído entre 70 e 80 a.c. Roma, Itália.

SÉRIE 10: Cenários. para olhar. pensar, imaginar... e fazer. Coliseu construído entre 70 e 80 a.c. Roma, Itália. Esta ficha é parte integrante dos materiais de Arteteca:lendo imagens, do Programa Endesa Brasil de Educação e Cultura (PRONAC 09-7945). 41 para olhar pensar, imaginar... e fazer The Bridgeman Art Library

Leia mais

A formação dos Estados Nacionais M3_Unid.1. Profª Viviane Jordão

A formação dos Estados Nacionais M3_Unid.1. Profª Viviane Jordão A formação dos Estados Nacionais M3_Unid.1 Profª Viviane Jordão O que é Nação? Nação é um contrato político. Os integrantes de uma nação compartilham os mesmos direitos e uma mesma história. Ser brasileiro

Leia mais

AS GRANDE NAVEGAÇÕES. Professora de História Maria José

AS GRANDE NAVEGAÇÕES. Professora de História Maria José AS GRANDE NAVEGAÇÕES Professora de História Maria José O desconhecido dá medo:os navegantes temiam ser devorados por monstros marinhos MAR TENEBROSO O COMÉRCIO COM O ORIENTE No século XV, os comerciantes

Leia mais

Reformas Religiosas Monique Bilk

Reformas Religiosas Monique Bilk Reformas Religiosas Monique Bilk Contexto Início da Idade Moderna O Renascimento estimula a crítica e o livre-pensar A burguesia tem projetos que esbarram nos obstáculos que a Igreja coloca... (doutrina

Leia mais

LIGA DOS COMBATENTES IMAGEM SEMPRE RENOVADA 12 de Outubro de 2010 GENERAL JOAQUIM CHITO RODRIGUES

LIGA DOS COMBATENTES IMAGEM SEMPRE RENOVADA 12 de Outubro de 2010 GENERAL JOAQUIM CHITO RODRIGUES LIGA DOS COMBATENTES IMAGEM SEMPRE RENOVADA 12 de Outubro de 2010 GENERAL JOAQUIM CHITO RODRIGUES A constatação da História que as sustenta, do conhecimento das ações desenvolvidas durante uma longa vivência,

Leia mais

Portugal e Espanha. Conhecendo o melhor de Portugal e Santiago de Compostela.

Portugal e Espanha. Conhecendo o melhor de Portugal e Santiago de Compostela. Portugal e Espanha Conhecendo o melhor de Portugal e Santiago de Compostela. Uma viagem inesquecível pelo país da Europa que fala português. Surprenda-se com o melhor que Portugal tem a lhe oferecer. Encante-se

Leia mais

çnewsletter LIGA DOS COMBATENTES Notícias Forte do Bom Sucesso e Museu do Combatente Exmo(a). Sr(a). Bem-vindo à nossa newsletter mensal FBS

çnewsletter LIGA DOS COMBATENTES Notícias Forte do Bom Sucesso e Museu do Combatente Exmo(a). Sr(a). Bem-vindo à nossa newsletter mensal FBS çnewsletter LIGA DOS COMBATENTES Exmo(a). Sr(a). Bem-vindo à nossa newsletter mensal FBS A Liga dos Combatentes (Instituição Pública de Solidariedade Social existente desde 1923), apresenta o Forte do

Leia mais

PRONTA REFERÊNCIA CIRCUITOS EUROPEUS

PRONTA REFERÊNCIA CIRCUITOS EUROPEUS PRONTA REFERÊNCIA CIRCUITOS EUROPEUS ÍNDICE Circuito Pág BRASILEIROS NA ALEMANHA ----------------------------------------------------------------------- 3 BRASILEIROS NA ALEMANHA, ÁUSTRIA E SUÍÇA --------------------------------------------

Leia mais

Terra Papagalli é uma obra ficcional dos escritores brasileiros de José Roberto Torero e Marcus Aurelius Pimenta, publicada pela primeira vez em 1997

Terra Papagalli é uma obra ficcional dos escritores brasileiros de José Roberto Torero e Marcus Aurelius Pimenta, publicada pela primeira vez em 1997 1 Terra Papagalli é uma obra ficcional dos escritores brasileiros de José Roberto Torero e Marcus Aurelius Pimenta, publicada pela primeira vez em 1997 pela Editora Objetiva. Misturando fatos históricos

Leia mais

Seminário Internacional do Museu Histórico Nacional

Seminário Internacional do Museu Histórico Nacional Seminário Internacional do Museu Histórico Nacional Ponta do Calabouço e adjacências: história, memória e patrimônio nos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro CHAMADA PÚBLICA DE TRABALHOS A faixa de terra

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL 2º CICLO HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 5.º ANO Documento(s) Orientador(es): Programa de História e Geografia de Portugal

Leia mais

Poluição Luminosa. Projeto Apagar as luzes e acender as estrelas. Alexandre Faria

Poluição Luminosa. Projeto Apagar as luzes e acender as estrelas. Alexandre Faria Poluição Luminosa Projeto Apagar as luzes e acender as estrelas Alexandre Faria Projeto Apagar as luzes e acender as estrelas O projeto Apagar as luzes e acender as estrelas tem os seguintes objetivos:

Leia mais

Provão. História 5 o ano

Provão. História 5 o ano Provão História 5 o ano 61 Os reis portugueses governaram o Brasil à distância, até o século XIX, porém alguns acontecimentos na Europa mudaram essa situação. Em que ano a família real portuguesa veio

Leia mais

Programa de Incentivo em Lisboa Top Vip

Programa de Incentivo em Lisboa Top Vip Programa de Incentivo em Lisboa Top Vip Dia 1 Chegada dos participantes. Transfere para Belém em autocarro com acompanhamento de guia. Em Belém, área dedicada ao período das Descobertas, iremos encontrar

Leia mais

HISTORIOGRAFIA DA AMAZONIA.

HISTORIOGRAFIA DA AMAZONIA. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS FACULDADE DE HISTÓRIA HISTORIOGRAFIA DA AMAZONIA. HISTORIOGRAFIA DA AMAZONIA. Aílson Rocha Freire. Belém-PA. 01/2010. 1 UNIVERSIDADE

Leia mais

ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO

ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO CONTEXTO No final da Idade Média (séculos XIV e XV), ocorreu uma forte centralização política nas mãos dos reis. A burguesia comercial ajudou muito neste processo, pois interessa

Leia mais

Aprimoramento 3. parte 2. Prof. Osvaldo

Aprimoramento 3. parte 2. Prof. Osvaldo Aprimoramento 3 parte 2 Prof. Osvaldo 03. (UFPR) Leia os seguintes excertos da Magna Carta inglesa de 1215. 12 Nenhum imposto ou pedido será estabelecido no nosso reino sem o consenso geral. [...] que

Leia mais

BREVE HISTÓRIA DO PAPEL MOEDA

BREVE HISTÓRIA DO PAPEL MOEDA BREVE HISTÓRIA DO PAPEL MOEDA A nível mundial, o primeiro papel moeda surgiu na China, no séc. VII, na dinastia Tang, para facilitar aos comerciantes o transporte de grandes quantidades de moeda de metal,

Leia mais

Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas 10 de Junho de 2010

Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas 10 de Junho de 2010 INTERVENÇÃO DO SENHOR PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE OEIRAS Dr. Isaltino Afonso Morais Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas 10 de Junho de 2010 LOCAL: Figueirinha, Oeiras REALIZADO

Leia mais