PRODUÇÃO CIENTÍFICA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: ANÁLISE DE DOMÍNIO DAS DISSERTAÇÕES DO PPGCI/UFPE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRODUÇÃO CIENTÍFICA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: ANÁLISE DE DOMÍNIO DAS DISSERTAÇÕES DO PPGCI/UFPE"

Transcrição

1 PRODUÇÃO CIENTÍFICA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: ANÁLISE DE DOMÍNIO DAS DISSERTAÇÕES DO PPGCI/UFPE RESUMO Erinaldo Dias Valério Tiago José da Silva Karla Meneses Farias Pedro Manoel da Silva Fábio Assis Pinho Enfatiza a Análise de Domínio (AD) como uma abordagem da Ciência da Informação (CI) que permite inferir sobre determinados comportamentos ao fazer relações entre os sujeitos sociais e suas temáticas na construção do conhecimento. Pretende-se, assim, identificar qual é a AD das dissertações produzidas pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Pernambuco PPGCI/UFPE depositadas na BDTD/UFPE até novembro de 2012, época da coleta de dados. Esta pesquisa é de cunho exploratório, de natureza bibliográfica, com um delineamento qualiquantitativo. A metodologia baseia-se em dois dos onze aspectos apontados por Hjorland (2002) para este tipo de análise: o primeiro é a produção de guias de literatura, que consiste na produção de fontes de informações sobre um determinado domínio e o segundo são as estruturas e instituições de comunicação científica que organizam os principais atores e instituições de acordo com a divisão interna do trabalho em um domínio. Conclui que esta análise serviu para identificar que as dissertações do PPGCI estão dialogando com a área de concentração e linhas de pesquisa do programa, uma vez que esse é entendido como instituição de produção e comunicação de literatura científica. PALAVRAS-CHAVE: Ciência da Informação. Produção Científica. Análise de Domínio. PPGCI/UFPE. ABSTRACT This article emphasizes the Domain Analysis (DA) as an approach of Information Science (CI) that allows inferences about certain behaviors when making social relations between the subjects and their thematic knowledge construction. It is intended, therefore, to identify what is the dissertations AD produced by Postgraduate Program in Information Science from the Universidade Federal de Pernambuco - PPGCI / UFPE deposited in BDTD/UFPE until November This research is exploratory, with bibliographic nature with qualitative and quantitative design. The method is based on two aspects of the eleven indicated by Hjørland (2002) for this type of analysis: the first is the production of literary guides, which consist in information fonts production about a field and the second is structures and scientific communication institutions which organize the major actors and institutions in accordance with the internal division of labor in a domain. It concludes that this analysis served to identify the dissertations of PPGCI which are dialoguing with the concentration area and research lines of the program, since this is seen as a production and communication institution for scientific literature. KEYWORDS: Information Science. Scientific production. Domain Analysis. PPGCI / UFPE.

2 1 INTRODUÇÃO Quando se trata do debate sobre a evolução da produção científica e seus desdobramentos nas questões de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) torna-se necessário avaliar tais avanços (VANTI, 2002) e identificar quais as disciplinas do conhecimento estão em desenvolvimento. Para a ciência, a quantificação de suas produções são medidas através de indicadores científicos. Estes indicadores podem ser divididos em: indicadores de produção científica estabelecidos pela contagem das publicações e por tipo de documento (livros, artigos, publicações científicas, relatórios etc.), onde a dinâmica da pesquisa em um determinado país pode ser monitorada e sua tendência traçada ao longo do tempo (MACIAS-CHAPULA, 1998, p. 137); indicadores de citação instituídos pela contagem de citações recebidas pelas publicações de artigos de periódico; e os indicadores de ligação criados pelas coocorrências de autoria, citações e palavras, sendo aplicados na elaboração de mapas de estruturas de conhecimento e de redes de relacionamento entre os pesquisadores e as diversas instituições e países (SANTOS; KOBASHI, 2005, p. 3). Dentre os indicadores, alguns estudos são apontados na literatura da Ciência da Informação (CI) pelo seu uso mais frequente, como a bibliometria, a informetria e a cienciometria. A Análise de Domínio (AD), que é uma abordagem nos estudos epistemológicos da CI, lança mão desses métodos para fazer inferências sobre o comportamento de uma determinada área. Dessa maneira, tem-se aqui a proposta de um estudo exploratório, de natureza bibliográfica, com um delineamento quali-quantitativo, focando de maneira particular as dissertações defendidas no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Pernambuco PPGCI/UFPE, ou seja, 13 (treze) no total. A pesquisa se justifica pelo fato de haver a necessidade de identificar a estrutura de padrões de cooperação dentro dessa comunidade científica, de modo que se percebam os elementos coesivos dentro das dissertações, evidenciando os conjuntos discursivos relacionados a linhas de pesquisa do programa. Portanto, o objetivo desta pesquisa consiste em identificar, através da AD, elementos bibliométricos oriundos das dissertações produzidas pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Pernambuco PPGCI/UFPE, tais como: tipos de produção científica (artigo, livro, dissertação, tese, entre outros), autores referenciados e as palavras-chave das dissertações.

3 2 CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO Na atual conjuntura, é eminente a necessidade de se compreender o valor que a informação possui para a sociedade, já que esta desempenha papel importante no cotidiano dos indivíduos. Todavia, essa preocupação e atenção com a informação tem se intensificado a partir de meados dos anos 60 quando pesquisadores, cientistas, dentre outros indivíduos de diversas áreas e campos do saber passaram a dedicar maior empenho e tempo ao estudo e compreensão sobre os principais aspectos e fatores associados à informação e sua relação com a sociedade. Para Le Coadic (2004) o conceito de informação é associado a várias áreas do saber, entretanto, o autor limita-se a uma definição relacionada à cognição e comunicação humana. As informações podem ser vistas como estruturas possuidoras de sentidos, que carecem de um suporte para que haja a sua comunicação aos indivíduos. Nessa perspectiva, Brookes (1980 apud ARAÚJO, 2001) busca novos sentidos para o termo informação, estabelecendo que esta seja [...] um elemento que provoca transformações nas estruturas. Assim, quando se envia uma mensagem (conjunto de informações) a um ser consciente, baseada num código conhecido, tanto pelo sujeito-emissor, como pelo sujeito-receptor, esta mensagem pode ser interpretada e, a partir daí adquirir sentido. Ao utilizar essa informação (com sentido) para resolver determinado problema ou se informar sobre qualquer situação o sujeito social produz conhecimento. Tal conhecimento pode ser a simples identificação de determinado objeto ou a compreensão exata e completa deste mesmo objeto. (BROOKES, 1980, p. 58 apud ARAÚJO, 2001, [não paginado]). De acordo com o autor supracitado, pode-se dizer que exista uma estreita relação entre a informação e o conhecimento, ou seja, depreende-se que a informação seja uma prática social que envolve ações de atribuição e comunicação de sentido, sendo o uso da informação algo que nos leva a mudança de estado de conhecimento. Com a existência desse objeto de estudo - a informação -, fez-se necessário uma ciência que estudasse suas propriedades, seu comportamento, suas relações, seu desenvolvimento e concepções conceituais acerca desse objeto. Daí surge a CI, no intuito de abarcar essas responsabilidades com métodos e técnicas interdisciplinares, ou seja, estudar seu objeto de estudo com procedimentos próprios e outros originários de outras disciplinas. No final da década de 60, houve um grande desenvolvimento dos estudos métricos da ciência representados por Solla Price e Garfield entre outros. A CI engloba esses estudos cientométricos a fim de fazer ciência da ciência (POLANCO, 1995), o que autores como Capurro (2003) classificam como paradigma físico da CI. Para este autor, existem três

4 paradigmas na epistemologia desta ciência: física, cognitiva e social. Por gerar uma discussão conceitual, prefere-se usar o termo abordagem ao invés de paradigma. A abordagem física está relacionada à Teoria Matemática da Comunicação de Shannon e Weaver, assim como à Cibernética de Wiener. A informação é vista como um sinal elétrico e os estudos dessa abordagem se concentram na observação da comunicação da informação por meio de canais mecânicos, isso permite a mensuração de quantidade de informação passível de transmissão evitando, segundo Araújo citado por Campos e Venâncio (2007), a ocorrência das distorções possíveis na propagação. A partir da década de 70, percebe-se a necessidade de se observar como a informação é compreendida pelo o usuário, de maneira que a visão da informação como algo concreto, informação como coisa (BUCKLAND, 1991) não atendia mais a alguns cientistas. Surgem então as expressões mentalismo (BROOKES, 1980, apud CAMPOS e VENÂNCIO, 2007) e estados anômalos do conhecimento (BELKIN; ODDY; BROOKS, 1982, apud CAMPOS e VENÂNCIO, 2007). Brookes é considerado um dos proponentes da abordagem cognitiva. Nessa abordagem, são percebidas as questões relacionadas ao significado e significante, ou seja, as características e as relações de um universo externo ao usuário são captadas e representadas na mente deste. Dessa maneira, o usuário é um sujeito cognoscente que utiliza os sistemas de recuperação de informação para atender o estado anômalo de seu conhecimento. Por enfatizar numa natureza individual das estruturas cognitivas dos usuários, essa abordagem passou a sofrer críticas, pois a interpretação da informação precisa de fatores externos ao usuário. Assim, surge a abordagem pragmática, o paradigma social (CAPURRO, 2003), no intuito de trabalhar a informação como algo social que se constitui nas interações dos sujeitos sociais com outros sujeitos. Observar a cronologia dessas abordagens se faz necessário para se perceber os aspectos físicos da informação, como ela é representada e apreendida pela mente do usuário, assim como as relações sociais estabelecidas por este usuário circundado de informações oriundas de um construto social. Mas abordagens da CI não se restringem a essas três (física, cognitiva e social), mas também ao que se vem sendo chamada de abordagens emergentes, como podem ser vistas em Campos e Venâncio (2007). As informações por si só não falam sobre as relações que elas estabelecem com outros objetos de uma determinada área. É necessário que um sujeito social faça as inferências

5 necessárias na construção de significados, de relações e comportamento dentro de uma comunidade. Dessa maneira, abordaremos uma dessas abordagens emergentes, a AD. 3 ANÁLISE DE DOMÍNO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO A CI é um campo científico interdisciplinar por natureza que mantém estreita relação com varias áreas e domínios do conhecimento, posto que, seus pressupostos teóricos e metodológicos propiciam os subsídios para a base conceitual destes, como é o caso da Biblioteconomia, por exemplo, que encontra na produção, na organização e no uso da informação, enquanto etapas do ciclo de operações documentárias, [...] a base sobre a qual se assenta seu universo epistemológico (GUIMARÃES, 2009, p. 105). Nesta perspectiva, tal estudo visa estabelecer um entendimento acerca da AD conforme concebido pela CI, esta prioritariamente se direciona ao planejamento e desenvolvimento de sistemas de recuperação da informação. Assim sendo, o tema de AD não se restringe apenas a este fim, no contexto da CI. Já que a AD envolve também um entendimento acerca das comunidades de pensamento (discursivas). Cabe destacar que, a priori, o termo foi primeiramente utilizado na Ciência da Computação em meados dos anos 80 por Neighbors, sendo posteriormente inserido no contexto da CI por Hjørland (2002). Segundo Husserl (ABBAGNANO, 2007, p. 53), análise volta-se para o mundo da consciência como intencionalidade (v.) e é análise intencional, direcionada para a determinação das estruturas da consciência e as formas essenciais dos seus conteúdos objetivos. O argumento de Husserl refere-se à intencionalidade do olhar como sendo o item básico da análise. Desta forma, infere-se que análise é um olhar intencional sobre determinado objeto ou domínio. Para Hjørland (2004, p. 4), domínio pode ser uma disciplina, um campo escolar. Pode ser ainda uma comunidade discursiva conectada a um partido político, à religião, ao comércio, ou a um lazer. Ao fazer esse comentário Hjørland situa o domínio como uma abordagem e um campo de atuação. E nesse sentido, entende-se que O domínio se aplica em qualquer campo científico. Conforme Hjørland (2004) há três dimensões de domínios. São elas: as dimensões definidas por teorias ontológicas (seus objetos); as dimensões epistemológicas e as dimensões sociológicas, centrais na análise de domínio, referem-se aos grupos de pessoas estudando os diferentes campos do conhecimento.

6 Conforme Campos e Venâncio, (2007, p. 1113) a análise de domínio de Hjorland é intrinsecamente transdisciplinar e faz parte de sua metodologia a consideração dos aspectos sociais, históricos e epistemológicos das comunidades discursivas. Infere-se, pois, que a AD trata-se de um olhar intencional e transdisciplinar sobre um determinado campo de estudo. Na AD, é importante observar o comportamento das comunidades de discurso como área do conhecimento e suas informações como fonte de estudo da CI. Hjørland (1995; 1997) observa que a unidade de análise da CI é formada pelos campos coletivos de conhecimento ou domínios de conhecimento referentes às suas comunidades de discurso. Tennis (2003) diz que é mais fácil fazer análise de domínio do que defini-la, é uma questão que está em aberto. Contudo, o autor se preocupa com os procedimentos de operacionalização de AD, assim, ele apresenta dois eixos de domínio. O primeiro eixo tem como objetivo estabelecer parâmetros sobre termos, os nomes e a extensão do domínio, que é seu escopo total, esse eixo é chamado de áreas de modulação. Já o segundo eixo objetiva qualificar e estabelecer a intenção, compreensão e articulação de um domínio, o que é denominado de grau de especialização. Hjørland (2002) sugere que a AD seja combinada com os métodos já tradicionais da CI para que possa ser incorporada na formação dos especialistas da informação. E assim, indica onze áreas de pesquisa da CI que podem se beneficiar da abordagem da AD. São elas: guias de literatura e portais; classificações e thesaurus especiais (especialmente as abordagens de classificação facetada); especialidades da indexação e recuperação; estudos empíricos de usuários; estudos bibliométricos; estudos históricos; estudos do gênero e sobre documentos; estudos críticos e epistemológicos; estudos terminológicos, linguagens para propósitos especiais e estudos do discurso; estudos de estruturas e instituições em comunicações científicas; e a cognição científica junto à inteligência artificial. Nos estudos publicados sobre a aplicação da AD na CI percebeu-se a combinação de pelo menos dois aspectos, das onze áreas supracitadas. Trata-se, certamente, de uma decisão em busca de uma maior abrangência do domínio a ser observado. Entretanto, a AD não é uma metodologia é, pois, um olhar, uma perspectiva e uma verificação do contexto sobre um determinado comportamento das comunidades discursivas. Compreende-se, a partir do exposto que a AD pressupõe a identificação clara dos limites e do contexto do assunto que se deseja analisar, sendo, portanto, a análise de domínio uma abordagem.

7 4 MÉTODO O Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação PPGCI do Departamento de Ciência da Informação vinculado ao Centro de Artes e Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco foi criado no ano de O programa tem como finalidade formar docentes, pesquisadores e recursos humanos especializados, para contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico da região nordeste. Oferecido na modalidade acadêmica o curso de mestrado possui a área de concentração em informação, memória e tecnologia. O curso está estruturado em duas de linhas de pesquisa: a linha 1 - memória da informação científica e tecnológica e a linha 2 - comunicação e visualização da memória. Apresenta a estrutura curricular composta de 12 créditos obrigatórios e 12 créditos eletivos que deverão ser cumpridos no período de dois anos. Até meados de novembro de 2012 (período da coleta de dados), o corpo docente do PPGCI era formado por doze (12) professores doutores permanentes, e quatro (04) professores doutores visitantes. A formação dos professores permanentes no tocante aos cursos de doutorado se apresentaram da seguinte forma: quatro (04) com doutorado em Ciência da Informação, três (03) em História, dois (02) em Ciência da Computação, um (01) em administração, um (01) em Serviço Social e um (01) em Engenharia de Produção. Quanto aos professores colaboradores três (03) eram doutores em Ciência da Informação e um (01) em Letras, dois (02) eram professores da Universidade Federal da Paraíba, um (01) da Universidade de São Paulo e o outro da Universidade Federal de Pernambuco. Para analisar a produção científica dissertações - do PPGCI/UFPE, baseou-se em uma pesquisa de cunho exploratório, que segundo Gil (2007. p.43) objetiva proporcionar uma visão geral, do tipo aproximativo de um determinado fato. De natureza bibliográfica, elencando uma discussão teórico-conceitual sobre a temática, utilizando-se como recursos, artigos, livros, dissertações entre outros. Teve uma abordagem quali-quantitativa que para Rodrigues (2006, p. 89), a quantitativa está relacionada à quantificação, análise e interpretação dos dados obtidos mediante pesquisa, ou seja, formular generalizações a partir da análise objetiva dos dados. Já abordagem qualitativa, permite observar o fenômeno estudado, conferindo significados no sentido de explicar suas relações para o processo de geração de conhecimento. O universo da pesquisa foi as dissertações depositadas no Departamento de Ciência da Informação DCI/UFPE, que totalizam 13 (treze) à época da coleta de dados (novembro de

8 2012), dessas, 09 (nove) podem ser acessadas pela Biblioteca Digital de Teses e Dissertações BDTD da própria instituição. Para a coleta e análise dos dados, utilizou-se da abordagem AD, levando em consideração, dois dos onze aspectos apontados na literatura para este tipo de análise: produção de guias de literatura, que consiste na produção de fontes de informações sobre um determinado domínio, no caso aqui a CI e estruturas e instituições de comunicação científica, ou seja, avaliar o PPGCI/UFPE uma vez entendido como instituição de produção e comunicação de literatura científica. Ao selecionar o material para análise, atentaram-se principalmente aos títulos, resumos, palavras-chave e referências das dissertações, ainda teve um olhar apurado sobre o texto na íntegra, no intuito de observar quais autores os discentes tomaram embasamento teórico para construção do trabalho. 5 COLETA E ANÁLISE DOS DADOS 5.1 Tipos de produção científica encontrados nas dissertações Classifica-se nesse trabalho a produção científica materializada nos seguintes gêneros discursivos: artigos de periódicos e de anais de eventos; livros e capítulos e trabalhos de conclusão de curso de graduação (TCCs); e pós-graduação (dissertações e teses). Constatou-se que a partir do levantamento da produção elencada acima, o número total de referências equivale a 1.219, distribuídos da seguinte maneira: 470 livros (38,5%), 93 capítulos de livros (7,5%), 31 teses (2,5%), 35 dissertações (3%), 4 TCCs (0,5%), 421 artigos de periódicos (34.5%), 65 publicações em anais de encontros científicos (5,5%) e 100 referências a sites em geral (8%). Com esses dados, verifica-se que o livro é o artefato mais utilizado nas pesquisas dos discentes, e que os artigos de periódicos também assumem um papel de destaque, uma vez que eles representam uma literatura de fácil acesso na conjuntura atual, já que muito dos livros e artigos estão disponíveis na rede - Internet. Constata-se que os únicos TCCs citados são de autoria dos próprios discentes, o que evidencia uma continuidade da temática trabalhada na graduação. Porém, questiona-se se há um receio por parte dos discentes em referenciar TCCs, uma vez que são oriundos de acadêmicos ainda não conceituados. Os sites mencionados se referem às páginas de instituições governamentais ou não, ministérios, secretarias e empresas públicas/privadas. Esses sites geralmente estão relacionados aos objetos de pesquisas dos discentes, não como um aporte teórico em si, mas como extensão dos próprios objetos.

9 Uma vez entendida que os anais de encontros científicos revelam, em um determinado momento, as tendências de uma área do conhecimento, configurando-se como verdadeiro mecanismo para obtenção de conhecimento em um curto espaço de tempo, percebe-se através da AD, que essa alternativa foi uma das menos referenciadas. As teses e dissertações ocuparam lugar quase semelhante, mesmo servindo como exemplo para a construção dos trabalhos. 5.2 Autores referenciados Dentro da categoria de autores citados, fez-se um recorte dos autores que foram referenciados mais de uma vez, levando em consideração a quantidade de alunos que os citaram, não a quantidade de trabalhos referenciados desses autores. Também ficou manifestado na pesquisa o fato de que no tangente ao referencial teórico utilizado estes focalizam suas pesquisas em determinados autores, sejam estes: Le Goff, Hjorland e Capurro mencionados em 10 dissertações, logo em seguida têm-se Aldo Barreto, Le Coadic, Murilo Cunha, Buckland, Marteleto, González de Gómez, como mostra na Tabela 1. Esta observação leva a entender o viés teórico e conceitual que esta sendo trilhado pelo programa. Quando os discentes tomam Le Goff, querem conceituar o termo memória em várias concepções, principalmente a histórica. A referência a Capurro e Hjorland se faz necessária no momento em que se quer contextualizar os termos dentro da CI, a partir de uma visão mais epistemológica. Aldo Barreto é mencionado para abordar o conceito de informação, assim como os termos memória e esquecimento. Le Coadic trabalha com a linguagem e a transmissão da informação, assim como a epistemologia da CI. Murilo Cunha aborda a relação da CI com a tecnologia na atualidade. Buckland é também usado para conceituar informação. Marteleto trabalha a relação entre educação e informação. Por fim, González de Gómez trabalha com vários conceitos dentro da CI, informação e sociedade, metodologia de pesquisa de campo em CI, epistemologia, entre outros. Percebe-se, com esses autores citados por mais de 46 % dos discentes, a preocupação de olhar para o seu trabalho contextualizando em um universo epistemológico dentro CI, o que consegue mostrar as relações históricas, comportamentais e sociais de cada objeto de pesquisa.

10 Tabela 1 - Autores mais referenciados nas dissertações analisadas Autores Quantidade de referências Autores Quantidade de referências LE GOFF 10 BOURDIEU 3 HJORLAND 10 BARDIN 3 CAPURRO 10 ALVARENGA 3 ALDO BARRETO 9 ARISTÓTELES 2 LE COADIC 8 WERSIG 2 CUNHA (M) 7 TARGINO 2 BUCKLAND 7 SAYÃO, 2 MARTELETO 6 BELKIN 2 GONZALEZ DE 6 MEADOWS 2 GÓMEZ; SARACEVIC 5 GRAMSCI 2 PINHEIRO (LENA) 5 KURAMOTO 2 MORIN 5 LANCASTER 2 MALHEIRO 5 KOBASHI 2 GIL 5 JAPIASSU 2 ROBREDO 4 CASTELLS 2 MINAYO 4 MUELLER 2 AURELLANO 4 OTLET 2 RICHARDSON 3 ROBERTSON 2 MCGARRY 3 ROUSSEAU 2 LÉVY 3 BUFREM (LEILAH) 2 KUHN 3 BRASCHER 2 BURKE 3 Fonte: Pesquisa in loco 5.3 Palavras-chave Outro aspecto salientado concerne à análise das palavras-chaves utilizadas como pode ser visto na Tabela 2. O objetivo aqui foi perceber a ambiência que aproxima ou distancia as abordagens adotadas por cada autor em seu texto. Ou seja, a pergunta principal era saber se havia uma linha temática entre os trabalhos e assim poder notar uma tendência teórica ou epistemológica se evidenciando no âmbito da CI no programa estudado. As palavras-chave foram extraídas exatamente como se apresentam nas dissertações, a partir da análise, verifica-se que mediante a frequência da utilização de determinadas categorias pelos estudantes, como é o caso de Memória, Informação, há uma maior diluição de palavras selecionadas, isto se deve talvez em virtude de que os autores ao selecionarem os termos para representar seus respectivos trabalhos optarem por palavras mais específicas e que sejam o mais fidedignas às suas pesquisas. Outra razão é considerando a natureza da CI, que oscila entre o tecnológico e o social/humano, neste conjunto os temas perpassam por estes dois vieses.

11 A presença da categoria Memória e suas classificações totalizam nove (09) dos treze (13) trabalhos estudados, ou seja, há uma ocorrência do termo memória em 70% das dissertações, o que ajuda a identificar que existe uma preocupação dos discentes em dialogar com a área de concentração do referido programa. Pensando em uma categorização dessas palavras-chave em um grupo maior, nota-se que os discentes estão voltados para pesquisas do estudo da memória e suas nuances; aos aspectos que tangem a informação como objeto central; a comunicação científica e as tecnologias de informação e comunicação. Tabela 2 - Palavras-chave das dissertações Palavras-chave Quantidade de ocorrência Palavras-chave Quantidade de ocorrência Memória 7 Ladjane Bandeira 1 Informação 4 Literatura de cordel 1 Ciência da Informação 2 Gestão da informação 1 Interdisciplinaridade 2 ENANCIB 1 Políticas públicas 2 Biopaisagem 1 FUNDARPE 2 Manifestações Culturais 1 Esquecimento 1 Certificação digital 1 Junta Comercial do Estado de 1 Temas da Ciência da 1 Pernambuco Informação Marcas registradas históricas 1 Memória da informação 1 científica Web semântica 1 Tecnologia da informação 1 Metadados 1 Documento eletrônico 1 Ontologias 1 Preservação 1 Sudene 1 Microfilme e digital 1 Educação 1 Repositório institucional 1 Periódicos científicos 1 Comunidade Quilombola 1 eletrônicos Nêgo do Timbó Políticas de gestão 1 Comunicação científica 1 Publicações científicas 1 Memória institucional 1 Tecnologia da informação 1 Representação da 1 e comunicação TIC Informação Memória organizacional 1 Preservação digital 1 Inteligência competitiva 1 Acesso livre 1 Cultura 1 Fonte: Pesquisa in loco Assim, em um total de 54 palavras-chave e diante desta breve análise sobre sua ocorrência, pode-se afirmar que existe uma linha de abordagem aproximada entre as pesquisas e o programa aqui analisado, uma vez que a área de concentração é Informação, Memória e Tecnologia.

12 6 CONSIDERAÇÕES FINAIS Ao trabalhar com domínios especialmente no contexto da análise de documentos, é pertinente salientar a atividade para a análise de assuntos destes documentos. De acordo com a abordagem domínio-analítica, um documento pode servir para diferentes grupos de usuários que podem utilizá-lo para propósitos diversos. (RIBEIRO, 2001, p. 120). Neste sentido, os assuntos não precisam ser identificados de forma individualista, generalista, mas devem, entretanto ser atinentes aos interesses dos seus respectivos usuários que estão sobre análise de domínio em estudo. Assim, esse trabalho se configurou com o propósito de identificar quais as temáticas, materiais de análise, citação e outros, nas dissertações dos discentes do PPGCI/UFPE estão em evidência. Esta análise serviu para identificar que esses trabalhos estão dialogando com a área de concentração e linhas de pesquisa do programa supracitado, ou seja, este trabalho foi desenvolvido visando procurar identificar, capturar, organizar e representar toda a informação relevante deste domínio. Já que a análise de domínio deve cobrir, dentre outros esforços, a análise, o entendimento, a formulação e exteriorização de uma situação (RIBEIRO, 2001, p. 121). À vista dos resultados, a análise de domínio é uma interessante abordagem, especialmente pertinente para a pesquisa em CI, pois permite a identificação das configurações dos estudos epistemológicos da área, bem como estudos dos processos sociais que permeiam a construção da área, tendo em vista a produção e comunicação científica. Em suma, pode-se asseverar que foi possível através deste estudo mapear a configuração das dissertações do PPGCI/UFPE, tendo em vista a abordagem de análise de domínio. Cabe destacar também que a pesquisa, embora esteja em andamento já evidencia alguns resultados conforme apresentados ao longo deste estudo. Dessa maneira, pretende-se contribuir para PPGCI no intuito de fornecer subsídios para a discussão entre o corpo docente e discente sobre a continuidade e aproximações de conteúdos tão necessários à área.

13 REFERÊNCIAS ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. São Paulo: Martins Fonte, ARAÚJO, Eliany Alvarenga de. A construção social da informação: dinâmicas e contextos. Datagramazero Revista de Ciência da Informação, v. 2, n. 5, out Disponível em: < Acesso em: 02 nov BUCKLAND, M. Information as thing. Journal of the American Society for Information Science, v.42, n.5, p , CAMPOS, L.F.B. VENÂNCIO, L.S. Perspectivas em (in)formação: tendências e tensões entre abordagens físicas, cognitivistas e emergentes. TransInformação, Campinas, 19(2): , maio/ago CAPURRO, R. Epistemologia e Ciência da informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 5., Belo Horizonte, Anais... Belo Horizonte: UFMG, Disponível em: <http://www.capurro.de/enancib_p.htm>. Acesso em: 06 out GIL, Antonio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 5. ed. São Paulo: Atlas, GUIMARÃES, José Augusto Chaves. Abordagens teóricas de tratamento temático da informação (TTI): catalogação de assunto, indexação e análise documental. Ibersib, p , HJØRLAND, Biger; ALBRECHTSEN, Hanne. Toward a new horizon in information science: domain-analysis. Journal of the American Society for Information Science, v. 46, n. 6, p , Information seeking and subject representation: an activity-theoretical approach to Information Science. New York: Greenwood Press, Domain analysis in information science: eleven approaches traditional as well as innovative. Journal of Documentation, v.58, n.4, p , Domain analysis in information science. In: KENT, A. Encyclopedia of library and information science. New York: Marcel Dekker, p Disponível em: <www.dekker.com/servlet/product/doi/101081eelis >. Acesso em: 2 out LE COADIC, Yves-François. A ciência da informação. Brasília: Brinquet de Lemos, MACIAS-CHAPULA, Cesar A. O papel da informetria e da cienciometria e sua perspectiva nacional e internacional. Ci. Inf., Brasília, v. 27, n. 2, p , maio/ago POLANCO, Xavier. Aux sources de la scientométrie: bibliometrie, scientometrie, infometrie, [S. l.], n. 2, Disponível em: <http://www.info.unicaen.fr/bnum/jelec/solaris/ d02/2polanco1.html>. Acesso em: 22 nov

14 RIBEIRO, C. J. S. Em busca da organização do conhecimento: a gestão da informação nas bases de dados da Previdência Social Brasileira com o uso da abordagem de Análise de Domínio. 2001, 173 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) Convênio UFRJ/IBICT, Rio de Janeiro, RODRIGUES, Auro de Jesus. Metodologia científica. São Paulo: Avercamp, SANTOS, R. N. M.; KOBASHI, N. Y. Aspectos metodológicos da produção de indicadores em ciência e tecnologia. In: VI Encontro Nacional de Ciência da Informação, 2005, Salvador. Informação, Conhecimento e Sociedade Digital, TENNIS, J. T. Two Axes of Domains for Domain Analysis. In Knowledge Organization. v. 30, n. 3, p , UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Programa de Pós Graduação e Ciência da Informação. Disponível em: <http://www.ufpe.br/ppgci/index.php?option=com_content&view=article&id=300&itemid=1 75>. Acesso em: 01 dez VANTI, Nadia Aurora Peres. Da bibliometria à webometria: uma explosão conceitual dos mecanismos utilizados para medir o registro da informação e a difusão do conhecimento. Ciência da Informação, Brasília, v. 31, n. 2, p , maio/ago

Universidade Estadual Paulista Faculdade de Filosofia e Ciências Campus de Marília Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento

Universidade Estadual Paulista Faculdade de Filosofia e Ciências Campus de Marília Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento 1 Universidade Estadual Paulista Faculdade de Filosofia e Ciências Campus de Marília Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento Referência do texto para discussão: BRASCHER, Marisa;

Leia mais

Análise da produção científica dos docentes do Departamento de Ciência da Informação da UFPE indexada no portal de periódicos da capes.

Análise da produção científica dos docentes do Departamento de Ciência da Informação da UFPE indexada no portal de periódicos da capes. Análise da produção científica dos docentes do Departamento de Ciência da Informação da UFPE indexada no portal de periódicos da capes. Natanael Vitor Sobral (UFPE) natan_sobral@yahoo.com.br Ielma Costa

Leia mais

05/05/2015. Recuperação de Informação

05/05/2015. Recuperação de Informação Recuperação de Informação Recuperação de Informação Recuperar consiste em identificar, em um conjunto de documentos (corpus), quais atendem à necessidade de do usuário. O usuário de um sistema de recuperação

Leia mais

SOBRE A PRODUÇÃO DE PESQUISAS EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA COM VIÉS FINANCEIRO ESCOLAR.

SOBRE A PRODUÇÃO DE PESQUISAS EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA COM VIÉS FINANCEIRO ESCOLAR. ISSN 2316-7785 SOBRE A PRODUÇÃO DE PESQUISAS EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA COM VIÉS FINANCEIRO ESCOLAR. Rodrigo Martins de Almeida Instituo Estadual de Educação de Juiz de Fora (IEE/JF) rodrigomartinsdealmeida@yahoo.com.br

Leia mais

A INDEXAÇÃO NO TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO DOCUMENTAL DE DOMÍNIOS ESPECÍFICOS: UM ESTUDO EM CONTEXTO DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS (1)

A INDEXAÇÃO NO TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO DOCUMENTAL DE DOMÍNIOS ESPECÍFICOS: UM ESTUDO EM CONTEXTO DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS (1) A INDEXAÇÃO NO TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO DOCUMENTAL DE DOMÍNIOS ESPECÍFICOS: UM ESTUDO EM CONTEXTO DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS (1) Mariana de Oliveira Inácio 1, Mariângela Spotti Lopes Fujita 2 1 Mestranda,

Leia mais

A CLASSIFICAÇÃO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA ATRAVÉS DO QUALIS i

A CLASSIFICAÇÃO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA ATRAVÉS DO QUALIS i XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS (SNBU) Salvador, BA, 22 a 27 de outubro de 2006 Tema central: Acesso Livre à Informação Científica e Bibliotecas Universitárias Eixo temático: Sub-tema:

Leia mais

REDE COLABORATIVA DOS PESQUISADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA NO BRASIL

REDE COLABORATIVA DOS PESQUISADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA NO BRASIL PÔSTER REDE COLABORATIVA DOS PESQUISADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA NO BRASIL Jane Coelho Danuello, Jesús Pascual Mena-Chalco, Ely Francina Tannuri Oliveira Resumo: Esta pesquisa

Leia mais

ANÁLISE DE CITAÇÕES EM LITERATURA INGLESA NAS DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE MESTRADO EM BIOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

ANÁLISE DE CITAÇÕES EM LITERATURA INGLESA NAS DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE MESTRADO EM BIOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA ANÁLISE DE CITAÇÕES EM LITERATURA INGLESA NAS DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE MESTRADO EM BIOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Eixo temático: Análise de Citação Modalidade: Apresentação oral 1 INTRODUÇÃO

Leia mais

ANÁLISE DE DOMÍNIO HJØRLANDIANA SOB A LUZ DA FILOSOFIA DE DELEUZE DOMAIN ANALYSIS HJØRLANDIAN UNDER THE LIGHT OF PHILOSOPHY OF DELEUZE

ANÁLISE DE DOMÍNIO HJØRLANDIANA SOB A LUZ DA FILOSOFIA DE DELEUZE DOMAIN ANALYSIS HJØRLANDIAN UNDER THE LIGHT OF PHILOSOPHY OF DELEUZE 1044 ANÁLISE DE DOMÍNIO HJØRLANDIANA SOB A LUZ DA FILOSOFIA DE DELEUZE DOMAIN ANALYSIS HJØRLANDIAN UNDER THE LIGHT OF PHILOSOPHY OF DELEUZE Igor Soares Amorim Lígia Maria Arruda Café Resumo: A Análise

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

TEMÁTICAS DAS DISSERTAÇÕES DA PÓS- GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO DA UFPB 2008/2012

TEMÁTICAS DAS DISSERTAÇÕES DA PÓS- GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO DA UFPB 2008/2012 TEMÁTICAS DAS DISSERTAÇÕES DA PÓS- GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO DA UFPB 2008/2012 Ana Claudia Medeiros de Sousa RESUMO: Esta pesquisa descreve o perfil da produção científica do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

A Arquivologia como campo de pesquisa: desafios e perspectivas. José Maria Jardim Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO

A Arquivologia como campo de pesquisa: desafios e perspectivas. José Maria Jardim Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO A Arquivologia como campo de pesquisa: desafios e perspectivas José Maria Jardim Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO A indissociabilidade entre ensino/produção/difusão do conhecimento

Leia mais

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo:

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo: 3 METODOLOGIA Apresenta-se a seguir a descrição da metodologia utilizada neste trabalho com o objetivo de expor os caminhos que foram percorridos não só no levantamento dos dados do estudo como também

Leia mais

PERFIL DO PROFISSIONAL ARQUIVISTA PARA ATUAR COM A GESTÃO DOCUMENTAL EM AMBIENTES EMPRESARIAIS

PERFIL DO PROFISSIONAL ARQUIVISTA PARA ATUAR COM A GESTÃO DOCUMENTAL EM AMBIENTES EMPRESARIAIS PERFIL DO PROFISSIONAL ARQUIVISTA PARA ATUAR COM A GESTÃO DOCUMENTAL EM AMBIENTES EMPRESARIAIS CARDOSO, Débora Regina 1 debora.cardoso@click21.com.br VALENTIM, Marta Lígia Pomim 2 valentim@marilia.unesp.br

Leia mais

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA.

O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. O SERVIÇO SOCIAL NA UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO: ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO DE CIDADANIA. Profa. Elizabeth Rodrigues Felix 1 I- INTRODUÇÃO Com dezoito anos de existência, o

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS DELIBERAÇÃO Nº 013/2015 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Produção científica em Ciência da Informação: análise da literatura citada em dissertações de mestrado e teses de doutorado 1

Produção científica em Ciência da Informação: análise da literatura citada em dissertações de mestrado e teses de doutorado 1 Produção científica em Ciência da Informação: análise da literatura citada em dissertações de mestrado e teses de doutorado 1 Daisy Pires Noronha (PPGCI/ECA/USP) Fernanda Miranda de Moraes (PPGCI/ECA/USP)

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA:

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA

Leia mais

DOUTORADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS

DOUTORADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS DOUTORADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS Tópicos Avançados em Memória Social 45 Tópicos Avançados em Cultura 45 Tópicos Avançados em Gestão de Bens Culturais 45 Seminários

Leia mais

ESTUDO DA CONSTRUÇÃO DA TAXONOMIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS 1

ESTUDO DA CONSTRUÇÃO DA TAXONOMIA DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DIRETÓRIO ACADÊMICO DE BIBLIOTECONOMIA IV Encontro Regional de Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência

Leia mais

MAPAS CONCEITUAIS NAS PESQUISAS DO NÚCLEO DE ETNOGRAFIA EM EDUCAÇÃO

MAPAS CONCEITUAIS NAS PESQUISAS DO NÚCLEO DE ETNOGRAFIA EM EDUCAÇÃO MAPAS CONCEITUAIS NAS PESQUISAS DO NÚCLEO DE ETNOGRAFIA EM EDUCAÇÃO Autor: Riselda Maria de França Oliveira Universidade Estadual do Rio de Janeiro - riseldaf@hotmail.com Co-autor: Marcelo Alex de Oliveira

Leia mais

PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DE EXCELÊNCIA NO BRASIL: colaboração internacional e impacto na área de Zootecnia

PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DE EXCELÊNCIA NO BRASIL: colaboração internacional e impacto na área de Zootecnia PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DE EXCELÊNCIA NO BRASIL: colaboração internacional e impacto na área de Zootecnia Fabio Sampaio Rosas (UNESP) fabiosrosas@hotmail.com Maria Cláudia Cabrini

Leia mais

A importância da Informática na Educação

A importância da Informática na Educação A importância da Informática na Educação AGUIAR, Juliana Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais FAEG - Rua das Flores, 740 Bairro Labienópolis - CEP 17400-000 Garça (SP) Brasil Telefone

Leia mais

As Categorias Comparadas

As Categorias Comparadas Capítulo 2 As Categorias Comparadas Ao aplicar e analisar as respostas aos instrumentos do Diagnóstico da Extensão Universitária Brasileira 2005, a CPAE concluiu pela viabilidade de realizar um estudo

Leia mais

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia.

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Introdução Sávio Marcos Garbin Considerando-se que no contexto atual a turbulência é a normalidade,

Leia mais

O VOCABULÁRIO CONTROLADO COMO INSTRUMENTO DE ORGANIZAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA INFORMAÇÃO NA FINEP

O VOCABULÁRIO CONTROLADO COMO INSTRUMENTO DE ORGANIZAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA INFORMAÇÃO NA FINEP C O M U N I C A Ç Ã O O R A L O VOCABULÁRIO CONTROLADO COMO INSTRUMENTO DE ORGANIZAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DA INFORMAÇÃO NA FINEP Tatiana Almeida Rosali Fernandes Souza Resumo: possui potencial relevante de

Leia mais

Biblioteca Virtual em Medicina Veterinária e Zootecnia

Biblioteca Virtual em Medicina Veterinária e Zootecnia Biblioteca Virtual em Medicina Veterinária e Zootecnia Elaborado por: Rosa Maria Fischi São Paulo 2008 Coordenação: Universidade de São Paulo Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia Biblioteca Virginie

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO

CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO CONSIDERAÇÕES SOBRE O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM DO ESPORTE NA ESCOLA POR MEIO DE UM ESTUDO DE CASO FINCK, Silvia Christina Madrid (UEPG) 1 TAQUES, Marcelo José (UEPG) 2 Considerações iniciais Sabemos

Leia mais

ANÁLISE DE CONTEÚDO SOBRE O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO NA UEPB: UM ESTUDO A PARTIR DO CURSO DE PSICOLOGIA

ANÁLISE DE CONTEÚDO SOBRE O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO NA UEPB: UM ESTUDO A PARTIR DO CURSO DE PSICOLOGIA ANÁLISE DE CONTEÚDO SOBRE O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO NA UEPB: UM ESTUDO A PARTIR DO CURSO DE PSICOLOGIA Laércia Maria Bertulino de Medeiros Universidade Estadual da Paraíba

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO 1 EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO MESTRADO: A) DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DAS LINHAS 1 e 2: Organizações e Estratégia e Empreendedorismo e Mercado

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

O Comportamento informacional dos pós-graduandos em Ciências Sócias e Humanas: um estudo com os pós-graduandos da UNESP de Marília.

O Comportamento informacional dos pós-graduandos em Ciências Sócias e Humanas: um estudo com os pós-graduandos da UNESP de Marília. O Comportamento informacional dos pós-graduandos em Ciências Sócias e Humanas: um estudo com os pós-graduandos da UNESP de Marília. Eixo Temático: Livre Nome: Etiene Siqueira de Oliveira - Bolsista: PIBIC/CNPq

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR NO ENSINO MÉDIO. - práticas, saberes e habitus -

EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR NO ENSINO MÉDIO. - práticas, saberes e habitus - EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR NO ENSINO MÉDIO - práticas, saberes e habitus - Fabíola Santini Takayama do Nascimento Mestranda em Educação da PUCGOIÁS e Técnica em Assuntos Educacionais do IFG - Campus Inhumas

Leia mais

A PRODUÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS SOBRE A LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO Nº 12.527/2011: Um estudo na Plataforma Lattes

A PRODUÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS SOBRE A LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO Nº 12.527/2011: Um estudo na Plataforma Lattes A PRODUÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS SOBRE A LEI DE ACESSO À INFORMAÇÃO Nº 2.527/20: Um estudo na Plataforma Lattes Kátia Santiago Ventura (UFPE) ksvkatia@gmail.com Guilherme Alves de Santana (UFPE) guilherme.alves.santana@gmail.com

Leia mais

Análise da produção bibliográfica em Design no Brasil: impacto científico

Análise da produção bibliográfica em Design no Brasil: impacto científico Análise da produção bibliográfica em Design no Brasil: impacto científico Carlos Henrique Gonçalves (UNESC/FAAP) chcg@uol.com.br Roberval Bráz Padovan (UNESC/FAAP) am_padovan@terra.com.br Simone Thereza

Leia mais

FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO II SEMINÁRIO DE PESQUISA DA FESPSP

FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO II SEMINÁRIO DE PESQUISA DA FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO II SEMINÁRIO DE PESQUISA DA FESPSP PRODUÇÃO CIENTÍFICA EM ORGANIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO EM PERIÓDICOS BRASILEIROS DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO (000-00) Solange

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA Coordenadora do Curso: Prof a Maria Cláudia Alves Guimarães IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. Denominação

Leia mais

AS NOVAS DIRETRIZES PARA O ENSINO MÉDIO E SUA RELAÇÃO COM O CURRÍCULO E COM O ENEM

AS NOVAS DIRETRIZES PARA O ENSINO MÉDIO E SUA RELAÇÃO COM O CURRÍCULO E COM O ENEM AS NOVAS DIRETRIZES PARA O ENSINO MÉDIO E SUA RELAÇÃO COM O CURRÍCULO E COM O ENEM MARÇO/ABRIL/2012 Considerações sobre as Novas Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio Resolução CNE/CEB

Leia mais

Um panorama dos Programas de pós-graduação da área de Ensino de Ciências e Matemática no Rio Grande do Sul

Um panorama dos Programas de pós-graduação da área de Ensino de Ciências e Matemática no Rio Grande do Sul Um panorama dos Programas de pós-graduação da área de Ensino de Ciências e Matemática no Rio Grande do Sul Resumo A prospect of Postgraduate programs of Science and Mathematics teaching in Rio Grande do

Leia mais

A AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NA PÓS-GRADUAÇÃO E O PROCESSO DE ORIENTAÇÃO

A AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NA PÓS-GRADUAÇÃO E O PROCESSO DE ORIENTAÇÃO A AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NA PÓS-GRADUAÇÃO E O PROCESSO DE ORIENTAÇÃO RESUMO Maria Lucia Indjaian Universidade Presbiteriana Mackenzie Marcos T.Masetto Universidade Presbiteriana Mackenzie Este trabalho

Leia mais

A INFLUENCIA DO ESTÁGIO VOLUNTÁRIO NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO ENFERMEIRO

A INFLUENCIA DO ESTÁGIO VOLUNTÁRIO NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO ENFERMEIRO A INFLUENCIA DO ESTÁGIO VOLUNTÁRIO NA FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO ENFERMEIRO Elizabeth Braz Fabiana Gonçalves de Oliveira Azevedo Matos Vanessa Barros Santi Annelise de Oliveira Rodrigues Priscila Conde Bogo

Leia mais

ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DE DEZ ANOS DOS CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS DO DESENVOLVIMENTO.

ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DE DEZ ANOS DOS CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS DO DESENVOLVIMENTO. ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DE DEZ ANOS DOS CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS DO DESENVOLVIMENTO. ANALYSES OF TEN YEARS OF SCIENTIFIC PRODUCTION OF THE JOURNAL CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS

Leia mais

VOCABULÁRIO SOBRE CONTROLE EXTERNO: PROPOSTA DE UMA LISTA DE AUTORIDADES DE ASSUNTOS 1

VOCABULÁRIO SOBRE CONTROLE EXTERNO: PROPOSTA DE UMA LISTA DE AUTORIDADES DE ASSUNTOS 1 XVI Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (XVI ENANCIB) ISSN 2177-3688 GT 2 Organização e Representação do Conhecimento Pôster VOCABULÁRIO SOBRE CONTROLE EXTERNO: PROPOSTA DE UMA LISTA

Leia mais

O ENVOLVIMENTO DOS DOCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL COM OS LETRAMENTOS DIGITAIS 1

O ENVOLVIMENTO DOS DOCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL COM OS LETRAMENTOS DIGITAIS 1 O ENVOLVIMENTO DOS DOCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL COM OS LETRAMENTOS DIGITAIS 1 Bruno Ciavolella Universidade Estadual de Maringá RESUMO: Fundamentado na concepção dialógica de linguagem proposta pelo

Leia mais

REALIZAÇÃO DE TRABALHOS INTERDISCIPLINARES GRUPOS DE LEITURA SUPERVISIONADA (GRULES)

REALIZAÇÃO DE TRABALHOS INTERDISCIPLINARES GRUPOS DE LEITURA SUPERVISIONADA (GRULES) REALIZAÇÃO DE TRABALHOS INTERDISCIPLINARES GRUPOS DE LEITURA SUPERVISIONADA (GRULES) 1 APRESENTAÇÃO Este manual é um documento informativo visando orientar a comunidade acadêmica quanto ao processo de

Leia mais

Currículo nº2 DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

Currículo nº2 DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Turno: INTEGRAL Currículo nº2 Reconhecido pelo Decreto Federal n 82.413, de 16.10.78, D.O.U. nº198 de 17.10.78. Renovação de Reconhecimento Decreto Est. nº. 1064, de 13.04.11 DOE

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DE CATEGORIAS INFORMACIONAIS PARA REPRESENTAÇÃO DE IMAGENS FOTOGRÁFICAS FIXAS EM BANCOS DE IMAGENS COMERCIAIS

IDENTIFICAÇÃO DE CATEGORIAS INFORMACIONAIS PARA REPRESENTAÇÃO DE IMAGENS FOTOGRÁFICAS FIXAS EM BANCOS DE IMAGENS COMERCIAIS P Ô S T E R IDENTIFICAÇÃO DE CATEGORIAS INFORMACIONAIS PARA REPRESENTAÇÃO DE IMAGENS FOTOGRÁFICAS FIXAS EM BANCOS DE IMAGENS COMERCIAIS Joice Cleide Cardoso Ennes de Souza, Rosali Fernandez de Souza Resumo:

Leia mais

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL

DISCIPLINAS DE FORMAÇÃO BÁSICA GERAL CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Turno: INTEGRAL Currículo nº Reconhecido pelo Decreto Federal n 8.1, de 16.10.78, D.O.U. nº198 de 17.10.78. Renovação de Reconhecimento Decreto Est. nº. 106, de 1.0.11 DOE nº 85

Leia mais

PROJETO MINHAS CITAÇÕES : desenvolvimento de uma base de dados on-line para armazenamento de registros de leitura

PROJETO MINHAS CITAÇÕES : desenvolvimento de uma base de dados on-line para armazenamento de registros de leitura TRABALHO ORAL IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA Uso estratégico das tecnologias em informação documentária PROJETO MINHAS CITAÇÕES : desenvolvimento de uma base

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO 1 MESTRADO: EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO MESTRADO e DOUTORADO A) DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DAS LINHAS 1 e 2: Estudos Organizacionais e Sociedade e Marketing e Cadeias

Leia mais

Expandindo o conceito de biblioteca: interoperabilidade, personalização, curadoria digital e novos documentos

Expandindo o conceito de biblioteca: interoperabilidade, personalização, curadoria digital e novos documentos II ENCONTRO DE BIBLIOTECÁRIOS DA AERONÁUTICA - FAB Expandindo o conceito de biblioteca: interoperabilidade, personalização, curadoria digital e novos documentos ou a Biblioteca na Porta da Geladeira Luana

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DA PESQUISA-AÇÃO PARA OBTENÇÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

A CONTRIBUIÇÃO DA PESQUISA-AÇÃO PARA OBTENÇÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA A CONTRIBUIÇÃO DA PESQUISA-AÇÃO PARA OBTENÇÃO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Daniela GIBERTONI 1 RESUMO A inovação tecnológica continua a ser um desafio para as empresas e para o desenvolvimento do país. Este

Leia mais

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL.

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. TayaraCrystina P. Benigno, UERN; tayara_bbg@hotmail.com Emerson Carlos da Silva, UERN; emersoncarlos90@hotmail.com

Leia mais

Apresentação das pesquisas

Apresentação das pesquisas 1 A EDUCAÇÃO DE ADOLESCENTES, JOVENS E ADULTOS NA REDE MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE GOIÂNIA - A PROPOSTA: A ESCOLA, O PROFESSOR E O ALUNO GOMES, Dinorá de Castro UCG gomes.diza@gmail.com COSTA, Cláudia Borges

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO BRASIL: EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA. Abril/2007

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO BRASIL: EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA. Abril/2007 EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NO BRASIL: EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA Abril/2007 Elaine Maria dos Santos - USP/SC-Unicentro - elaine-maria@uol.com.br José Dutra de Oliveira Neto - USP/RP - dutra@usp.br Elenise

Leia mais

Estudo do processo de comunicação, de construção e de uso da informação no contexto da Ciência da Informação

Estudo do processo de comunicação, de construção e de uso da informação no contexto da Ciência da Informação Estudo do processo de comunicação, de construção e de uso da informação no contexto da Ciência da Informação Andressa Mello Davanso Faculdade de Biblioteconomia Centro de Ciências Humanas Sociais Aplicadas

Leia mais

AVALIAÇÃO DA CONSISTÊNCIA DA CATALOGAÇÃO DE ASSUNTO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO INSTITUTO DE BIOLOGIA DA UNICAMP

AVALIAÇÃO DA CONSISTÊNCIA DA CATALOGAÇÃO DE ASSUNTO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO INSTITUTO DE BIOLOGIA DA UNICAMP AVALIAÇÃO DA CONSISTÊNCIA DA CATALOGAÇÃO DE ASSUNTO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO INSTITUTO DE BIOLOGIA DA UNICAMP Paula Regina Dal Evedove 1, Roberta Cristina Dal Evedove Tartarotti 2 1 Doutoranda do Programa

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PEDAGOGIA Disciplina: Comunicação e Expressão Ementa: A leitura como vínculo leitor/texto através do conhecimento veiculado pelo texto escrito. Interpretação:

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

principalmente na UFES (três), na UFSCar (dois) e a UERJ (dois). Em 2005 a produção tem ápice com doze estudos em diferentes universidades.

principalmente na UFES (três), na UFSCar (dois) e a UERJ (dois). Em 2005 a produção tem ápice com doze estudos em diferentes universidades. A PRODUÇÃO CIENTÍFICA EM EDUCAÇÃO ESPECIAL/INCLUSÃO ESCOLAR NA PERSPECTIVA DA PESQUISA-AÇÃO: REFLEXÕES A PARTIR DE SEUS CONTEXTOS Mariangela Lima de Almeida UFES Agência Financiadora: FAPES Num contexto

Leia mais

INFORMAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS a pesquisa empírica em Portais Corporativos

INFORMAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS a pesquisa empírica em Portais Corporativos INFORMAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS a pesquisa empírica em Portais Corporativos Cláudia Peixoto de Moura Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PUCRS E-mail: cpmoura@pucrs.br Resumo do Trabalho:

Leia mais

Artigos Organização das fontes de informação jurídica na perspectiva do GIDJ/SP

Artigos Organização das fontes de informação jurídica na perspectiva do GIDJ/SP 27 Artigos Organização das fontes de informação jurídica na perspectiva do GIDJ/SP Andréia Gonçalves Silva Bibliotecária do escritório Lazzareschi Advogados Docente da Faculdade de Biblioteconomia e Ciência

Leia mais

CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: O QUE É ISTO? RESUMO

CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: O QUE É ISTO? RESUMO CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: O QUE É ISTO? Harold Borko Equipe de Tecnologia e Sistemas de Informação System Development Corp. Santa Monica, California RESUMO Buscando um novo consenso quanto à identidade, questionamos,

Leia mais

A DIDÁTICA NA FORMAÇÃO DOCENTE: ENTRE A INOVAÇÃO TÉCNICA E A EDIFICANTE

A DIDÁTICA NA FORMAÇÃO DOCENTE: ENTRE A INOVAÇÃO TÉCNICA E A EDIFICANTE A DIDÁTICA NA FORMAÇÃO DOCENTE: ENTRE A INOVAÇÃO TÉCNICA E A EDIFICANTE Ilma Passos Alencastro Veiga 1 Edileuza Fernandes da Silva 2 Odiva Silva Xavier 3 Rosana César de Arruda Fernandes 4 RESUMO: O presente

Leia mais

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas.

2. Disseminar o conhecimento gerado no Instituto Federal do Amazonas. Extensão ETENSÃO A implementação da politica de Extensão, no Instituto Federal do Amazonas reafirma a missão deste Instituto e seu comprometimento com o desenvolvimento local e regional promovendo a integração

Leia mais

O ENSINO DE FRAÇÕES SEGUNDO A OPINIÃO DOCENTE

O ENSINO DE FRAÇÕES SEGUNDO A OPINIÃO DOCENTE O ENSINO DE FRAÇÕES SEGUNDO A OPINIÃO DOCENTE Nazaré do Socorro Moraes da Silva Universidade do Estado do Para/UEPA Secretaria Executiva de Educação/SEDUC nazaresocorro@hotmail.com Elise Cristina Pinheiro

Leia mais

Mensagens de correio eletrônico identificadas como documento arquivístico e Preservação Digital

Mensagens de correio eletrônico identificadas como documento arquivístico e Preservação Digital Mensagens de correio eletrônico identificadas como documento arquivístico e Preservação Digital Sérgio R. da S. Rodrigues - UFSM - Santa Maria, RS, Brasil Prof. Dr. Daniel Flores - UFSM - Santa Maria,

Leia mais

A INTERDISCIPLINARIDADE DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO NO BRASIL A PARTIR DA FORMAÇÃO DE SEUS PROFESSORES

A INTERDISCIPLINARIDADE DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO NO BRASIL A PARTIR DA FORMAÇÃO DE SEUS PROFESSORES GT 1: Estudos Históricos e Epistemológicos da Ciência da Informação Modalidade de apresentação: Comunicação Oral A INTERDISCIPLINARIDADE DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO NO BRASIL A PARTIR DA FORMAÇÃO DE SEUS

Leia mais

CORPO DE CONHECIMENTO DEMANDADO AO BIBLIOTECÁRIO PELO MERCADO DE TRABALHO

CORPO DE CONHECIMENTO DEMANDADO AO BIBLIOTECÁRIO PELO MERCADO DE TRABALHO CORPO DE CONHECIMENTO DEMANDADO AO BIBLIOTECÁRIO PELO MERCADO DE TRABALHO Marcele Aparecida Tinelli 1, Roniberto Morato do Amaral 2 1 Graduanda em Biblioteconomia e Ciência da Informação, UFSCar, São Carlos,

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA Á EDUCAÇÃO. Luis Carlos Azevedo 1 RESUMO

CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA Á EDUCAÇÃO. Luis Carlos Azevedo 1 RESUMO CONTRIBUIÇÕES DA PSICOLOGIA Á EDUCAÇÃO Luis Carlos Azevedo 1 RESUMO Este artigo apresenta como objeto de as pesquisas sobre as Contribuições da Psicologia à Educação. O objetivo foi analisar a produção

Leia mais

A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR

A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR GLEICE PEREIRA (UFES). Resumo Com o objetivo de apresentar considerações sobre a formação do bibliotecário escolar, esta pesquisa analisa o perfil dos alunos do Curso

Leia mais

USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTROLADORIA E CONTABILIDADE

USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTROLADORIA E CONTABILIDADE USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTROLADORIA E CONTABILIDADE Disciplina: Inteligência Competitiva Aplicada aos Sistemas

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

A influência das Representações Sociais na Docência no Ensino Superior

A influência das Representações Sociais na Docência no Ensino Superior A influência das Representações Sociais na Docência no Ensino Superior Eixo temático 2: Formação de professores e cultura digital ZAIDAN, Lílian Araújo Ferreira 1 VIEIRA, Vânia Maria de Oliveira 2 No ensino

Leia mais

Inovação no acervo e acesso de informações: o sistema de repositório institucional nos Tribunais de Contas do Brasil

Inovação no acervo e acesso de informações: o sistema de repositório institucional nos Tribunais de Contas do Brasil Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) Inovação no acervo e acesso de informações: o sistema de repositório institucional nos Tribunais de Contas do Brasil Sílvia Maria Berté Volpato (TCE/SC) - silviaberte@hotmail.com

Leia mais

PROJOVEM E INCLUSÃO DIGITAL: UM ESTUDO SOBRE AS REPERCUSSÕES DO PROGRAMA NA FORMAÇÃO DOS JOVENS ATENDIDOS NO RECIFE

PROJOVEM E INCLUSÃO DIGITAL: UM ESTUDO SOBRE AS REPERCUSSÕES DO PROGRAMA NA FORMAÇÃO DOS JOVENS ATENDIDOS NO RECIFE PROJOVEM E INCLUSÃO DIGITAL: UM ESTUDO SOBRE AS REPERCUSSÕES DO PROGRAMA NA FORMAÇÃO DOS JOVENS ATENDIDOS NO RECIFE Maria do Rozario Gomes da Mota Silva Orientadora: Profª Drª Márcia Ângela da Silva Aguiar

Leia mais

Portfólio Easy to Learn SERVIÇO SOCIAL

Portfólio Easy to Learn SERVIÇO SOCIAL Portfólio Easy to Learn SERVIÇO SOCIAL ÍNDICE Pensamento Social...2 Movimentos Sociais e Serviço Social...2 Fundamentos do Serviço Social I...2 Leitura e Interpretação de Textos...3 Metodologia Científica...3

Leia mais

CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO NO PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES: estudo bibliométrico para avaliação da coleção

CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO NO PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES: estudo bibliométrico para avaliação da coleção CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO NO PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES: estudo bibliométrico para avaliação da coleção Wesley Rodrigo Fernandes 1, Beatriz Valadares Cendón 2 1 Mestrando ECI/UFMG e Bibliotecário da Faculdade

Leia mais

MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS. 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias

MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS. 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias C/H Memória Social 45 Cultura 45 Seminários de Pesquisa 45 Oficinas de Produção e Gestão Cultural 45 Orientação

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL DE PSICOLOGIA NO CONTEXTO ESCOLAR

A IMPORTÂNCIA DA ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL DE PSICOLOGIA NO CONTEXTO ESCOLAR A IMPORTÂNCIA DA ATUAÇÃO DO PROFISSIONAL DE PSICOLOGIA NO CONTEXTO ESCOLAR Larissa Brito da Silva, Waleria Maria de Sousa Paulino, Stefania Germano Dias, Flavio Pereira de Oliveira, Leilane Menezes Maciel

Leia mais

CURSO DE MESTRADO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL

CURSO DE MESTRADO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL b CURSO DE MESTRADO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL A UNASUR UNIVERSIDAD AUTÓNOMA DEL SUR em parceria com a MASTER ASSESSORIA EDUCACIONAL criou o Curso de Mestrado em Comunicação Social, na intenção de suprir a

Leia mais

Um olhar sobre a Educomunicação enquanto prática em expansão

Um olhar sobre a Educomunicação enquanto prática em expansão Um olhar sobre a Educomunicação enquanto prática em expansão Cláudio Messias 1 Resumo Investigamos, por meio de pesquisa quantitativa e qualitativa, referenciais que dão sustentação à expansão da prática

Leia mais

ESTUDO SOBRE A APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA NA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES

ESTUDO SOBRE A APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA NA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES ESTUDO SOBRE A APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA NA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES Nara Dias Brito 1 ; Daniel Mill 2 Grupo 2.1. Docência na educação a distância: Formação

Leia mais

A GESTÃO DE DOCUMENTOS COMO UM DOS FUNDAMENTOS PARA A INTELIGÊNCIA COMPETITIVA

A GESTÃO DE DOCUMENTOS COMO UM DOS FUNDAMENTOS PARA A INTELIGÊNCIA COMPETITIVA A GESTÃO DE DOCUMENTOS COMO UM DOS FUNDAMENTOS PARA A INTELIGÊNCIA COMPETITIVA Renato Tarciso Barbosa de Sousa Universidade de Brasília renasou@unb.br A organização 1. Os fatos 2. O Discurso 3. As considerações

Leia mais

Informação: Conceitos e Fundamentação Teórica

Informação: Conceitos e Fundamentação Teórica Informação: Conceitos e Fundamentação Teórica PROFA. LILLIAN ALVARES FACULDADE DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Etimologia A palavra informar vem do latim informare, que significa colocar

Leia mais

Universidade Federal do Maranhão Reitor Dr. Natalino Salgado Filho. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Pró-Reitor Dr. Fernando Carvalho Silva

Universidade Federal do Maranhão Reitor Dr. Natalino Salgado Filho. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Pró-Reitor Dr. Fernando Carvalho Silva 1 Universidade Federal do Maranhão Reitor Dr. Natalino Salgado Filho Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Pró-Reitor Dr. Fernando Carvalho Silva Diretora do Departamento de Pós-Graduação Dra. Maria

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO: APRENDIZAGEM POR PROJETOS INTERDISCIPLINARES

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO: APRENDIZAGEM POR PROJETOS INTERDISCIPLINARES 1 TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO: APRENDIZAGEM POR PROJETOS INTERDISCIPLINARES Eliana Rela 1 Karla Marques da Rocha 2 Marceli Behm Goulart 3 Marie Jane Soares Carvalho 4 RESUMO: É inadiável tentar

Leia mais

VISIBILIDADE DOS PESQUISADORES NO GT7 DA ANCIB: UM ESTUDO DE COCITAÇÕES RESEARCHERS VISIBILITY IN THE GT7 FROM ANCIB: A CO- CITATION STUDY

VISIBILIDADE DOS PESQUISADORES NO GT7 DA ANCIB: UM ESTUDO DE COCITAÇÕES RESEARCHERS VISIBILITY IN THE GT7 FROM ANCIB: A CO- CITATION STUDY VISIBILIDADE DOS PESQUISADORES NO GT7 DA ANCIB: UM ESTUDO DE COCITAÇÕES RESEARCHERS VISIBILITY IN THE GT7 FROM ANCIB: A CO- CITATION STUDY Ely Francina Tannuri OLIVEIRA Universidade Estadual Paulista Júlio

Leia mais

OBJETIVO Reestruturação de dois laboratórios interdisciplinares de formação de educadores

OBJETIVO Reestruturação de dois laboratórios interdisciplinares de formação de educadores OBJETIVO Reestruturação de dois laboratórios interdisciplinares de formação de educadores Laboratório Multidisciplinar de Ensino de Ciências e Matemática (LabMEC), vinculado ao Instituto de Ciências Exatas:

Leia mais

A PRODUÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES NA PERSPECTIVA DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO

A PRODUÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES NA PERSPECTIVA DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO 22 a 24 de julho de 205 A PRODUÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES NA PERSPECTIVA DA CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO INTRODUÇÃO Eva Dayane Jesus dos Santos Bibliotecária da Universidade do Estado da Bahia eva@uneb.br Marivaldina

Leia mais

A EDUCAÇÃO NO AMBIENTE CORPORATIVO À LUZ DA PRODUÇÃO DISCENTE NAS ÁREAS DA EDUCAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO ENTRE 1990 2014.

A EDUCAÇÃO NO AMBIENTE CORPORATIVO À LUZ DA PRODUÇÃO DISCENTE NAS ÁREAS DA EDUCAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO ENTRE 1990 2014. A EDUCAÇÃO NO AMBIENTE CORPORATIVO À LUZ DA PRODUÇÃO DISCENTE NAS ÁREAS DA EDUCAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO ENTRE 1990 2014. Resumo Fabiana Rodrigues Pereira Vidal 1 - UNISANTOS Grupo de Trabalho - Educação,

Leia mais

Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Nível Superior. Diretoria de Avaliação

Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Nível Superior. Diretoria de Avaliação Ministério da Educação Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Nível Superior Diretoria de Avaliação 50.nutr@capes.gov.br DOCUMENTOS DA PRIMEIRA REUNIÃO DA COMISSAO PRO-TEMPORE DE ESTRUTURAÇÃO DA

Leia mais

MAPEANDO AS CORRELAÇÕES ENTRE PRODUTIVIDADE E INVESTIMENTOS DE BOLSAS EM PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO: o caso da Universidade Federal de Goiás

MAPEANDO AS CORRELAÇÕES ENTRE PRODUTIVIDADE E INVESTIMENTOS DE BOLSAS EM PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO: o caso da Universidade Federal de Goiás MAPEANDO AS CORRELAÇÕES ENTRE PRODUTIVIDADE E INVESTIMENTOS DE BOLSAS EM PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO: o caso da Universidade Federal de Goiás Dalton Lopes Martins (UFG) dmartins@gmail.com Arlon Silva (UFG)

Leia mais

DOUTORES EGRESSOS DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: temática das teses defendidas e atual vínculo docente.

DOUTORES EGRESSOS DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: temática das teses defendidas e atual vínculo docente. VIII ENANCIB Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação 28 a 31 de outubro de 2007 Salvador Bahia Brasil GT 7 Produção e Comunicação da Informação em CT&I Comunicação oral DOUTORES EGRESSOS

Leia mais

Uma metodologia para avaliação automática de sites e sua aplicação em sites do Governo do Estado de Minas Gerais

Uma metodologia para avaliação automática de sites e sua aplicação em sites do Governo do Estado de Minas Gerais Resumos de Dissertações Uma metodologia para avaliação automática de sites e sua aplicação em sites do Governo do Estado de Minas Gerais EIRAS, Luiz Carlos Silva. Uma metodologia para avaliação automática

Leia mais

TREINAMENTOS DE USUÁRIOS DO CURSO DE PSICOLOGIA: CAPACITAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO.

TREINAMENTOS DE USUÁRIOS DO CURSO DE PSICOLOGIA: CAPACITAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO. TREINAMENTOS DE USUÁRIOS DO CURSO DE PSICOLOGIA: CAPACITAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO. Vânia Aparecida Marques Favato 1 Lucelena Alevato 2 1 Bibliotecário, Mestre em Ciência da Informação FCL

Leia mais

Sumário. Prefácio: A dimensão freireana na Educação Ambiental Philippe Pomier Layrargues... 7

Sumário. Prefácio: A dimensão freireana na Educação Ambiental Philippe Pomier Layrargues... 7 5 Sumário Prefácio: A dimensão freireana na Educação Ambiental Philippe Pomier Layrargues... 7 Educação ambiental crítico transformadora no contexto escolar: teoria e prática freireana Juliana Rezende

Leia mais