Catálogo leite europeu. A escolha certa para o futuro do seu negócio.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Catálogo 2014. leite europeu. A escolha certa para o futuro do seu negócio."

Transcrição

1 Catálogo 2014 holandês JERSEY PARDO SUÎÇO GUERNSEY leite europeu A escolha certa para o futuro do seu negócio.

2 Equipe CRI: juntos, construímos o futuro. Um trabalho de sucesso só é possível com uma equipe comprometida em agregar qualidade em tudo o que faz. Por isso, a CRI conta com profissionais altamente qualificados, que sabem da superioridade de nossos produtos e estão prontos para atender às demandas de um mercado que, cada vez mais, busca uma genética de resultado. Sergio Saud Diretor Executivo Francisco M. Aragão Gerente Comercial Roberto Arana Gerente de Produto Leite Daniel de Carvalho Gerente de Produto Corte Luiz Fernando Ambrosio Assistente de Marketing Bruno S. Nilo Coordenador Técnico Leite Ricardo G. Oliveira Supervisor Vendas RS, SC Marcelo Maronna Dias Supervisor Vendas RS, SC Fernando J. S. Oliveira Supervisor Vendas PR, SP Oswaldo Lopes Supervisor Vendas ES, MG, RJ Quer trazer o futuro para o seu rebanho? Entre em contato com o representante mais próximo a você. Frederico F. Jardim Supervisor Vendas DF, GO, PA, TO Alexandre Zadra Supervisor Vendas AC, MT, MS, RO

3 Índice de Touros Código Nome Página Código Nome Página Holandês Preto 1HO10251 A-P 10 1HO10471 ADIDAS 10 1HO10292 BEAU 11 1HO11011 BELIZE 11 1HO10296 BOYOBOY 13 1HO10396 CABRIOLET 12 1HO10263 CAIRO 13 1HO10297 CHAP 14 1HO10404 CHAPEL 14 1HO10458 DAY 15 1HO09225 DON JUAN 15 1HO10428 DOWRY 17 1HO02729 EDEN 16 1HO02509 FLAWLESS 16 1HO10028 FLOYD 16 1HO03099 FLYN 17 1HO10868 FORTIN 18 1HO08784 FREDDIE 18 1HO10490 GALAXY 20 1HO10247 GERVASE 19 1HO10246 GILDRI 19 1HO10200 GLENTON 21 1HO09192 HILL 23 1HO10788 JACEY 22 1HO10288 JAKE 23 1HO09846 JIGSAW 24 1HO09151 JOTTLE 21 1HO10219 JUNIOR 24 1HO09952 KARSTEN 21 1HO10814 KEYBOARD 25 1HO10455 KRISTOFF 25 1HO09092 LAZARITH 26 1HO02700 LEGEND 27 1HO10369 LOYAL 26 1HO10836 MAHUVA 29 1HO02680 MALVO 27 1HO10344 MANDORA 29 1HO09527 MASSEY 28 1HO10803 MERCER 30 1HO09788 MINDORO 30 1HO10692 MYTH 31 1HO09390 PADLOCK 27 1HO09593 PILOT 32 1HO10427 PORTIS 32 1HO10041 PROPER 31 1HO10559 RAINIER 33 1HO11022 SALVINO 33 1HO09175 SANTANA 32 1HO10466 SPARTEN 34 1HO10654 SPEEDY 34 1HO02849 STU 35 1HO08778 SUPER 36 1HO10259 TAK 35 1HO10824 TANGO 38 1HO11427 TAURINO 37 1HO11024 TENDER 37 1HO07235 TOYSTORY 39 1HO10295 UMAN 39 1HO10660 UNIQUE 40 1HO10412 VICTOR RC 41 1HO10057 VILLE 41 1HO10060 WYN 41 1HO10805 YALE 40 1HO10085 YANO 42 1HO10853 YATES 42 Holandês vermelho 1HO10460 DE PRINCE-RED 43 1HO10860 HURK-RED 43 1HO10290 JOSIAH-RED 44 1HO10220 PAX-RED 44 Jersey 1JE00798 BRAVEHEART 45 1JE00759 BRUNO 45 1JE00796 CALVIN 47 1JE00826 DAZZLER 46 1JE00791 DIVIDEND 48 1JE00793 DIVINE 47 1JE00770 DOMINICAN 49 1JE00845 DOMINIC-P 49 1JE00754 FIG 51 1JE00768 HENDRIX 50 1JE00764 HOLLY 50 1JE00848 ILLUSION 52 1JE00700 LEXICON 52 1JE00792 MACHETE 54 1JE00801 MADDEN 53 1JE00785 PERCIVALE 53 1JE00777 SABINO 51 1JE00772 SERENITY 55 1JE00634 STONE 51 1JE00849 UPBEAT 55 1JE00794 ZAYD 56 Pardo Suíço 1BS00591 BRUTE 57 1BS00553 EDDIE 57 1BS00586 VICTORY 57 Expediente Empresa: CRI Genética Brasil Ltda. Coordenação: Roberto Arana Assistente: Luiz Fernando Ambrosio Projeto Gráfico: Formato IB Data de veiculação: 2014 Distribuição: Própria Tiragem: unidades Empresa CRI Genética Brasil é uma subsidiária da Cooperative Resources International (CRI) com sede em Shawano, Winsconsin, EUA e atuação em mais de 60 países. CRI é uma holding de cooperativas agrícolas, composta por outras duas subsidiárias: AgSource Cooperative Services e Genex. A missão da CRI resume nosso objetivo: Fornecer produtos e serviços da maneira mais eficiente possível para maximizar a lucratividade dos seus cooperados e clientes ao redor do mundo, mantendo uma cooperativa mais forte. CRI Genética, representantes ou funcionários, não podem garantir a porcentagem da concepção, qualidade ou produtividade a ser obtida na ligação com o uso dos nossos produtos ou as técnicas que recomendamos. NÃO OFERECE GARANTIA DE NENHUM TIPO, EXPLÍCITA OU IMPLÍCITA, QUE ATENDA ALÉM DA DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS E RENUNCIA A TODA GARANTIA DE COMERCIALIZAR OU A APTIDÃO PARA UM PROPÓSITO DETERMINADO. Filiada

4 INTERPRETANDO PROVAS AMERICANAS As avaliações genéticas, atualmente, são processadas pelo USDA-AIPL (Departamento de Agricultura dos EUA) e pela Associação Holstein USA em Janeiro, Abril e Agosto. As provas são expressas em PTA libras. O que é uma Base Genética? É uma referência na qual os touros são comparados. Nos EUA, a Base Genética é fixada durante 5 anos, sendo reajustadas nos anos 0 e 5, desta forma os produtores acompanham a evolução da raça a cada 5 anos. Habilidade Prevista de Transmissão (PTA) Estima o potencial de um touro em transmitir essas características as suas filhas (progênie). São expressos em relação ao valor médio de cada raça (Base Genética). Um PTA com valor "zero" significa que o touro possui para aquela característica o mesmo mérito genético da média das vacas controladas e classificadas oficialmente, nascidas em 2005, cuja base genética é de O valor da PTA do touro parece diminuir quando ocorre uma mudança de base, mas permanecem relativamente constantes entre as alterações. PTA Leite, Gordura, Proteína e Tipo Estima as libras extras de leite, gordura, proteína e tipo esperados a cada lactação das futuras filhas de um touro, quando comparadas com as filhas de um touro PTA "zero". Porcentagem de Gordura e Proteína Indica a variação genética de um touro para transmitir, gordura e proteína onde os resultados positivos indicam maior concentração de gordura e proteína no leite. Confiabilidade Mede a quantidade de informação de uma característica. Quanto mais próximo de 99, mais confiável a prova. Vida Produtiva Meses extras que se espera que as filhas permaneçam produzindo em um rebanho (longevidade). Score de Células Somáticas (SCS) Índice relacionado com a resistência a mastite. A média para a raça holandesa é 3,0, quanto menor for esse valor, melhor é o touro para essa característica. Composto de Úbere Índice que reúne todas as características para melhorar os úberes. O Composto de Úbere inclui características lineares, e o peso de cada característica reflete a contribuição do mesmo para a pontuação de úberes mais elevados. As características e seus pesos são: Profundidade de Úbere % Ligamento Central % Composto de Pernas e Patas Índice que reúne todas as características para melhorar as pernas e patas. Os pesos das quatro características que o compõe são: Score Pernas e Patas % Ângulo de Casco % Pernas Vista Posterior ,5% Pernas Vista Lateral ,5% TPI Índice de produção e tipo ou índice de rendimento total combina as características para produção, tipo e saúde, para "ranquear" os touros segundo sua habilidade de transmissão. Com a nova fórmula, o peso da vida produtiva aumentou 4% e a Taxa de Prenhez das Filhas 2%. Menos ênfase se deu para pontuação final, com redução de 3% para PTA Tipo, bem como para as características de rendimento. Esta nova fórmula do TPI reflete uma alta correlação com os objetivos do índice MLV$. Filhas Corresponde ao número de filhas incluídas na prova de leite de um touro. Um "G" identifica as avaliações baseadas nas informações de pedigree e de genôma. Rebanhos Corresponde ao número de rebanhos em que se encontram as filhas de um touro (levando-se em consideração as filhas que entraram na prova de leite deste touro). Um "G" identifica as avaliações baseadas nas informações de pedigree e de genôma. Facilidade de Parto Colocação de Tetas Anteriores % Colocação de Tetas Posteriores % Aderência de Úbere Anterior % Altura de Úbere Posterior % Largura de Úbere Posterior % Touro: É a porcentagem de Partos Difíceis Estimados para Novilhas (EDBH) quando ocorre o primeiro parto. Usando Touros com 8% ou menor, ajuda a reduzir o stress no parto das novilhas. Filhas: Tendência das filhas de um determinado touro ter mais (ou menos) problemas ao parir em média do que uma vaca, e de produzir mais (ou menos) fáceis bezerros em média do que uma vaca. Natimortos Os natimortos são expressos em porcentagem de mortes ao nascimento. Consideram natimortos os animais que já nasceram mortos ou vivos e morreram dentro do período de 48 horas. Touro: mede a tendência da progênie de um determinado touro de nascerem mortas com maior ou menor frequência. Filhas: mede a tendência da progênie de uma determinada vaca (filha) de nascerem mortas com maior ou menor frequência. Fertilidade SCR - Taxa de Concepção do Touro é um parâmetro que mede a fertilidade individual dos touros. Um SCR de +1 ou -1 significa que um touro irá produzir taxas de concepção que são 1% superiores ou inferiores, respectivamente em relação às de um touro de fertilidade média. É um Programa interno da CRI de avaliação e ranking de fertilidade dos touros da CRI, baseado nas informações precoces de diagnóstico de prenhez. São utilizados dados, no mínimo 300 serviços. O valor 100 é a média, cada diferença de 1 ponto expressa a uma diferença de 1% na taxa de concepção. 4 Taxa de Prenhez das Filhas Porcentagem de vacas não-gestantes que ficam prenhas durante o período de 21 dias. O valor 1 implica que as filhas destes touros são 1% mais prováveis de emprenharem durante este ciclo de cio do que as filhas de um touro com o valor 0. Similar ao Gencheck, o programa da CRI, avalia a taxa de concepção dos touros quando utilizados em femeas sincronizadas (ovulação induzida através de tratamento hormonal). Cada ponto indica uma expectativa de 1% na taxa de concepção comparado com um touro médio = 100. Produto disponível para novilhas, ambos com células de espermatozóides por palheta e com similares taxa de concepção. - probabilidade de 75% de nascerem fêmeas - probabilidade de 90% de nascerem fêmeas Para um número mais significativo de fêmeas recomenda-se a utilização do GenChoice 90 no primeiro e segundo cio. Para uma quantidade mais moderada, utilize o GenChoice 90 no primeiro cio e o GenChoice 75 no segundo ou utilize o GenChoice 75 para o primeiro e segundo cio. Mérito Líquido Vitalício (MLV$) Índice de seleção que foi introduzido em 1994 e que classifica a população de acordo com os ganhos médios de um rebanho. Este índice estima a habilidade que um animal possui para melhorar os ganhos de um rebanho leiteiro. Por exemplo, se espera que ao longo da vida de suas filhas, um touro cujo MLV$ de 600 produza um ganho médio líquido de $400 dólares a mais do que filhas de um touro com um MLV$ de 200. As características e seus respectivos pesos, que o compõe, conforme descrito abaixo tem relação com o impacto sobre o lucro de um rebanho leiteiro. Os pesos são derivados usando estimativas do mercado atuais e futuras. Ao longo do tempo estas estimativas mudam e as características devem ser reavaliadas e atualizadas. CARACTERÍSTICAS DE SAÚDE CARACTERÍSTICAS DE PRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS DE CONFORMAÇÃO Vida Produtiva (PL) S. Células Somáticas (SCS) Taxa de Prenhez das Filhas (TPF) Fac. de Parto (Filhas e Touro) Índice Natimortos Proteína Gordura Composto de Úbere Composto de Pernas e Patas Tamanho % -10% 11% 02% 03% 16% 19% 07% 04% -06% 48% 35% 17% Mérito Queijo Vitalício (MQV$) Índice que foi projetado para produtores que vendem leite em um mercado de queijo. Proteína é o componente estimado que é mais valorizado neste tipo de mercado. O leite tem um peso econômico negativo dentro do índice Mérito Queijo. O MQV$ combina as mesmas características do MLV$ mas com pesos diferentes. Mérito Fluído Vitalício (MFV$) Índice que combina as mesmas características dos outros índices de Mérito Líquido com pesos diferentes. Este índice é utilizado pelos produtores que recebem seus pagamentos somente com base no volume de leite. Perfil Linear As avaliações lineares genéticas são expressas como STA (Critério Previsto de Transmissão). O STA é a PTA padronizada das características de conformação e manejo. Permite que as características sejam comparadas mesmo que tenham sido mensuradas em unidades diferentes. Todas as características lineares têm médias "zero" e variam geralmente dentro de seis unidades, ambos extremos de cada característica se encontram aproximadamente a três unidades da média. INTERBULL E INTERBULL-MAC Interbull - É um serviço de avaliação internacional que permite as comparações de touros cujas provas são realizadas em diferentes países. A prova de Interbull que publicamos neste catálogo, se expressa na base USA. Interbull-Mace - Avaliação de características múltiplas entre países que usam avaliações internacionais de tipo.

5 o futuro do se u rebanh o e o noss o Legendas Código de rack nome completo do touro Raça 1HO10396 CO-OP ROBUST CABRIOLET-ET *TV nome do touro Foto Principal Co-op Planet Classy-ET, mãe nome da foto Comentários prova do touro Líder em MLV, MQV e MFV Pacote completo de produção de leite e sólidos Duas gerações do programa Genesis MLV$ % Conf. MQV$ +944 MFV$ +821 Leite % Conf. Proteína +62 0,06% Gordura +96 0,15% Vida Prod. 6,6 68% Conf. CCS +2,90 Caseina AB Lactoglobulina AB Tipo 1,73 74% Conf. TPI Composto Úbere +1,21 Composto P & P +0,99 Fac. Parto - Touro 5,5% 90% Conf. Fac. Parto Filha 4,2% 64% Conf. Natimortos - Touro 7,3% 74% Conf. Natimortos - Filha 4,3% 58% Conf. Fertilidade (SCR) 1,60 96% Conf. Tx. Prenhez Filhas 0,6 67% Conf % % ROBUST x PLANET x RAMOS Nascimento: 27/06/11 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Pai: ROYLANE SOCRA ROBUST-ET Mãe: CO-OP PLANET CLASSY-ET VG-86, VG-MS d 332d 27,870m f p lbs. Avô Materno: ENSENADA TABOO PLANET-ET Avó Materna: BOMAZ RAMOS 5877 CRI-ET VG-85, VG-MS, DOM x 365d 24,580m f p lbs. linhagem Programas Data de nascimento e nº de registro pedigree Média de produção avaliação linear Estatura Baixo Alto -0,3 Força Débil Forte -1,1 Profundidade Corporal Raso Profundo -0,4 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 2,2 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. 0,2 Largura da Garupa Estreita Larga 0,2 Pernas Vista Lateral Retas Curvas 1,6 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 1,6 Ângulo de Casco Baixo Alto 0,1 Score Perna & Pata Baixo Alto 1,6 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 1,4 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 2,5 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 2,3 Ligamento Central Fraco Forte 1,4 Profundidade Úbere Profundo Raso 0,4 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 1,2 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 0,8 Comprimento de Tetas Curtas Compridas -0,9 2 CO-OP Robust Cabriolet-ET*TV Bomaz Ramos 5877 CRI-ET, avó materna fotos de parentes e/ou touro

6 Programas e Serviços Utilize no seu rebanho a geração genômica. Esta técnica revolucionária permite à CRI identificar touros geneticamente superiores ainda jovens e, com isso, evoluir a oferta de produtos diferenciados. É um Programa interno da CRI de avaliação e ranking de fertilidade dos touros da CRI, baseado nas informações precoces de diagnóstico de prenhez. São utilizados dados, no mínimo 300 serviços. O valor 100 é a média, cada diferença de 1 ponto expressa a uma diferença de 1% na taxa de concepção. Meu rebanho. Minha escolha. Os produtos GenChoice 90, no qual espera-se a probabilidade de 90% de nascerem fêmeas ou machos e GenChoice 75, no qual espera-se a probabilidade de 75% de nascerem fêmeas ou machos, com mais uma vantagem: o preço. GenChoice 90 e GenChoice 75 são produtos produzidos pela Sexing Technologies. A fertilidade é similar entre ambas as opções. O programa precise é uma prova genômica para fêmeas que auxilia a identificar precocemente vacas com maior potencial genético e suas possíveis doadoras. Ao diagnosticar o melhor e o pior do rebanho, cria um ranking objetivo e fiel para que, baseado em dados de alta confiabilidade, seja possível optar por matrizes superiores, aumentando as chances de acasalamentos de sucesso. Similar ao Gencheck, o programa da CRI, avalia a taxa de concepção dos touros quando utilizados em femeas sincronizadas (ovulação induzida através de tratamento hormonal). Cada ponto indica uma expectativa de 1% na taxa de concepção comparado com um touro médio = 100. Seleção de touros comerciais, pista ou pasto. Programa de acasalamento corretivo da CRI para vacas de leite. Oferece flexibilidade sem igual, recomendando as melhores opções de acasalamento em função do objetivo pretendido pelo produtor. Programa de teste de progênie da CRI através do genoma bovino dos touros. O programa Genesis pertence à CRI e, desde 1989, tem produzido animais de elite dentro de seu rebanho, como touros de central e fêmeas de alto mérito genético para servirem como base de próxima geração de touros. 6

7

8

9 A solução precisa para o seu rebanho. Prova genômica para fêmeas Acasalamentos de acordo com PTA genômico Otimização de espaço físico e nutrição O programa Precise, de exclusividade da CRI, é uma prova genômica para fêmeas que auxilia o produtor de Holandês a identificar precocemente vacas com maior potencial genético e suas possíveis doadoras. Ao diagnosticar o melhor e o pior do rebanho, cria um ranking objetivo e fiel para que, baseado em dados de alta confiabilidade, o criador opte por matrizes superiores, aumentando as chances de acasalamentos de sucesso. Conte com o diferencial da inovação e faça parte do Precise. programa exclusivo em central A escolha certa para o futuro do seu negócio.

10 1HO10251 LANGS-TWIN-B A-P ADMIRAL-ET PLANET x SHOTTLE x FINLEY MLV$ +492 MQV$ +544 MFV$ +450 Leite % Conf. Proteína +49 0,04% Gordura +43-0,01% Vida Prod. 3,8 70% Conf. CCS +2,86 Lactoglobulina Langs-Twin-B A-P Admiral-ET Tipo 2,21 76% Conf. TPI Composto Úbere +1,69 Composto P & P +0,68 Fac. Parto - Touro 7,6% 99% Conf. Fac. Parto - Filha 6,8% 64% Conf. Natimortos - Touro 8,7% 96% Conf. Natimortos - Filha 8,3% 58% Conf. Fertilidade (SCR) Conf. Tx. Prenhez Filhas 0,3 69% Conf. Langs-Twin-B C-S Ashlyn-ET, mãe Langs-Twin-B C-S Ashlyn-ET, úbere Tipo atraente Úberes fantásticos Alta produção de proteína Nascimento: 02/10/09 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Pai: ENSENADA TABOO PLANET-ET Mãe: LANGS-TWIN-B C-S ASHLYN-ET VG-86, VG-MS, DOM x 365d 30,150m f p lbs. Avô Materno: PICSTON SHOTTLE-ET Avó Materna: RALMA FINLEY C-F CHUCKLE-ET EX-90, EX-MS, GMD, DOM x 365d 38,960m f p lbs. Estatura Baixo Alto 1,5 Força Débil Forte 1,1 Profundidade Corporal Raso Profundo 1,2 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 1,9 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. -0,1 Largura da Garupa Estreita Larga 2,8 Pernas Vista Lateral Retas Curvas 1,8 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 0,9 Ângulo de Casco Baixo Alto 0,3 Score Perna & Pata Baixo Alto 1,2 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 2,3 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 2,0 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 1,8 Ligamento Central Fraco Forte 2,3 Profundidade Úbere Profundo Raso 1,6 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 2,5 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 2,5 Comprimento de Tetas Curtas Compridas -1,2 1HO10471 CO-OP M-P DORCY ADIDAS-ET DORCY x BOLIVER x FBI MLV$ % Conf. MQV$ +789 MFV$ +719 Leite % Conf. Proteína +47 0,00% Gordura +37-0,08% Vida Prod. 6,7 69% Conf. CCS +2,50 AA Lactoglobulina CO-OP M-P Dorcy Adidas-ET Tipo 2,19 75% Conf. TPI Composto Úbere +2,57 Composto P & P +2,04 Fac. Parto - Touro 9,8% 88% Conf. Fac. Parto - Filha 6,0% 64% Conf. Natimortos - Touro 7,8% 73% Conf. Natimortos - Filha 4,9% 58% Conf. Fertilidade (SCR) 2,10 84% Conf. Tx. Prenhez Filhas 1,4 68% Conf % % Mountfield FBI Alice CRI-ET, avó materna Mountfield FBI Alice CRI-ET, úbere Excepcionais compostos de úberes, pernas e pés Vacas longevas Altas produções Nascimento: 04/09/10 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Pai: COYNE-FARMS DORCY-ET Mãe: CO-OP BOLIVER ALEXIS-ET GP x 291d 21,020m f p lbs. Avô Materno: END-ROAD PVF BOLIVER-ET Avó Materna: MOUNTFIELD FBI ALICE CRI-ET VG-85, DOM x 365d 34,870m f p lbs. Estatura Baixo Alto 0,6 Força Débil Forte 0,2 Profundidade Corporal Raso Profundo -0,1 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 0,9 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. 0,6 Largura da Garupa Estreita Larga 0,3 Pernas Vista Lateral Retas Curvas -1,6 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 2,0 Ângulo de Casco Baixo Alto 2,1 Score Perna & Pata Baixo Alto 2,1 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 3,2 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 3,9 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 3,6 Ligamento Central Fraco Forte 2,9 Profundidade Úbere Profundo Raso 2,1 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 2,2 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 2,7 Comprimento de Tetas Curtas Compridas 0,1 10

11 1HO10292 LOTTA-HILL FREDDIE 76 BEAU FREDDIE x BOLTON x MARSHALL Lotta-Hill Freddie 76 Beau Dorrich Freddie 1650, irmã paterna Alta produção de leite Indicado para novilhas Compostos altos Nascimento: 05/01/10 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Pai: BADGER-BLUFF FANNY FREDDIE Mãe: LOTTA-HILL BOLTON x 305d 20,010m f p lbs. Avô Materno: SANDY-VALLEY BOLTON-ET Avó Materna: LOTTA-HILL MARSHALL 3328 GP x 305d 35,110m f p lbs. OHarrows Freddie 7023, irmã paterna MLV$ % Conf. MQV$ +564 MFV$ +624 Leite % Conf. Proteína +47-0,04% Gordura +47-0,09% Vida Prod. 4,4 70% Conf. CCS +2,93 AB Lactoglobulina BB Tipo 1,89 75% Conf. TPI Composto Úbere +2,04 Composto P & P +2,07 Fac. Parto - Touro 7,5% 85% Conf. Fac. Parto - Filha 6,2% 64% Conf. Natimortos - Touro 6,9% 74% Conf. Natimortos - Filha 6,1% 58% Conf. Fertilidade (SCR) -0,50 81% Conf. Tx. Prenhez Filhas 1,2 69% Conf % 98 83% Estatura Baixo Alto 1,6 Força Débil Forte 0,7 Profundidade Corporal Raso Profundo 0,4 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 0,6 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. 1,8 Largura da Garupa Estreita Larga 0,7 Pernas Vista Lateral Retas Curvas -1,0 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 1,8 Ângulo de Casco Baixo Alto 2,9 Score Perna & Pata Baixo Alto 2,0 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 3,0 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 2,6 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 2,4 Ligamento Central Fraco Forte 0,7 Profundidade Úbere Profundo Raso 2,1 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 1,5 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 1,1 Comprimento de Tetas Curtas Compridas 0,4 1HO11011 CO-OP UPD SHAMRCK BELIZE-ET *TV SHAMROCK x FREDDIE x LYNCH MLV$ % Conf. MQV$ +733 MFV$ +763 Leite % Conf. Proteína +46-0,03% Gordura +66 0,00% Vida Prod. 6,2 68% Conf. CCS +2,75 AB Lactoglobulina AA CO-OP Upd Shamrck Belize-ET *TV Tipo 2,53 73% Conf. TPI Composto Úbere +2,23 Composto P & P +1,47 Fac. Parto - Touro 5,1% 59% Conf. Fac. Parto - Filha 5,4% 56% Conf. Natimortos - Touro 6,9% 55% Conf. Natimortos - Filha 6,7% 53% Conf. Fertilidade (SCR) NA NA Conf. Tx. Prenhez Filhas 1,2 65% Conf. CO-OP Lynch Lydia-ET, avó materna CO-OP Lynch Lydia-ET, avó materna Alta produção de leite Alto tipo e vida produtiva Úberes muito aderidos, largos e altos Nascimento: 05/05/12 N o de registro: USA N o de registro (BR): Pai: LADYS-MANOR PL SHAMROCK-ET Mãe: CO-OP FREDDIE BETTIE-ET VG-86, VG-MS x 179d 22,166m f p lbs. Avô Materno: BADGER-BLUFF FANNY FREDDIE Avó Materna: CO-OP LYNCH LYDIA-ET VG-86, VG-MS x 305d 25,870m f p lbs. Estatura Baixo Alto 0,9 Força Débil Forte 1,2 Profundidade Corporal Raso Profundo 0,8 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 1,1 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. -0,7 Largura da Garupa Estreita Larga 2,3 Pernas Vista Lateral Retas Curvas 0,6 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 1,8 Ângulo de Casco Baixo Alto 1,5 Score Perna & Pata Baixo Alto 1,6 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 3,4 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 3,3 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 3,0 Ligamento Central Fraco Forte 1,0 Profundidade Úbere Profundo Raso 1,9 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 1,4 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 0,6 Comprimento de Tetas Curtas Compridas -1,0 11

12 1HO10396 CO-OP ROBUST CABRIOLET-ET *TV CO-OP Planet Classy-ET, mãe Líder em MLV, MQV e MFV Pacote completo de produção de leite e sólidos Duas gerações do programa Genesis ROBUST x PLANET x RAMOS o futuro do se u rebanh o e o noss o MLV$ % Conf. MQV$ +944 MFV$ +821 Leite % Conf. Proteína +62 0,06% Gordura +96 0,15% Vida Prod. 6,6 68% Conf. CCS +2,90 AB Lactoglobulina AB Tipo 1,73 74% Conf. TPI Composto Úbere +1,21 Composto P & P +0,99 Fac. Parto - Touro 5,5% 90% Conf. Fac. Parto - Filha 4,2% 64% Conf. Natimortos - Touro 7,3% 74% Conf. Natimortos - Filha 4,3% 58% Conf. Fertilidade (SCR) 1,60 96% Conf. Tx. Prenhez Filhas 0,6 67% Conf % % Estatura Baixo Alto -0,3 Força Débil Forte -1,1 Profundidade Corporal Raso Profundo -0,4 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 2,2 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. 0,2 Largura da Garupa Estreita Larga 0,2 Pernas Vista Lateral Retas Curvas 1,6 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 1,6 Ângulo de Casco Baixo Alto 0,1 Score Perna & Pata Baixo Alto 1,6 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 1,4 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 2,5 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 2,3 Ligamento Central Fraco Forte 1,4 Profundidade Úbere Profundo Raso 0,4 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 1,2 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 0,8 Comprimento de Tetas Curtas Compridas -0,9 12 Nascimento: 27/06/11 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX CO-OP Robust Cabriolet-ET*TV Pai: ROYLANE SOCRA ROBUST-ET Mãe: CO-OP PLANET CLASSY-ET VG-86, VG-MS d 332d 27,870m f p lbs. Avô Materno: ENSENADA TABOO PLANET-ET Avó Materna: BOMAZ RAMOS 5877 CRI-ET VG-85, VG-MS, DOM x 365d 24,580m f p lbs. Bomaz Ramos 5877 CRI-ET, avó materna

13 1HO10296 NED-EL MAN-O-MAN BOYOBOY-ET *TV MAN-O-MAN x RAMOS x SHOTTLE MLV$ % Conf. MQV$ +770 MFV$ +626 Leite % Conf. Proteína +46 0,05% Gordura +55 0,06% Vida Prod. 5,2 71% Conf. CCS +2,69 AB Lactoglobulina AB Ned-El Man-O-Man Boyoboy-ET *TV Tipo 2,22 77% Conf. TPI Composto Úbere +1,78 Composto P & P +1,83 Fac. Parto - Touro 6,3% 99% Conf. Fac. Parto - Filha 5,2% 65% Conf. Natimortos - Touro 8,7% 96% Conf. Natimortos - Filha 6,1% 59% Conf. Fertilidade (SCR) 0,40 99% Conf. Tx. Prenhez Filhas 1,9 69% Conf % % Ned-El Ramos Marley, mãe Ned-El Ramos Marley, mãe Pacote completo de produção com sólidos altos Tipo alto com saúde Indicado para novilhas Nascimento: 02/03/10 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Pai: LONG-LANGS OMAN OMAN TV TL TY Mãe: NED-EL RAMOS MARLEY VG-88, VG-MS, DOM x 305d 26,090m f p lbs. Avô Materno: RAMOS Avó Materna: NED-EL SHOTTLE 4903-ET VG-85, VG-MS x 305d 27,450m f p lbs. Estatura Baixo Alto 1,3 Força Débil Forte 0,5 Profundidade Corporal Raso Profundo 0,5 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 1,5 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. -1,3 Largura da Garupa Estreita Larga 0,3 Pernas Vista Lateral Retas Curvas 0,0 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 2,0 Ângulo de Casco Baixo Alto 1,7 Score Perna & Pata Baixo Alto 2,1 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 2,1 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 3,1 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 2,9 Ligamento Central Fraco Forte 1,6 Profundidade Úbere Profundo Raso 1,3 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 0,7 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 0,4 Comprimento de Tetas Curtas Compridas -0,5 1HO10263 MR REGANCREST MR CAIRO-ET G W ATWOOD x SHOTTLE x DURHAM MLV$ % Conf. MQV$ +294 MFV$ +193 Leite % Conf. Proteína +28 0,04% Gordura +48 0,11% Vida Prod. -0,4 71% Conf. CCS +2,93 Lactoglobulina 99 81% Lylehaven Crissy-ET, avó materna Tipo 4,04 77% Conf. TPI Composto Úbere +2,43 Composto P & P +3,83 Fac. Parto - Touro 6,9% 97% Conf. Fac. Parto - Filha 7,2% 65% Conf. Natimortos - Touro 8,9% 93% Conf. Natimortos - Filha 8,6% 59% Conf. Fertilidade (SCR) -0,50 96% Conf. Tx. Prenhez Filhas -1,8 70% Conf. Dunns-PrideShtle Cherry-ET, mãe MR Regancrest MR Cairo-ET Tipo extremo, indicado para novilhas Altas produções de sólidos no leite Melhorador de pernas e pés Nascimento: 02/06/10 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Pai: MAPLE-DOWNS-I G W ATWOOD Mãe: DUNNS-PRIDE SHTLE CHERRY-ET VG-87, VG-MS x 365d 29,450m f p lbs. Avô Materno: PICSTON SHOTTLE-ET Avó Materna: LYLEHAVEN CRISSY-ET EX-94, EX-MS, 2E, GMD, DOM x 365d 41,490m f p lbs. Estatura Baixo Alto 4,2 Força Débil Forte 2,4 Profundidade Corporal Raso Profundo 3,0 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 3,8 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. -2,5 Largura da Garupa Estreita Larga 2,8 Pernas Vista Lateral Retas Curvas 0,3 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 4,2 Ângulo de Casco Baixo Alto 3,9 Score Perna & Pata Baixo Alto 4,3 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 2,8 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 3,8 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 3,5 Ligamento Central Fraco Forte 4,1 Profundidade Úbere Profundo Raso 1,8 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 1,6 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 2,8 Comprimento de Tetas Curtas Compridas 2,3 13

14 1HO10297 EILDON-TWEED SUPER CHAP-ET *TV SUPER x SHOTTLE x BW MARSHALL Eildon-Tweed Super Chap-ET *TV Eildon-Tweed Mac Chapter, irmã materna Forma leiteira aliada com força Tipo elevado com alta produção de leite Ideal para cruzamentos Nascimento: 02/06/10 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Pai: CHARLESDALE SUPERSTITION-ET TV TL TY Mãe: EILDON-TWEED CHAPTER 3-ET VG-87, VG-MS, DOM Avô Materno: PICSTON SHOTTLE-ET Avó Materna: EILDON-TWEEN BWM CHAPTR-ET VG-86, VG-MS, GMD x 365d 45,030m f p lbs. Super, pai MLV$ % Conf. MQV$ +532 MFV$ +509 Leite % Conf. Proteína +37 0,00% Gordura +44 0,00% Vida Prod. 4,2 70% Conf. CCS +2,80 BB Lactoglobulina Tipo 2,94 76% Conf. TPI Composto Úbere +2,38 Composto P & P +2,00 Fac. Parto - Touro 9,7% 98% Conf. Fac. Parto - Filha 5,2% 64% Conf. Natimortos - Touro 9,0% 95% Conf. Natimortos - Filha 5,7% 58% Conf. Fertilidade (SCR) 1,20 98% Conf. Tx. Prenhez Filhas 0,8 69% Conf % % Estatura Baixo Alto 2,9 Força Débil Forte 2,3 Profundidade Corporal Raso Profundo 2,2 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 1,8 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. 0,1 Largura da Garupa Estreita Larga 1,8 Pernas Vista Lateral Retas Curvas 1,1 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 2,0 Ângulo de Casco Baixo Alto 2,6 Score Perna & Pata Baixo Alto 2,2 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 3,2 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 3,1 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 2,8 Ligamento Central Fraco Forte 1,6 Profundidade Úbere Profundo Raso 2,4 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 1,7 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 1,3 Comprimento de Tetas Curtas Compridas 0,2 1HO10404 EILDON-TWEED SUPER CHAPEL Eildon-Tweed Mac Chapter, mãe Super, pai SUPER x MAC x CHAPTER Eildon-Tweed Super Chapel Vacas longevas Indicado para vacas de qualquer sistema Alta fertilidade (SCR) Nascimento: 16/03/10 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Pai: CHARLESDALE SUPERSTITION-ET Mãe: EILDON-TWEED MAC CHAPTER VG-86, VG-MS x ,930m f p lbs. Avô Materno: REGANCREST-HHF MAC-ET Avó Materna: EILDON-TWEED CHAPTER 3-ET VG-87 VG-MS, DOM MLV$ % Conf. MQV$ +591 MFV$ +537 Leite % Conf. Proteína +40 0,01% Gordura +30-0,05% Vida Prod. 5,0 70% Conf. CCS +2,76 Lactoglobulina Tipo 1,69 76% Conf. TPI Composto Úbere +1,98 Composto P & P +0,99 Fac. Parto - Touro 8,0% 86% Conf. Fac. Parto - Filha 4,3% 64% Conf. Natimortos - Touro 8,0% 74% Conf. Natimortos - Filha 5,8% 58% Conf. Fertilidade (SCR) 2,20 81% Conf. Tx. Prenhez Filhas 1,2 68% Conf % % Estatura Baixo Alto 0,8 Força Débil Forte 0,2 Profundidade Corporal Raso Profundo -0,1 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 0,5 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. -0,5 Largura da Garupa Estreita Larga 0,7 Pernas Vista Lateral Retas Curvas 0,7 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 0,8 Ângulo de Casco Baixo Alto 1,4 Score Perna & Pata Baixo Alto 1,1 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 2,7 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 2,7 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 2,5 Ligamento Central Fraco Forte 1,0 Profundidade Úbere Profundo Raso 2,1 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 0,7 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 0,5 Comprimento de Tetas Curtas Compridas 0,1 14

15 1HO10458 MINNIGAN-HILLS DAY-ET *TV SUPER x BOLTON x SHOTTLE MLV$ % Conf. MQV$ +719 MFV$ +643 Leite % Conf. Proteína +40 0,02% Gordura +48 0,02% Vida Prod. 6,4 71% Conf. CCS +2,68 AA Lactoglobulina Hendel Bolton Florida-ET, mãe Tipo 2,94 76% Conf. TPI Composto Úbere +2,82 Composto P & P +2,07 Fac. Parto - Touro 8,7% 99% Conf. Fac. Parto - Filha 5,7% 64% Conf. Natimortos - Touro 7,9% 95% Conf. Natimortos - Filha 5,1% 59% Conf. Fertilidade (SCR) 0,60 99% Conf. Tx. Prenhez Filhas 1,0 70% Conf % % Minnigan-Hills Day-ET *TV Hendel Shottle Miami-ET, avó materna MLV alto Úberes fantásticos com alta produção Vacas longevas com sólidos altos Nascimento: 06/08/10 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Pai: CHARLESDALE SUPERSTITION-ET Mãe: HENDEL BOLTON FLORIDA-ET VG-85, VG-MS x 365d 34,140m f p lbs. Avô Materno: SANDY-VALLEY BOLTON-ET Avó Materna: HENDEL SHOTTLE MIAMI-ET VG-88, VG-MS, GMD, DOM x 365d 37,400m f p lbs. Estatura Baixo Alto 2,6 Força Débil Forte 1,1 Profundidade Corporal Raso Profundo 1,3 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 1,9 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. 0,3 Largura da Garupa Estreita Larga 1,1 Pernas Vista Lateral Retas Curvas 0,7 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 1,7 Ângulo de Casco Baixo Alto 2,5 Score Perna & Pata Baixo Alto 2,4 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 3,5 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 3,7 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 3,4 Ligamento Central Fraco Forte 2,0 Profundidade Úbere Profundo Raso 3,0 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 1,2 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 1,3 Comprimento de Tetas Curtas Compridas 0,5 1HO09225 CO-OP DON JUAN-ET *TV CO-OP Don Juan-ET *TV Strutz Don Juan 3936, filha DON x LUCENTE x MANFRED INTERBULL-USA PTA 12/2013 MLV$ % Conf. MQV$ +441 MFV$ +478 Leite % Conf. Proteína +21-0,03% Gordura +44 0,04% Vida Prod. 2,8 90% Conf. CCS +2,84 Filhas 1438 Rebanhos 467 AA Lactoglobulina Seidls Mt. View Don Juan 2514, filha Tipo 1,78 92% Conf. TPI Composto Úbere +1,91 Composto P & P +1,99 Filhas 106 Rebanhos 61 Fac. Parto - Touro 7,1% 99% Conf. Fac. Parto - Filha 7,3% 91% Conf. Natimortos - Touro 7,5% 97% Conf. Natimortos - Filha 6,7% 93% Conf. Fertilidade (SCR) 0,70 99% Conf. Tx. Prenhez Filhas 1,3 93% Conf % % Vacas de tamanho ideal com úberes fantásticos Filhas muito férteis Pedigree aberto Nascimento: 27/04/06 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Pai: GEM-HILL AMEL DON-ET Mãe: COYNE-FARMS YASMINE CRI-ET VG-86, VG-MS, DOM x 305d 35,930m f p lbs. Avô Materno: AQUILA PATRON LUCENTE ET Avó Materna: MILKWORTH MANFRED YADDA VG-86, VG-MS, DOM, GMD x 365d 35,730m f p lbs. Estatura Baixo Alto 0,1 Força Débil Forte 0,7 Profundidade Corporal Raso Profundo 0,5 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 0,4 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. 0,2 Largura da Garupa Estreita Larga -0,2 Pernas Vista Lateral Retas Curvas -1,8 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 1,8 Ângulo de Casco Baixo Alto 1,9 Score Perna & Pata Baixo Alto 2,1 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 2,6 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 3,0 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 2,8 Ligamento Central Fraco Forte 2,3 Profundidade Úbere Profundo Raso 1,3 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 2,0 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 2,0 Comprimento de Tetas Curtas Compridas -0,6 15

16 1HO02729 MR SHOTTLE EDEN-ET *TV SHOTTLE x O MAN x AARON Excelente para facilidade de parto Altas produções de gordura e proteína Tipo alto Nascimento: 25/03/08 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Mr Shottle Eden-ET *TV Pai: PICSTON SHOTTLE-ET Mãe: MS ELECTRESS-ET VG-88, EX-MS, DOM x 365d 44,120m f p lbs. Avô Materno: O-BEE MANFRED JUSTICE-ET Avó Materna: EVER-GREEN-VIEW ELSA-ET VG-89, VG-MS, GMD, DOM x 365d 46,880m f p lbs. INTERBULL-USA PTA 12/2013 MLV$ % Conf. MQV$ +523 MFV$ +429 Leite % Conf. Proteína +33 0,03% Gordura +40 0,04% Vida Prod. 2,7 84% Conf. CCS +2,81 Filhas 1554 Rebanhos 412 Lactoglobulina Tipo 2,43 93% Conf. TPI Composto Úbere +1,82 Composto P & P +1,74 Filhas 158 Rebanhos 77 Fac. Parto - Touro 5,3% 99% Conf. Fac. Parto - Filha 6,6% 93% Conf. Natimortos - Touro 7,0% 97% Conf. Natimortos - Filha 7,7% 93% Conf. Fertilidade (SCR) 1,60 97% Conf. Tx. Prenhez Filhas 1,9 91% Conf % % Estatura Baixo Alto 1,8 Força Débil Forte 1,7 Profundidade Corporal Raso Profundo 1,8 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 1,5 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. -0,7 Largura da Garupa Estreita Larga 1,8 Pernas Vista Lateral Retas Curvas 0,7 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 1,9 Ângulo de Casco Baixo Alto 1,9 Score Perna & Pata Baixo Alto 2,0 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 2,3 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 2,6 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 2,4 Ligamento Central Fraco Forte 1,7 Profundidade Úbere Profundo Raso 1,6 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 0,9 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 0,9 Comprimento de Tetas Curtas Compridas 1,3 1HO02509 CO-OP TSTORY FLAWLESS-ET *TV Altíssimo composto de úbere Alta produção de gordura e proteína Filho de Toystory com SCR positivo CO-OP Tstory Flawless-ET *TV TOYSTORY x BOLIVER x RUDOLPH Nascimento: 04/09/07 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Pai: JENNY-LOU MRSHL TOYSTORY-ET Mãe: RIDGE-HEIGHTS EVELYN CRI-ET EX-90 EX-MS, DOM x 305d 35,890m f p lbs. Avô Materno: END-ROAD PVF BOLIVER-ET Avó Materna: RIDGE-HEIGHTS ENTRY EX-90 EX-MS,GMD, DOM x 305d 34,220m f p lbs. MLV$ % Conf. MQV$ +441 MFV$ +403 Leite % Conf. Proteína +29 0,02% Gordura +54 0,10% Vida Prod. 1,9 84% Conf. CCS +3,04 Filhas 267 Rebanhos 90 Lactoglobulina Tipo 2,26 88% Conf. TPI Composto Úbere +2,37 Composto P & P +0,91 Filhas 61 Rebanhos 25 Fac. Parto - Touro 6,9% 99% Conf. Fac. Parto - Filha 5,3% 80% Conf. Natimortos - Touro 6,6% 95% Conf. Natimortos - Filha 6,4% 80% Conf. Fertilidade (SCR) 2,40 98% Conf. Tx. Prenhez Filhas 0,3 81% Conf % % Estatura Baixo Alto 1,8 Força Débil Forte 0,5 Profundidade Corporal Raso Profundo 0,8 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 2,1 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. -0,6 Largura da Garupa Estreita Larga 1,6 Pernas Vista Lateral Retas Curvas 0,7 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 1,0 Ângulo de Casco Baixo Alto 1,2 Score Perna & Pata Baixo Alto 1,0 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 3,5 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 2,8 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 2,6 Ligamento Central Fraco Forte 2,2 Profundidade Úbere Profundo Raso 2,4 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 2,5 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 2,4 Comprimento de Tetas Curtas Compridas 0,1 1HO10028 CO-OP UPD GOLDWYN FLOYD-ET *TV Especialista em facilidade de parto CCS muito baixa Fertilidade alta (SCR +) 16 CO-OP Upd Goldwyn Floyd-ET *TV GOLDWYN x O-MAN x DANE Nascimento: 07/01/09 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Pai: BRAEDALE GOLDWYN TL TV TY Mãe: CO-OP OMAN FAWZIYA VG-85, VG-MS, DOM x 305d 27,290m f p lbs. Avô Materno: O-BEE MANFRED JUSTICE-ET Avó Materna: CO-OP DANE FAITHFUL-ET VG x 305d 33,920m f p lbs. MLV$ % Conf. MQV$ +434 MFV$ +384 Leite % Conf. Proteína +25-0,01% Gordura +11-0,08% Vida Prod. 3,6 80% Conf. CCS +2,56 Filhas 491 Rebanhos 169 Lactoglobulina Tipo 2,13 86% Conf. TPI Composto Úbere +1,75 Composto P & P +1,84 Filhas 40 Rebanhos 17 Fac. Parto - Touro 4,5% 99% Conf. Fac. Parto - Filha 4,3% 83% Conf. Natimortos - Touro 5,4% 96% Conf. Natimortos - Filha 6,8% 85% Conf. Fertilidade (SCR) 3,10 98% Conf. Tx. Prenhez Filhas 0,5 78% Conf % % Estatura Baixo Alto 2,8 Força Débil Forte 1,4 Profundidade Corporal Raso Profundo 1,4 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 1,5 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. 1,5 Largura da Garupa Estreita Larga 0,7 Pernas Vista Lateral Retas Curvas 0,5 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 1,6 Ângulo de Casco Baixo Alto 2,2 Score Perna & Pata Baixo Alto 2,1 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 2,7 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 2,1 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 1,9 Ligamento Central Fraco Forte 0,7 Profundidade Úbere Profundo Raso 2,1 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 0,7 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 0,1 Comprimento de Tetas Curtas Compridas 0,8

17 1HO10428 RONELEE SEBASTIAN DOWRY-ET SEBASTIAN x TOYSTORY x OUTSIDE MLV$ % Conf. MQV$ +562 MFV$ +528 Leite % Conf. Proteína +38 0,02% Gordura +43 0,00% Vida Prod. 4,7 70% Conf. CCS +2,93 BB Lactoglobulina Ronelee Toystory Darva, mãe Tipo 1,75 76% Conf. TPI Composto Úbere +1,19 Composto P & P +1,96 Fac. Parto - Touro 6,6% 86% Conf. Fac. Parto - Filha 5,0% 65% Conf. Natimortos - Touro 8,4% 76% Conf. Natimortos - Filha 6,3% 59% Conf. Fertilidade (SCR) 0,70 79% Conf. Tx. Prenhez Filhas 1,4 69% Conf % % Ronelee Sebastian Dowry-ET Ronelee Outside Dabble-ET, avó materna Linear moderno Alta produção de leite e sólidos Indicado para novilhas com fertilidade alta Nascimento: 30/07/10 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Pai: WA-DEL SEBASTIAN-ET Mãe: RONELEE TOYSTORY DARVA EX-92, EX-MS, DOM x 34,670m f p lbs. Avô Materno: JENNY-LOU MRSHL TOYSTORY-ET Avó Materna: RONELEE OUTSIDE DABBLE-ET EX-91, EX-MS, 2E, GMD, DOM x 365d 44,530m f p lbs. Estatura Baixo Alto 1,0 Força Débil Forte 1,3 Profundidade Corporal Raso Profundo 1,0 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 0,7 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. -0,8 Largura da Garupa Estreita Larga 1,3 Pernas Vista Lateral Retas Curvas -1,2 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 1,9 Ângulo de Casco Baixo Alto 2,3 Score Perna & Pata Baixo Alto 1,9 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 2,0 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 2,1 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 1,9 Ligamento Central Fraco Forte 0,5 Profundidade Úbere Profundo Raso 0,7 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 1,0 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 1,0 Comprimento de Tetas Curtas Compridas 0,8 1HO10837 FARNEAR-TBR-BH LEWS FLYN-ET *TV LEWIS x PLANET x OMAN MLV$ % Conf. MQV$ +892 MFV$ +795 Leite % Conf. Proteína +56 0,03% Gordura +76 0,07% Vida Prod. 6,9 67% Conf. CCS +2,72 BB Lactoglobulina AB Fame, mãe Tipo 1,67 72% Conf. TPI Composto Úbere +1,54 Composto P & P +1,13 Fac. Parto - Touro 4,9% 59% Conf. Fac. Parto - Filha 4,6% 52% Conf. Natimortos - Touro 7,2% 55% Conf. Natimortos - Filha 6,4% 49% Conf. Fertilidade (SCR) 2,10 94% Conf. Tx. Prenhez Filhas 0,8 65% Conf % % Fanear-TBR-BH Lews Flyn-ET *TV Opsal O Man Fantasy, avó materna Líder em MLV, MQV Pacote completo: facilidade de parto e vida produtiva Alta produção de leite e sólidos Nascimento: 22/07/10 N o de registro: FRA N o de registro (BR): Pai: LATUCH FREDDIE LEWIS-ET Mãe: OPSAL PLANET FAME-ET VG-86, EX-MS, DOM x 305d 28,850m f p lbs. Avô Materno: ENSENADA TABOO PLANET-ET Avó Materna: OPSAL O MAN FANTASY EX-93, EX-MS, 2E, DOM x 365d 48,760m f p lbs Estatura Baixo Alto -0,2 Força Débil Forte -0,6 Profundidade Corporal Raso Profundo -1,0 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 0,5 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. 0,9 Largura da Garupa Estreita Larga 0,0 Pernas Vista Lateral Retas Curvas -0,1 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 1,2 Ângulo de Casco Baixo Alto 0,8 Score Perna & Pata Baixo Alto 1,4 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 2,1 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 2,4 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 2,2 Ligamento Central Fraco Forte 1,1 Profundidade Úbere Profundo Raso 1,1 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 1,9 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 1,4 Comprimento de Tetas Curtas Compridas -1,6 17

18 1HO10868 BULLCREST LEWIS FORTIN-ET LEWIS x SUPER x COLBY MLV$ % Conf. MQV$ +719 MFV$ +705 Leite % Conf. Proteína +51-0,03% Gordura +65-0,02% Vida Prod. 4,8 66% Conf. CCS +2,57 AB Lactoglobulina AB Bullcrest Lewis Fortin-ET Tipo 2,45 71% Conf. TPI Composto Úbere +2,26 Composto P & P +2,20 Fac. Parto - Touro 6,4% 58% Conf. Fac. Parto - Filha 5,2% 51% Conf. Natimortos - Touro 8,5% 54% Conf. Natimortos - Filha 6,8% 48% Conf. Fertilidade (SCR) NA NA Conf. Tx. Prenhez Filhas 0,9 64% Conf. Ms Welcome Colby Taya, avó materna Latuch Mac Leanne, avó paterna Alta produção de leite Compostos de úbere, pernas e pés muito consistentes CCS baixíssima Nascimento: 13/12/11 N o de registro: USA N o de registro (BR): Pai: LATUCH FREDDIE LEWIS-ET Mãe: MS WELCOME SUPER TRISHA-ET GP x 365d 41,570m f p lbs. Avô Materno: CHARLES. SUPERSTITION TV TL TY Avó Materna: MS WELCOME COLBY TAYA-ET VG-87, VG-MS, DOM x 365d 41,240m f p lbs. Estatura Baixo Alto 2,4 Força Débil Forte 1,6 Profundidade Corporal Raso Profundo 1,1 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 1,0 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. 1,1 Largura da Garupa Estreita Larga 1,8 Pernas Vista Lateral Retas Curvas -1,5 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 1,8 Ângulo de Casco Baixo Alto 2,8 Score Perna & Pata Baixo Alto 2,2 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 2,8 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 3,1 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 2,8 Ligamento Central Fraco Forte 1,5 Profundidade Úbere Profundo Raso 2,3 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 1,5 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 1,1 Comprimento de Tetas Curtas Compridas -0,4 1HO08784 BADGER-BLUFF FANNY FREDDIE *TV O MAN x DIE-HARD x METRO Ladys-Manor RD Gracious-ET, filha OHarrows Freddie 7023, filha 2 Líder mundial em TPI e MLV Vacas longevas com alta produção de leite CCS baixa com gordura e proteínas altas Nascimento: 31/10/04 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Pai: O-BEE MANFRED JUSTICE-ET *TV TL Mãe: BADGER-BLUFF FLO FANNY-TW VG-87, VG-MS, DOM x 305d 39,320m f p lbs. Avô Materno: REGANCREST RBK DIE-HARD-ET Avó Materna: BADGER-BLUFF FAWN FLO x 365d 33,120m f p lbs. Badger-Bluff Fanny Freddie *TV INTERBULL-USA PTA 12/2013 MLV$ % Conf. MQV$ +775 MFV$ +723 Leite % Conf. Proteína +40 0,01% Gordura +53 0,03% Vida Prod. 6,5 96% Conf. CCS +2,79 Filhas 8346 Rebanhos 1643 BB Lactoglobulina AB Tipo 1,53 99% Conf. TPI Composto Úbere +1,66 Composto P & P +2,69 Filhas 1586 Rebanhos 476 Fac. Parto - Touro 5,6% 99% Conf. Fac. Parto - Filha 4,7% 99% Conf. Natimortos - Touro 7,0% 99% Conf. Natimortos - Filha 5,3% 99% Conf. Fertilidade (SCR) 0,10 99% Conf. Tx. Prenhez Filhas 2,5 98% Conf % % Estatura Baixo Alto 0,8 Força Débil Forte 0,9 Profundidade Corporal Raso Profundo -0,3 Forma Leiteira Grosseira Angulosa -1,0 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. 0,6 Largura da Garupa Estreita Larga 1,5 Pernas Vista Lateral Retas Curvas -2,1 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 2,8 Ângulo de Casco Baixo Alto 3,5 Score Perna & Pata Baixo Alto 2,3 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 2,6 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 2,1 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 1,9 Ligamento Central Fraco Forte 0,2 Profundidade Úbere Profundo Raso 1,8 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 1,2 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 0,7 Comprimento de Tetas Curtas Compridas 0,4 18

19 1HO10247 WELCOME GERVASE-ET *TV FREDDIE x GOLDWYN x ADDISON MLV$ % Conf. MQV$ +667 MFV$ +564 Leite % Conf. Proteína +35 0,03% Gordura +65 0,13% Vida Prod. 3,3 70% Conf. CCS +2,76 AB Lactoglobulina AB Welcome Goldwyn Graity, mãe Tipo 2,08 76% Conf. TPI Composto Úbere +1,82 Composto P & P +2,47 Fac. Parto - Touro 4,9% 99% Conf. Fac. Parto - Filha 5,1% 65% Conf. Natimortos - Touro 5,5% 98% Conf. Natimortos - Filha 4,9% 58% Conf. Fertilidade (SCR) 2,00 99% Conf. Tx. Prenhez Filhas 1,1 69% Conf % % Welcome Gervase-ET *TV Welcome Goldwyn Graity, mãe Indicado para novilhas Extremo melhorador de pernas e pés Altas produções de sólidos no leite Nascimento: 03/08/09 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Pai: BADGER-BLUFF FANNY FREDDIE Mãe: WELCOME GOLDWYN GRAITY EX x 365d 33,420m f p lbs. Avô Materno: BRAEDALE GOLDWYN Avó Materna: WELCOME ADDISON GREAT EX-90, EX-MS, GMD, DOM x 365d 43,210m f p lbs. Estatura Baixo Alto 1,7 Força Débil Forte 1,0 Profundidade Corporal Raso Profundo 0,7 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 1,0 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. 0,1 Largura da Garupa Estreita Larga 1,1 Pernas Vista Lateral Retas Curvas -0,9 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 2,6 Ângulo de Casco Baixo Alto 2,9 Score Perna & Pata Baixo Alto 2,5 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 2,8 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 2,3 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 2,1 Ligamento Central Fraco Forte 0,3 Profundidade Úbere Profundo Raso 1,9 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 1,3 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 0,7 Comprimento de Tetas Curtas Compridas -0,2 1HO10246 WELCOME GILDRI-ET PLANET x ALTON x ORION MLV$ % Conf. MQV$ +542 MFV$ +530 Leite % Conf. Proteína +36 0,00% Gordura +40-0,02% Vida Prod. 5,2 71% Conf. CCS +2,87 Lactoglobulina Welcome Alton Ginni-ET, mãe Tipo 1,72 77% Conf. TPI Composto Úbere +1,91 Composto P & P +0,46 Fac. Parto - Touro 5,7% 92% Conf. Fac. Parto - Filha 5,4% 65% Conf. Natimortos - Touro 7,7% 83% Conf. Natimortos - Filha 8,1% 59% Conf. Fertilidade (SCR) 5,00 86% Conf. Tx. Prenhez Filhas 0,0 69% Conf % % Welcome Gildri-ET Welcome Orion Ginette, avó materna Linear ideal, baixa estatura com força Úberes aderidos e altos Líder de fertilidade Nascimento: 05/10/09 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX Pai: ENSENADA TABOO PLANET-ET Mãe: WELCOME ALTON GINNI-ET VG-87, VG-MS x 365d 28,350m f p lbs. Avô Materno: BO-IRISH ALTON-ET Avó Materna: WELCOME ORION GINETTE VG-86, VG-MS, GMD, DOM x 365d 33,730m f p lbs. Estatura Baixo Alto -0,2 Força Débil Forte 0,1 Profundidade Corporal Raso Profundo 0,1 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 1,1 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. 0,6 Largura da Garupa Estreita Larga 0,1 Pernas Vista Lateral Retas Curvas 0,3 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 0,8 Ângulo de Casco Baixo Alto 0,0 Score Perna & Pata Baixo Alto 0,7 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 2,5 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 2,7 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 2,5 Ligamento Central Fraco Forte 2,1 Profundidade Úbere Profundo Raso 1,6 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 2,3 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 2,2 Comprimento de Tetas Curtas Compridas -1,4 19

20 1HO10490 DE-SU FREDDIE GALAXY-ET *TV De-Su Freddie Galaxy-ET *Tv Alta produção de leite com sólidos positivos Líder de registros dentre os touros novos Tipo alto FREDDIE x PLANET x SHOTTLE MLV$ % Conf. MQV$ +748 MFV$ +691 Leite % Conf. Proteína +57 0,01% Gordura +73 0,03% Vida Prod. 4,8 71% Conf. CCS +2,74 AB Lactoglobulina BB 20 Tipo 2,69 76% Conf. TPI Composto Úbere +2,19 Composto P & P +1,70 Fac. Parto - Touro 9,2% 99% Conf. Fac. Parto - Filha 5,3% 65% Conf. Natimortos - Touro 7,9% 95% Conf. Natimortos - Filha 5,6% 59% Conf. Fertilidade (SCR) 1,00 99% Conf. Tx. Prenhez Filhas 0,4 69% Conf % % Estatura Baixo Alto 2,1 Força Débil Forte 1,5 Profundidade Corporal Raso Profundo 1,3 Forma Leiteira Grosseira Angulosa 1,6 Ângulo da Garupa Isq. Alt. Isq. Bai. 0,4 Largura da Garupa Estreita Larga 2,0 Pernas Vista Lateral Retas Curvas 0,9 Pernas Vista Posterior Fechadas Retas 2,1 Ângulo de Casco Baixo Alto 1,9 Score Perna & Pata Baixo Alto 1,9 Aderência Úbere Anterior Solto Forte 2,6 Altura Úbere Posterior Baixo Alto 2,9 Largura Úbere Posterior Estreito Largo 2,6 Ligamento Central Fraco Forte 2,6 Profundidade Úbere Profundo Raso 2,2 Colocação de Tetas Anterior Aberta Juntas 2,7 Colocação de Tetas Posterior Aberta Juntas 3,0 Comprimento de Tetas Curtas Compridas 0,3 Nascimento: 01/12/10 N o de registro: USA N o de registro (BR): AX De-Su 7012-ET, avó materna Pai: BADGER-BLUFF FANNY FREDDIE Mãe: DE-SU 8947-ET VG-85, DOM x 365d 37,780m f p lbs. Avô Materno: ENSENADA TABOO PLANET-ET Avó Materna: DE-SU 7012-ET VG-87, VG-MS, DOM x 365d 38,340m f p lbs. De-Su 7012-ET, avó materna

PROVAS DEZEMBRO 2014 EUA MUDANÇA DE BASE GENÉTICA

PROVAS DEZEMBRO 2014 EUA MUDANÇA DE BASE GENÉTICA PROVAS DEZEMBRO 2014 EUA MUDANÇA DE BASE GENÉTICA O grande ajuste da base genética que ocorre nos EUA a cada 5 anos foi feito com a prova de Dezembro 2014. A referência da base foi atualizada para vacas

Leia mais

Conheça a primeira central de inseminação do mundo.

Conheça a primeira central de inseminação do mundo. Conheça a primeira central de inseminação do mundo. A primeira central de inseminação do mundo nasceu nos Estados Unidos e veste verde e amarelo há mais de 40 anos. A C.R.I. Genética é uma cooperativa

Leia mais

INTERPRETAÇÃO DAS PROVAS DE REPRODUTORES LEITEIROS

INTERPRETAÇÃO DAS PROVAS DE REPRODUTORES LEITEIROS AZ042 Bovinocultura de Leite Aula 14 INTERPRETAÇÃO DAS PROVAS DE REPRODUTORES LEITEIROS Prof. Rodrigo de Almeida Entendendo as Provas de Touros Canadenses Informações de Produção Provas de produção Baseado

Leia mais

Inseminação Artificial Aplicada ao Melhoramento Genético Animal

Inseminação Artificial Aplicada ao Melhoramento Genético Animal Inseminação Artificial Aplicada ao Melhoramento Genético Animal Equipe de pesquisadores MGA/ CNPGL: Maria Gabriela C.D. Peixoto Rui da Silva Verneque João Cláudio do Carmo Panetto Frank Ângelo Tomita Bruneli

Leia mais

estratégias para melhorar seu rebanho

estratégias para melhorar seu rebanho Texto adaptado pela CRI Genética Brasil Fonte: Associação Americana de Angus CRI Genética Brasil estratégias para melhorar seu rebanho O que é Relatório de Avaliação de Touro? A Associação Americana de

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO

MELHORAMENTO GENÉTICO MELHORAMENTO GENÉTICO Mudança do material hereditário do rebanho de forma a capacitá-lo para produzir leite, mais economicamente em um determinado ambiente. Genética é a ciência que estuda a variação e

Leia mais

RAÇA HOLANDESA MODERNIZA E ATUALIZA SISTEMA DE AVALIAÇÃO DA CONFORMAÇÃO DAS VACAS (Classificação para Tipo )

RAÇA HOLANDESA MODERNIZA E ATUALIZA SISTEMA DE AVALIAÇÃO DA CONFORMAÇÃO DAS VACAS (Classificação para Tipo ) RAÇA HOLANDESA MODERNIZA E ATUALIZA SISTEMA DE AVALIAÇÃO DA CONFORMAÇÃO DAS VACAS (Classificação para Tipo ) Por: Altair Antonio Valloto; Méd.Vet.; Superintendente da APCBRH Presidente do Conselho Deliberativo

Leia mais

BOVINOS RAÇAS SINTÉTICAS

BOVINOS RAÇAS SINTÉTICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA LABORATÓRIO DE FISIOLOGIA DA REPRODUÇÃO BOVINOS RAÇAS SINTÉTICAS Disciplina: Exterior e raças Prof. Mauricio van Tilburg

Leia mais

INTERBULL UM TEMA NA ORDEM DO DIA NO NORTE DE PORTUGAL

INTERBULL UM TEMA NA ORDEM DO DIA NO NORTE DE PORTUGAL Página 1 de 6 INTERBULL UM TEMA NA ORDEM DO DIA NO NORTE DE PORTUGAL UMA FERRAMENTA AINDA MUITO POUCO FIÁVEL SOLUÇÃO SEGURA PARA TOUROS SEMEX SÃO AS PROVAS CANADIANAS USE BOA GENÉTICA E TERÁ BOAS VACAS,

Leia mais

[Lote 1A] Frasqueira Fiv Cal 3285N

[Lote 1A] Frasqueira Fiv Cal 3285N [Lote 1A] Frasqueira Fiv Cal 3285N Nascimento: 27/10/2012 Sexo: F Raça: 1/2 HO,GL Picston Shottle-et - AX125530 Regancrest S Braxton-et -(s) - AX125615 Carol Prelude Mtoto-et - A106499 Condon Aero Sharon

Leia mais

Parâmetros Genéticos

Parâmetros Genéticos MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE AGRONOMIA ELISEU MACIEL DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA MELHORAMENTO ANIMAL Parâmetros Genéticos 1. INTRODUÇÃO Os parâmetros genéticos são

Leia mais

AMAZING ARBOR. GBM Amazing ET VG-CAN ST. Titanic x Durham x Charles. HOLANDÊS Abril 2012. Shottle x BW Marshall x Durham 0200HO2159 0200HO2272

AMAZING ARBOR. GBM Amazing ET VG-CAN ST. Titanic x Durham x Charles. HOLANDÊS Abril 2012. Shottle x BW Marshall x Durham 0200HO2159 0200HO2272 HOLANDÊS Abril 2012 Reg. Nacional: ax-133782 0200HO2159 AMAZING GBM Amazing ET VG-CAN ST Titanic x Durham x Charles Noordcreek Amazing Laura EX-90- CAN 0200HO2272 ARBOR Wabash-Way Arbor ET VG-CAN Shottle

Leia mais

Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz

Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz Quanto vale uma prenhez? How much does a pregnancy is worth? Prof. Dr. José Bento Sterman Ferraz Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da USP Núcleo de Apoio à Pesquisa em Melhoramento Animal,

Leia mais

Bovinos de leite. Exognósia e Maneio Animal 9. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS DO GADO BOVINO E ZEBUÍNO

Bovinos de leite. Exognósia e Maneio Animal 9. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS DO GADO BOVINO E ZEBUÍNO Exognósia e Maneio Animal 4 de Novembro de 2008 Bovinos de leite 9. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS DO GADO BOVINO E ZEBUÍNO Paulo P. Cortez IV. Principais raças de aptidão leiteira Instituto de Ciências

Leia mais

HOLANDES. Conformação Interbull Abril/2015. Produção e conformação Abril/2015. Saúde Abril/2015. Pedigree

HOLANDES. Conformação Interbull Abril/2015. Produção e conformação Abril/2015. Saúde Abril/2015. Pedigree das filhas 1 Introdução O Programa de Melhoramento Genético da Intercooperação das Cooperativas Castrolanda, Batavo e Capal tem como objetivo nortear o produtor de leite a buscar o melhoramento genético

Leia mais

José Ferreira Pankowski

José Ferreira Pankowski José Ferreira Pankowski O conselheiro técnico da Associação dos Criadores de Nelore de Mato Grosso, José Ferreira Pankowski, é o entrevistado da semana do site da Nelore MT. Ele fala sobre o desenvolvimento

Leia mais

POR QUE USAR GUZERÁ? ACGB

POR QUE USAR GUZERÁ? ACGB POR QUE USAR GUZERÁ? ACGB PRODUÇÃO DE CARNE E LEITE: SUSTENTÁVEL POR NATUREZA O brasileiro elegeu a carne bovina como um dos seus alimentos preferidos nas refeições diárias. O consumo per capita é um dos

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) A DISTÂNCIA BOVINOCULTURA LEITEIRA: MANEJO, MERCADO E TECNOLOGIAS

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) A DISTÂNCIA BOVINOCULTURA LEITEIRA: MANEJO, MERCADO E TECNOLOGIAS CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) A DISTÂNCIA BOVINOCULTURA LEITEIRA: MANEJO, MERCADO E TECNOLOGIAS MELHORAMENTO GENÉTICO EM GADO LEITEIRO CLÁUDIO ARAGON Universidade Federal de Lavras

Leia mais

Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial

Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial Produção de F1 pelas fazendas Calciolândia e Colonial Ronaldo Lazzarini Santiago 1 INTRODUÇÃO As fazendas Calciolândia e Colonial, de Gabriel Donato de Andrade, sempre foram a referência na seleção do

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO DO RELATÓRIO DE CAMPO DO CONTROLE LEITEIRO

MANUAL DE PREENCHIMENTO DO RELATÓRIO DE CAMPO DO CONTROLE LEITEIRO CONTROLE 1 de 5 MANUAL DE PREENCHIMENTO DO RELATÓRIO DE CAMPO DO CONTROLE CONTROLE 2 de 5 1. Objetivo Este manual tem como objetivo a padronização do preenchimento do relatório de campo (R.1) do serviço

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO DA PRECOCIDADE SEXUAL NA RAÇA NELORE

MELHORAMENTO GENÉTICO DA PRECOCIDADE SEXUAL NA RAÇA NELORE MELHORAMENTO GENÉTICO DA PRECOCIDADE SEXUAL NA RAÇA NELORE Fábio Dias 1 ; Joanir P. Eler 2 ; José Bento S. Ferraz 2 ; Josineudson A. II de V. Silva 3 1 Zootecnista, MSc. Agro Pecuária CFM Ltda, Av. Feliciano

Leia mais

Projeto SIMGIR. 1 Introdução. 2 Escolha das Raças. 3 Parceria. 4 Produção. 5 Anexos: 5-1 Normas de Identificação de Animais. Receptoras.

Projeto SIMGIR. 1 Introdução. 2 Escolha das Raças. 3 Parceria. 4 Produção. 5 Anexos: 5-1 Normas de Identificação de Animais. Receptoras. Projeto SIMGIR 1 1 Introdução 2 Escolha das Raças 3 Parceria 4 Produção 5 Anexos: 5-1 Normas de Identificação de Animais Receptoras Bezerras F1 5-2 Calendário de Manejo 5-3 Projeto de Comercialização dos

Leia mais

PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES

PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES PROGRAMAS DE INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM REBANHOS BOVINOS: ANÁLISE DOS GANHOS PARA OS PEQUENOS PRODUTORES Rafael Herrera Alvarez Médico Veterinário, Doutor, Pesquisador Científico do Pólo Centro Sul/APTA

Leia mais

Manual. do Produtor. de bezerro de corte

Manual. do Produtor. de bezerro de corte Manual do Produtor de bezerro de corte INTRODUÇÃO 02 A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracterizase como um período fundamental no processo de produção. As técnicas

Leia mais

CONTROLE LEITEIRO. Segundo SILVA (2006), as finalidades do controle leiteiro são várias, destacando-se:

CONTROLE LEITEIRO. Segundo SILVA (2006), as finalidades do controle leiteiro são várias, destacando-se: CONTROLE LEITEIRO * Migacir Trindade Duarte Flôres O controle leiteiro é o registro de produção, em 24 horas, de cada animal, sendo uma ferramenta de aferição da capacidade de produção de leite de uma

Leia mais

GESTÃO E COMPETITIVIDADE DO LEITE

GESTÃO E COMPETITIVIDADE DO LEITE GESTÃO E COMPETITIVIDADE DO LEITE Odilio Sepulcri* 1. PLANEJANDO A ATIVIDADE Ao iniciar o negócio leite ou aperfeiçoá-lo devem-se tomar algumas decisões quanto a: que mercado participar? Quanto se quer

Leia mais

Bovinocultura de Leite

Bovinocultura de Leite V e t e r i n a r i a n D o c s Bovinocultura de Leite Introdução Historia da pecuária leiteira Até o início dos anos 90, o preço de leite era controlado pelo governo, e o produtor achava o preço do leite

Leia mais

Curso de inseminação artificial da Alta dá dicas de como aumentar a rentabilidade em sua fazenda

Curso de inseminação artificial da Alta dá dicas de como aumentar a rentabilidade em sua fazenda São Paulo, 12 março de 2014 Curso de inseminação artificial da Alta dá dicas de como aumentar a rentabilidade em sua fazenda Suprir a demanda de mercado com produtos de qualidade e sustentáveis. Este é

Leia mais

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL OU MONTA NATURAL

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL OU MONTA NATURAL 1 INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL OU MONTA NATURAL Mario Luiz Martinez Luis Carlos Takao Yamaguchi Rui da Silva Verneque A demanda crescente por proteína animal tem exigido que os sistemas de produção sejam cada

Leia mais

Uma decisão de gestão inteligente para expandir o número e qualidade de novilhas no seu rebanho. Padrão de Indústria

Uma decisão de gestão inteligente para expandir o número e qualidade de novilhas no seu rebanho. Padrão de Indústria SexxedTM Mais novilhas. Uma decisão de gestão inteligente para expandir o número e qualidade de novilhas no seu rebanho. Recomendado para Novilhas VIRGENS ou vacas de alta fertilidade apenas para 1ª OU

Leia mais

INFORMATIVO. Cruzamento Industrial e suas vantagens Pág. 5

INFORMATIVO. Cruzamento Industrial e suas vantagens Pág. 5 INFORMATIVO Bauru, 21 de março 2008 nº 012 Saiba como aumentar a fertilidade em seu rebanho Pág. 2 O Informativo NOBRE desse mês, trás uma série de informações para seus leitores,sobretudo para quem deseja

Leia mais

PROBOVI PROGRAMA DE NUTRIÇÃO PARA BOVINOS

PROBOVI PROGRAMA DE NUTRIÇÃO PARA BOVINOS 1 PROBOVI PROGRAMA DE NUTRIÇÃO PARA BOVINOS www.kerabrasil.com.br Fone:(54)2521-3124 Fax:(54)2521-3100 2 INTRODUÇÃO PROGRAMA KERA PARA BOVINOS DE LEITE E CORTE Com o acelerado melhoramento genético dos

Leia mais

estação de monta Escolha do Leitor

estação de monta Escolha do Leitor estação de monta Realmente existe importância na gestão da fazenda e benefício para o produtor que se utiliza do período reprodutivo? Luís Adriano Teixeira* 32 - ABRIL 2015 A Estação de monta (EM) período

Leia mais

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de d e b e z e r r o d e c o r t e INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de produção. As técnicas utilizadas

Leia mais

Projeto NELOGIR. Cruzamento Nelore x Gir como matriz para F1. Resultados parciais. Dr. Ronaldo Lazzarini Santiago

Projeto NELOGIR. Cruzamento Nelore x Gir como matriz para F1. Resultados parciais. Dr. Ronaldo Lazzarini Santiago Projeto NELOGIR. Cruzamento Nelore x Gir como matriz para F1. Resultados parciais Dr. Ronaldo Lazzarini Santiago Colonial Agropecuária e Fazenda Calciolândia F-1, A MATRIZ MAIS ADEQUADA AO SISTEMA DE PRODUÇÃO

Leia mais

Classificação Linear de Caprinos Leiteiros

Classificação Linear de Caprinos Leiteiros Classificação Linear de Caprinos Leiteiros Silvio Doria de Almeida Ribeiro 1,2,3 e Anamaria Cândido Ribeiro 1,2,4 1 Dr, Professor do CREUPI - Espírito Santo do Pinhal SP www.creupi.br 2 Consultor da Capritec

Leia mais

III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA. EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização

III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA. EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização RESULTADOS DO CONFINAMENTO DA COPLACANA EM 2.008 E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO Ari José Fernandes Lacôrte Engenheiro

Leia mais

http://www.crvlagoa.com.br/news/gerarnewsletterpdf.asp?idnewsletter=684

http://www.crvlagoa.com.br/news/gerarnewsletterpdf.asp?idnewsletter=684 Página 1 de 16 Caso não esteja visualizando este e-mail, clique aqui Ano 3 Número 658 Sexta, 7 de dezembro de 2012 Clique aqui para fazer o download da newsletter em PDF» COMUNICADO SUSPENSÃO VENDAS JAGUAR

Leia mais

CAPÍTULO VII DA RAÇA E DA SUA CLASSIFICAÇÃO PARA FINS DE REGISTRO

CAPÍTULO VII DA RAÇA E DA SUA CLASSIFICAÇÃO PARA FINS DE REGISTRO CAPÍTULO VII DA RAÇA E DA SUA CLASSIFICAÇÃO PARA FINS DE REGISTRO Artigo 23 - Para o Serviço de Registro Genealógico denominam-se Bovinos da Raça Holandesa, os bovinos de qualquer idade, sexo ou variedade

Leia mais

ZAP Zambezia Agro Pecuaria Lda - Mozambique DESENVOLVIMENTO DE GADO LEITEIRO GIROLANDA FERTILIZACAO IN VITRO IVF

ZAP Zambezia Agro Pecuaria Lda - Mozambique DESENVOLVIMENTO DE GADO LEITEIRO GIROLANDA FERTILIZACAO IN VITRO IVF 1 ZAP Zambezia Agro Pecuaria Lda - Mozambique DESENVOLVIMENTO DE GADO LEITEIRO GIROLANDA FERTILIZACAO IN VITRO IVF 2 Capitulo 1 - Parceiros e Principal Fornecedor. Parceiros do projeto In Vitro Brasil

Leia mais

CONSANGUINIDADE EM ANIMAIS

CONSANGUINIDADE EM ANIMAIS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE AGRONOMIA ELISEU MACIEL DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA MELHORAMENTO ANIMAL CONSANGUINIDADE EM ANIMAIS 1. CONSANGUINIDADE A consangüinidade

Leia mais

Síntese da Pesquisa Realização BERNARDO LEITE CONSULTORIA www.bernardoleite.com.br

Síntese da Pesquisa Realização BERNARDO LEITE CONSULTORIA www.bernardoleite.com.br Síntese da Pesquisa Realização BERNARDO LEITE CONSULTORIA www.bernardoleite.com.br Objetivo da pesquisa: Identificar as práticas na aplicação da Avaliação de Desempenho Período da Pesquisa: 15 de Dezembro

Leia mais

Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico

Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico Programa Nelore Brasil e seu Impacto Econômico II Congreso Ganadero Nacional CORFOGA 2008 Prof. Dr. Raysildo B. Lôbo ANCP, USP Crescimento da Pecuária de Corte Brasileira: produção de carne e abate 71,0%

Leia mais

Diferenças Esperadas na Progênie

Diferenças Esperadas na Progênie Manual do Criador Diferenças Esperadas na Progênie Definições, Cálculos, Interpretações e Usos DEP do Touro DEP da Vaca Resposta na Progênie James S. Brinks SOBRE O AUTOR 1 Jim Brinks foi criado em uma

Leia mais

A PRODUCAO LEITEIRA NOS

A PRODUCAO LEITEIRA NOS A PRODUCAO LEITEIRA NOS ESTADOS UNIDOS Estatisticas A produção leiteira durante Janeiro de 2012 superou os 7 bilhões de kg, 3.7% acima de Janeiro de 2011. A produção por vaca foi em media 842 kg em Janeiro,

Leia mais

Canal do Consultor de Campo

Canal do Consultor de Campo Page 1 of 11 Caso não esteja visualizando este e-mail, clique aqui Ano 3 Número 666 Sexta, 21 de dezembro de 2012 Clique aqui para fazer o download da newsletter em PDF» PROMOÇÃO POR QUANTIDADE CORTE -

Leia mais

Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo

Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo 4º Workshop Precocidade Sexual. Precocidade Sexual e a Inseminação Artificial em Tempo Fixo José Luiz Moraes Vasconcelos DPA FMVZ UNESP Botucatu, SP vasconcelos@fca.unesp.br Precocidade em novilhas Nelore

Leia mais

Bom de leite e bom de carne é possível? Alguns duvidam, talvez por pouca informação atualizada.

Bom de leite e bom de carne é possível? Alguns duvidam, talvez por pouca informação atualizada. Jadir Bison Vânia Maldini Penna e Maria Gabriela C. D. Peixoto Bom de leite e bom de carne é possível? Alguns duvidam, talvez por pouca informação atualizada. De fato, nos ensinaram que não. E nós também

Leia mais

primeiro índice de cruzamento industrial projetado para o brasil

primeiro índice de cruzamento industrial projetado para o brasil primeiro índice de cruzamento industrial projetado para o brasil o índice para guiar suas melhores decisões! O QUE É O BCBI? Desenvolvido com o suporte técnico do Geneticista Senior da L`Alliance Boviteq,

Leia mais

Programa de Nutrição para. Bovinos

Programa de Nutrição para. Bovinos Programa de Nutrição para Bovinos Programa de Nutrição para Bovinos Programa de Nutrição para Bovinos Copyright 2012 Kera Nutrição Animal Propriedade literária reservada. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

ACONTE. Touros CV. Integração Lavoura/Pecuária Página 7. informativo carlos viacava nº - 8 Junho 2013

ACONTE. Touros CV. Integração Lavoura/Pecuária Página 7. informativo carlos viacava nº - 8 Junho 2013 ACONTE informativo carlos viacava nº - 8 Junho 2013 Grupo de novilhas super precoces que estarão à venda no Leilão Nelore Mocho CV do dia 28 de julho em Paulínia, SP. Prenhes aos 12 a 14 meses. Leilões

Leia mais

Controle Leiteiro como Ferramenta de Melhoria na Qualidade do Leite e na Gestão da Propriedade

Controle Leiteiro como Ferramenta de Melhoria na Qualidade do Leite e na Gestão da Propriedade Controle Leiteiro como Ferramenta de Melhoria na Qualidade do Leite e na Gestão da Propriedade Altair Antonio Valloto, Superintendente APCBRH, Méd.Vet.Especialista em Bovinocultura Leiteira. Mestrando

Leia mais

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

AVALIAÇÕES DE OBJETIVOS ECONÔMICOS PARA GADO DE LEITE, DE CORTE E DE DUPLA APTIDÃO NO BRASIL. Anibal Eugênio Vercesi Filho, Fernando Enrique Madalena

AVALIAÇÕES DE OBJETIVOS ECONÔMICOS PARA GADO DE LEITE, DE CORTE E DE DUPLA APTIDÃO NO BRASIL. Anibal Eugênio Vercesi Filho, Fernando Enrique Madalena AVALIAÇÕES DE OBJETIVOS ECONÔMICOS PARA GADO DE LEITE, DE CORTE E DE DUPLA APTIDÃO NO BRASIL Anibal Eugênio Vercesi Filho, Fernando Enrique Madalena Departamento de Zootecnia, Escola de Veterinária da

Leia mais

Clube de Desbravadores - Estrela do Amanhã. Especialidade de Animais Domésticos EN03

Clube de Desbravadores - Estrela do Amanhã. Especialidade de Animais Domésticos EN03 Clube de Desbravadores - Estrela do Amanhã Especialidade de Animais Domésticos EN03 Khelven Klay Líder Graduando do Curso de Zootecnia/UFRN O hábito do ser humano de ter um cão ou um gato como animal doméstico

Leia mais

Fundação Banco do Brasil. Tecnologia Social para superar a pobreza

Fundação Banco do Brasil. Tecnologia Social para superar a pobreza Fundação Banco do Brasil Tecnologia Social para superar a pobreza Missão Articular e desenvolver ações sustentáveis de inclusão e transformação social, mobilizando parceiros e contribuindo para a promoção

Leia mais

COMO SÃO FEITOS OS TESTES DE PROGENIE (PROVAS DE TOUROS) Reginaldo Santos, André Bruzzi Corrêa

COMO SÃO FEITOS OS TESTES DE PROGENIE (PROVAS DE TOUROS) Reginaldo Santos, André Bruzzi Corrêa COMO SÃO FEITOS OS TESTES DE PROGENIE (PROVAS DE TOUROS) Reginaldo Santos, André Bruzzi Corrêa Av. Edilson Lamartine Mendes, 613 38045-000 Uberaba, MG E-mail: brasil@altagenetics.com.br O primeiro passo

Leia mais

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50 ASSOCIAÇÃO 1 DORPER BRASIL SEM FRONTEIRAS NEWS ANO IV N o 04 R$ 19,50 9 771414 620009 0 2 ORGÃO OFICIAL DA ASSOCIAÇÃO ABC & DORPER B R A S I L BRASILEIRA DOS CRIADORES DE DORPER BIOTECNOLOGIAS REPRODUTIVAS

Leia mais

News. Desfile de Touros da ABS Pecplan é palco de homenagens e ótimos negócios O. anos. Uberaba, Brasil - Maio 2010

News. Desfile de Touros da ABS Pecplan é palco de homenagens e ótimos negócios O. anos. Uberaba, Brasil - Maio 2010 nº 14 News Uberaba, Brasil - Maio 2010 Caro Leitor Bons ventos sopraram em abril. A demanda de leite aumenta internamente e os preços internacionais do leite em pó retornam a valores próximos do excelente

Leia mais

Instruções e planilhas para o controle de produção visando o melhoramento genético na bovinocultura de corte de base familiar

Instruções e planilhas para o controle de produção visando o melhoramento genético na bovinocultura de corte de base familiar ISSN 0103-376X Setembro, 2006 Instruções e planilhas para o controle de produção visando o melhoramento genético na bovinocultura de corte de base familiar 57 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

GESTÃO DE CONTROLE DE QUALIDADE GCQ

GESTÃO DE CONTROLE DE QUALIDADE GCQ ASSOCIAÇÃO PARANAENSE DE CRIADORES DE BOVINOS DA RAÇA HOLANDESA PROGRAMA DE ANÁLISE DE REBANHOS LEITEIROS DO PARANÁ Convênio APCBRH/UFPR GESTÃO DE CONTROLE DE QUALIDADE GCQ MANUAL GESTÃO DE CONTROLE DE

Leia mais

O cruzamento do charolês com o zebu (indubrasil, guzerá ou nelore) dá origem ao CANCHIM. Rústico e precoce, produz carne de boa qualidade.

O cruzamento do charolês com o zebu (indubrasil, guzerá ou nelore) dá origem ao CANCHIM. Rústico e precoce, produz carne de boa qualidade. OUTUBRO 2006 Para chegar ao novo animal, os criadores contaram com a ajuda do superintendente do laboratório de inseminação artificial Sersia Brasil, Adriano Rúbio, idealizador da composição genética

Leia mais

O ESPECIALISTA EM CROSSBREEDING

O ESPECIALISTA EM CROSSBREEDING O ESPECIALISTA EM CROSSBREEDING Conteúdo Boas-vindas 2 Porquê usar crossbreeding agora? 3 Como estabelecer um programa de crossbreeding? 6 VERMELHO NORUEGUÊS 7-11 Vermelho Norueguês Os Líderes 12 O especialista

Leia mais

O impacto do touro no rebanho de cria

O impacto do touro no rebanho de cria Algumas contas simples podem constatar que o touro de cria é um fator de produção de extrema relevância A realidade de mercado atual exige do pecuarista competência para se manter no negócio, e visão estratégica

Leia mais

Sistemas de Produção de Leite Prof. Geraldo Tadeu dos Santos

Sistemas de Produção de Leite Prof. Geraldo Tadeu dos Santos Sistemas de Produção de Leite Prof. Geraldo Tadeu dos Santos É Exite uma grande diversidade dos sistemas de produção de leite praticados nos vários países produtores Argentina Austrália Nova Zelândia É

Leia mais

Crescer agregando valor

Crescer agregando valor Crescer agregando valor Marcio Araujo de Lacerda Presidente do Conselho de Administração Maio de 2008 1/XX Orientações do Governo Mineiro Para Minas Gerais: Um Estado para Resultados Visão: Tornar Minas

Leia mais

RAÇAS DE CAPRINOS. Profa. Alda Monteiro - 2013

RAÇAS DE CAPRINOS. Profa. Alda Monteiro - 2013 RAÇAS DE CAPRINOS Profa. Alda Monteiro - 2013 As raças de cabras estão reunidas em 3 troncos distintos, sendo aceitas as subdivisões que se seguem: Tronco europeu: raças do sub-tronco europeu alpino, com

Leia mais

QUALIDADE VERDANA 2014

QUALIDADE VERDANA 2014 ano 2 MAIO 2014 EDIÇão 02 www.verdanaagropecuaria.com.br camapuã/ms INFORMATIVO Mais valor para você Editorial QUALIDADE VERDANA 2014 1 1 A QUALIDADE QUE FEZ A DIFERENÇA em 2013 ENCONTRO 2013 Vinte e seis

Leia mais

Características dos Touros Senepol. Benefício ao Criador Invernista Confinador. Senepol SL

Características dos Touros Senepol. Benefício ao Criador Invernista Confinador. Senepol SL Senepol SL Programa SLde Melhoramento Estância Santa Luzia SENEPOL Benefícios dos Touros Senepol Santa Luzia Venda permanente Reprodutores & Doadoras Qualidade diferenciada a preço justo Na condução, Pedro

Leia mais

Pressão de Seleção. Touros Jovens CEIP (20%) Machos avaliados (100%)

Pressão de Seleção. Touros Jovens CEIP (20%) Machos avaliados (100%) O Qualitas Programa de melhoramento genético da raça Nelore Reconhecido, aprovado e auditado pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA) Autorizado a emitir o CEIP a partir de 2002 O

Leia mais

MANEIRA PRÁTICA DE REALIZAR CONTROLE REPRODUTIVO EM GADO LEITEIRO EM PROPRIEDADES COM ECONOMIA FAMILIAR

MANEIRA PRÁTICA DE REALIZAR CONTROLE REPRODUTIVO EM GADO LEITEIRO EM PROPRIEDADES COM ECONOMIA FAMILIAR 1 BOLETIM TÉCNICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS DEPARTAMENTO DE MEDICINA VETERINÁRIA MANEIRA PRÁTICA DE REALIZAR CONTROLE REPRODUTIVO EM GADO LEITEIRO EM PROPRIEDADES COM ECONOMIA FAMILIAR Boletim Técnico

Leia mais

N : PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Entrevistador: Nome do entrevistado: (xx)xxxxxxxx. Endereço: Cidade: Situação do domicílio: 1.Urbano 2.

N : PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Entrevistador: Nome do entrevistado: (xx)xxxxxxxx. Endereço: Cidade: Situação do domicílio: 1.Urbano 2. Entrevistador: Nome do entrevistado: Telefone: (xx)xxxxxxxx N : Endereço: Cidade: Situação do domicílio: 1.Urbano 2.Rural Estado: AC AP DF MA MT PE RJ RR SE AL BA ES MG PA PI RN RS SP AM CE GO MS PB PR

Leia mais

PROGRAMA WEB+LEITE DA RAÇA HOLANDESA

PROGRAMA WEB+LEITE DA RAÇA HOLANDESA MANUAL DO USUÁRIO PROGRAMA WEB+LEITE DA RAÇA HOLANDESA WEB+LEITE ACESSO AO SISTEMA: O usuário devera acessar o site da Associação através da internet no endereço: www.holandesparana.com.br e clicar no

Leia mais

Aula 04 Conformação de Vacas Leiteiras. Universidade Federal do Paraná Bovinocultura de Leite Prof. Dr. Rodrigo de Almeida

Aula 04 Conformação de Vacas Leiteiras. Universidade Federal do Paraná Bovinocultura de Leite Prof. Dr. Rodrigo de Almeida Aula 04 Conformação de Vacas Leiteiras Universidade Federal do Paraná Bovinocultura de Leite Prof. Dr. Rodrigo de Almeida Vaca Holandesa True Type Ever-Green-View My 1326-ET EX-92 4-05 365 32.804 1267

Leia mais

Schweiz Switzerland Suisse Svizzera Suiza Svizra Швейцарская. Genética Su íça. êxito mundial. Ver Amar. Comprar Lucrar! Suiça. Naturalmente.

Schweiz Switzerland Suisse Svizzera Suiza Svizra Швейцарская. Genética Su íça. êxito mundial. Ver Amar. Comprar Lucrar! Suiça. Naturalmente. Schweiz Switzerland Suisse Svizzera Suiza Svizra Швейцарская Genética Su íça êxito mundial Suiça. Naturalmente. Ver Amar Comprar Lucrar! 2 Genética Suíça êxito mundial em termos de produção, funcionalidade

Leia mais

ACONTE. Veterano de CV Grande destaque do 53º Leilão Nelore Mocho CV de Paulínia, SP 50% Integração Lavoura/Pecuária Página 4

ACONTE. Veterano de CV Grande destaque do 53º Leilão Nelore Mocho CV de Paulínia, SP 50% Integração Lavoura/Pecuária Página 4 ACONTE informativo carlos viacava nº - 9 Junho 2014 50% à venda Veterano de CV Grande destaque do 53º Leilão Nelore Mocho CV de Paulínia, SP Páginas 2 e 3 Integração Lavoura/Pecuária Página 4 Venda de

Leia mais

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/pecuaria/inseminacao.ht...

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/pecuaria/inseminacao.ht... Página 1 de 6 Pecuária Inseminação Artificial em Bovinos Nome Inseminação Artificial em Bovinos Produto Informação Tecnológica Data Agosto - 2000 Preço - Linha Pecuária Informações resumidas sobre Resenha

Leia mais

Perspectivas da pecuária no cenário mundial. 16o. Seminário Nacional de Criadores e Pesquisadores

Perspectivas da pecuária no cenário mundial. 16o. Seminário Nacional de Criadores e Pesquisadores Perspectivas da pecuária no cenário mundial 16o. Seminário Nacional de Criadores e Pesquisadores O Cenário Atual As mudanças na agricultura e produção animal. A tecnologia e sua influência no aumento da

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Vacas Leiteiras Serviços em Pecuária de Leite Avaliação Ginecológica e Diagnóstico de Gestação com Aparelho de Ultrassonografia Exames Laboratoriais IATF Inseminação

Leia mais

Alternativa e Ecológica

Alternativa e Ecológica Alternativa e Ecológica Franquia de Publicidade na embalagem do produto mais consumido no Brasil Mercado Sustentabilidade é o negócio do futuro. A empresa que quiser ter o seu lugar garantido nos próximos

Leia mais

1. Planilha: Indicadores de Desempenho da Propriedade Leiteira (IDPL)

1. Planilha: Indicadores de Desempenho da Propriedade Leiteira (IDPL) Uso de planilhas para controle e avaliação de indicadores técnicos na pequena propriedade leiteira José Ladeira da Costa 1 Embrapa Gado de Leite Introdução A metodologia proposta neste artigo para controle

Leia mais

DE CRIADOR PARA CRIADOR

DE CRIADOR PARA CRIADOR DE CRIADOR PARA CRIADOR No clima para a máxima produção com qualidade. Altitude e temperatura perfeitas. O resultado são rebanhos com máxima produção de sêmen com qualidade, para você vender sempre mais.

Leia mais

Sistemas de produção em bovinos de corte. Zootecnista José Acélio Fontoura Júnior acelio@unipampa.edu.br

Sistemas de produção em bovinos de corte. Zootecnista José Acélio Fontoura Júnior acelio@unipampa.edu.br Sistemas de produção em bovinos de corte. Zootecnista José Acélio Fontoura Júnior acelio@unipampa.edu.br CLASSIFICAÇÃO NÍVEL DE TECNOLOGIA ADOTADO: extensivo, semi-extensivo, semi-intensivo e intensivo

Leia mais

Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore

Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore Curva de Crescimento e Produtividade de Vacas Nelore THIAGO VINÍCIUS DE SOUZA GRADUANDO EM MEDICINA VETERINÁRIA UFMT/SINOP CONTATO: THIAGOV_SOUZA@HOTMAIL.COM Produtividade Cenário atual Nelore sistema

Leia mais

Injetoras Sopradoras. Máquinas para. plástico Romi

Injetoras Sopradoras. Máquinas para. plástico Romi Máquinas para plástico Romi Unidades fabris da ROMI em Santa Bárbara d Oeste - SP INOVAÇÃO + QUALIDADE ROMI: Desde 1930 produzindo tecnologia. Desde a sua fundação, a companhia é reconhecida pelo foco

Leia mais

WORKSHOP INVITRO BRASIL AGREGANDO VALOR PELA GENÉTICA

WORKSHOP INVITRO BRASIL AGREGANDO VALOR PELA GENÉTICA WORKSHOP INVITRO BRASIL AGREGANDO VALOR PELA GENÉTICA INSTITUTO DONA OILDA - LANÇAMENTO EM 2010 BRAÇO SOCIAL DO GRUPO CABO VERDE AÇÃO EDUCACIONAL NAS AREAS DE ESPORTE LAZER CULTURA E MEIO AMBIENTE O

Leia mais

À VENDA CASA BRANCA AGROPASTORIL PWM LOVE POTION AS - 50% À VENDA P134272 15/08/2009. A menina dos olhos do nosso plantel!

À VENDA CASA BRANCA AGROPASTORIL PWM LOVE POTION AS - 50% À VENDA P134272 15/08/2009. A menina dos olhos do nosso plantel! PWM LOVE POTION AS - 50% À VENDA P134272 15/08/2009 PWM GUINNESS AS BAR 5 SA PIONEER 439L BHR SADIO SA L114E 11 A menina dos olhos do nosso plantel! PWM FALMAGGIE AS DORSIM MASSIE NIEMANDIA KALMAGGIE Essa

Leia mais

IV ENCONTRO ANUAL IN VITRO BRASIL. Ilumine o futuro...

IV ENCONTRO ANUAL IN VITRO BRASIL. Ilumine o futuro... IV ENCONTRO ANUAL IN VITRO BRASIL Ilumine o futuro... Mogi Mirim, 15 de março de 2014 O inicio da marca Tatuapé, se deu com a compra da fazenda em 1983, com a aquisição das primeiras matrizes de planteis

Leia mais

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES

PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES PESQUISA DE SATISFAÇÃO PARTICIPANTES Brasília, janeiro/2011 Objetivos específicos da pesquisa 2 Avaliar a quantidade e a qualidade da rede credenciada. Avaliar os serviços oferecidos: o Plano CASSI Família

Leia mais

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE Nos primeiros meses de vida os bezerros obtêm grande parte dos nutrientes de que precisa do leite materno, que é de fácil digestão para o animal que ainda é jovem. Em

Leia mais

2011 Evialis. Todos os direitos reservados uma marca

2011 Evialis. Todos os direitos reservados uma marca Comprometida com a busca constante por soluções e inovações tecnológicas em nutrição animal que melhorem produção e rentabilidade nas produções rurais, a Socil anuncia uma grande novidade. uma marca A

Leia mais

http://www.crvlagoa.com.br/news/gerarnewsletterpdf.asp?idnewsletter=633

http://www.crvlagoa.com.br/news/gerarnewsletterpdf.asp?idnewsletter=633 Página 1 de 9 Caso não esteja visualizando este e-mail, clique aqui Ano 3 Número 607 Quarta, 5 de setembro de 2012 Clique aqui para fazer o download da newsletter em PDF» ALTERAÇÃO DE PREÇO CLASSIC» DISPONIBILIDADE

Leia mais

Ano V - Edição 34 Agosto 2014

Ano V - Edição 34 Agosto 2014 da pecuária de leite Ano V - Edição 34 Agosto 2014 PODER DE COMPRA AUMENTA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2014 Por Pedro de Lima, equipe Gado de Leite Cepea O poder de compra do pecuarista de leite esteve maior,

Leia mais

PROGRAMA DE FOMENTO AO CRUZAMENTO ANGUS MANUAL

PROGRAMA DE FOMENTO AO CRUZAMENTO ANGUS MANUAL PROGRAMA DE FOMENTO AO CRUZAMENTO ANGUS MANUAL 1. A RAÇA ABERDEEN ANGUS Originária da Escócia, a raça foi selecionada em função de suas características superiores de precocidade, fertilidade, rusticidade,

Leia mais

Gabriel Mantelato Rogatto Graduando 3º ano Zootecnia

Gabriel Mantelato Rogatto Graduando 3º ano Zootecnia Gabriel Mantelato Rogatto Graduando 3º ano Zootecnia Introdução Brasil -> Nordeste Maior Produtor II)Canindé - Leite I)Boer - Carne III)Saanen - Leite Retirado de: www.caprilproduction.com Manejo Reprodutivo

Leia mais

Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos

Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos Professor: Aparecido Porto da Costa Disciplina: Caprinovinocultura E-mail: aparecidoport@hotmail.com Introdução Importância Produtividade do rebanho => obter sucesso

Leia mais

PROGRAMA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA PECUÁRIA DE LEITE EM JARU. Prefeitura Municipal de Jaru Embrapa Rondônia

PROGRAMA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA PECUÁRIA DE LEITE EM JARU. Prefeitura Municipal de Jaru Embrapa Rondônia PROGRAMA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA PECUÁRIA DE LEITE EM JARU Prefeitura Municipal de Jaru Embrapa Rondônia 81 81 83 72 88 68 Figura 1. Percentual de estabelecimentos de agricultura familiar nas regiões

Leia mais

PKGA + O Programa de Genética Avançada da Katayama

PKGA + O Programa de Genética Avançada da Katayama impresso revista Ano 2 N o 2 julho 2010 www.katayama.com.br PKGA + O Programa de Genética Avançada da Katayama Agenda Katayama 51ª Expô Araçatuba 2010 08 a 18 de julho Araçatuba (SP) Leilão Virtual Elo

Leia mais

Associação de Criadores de Bovinos da Raça Preta

Associação de Criadores de Bovinos da Raça Preta Associação de Criadores de Bovinos da Raça Preta Benavente, 18 de Abril de 2013 1 - Resultados produtivos e reprodutivos 1.1 - Indicadores da evolução do efetivo 1.2 - Indicadores de produtividade 2 -

Leia mais

Manejo reprodutivo. Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda.

Manejo reprodutivo. Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda. Manejo reprodutivo Gustavo M. Chilitti Coordenador Técnico MT Intervet do Brasil Vet. Ltda. Para produzir é preciso reproduzir!!! Eficiência Reprodutiva Rebanho Bovino Brasileiro Vacas e novilhas > 24

Leia mais