ESTUDO COMPARATIVO DE CUSTO ENTRE ALVENARIA ESTRUTURAL E PAREDES DE CONCRETO ARMADO MOLDADAS NO LOCAL COM FÔRMAS DE ALUMÍNIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTUDO COMPARATIVO DE CUSTO ENTRE ALVENARIA ESTRUTURAL E PAREDES DE CONCRETO ARMADO MOLDADAS NO LOCAL COM FÔRMAS DE ALUMÍNIO"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLOGIA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CLEBER DE OLIVEIRA ALVES EGLESON JOSÉ DOS SANTOS PEIXOTO ESTUDO COMPARATIVO DE CUSTO ENTRE ALVENARIA ESTRUTURAL E PAREDES DE CONCRETO ARMADO MOLDADAS NO LOCAL COM FÔRMAS DE ALUMÍNIO BELÉM 2011

2 CLEBER DE OLIVEIRA ALVES EGLESON JOSÉ DOS SANTOS PEIXOTO ESTUDO COMPARATIVO DE CUSTO ENTRE ALVENARIA ESTRUTURAL E PAREDES DE CONCRETO ARMADO MOLDADAS NO LOCAL COM FÔRMAS DE ALUMÍNIO Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Coordenação do curso de Engenharia Civil do Centro de Ciências Exatas e Tecnologia da Universidade da Amazônia como requisito para a obtenção do título de Bacharel em Engenharia Civil. Orientador: Prof. Msc. André Clementino de Oliveira Santos. BELÉM 2011

3 Alves, Cleber de Oliveira e Peixoto, Egleson José dos Santos Estudo Comparativo de Custo Entre Alvenaria Estrutural e Paredes De Concreto Armado Moldadas no Local com Fôrmas de Alumínio/ Cleber de Oliveira Alves, Egleson José dos Santos Peixoto Belém, f. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade da Amazônia, Graduação em Engenharia Civil, Orientador: Profº. Msc. André Clementino de Oliveira Santos. 1. Comparativo de Custo. 2. Alvenaria Estrutural. 3. Fôrma de Alumínio. 4.Método Estrutural. I. Alves, Cleber de Oliveira. II. Peixoto, Egleson José dos Santos. III. Santos, André Clementino de Oliveira. IV. Título.

4 Trabalho de Conclusão de Curso submetido à banca examinadora do Centro de Ciências Exatas e Tecnologia da Universidade da Amazônia, como parte dos requisitos para a obtenção do título de Engenharia Civil. Após a avaliação, se aprovado, as correções/ alterações emitidas pela mesma, devem ser realizadas e entregues a instituição no tempo estipulado pelo supervisor de TCC, em caso contrário os alunos serão reprovados. APROVADO POR: ANDRÉ CLEMENTINO DE OLIVERA SANTOS, Prof. M.Sc. em Engenharia de Produção/ PUC-RJ) (ORIENTADOR) EVARISTO CLEMENTINO REZENDE DOS SANTOS JUNIOR, Prof. M.Sc. em Engenharia Civil / UnB-DF (1º MEMBRO - EXAMINADOR INTERNO) ROGÉRIO MENDES, Especialista em Transportes / UFPA - PA (2º MEMBRO - CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - EXAMINADOR EXTERNO) Belém, PA, 12 de Dezembro de 2011.

5 Anime-se. Pare de ser definido pelo que pensam de você ou como te desapontaram. É solitário estar no topo, você sabe disso. Rachel Berry

6 AGRADECIMENTOS À Deus pela benção, pelo dom da vida, por me proporcionar momentos maravilhosos e me fazer atingir meus objetivos. A Ele que me deu forças nas horas de agonia, fé nos momentos descrença e sabedoria nos momentos das escolhas difíceis. Aos meus amados pais, Edivaldo José da Silva Peixoto e Maria do Socorro dos Santos Peixoto, pelo carinho e amor incondicional, pelo esforço e incentivo financeiro, apoio e crença nos meus sonhos, para que eu pudesse chegar onde me encontro no momento. Por isso, sempre terei orgulho, honra e respeito de ser seu filho. Minha eterna gratidão. A minha querida irmã, Amanda Kamila Gomes dos Santos, pelo auxílio, pelo laço de amor e sangue que fomos unidos e também pelas horas de brigas (que não eram poucas), mas também por me proporcionar um sentimento fraternal único, de padrinho e tio, da bela, Arielly dos Santos. Aos meus avós, Benedito Guilherme dos Santos (in memoriam) e Joana Gomes dos Santos, Teodorico da Luz Peixoto e Domingas da Silva Peixoto (in memoriam), pelos créditos que me deram, pelo apoio amoroso e auxílio financeiro e principalmente pelas conversas, beijos e abraços que serão inesquecíveis. A minha família que sempre teve fé em mim, mas meu agradecimento especial vai pra minha querida tia Palmira Gomes dos Santos, que sempre foi um dos meus modelos de pessoa competente e dedicada, pois foi ela quem me ensinou a ler e escrever, e me mostrou (creio que nem ela saiba disso) como vencer quando eu acreditasse em mim. A minha segunda família, Cristina Farias (mãe) e minhas irmãs Bruna e Cristiane Pinheiro e também ao José Pinheiro (tio Zeca) e meus cunhados Armando e Bruno, que me deram horas de boa diversão, risadas fartas, muitas alegrias e acolhimento. Aos amigos e casal, Bruno Maia e Jéssica Amaral que são mais que amigos, são irmãos de coração. Além de serem pessoas maravilhosas, me deram um lindo afilhado chamado Carlos Eduardo (Kadu) que é a coisa mais engaçada e amável do mundo pra mim. Tenho um sentimento enorme por essa pessoinha. Aos também amigos, Elmer Lessa, Aneliése Soares, Jaciara Amaral, Juliana Desengrini, Lucivada Luz, Pablo Peres, Ronaldo Rodrigues, Carla Miranda, Fernando Bemerguy e Michel Cardoso. Essas sim são amizades pra toda a vida, neles posso encontrar o amor de amigos irmãos, ombros confortantes, abraços calorosos, conselhos e ajuda de verdade. Ao meu companheiro de TCC, Cleber de Oliveira Alves, pela sua paciência comigo (santa paciência essa, é um dom divino), pelo apoio, acolhimento, cobranças (sem elas isso não teria terminado), ajuda para compreender o trabalho, e também suas teorias (irreais e sem nexo na maioria das vezes), não esquecendo os puxões de orelha (sem jeito) necessários, principalmente por causa da preguiça. Também agradeço a esposa dele, Francirene Alves, sempre paciente comigo (ela diz que sou meio lerdo e olha que ela é psicóloga), pelos almoços, risadas e compreensão. Ao meu orientador Prof. M.Sc. André Clementino de Oliveira Santos, que me deu esta oportunidade de ser seu orientando, me proporcionado enorme orgulho e também mostrou-me um referencial único de profissional e pessoa que o faz ser sensacional no meu ver (quero ser como ele quando crescer). Egleson José dos Santos Peixoto

7 AGRADECIMENTOS Minha eterna gratidão a Deus, pela vida, por me proporcionar condições de me formar no Curso de Engenharia Civil, por estar sempre mi iluminando e guiando nas escolhas certas. A minha esposa querida, Francirene Alves, por sua paciência e amor e pela sua ajuda nos momentos em que mais precisei. Aos meus pais: Luis Alves e Amélia Maria (in memoriam), que foram à base de tudo pra mim, apoiando-me nos momentos difíceis, passando confiança, especial à minha mãe pela inteira dedicação e mesmo sozinha deu o máximo de si para educar eu e meus irmãos, e por muitas vezes ter deixado de lado seus sonhos para acreditar nos meus. A todos os meus irmãos, avós (materno e paterno), aos meus familiares, principalmente a meu avô José Batista por esta sempre me ensinando a persistir nos meus objetivos e ajudando a alcançá-los. Á minha tia Tetê Santos, uma pessoa muito especial que me ajudou nos momentos mais difíceis da minha vida, por ter proporcionado condições para eu e meus irmãos a uma graduação educacional. A todos os familiares de minha esposa, principalmente minha sogra que me apoio e fez de tudo que estava em seu alcance para que este momento acontecesse. A todos os meus amigos que estiveram sempre juntos a mim, em especial ao Reinaldo e Décio pela atenção e apoio durante essa minha trajetória. A todos os meus amigos de turma e grupo, por cada momento juntos, por incansáveis momentos dedicados aos estudos, que foram muito importantes para minha graduação, não esquecendo do meu amigo Egleson Peixoto que também participou da realização deste trabalho. Aos meus amigos de trabalho, em especial a Ronny Fava e Marcelo Peracchi, por depositar confiança e por acreditar em meu potencial. Ao orientador, Prof. M.Sc André Clementino, agradeço-o pelas cobranças, exigências, seus conhecimentos e incentivos que foram fundamentais para a concretização deste projeto. A todos os professores que ao longo da minha graduação estivem comigo ajudando-me, repassando conhecimentos e confiança para minha vida profissional. À Universidade da Amazônia, que durante a minha trajetória foi a minha segunda casa. Enfim é difícil agradecer a todas as pessoas que de algum modo ou momento fizeram ou fazem parte em minha graduação, por isso não poderia deixar de expressar á minha imensa gratidão. Cleber de Oliveira Alves

8 RESUMO ALVES, Cleber O.; PEIXOTO, Egleson J. S. (2011). Estudo comparativo de custo entre alvenaria estrutural e paredes de concreto armado moldadas no local com fôrmas de alumínio. TCC (Graduação em Engenharia Civil) Centro de Ciências Exatas e Tecnologia, Universidade da Amazônia, Belém, A definição do método estrutural para um projeto é de fundamental importância para o custo da obra, pois a partir deste serão feitos os projetos complementares necessários para compatibilização de todos os outros, portanto, esta escolha requer estudos preliminares. Desta forma, o objetivo principal deste trabalho é apresentar o estudo comparativo entre a Alvenaria Estrutural e as Paredes de Concreto Armado Moldadas no Local com Fôrma de Alumínio, tendo como base de análise duas construções de portes diferentes, ainda em fase de projeto, sendo dimensionadas pelos dois métodos construtivos do qual este trabalho se prepõe, visando retirar as principais informações e alimentar com esses dados uma planilha de parametrização, que nos levará a análise de viabilidade. E, desta análise, observou-se que a viabilidade construtiva do método depende do porte da construção, sendo que em obras de residências isoladas sua viabilidade é com a Alvenaria Estrutural, enquanto que obras residenciais verticais já tem menos custo com a utilização do método executivo das Paredes de Concreto Armado Moldadas no Local com Fôrma de Alumínio. PALAVRAS-CHAVE: Método Estrutural. Comparativo de Custo. Alvenaria Estrutural. Paredes de Concreto Armado Moldadas no Local. Fôrma de Alumínio.

9 ABSTRACT ALVES, Cleber O.; PEIXOTO, Egleson J. S. (2011). A Comparative study of cost between structural masonry and walls reinforced concrete cast in place with aluminum mold. CBT (Graduation in Civil Engineering) Center for Science and Technology, Universidade da Amazônia, Belém, The definition of the structural method for a project is of fundamental importance to the cost of the construction, because from it will be necessary to make project compatibility of all others. Thus, this choice requires preliminary studies. So, the main objective of this work is to present a comparative study between structural masonry and walls reinforced concrete cast in place with aluminum mold, based on analysis of two buildings of different sizes, still in the design phase, being scaled by the two construction methods, in order to remove the key information and feeding that data to a spreadsheet of parameters that will lead to feasibility analysis. And this analysis, it was observed that the viability of the constructive method depends of the constructive size, being residential construction isolated its viability is with structural masonry, while vertical residential construction has less costs when used the method executive of walls reinforced concrete cast in place with aluminum mold. KEY WORDS: Structural Method, Comparative Cost. Structural Masonry. Walls Reinforced Concret Cast in Place. Aluminum Mold.

10 LISTA DE FIGURA Figura 01 - Projeto modulado em um retículo espacial de referência Figura 02 - Exemplo da família de blocos de concreto Figura 03 - Exemplo da família de blocos cerâmico Figura 04 - Exemplo de amarração em paredes tipo L, T e X Figura 05 - Marcação da 1ª fiada de alvenaria Figura 06 - Levantamento de alvenaria Figura 07 - Marcação dos pontos da ferragem vertical Figura 08 - Grauteamento da canaleta Figura 09 - Instalações Hidro sanitárias Figura 10 Instalações Elétricas Figura 11 - Formas de Alumínio Figura 12 - Forma Plasticas Figura 13 - Formas em Aço Figura 14 Forma em Est. a de aço galvanizado e chapa de compensado plastificado. 34 Figura 15 Forma metálica revestida com chapa de laminado fenólico de alta pressão Figura 16 - Estrutura metálica e chapa compensada Figura 17 - Estrutura metálica e chapa de compensado 12 mm Figura 18 - Fundação tipo radier Figura 19 Montagem de armadura principal Figura 20 - Posicionamentos das tubulações elétricas Figura 21 - Posicionamenos das tubulações elétricas e hidráulicas Figura 22 - Espaçadores plásticos nas ferragens Figura 23 - Espaçadores plásticos nos eletrodutos Figura 24 - Aplicação do desmoldante Figura 25 - Montagem dos painéis internos de fôrmas de alumínio Figura 26 - Montagem pareada dos painéis intermos e externos simultâneos Figura 27 - Posicionamento das buchas que determina a espessura das paredes Figura 28 - Posicionamento das buchas que determina a espessura das paredes Figura 29 - Réguas para alinhamentos dos painéis Figura 30 - Escoramento das lajes Figura 31 - Instalação de eletrodutos e pontos de luz em laje-piso

11 Figura 32 - Teste de Slump Figura 33 - Teste de Slump Figura 34 - Pontos para incio da concretagem Figura 35 - Concretagem das paredes Figura 36 - Concretagem da laje Figura 37 - Escoras metálicas Figura 38 - Limpeza das formas Figura 39 - Planta Baixa do Térreo da Residência Unifamiliar Figura 40 - Planta Baixa do Pavimento Superior da Residência Unifamiliar Figura 41 - Vistas Frontais e Laterais da Residência Unifamiliar Figura 42 - Cortes frontais e laterais da Residência Unifamiliar Figura 43 - Planta Baixa do Térreo do Residencial Multifamiliar Figura 44- Planta Baixa dos Pav. Tipos do Residencial Multifamiliar Figura 45 - Vistas e Cortes (Frontais e Laterais)... 68

12 LISTA DE TABELAS Tabela 01 - Tabela comparativa dos sistemas de fôrmas Tabela 02 - Planilha de Parametrização de Custo - Informações Gerais Tabela 03 - Dados básicos de entrada Tabela 04 - Planilha de Parametrização de Custo - Dados da Alvenaria Estrutural Tabela 05 - Planilha de Parametrização de Custo - Dados das Paredes de Concreto Tabela 06 - Planilha de Parametrização de Custo - Comparativo Analítico Tabela 07 - Planilha de Parametrização de Custo - Comparativo Simplificado Tabela 08 - Quadro de Parametrização de Custo - Informações gerais da obra Unifamiliar Tabela 09 -Dados básicos de entrada da Residência Unifamiliar Tabela 10 -Dados básicos de entrada da Residência Unifamiliar Tabela 11 - Dados da Alvenaria Estrutural da Residência Unifamiliar Tabela 12 - Quadro de Parametrização de Custo - Dados das Paredes de Concreto Tabela 13 - Comparativo Analítico da Residência Unifamiliar Tabela 14 - Comparativo Analítico da Residência Unifamiliar Tabela 15 - Comparativo Simplificado Resumo de custo da Residência Unifamiliar Tabela 16 - Quadro de Parametrização de Custo - Informações gerais da obra Multifamiliar. 69 Tabela 17 - Dados básicos de entrada da Residencial Multifamiliar Tabela 18 - Dados básicos de entrada da Residencial Multifamiliar Tabela 19 - Dados da Alvenaria Estrutural do Residencial Multifamiliar Tabela 20 - Quadro de Parametrização de Custo - Dados das Paredes de Concreto Tabela 21 - Comparativo Detalhado do Residencial Multifamiliar Tabela 22 - Comparativo Detalhado do Residencial Multifamiliar Tabela 23 - Comparativo Simplificado Resumo de custo do Residencial Mulifamiliar.. 75 Tabela 24- Aumento do número de unidades habitacionais do Residencial Multifamiliar. 76 Tabela 25 - Resumo comparativo da projeção para simulação de dois prédios Tabela 26 - Aumento do número de unidades habitacionais do Residencial Multifamiliar 78 Tabela 27 - Resumo comparativo da projeção para simulação de três prédios

13 LISTA DE GRÁFICOS Gráfico 01 - Gráfico de projeção de custo por prédio construído simultaneamente Gráfico 02 - Gráfico de projeção de custo pelo tempo... 80

14 LISTA DE SÍMBOLOS ABNT NBR UNAMA PCAE-NA PCAE-PA PCAE-TA PCAE-P ABCP ABESC IBTS ACI DTU IBDA Associação Brasileira de Normas Técnicas Norma Brasileira Universidade da Amazônia Processo Construtivo de Alvenaria Estrutural Não Armada Processo Construtivo de Alvenaria Estrutural Parcialmente Armada Processo Construtivo de Alvenaria Estrutural Totalmente Armada Processo Construtivo de Alvenaria Estrutural Protendido Associação Brasileira de Cimento Portland Associação Brasileira de Serviços de Concretagem Instituto Brasileiro de Tela Soldada American Concrete Institute Documents Techniques Unifies Instituto Brasileiro de Desenvolvimento da Arquitetura

15 SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO TEMA EM ESTUDO JUSTIFICATIVA OBJETIVOS CAPÍTULO 2 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA ALVENARIA ESTRUTURAL Histórico Processo Construtivo de Alvenaria Estrutural (PCAE) Parâmetros da Alvenaria Estrutural Modulação Tipos de Blocos Amarração de Paredes Execução da Alvenaria Estrutural Marcação da 1ª fiada Levantamento da Alvenaria Ferragem e Grauteamento Instalações Hidráulicas, Sanitárias e Elétricas Vantagens e Desvantagens da Alvenaria Estrutural PAREDES DE CONCRETO ARMADO MOLDADAS NO LOCAL Histórico Tipos de Forma Especificação Técnica de Formas Usadas em Parede de Concreto Características Gerais do Projeto Comparativo do Sistema de Paredes de Concreto com Diferentes Fôrmas Processo Construtivo em Paredes de Concreto Moldadas no Local Fundação... 39

16 Armação e Modelagem Fôrmas Lajes Aplicação do Concreto Desforma Cura do Concreto Acabamento CAPÍTULO 3 METODOLOGIA CAPÍTULO 4 ESTUDO DE CASO PLANILHA DE PARAMETRIAÇÃO DE CUSTO RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR Análise Comparativa de Custo da Residência Unifamiliar RESIDENCIAL MULTIFAMILIAR Análise Comparativa de Custo da Residencial Multifamiliar Análise de Projeção Residencial Multifamiliar CAPÍTULO 5 CONCLUSÃO RESIDÊNCIA UNIFAMILIAR RESIDENCIAL MULTIFAMILIAR PROPOSTAS PARA ANÁLISES FUTURAS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS... 83

17 17 CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO 1.1 TEMA EM ESTUDO Esta pesquisa visa o estudo comparativo de custo de dois métodos estruturais, que estão sendo utilizados com freqüência entre os empreendedores do ramo no mercado nacional, principalmente no mercado paraense, devido à rapidez e facilidade de execução oferecida por estas duas tecnologias: Alvenaria Estrutural e Paredes de Concreto Armado Moldadas no Local com Fôrmas de Alumínio. O objetivo deste estudo é demonstrar a viabilidade econômica e construtiva para edificações que utilizem estes métodos, para isso, irá se comparar duas obras de diferentes portes, uma casa térrea e uma edificação de cinco pavimentos, onde serão feitos os levantamentos necessários para alimentar uma planilha de parametrização para a análise que este trabalho se propõe. Desta forma, este trabalho, além de expor e comparar as duas tecnologias, levará um conhecimento sobre vantagens, desvantagens e utilização para os métodos citados. 1.2 JUSTIFICATIVA A Alvenaria Estrutural é o um dos processos construtivos mais antigos que se tem conhecimento que desde a antiguidade vem sendo utilizada. Ao longo dos anos, este processo foi se aperfeiçoando e sendo inserido no mercado construtivo efetivamente como uma das alternativas mais viáveis e eficazes do ponto de vista de segurança e econômico. O método de paredes de concreto armado moldadas no local com fôrmas de alumínio começou a ser exposto há pouco tempo no mercado da construção civil, mesmo assim não ocupa um lugar relevante entre as alternativas de método executivo estrutural. No mercado paraense, este método ainda é desconhecido, ou simplesmente, não é levado em consideração devido à falta de conhecimento ou receio na utilização por ser uma tecnologia nova. Os novos processos construtivos vêm sendo utilizados como um recurso que ajudar minimizar o quantitativo de mão de obra ou suprir a falta dela no mercado, tendo em vista que nos últimos cinco anos, ocorreu uma grande demanda na construção civil, principalmente no mercado imobiliário que foi incentivado por programas governamentais, facilidade de crédito junto a instituições bancárias, crescimento da renda econômica, taxas e prazos acessíveis para pagamento de imóveis, entre outros.

18 18 Portanto, um dos focos deste trabalho será abordar os aparentes resultados satisfatórios para suprir a falta de mão de obra, segurança na construtibilidade e viabilidade econômica e executiva de edificações, mostrando qual a melhor escolha entre os dois métodos executivos. Todos os resultados para as análises serão obtidas através de orçamentos feitos de obras reais, que se encontram em fase de projeto, sendo que cada obra será feita sob os dois métodos (Alvenaria Estrutural e Paredes de Concreto Armado Moldadas no Local com Fôrmas de Alumínio) e por fim fazer as devidas comparações que é a proposta deste trabalho. 1.3 OBJETIVOS Geral: Realizar um estudo comparativo de duas obras de portes distintos, utilizando dois processos construtivos, Alvenaria Estrutural e o processo construtivo em Paredes de Concreto Armado Moldadas no Local com Fôrmas de Alumínio e expor as vantagens e desvantagens para realização das mesmas, sob a análise da viabilidade econômica e construtiva. Específicos: Conhecer o processo construtivo da Alvenaria Estrutural e da Parede de Concreto Armado Moldadas no Local com Fôrmas de Alumínio; Comparar os dois métodos executivos de estudo deste trabalho; Apresentar os dados orçamentários de duas obras (residência unifamiliar e residencial multifamiliar) cada obra sendo executada pelos dois métodos propostos; Comparar o custo do material empregado entre os dois métodos; Estimar o tempo e mão de obra para cada um dos métodos;

19 19 CAPÍTULO 2 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 2.1 ALVENARIA ESTRUTURAL Histórico A alvenaria está entre as mais antigas formas de construção empregadas pelo homem. Desde a Antigüidade ela tem sido utilizada largamente pelo ser humano em suas habitações, monumentos e templos religiosos. Apesar do uso intenso da alvenaria, apenas no início de presente século, por volta de 1920, passou-se a estudá-la com base em princípios científicos e experimentação laboratorial. Esta postura possibilitou o desenvolvimento de teorias racionais que fundamentam a arte de se projetar em alvenaria estrutural (ACCETTI, 1998). Para Kalil (2007) com o passar do tempo, foi descoberta uma alternativa para a execução dos vãos: os arcos. Estes seriam obtidos através do arranjo entre as unidades. Assim foram executadas pontes e outras obras de grande beleza, obtendo maior qualidade à alvenaria estrutural. Um exemplo disso é a parte superior da igreja de Notre Dame, em Paris. No final dos anos 40, se iniciaram estudos mais aprofundados sobre estruturas de alvenaria na Europa. Nos Estados Unidos, nos anos 50, iniciou-se o desenvolvimento de regras práticas para a alvenaria, resultando na publicação de códigos de construção. Atualmente, em países como Estados Unidos, Inglaterra e Alemanha, a alvenaria estrutural atinge níveis de cálculo, execução e controle similares aos aplicados nas estruturas de aço e concreto, constituindo-se em um econômico e competitivo sistema (RAUBER, 2005). O marco inicial da Moderna Alvenaria Estrutural aconteceu em 1951, quando foi edificado na Suíça um edifício de 13 andares com paredes de 37 cm de espessura em alvenaria estrutural não-armada, evidenciando as vantagens deste processo construtivo. A partir daí intensificaram-se as pesquisas, e os avanços tecnológicos, tanto dos materiais quanto das técnicas de execução, foram sucessivos, disseminando-se por todo o mundo através de diversos congressos e conferências internacionais (ROMAN, 2000). Rauber (2005), diz ainda que a alvenaria estrutural não-armada foi introduzida no Brasil, somente em 1977, na construção de edifícios de 9 pavimentos em bloco sílico-calcário em SP. O início da década de 80 marcou a introdução dos blocos cerâmicos na alvenaria estrutural.

20 20 Conforme Sabbatini (2002), o emprego de paredes resistentes de alvenaria na estrutura suporte de edifícios não se constitui em uma inovação tecnológica recente. Na realidade até o início deste século a alvenaria era o mais utilizado, seguro e durável material estrutural e o único aceito na estruturação de edificações de grande porte. Segundo Coêlho (1998) a alvenaria estrutural hoje sem dúvida alguma, é um dos métodos mais colocados em prática, na área da construção civil. Este processo construtivo, por fazer parte de um sistema de construção industrializada, tem sido aprimorado em sua utilização, no que diz respeito ao uso de novos materiais, uma vez que, também, desde sua fundação, tem-se utilizado o princípio construtivo das Alvenarias Estrutuais. Com início da produção de Blocos de concreto de alta resistência em 1966, a Reago assumiu em caráter de pioneirismo a introdução da alvenaria estrutural com blocos vazados de concreto no mercado da construção civil. (TAUIL e RACCA, 1981) Este processo tornou-se uma solução para projetos de pequenos prédios, pela simplicidade do processo. Isso, porém, contribui, satisfatoriamente, em diversos fatores para a abertura de uma aceitação por parte do público alvo, e dando, por conseguinte, maior desempenho por parte das construtoras na opção pelo processo construtivo que, para nós, parece ser novo, mas na verdade, é uma técnica antiga que ressurgiu no Brasil (COÊLHO, 1998) Processo Construtivo de Alvenaria Estrutural (PCAE) Para Sabbatini (2002) é um específico modo de se construir edifícios que se caracterizam por empregar como estrutura suporte paredes de alvenaria e lajes enrijecedoras, por também serem dimensionados segundo métodos de cálculo racionais e de confiabilidade determinável e ter um alto nível de organização de produção de modo a possibilitar projetos e construção racionais. A alvenaria estrutural é um sistema construtivo que utiliza peças industrializadas de dimensões e peso que as fazem manuseáveis, ligadas por argamassa, tornando o conjunto monolítico. Estas peças industrializadas podem ser moldadas em: Cerâmica, Concreto ou Sílico-calcário. (BONACHESKI, 2006 apud KALIL, 2007). A diferença fundamental entre o uso tradicional da alvenaria e a alvenaria estrutural é que este último é de dimensionamento e construção racional, enquanto que, na alvenaria convencional, a estrutura é dimensionada e construída empiricamente. O dimensionamento através de cálculo estrutural, com fundamentação técnico-científica,

21 21 permite a obtenção de edifícios com segurança estrutural conhecida, semelhante à obtida com estruturas reticuladas de concreto armado, e compatível com as exigências da Sociedade Brasileira para edifícios multipavimentos (SABBATINI, 2002). Este tipo de processo construtivo também é chamado de alvenaria auto portante, pois são destinadas a absorver as cargas das lajes e sobrecarga, sendo necessário para o seu dimensionamento à utilização da NBR e NBR 8798, observando que sua espessura nunca deverá ser inferior a 14,0 cm (espessura do bloco) e resistência à compressão mínima fbk ±4,5 MPa. (NASCIMENTO, 2002). Neste processo construtivo, existem as subdivisões do tipo de alvenaria auto portante, dependendo da forma de utilização, tais como: PCAE Não-Armada (PCAE-NA) que empregam como estrutura suporte paredes de alvenaria sem armação. Os reforços metálicos são colocados apenas com finalidades construtivas (em cintas, vergas, contravergas, na amarração entre paredes e nas juntas horizontais com a finalidade de evitar fissuras localizadas). PCAE Parcialmente Armada (PCAE-PA) que empregam como estrutura suporte paredes de alvenaria sem armação e paredes com armação. Estas últimas se caracterizam por terem os vazados verticais dos blocos preenchidos com graute (um micro-concreto de grande fluidez) envolvendo barras e fios de aço. Os PCAE-PA são dimensionados como os PCAE-NA, porém, quando no dimensionamento surgem trechos da estrutura com solicitações que provoquem tensões acima das admissíveis, estes trechos são dimensionados como alvenaria armada (SABBATINI, 2002). PCAE Totalmente Armada (PCAE-TA) alvenaria estrutural armada de blocos vazados de concreto, é aquela construída com blocos vazados de concreto, assentados com argamassa, na qual certas cavidades são preenchidas continuamente com graute, contendo armaduras envolvidas o suficiente para absorver os esforços calculados, além daquelas armaduras com finalidade construtiva ou de amarração (ABNT, NBR-10837). PCAE Protendida (PCAE-P), é reforçada por uma armadura ativa (prétensionada) que submete a alvenaria a esforços de compressão (RAUBER, 2005). Na alvenaria estrutural as paredes funcionam como os elementos estruturais a edificação. A estabilidade do conjunto dependerá do correto arranjo espacial das paredes, que deverão resistir às cargas verticais (peso próprio e cargas de ocupação) e às cargas laterais (ação do vento, empuxo da terra, etc.), sendo que as laterais deverão

22 22 ser absorvidas pelas lajes e transmitidas às paredes estruturais paralelas à direção do esforço lateral (ROMAN, 2000). Ainda, segundo Roman (2000) uma parede de alvenaria pode suportar pesadas cargas verticais e horizontais paralela ao seu plano, mas é comparativamente fraca às cargas horizontais que atuam perpendicularmente ao seu plano. O grande desafio do projetista é, portanto, minimizar as tensões de tração que possam vir a aparecer. Com este propósito, podem ser adotados os seguintes procedimentos: Troca da forma das paredes; Arranjo apropriado (distribuição uniforme) das paredes, buscando uma distribuição homogênea das cargas verticais; O arranjo deve ser pensado de maneira que as paredes sejam dispostas sempre em duas direções, para que se estabilizem e se enrijeçam mutuamente, anulando os esforços horizontais; Utilização das lajes para aplicação das cargas verticais nas paredes, amarração da estrutura e distribuição das cargas horizontais (a laje deve funcionar como um diafragma rígido); Utilização de escadas, poços de elevadores e de condução de dutos para obtenção de rigidez lateral; Utilização de plantas simétricas, com peças de dimensões não muito grandes; Repetição do mesmo arranjo arquitetônico em todos pavimentos, sobrepondo elementos sujeitos à compressão Parâmetros da Alvenaria Estrutural Modulação A modulação é fundamental para a economia e a racionalização da edificação em alvenaria estrutural. Modular um arranjo arquitetônico significa acertar suas dimensões em planta e também o pé-direito da edificação, através das dimensões das unidades, com o objetivo de reduzir ao máximo os cortes e ajustes na execução das paredes. Há dois tipos de modulação: a horizontal e a vertical, tal como ilustra a Figura 01 (BONACHESKI, 2006 apud KALIL, 2007). Os detalhes construtivos fornecidos pelo projetista devem conter todas as informações necessárias para a confecção das alvenarias estruturais. As medidas modulares dos blocos são uma das principais exigências, pois são de fundamental importância para a racionalização da construção. (COÊLHO, 1998).

COMO CONSTRUIR Paredes de concreto

COMO CONSTRUIR Paredes de concreto Revista Téchne, Edição 147, ano 17, mês junho/2009, páginas 74 a 80 COMO CONSTRUIR Paredes de concreto Por Hugo Misurelli e Clovis Massuda O sistema construtivo de paredes de concreto é um método de construção

Leia mais

Alvenaria de Blocos de Concreto

Alvenaria de Blocos de Concreto Alvenaria de Blocos de Recomendações Gerais Est. Mun. Eduardo Duarte, 1100 - Esq. RST 287. Santa Maria - RS Fone: (55) 3221 2000 e-mail : prontomix@prontomix.com.br Conceitos Gerais O que é Alvenaria Estrutural?

Leia mais

MANUAL DO FABRICANTE:

MANUAL DO FABRICANTE: MANUAL DO FABRICANTE: ALVENARIA ESTRUTURAL Características e especificações, instruções de transporte, estocagem e utilização. GESTOR: Engenheiro civil EVERTON ROBSON DOS SANTOS LISTA DE TABELAS Tabela

Leia mais

BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL

BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL Indice ALVENARIA ESTRUTURAL MANUAL DE EXECUÇÃO E TREINAMENTO...1 O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL?...1 Seu trabalho fica mais fácil...1 CUIDADOS QUE

Leia mais

Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Estruturas. Alvenaria Estrutural.

Escola de Engenharia de São Carlos - Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Estruturas. Alvenaria Estrutural. Alvenaria Estrutural Introdução CONCEITO ESTRUTURAL BÁSICO Tensões de compressão Alternativas para execução de vãos Peças em madeira ou pedra Arcos Arco simples Arco contraventado ASPECTOS HISTÓRICOS Sistema

Leia mais

poder de compra x custo da construção poder de compra:

poder de compra x custo da construção poder de compra: w ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO poder de compra x custo da construção poder de compra: - Conceito Geral - Engenheiro Civil - Ph.D. (85)3244-3939 (85)9982-4969 luisalberto1@terra.com.br custo

Leia mais

Casas com paredes de concreto Reportagem: Jamila Venturini

Casas com paredes de concreto Reportagem: Jamila Venturini Casas com paredes de concreto Reportagem: Jamila Venturini O sistema de construção com paredes de concreto moldadas in loco permite executar com agilidade e economia obras de grande escala como condomínios,

Leia mais

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA

CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA 1 CAPÍTULO III SISTEMAS ESTRUTURAIS CONSTRUÇÕES EM ALVENARIA I. SISTEMAS ESTRUTURAIS Podemos citar diferentes sistemas estruturais a serem adotados durante a concepção do projeto de uma edificação. A escolha

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO 1a. parte: TÉCNICA Engenheiro Civil - Ph.D. 85-3244-3939 9982-4969 la99824969@yahoo.com.br skipe: la99824969 de que alvenaria

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE ALVENARIA ESTRUTURAL: BLOCOS DE CONCRETO DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE O uso de alvenaria como sistema estrutural já vem sendo usado a centenas de anos, desde as grandes

Leia mais

FORMAS E ARMADURAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

FORMAS E ARMADURAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FORMAS E ARMADURAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I CUSTO DA ESTRUTURA (SABBATINI, et. Al, 2007) CUSTO DOS ELEMENTOS DA ESTRUTURA

Leia mais

Transformando aço, conduzindo soluções. Lajes Mistas Nervuradas

Transformando aço, conduzindo soluções. Lajes Mistas Nervuradas Transformando aço, conduzindo soluções. Lajes Mistas Nervuradas TUPER Mais de 40 anos transformando aço e conduzindo soluções. A Tuper tem alta capacidade de transformar o aço em soluções para inúmeras

Leia mais

Belo Horizonte - MG Interface com Outros Subsistemas

Belo Horizonte - MG Interface com Outros Subsistemas Belo Horizonte - MG Interface com Outros Subsistemas 10/11/2009 Carlos Chaves LOG Gestão de Obras Subsistemas Deus está nos detalhes Mies van der Rohe (1886-1969) Pavilhão alemão na Feira Mundial de Barcelona

Leia mais

PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO IN LOCO COMO SOLUÇÃO PARA EDIFÍCIOS VERTICAIS

PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO IN LOCO COMO SOLUÇÃO PARA EDIFÍCIOS VERTICAIS I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO

Leia mais

Projeto estrutural de edifícios de alvenaria: decisões, desafios e impactos da nova norma de projeto

Projeto estrutural de edifícios de alvenaria: decisões, desafios e impactos da nova norma de projeto Projeto estrutural de edifícios de alvenaria: decisões, desafios e impactos da nova norma de projeto Prof. Associado Márcio Roberto Silva Corrêa Escola de Engenharia de São Carlos Universidade de São Paulo

Leia mais

AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE

AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE AMPLIAÇÃO ESCOLA DO JARDIM YPE LUIZA DE LIMA TEIXEIRA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA SP. PROJETO ESTRUTURAL 1 I - MEMORIAL DESCRITIVO DE CIVIL ESTRUTURAL 1 - Serviços Iniciais: ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

SISTEMA CONSTRUTIVO CASA EXPRESS DE PAINÉIS PREMOLDADOS MISTOS DE CONCRETO ARMADO E BLOCOS CERÂMICOS PARA PAREDES E LAJES

SISTEMA CONSTRUTIVO CASA EXPRESS DE PAINÉIS PREMOLDADOS MISTOS DE CONCRETO ARMADO E BLOCOS CERÂMICOS PARA PAREDES E LAJES SISTEMA CONSTRUTIVO CASA EXPRESS DE PAINÉIS PREMOLDADOS MISTOS DE CONCRETO ARMADO E BLOCOS CERÂMICOS PARA PAREDES E LAJES INTRODUÇÃO: A CASA EXPRESS LTDA. é uma empresa do ramo da construção civil, sediada

Leia mais

IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil. Subsistema vedação vertical

IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil. Subsistema vedação vertical PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco IGDITCC Importância da Gestão, do Desempenho e da Inovação Tecnológica na Construção Civil Aula

Leia mais

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura.

A concepção estrutural deve levar em conta a finalidade da edificação e atender, tanto quanto possível, às condições impostas pela arquitetura. ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 4 Libânio M. Pinheiro, Cassiane D. Muzardo, Sandro P. Santos 2 de abril, 2003. CONCEPÇÃO ESTRUTURAL A concepção estrutural, ou simplesmente estruturação, também chamada

Leia mais

AVALIAÇÃO DA INFLUÊNCIA DA ÁREA DAS ABERTURAS QUADRADRAS EM PAREDES DE CONCRETO QUADRADAS

AVALIAÇÃO DA INFLUÊNCIA DA ÁREA DAS ABERTURAS QUADRADRAS EM PAREDES DE CONCRETO QUADRADAS 1 AVALIAÇÃO DA INFLUÊNCIA DA ÁREA DAS ABERTURAS QUADRADRAS EM PAREDES DE CONCRETO QUADRADAS Luara Batalha Mônica da Guarda Abstract: This paper describes and discusses the history, the construction process

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME

SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME Sistema de ds A SOLUÇÃO INTELIGENTE PARA A SUA OBRA SUPORTE TÉCNICO SOBRE LIGHT STEEL FRAME www.placlux.com.br VOCÊ CONHECE O SISTEMA CONSTRUTIVO LIGHT STEEL FRAME? VANTAGENS LIGHT STEEL FRAME MENOR CARGA

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

Modulação Automática de Edifícios em Alvenaria Estrutural com a utilização da Plataforma CAD: Programa AlvMod

Modulação Automática de Edifícios em Alvenaria Estrutural com a utilização da Plataforma CAD: Programa AlvMod Modulação Automática de Edifícios em Alvenaria Estrutural com a utilização da Plataforma CAD: Programa AlvMod Davi Fagundes Leal 1,, Rita de Cássia Silva Sant Anna Alvarenga 2, Cássio de Sá Seron 3, Diôgo

Leia mais

37 3231-4615 www.levemix.com.br GUIA PRÁTICO DE APLICAÇÃO CONCRETO LEVEMIX. Comodidade, economia e segurança ENTREGAMOS PEQUENAS QUANTIDADES

37 3231-4615 www.levemix.com.br GUIA PRÁTICO DE APLICAÇÃO CONCRETO LEVEMIX. Comodidade, economia e segurança ENTREGAMOS PEQUENAS QUANTIDADES GUIA PRÁTICO DE APLICAÇÃO CONCRETO LEVEMIX Orientações técnicas para o melhor desempenho de sua concretagem Comodidade, economia e segurança 37 3231-4615 www.levemix.com.br ENTREGAMOS PEQUENAS QUANTIDADES

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL

ALVENARIA ESTRUTURAL Alvenaria Ministério Estruturalda Educação 18:04 Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Construção Civil II ( TC-025) Prof. José de Almendra Freitas Jr. freitasjose@terra.com.br Versão 2013

Leia mais

GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O

GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO FÔRMAS E CIMBRAMENTO FÔRMAS E CIMBRAMENTO FÔRMA: Modelo, molde de qualquer coisa; EXIGÊNCIAS:

Leia mais

Concreto: O que utilizar nas diversas Tipologias?

Concreto: O que utilizar nas diversas Tipologias? Seminário: Concreto: O que utilizar nas diversas Tipologias? EngºArcindo A. Vaquero y Mayor Wish List Veloz Durável Prático (com racionalização) Econômico Baixo Desperdicio Confortável (Desempenho Termico

Leia mais

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço 23 2. Sistemas de Lajes 2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço Neste capítulo são apresentados os tipos mais comuns de sistemas de lajes utilizadas na construção civil. 2.1.1.

Leia mais

BLOCOS, ARGAMASSAS E IMPORTÂNCIA DOS BLOCOS CARACTERÍSTICAS DA PRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS DA PRODUÇÃO. Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco 1

BLOCOS, ARGAMASSAS E IMPORTÂNCIA DOS BLOCOS CARACTERÍSTICAS DA PRODUÇÃO CARACTERÍSTICAS DA PRODUÇÃO. Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco 1 Escola Politécnica da USP PCC 2515 Alvenaria Estrutural BLOCOS, ARGAMASSAS E GRAUTES Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco IMPORTÂNCIA DOS BLOCOS! DETERMINA CARACTERÍSTICAS IMPORTANTES DA PRODUÇÃO! peso e dimensões

Leia mais

http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/109/imprime31727.asp Figura 1 - Corte representativo dos sistemas de lajes treliçadas

http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/109/imprime31727.asp Figura 1 - Corte representativo dos sistemas de lajes treliçadas 1 de 9 01/11/2010 23:26 Como construir Lajes com EPS Figura 1 - Corte representativo dos sistemas de lajes treliçadas As lajes tipo volterrana abriram a trajetória das lajes pré-moldadas. O sistema utiliza

Leia mais

Casa de steel frame - instalações (parte 4)

Casa de steel frame - instalações (parte 4) Página 1 de 6 Casa de steel frame - instalações (parte 4) As instalações elétricas e hidráulicas para edificações com sistema construtivo steel frame são as mesmas utilizadas em edificações convencionais

Leia mais

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA E OUTROS SISTEMAS DE VEDAÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I SISTEMAS DE VEDAÇÃO VERTICAL SISTEMA DE VEDAÇÃO Um subsistema

Leia mais

O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? ALVENARIA ESTRUTURAL O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? Conceituação: O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL?

O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? ALVENARIA ESTRUTURAL O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? Conceituação: O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? AULA 5 ALVENARIA ESTRUTURAL Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco PREDIO COM BLOCO DE VEDAÇÃO MACEIO

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CURSO DE ENGENHARIA CIVIL EVERTON DE BRITTO SANTOS

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CURSO DE ENGENHARIA CIVIL EVERTON DE BRITTO SANTOS UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CURSO DE ENGENHARIA CIVIL EVERTON DE BRITTO SANTOS ESTUDO COMPARATIVO DE VIABILIDADE ENTRE ALVENARIA DE BLOCOS CERÂMICOS E PAREDES

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME ANITA OLIVEIRA LACERDA - anitalic@terra.com.br PEDRO AUGUSTO CESAR DE OLIVEIRA SÁ - pedrosa@npd.ufes.br 1. INTRODUÇÃO O Light Steel Frame (LSF) é um sistema

Leia mais

METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO

METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO Segurança Antes do início de qualquer serviço, verificar a existência e condições dos equipamentos de segurança

Leia mais

1 - Apresentação. Foto 1. Foto 2. Fotos 1 e 2: Canteiro de obras de uma construção em alvenaria estrutural com blocos cerâmicos.

1 - Apresentação. Foto 1. Foto 2. Fotos 1 e 2: Canteiro de obras de uma construção em alvenaria estrutural com blocos cerâmicos. 1 - Apresentação A alvenaria estrutural é um processo construtivo em que as paredes de alvenaria e as lajes enrijecedoras ALVENARIA funcionam estruturalmente em substituição aos pilares e vigas utilizados

Leia mais

ALVENARIA EXECUÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA EXECUÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA EXECUÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA CONDIÇÕES DE INÍCIO Vigas baldrames impermeabilizadas e niveladas,

Leia mais

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTO DEFACHADA Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FUNÇÕES DO REVESTIMENTO DE FACHADA Estanqueida de Estética CONDIÇÕES DE INÍCIO

Leia mais

TUPER ESTRUTURAS PLANAS

TUPER ESTRUTURAS PLANAS TUPER ESTRUTURAS PLANAS LAJES MISTAS NERVURADAS MANUAL DE MONTAGEM ÍNDICE 1. Tuper lajes mistas nervuradas... 03 2. Especificações... 04 3. Escoramento... 05 4. Armadura de distribuição... 07 5. Nervuras

Leia mais

ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes!

ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes! ALVENARIA: como reconhecer blocos de qualidade e ecoeficientes! Bloco de concreto As paredes são montadas a partir de componentes de alvenaria - os blocos. Portanto, é imprescindível que eles obedeçam

Leia mais

DOSAGEM DE CONCRETO AUTO- ADENSÁVEL PARA APLICAÇÃO EM PAREDES DE CONCRETO MOLDADAS NA OBRA

DOSAGEM DE CONCRETO AUTO- ADENSÁVEL PARA APLICAÇÃO EM PAREDES DE CONCRETO MOLDADAS NA OBRA DOSAGEM DE CONCRETO AUTO- ADENSÁVEL PARA APLICAÇÃO EM PAREDES DE CONCRETO MOLDADAS NA OBRA Alessandra L. de Castro; Rafael F. C. dos Santos; Givani Soares de Araújo 54º Congresso Brasileiro do Concreto

Leia mais

Paredes Maciças as de Concreto

Paredes Maciças as de Concreto Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4B Paredes Maciças as de Concreto Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção

Leia mais

ASPECTOS SOBRE A PRODUÇÃO DA ALVENARIA

ASPECTOS SOBRE A PRODUÇÃO DA ALVENARIA ASPECTOS SOBRE A PRODUÇÃO DA ALVENARIA A produção da alvenaria está dividida em quatro passos fundamentais, que são: - Planejamento; - Marcação; - Elevação; - Fixação. 3ODQHMDPHQWR 1. Equipamentos Colher

Leia mais

Forma - é o conjunto de componentes provisórios cujas funções principais são:

Forma - é o conjunto de componentes provisórios cujas funções principais são: Forma - é o conjunto de componentes provisórios cujas funções principais são: Molde: dar forma ao concreto; Conter o concreto fresco e sustentá-lo até que atinja resistência mecânica necessária; Proporcionar

Leia mais

ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II

ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II E ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II MÉTODO EXECUTIVO Cuidados no Recebimento Formas de Instalação

Leia mais

CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE

CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE Estúdio de Arquitetura: Sustentabilidade Steel Framing Aluna: Gabriela Carvalho Ávila Maio de 2014 ÍNDICE 1 Introdução... 4 2 Sistema Ligth Steel Framing... 5 2.1

Leia mais

VIABILIDADE E RESULTADOS OBTIDOS COM O USO DO BLOCO DE CONCRETO EM ALVENARIA DE VEDAÇÃO - Construtora Dacaza. Elaine Valentim

VIABILIDADE E RESULTADOS OBTIDOS COM O USO DO BLOCO DE CONCRETO EM ALVENARIA DE VEDAÇÃO - Construtora Dacaza. Elaine Valentim VIABILIDADE E RESULTADOS OBTIDOS COM O USO DO BLOCO DE CONCRETO EM ALVENARIA DE VEDAÇÃO - Construtora Dacaza Elaine Valentim CONSTRUTORA DACAZA CENÁRIO - 2005 Mais de 20 anos no mercado; Focada na qualidade

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL DE CONCRETO COM BLOCOS CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO PASSO A PASSO

ALVENARIA ESTRUTURAL DE CONCRETO COM BLOCOS CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO PASSO A PASSO ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO PASSO A PASSO ALVENARIA ESTRUTURAL EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA 2 SEGURANÇA COLETIVA 3 SEGURANÇA COLETIVA ANDAIME COM GUARDA

Leia mais

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço 1 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1685, 2º andar, conj. 2d - 01451-908 - São Paulo Fone: (11) 3097-8591 - Fax: (11) 3813-5719 - Site: www.abece.com.br E-mail: abece@abece.com.br Av. Rio Branco, 181 28º Andar

Leia mais

A Empresa. Mais de 6,0 mil unidades habitacionais entregues. Hoje em construção são mais de 4100 unidades

A Empresa. Mais de 6,0 mil unidades habitacionais entregues. Hoje em construção são mais de 4100 unidades A Empresa Completou 20 anos em Março 2015 Aproximadamente 500 mil m² de área construída Experiência em obras habitacionais, comerciais e industriais 01 A Empresa Atuação regional no interior do estado

Leia mais

Espaçador treliçado ABTC para apoio de ferragem negativa. Espaçador DL para tela soldada. Barras de transferência

Espaçador treliçado ABTC para apoio de ferragem negativa. Espaçador DL para tela soldada. Barras de transferência Espaçador treliçado ABTC para apoio de ferragem negativa O espaçador treliçado ABTC da FAMETH é utilizado em lajes, substituindo o ultrapassado caranguejo. É indicado para apoiar e manter o correto posicionamento

Leia mais

ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE PRUDENTE

ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 221 ESTUDO DE CASO SOBRE A APLICAÇÃO DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO EM PRESIDENTE

Leia mais

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR?

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR? Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 3 ALVENARIAS: EXECUÇÃO, Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil

Leia mais

CONCRETO DO PREPARO À CURA CONTROLE TECNOLÓGICO

CONCRETO DO PREPARO À CURA CONTROLE TECNOLÓGICO CONCRETO DO PREPARO À CURA CONTROLE TECNOLÓGICO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I PREPARO, RECEBIMENTO, LANÇAMENTO E CURA DO CONCRETO

Leia mais

Concreto Definições. Concreto Durabilidade. Concreto Definições. Concreto Definições. Produção do concreto ANGELO JUST.

Concreto Definições. Concreto Durabilidade. Concreto Definições. Concreto Definições. Produção do concreto ANGELO JUST. UNICAP Curso de Arquitetura e Urbanismo EXECUÇÃO DE ESTRUTURAS DE CONCRETO: Mistura, transporte, lançamento, adensamento e cura. MATERIAIS E TECNOLOGIA CONSTRUTIVA 1 Prof. Angelo Just da Costa e Silva

Leia mais

ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais

ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO Recomendações gerais LA-J ARTEFATOS DE CIMENTO LUCAS LTDA Av. Cônsul Assaf Trad 6977 Em frente ao Shopping Bosque dos Ipês / Campo Grande MS 0800 647 1121 www.lajlucas.com.br

Leia mais

Soluções em Lajes Alveolares

Soluções em Lajes Alveolares Soluções em Lajes Alveolares Oferecer Soluções Inovadoras e bom atendimento é o nosso compromisso Presente no mercado da construção civil desde de 1977, o Grupo Sistrel vem conquistando o mercado brasileiro

Leia mais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais

Blocos de. Absorção de água. Está diretamente relacionada à impermeabilidade dos produtos, ao acréscimo imprevisto de peso à Tabela 1 Dimensões reais Blocos de CONCRETO DESCRIÇÃO: Elementos básicos para a composição de alvenaria (estruturais ou de vedação) BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO SIMPLES COMPOSIÇÃO Cimento Portland, Agregados (areia, pedra, etc.)

Leia mais

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética REVESTIMENTO DE FACHADA Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética Documentos de referência para a execução do serviço: Projeto arquitetônico Projeto de esquadrias NR 18 20

Leia mais

TUPER ESTRUTURAS PLANAS

TUPER ESTRUTURAS PLANAS TUPER ESTRUTURAS PLANAS LAJES MISTAS NERVURADAS Soluções estruturais e arquitetônicas em aço, traduzidas em estética, conforto, segurança e versatilidade. Catálogo destinado ao pré-lançamento do produto.

Leia mais

Simplicidade. é obter o máximo, com o mínimo. Koichi Kawana

Simplicidade. é obter o máximo, com o mínimo. Koichi Kawana Simplicidade é obter o máximo, com o mínimo Koichi Kawana Simples Poucas peças formam painéis robustos. Painéis que se travam com facilidade. Não requer mão de obra especializada. Instalações são embutidas

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL DE CONCRETO COM BLOCOS CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO

ALVENARIA ESTRUTURAL DE CONCRETO COM BLOCOS CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO HISTÓRICO O uso da alvenaria é a mais antiga forma de construção empregada pelo homem. 2 HISTÓRICO Pirâmides do Egito

Leia mais

Sistemas da edificação Aplicação na prática

Sistemas da edificação Aplicação na prática 1 Vantagens Alta produtividade com equipes otimizadas; Redução de desperdícios e obra limpa; Facilidade de gerenciamento e padronização da obra; Elevada durabilidade; Facilidade de limpeza e conservação;

Leia mais

O SISTEMA SF DE FÔRMAS

O SISTEMA SF DE FÔRMAS O SISTEMA SF DE FÔRMAS A SF Fôrmas utiliza o sistema construtivo para estruturas de concreto desde a década de 70, quando trouxe para o Brasil as primeiras fôrmas de alumínio. O Sistema SF de Fôrmas para

Leia mais

O www.romanio.com.br

O www.romanio.com.br O www.romanio.com.br VANTAGENS Dispensa usos de compensados Simplifica armação Otimiza vãos de maior envergadura Racionaliza a construção de lajes nervuradas Nervuras tecnicamente dimensionadas, de modo

Leia mais

CAPÍTULO IV - ALVENARIA

CAPÍTULO IV - ALVENARIA CAPÍTULO IV - ALVENARIA Alvenaria é a arte ou ofício de pedreiro ou alvanel, ou ainda, obra composta de pedras naturais ou artificiais, ligadas ou não por argamassa. Segundo ZULIAN et al. (2002) também

Leia mais

O SISTEMA SF DE FÔRMAS

O SISTEMA SF DE FÔRMAS O SISTEMA SF DE FÔRMAS O SISTEMA SF Fôrmas: A SF Fôrmas utiliza o sistema construtivo de paredes de concreto desde a década de 1970, quando trouxe para o Brasil as primeiras fôrmas de alumínio. O SISTEMA

Leia mais

Profª. Angela A. de Souza DESENHO DE ESTRUTURAS

Profª. Angela A. de Souza DESENHO DE ESTRUTURAS DESENHO DE ESTRUTURAS INTRODUÇÃO A estrutura de concreto armado é resultado da combinação entre o concreto e o aço. Porém, para a sua execução, não é suficiente apenas a presença desses dois materiais;

Leia mais

PAINÉIS DE CONCRETO PRÉ-MOLDADOS E SOLUÇÕES COMPLEMENTARES PARA O SEGMENTO ECONÔMICO

PAINÉIS DE CONCRETO PRÉ-MOLDADOS E SOLUÇÕES COMPLEMENTARES PARA O SEGMENTO ECONÔMICO PAINÉIS DE CONCRETO PRÉ-MOLDADOS E SOLUÇÕES COMPLEMENTARES PARA O SEGMENTO ECONÔMICO Augusto Guimarães Pedreira de Freitas PEDREIRA DE FREITAS LTDA COMUNIDADE DA CONSTRUÇÃO RECIFE/PE AGRADECIMENTO ESPECIAL

Leia mais

Gestão tecnológica em obras de Alvenaria Estrutural

Gestão tecnológica em obras de Alvenaria Estrutural Gestão tecnológica em obras de Alvenaria Estrutural Estudo de caso : Conjunto Residencial Primavera - Itaquera Canteiro com múltiplos edifícios Eng. Leonardo Manzione Março de 2004 Agradecimentos Ao amigo

Leia mais

Alvenaria de Vedação CARTILHA COM BLOCOS DE CONCRETO. Capacitação de equipes de produção. Realização. Recife - PE

Alvenaria de Vedação CARTILHA COM BLOCOS DE CONCRETO. Capacitação de equipes de produção. Realização. Recife - PE Alvenaria de Vedação COM BLOCOS DE CONCRETO CARTILHA Capacitação de equipes de produção Realização Recife - PE Gerência Regional ABCP N/NE Eduardo Barbosa de Moraes Gestão da Comunidade da Construção Roberto

Leia mais

Por que utilizarmos paredes de concreto

Por que utilizarmos paredes de concreto Seminário: Por que utilizarmos paredes de concreto Engenheiro Geraldo Antonio Cêsta Diretor Técnico da Rodobens Negócios Imobiliários ÍNDICE GERAL DA PALESTRA 1. NECESSIDADE DO MERCADO IMOBILIÁRIO NACIONAL

Leia mais

CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA

CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA CLIENTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAPIRANGA OBRA: ESTAÇÃO ELEVATÓRIA PARA ESGOTO - ELEVADO RESPONSÁVEL TÉCNICO: ENG. CIVIL MICHAEL MALLMANN MUNICÍPIO: ITAPIRANGA - SC 1 INSTALAÇÕES PROVISÓRIAS Deve ser

Leia mais

Alvenaria racionalizada

Alvenaria racionalizada Como construir Alvenaria racionalizada A alvenaria de vedação pode ser definida como a alvenaria que não é dimensionada para resistir a ações além de seu próprio peso. O subsistema vedação vertical é responsável

Leia mais

1.1 DEFINIÇÕES Concreto é um material de construção proveniente da mistura, em proporção adequada, de: aglomerantes, agregados e água.

1.1 DEFINIÇÕES Concreto é um material de construção proveniente da mistura, em proporção adequada, de: aglomerantes, agregados e água. ESTRUTURAS DE CONCRETO CAPÍTULO 1 Libânio M. Pinheiro; Cassiane D. Muzardo; Sandro P. Santos Março de 2004 INTRODUÇÃO Este é o capítulo inicial de um curso cujos objetivos são: os fundamentos do concreto;

Leia mais

PES - Procedimento de Execução de Serviço

PES - Procedimento de Execução de Serviço Revisão: 00 Folha: 1 de 6 1. EQUIPAMENTOS Esquadro metálico; Martelo e serrote; Serra de bancada com proteção para disco; Corda; Chave de dobra; Policorte; Tesoura manual; Gerica e carrinho de mão; Desempenadeira

Leia mais

TIPOS DE ESTRUTURAS. Prof. Marco Pádua

TIPOS DE ESTRUTURAS. Prof. Marco Pádua TIPOS DE ESTRUTURAS Prof. Marco Pádua A função da estrutura é transmitir para o solo a carga da edificação. Esta carga compõe-se de: peso próprio da estrutura, cobertura, paredes, esquadrias, revestimentos,

Leia mais

Materiais, execução da estrutura e controle tecnológico

Materiais, execução da estrutura e controle tecnológico CAIXA ECONÔMICA FEDERAL DIRETORIA DE PARCERIAS E APOIO AO DESENVOLVIMENTO URBANO ALVENARIA ESTRUTURAL Materiais, execução da estrutura e controle tecnológico REQUISITOS E CRITÉRIOS MÍNIMOS A SEREM ATENDIDOS

Leia mais

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO CONCEITO A tipologia estrutural composta por bloco, argamassa, graute e eventualmente armações é responsável por um dos sistemas construtivos

Leia mais

Alvenaria de Blocos de Concreto

Alvenaria de Blocos de Concreto Alvenaria de Blocos de Concreto Recomendações Gerais Av. Verbo Divino Nº 331 Bairro: Chácara Da Cotia Contagem - MG Tel.: 3394-6104 Conceitos Gerais O que é Alvenaria Estrutural? Alvenaria estrutural é

Leia mais

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados Projeto e Dimensionamento de de Estruturas metálicas e mistas de de aço e concreto MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados 1 Sistemas estruturais: coberturas

Leia mais

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos Paredes internas Estrutura leve GESSO ACARTONADO Fixado em perfis de chapa de aço galvanizado (esqueleto de guias e montantes) Parede: chapas de gesso em uma ou mais camadas Superfície pronta para o acabamento

Leia mais

Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto

Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto Recomendações para Elaboração de Projetos Estruturais de Edifícios de Concreto INTRODUÇÃO O presente trabalho tem como objetivo fornecer aos projetistas e contratantes, recomendações básicas e orientações

Leia mais

Concreto Convencional

Concreto Convencional TIPOS DE CONCRETO Concreto Convencional Pode-se dizer que o Concreto Convencional é aquele sem qualquer característica especial e que é utilizado no dia a dia da construção civil. Seu abatimento (Slump)

Leia mais

Elementos Estruturais de Concreto Armado

Elementos Estruturais de Concreto Armado UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas Elementos Estruturais de Concreto Armado Prof. Guilherme Brigolini Elementos Estruturais de Concreto Armado Produção de

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES. Disciplina: Projeto de Estruturas. Aula 7

CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES. Disciplina: Projeto de Estruturas. Aula 7 AULA 7 CURSO TÉCNICO DE EDIFICAÇÕES Disciplina: Projeto de Estruturas CLASSIFICAÇÃO DAS ARMADURAS 1 CLASSIFICAÇÃO DAS ARMADURAS ALOJAMENTO DAS ARMADURAS Armadura longitudinal (normal/flexão/torção) Armadura

Leia mais

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 07) WILLIAN ABREU

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 07) WILLIAN ABREU FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 07) ESTRUTURAS EM CONCRETO ARMADO VANTAGENS E DESVANTAGENS DO CONCRETO ARMADO: Apenas

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL PROCESSO CONSTRUTIVO RACIONALIZADO. Curso de extensão - Área de Ciências Exatas e Tecnológicas

ALVENARIA ESTRUTURAL PROCESSO CONSTRUTIVO RACIONALIZADO. Curso de extensão - Área de Ciências Exatas e Tecnológicas 2 PROCESSO CONSTRUTIVO RACIONALIZADO Curso de extensão - Área de Ciências Exatas e Tecnológicas Período: de 15 a 31/05/2007 Carga horária: 20h Professor: Cristiano Richter, M.Sc. 3 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO...

Leia mais

Definições. Armação. Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura.

Definições. Armação. Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura. Definições Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura. Armadura: associação das diversas peças de aço, formando um conjunto para um

Leia mais

Norma inédita para paredes de concreto moldadas in loco entra em vigor e promete impulsionar uso da tecnologia em edificações

Norma inédita para paredes de concreto moldadas in loco entra em vigor e promete impulsionar uso da tecnologia em edificações CAPA Paredes normatizadas Norma inédita para paredes de concreto moldadas in loco entra em vigor e promete impulsionar uso da tecnologia em edificações Rodnei Corsini NBR 16055:2012 contempla aspectos

Leia mais

O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? Conceituação: O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? Histórico UFBA TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL

O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? Conceituação: O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? Histórico UFBA TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 5 ALVENARIA ESTRUTURAL: PROJETO E RACIONALIZAÇÃO Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL? PREDIO COM

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CIVIL

MEMORIAL DESCRITIVO CIVIL MEMORIAL DESCRITIVO CIVIL I SERVIÇOS DE ENGENHARIA Constitui objeto do presente memorial descritivo uma edificação para abrigar segura e adequadamente equipamentos de rede estabilizada, Grupo Moto-gerador

Leia mais

Manual de Montagem Casa 36m²

Manual de Montagem Casa 36m² Manual de Montagem Casa 36m² cga -gerência de desenvolvimento da aplicação do aço Usiminas - Construção Civil INTRODUÇÃO Solução para Habitação Popular - é uma alternativa econômica, simples e de rápida

Leia mais

A importância do projeto de paredes de concreto para os projetistas estruturais Arnoldo Augusto Wendler Filho

A importância do projeto de paredes de concreto para os projetistas estruturais Arnoldo Augusto Wendler Filho Paredes de Concreto: Cálculo para Construções Econômicas A importância do projeto de paredes de concreto para os projetistas estruturais Arnoldo Augusto Wendler Filho Sistema Construtivo Sistema Construtivo

Leia mais

concreto É unir economia e sustentabilidade.

concreto É unir economia e sustentabilidade. concreto É unir economia e sustentabilidade. A INTERBLOCK Blocos e pisos de concreto: Garantia e confiabilidade na hora de construir. Indústria de artefatos de cimento, que já chega ao mercado trazendo

Leia mais

Notas de aulas - Concreto Armado. Lançamento da Estrutura. Icléa Reys de Ortiz

Notas de aulas - Concreto Armado. Lançamento da Estrutura. Icléa Reys de Ortiz Notas de aulas - Concreto Armado 2 a Parte Lançamento da Estrutura Icléa Reys de Ortiz 1 1. Lançamento da Estrutura Antigamente costumava-se lançar vigas sob todas as paredes e assim as lajes ficavam menores

Leia mais

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle.

A cobertura pode ser feita com telhas que podem ser metálicas, de barro ou ainda telhas asfálticas tipo shingle. CONCEITO Light (LSF estrutura em aço leve) é um sistema construtivo racional e industrial. Seus principais componentes são perfis de aço galvanizado dobrados a frio, utilizados para formar painéis estruturais

Leia mais

Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO

Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO Sistema Construtivo em PAREDES DE CONCRETO PROJETO Arnoldo Wendler Sistema Construtivo 1 Sistema Construtivo 2 Sistema Construtivo Sistema Construtivo 3 Sistema Construtivo Comunidade da Construção DIRETRIZES

Leia mais

SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING COMO FECHAMENTO EXTERNO VERTICAL INDUSTRIALIZADO

SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING COMO FECHAMENTO EXTERNO VERTICAL INDUSTRIALIZADO CONSTRUMETAL CONGRESSO LATINO-AMERICANO DA CONSTRUÇÃO METÁLICA São Paulo Brasil 09, 10 e 11 de Setembro 2008 SISTEMA LIGHT STEEL FRAMING COMO FECHAMENTO EXTERNO VERTICAL INDUSTRIALIZADO Alexandre Kokke

Leia mais