/2014 pt-br. Os especialistas em fôrmas. Dokaflex Manual do usuário Instruções de montagem e utilização

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "999776041-04/2014 pt-br. Os especialistas em fôrmas. Dokaflex 1-2-4. Manual do usuário Instruções de montagem e utilização 9720-337-01"

Transcrição

1 /2014 pt-br Os especialistas em fôrmas. Dokaflex Manual do usuário Instruções de montagem e utilização

2 Introdução Manual do usuário Dokaflex ção Introdu- by Doka Industrie GmbH, mstetten /2014

3 Introdução Índice 4 Introdução 4 Instruções básicas de segurança 7 Eurocodes na Doka 8 Serviços Doka 10 Descrição do produto 12 Sistema lógico para todas as lajes de até 30 cm de espessura 13 Instruções de montagem e utilização 20 daptabilidade 21 Componentes do sistema de Dokaflex também para lajes com mais de 30 cm de espessura 22 Fôrma da laje na região da borda 24 Soluções de suporte 25 Suporte de fixação de viga secundária 26 Fôrmas das bordas 28 Proteção contra queda na estrutura 30 Gravata de viga 31 Viga de periferia sem laje interna (isolada) 32 Viga de borda com laje interna 34 Combinações 35 Planejamento da fôrma com Tipos-Doka 36 Transporte, empilhamento e armazenagem 42 Escoras para reescoramento, tecnologia de concreto e desfôrma 44 Visão geral de componentes /2014 3

4 Introdução Manual do usuário Dokaflex Instruções básicas de segurança Introdução Grupos de usuários Este documento se dirige a todas as pessoas que trabalham com o produto/sistema Doka descrito e contém informações sobre o projeto padrão visando a montagem e utilização corretas do sistema descrito. Todas as pessoas que trabalhem com o respectivo produto devem estar familiarizadas com o conteúdo deste documento e as instruções de segurança nele contidas. O cliente deve instruir as pessoas que não saibam ler e não compreendam, completa ou parcialmente, este documento. O cliente deverá certificar-se de que as informações disponibilizadas pela Doka (por exemplo, manual do usuário, instruções de montagem e utilização, manuais de instruções de funcionamento, plantas, etc.) estão presentes e atualizadas, são do conhecimento das pessoas afins e estão à disposição dos usuários no local de utilização. Na presente documentação técnica e nas respectivas plantas de utilização de fôrmas, a Doka aponta medidas de segurança no trabalho visando a utilização dos produtos Doka nos casos de utilização apresentados. Em todo o caso, o usuário tem a obrigação de garantir o cumprimento das leis, normas e regulamentos nacionais de proteção ao trabalhador durante todo o projeto e, se necessário, tomar medidas adicionais ou alternativas em matéria de segurança no trabalho. valiação dos perigos O cliente é responsável pela montagem, documentação, implementação e revisão de uma avaliação dos perigos em cada obra. Este documento serve de base para uma avaliação específica dos perigos da obra e para as instruções visando a disponibilização e utilização do sistema pelo usuário. Porém, o mesmo não as substitui. Notas relativas a este documento Este documento pode servir de instruções de montagem e utilização de âmbito geral ou pode ser incorporado nas instruções de montagem e utilização específicas da obra. s ilustrações apresentadas neste documento correspondem, em parte, a etapas de montagem e, por isso, não estão sempre completas do ponto de vista da segurança. Os equipamentos de segurança eventualmente não apresentados nestas ilustrações devem, no entanto, ser utilizados pelo cliente de acordo com as normas em vigor. Outras instruções de segurança, especialmente avisos, serão encontradas nos diferentes capítulos! Planejamento Prever locais de trabalho seguros para utilização da fôrma (por exemplo: para os trabalhos de montagem e desmontagem, modificação, reposicionamento, etc.). Devem ser garantidos acessos seguros aos locais de trabalho! Desvios relativos às informações fornecidas neste documento ou aplicações diferentes das indicadas requerem uma análise separada da estática e instruções de montagem suplementares. Normas / segurança no trabalho Para uma aplicação e utilização segura dos nossos produtos devem ser respeitadas as leis, as normas e os regulamentos em vigor nos respectivos estados e países relativos à segurança no trabalho e outras normas de segurança aplicáveis. Se uma pessoa ou um objeto cair contra ou na proteção lateral ou qualquer um dos seus acessórios, o componente afetado só deve continuar a ser utilizado após ter sido inspecionado e liberado por um especialista /2014

5 Regras aplicáveis em todas as fases da utilização O cliente deve certificar-se de que a montagem, a desmontagem, o reposicionamento e a utilização correta do produto aconteçam de acordo com as leis, as normas e os regulamentos em vigor e sob supervisão de pessoas devidamente habilitadas. s faculdades físicas e mentais dessas pessoas não podem estar comprometidas pelo álcool, medicamentos ou drogas. Os produtos Doka são meios técnicos auxiliares destinados apenas ao uso industrial de acordo com o respectivo manual do usuário da Doka ou outra documentação técnica elaborada pela Doka. estabilidade de todos os componentes e unidades deve ser sempre garantida em todas as fases da construção! s instruções técnicas e funcionais, instruções de segurança e capacidades de carga devem ser rigorosamente observadas e respeitadas. O não cumprimento pode provocar acidentes e graves danos para a saúde (perigo de morte), bem como elevados danos materiais. Não são permitidas fontes de fogo na área da fôrma. Só são permitidos aparelhos de aquecimento se utilizados por pessoal especializado e a uma distância segura da fôrma. Os trabalhos devem ser ajustados às condições atmosféricas (por exemplo, perigo de escorregar). No caso de condições atmosféricas extremas devem ser tomadas medidas preventivas para segurança do equipamento e das áreas adjacentes, bem como para proteção dos trabalhadores. Todas as ligações devem ser verificadas regularmente quanto ao encaixe e funcionamento corretos. Em particular, as uniões aparafusadas e pinadas, independentemente do desenvolvimento dos trabalhos na obra e, especialmente, após acontecimentos excepcionais (por exemplo, após uma tempestade), devem ser verificadas e, eventualmente, reapertadas. É expressamente proibido soldar e aquecer produtos Doka, especialmente componentes de ancoragem, suspensão, conexão e fundição, etc. solda produz mudanças estruturais graves nos materiais desses componentes. Esta leva a uma redução dramática na carga de quebra, constituindo um alto risco para a segurança. Só podem ser soldados aqueles produtos expressamente identificados na documentação da Doka. Montagem Introdução O material/sistema deve ser inspecionado pelo cliente antes da sua utilização, para certificar-se de que está em bom estado. Componentes danificados, deformados ou enfraquecidos devido a desgaste, corrosão ou apodrecimento não devem ser utilizados. combinação dos nossos sistemas de fôrmas com sistemas de outros fabricantes acarreta riscos que podem gerar danos à saúde e danos materiais, requerendo, por isso, uma verificação cuidadosa. montagem deve ser realizada de acordo com as leis, as normas e os regulamentos em vigor por pessoas habilitadas nomeadas pelo cliente, devendo ser cumpridas eventuais obrigações de fiscalização. Não são permitidas alterações nos produtos da Doka, constituindo estas um risco para a segurança. Fôrma Os produtos/sistemas da Doka devem ser montados de maneira que todas as cargas exercidas sobre os mesmos sejam transferidas com segurança! Concretagem Respeitar as pressões admissíveis do concreto. Velocidades de concretagem demasiado elevadas provocam sobrecarga nas fôrmas, causam maiores deflexões e acarretam o risco de rompimento. Desfôrma Os trabalhos de desfôrma só devem ser realizados depois que o concreto atingir uma boa resistência e depois que a pessoa responsável solicitar a sua execução. Durante a desfôrma, não utilizar a grua para separar a fôrma. Devem ser utilizadas ferramentas adequadas, como por exemplo cunha de madeira, pé-decabra ou dispositivos do sistema, tais como canto de desfôrma Framax. Durante a desfôrma não deve ser prejudicada a estabilidade de qualquer parte da construção, andaime e fôrma! /2014 5

6 Introdução Manual do usuário Dokaflex Transporte, empilhamento e armazenagem Devem ser respeitadas todas as normas relativas ao transporte de fôrmas e andaimes. Devem ser, além disso, obrigatoriamente utilizados os dispositivos auxiliares de elevação da Doka. Remover as peças soltas ou protegê-las contra deslizamento e queda! Todos os componentes devem ser armazenados em local seguro, devendo para isso ser respeitadas as instruções especiais da Doka que se encontram nos respectivos capítulos deste documento! Manutenção Devem ser utilizadas exclusivamente peças genuínas Doka como peças sobressalentes. Reparos só devem ser realizados pelo fabricante ou por oficinas autorizadas. Particularidades Estão resguardadas alterações no âmbito do avanço técnico. Símbolos Neste documento são utilizados os seguintes símbolos: Nota importante O não cumprimento pode dar origem a falhas de funcionamento ou danos materiais. CUIDDO / VISO / PERIGO O não cumprimento pode causar danos materiais e graves danos à saúde (perigo de morte). Instrução Este símbolo indica que são necessárias ações por parte do usuário. Inspeção visual Indica que as ações realizadas devem ser controladas através de uma inspeção visual. Sugestão presenta dicas de aplicação úteis. Referência ponta para outros documentos /2014

7 Introdução Eurocodes na Doka Em 2007, foi criada na Europa um conjunto de normas uniformes para a construção civil, os chamados Eurocodes (EC). Estas normas servem de base aplicável a nível europeu para especificações de produtos, propostas de concorrência e processos de verificação matemática. Os EC representam a nível mundial as normas mais avançadas no setor da construção civil. No Grupo Doka, os EC são utilizados como norma desde Deste modo, as normas DIN deixam de ser utilizadas como padrão para o dimensionamento dos produtos. Com os EC, o generalizado "conceito admissível " (comparação das tensões existentes com as admissíveis) é substituído por um novo conceito de segurança. Os EC comparam a ação (carga) à resistência (capacidade de carga). O anterior fator de segurança nas tensões admissíveis é dividido em vários valores de segurança parciais. O nível de segurança mantém-se igual! E d R d E d F d F k F Valor de cálculo do efeito de uma ação (E... ação; d... cálculo) Forças internas de uma ação F d (V Ed, N Ed, M Ed ) Valor de cálculo de uma ação R d Valor de cálculo de resistência (R... resistência; d... cálculo) Capacidade de carga da seção transversal (V Rd, N Rd, M Rd ) ço: R d = R k Madeira: R d = k mod Rk F d = F F k M M (F... força) Valor característico de uma ação R k Valor característico de resistência "carga real", carga útil por exemplo, resistência do momento ao limite (k... característico) de escoamento por exemplo, peso próprio, carga útil, pressão do concreto, vento Coeficiente parcial de segurança relativo a ações (lado da carga; F... força) por exemplo, peso próprio, carga útil, pressão do concreto, vento Valores da EN M k mod Coeficiente parcial de segurança relativo às propriedades dos materiais (lado do material; M... material) por exemplo, aço ou madeira Valores da EN Fator de modificação (somente para madeira considerar a umidade e a duração da ação de carga) por exemplo, para as vigas Doka H20 Valores conforme EN e EN Comparação entre os conceitos de segurança (exemplo) Conceito admissível Conceito EC/DIN [kn] 60<70 [kn] 60 [kn] F cedência ~ 1.65 F admissível F actuante R [kn] k R 90<105 [kn] d M =1.1 E 90 [kn] d F = Os "valores admissíveis" comunicados na documentação da Doka (por exemplo: Q admissível = 70 kn) não correspondem aos valores de cálculo (por exemplo: V Rd = 105 kn)! Não confundir os valores! Na nossa documentação continuarão sendo indicados os valores admissíveis. Foram considerados os seguintes coeficientes parciais de segurança: F = 1,5 M, madeira = 1,3 M, aço = 1,1 k mod = 0,9 Desta maneira é possível determinar, a partir dos valores admissíveis, todos os valores de cálculo necessários para um cálculo EC. F atuante F admissível Fator de carga E d R d /2014 7

8 Introdução Manual do usuário Dokaflex Serviços Doka Suporte em todas as fases do projeto Doka oferece uma ampla variedade de serviços com um único objetivo: contribuir para o seu sucesso na obra. Cada projeto é único. No entanto, todos os projetos de construção têm algo em comum, ou seja, uma estrutura básica com cinco fases. Doka conhece as diferentes exigências dos seus clientes e apoia-os com serviços de consultoria, planejamento e outros visando garantir uma implementação eficaz da sua tarefa de fôrma com os nossos produtos em cada uma dessas fases Fase de desenvolvimento do projeto Fase de proposta Fase do projeto executivo Tomar decisões bem fundamentadas graças à consultoria profissional Otimizar o trabalho preliminar com a Doka como parceiro experiente plicação controlada da fôrma para uma maior eficiência através de conceitos de fôrma perfeitamente calculados Encontrar as melhores soluções relativas a fôrmas através de ajuda no processo de concorrência análise minuciosa da situação inicial avaliação objetiva dos riscos de planejamento, execução e tempo Redução substancial de: riscos econômicos durante a execução da obra riscos técnicos durante os trabalhos de fôrma tendo uma base ideal de cálculo do tempo Desde o início planejando custos com eficiência: propostas detalhadas determinação precisa das quantidades de materiais coordenação de logística e transporte /2014

9 Introdução Execução da obra (estrutura) 4 5 Conclusão da obra (estrutura) s suas vantagens com consultoria profissional: Economia de custos e ganhos de tempo Consultoria e suporte já desde o início ajudam na escolha certa e na aplicação planejada dos sistemas de fôrmas. Você atinge um aproveitamento ideal do material e um trabalho eficaz de fôrma através dos fluxos de trabalho corretos. Utilização otimizada dos recursos com a ajuda dos especialistas em fôrmas da Doka Otimização do fluxo de trabalho: planejamento exato da utilização técnicos de projeto com experiência internacional logística de transporte ajustada suporte no local Conclusão positiva com suporte profissional Os serviços da Doka são sinônimos de transparência e eficiência, oferecendo: devolução conjunta das fôrmas opção de desmontagem de fôrmas especiais por profissionais limpeza eficiente e recondicionamento com equipamento especial Maximização da segurança no trabalho Consultoria e suporte na aplicação correta e planejada garantem uma maior segurança no trabalho. Transparência Serviços e custos transparentes evitam a necessidade de improvisação durante o projeto e surpresas no final. Redução dos custos posteriores Uma consultoria profissional sobre a seleção, qualidade e aplicação correta evita defeitos do material e minimiza o desgaste /2014 9

10 Descrição do produto Dokaflex o sistema manual flexível para lajes Menos componentes do sistema - todos perfeitamente coordenados O sistema Dokaflex pode ser facilmente adaptado a qualquer geometria através do transpasse das vigas Doka H20 top. O dimensionamento dos materiais é realizado por régua de cálculo, permitindo reduzir significativamente os custos com o planejamento e a preparação dos trabalhos. sem necessidade de cálculos de dimensionamento, porque indica a distância máxima para uma espessura de laje até 30 cm basta olhar para saber se a montagem foi realizada corretamente Outras vantagens: regiões de arremate no sistema com fácil adaptação a paredes e pilares alturas de escoramento de até 5,50 m escolha livre da chapa sem necessidade de medições O sistema Dokaflex é especialmente adequado para espaços confinados, em que a superestrutura pode se apoiar nas paredes de todos os lados. s forças horizontais nas bordas expostas das lajes, vigas de borda e degraus em painéis de lajes devem ser contidas com tirantes de reforço ou suporte. B E C D F /2014

11 () Chapa ProFrame 1) revestimento especial para uma excelente qualidade da superfície do concreto utilizável de ambos os lados proteção das arestas em todo o entorno para uma longa vida útil segurança no trabalho otimizada devido ao risco reduzido de escorregar fácil limpeza com limpador de alta pressão economia de espaço na armazenagem e no transporte 1) Como alternativa podem ser utilizadas as chapas Doka 3-SO. Respeitar as instruções contidas no manual do usuário "Chapas"! (B) Viga Doka H20 top 3,90m e 2,65m vigas primárias (3,90 m) e secundárias (2,65 m) facilmente distinguíveis amortecedores integrados nas extremidades das vigas para reduzir danos e longa vida útil pontos de posicionamento predefinidos como marcas de referência para montagem e controle Respeitar as instruções contidas no manual do usuário "Vigas de fôrma de madeira"! (C) Cabeça múltipla H20 rebaixável função de abaixamento rápido integrada para uma desfôrma segura estabiliza as vigas primárias contra tombamento (E) Escoras Doka Eurex 20 top homologadas segundo Z escora conforme EN todas as extensões da classe D - até 3,50 m adicionalmente classe B - até 4,00 m adicionalmente classe C (para informações detalhadas, consulte Homologação ou Ensaio de tipo) elevada capacidade de carga - capacidade de carga admissível da Eurex 20 top: 20 kn furos de encaixe numerados para regulagem da altura graças à geometria especial da rosca, a escora pode ser facilmente solta, mesmo quando sujeita a uma carga elevada as alças de aperto curvas reduzem o perigo de acidentes e facilitam a operação Nota: s escoras podem ser prolongadas com a extensão de escora 0,50m (ter atenção a capacidade de carga reduzida). Respeitar as instruções contidas no manual do usuário "Escoras Eurex top"! Respeitar as instruções contidas no manual do usuário "Extensão de escora 0,50m"! escora Doka Eurex 20 top 700 só pode ser utilizada com extensão limitada. Respeitar as instruções contidas no manual do usuário "Escora Doka Eurex 20 top 700"! (D) Cabeça simples H20 DF (F) Tripé auxilia na montagem das escoras as pernas articuladas permitem uma montagem flexível mesmo em espaços apertados, tais como paredes ou cantos fácil montagem na escora para fixação das escoras intermediárias na viga primária /

12 Sistema lógico para todas as lajes de até 30 cm de espessura lógica simples do sistema Dokaflex permite eliminar a necessidade de planejamento e preparação do s trabalhos. determinação das quantidades é realizada por régua de cálculo de materiais B 4 D C Distâncias e posições dos componentes Quer as vigas estejam sobre, entre ou junto às marcas, as distâncias máximas estão sempre visíveis. montagem correta pode ser inspecionada através de um simples olhar e sem medições. x Escora Eurex + cabeça múltipla H20 rebaixável + tripé B Escora Eurex + cabeça simples H20 DF C Viga Doka H20 top 2,65m (viga secundária) D Viga Doka H20 top 3,90m (viga primária) Vigas primárias e secundárias x... 0,5 m Marca viga Doka H16 top com 3,90 m de comprimento é utilizada como viga primária e a viga com 2,65m de comprimento como viga secundária. direção das vigas primárias deve ser transversal em relação à direção de comprimento/largura ímpar de uma divisão (5 m, 7 m, 9 m,...). Isso garante um melhor aproveitamento do sistema. 1 marca = 0,5 m distância máxima entre vigas secundárias distância máxima da viga de borda distância mínima nos transpasses sobre as vigas primárias 2 marcas = 1,0 m distância máxima entre escoras Formato das chapas s chapas ProFrame nos formatos 200/50cm e 250/50cm (21 ou 27mm), devido às suas dimensões, encaixam perfeitamente na modulação do sistema Dokaflex. 4 marcas = 2,0 m distância máxima entre vigas primárias /2014

13 Instruções de montagem e utilização Nota importante: lém deste manual, respeitar obrigatoriamente as instruções contidas no capítulo "Escoras auxiliares, tecnologia de concreto e desfôrma". Fôrma Colocar o tripé rápido. Não aplicar óleo ou lubrificante nas uniões por cunha. Colocar a escora no tripé e fixar com a alavanca de fixação. fixação correta deve ser verificada novamente antes do início da montagem da fôrma. Montar as escoras ssentar as vigas primárias e secundárias na borda. s marcas na viga indicam as distâncias máximas: - 4 marcas para vigas primárias - 6 marcas para escoras com tripé justar a altura das escoras com grampo de aperto. Montagem nos cantos ou nas paredes Se não for possível abrir completamente os tripés nos cantos de edifícios, aberturas das lajes, etc., recomendamos a fixação do tripé em outra escora, de maneira que permita a abertura total das pernas do tripé numeração dos furos de encaixe facilita a regulagem da altura. CUIDDO No caso de reposicionamento das escoras com cabeças múltiplas rebaixáveis, estas devem ser protegidas contra queda com pinos com pinça 16mm. O mesmo se aplica no caso de transporte na posição horizontal. Colocar a cabeça múltipla H20 rebaixável na escora. Garantir a posição de rebaixamento (a)! Girar as cabeças múltiplas rebaixáveis na viga primária marginal, de modo que a cunha também possa ser aberta durante a desfôrma. a Espaço livre a entre a cunha e a placa de cabeça: 6 cm /

14 Posicionamento das vigas primárias Posicionar as vigas primárias com o auxílio dos garfos nas cabeças múltiplas rebaixáveis. Montagem das vigas secundárias Montar as vigas secundárias sobrepostas com o auxílio dos garfos s cabeças múltiplas rebaixáveis devem receber tanto vigas individuais (no caso de escoras de extremidade) como vigas duplas (no caso de transpasses). TENÇÃO Só é permitido colocar cargas sobre a fôrma da laje (por exemplo, vigas, painéis, armação) após a colocação das escoras intermediárias! Distância máxima entre as vigas secundárias: 1 marca Se a colocação das chapas for realizada a partir do solo, prever sempre o número necessário de vigas secundárias para colocar a chapa seguinte. Certificar-se de que existe uma viga (ou vigas duplas) por baixo de cada união da chapa prevista Nivelar as vigas primárias para a altura das lajes O grampo para contraventamento B permite fixar sarrafo, pranchão ou tubo de andaime como reforço (travamento) diagonal nas escoras. Para evitar a inclinação das vigas secundárias durante a colocação das chapas, pode ser utilizado o suporte de fixação de viga secundária /2014

15 Montar a fôrma de borda da laje e a proteção contra queda Utilizar equipamento de proteção individual (E.P.I's) contra queda durante os trabalhos na borda da laje desprotegida (por exemplo, equipamento de segurança Doka). Montar a fôrma de borda da laje. Montar a proteção contra queda na borda da laje. Colocar as escoras intermediárias Nota importante: Colocar as escoras intermediárias exercendo pressão. Não é permitido colocar escoras com uma altura superior! Montar a cabeça simples H20 DF no tubo interior da escora e fixar com alça de aço para molas integrada Colocar as escoras intermediárias. C Respeitar as instruções contidas no manual do usuário "Grampo de fechamento de laje Doka"! Cabeça simples H20 DF B Viga Doka H C Furo na cabeça simples (para fixação com parafuso para aglomerado 4x35) B Distância máxima entre as escoras: 2 marcas /

16 Montar as chapas ProFrame - variante de montagem a partir de baixo Nota importante: Colocar as chapas ProFrame a partir de baixo nas vigas secundárias sempre com o auxílio do andaime móvel DF, da plataforma inicial de escadas 0,97m ou de torres de andaimes móveis ou escadas com plataforma disponíveis no mercado. Montar as chapas ProFrame na transversal em relação às vigas secundárias. Montar as chapas ProFrame - variante de montagem a partir de cima De acordo com as normas locais ou como resultado de uma avaliação dos perigos realizada pelo montador, pode ser necessária a utilização de equipamento de proteção individual (EPI's) contra queda durante a montagem a partir de cima. Montar as chapas ProFrame na transversal em relação às vigas secundárias /2014

17 Pulverizar as chapas ProFrame com óleo desmoldante de concreto Proteção Se necessário (por exemplo, na área da borda), fixar a chapa com pregos. Comprimento recomendado dos pregos: Espessura da chapa 21 mm - aprox. 50 mm Espessura da chapa 27 mm - aprox. 60 mm contra o vento Em grandes áreas para aumentar a estabilidade, a montagem - vigas primárias / vigas secundárias / chapas - devem ser realizadas de modo progressivo, conforme a construção avança. Garantir um apoio adequado nas paredes ou escoras. Se existir risco de tombamento devido ao vento, as áreas livres não fechadas da laje devem ser protegidas durante as pausas no trabalho e no final do dia de trabalho. Concretagem Para a proteção da superfície da chapa recomendamos a utilização de um vibrador com capa protetora de borracha /

18 Desfôrma Respeitar o tempo para desfôrma. Retirar as escoras intermediárias Retirar as escoras intermediárias e colocar no palete de acondicionamento. Baixar a fôrma da laje Baixar a fôrma da laje batendo com um martelo na cunha da cabeça múltipla rebaixável pós a remoção das escoras intermediárias permanece apenas uma escora em uma distância de 2,0 m na direção da viga secundária e de 3,0 m na direção da viga primária. Isso permite espaço suficiente para a movimentação de andaimes móveis e paletes de acondicionamento sem impedimentos. Retirar os componentes soltos Virar as vigas secundárias, retirar e colocar no palete para empilhamento. Manter as vigas que estão por baixo de uma união de chapas no local O andaime móvel DF permite montagem e desfôrma seguras a média altura. Retirar as chapas ProFrame e colocar no palete de acondicionamento. andaime dobrável com rodas em liga leve altura de trabalho variável até 3,50 m (altura máx. da plataforma: 1,50 m) largura do andaime: 0,75 m Para alturas maiores, a torre de andaime móvel Z é particularmente adequada Retirar as restantes vigas secundárias e as vigas primárias e colocar no palete de acondicionamento /2014

19 Retirar as escoras 1) Segurar o tubo interior com uma mão. 2) brir o grampo de aperto para soltar o tubo interior. Guiá-lo com a mão e baixá-lo para dentro do tubo exterior. 1 Colocar as escoras auxiliares ntes de iniciar a concretagem da laje superior, colocar escoras de reescoramento. Para mais informações (número de escoras, etc.), consulte o capítulo "Escoras auxiliares, tecnologia de concreto e desfôrma" Colocar os tripés e as escoras no palete de acondicionamento. Separar, preferencialmente, as escoras e as cabeças múltiplas rebaixáveis (as escoras podem ser arrumadas de modo mais eficiente no palete de acondicionamento) /

20 daptabilidade rremates e ajustes s regiões de arremates são solucionadas no sistema - sem acessórios especiais. adaptação necessária é feita com o transpasse das vigas Doka e a inserção de tiras de chapa. Grelha e flexibilidade em um único sistema Dokaflex também se adapta a geometrias difíceis daptação na borda daptação na área dos pilares B B Chapa ProFrame B Tiras de chapa na região de arremate direção das fibras da camada de cobertura () deve ser na transversal em relação aos apoios (B) B /2014

21 Componentes do sistema de Dokaflex também para lajes com mais de 30 cm de espessura penas um sistema na obra Não há necessidade de cálculos no caso de lajes de até 30 cm de espessura. Porém também é possível calcular as quantidades exatas dos mesmos componentes do sistema - relativamente à respectiva espessura da laje. De acordo com a carga da laje é, então, aplicada a quantidade realmente necessária de material de fôrma. Na obra, a régua de cálculos simples é particularmente adequada para a determinação das distâncias admissíveis entre vigas primárias e escoras Vigas de madeira para fôrmas H20 Espessura da laje [cm] Carga da laje 1) [kn/m 2 ] 1) Em conformidade com a norma EN 12812, deve ser levada em conta uma carga móvel de 0,75 kn/m 2 e uma carga variável de 10% de uma laje de concreto maciça, no mínimo de 0,75 kn/m 2, porém não mais de 1,75 kn/m 2 (com uma densidade do concreto fresco de 25 kn/m 3 ). flexão a meio vão foi limitada a l/500. Em caso de lajes planas com espaços livres ocorrem cargas das lajes significativamente mais reduzidas. Distância entre vigas secundárias Distância máx. admissível entre vigas primárias [m] para distância entre vigas secundárias [m] de Distância máx. admissível entre escoras [m] para distância escolhida entre vigas primárias [m] de 0,500 0,625 0,667 0,750 1,00 1,25 1,50 1,75 2,00 2,25 2,50 2,75 3,00 3, ,25 3,69 3,43 3,35 3,22 2,93 2,72 2,50 2,32 2,17 2,04 1,88 1,71 1,57 1, ,74 3,49 3,24 3,17 3,05 2,77 2,57 2,37 2,20 2,05 1,87 1,69 1,53 1, ,23 3,33 3,09 3,03 2,91 2,65 2,46 2,26 2,09 1,91 1,70 1,53 1,39 1, ,72 3,20 2,97 2,91 2,79 2,54 2,36 2,16 2,00 1,75 1,55 1,40 1,27 1, ,21 3,08 2,86 2,80 2,69 2,45 2,27 2,07 1,84 1,61 1,43 1,29 1, ,71 2,98 2,77 2,71 2,61 2,37 2,18 1,99 1,70 1,49 1,33 1,19 1, ,20 2,90 2,69 2,63 2,53 2,30 2,11 1,85 1,59 1,39 1,24 1,11 1, ,69 2,82 2,61 2,56 2,46 2,24 2,04 1,73 1,49 1,30 1,16 1,04 0, ,18 2,75 2,55 2,49 2,40 2,18 1,96 1,63 1,40 1,22 1,09 0, ,67 2,68 2,49 2,44 2,34 2,13 1,85 1,54 1,32 1,15 1,03 0, ,16 2,62 2,44 2,38 2,29 2,08 1,75 1,46 1,25 1,09 0,97 0, ,49 2,50 2,32 2,27 2,18 1,91 1,52 1,27 1,09 0,95 0, ,84 2,39 2,22 2,17 2,09 1,69 1,35 1,13 0,97 0,84 0, ,19 2,30 2,14 2,09 2,01 1,52 1,21 1,01 0,87 0,76 0, ,54 2,22 2,06 2,02 1,92 1,38 1,10 0,92 0,79 0,69 Espessura da laje [cm] Distância máx. entre vigas secundárias [m] com a chapa 3-SO 21mm 3-SO 27mm Dokaplex 18mm Dokaplex 21mm até 18 0,75 0,75 0,50 0,667 até 25 0,667 0,75 0,50 0,667 até 30 0,625 0,75 0,50 0,625 até 40 0,50 0,75-0,50 até 50 0,50 0,667-0, /

Torre de carga Staxo 40

Torre de carga Staxo 40 999805041-04/2014 pt-br Os especialistas em fôrmas. Torre de carga Staxo 40 Manual do usuário Instruções de montagem e utilização 98024-310-01 Introdução Manual do usuário Torre de carga Staxo 40 Introdução

Leia mais

999710041-07/2014 pt-br. Os especialistas em fôrmas. Fôrma trepante MF240. Manual do usuário Instruções de montagem e utilização 9710-313-01

999710041-07/2014 pt-br. Os especialistas em fôrmas. Fôrma trepante MF240. Manual do usuário Instruções de montagem e utilização 9710-313-01 999710041-07/2014 pt-br Os especialistas em fôrmas. Fôrma trepante MF240 Manual do usuário Instruções de montagem e utilização 9710-313-01 Introdução Manual do usuário Fôrma trepante MF240 ção Introdu-

Leia mais

Fôrma modulada Frami Xlife / Frami eco

Fôrma modulada Frami Xlife / Frami eco 999806241-09/2014 pt-r Os especialistas em fôrmas. Fôrma modulada Frami Xlife / Frami eco Manual do usuário Instruções de montagem e utilização 98030-337-01 Introdução Manual do usuário Fôrma modulada

Leia mais

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Tópicos Abordados: 1. Porta Paletes Seletivo (convencional): 2. Drive-in / Drive-thru Objetivo: Esta apostila tem como principal objetivo ampliar o conhecimento

Leia mais

Catálogo de Produtos FÔRMAS E ESCORAMENTOS

Catálogo de Produtos FÔRMAS E ESCORAMENTOS Catálogo de Produtos FÔRMAS E ESCORAMENTOS Apresentação Fundada no ano de 000, a TEMEC Terra Maquinas Equipamentos e Construções LTDA é uma empresa especializada no fornecimento de Soluções de Engenharia

Leia mais

CATÁLOGO 2015 LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA SUA OBRA. Metro Form System

CATÁLOGO 2015 LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA SUA OBRA. Metro Form System LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS PARA SUA OBRA CATÁLOGO 2015 Metro Form System São Paulo Matriz Rua Maria Paula Motta, 239 CEP 07171-140 Guarulhos SP Brasil Fone: (11) 2431-6666 Rio de Janeiro Filial Rua Agaí,

Leia mais

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO

MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO MANUAL TÉCNICO TUBO EQUIPADO Andaime Tubo Equipado...03 Acessórios...04 Modos e Pontos de Ancoragem...05 Dicas Importantes...07 Acesso dos Andaimes...08 Informações de Segurança...09 Fotos Obras...10 Atualização

Leia mais

www.drmequipamentos.com.br 1

www.drmequipamentos.com.br 1 www.drmequipamentos.com.br 1 INSTITUCIONAL: DRM EQUIPAMENTOS - Locações e Vendas de Equipamentos para Construção Civil A DRM - Locações e Vendas de Equipamentos corresponde à grande evolução na indústria

Leia mais

Informação ao utilizador 07/2006 NK. Instruções de montagem e utilização. Doka Xtra 9768-200-01. Os especialistas de cofragens

Informação ao utilizador 07/2006 NK. Instruções de montagem e utilização. Doka Xtra 9768-200-01. Os especialistas de cofragens 07/2006 NK Informação ao utilizador 999768006 P Instruções de montagem e utilização Doka Xtra 9768-200-01 Os especialistas de cofragens by Doka Industrie GmbH, A-3300 Amstetten 2 Os especialistas de cofragens

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro.

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro. e MANUAL TÉCNICO ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR e ANDAIME TUBULAR Objetivo Estabelecer os procedimentos que devem ser obedecidos na liberação de montagem / desmontagem de andaimes com a finalidade de

Leia mais

Informação ao utilizador 02/2011. Instruções de montagem e utilização. Cimbre Staxo 100 98003-287-01. Os especialistas de cofragens

Informação ao utilizador 02/2011. Instruções de montagem e utilização. Cimbre Staxo 100 98003-287-01. Os especialistas de cofragens 02/2011 Informação ao utilizador 999800306 pt Instruções de montagem e utilização imbre Staxo 100 98003-287-01 Introdução Informação ao utilizador imbre Staxo 100 Introdução by Doka Industrie GmbH, -3300

Leia mais

www.catari.net uma marca diferente.

www.catari.net uma marca diferente. www.catari.net uma marca diferente. cofragem modular perfeita! Com uma vasta gama de dimensões, permite solucionar todas as suas necessidades de cofragem vertical, em qualquer tipo de construção. O combro

Leia mais

ANDAIME FACHADEIRO ANDAIME FACHADEIRO

ANDAIME FACHADEIRO ANDAIME FACHADEIRO e MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO ANDAIME FACHADEIRO Trabalho em Altura Uma das principais causas de acidentes de trabalho graves e fatais se deve a eventos envolvendo quedas de trabalhadores de diferentes

Leia mais

manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial.

manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial. manual TÉCNICO ANDAIME TUBULAR Sumário Andaime Tubular...03 Montagem Especial...04 Acessórios...05 Modos e Pontos de Ancoragem...06 Dicas Importantes...07 Acesso dos Andaimes...08 Informações de Segurança...09

Leia mais

FORMAS E ARMADURAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

FORMAS E ARMADURAS. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FORMAS E ARMADURAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I CUSTO DA ESTRUTURA (SABBATINI, et. Al, 2007) CUSTO DOS ELEMENTOS DA ESTRUTURA

Leia mais

Alta produtividade Engenharia de projetos Qualidade assegurada Certificado de garantia Sigilo industrial Confiabilidade.

Alta produtividade Engenharia de projetos Qualidade assegurada Certificado de garantia Sigilo industrial Confiabilidade. Há mais de 46 anos no mercado, a Torcisão iniciou as suas atividades no desenvolvimento de materiais para a indústria automobilística, que exigia um rigoroso controle técnico e de qualidade. Em 2006, com

Leia mais

Segtreinne 5.0 - PROTEÇÃO LATERAL:

Segtreinne 5.0 - PROTEÇÃO LATERAL: 1.0 - OBJETIVO: Estabelecer procedimentos seguros para montagem, desmontagem e utilização de andaimes, em serviços de manutenção nas áreas da fábrica. 2.0 - APLICAÇÃO: Este procedimento se aplica à montagem,

Leia mais

COMPONENTES PARA ANDAIMES PROFISSIONAIS

COMPONENTES PARA ANDAIMES PROFISSIONAIS Bastidores das Torres Rolantes Disponíveis em 2 larguras (0,75 e 1,35 m) de 4 degraus (1 m) e 7 degraus (2 m) Os degraus possuem uma superfície estriada antideslizante e a distância entre degraus é de

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. (Proteção Periférica Primária e Secundária)

MANUAL TÉCNICO. (Proteção Periférica Primária e Secundária) MANUAL TÉCNICO (Proteção Periférica Primária e Secundária). 2 SUMÁRIO Proteção Periférica Primária e Secundária...03 Descrição Técnica...04 Sistema de Ancoragem...06 Norma Regulamentadora NR-18...07 Atualização

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012 ANDAIME TUBULAR

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012 ANDAIME TUBULAR MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA ANDAIME TUBULAR ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÃO TÉCNICA... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 4 2.1. USO DOS ANDAIMES TUBULARES... 5 2.2. MANUTENÇÃO (DIRETRIZES

Leia mais

Transformando aço, conduzindo soluções. Andaimes e Escoras

Transformando aço, conduzindo soluções. Andaimes e Escoras Transformando aço, conduzindo soluções. Andaimes e Escoras TUPER Mais de 40 anos transformando aço e conduzindo soluções. A Tuper tem alta capacidade de transformar o aço em soluções para inúmeras aplicações.

Leia mais

Uma liderança construída com tradição e qualidade de seus produtos e serviços

Uma liderança construída com tradição e qualidade de seus produtos e serviços MILLS, UMA HISTÓRIA ENTRELAÇADA COM O DESENVOLVIMENTO DO BRASIL CONSTRUÇÃO Jahu Uma liderança construída com tradição e qualidade de seus produtos e serviços SERVIÇOS INDUSTRIAIS JAHU A Área de Negócio

Leia mais

Informação ao utilizador 05/2006. Instruções de montagem e utilização. Dokaflex 1-2-4 9720-337-01. Os especialistas de cofragens

Informação ao utilizador 05/2006. Instruções de montagem e utilização. Dokaflex 1-2-4 9720-337-01. Os especialistas de cofragens 05/2006 Informação ao utilizador 999776006 P Instruções de montagem e utilização Dokaflex 1-2-4 9720-337-01 by Doka Industrie GmbH, -3300 mstetten 2 999776006-05/2006 Índice Página Instruções gerais para

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de

Leia mais

de Prevenção de Acidentes) para melhorar as condições de segurança e trabalho na construção Civil.

de Prevenção de Acidentes) para melhorar as condições de segurança e trabalho na construção Civil. FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª MarivaldoOliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de prevenção

Leia mais

Antes de usar os andaimes pela primeira vez, recomendamos ler minuciosamente este manual de uso, além de guardar-lo para quando for necessário.

Antes de usar os andaimes pela primeira vez, recomendamos ler minuciosamente este manual de uso, além de guardar-lo para quando for necessário. Antes de usar os andaimes pela primeira vez, recomendamos ler minuciosamente este manual de uso, além de guardar-lo para quando for necessário. Somente trabalhadores devidamente treinados e capacitados

Leia mais

2.5.1 Tecnologia de formas de madeira convencionais

2.5.1 Tecnologia de formas de madeira convencionais 34 2.5 Tecnologia empregada Nesta seção, inicialmente, serão expostas as nomenclaturas empregadas nas peças componentes das formas e escoramento em madeira, conforme a bibliografia descreve. A seguir,

Leia mais

MANUAL ANDAIME FACHADEIRO SEGURANÇA À ALTURA DA SUA OBRA

MANUAL ANDAIME FACHADEIRO SEGURANÇA À ALTURA DA SUA OBRA MANUAL ANDAIME FACHADEIRO SEGURANÇA À ALTURA DA SUA OBRA ÍNDICE 1. Introdução 2. Características 3. Componentes Básicos do Andaime Tuper 4. Disposições Gerais 5. Ferramentas Necessárias para Montagem 6.

Leia mais

VIGAS HT 20 E HT 12. + / - 2,0 mm - 1,5 % - 1,5 % + / - 0,5 mm. Características da capacidade de carga. Q adm. = 7 kn M adm.

VIGAS HT 20 E HT 12. + / - 2,0 mm - 1,5 % - 1,5 % + / - 0,5 mm. Características da capacidade de carga. Q adm. = 7 kn M adm. VIGAS HT 20 E HT 12 TABELA DE MEDIÇÃO Dimensões HT 12plus Tolerâncias Altura da viga Altura da mesa Largura da mesa Espessura da alma 120 mm 35 mm 65 mm 26,6 mm + / - 2,0 mm - 1,5 % - 1,5 % + / - 0,5 mm

Leia mais

Andaime fachadeiro plettac SL70

Andaime fachadeiro plettac SL70 Andaime fachadeiro plettac S70 - Modelo padrão - Edição: Junho de 2011 ATRAD plettac assco GmbH plettac Platz 1 58840 Plettenberg - Alemanha Andaime fachadeiro plettac S70 Página 1 Índice 1. Disposições

Leia mais

manual TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial.

manual TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO 2011 Andmax, todos os direitos reservados. Material de distribuição restrita, proibida reprodução total ou parcial. manual TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO Sumário Andaime Fachadeiro...03 Instrução de Montagem...04 Acessórios...06 Modos e Pontos de Ancoragem...07 Dicas Importantes...08 Acesso dos Andaimes...09 Informações

Leia mais

escoramento Sistema de Escoramento Metálico

escoramento Sistema de Escoramento Metálico escoramento Sistema de Escoramento Metálico para Lajes e Vigas. ESCORAMENTO MECAN Pela facilidade de montagem e versatilidade, o escoramento metálico Mecan permite montagens rápidas e seguras, proporcionando

Leia mais

Instruções de montagem

Instruções de montagem Instruções de montagem Colectores planos Suporte de instalação 6 720 643 442 (2010/03) PT 6720616592.00-1.SD Indice Indice 1 Esclarecimento dos símbolos e indicações de segurança...............................

Leia mais

MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO

MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO 1 SUMÁRIO Acessórios 03 Instruções de montagem 04 Dicas Importantes 10 Acesso dos Andaimes 11 Informações de Segurança 12 2 ACESSÓRIOS 3 ANDAIME FACHADEIRO INSTRUÇÕES

Leia mais

Diretivas de transporte, embalagem e manuseio

Diretivas de transporte, embalagem e manuseio Diretivas de transporte, embalagem e manuseio Esta diretiva compreende orientações gerais relativas ao transporte, embalagem e manuseio de máquinas e fornecimentos da empresa KraussMaffei Technologies

Leia mais

SOLUÇÕES PARA FACHADA. metax.com.br

SOLUÇÕES PARA FACHADA. metax.com.br SOLUÇÕES PARA FACHADA metax.com.br Passarela para pedestres Estes equipamentos são utilizados em locais onde a instalação do andaime fachadeiro obstrui a passagem de via, ou seja, a fachada do prédio não

Leia mais

DEFORMAÇÃO A FRIO UMA ALTERNATIVA MAIS ROBUSTA

DEFORMAÇÃO A FRIO UMA ALTERNATIVA MAIS ROBUSTA SCAFFOLDING DEFORMAÇÃO A FRIO UMA ALTERNATIVA MAIS ROBUSTA TESTE DE CARGA: ALUFASE Vs SOLDADURA Carga (Toneladas) / Deformação (mm) 7 6 O sistema de deformação a frio provou ser 3 vezes mais forte que

Leia mais

MILLS, UMA HISTÓRIA ENTRELAÇADA AO DESENVOLVIMENTO DO BRASIL

MILLS, UMA HISTÓRIA ENTRELAÇADA AO DESENVOLVIMENTO DO BRASIL MILLS, UMA HISTÓRIA ENTRELAÇADA AO DESENVOLVIMENTO DO BRASIL CONSTRUÇÃO SERVIÇOS INDUSTRIAIS JAHU RENTAL Fundada em 1952, a Mills tornou-se líder na prestação de serviços e soluções de engenharia nas áreas

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA PARA ANDAIMES

PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA PARA ANDAIMES PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA PARA ANDAIMES PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA 01. Altura Máxima com Rodízio Devido ao dimensionamento da carga máxima suportada pelas sapatas com rodízios e pela solicitação das Normas

Leia mais

Manual para trabalhos em altura.

Manual para trabalhos em altura. Manual para trabalhos em altura. Montagem de andaimes. O trabalho de montagem de andaimes possui características peculiares, pois em geral, os pontos de ancoragem são o próprio andaime, o que requer uma

Leia mais

FÔRMA FV. Pashal Sistemas Construtivos Ltda. www.pashal.com.br pashalcomercial@pashal.com.br fone: (11) 3848 6699

FÔRMA FV. Pashal Sistemas Construtivos Ltda. www.pashal.com.br pashalcomercial@pashal.com.br fone: (11) 3848 6699 FÔRMA FV Os painéis de fôrmas modulares FV são facilmente montados entre si através de grampos de pressão. Barras de ancoragem, espaçadores, pontaletes metálicos para prumo e andaimes auxiliares de serviço

Leia mais

Metro-light. toldos de fachada manual de instalação

Metro-light. toldos de fachada manual de instalação Metro-light toldos de fachada manual de instalação Metro-light toldos de fachada manual de instalação Instruções gerais e de segurança Leia as instruções de montagem Apesar dos produtos Stobag serem de

Leia mais

www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos

www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos www.torcisao.ind.br Catálogo de Produtos A TORCISÃO A Torcisão foi fundada em 1968, iniciando suas atividades na fabricação de peças para a indústria automobilística. Em 2006, o grupo se expandiu e fundou

Leia mais

Formas Metálicas Construindo eficiência para toda a vida.

Formas Metálicas Construindo eficiência para toda a vida. Formas Metálicas Construindo eficiência para toda a vida. Matriz - Campinas Rodovia SP 73 - km 10,5 Bairro Três Vendas - CEP: 13033-970 Campinas/SP - Cx. Postal: 3114 (19) 3729-6000 Filial - São Paulo

Leia mais

PES - Procedimento de Execução de Serviço

PES - Procedimento de Execução de Serviço Revisão: 00 Folha: 1 de 6 1. EQUIPAMENTOS Esquadro metálico; Martelo e serrote; Serra de bancada com proteção para disco; Corda; Chave de dobra; Policorte; Tesoura manual; Gerica e carrinho de mão; Desempenadeira

Leia mais

Catálogo de Produtos. Engenharia de Acesso Andaimes Acessórios Fabricação e Venda

Catálogo de Produtos. Engenharia de Acesso Andaimes Acessórios Fabricação e Venda Catálogo de Produtos Engenharia de Acesso Andaimes Acessórios Fabricação e Venda Acoplation Indústria e Comércio Ltda Fundada em 1997, visa atender a demanda de mercado na fabricação de andaimes, estruturas

Leia mais

GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O

GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO P R O M O Ç Ã O GESTÃO DE ESTRUTURAS RACIONALIZADAS DE CONCRETO FÔRMAS E CIMBRAMENTO FÔRMAS E CIMBRAMENTO FÔRMA: Modelo, molde de qualquer coisa; EXIGÊNCIAS:

Leia mais

ANDAIME MÓVEL. assco rápido ALUMÍNIO

ANDAIME MÓVEL. assco rápido ALUMÍNIO ANDAIME MÓVEL assco rápido ALUMÍNIO A Família do andaime móvel assco rápido O programa de andaime móvel de alumínio assco rápido atende às exigências impostas a qualquer sistema moderno de andaime móvel.

Leia mais

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados

MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados Projeto e Dimensionamento de de Estruturas metálicas e mistas de de aço e concreto MÓDULO 1 Projeto e dimensionamento de estruturas metálicas em perfis soldados e laminados 1 Sistemas estruturais: coberturas

Leia mais

Marcação máxima. Observar as informações na placa de características. II 1/2 G. Ex d + e/d IIC Ga/Gb I M 1. Ex d + e I Ma. Certificado Conformidade

Marcação máxima. Observar as informações na placa de características. II 1/2 G. Ex d + e/d IIC Ga/Gb I M 1. Ex d + e I Ma. Certificado Conformidade s relativas às instruções Ao trabalhar em zonas com risco de explosão, a segurança de pessoas e equipamentos depende do cumprimento dos regulamentos de segurança relevantes. As pessoas que são responsáveis

Leia mais

Construção e montagem

Construção e montagem Construção e montagem Paredes com estrutura metálica W11 Construção A paredes consistem de uma estrutura metálica revestida com uma mais s de gesso, aparafusadas de ambos os lados. A estrutura metálica

Leia mais

uifabra Industrial CATÁLOGO VENDA E LOCAÇÃO www.quifabra.com.br

uifabra Industrial CATÁLOGO VENDA E LOCAÇÃO www.quifabra.com.br uifabra Industrial CATÁLOGO www.quifabra.com.br VENDA E LOCAÇÃO EQUIPAMENTOS UIFABRA PRESENÇA DE QUALIDADE EM SUA OBRA página 1 6 ESCORAMENTO METÁLICO Escoras Quadros de Escoramento Vigas Diagonais Acessórios

Leia mais

Apostila técnica de Mezanino 01 de 09

Apostila técnica de Mezanino 01 de 09 Apostila técnica de Mezanino 01 de 09 OBJETIVO: Esta apostila tem como principal objetivo ampliar o conhecimento básico sobre Mezaninos, seus acessórios e suas aplicações, facilitando a solução de problemas

Leia mais

Instruções de montagem e utilização

Instruções de montagem e utilização w Instruções de montagem e utilização www.zarges.de Andaimes móveis w Andaime móvel com barra deslizante, 0.75m x 3.0m w Andaime móvel com estabilizadores, 0.75m x 3.0m w Andaime articulado, 0.75m x 1.8m

Leia mais

Solares. guarda-sóis manual de troca de corda

Solares. guarda-sóis manual de troca de corda Solares guarda-sóis manual de troca de corda Solares guarda-sóis manual de troca de corda Instruções gerais e de segurança Leia as instruções de montagem Apesar dos produtos Stobag serem de fácil montagem,

Leia mais

Rev.1 18.01.2013. Racks Paletização KD

Rev.1 18.01.2013. Racks Paletização KD 18.01.2013 Racks Paletização KD O sistema de armazenagem KD de cargas médias e pesadas representa a melhor solução para armazéns em que é necessária uma correta armazenagem para produtos paletizados com

Leia mais

Forma - é o conjunto de componentes provisórios cujas funções principais são:

Forma - é o conjunto de componentes provisórios cujas funções principais são: Forma - é o conjunto de componentes provisórios cujas funções principais são: Molde: dar forma ao concreto; Conter o concreto fresco e sustentá-lo até que atinja resistência mecânica necessária; Proporcionar

Leia mais

Estantes para picking

Estantes para picking M7 Estantes para picking Sistema de armazenagem de produtos para picking manual que segue o princípio homem a produto. Principais vantagens: - Possibilidade de armazenar produtos de carga média e grande.

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade PES - Procedimento de Execução de Serviço

Sistema de Gestão da Qualidade PES - Procedimento de Execução de Serviço Revisão: 02 Folha: 1 de 5 1. EQUIPAMENTOS Esquadro metálico; Martelo e serrote; Serra de bancada com proteção para disco; Corda; Chave de dobra; Policorte; Tesoura manual; Jerica e carrinho de mão; Desempenadeira

Leia mais

Laboratório de Controle de

Laboratório de Controle de Laboratório de Controle de Qualidade - LCQ SENAI/CETEMO Eng. Maria Ballestrin Bertarello NBR 15860/2010 Está dividida em duas partes Parte 1 Requisitos de segurança Parte 2 Métodos de ensaios Escopo berços

Leia mais

LISTA DE CHECAGEM ANDAIMES FACHADEIROS

LISTA DE CHECAGEM ANDAIMES FACHADEIROS LISTA DE CHECAGEM DE ANDAIMES FACHADEIROS Autor DEOGLEDES MONTICUCO Iniciou aos 14 anos como Mensageiro. 1974 - Engenheiro Civil e 1975 - Engenheiro de Segurança do Trabalho. Obras de construções: Hidrelétrica;

Leia mais

-MANUAL DE INSTRUÇÕES; -LISTA DE PEÇAS. PALETEIRA MÜLLER 3T

-MANUAL DE INSTRUÇÕES; -LISTA DE PEÇAS. PALETEIRA MÜLLER 3T -MANUAL DE INSTRUÇÕES; -LISTA DE PEÇAS. PALETEIRA MÜLLER 3T NOTA: O operador deve LER o Manual de Instruções antes de utilizar a Paleteira Müller 3T. Obrigado por ter escolhido e utilizar a Paleteira Müller

Leia mais

MANUAL DO PROPRIETÁRIO

MANUAL DO PROPRIETÁRIO MANUAL DO PROPRIETÁRIO TVK - TVKH Rua Wenceslau Prodo, 181, Jardim Carvalho, Colombo Paraná. CEP: 83402-125 Fone: + 55 41 3201-8000 Fax: 55 41 3201-8080 seyconel@seyconel.com.br www.seyconel.com.br ÍNDICE

Leia mais

MEMÓRIA DESCRITIVA PÓRTICO METÁLICO COM PONTE GRUA

MEMÓRIA DESCRITIVA PÓRTICO METÁLICO COM PONTE GRUA MEMÓRIA DESCRITIVA PÓRTICO METÁLICO COM PONTE GRUA INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA! "# $&%(')*&,+ -.,/!0 1 2 23 Índice: 1- Informações gerais sobre o projecto e cálculo...1 2- Tipologia estrutural...2

Leia mais

Soluções em Lajes Alveolares

Soluções em Lajes Alveolares Soluções em Lajes Alveolares Oferecer Soluções Inovadoras e bom atendimento é o nosso compromisso Presente no mercado da construção civil desde de 1977, o Grupo Sistrel vem conquistando o mercado brasileiro

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM (BALANCIM MANUAL)

MANUAL DE MONTAGEM (BALANCIM MANUAL) MANUAL DE MONTAGEM (BALANCIM MANUAL) MEDIDAS DE SEGURANÇA QUANTO À MONTAGEM E USO DE ANDAIMES SUSPENSOS 1. O andaime não deve ser montado muito próximo à redes de energia elétrica. 2. Não utilizar o andaime

Leia mais

Andaime de fachada UNI 70/100

Andaime de fachada UNI 70/100 Stark gerüstet. Andaime de fachada 70/100 s Português válido a partir de 01.03.2010 2 Índice Esquema de Montagem / As principais vantagens do sistema 4-5 Quadros verticais 6-7 Plataformas 8-9 Acesso interior

Leia mais

Instruções de montagem e utilização. www.zarges.de. Z200 / Z300 andaimes móveis

Instruções de montagem e utilização. www.zarges.de. Z200 / Z300 andaimes móveis Instruções de montagem e utilização www.zarges.de andaimes móveis Instruções de montagem e de utilização 3 Índice 1. Generalidades 4 1.1. Introdução 4 1.2. Fabricante 4 1.3. Homologação de tipo 4 1.4.

Leia mais

Estas informações são importantes para a segurança e eficiência na instalação e operação do aparelho.

Estas informações são importantes para a segurança e eficiência na instalação e operação do aparelho. 0 IMPORTANTE LEIA E SIGA AS SEGUINTES INSTRUÇÕES Estas informações são importantes para a segurança e eficiência na instalação e operação do aparelho. ATENÇÃO Atenção indica uma situação potencialmente

Leia mais

ANDAIMES E PLATAFORMAS DE TRABALHO

ANDAIMES E PLATAFORMAS DE TRABALHO Página: 1 de 5 ITEM TEXTO ATUAL TEXTO PROPOSTO 18.15.1 Manter 18.15.1.1 18.15.2 Os andaimes devem ser dimensionados e construídos de modo a suportar, com segurança, as cargas de trabalho a que estarão

Leia mais

Manual de Montagem e Utilização Conforme EN 131-3: 2007 (D)

Manual de Montagem e Utilização Conforme EN 131-3: 2007 (D) Manual de Montagem e Utilização Conforme EN 131-3: 2007 (D) Escadas Simples? Escadotes? Escadas Duplas e Triplas Escadas Telescópicas? Torres Multiusos Indice 1. Introdução 2. Informação para o Utilização

Leia mais

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO

2. CARACTERÍSTICAS 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO O estabilizador portátil de câmera Tedi Cam é um equipamento de avançada tecnologia utilizado para filmagens de cenas onde há a necessidade de se obter imagens perfeitas em situações de movimento

Leia mais

Manual de instruções. Rampa de alinhamento

Manual de instruções. Rampa de alinhamento Manual de instruções Rampa de alinhamento Apresentação Primeiramente queremos lhe dar os parabéns pela escolha de um equipamento com nossa marca. Somos uma empresa instalada no ramo de máquinas para auto

Leia mais

FUNÇÃO FICHA DE SEGURANÇA ANDAIMES

FUNÇÃO FICHA DE SEGURANÇA ANDAIMES FICHA DE SEGURANÇA ANDAIMES Legenda: 1. Nivelador da base de apoio; 2. Prumos verticais; 3. Prumo de ligação; 4. Barras horizontais; 5. Barras diagonais; 6. Plataforma (prancha) - elemento concebido para

Leia mais

Vantagens. - A grande variedade de medidas, tipos de pisos, sistemas construtivos, etc. - M o n t a g e m r á p i d a, s i m p l e s

Vantagens. - A grande variedade de medidas, tipos de pisos, sistemas construtivos, etc. - M o n t a g e m r á p i d a, s i m p l e s Mezaninos Os mezaninos permitem aproveitar ao máximo a altura útil de um local, duplicando ou triplicando sua superfície e acondicionando-a como área de armazenagem, vestuário, escritórios, etc. A instalação

Leia mais

Equipamentos Metálicos para a Construção Civil

Equipamentos Metálicos para a Construção Civil Equipamentos Metálicos para a Construção Civil Produtos: Andaime AM48 Modular Andaime AM48 Multidirecional Andaime Tradicional Torre Andaime AM Cofragem Metálica e Acessórios Cofragem Madeira e Acessórios

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO TALHAS E TROLES MANUAIS

MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO TALHAS E TROLES MANUAIS MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO TALHAS E TROLES MANUAIS TALHAS ELÉTRICAS GUINCHOS DE ALAVANCA TALHAS COM ACIONAMENTO MANUAL 1) NORMAS UTILIZADAS: NBR 10401 e 10402 Especificação: Fixa as condições exigíveis

Leia mais

Índice. 1. Advertência. 2. Características técnicas. 3. Aplicações. 4. Estrutura. 5. Instruções de uso e operação. 6. Manutenção.

Índice. 1. Advertência. 2. Características técnicas. 3. Aplicações. 4. Estrutura. 5. Instruções de uso e operação. 6. Manutenção. MODELO: BYG AR 1533 Índice 1. Advertência. 2. Características técnicas. 3. Aplicações. 4. Estrutura. 5. Instruções de uso e operação. 6. Manutenção. 7. Diagrama elétrico. 8. Diagrama hidráulico. 9. Peças

Leia mais

TÉCNICO. manual BALANCIM INDIVIDUAL - CADEIRINHA

TÉCNICO. manual BALANCIM INDIVIDUAL - CADEIRINHA manual TÉCNICO BALANCIM INDIVIDUAL - CADEIRINHA Sumário Balancim Individual - Cadeirinha...03 Instrução de Montagem...05 Norma Regulamentadora NR-18...07 Atualização da NR-18...11 Balancim Individual -

Leia mais

Elementos Estruturais de Concreto Armado

Elementos Estruturais de Concreto Armado UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO Escola de Minas DECIV Técnicas Construtivas Elementos Estruturais de Concreto Armado Prof. Guilherme Brigolini Elementos Estruturais de Concreto Armado Produção de

Leia mais

Vigas rígidas e resistentes, mais leves e fáceis de instalar.

Vigas rígidas e resistentes, mais leves e fáceis de instalar. Catálogo Técnico Vigas rígidas e resistentes, mais leves e fáceis de instalar. m a t e r i a i s p a r a c o n s t r u i r m e l h o r. Vigas leves de alta resistência A LP Viga I é fabricada pela LP Building

Leia mais

Cofragem modulada Doka Framax Xlife

Cofragem modulada Doka Framax Xlife 04/2007 Informação ao utilizador 999764006 P Instruções de montagem e utilização ofragem modulada oka Framax Xlife 9764-252-01 Os especialistas de cofragens Introdução Informação ao utilizador ofragem

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES E OPERAÇÃO. DPE Desmontadora de Pneus Elétrica

MANUAL DE INSTRUÇÕES E OPERAÇÃO. DPE Desmontadora de Pneus Elétrica MANUAL DE INSTRUÇÕES E OPERAÇÃO DPE Desmontadora de Pneus Elétrica 01 - Cabeçote Fixador 02 Garras 03 Bicos de Pato Deslocador 04 Haste Móvel 05 Braço Deslocador 06 Trava da Haste Móvel 07 Mola 08 Bico

Leia mais

andaime tubular aicom

andaime tubular aicom andaime tubular aicom O ANDAIME TUBULAR AICOM é um sistema de andaime destinado a construção, reforma, manutenção industrial e montagem em áreas com grandes interferências. Composto de tubo de aço galvanizado

Leia mais

Soluções em Autoconstrução Praticidade, economia e agilidade na sua obra

Soluções em Autoconstrução Praticidade, economia e agilidade na sua obra Aços Longos Soluções em Autoconstrução Praticidade, economia e agilidade na sua obra Sapatas Arame Recozido Trançadinho Pregos Treliças Nervuradas Murfor Produto Belgo Bekaert Malhas Top Telas Soldadas

Leia mais

EXERCÍCIOS DE ESTRUTURAS DE MADEIRA

EXERCÍCIOS DE ESTRUTURAS DE MADEIRA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ENGENHARIA CIVIL,ARQUITETURA E URBANISMO Departamento de Estruturas EXERCÍCIOS DE ESTRUTURAS DE MADEIRA RAFAEL SIGRIST PONTES MARTINS,BRUNO FAZENDEIRO DONADON

Leia mais

1.1 Conceitos fundamentais... 19 1.2 Vantagens e desvantagens do concreto armado... 21. 1.6.1 Concreto fresco...30

1.1 Conceitos fundamentais... 19 1.2 Vantagens e desvantagens do concreto armado... 21. 1.6.1 Concreto fresco...30 Sumário Prefácio à quarta edição... 13 Prefácio à segunda edição... 15 Prefácio à primeira edição... 17 Capítulo 1 Introdução ao estudo das estruturas de concreto armado... 19 1.1 Conceitos fundamentais...

Leia mais

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001)

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18 Andaime Suspenso Mecânico ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18.15.30 Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de apoio dos andaimes

Leia mais

Dispositivo de ancoragem com braço giratório SkyORB TM

Dispositivo de ancoragem com braço giratório SkyORB TM Dispositivo de ancoragem com braço giratório SkyORB TM Descrição O Miller SkyORB TM é um dispositivo de ancoragem portátil com braço giratório especialmente projetado para sistemas de elonamento, carregamento/

Leia mais

Por que protender uma estrutura de concreto?

Por que protender uma estrutura de concreto? Por que protender uma estrutura de concreto? Eng. Maria Regina Leoni Schmid Rudloff Sistema de Protensão Ltda. RUDLOFF SISTEMA DE PROTENSÃO LTDA. Fig. 1 Representação esquemática de um cabo de cordoalhas

Leia mais

Manual de Instalação de Sistemas Fotovoltaicos em Telhados - PHB

Manual de Instalação de Sistemas Fotovoltaicos em Telhados - PHB Manual de Instalação de Sistemas Fotovoltaicos em Telhados - PHB Índice Capítulo Título Página 1 Informações Gerais 3 2 Segurança 4 3 Especificações Técnicas 5 4 Ferramentas, Instrumentos e Materiais 6

Leia mais

INDICE CONTROLE DE REVISÃO

INDICE CONTROLE DE REVISÃO INDICE 1.0 FINALIDADE PG 03 2.0 APLICAÇÃO PG 03 3.0 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA PG 03 4.0 TERMINOLOGIA PG 03 5.0 CARACTERÍSTICAS GERAIS PG 03 6.0 INSTALAÇÃO PG 06 7.0 COMPONENTES PG 07 8.0 OPERAÇÃO PG 22

Leia mais

3) Calcule o alongamento elástico da peça do esquema abaixo. Seu material tem módulo de elasticidade de 2x10 5 N/mm 2.

3) Calcule o alongamento elástico da peça do esquema abaixo. Seu material tem módulo de elasticidade de 2x10 5 N/mm 2. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CÂMPUS DE CHAPADÃO DO SUL DISCIPLINA: CONSTRUÇÕES RURAIS LISTA DE EXERCICIOS I RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS PROFESSOR: PAULO CARTERI CORADI 1) Calcule a deformação

Leia mais

ZJ20U93 Montagem e Operacional

ZJ20U93 Montagem e Operacional www.zoje.com.br ZJ20U93 Montagem e Operacional ÍNDICE 1. Aplicação...2 2. Operação segura...2 3. Cuidados antes da operação...2 4. Lubrificação...2 5. Seleção da agulha e do fio...3 6. A Inserção da agulha...3

Leia mais

MANUAL TÉCNICO JIRAU PASSANTE ELÉTRICO

MANUAL TÉCNICO JIRAU PASSANTE ELÉTRICO MANUAL TÉCNICO SUMÁRIO Introdução 03 Descrição da plataforma 04 Instruções de montagem 08 Informações de segurança 12 INTRODUÇÃO O ANDAIME SUSPENSO ELÉTRICO JIRAU é recomendado para trabalhos em altura

Leia mais

Orientações para Instalação do SISTEMA C da AMF

Orientações para Instalação do SISTEMA C da AMF Orientações para Instalação do SISTEMA C da AMF O SISTEMA C é o tipo de sistema estrutural para forros removíveis mais utilizado no mundo, combinando rapidez e simplicidade na instalação com preço econômico.

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço

2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço 23 2. Sistemas de Lajes 2.1. Considerações Gerais de Lajes Empregadas em Estruturas de Aço Neste capítulo são apresentados os tipos mais comuns de sistemas de lajes utilizadas na construção civil. 2.1.1.

Leia mais

ASPECTOS SOBRE A PRODUÇÃO DA ALVENARIA

ASPECTOS SOBRE A PRODUÇÃO DA ALVENARIA ASPECTOS SOBRE A PRODUÇÃO DA ALVENARIA A produção da alvenaria está dividida em quatro passos fundamentais, que são: - Planejamento; - Marcação; - Elevação; - Fixação. 3ODQHMDPHQWR 1. Equipamentos Colher

Leia mais

Projeto estrutural de edifícios de alvenaria: decisões, desafios e impactos da nova norma de projeto

Projeto estrutural de edifícios de alvenaria: decisões, desafios e impactos da nova norma de projeto Projeto estrutural de edifícios de alvenaria: decisões, desafios e impactos da nova norma de projeto Prof. Associado Márcio Roberto Silva Corrêa Escola de Engenharia de São Carlos Universidade de São Paulo

Leia mais