Introdução ao Certificado de Recebíveis Imobiliários & Fundos Imobiliários Abril, 2012

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Introdução ao Certificado de Recebíveis Imobiliários & Fundos Imobiliários Abril, 2012"

Transcrição

1 Introdução ao Certificado de Recebíveis Imobiliários & Fundos Imobiliários Abril, 2012

2 A RB Capital

3 I. A RB Capital A Companhia Fundada em 1999, a RB Capital é uma companhia especializada em operações de Crédito Estruturado e Securitização e Investimentos Imobiliários, que se diferencia pela sua capacidade de desenvolver e financiar as operações para seus clientes; Imobiliário Comercial A RB Capital é uma das maiores empresas securitizadoras imobiliárias do mercado brasileiro, com cerca de R$ 6,7 bilhões em operações de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) emitidas e colocadas junto a investidores, incluindo operações imobiliárias residenciais, comerciais e de shopping centers; Imobiliário Residencial Para atender aos investidores que desejam investir em produtos estruturados pela RB Capital, prezando pela diversificação de seus investimentos, passamos a atuar como gestora de um série de fundos e veículos de investimentos voltados para o setor imobiliário, que montam cerca de R$ 2,5 bilhões (1) ; A administração da Companhia é composta por profissionais experientes, com habilidades e conhecimentos complementares e cuja maioria atua em equipe no mercado financeiro há mais de 17 anos. Todos os Diretores participam diretamente da condução dos negócios, assegurando dedicação total aos clientes e respondendo diretamente pela qualidade dos serviços prestados e dos investimentos realizados. Gestão de Fundos

4 Linhas de Negócios: Crédito e Securitização A RB Capital possui competência na originação, estruturação, emissão e distribuição de séries de CRI, contando com mecanismos de comprovada eficiência na mitigação de riscos associados a operações estruturadas; A RB Capital possui uma equipe de distribuição própria que dá suporte aos mais variados canais de distribuição e investidores, desde os institucionais, como fundos de pensão, até family offices, private banks e asset managers independentes ou ligados a grandes instituições. Atualmente, a RB Capital possui cerca de R$ 6,7 bilhões de créditos securitizados. Destaques no Mercado de Securitização Evolução de Mercado de CRI Líder de mercado em 2009 (29% do volume total emitido), com operações que totalizam mais de R$ 1 bilhão em emissões de CRI, e crescimento de 52% no volume de emissão em 2010, com cerca de R$ 1,65 bilhão RB Capital Vol. Acum. R$ MM Mercado Vol. Acum. R$ MM Primeira operação de desimobilização de agências bancárias via CRI (HSBC R$ 136 milhões) Maior programa de financiamento imobiliário via securitização do mercado nacional (Petrobras R$ 2,5 bilhão) Líder em operações no setor de Shopping Centers (10 transações que somam cerca de R$ 453 milhões) RB Capital Mercado

5 Linhas de Negócios: Crédito e Securitização Operações de Crédito Securitizado Selecionadas Operações estruturadas de financiamento à construção de imóveis, terminais ferroviários e aquisição de locomotivas para uso da Vale R$ Operações de securitização de créditos imobiliários garantidos por recebíveis de Shopping Center e aquisição de Shopping Center R$ Operações de Build to Suit para financiamento imobiliário e Desimobilização via securitização R$ a e a 2011 Operação de financiamento à expansão de Shopping Center R$ Operação de securitização para financiamento de um Centro de Distribuição no Rio de Janeiro - RJ R$ Operação de securitização para financiamento de um Centro de Distribuição no Rio de Janeiro - RJ R$ a Operação de securitização para financiamento de um Centro de Distribuição em Itapevi - SP R$ Operação de securitização para financiamento de sede corporativa localizada em São Paulo - SP R$ Operações de Build to Suit para financiamento à construção de Lojas Comerciais R$ e

6 O Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI

7 II. CRI Características típicas da operação Título de renda fixa do mercado de capitais com registro e fiscalização na CVM e com custódia e liquidação financeira via CETIP/CBLC; Título com lastro em créditos imobiliários, em grande maioria atrelado a um índice de mercado adicionado a um cupom de juros (IGPM, IPCA, outros); O Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) foi criado em 1997 com a introdução do Sistema Financeiro Imobiliário (Lei ); O CRI possui valor mínimo de emissão de R$ ,00 (1) ; Possui garantia imobiliária com segregação fiduciária de patrimônio através do Regime Fiduciário; Legislação pertinente: Lei 9.514/97, Lei /04 e Instrução Normativa CVM 414/04; Isenção tributária (IR) para pessoa física; CRI pode ser utilizado por instituições financeiras no enquadramento de exigibilidade de poupança; Desintermediação do sistema bancário, cujo custo de oportunidade é mais elevado; Investimento de Longo-Prazo. A demanda por Certificados de Recebíveis Imobiliários tem sido crescente, principalmente por investidores institucionais e qualificados e, mais recentemente, por pessoas físicas de alta renda. 7 (1) Operações com valores abaixo disso devem respeitar alguns pré-requisitos, como: o devedor precisa ter seus demonstrativos financeiros na CVM, o imóvel dado como garantia deve estar performado (construído) e devem ser realizadas trimestralmente avaliações de rating sobre o CRI.

8 II. CRI Evolução do Mercado O mercado de CRI já ultrapassou R$ 37 bilhões em volume de emissão, realizadas por 31 companhias securitizadoras atuantes neste mercado; Deste volume, a RB Capital foi responsável por cerca de 18% do volume emitido, destacando-se como a securitizadora líder em volume de CRIs emitidos e colocados junto ao mercado de capitais no ano de 2009, com aproximadamente 29% do mercado; A grande evolução do mercado brasileiro de CRI acompanha as fortes tendências mundiais. O volume de crédito imobiliário em relação ao PIB no Brasil é significativamente menor do que em outros países emergentes, como Chile e México. Um aumento de 1% nessa relação, considerando-se um PIB de R$ 3 trilhões, representaria R$ 30 bilhões de crédito imobiliário injetados no mercado; As fontes usuais de crédito imobiliário habitacional (grande bancos, através do direcionamento de 65% da poupança, por força da regulação) não deverão ser suficientes para suprir a demanda por esse tipo de crédito nos próximos anos. A securitização via emissão de CRI no mercado de capitais aparece como uma fonte alternativa adequada para suprir essa demanda crescente Fonte: BCB, Cetip e Bovespa Até março de Emissões CRIs (em MM) Valor Acumulado (em MM) ,00% 10,00% 8,00% 6,00% 4,00% 2,00% 0,00% Alto potencial de expansão de financiamento via 0,80% 1,20% 4,40% 3,60% 3,10% 6,50% 7,10% 9,10% 10,75% Estoque de CRI sobre recursos do SBPE direcionados a aplicações imobiliárias 8

9 II. CRI Estrutura de um CRI Os CRIs podem ser divididos em Pulverizados ou Corporativos, de acordo com os recebíveis que os lastreiam. Certificado de Recebíveis Imobiliários (de acordo com a concentração do risco) Estrutura Básica Originador Créditos Imobiliários Pulverizado Corporativo $$ Cessão de Créditos Securitização de contratos, na sua maioria residenciais, que possuem devedores pulverizados. Também pode ser securitizado o fluxo locatício de shoppings, que refletem uma base de risco pulverizado. Securitização de contratos imobiliários (compra e venda, locação, cessão de superfície...) que possuem uma empresa como principal devedor (pessoa jurídica) Securitizadora Termo de Securitização CRI Risco pulverizado, respaldado por mitigantes da operação. Desimobilização (Imóveis prontos) Construção Customizada (Construção de Imóveis) $$ Distribuição Risco na empresa devedora, respaldado por mitigantes da operação. Investidores 9

10 II. CRI Exemplos de Operação: Desimobilização (Sale & Lease-back) A BR Distribuidora detinha a propriedade de uma Fábrica da Lubrax, além de diversos postos de gasolina, terminais e bases e buscava otimizar sua base de capital; Operação de desimobilização Fábrica da Lubrax e de postos de gasolina, bases e terminais, através de Emissão de CRI: R$ AAA (bra) FitchRatings AAA LF Ratings A RB Capital atuou como estruturadora e emissora da série de CRI Outubro 2009 A RB Capital desenvolveu operação estruturada customizada para BR Distribuidora, visando captação de recursos com lastro em transação envolvendo imóveis de sua propriedade, captando, à vista, R$ 110 milhões através da colocação de Série de CRI no mercado de capitais; A estrutura da operação desenvolvida conta com um Fundo de Investimento Imobiliário controlado pela BR Distribuidora; A série de CRI emitida foi lastreada em promessas de compra e venda pagas anualmente com correção pelo IGP-M e tendo como devedor final o fundo controlado pela BR, cujas receitas advém da locação dos imóveis para a própria BR; A operação de desimobilizaçao dos postos foi classificada como AAA pela Fitch Ratings e pela Moodys, e a da Fábrica da Lubrax como AAA pela Fitch Ratings e pela SR Rating refletindo a qualidade de crédito da operação e da BR Distribuidora; Esta foi a primeira operação de desimobilização de postos de gasolina realizada no mercado brasileiro, tendo sido integralmente colocada junto ao mercado de capitais, incluindo pessoas físicas e fundos de pensão. 10

11 II. CRI Exemplos de Operação: Construção Customizada (Build-to-Suit) A Companhia Vale do Rio Doce necessitava de uma sede administrativa em Nova Lima, Minas Gerais e a Ferrovia Centro Atlântico, companhia subsidiária integral da Vale, necessitava da construção de uma malha ferroviária para suas operações logísticas; Operação de Construção Customizada para financiamento à construção de uma sede administrativa para a Vale e uma malha ferroviária para a FCA, através de Emissão de CRI: Aprox. R$ A RB Capital atuou como estruturadora e emissora da série de CRI Abril 2009, Janeiro 2011 e Abril 2012 A estrutura da operação desenvolvida pela RB Capital conta com uma empresa de propósito específico (na qualidade de locador), que foi contratada pela Vale para adquirir um terreno localizado na grande Belo Horizonte e ali construir uma sede administrativa, de acordo com as orientações específicas da própria Vale; A Vale se comprometeu a locar o imóvel pelo período mínimo de existência da operação, constituído através de um contrato atípico de locação, na modalidade Build to Suit. Os Créditos Imobiliários decorrentes do Contrato de Locação entre a Vale (na qualidade de locatária) e a empresa de propósito específico (na qualidade de locador) foram cedidos à RB Capital; A RB Capital colocou no mercado de capitais uma Série de CRI com rendimento de 9,29% + IPCA, prazo de 16 anos e risco corporativo da CVRD, e 7,25% + IPCA pelo prazo de 10 anos. Recentemente, a RB Capital fez uma nova emissão lastreada em um aditivo deste contrato, no total de aproximadamente R$ ,00, com rendimento aproximado de IPCA + 5,10%, pelo prazo de 9 anos 11

12 II. CRI Exemplos de Operação: Financiamento A Aliansce Shopping Centers estava desenvolvendo um novo Shopping Center de seu portfólio na cidade do Rio de Janeiro. O Shopping fora desenvolvido na região de Bangu, bairro carioca com enorme potencial de consumo voltado para as classes C e D; Operação de financiamento à construção e expansão do Bangu Shopping Centers. Emissão de CRI: R$ A RB Capital atuou como estruturadora e emissora da série de CRI A estrutura da operação desenvolvida pela RB CAPITAL considera o fluxo de recursos gerado pelo próprio ativo, Bangu Shopping Center, para pagamento do financiamento dado à sua construção e posteriormente à sua expansão; Os Créditos Imobiliários decorrentes do Contrato de Financiamento Imobiliário firmado entre a Aliansce e a empresa cia hipotecária foram cedidos à RB CAPITAL SEC; A RB CAPITAL SEC colocou no mercado de capitais duas Séries de CRI, risco corporativo da Aliansce respaldado por garantia real imobiliária e recebíveis do ativo lastro; O montante de recursos de R$ 180 milhões, captados junto a investidores no mercado, foi integralmente utilizado na construção e expansão do Bangu Shopping Center e

13 II. CRI CRI versus Debênture Vantagens e Desvantagens CRI Custo de estruturação menor, maior rentabilidade; Patrimônio em separado / regime fiduciário; Garantia real imobiliária; Indexados majoritariamente ao IPCA; Benefício fiscal para investidor pessoa física; Cessão definitiva dos recebíveis; Diversificação; Grande variedade de perfis de investimento; Risco específico, mitigado por uma estrutura de garantias; Baixa liquidez no mercado secundário. Debênture Custo elevado de estruturação para menores volumes; Patrimônio em separado; Fila por massa falida; Dívida subordinada; Risco institucional da empresa; Em geral, fundamentado apenas no crédito do emissor; Ausência de garantias reais; Indexadas majoritariamente ao CDI; Baixa liquidez no mercado secundário. 13

14 II. CRI Informações Adicionais Vantagens para o Investidor Titulo de renda fixa de crédito privado com remuneração acima dos papéis do Tesouro (NTNs); Operações executadas em ambiente de regime fiduciário (segregação do risco da securitizadora); Possível estruturação de garantias que mitigam os riscos associados; Risco de crédito de empresas de 1ª linha (CRI corporativos) ou pulverização de risco de crédito (CRI residenciais); Isenção de Imposto de Renda sobre os ganhos obtidos para as pessoas físicas que adquirirem CRI (Lei /04); Ativo mobiliário regulado pela CVM. Principais Investidores Os CRIs podem ser adquiridos por pessoas/entidades físicas ou jurídicas, financeiras ou não; Os principais investidores são: Sociedades Abertas e Fechadas de Previdência Privada Seguradoras Fundos de Investimento Pessoas físicas e jurídicas Tesourarias de Bancos 14

15 O Fundo de Investimento Imobiliário FII

16 III. FII Histórico O Fundo de Investimento Imobiliário (FII) foi criado em 1993 com a introdução da Lei e da ICVM 205/94; Constituído na forma de condomínio fechado, o FII é um ativo mobiliário registrado na CVM, com o objeto de auferir ganhos mediante locação, arrendamento ou alienação das unidades do empreendimento adquirido pelo Fundo; A negociação das quotas do FII pode ser tanto privada quanto pública via mercados de balcão ou bolsas de valores; As cotas de FII podem ser adquiridas por pessoas/entidades físicas ou jurídicas, financeiras ou não. Data Histórico da Regulamentação Lei/Resolução /Instrução jun/93 Criação dos FII Lei jan/94 Criação da Instrução regulatória dos FII ICVM 205 nov/97 Instituição do SFI (institui os conceitos de alienação fiduciária e securitização de créditos) Lei nov/99 Estruturação do primeiro FII para investidores Pessoas Físicas (Pátio Higienópolis) - nov/05 Isenção de Imposto de Renda para Pessoa Física Lei out/08 FII tornam-se ferramentas mais flexíveis e ágeis (Ex.: podem adquirir valores mobiliários relacionados ao créd. imob.) ICVM 472 ago/09 É instituída Lei que confirma isenção sobre o rendimento dos valores mobiliários: CRI, LCI, Letras Hipotecárias e quotas de FII Lei set/09 Aumenta o limite de aplicação do patrimônios dos Fundos de Pensão em FII para 10% CMN A ICVM 472 surgiu como um dos principais marcos regulatórios que tornaram o FII um veículo formidável para se investir no mercado imobiliário, seja no desenvolvimento e/ou financiamento imobiliário, principalmente ao investidor Pessoa Física. 16

17 III. FII Características Básicas Ativo Mobiliário do mercado de capitais com registro e fiscalização na CVM; Constituído na forma de condomínio fechado, com prazo determinado ou não; Não há um valor mínimo definido de aplicação em um FII; Veículo que agrega vantagens do mercado de valores mobiliários ao investimento em imóveis, como a diversificação; Legislação pertinente: Lei 8.668/93 e Instrução Normativa CVM 205/94; Isenção tributária (IR) sobre os rendimentos do FII para pessoa física; Ganhos de capital auferidos na alienação de quotas sujeitam-se à incidência do imposto de renda à alíquota de 20%; Rendimentos indexados à inflação; Investimento de médio e longo-prazo. 17

18 R$ milhões III. FII Evolução do Mercado O Mercado de Fundos de Investimentos Imobiliários (FII) é composto por 147 Fundos, com valor patrimonial total no fechamento de abril, 2012, de mais de R$ 22 bilhões, um crescimento de 140% em relação ao mesmo mês do ano anterior (Fonte: CVM); Todos os incentivos dados pelo Governo tornaram o FII ao mesmo tempo um veículo adequado para estruturar investimentos imobiliários e um investimento alternativo e atrativo aos investidores; A falta de liquidez no mercado secundário de quotas de FII vem deixando de ser uma barreira aos investidores, uma vez que o volume de negociação desses ativos tem aumentado ano a ano,. Volume Financeiro Negociado Número de Negócios E2012: R$ 1 bilhão Fev/ Média Histórica do período Fonte: BMF&Bovespa Estimativa: RB Capital A demanda por Fundos de Investimentos Imobiliários tem sido crescente, principalmente por pessoas físicas e investidores institucionais. 18

19 III. FII Vantagens Diversificação, tanto no nível da carteira do fundo (diversificação em vários projetos/ativos imobiliários), quanto do mercado (investidor diversifica sua carteira adquirindo cotas de diversos fundos); Acesso ao mercado imobiliário: Veículo que viabiliza o acesso de pequenos e médios investidores aos investimentos imobiliários. Ganhos de Escala: Custos da administração dos investimentos do Fundo são diluídos entre todos os quotistas; Pequenos investidores obtém condições semelhantes às oferecidas aos grandes investidores. Simplificação: O investidor não precisa se preocupar pessoalmente com procedimentos referentes a certidões, escrituras, recolhimento do ITBI, entre outras burocracias inerentes ao negócio. Tais procedimentos tornam-se responsabilidade do administrador do fundo. Possibilidade de fracionar o investimento: Caso o investidor necessite liquidar parte da posição, o mesmo pode simplesmente vender parte das quotas, não sendo necessário sair completamente do investimento. 19

20 III. FII Riscos Mercado Financeiro: De tempos em tempos, eventos podem afetar somente os Fundos Imobiliários que detêm determinados tipos de imóveis, ou imóveis localizados em região geográfica específica. Taxa de Ocupação Imobiliária: A retração do crescimento econômico pode ocasionar redução na ocupação dos imóveis. A redução da taxa de ocupação pode não só reduzir a receita de um fundo de investimento pela vacância de seus imóveis, mas também gerar redução nos valores dos aluguéis. Sendo assim, o empreendimento pode não vir a obter o sucesso pretendido, prejudicando o plano de rentabilidade estimado. Liquidez reduzida: Devido à falta de liquidez no mercado secundário e a característica de condomínio fechado, que impossibilita o investidor de resgatar seu investimento a qualquer momento, o investidor pode enfrentar dificuldades para se desfazer do seu investimento em cotas de Fundos Imobiliários; Os fundos com prazo determinado mitigam tal risco. 20

21 III. FII Estruturas mais comuns no mercado Fundo Imobiliário de CRI FII para a aquisição de CRI, com objetivo de fornecer uma renda ao quotista, de forma diversificada; Estrutura Básica Investidores Fundo Imobiliário de Renda FII para a aquisição de imóveis comerciais, especulativos ou não, com o objeto de auferir ganhos mediante locação, visando a geração de renda aos quotistas no tempo e,ao mesmo tempo, podendo gerar ganhos eventuais pela valorização do portfolio de imóveis; Fundo Imobiliário de Desenvolvimento Risco e Retorno Quotas FII $$ Integralização FII para a aquisição de quotas de projetos de desenvolvimento Aquisição ou Desenvolvimento $$ Alienação ou Renda imobiliário tanto residenciais quanto comerciais, com o objetivo de oferecer ganhos de capital aos quotistas, como uma forma indireta, organizada e profissional de exposição ao setor imobiliário. Imóveis 21

22 III. FII Exemplo de Estrutura RB Capital Renda I - FII: Fundo de R$ 132 MM que adquiriu sete ativos imobiliários comerciais, de uso estratégico-operacional, locados sob regime atípico para cinco empresas multinacionais (Ambev, Barry Callebaut, C&A, Danfoss e Saint-Gobain) e duas nacionais (Leader União de Lojas e Magazine Luiza). Detalhes da Transação Distribuição por Localização 13% 28% 13% Data de Integralização: Dez/2009; Rentabilidade esperada de IPCA + 9,35% a.a.; 28% 18% Investimento mínimo aproximado: R$ 5 mil; Primeiro FII multi-ativo, com perfil de renda para investidores pessoas físicas (1.171 em um total de investidores); Bahia Reg. Metr. Belo Horizonte Reg. Metr. Rio de Janeiro Reg. Metr. São Paulo Paraná Distribuição por Locatário Rendimento pré-fixado de longo-prazo: prazo médio de vencimento dos contratos de 10,1 anos (base 31/jul/2009); 22% 6% 13% Indexação de todos os contratos pela inflação: IPCA (7 ativos, equivalentes a 100% da renda total do fundo); Ativos adquiridos envolvem exclusivamente depósitos/centros de distribuição (4 ativos) 18% 15% 13% 14% e lojas de varejo (3 ativos). C&A Ambev Magazine Luiza Barry Callebaut Saint-Gobain (Telhanorte) Leader 22

23 III. FII Exemplo de Estrutura RB Capital Desenvolvimento Residencial II - FII: Fundo de R$ 130 MM que adquire participações em projetos de incorporação e desenvolvimento residencial de diversos incorporadores. Detalhes da Transação Estrutura Investidores Data de Integralização: Ago/2010; Rentabilidade esperada de INCC + 20% a.a.; Investimento mínimo aproximado: R$ 150 mil; Quotas $$ Integralização Prazo do Fundo: 5 anos (prazo médio de 3,5 anos); FII Rendimento de médio/longo-prazo, isento de imposto de renda; Indexação de todos os contratos pela inflação; Desenvolvimento $$ Alienação Período de Investimento do Fundo: 3 anos; O Fundo prevê, dentro de seus critérios de elegibilidade de projetos, diversificação regional, em 15 ou mais projetos residenciais; Sociedades de Propósito Específico 40% do capital subscrito pode ser reinvestido em novos projetos desde que dentro do prazo de 5 anos do fundo; Foco em empreendimentos com unidades de até R$ 500 mil, que se enquadram no SFH/poupança e acessam um maior nº de alternativas de financiamento. Projeto I Projeto II Projeto III 23

24 Linhas de Negócios: Gestão de Fundos Veículos e Fundos Sob Gestão Selecionados RB Capital Renda I - FII RB Capital Renda II - FII FIDC Caixa RB Capital Habitação RB Capital I Master FIM Crédito Privado R$ 132 MM (1) R$ 137 MM (1) R$ 450 MM (1) R$ 76 MM Veículo de Investimento Imobiliário Comercial Veículo de Investimento Imobiliário Comercial Fundo de Crédito Privado Fundo de Crédito Privado RB Capital Desenvolvimento Residencial I RB Capital Desenvolvimento Residencial II RB Capital FIRF Petros Crédito Privado RB Capital Blue FIRF Crédito Privado R$ 23 MM R$ 127 MM (1) R$ 100 MM (1) R$ 200 MM (1) Veículo de Investimento Imobiliário Residencial Veículo de Investimento Imobiliário Residencial Fundo de Crédito Privado Fundo de Crédito Privado RB Capital Agre - FII RB Capital Prime Realty - FII RB Capital II FIRF Crédito Privado Vitória Fundo de Investimento Renda Fixa R$ 68,75 MM (1) R$ 100 MM (1) R$ 303 MM R$ 54 MM Veículo de Investimento Imobiliário Residencial Veículo de Investimento Imobiliário Residencial Fundo de Renda Fixa Fundo de Renda Fixa

25 Rua Amauri, 255-5º andar São Paulo SP Brasil Tel: +55 (11) Fax: +55 (11) Adalbero Cavalcanti Bruno Boscolo Slavik Merkouloff Ariane Tavares

26 Disclaimer Esse material tem caráter meramente informativo. Nenhuma garantia, expressa ou implícita, pode ser fornecida com relação à exatidão, completude ou segurança dos materiais, inclusive em suas referências aos valores mobiliários e demais assuntos neles contidos. Os materiais disponibilizados nessa apresentação não devem ser considerados pelos receptores como substitutos ao exercício dos seus próprios julgamentos e não suprem a necessidade de consulta a profissionais devidamente qualificados, que deverão levar em consideração suas necessidades e objetivos específicos ao assessorá-los. Quaisquer dados, informações e/ou opiniões estão sujeitas a mudanças, sem necessidade de notificação prévia aos usuários, e podem diferir ou ser contrárias a opiniões expressadas por outras pessoas, áreas ou grupos dentro da própria RB Capital, como resultado de diferentes análises, critérios e interpretações. As informações contidas nessa apresentação são fornecidas somente a título de informação. Nenhuma das informações apresentadas na apresentação deve ser interpretada como proposta, oferta ou recomendação de compra ou venda de quaisquer produtos e/ou serviços de investimento, nem como a realização de qualquer ato jurídico, independentemente da sua natureza. Esta apresentação e todo o seu conteúdo deverá ser tratada pelo receptor como material estritamente confidencial, sendo destinado exclusivamente ao(s) seu(s) destinatário(s), não devendo ser transmitindo/encaminhado a terceiros sem a prévia e expressa concordância da RB Capital.

Introdução ao Certificado de Recebíveis Imobiliários & Fundos Imobiliários Junho, 2013

Introdução ao Certificado de Recebíveis Imobiliários & Fundos Imobiliários Junho, 2013 Introdução ao Certificado de Recebíveis Imobiliários & Fundos Imobiliários Junho, 2013 A RB Capital 1 I. A RB Capital A Companhia Fundada em 1999, a RB Capital é uma companhia especializada em operações

Leia mais

Mercado de Capitais e o Investimento Imobiliário. 1 Fórum de Investimentos Imobiliários

Mercado de Capitais e o Investimento Imobiliário. 1 Fórum de Investimentos Imobiliários Mercado de Capitais e o Investimento Imobiliário 1 Fórum de Investimentos Imobiliários Abril, 2014 Mercado Imobiliário e Mercado de Capitais Relembrando o Passado Recente Maior renda da população Evolução

Leia mais

Soluções de Financiamento e Investimento para Projetos Imobiliários Residenciais

Soluções de Financiamento e Investimento para Projetos Imobiliários Residenciais Soluções de Financiamento e Investimento para Projetos Imobiliários Residenciais I. A Conjuntura Econômica II. III. Introdução à RB Capital Soluções Imobiliárias Residenciais Conjuntura Econômica Cenários

Leia mais

Soluções de Financiamento para Projetos Imobiliários

Soluções de Financiamento para Projetos Imobiliários Soluções de Financiamento para Projetos Imobiliários I. Soluções Imobiliárias Corporativas II. III. Soluções Imobiliárias Residenciais Fundos de Investimento Imobiliário Soluções Imobiliárias Corporativas

Leia mais

ABECIP / SECOVI / ORDEM DOS ECONOMISTAS DO BRASIL IMPLEMENTAÇÃO DO SECURITIZAÇÃO NO BRASIL 05/08/2010

ABECIP / SECOVI / ORDEM DOS ECONOMISTAS DO BRASIL IMPLEMENTAÇÃO DO SECURITIZAÇÃO NO BRASIL 05/08/2010 ABECIP / SECOVI / ORDEM DOS ECONOMISTAS DO BRASIL IMPLEMENTAÇÃO DO S.F.I. SECURITIZAÇÃO NO BRASIL 05/08/2010 A IMPORTÂNCIA DO SFI NO BRASIL LEGISLAÇÃO REGULAMENTAÇÃO ARCABOUÇO LEGAL PRONTO Base Legal Fonte

Leia mais

SECURITIZAÇÃO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS 28/10/2014 - IBCPF

SECURITIZAÇÃO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS 28/10/2014 - IBCPF SECURITIZAÇÃO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS 28/10/2014 - IBCPF Conceito 1 Conceito Integração dos mercados imobiliário e de capitais, de modo a permitir a captação de recursos necessários para o desenvolvimento

Leia mais

CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS CRI

CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS CRI CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS CRI Diversos veículos podem ser utilizados para securitizar recebíveis imobiliários, entretanto o uso dos Certificados de Recebíveis Imobiliários CRI vem caminhando

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário - FII

Fundos de Investimento Imobiliário - FII CONCEITO: Instrumento na forma de condomínio fechado, portanto não admitem resgate (saída a qualquer momento), para aplicação em empreendimentos imobiliários: Ativos imobiliários: propriedade direta de

Leia mais

Brazilian Finance & Real Estate

Brazilian Finance & Real Estate Brazilian Finance & Real Estate Financiamento do Mercado Imobiliário - Visão do Investidor Letra de Crédito Imobiliário - LCI Estrutura do CRI e sua robustez Características do mercado Brasileiro em relação

Leia mais

Mercado de Títulos Ligados ao Setor Imobiliário para Fundos de Pensão

Mercado de Títulos Ligados ao Setor Imobiliário para Fundos de Pensão Mercado de Títulos Ligados ao Setor Imobiliário para Fundos de Pensão Marielle Brugnari dos Santos Gerência de Produtos Imobiliários Junho/20111 Desenvolvimento do Mercado Imobiliário Cédula de Crédito

Leia mais

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão Kinea Rendimentos Imobiliários - FII Relatório de Gestão Maio de 2013 Palavra do Gestor Prezado investidor, O Kinea Rendimentos Imobiliários FII ( Fundo ) é dedicado ao investimento em Ativos de renda

Leia mais

Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI

Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Diversos veículos podem ser utilizados para securitizar recebíveis imobiliários, entretanto o uso dos Certificados de Recebíveis Imobiliários -CRI- vem caminhando

Leia mais

MOVIMENTANDO OPORTUNIDADES gerando investimentos A FORTESEC. securitizadora. Home Empresa Securitização Emissões Fale Conosco

MOVIMENTANDO OPORTUNIDADES gerando investimentos A FORTESEC. securitizadora. Home Empresa Securitização Emissões Fale Conosco MOVIMENTANDO OPORTUNIDADES gerando investimentos Com credibilidade e criatividade, transformamos as novas ideias do mercado SAIBA MAIS A FORTESEC A Fortesec é uma com foco em operações estruturadas de

Leia mais

Instrumentos de Financiamento Imobiliário no Brasil Jorge Sant Anna

Instrumentos de Financiamento Imobiliário no Brasil Jorge Sant Anna Instrumentos de Financiamento Imobiliário no Brasil Jorge Sant Anna 1 Março /2010 Evolução do Financiamento Imobiliário 1964 Base Legal Sistema Financeiro de Habitação Lei 4.328 /64 Lei 5.170/66 1997 Base

Leia mais

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão Kinea Rendimentos Imobiliários - FII Relatório de Gestão Janeiro de 2013 Palavra do Gestor Prezado investidor, O Kinea Rendimentos Imobiliário FII ( Fundo ) é dedicado ao investimento em Ativos de renda

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII Crédito lastreado em imóveis, alta rentabilidade e fluxo de caixa constante, com a solidez do concreto.

Leia mais

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL Valdery Albuquerque 2ª Conferência Internacional de Crédito Imobiliário De 17 a 19 de março de 2010 Índice 1. Conceitos e Características

Leia mais

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão Kinea Rendimentos Imobiliários - FII Relatório de Gestão Fevereiro de 2015 Palavra do Gestor Prezado investidor, O Kinea Rendimentos Imobiliários FII ( Fundo ) é dedicado ao investimento em Ativos de renda

Leia mais

Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII

Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII Renda Variável Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário - FII Fundo de Investimento Imobiliário Aplicação no mercado imobiliário sem investir diretamente em imóveis O produto O Fundo de Investimento

Leia mais

FUNDOS DE INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS

FUNDOS DE INVESTIMENTOS IMOBILIÁRIOS I Curso de Férias do Grupo de Estudos de Direito Empresarial - Direito UFMG S IMOBILIÁRIOS Luis Fellipe Maia Advogado Formado pela UFMG Sócio da Vivá Capital Membro do Conselho Diretor da Júnior Achievement/MG

Leia mais

RB CAPITAL RENDA II FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII APRESENTAÇÃO AOS INVESTIDORES. Março/2012

RB CAPITAL RENDA II FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII APRESENTAÇÃO AOS INVESTIDORES. Março/2012 RB CAPITAL RENDA II FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII APRESENTAÇÃO AOS INVESTIDORES Março/2012 Agenda Introdução A Oferta Características do portfolio final do Fundo Rendimento das Cotas Contatos &

Leia mais

BTG Fundo de Fundos. 5ª Emissão. Janeiro, 2013. Para informações adicionais, leia atentamente os Avisos Adicionais no final da apresentação.

BTG Fundo de Fundos. 5ª Emissão. Janeiro, 2013. Para informações adicionais, leia atentamente os Avisos Adicionais no final da apresentação. 5ª Emissão Janeiro, 2013 Para informações adicionais, leia atentamente os Avisos Adicionais no final da apresentação. SEÇÃO 1 Características Características Fundo Carteira Remuneração FUNDO FII fechado

Leia mais

2º Congresso Internacional Gestão de Riscos FEBRABAN 23/10/2012

2º Congresso Internacional Gestão de Riscos FEBRABAN 23/10/2012 2º Congresso Internacional Gestão de Riscos FEBRABAN 23/10/2012 1. Certificados de Recebíveis Imobiliários 2. Mercado de CRI 3. Principais Investidores Conceito de Securitização Imobiliária Operação pela

Leia mais

Kinea Renda Imobiliária

Kinea Renda Imobiliária Introdução O é um fundo que busca aplicar recursos em empreendimentos corporativos e centros de distribuição de excelente padrão construtivo, de forma diversificada e preferencialmente prontos. Uma oportunidade

Leia mais

relatório mensal BB Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII

relatório mensal BB Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII relatório mensal BB Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII Maio 2015 BB Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII O fundo BB Recebíveis Imobiliários FII iniciou

Leia mais

Letra de Crédito Imobiliário LCI. Estrutura do CRI e sua robustez. Americano. Características do mercado Brasileiro em relação ao

Letra de Crédito Imobiliário LCI. Estrutura do CRI e sua robustez. Americano. Características do mercado Brasileiro em relação ao razilian Finance & Real Estate Financiamento do Mercado Imobiliário - Visão do Investidor Letra de Crédito Imobiliário LCI Estrutura do CRI e sua robustez Características do mercado Brasileiro em relação

Leia mais

Material Explicativo sobre Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI)

Material Explicativo sobre Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) Material Explicativo sobre (CRI) 1. Definições Gerais Os Certificados de Recebíveis são títulos lastreados em créditos imobiliários, representativos de parcelas de um direito creditório. O ativo permite

Leia mais

Material Explicativo sobre Fundo de Investimento Imobiliário (FII)

Material Explicativo sobre Fundo de Investimento Imobiliário (FII) Material Explicativo sobre Fundo de Investimento Imobiliário (FII) 1. Definições Gerais Os Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs) são veículos de investimento que agrupam investidores com o objetivo

Leia mais

Securitização De Créditos Imobiliários

Securitização De Créditos Imobiliários Securitização De Créditos Imobiliários Operações Imobiliárias A 1. O que é securitização de créditos imobiliários? Securitização é um processo estruturado, coordenado por uma instituição especializada

Leia mais

Estrutura do Mercado Financeiro e de Capitais

Estrutura do Mercado Financeiro e de Capitais Estrutura do Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Paulo Berger SIMULADO ATIVOS FINANCEIROS E ATIVOS REAIS. Ativo real, é algo que satisfaz uma necessidade ou desejo, sendo em geral fruto de trabalho

Leia mais

Cédula de Crédito Imobiliário - CCI

Cédula de Crédito Imobiliário - CCI Títulos Imobiliários Renda Fixa Cédula de Crédito Imobiliário - CCI Títulos Imobiliários Cédula de Crédito Imobiliário Instrumento que facilita a negociabilidade e a portabilidade do crédito imobiliário

Leia mais

FUNDOS IMOBILIARIOS O GUIA DEFINITIVO

FUNDOS IMOBILIARIOS O GUIA DEFINITIVO 1 FUNDOS IMOBILIARIOS O GUIA DEFINITIVO Autor: Jonatam César Gebing Abril de 2015 2 FUNDOS IMOBILIÁRIOS: O GUIA DEFINITIVO MODULO 01 FUNDOS IMOBILIÁRIOS: O QUE SÃO Fundos Imobiliários, o Guia Definitivo.

Leia mais

Desafios do crédito imobiliário no Brasil: fatores importantes para aceleração dos investimentos

Desafios do crédito imobiliário no Brasil: fatores importantes para aceleração dos investimentos Desafios do crédito imobiliário no Brasil: fatores importantes para aceleração dos investimentos Sergio Rosa novembro - 2007 Índice VISÃO GERAL DA PREVI - A PREVI - Desempenho do portfolio em 2007 - Investimentos:

Leia mais

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI. Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI. Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários Instrumento de captação de recursos e de investimentos no mercado imobiliário O produto O Certificado

Leia mais

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão Kinea Rendimentos Imobiliários - FII Relatório de Gestão Abril de Palavra do Gestor Prezado investidor, O Kinea Rendimentos Imobiliários FII ( Fundo ) é dedicado ao investimento em Ativos de renda fixa

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário Workshop para jornalistas. Nov 2011

Fundos de Investimento Imobiliário Workshop para jornalistas. Nov 2011 Fundos de Investimento Imobiliário Workshop para jornalistas Nov 2011 Agenda 4 Definição 4 Tipos de Fundos 4 Vantagens 4 Base Legal 4 Tamanho da Indústria 4 Ambientes de Negociação 4 Liquidez / Precificação

Leia mais

1 - BTG Pactual Corporate Office Fund BRCR11

1 - BTG Pactual Corporate Office Fund BRCR11 1 - BTG Pactual Corporate Office Fund BRCR11 O FII BTG Pactual Corporate Office Fund é um fundo de investimento imobiliário do tipo corporativo, ou seja, tem como objetivo investir em ativos imobiliários

Leia mais

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL

INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL JANEO 2013 INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO BRASIL MEDIDA PROVISÓRIA 601/2012: BENEFÍCIOS FISCAIS DE FIDCS DE PROJETOS DE INVESTIMENTO (INCLUSIVE INFRAESTRUTURA) A. Introdução 1. A fim de aprimorar os

Leia mais

Cenários para Mercado e Produtos Imobiliários 28/11/2013

Cenários para Mercado e Produtos Imobiliários 28/11/2013 Cenários para Mercado e Produtos Imobiliários 28/11/2013 Fundos Imobiliários - FIIs Fundos Imobiliários - Conceito Investidores Fundos fechados (não permitem resgates) - saída em Bolsa ou Mercado de Balcão

Leia mais

Securitização de Recebíveis Imobiliários (Emissão de CRIs) Vladimir Miranda Abreu

Securitização de Recebíveis Imobiliários (Emissão de CRIs) Vladimir Miranda Abreu Securitização de Recebíveis Imobiliários (Emissão de CRIs) Vladimir Miranda Abreu vabreu@tozzini.com.br Sistema Financeiro Imobiliário - SFI Lei 9.514/97: Promover o financiamento imobiliário em geral,

Leia mais

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão Kinea Rendimentos Imobiliários - FII Relatório de Gestão Março de 2014 Palavra do Gestor Prezado investidor, O Kinea Rendimentos Imobiliários FII ( Fundo ) é dedicado ao investimento em Ativos de renda

Leia mais

Insper - Instituto de Ensino e Pesquisa. Caio Marques Silvério de Oliveira

Insper - Instituto de Ensino e Pesquisa. Caio Marques Silvério de Oliveira Insper - Instituto de Ensino e Pesquisa Certificate in Financial Management CFM Caio Marques Silvério de Oliveira DIVERSIFICANDO SEUS INVESTIMENTOS: FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO OU CERTIFICADO DE

Leia mais

1. Objetivo e Descrição do fundo

1. Objetivo e Descrição do fundo FATOR VERITÀ FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ: 11.664.201/0001-00 Administrado pelo Banco Fator S.A. CNPJ: 33.644.196/0001-06 RELATÓRIO SEMESTRAL 1º. SEM. 2012 1. Objetivo e Descrição do fundo

Leia mais

WM RB CAPITAL FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII

WM RB CAPITAL FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII WM RB CAPITAL FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII Características Gerais O WM RB CAPITAL FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII é constituído sob a forma de condomínio fechado, regido por seu regulamento

Leia mais

1. Objetivo e Descrição do fundo

1. Objetivo e Descrição do fundo FATOR VERITÀ FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ: 11.664.201/0001-00 Administrado pelo Banco Fator S.A. CNPJ: 33.644.196/0001-06 RELATÓRIO SEMESTRAL 1º. SEM. 2013 1. Objetivo e Descrição do fundo

Leia mais

Alterações na Poupança

Alterações na Poupança PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS INVESTIMENTOS POUPANÇA A conta de poupança foi criada para estimular a economia popular e permite a aplicação de pequenos valores que passam a gerar rendimentos mensalmente.

Leia mais

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP 2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP São Paulo, 21 de Agosto de 2013 Hotel Caesar Park Patrocínio Os Setores Mais Promissores Para Os Fundos Imobiliários/ Rodrigo Machado Apresentação

Leia mais

Soluções de Financiamento e Investimento para Projetos Imobiliários Residenciais

Soluções de Financiamento e Investimento para Projetos Imobiliários Residenciais Soluções de Financiamento e Investimento para Projetos Imobiliários Residenciais I. A Conjuntura Econômica II. III. Soluções Imobiliárias Residenciais Atuação RB Capital no Setor Imobiliário 2 Conjuntura

Leia mais

Investimentos em imóveis de forma moderna e inteligente.

Investimentos em imóveis de forma moderna e inteligente. Investimentos em imóveis de forma moderna e inteligente. A possibilidade de diversificar o investimento e se tornar sócio dos maiores empreendimentos imobiliários do Brasil. Este material tem o objetivo

Leia mais

ANÚNCIO DE INÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DO Fundo de Investimento Imobiliário Votorantim Securities CNPJ/MF: 10.347.505/0001-80

ANÚNCIO DE INÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DO Fundo de Investimento Imobiliário Votorantim Securities CNPJ/MF: 10.347.505/0001-80 ANÚNCIO DE INÍCIO DE DISTRIBUIÇÃO DO Fundo de Investimento Imobiliário Votorantim Securities CNPJ/MF: 10.347.505/0001-80 VOTORANTIM ASSET MANAGEMENT DTVM LTDA. ( Administrador ), comunica o início da distribuição

Leia mais

RENDA FIXA? Fuja do seu banco!

RENDA FIXA? Fuja do seu banco! RENDA FIXA? Fuja do seu banco! Janeiro 2014 COMO FUNCIONA A RENDA FIXA? COMO INVESTIR EM RENDA FIXA! COMO FUNCIONA A RENDA FIXA? Renda Fixa = Emprestar Dinheiro Tipos de Investimentos em Renda Fixa: CDB

Leia mais

Fundo cotado em bolsa desde seu lançamento

Fundo cotado em bolsa desde seu lançamento Fundo cotado em bolsa desde seu lançamento Esta apresentação visa apenas passar informações gerais do fundo que está sendo estruturado, e, não é e não deve ser considerada de nenhuma forma uma oferta firme,

Leia mais

Investimentos Imobiliários. Fundos de Investimento Imobiliário FII. Definição. Vantagens

Investimentos Imobiliários. Fundos de Investimento Imobiliário FII. Definição. Vantagens Investimentos Imobiliários A estabilidade e as perspectivas para a economia do país e para a construção civil, aliadas ao controle da inflação e às taxas de juros historicamente baixas, intensificam o

Leia mais

Caixa TRX Logística Renda FII - CXTL11. Relatório Trimestral 1º Trimestre de 2014

Caixa TRX Logística Renda FII - CXTL11. Relatório Trimestral 1º Trimestre de 2014 Caixa TRX Logística Renda FII CXTL11 Relatório Trimestral 1º Trimestre de 2014 índice Caixa TRX Logística Renda FII CXTL11 Relatório Trimestral 1º Trimestre de 2014 DADOS DO FUNDO 3 RENTABILIDADE 10 OBJETIVO

Leia mais

Letras Financeiras - LF

Letras Financeiras - LF Renda Fixa Privada Letras Financeiras - LF Letra Financeira Captação de recursos de longo prazo com melhor rentabilidade O produto A Letra Financeira (LF) é um título de renda fixa emitido por instituições

Leia mais

MÉRITO DESENVOLVIMENTO IMOBILIÁRIO I FII FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO

MÉRITO DESENVOLVIMENTO IMOBILIÁRIO I FII FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO MÉRITO DESENVOLVIMENTO IMOBILIÁRIO I FII FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO RELATÓRIO TRIMESTRAL 4º Trimestre de 2014 1 Sumário I. INFORMAÇÕES GERAIS...3 II. CARACTERÍSTICAS DO FUNDO...7 III. DESTAQUES

Leia mais

Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC. Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC

Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC. Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios FIDC Renda Fixa Privada Cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios - FIDC Uma alternativa de investimento atrelada aos créditos das empresas O produto O Fundo de Investimento em Direitos Creditórios

Leia mais

Relatório Trimestral 2º Trimestre de 2013

Relatório Trimestral 2º Trimestre de 2013 TRX REALTY LOGÍSTICA RENDA I TRXL11 - FII - RELATÓRIO TRIMESTRAL 2º TRIMESTRE DE 2013 Caixa TRX Logística Renda FII - CXTL11 Relatório Trimestral 2º Trimestre de 2013 1 ÍNDICE Caixa TRX Logística Renda

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL FATOR VERITÀ

RELATÓRIO ANUAL FATOR VERITÀ RELATÓRIO ANUAL FATOR VERITÀ 2014 CARACTERÍSTICAS DO FUNDO FATOR VERITÀ FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO O Fator Verità Fundo de Investimento Imobiliário tem como objetivo a aquisição de ativos financeiros

Leia mais

CSHG RECEBIVEIS IMOBILIARIOS FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII

CSHG RECEBIVEIS IMOBILIARIOS FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CSHG RECEBIVEIS IMOBILIARIOS FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ 11.160.521/0001-22 Administradora: Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora de Valores S.A. CNPJ: 61.809.182/0001-30 I. Objeto do Fundo

Leia mais

Manual para Registro de Certificado de Recebíveis Imobiliários na ANBIMA

Manual para Registro de Certificado de Recebíveis Imobiliários na ANBIMA Manual para Registro de Certificado de Recebíveis Imobiliários na ANBIMA ANBIMA Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais VERSÃO 1.0 06/10/2014 INTRODUÇÃO O presente Manual

Leia mais

WM RB Capital Fundo de Investimento Imobiliário - FII CNPJ: 12.834.763/0001-17

WM RB Capital Fundo de Investimento Imobiliário - FII CNPJ: 12.834.763/0001-17 CNPJ: 12.834.763/0001-17 (Administrado pela Citibank Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários CNPJ: 33.868.597/0001-40 Balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2015 e 2014 Em milhares de reais ATIVO

Leia mais

RB CAPITAL DESENVOLVIMENTO RESIDENCIAL II FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII

RB CAPITAL DESENVOLVIMENTO RESIDENCIAL II FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII RB CAPITAL DESENVOLVIMENTO RESIDENCIAL II FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII Agenda Introdução RB Capital RB Capital Desenvolvimento Residencial Resumo das Atividades Carteira de Investimentos Chamadas

Leia mais

Ativos de Base Imobiliária O Mercado de Capitais como fonte de recursos e alternativa de investimento. Maio 2015

Ativos de Base Imobiliária O Mercado de Capitais como fonte de recursos e alternativa de investimento. Maio 2015 Ativos de Base Imobiliária O Mercado de Capitais como fonte de recursos e alternativa de investimento. 1 Maio 2015 Seção 1 Panorama do Mercado Imobiliário Seção 2 Produtos Financeiros i de Base Imobiliária

Leia mais

CRITÉRIOS MÍNIMOS PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA DE INVESTIMENTO

CRITÉRIOS MÍNIMOS PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA DE INVESTIMENTO CRITÉRIOS MÍNIMOS PARA APRESENTAÇÃO DE PROPOSTA DE INVESTIMENTO JUNHO/2008 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 2 1. Debêntures... 3 2. Cédulas de Crédito Bancário (CCBs)... 3 3. Fundos de Direitos Creditórios (FIDCs)...

Leia mais

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO. CRI CERTIFICADO DE RECEBÍVEL IMOBILIÁRIO Lastro Pulverizado

BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO. CRI CERTIFICADO DE RECEBÍVEL IMOBILIÁRIO Lastro Pulverizado BRAZILIAN SECURITIES COMPANHIA DE SECURITIZAÇÃO CRI CERTIFICADO DE RECEBÍVEL IMOBILIÁRIO Lastro Pulverizado 1 Brazilian Securities 8 Emissões de CRI s 8 Estrutura da Operação 8 Empresas envolvidas na Operação

Leia mais

Dyogo Henrique de Oliveira. Secretário-Executivo Adjunto do Ministério da Fazenda

Dyogo Henrique de Oliveira. Secretário-Executivo Adjunto do Ministério da Fazenda 1 Dyogo Henrique de Oliveira Secretário-Executivo Adjunto do Ministério da Fazenda 2 Conferência Cetip de Renda Fixa Desenvolvimento do Mercado de Renda Fixa de Longo Prazo no Brasil Dyogo Henrique de

Leia mais

BB Renda de Papéis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário

BB Renda de Papéis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário BB Renda de Papéis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário Coordenador Líder Administrador e Gestor Escriturador, Controlador e Custodiante Assessor Legal Benefícios do Fundo de Investimento Imobiliário

Leia mais

Alternativas de Funding para Infraestrutura no Mercado de Capitais Brasileiro

Alternativas de Funding para Infraestrutura no Mercado de Capitais Brasileiro Alternativas de Funding para Infraestrutura no Mercado de Capitais Brasileiro DEBÊNTURES DE INFRAESTRUTURA - CONCEITO Debêntures: título de crédito, representativo de dívida da companhia emissora (art.

Leia mais

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA. Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA. Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis do Agronegócio CRA Certificado de Recebíveis do Agronegócio Instrumento de captação de recursos e de investimento no agronegócio O produto O Certificado de

Leia mais

Material Explicativo sobre Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA)

Material Explicativo sobre Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA) Material Explicativo sobre (CRA) 1. Definições Gerais Os Certificados de Recebíveis estão vinculados a direitos creditórios originários de negócios realizados, em sua maioria, por produtores rurais ou

Leia mais

Período de 01 de janeiro a 06 de outubro de 2011 (data de extinção do Fundo) com Relatório dos Auditores Independentes

Período de 01 de janeiro a 06 de outubro de 2011 (data de extinção do Fundo) com Relatório dos Auditores Independentes Demonstração da Evolução do Patrimônio Líquido CSHG Realty BC Fundo de Investimento em Participações (Administrado pela Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora de Valores S/A) Período de 01 de janeiro a

Leia mais

Instrumentos de Captação Privado do Setor Imobiliário

Instrumentos de Captação Privado do Setor Imobiliário Instrumentos de Captação Privado do Setor Imobiliário Índice Introdução Novos instrumentos Privados de financiamento Imobiliário Cenário Norte Americano REIT Quase um Stress Test FII - Fronteira Eficiente

Leia mais

Palestra Fundo de Investimento Imobiliário

Palestra Fundo de Investimento Imobiliário Palestra Fundo de Investimento Imobiliário Estruturação de FII - Agenda Conceituação FII Objetivos FII Tipos de Fundos FII - Base normativa e aspectos jurídicos FII Etapas do Processo FII Características

Leia mais

F r e i t a s L e i t e S o l u ç õ e s t ã o e x c l u s i v a s q u a n t o s e u s d e s a f i o s w w w. f r e i t a s l e i t e. c o m.

F r e i t a s L e i t e S o l u ç õ e s t ã o e x c l u s i v a s q u a n t o s e u s d e s a f i o s w w w. f r e i t a s l e i t e. c o m. F r e i t a s L e i t e S o l u ç õ e s t ã o e x c l u s i v a s q u a n t o s e u s d e s a f i o s w w w. f r e i t a s l e i t e. c o m. b r Fundado em 1997, FreitasLeite possui grande experiência

Leia mais

Fontes de Financiamento para Pequenas e Médias Empresas

Fontes de Financiamento para Pequenas e Médias Empresas Fontes de Financiamento para Pequenas e Médias Empresas João Carlos Zani Diretor, Bradesco BBI 23 de Novembro de 2010 Estritamente Confidencial Fontes de financiamento para as empresas Instrumentos de

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário. Flavia Mouta. Agosto/2013

Fundo de Investimento Imobiliário. Flavia Mouta. Agosto/2013 Fundo de Investimento Imobiliário Flavia Mouta Agosto/2013 Declarações 1. As opiniões aqui emitidas são de inteira responsabilidade da palestrante. 2. O material utilizado nas aulas é baseado exclusivamente

Leia mais

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO L2 0 0 6 R E L AT Ó R I O A N U A EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO Prêmio de Seguros Participação no Mercado (em %) Mercado 74,2% Fonte: Susep e ANS Base: Nov/2006 Bradesco 25,8%

Leia mais

Fontes de Financiamento para Pequenas e Médias Empresas

Fontes de Financiamento para Pequenas e Médias Empresas Fontes de Financiamento para Pequenas e Médias Empresas Bruno Boetger Managing Director, Bradesco BBI 30 de Novembro de 2010 Estritamente Confidencial Fontes de financiamento para as empresas Instrumentos

Leia mais

Conselho de Regulação e Melhores Práticas do Mercado de Capitais DELIBERAÇÃO Nº 05

Conselho de Regulação e Melhores Práticas do Mercado de Capitais DELIBERAÇÃO Nº 05 Conselho de Regulação e Melhores Práticas do Mercado de Capitais DELIBERAÇÃO Nº 05 O Conselho de Regulação e Melhores Práticas do Mercado de Capitais, no exercício das atribuições a ele conferidas pelo

Leia mais

Anúncio de Início da Oferta Pública de Distribuição de cotas do ÁQUILLA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII

Anúncio de Início da Oferta Pública de Distribuição de cotas do ÁQUILLA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII Anúncio de Início da Oferta Pública de Distribuição de cotas do ÁQUILLA FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII CNPJ/MF nº 13.555.918/0001-49 Foco Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.,

Leia mais

A Retomada dos Investimentos e o Mercado de Capitais Instituto IBMEC 18.08.2015

A Retomada dos Investimentos e o Mercado de Capitais Instituto IBMEC 18.08.2015 A Retomada dos Investimentos e o Mercado de Capitais Instituto IBMEC 18.08.2015 A RETOMADA DOS INVESTIMENTOS E O MERCADO DE CAPITAIS Sumário I. O MERCADO DE TÍTULOS DE DÍVIDA PRIVADA NO BRASIL II. A AGENDA

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL EXERCÍCIO 2011. MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S/A. 1ª Emissão de Debêntures Simples

RELATÓRIO ANUAL EXERCÍCIO 2011. MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S/A. 1ª Emissão de Debêntures Simples RELATÓRIO ANUAL EXERCÍCIO 2011 MUDAR SPE MASTER EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S/A. 1ª Emissão de Debêntures Simples ÍNDICE CARACTERIZAÇÃO DA EMISSORA...3 CARACTERÍSTICAS DAS DEBÊNTURES...3 DESTINAÇÃO DE

Leia mais

Renda Fixa Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio - CDCA. Renda Fixa. Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio - CDCA

Renda Fixa Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio - CDCA. Renda Fixa. Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio - CDCA Renda Fixa Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio - CDCA Certificado de Direitos Creditórios do Agronegócio Viabiliza o financiamento da cadeia do agronegócio com recursos privados O produto

Leia mais

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI.

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS 1. Público-alvo dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG VERDE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO.

Leia mais

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP 2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP São Paulo, 21 de Agosto de 2013 Hotel Caesar Park Patrocínio CONFERÊNCIA FCE - INVESTIMENTOS ALTERNATIVOS: FIDC, FII e FIP Fundos de Investimento

Leia mais

Caixa TRX Logística Renda FII - CXTL11. Relatório Trimestral 4º Trimestre de 2013

Caixa TRX Logística Renda FII - CXTL11. Relatório Trimestral 4º Trimestre de 2013 Caixa TRX Logística Renda FII CXTL11 Relatório Trimestral 4º Trimestre de 2013 índice Caixa TRX Logística Renda FII CXTL11 Relatório Trimestral 4º Trimestre de 2013 DADOS DO FUNDO 3 RENTABILIDADE 10 OBJETIVO

Leia mais

Parque Dom Pedro Shopping Center. Novembro de 2010. Retorno (Evolução da Cotação) sobre o CDI* Rendimento (Rend. Pago/Cota Inicial) Vs o CDI**

Parque Dom Pedro Shopping Center. Novembro de 2010. Retorno (Evolução da Cotação) sobre o CDI* Rendimento (Rend. Pago/Cota Inicial) Vs o CDI** Parque Dom Pedro Shopping Center Novembro de 2010 Informações sobre o Fundo O empreendimento Parque Dom Pedro Shopping Center foi inaugurado em 2002 e localiza-se na cidade de Campinas, interior de São

Leia mais

XP Corporate Macaé - FII (XPCM11)

XP Corporate Macaé - FII (XPCM11) XP Corporate Macaé - FII (XPCM11) PERFIL DO FUNDO Os recursos do Fundo oriundos da 1ª Emissão de Cotas foram investidos na aquisição do Imóvel The Corporate em Macaé-RJ, de forma a proporcionar a seus

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário (FII) David Menegon Superintendência de Relações com Investidores Institucionais 10 de março de 2015

Fundos de Investimento Imobiliário (FII) David Menegon Superintendência de Relações com Investidores Institucionais 10 de março de 2015 Fundos de Investimento Imobiliário (FII) David Menegon Superintendência de Relações com Investidores Institucionais 10 de março de 2015 As opiniões aqui expostas são de exclusiva responsabilidade do apresentador,

Leia mais

Relatório Mensal. Rio Bravo Crédito Imobiliário I - FII

Relatório Mensal. Rio Bravo Crédito Imobiliário I - FII Relatório Mensal Rio Bravo Crédito Imobiliário I - FII Março 2016 Rio Bravo Crédito Imobiliário I Fundo de Investimento Imobiliário FII O fundo Rio Bravo Crédito Imobiliário I FII iniciou suas atividades

Leia mais

Osvaldo Correa Fonseca Diretor Geral da ABECI P Rio de Janeiro, 16/ 5/ 2007

Osvaldo Correa Fonseca Diretor Geral da ABECI P Rio de Janeiro, 16/ 5/ 2007 Osvaldo Correa Fonseca Diretor Geral da ABECI P Rio de Janeiro, 16/ 5/ 2007 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS ENTIDADES DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO E POUPANÇA Av. Brigadeiro Faria Lima 1.485 13º Andar São Paulo CEP

Leia mais

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Analistas indicam quais cuidados tomar no mercado financeiro em 2012 e quais investimentos oferecem menor probabilidade

Leia mais

Limites e Regulação Investidores Institucionais. Aguinaldo Lester Landi Coordenador-Geral de Monitoramento de Investimentos da Previc

Limites e Regulação Investidores Institucionais. Aguinaldo Lester Landi Coordenador-Geral de Monitoramento de Investimentos da Previc Limites e Regulação Investidores Institucionais Aguinaldo Lester Landi Coordenador-Geral de Monitoramento de Investimentos da Previc 1 Programa Classificação de Ativos Limites de Alocação Limites de Concentração

Leia mais

As Perspectivas para o Mercado de CRI - Certificados de Recebíveis Imobiliários. Bolsa de Valores de São Paulo

As Perspectivas para o Mercado de CRI - Certificados de Recebíveis Imobiliários. Bolsa de Valores de São Paulo As Perspectivas para o Mercado de CRI - Certificados de Recebíveis Imobiliários Bolsa de Valores de São Paulo Sérgio Darcy da Silva Alves Diretor, Banco Central do Brasil Definição legal de CRI Lei 9.514,

Leia mais

Ministério da Fazenda. Conferência Internacional de Crédito Imobiliário Salvador - Bahia

Ministério da Fazenda. Conferência Internacional de Crédito Imobiliário Salvador - Bahia Conferência Internacional de Crédito Imobiliário Salvador - Bahia Novembro 2007 1 Política Governamental e Propostas para Combate do Déficit Habitacional Crédito Imobiliário: Desenvolvendo Mecanismos de

Leia mais

Desafios do mercado de FIDCs e Fundos de Infraestrutura

Desafios do mercado de FIDCs e Fundos de Infraestrutura Desafios do mercado de FIDCs e Fundos de Infraestrutura Ricardo Mizukawa São Paulo, 04/05/2013 FIDC Conceito Os FIDCs (Fundos de Investimento em Direitos Creditórios) mais conhecidos como Fundos de Recebíveis

Leia mais

Material Explicativo sobre Debêntures

Material Explicativo sobre Debêntures Material Explicativo sobre 1. Definições Gerais As debêntures são valores mobiliários que representam dívidas de médio e longo prazos de Sociedades Anônimas ou por ações (emissoras), de capital aberto

Leia mais

Descrição do Fundo "LEIA O PROSPECTO ANTES DE ACEITAR A OFERTA

Descrição do Fundo LEIA O PROSPECTO ANTES DE ACEITAR A OFERTA Descrição do Fundo O Fundo é o resultado da parceria entre a Rio Bravo e a Fernandez Mera e tem como objetivo atender a uma crescente demanda por investimentos imobiliários através de instrumentos do mercado

Leia mais