Redes de Computadores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Redes de Computadores"

Transcrição

1 3. Camada de Enlace de Dados DIN/CTC/UEM 2008

2 Funções Principais Lidar com erros de transmissão Regular o fluxo de dados :

3 Funções Principais Divide informação em quadros: Verifica se quadros chegaram corretamente Caso contrário: Descarta quadro e Solicita retransmissão somente do quadro e não de toda a informação Serviços oferecidos à Camada de Rede: Serviço sem conexão e sem confirmação Serviço sem conexão com confirmação Serviço orientado a conexões com confirmação

4 com Contador (a) recepção sem erros (b) recepção com erros

5 com Byte Stuffing (a) quadro delimitado por flag bytes (b) exemplos de seqüências de bytes antes e depois do stuffing

6 com Bit Stuffing Permite caracteres com qualquer número de bits Cada quadro começa e termina com uma seqüência padrão Exemplo: Caso o padrão aconteça no campo de dados, bits são incluídos para quebrar a seqüência (a) seqüência original (b) seqüência após bit stuffing (c) seqüência após de-stuffing

7 Detecção e Correção de Erros Existem códigos detectores de erros e códigos detectores e corretores de erros Código adicionam redundância Seja k o número de bits de informação Seja r o número de bits adicionados para proteção Seja n = k + r o número total de bits Portanto, das 2 n palavras possíveis utilizam-se apenas 2 k Hamming Distance (Distância Hamming) = D H (w 1, w 2 ) Número de bits diferentes entre as palavras w 1 e w 2 A Distância Hamming de um código é a menor distância d entre quaisquer duas palavras do código Detecção de n bits errados Distância Hamming do código = n + 1 Correção de n bits errados Distância Hamming do código = 2n + 1

8 Paridade Acrescenta 1 bit à palavra de informação de maneira que o número de bits com valor 1 na palavra transmitida fique par (ou impar) Exemplo: = (para paridade par) Exemplo: = (para paridade ímpar) No receptor, a informação recebida está errada quando o número de bits com valor 1 na palavra recebida não corresponde ao esperado A Distância Hamming deste código é d = 2 e portanto capaz de detectar erro em 1 bit, mas incapaz de corrigir qualquer erro

9 Repetição Repete cada bit n vezes Exemplo (com n = 3): = 111 No receptor, se os bits não aparecem em trincas significa erro A Distância Hamming do código é d = 3 e portanto ele é capaz de detectar erros em até 2 bits e corrigir erro em 1 bit Exemplos para transmissão de 111: Erro em 1 bit: Recepção de 110 é corrigido para 111 e é corretamente decodificado como bit de informação 1 Erro em 2 bits: Recepção de 100 é corrigido para 000 e é incorretamente decodificado como bit de informação 0 Código ineficiente (neste caso, reduzindo a vazão em 3 vezes ou redundância de 67% para apenas d = 3)

10 Códigos de Hamming Códigos de bloco criados por Richard Hamming, com distância d = 3 (portanto corrige erros em 1 bit e detecta erros em até 2 bits) Bits de redundância = r (r 2) Bits de informação = k = 2 r r 1 Comprimento total = n = k + r = 2 r 1 Exemplos: r = 2, n = 3 e k = 1 (redundância de 2/3 67%) r = 3, n = 7 e k = 4 (redundância de 3/7 43%) r = 4, n = 15 e k = 11 (redundância de 4/15 27%) r = 10, n = 1023 e k = 1013 (redundância de 10/1023 1%) Eficiência do código aumenta com o comprimento Posição dos bits: Bits de redundância = múltiplos de 2 = 1, 2, 4, 8,... Bits de informação = demais posições

11 Códigos de Hamming Exemplo: Código de Hamming com n = 15, k = 11 e r = 4 posição bits p 1 p 2 d 1 p 3 d 2 d 3 d 4 p 4 d 5 d 6 d 7 d 8 d 9 d 10 d 11 informação d i paridade p 1 X X X X X X X X paridade p 2 X X X X X X X X paridade p 3 X X X X X X X X paridade p 4 X X X X X X X X transmitido recebido paridade p 1 E X X X X X X X paridade p 2 E X X X X X X X paridade p 3 X X X X X X X X paridade p 4 E X X X X X X X corrigido

12 Cyclic Redundancy Check (CRC) O que é melhor: corrigir ou apenas detectar? Exemplo: Enlace com taxa de erro de bit de 10 6 (1 bit errado a cada 10 6 = ) Comunicação em blocos de 1000 bits Correção de erros simples: Utilizando Código de Hamming, r = 10, n = 1023 e k = 1013 Custo da correção de aproximadamente 1% Detecção de erros simples: Utilizando 1 bit de paridade por bloco, custo de 0,1% Retransmissão de blocos errados (1 a cada 1000 blocos), custo de 0,1% Custo total de 0,2%

13 CRC Códigos cíclicos utilizados na detecção de erros Produz um checksum que é enviado com a informação Consegue detectar: qualquer polinômio de erro E(x) que não é divisível por G(x) qualquer erro simples desde que o polinômio gerador G(x) tenha 2 ou mais termos qualquer erro duplo cuja distância seja menor que a ordem de G(x) qualquer erro de um número ímpar de bits desde que G(x) seja múltiplo de (x + 1) erros em rajadas com comprimento até a ordem de G(x) desde que G(x) tenha o termo x 0

14 CRC Representação Código descrito pelo polinômio gerador G(x) de ordem r Informação descrita pelo polinômio M(x) Operações em módulo 2, sem empréstimo na subtração ou carregamento na adição Operação Acrescentar r bits 0 ao polinômio M(x), isto é, x r M(x) Realizar a divisão x r M(x)/G(x) e transmitir o resto desta operação junto com a informação

15 CRC

16 CRC

17 Specification and Description Language (SDL) Recomendação ITU Z.100 Linguagem de especificação para sistemas reativos distribuídos, inicialmente para sistemas de telecomunicações, mas que hoje tem aplicação mais ampla Possui representação gráfica e textual Possui linguagem formal para especificação clara, precisa e sem ambigüidades Pode ser utilizada em ferramentas de geração automática de código Pode ser utilizada em ferramentas de simulação de sistemas Define padrão público (não proprietário)

18 SDL: Sistema Sistema é composto de blocos conectados por canais Canais carregam sinais entre blocos e com o exterior

19 SDL: Bloco Bloco é composto de processos conectados por canais Canais carregam sinais entre processos e com o exterior

20 SDL: Processo Processo contém a máquina de estados Processo consome e produz sinais (consome estímulos e produz respostas)

21 SDL: Processo Processo contém tarefas, decisões e procedimentos

22 SDL: Procedimento Procedimento é equivalente a subrotinas

23 Message Sequence Chart (MSC) Utilizado para mostrar o comportamento dinâmico do sistema através de seqüências de mensagens

24 Protocolo Simplex Sem Erros e Sem Restrições único único pacote quadro quadro pacote - - Transmissor Receptor

25 Protocolo Simplex Stop-and-Go Sem Erros vazio espera vazio pacote ack pacote ack quadro quadro - trata erro confirma ack espera espera vazio pacote Transmissor - Receptor

26 Protocolo Simplex Stop-and-Go Com Ruído seq = -1 vazio espera pacote * pacote ack timeout incr(seq) quadro (seq) inicia tempor. - trata erro espera cancela tempor. cancela N cnt_tx < transm. max? confirma vazio falha vazio S quadro (seq) inicia tempor. cnt_tx = cnt_tx + 1 cnt_tx = 1 Transmissor - espera Receptor não mostrado; receptor deve detectar recepção duplicada do mesmo quadro

27 Melhorias Transmissão bi-direcional Piggybacking: espera um pacote de dados para embutir e enviar o ACK Quanto tempo esperar por esse pacote de dados? Fazer pacote de ACK curto (sem campo de dados)

28 Janelas Deslizantes Janela de comprimento n Transmissor precisa de buffer com n posições para quadros pendentes (sem recebimento de ACK) Transmissor envia até que, no máximo, n pacotes fiquem pendentes Envia até pacote número (acked + n) Numeração dos pacotes em formato circular Numeração de 0 até n Recebimento de ACK para pacote m implica em acknowledgement de todos os pacotes anteriores Veja exemplo de código no livro texto

29 Janelas Deslizantes Exemplo para n = 7

30 Janelas Deslizantes

31 Go-Back-N e Retransmissão Seletiva (a) Go-back-n (b) Retransmissão seletiva

32 High-level Data Link Control (HDLC) Desenvolvido pela ISO, base para o LAPB (Link Access Protocol, Balanced) da ITU Desbalanceado: configuração onde existe uma estação principal que controla o enlace Balanceado: inexistência da relação mestre-escravo, isto é, qualquer estação pode iniciar a comunicação Orientado a bit, com utilização de bit stuffing Modos Normal Response Mode (NRM): modo desbalanceado onde estações secundárias somente transmitem se autorizadas pela estação principal; pode ser ponto-a-ponto ou multiponto Asynchronous Response Mode (ARM): modo desbalanceado que permite à estação secundária iniciar a comunicação Asynchronous Balanced Mode (ABM): enlaces full-duplex ponto-a-ponto; utilizado no X.25

33 High-level Data Link Control (HDLC) Estrutura do quadro Flag: delimita o quadro Address (Endereço): desnecessário em linhas ponto-a-ponto (utilizado para distinção entre comandos e respostas) Control (Controle): identifica tipo de quadro, inclui número de seqüência e outros controles Data (Dado): quando presente, contém informação de usuário Checksum: contém redundância do tipo CRC

34 High-level Data Link Control (HDLC)

35 High-level Data Link Control (HDLC) Quadros de supervisão Receive Ready (RR): usado para o confirmação positiva Reject (REJ): confirmação negativa Receive Not Ready (RNR): controle de fluxo Selective Reject (SREJ): solicita retransmissão do quadro especificado Quadros não numerados Disconnect (DISC): desconectar o enlace Set Asynchronous Balanced Mode (SABM): solicitação para estabelecimento de enlace balanceado Set Normal Response Mode (SNRM): estabelecer enlace desbalanceado Unnumbered Acknowledgement (UA): confirmação genérica de recebimento Unnumbered Information (UI): informação genérica de camada 2

36 High-level Data Link Control (HDLC)

37 High-level Data Link Control (HDLC)

38 High-level Data Link Control (HDLC)

39 Point-to-Point Protocol (PPP) Descrito pela RFC 1661 Utilizado na transmissão de pacotes sobre cabo serial, linha telefônica, telefone celular, enlace de rádio ou fibra ótica Composto por 3 partes: Encapsulamento de datagramas Link Control Protocol (LCP) Network Control Protocol (NCP) Encapsulamento: Baseado no HLDC (exceto que orientado a bytes) Protocolo: especifica o protocolo (LCP, NCP, IP, etc.) Checksum: para detectar quadros com erros (similar ao CRC, com 16 ou 32 bits)

40 Link Control Protocol (LCP) Estabelecer, configurar, manter, terminar e testar o enlace de dados Usado para: Iniciar e terminar a conexão Formato de encapsulamento Limites de tamanho dos pacotes Detectar erros de configuração Detectar loops infinitos Opcionalmente: Autenticação de identificação Password Authentication Protocol (PAP) Challenge Handshake Authentication Protocol (CHAP) Verificação da qualidade do enlace

41 Network Control Protocol (NCP) Composto por uma família de protocolos que se ajustam ao protocolo de rede utilizado Exemplos: Internet Protocol Control Protocol (IPCP): utilizado para IP Internetworking Packet Exchange Control Protocol (IPXCP): utilizado para IPX NetBIOS Frames Control Protocol (NBFCP): utilizado para NBF IP Version 6 Control Protocol (IPv6CP): utilizado para IP versão 6

42 Estados do PPP

3.3 Protocolos comerciais ponto a ponto Camada ligação de dados

3.3 Protocolos comerciais ponto a ponto Camada ligação de dados 3.2.1.3 Protocol os em Pipeline Interfaces e transmissão de dados 3.3 Protocolos comerciais ponto a ponto Camada ligação de dados 1/30 3.2.1.3 Protocol os em Pipeline Interfaces e transmissão de dados

Leia mais

Nível de Enlace. Nível de Enlace. Serviços. Serviços. Serviços. Serviços. Serviços oferecidos os nível de rede

Nível de Enlace. Nível de Enlace. Serviços. Serviços. Serviços. Serviços. Serviços oferecidos os nível de rede Nível de Enlace Enlace: caminho lógico entre estações. Permite comunicação eficiente e confiável entre dois computadores. Funções: fornecer uma interface de serviço à camada de rede; determinar como os

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Enlace Antonio Alfredo Ferreira Loureiro loureiro@dcc.ufmg.br Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais 1 Camada de enlace Responsável pela

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Ementa Introdução a Redes de

Leia mais

Redes de Computadores II. Módulo 1 Introdução e a camada de enlace

Redes de Computadores II. Módulo 1 Introdução e a camada de enlace Redes de Computadores II Módulo 1 Introdução e a camada de enlace 1 A Camada de Enlace Principal objetivo da camada: Comunicar dados entre dois equipamentos de rede conectados ao mesmo meio de transmissão

Leia mais

Camada de Enlace. OSI x IEEE. Arquitetura IEEE 802. Redes. Nível de Enlace: Controle de Erros e Fluxo Multiplexação

Camada de Enlace. OSI x IEEE. Arquitetura IEEE 802. Redes. Nível de Enlace: Controle de Erros e Fluxo Multiplexação Camada de Enlace Redes Nível de Enlace: Controle de Erros e Fluxo Multiplexação Aplicação Apresentação Sessão Transporte Rede Enlace Físico Delimitação e transmissão de quadros Detecção de erros Controle

Leia mais

Camada de Enlace de Dados. Prof. Leonardo Barreto Campos 1

Camada de Enlace de Dados. Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Camada de Enlace de Dados Prof. Leonardo Barreto Campos 1 Sumário Introdução; Serviços Oferecidos à Camada de Rede; Enquadramento; Detecção e Correção de Erros; Correção de Erros Protocolos Elementares

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Protocolos da camada de ligação de Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Maio de 2006 Modelo OSI Redes de Computadores 2 1 Camada de Ligação de

Leia mais

Camada de Ligação de Dados

Camada de Ligação de Dados Camada de Ligação de Dados Serviços Detecção e correcção de erros Protocolos de Acesso Múltiplo Endereçamento em LANs Hubs e Pontes de interligação Tecnologias da camada de ligação de dados Ethernet Anel

Leia mais

Redes de Telecomunicações (11382)

Redes de Telecomunicações (11382) Redes de Telecomunicações (11382) Ano Lectivo 2014/2015 * 1º Semestre Pós Graduação em Information and Communication Technologies for Cloud and Datacenter Aula 2 07/10/2014 1 Agenda A camada física ou

Leia mais

Protocolos de Rede. Protocolos em camadas

Protocolos de Rede. Protocolos em camadas Protocolos de Rede Prof. Alexandre Beletti Protocolos em camadas Existem protocolos em diferentes camadas dos modelos de estudo (OSI e TCP/IP) Lembre-se de diferencias tipos de programas de tipos de protocolos

Leia mais

Protocolo PPP. Principais Componentes: Método para encapsular datagramas em enlaces seriais (Substitui o SLIP). Link Control Protocol (LCP)

Protocolo PPP. Principais Componentes: Método para encapsular datagramas em enlaces seriais (Substitui o SLIP). Link Control Protocol (LCP) Protocolo PPP 1 Protocolo PPP Substitui o protocolo SLIP Em Enlaces Seriais Conexões Síncronas e Assíncronas Controle da configuração de enlace Permite endereços IP dinâmicos Multiplexação de protocolos

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula 4 - CAMADA DE ENLACE DE DADOS 1. INTRODUÇÃO A Camada de Enlace de dados é a camada que lida com quadros, grupo de bits transmitidos pela rede. Ela depende da camada Física para enviar e receber

Leia mais

Camada de Enlace: PPP

Camada de Enlace: PPP IER Protocolo PPP 1 Camada de Enlace: PPP Protocolo de enlace ponto-a-ponto da Internet Características Auto-configuração automática: inicia e termina o enlace (protocolo LCP) Suporta múltiplos protocolos

Leia mais

Acrescenta um bit 1 ou um bit 0 às mensagem para que o número total de bits 1 seja par

Acrescenta um bit 1 ou um bit 0 às mensagem para que o número total de bits 1 seja par Detecçã ção o de Erros Paridade Verificação de Paridade Esse tipo de detecção consiste em acrescentar um bit (de paridade) a cada conjunto de bits da mensagem (caractere) de modo a ter as seguintes características:

Leia mais

Redes de Computadores II. Módulo 1 Introdução e a camada de enlace

Redes de Computadores II. Módulo 1 Introdução e a camada de enlace Redes de Computadores II Módulo 1 Introdução e a camada de enlace 1 Comunicação de Dados e Redes de Computadores O problema fundamental da comunicação é reproduzir em um ponto exatamente ou aproximadamente

Leia mais

Camada de Enlace de Dados. GIL PINHEIRO Camada de Enlace de Dados 1

Camada de Enlace de Dados. GIL PINHEIRO Camada de Enlace de Dados 1 Camada de Enlace de Dados GIL PINHEIRO Camada de Enlace de Dados 1 Funções da Camada de Enlace Fornecer serviços a Camada de Rede Delimitação de Quadros Controle de Erros Controle de Fluxo Variedade de

Leia mais

1 - Cite o nome dos principais campos de um quadro Ethernet, explicando qual a funcionalidade de cada campo.

1 - Cite o nome dos principais campos de um quadro Ethernet, explicando qual a funcionalidade de cada campo. 1 - Cite o nome dos principais campos de um quadro Ethernet, explicando qual a funcionalidade de cada campo. Endereço de Destino = Endereço MAC de destino Endereço de Origem = Endereço MAC de origem Campo

Leia mais

Nível de Enlace. Nível de Enlace. Serviços. Serviços. Serviços. Serviços. Serviços oferecidos os nível de rede

Nível de Enlace. Nível de Enlace. Serviços. Serviços. Serviços. Serviços. Serviços oferecidos os nível de rede Nível de Enlace Enlace: caminho lógico entre estações. Permite comunicação eficiente e confiável entre dois computadores. Funções: fornecer uma interface de serviço à camada de rede; determinar como os

Leia mais

Alan Menk Santos. Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Enlace de Dados 15/05/2013.

Alan Menk Santos. Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Enlace de Dados 15/05/2013. Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Redes de Computadores e Telecomunicações. Camada de Enlace de Dados Modelo de Referência OSI 1 1 - Fornece interface bem definida para a

Leia mais

Tecnologia de Redes. Arquitetura de Rede de Computadores

Tecnologia de Redes. Arquitetura de Rede de Computadores Volnys B. Bernal (c) 1 Tecnologia de Redes Arquitetura de Rede de Computadores Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~volnys Volnys B. Bernal (c) 2 Agenda Modelo de Referênica OSI

Leia mais

Introdução. Algumas terminologias. Camada de Enlace de Dados. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br

Introdução. Algumas terminologias. Camada de Enlace de Dados. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Camada de Enlace de Dados Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Introdução A função desta camada parece trivial, pois a máquina A coloca os bits no meio e a máquina B tem que retirar de lá, porem

Leia mais

Arquitetura de Redes. Redes TCP-IP. Agenda. Introdução à Arquitetura TCP/IP. Tipos de Serviços. Modelo de Referênca ISO/OSI

Arquitetura de Redes. Redes TCP-IP. Agenda. Introdução à Arquitetura TCP/IP. Tipos de Serviços. Modelo de Referênca ISO/OSI Arquitetura de s Volnys 1999-2001 1 Volnys 1999-2001 2 Agenda Introdução à Modelo de Referênica OSI Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~volnys Volnys 1999-2001 3 Volnys 1999-2001

Leia mais

Trabalho DESAFIO (OPCIONAL) - ENTREGA 06/05/2015 - IMPRETERIVELMENTE

Trabalho DESAFIO (OPCIONAL) - ENTREGA 06/05/2015 - IMPRETERIVELMENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA APLICADA Trabalho DESAFIO (OPCIONAL) - ENTREGA 06/05/2015 - IMPRETERIVELMENTE 1. Objetivo Implementar um aplicativo

Leia mais

Instituto Politécnico de Beja, Escola Superior de Tecnologia e Gestão, Licenciatura em Engenharia Informática 1. Tecnologias WAN.

Instituto Politécnico de Beja, Escola Superior de Tecnologia e Gestão, Licenciatura em Engenharia Informática 1. Tecnologias WAN. Instituto Politécnico de Beja, Escola Superior de Tecnologia e Gestão, Licenciatura em Engenharia Informática 1 Tecnologias WAN (Dezembro 2009) Autor: José Afonso Esteves Janeiro Resumo- Este relatório

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Capítulo 5.6 e 5.7 Interconexões e PPP Prof. Jó Ueyama Maio/2011 SSC0641-2011 1 Elementos de Interconexão SSC0641-2011 2 Interconexão com Hubs Dispositivo de camada física. Backbone:

Leia mais

Tratamento de erros. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Abril de 2006

Tratamento de erros. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Abril de 2006 Redes de Computadores Tratamento de erros Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Abril de 2006 Ligação de dados Conceitos e objectivos Uma ligação física caracteriza-se

Leia mais

Fundamentos de Rede. Aula 2 - Modelo OSI

Fundamentos de Rede. Aula 2 - Modelo OSI Fundamentos de Rede Aula 2 - Modelo OSI Protocolo e Arquitetura de Protocolos Problema Permitir a comunicação entre entidades de diferentes sistemas Solução Criar convenções de quando e como se comunicar

Leia mais

Redes de Computadores I ENLACE: PPP ATM

Redes de Computadores I ENLACE: PPP ATM Redes de Computadores I ENLACE: PPP ATM Enlace Ponto-a-Ponto Um emissor, um receptor, um enlace: Sem controle de acesso ao meio; Sem necessidade de uso de endereços MAC; X.25, dialup link, ISDN. Protocolos

Leia mais

Centro Universitário Fundação Santo André. Disciplina Redes de Computadores. Módulo 06

Centro Universitário Fundação Santo André. Disciplina Redes de Computadores. Módulo 06 Centro Universitário Fundação Santo André Disciplina Redes de Computadores Módulo 06 2006 V1.0 Conteúdo Protocolo de Comunicação: Conceito e Funções HDLC PPP X25 Frame Relay Revisão Protocolo de Comunicação:

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Transporte Antonio Alfredo Ferreira Loureiro loureiro@dcc.ufmg.br Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais UFMG/DCC Redes de Computadores

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Aula Prática Bit stuffing, CRC e IP 1 Introdução 1.1 Framing O nível de ligação de dados utiliza o serviço fornecido

Leia mais

BC-0504 Natureza da Informação

BC-0504 Natureza da Informação BC-0504 Natureza da Informação Aula 3 Transmissão serial e paralela da informação e medida da informação transmitida Equipe de professores de Natureza da Informação Parte 0 Sistemas de numeração Decimal

Leia mais

16.36: Engenharia de Sistemas de Comunicação Aula 14: Códigos cíclicos e detecção de erros

16.36: Engenharia de Sistemas de Comunicação Aula 14: Códigos cíclicos e detecção de erros 16.36: Engenharia de Sistemas de Comunicação Aula 14: Códigos cíclicos e detecção de erros Eytan Modiano Códigos Cíclicos Um código cíclico é um código de bloco linear onde c é uma palavra-chave, e também

Leia mais

Tecnologias de Redes Informáticas (6620)

Tecnologias de Redes Informáticas (6620) Tecnologias de Redes Informáticas (6620) Ano Lectivo 2013/2014 * 1º Semestre Licenciatura em Tecnologias e Sistemas da Informação Aula 3 Agenda Códigos detectores e correctores de erros O modelo OSI emissor

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Redes I Fundamentos - 1º Período Professor: José Maurício S. Pinheiro Material de Apoio VI PROTOCOLOS

Leia mais

Figura 1 - Operação do "cabo" virtual entre emissor e receptor

Figura 1 - Operação do cabo virtual entre emissor e receptor Redes de Computadores Professor Marco Antônio Chaves Câmara Capítulo 12 - Serviços da Camada de Enlace Apresentação Até agora, estudamos características de equipamentos e materiais utilizados pela camada

Leia mais

A camada de Enlace. Serviços e Protocolos

A camada de Enlace. Serviços e Protocolos A camada de Enlace Serviços e Protocolos Camada de Enlace Segunda camada do modelo OSI Primeira Camada do Modelo TCP/IP Modelo OSI Modelo TCP/IP Aplicação Apresentação Aplicação Sessão Transporte Rede

Leia mais

Controller Area Network CAN bus. Introdução

Controller Area Network CAN bus. Introdução Controller Area Network CAN bus Introdução Desenvolvido pela Bosch para automóveis Padronizado pela ISO 11898 Camada física Camada de enlace Comunicação serial até 1Mbps e até 1km. Sinalização diferencial

Leia mais

Prof. Antonio P. Nascimento Filho. Tecnologias de rede. Ethernet e IEEE Token ring ATM FDDI Frame relay. Uni Sant Anna Teleprocessamento e Redes

Prof. Antonio P. Nascimento Filho. Tecnologias de rede. Ethernet e IEEE Token ring ATM FDDI Frame relay. Uni Sant Anna Teleprocessamento e Redes Tecnologias de rede Ethernet e IEEE 802.3 Token ring ATM FDDI Frame relay Ethernet A Ethernet é uma tecnologia de broadcast de meios compartilhados. Entretanto, nem todos os dispositivos da rede processam

Leia mais

Capítulo 6 - Conceitos Básicos de Ethernet. Associação dos Instrutores NetAcademy - Fevereiro Página

Capítulo 6 - Conceitos Básicos de Ethernet. Associação dos Instrutores NetAcademy - Fevereiro Página Capítulo 6 - Conceitos Básicos de Ethernet 1 Introdução à Ethernet A maior parte do tráfego na Internet origina-se e termina com conexões Ethernet. A idéia original para Ethernet surgiu de problemas de

Leia mais

Modelo de Camadas. Redes de Computadores

Modelo de Camadas. Redes de Computadores Modelo de Camadas Redes de Computadores Sumário Visão Geral de uma Rede de Computadores Protocolos Modelo de Camadas Porque utilizar Tipos de Modelos de Referência Modelo de Referência ISO/OSI Histórico

Leia mais

Lista de exercícios - 1º bimestre 2016 REDES

Lista de exercícios - 1º bimestre 2016 REDES Lista de exercícios - 1º bimestre 2016 REDES Jean Nicandros Stragalinos Neto. Prontuário: 1616251. Curso: ADS 2º Módulo. 1) Desenhe duas redes com 7 e 8 computadores e defina a configuração IP de cada

Leia mais

CONTROLE DE FLUXO. Redes de Computadores

CONTROLE DE FLUXO. Redes de Computadores CONTROLE DE FLUXO Redes de Computadores Agenda Conceito de Framing Protocolos Para meio físico sem ruído Para meio físico com ruído Conceito de Piggybacking Perguntas Framing Camada física gera sincronização

Leia mais

Comunicação de Dados

Comunicação de Dados UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Comunicação de Dados Aula 6 Agenda Projeto da camada de enlace de dados Detecção e correção de erros Protocolos

Leia mais

Instituto Politécnico de Beja Escola Superior De Tecnologia e Gestão Departamento de engenharia. Tecnologias WAN

Instituto Politécnico de Beja Escola Superior De Tecnologia e Gestão Departamento de engenharia. Tecnologias WAN Instituto Politécnico de Beja Escola Superior De Tecnologia e Gestão Departamento de engenharia Tecnologias WAN [Escrever o subtítulo do documento] Aluno: 2009 Capitulo 3 Hight-Level Data Link Control

Leia mais

Point-to-Point Protocol (PPP) Acessando a WAN Capítulo 2

Point-to-Point Protocol (PPP) Acessando a WAN Capítulo 2 Point-to-Point Protocol (PPP) Acessando a WAN Capítulo 2 ITE I Chapter 6 2006 Cisco Systems, Inc. All rights reserved. Cisco Public 1 Conceitos Fundamentais das Comunicações Seriais Ponto-a-Ponto Conceito

Leia mais

Introdução ao CAN Vitor Amadeu Souza Cerne Tecnologia

Introdução ao CAN Vitor Amadeu Souza Cerne Tecnologia 1. Introdução Introdução ao CAN Vitor Amadeu Souza Cerne Tecnologia www.cerne-tec.com.br vitor@cerne-tec.com.br O barramento CAN foi desenvolvido pela BOSCH para ser uma interface multimestre. Este barramento

Leia mais

Fornece interface bem definida para a camada de rede;

Fornece interface bem definida para a camada de rede; 2.2 CAMADA DE ENLACE DE DADOS! Desempenha basicamente quatro funções: Fornece interface bem definida para a camada de rede; Organiza os dados recebidos da camada de rede em quadros (frames) a serem transmitidos

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES. Detecção e Correção de Erros

REDES DE COMPUTADORES. Detecção e Correção de Erros REDES DE COMPUTADORES Detecção e Correção de Erros A Camada de Enlace Serviços prestados Serviços da camada de Enlace Encapsulamento Endereçamento Controle de erros Controle de fluxo Controle de acesso

Leia mais

Camada de Enlace. BCC361 Redes de Computadores Universidade Federal de Ouro Preto Departamento de Ciência da Computação

Camada de Enlace. BCC361 Redes de Computadores Universidade Federal de Ouro Preto Departamento de Ciência da Computação BCC361 Redes de Computadores Universidade Federal de Ouro Preto Departamento de Ciência da Computação Prof. Saul Emanuel Delabrida Silva www.decom.ufop.br/sauldelabrida 2013/01 Camada Nome 5 Aplicação

Leia mais

Redes de Computadores e Aplicações

Redes de Computadores e Aplicações Prof. Diego Pereira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Campus Currais Novos Redes de Computadores e Aplicações Aula 02 Visão Geral da

Leia mais

Nível de Enlace. Nível de Enlace. Serviços. Serviços oferecidos os nível de rede

Nível de Enlace. Nível de Enlace. Serviços. Serviços oferecidos os nível de rede Nível de Enlace Enlace: caminho lógico entre estações. Permite comunicação eficiente e confiável entre dois computadores. Funções: fornecer uma interface de serviço à camada de rede; determinar como os

Leia mais

Parte IV. Camada de Enlace. Rede X Enlace. Rede X Enlace. Rede X Enlace. Redes de Computadores 1. Prof. Miguel Elias Mitre Campista

Parte IV. Camada de Enlace. Rede X Enlace. Rede X Enlace. Rede X Enlace. Redes de Computadores 1. Prof. Miguel Elias Mitre Campista Redes de Computadores 1 Parte IV Prof. Miguel Elias Mitre Campista Camada de Enlace: Introdução http://www.gta.ufrj.br/~miguel Camada de Enlace Rede X Enlace Protocolos da camada de rede Executados nos

Leia mais

Prof. Marcelo Cunha Parte 6

Prof. Marcelo Cunha Parte 6 Prof. Marcelo Cunha Parte 6 www.marcelomachado.com ARP (Address Resolution Protocol) Protocolo responsável por fazer a conversão entre os endereços IPs e os endereços MAC da rede; Exemplo: Em uma rede

Leia mais

Redes de Computadores - I

Redes de Computadores - I Camada de Enlace de Dados p. 1/4 Redes de Computadores - I A Camada de Enlace de Dados Esbel Tomás Valero Orellana evalero@uesc.br, esbel.valero@gmail.com Curso de Ciência da Computação - UESC Camada de

Leia mais

Protocolos com paralelismo (pipelining) Pipelining: aumento da utilização

Protocolos com paralelismo (pipelining) Pipelining: aumento da utilização Protocolos com paralelismo (pipelining) Paralelismo: transmissor envia vários pacotes ao mesmo tempo, todos esperando para serem reconhecidos Faixa de números de seqüência deve ser aumentada Armazenamento

Leia mais

1. PRINCIPAIS PROTOCOLOS TCP/IP

1. PRINCIPAIS PROTOCOLOS TCP/IP 1. PRINCIPAIS PROTOCOLOS TCP/IP 1.1 IP - Internet Protocol RFC 791 Esse protocolo foi introduzido na ARPANET no início dos anos 80, e tem sido utilizado juntamente com o TCP desde então. A principal característica

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES I

REDES DE COMPUTADORES I REDES DE COMPUTADORES I Versão 1.4 Por: Analucia Schiaffino Morales De Franceschi Verônica Conceição Oliveira da Silva 2010 1. Comunicação de dados Significa a transferência de informação entre um transmissor

Leia mais

HDLC High Level Data Link Control

HDLC High Level Data Link Control DUs rotocol Data Units LAx Link Access rocedure rotocolo Bit Oriented tandard Internacional definido pela IO DLC ynchronous Data Link Control original da IB odos de funcionamento - NR Normal Response ode

Leia mais

Redes de Computadores. Camada de Transporte

Redes de Computadores. Camada de Transporte Redes de Computadores Camada de Transporte Objetivo! Apresentar as características da camada de transporte da arquitetura TCP/IP! Apresentar os serviços fornecidos pela camada de transporte! Estudar os

Leia mais

Codificação de Canal

Codificação de Canal Laboratório de Processamento de Sinais Laboratório de Sistemas Embarcados Universidade Federal do Pará 26 de janeiro de 2012 Sumário 1 Introdução a 2 Códigos de Blocos Lineares 3 Códigos Cíclicos Introdução

Leia mais

Trabalho De Redes de Computadores PPP PPPoE X.25

Trabalho De Redes de Computadores PPP PPPoE X.25 Trabalho De Redes de Computadores PPP PPPoE X.25 3 de novembro de 2013 Otávio Thomas Daniel Nicolay Giovane Monari 1 O que é PPP e PPPoE? Protocolo Ponto a Ponto (PPP) e Protocolo Ponto a Ponto sobre Ethernet

Leia mais

Protocolos de Transmissão

Protocolos de Transmissão s de Transmissão Stop & wait Send & wait ARQ Automatic Repeat request Idle RQ stop and wait send and wait Continuous RQ - Selective Repeat - Go-back-N NAK n NAK n 3 O emissor (Primário P) só pode ter trama

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Camada de Enlace Parte I Prof. Thiago Dutra Agenda Camada de Enlace n Introdução ndetecção e Correção de Erros n Protocolos de Acesso Múltiplo n Endereçamento

Leia mais

Controle de Erro em Redes de Computadores

Controle de Erro em Redes de Computadores Controle de Erro em Redes de Computadores Prof. S. Motoyama Aula 24 Motoyama: Controle de Erro 1 Enlace de Dados O controle de erro em redes de computadores é feito na camada enlace de dados (ou na camada

Leia mais

Protocolos de Interligação de Redes Locais e a Distância Modelos de Referência. Thiago Leite

Protocolos de Interligação de Redes Locais e a Distância Modelos de Referência. Thiago Leite Protocolos de Interligação de Redes Locais e a Distância Modelos de Referência Thiago Leite thiago.leite@udf.edu.br As redes são organizadas em camadas Forma de reduzir a complexidade Um conjunto de camadas

Leia mais

Redes de Computadores. Camada de Transporte4. A necessidade por um serviço o de transporte confiável

Redes de Computadores. Camada de Transporte4. A necessidade por um serviço o de transporte confiável Redes de Computadores Camada de Transporte Antonio Alfredo Ferreira Loureiro loureiro@dcc.ufmg.br Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Minas Gerais A necessidade por um serviço

Leia mais

PARTE 1 (CONTROLE DE FLUXO)

PARTE 1 (CONTROLE DE FLUXO) UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA APLICADA INF01154 - Redes de Computadores N PARTE 1 (CONTROLE DE FLUXO) 1 DEBATE EM AULA (QUESTÕES DEVEM SER

Leia mais

FDDI (Fiber Distributed Data Interface)

FDDI (Fiber Distributed Data Interface) FDDI (Fiber Distributed Data Interface) O padrão FDDI (Fiber Distributed Data Interface) foi desenvolvido pelo ASC X3T9.5 da ANSI nos EUA e adotado pela ISO como padrão internacional (ISO 9314/1/2/3) em

Leia mais

Aula 13 Roteamento Dinâmico com Protocolos Link-State (Protocolo OSPF)

Aula 13 Roteamento Dinâmico com Protocolos Link-State (Protocolo OSPF) Disciplina: Dispositivos de Rede I Professor: Jéferson Mendonça de Limas 3º Semestre Aula 13 Roteamento Dinâmico com Protocolos Link-State (Protocolo OSPF) 2014/1 Roteiro de Aula Introdução Funcionamento

Leia mais

Camada de Enlace. Agenda. Tópicos. Objetivos. Objetivos INTRODUÇÃO

Camada de Enlace. Agenda. Tópicos. Objetivos. Objetivos INTRODUÇÃO Redes de Computadores Universidade Federal de Ouro Preto Departamento de Ciência da Computação Prof. Reinaldo Silva Fortes www.decom.ufop.br/reinaldo 2011/02 Camada Nome 5 Aplicação 4 Transporte 3 Rede

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES E A CAMADA FÍSICA

REDES DE COMPUTADORES E A CAMADA FÍSICA CENTRO FEDERAL DE ENSINO TECNOLÓGICO DE SANTA CATARINA UNIDADE DESCENTRALIZADA DE SÃO JOSÉ NÚCELO DE TELECOMUNICAÇÕES REDES DE COMPUTADORES E A CAMADA FÍSICA CAPÍTULO 3 Protocolos de Comunicação de Dados

Leia mais

Protocolos de Enlace Redes Industriais Semestre 01/2015

Protocolos de Enlace Redes Industriais Semestre 01/2015 Protocolos de Enlace Redes Industriais Semestre 01/2015 Engenharia de Controle e Automação Revisão OSI Revisão OSI Revisão OSI Revisão OSI Implementações Modelo OSI Rede Internet Rede Industrial Camada

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I

Organização e Arquitetura de Computadores I Universidade Federal de Campina Grande Departamento de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de Computadores I Circuitos Lógicos Combinacionais (Parte

Leia mais

Fundamentos de Redes de Computadores. Camadas física e de enlace do modelo OSI Prof. Ricardo J. Pinheiro

Fundamentos de Redes de Computadores. Camadas física e de enlace do modelo OSI Prof. Ricardo J. Pinheiro Fundamentos de Redes de Computadores Camadas física e de enlace do modelo OSI Prof. Ricardo J. Pinheiro Resumo Camada física. Padrões. Equipamentos de rede. Camada de enlace. Serviços. Equipamentos de

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Protocolos: Fundamentos Fabricio Breve Protocolos linguagem utilizada pelos diversos dispositivos para trocar informações Exemplos: TCP/IP, NetBEUI, SPX/IPX Premissas básicas A maioria

Leia mais

Resumo P2. Internet e Arquitetura TCP/IP

Resumo P2. Internet e Arquitetura TCP/IP Resumo P2 Internet e Arquitetura TCP/IP Internet: Rede pública de comunicação de dados Controle descentralizado; Utiliza conjunto de protocolos TCP/IP como base para estrutura de comunicação e seus serviços

Leia mais

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos

MÓDULO 7 Modelo OSI. 7.1 Serviços Versus Protocolos MÓDULO 7 Modelo OSI A maioria das redes são organizadas como pilhas ou níveis de camadas, umas sobre as outras, sendo feito com o intuito de reduzir a complexidade do projeto da rede. O objetivo de cada

Leia mais

Camada de Transporte

Camada de Transporte Camada de Transporte Conceitos Básicos Redes de Computadores A. S. Tanenbaum Mário Meireles Teixeira. UFMA-DEINF Protocolos Protocolo: Conjunto de regras e formatos usados para comunicação entre entidades,

Leia mais

4 Agregação de Quadros

4 Agregação de Quadros 4 Agregação de Quadros Foram implementados no padrão 802.11n diversos mecanismos para melhorar a vazão tanto na camada física quanto na camada MAC. Na camada física, o uso principalmente de MIMO, OFDM

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 3 www.marcelomachado.com

Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 3 www.marcelomachado.com Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 3 www.marcelomachado.com Protocolo é a linguagem usada pelos dispositivos de uma rede de modo que eles consigam se comunicar Objetivo Transmitir dados em uma rede A transmissão

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Nível de rede Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Nível de rede Aula 6 Aplicação Apresentação Sessão Transporte Rede Enlace Físico Protocolo nível de aplicação Protocolo nível

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Arquiteturas de Redes Prof. Thiago Dutra Agenda n Introdução n Organização em Camadas n Arquiteturas de Redes n Arquitetura RM-OSI n Arquitetura TCP/IP

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CAMPUS

FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CAMPUS FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE SINOP CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Princípios de Comunicações Aulas 05 e 06 Milton Luiz Neri Pereira (UNEMAT/FACET/DEE) 1 Fonte de informação

Leia mais

Trabalho do Curso de Redes de Computadores COS765/MAB /1

Trabalho do Curso de Redes de Computadores COS765/MAB /1 Trabalho do Curso de Redes de Computadores COS765/MAB731 2015/1 Universidade Federal do Rio de Janeiro Rosa M.M. Leão e Daniel Sadoc Menasché Primeiro Período de 2015 1 Introdução O objetivo deste trabalho

Leia mais

Capítulo 2: O MODELO ISO-OSI

Capítulo 2: O MODELO ISO-OSI Capítulo 2: O MODELO ISO-OSI PCS 2476 Introdução - 1 O PROBLEMA DA PADRONIZAÇÃO Meados da década de 70: Sucesso das primeiras redes: ARPANET CYCLADES. Surgimento de várias redes comerciais de comutação

Leia mais

Comunicação de dados. Introdução

Comunicação de dados. Introdução Comunicação de dados Introdução Os microcontroladores AVR estão equipados com dois pinos destinados à comunicação serial, UART (Universal Asynchronous Reciever/Transmitter), ou seja, permitem trocar informações

Leia mais

PROTOCOLO PPP. Luciano de Oliveira Mendes 1 Ricardo dos Santos 2

PROTOCOLO PPP. Luciano de Oliveira Mendes 1 Ricardo dos Santos 2 PROTOCOLO PPP Luciano de Oliveira Mendes 1 Ricardo dos Santos 2 RESUMO Neste trabalho é apresentado o Protocolo PPP, Suas principais características e seu funcionamento. Suas variações também são enfocadas

Leia mais

Redes de Computadores 1

Redes de Computadores 1 Redes de Computadores 1 Prof. Miguel Elias Mitre Campista http://www.gta.ufrj.br/~miguel Parte IV Camada de Enlace: Protocolos de Comunicação Camada de Enlace Relembrando... Tipos diferentes de canais

Leia mais

Prof. Marcelo de Sá Barbosa REDE DE COMPUTADORES

Prof. Marcelo de Sá Barbosa REDE DE COMPUTADORES Prof. Marcelo de Sá Barbosa REDE DE COMPUTADORES MODELO TCP/IP DE 5 CAMADAS MODELO OSI MODELO TCP IP NUMERO DA CAMADA CAMADA NUMERO DA CAMADA CAMADA 7 APLICAÇÃO 6 APRESENTAÇÃO 5 APLICAÇÃO 5 SESSÃO 4 TRANSPORTE

Leia mais

Códigos de bloco. Instituto Federal de Santa Catarina Curso superior de tecnologia em sistemas de telecomunicação Comunicações móveis 2

Códigos de bloco. Instituto Federal de Santa Catarina Curso superior de tecnologia em sistemas de telecomunicação Comunicações móveis 2 Instituto Federal de Santa Catarina Curso superior de tecnologia em sistemas de telecomunicação Comunicações móveis 2 Códigos de bloco Prof. Diego da Silva de Medeiros São José, maio de 2012 Codificação

Leia mais

UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ERINALDO SANCHES NASCIMENTO O MODELO TCP/IP

UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ERINALDO SANCHES NASCIMENTO O MODELO TCP/IP UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ERINALDO SANCHES NASCIMENTO O MODELO TCP/IP MARINGÁ 2014 SUMÁRIO 2 O MODELO TCP/IP...2 2.1 A CAMADA DE ENLACE...2

Leia mais

Arquitetura de Redes de Computadores - aula 2

Arquitetura de Redes de Computadores - aula 2 Roteiro Arquitetura de s de Computadores - aula 2 Prof. Celso Rabelo Centro Universitário da Cidade Roteiro 1 2 Conceitos Pilha Vantagens 3 Conceitos Gerais Figura 4 5 Roteiro Objetivos Apresentar o conceito

Leia mais