BAHIA. Previdenciária. ria PNAD BRASÍLIA, MAIO DE 2011

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BAHIA. Previdenciária. ria PNAD BRASÍLIA, MAIO DE 2011"

Transcrição

1 BAHIA Proteção Previdenciária ria - Perfil dos socialmente desprotegidos segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD BRASÍLIA, MAIO DE

2 1. Indicadores de Cobertura Social Cobertura Social (Previdência e Assistência Social) 2

3 1.1 Proteção Social entre a População Ocupada com idade de 16 a 59 anos Brasil, Região Nordeste e BAHIA - BA 16 3

4 Brasil: Panorama da Proteção Social da População Ocupada (de 16 a 59 anos) 2009 (Inclusive área rural da Região Norte) POPULAÇÃO OCUPADA DE 16 A 59 ANOS (84,4 milhões) CONTRIBUINTES (42,0 milhões) Regime Geral de Previdência Social RGPS CONTRIBUINTES (6,3 milhões) Regimes Próprios (Militares e Estatutários) SEGURADOS ESPECIAIS* (RURAIS) (7,2 milhões) Regime Geral de Previdência Social RGPS BENEFICIÁRIOS (1,1 milhão) SOCIALMENTE DESPROTEGIDOS (27,8 milhões)** SOCIALMENTE PROTEGIDOS (56,6 milhões): 67,0% 33,0% do Total NÃO CONTRIBUINTES (28,9 milhões) < 1 Salário Mínimo (13,2 milhões) Igual ou maior que 1 Salário Mínimo (14,1 milhões) Fonte: Micro dados PNAD * Na PNAD essas pessoas se autodeclaram não contribuintes. ** Inclui desprotegidos com rendimento ignorado. 4

5 Região Nordeste: Panorama da Proteção Social da População Ocupada (de 16 a 59 anos) 2009 POPULAÇÃO OCUPADA DE 16 A 59 ANOS (21,7 milhões) CONTRIBUINTES (6,9 milhões) Regime Geral de Previdência Social RGPS CONTRIBUINTES (1,6 milhão) Regimes Próprios (Militares e Estatutários) SEGURADOS ESPECIAIS* (RURAIS) (3,9 milhões) Regime Geral de Previdência Social RGPS BENEFICIÁRIOS (245,5 mil) SOCIALMENTE DESPROTEGIDOS (9,0 milhões)** SOCIALMENTE PROTEGIDOS (12,7 milhões): 58,5% 41,5% do Total NÃO CONTRIBUINTES (9,3 milhões) < 1 Salário Mínimo (6,0 milhões) Igual ou maior que 1 Salário Mínimo (3,0 milhões) Fonte: Micro dados PNAD * Na PNAD essas pessoas se autodeclaram não contribuintes. ** Inclui desprotegidos com rendimento ignorado. 5

6 BAHIA - BA: Panorama da Proteção Social da População Ocupada (de 16 a 59 anos) 2009 POPULAÇÃO OCUPADA DE 16 A 59 ANOS (6,3 milhões) CONTRIBUINTES (2,1 milhões) Regime Geral de Previdência Social RGPS CONTRIBUINTES (384,8 mil) Regimes Próprios (Militares e Estatutários) SEGURADOS ESPECIAIS* (RURAIS) (1,3 milhão) Regime Geral de Previdência Social RGPS BENEFICIÁRIOS (63,2 mil) SOCIALMENTE DESPROTEGIDOS (2,4 milhões)** SOCIALMENTE PROTEGIDOS (3,8 milhões): 61,4% 38,6% do Total NÃO CONTRIBUINTES (2,5 milhões) < 1 Salário Mínimo (1,6 milhão) Igual ou maior que 1 Salário Mínimo (824,3 mil) Fonte: Micro dados PNAD * Na PNAD essas pessoas se autodeclaram não contribuintes. ** Inclui desprotegidos com rendimento ignorado. 6

7 Cobertura no Mercado de Trabalho Resultados 2009 Proteção Previdenciária para População Ocupada de 16 a 59 anos* - Brasil Quantidade de Trabalhadores % Contribuintes RGPS (A) ,7% Contribuintes RPPS (B) ,5% Militares ,3% Estatutarios ,2% Segurados Especiais** (RGPS) (C) ,5% Não contribuintes (D) ,3% Total (E = A+B+C+D) ,0% Beneficiários não contribuintes*** (F) ,3% Trabalhadores Socialmente Protegidos (A+B+C+F) ,0% Trabalhadores Socialmente Desprotegidos (D-F) ,0% Desprotegidos com rendimento inferior a 1 salário mínimo ,6% Desprotegidos com rendimento igual ou superior a 1 salário minimo ,7% Desprotegido com rendimento ignorado ,6% *Independentemente de critério de renda. ** Moradores da zona rural dedicados a atividades agrícolas, nas seguintes posições na ocupação: sem carteira, conta própria, produção para próprio consumo,construção para próprio uso e não remunerados, respeitada a idade entre 16 e 59 anos. *** Trabalhadores ocupados (excluídos os segurados especiais) que, apesar de não contribuintes, recebem benefício previdenciário. 7

8 Cobertura no Mercado de Trabalho Resultados 2009 Proteção Previdenciária para População Ocupada de 16 a 59 anos* - Região Nordeste Quantidade de Trabalhadores % Contribuintes RGPS (A) ,0% Contribuintes RPPS (B) ,3% Militares ,2% Estatutarios ,1% Segurados Especiais** (RGPS) (C) ,0% Não contribuintes (D) ,7% Total (E = A+B+C+D) ,0% Beneficiários não contribuintes*** (F) ,1% Trabalhadores Socialmente Protegidos (A+B+C+F) ,5% Trabalhadores Socialmente Desprotegidos (D-F) ,5% Desprotegidos com rendimento inferior a 1 salário mínimo ,5% Desprotegidos com rendimento igual ou superior a 1 salário minimo ,7% Desprotegido com rendimento ignorado ,4% *Independentemente de critério de renda. ** Moradores da zona rural dedicados a atividades agrícolas, nas seguintes posições na ocupação: sem carteira, conta própria, produção para próprio consumo,construção para próprio uso e não remunerados, respeitada a idade entre 16 e 59 anos. *** Trabalhadores ocupados (excluídos os segurados especiais) que, apesar de não contribuintes, recebem benefício previdenciário. 8

9 Cobertura no Mercado de Trabalho Resultados 2009 Proteção Previdenciária para População Ocupada de 16 a 59 anos* - BAHIA - BA Quantidade de Trabalhadores % Contribuintes RGPS (A) ,4% Contribuintes RPPS (B) ,1% Militares ,1% Estatutarios ,0% Segurados Especiais** (RGPS) (C) ,8% Não contribuintes (D) ,7% Total (E = A+B+C+D) ,0% Beneficiários não contribuintes*** (F) ,0% Trabalhadores Socialmente Protegidos (A+B+C+F) ,4% Trabalhadores Socialmente Desprotegidos (D-F) ,6% Desprotegidos com rendimento inferior a 1 salário mínimo ,9% Desprotegidos com rendimento igual ou superior a 1 salário minimo ,2% Desprotegido com rendimento ignorado ,6% *Independentemente de critério de renda. ** Moradores da zona rural dedicados a atividades agrícolas, nas seguintes posições na ocupação: sem carteira, conta própria, produção para próprio consumo,construção para próprio uso e não remunerados, respeitada a idade entre 16 e 59 anos. *** Trabalhadores ocupados (excluídos os segurados especiais) que, apesar de não contribuintes, recebem benefício previdenciário. 9

10 Cobertura no Mercado de Trabalho Resultados 2009 Proteção Previdenciária para População Ocupada de 16 a 59 anos* por Sexo Brasil Situação Previdenciária dos Ocupados Homens 2009 Mulheres Total Protegidos Desprotegidos Total Cobertura (%) 68,9 64,6 67,0 *Independentemente de critério de renda. 10

11 Cobertura no Mercado de Trabalho Resultados 2009 Proteção Previdenciária para População Ocupada de 16 a 59 anos* por Sexo Região Nordeste Situação Previdenciária dos Ocupados Homens 2009 Mulheres Total Protegidos Desprotegidos Total Cobertura (%) 60,4 55,7 58,5 *Independentemente de critério de renda. 11

12 Cobertura no Mercado de Trabalho Resultados 2009 Proteção Previdenciária para População Ocupada de 16 a 59 anos* por Sexo BAHIA - BA Situação Previdenciária dos Ocupados Homens 2009 Mulheres Total Protegidos Desprotegidos Total Cobertura (%) 63,4 58,6 61,4 *Independentemente de critério de renda. 12

13 Cobertura Social por Unidade da Federação 2009 Brasil 67,0% 13 62,8% 69,5% 62,1% 58,8% 60,5% 49,0% 49,4% 61,1% 55,5% 57,0% 58,7% 52,5% 58,0% 55,4% 59,7% 64,6% 58,9% 61,4% 58,5% 69,5% 72,4% 68,6% 73,3% 71,4% 71,7% 81,8% 75,1% 75,4% 61,7% 66,2% 64,9% 73,2% GO DF Centro-Oeste RR PA AP TO Norte MA PI CE RN PB PE AL SE BA Nordeste MG ES RJ SP Sudeste PR SC RS Sul MS 100,0% 90,0% 80,0% 70,0% 60,0% 50,0% 40,0% 30,0% 20,0% 10,0% 0,0%. MT UF Brasil RO AC AM

14 1.1.1 Perfil da População Ocupada Desprotegida e com Capacidade Contributiva Pessoas com idade de 16 a 59 anos Brasil, Região Nordeste e BAHIA - BA 14

15 Cobertura no Mercado de Trabalho Resultados 2009 Proteção Previdenciária para População Ocupada de 16 a 59 anos* por Sexo Brasil Sexo *Independentemente de critério de renda. Total de Ocupados com Capacidade Contributiva (A) Total de Desprotegidos com Capacidade Contributiva (B) (B)/(A) Quantidade de Desprotegidos com Capacidade Contributiva Masculino 60,8% 65,9% 1, Feminino 39,2% 34,1% 0, Total 100,0% 100,0%

16 Cobertura no Mercado de Trabalho Resultados 2009 Proteção Previdenciária para População Ocupada de 16 a 59 anos* por Sexo Região Nordeste Sexo *Independentemente de critério de renda. Total de Ocupados com Capacidade Contributiva (A) Total de Desprotegidos com Capacidade Contributiva (B) (B)/(A) Quantidade de Desprotegidos com Capacidade Contributiva Masculino 63,0% 71,2% 1, Feminino 37,0% 28,8% 0, Total 100,0% 100,0%

17 Cobertura no Mercado de Trabalho Resultados 2009 Proteção Previdenciária para População Ocupada de 16 a 59 anos* por Sexo BAHIA - BA Sexo *Independentemente de critério de renda. Total de Ocupados com Capacidade Contributiva (A) Total de Desprotegidos com Capacidade Contributiva (B) (B)/(A) Quantidade de Desprotegidos com Capacidade Contributiva Masculino 62,8% 70,8% 1, Feminino 37,2% 29,2% 0, Total 100,0% 100,0%

18 Proporção de Trabalhadores Desprotegidos com Capacidade Contributiva* segundo Faixas de Idade 2009 Brasil Faixas de Idade Total de Ocupados com Capacidade Contributiva (A) Total de Desprotegidos com Capacidade Contributiva (B) * Pessoas com idade de 16 a 59 anos com rendimento mensal igual ou superior ao valor do Salário Mínimo vigente em setembro de (B)/(A) Quantidade de Desprotegidos com Capacidade Contributiva 16 a 19 anos 4,1% 5,9% 1, a 24 anos 13,0% 12,3% 0, a 29 anos 15,7% 13,9% 0, a 39 anos 28,5% 28,5% 1, a 49 anos 24,4% 25,2% 1, a 59 anos 14,5% 14,2% 1, Total 100,0% 100,0%

19 Proporção de Trabalhadores Desprotegidos com Capacidade Contributiva* segundo Faixas de Idade 2009 Região Nordeste Faixas de Idade Total de Ocupados com Capacidade Contributiva (A) Total de Desprotegidos com Capacidade Contributiva (B) * Pessoas com idade de 16 a 59 anos com rendimento mensal igual ou superior ao valor do Salário Mínimo vigente em setembro de (B)/(A) Quantidade de Desprotegidos com Capacidade Contributiva 16 a 19 anos 2,2% 3,1% 1, a 24 anos 13,4% 12,7% 0, a 29 anos 16,8% 15,0% 0, a 39 anos 30,4% 31,2% 1, a 49 anos 24,1% 24,9% 1, a 59 anos 13,1% 13,1% 1, Total 100,0% 100,0%

20 Proporção de Trabalhadores Desprotegidos com Capacidade Contributiva* segundo Faixas de Idade 2009 BAHIA - BA Faixas de Idade Total de Ocupados com Capacidade Contributiva (A) Total de Desprotegidos com Capacidade Contributiva (B) * Pessoas com idade de 16 a 59 anos com rendimento mensal igual ou superior ao valor do Salário Mínimo vigente em setembro de (B)/(A) Quantidade de Desprotegidos com Capacidade Contributiva 16 a 19 anos 2,0% 2,7% 1, a 24 anos 13,1% 13,7% 1, a 29 anos 15,9% 14,3% 0, a 39 anos 31,2% 31,4% 1, a 49 anos 24,2% 24,0% 1, a 59 anos 13,6% 13,9% 1, Total 100,0% 100,0%

21 Proporção de Trabalhadores Desprotegidos com Capacidade Contributiva* segundo Faixas de Rendimento 2009 Brasil Faixas de Rendimento Total de Ocupados com Capacidade Contributiva (A) Total de Desprotegidos com Capacidade Contributiva (B) * Pessoas com idade de 16 a 59 anos com rendimento mensal igual ou superior ao valor do Salário Mínimo vigente em setembro de (B)/(A) Quantidade de Desprotegidos com Capacidade Contributiva igual a 1 SM 14,5% 16,6% 1, acima de 1 até 2 SM 45,9% 52,1% 1, acima de 2 até 3 SM 15,3% 14,5% 0, acima de 3 até 5 SM 13,1% 10,7% 0, acima de 5 até 10 SM 7,5% 4,5% 0, acima de 10 até 20 SM 2,9% 1,4% 0, acima de 20 SM 0,9% 0,3% 0, Total 100,0% 100,0%

22 Proporção de Trabalhadores Desprotegidos com Capacidade Contributiva* segundo Faixas de Rendimento 2009 Região Nordeste Faixas de Rendimento Total de Ocupados com Capacidade Contributiva (A) Total de Desprotegidos com Capacidade Contributiva (B) * Pessoas com idade de 16 a 59 anos com rendimento mensal igual ou superior ao valor do Salário Mínimo vigente em setembro de (B)/(A) Quantidade de Desprotegidos com Capacidade Contributiva igual a 1 SM 29,6% 25,3% 0, acima de 1 até 2 SM 42,5% 50,5% 1, acima de 2 até 3 SM 10,7% 10,6% 1, acima de 3 até 5 SM 9,1% 8,3% 0, acima de 5 até 10 SM 5,3% 3,9% 0, acima de 10 até 20 SM 2,2% 1,2% 0, acima de 20 SM 0,6% 0,2% 0, Total 100,0% 100,0%

23 Proporção de Trabalhadores Desprotegidos com Capacidade Contributiva* segundo Faixas de Rendimento 2009 BAHIA - BA Faixas de Rendimento Total de Ocupados com Capacidade Contributiva (A) Total de Desprotegidos com Capacidade Contributiva (B) * Pessoas com idade de 16 a 59 anos com rendimento mensal igual ou superior ao valor do Salário Mínimo vigente em setembro de (B)/(A) Quantidade de Desprotegidos com Capacidade Contributiva igual a 1 SM 30,2% 26,1% 0, acima de 1 até 2 SM 41,8% 49,7% 1, acima de 2 até 3 SM 10,3% 10,3% 1, acima de 3 até 5 SM 9,5% 8,2% 0, acima de 5 até 10 SM 5,3% 4,0% 0, acima de 10 até 20 SM 2,2% 1,6% 0, acima de 20 SM 0,6% 0,1% 0, Total 100,0% 100,0%

24 Proporção de Trabalhadores Desprotegidos com Capacidade Contributiva* segundo Ramo de Atividade** 2009 Brasil Ramo de Atividade Total Ocupados com Capacidade Contributiva (A) Pessoas com idade de 16 a 59 anos com rendimento mensal igual ou superior ao valor do Salário Mínimo vigente em setembro de ** Foram excluídos os casos de ramo de atividade ignorado. Total Desprotegidos com Capacidade Contributiva (B) (B)/(A) Quantidade de Desprotegidos com Capacidade Contributiva Agrícola 6,5% 5,4% 0, Indústria 1,1% 0,3% 0, Indústria de Transformação 16,4% 12,0% 0, Construção 8,1% 18,7% 2, Comércio e Reparação 19,4% 23,1% 1, Alojamento e Alimentação 3,9% 5,5% 1, Transporte, Armazenagem e Comunicação 5,9% 6,3% 1, Administração Pública 7,0% 0,7% 0, Educação, Saúde e Serviços Sociais 12,1% 3,7% 0, Serviços Domésticos 5,5% 9,0% 1, Outros Serviços 4,1% 7,6% 1, Outras Atividades 9,9% 7,6% 0, Total 100,0% 100,0%

25 Proporção de Trabalhadores Desprotegidos com Capacidade Contributiva* segundo Ramo de Atividade** 2009 Região Nordeste Ramo de Atividade Total Ocupados com Capacidade Contributiva (A) Pessoas com idade de 16 a 59 anos com rendimento mensal igual ou superior ao valor do Salário Mínimo vigente em setembro de ** Foram excluídos os casos de ramo de atividade ignorado. Total Desprotegidos com Capacidade Contributiva (B) (B)/(A) Quantidade de Desprotegidos com Capacidade Contributiva Agrícola 7,9% 5,9% 0, Indústria 1,3% 0,5% 0, Indústria de Transformação 10,9% 10,2% 0, Construção 8,4% 16,1% 1, Comércio e Reparação 20,6% 28,8% 1, Alojamento e Alimentação 3,8% 6,0% 1, Transporte, Armazenagem e Comunicação 5,2% 7,1% 1, Administração Pública 9,8% 0,9% 0, Educação, Saúde e Serviços Sociais 15,0% 3,9% 0, Serviços Domésticos 4,0% 6,3% 1, Outros Serviços 4,0% 7,0% 1, Outras Atividades 9,0% 7,1% 0, Total 100,0% 100,0%

26 Proporção de Trabalhadores Desprotegidos com Capacidade Contributiva* segundo Ramo de Atividade** 2009 BAHIA - BA Ramo de Atividade Total Ocupados com Capacidade Contributiva (A) Pessoas com idade de 16 a 59 anos com rendimento mensal igual ou superior ao valor do Salário Mínimo vigente em setembro de ** Foram excluídos os casos de ramo de atividade ignorado. Total Desprotegidos com Capacidade Contributiva (B) (B)/(A) Quantidade de Desprotegidos com Capacidade Contributiva Agrícola 10,4% 6,9% 0, Indústria 1,6% 0,5% 0, Indústria de Transformação 8,3% 8,2% 1, Construção 8,6% 17,5% 2, Comércio e Reparação 19,7% 26,2% 1, Alojamento e Alimentação 4,3% 7,1% 1, Transporte, Armazenagem e Comunicação 6,0% 7,5% 1, Administração Pública 9,4% 1,3% 0, Educação, Saúde e Serviços Sociais 14,1% 4,6% 0, Serviços Domésticos 3,9% 4,9% 1, Outros Serviços 4,0% 7,5% 1, Outras Atividades 9,6% 7,7% 0, Total 100,0% 100,0%

27 Proporção de Trabalhadores Desprotegidos com Capacidade Contributiva* segundo Posição na Ocupação** 2009 Brasil Posição na Ocupação Total Ocupados com Capacidade Contributiva (A) Total Desprotegidos com Capacidade Contributiva (B) (B)/(A) Quantidade de Desprotegidos com Capacidade Contributiva Empregado com Carteira 50,0% Militar 0,4% Estatutário 9,5% Empregados sem Carteira 13,7% 39,3% 2, Trabalhador Doméstico com Carteira 3,1% Trabalhador Doméstico sem Carteira 2,4% 9,0% 3, Conta-própria 15,6% 43,3% 2, Empregador 5,3% 8,5% 1, Total 100,0% 100,0% Pessoas com idade de 16 a 59 anos com rendimento mensal igual ou superior ao valor do Salário Mínimo vigente em setembro de ** Foram excluídos os casos de posição na ocupação ignorada. 27

28 Proporção de Trabalhadores Desprotegidos com Capacidade Contributiva* segundo Posição na Ocupação** 2009 Região Nordeste Posição na Ocupação Total Ocupados com Capacidade Contributiva (A) Total Desprotegidos com Capacidade Contributiva (B) Pessoas com idade de 16 a 59 anos com rendimento mensal igual ou superior ao valor do Salário Mínimo vigente em setembro de ** Foram excluídos os casos de posição na ocupação ignorada. (B)/(A) Quantidade de Desprotegidos com Capacidade Contributiva Empregado com Carteira 44,7% Militar 0,4% Estatutário 13,2% Empregados sem Carteira 16,4% 36,3% 2, Trabalhador Doméstico com Carteira 2,2% Trabalhador Doméstico sem Carteira 1,8% 6,3% 3, Conta-própria 16,2% 46,0% 2, Empregador 5,2% 11,4% 2, Total 100,0% 100,0%

29 Proporção de Trabalhadores Desprotegidos com Capacidade Contributiva* segundo Posição na Ocupação** 2009 BAHIA - BA Posição na Ocupação Total Ocupados com Capacidade Contributiva (A) Total Desprotegidos com Capacidade Contributiva (B) Pessoas com idade de 16 a 59 anos com rendimento mensal igual ou superior ao valor do Salário Mínimo vigente em setembro de ** Foram excluídos os casos de posição na ocupação ignorada. (B)/(A) Quantidade de Desprotegidos com Capacidade Contributiva Empregado com Carteira 45,3% Militar 0,3% Estatutário 11,0% Empregados sem Carteira 17,4% 36,5% 2, Trabalhador Doméstico com Carteira 2,4% Trabalhador Doméstico sem Carteira 1,4% 4,9% 3, Conta-própria 17,0% 47,1% 2, Empregador 5,1% 11,4% 2, Total 100,0% 100,0%

30 1.2 Proteção Social entre Idosos (pessoas com 60 anos ou mais de idade) 30

31 Cobertura Social entre Idosos 2009 Proteção Previdenciária para a População Idosa* Brasil Categorias Homens Mulheres Total Aposentados Pensionistas Aposentados e pensionistas Contribuintes não beneficiários Total protegidos (a) Residentes (b) Cobertura ((a)/(b)) 86,6% 77,9% 81,7% * Idosos de 60 anos ou mais, independentemente de critério de renda, que recebem aposentadoria e/ou pensão ou que continuam contribuindo para algum regime de previdência. 31

32 Cobertura Social entre Idosos 2009 Proteção Previdenciária para a População Idosa* Região Nordeste Categorias Homens Mulheres Total Aposentados Pensionistas Aposentados e pensionistas Contribuintes não beneficiários Total protegidos (a) Residentes (b) Cobertura ((a)/(b)) 85,9% 82,0% 83,7% * Idosos de 60 anos ou mais, independentemente de critério de renda, que recebem aposentadoria e/ou pensão ou que continuam contribuindo para algum regime de previdência. 32

33 Cobertura Social entre Idosos 2009 Proteção Previdenciária para a População Idosa* BAHIA - BA Categorias Homens Mulheres Total Aposentados Pensionistas Aposentados e pensionistas Contribuintes não beneficiários Total protegidos (a) Residentes (b) Cobertura ((a)/(b)) 84,4% 83,4% 83,9% * Idosos de 60 anos ou mais, independentemente de critério de renda, que recebem aposentadoria e/ou pensão ou que continuam contribuindo para algum regime de previdência. 33

34 Cobertura Social entre Idosos por Unidade da Federação 2009 Brasil 81,7% 34 81,7% 83,2% 64,8% 73,8% 75,6% 62,2% 78,1% 74,2% 82,8% 89,7% 84,7% 85,1% 84,5% 80,5% 82,5% 84,0% 83,9% 83,7% 83,0% 82,1% 82,0% 79,5% 81,0% 83,8% 90,3% 87,1% 86,5% 66,4% 76,9% 74,1% 71,9% 72,9% 100,0% 90,0% 80,0% 70,0% 60,0% 50,0% 40,0%. 30,0% 20,0% 10,0% 0,0% RO AC AM RR PA AP TO Norte MA PI CE RN PB PE AL SE BA Nordeste MG ES RJ SP Sudeste PR SC RS Sul MS MT GO DF Centro-Oeste UF Brasil

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1)

ANEXO I BICICLETA ESCOLAR. Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) ANEXO I BICICLETA ESCOLAR Modelo de ofício para adesão à ata de registro de preços (GRUPO 1) Assunto: Adesão à ata de registro de preços nº 70/2010 do pregão eletrônico nº 40/2010. 1 2 BICICLETA 20 - AC,

Leia mais

Centro Brasileiro de Estudos da Saúde SEMINÁRIO CEBES. seguridade social e cidadania: desafios para uma sociedade inclusiva

Centro Brasileiro de Estudos da Saúde SEMINÁRIO CEBES. seguridade social e cidadania: desafios para uma sociedade inclusiva Centro Brasileiro de Estudos da Saúde SEMINÁRIO CEBES seguridade social e cidadania: desafios para uma sociedade inclusiva bases institucionais e financeiras da seguridade social no Brasil: o caso da assistência

Leia mais

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde

INFORME SARGSUS. Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017

Rio de Janeiro, 18/05/2017. Mercado de Trabalho Brasileiro 1º trimestre de 2017 1 Rio de Janeiro, 18/05/2017 Mercado de Trabalho Brasileiro estre de 2017 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção da população

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES Acessos Quantidade de Acessos no Brasil Dividido por Tecnologia/Velocidade/UF UF Tecnologia Velocidade Quantidade de Acessos AC ATM 12 Mbps a 34Mbps 3 AC ATM 34 Mbps

Leia mais

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa

Mortos e Acidentes por Unidade Federativa e Acidentes por Unidade Federativa - 2016 Data: 23/05/2017 FILTROS: Veículos: Todos, Caminhões, Ônibus Valores: Absolutos Estado: Todos BR: Todas Estados com maior número de mortes e acidentes - 2016 Este

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Sigla CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Ind Nº 9/215 Técnicos Resp Equipe CGPM

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua PNAD Contínua 2012-2017 Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2017 Rio de Janeiro, 17 de novembro de 2017 Força de Trabalho no Brasil Pesquisa

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS EM CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR E DE NÍVEL MÉDIO DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Nível superior Cargo 1: Contador DF Brasília/Sede da Administração Central 35 1820 52,00 Nível médio Cargo 2: Agente Administrativo AC Rio Branco/Sede da SRTE 2 1496 748,00 Nível médio Cargo 2: Agente

Leia mais

Vagas autorizadas. 4.146 vagas* autorizadas em 1.294 municípios e 12 DSEIs *35 vagas nos Distritos Indígenas e 361 vagas de reposição

Vagas autorizadas. 4.146 vagas* autorizadas em 1.294 municípios e 12 DSEIs *35 vagas nos Distritos Indígenas e 361 vagas de reposição Vagas autorizadas 4.146 vagas* autorizadas em 1.294 municípios e 12 DSEIs *35 vagas nos Distritos Indígenas e 361 vagas de reposição Fonte: IBGE e MS. Datum: SIRGAS2000 Elaboração: MS/SGTES/DEPREPS Data:

Leia mais

/ SE B R AE

/  SE B R AE SE B R AE Introdução Objetivo: Apresentar o perfil comparativo das mulheres que possuem um negócio (empreendedoras), com os homens que possuem um negócio (empreendedores), no Brasil. Metodologia: Uso de

Leia mais

Relatório de Dados do Programa de Microcrédito 2º. Trimestre de 2012

Relatório de Dados do Programa de Microcrédito 2º. Trimestre de 2012 Ministério do Trabalho e Emprego Programa Nacional de Microcrédito Produtivo Orientado Relatório de Dados do Programa de Microcrédito 2º. de 2012 1. Resultados do Programa de Microcrédito no 2 de 2012.

Leia mais

Evolução das Ocorrências de Sinistros de Morte no Feriado de Corpus Christi por Tipo de Veículo

Evolução das Ocorrências de Sinistros de Morte no Feriado de Corpus Christi por Tipo de Veículo Estatísticas Corpus Christi Nos últimos anos, as ocorrências de acidentes envolvendo veículos automotores, no período do feriado de Corpus Christi, cujas indenizações foram solicitadas à Seguradora Líder

Leia mais

Movimentação das Empresas do Segmento Junho 2010

Movimentação das Empresas do Segmento Junho 2010 Movimentação das Empresas do Segmento Junho 2010 Índice 1. Consolidado Brasil... 03 2. Acumulado Brasil... 05 3. Consolidado por Região... 06 4. Consolidado por Estado... 09 5. Consolidado Brasil Comparativo

Leia mais

Movimentação das Empresas do Segmento Julho 2011

Movimentação das Empresas do Segmento Julho 2011 Movimentação das Empresas do Segmento Julho 2011 Índice 1. Consolidado Brasil... 03 2. Acumulado Brasil... 06 3. Consolidado por Região... 08 4. Consolidado por Estado... 14 5. Consolidado Brasil Comparativo

Leia mais

Movimentação das Empresas do Segmento Abril 2011

Movimentação das Empresas do Segmento Abril 2011 Movimentação das Empresas do Segmento Abril 2011 Índice 1. Consolidado Brasil... 03 2. Acumulado Brasil... 06 3. Consolidado por Região... 08 4. Consolidado por Estado... 14 5. Consolidado Brasil Comparativo

Leia mais

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS

Pendências de Envio do Relatório de Gestão Municipal-2013 aos CMS INFORME SARGSUS Situação da Alimentação do Relatório de Gestão Ano 2013-2014 Informações sobre Plano e Programação Anual de Saúde 1 ESFERA MUNICIPAL 1.1 Relatório de Gestão Ano 2013 Até a presente data,

Leia mais

Perfil das Micro e Pequenas Empresas no ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Perfil das Micro e Pequenas Empresas no ESTADO DO RIO DE JANEIRO Perfil das Micro e Pequenas Empresas no ESTADO DO RIO DE JANEIRO NOTA CONJUNTURAL DO OBSERVATÓRIO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, SETEMBRO DE 2011 03 2011 PANORAMA GERAL O crescimento

Leia mais

Noções Básicas sobre. Análisis de la Fecundidad Experiência Brasileira

Noções Básicas sobre. Análisis de la Fecundidad Experiência Brasileira TALLER REGIONAL SOBRE ANÁLISIS DE COHERENCIA, CALIDAD Y COBERTURA DE LA INFORMACION CENSAL Noções Básicas sobre Análisis de la Fecundidad Experiência Brasileira Santiago, Chile, 1 al 5 agosto de 2011 Data

Leia mais

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MEC A EVOLUÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA O movimento Constitucional; O processo de discussão que antecedeu a LDB nº9394/96; A concepção de Educação Básica e a universalização do

Leia mais

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308

4» Quadra escolar Maria Nascimento Paiva. 1» Centro de Artes e Esportes Unificados. 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 1 2 8 1» Centro de Artes e Esportes Unificados Rio Branco AC 2» Unidade Básica de Saúde, Clínica da Família Quadra 308 Recanto das Emas DF 3» Creche Ipê Rosa Samambaia DF 4» Quadra escolar Maria Nascimento

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR

DEMANDA DE CANDIDATOS POR CARGO / UF NÍVEL SUPERIOR EM CARGOS DE E DE NÍVEL INTERMEDIÁRIO Administrador AC 1 14 14.00 Administrador AL 1 53 53.00 Administrador AP 1 18 18.00 Administrador BA 1 75 75.00 Administrador DF 17 990 58.24 Administrador MT 1 55

Leia mais

SUBSÍDIOS PARA A AÇÃO SINDICAL COMPORTAMENTO DO EMPREGO METALÚRGICO MARÇO DE 2011

SUBSÍDIOS PARA A AÇÃO SINDICAL COMPORTAMENTO DO EMPREGO METALÚRGICO MARÇO DE 2011 SUBSÍDIOS PARA A AÇÃO SINDICAL COMPORTAMENTO DO EMPREGO METALÚRGICO MARÇO DE 2011 ANÁLISE DOS RESULTADOS De acordo com os dados do Ministério do Trabalho e Emprego, de janeiro a dezembro de 2012 foram

Leia mais

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS

PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS PÓLO COSTA DAS PISCINAS/PARAÍBA PLANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DO TURISMO SUSTENTÁVEL ANEXO V GASTOS TURÍSTICOS TABELAS JOÃO PESSOA-PB, JUNHO 2004 TABELA Nº01 GASTO MÉDIO INDIVIDUAL DIÁRIO em R$ 1.00,

Leia mais

Racionamento de água. Abril/2017

Racionamento de água. Abril/2017 Racionamento de água Abril/2017 Objetivo da Pesquisa Metodologia Tópicos da Pesquisa Informações técnicas Levantar informações sobre temas importantes no contexto atual dos Pequenos Negócios. TEMA ANALISADO

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2011 % Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2012 x Jan a Dez 2011 Morte 58.134 16% 60.752 12% 5% Invalidez Permanente 239.738 65% 352.495 69% 47% Despesas Médicas (DAMS) 68.484

Leia mais

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007.

EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. VA PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO DE 4/10/2007, SEÇÃO 3, PÁG.. EDITAL SG/MPU N.º 27, DE 2 DE OUTUBRO DE 2007. Divulgar a distribuição de vagas do Concurso Público para provimento de cargos e formação

Leia mais

Percepção da População Brasileira Sobre a Adoção

Percepção da População Brasileira Sobre a Adoção Percepção da População Brasileira Sobre a Adoção Brasília/DF Maio/2008 www.amb.com.br/mudeumdestino www.opiniaoconsultoria.com.br Objetivos Específicos Verificar o grau de consciência e envolvimento da

Leia mais

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014)

8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) 8ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos (2014) Elaboração: Contraf-CUT, CNTV e Federação dos Vigilantes do Paraná Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba

Leia mais

DADOS SOBRE PENSÃO POR MORTE

DADOS SOBRE PENSÃO POR MORTE DADOS SOBRE PENSÃO POR MORTE ESTABELECIMENTO DE CARÊNCIA -Anão exigência de carência permite que seja concedida pensão vitalícia com apenas uma contribuição, inclusive benefício no teto do RGPS com apenas

Leia mais

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012.

De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. De janeiro a junho de 2013 as indenizações pagas pelo Seguro DPVAT registraram crescimento de 38% ante mesmo período de 2012. Os casos de Invalidez Permanente representaram a maioria das indenizações pagas

Leia mais

Seguridade Social: Avanço o da Cobertura, Qualidade e Financiamento

Seguridade Social: Avanço o da Cobertura, Qualidade e Financiamento MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Políticas de Previdência Social Seguridade Social: Avanço o da Cobertura, Qualidade e Financiamento BRASÍLIA, DEZEMBRO DE 2007 Avanços na Proteção

Leia mais

Antônio Carlos Campos de Carvalho Diretor do Decit/SCTIE/MS. Brasília, 23 de maio de 2013

Antônio Carlos Campos de Carvalho Diretor do Decit/SCTIE/MS. Brasília, 23 de maio de 2013 Antônio Carlos Campos de Carvalho Diretor do Decit/SCTIE/MS Brasília, 23 de maio de 2013 Estrutura do Ministério da Saúde - MS MS SCTIE SVS SAS SGEP SGTES SESAI SE Decit DAF DECIIS CONITEC Organograma

Leia mais

Gestão da Qualidade da Banda Larga

Gestão da Qualidade da Banda Larga Gestão da Qualidade da Banda Larga Agência Nacional de Telecomunicações Brasília, 17 de maio de 2013 METODOLOGIA DE MEDIÇÃO INDICADORES DE BANDA LARGA FIXA Avaliações realizadas através de medidores instalados

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Lei Geral da Micro e Pequena Empresa Empreendedor Individual

EMPREENDEDORISMO. Lei Geral da Micro e Pequena Empresa Empreendedor Individual EMPREENDEDORISMO Números MPE Indicador Brasil DF Participação % Fonte Número de MPE 5.786.696 87.358 1,51 RAIS 2008 Número de MPE Comércio 3.067.577 41.967 1,37 RAIS 2008 Número de MPE - Serviço 1.861.779

Leia mais

PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO

PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO PROGRAMA DE FISCALIZAÇÃO EM ENTES FEDERATIVOS 2º CICLO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO UF / Ação de Governo Valor a ser Fiscalizado AC R$ 99.891.435,79 Apoio à Alimentação Escolar na Educação Básica (PNAE) R$

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento C o m p an h i a N ac io n a l d e Abastecimento D i r e t o r i a d e Opercações e A b a stecimento S u p erintedência de O p erações Comerciais G e r ên c i a d e Formação e Controle de Estoques P o

Leia mais

Características. Em 2014, foram visitados 151 mil domicílios e entrevistadas 363 mil pessoas. Abrangência nacional

Características. Em 2014, foram visitados 151 mil domicílios e entrevistadas 363 mil pessoas. Abrangência nacional Rio de Janeiro, 13/11/2015 Abrangência nacional Características Temas investigados no questionário básico Características gerais dos moradores Educação Migração Trabalho e rendimento Trabalho infantil

Leia mais

Evolução das Despesas Estaduais

Evolução das Despesas Estaduais PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DO RS Convênio FACE/PUCRS e SESCON-RS Relatório 2 Evolução das Despesas

Leia mais

Boletim Estatístico. Ano 07 - Janeiro a Outubro de 2017 DPVAT: O SEGURO DO TRÂNSITO

Boletim Estatístico. Ano 07 - Janeiro a Outubro de 2017 DPVAT: O SEGURO DO TRÂNSITO Boletim Estatístico Ano 07 - Janeiro a Outubro de 2017 DPVAT: O SEGURO DO TRÂNSITO Indenizações Pagas Natureza da Indenização % % x Morte 34.105 10% 26.917 7% 27% Invalidez Permanente 242.606 75% 282.545

Leia mais

O IMPACTO DA VALORIZAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO NAS FINANÇAS MUNICIPAIS

O IMPACTO DA VALORIZAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO NAS FINANÇAS MUNICIPAIS 3 O IMPACTO DA VALORIZAÇÃO DO SALÁRIO MÍNIMO NAS FINANÇAS MUNICIPAIS Introdução No Brasil, o salário mínimo cumpre duas funções principais. É utilizado como piso salarial, pelo menos para os empregados

Leia mais

Boletim Estatístico. Ano 07 - Volume 02 Janeiro a Junho de 2017 DPVAT: O SEGURO DO TRÂNSITO

Boletim Estatístico. Ano 07 - Volume 02 Janeiro a Junho de 2017 DPVAT: O SEGURO DO TRÂNSITO Boletim Estatístico Ano 07 - Volume 02 Janeiro a Junho de 2017 DPVAT: O SEGURO DO TRÂNSITO Indenizações Pagas Natureza da Indenização % % x Morte 19.367 10% 15.192 7% 27% Invalidez Permanente 144.950 75%

Leia mais

4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012

4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012 4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos 2012 Fonte: Notícias da imprensa, SSP e sindicatos Apoio: Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região Fetec-CUT(PR)

Leia mais

Indenizações Pagas Quantidades

Indenizações Pagas Quantidades Natureza da Indenização Jan a Dez 2012 % Jan a Dez 2013 % Jan a Dez 2013 x Jan a Dez 2012 Morte 60.752 1 54.767 9% - Invalidez Permanente 352.495 69% 444.206 70% 2 Despesas Médicas (DAMS) 94.668 19% 134.872

Leia mais

Dados Básicos sobre Recursos Humanos. ObservaRH - NESP/CEAM/UnB

Dados Básicos sobre Recursos Humanos. ObservaRH - NESP/CEAM/UnB Dados Básicos sobre Recursos Humanos ObservaRH - NESP/CEAM/UnB Brasília/DF 2007 Apresentação O conjunto de dados básicos sobre recursos humanos integra as expectativas das delegações que participaram da

Leia mais

Produção Agrícola Municipal 2015. Assunto: Lavouras Temporárias

Produção Agrícola Municipal 2015. Assunto: Lavouras Temporárias Produção Agrícola Municipal 2015 Assunto: Lavouras Temporárias Tabela 1 - Áreas plantada e colhida, quantidade produzida, rendimento médio e valor da produção, segundo os principais produtos das lavouras

Leia mais

Metas Educacionais As 5 Metas do Todos Pela Educação. Rio de Janeiro, 27 de abril de 2009

Metas Educacionais As 5 Metas do Todos Pela Educação. Rio de Janeiro, 27 de abril de 2009 s Educacionais As 5 s do Todos Pela Educação Rio de Janeiro, 27 de abril de 2009 Construção das metas Pesquisa do meio copo cheio : consensos para avançar Documento de mobilização inicial Entrevistas e

Leia mais

Analfabetismo no Brasil: Tendências, Perfil e Efetividade dos Programas de Alfabetização de Adultos. Reynaldo Fernandes. Inep/MEC e FEA-RP/USP

Analfabetismo no Brasil: Tendências, Perfil e Efetividade dos Programas de Alfabetização de Adultos. Reynaldo Fernandes. Inep/MEC e FEA-RP/USP Analfabetismo no Brasil: Tendências, Perfil e Efetividade dos Programas de Alfabetização de Adultos Reynaldo Fernandes Inep/MEC e FEA-RP/USP Evolução dos indicadores de analfabetismo no Brasil Tabela 1

Leia mais

Indenizações Pagas. Evolução das Indenizações Pagas por Natureza

Indenizações Pagas. Evolução das Indenizações Pagas por Natureza Ano 05 - Volume 02 Janeiro a Junho de 2015 Indenizações Pagas Natureza da Indenização Jan a Jun 2014 % % Jan a Jun 2014 x Morte 25.181 7% 22.395 7% -11% Invalidez Permanente 259.845 77% 269.410 78% 4%

Leia mais

A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO

A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO A PRESENTE PESQUISA ESTÁ ENQUADRADA NA ESTRATÉGIA DO SINDICATO APEOC DE CONSTRUIR A ADEQUAÇÃO DO PLANO DE CARREIRA DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO COM BASE NA LEI Nº 11738 DO PISO NACIONAL NA SUA FORMA ORIGINAL

Leia mais

Características Em 2013, foram visitados 149 mil domicílios e entrevistadas 363 mil pessoas.

Características Em 2013, foram visitados 149 mil domicílios e entrevistadas 363 mil pessoas. Rio de Janeiro, 18/09/2014 1 Abrangência nacional Temas investigados: Características Características gerais dos moradores Educação Migração Trabalho e rendimento Trabalho infantil Fecundidade Características

Leia mais

AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS

AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS AUDIÊNCIA PÚBLICA: O ENVELHECIMENTO E A QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS BRASÍLIA, Julho de 2014 1 Proteção Social entre os Idosos (pessoas com 60 anos ou mais de idade) - Brasil 2 Cobertura Social entre os

Leia mais

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015

TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015 ! TÊNIS DE MESA Nº 03 04/09/2015! Jogos Escolares da Juventude 2015 12 a 14 anos Boletim Oficial de Resultados 04/09/2015 CENTRO DE FORMAÇÃO OLÍMPICA - QUADRA 1 TÊNIS DE MESA - EQUIPE - Feminino 1 09:00

Leia mais

IMPACTO DO PISO NOS ESTADOS E MUNICÍPIOS SESSÃO ESPECIAL NA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO DA CAMARA DOS DEPUTADOS BRASÍLIA

IMPACTO DO PISO NOS ESTADOS E MUNICÍPIOS SESSÃO ESPECIAL NA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO DA CAMARA DOS DEPUTADOS BRASÍLIA IMPACTO DO PISO NOS ESTADOS E MUNICÍPIOS SESSÃO ESPECIAL NA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO DA CAMARA DOS DEPUTADOS BRASÍLIA - 19.05.2015 MILTON CANUTO DE ALMEIDA Consultor Técnico em: Financiamento, Planejamento

Leia mais

Áreas de negócio e de assistência técnica em todas UF

Áreas de negócio e de assistência técnica em todas UF São Paulo 11 AGO 11 Áreas de negócio e de assistência técnica em todas UF Até 60% 60% a 80% 80% a 100% UF META PROP. %PROP AC 3.939 4.921 125% AL 19.679 37.006 188% AM 22.238 19.127 86% AP 4.589 1.622

Leia mais

SiSUTEC. 2014/2 (3ª edição) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica

SiSUTEC. 2014/2 (3ª edição) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica SiSUTEC 2014/2 (3ª edição) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Brasília, julho de 2014 Pronatec Mais de 7,59 milhões de matrículas realizadas até julho de 2014: 2,16

Leia mais

Indenizações Pagas. Evolução das Indenizações Pagas por Natureza

Indenizações Pagas. Evolução das Indenizações Pagas por Natureza Ano 05 - Volume 04 Janeiro a Dezembro de 2015 Indenizações Pagas Natureza da Indenização % % x Morte 42.501 7% 52.226 7% -19% Invalidez Permanente 515.751 79% 595.693 78% -13% Despesas Médicas (DAMS) 94.097

Leia mais

Boletim Estatístico. Ano 07 - Agosto de 2017 DPVAT: O SEGURO DO TRÂNSITO

Boletim Estatístico. Ano 07 - Agosto de 2017 DPVAT: O SEGURO DO TRÂNSITO Boletim Estatístico Ano 07 - Agosto de 2017 DPVAT: O SEGURO DO TRÂNSITO Indenizações Pagas Natureza da Indenização % % x Morte 4.595 12% 3.236 42% Invalidez Permanente 27.482 73% 27.165 77% Despesas Médicas

Leia mais

CENTRO COLABORADOR EM ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DO ESCOLAR - CECANE/SC

CENTRO COLABORADOR EM ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DO ESCOLAR - CECANE/SC CENTRO COLABORADOR EM ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DO ESCOLAR - CECANE/SC COORDENADOR Prof. Francisco de Assis Guedes de Vasconcelos SUB-COORDENAÇÃO PESQUISA Prof. Cristine Garcia Gabriel Prof. Janaina das Neves

Leia mais

Boletim Informativo do PNI Vacinação contra HPV

Boletim Informativo do PNI Vacinação contra HPV COORDEAÇÃO GERAL DO PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÕES/DEVIT/SVS/MS 17 de dezembro de 2015 Boletim Informativo do PNI - 2015 Vacinação contra HPV Estratégia de vacinação contra HPV O Ministério da Saúde

Leia mais

Rio de Janeiro, 22/11/2016. Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016

Rio de Janeiro, 22/11/2016. Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016 1 Rio de Janeiro, 22/11/2016 Mercado de Trabalho Brasileiro 3º trimestre de 2016 O B J P R I N C I P A L Produzir informações contínuas PNAD Contínua Produzir informações anuais E T I sobre a inserção

Leia mais

III Encontro dos Coordenadores de Saúde do Trabalhador Estratégia e Agenda Renast

III Encontro dos Coordenadores de Saúde do Trabalhador Estratégia e Agenda Renast III Encontro dos Coordenadores de Saúde do Trabalhador Estratégia e Agenda Renast Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador/ Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador (CGSAT/DSAST)

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO CAPITALIZAÇÃO

MERCADO BRASILEIRO CAPITALIZAÇÃO MERCADO BRASILEIRO CAPITALIZAÇÃO JAN -2013 1 INTRODUÇÃO: Esse estudo está baseado nos números divulgados pela SUSEP através do sistema SES referente ao mês de janeiro de 2013. Esses dados são calcados

Leia mais

Mercado de Trabalho Brasileiro Retrospectiva 2012 a 2016 Brasil. Rio de Janeiro, 31/01/2017

Mercado de Trabalho Brasileiro Retrospectiva 2012 a 2016 Brasil. Rio de Janeiro, 31/01/2017 Mercado de Trabalho Brasileiro Retrospectiva 2012 a 2016 Brasil 1 Rio de Janeiro, 31/01/2017 Observação: Os indicadores para retrospectiva foram construídos através da média aritmética dos quatro trimestres

Leia mais

Evolução demográfica 1950-2010

Evolução demográfica 1950-2010 Evolução demográfica 195-1 37 A estrutura etária da população brasileira em 1 reflete as mudanças ocorridas nos parâmetros demográficos a partir da segunda metade do século XX. Houve declínio rápido dos

Leia mais

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Ministério das Comunicações Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD Suplementar 2013 Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular

Leia mais

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP

Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP. UBS Elpidio Moreira Souza AC. UPA município de Ribeirão Pires SP Centro de Artes e Esportes Unificados, Sertãozinho SP UBS Elpidio Moreira Souza AC Quadra da Escola Municipal Érico de Souza, Águas Lindas GO UPA município de Ribeirão Pires SP UBS Clínica da Família,

Leia mais

Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013.

Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013. Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A Divulgação dos resultados parciais do programa em 2013. O Programa Nacional de Suplementação de Vitamina A tem por objetivo a prevenção e controle da hipovitaminose

Leia mais

- Proteção Social - Sistema Previdenciário Brasileiro

- Proteção Social - Sistema Previdenciário Brasileiro GOVERNO DO BRASIL MPS - Ministério da Previdência Social SPS - Secretaria de Políticas de Previdência Social - Proteção Social - Sistema Previdenciário Brasileiro Outubro 2010 1 BRASIL Dados Gerais Idosos

Leia mais

Empresas familiares. Abril/2017

Empresas familiares. Abril/2017 Empresas familiares Abril/2017 Objetivo da Pesquisa Metodologia Tópicos da Pesquisa Informações técnicas Levantar informações sobre temas importantes no contexto atual dos Pequenos Negócios. TEMA ANALISADO

Leia mais

Levantamento Sistemático da Produção Agrícola

Levantamento Sistemático da Produção Agrícola Diretoria de Pesquisas COAGRO/GEAGRI LSPA Junho de 217 Levantamento Sistemático da Produção Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil Diretoria de Pesquisas

Leia mais

PERFIL DOS BENEFICIÁRIOS DO DO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL (RGPS) Análises Complementares BRASÍLIA, OUTUBRO DE 2014

PERFIL DOS BENEFICIÁRIOS DO DO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL (RGPS) Análises Complementares BRASÍLIA, OUTUBRO DE 2014 PERFIL DOS BENEFICIÁRIOS DO DO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL (RGPS) Análises Complementares BRASÍLIA, OUTUBRO DE 2014 1 PERFIL DOS BENEFICIÁRIOS DO INSS POR SEXO E IDADE 2 Em dezembro de 2013, eram

Leia mais

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS Seminário POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS LEGISLAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E POLÍTICA DE SEGURANÇA Brasília DF 13 de setembro de 2012 Regulamentação da atividade de mototaxista Mesmo diante da ausência

Leia mais

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA

DEMANDA DE CANDIDATOS POR VAGA Analista de Correios / Administrador AC / Rio Branco 123 1 123,00 Analista de Correios / Técnico em Comunicação Social Atuação: Jornalismo AC / Rio Branco 27 1 27,00 Médico do Trabalho Formação: Medicina

Leia mais

O Retorno da Educaçã. ção no Mercado de Trabalho

O Retorno da Educaçã. ção no Mercado de Trabalho O Retorno da Educaçã ção no Mercado de Trabalho Coordenador: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais do IBRE/FGV e da EPGE/FGV mcneri@fgv.br 1 Ranking - Município do Rio de Janeiro* Salário 1..Direito

Leia mais

PERDAS DE ÁGUA NAS CAPITAIS DO BRASIL

PERDAS DE ÁGUA NAS CAPITAIS DO BRASIL ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL PERDAS DE ÁGUA NAS CAPITAIS DO BRASIL UM OLHAR SOBRE AS ÁREAS IRREGULARES 2 Perdas de Água nas Capitais do Brasil PERDAS DE ÁGUA NAS CAPITAIS DO

Leia mais

PROINFÂNCIA. Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil

PROINFÂNCIA. Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil BAHIA- BA * Obras Aprovadas 8192 4096 2048 1024 512 256 128 64 32 16 8 4 2 1 PROINFÂNCIA

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MATO GROSSO OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DO MATO GROSSO Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 903.386 10,63% 56,24% População

Leia mais

Ind Distribuição de mulheres de 50 a 69 anos segundo tempo de realização da última mamografia, por ano, segundo região e escolaridade

Ind Distribuição de mulheres de 50 a 69 anos segundo tempo de realização da última mamografia, por ano, segundo região e escolaridade Ind030202 Distribuição de mulheres de 50 a 69 segundo tempo de realização da última mamografia, por ano, segundo região e escolaridade Indicador Distribuição de mulheres de 50 a 69 segundo tempo de realização

Leia mais

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast

Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Vigilância em Saúde do Trabalhador Agenda Estratégica e a Renast Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Secretaria de Vigilância

Leia mais

MEC. Censo da Educação Superior 2014

MEC. Censo da Educação Superior 2014 MEC Censo da Educação Superior 2014 BRASÍLIA DF 04 DE DEZEMBRO DE 2015 Tabela Resumo Estatísticas Gerais da Educação Superior Brasil 2014 Categoria Administrativa Estatísticas Básicas Total Geral Pública

Leia mais

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE:

CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Lista de Siglas do Pa CAF: CONTAG: CPR: FETRAF: NPT: ONG: PNCF: SAC: SAT: SIB: SIC: SQD: UTE: Boletim Ano VI - Edição nº 2/211 Boletim Ano VI - Edição nº 1 / 211 Painel de Indicador Nº 2/215 Técnicos Responsáv

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO CAPITALIZAÇÃO

MERCADO BRASILEIRO CAPITALIZAÇÃO MERCADO BRASILEIRO CAPITALIZAÇÃO I BIMESTRE -2013 1 INTRODUÇÃO: Esse estudo está baseado nos números divulgados pela SUSEP através do sistema SES referente ao mês de janeiro de 2013. Esses dados são calcados

Leia mais

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 3o Bimestre 5o ano Geografia Data: / / Nível: Escola: Nome: 1. Leia os dados e o gráfico do censo do

Leia mais

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE?

O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? O QUE É A LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE? Instrumento que permite o financiamento, por meio de incentivos fiscais, de projetos esportivos aprovados pelo Ministério do Esporte. BASE LEGAL: Lei 11.438/06 -

Leia mais

Corretores de Imóveis e Imobiliárias - Brasil. Quantos são e onde estão

Corretores de Imóveis e Imobiliárias - Brasil. Quantos são e onde estão Corretores de Imóveis e Imobiliárias - Brasil Quantos são e onde estão Corretores de Imóveis e Imobiliárias A Kuser Participações S/A traz mais uma vez ao mercado, um levantamento da quantidade de corretores

Leia mais

É um seguro que garante ao Proprietário o recebimento dos aluguéis e de outras despesas mensais quando o inquilino deixar de pagar o aluguel.

É um seguro que garante ao Proprietário o recebimento dos aluguéis e de outras despesas mensais quando o inquilino deixar de pagar o aluguel. MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS FIANÇA LOCATÍCIA 12 MESES ENCERRADOS EM ABRIL DE 2009 E 2008. É um seguro que garante ao Proprietário o recebimento dos aluguéis e de outras despesas mensais quando o inquilino

Leia mais

RREO. em foco. Estados + Distrito Federal. 3º Bimestre de Secretaria do Tesouro Nacional Mistério da Fazenda

RREO. em foco. Estados + Distrito Federal. 3º Bimestre de Secretaria do Tesouro Nacional Mistério da Fazenda RREO em foco Estados + Distrito Federal Relatório Resumido de Execução Orçamentária (Foco Estados + Distrito Federal) Subsecretária de Contabilidade Pública Gildenora Batista Dantas Milhomem Coordenador-Geral

Leia mais

Setor de Bens de Capital 1

Setor de Bens de Capital 1 Setor de Bens de Capital 1 A indústria de Bens de Capital (BC) que produz máquinas e equipamentos é tradicionalmente reconhecida como um componente estratégico de um padrão de desenvolvimento rápido e

Leia mais

Dados Demográficos: Grandes Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 04 - Maio/2013.

Dados Demográficos: Grandes Regiões, Estados e Municípios. Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 04 - Maio/2013. Estudo de Perfil do Consumidor Potencial Brasil - Dados Demográficos: Grandes Regiões, Estados e Municípios Boletim Técnico Gonçalves & Associados Edição 04 - Maio/ Edição 2009 www.goncalvesassociados.com

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS FIANÇA LOCATÍCIA

MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS FIANÇA LOCATÍCIA MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS FIANÇA LOCATÍCIA I BIMESTRE -2013 1 O segmento de Fiança Locatícia encerrou o mês de janeiro com um volume de produção de R$ 51,1 milhões contra R$ 40,3 milhões de 2012, um

Leia mais

Estratégia de Desenvolvimento Regional, Política Pública Negociada e Novas Institucionalidades.

Estratégia de Desenvolvimento Regional, Política Pública Negociada e Novas Institucionalidades. Seminário Internacional. Desarrollo Económico Territorial: nuevas praxis em América Latina y el el Caribe em el siglo XXI CEPAL/ILPES, Santiago de Chile, 19 al 21 de octubre de 2010 Estratégia de Desenvolvimento

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DAS EAPP JAN A ABRIL DE 2015 SUSEP SES 09/06/2015

MERCADO BRASILEIRO DAS EAPP JAN A ABRIL DE 2015 SUSEP SES 09/06/2015 MERCADO BRASILEIRO DAS EAPP JAN A ABRIL DE 2015 SUSEP SES 09/06/2015 lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- RESULTADOS: O Mercado Brasileiro de EPPA encerrou o período com um Lucro Líquido

Leia mais

Aspectos relacionados ao RPPS

Aspectos relacionados ao RPPS Aspectos relacionados ao RPPS COMISSÃO ESPECIAL PEC 287/17 REFORMA DA PREVIDÊNCIA Brasília 16/02/2017 Fonte: SPS/MPS Anuário Estatístico 2015 Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira RPPS no

Leia mais

MA003. Página 1 de 11. Responsável. Revisão A de 21/01/2015. Cantú & Stange Software. Página

MA003. Página 1 de 11. Responsável. Revisão A de 21/01/2015. Cantú & Stange Software. Página Manual de instalação de NF-e Zada MA003 Responsável Revisão A de 21/01/2015 FL Página 01 de 11 Página 1 de 11 MA003 Revisão A de 21/01/2015 Responsável: FL Manual de instalação de NF-e Zada MANUAL DE INSTALAÇÃO

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL As conquistas mais definitivas da Previdência Social, como um sistema do trabalhador para o trabalhador, estão ligadas às lições aprendidas com os próprios segurados, no tempo e no espaço Extraído do Livro

Leia mais

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015

MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 MICROCEFALIA DENGUE CHIKUNGUNYA ZIKA NOVEMBRO DE 2015 Situação da microcefalia no Brasil Até 21 de novembro, foram notificados 739 casos suspeitos de microcefalia, identificados em 160 municípios de nove

Leia mais

TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012

TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012 TRIBUTAÇÃO SOBRE AS MPEs RANKING DOS ESTADOS 2012 ROTEIRO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS LIÇÕES: BONS E MAUS EXEMPLOS 1 O PROJETO 1 2 3 4 O PROJETO RESULTADOS DIFERENÇA NAS ALÍQUOTAS

Leia mais