Ao ler este livro, lembrei me de algumas dificuldades que encontrei durante a

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ao ler este livro, lembrei me de algumas dificuldades que encontrei durante a"

Transcrição

1

2 APRESENTAÇÃO Ao ler este livro, lembrei me de algumas dificuldades que encontrei durante a minha vida profissional e também na minha vida acadêmica, principalmente quando estava desenvolvendo a minha tese de doutorado, em obter informações concernentes aos temas, assim como as validações empíricas das teorias existentes sobre a obtenção de resultados e as parametrizações tantos nas organizações formais quanto nas informais. O autor reuniu nesta obra uma farta e compreensível contribuição a respeito de elementos tão importantes na gestão de negócios. Muitas vezes somos questionados sobre: Qual é o segredo do sucesso de uma empresa? Por que algumas empresas conseguem serem bem sucedidas e outras fracassam? Quais as características do gestores de sucesso? Eu diria que não existe uma receita básica. A dedicação, perspicácia, conhecimento, criatividade sem duvidas são atributos fundamentais para um gestor conduzir uma empresa ao sucesso e sobrevivência, aliado a necessidade de acercar-se de pessoas capazes, motivadas e engajadas com a empresa. Entendo que este livro esta dirigido para gestores, empreendedores, estudantes de cursos de administração e negócios, com uma visão pratica de ferramentas e mecanismos que propiciem uma aplicação fácil e eficaz na condução de um negócio. A linguagem é bastante acessível, rica em informações e de fácil compreensão. Muitos livros abordaram até agora este assunto, nada de forma tão clara, simples e objetiva. Recomendo este livro em apreço que tem como objetivo primordial reunir informações atualizadas sobre o assunto. Newton de Oliveira Presidente, IBG - Indústria Brasileira de Gases Ltda Ph.D Administração de Empresas pela FGV SP Mestre em Engenharia Química pela USP POLI, SP Premiado Empreendedor EY do Ano 2002, em conjunto com a Revista Exame, categoria indústria.

3 SUMÁRIO Administrando empresas focando no futuro... 5 Instrumentos para dirigir o seu negócio... 8 Resumo executivo de metas para 201X Estratégias para a empresa - próximos três anos Objetivos Quantificados Anuais do Plano de Negócios - Resumo Objetivos Quantificados Trimestrais - Radar Executivo Medidas de performance e objetivos quantificados para 201X Monitoramento mensal de previsão de vendas e de rentabilidade Questionário de reuniões produtivas Preparação do plano de negócios Sumário executivo de um plano formal de negócios Descrição do negocio Análise de mercado e de estratégias Pesquisa e desenvolvimento de produtos e serviços Operações Descrição de executivos chave e participações no negócio... 49

4 7 Recursos humanos Fontes e aplicações de caixa Informações financeiras Análise FOFA ou SWOT (pontos fortes, fracos, oportunidades e ameaças) Sugestões práticas para melhorar o seu plano de negócios Planejamento de negócios sugestões práticas para novos empreendedores Sugestão de plano de revisão dos negócios e de seus objetivos divisão, negócios, clientes e grandes linhas de produtos janeiro de 201X a dezembro de 201Y Programa de incentivos governamentais Auto-avaliação simplificada de governança corporativa Holland Consulting... 72

5 Administrando Empresas Focando no Futuro Empresas tem de estar focadas para o futuro, ou serão como carroças enfrentando automóveis Introdução Administrar uma empresa é semelhante a conduzir um automóvel. O importante é o que vem pela frente. No passado, quando se dirigia uma carroça de boi, havia tempo para o administrador e o condutor olhar para os lados, para trás, e manter bons bate-papos com os outros. Agora, o administrador de empresas e o condutor de veículos precisam se preocupar mais com o que vem pela frente. Os vidros dianteiros precisam estar limpos. Os limpadores de parabrisa precisam funcionar, e bem. O foco é o que vem pela frente. É o nosso futuro. A única certeza empresarial é que as mudanças serão cada vez mais frequentes e profundas. ADMINISTRAÇÃO, NEGÓCIOS E RECURSOS FOCADOS EM RESULTADOS 5

6 Quando se propõe mudanças todos se sentem fora de suas zonas de conforto. No Brasil os empresários e a sociedade em geral estão desabituados a exigirem e prestarem contas entendíveis em função de décadas de inflação elevada até Se prestação de contas do passado ainda continua precário no Brasil, imagine a extensão de progresso necessário para obter prestação de contas prospectivas, como é pratica usual nos países mais desenvolvidos. A maioria dos empresários estão colocando no sentido figurado nas suas empresas os faróis de iluminação nos fundos, e as lanterninhas de ré na frente. Quando escurece ou há tempestades, a única opção para os mesmos é dirigir devagar. Nestas oportunidades, quem enxerga o que vem pela frente de forma melhor e com menos expectativas de surpresas tem um diferencial competitivo significativo e decisivo. Os softwares e processos implantados já cuidam da prestação de contas de eventos e transações ocorridas substancialmente no piloto automático. Nos países desenvolvidos divergências entre previsões atualizadas do trimestre ou mês anterior com o realizado no trimestre/mês são necessariamente explicados para os dirigentes. Em pouco tempo, as previsões atualizadas ficam boas e confiáveis. É mais fácil prever o futuro com credibilidade, do que ficar explicando divergências e surpresas, entre previsões atualizadas deficientes e o realizado aos seus superiores. A maioria dos colaboradores nas empresas resistem no Brasil em forneceram as informações para alimentarem os softwares de planejamento e de gestão, Corporate Performance Management (CPM) (ainda pouco difundido no Brasil e no exterior), ERP/modulo planejamento, Customer Relationship Management (CRM) e assemelhados de apoio de gestão para o futuro. Querem e estão conseguindo manter o status quo de imprescindíveis, se destacando no individual, sem focar na atuação e no entrosamento do time como um todo. Como exemplo de deficiências recorrentes de praticas negociais no Brasil há a falta de habilidade de transformar transações rotineiras e repetitivas de compras e vendas em compromissos formais de intenções anuais. Isto contempla descriminar as intenções detalhando os produtos ou serviços, valores, quantidades, especificações técnicas, datas e locais de entrega. O que é uma prática comum no exterior, é pouco difundida no Brasil. Se alguém fizer um levantamento de tempo efetivamente produtivo despendido nas negociações entre compradores e vendedores, haverá de constatar que a maioria dessas atividades traz poucos benefícios para os clientes e fornecedores. Mas aumentam os custos. 6 Holland Consulting

7 Quantos vendedores entendem efetivamente dos negócios do cliente? Quantos se preparam para encantar e surpreender seus clientes? Conhecer e ouvir suas necessidades? Quantos fornecem idéias e soluções para reduzir custos, aumentar o valor dos bens e serviços dos clientes? Quantos têm em mãos as séries históricas e o conhecimento do comportamento do cliente? Quantos usam softwares CRM, B2B, note e netbooks, Ipads internet, e websites para reduzir o custo das transações? Quantos, de fato, negociam maneiras de transformar negociações mensais rotineiras em compromissos anuais formais? Se a tecnologia acima parece cara, qual o custo de oportunidade das vendas não concretizadas pela falta de informação ou pela falta de otimização de estoques? Por exemplo, quantas empresas têm informações disponibilizadas em tempo hábil para os dirigentes sobre a carteira firme de vendas e sua rentabilidade? E da carteira de compromissos de intenções de vendas e de sua rentabilidade? E dos pedidos emitidos em aberto, com chances de materialização em negócios, com sua rentabilidade? Quantas empresas mantêm radares executivos com previsões confiáveis de metas e objetivos estratégicos, carteira de vendas e de sua rentabilidade, de vendas e de resultados, de caixa e outros ativos e passivos estratégicos, para o próximo mês e o mês corrente? E quantos fazem comparações dessas previsões quando se materializam, comparando-as com a situação real, para aprender as origens das surpresas? Certamente, existem nas empresas inúmeros profissionais internos fornecedores de previsões que não melhoram, porque não são medidos e acompanhados corretamente. O que aconteceria se a remuneração incluísse como valor de avaliação de performance a falta de qualidade das informações de previsões prestadas? Para ser competitivo e lucrativo não podemos adiar as mudanças. O que é acompanhado e medido acontece. É essencial mais qualidade e a quantidade de informes e indicadores de performance prospectivos nas empresas no Brasil. Nunca mudaremos o passado, mais podemos melhorar o futuro se as ferramentas de gestão prospectivas forem utilizadas. Os faróis de iluminação das empresas precisam estar iluminando a frente, e não como hoje, direcionados e iluminando o passado. ADMINISTRAÇÃO, NEGÓCIOS E RECURSOS FOCADOS EM RESULTADOS 7

8 Instrumentos para Dirigir o seu Negócio O individualismo dentro do grupo pode ser muito prejudicial para o seu negócio. 1. Resumo executivo de metas da empresa (negócio, divisão, etc.) O objetivo de elaboração de um plano de negócios resumido em poucas páginas é para todos os colaboradores trabalharem juntos na mesma direção. Procure sempre incluir nele, 3 a 5 Metas Estrategicamente Importantes. E sempre dê ênfase para processos contínuos de renovação/inovação. Lembrete: todos os objetivos anotados no resumo executivo de metas precisam ser quantificados, alcançáveis, controláveis, e monitoráveis. 8 Holland Consulting

9 Distribua o seu plano resumido numa página para todos os seus colaboradores, envolvendo-os e explicando e repetindo continuamente sua ênfase nesses objetivos. Gaste pelo menos meia hora por dia, para visitar e cumprimentar seus colaboradores, perguntando como sentem que o plano está funcionando, e pedindo sempre, idéias, para fazê-lo funcionar melhor. Impressionante, como o pessoal na linha de frente e de retaguarda sabem e querem colaborar para o sucesso do time, como um todo. Basta pedir, ouvir, depois, implantar. Nos esportes coletivos, times vencedores têm entrosamento entre todos os participantes jogadores, treinadores, dirigentes, e profissionais de apoio. Cada um procura desempenhar bem o seu papel, dentro do todo. É como uma orquestra. Se um falhar, ao invés de ouvir música, ouvem-se ruídos, e sons desafinados. 2. Calendário de atividades da empresa (negócio, divisão, etc.) O que é medido e acompanhado acontece. Explicite todos os eventos importantes de sua empresa numa planilha tipo Excel, colocando no campo esquerdo por atividades: vendas, produção, administração e finanças. Coloque nas colunas a seguir, descrição das tarefas, datas, e responsáveis, para os próximos doze meses. Sempre mantenha controle do que precisa fazer, pensando nos próximos 12 meses. A cada três meses, re-emita novo calendário, deletando três meses passados, e acrescentando três meses. Monitore os 12 meses, dando ênfase para os próximos 3 meses. Toda vez que houver novas atividades, novas datas, novos responsáveis, destaque com uma cor diferente. E quando houver problemas ou destaques críticos, destaque em negrito. Exemplo de calendário de atividades: Vendas: Conferência anual com representantes e distribuidores, relatório mensal de atividades com clientes, reunião mensal de vendedores, outras atividades críticas/estratégicas com clientes, plano de marketing, feira de negócios. Empresa como todo: Relatório gerencial de atividades mensal, reunião da Diretoria, reunião de planejamento estratégico, reunião de acompanhamento/ revisão estratégica. Processo orçamentário: emissão de diretrizes, plano de vendas, reunião de estratégias, comitê de investimentos. Produção: reunião de operações, projetos em andamento, entrega de relatórios de acompanhamentos estratégicos críticos. ADMINISTRAÇÃO, NEGÓCIOS E RECURSOS FOCADOS EM RESULTADOS 9

10 Recursos humanos: Avaliações 360 graus de executivos e colaboradores chaves, avaliações de pessoal, reuniões de comprometimentos com planos estratégicos, de avaliações e de promoções, de integração, etc. 3. Reporte de Negócios Trimestral ou Mensal. A maioria dos donos e CEOS não são ligadas a números da contabilidade. São empresários criativos focados no crescimento do seu negócio. Todavia, números contábeis são importantes, especialmente, em épocas desafiantes e difíceis. No início de cada mês receba um relatório de uma página Objetivos de mensuração mensal radar executivo, mostrando o previsto atualizado para o mês seguinte, real para o mês corrente, real do mês anterior, comparado com o estimado usado no mês anterior. Obtenha explicações mensais para variações entre o real e o previsto atualizado no mês anteior. A qualidade das previsões e estimativas melhoram se forem medidas e acompanhadas, mensalmente. Corrija as falhas dos processos de estimativas, até atingir um bom nível de confiabilidade. Seja intolerante com erros de previsões. O importante é o que vem pela frente. Para os faltosos, obrigue os mesmos para explicarem as falhas para o corpo dirigente. Repita o martírio, até aprenderem a fornecer previsões confiáveis. A intolerância para erros pelo grupo exerce milagres na evolução profissional dos colaboradores relapsos. É muito mais desconfortável explicar erros para os seus pares, do que para o seu Chefe. O essencial é sempre ter qualidade e confiança nas previsões. Lembre-se, dirigir uma empresa é como dirigir um automóvel. Fique focado mais no pára-brisa da frente, do que nos três espelhos retrovisores. Implante e receba mensalmente um relatório de previsão de vendas e de rentabilidade, carteira firme, carteira de compromissos de intenções, de propostas em abertas enviadas para clientes, em aberto, com mais de 50% de chances, sempre com suas respectivas rentabilidades. O ideal é sempre atualizar estes relatórios, incluindo os últimos doze meses, comparando com os últimos 12 meses do ano anterior. A maioria prefere receber as informações via gráficos, de acumulados, mês a mês. Facilita a visualização e entendimento. E mostra rapidamente as tendências. Sou testemunha das enormes dificuldades que os administradores têm para melhorarem a qualidade destas informações, do que vem pela frente. Se não insistir, com pressão e firmeza, não é possível promover a quebra deste paradigma. A maioria dos donos e CEOS não são ligadas a números da contabilidade. São empresários criativos focados no crescimento do seu negócio. O essencial é sempre ter qualidade e confiança nas previsões. 10 Holland Consulting

11 Com base nas minhas experiências práticas, 90% das informações, discussões e destaques são dedicados para eventos passados. Como ninguém altera o passado, gaste só 20% do seu tempo olhando para trás pelos espelhos retrovisores, e os 80% restantes, do que vem pela frente. Lembrem-se, informações sobre o passado é commodity, fáceis de serem obtidas. Na maioria das empresas estas informações são obtidas automaticamente, via computadores. Todos querem fazer você ficar entretido com o canto da sereia, via informações de eventos passadas, onde você nada pode fazer para modificar. Resumindo, quebre o paradigma na sua empresa, e foque no futuro, onde você e todos os seus colaboradores podem fazer a diferença. A B 4. Instrumentos Eficazes de Acompanhamento Acompanhamento diário e previsão semanal de caixa Surpresas sempre ocorrem quando abaixamos a nossa guarda. Sempre monitore o seu caixa, não cresça demasiadamente rápido, e mantenha-se capitalizado. Evite empréstimos bancários, onde os juros cobrados sejam mais altos que a rentabilidade do seu negócio. Na maioria dos casos, os juros cobrados nos empréstimos são mais altos, e, portanto, você estará administrando o seu negócio, só para pagar o seu banqueiro. Todos os donos querem crescer, rapidamente. Crescimento consome caixa, no café da manhã, almoço e jantar. Caixa é usado para manter contas a receber e estoques. Se você não tiver operando no varejo, e sim, na indústria, existe uma boa distância entre fazer, vender e receber. Refaça mensalmente suas previsões de vendas, carteiras de vendas firmes, de compromissos de intenções de vendas e de propostas de vendas emitidas em aberto, com mais de 50% de chances, sempre com suas respectivas rentabilidades previstas. É aqui onde os maiores ganhos de produtividade, e de resultados podem ser obtidos. É difícil quebrar o paradigma, de omissão histórica de informações nesta área. Mas, se implantado, os benefícios serão imediatos. Atualmente, a maioria das empresas tem condições para apurar rentabilidade de previsões de vendas. Mas, não fazem. ADMINISTRAÇÃO, NEGÓCIOS E RECURSOS FOCADOS EM RESULTADOS 11

12 Comunique, comunique, e comunique. Todos os colaboradores querem saber como seu time está indo: bem, mal, ganhando, perdendo, etc. Inclua na sua paixão por resultados focados, paixão para manter seus colaboradores informados. Explique o que está ocorrendo, em relação ao plano. O que é medido e comunicado é o que acontece, ou é feito. Não deixe seus colaboradores ficarem adivinhando como sua empresa e suas metas estão materializando. Não ausência de informações, seus colaboradores irão ficar preocupados, ao invés de ficarem focados no seu trabalho. Em geral, a maioria dos administradores peca por falta de comunicações aos seus liderados. E pecam também, por falta de ouvir sistematicamente, os seus liderados. Meia hora por dia, percorrendo as instalações e ouvindo todos ou muitos dos seus colaboradores, periodicamente, opera milagres. E gera informações confiáveis sem filtros. Porque não enviar todo mês, uma carta para todos os colaboradores, dizendo como está indo a sua empresa, e atendimento de suas metas? E listando aqueles que estão atingindo as metas. Aqueles que não estão atingindo as metas são omitidos na carta. A simples omissão é informação, que certamente estimulará os omitidos, para aumentarem os seus esforços, para entrarem nas cartas futuras, daqueles que atingiram a meta. O importante que a carta foque nos aspectos positivos, não constrangendo colaboradores, de forma nominal, ou trazendo desânimo para os mesmos. nominal, ou criando desanimo. ou criando desanimo. Olhe o futuro, e depois, mude o presente. Se você consegue enxergar uma semana na frente, você pode bater a sua concorrência. Quem está na frente, enxerga mais e melhor. E toma decisões melhores, e mais fundamentadas. Identifique até cinco indicadores estratégicos para acompanhamento diário, semanal e mensal. Identifique os indicadores mais úteis para o seu negócio, e depois, faça o seu acompanhamento. Executivos responsáveis por vendas, produção, administração e finanças também devem ter os seus indicadores de acompanhamento, nas suas áreas de responsabilidade de atuação. Despesas operacionais em relação a vendas Custos e despesas crescem continuamente, como unhas. Defina com antecedência a percentagem aceitável de despesas em relação a vendas mensais. Compare percentagem continuamente com as melhores empresas, no Brasil, e no mundo. C D E F 12 Holland Consulting

13 Uma forma informativa é de mostrar estas despesas, acumuladas em doze meses, comparadas com vendas acumuladas em doze meses. E idealmente, comparado com o ano anterior. Gráficos de acumulados anuais, mês a mês, nestes casos, em geral, são mais informativos, e fáceis de serem entendidos. Mostra as tendências. Identifique e monitore as despesas mais importantes dentro da sua empresa, que mais contribuem para o crescimento de vendas. A maioria dos administradores não monitora despesas em relação a vendas. Por exemplo, a maioria de distribuidoras tem uma margem bruta de 18/20%. Desta forma, precisam manter suas despesas em torno de 15/16%, para não operar no prejuízo. G Uma vez implantado, você vai constatar que é igual a dirigir um veículo à noite, com os faróis ligados, ao invés de desligados. Experimente, e nunca mais irá tirar estas informações do seu radar. Implante sistema de custos efetivos e participativos A maioria dos donos dos processos operacionais de vendas, produção, finanças e administração são arredios à detecção de oportunidades de redução de custos. Por natureza, pessoas só promovem mudanças, se estimuladas. Daí, a importância de sistemas de acompanhamento de custos efetivos e participativos. Por exemplo, orçamentos matriciais, onde os donos dos processos de logística, comunicações, recursos humanos, tributos, etc. fazem seus orçamentos, com base no entendimento do negócio, sua área de atuação, promovendo comparações de custos, tecnologia e desempenho, com o mercado, no Brasil, e no exterior. E monitoram e questionam continuamente os custos e tecnologias, nas áreas de sua atuação, dos donos dos processos de vendas, produção, administração e finanças. Assim, ambos elaboram orçamentos com a preocupação de redução de custos, e aumento de produtividade e de eficiência. Na prática, sabemos que a maior praga que existe na elaboração de um orçamento é a disponibilização da informação dos gastos do ano anterior, para ajudar na elaboração do orçamento corrente. O que precisa ser feito e perguntado continuamente é se a minha atividade ou tarefa não existissem no passado, o que eu precisaria, no mínimo? Onde poderia ser atendido, neste mínimo necessário, de forma racional e econômica? Se não é estratégico para o meu negócio, porque não terceirizo? Se puderem usar profissionais e processos menos onerosos, porque mantenho o status quo. ADMINISTRAÇÃO, NEGÓCIOS E RECURSOS FOCADOS EM RESULTADOS 13

14 Faça estas perguntas com insistência, anualmente. É impressionante como colaboradores ficam alienados em relação as melhores práticas, quando não questionados com freqüência. No processo de elaboração de orçamentos com base zero, você vai descobrir que muitos dos seus colaboradores desconhecem seus processos e as melhores práticas. Premiações e reconhecimentos por ganhos/perdas de eficiência, redução/aumentos de custos também precisam ser monitorados mensalmente. Premie os melhores, e penalize os piores. Uma forma eficaz de reconhecimento, e de pressão de pares, é colocar no mural os resultados do acompanhamento, com cores para os desvios em relação ao orçado verde, quando melhor, amarelo - atingindo o orçado, rosa abaixo, no primeiro mês, e vermelho abaixo, a partir do segundo mês. Controles inovadores de vendedores, distribuidores e representantes. Todas as empresas mantêm controles comparativos, de vendedores, distribuidores, e representantes. Sempre há muita rivalidade, onde muitos são perdedores. Pelo menos são em relação aos ganhadores. Uma forma criativa e positiva é de implantar controles de vendas, mensais e anuais, e de contribuição de margens, mensais e acumulado anual, por vendedores, distribuidores e representantes. Assim, a pressão de todos os vendedores é de sempre superar o ano anterior, em termos de vendas, e de margens, mensais, e acumuladas, anualmente. Na prática, muito reconhecimento é dado para vendas, pelas vendas, e pouco, para as margens nas vendas. E há casos, de reconhecimento para vendedores, onde as margens são negativas. Assim, todos ficam focados em melhorar a seu desempenho, em relação ao ano anterior, com foco correto também nas margens de contribuição. H 5. Reuniões Produtivas Declare guerra às reuniões improdutivas/dispersivas. As reuniões são essenciais para alinhar todos os envolvidos, pois papel/ aceita tudo. Alinhamento e comprometimento se obtêm só olho no olho. A título de lembrete, as pessoas se comunicam na seguinte proporção: expressão corporal 50%, entonação da sua voz 43% e conteúdo das palavras ditas ou escritas 7%. Aprenda a usar corretamente o seu corpo e sua entonação de voz, para facilitar a obtenção dos resultados desejados. E fique mais atento para captar o que as pessoas estão comunicando para você e os outros presentes à reunião, via seus corpos e entonações de suas vozes. 14 Holland Consulting

15 Em reuniões eficientes, as mesmas são bem lideradas, com foco em resultados, começo no horário estabelecido, fechos decisivos, e controle claro e público de pendências para todos os envolvidos. E os líderes sempre ficam focados naquilo que os corpos dos presentes e a entonações de suas palavras estão comunicando. Se suas reuniões não estão produtivas, considere em introduzir um questionário, obrigando todos a saírem de suas zonas de conforto, manifestando suas opiniões, e obrigando os mesmos a colaborarem claramente para tornar as reuniões futuras mais produtivas. Em muitas empresas, felizmente, burocracia é evitada. O preenchimento do questionário pode ser verbal, olho no olho, captando as comunicações de corpo e de entonação. É mais rápido e verdadeiro. Considere em usar um flipchart para anotar o que você está ouvindo. Não abra mão do controle do flipchart durante a reunião e emita a ata da reunião rapidamente. Elaboração de agenda, conteúdo e preparação prévia é essencial. Considere em chamar uma ou outra pessoa para discutir e colaborar na elaboração da agenda com você, para envolvê-los mais e obter pontos de vistas importantes, independentes e diferentes, antes de oficializar a agenda. Em muitas reuniões eficientes, as minutas das reuniões estão esboçadas e mentalizadas, antes do começo das mesmas. E as objeções são antecipadas, localizadas, e resolvidas de forma politicamente corretas.como lembrete oportuno, em situações de emergência, é comum e produtivo promover reuniões com todos de pé. A vantagem é que o alinhamento olho no olho se obtêm rapidamente. Também, dentro das melhores práticas, deve-se evitar o uso prolongado de apresentações em powerpoint. Para a maioria é a hora para descansar, assistindo um cineminha. Reuniões são promovidas para debater questões, questionar, identificar as melhores idéias e iniciativas, e obter alinhamento de todos. Muitos usam apresentações prolongadas em PowerPoint para evitar ou reduzir questionamentos dos presentes à reunião. ADMINISTRAÇÃO, NEGÓCIOS E RECURSOS FOCADOS EM RESULTADOS 15

16 6. Liderança e Feedback Segundo Jack Welch, então CEO da GE, liderança eficaz pressupõe cinco características: dinâmico, capacidade de dinamizar e motivar os outros, capacidade de trabalho e de raciocínio lógica, habilidade de fazer decisões difíceis e paixão pelo trabalho. Feedback é a informação que o emissor obtém da reação do receptor à sua gestão, estilo de liderança, mensagens enviadas, etc. Serve para avaliar os resultados da transmissão. É para a pessoa e não da pessoa. É aquele que damos para a pessoa e não aquilo que falamos da pessoa pelas costas. Vantagens de obtenção de feedback: é descritivo (não interpreta), é neutro (não é julgador), não esconde agendas ocultas, fornece outras opções e perspectivas para o solicitante e é positivo, quando solicitado conforme sugerido abaixo. Poucos usam feedback para avaliar seu estilo de liderança, andamento de seus negócios e serviços prestados, etc. É uma forma também de liderados obterem informações valiosas de avaliações de seus chefes A vantagem é custo zero, descomplicado, e prático. Sempre podemos e devemos usar a inteligência alheia para o nosso crescimento pessoal, idem, da empresa, como um todo. Apesar de tantas vantagens, é pouco difundido e usado no Brasil. O processo de feedback tem de ser espontâneo e não programado. Exemplos de conversas não programadas de corredor, ou durante um intervalo, de forma reservada. Oi, estou curioso. Você tem 5 minutos? Estou querendo melhorar. Você me ajuda? Como ando em termos de dinamismo?... Como podemos dinamizar os trabalhos de equipe? O que você faria no meu lugar?... Como podemos trabalhar na nossa empresa de forma mais eficiente? O que você faria no meu lugar?... Como você acha que trabalho em termos de eficiência? O que você faria no meu lugar? Tomo decisões difíceis com rapidez? Como podemos dinamizar o nosso departamento, ou empresa? 16 Holland Consulting

17 Como poderíamos ser mais produtivos? O que você faria para fazer nosso processo tornar mais produtivo? Nossa empresa mais lucrativa? O que você faria diferente se tivesse no meu lugar? E depois de ouvir, dizer muito obrigado, com boa entonação de voz, e linguagem corporal. Feedback funciona bem com fornecedores, externos e internos. Exemplos: Oi, estou curioso. Você tem 15 minutos? Como quero crescer e comprar mais de vocês (fornecedor), você e outros de sua empresa poderiam me ajudar fornecendo inteligência de mercado? Como? Quando pode disponibilizar? O que você acha da nossa empresa? Se você fosse o dono da minha empresa, o que você faria diferente? Por quê? Em sua opinião, quais são nossos pontos fortes? E áreas de melhorias? Em sua opinião, você, e outros da sua empresa (fornecedores) teriam mais inteligência de mercado, indicações de clientes, etc.? Poderiam compartilhar após esta reunião? Se sim, quando podemos compartilhar? Se não, porque não? Porque você se recusa ser fornecedor parceiro, para eu crescer? Seja provocativo! Experimente. Funciona! ADMINISTRAÇÃO, NEGÓCIOS E RECURSOS FOCADOS EM RESULTADOS 17

18 7. Segmentação de Clientes por Rentabilidade e Nível Efetivo de Satisfação Conhecimento de clientes é essencial para reter e promover lealdade. Considere em adotar um software do tipo Customer Relationship Management CRM. O uso desta ferramenta exige disciplina na coleta de informações, facilitando negócios e o dialogo com os clientes. Acompanhe sempre as informações de rentabilidade dos seus clientes. É mais importante e relevante, do que o acompanhamento de lucratividade, produto a produto. E é essencial para a tomada de decisões de negócios de forma fundamentadas. Existe uma frase bonita Clientes sempre em primeiro lugar. Falar é fácil. Praticar é mais difícil. Menos discursos, mais transpiração, relacionamentos e atitudes de parceiros são essenciais. Uma ferramenta poderosa para avaliar a temperatura de Clientes em primeiro lugar é averiguando a lealdade de seus clientes, mapeando o nível de satisfação dos mesmos. No início, mapeie todos os clientes importantes, principalmente os incluídos nos 80/20 de resultados. Faça a segmentação de clientes em evangelistas (encantados que fazem indicações de outros clientes), encantados (que fazem indicações se assim forem solicitados), paladinos (satisfeitos, com lealdade de avisar fornecedor de que está sendo disputado por um concorrente, recebeu oferta com preço mais atrativo, etc.), satisfeitos (que mudam de fornecedor se receberem uma oferta melhor), insatisfeitos e não sei. E como as melhorias só acontecem quando acompanhadas, implante controles de monitoramento público de satisfação efetiva dos seus clientes, de forma individualizada, com números de indicações para outros clientes, etc. 8. Instrumentos de Celebração Todas as empresas precisam dar aos seus colaboradores: remuneração, reconhecimento, diversão, crescimento pessoal, desafios, comunicação e segurança. O ser humano reage melhor a impulsos positivos. Maioria quer participar, fazer a diferença, ser dono de um processo, e bem atendido nos sete quesitos acima. Para comemorar, é preciso saber antes o que está em jogo, e o que está sendo medido. No pressuposto do que é importante está sendo medido e comunicado, seus resultados, quando alcançados, precisam ser comemorados. Todas as empresas precisam dar aos seus colaboradores: remuneração, reconhecimento, diversão, crescimento pessoal, desafios, comunicação e segurança. 18 Holland Consulting

19 Alguns erros de comemorações que merecem destaque: Eventos anuais, sempre iguais, ou semelhantes, dentro da rotina de mesmice. Comemorações fortemente inclinados só para o pessoal de vendas. Reconhecimento sempre para os mesmos colaboradores. Reconhecimento monetário influenciado pelo cargo e antiguidade. Se um estagiário fizer a diferença, digamos trazendo um novo mega cliente ou negócio, dando uma idéia brilhante, etc. ganha 3 salários de gratificação. Se o mesmo partir de seu chefe que ganha 10 vezes mais, ganha também 3 salários de gratificação. Se merecido e justo, porque não dar a mesma gratificação ao estagiário? Mesmo que seja 30 vezes a sua remuneração mensal. Procure sempre encantar os seus melhores colaboradores. Pessoal de apoio esquecido, ou colocado em segundo plano. Foco de reconhecimento em dinheiro. Na prática, dinheiro não está no topo da lista de prioridades de seus colaboradores. Se você der R$1.000 por uma tarefa bem feita, quando ele voltar a fazer o mesmo, vai querer receber R$ Agora, se você der reconhecimento amplo, e criativo, na próxima vez, ele vai querer receber mais reconhecimento. OK. Dê mais reconhecimento, mais também, aumente as expectativas. Alguns acertos de comemorações que merecem destaque: Festa de início de ano, premiando os destaques do ano anterior, e anunciando com festa os objetivos estratégicos do ano que entra. Ajuda no comprometimento e buy-in, por parte de todos. Convidando familiares queridos para receberem as premiações em nome dos ganhadores de reconhecimento. Assim, a premiação duplica ou triplica, com reconhecimento divulgado no trabalho, na família e no círculo de amizades dos ganhadores. Esquina da vitória, para anunciar semanalmente as vitórias significantes. E quando excepcionais, assim que conhecidas. Pessoalmente, quando minha equipe ganhava uma conta nova, sempre comemorávamos com todos, oferecendo em copinhos Champagne. Como era horário de expediente, dávamos duas opções de Champagne normal ou diet. Como álcool não pode ser usado durante expediente, dávamos preferência para a marca Guaraná Antártica. Todos gostavam da forma criativa de comemoração, rápida, objetiva, e amiga. Divulgação de destaques e reconhecimentos mensais, em murais, internet, e intranet. Premiando e reconhecendo publicamente os poucos que fizeram a diferença, gratificando bem $$$. Você vai poder recrutar e reter as estrelas do mercado. ADMINISTRAÇÃO, NEGÓCIOS E RECURSOS FOCADOS EM RESULTADOS 19

20 1 Resumo executivo de metas para 201X Nome do Executivo: Empresa, Divisão ou Negócio: Encerramento: 20 Holland Consulting

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro Anexo 3 PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro 1. Capa 2. Sumário 3. Sumário executivo 4. Descrição da empresa 5. Planejamento Estratégico do negócio 6. Produtos e Serviços 7. Análise de Mercado 8. Plano de Marketing

Leia mais

Gestão orçamentária na Construção Civil

Gestão orçamentária na Construção Civil Um retrato dos desafios, práticas e resultados do planejamento orçamentário Maio, 2014 Agenda Metodologia e amostra Desafios e cultura da organização na gestão orçamentária Processos e riscos do planejamento

Leia mais

Gestão de Processos Estratégicos

Gestão de Processos Estratégicos Gestão de Processos Estratégicos Fevereiro/2014 DEFINIÇÕES Rede de Desenvolvimento Integrado Arranjos que estimulam e proporcionam um comportamento (em rede) cooperativo entre agentes governamentais e

Leia mais

Modelo de Plano de Negócios

Modelo de Plano de Negócios Modelo de Plano de Negócios COLEÇÃO DEBATES EM ADMINISTRAÇÃO Empreendedorismo Modelo de Plano de Negócios Elaboração Marcelo Marinho Aidar Escola de Administração de Empresas de São Paulo (EAESP) F U N

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Balanced Scorecard Construção e execução

Balanced Scorecard Construção e execução Balanced Scorecard Construção e execução 1 Apresentação Executivo por mais de 30 anos, ocupou cargos de diretor, direção geral e de conselheiro em empresas multinacionais e nacionais de médio e grande

Leia mais

Coleção ajuda no sucesso profissional

Coleção ajuda no sucesso profissional COLEÇÃO Unic Josafá Vilarouca Renata Tomasetti (11) 5051-6639 josafa@unicbuilding.com.br renata@unicbuilding.com.br Coleção ajuda no sucesso profissional Série lançada pela Publifolha possui 36 títulos,

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Por Maria Luiza Panchihak

BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. Por Maria Luiza Panchihak BENEFÍCIOS DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS Por Maria Luiza Panchihak Este artigo apresenta os benefícios do gerenciamento de projetos e mostra a importância desse processo, dentro de uma organização, para

Leia mais

OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES

OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES BOLETIM TÉCNICO MAIO/2011 OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES Um empresário da indústria se assustou com os aumentos de custo e de impostos e reajustou proporcionalmente seus preços. No mês seguinte,

Leia mais

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA?

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? Que nome estranho! O que é isso? Essa expressão, Margem de Contribuição, pode soar estranha aos ouvidos, mas entender o que significa ajudará muito

Leia mais

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES 202 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ALGUNS COMENTÁRIOS ANTES DE INICIAR O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO: a) Os blocos a seguir visam obter as impressões do ENTREVISTADO quanto aos processos de gestão da Policarbonatos,

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

ATENDIMENTO A CLIENTES

ATENDIMENTO A CLIENTES Introdução ATENDIMENTO A CLIENTES Nos dias de hoje o mercado é bastante competitivo, e as empresas precisam ser muito criativas para ter a preferência dos clientes. Um dos aspectos mais importantes, principalmente

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO Plano de Ação Estratégico Estratégias empresariais Anexo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE Unidade de Capacitação Empresarial Estratégias

Leia mais

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. A maioria absoluta das avaliações obtêm excelentes resultados,

Leia mais

Modelo para elaboração do Plano de Negócios

Modelo para elaboração do Plano de Negócios Modelo para elaboração do Plano de Negócios 1- SUMÁRIO EXECUTIVO -Apesar de este tópico aparecer em primeiro lugar no Plano de Negócio, deverá ser escrito por último, pois constitui um resumo geral do

Leia mais

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING Gestão de Negócios Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING 3.1- CONCEITOS DE MARKETING Para a American Marketing Association: Marketing é uma função organizacional e um Marketing é uma função organizacional

Leia mais

Diagnosticando os problemas da sua empresa

Diagnosticando os problemas da sua empresa Diagnosticando os problemas da sua empresa O artigo que você vai começar a ler agora é a continuação da matéria de capa da edição de agosto de 2014 da revista VendaMais. O acesso é restrito a assinantes

Leia mais

E-BOOK GESTÃO FINANCEIRA PARA EMPREENDEDORES. Excellence Software (19) 2512-1411 Campinas-SP

E-BOOK GESTÃO FINANCEIRA PARA EMPREENDEDORES. Excellence Software (19) 2512-1411 Campinas-SP E-BOOK GESTÃO FINANCEIRA PARA EMPREENDEDORES Excellence Software (19) 2512-1411 Campinas-SP ÍNDICE Introdução Planejamento Financeiro Gestão do Fluxo de Caixa Gestão por Centros de Custo Otimizando o seu

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

Capítulo 9. O líder empreendedor e a equipe

Capítulo 9. O líder empreendedor e a equipe O líder empreendedor e a equipe Este material é parte integrante do livro Criação de Novos Negócios e pode ser distribuído livremente desde que citada a fonte: www.elsevier.com.br/josedornelas ou www.josedornelas.com.br.

Leia mais

Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte

Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte Planejamento e Controle do Lucro Empresas de Pequeno e Médio Porte Profa. Dariane Reis Fraga Castanheira darianer@fia.com.br www.fia.com.br/proced Profa. Dariane Reis Fraga Castanheira 1 Objetivo Planejamento

Leia mais

OS TRÊS PILARES DO LUCRO PEQUENA E MÉDIA EMPRESA

OS TRÊS PILARES DO LUCRO PEQUENA E MÉDIA EMPRESA BOLETIM TÉCNICO MAIO/2011 OS TRÊS PILARES DO LUCRO PEQUENA E MÉDIA EMPRESA Um empresário da indústria se assustou com os aumentos de custo e de impostos e reajustou proporcionalmente seus preços. No mês

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

PRATICANDO A LIDERANÇA COACHING

PRATICANDO A LIDERANÇA COACHING 8 ENCREPI - PRATICANDO A LIDERANÇA COACHING SARAH MUNHOZ 23/11/09 LIDERANÇA Kotler(1988): processo de movimentar um grupo ou grupos em alguma direção por meios não coercitivos. Robbins (1991): é o processo

Leia mais

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto CURRÍCULO DO PROFESSOR Administradora com mestrado e doutorado em engenharia de produção

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

Guia completo para o sucesso de sua loja de veículos: dicas de como ter sucesso e manter uma alta lucratividade neste segmento

Guia completo para o sucesso de sua loja de veículos: dicas de como ter sucesso e manter uma alta lucratividade neste segmento Guia completo para o sucesso de sua loja de veículos: dicas de como ter sucesso e manter uma alta lucratividade neste segmento Introdução Planejamento Divulgando sua loja Como fechar as vendas Nota Fiscal

Leia mais

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. Outra característica marcante: Cada palestra é um projeto

Leia mais

Planejamento Financeiro

Planejamento Financeiro Planejamento Financeiro Geralmente quando um consultor é chamado a socorrer uma empresa, ele encontra, dentre outros, problemas estruturais, organizacionais, de recursos humanos. O problema mais comum

Leia mais

MARKETING DIGITAL PLANEJAMENTO DE PARA2014

MARKETING DIGITAL PLANEJAMENTO DE PARA2014 MARKETING DIGITAL PLANEJAMENTO DE PARA2014 INTRODUÇÃO Início de ano é sempre uma excelente época para empresas dedicarem um tempo para planejar como serão os próximos meses, quais são seus objetivos e

Leia mais

Resumo Executivo. Modelo de Planejamento. Resumo Executivo. Resumo Executivo. O Produto ou Serviço. O Produto ou Serviço 28/04/2011

Resumo Executivo. Modelo de Planejamento. Resumo Executivo. Resumo Executivo. O Produto ou Serviço. O Produto ou Serviço 28/04/2011 Resumo Executivo Modelo de Planejamento O Resumo Executivo é comumente apontada como a principal seção do planejamento, pois através dele é que se perceberá o conteúdo a seguir o que interessa ou não e,

Leia mais

COMO A GIR NA CRI $E 1

COMO A GIR NA CRI $E 1 1 COMO AGIR NA CRI$E COMO AGIR NA CRISE A turbulência econômica mundial provocada pela crise bancária nos Estados Unidos e Europa atingirá todos os países do mundo, com diferentes níveis de intensidade.

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO Odilio Sepulcri odilio@emater.pr.gov.br www.odiliosepulcri.com.br www.emater.pr.gov.br Telefone: (41) 3250-2252 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. Perfil para empreender

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0405 05 IDENTIFICAÇÃO: Título: ORÇAMENTO EMPRESARIAL Atributo: ADMINISTRAÇÃO EFICIENTE Processo: PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO O QUE É : É um instrumento de planejamento

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

8/3/2009. Empreendimento temporário que tem por finalidade criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.

8/3/2009. Empreendimento temporário que tem por finalidade criar um produto, serviço ou resultado exclusivo. FAE S.J. dos Pinhais Projeto e Desenvolvimento de Software Conceitos Básicos Prof. Anderson D. Moura O que é um projeto? Conjunto de atividades que: 1. Objetivo específico que pode ser concluído 2. Tem

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

Comece o quanto antes! Logo que receber seu kit Mary Kay, experimente todos os produtos, pratique em você mesma. Inclua tudo na sua rotina diária.

Comece o quanto antes! Logo que receber seu kit Mary Kay, experimente todos os produtos, pratique em você mesma. Inclua tudo na sua rotina diária. POR ONDE COMEÇAR??? 1. Comece o quanto antes! Logo que receber seu kit Mary Kay, experimente todos os produtos, pratique em você mesma. Inclua tudo na sua rotina diária. Vai ganhar confiança, aprender

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões 8 Passos para o Recrutamento Eficaz Por Tiago Simões Uma das coisas que aprendi na indústria de marketing de rede é que se você não tem um sistema de trabalho que comprovadamente funcione, muito provavelmente

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SIG. Diferença entre relatórios gerados pelo SPT e os gerados pelo SIG

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SIG. Diferença entre relatórios gerados pelo SPT e os gerados pelo SIG Introdução SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SIG A finalidade principal de um SIG é ajudar uma organização a atingir as suas metas, fornecendo aos administradores uma visão das operações regulares da empresa,

Leia mais

Como conversar com possíveis iniciadas

Como conversar com possíveis iniciadas Como conversar com possíveis iniciadas Convidar outras mulheres a tornarem-se consultoras é uma atividade chave para quem quer tornar-se diretora. Aprenda como fazer a entrevista de iniciação, ou seja:

Leia mais

Clima organizacional e o desempenho das empresas

Clima organizacional e o desempenho das empresas Clima organizacional e o desempenho das empresas Juliana Sevilha Gonçalves de Oliveira (UNIP/FÊNIX/UNESP) - jsgo74@uol.com.br Mauro Campello (MC Serviços e Treinamento) - mcampello@yahoo.com Resumo Com

Leia mais

10 TÉCNICAS PARA GESTÃO COMERCIAL

10 TÉCNICAS PARA GESTÃO COMERCIAL 10 TÉCNICAS PARA GESTÃO COMERCIAL Os meses de dezembro e janeiro na maioria das empresas são marcados invariavelmente por atividades de planejamentos, orçamentos e metas para o ano novo. Para o próximo

Leia mais

Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul

Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul O segredo do sucesso da sua empresa é conhecer e entender o que entra e o que sai do caixa durante um dia, um mês ou um ano. 1 Fluxo de caixa: organize

Leia mais

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Página 1 de 6 MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Carga Horária: 360 horas/ aulas presenciais + monografia orientada. Aulas: sábados: 8h30 às 18h, com intervalo para almoço. Valor: 16 parcelas

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso:

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso: PLANO DE NEGÓCIOS Causas de Fracasso: Falta de experiência profissional Falta de competência gerencial Desconhecimento do mercado Falta de qualidade dos produtos/serviços Localização errada Dificuldades

Leia mais

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança 03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança Render 5 Vezes Mais por Leandro Sierra Índice Apresentação...03 Introdução... 04 Passo 1...05 Passo 2... 08 Educação Financeira para a Segurança do seu Investimento...

Leia mais

Organizando e administrando o negócio

Organizando e administrando o negócio NEGÓCIO CERTO COMO CRIAR E ADMINISTRAR BEM SUA EMPRESA Organizando e administrando o negócio Manual Etapa 4/Parte 1 Boas vindas! Olá, caro empreendedor! É um prazer estar com você nesta etapa de sua viagem

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES Por cerca de 50 anos, a série Boletim Verde descreve como a John Deere conduz os negócios e coloca seus valores em prática. Os boletins eram guias para os julgamentos e as

Leia mais

Projeto gestão de demanda http://www.administradores.com.br/artigos/marketing/projeto-gestao-de-demanda/62517/

Projeto gestão de demanda http://www.administradores.com.br/artigos/marketing/projeto-gestao-de-demanda/62517/ Projeto gestão de demanda http://www.administradores.com.br/artigos/marketing/projeto-gestao-de-demanda/62517/ Muitas empresas se deparam com situações nas tarefas de previsões de vendas e tem como origem

Leia mais

Construa um sistema de gestão com a sua cara: inovando

Construa um sistema de gestão com a sua cara: inovando Construa um sistema de gestão com a sua cara: inovando Qual o gestor, que ainda não tenha se perguntado qual seria o sistema de gestão mais inteligente para buscar o resultado esperado? Alguns gestores

Leia mais

Conceitos e técnicas. Devem ser contempladas algumas atividades típicas de vendas:

Conceitos e técnicas. Devem ser contempladas algumas atividades típicas de vendas: Administração da equipe de vendas (Neste texto de apoio: Conceitos e técnicas e Plano de ação de vendas) Conceitos e técnicas A correta administração da equipe de vendas é fundamental para o bom desempenho

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

Curso Empreendedorismo Corporativo

Curso Empreendedorismo Corporativo Curso Empreendedorismo Corporativo Todos os fatores relevantes atuais mostram que a estamos em um ambiente cada vez mais competitivo, assim as pessoas e principalmente as organizações devem descobrir maneiras

Leia mais

Programa de Remuneração Variável 2015

Programa de Remuneração Variável 2015 Programa de Remuneração Variável 2015 APRESENTAÇÃO A Remuneração Variável é parte representativa nas práticas de gestão de pessoas. O modelo tradicional de pagamento através de salário fixo, tornou-se

Leia mais

PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA

PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA SUMÁRIO DE PROJETOS WORKFLOW... 03 ALINHAMENTO ESTRATÉGICO... 04 IDENTIDADE CORPORATIVA... 04 GESTÃO DE COMPETÊNCIAS... 05 TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO... 05 REMUNERAÇÃO...

Leia mais

Prof Elly Astrid Vedam

Prof Elly Astrid Vedam Prof Elly Astrid Vedam Despertar e saber lidar com os mecanismos de liderança e se preparar para a gestão de pequenos e médios negócios; Identificar conflitos no ambiente de seu negócio, calculando e avaliando

Leia mais

COMO ELABORAR UM ORÇAMENTO CONTÍNUO (Moving Budget)

COMO ELABORAR UM ORÇAMENTO CONTÍNUO (Moving Budget) COMO ELABORAR UM ORÇAMENTO CONTÍNUO! O que é Orçamento Contínuo?! Qual a periodicidade normal para um Orçamento Contínuo?! Como podemos estruturá-lo?! O que é mais importante para um Orçamento Contínuo?!

Leia mais

Gestão estratégica em processos de mudanças

Gestão estratégica em processos de mudanças Gestão estratégica em processos de mudanças REVISÃO DOS MACRO PONTOS DO PROJETO 1a. ETAPA: BASE PARA IMPLANTAÇÃO DE UM MODELO DE GESTÃO DE PERFORMANCE PROFISSIONAL, que compreenderá o processo de Análise

Leia mais

Governança Corporativa ao Alcance de Todos

Governança Corporativa ao Alcance de Todos Autor: Charles Holland* Governança Corporativa ao Alcance de Todos Segundo o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa IBGC, governança corporativa são as práticas e os relacionamentos entre acionistas/quotistas,

Leia mais

Missão, Visão e Valores

Missão, Visão e Valores , Visão e Valores Disciplina: Planejamento Estratégico Página: 1 Aula: 12 Introdução Página: 2 A primeira etapa no Planejamento Estratégico é estabelecer missão, visão e valores para a Organização; As

Leia mais

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Comunicação empresarial eficiente: Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Sumário 01 Introdução 02 02 03 A comunicação dentro das empresas nos dias de hoje Como garantir uma comunicação

Leia mais

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO #11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ÍNDICE 1. 2. 3. 4. 5. 6. Apresentação Níveis de planejamento Conceito geral Planejamento estratégico e o MEG Dicas para elaborar um planejamento estratégico eficaz Sobre a

Leia mais

Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro. Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014

Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro. Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014 Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014 INTRODUÇÃO Sobre o Relatório O relatório anual é uma avaliação do Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da FDC sobre as práticas

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

Faça você mesmo seu modelo de gestão Canvas, seguindo um guia de 7 passos

Faça você mesmo seu modelo de gestão Canvas, seguindo um guia de 7 passos Faça você mesmo seu modelo de gestão Canvas, seguindo um guia de 7 passos Pesquisas revelam que 45% da receita de uma organização são gerados pelos melhores gestores da empresa.você quer desenhar a sua

Leia mais

É um documento que sistematiza a informação sobre a ideia de negócio, como pretende implementá-la, e que resultados espera obter no futuro.

É um documento que sistematiza a informação sobre a ideia de negócio, como pretende implementá-la, e que resultados espera obter no futuro. Feira do Empreendedor, 23 de Novembro de 2012 É um documento que sistematiza a informação sobre a ideia de negócio, como pretende implementá-la, e que resultados espera obter no futuro. É essencial para

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul GESTÃO FINANCEIRA para ficar no azul índice 03 Introdução 04 Capítulo 1 O que é gestão financeira? 06 Capítulo 2 Gestão financeira e tomada de decisões 11 13 18 Capítulo 3 Como projetar seu fluxo financeiro

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

Toda estratégia que visa melhorar vendas tem como objetivo final a retenção e fidelização de clientes. Por isso, conhecer em detalhes o público-alvo,

Toda estratégia que visa melhorar vendas tem como objetivo final a retenção e fidelização de clientes. Por isso, conhecer em detalhes o público-alvo, Toda estratégia que visa melhorar vendas tem como objetivo final a retenção e fidelização de clientes. Por isso, conhecer em detalhes o público-alvo, suas necessidades e preferências, é o primeiro passo

Leia mais

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE 1. INTRODUÇÃO A contabilidade foi aos poucos se transformando em um importante instrumento para se manter um controle sobre o patrimônio da empresa e prestar contas e informações sobre gastos e lucros

Leia mais

Como contratar staff de Projetos...

Como contratar staff de Projetos... Como contratar staff de Projetos... Que qualidades estou buscando no profissional de Projetos, e como identificá-las...? Alguns exemplos do que podemos buscar..! 1. Visão 2. Orientação estratégica 3. Inovação

Leia mais

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Nada é mais perigoso do que uma idéia, quando ela é a única que temos. (Alain Emile Chartier) Neste módulo, faremos, a partir

Leia mais

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS

DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS DICA 1. VENDA MAIS ACESSÓRIOS Uma empresa sem vendas simplesmente não existe, e se você quer ter sucesso com uma loja você deve obrigatoriamente focar nas vendas. Pensando nisso começo este material com

Leia mais

MANUAL DE RETENÇÃO BARRED S

MANUAL DE RETENÇÃO BARRED S MANUAL DE RETENÇÃO BARRED S A contratação contínua de talentos não pode ser isolada da estratégia geral da empresa, pois o correto recrutamento irá agregar pessoas mais valiosas, trazendo mais resultados.

Leia mais

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning Curso e- Learning Planejamento Estratégico através do Balanced Scorecard Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa

Leia mais

Como desenvolver o seu plano empresarial

Como desenvolver o seu plano empresarial PLANO EMPRESARIAL Como desenvolver o seu plano empresarial l Esta apresentação tem por objetivo sugerir a criação de um plano empresarial focando q Anatomia de um plano empresarial q Base para a automatização

Leia mais

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes Mais que implantação, o desafio é mudar a cultura da empresa para documentar todas as interações com o cliente e transformar essas informações em

Leia mais

1 ENTÃO VOCÊ QUER SER UM EMPREENDEDOR

1 ENTÃO VOCÊ QUER SER UM EMPREENDEDOR 1 ENTÃO VOCÊ QUER SER UM EMPREENDEDOR Antes de me tornar mãe, as pessoas me diziam que os primeiros cinco anos são os mais difíceis para os pais. Aquela pequena criatura depende de você desde o momento

Leia mais

CONSTRUINDO A IDENTIDADE DE UMA EQUIPE Por: Veronica Ahrens

CONSTRUINDO A IDENTIDADE DE UMA EQUIPE Por: Veronica Ahrens CONSTRUINDO A IDENTIDADE DE UMA EQUIPE Por: Veronica Ahrens Uma das definições mais simples e de fácil compreensão sobre equipes é: um conjunto de pessoas com um objetivo em comum. Esse objetivo também

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO

PÓS-GRADUAÇÃO LATU SENSU EMENTA MBA GESTÃO DE VAREJO MBA GESTÃO DE VAREJO 1 - FORMAÇÃO DE PREÇO E ANÁLISE DE MARGEM NO VAREJO: Ementa: Conhecer o conceito de lucro na visão da precificação baseada no custo; demonstrar termos utilizados na formação de preço

Leia mais

Gestão de Portfólio de Projetos

Gestão de Portfólio de Projetos Dez/2010 Gestão de de Projetos Prof. Américo Pinto FGV, IBMEC-RJ, PUC-RJ, COPPEAD Email: contato@americopinto.com.br Twitter: @americopinto Linkedin: Americo Pinto Website: www.americopinto.com.br Por

Leia mais

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Com uma abordagem inovadora e lúdica, o professor Paulo Gerhardt tem conquistado plateias em todo o Brasil. Seu profundo

Leia mais

O QUE SE ESPERA DE UMA GERENTE BARRED S

O QUE SE ESPERA DE UMA GERENTE BARRED S O QUE SE ESPERA DE UMA GERENTE BARRED S Ela lidera a equipe, contrata, acompanha e desenvolve equipes, faz o plano de vendas, cuida do ponto de venda e da vitrine, controla o estoque, monitora e motiva

Leia mais

Como lutar em uma guerra de preços

Como lutar em uma guerra de preços Como lutar em uma guerra de preços Juliana Kircher Macroplan Prospectiva, Estratégia e Gestão Julho de 2006 Guerras de preços já são fatos concretos que ocorrem frequentemente em todos os mercados, seja

Leia mais

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Componentes de uma empresa Objetivos Organizacionais X Processos de negócios Gerenciamento integrado

Leia mais

Consciências de Desempenho Empresarial

Consciências de Desempenho Empresarial Quando o Design Thinking surgiu como uma alternativa para Solucionar Problemas, apresentando um novo perfil de raciocínio, considerando as partes interessadas como eixo de referência, ousando em pensar

Leia mais

SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo

SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo SOU UMA STARTUP, E AGORA? Descubra algumas respostas para o futuro da sua Startup baseado nas lições do Empreendedorismo Empreendedor Empresas Micro e Pequenas Empreender Empreendedorismo Cultural Ação

Leia mais

Questionário de entrevista com o Franqueador

Questionário de entrevista com o Franqueador Questionário de entrevista com o Franqueador O objetivo deste questionário é ajudar o empreendedor a elucidar questões sobre o Franqueador, seus planos de crescimento e as diretrizes para uma parceria

Leia mais

capítulo 5 O CONTROLE FINANCEIRO DA ORGANIZAÇÃO Senhores, aqui estão os relatórios financeiros do ano passado. Podemos pagar nossas dívidas?

capítulo 5 O CONTROLE FINANCEIRO DA ORGANIZAÇÃO Senhores, aqui estão os relatórios financeiros do ano passado. Podemos pagar nossas dívidas? 22 capítulo 5 O CONTROLE FINANCEIRO DA ORGANIZAÇÃO A Contabilidade é o instrumento que as empresas usam para controlar suas finanças e operações. E os demonstrativos contábeis balanço patrimonial e demonstração

Leia mais

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

- Como utilizar essas medidas para analisar, melhorar e controlar o desempenho da cadeia de suprimentos?

- Como utilizar essas medidas para analisar, melhorar e controlar o desempenho da cadeia de suprimentos? Fascículo 5 A medição do desempenho na cadeia de suprimentos Com o surgimento das cadeias de suprimento (Supply Chain), a competição no mercado tende a ocorrer cada vez mais entre cadeias produtivas e

Leia mais