PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE MACEIÓ Cartilha Previdenciária

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE MACEIÓ Cartilha Previdenciária"

Transcrição

1 PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE MACEIÓ Cartilha Previdenciária 1 IPREV MACEIÓ

2

3 PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE MACEIÓ Cartilha Previdenciária

4

5

6

7 Sumário Palavra do Prefeito 09 Banco do Brasil 10 Palavra do Diretor Presidente 11 Contexto da Previdência no Brasil 12 O Regime Geral de Previdência Social 12 O Regime Próprio de Previdência Social - RPPS 12 Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF 13 Previdência dos Servidores Públicos do Município de Maceió (AL) 13 Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Maceió IPREV MACEIÓ 13 Onde é possível encontrar as informações completas sobre o Regime Próprio de Previdência Social no Município de Maceió (AL)? 14 Quem deve contribuir para o Regime Próprio de Previdência Social no Município de Maceió e quanto é a contribuição? 14 Existe isenção de contribuição previdenciária? 15 Quais são os segurados e beneficiários do IPREV MACEIÓ? 15 O IPREV MACEIÓ é responsável pelo pagamento de quais benefícios? 15 Regras de Transição ou de Direito Adquirido: O que é isso? 16 Quais as regras vigentes para a concessão dos benefícios previdenciários do RPPS e quais são os requisitos e a forma de cálculo e de reajuste? 17 Glossário 22 7 IPREV MACEIÓ

8 8 IPREV MACEIÓ

9 Palavra do Prefeito Gestão pública é trabalho de equipe. Somente com esse espírito tem sido possível dar conta da grandiosa tarefa de recolocar Maceió na rota do desenvolvimento. Uma filosofia que nossa gestão tem implementado com a seriedade de quem sempre reconheceu, desde o primeiro dia de administração, que o servidor é nosso principal aliado na realização de nossas metas. Em nossa gestão, essa filosofia tem se traduzido numa real e efetiva valorização dos servidores. O Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Maceió Iprev é nosso instrumento para a implementação de uma política autossustentável e de excelência na administração do nosso regime próprio de previdência. Esta cartilha coloca nas mãos de nossos servidores informações preciosas para a compreensão e melhor utilização de seus direitos no momento de sua aposentadoria. Leiam, reflitam e utilizem o que a legislação proporciona ao servidor e o que nossa gestão tem se empenhado diuturnamente para garantir-lhes, por meio de um trabalho pautado na probidade e na transparência. Previdência é sinônimo de segurança, de garantia de um futuro confortável e recompensador para aqueles que dedicaram sua vida profissional em prol da gestão pública e do bem comum. Para que aqueles que deram sua parcela de contribuição na construção de um novo tempo sejam valorizados hoje e recompensados no futuro. RUI PALMEIRA Prefeito de Maceió 9 IPREV MACEIÓ

10 Banco do Brasil Há uma relação histórica e profunda entre o Banco do Brasil e o Governo, que remonta até as próprias origens de ambos. No momento da criação da Administração Pública no País, com a vinda de D. João VI e da Família Real, criou-se também o BB para viabilizar a execução das finanças públicas e da gestão monetária. Nascemos, assim, tendo em nosso DNA a competência e a vocação de prestar serviços aos entes públicos. No âmbito interno, o BB tem como um de seus pilares fundamentais o segmento de negócios com os governos federal, estadual, distrital e municipal. Possuímos uma estrutura completa para pensar, organizar e distribuir produtos e serviços voltados para a Administração Pública. Dessa forma, torna-se para nós uma oportunidade extremamente relevante contribuir com a iniciativa do IPREV MACEIÓ, sob a tutela da gestão municipal de elaborar e publicar esta cartilha com orientações acerca dos direitos e deveres dos servidores, para obterem benefícios previdenciários do RPPS. Ações como esta, de transparência e boa governança previdenciária, marcam gestões comprometidas com o respeito ao cidadão e ao esforço tributário da sociedade. O tema previdenciário para o servidor público traz consigo diversas complexidades, cujo esclarecimento proporciona vantagens e benefícios para todos. Se, de um lado, o servidor, quando devidamente esclarecido, passa a agir com a consciência de seus direitos e deveres; de outro, a Administração Pública se beneficia da redução dos custos administrativos. O pleno acesso dos segurados às informações do Regime Próprio de Previdência Social RPPS é um dever do Município de Maceió e do Iprev. A valorização dos servidores é o caminho da melhoria dos serviços prestados pela Administração Pública, dos quais se beneficiam os cidadãos que deles precisam e por eles pagam seus impostos. Para nós, do Banco do Brasil, sobram motivos para celebrar o alinhamento desta iniciativa aos nossos valores e práticas de ética, probidade e respeito. Boa leitura a todos! SUPERINTENDENTE Banco do brasil 10 IPREV MACEIÓ

11 Palavra do Diretor Presidente É com muita satisfação que demos início à nossa gestão norteando os destinos do Iprev aos princípios seguidos pela administração do prefeito Rui Palmeira, que tem como diretriz fundamental a melhoria constante do serviço público prestado à sociedade, alinhado à valorização do servidor do Município de Maceió. Previdência é sinônimo de segurança; queremos um Instituto em que os direitos sejam garantidos a todos os segurados com isonomia de tratamento e de aplicação das regras previdenciárias. Buscaremos a reestruturação financeira do Iprev a todo custo, de modo a garantir o futuro dos servidores e seus dependentes. Enfatizo que trabalharemos sempre com probidade e transparência, pautados na ética e legalidade para seguir em frente, de modo que o nosso Instituto de Previdência caminhe com as próprias pernas, sendo referência no Município. Outro grande desafio será o de melhorar o padrão de atendimento, buscando o aperfeiçoamento constante nos processos de concessão de aposentadorias e pensões, minimizando o tempo de resposta ao servidor público, conferindo assim maior eficiência ao trabalho prestado pelo Instituto. Esta cartilha é um importante instrumento que o IPREV MACEIÓ oferece a seus segurados com o objetivo de disseminar a legislação previdenciária. Não tem a pretensão de ensinar, mas de servir de referência para o momento de sua aposentadoria. Faça bom uso e conte com esta administração na superação da melhoria dos serviços prestados pelo Iprev. LEONARDO NOVAES MACHADO Diretor Presidente 11 IPREV MACEIÓ

12 4. Contexto da Previdência do Brasil No Brasil, atualmente, parece que virou moda falar em Previdência Social. Sempre que alguém comenta economia, logo vem à tona que o crescimento brasileiro somente ocorrerá caso seja implantada uma nova reforma previdenciária. Mas o que, afinal, é a previdência social? A previdência é um seguro coletivo que visa garantir aos trabalhadores públicos ou privados um rendimento mensal no momento em que deixar de trabalhar, ou seja, no momento de sua aposentadoria. A aposentadoria no Brasil pode ser concedida se cumpridos os requisitos exigidos na Constituição Federal, como tempo de contribuição, idade ou invalidez atestada por laudo médico pericial. Também faz parte da Previdência Social o amparo aos dependentes do segurado, como cônjuges, companheiros, filhos menores ou inválidos, por meio de benefícios de pensão, que pode ser vitalícia ou temporária, independentemente do momento em que o segurado tenha ingressado no regime previdenciário. A Previdência Social pode assegurar, também, o pagamento de outros benefícios. São eles: salário-maternidade, salário-família, auxílio-reclusão e auxílio-doença, proporcionando um reforço no orçamento mensal do trabalhador ou de sua família. Os trabalhadores da iniciativa privada ou os servidores públicos não vinculados ao Regime Próprio são segurados obrigatórios do Regime Geral de Previdência Social RGPS, que está sob gestão do Instituto Nacional de Seguridade Social INSS. Os servidores públicos titulares de cargos efetivos do Município de Maceió são segurados do seu Regime Próprio de Previdência Social, cuja gestão está a cargo do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Maceió, o IPREV MACEIÓ. 4.1 O Regime Geral de Previdência Social É o regime em que, obrigatoriamente, estão inscritos todos os trabalhadores, empresários e servidores públicos que não são titulares de cargos efetivos ou, mesmo sendo titulares de cargos efetivos, foram vinculados a esse regime, por decisão do respectivo ente federativo. É gerido pelo Instituto Nacional do Seguro Social INSS. Todos os trabalhadores e as pessoas com mais de 16 (dezesseis) anos de idade podem ser segurados da Previdência Social. O benefício mínimo é de um salário mínimo em vigor. Já o benefício máximo, conhecido como o teto do RGPS, é definido por portaria ministerial. A partir de 1º de janeiro de 2014, o teto do RGPS/INSS é de R$ 4.390, O Regime Próprio de Previdência Social RPPS É assegurado aos servidores titulares de cargos efetivos da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, incluídas suas autarquias e fundações. Pode ser instituído por lei de iniciativa do Poder Executivo do respectivo ente federativo e podem ser segurados somente os servidores públicos titulares de cargo efetivo (estatutários), compreendendo, no mínimo, a concessão dos benefícios de aposentadoria por invalidez, compulsória, por idade e tempo de contribuição, especial de professor, por idade e pensão por morte. Os servidores titulares de cargos efetivos vinculados a ente federativo que não tenha instituído o seu Regime Próprio; os servidores públicos celetistas e os servidores ocupantes, exclusivamente, de cargo em comissão de livre nomeação e exoneração, de cargo eletivo, bem 12 IPREV MACEIÓ

13 como de outro cargo temporário; são segurados obrigatórios do Regime Geral de Previdência Social RGPS/INSS. O RPPS possui caráter contributivo e solidário, mediante a contribuição do ente público, dos servidores ativos, aposentados e pensionistas e, por meio da sua unidade gestora - Fundo ou Instituto de Previdência - tem a responsabilidade e competência para efetuar a gestão do regime, como análise, concessão e pagamento dos benefícios previdenciários e o cumprimento dos critérios exigidos por lei para a preservação do equilíbrio financeiro e atuarial do RPPS. As constantes mudanças na previdência dos servidores públicos revolucionaram os conceitos previdenciários e determinaram que na governança do RPPS sejam observadas as novas regras vigentes, bem como princípios de transparência, de fiscalização e de controle do regime. Esse regime, único em cada Estado e em cada Município, está submetido à orientação, à supervisão, ao controle e à fiscalização do Ministério da Previdência Social. Os recursos de titularidade do RPPS, provenientes das contribuições previdenciárias do ente federativo e dos segurados, só podem ser utilizados para o pagamento dos benefícios previdenciários, sendo proibida a sua utilização para qualquer outro fim, inclusive a prestação de assistência financeira ou de saúde aos segurados. Quem já oferece assistência médica a seus segurados pode continuar a prestar o serviço, mas é obrigado a separar a natureza das contribuições. 5. Lei de Responsabilidade Fiscal LRF A Lei de Responsabilidade Fiscal define com clareza a obrigatoriedade de gestão dos estados e municípios em relação a todos os tributos de competência constitucional desses poderes junto à Federação. E o parágrafo único do art. 11 da LRF define as punições, impedindo as transferências de recursos da União para aqueles que não cumprirem as regras. 6. Previdência dos Servidores Públicos do Município de Maceió (AL) O Instituto de Previdência e Assistência do Município de Maceió Ipam, foi criado por meio da Lei nº 1.318, em 25 de agosto de 1966, com a finalidade de conceder benefícios previdenciários aos servidores da Prefeitura de Maceió, e transformado pela Lei nº 4.846, em 02 de julho de 1999, no Instituto de Previdência Municipal de Maceió Iprev, que é uma entidade de natureza autárquica, integrante da administração indireta do Município e com autonomia administrativa e financeira, tendo como objetivo gerir o Regime Próprio de Previdência Social do Município. Com a sanção da Lei nº 5.828, em 18 de setembro de 2009, houve a reorganização do Regime Próprio de Previdência Social do Município e a alteração da denominação do Iprev, que passou a se chamar Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Maceió IPREV MACEIÓ. 7. Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Maceió IPREV MACEIÓ Sua estrutura organizacional é formada pelo Conselho de Administração, pela Diretoria Executiva e pelo Conselho Fiscal. O Conselho de Administração, órgão de deliberação colegiada e orientação superior do IPREV MACEIÓ, é composto por 9 (nove) membros efetivos e respectivos suplentes. O Conselho Fiscal, órgão encarregado da fiscalização da gestão do Iprev, foi criado a partir da aprovação da Lei Municipal nº 5.828/2009, sendo composto por 5 (cinco) 13 IPREV MACEIÓ

14 membros efetivos e 5 (cinco) suplentes. Tanto na composição do Conselho de Administração como também na do Conselho Fiscal foi garantida a participação de representantes dos servidores públicos ativos, aposentados e pensionistas como forma de assegurar o envolvimento dos segurados nas instâncias de decisão em que os seus interesses sejam objeto de discussão e deliberação. Os membros ocupantes do Conselho de Administração, do Conselho Fiscal e da Diretoria Executiva devem ser escolhidos entre pessoas com reconhecida capacidade e experiência comprovada, preferencialmente com formação superior. A Diretoria Executiva é formada por 3 (três) diretores diretor-presidente, diretor-administrativo e financeiro e diretor de Previdência. Desde janeiro de 2013, o IPREV MACEIÓ tem como diretor-presidente Leonardo Novaes Machado, graduado em Engenharia de Produção e Administração de Empresas, com MBA em Gestão Empresarial, Gestão de Projetos em Petróleo e Gás e atualmente concluinte da especialização em Gestão Pública pela Universidade Federal de Alagoas - UFAL. Durante o primeiro ano da atual gestão, várias ações foram desenvolvidas para melhoria dos diversos setores do IPREV MACEIÓ, com a finalidade de aperfeiçoar a prestação de serviços aos segurados. O Instituto já realizou inúmeros treinamentos para capacitação dos seus servidores em diversas matérias, como previdência, gestão e atendimento ao público. Tudo isso para oferecer aos seus servidores maior preparação, conhecimento mais aprofundado em previdência, integração do grupo e valorização da excelência no atendimento. Quanto aos serviços previdenciários e de assessoria na gestão dos investimentos, o IPREV MACEIÓ conta com assessoria prestada pela Unidade de Gestão Previdenciária UGP, do Banco do Brasil em Brasília (DF), órgão especializado na assessoria aos regimes próprios. Essa parceria tem representado um avanço importante nos trabalhos desenvolvidos pelo Instituto e na profissionalização dos servidores. 8. Onde é possível encontrar as informações completas sobre o Regime Próprio de Previdência Social do Município de Maceió (AL)? Todas as orientações sobre o RPPS do Município de Maceió (AL) podem ser encontradas na Lei Municipal nº 5.828, de 18 de setembro de 2009, que reorganizou o Regime Próprio de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Maceió e reestruturou o Instituto de Previdência Municipal de Maceió, passando a denominar-se Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Maceió IPREV MACEIÓ. 9. Quem deve contribuir para o regime próprio de Previdência Social do Município de Maceió e quanto é a contribuição? Servidores ativos 11% (onze por cento) sobre a base de cálculo definida na lei do RPPS (valor da remuneração, excluídas as verbas transitórias). Servidores aposentados e pensionistas 11% (onze por cento) sobre o que exceder ao limite máximo dos benefícios estabelecidos pelo Regime Geral de Previdência Social RGPS/ INSS. Município de Maceió (AL) Poder Executivo e Poder Legislativo as alíquotas definidas na 14 IPREV MACEIÓ

15 reavaliação atuarial para contribuição normal, de até 22% (vinte e dois por cento), e contribuição suplementar (exigida para cobertura do déficit atuarial) sobre a mesma base de cálculo da remuneração dos servidores ativos. Praia da Ponta Verde Foto: Pei Fon 10. Existe isenção de contribuição previdenciária? Não. Apesar de a Emenda Constitucional nº 20/1998 ter disciplinado sobre a figura da isenção de contribuição previdenciária, com a publicação da Emenda Constitucional nº 41/2003 foi instituído o Abono de Permanência em substituição à isenção de contribuição. Diferentemente da figura da isenção, na vigência do Abono de Permanência, o segurado e o ente federativo continuam contribuindo para o Regime Próprio de Previdência Social; entretanto, cabe ao Município ressarcir o servidor no valor equivalente à contribuição previdenciária vertida por este ao RPPS/Iprev, quando preenchidos determinados requisitos para a aposentadoria. É exigido que o servidor efetue o requerimento do Abono de Permanência e faça a opção por permanecer em atividade. O pagamento do Abono de Permanência é efetuado a partir da data da protocolização do requerimento. 11. Quais são os segurados e os beneficiários do IPREV MACEIÓ? Os segurados do IPREV MACEIÓ são os servidores públicos estatutários ativos e aposentados dos poderes Executivo e Legislativo do Município, inclusive de suas autarquias e fundações. Os beneficiários na qualidade de dependentes dos segurados são: cônjuge, companheiro(a), ex-cônjuge/ex-companheiro(a), separado(a) judicialmente com percepção de pensão alimentícia, filhos, ou equiparados, quando menores de 21 (vinte e um) anos de idade ou inválidos, conviventes do mesmo sexo com reconhecimento judicial e os dependentes econômicos dos segurados, como pais, menores sob tutela e irmãos inválidos. 12. O IPREV MACEIÓ é responsável pelo pagamento de quais benefícios? Além dos benefícios de aposentadoria (por invalidez, compulsória, por idade e por tempo 15 IPREV MACEIÓ

16 de contribuição, especial de professor e por idade) e de pensão por morte, o IPREV MACEIÓ também é responsável pelos seguintes benefícios previdenciários: Auxílio-doença benefício concedido ao segurado que ficar impedido de trabalhar por mais de 15 (quinze) dias em razão de doença ou acidente de trabalho. Salário-família benefício mensal extraordinário referente ao segurado ativo que receba remuneração igual ou inferior ao teto definido para este benefício no RGPS/INSS, na proporção do número de filhos ou equiparados (menor enteado ou sob tutela), menores de 14 (catorze) anos ou inválidos de qualquer idade, não sendo incorporável aos vencimentos ou a qualquer outro benefício. Salário-maternidade benefício mensal correspondente à remuneração da segurada gestante que, no caso do Município de Maceió, é pago durante 120 (cento e vinte) dias, com início 28 (vinte e oito) dias antes do parto e a data da ocorrência deste. Auxílio-reclusão possui natureza alimentar e visa garantir o sustento dos dependentes do segurado preso que, de um momento para outro, podem se encontrar sem perspectivas de subsistência. Obs.: Para requerer o benefício ou solicitar esclarecimentos, o segurado deve se dirigir à sede do IPREV-MACEIÓ. 13. Regras de Transição ou de Direito Adquirido: o que é isso? A Emenda Constitucional nº 20, de 16 de dezembro de 1998, ao conferir novo tratamento ao benefício de aposentadoria, trouxe dois tipos de regra: Permanentes e Transitórias. As primeiras, denominadas Regras Permanentes, estão contidas no art. 40, 1º, inciso I e II, da Constituição Federal e são obrigatórias para os servidores que ingressaram no serviço público a partir de 31 de dezembro de As denominadas Regras Transitórias e de Direito Adquirido, aplicáveis àqueles que já se encontravam no serviço público antes de 16 de dezembro de 1998, foram disciplinadas nos arts. 8º e 9º da EC-20/1998. Na vigência da EC-20/1998, os proventos de aposentadoria correspondiam à remuneração do servidor no cargo efetivo na data da aposentadoria, e o reajuste dos benefícios era concedido na mesma data e no mesmo índice dos aplicados aos servidores em atividade (instituto da paridade). A Emenda Constitucional nº 41, publicada em 31 de dezembro de 2003, não alterou as condições e modalidades das Regras Permanentes estabelecidas pela EC-20/1998, mas introduziu substanciais alterações na forma de cálculo dos proventos de aposentadoria e pensão, bem como na forma do seu reajuste. Os proventos de aposentadoria passaram a ser calculados pela média aritmética de 80% da base de cálculo das contribuições, ficando limitados à remuneração do cargo efetivo do servidor na data da aposentação. A pensão ficou limitada ao teto do RGPS/INSS, acrescida de 70% do valor da diferença desse teto para o valor da remuneração do cargo efetivo (se o servidor estiver em atividade na data do óbito) ou do valor dos proventos (se o servidor estiver aposentado na data do óbito). Com referência ao reajuste dos proventos, ao invés de serem concedidos em paridade com os servidores em atividade, passam a ser concedidos na mesma data e no mesmo índice dos aplicados aos benefícios do RGPS/INSS ou no índice que for definido pelo respectivo ente federativo. A EC-41/2003 revogou as regras transitórias instituídas pela EC-20/1998, manteve a Regra de Direito Adquirido no art. 3º e instituiu novas regras em seus arts. 2º, 3º e 6º. Posteriormente, a Emenda Constitucional nº 47, publicada em 06 de julho de 2005, prescreveu outra Regra Transitória no seu art. 3º. A Emenda Constitucional nº 70, publicada em 30 de março de 2012, introduziu uma nova 16 IPREV MACEIÓ

17 regra por meio da inclusão do art. 6º-A na EC-41/2003. A referida regra prescreve que os servidores que ingressaram no serviço público antes da entrada em vigor da EC-41/2003, portanto antes de 31 de dezembro de 2003, e que se aposentarem por invalidez têm direito às regras vigentes antes da referida Emenda. Assim, o provento deve corresponder à remuneração do cargo efetivo percebida pelo servidor na data da aposentação se tiver direito a proventos integrais; caso contrário, como na aposentadoria por invalidez de regra os proventos são proporcionais, deve ser aplicada a proporcionalidade sobre esse valor. Em resumo, a partir da EC-41/2003 (com as alterações introduzidas pela EC-70/2012) e da EC-47/2005, temos as seguintes regras de aposentadoria para os servidores públicos segurados dos RPPS: Regras Permanentes: art. 40, 1º, incisos I e II, da Constituição Federal. Regras Transitórias: arts. 2º, 6º e 6º-A da EC-41/2003 e art. 3º da EC-47/2005. Regra de Direito Adquirido: art. 3º da EC-41/2003. Orla de Maceió 17 IPREV MACEIÓ

18 14. Quais as regras vigentes para a concessão dos benefícios previdenciários do RPPS e quais são os requisitos e a forma de cálculo e de reajuste? BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Requisitos, Forma de Cálculo e Reajuste 18 IPREV MACEIÓ

19 19 IPREV MACEIÓ

20 20 IPREV MACEIÓ

21 21 IPREV MACEIÓ

22 22 IPREV MACEIÓ Praia de Pajuçara Foto: Marco Antônio

23 15. GLOSSÁRIO TERMOS TÉCNICOS USUAIS DO REGIME PRÓPRIO ALÍQUOTA DE CONTRIBUIÇÃO: percentual aplicado sobre uma determinada base de cálculo prevista na lei do RPPS, incidente sobre a remuneração do servidor em atividade, sobre os proventos de aposentadoria ou sobre as pensões, para formação do plano de custeio destinado a financiar o regime previdenciário. APOSENTADORIA: cessação do exercício das atividades laborais junto a órgãos ou entes públicos, passível de ser concedida ao segurado que cumpriu todos os requisitos previstos na Constituição Federal e na lei do RPPS, como: tempo de contribuição, idade, tempo de efetivo exercício no serviço público e no cargo efetivo e invalidez permanente. Benefício previdenciário pago pelo RPPS que se caracteriza por pagamento pecuniário mensal. APOSENTADORIA COMPULSÓRIA: modalidade de aposentadoria concedida compulsoriamente ao segurado que em atividade atingiu a idade de 70 (setenta) anos, com proventos proporcionais ao tempo de contribuição. Independe de requerimento e da vontade do segurado, devendo ser obrigatoriamente concedida pelo RPPS no dia imediatamente posterior ao implemento da idade limite, uma vez que há o rompimento do vínculo laboral com o ente federativo. APOSENTADORIA INTEGRAL: no Regime Próprio é a aposentadoria em que os proventos, por ocasião da sua concessão, correspondem à totalidade da remuneração do servidor no cargo efetivo em que se deu a aposentação ou à média aritmética simples de 80% das maiores remunerações utilizadas como base para as contribuições, limitados à remuneração do cargo efetivo. APOSENTADORIA POR IDADE: modalidade de aposentadoria concedida voluntariamente ao segurado em que se consideram cumulativamente os requisitos: idade de 65 (sessenta e cinco) anos, se homem, e 60 (sessenta) anos, se mulher, tempo mínimo de 10 (dez) anos de efetivo exercício no serviço público (para ingressantes após a publicação da EC nº 20/98) e tempo mínimo de 5 (cinco) anos de exercício no cargo em que se dará a aposentadoria, cujos proventos são proporcionais ao tempo de contribuição. APOSENTADORIA POR IDADE E TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO: modalidade de aposentadoria concedida voluntariamente ao segurado que cumpriu, cumulativamente, os requisitos de idade, tempo de contribuição, tempo de efetivo exercício no serviço público e tempo no cargo efetivo, na forma do art. 40, 1º, inciso III, a, da CF (regra permanente). Aplicada aos servidores admitidos a partir de 31 de dezembro de 2003 (EC-41/2003) ou para os que não cumprirem os requisitos exigidos para as Regras Transitórias e de Direito Adquirido. Para os servidores públicos titulares de cargo efetivo admitidos até 16 de dezembro de 1998, pode ser aplicada a regra transitória do art. 2º da EC-41/2003 e a do art. 3º da EC-47/2005. Para os servidores admitidos até 31 de dezembro de 2003, aplicam-se as regras dos arts. 3º e 6º da EC-41/2003. Para os servidores públicos não titulares de cargo efetivo, para os contratados por prazo determinado e para os que desempenham cargo em comissão ou emprego público, aplica-se a regra do art. 201, 7º, da CF (RGPS/INSS). APOSENTADORIA POR INVALIDEZ: modalidade de aposentadoria concedida ao segurado considerado incapaz e sem condições de reabilitação para o exercício da atividade profissional, com proventos proporcionais ao tempo de contribuição, exceto se decorrente de acidente em 23 IPREV MACEIÓ

24 serviço, moléstia profissional ou doenças graves, contagiosas e incuráveis, especificadas em lei, caso em que será concedida com proventos integrais calculados com base na média aritmética. Para os servidores públicos titulares de cargo efetivo admitidos até 31 de dezembro de 2003, os proventos serão iguais à remuneração do cargo efetivo, aplicando-se igualmente a regra de proporcionalidade ou integralidade. ATIVO DO PLANO: somatório de todos os bens e direitos vinculados ao plano. ATUÁRIA: ramo do conhecimento que lida com várias áreas das ciências matemáticas, a saber: probabilidade, estatística e matemática financeira, utilizado, principalmente, em atividades que envolvem riscos. ATUÁRIO: profissional técnico com formação acadêmica em ciências atuariais e legalmente habilitado para o exercício da profissão. AUXÍLIO-DOENÇA: benefício de prestação continuada de caráter temporário concedido ao segurado a partir do 16º dia do afastamento por licença de saúde e enquanto subsistir a incapacidade para o trabalho, com base em laudo médico nos moldes previstos na lei própria previdenciária. AUXÍLIO-MATERNIDADE: benefício de prestação continuada concedido à segurada gestante, por 120 (cento e vinte) dias consecutivos, com início entre 28 (vinte e oito) dias antes do parto e a data de ocorrência deste, ressalvados casos excepcionais em que o período poderá ser aumentado. AUXÍLIO-RECLUSÃO: benefício de prestação continuada, de natureza alimentar, concedido aos dependentes do segurado que foi recolhido à prisão, conforme o que prevê a lei própria do ente federado, em observância às regras estabelecidas na legislação do RGPS. AVALIAÇÃO ATUARIAL: estudo técnico desenvolvido pelo atuário, baseado nas características biométricas, demográficas e econômicas da população analisada, com o objetivo principal de estabelecer, de forma suficiente e adequada, os recursos necessários para a garantia dos pagamentos dos benefícios previstos pelo plano. BENEFICIÁRIO: designação genérica para se referir a todos segurados e respectivos dependentes que, por amparo legal, podem usufruir os benefícios de um plano previdenciário. BENEFÍCIO: é a razão principal de um plano previdenciário, podendo ser classificado em benefício programável e benefício de risco, sendo o primeiro para designar a aposentadoria e o segundo para se referir à invalidez, à pensão por morte e aos auxílios de um modo geral auxílio-doença, salário-maternidade, entre outros. COMPENSAÇÃO PREVIDENCIÁRIA: também denominada compensação financeira, está prevista no art. 201, 9º da CF, que visa ajustar as responsabilidades previdenciárias entre os diversos regimes de Previdência Social. A Lei nº 9.796/1999 regulamentou a Compensação Previdenciária entre o Regime Geral de Previdência Social RGPS, e os regimes próprios de previdência social dos servidores públicos da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, na hipótese de contagem recíproca de tempo de contribuição. 24 IPREV MACEIÓ

25 CONTRIBUIÇÃO PATRONAL: contribuições devidas pelo ente público, compreendendo todos os poderes e órgãos, destinadas ao custeio de plano previdenciário. CONTRIBUIÇÃO PESSOAL: contribuições devidas pelos beneficiários segurados e dependentes destinadas ao custeio do plano previdenciário. CUSTEIO: fixação das fontes de recursos necessárias para financiar o Custo Previdenciário de um plano previdenciário, destacando-se as contribuições a serem vertidas pelos servidores e ente público. CUSTO COMPLEMENTAR: o valor corresponde às necessidades de custeio, atuarialmente calculadas, destinadas à cobertura do tempo de serviço passado, ao equacionamento de déficits gerados pela ausência ou insuficiência de alíquotas de contribuição, inadequação da metodologia ou hipóteses atuariais ou outras causas que ocasionaram a insuficiência de ativos necessários às coberturas das reservas matemáticas previdenciárias. CUSTO NORMAL: o valor corresponde às necessidades de custeio do plano de benefícios do RPPS, atuarialmente calculadas, conforme os regimes financeiros e o método de financiamento adotados, referentes a períodos compreendidos entre a data da avaliação e a data de início dos benefícios. DEMONSTRATIVO DE RESULTADO DA AVALIAÇÃO ATUARIAL - DRAA: documento exclusivo de cada RPPS que registra de forma resumida as características gerais do plano e os principais resultados da avaliação atuarial. DEPENDENTES: beneficiários do segurado, elegíveis ao benefício de pensão por morte e ao auxílio-reclusão, previstos na legislação previdenciária. DESPESAS ADMINISTRATIVAS: correspondem aos gastos destinados exclusivamente ao custeio das despesas correntes e de capital necessárias à organização e ao funcionamento da unidade gestora do Regime Próprio de Previdência Social RPPS, inclusive para conservação do seu patrimônio, conforme disposto no art. 6º, inciso VIII, da Lei nº 9.717/1998 e art. 15 da Portaria MPS nº 402/2008. Poderá ser definido na lei do RPPS, como Taxa de Administração, o percentual de até 2% (dois por cento) do valor total das remunerações, proventos e pensões dos segurados vinculados ao Regime Próprio, relativo ao exercício financeiro anterior. EQUILÍBRIO ATUARIAL: garantia de equivalência, a valor presente, entre o fluxo das receitas estimadas e das obrigações projetadas, apuradas atuarialmente, em longo prazo. EQUILÍBRIO FINANCEIRO: garantia de equivalência entre as receitas auferidas e as obrigações do RPPS em cada exercício financeiro. FUNDO PREVIDENCIÁRIO: instrumento do Regime Próprio para recepcionar recursos públicos ativos oriundos de privatizações, bens e direitos de qualquer natureza e alocá-los no seu financiamento e, por consequência, propiciar menores contribuições ao plano previdenciário. HIPÓTESES ATUARIAIS: hipóteses adotadas pelo atuário, que devem refletir as características biométricas, demográficas, financeiras e econômicas incidentes sobre a população de segurados e do respectivo Regime Próprio, utilizadas no cálculo dos benefícios futuros, de que são exemplos as taxas de juros, de crescimento salarial, de rotatividade, de mortalidade, de 25 IPREV MACEIÓ

Críticas e sugestões através do nosso e-mail: iprevi1@hotmail.com

Críticas e sugestões através do nosso e-mail: iprevi1@hotmail.com 1 CARTILHA DO SEGURADO 1. MENSAGEM DA DIRETORA PRESIDENTE Esta cartilha tem como objetivo dar orientação aos segurados do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Itatiaia IPREVI,

Leia mais

TANHAÉM PREV Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Itanhaém

TANHAÉM PREV Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Itanhaém TANHAÉM PREV Instituto de Previdência dos Servidores Municipais de Itanhaém Superintendente: Luciano Moura dos Santos Diretor Adm. Financeiro: Olavo Lopes Perez Diretor de Benefícios: Karine Vecci Rua

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - IPREV CARTILHA PREVIDENCIÁRIA

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - IPREV CARTILHA PREVIDENCIÁRIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE - IPREV CARTILHA PREVIDENCIÁRIA APRESENTAÇÃO A equipe do Instituto de Previdência Municipal de São Gonçalo do Amarante - IPREV apresenta a

Leia mais

CICLOS DE DEBATES DIREITO E GESTÃO PÚBLICA TEXTO X

CICLOS DE DEBATES DIREITO E GESTÃO PÚBLICA TEXTO X CICLOS DE DEBATES DIREITO E GESTÃO PÚBLICA CICLO 2012 TEXTO X A Previdência Social do Servidor Público Valéria Porto Ciclos de Debates - Direito e Gestão Pública A Previdência Social do Servidor Público

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA

QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA ESTUDO ESTUDO QUADRO COMPARATIVO DA LEGISLAÇÃO PREVIDENCIÁRIA Cláudia Augusta Ferreira Deud Consultora Legislativa da Área XXI Previdência e Direito Previdenciário ESTUDO ABRIL/2007 Câmara dos Deputados

Leia mais

CARTILHA PREVIDENCIÁRIA

CARTILHA PREVIDENCIÁRIA CARTILHA PREVIDENCIÁRIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE MOGI DAS CRUZES - IPREM IPREM Instituto de Previdência Municipal APRESENTAÇÃO Prezado Servidor, A Lei Complementar nº 35 de 05 de julho de

Leia mais

PORTARIA MPS Nº 403, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2008 DOU 11/12/2008

PORTARIA MPS Nº 403, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2008 DOU 11/12/2008 PORTARIA MPS Nº 403, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2008 DOU 11/12/2008 Dispõe sobre as normas aplicáveis às avaliações e reavaliações atuariais dos Regimes Próprios de Previdência Social - RPPS da União, dos Estados,

Leia mais

O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA

O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA O REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE TAQUARITINGA 1. INTRODUÇÃO A previdência social no Brasil pode ser divida em dois grandes segmentos, a saber: Regime Geral de Previdência Social (RGPS):

Leia mais

No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para percepção deste beneficio.

No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para percepção deste beneficio. ESPÉCIES DE BENEFÍCIOS PARA OS SEGURADOS 1. APOSENTADORIA Aposentadoria por Invalidez No âmbito do RPPS Regime Próprio de Previdência Social de Camaçari, não há exigência de cumprimento de carência para

Leia mais

DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES ALEGRE. Porto Alegre, novembro de 2010

DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES ALEGRE. Porto Alegre, novembro de 2010 DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE Porto Alegre, novembro de 2010 REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Os servidores públicos ocupantes de cargo

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE GOV. VALADARES Departamento de Benefícios DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DO SERVIDOR PÚBLICO O RPPS é estabelecido por lei elaborada em cada um dos Estados, dos Municípios e do Distrito Federal, e se destina exclusivamente aos servidores públicos titulares

Leia mais

RPPS X RGPS. Atuário Sergio Aureliano

RPPS X RGPS. Atuário Sergio Aureliano RPPS X RGPS Atuário Sergio Aureliano RPPS PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO E O SISTEMA PREVIDENCIÁRIO BRASILEIRO ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS e REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 Emendas Constitucionais Emendas Constitucionais de Revisão Ato das Disposições

Leia mais

EC 70/12 E MUDANÇAS NA LEI 9.717/98

EC 70/12 E MUDANÇAS NA LEI 9.717/98 SPPS Secretaria de Políticas de Previdência Social Departamento dos Regimes de Previdência no Serviço Público-DRPSP EC 70/12 E MUDANÇAS NA LEI 9.717/98 BENTO GONÇALVES, 25 de Maio de 2012 1 EMENDA CONSTITUCIONAL

Leia mais

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES.

PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES. Fortalecendo o Futuro! PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES. ======================== Informações aos Segurados. ======================== 1 Apresentação Este manual foi elaborado

Leia mais

Saiba Mais! FUNPREV. Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Mariana PREFEITURA DE MARIANA

Saiba Mais! FUNPREV. Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Mariana PREFEITURA DE MARIANA Saiba Mais! FUNPREV Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Mariana PREFEITURA DE MARIANA Apresentamos a você servidor público municipal, segurado do FUNPREV, sua Cartilha Previdenciária. Esta

Leia mais

Senado Federal Subsecretaria de Informações

Senado Federal Subsecretaria de Informações Senado Federal Subsecretaria de Informações Data 19/12/2003 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41 Modifica os arts. 37, 40, 42, 48, 96, 149 e 201 da Constituição Federal, revoga o inciso IX do 3º do art. 142 da

Leia mais

1 Dados do Servidor MATRÍCULA SIAPE CPF DATA DE NASCIMENTO TELEFONE RESIDÊNCIAL TELEFONE DO TRABALHO CIDADE ESTADO CEP

1 Dados do Servidor MATRÍCULA SIAPE CPF DATA DE NASCIMENTO TELEFONE RESIDÊNCIAL TELEFONE DO TRABALHO CIDADE ESTADO CEP MINISTÉRIO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA-EXECUTIVA DEPARTAMENTO DE ÓRGÃOS EXTINTOS SAN Quadra 03 Lote A Ed. Núcleo dos Transportes Sala nº 2237 CEP: 70.040-902 BRASÍLIA DF ESPAÇO RESERVADO

Leia mais

Regime Próprio de Previdência Social

Regime Próprio de Previdência Social Regime Próprio de Previdência Social Regime Próprio de Previdência Social RPPS é o regime de previdência, estabelecido no âmbito da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios que assegura,

Leia mais

I P E R O N INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO ESTADO DE RONDÔNIA CARTILHA DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS

I P E R O N INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO ESTADO DE RONDÔNIA CARTILHA DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS CARTILHA DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO ESTADO DE RONDÔNIA E DE SEUS DEPENDENTES IPERON PRESIDENTE: MARIA REJANE SAMPAIO DOS SANTOS VIEIRA DIRETORA DE PREVIDÊNCIA: UNIVERSA LAGOS DIRETORA

Leia mais

Previdência Social. As Reformas da. Emenda Constitucional 47/05. Daisson Portanova. Outubro/2009

Previdência Social. As Reformas da. Emenda Constitucional 47/05. Daisson Portanova. Outubro/2009 As Reformas da Previdência Social IV encontro do FUNSEMA Seminário de Previdência da Região Metropolitana Emenda Constitucional 47/05 Outubro/2009 Daisson Portanova ESTRUTURA DO SISTEMA PREVIDENCIÁRIO

Leia mais

37º FONAI Maceió-AL. Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão.

37º FONAI Maceió-AL. Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão. 37º FONAI Maceió-AL Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão. 26 a 30/11/2012 Oficina Técnica Regras de Aposentadoria no Setor Público Pessoal Civil Cleison Faé Aposentadoria no Setor Público

Leia mais

Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário. XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014):

Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário. XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014): Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014): 54. Uma vez criados por lei do ente federativo, vinculam-se aos regimes próprios de previdência social

Leia mais

ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 03, DE 12 DE AGOSTO DE 2004

ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 03, DE 12 DE AGOSTO DE 2004 IMPRESSA PARCIALMENTE, EXCLUÍDOS OS TÓPICOS NÃO REFERENTES À APOSENTADORIA. SECRETARIA DE PREVIDÊNCIA SOCIAL ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 03, DE 12 DE AGOSTO DE 2004 Publicada no DOU de 17.08.2004 - Atualizada

Leia mais

Ministério da Previdência Social MPS Secretaria de Políticas de Previdência Social SPS RPPS E RGPS

Ministério da Previdência Social MPS Secretaria de Políticas de Previdência Social SPS RPPS E RGPS RPPS E RGPS GUAXUPÉ MG AMOG - Associação dos Municípios da Microrregião da Baixa Mogiana. Pedro Antônio Moreira - AFRFB RGPS REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Art 201 ESTRUTURA DO SISTEMA PREVIDENCIÁRIO

Leia mais

A PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO

A PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Previdência Social A PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO SALVADOR-BA, 17 DE JULHO DE 2004 PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO RPPS INSTITUÍDOS NO BRASIL Possibilidade

Leia mais

CARTILHA DA PREVIDÊNCIA MUNICIPAL. TatuíPrev. Instituto de Previdência Própria de Tatuí

CARTILHA DA PREVIDÊNCIA MUNICIPAL. TatuíPrev. Instituto de Previdência Própria de Tatuí CARTILHA DA PREVIDÊNCIA MUNICIPAL TatuíPrev Instituto de Previdência Própria de Tatuí 2013 APRESENTAÇÃO A PREVIDÊNCIA SOCIAL é um direito do trabalhador e de sua família, garantido pela Constituição Federal,

Leia mais

A Aposentadoria dos Servidores Públicos Federais

A Aposentadoria dos Servidores Públicos Federais A Aposentadoria dos Servidores Públicos Federais Carlos Alberto Pereira de Castro Curitiba, junho de 2008 Introdução Estudo da aposentadoria dos servidores públicos passou a ser relevante com as reformas

Leia mais

Renato Silva de Assis Supervisor Técnico da Paraíba

Renato Silva de Assis Supervisor Técnico da Paraíba Renato Silva de Assis Supervisor Técnico da Paraíba Análise do Projeto de Lei que dispõe sobre os planos de custeio e de benefícios do regime próprio de previdência social do Estado da Paraíba No dia 20

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE DO PREFEITO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE DO PREFEITO LEI COMPLEMENTAR Nº 118, DE 17 DE ABRIL 2006. Altera a Lei Complementar nº 008, de 16 de novembro de 1999, que dispõe sobre o estatuto dos servidores públicos da Administração Direta e Indireta dos Poderes

Leia mais

REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE VALINHOS CARTILHA DE PERGUNTAS E RESPOSTAS

REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE VALINHOS CARTILHA DE PERGUNTAS E RESPOSTAS O Executivo municipal sentindo a necessidade de adotar o Regime Próprio de Previdência Social para os servidores públicos titulares de cargos de provimento efetivo da Prefeitura, do DAEV e da Câmara, e

Leia mais

A Aposentadoria dos. Emendas Constitucionais

A Aposentadoria dos. Emendas Constitucionais A Aposentadoria dos Agentes Públicos P depois das Emendas Constitucionais Carlos Alberto Pereira de Castro Juiz do Trabalho Mestre em Direito Previdenciário rio Introdução Estudo da aposentadoria dos servidores

Leia mais

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03

EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 41/03 1. NOVAS REGRAS PARA OS SERVIDORES QUE INGRESSAREM NO SERVIÇO PÚBLICO APÓS A PROMULGAÇÃO DA REFORMA DA PREVIDÊNCIA EC Nº 41/03. a) Principais Características. - fim da paridade

Leia mais

LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS 2015 ANEXO DE METAS FISCAIS

LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS 2015 ANEXO DE METAS FISCAIS LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS 2015 ANEXO DE METAS FISCAIS V - AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO PARÁ RPPS A Emenda Constitucional nº 20, de 15

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS

REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS REGRAS DE APOSENTADORIA DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL - RPPS INTRODUÇÃO Como o objetivo de facilitar o entendimento da matéria relacionada à reforma previdenciária, teceremos alguns comentários

Leia mais

Instituto de Previdência e Assistência a Saúde dos Servidores Públicos Municipais

Instituto de Previdência e Assistência a Saúde dos Servidores Públicos Municipais IPASSPSM Instituto de Previdência e Assistência a Saúde dos Servidores Públicos Municipais IPASSPSM SANTA MARIA/RS AVALIAÇÃO ATUARIAL Ano Base: 2013 Data Base:31/12/2012 Índice 1. Introdução... 02 2. Origem

Leia mais

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA O servidor público e as alterações do seu regime previdenciário Jose Luis Wagner Luciana Inês Rambo Flavio Alexandre Acosta Ramos Junho de 2009 1 1. Introdução Desde

Leia mais

- Estudo técnico - Art. 67...

- Estudo técnico - Art. 67... Aposentadoria especial para diretores, coordenadores e assessores pedagógicos - Estudo técnico - A Lei nº 11.301, de 10 de maio de 2006, publicada no Diário 0ficial da União de 11 de maio do mesmo ano,

Leia mais

II SEMINÁRIO ASTEC: O Regime Próprio de Previdência em Porto Alegre

II SEMINÁRIO ASTEC: O Regime Próprio de Previdência em Porto Alegre II SEMINÁRIO ASTEC: O Regime Próprio de Previdência em Porto Alegre Realização: Apoio: O Previmpa e o Cadastro Previdenciário Palestrante: Dalvin Gabriel José de Souza Atuário Previmpa Finalidade: Mediante

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS 1 - O que vem a ser regime próprio de previdência social (RPPS)? R: É o sistema de previdência, estabelecido no âmbito de cada ente federativo, que assegure, por lei, ao

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 02/2012/CGNAL/DRPSP/SPPS/MPS CONSIDERAÇÕES SOBRE A APLICAÇÃO DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 70, DE 29 DE MARÇO DE 2012.

NOTA TÉCNICA Nº 02/2012/CGNAL/DRPSP/SPPS/MPS CONSIDERAÇÕES SOBRE A APLICAÇÃO DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 70, DE 29 DE MARÇO DE 2012. NOTA TÉCNICA Nº 02/2012/CGNAL/DRPSP/SPPS/MPS Brasília, 07 de maio de 2012. CONSIDERAÇÕES SOBRE A APLICAÇÃO DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 70, DE 29 DE MARÇO DE 2012. Diversos questionamentos têm sido apresentados

Leia mais

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA O servidor público e as alterações do seu regime previdenciário Jose Luis Wagner Luciana Inês Rambo Flavio Alexandre Acosta Ramos Junho de 2009 Santa Maria Belo

Leia mais

Assunto: Comparando o Regime Próprio de Previdência Social com o INSS. ANÁLISE

Assunto: Comparando o Regime Próprio de Previdência Social com o INSS. ANÁLISE Assunto: Comparando o Regime Próprio de Previdência Social com o INSS. ANÁLISE A Previdência Social no Brasil é um direito previsto pela Constituição Federal e se organiza por três regimes previdenciários

Leia mais

Aposentadoria por tempo de contribuição e Aposentadoria com proventos integrais. Alda Maria Santarosa 1

Aposentadoria por tempo de contribuição e Aposentadoria com proventos integrais. Alda Maria Santarosa 1 Aposentadoria por tempo de contribuição e Aposentadoria com proventos integrais Alda Maria Santarosa 1 Resumo Nos últimos 25 anos, desde a promulgação da Constituição Federal do Brasil, em 1988, nota-se

Leia mais

PORTARIA MPAS Nº 7.796, DE 28 DE AGOSTO DE 2000 - DOU DE 29/08/2000 - Retificação

PORTARIA MPAS Nº 7.796, DE 28 DE AGOSTO DE 2000 - DOU DE 29/08/2000 - Retificação PORTARIA MPAS Nº 7.796, DE 28 DE AGOSTO DE 2000 - DOU DE 29/08/2000 - Retificação Retificação DOU DE 31/08/2000 O MINISTRO DE ESTADO DA PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA SOCIAL, no uso das atribuições que lhe

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999

INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999 INSTRUÇÃO NORMATIVA SEAP Nº 5, DE 28 DE ABRIL DE 1999 Estabelece orientação aos órgãos setoriais e seccionais do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal - SIPEC quanto aos procedimentos operacionais

Leia mais

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO

APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1- DEFINIÇÃO APOSENTADORIA VOLUNTÁRIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO 1.1 Passagem do servidor da atividade para a inatividade, com proventos calculados de acordo com a média aritmética das maiores remunerações,

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI COMPLEMENTAR Nº 13.757, DE 15 DE JULHO DE 2011. (publicada no DOE nº 137, de 18 de julho de 2011) Dispõe sobre

Leia mais

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS

TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS TIPOS E REGRAS DE APOSENTADORIAS O SINTFUB entende que o servidor que está para aposentar tem de ter esclarecimento sobre os tipos e regras para aposentadorias hoje vigentes antes de requerer esse direito.

Leia mais

RPPS SERVIDORES PÚBLICOS DO PARANÁ

RPPS SERVIDORES PÚBLICOS DO PARANÁ RPPS SERVIDORES PÚBLICOS DO PARANÁ NATUREZA JURÍDICA ESTRUTURA FINANCIAMENTO SERVIDRES ABRANGIDOS DESAFIOS 1 História da Previdência Surge no dia que as pessoas começam a acumular para o futuro, para o

Leia mais

Regras de Aposentadorias e Pensões

Regras de Aposentadorias e Pensões Seguridade Social: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e

Leia mais

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte?

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? 1 Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? A MP 664 de dezembro de 2014 previu uma carência de 24 meses para a obtenção do benefício pensão por morte. Depois de muita discussão no Congresso

Leia mais

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS ELABORAÇÃO: LIZEU MAZZIONI VERIFICAÇÃO JURÍDICA E REDAÇÃO FINAL: DR. MARCOS ROGÉRIO PALMEIRA

TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS ELABORAÇÃO: LIZEU MAZZIONI VERIFICAÇÃO JURÍDICA E REDAÇÃO FINAL: DR. MARCOS ROGÉRIO PALMEIRA TABELAS EXPLICATIVAS DAS DIFERENTES NORMAS E POSSIBILIDADES DE APOSENTADORIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL- RGPS ELABORAÇÃO: LIZEU

Leia mais

INFORMATIVO PREVIQUAM.

INFORMATIVO PREVIQUAM. INFORMATIVO PREVIQUAM. INSTITUIDO PELA LEI Nº. 480 DE 24/03/1994 O QUE É PREVIQUAM? É uma autarquia com personalidade jurídica própria que destina-se a assegurar aos Servidores públicos Municipais de São

Leia mais

AUDITEC- Auditoria Técnica Atuarial RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO ATUARIAL MUNICÍPIO CACEQUI - RS

AUDITEC- Auditoria Técnica Atuarial RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO ATUARIAL MUNICÍPIO CACEQUI - RS RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO ATUARIAL MUNICÍPIO CACEQUI - RS Avaliação realizada em 31.12.2013 ÍNDICE GERAL 1ª PARTE 1.1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1.2. HISTÓRICO 1.3. REGRAS DA PREVIDÊNCIA APLICADAS NA

Leia mais

PROVA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO TCE-CE FCC 2015

PROVA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO TCE-CE FCC 2015 PROVA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO TCE-CE FCC 2015 Direito Previdenciário 67. (Auditor de Controle Externo/TCE-CE/FCC/2015): O princípio constitucional estipulando que a Seguridade Social deve contemplar

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES - IPG

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES - IPG INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE GUARAPARI / ES - IPG CARTILHA PREVIDENCIÁRIA 2ª EDIÇÃO Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. I João 4:8 APRESENTAÇÃO Prezados

Leia mais

Actuarial Assessoria e Consultoria Atuarial Ltda Benjamin Constant, 67 Cj.404 CEP 80060 020 Curitiba Pr Fone/Fax (41)3322-2110 www.actuarial.com.

Actuarial Assessoria e Consultoria Atuarial Ltda Benjamin Constant, 67 Cj.404 CEP 80060 020 Curitiba Pr Fone/Fax (41)3322-2110 www.actuarial.com. Fundação AMAZONPREV Poder Executivo e Assembléia AVALIAÇÃO ATUARIAL Ano Base: 2014 Data Base: 31/12/2013 Índice 1. Introdução... 02 2. Participantes e Beneficiários... 02 3. Data Base dos Dados e da Avaliação...

Leia mais

Previdência: Aposentadoria por invalidez e outros direitos. Porto Alegre RS 27 de agosto de 2013

Previdência: Aposentadoria por invalidez e outros direitos. Porto Alegre RS 27 de agosto de 2013 Previdência: Aposentadoria por invalidez e outros direitos. Porto Alegre RS 27 de agosto de 2013 - Seguridade Social; - Regimes Previdenciários; - Regime Próprio de Previdência Social; - Benefícios Previdenciários;

Leia mais

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 62 da Constituição, adota a seguinte Medida Provisória, com força de MEDIDA PROVISÓRIA Nº 664 DE 30.12.2014 (DOU 30.12.2014 ED. EXTRA; REP. DOU DE 02.01.2015) Altera as Leis nº 8.213, de 24 de julho de 1991, nº 10.876, de 2 junho de 2004,nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990,

Leia mais

E PENSÕES Seminário Nacional Preparação para Aposentadoria - ANFIP

E PENSÕES Seminário Nacional Preparação para Aposentadoria - ANFIP APOSENTADORIAS E PENSÕES Seminário Nacional Preparação para Aposentadoria - ANFIP Valéria Porto Diretora do Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Brasília, 26 de outubro de 2010 Regras de Aposentadorias

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. INTRODUÇÃO O direito previdenciário é o ramo do Direito que disciplina a estrutura das organizações, o custeio, os benefícios e os beneficiários do sistema previdenciário. A

Leia mais

MAGNO ANTÔNIO CORREIA DE MELLO

MAGNO ANTÔNIO CORREIA DE MELLO ALTERAÇÕES NORMATIVAS DECORRENTES DE REFORMAS PREVIDENCIÁRIAS IMPLEMENTADAS OU PROPOSTAS, CLASSIFICADAS POR ASSUNTO, A PARTIR DA EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 20/98 - QUADRO COMPARATIVO - MAGNO ANTÔNIO CORREIA

Leia mais

Introdução à atuária. Universidade de Cuiabá Tangará da Serra Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Noções de Atuária

Introdução à atuária. Universidade de Cuiabá Tangará da Serra Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Noções de Atuária Universidade de Cuiabá Tangará da Serra Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Noções de Atuária Introdução à atuária Aula 01 Prof. Dr. Junio C. Martinez O ATUÁRIO Profissão regulamentada em 03/04/1970

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 22, DE 2007

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 22, DE 2007 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 22, DE 2007 Estabelece normas para o reajuste das aposentadorias e pensões concedidas no âmbito dos regimes próprios de previdência social destinados aos servidores

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO E INCLUSÃO DE APOSENTADORIA

MANUAL DE PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO E INCLUSÃO DE APOSENTADORIA MANUAL DE PROCEDIMENTO PARA CÁLCULO E INCLUSÃO DE APOSENTADORIA 2005 FIXAÇÃO DOS PROVENTOS PELA MÉDIA DAS MAIORES REMUNERAÇÕES A Emenda Constitucional nº 41, de 19.12.2003, introduziu a regra de fixação

Leia mais

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000)

ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL. (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) ANEXO DE METAS FISCAIS AVALIAÇÃO DA SITUAÇÃO FINANCEIRA E ATUARIAL (Artigo 4º 2º, inciso IV, alínea a da Lei Complementar nº 101/2000) PLANO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE LONDRINA

Leia mais

Reforma da Previdência em perguntas e respostas

Reforma da Previdência em perguntas e respostas Reforma da Previdência em perguntas e respostas Por Antônio Augusto de Queiroz Com o propósito de esclarecer algumas dúvidas a respeito da reforma da Previdência (Emenda à Constituição nº 41, de 2003 e

Leia mais

ADICIONAL/GRATIFICAÇÃO DE PERMANÊNCIA

ADICIONAL/GRATIFICAÇÃO DE PERMANÊNCIA ADICIONAL/GRATIFICAÇÃO DE PERMANÊNCIA Conceito É um adicional por tempo de serviço, que consiste no percentual de 5% (cinco por cento) a cada ano em que o servidor ultrapassar a data do interstício aposentatório

Leia mais

MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Políticas de Previdência Social. Aposentadoria Especial Servidor PúblicoP Impacto decisões STF

MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Políticas de Previdência Social. Aposentadoria Especial Servidor PúblicoP Impacto decisões STF MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Políticas de Previdência Social Aposentadoria Especial Servidor PúblicoP Impacto decisões STF Aposentadoria Especial Art. 40 4º Constituição Federal

Leia mais

Previdência Complementar do servidor em perguntas e respostas

Previdência Complementar do servidor em perguntas e respostas Previdência Complementar do servidor em perguntas e respostas Por Antônio Augusto de Queiroz - Jornalista, analista político e diretor de Documentação do Diap Com o propósito de esclarecer algumas dúvidas

Leia mais

AVALIAÇÃO ATUARIAL REGIME PRÓPRIO DE PREVIDENCIA SOCIAL SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO PALOTINA - PR. Curitiba, 31 de março 2014.

AVALIAÇÃO ATUARIAL REGIME PRÓPRIO DE PREVIDENCIA SOCIAL SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO PALOTINA - PR. Curitiba, 31 de março 2014. AVALIAÇÃO ATUARIAL REGIME PRÓPRIO DE PREVIDENCIA SOCIAL SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE PALOTINA - PR Curitiba, 31 de março 2014. 1 Índice APRESENTAÇÃO... 5 OBJETIVOS... 5 BASE CADASTRAL... 5 Base

Leia mais

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000.

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. Institui o Plano de Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Municipais e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS decreto e eu sanciono

Leia mais

2013-2014 O ISSA E O RPPS - PREVIDÊNCIA SOCIAL

2013-2014 O ISSA E O RPPS - PREVIDÊNCIA SOCIAL 2013-2014 ISSA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE ANÁPOLIS O ISSA E O RPPS - PREVIDÊNCIA SOCIAL ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL - 2013-2016 PREFEITO: JOÃO BATISTA GOMES PINTO ADMINISTRAÇÃO DO ISSA 2013-2014

Leia mais

Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor

Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor IPAM - Instituto de Previdência e Assistência Municipal Caxias do Sul / RS É com grande satisfação que apresentamos a você a Cartilha do FAPS. O objetivo deste

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante Benefício definido (Eletra 01) BENEFICIO DEFINIDO Cartilha do Participante Introdução A ELETRA Fundação Celg de Seguros e Previdência é uma entidade fechada de previdência privada, de fins previdenciários

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. APOSENTADORIA 1.1 Aposentadoria por invalidez Destina-se aos professores cuja incapacidade ao trabalho é confirmada pelo setor de perícias médicas do INSS. Uma vez concedida

Leia mais

REGRAS DE APOSENTADORIAS

REGRAS DE APOSENTADORIAS REGRAS DE APOSENTADORIAS Cartilha elaborada para reunião com servidores de Betim - Maio/2015 O IPREMB O IPREMB é uma autarquia que operacionaliza e administra o Regime Próprio de Previdência Social (RPPS)

Leia mais

FRANCISCO HUMBERTO SIMÕES MAGRO ATUÁRIO MIBA N 494 NOTA TÉCNICA Nº 2215/12 AVALIAÇÃO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NA PREFEITURA

FRANCISCO HUMBERTO SIMÕES MAGRO ATUÁRIO MIBA N 494 NOTA TÉCNICA Nº 2215/12 AVALIAÇÃO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NA PREFEITURA FRANCISCO HUMBERTO SIMÕES MAGRO ATUÁRIO MIBA N 494 NOTA TÉCNICA Nº 2215/12 AVALIAÇÃO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NA PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MORRINHOS DO SUL/RS SOLICITANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE MORRINHOS

Leia mais

Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados. Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com.

Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados. Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com. Benefícios Previdenciários do INSS Como são concedidos e calculados Prof. Hilário Bocchi Júnior hilariojunior@bocchiadvogados.com.br SEGURIDADE SOCIAL Sistema de Seguridade Social Múltipla filiação Filiação

Leia mais

REFORMAS PREVIDENCIÁRIAS

REFORMAS PREVIDENCIÁRIAS REFORMAS PREVIDENCIÁRIAS João Dado Deputado Federal Solidariedade/SP Julho - 2014 Até Junho/98 EC-19/98 Jun EC-20/98 - Dez EC-41/03 EC-47/05 Lei 12.618/12 Estabilidade no Emprego Irredutibilidade Salarial

Leia mais

Emenda Constitucional nº20, 15 de dezembro de 1998.

Emenda Constitucional nº20, 15 de dezembro de 1998. Emenda Constitucional nº20, 15 de dezembro de 1998. Modifica o sistema de previdência social, estabelece normas de transição e dá outras providências. AS MESAS DA CÂMARA DOS DEPUTADOS E DO SENADO FEDERAL,

Leia mais

Série Concursos Públicos Direito Previdenciário Wagner Balera Cristiane Miziara Mussi 11ª para 12ª edição

Série Concursos Públicos Direito Previdenciário Wagner Balera Cristiane Miziara Mussi 11ª para 12ª edição p. 32 Substituir pelo texto abaixo: 45. 2009 (15/06) Ratificada pelo Brasil, a Convenção 102, de 1952, da OIT, aprovada pelo Decreto Legislativo 269, de 19.09.2008, do Congresso Nacional. 1 46. 2011 Lei

Leia mais

Página 1 de 7 Demonstrativo de Resultados da Avaliação Atuarial - 2014 RJ - PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA CNPJ : 32512501000143 SIAFI : 985925 Cadastro de Nome do Plano : Plano Previdenciário QUADRO

Leia mais

Maria Nazaré Bandeira

Maria Nazaré Bandeira Maria Nazaré Bandeira Programação dia 19 Recepção Solenidade de Abertura Palestra Intervalo para Almoço Palestra (continuação) Aposentadoria Até 1988 De 1988 a 1998 1. Invalidez Integral Proporcional 1.

Leia mais

INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O NOVO DRAA

INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O NOVO DRAA INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O NOVO DRAA 1) O envio do DRAA de 2015 não será mais realizado pela atual plataforma: http://www.previdencia.gov.br/demonstrativo-de-resultados-da-avaliacao-atuarial/ 2) Foi desenvolvido

Leia mais

SEGURIDADE E PREVIDÊNCIA NO BRASIL

SEGURIDADE E PREVIDÊNCIA NO BRASIL SEGURIDADE E PREVIDÊNCIA NO BRASIL Subseção DIEESE/CUT-Nacional São Paulo, 02 de agosto de 2014 Sindicato dos Trabalhadores(as) na Administração Pública e Autarquias no Município de São Paulo - SINDSEP

Leia mais

OS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL E A RESPONSABILIDADE DOS CONSELHEIROS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL

OS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL E A RESPONSABILIDADE DOS CONSELHEIROS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL OS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL E A RESPONSABILIDADE DOS CONSELHEIROS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL O Regime Próprio de Previdência Social RPPS, de caráter contributivo, é o regime assegurado

Leia mais

www.lumenjuris.com.br

www.lumenjuris.com.br www.lumenjuris.com.br Grupo de Discussão www.yahoo.com.br Grupos: DIRPREVI Kerlly Huback Programação Noções sobre o Sistema de Previdência Primeira Reforma (EC n 20/98) Segunda Reforma (EC n 41/03) Terceira

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE ALAGOAS Palestra Tema: Formalização de Processo Administrativo na Gestão de Pessoas Aposentadoria é a contraprestação assistencial por serviços prestados, nos termos da

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Valéria Porto Diretora do Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais de Pessoal Brasília, 15 de março de 2012 Regras de Aposentadorias REGRA GERAL REGRA DO DIREITO ADQUIRIDO REGRAS DE TRANSIÇÃO Artigo

Leia mais

FRANCISCO HUMBERTO SIMÕES MAGRO ATUÁRIO MIBA N 494 NOTA TÉCNICA Nº 2301/12 AVALIAÇÃO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NA PREFEITURA

FRANCISCO HUMBERTO SIMÕES MAGRO ATUÁRIO MIBA N 494 NOTA TÉCNICA Nº 2301/12 AVALIAÇÃO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NA PREFEITURA FRANCISCO HUMBERTO SIMÕES MAGRO ATUÁRIO MIBA N 494 NOTA TÉCNICA Nº 2301/12 AVALIAÇÃO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NA PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CORONEL BICACO/RS SOLICITANTE: PREFEITURA MUNICIPAL DE CORONEL BICACO/RS

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei.

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei. (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. LEI Nº 3.545, DE 17 DE JULHO DE 2008. Publicada

Leia mais

REGIMES PREVIDENCIÁRIOS NOS MUNICÍPIOS: RGPS e RPPS.

REGIMES PREVIDENCIÁRIOS NOS MUNICÍPIOS: RGPS e RPPS. REGIMES PREVIDENCIÁRIOS NOS MUNICÍPIOS: RGPS e RPPS. Jorge Franklin Alves Felipe 1 SUMÁRIO: 1. Regimes previdenciários no direito brasileiro. 2. O regime próprio é da essência dos servidores públicos 3.

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA

REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA Aprovado pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar PREVIC, por meio da Portaria Nº 509, de 27

Leia mais

REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS A REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL

REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA A SERVIDORES VINCULADOS A REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Secretaria de Políticas de Previdência Social Departamento dos Regimes de Previdência no Serviço Público Coordenação-Geral de Normatização e Acompanhamento Legal REGRAS PARA CONCESSÃO DE APOSENTADORIA

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 526, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 526, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 526, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. Altera dispositivos da Lei Complementar Estadual n.º 308, de 25 de outubro de 2005, e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 588, de 21 de dezembro de 2005

Instrução Normativa SRF nº 588, de 21 de dezembro de 2005 Instrução Normativa SRF nº 588, de 21 de dezembro de 2005 DOU de 26.12.2005 Dispõe sobre a tributação dos planos de benefício de caráter previdenciário, Fapi e seguros de vida com cláusula de cobertura

Leia mais