ANEXO 6 FICHAS TÉCNICAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO 6 FICHAS TÉCNICAS"

Transcrição

1 ANEXO 6 FICHAS TÉCNICAS MANUAL ITED 1ª edição revista - Dezembro ANEXO 6 1

2 ITED INFRA-ESTRUTURAS DE TELEUNICAÇÕES EM EDIFÍCIOS FICHA TÉCNICA PROJECTO N.º LOCALIZAÇÃO DA OBRA CONCELHO MORADA FREGUESIA LOCALIDADE NOME N.º CONTRIBUINTE MORADA PLETA IDENTIFICAÇÃO DO DONO DA OBRA TELEFONE FAX ASSINATURA NOME N.º CONTRIBUINTE N º INSCRIÇÃO NA ANA MORADA PLETA IDENTIFICAÇÃO DO PROJECTISTA TELEFONE FAX ASSINATURA Construção Ampliação ou alteração PROJECTO Locais especiais Outros NÍVEIS DE QUALIDADE: 1a 2a 3 1b 2b 1c TOTAL DE FRACÇÕES AUTÓNOMAS NÚMERO DE FRACÇÕES AUTÓNOMAS Residencial Não Residencial DOCUMENTOS ANEXOS A ESTA FICHA TÉCNICA E RESPECTIVO NUMERO DE PÁGINAS Memória Descritiva Planta topográfica de localização do edifício Planta com a localização das tomadas terminais e caixas Esquemas da rede de tubagem Esquemas das redes de cabos Quadro de dimensionamento para os cabos de pares de cobre Quadro de dimensionamento para os cabos coaxiais ou fibras ópticas Fichas dos RG Termo de responsabilidade Esquema da instalação eléctrica das ITED Outros Páginas ICP Autoridade Nacional de Comunicações Sede - Avª José Malhoa, nº Lisboa Tel. (+351) Fax (+351) Mod. xxx ANA

3 ITED - CONSTITUIÇÃO E UTILIZAÇÃO DO EDIFÍCIO N.º DE FRACÇÕES AUTÓNOMAS UTILIZAÇÃO E ÁREA AMBIENTE PAR DE COBRE TOMADAS CABO COAXIAL N.º DE PARES DISTRIBUÍDOS N.º DE CABOS COAXIAIS Subterrânea Aérea PAT ENTRADA DE CABOS E PAT CABOS DE PARES DE COBRE DIÂMETROS N.º DE TUBOS ENTRADA ENTRADA Subterrânea Aérea PAT CABOS COAXIAIS Nº DE TUBOS DIÂMETROS PROTECÇÕES E LIGAÇÕES À TERRA DO EDIFÍCIO RG-PC Contra descargas Outra: RG-CC Contra descargas Outra: ANTENAS Contra descargas Outra: UTILIZAÇÃO DA REDE COLECTIVA DE TUBAGENS PARA PASSAGEM DE CABOS DA REDE INDIVIDUAL DESCRIÇÃO DO PERCURSO EDIFÍCIO EM LOCAL ESPECIAL CLASSIFICAÇÃO DO AMBIENTE ESPECIAL

4 ITED - QUADRO DE DIMENSIONAMENTO DAS TUBAGENS CONSTITUIÇÃO DO EDIFICIO ATE DIMENSÕES E QUANTIDADE DE S, CONDUTAS E PASSAGENS DE CABOS DA COLUNA E DAS DERIVAÇÕES COLECTIVAS ATI Nº DE FRACÇÕES AUTÓNOMAS SUPERIOR INFERIOR EXTERIOR COLUNA DIMENSÕES DESDOBRAMENTOS DA COLUNA DIMENSÕES DERIVAÇÕES COLECTIVAS DIMENSÕES DIMENSÕES E QUANTIDADE DE TUBAGENS QUE SAEM DO ATI DIMENSÕES

5 CONSTITUIÇÃO DO EDIFICIO Nº DE FRACÇÕES AUTÓNOMAS POR FRACÇÃO POR NAS S DE DERIVAÇÃO DA COLUNA QT DD LIGAÇÃO A DD ITED - QUADRO DE DIMENSIONAMENTO DOS CABOS DE PARES DE COBRE NÚMERO PARES DE COBRE SEM LIGAÇÃO A DD NAS S DE DERIVAÇÃO DOS DESDOBRAMENTOS DA COLUNA QT DD LIGAÇÃO A DD SEM LIGAÇÃO A DD PASSANDO NO TROÇO ENTRE S TIPO, E CAPACIDADE DOS CABOS DA COLUNA ENTRADA CABO PARES CHICOTES DE TIPO INTERLIGAÇÕES EQUIPAMENTO ACTIVO EQUIPAMENTO Nº DE SAÍDAS Nº DE TOMADAS RG-PC PRIMÁRIO SECUNDÁRIO QT DD QT DD QT TOM

6 ITED - QUADRO DE DIMENSIONAMENTO DOS CABOS COAXIAIS CONSTITUIÇÃO DO EDIFÍCIO NÚMERO DE CABOS COAXIAIS S, AMPLIFICADORES E TOMADAS N.º DE FRACÇÕES AUTÓNOMAS POR FRACÇÃO POR NAS S DE DERIVAÇÃO DA COLUNA SEM LIGAÇÂO A LIGAÇÂO A NAS S DE DERIVAÇÃO DE DESDOBRAMENTO DA COLUNA SEM LIGAÇÂO A LIGAÇÂO A PASSANDO NO TROÇO ENTRE S TIPO, QTD E CAPACIDADE DOS CABOS DA COLUNA COLUNA TIPO NÍVEL DE SINAL DE SAÍDA dbµv DESDOBRAMENTO DA COLUNA TIPO NÍVEL DE SINAL DE SAÍDA dbµv TIPO NÍVEL DE SINAL DE SAÍDA dbµv ATI AMPLIFICADOR NÍVEL DE SINAL DE SAÍDA dbµv TOMADAS PIOR TOMADA NÍVEL DE SINAL DE SAÍDA dbµv ENTRADA NO EDIFICIO: NÍVEL DE SINAL dbµv SAÍDAS DO RG-CC: GANHO DO AMPLIFICADOR NO RG-CC: db

7 ITED - FICHA DO RG-PC CARACTERIZAÇÃO DO RG - PC Nº DO DD (Por Par Distribuído) SECUNDÁRIO DO RG - PC FRACÇÃO AUTÓNOMA PAR 1 PAR 2 PAR 3 PAR 4 QTD DE DD DD PRIMÁRIO DO RG - PC OPERADOR 1 OPERADOR 2 OPERADOR 3 TERMINA L DO DD SERVIÇO TERMINA L DO DD SERVIÇO TERMINA L DO DD SERVIÇO

8 ITED - FICHA DE ENCAMINHAMENTOS DE CABOS DE PARES DE COBRE RG-PC S DE DERIVAÇÃO ATI DO DD (por par distribuido) CÔR DO PAR Nº DA (par) CÔR DO PAR PARA Nº DA (par) CÔR DO PAR PARA Nº DA (par) CÔR DO PAR PARA EQUIPAMENTOS ACTIVOS PAR 1 PAR 2 PAR 3 PAR 4 IDENTIFICAÇÂO DAS TOMADAS EQUIPAMENTOS ACTIVOS IDENTIFICAÇÂO DAS TOMADAS EQUIPAMENTOS ACTIVOS IDENTIFICAÇÂO DAS TOMADAS EQUIPAMENTOS ACTIVOS IDENTIFICAÇÂO DAS TOMADAS NOME E ASSINATURA DO INSTALADOR

9 ITED - FICHA PARA AS S DE DERIVAÇÃO DOS CABOS DE PARES DE COBRE Nº NÚMERO DO DO RG-PC CORRESPONDENTE AO PAR DISTRIBUÍDO N.º DA A CÔR DO PAR QUE VEM DE NA PRÓPRIA DO DD A QUE LIGA O PAR CÔR DO PAR QUE VAI PARA JUSANTE N.º DA PARA JUSANTE NOME E ASSINATURA DO INSTALADOR

Infra-estruturas de Telecomunicações em Edifícios. Direcção de Fiscalização

Infra-estruturas de Telecomunicações em Edifícios. Direcção de Fiscalização Infra-estruturas de Telecomunicações em Edifícios Direcção de Fiscalização Novo regime ITED Manual ITED, 2.ª edição linhas orientadoras Regras técnicas Tubagem Cablagem Pontos de fronteira Ligações de

Leia mais

Infra-estruturas de Telecomunicações em Edifícios. Manual ITED 2.ª Edição. Direcção de Fiscalização

Infra-estruturas de Telecomunicações em Edifícios. Manual ITED 2.ª Edição. Direcção de Fiscalização Infra-estruturas de Telecomunicações em Edifícios Manual ITED 2.ª Edição Direcção de Fiscalização Julho de 2010 Novo regime ITED Manual ITED, 2.ª edição linhas orientadoras Regras técnicas Tubagem Cablagem

Leia mais

A entrada subterrânea, ligada à CEMU, é realizada com 2 tubos com diâmetros = 50 mm.

A entrada subterrânea, ligada à CEMU, é realizada com 2 tubos com diâmetros = 50 mm. Moradia unifamiliar REDES DE TUBAGENS REDE INDIVIDUAL 1 Tubo 25 mm da CEMU (Caixa de Entrada da Moradia Unifamiliar) até ao ATI (Armário de Telecomunicações Individual), para passagem dos cabos de pares

Leia mais

Curso de Formação de. Actualização de Projectista ITED 2 (175h) Curso de Formação de. Actualização de Projectista ITED 2 (175h)

Curso de Formação de. Actualização de Projectista ITED 2 (175h) Curso de Formação de. Actualização de Projectista ITED 2 (175h) Curso de Formação de O curso tem como objectivos específicos, dotar os participantes de conhecimentos que lhes permitam: Obter a RENOVAÇÃO da CERTIFICAÇÃO reconhecida pela ANACOM como técnico de projecto

Leia mais

Curso Instalador ITED

Curso Instalador ITED Curso Instalador ITED Formação de Actualização UFCD ITED A + ITED B Abril de 2015 Canalizações ITED Ricardo Oliveira Canalizações - Conceitos Classificação de PD Pontos de distribuição Classifica-se como

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V3.2

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V3.2 INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V3.2 Para mais informações ou sugestões, contacte o seu distribuidor. Edição 4 Pag 1/8 Mod.100/2 ÍNDICE ÍNDICE...2 1. INTRODUÇÃO...3 2. DOCUMENTOS NORMATIVOS APLICADOS...3

Leia mais

ANEXO 8 ESQUEMAS: DDC, TC, ATI, RG-PC+, RG-FO

ANEXO 8 ESQUEMAS: DDC, TC, ATI, RG-PC+, RG-FO ANEXO ESQUEMAS: DDC, TC, ATI, RG-PC+, RG-FO MANUAL ITED ª edição Julho 00 - ANEXO ESQUEMA DE UM DDC Apresentam-se de seguida os esquemas de constituição de um possível DDC, integrado num ATI. Na figura

Leia mais

PROJECTO DE INFRAESTRUTURAS PARA TELECOMUNICAÇÕES

PROJECTO DE INFRAESTRUTURAS PARA TELECOMUNICAÇÕES OBRA: REDE VIÁRIA FAQUÊLO ARCOS (S. PAIO) PROJECTO DE INFRAESTRUTURAS PARA TELECOMUNICAÇÕES CONSTRUÇÃO DE ARRUAMENTO DESDE A ROTUNDA DANMARIE - LÉS - LYS À AV. ENGº CASTRO CALDAS - A2 ARCOS DE VALDEVEZ

Leia mais

Exemplo de Ligação Painel ATI de 4 Módulos Duplos e mais 4 Módulos Triplos

Exemplo de Ligação Painel ATI de 4 Módulos Duplos e mais 4 Módulos Triplos ATI ESQUEMA DE LIGAÇÃO Exemplo de Ligação Painel ATI de 4 Módulos Duplos e mais 4 Módulos Triplos Vista Frontal Telefone Filtro Cabo UTP ADSL Coluna PC Modem V.P. Monitor Vista Posterior Par 3 Par 4 Par

Leia mais

Disciplina: Projeto de Especialidades. Projeto: Rede de telecomunicações. Especialidade: Rede de Infra-estruturas de Telecomunicações em Edifícios

Disciplina: Projeto de Especialidades. Projeto: Rede de telecomunicações. Especialidade: Rede de Infra-estruturas de Telecomunicações em Edifícios Universidade Fernando Pessoa Faculdade de Ciências e Tecnologias Curso de Engenharia Civil 3ºAno Disciplina: Projeto de Especialidades Projeto: Rede de telecomunicações Especialidade: Rede de Infra-estruturas

Leia mais

INSTALAÇÕES DE COMUNICAÇÕES MEMÓRIA DESCRITIVA. Processo: 6950.9.01 Data: Outubro 10 Rev: A. Mod. (09) CP1_00

INSTALAÇÕES DE COMUNICAÇÕES MEMÓRIA DESCRITIVA. Processo: 6950.9.01 Data: Outubro 10 Rev: A. Mod. (09) CP1_00 SOCIEDADE POLIS LITORAL RIA FORMOSA, SA Elaboração de Projectos de Execução para a requalificação de espaços ribeirinhos, de parques públicos e percursos pedonais - Parque Ribeirinho de Faro - RF 18.02.45

Leia mais

1Req: FORCONSULTING, -Lda. Local: Rua da Formação, s/n - BARCELOS. INFRA-ESTRUTURAS DE TELECOMUNICAÇÕES - ITED Projecto de Licenciamento e Execução

1Req: FORCONSULTING, -Lda. Local: Rua da Formação, s/n - BARCELOS. INFRA-ESTRUTURAS DE TELECOMUNICAÇÕES - ITED Projecto de Licenciamento e Execução 1Req: FORCONSULTING, -Lda. INFRA-ESTRUTURAS DE TELECOMUNICAÇÕES - ITED Projecto de Licenciamento e Execução 2Req: FORCONSULTING, -Lda. ÍNDICE: NOTA PRÉVIA A - MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA 1. OBJECTIVO

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V2.2

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V2.2 INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI V2.2 MANUAL ITED 1ª EDIÇÃO Para mais informações ou sugestões, contacte o seu distribuidor. Edição 10 Pag 1/8 Mod.100/2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. DOCUMENTOS NORMATIVOS APLICADOS...3

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI

INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI INSTRUÇÕES GERAIS ARMÁRIO ATI GERAÇÃO 3.1 Para mais informações ou sugestões, contacte o seu distribuidor. Edição 8 Pag 1/8 Mod.100/2 ÍNDICE índice...2 1. Introdução...3 2. Documentos normativos aplicados...3

Leia mais

ATI 3play - características gerais

ATI 3play - características gerais patente nº 104593 ATI 3play - características gerais Primário e Secundário Cat 6 (classe E). Conectores RJ45, permanent link Cat 6, de acesso exterior para injecção de sinais de equipamento activo ( RC-PC

Leia mais

ADAPTAÇÃO DOS EDIFÍCIOS CONSTRUÍDOS À FIBRA ÓPTICA

ADAPTAÇÃO DOS EDIFÍCIOS CONSTRUÍDOS À FIBRA ÓPTICA 6 ADAPTAÇÃO DOS EDIFÍCIOS CONSTRUÍDOS À FIBRA ÓPTICA 135 6. ADAPTAÇÃO DOS EDIFÍCIOS CONSTRUÍDOS À FIBRA ÓPTICA 6.1 PROJECTO DE ALTERAÇÃO DE EDIFÍCIOS - ITED As infra-estruturas de telecomunicações construídas

Leia mais

INSTRUÇÕES GERAIS ATI_RACK+CATI

INSTRUÇÕES GERAIS ATI_RACK+CATI INSTRUÇÕES GERAIS ATI_RACK+CATI MANUAL ITED 2ª EDIÇÃO Para mais informações ou sugestões, contacte o seu distribuidor. Edição 2 Pag 1/8 Mod.100/2 ÍNDICE ÍNDICE... 2 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DOCUMENTOS NORMATIVOS

Leia mais

Índice. Página 1 de 7

Índice. Página 1 de 7 Índice 1 - Objectivos...2 2 - Legislação aplicável...2 3 - Enquadramento legal...2 3.1 - Limites de fornecimento...2 3.2 - Descrição de encargos...2 3.2.1 - Encargos do adjudicatário...2 3.3 - Encargos

Leia mais

ESQUEMA DE LIGAÇÃO. Modulos ACO no DDC Secundário. Reserva. Módulos Triplos no DDC Secundário. Sinal de Telefone proveniente do.

ESQUEMA DE LIGAÇÃO. Modulos ACO no DDC Secundário. Reserva. Módulos Triplos no DDC Secundário. Sinal de Telefone proveniente do. Esquema de Ligação dos es de Cobre provenientes da Coluna para os Modulos ACO no DDC Primário Esquema de Ligação dos Modulos ACO no DDC Secundário Chicote de Interligação de 4 pares proveniente do DDC

Leia mais

REGRAS de EXECUÇÃO. António M. S. Francisco (revisão 01/06)

REGRAS de EXECUÇÃO. António M. S. Francisco (revisão 01/06) REGRAS de EXECUÇÃO António M. S. Francisco (revisão 01/06) INTERNET Para informação completa e detalhada consultar o manual ITED em: http://www.anacom.pt Para informação sobre material (catálogo) para

Leia mais

ANACOM PROTOCOLO ENTRE AUTORIDADE NACIONAL DAS COMUNICAÇÕES ORDEM DOS ENGENHEIROS ANET - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS

ANACOM PROTOCOLO ENTRE AUTORIDADE NACIONAL DAS COMUNICAÇÕES ORDEM DOS ENGENHEIROS ANET - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS ANACOM AUTORIDADE NACIONAL DE COMUNICAÇÕES PROTOCOLO ENTRE AUTORIDADE NACIONAL DAS COMUNICAÇÕES E ORDEM DOS ENGENHEIROS ANET - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS Considerando a necessidade de

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA ACREDITAÇÃO ACÇÕES DE FORMAÇÃO ITED E ITUR ENGENHEIROS E ENGENHEIROS TÉCNICOS PARA. 21 de Dezembro de 2010

PROCEDIMENTOS PARA ACREDITAÇÃO ACÇÕES DE FORMAÇÃO ITED E ITUR ENGENHEIROS E ENGENHEIROS TÉCNICOS PARA. 21 de Dezembro de 2010 PROCEDIMENTOS PARA ACREDITAÇÃO DE ACÇÕES DE FORMAÇÃO ITED E ITUR PARA ENGENHEIROS E ENGENHEIROS TÉCNICOS 21 de Dezembro de 2010 Anexo B Descrição dos Conteúdos Programáticos dos Módulos de Formação 2 ITED

Leia mais

ESTÁDIO UNIVERSITÁRIO DE LISBOA

ESTÁDIO UNIVERSITÁRIO DE LISBOA projectos de engenharia de edifícios lda Azinhaga do Torre do Fato 5C Esc.1-1600-299 Lisboa www.promee.pt geral@promee.pt ESTÁDIO UNIVERSITÁRIO DE LISBOA EDIFÍCIOS DO DRIVING RANGE E CLUB HOUSE LISBOA

Leia mais

Instalações ITED Generalidades

Instalações ITED Generalidades Módulo ITED-1 UFCD 6085 Instalações ITED Generalidades 1. Considerações prévias, Legislação, normas e regulamentos em vigor (manual ITED). 2. Simbologia utilizada nas ITED. 3. Sistemas de Cablagem em par

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA ACREDITAÇÃO ACÇÕES DE FORMAÇÃO ITED E ITUR ENGENHEIROS E ENGENHEIROS TÉCNICOS PARA. 21 de Dezembro de 2010

PROCEDIMENTOS PARA ACREDITAÇÃO ACÇÕES DE FORMAÇÃO ITED E ITUR ENGENHEIROS E ENGENHEIROS TÉCNICOS PARA. 21 de Dezembro de 2010 PROCEDIMENTOS PARA ACREDITAÇÃO DE ACÇÕES DE FORMAÇÃO ITED E ITUR PARA ENGENHEIROS E ENGENHEIROS TÉCNICOS 21 de Dezembro de 2010 Índice 1 Enquadramento... 3 2 Referencial Formativo... 4 2.1 Módulos de formação...

Leia mais

Curso Instalador ITED

Curso Instalador ITED Curso Instalador ITED Formação de Actualização UFCD ITED A + ITED B Abril de 2015 Cablagem Fibra Óptica no ITED Ricardo Oliveira Fibra Óptica ITED 3ª edição - Mantém-se a obrigatoriedade de utilização

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADE FORMADORA ITED-ITUR

CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADE FORMADORA ITED-ITUR CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADE FORMADORA ITED-ITUR Atenção: Este formulário está sujeito ao pagamento de uma taxa. TIPO DE CANDIDATURA (Selecionar, pelo menos, uma opção) Certificação de Entidade Formadora ITED

Leia mais

FORMAÇÃO. PROFISSIONAIS de electricidade. pour PARA les professionnels. de l ÉleCTRICITÉ

FORMAÇÃO. PROFISSIONAIS de electricidade. pour PARA les professionnels. de l ÉleCTRICITÉ pour PARA les professionnels PROFISSIONAIS de electricidade de l ÉleCTRICITÉ FORMAÇÃO Corte e Protecção Concepção e certificação de quadros e armários eléctricos até 400 A Curso ref. M.11.001.12 Objectivos

Leia mais

Projectos de Instalações em Edifícios

Projectos de Instalações em Edifícios Instituto Politécnico de Coimbra Instituto Superior de Engenharia de Coimbra Projectos de Instalações em Edifícios Ângela Maria Pereira Veiga Relatório de Estágio para obtenção do Grau de Mestre em Instalações

Leia mais

I TUR Redes de Nova Geração

I TUR Redes de Nova Geração I TUR Redes de Nova Geração Workshop - Telecomunicações - ISEP / 2009 01 de Julho de 2009 Direcção de Fiscalização PONTOS DE ANÁLISE ÍNDICE Objectivos Enquadramento geral ITUR/ ITED Linhas Gerais e específicas

Leia mais

Ação de Formação para Engenheiros e Engenheiros Técnico

Ação de Formação para Engenheiros e Engenheiros Técnico Ação de Formação para Engenheiros e Engenheiros Técnico Ited-B Projeto e Instalação ITED (Infraestruturas de Telecomunicações em Edifícios) Habilitante - 150h Índice 1. Objetivo Geral... 3 2. Objetivos

Leia mais

(Regulamentação do D.L. N.º 68/2002, de 25 de Março)

(Regulamentação do D.L. N.º 68/2002, de 25 de Março) PROCEDIMENTOS DE LICENCIAMENTO DE INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE MICROPRODUÇÃO COM AUTOCONSUMO DO GRUPO II Aprovados por Despacho do Director-Geral de Energia, de 29 de Outubro de 2003. (Regulamentação do D.L.

Leia mais

Redes Gpon FTTH uma realidadade em portugal

Redes Gpon FTTH uma realidadade em portugal Redes Gpon FTTH uma realidadade em portugal III Jornadas Electrotécnicas ISEP A. Vilas Boas - Amisfera, lda A Tecnologia GPON está dsiponível há já alguns anos Quando falamos em Redes de Nova Geração estamos

Leia mais

Exmos. Srs., Cumprimentos,

Exmos. Srs., Cumprimentos, From: Fernando Jacinto dos Santos Flores [mailto:fernando-z-flores@telecom.pt] Sent: terça-feira, 7 de Julho de 2009 14:59 To: manual.ited.itur@anacom.pt Subject: Manuais ITED e ITUR Exmos. Srs., Na sequência

Leia mais

FISCALIZAÇÃO ITED e ITUR

FISCALIZAÇÃO ITED e ITUR FISCALIZAÇÃO ITED e ITUR Nuno Castro Luís Direção de Fiscalização Funchal, 11 de março de 2015 Fiscalização da ANACOM Infraestruturas de telecomunicações em edifícios Infraestruturas de telecomunicações

Leia mais

ICORLI. INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET

ICORLI. INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET INSTALAÇÃO, CONFIGURAÇÃO e OPERAÇÃO EM REDES LOCAIS e INTERNET 2010/2011 1 Tipos de Cabos Cabos eléctricos São cabos, normalmente fabricados em cobre (ou de outro material condutor), que transmitem os

Leia mais

Soluções isolantes para ITED 3ª

Soluções isolantes para ITED 3ª Investigação como norma Fabricante especialista desde 1964 Soluções isolantes para ITED 3ª Edição S ete m bro 2014 Índice Introdução.... 2 Tipos de edifícios... 3 Rede de tubagens... 4-7 Dimensionamento

Leia mais

Os ensaios descritos neste capítulo estão adequados aos Níveis de Qualidade (NQ) definidos no ponto 1.2.

Os ensaios descritos neste capítulo estão adequados aos Níveis de Qualidade (NQ) definidos no ponto 1.2. 6 ENSAIOS Na realização de ensaios nas ITED, a entidade certificadora e o instalador deverão ter em consideração o projecto técnico e os requisitos do presente Manual ITED. 6.1 GENERALIDADES O presente

Leia mais

GENERALIDADES SOBRE INFRAESTRUTURAS DE TELECOMUNICAÇÕES EM EDIFÍCIOS (ITED) JORNADAS TÉCNICAS DE ELETROTECNIA - 1

GENERALIDADES SOBRE INFRAESTRUTURAS DE TELECOMUNICAÇÕES EM EDIFÍCIOS (ITED) JORNADAS TÉCNICAS DE ELETROTECNIA - 1 GENERALIDADES SOBRE INFRAESTRUTURAS DE TELECOMUNICAÇÕES EM EDIFÍCIOS (ITED) JORNADAS TÉCNICAS DE ELETROTECNIA - 1 POUCO DE HISTÓRIA 1981 DL 188/81 estabelece o regime legal para o surgimento do Instituto

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES ATI 3PLAY SÉRIE 15

MANUAL DE INSTRUÇÕES ATI 3PLAY SÉRIE 15 MANUAL DE INSTRUÇÕES ATI 3PLAY SÉRIE 15 1- Introdução A ATI 3Play da TEKA foi concebido em conformidade com as prescrições e especificações técnicas do Manual de Infraestruturas de Telecomunicações em

Leia mais

INFRA-ESTRUTURAS DE TELECOMUNICAÇÕES EM EDIFÍCIOS (ITED) MANUAL

INFRA-ESTRUTURAS DE TELECOMUNICAÇÕES EM EDIFÍCIOS (ITED) MANUAL INFRA-ESTRUTURAS DE TELECOMUNICAÇÕES EM EDIFÍCIOS (ITED) MANUAL ÍNDICE I INTRODUÇÃO II PRESCRIÇÕES E INSTRUÇÔES TÉCNICAS ANEXO 1 DEFINIÇÕES ANEXO 2 SIMBOLOGIA ANEXO 3 MATERIAIS ANEXO 4 PRESCRIÇÕES FACULTATIVAS

Leia mais

DISTRIBUIDORES PARA TELEFONIA 1

DISTRIBUIDORES PARA TELEFONIA 1 DISTRIBUIDORES PARA TELEFONIA 1 Tiago Ribeiro Sapia 2 Resumo: Este artigo apresenta a estrutura básica dos distribuidores de telefonia fixa comutada, desde 1. INTRODUÇÃO sua origem até o assinante comum.

Leia mais

ATI Modular: um novo conceito

ATI Modular: um novo conceito ATI Modular: um novo conceito A SOLUÇÃO IDEAL PARA OS SEUS PROJECTOS Todos os produtos estão de acordo com as exigências do novo manual ITED ed.2 O novo conceito de ATI O novo ATI - Armário de Telecomunicações

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais

Instalações Elétricas Prediais Abril de 2010 Sumário Tópicos Sumário 1 As tubulações às quais se referem estas instruções devem ser destinadas exclusivamente ao uso da Concessionária que, ao seu critério, nelas poderá os servições de

Leia mais

ACSS ACSS. Gás combustível em edifícios hospitalares. do Sistema de Saúde, IP ET 02/2006 V. 2010. Especificações Técnicas para. Administração Central

ACSS ACSS. Gás combustível em edifícios hospitalares. do Sistema de Saúde, IP ET 02/2006 V. 2010. Especificações Técnicas para. Administração Central Especificações Técnicas para Gás combustível em edifícios hospitalares ACSS Administração Central do Sistema de Saúde, IP ET 02/2006 V. 2010 Administração Central ACSS do Sistema de Saúde Ministério da

Leia mais

Projeto de Rede Telefônica

Projeto de Rede Telefônica Projeto de Rede Telefônica Prof. Manoel Henrique Sequencia Definições e materiais. Caixas de distribuição Blocos de terminais Caixas de passagem Tubulação Entrada Primária Secundária Cabos telefônicos

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 98 99 100 108 116 117 118 120 ESPECIFICAÇÕES GERAIS GRAUS DE PROTECÇÃO ESPECIFICAÇÕES SAFETYMAX ESPECIFICAÇÕES ITED ESPECIFICAÇÕES RAQUITED ESPECIFICAÇÕES CENTRALIZAÇÃO CONTAGEM ESPECIFICAÇÕES QUADRO-COLUNAS

Leia mais

PROJECTO DA REDE DE ABASTECIMENTO DE GÁS

PROJECTO DA REDE DE ABASTECIMENTO DE GÁS PROJECTO DA REDE DE ABASTECIMENTO DE GÁS CONSTRUÇÃO DE ARRUAMENTO DESDE A ROTUNDA DANMARIE - LÉS - LYS À AV. ENGº CASTRO CALDAS - A2 ARCOS DE VALDEVEZ ÍNDICE 1) Planta de Localização 2) Termo de Responsabilidade

Leia mais

PLANO DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO

PLANO DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO 258 PLANO DE PREVENÇÃO E GESTÃO DE RESÍDUOS DE CONSTRUÇÃO E DEMOLIÇÃO Dono da Obra: CÂMARA MUNICIPAL DE COIMBRA Empreitada: Repavimentação da Rua da Alegria incluindo remodelação de infra-estruturas Localização:

Leia mais

2ª EDIÇÃO. Manual ITED Prescrições e Especificações Técnicas das Infra-Estruturas de Telecomunicações em Edifícios

2ª EDIÇÃO. Manual ITED Prescrições e Especificações Técnicas das Infra-Estruturas de Telecomunicações em Edifícios 2ª EDIÇÃO Manual ITED Prescrições e Especificações Técnicas das Infra-Estruturas de Telecomunicações em Edifícios ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO 15 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 REQUISITOS TÉCNICOS GERAIS

Leia mais

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 15/03/2004)

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 15/03/2004) Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas O objetivo deste tutorial é conhecer os componentes utilizados em sistemas de distribuição de CATV (TV à cabo) e antenas coletivas, usadas para a recepção

Leia mais

ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE TÍTULO DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS

ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE TÍTULO DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE TÍTULO DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS I. IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome/Denominação social, identificação fiscal n.º, com residência/sede em, código

Leia mais

Curso Instalador ITED

Curso Instalador ITED Curso Instalador ITED Formação de Actualização UFCD ITED A + ITED B Abril de 2015 Cablagem Pares de Cobre Ricardo Oliveira Sistemas de Cablagem Mantém-se a utilização das 3 tecnologias Pares de cobre Cabo

Leia mais

2ª EDIÇÃO. Manual ITED Prescrições e Especificações Técnicas das Infra-Estruturas de Telecomunicações em Edifícios

2ª EDIÇÃO. Manual ITED Prescrições e Especificações Técnicas das Infra-Estruturas de Telecomunicações em Edifícios 2ª EDIÇÃO Manual ITED Prescrições e Especificações Técnicas das Infra-Estruturas de Telecomunicações em Edifícios ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO 15 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 REQUISITOS TÉCNICOS GERAIS

Leia mais

MUNICÍPIO DA FIGUEIRA DA FOZ CÂMARA MUNICIPAL

MUNICÍPIO DA FIGUEIRA DA FOZ CÂMARA MUNICIPAL MUNICÍPIO DA FIGUEIRA DA FOZ CÂMARA MUNICIPAL PROGRAMA PRELIMINAR CENTRO ESCOLAR DE S.JULIÃO/TAVAREDE PROJECTOS DE ESPECIALIDADES 1 1. Introdução Pretende a Câmara Municipal da Figueira da Foz, desenvolver

Leia mais

7. Exemplos de Aplicação

7. Exemplos de Aplicação 7. Exemplos de Aplicação Neste parágrafo vamos procurar exemplificar o tipo de informação que é possível obter com a leitura deste manual. Pretende-se, a partir de dados típicos, dar uma ideia geral do

Leia mais

Registo n.º. Data / / O Funcionário

Registo n.º. Data / / O Funcionário Registo n.º Data / / O Funcionário LICENCIAMENTO SIMPLIFICADO E AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO DE INSTALAÇÃO DE ARMAZENAGEM DE PRODUTOS DE PETRÓLEO E DE POSTOS DE ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEIS com realização

Leia mais

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS CAPÍTULO 2: ESQUEMA GERAL DA TUBULAÇÃO TELEFÔNICA. RECOMENDAÇÕES A tubulação telefônica é dimensionada em função da quantidade de pontos telefônicos previsto para cada parte do edifício. Cada ponto telefônico

Leia mais

LISTA DE PEÇAS DESENHADAS CMA 09.07.2015,GER,I,CM,57949

LISTA DE PEÇAS DESENHADAS CMA 09.07.2015,GER,I,CM,57949 LISTA DE PEÇAS DESENHADAS CMA 09.07.2015,GER,I,CM,57949 (página em branco) CMA 09.07.2015,GER,I,CM,57949 DESENHO Nº DESIGNAÇÃO ESCALA 01 Rede de Tubagens e Caixas, Planta Geral do Refeitório 1:100 02 Rede

Leia mais

ELETRÓNICA E AUTOMAÇÃO

ELETRÓNICA E AUTOMAÇÃO ELETRÓNICA E AUTOMAÇÃO QUADRO RESUMO FORMAÇÃO UFCD (H) Análise de circuitos em corrente contínua 6008 25 Corrente alternada 6010 25 Eletrónica industrial 6023 25 Instalações elétricas - generalidades 6075

Leia mais

5.2 Material da tubagem: AA_PVC de 10kg/cm2; ARD_PVC de 6kg/cm2; AP_Manilhas de betão pré-fabricadas

5.2 Material da tubagem: AA_PVC de 10kg/cm2; ARD_PVC de 6kg/cm2; AP_Manilhas de betão pré-fabricadas A) Abastecimento de Água + Drenagem de Águas Residuais Domésticas + Drenagem de Águas Pluviais 1. Requerimento (*) 2. Termo de responsabilidade (*): 2.1 Independente por especialidade apresentada 2.2 Legislação

Leia mais

Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas

Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas O objetivo deste tutorial é conhecer os componentes utilizados em sistemas de distribuição de CATV (TV à cabo) e antenas coletivas, usadas para a recepção

Leia mais

MANUAL ITED 2.ª edição versão 4.1 24 de Julho de 2009

MANUAL ITED 2.ª edição versão 4.1 24 de Julho de 2009 MANUAL ITED (Prescrições e Especificações Técnicas das Infra-estruturas de Telecomunicações em Edifícios) 2.ª edição versão 4.1 24 de Julho de 2009 ÍNDICE GERAL PREÂMBULO LINGUÍSTICO 1 INTRODUÇÃO... 10

Leia mais

ACSS ACSS. ACSS Unidade de Instalações e Equipamentos. Especificações técnicas para Gás Combustível em Edifícios Hospitalares.

ACSS ACSS. ACSS Unidade de Instalações e Equipamentos. Especificações técnicas para Gás Combustível em Edifícios Hospitalares. Guia para Especificações técnicas para Gás Combustível em Edifícios Hospitalares ET 02/2006 V. 2013 ACSS Administração Central do Sistema de Saúde, IP ACSS ACSS Unidade de Instalações e Equipamentos Especificações

Leia mais

Profa. Margarita Ma. Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com

Profa. Margarita Ma. Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com Profa. Margarita Ma. Dueñas Orozco margarita.unir@gmail.com FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIR CAMPUS DE JI-PARANÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL CONCEITO CONCEITO Unidade do SAA constituída

Leia mais

MANUAL ITED 2.ª edição versão 3.1 21 Maio 2009

MANUAL ITED 2.ª edição versão 3.1 21 Maio 2009 MANUAL ITED (Prescrições e Especificações Técnicas das Infra-estruturas de Telecomunicações em Edifícios) 2.ª edição versão 3.1 21 Maio 2009 ÍNDICE GERAL 1 INTRODUÇÃO... 10 1.1 DEFINIÇÕES... 10 1.2 ACRÓNIMOS

Leia mais

Redes de Nova Geração e o ITED

Redes de Nova Geração e o ITED Redes de Nova Geração e o ITED A explosão da procura telefónica dos anos 80 induziu a implantação do RITA O incremento da Internet e a liberalização do mercado das telecomunicações influenciou claramente

Leia mais

CIRCUITO DE UM PROCESSO PARA ABASTECIMENTO

CIRCUITO DE UM PROCESSO PARA ABASTECIMENTO CIRCUITO DE UM PROCESSO PARA ABASTECIMENTO O presente documento visa fornecer indicações sobre a elaboração e constituição de um processo para abastecimento, quer este se apresente sob a forma de Processo

Leia mais

PLANEAMENTO E PROJECTO DE REDES

PLANEAMENTO E PROJECTO DE REDES PLANEAMENTO E PROJECTO DE REDES Engenharia de Sistemas e Informática Bibliografia: Engenharia de Redes Informáticas; Edmundo Monteiro e Fernando Boavida; FCA 1 Conteúdo programático Equipamento Passivo

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE GABINETE DO PRIMEIRO MINISTRO INSTITUTO DE INOVAÇÃO E CONHECIMENTO CADERNO DE ENCARGOS

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE GABINETE DO PRIMEIRO MINISTRO INSTITUTO DE INOVAÇÃO E CONHECIMENTO CADERNO DE ENCARGOS REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE GABINETE DO PRIMEIRO MINISTRO INSTITUTO DE INOVAÇÃO E CONHECIMENTO (Unidade Disciplina - Trabalho) CADERNO DE ENCARGOS Fornecimento de Backbone de Fibra Óptica

Leia mais

REQUISITOS TÉCNICOS GERAIS

REQUISITOS TÉCNICOS GERAIS 2 REQUISITOS TÉCNICOS GERAIS 25 2. REQUISITOS TÉCNICOS GERAIS O presente capítulo define os tipos de edifício e as respectivas fronteiras com as redes públicas de comunicações electrónicas, ou com as infra-estruturas

Leia mais

ISEL. Subestação de Sacavém. Relatório de Visita de Estudo. 6 Dezembro 2005. Secção de Sistemas de Energia

ISEL. Subestação de Sacavém. Relatório de Visita de Estudo. 6 Dezembro 2005. Secção de Sistemas de Energia ISEL INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E AUTOMAÇÃO Relatório de Visita de Estudo 6 Dezembro 2005 Secção de Sistemas de Energia Março 2006 Índice 1. Enquadramento

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Índices de proteção (IP) 1. IP XX grau de proteção dos invólucros de equipamentos elétricos segundo as normas EN 60529, IEC 60529 1º algarismo: proteção contra corpos sólidos IP 2º algarismo: proteção

Leia mais

Vejamos, então, os vários tipos de cabos utilizados em redes de computadores:

Vejamos, então, os vários tipos de cabos utilizados em redes de computadores: Classificação quanto ao meio de transmissão Os meios físicos de transmissão são os cabos e as ondas (luz, infravermelhos, microondas) que transportam os sinais que, por sua vez, transportam a informação

Leia mais

OUTRAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

OUTRAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS OUTRAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Documento complementar ao Guia de medição, leitura e disponibilização de dados Regras relativas à instalação, manutenção e verificação de equipamentos de medição, cabos e outros

Leia mais

Projecto. Normas de Participação

Projecto. Normas de Participação Projecto Normas de Participação PREÂMBULO Num momento em que o mundo global está cada vez mais presente na vida das crianças e jovens, consideraram os Municípios da Comunidade Intermunicipal da Lezíria

Leia mais

14. ENSAIOS 14.1 ENSAIOS DE REDES DE PARES DE COBRE

14. ENSAIOS 14.1 ENSAIOS DE REDES DE PARES DE COBRE 14 ENSAIOS 177 14. ENSAIOS Os ensaios das ITED são da responsabilidade do instalador que constituirá, assim, um Relatório de Ensaios de Funcionalidade (REF), tal como consta do ponto 14.6. O instalador

Leia mais

DISTRITO: 11 - LISBOA CONCELHO: 06 - LISBOA FREGUESIA: 65 - SANTA MARIA MAIOR ARTIGO MATRICIAL: 2683 NIP:

DISTRITO: 11 - LISBOA CONCELHO: 06 - LISBOA FREGUESIA: 65 - SANTA MARIA MAIOR ARTIGO MATRICIAL: 2683 NIP: IDENTIFICAÇÃO DO PRÉDIO DISTRITO: 11 - LISBOA CONCELHO: 06 - LISBOA FREGUESIA: 65 - SANTA MARIA MAIOR ARTIGO MATRICIAL: 2683 NIP: Artigo: 146 LOCALIZAÇÃO DO PRÉDIO DESCRIÇÃO DO PRÉDIO Tipo de Prédio: Prédio

Leia mais

No seguimento do nosso e-mail de 29 de Junho, acrescentamos os seguintes comentários relativamente à parte da Fibra Óptica :

No seguimento do nosso e-mail de 29 de Junho, acrescentamos os seguintes comentários relativamente à parte da Fibra Óptica : From: Primo Gonçalves [mailto:rui.goncalves@intelprima.com] Sent: terça-feira, 7 de Julho de 2009 12:51 To: manual.ited.itur@anacom.pt Subject: Manual ITED 2º edição -Versão 3.1-21 Maio 2009 Caros Srs.,

Leia mais

APROVA OS MODELOS DE ALVARÁS DE LICENCIAMENTO OU AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS

APROVA OS MODELOS DE ALVARÁS DE LICENCIAMENTO OU AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS APROVA OS MODELOS DE ALVARÁS DE LICENCIAMENTO OU AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS (Portaria n.º 1107/2001, de 18 de Setembro) O Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, que aprovou o novo regime

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO CULTURAL DO CONCELHO DE SINTRA PAMACS CANDIDATURA

PROGRAMA DE APOIO AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO CULTURAL DO CONCELHO DE SINTRA PAMACS CANDIDATURA 1/8 ( nº SM ) Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra (nome do requerente), com morada na (Rua/Avª) (nº/lote), (andar), (localidade), (cód.postal) Freguesia de com o telefone / telemóvel nº,

Leia mais

Desde a data da sua fundação em 1978, que a Garrett tem vindo a actualizar-se num mercado em constante desenvolvimento e evolução.

Desde a data da sua fundação em 1978, que a Garrett tem vindo a actualizar-se num mercado em constante desenvolvimento e evolução. Garrett Audiovisuais A Nossa História Desde a data da sua fundação em 1978, que a Garrett tem vindo a actualizar-se num mercado em constante desenvolvimento e evolução. As últimas décadas de experiência

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Depósitos Gama S ZB-Solar. www.vulcano.pt. Novembro 2014

FICHA TÉCNICA. Depósitos Gama S ZB-Solar. www.vulcano.pt. Novembro 2014 Departamento Comercial e Assistência Técnica: Av. Infante D. Henrique, lotes 2E-3E - 1800-220 LISBOA * Tel.: +351.218 500 300 Novembro 2014 FICHA TÉCNICA Depósitos Gama S ZB-Solar www.vulcano.pt FICHA

Leia mais

Condutores e cabos eléctricos

Condutores e cabos eléctricos Condutores e cabos eléctricos Os condutores utilizados nas instalações eléctricas são geralmente de cobre, ou de alumínio. O condutor eléctrico pode ser divididos em: Condutor nu: é um condutor que não

Leia mais

Gestão de Redes e Sistemas Distribuídos

Gestão de Redes e Sistemas Distribuídos Gestão de Redes e Sistemas Distribuídos Setembro 2006 Conceitos fundamentais Evolução das Redes (parte I) Sumário???? Módulo I: Conceitos fundamentais Evolução das redes Tipos de Redes Sistemas de Cablagem

Leia mais

Distribuidores e painéis de interligação Equipamento activo e chicotes de interligação

Distribuidores e painéis de interligação Equipamento activo e chicotes de interligação Redes Estruturadas O projecto e a instalação de redes de dados em edifícios são actividades reguladas por um conjunto de normas dispersas em diversos documentos, publicados por organismos internacionais.

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO AO INVESTIMENTO A RESPOSTAS INTEGRADAS DE APOIO SOCIAL MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL

PROGRAMA DE APOIO AO INVESTIMENTO A RESPOSTAS INTEGRADAS DE APOIO SOCIAL MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL PROGRAMA DE APOIO AO INVESTIMENTO A RESPOSTAS INTEGRADAS DE APOIO SOCIAL MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P. REQUERIMENTO PARECER DA REDE SOCIAL IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA Prof. Hugo Alexandre Soares Guedes E-mail: hugo.guedes@ufpel.edu.br

Leia mais

Exmos Senhores: Dimensões de 1 router (apenas a título de exemplo):

Exmos Senhores: Dimensões de 1 router (apenas a título de exemplo): From: [ @netvisao.pt] Sent: segunda-feira, 6 de Julho de 2009 16:08 To: manual.ited.itur@anacom.pt Subject: Sugestões para a 2ª edição do manual ITED. Exmos Senhores: Verifiquei na 2ª edição do manual

Leia mais

OPTIPROBE Ficha de dados técnicos

OPTIPROBE Ficha de dados técnicos OPTIPROBE Ficha de dados técnicos O indicador de caudal de baixo custo Instalação fácil Medidas exatas e estáveis Qualidade KROHNE KROHNE ÍNDICE DE OPTIPROBE 1 Características do Produto 3 1.1 O indicador

Leia mais

Componente de Formação Técnica. Disciplina de

Componente de Formação Técnica. Disciplina de CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO Técnico de Instalações Eléctricas PROGRAMA Componente de Formação Técnica Disciplina de Desenho Esquemático Escolas Proponentes / Autores E P de Vouzela E P de

Leia mais

FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO

FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO FICHA TÉCNICA DA HABITAÇÃO provisória definitiva 1. Prédio urbano / fracção autónoma Morada Código Postal - Inscrito na matriz predial da freguesia de art.º n.º Registado na Conservatória do Registo Predial

Leia mais

Tecnologia ao seu dispor

Tecnologia ao seu dispor Tecnologia ao seu dispor EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE 1987 Janeiro Fundação como empresa de prestação de serviços na área da electrónica e Centro de Assistência Técnica para o Sul do País de um fabricante de

Leia mais

REGRAS BÁSICAS PARA EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE BT EM LOTEAMENTOS

REGRAS BÁSICAS PARA EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉCTRICAS DE BT EM LOTEAMENTOS Critérios de aceitação/rejeição: o trabalho é considerado bem executado se cumprir o estabelecido no presente documento, caso contrário não é aceite, devendo proceder-se às correcções necessárias. Nota:

Leia mais

Sistema de Esgoto. Órgãos acessórios. Profª Gersina Nobre

Sistema de Esgoto. Órgãos acessórios. Profª Gersina Nobre Sistema de Esgoto Órgãos acessórios Profª Gersina Nobre Concepção da coleta de esgoto sanitário Para a concepção da coleta de esgoto sanitário é necessária a definição dos dispositivos que serão empregados

Leia mais

Centrais Elevatórias de Efluentes

Centrais Elevatórias de Efluentes Centrais Elevatórias de Efluentes Série Ambibox A P L I C A Ç Õ E S Elevação para a rede pública de colectores Indústria Povoações Loteamentos habitacionais Parques de Campismo Garagens Caves, etc... C

Leia mais

Questionário para Subscrição de Seguro de Responsabilidade Ambiental e por Contaminação

Questionário para Subscrição de Seguro de Responsabilidade Ambiental e por Contaminação Questionário para Subscrição de Seguro de Responsabilidade Ambiental e por Contaminação Este questionário deve ser preenchido pelo Segurado ou por um representante autorizado, devendo dar-se resposta completa

Leia mais

GUIA DE PROJECTO E OBRA

GUIA DE PROJECTO E OBRA GUIA DE PROJECTO E OBRA Processos Prediais Direcção de Engenharia 2010 ÍNDICE 1. Âmbito de Aplicação e Objectivos... 3 2. Competências e Responsabilidades... 3 2.1 Projectista... 3 2.2 ÁGUAS DO SADO...

Leia mais