Indústria de fundos na América Latina. Maio 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Indústria de fundos na América Latina. Maio 2011"

Transcrição

1 Indústria de fundos na América Latina Maio 2011

2 Conteúdo Overview América Latina Indústria de fundos na América Latina Marco regulatório Aspectos contábeis Marco tributário Highlights e desafios

3 PwC Overview América Latina

4 O somatório do PIB dos países analisados totalizou US$ 4,1 trilhões em 2010 Indicadores Econômicos (2010) Argentina Brasil Chile Colômbia México Peru PIB (bilhões de US$) PIB per capita (mil US$) 9,1 10,8 11,8 6,3 9,6 5,2 Taxa de Inflação (%) 10,9 5,9 3,0 3,2 4,4 2,1 Taxa de Juros (%) 9,8 10,8 3,3 3,5 4,5 3 Reservas Internacionais (milhões de US$) Reservas internacionais totais de US$ 540 milhões Brasil e México representam 75% do PIB Fonte: World Economic Outlook - April 2011 Edition 4

5 Ambientes de negócios País (2010) Sovereign risk S&P (¹) Transparência política (²) Instabilidade política (3) Facilidade regulatória para negócios (4) Argentina B 105º 33º 115º Brasil BBB- 69º 105º 127º Chile A+ 21º 117º 43º Colômbia BBB- 78º 39º 39º México BBB 98º 79º 35º Peru BBB- 78º 39º 36º Fontes: (1) Economic Stability - Standard & Poor's Foreign Rating (2) Corruption Perception Index - Transparency International (3) Political Instability - Economic Intelligence Unit / The International Monetary Fund (IMF) (4) Doing Business Report The World Bank International Finance Corporation 5

6 PwC Indústria de fundos na América Latina

7 Assets Under Management totalizaram US$ 1,13 trilhões em 2010 País (Dez/2010) Assets under Management (milhões de US$) Quantidade de fundos * Quantidade de cotistas Taxa de crescimento (CAGR) % Argentina Brasil Chile Colômbia ,6 México Peru (*) Não estão inclusos fundos de fundos. 8,3 mil fundos e 14,2 milhões de investidores Taxa média ponderada anual de crescimento do AuM de 2007 a 2010: 11% Fonte: 1 Investment Company Institute (ICI) - 2 Federación Iberoamericana de Fondos de Inversión (FIAFIN) - 7

8 Relação entre AuM e PIB comparativo Argentina Brasil Chile Bilhões de US$ Bilhões de US$ Colômbia México Peru AuM Fonte: World Economic Outlook - April 2011 Edition - ICI - PIB

9 Relação entre AuM e PIB comparativo (2010) % AuM / PIB 110% Standard & Poor s Foreign Rating 90% EUA 70% As economias da América Latina apresentam, em geral, baixa relação AuM / PIB. França 50% Brasil 30% Espanha 10% Peru Colômbia Chile Argentina México Portugal -10% 0,0 5,0 10,0 15,0 20,0 25,0 30,0 35,0 40,0 45,0 50,0 Fonte: ICI - World Economic Outlook - April 2011 Edition - Economic Stability - Standard & Poor's Foreign Rating - PIB per capita [mil US$]

10 Evolução do ticket médio dos fundos AuM / Qtde Fundos [milhões US$] Chile Argentina Peru Colômbia Brasil México Ano Fonte: ICI - FIAFIN - 10

11 Em geral, as aplicações dos fundos concentram-se em títulos de curto prazo e públicos AuM por tipo de fundo (2010) Argentina 1 Brasil 1 Chile 1 Colômbia 2 México 1 Peru 2 Fonte: 1 ICI - 2 FIAFIN - 11

12 Segmentação dos fundos de acordo com a regulamentação de cada país Para a geração de estatísticas, associações e outros órgãos utilizam classificações distintas da contida na regulamentação. Argentina Brasil Chile Fundos de renda fixa de curto prazo Fundos de bônus Fundos de ações Fundos mistos Fundos internacionais Fundo de Curto Prazo Fundo Referenciado Fundo de Renda Fixa Fundo de Ações Fundo Cambial Fundo de Dívida Externa Fundo Multimercado Fundos mútuos de títulos de dívida de curto prazo < que 90 dias Fundos mútuos de títulos de dívida de curto prazo < que 365 dias Fundos mútuos de títulos de dívida de médio e longo prazo Fundos mútuos mistos Fundos mútuos de títulos de capitalização Fundos mútuos de livre investimento Fundos mútuos estruturados Fundos mútuos dirigidos a investidores qualificados Colômbia México Peru Carteras del mercado monetario Carteras colectivas inmobiliarias Carteras colectivas de margen Carteras colectivas de especulación Carteras colectivas bursátiles Sociedades de investimento em renda variável Sociedades de investimento em títulos de dívida Sociedade de investimento de capitais e sociedades de investimento de objeto limitado Fundos de Renda Fixa Fundos de Renda Variável Fundos mistos 12

13 Grande concentração de AuM nos principais gestores em cada mercado Concentração de AuM pelos 10 principais gestores (2010) Os 10 principais gestores são responsáveis por, ao menos, 70% de AuM em seus respectivos mercados Fonte: Website dos órgãos reguladores locais 13

14 PwC Marco regulatório

15 Principais participantes da indústria Argentina Sociedad Gerente Sociedad Depositaria Responsável pelas atividades de administração, gestão, controladoria e distribuição dos fundos Representa os fundos e os cotistas em todo ato de administração e gestão Realiza a custódia dos ativos da carteira dos fundos Agente escriturador de cotas Supervisiona o cumprimento das regras de administração dos fundos pela Sociedad Gerente Comisión Nacional de Valores Organismo regulador do mercado de fundos na Argentina Cámara Argentina de Fondos Comunes de Inversión Associação cujo objetivo é fornecer informações sobre o mercado de fundos, representar e prezar pelos interesses de suas associadas 15

16 Aspectos da regulamentação Argentina Tópico Autorização para o fundo operar Aspectos destacados Necessário autorização da Comission Nacional de Valores (CNV) para iniciar a operação. Profissionais das sociedades gerentes ou depositárias devem realizar exame de idoniedade e estar registrados no Registro de Idoneos. Segregação de funções As atividades de administração, gestão, controladoria e distribuição dos fundos são realizadas pela sociedad gerente, e a atividade de custódia é realizada pela Sociedad depositária. Precificação / MaM "Mercado de Valores é a entidade responsável por publicar os preços de ativos líquidos. Os ativos não líquidos devem ser precificados a "valores razonables"(ifrs). Investimentos no exterior Os fundos podem negociar ativos em mercados externos, desde que atendam a determinados limites percentuais, que variam conforme o contrato específico de cada tipo de fundo, para proteção do investidor. O reglamento de gestión (regulamento do fundo) deve ser registrado no Registro Público de Comércio. O modelo está definido em norma da CNV. Regras gerais É obrigatória a apresentação de documentação periódica à CNV para efeitos de fiscalização: demonstrações financeiras, atas, carteira do fundo, além de envio de informações diárias, como valor da Cota, PL e número de cotistas. Possibilidade de realizar aportes e resgates em moedas estrangeiras autorizadas pelo regulador. 16

17 Principais participantes da indústria Brasil Administrador Gestor Custodiante Controlador de ativos e passivos Instituição autorizada pelo CVM, responsável pelo registro e regularidade do fundo. Responsável por contratar os demais players em nome do fundo Responsável pela gestão de investimento da carteira do fundo, a partir de poderes delegados pelo Administrador ANBIMA Instituição financeira autorizada pela CVM para realizar a guarda, liquidação (física e financeira) dos ativos, e a comunicação de proventos associados Instituição autorizada pela CVM para realizar a gestão de riscos, atividades de compliance, atribuição de preço dos ativos e apuração de PL e valor da cota dos fundos Associação de instituições que atuam nos mercados financeiro e de capitais Agente autorregulador da indústria de fundos Provedora de pesquisas e estatísticas sobre a indústria de fundos Comissão de Valores Mobiliários Autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda do Brasil Responsável por disciplinar o funcionamento do mercado de fundos de investimento Banco Central do Brasil Autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda e autoridade monetária no Brasil Responsável por regular as instituições financeiras participantes do mercado de fundos de investimento 17

18 Aspectos da regulamentação Brasil Tópico Autorização para o fundo operar Aspectos destacados Registro na CVM, procedido pelo envio de documentação pelo administrador, incluindo, entre outros, o regulamento do fundo. O registro para distribuição de fundos fechados requer documentação e autorização específicas. Segregação de funções Precificação / MaM Investimentos no exterior O administrador poderá contratar, em nome do fundo, os serviços de gestão, consultoria de investimentos, controladoria, tesouraria, distribuição, escrituração de emissão e resgate de cotas, custódia e auditoria independente. A instituição deve manter controles que garantam a efetividade da segregação de funções incompatíveis. Os ativos das carteiras dos fundos devem ser marcados a mercado diariamente. A instituição responsável pela precificação deve ter formalizada a metodologia utilizada em Manual de Precificação, o qual deve estar acessível em seu site. Investimentos no exterior são permitidos aos fundos destinados a investidores qualificados (até 20% do patrimônio) ou super qualificados (até 100% do patrimônio). Os fundos podem ser abertos (cotistas podem resgatar suas cotas a qualquer tempo) ou fechados (cotas somente são resgatadas no vencimento). Regras gerais A divulgação de rentabilidade deve ser acompanhada de comparação com índice de mercado compatível com a política de investimento do fundo, se houver. Após 90 dias do início de atividades, o fundo aberto com patrimônio inferior a R$ 300 mil (aprox. USD 180 mil) deve ser liquidado ou incorporado a outro fundo. O fundo de investimento em cotas de fundos deve manter no mínimo 95% de seu patrimônio investido em cotas de fundos da mesma classe. Os fundos "Multimercado podem investir em fundos de classes distintas. As cotas dos fundos, em geral, conferem direitos iguais a todos os investidores. Os investimentos nos fundos são realizados somente em moeda local. 18

19 Principais participantes da indústria Chile Sociedades administradoras Depósito de Valores Instituições certificadas pela Superintendencia de Valores y Seguros para administrar um ou mais fundos Responsáveis pelo registro de operações e a controladoria, que devem ser realizados de forma independente para cada fundo administrado Responsáveis também pela gestão da carteira e pela distribuição do fundo, que pode ser terceirizada a instituições determinadas O administrador deve contratar uma empresa de custódia regulada pela lei nº para os ativos de oferta pública suscetíveis de custodiados Função realizada pelo Depósito Central de Valores (DCV) Asociación Chilena de Administradoras de Fondos de Inversión (ACAFI) Associação de sociedades administradoras de fundos Instituição autorreguladora do mercado Superintendencia de Valores y Seguros (SVS) Autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda responsável por supervisionar os fundos públicos Os fundos privados (menos de 50 investidores) não são supervisionados, são regidos pelo art. 40 da lei e regulamento interno 19

20 Aspectos da regulamentação Chile Tópico Aspectos destacados Autorização para o fundo operar Segregação de funções Precificação / MaM Investimentos no exterior Regras gerais Necessário autorização da Superintendencia de Valores y Seguros (SVS) para iniciar a operação. A s sociedades administradoras devem manter controles que garantam a efetividade da segregação de funções incompatíveis e o tratamento a informações privilegiadas. Os informes emitidos pelos auditores (( actividades prohibidas, información privilegiada, incluindo a carta de controle interno), ficam à disposição da SVS. As sociedades administradoras são responsáveis pela precificação e utilizam modelos para tal atividade. Para efeitos de fiscalização, a SVS fiscaliza periodicamente as carteiras para verificação de possíveis irregularidades nestes modelos. Todos os administradores utilizam um sistema único de preços provido por entidade externa e independente. Fundos podem negociar ativos em mercados internacionais, a depender de restrições específicas do fundo, descritas em seu regulamento. Os fundos são fechados e com data de liquidação pré-estabelecida, e sua distribuição pode ser pública ou privada (em ambos os casos é realizado registro na SVS). Os fundos públicos devem ser administrados por uma sociedade administradora, supervisionada pela SVS. A partir de 50 cotistas, o fundo torna-se público. Apenas os fundos públicos são regulados pela SVS, e suas cotas podem ser adquiridas na Bolsa de Comércio. Os fundos privados são regidos por regulamentos internos. Para fundos mutuos e garantizados é requerido um patrimônio maior ou igual a 10 mil UFs (aprox. USD 470 mil). Não se pode investir em cotas de outro fundo de investimento administrado pela mesma sociedade administradora. Possibilidade de investimento em moedas correntes estrangeiras autorizadas pela SVS. Os fundos de investimento de capital estrangeiro tem carência de 5 anos para remessas de capital ao exterior. O Comitê de Vigilância é composto por cotistas dos fundos, que são eleitos e podem ser remunerados. 20

21 Principais participantes da indústria Colômbia Sociedades Administradoras, comisionistas de bolsa de valores ou fiduciarias Entidades responsáveis pela administração dos fundos, incluindo sua contabilidade Responsáveis também pela gestão, controladoria e distribuição dos fundos DECEVAL e DCV Depósito Centralizado de Valores de Colombia (DECEVAL) e Depósito Central de Valores del Banco de la República (DCV) são instituições públicas responsáveis pela custódia de ativos na Colômbia Autorregulador del Mercado de Valores de Colombia Organismo autorregulador do mercado de capitais na Colômbia, que tem como objetivo regular e supervisionar seus participantes Superintendencia Financiera de Colombia (SFC) Entidade governamental responsável por supervisionar os mercados financeiro e de capitais na Colômbia, tendo como principais objetivos o seu desenvolvimento e a proteção aos seus participantes 21

22 Aspectos da regulamentação Colômbia Tópico Autorização para o fundo operar Segregação de funções Precificação / MaM Investimentos no exterior Regras gerais Aspectos destacados A partir de março/2011 os fundos ( carteras colectivas ) podem iniciar suas operações sem a necessidade de autorização prévia da Superintendencia Financiera de Colombia - SFC (Circular Externa 014 de 2011). O fundo pode ser administrado por sociedades comisionistas de bolsa de valores, sociedades fiduciarias ou sociedades administradoras de inversión. Os administradores são responsáveis também pela gestão, controladoria e distribuição dos fundos. O gestor de fundos deve ter segregadas suas atividades de front, middle e back office. A custódia pode ser realizada por duas instituições: Depósito Centralizado de Valores de Colombia (DECEVAL) e Depósito Central de Valores del Banco de la República (DCV). Cada fundo deve ter um gerente responsável pela sua gestão inscrito no Registro Nacional de Profesionales del Mercado de Valores (RNPMV). A precificação dos ativos das carteiras dos fundos utiliza metodologia publicada pelo regulador (SFC), e é calculada pela sociedade administradora. Para ativos listados, o agente precificador oficial é a INFOVAL, enquanto ativos não listados não há uma fonte comum. Fundos podem negociar ativos em mercados internacionais, a depender de restrições específicas de cada fundo. Os fundos ( carteras ) podem ser abertos (permite resgate a qualquer momento), fechados (não permite resgate antes do vencimento) ou escalonados (com prazo mínimo de permanência do investidor). Exigência de patrimônio mínimo para os fundos, que não deve ser não inferior a salários mínimos legais mensais vigentes (aprox. USD 770 mil) - carência de 6 meses. Mínimo de 10 investidores (fundos abertos e escalonados) e de 2 investidores (fundo fechado). Nos fundos abertos, um investidor não pode deter mais de 10% do patrimônio. Os administradores locais de fundos de investimento de capital estrangeiro devem submeter a relação de ativos da carteira para à SFC. Os fundos privados devem ter um Comitê de Vigilância para supervisionar o cumprimento do seu regulamento. 22

23 Principais participantes da indústria México Sociedades operadoras de sociedades de inversión Entidade administradora do fundo, autorizada pela CNBV Responsável pela gestão de carteira, que não pode ser delegada a terceiros Pode realizar ou contratar serviços de controladoria do fundo Custodiantes A custódia pode ser realizada diretamente pela depositária central (S.D. Indeval) ou por um custodiante local ( casa de bolsa ou banco) ou global Assim como as outras atividades, a custódia está sujeita à supervisão da CNBV Distribuidores A distribuição pode ser realizada por sociedades operadoras, bancos, seguradoras, instituições de crédito, casas de bolsa, casas de cambio, sociedades financieras de objeto limitado, ou Distribuidoras de Acciones de Sociedades de Inversión Asociación Mexicana de Intermediarios Bursátiles Organismo autorregulador do mercado de fundos no México Comision Nacional Bancaria y de Valores (CNBV) Organismo regulador do mercado de fundos, responsável por autorizar, regular e supervisionar os fundos Secretaría de Hacienda y Crédito Público (SHCP) Organismo responsável pelas diretrizes do sistema financeiro, tanto bancário como bursátil Bolsa Mexicana de Valores Organismo autorregulador dos fundos de renda variável e instrumentos de dívida Banco de México (BANXICO) Emite regulamentações e regras a que devem sujeitar-se os fundos em assuntos como reportes financeiros 23

24 Aspectos da regulamentação México Tópico Autorização para o fundo operar Aspectos destacados Autorização da Comisión Nacional Bancaria y de Valores (CNBV), definindo o tipo de fundo ( sociedad de inversión ). Os fundos autorizados que pretendam listar suas cotas em bolsa devem inscrever as ações representativas de seu capital social na Sección de Valores del Registro Nacional. Sociedades de inversión de capitales y de objeto limitado. Segregação de funções Precificação / MaM Investimentos no exterior Regras gerais As sociedades operadoras podem realizar as atividades de administração, gestão e controladoria, sendo que devem ser estabelecidos mecanismos de segregação de funções. A custódia deve ser realizada pela depositária central (S.D. Indeval) ou por um custodiante. As Distribuidoras de Acciones de Sociedades de Inversión são autorizadas e supervisadas pela CNBV, e podem ser Integrales ou Referenciadoras. A precificação das sociedades de inversión é realizada pelas valuadoras de acciones de sociedades de inversión, a partir de preços fornecidos por Proveedores de Precios (atualmente há duas empresas). Os Proveedores de Precios, são autorizadas, reguladas e supervisionadas pela CNBV. Além disso, o Banco de México, a CNBV e a Secretaría de Hacienda y Crédito Público revisam a MaM e podem definir critérios de precificação. Podem ser negociados ativos no exterior, como cotas de fundos através de Fundos de Fundos ou ações listadas no Sistema Internacional de Cotizaciones (SIC) da Bolsa Mexicana de Valores, desde que sejam compatíveis com o prospecto do fundo. Embora sejam permitidos fundos fechados, devido a questões de demanda e falta de regulação secundária, atualmente 100% são abertos. Para efeitos regulatórios, ETF s (Exchange Trade Funds) não são considerados fundos ( sociedades de inversión ), pois seus emissores não são entidades autorizadas e supervisadas pela CNBV. Os prospectos e regulamentos dos fundos, bem como suas modificações, devem ser aprovados previamente pela CNBV. O fundo deverá ter um conselho de administração, responsável por estabelecer políticas e monitorar as suas atividades. 24

25 Principais participantes da indústria Peru Sociedades Administradoras Custodio Empresa Proveedora de Precios Sociedades anônimas responsáveis pela administração, gestão, controladoria e distribuição de um ou mais fundos Entidade contratada pela sociedad administradora para realizar serviços de custódia O custodiante deve ser uma instituição autorizadas pelo CONASEV Instituição privada responsável pela precificação dos ativos das carteiras dos fundos. O principal agente precificador é o Proveedor Integral de Precios de Peru Superintencia de banca, Seguros y AFP Principal organismo responsável pela regulação e supervisão dos Sistemas Financeiro, de Seguros e Previdência Comisión Nacional Supervisora de Empresas y Valores del Perú (CONASEV) Organismo responsável por autorizar e supervisionar as sociedades administradoras e os fundos. A Sociedade Administradora deverá estar inscrita no Registro Público del Mercado de Valores 25

26 Aspectos da regulamentação Peru Tópico Autorização para o fundo operar Segregação de funções Precificação / MaM Investimento s no exterior Aspectos destacados A sociedade administradora deve apresentar à CONASEV o prospecto do fundo, seu regulamento interno e o modelo de contrato com os investidores. As sociedades administradoras são responsáveis pelas atividades de administração, gestão, controladoria e distribuição dos fundos. A segregação interna de funções deve ser estabelecida por meio de normas internas de conduta. O Proveedor Integral de Precios de Peru é responsável pela precificação dos ativos das carteiras dos fundos. A possibilidade de investimento em ativos no exterior é definida pelas características de cada fundo. As sociedades administradoras devem constituir uma garantia em favor da CONASEV, para assegurar seus deveres com os investidores. Os fundos podem ser fechados ( Fondos de inversión ) ou abertos ( Fondos Mutuos ). Regras gerais Os fundos de investimento fechados tem número fixo de cotas, vencimento pré-determinado, e não são passíveis de resgate, reembolso ou novos aportes. Os fundos mútuos abertos devem ter patrimônio mínimo de nuevos soles (aprox. USD 245 mil). As cotas dos fundos ( certificados de participación ) podem ser agrupadas em classes, com direitos diferenciados. Nenhum investidor individualmente poderá deter mais de um terço do patrimônio do fundo, exceto seus fundadores durante os 3 primeiros anos de operação. 26

27 PwC Aspectos contábeis

28 Aspectos contábeis Argentina Brasil Chile Colômbia México Peru Demonstrações financeiras Anualmente (70 dias após o fechamento): Publicação do balanço auditado da Sociedad Gerente e de cada fundo na CNV Trimestralmente (42 dias após o fechamento): Publicação do balanço dos fundos na CNV Com relatório de revisão limitada do auditor. O administrador do fundo deve enviar à CVM: Demonstrativos mensais Demonstrações contábeis acompanhadas do parecer do auditor independente (anualmente) Formulário padronizado com as informações básicas do fundo, sempre que houver alteração do regulamento Informações eventuais (fatos relevantes) aos cotistas Os fundos de investimentos públicos são obrigados a publicar seus demonstrativos financeiros trimestralmente na página da Superintendencia de Valores y Seguros (conforme circular 1756 SVS) Fundos de investimento privados não estão obrigados a publicar seus demonstrativos financeiros As demonstrações contábeis devem ser divulgadas pelo menos anualmente Todo fundo deverá enviar anualmente a seus afiliados um informe das atividades no período Os demonstrativos financeiros são publicados trimestralmente e anualmente. As sociedades de inversión deverão publicar em mídia impressa ou eletrônica de grande circulação os demonstrativos financeiros trimestrais e anuais. As Sociedades Administradoras devem submeter ao Registro de Fundos: Demonstrações financeiras anuais auditadas um dia após a aprovação pela Assembléia geral Demonstrações parciais não auditadas e análise e relatório de gestão 28

29 As informações dos fundos devem ser divulgadas periodicamente ao regulador Argentina Brasil Chile Colômbia México Peru Divulgação dos valores de cotas Auditoria Norma contábil As informações de cotas devem ser fornecidas diariamente ao regulador Anualmente: Parecer de auditor externo Parecer da Comisión Fiscalizadora ou do Consejo de Vigilancia IFRS (a partir de janeiro de 2012) O administrador do fundo deve divulgar, diariamente, o valor da cota e do patrimônio líquido do fundo aberto As demonstrações contábeis do fundo devem ser auditadas anualmente por auditor independente registrado na CVM Prevista no plano de contas dos fundos de investimento (COFI) Em estudo para convergência às IFRS O valor da cota dos fundos públicos deve ser informado diariamente à SVS e pode ser consultado pelo site Os fundos são auditados anualmente por auditores externos aprovados pela SVS. Em processo de adoção às IFRS (até dez 2011) As informações de cotas devem ser fornecidas diariamente ao regulador Dentro do parecer de auditoria deve haver menção às carteiras coletivas e fideicomissos que administra. As informações de cotas devem ser fornecidas diariamente ao regulador Os demonstrativos financeiros são auditados anualmente por auditores externos Número de cotas e cotistas, e valor da cota e de face devem ser informados trimestralmente ao regulador As demonstrações financeiras anuais devem ser auditadas Deve ser entregue à CONASEV relatório do auditor externo sobrecompliance com o Manual de Procedimentos e código de Conduta do fundo Colômbia GAAP IFRS Peru GAAP 29

30 PwC Marco tributário

31 Regras gerais de tributação em cada país Argentina Brasil Chile Colômbia México Peru Portfólio Não há tributação no portfólio Não há tributação no portfólio. Administradores dos fundos são responsáveis pela retenção dos impostos: Come-cotas Amortização de cotas Resgate de cotas Fundos de Investimento constituídos nos termos da Lei não são tributados Somente são tributados os lucros distribuídos aos cotistas Em processo de revisão de regulamentação (unificação lei de fundos mútuos e fondos de inversión) Fundos de investimentos não são contribuintes do imposto de renda, no entanto, os fundos são obrigados a entregar declaração Instrumentos de débito e a renda variável de fundo mutuo não são tributáveis Administradores dos fundos mútuos devem reter e pagar o imposto correspondente aos cotistas As receitas obtidas pelo Fundo, tais como lucros, dividendos, juros ou ganhos de capital deve ser atribuída ao investidor e tributadas de acordo com a natureza dos rendimentos 31

32 Regras gerais de tributação em cada país Argentina Brasil Chile Colômbia México Peru Investidor local Fase holding PF e PJ: de 0,50% até 0,75 % (anual) Ganho de capital PF: não há tributação PJ: 35% anual Fase holding: come-cotas semestral (maio e novembro) em fundos de curto prazo (15%) e longo prazo (20%) No resgate: Curto prazo (prazo médio até 365 dias): 20 a 22,5% Longo prazo (prazo médio maior que 365 dias): 15 a 22,5% Fundos de ação tributados a 15% no resgate Alíquotas iguais para PF e PJ Dividendos distribuídos pelo fundo e maisvalias, são geralmente taxados com o Imposto Complementar Global : PF: tabela progressiva, até 40% PJ: 20% Após dedução das despesas e dos honorários da empresa de gestão, as receitas são distribuídas aos cotistas da mesma forma como foi recebido pelo fundo e sob mesmas condições fiscais que teriam se fossem recebidos diretamente pelo subscritor ou cotista Dividendos de Fundo estrangeiro distribuído a um Colombiano : 33% Alíquota estipulada pelo Congresso Federal a cada ano Alíquota atual (2011) : 0,60% Juros (consideram ganhos recebidos na venda de ações + aumento do valor dos investimentos nos fundos: Fase Holding: PF: considera ganho real PJ: considera ganho nominal Ganho de capital PF: isento Fase holding: PF: dividendos e juros tributados à alíquota de 4.1% se recebidos de companhias peruanas PJ: dividendos e juros tributados à alíquota de 30% Ganho de capital (PF): 5% sobre o que exceder 5 Tax Units (aprox. USD 6,200); Rendimentos de origem estrangeira é sujeito a alíquotas maiores (15%, 21% e 30%), sem dedução PJ: ganhos Ganho de capital resultantes da (PJ): 30% venda das ações são incluídas na receita 32 bruta

33 Regras gerais de tributação em cada país Argentina Brasil Chile Colômbia México Peru Investidor Estrangeir0 N/D Fase holding Regra geral: 15% FIA: 10% FIP: 0% Ganho de capital Regra geral: 15% Fundos de ações: 10% Dividendos distribuídos pelo Fundo de Investimento e mais-valias: tributados como investidor local porém com imposto adicional (35%) Fundos de Investimento Estrangeiro (FICE - FICER) não são tributados no Chile, no entanto, qualquer remessa feita para o exterior, que exceda o capital investido, estará sujeita a imposto a alíquota de 10%. Não residentes investem em Fundo de Investimento de Capital Estrangeiro ("FICF"). O FICF não é contribuinte de imposto de renda Os rendimentos financeiros tem imposto retido no momento do pagamento ou depósito, às mesmas taxas e regras dos residentes na Colômbia. Alíquotas de 4% e 7%. Fase holding Juros - retenção na fonte a taxas variáveis Dividendos: isentos Ganho de capital: isento Fase holding Dividendos: 4.1% Juros: 30% entre partes relacionadas e 4.99% entre partes não relacionadas Ganho de capital Alienação dentro do país : 5% sobre o que exceder 5 Tax Units (+/- USD 6,200) Alienação fora do país : 30% 33

A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil. Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID

A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil. Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID A Indústria de Fundos de Investimento no Brasil Luiz Calado Gerente de Certificação da ANBID A ANBID A ANBID Associação Nacional dos Bancos de Investimentos Criada em 1967, é a maior representante das

Leia mais

Como funcionam os fundos de investimentos

Como funcionam os fundos de investimentos Como funcionam os fundos de investimentos Fundos de Investimentos: são como condomínios, que reúnem recursos financeiros de um grupo de investidores, chamados de cotistas, e realizam operações no mercado

Leia mais

GESTOR DA CARTEIRA DE INVESTIMENTO

GESTOR DA CARTEIRA DE INVESTIMENTO O QUE É? No Brasil um fundo de investimento possui a sua organização jurídica na forma de um condomínio de investidores, portanto o fundo de investimento possui um registro na Receita Federal (CNPJ) pois

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (C.N.P.J. nº 04.890.401/0001-15) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A. Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 30 de setembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADIUS HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: Nº 10.446.951/0001-42

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADIUS HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: Nº 10.446.951/0001-42 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADIUS HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: Nº Informações referentes à Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o

Leia mais

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 66

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 66 CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 66 O Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Fundos de Investimento, no exercício das atribuições a ele conferidas

Leia mais

RELATÓRIO & CONTAS Liquidação

RELATÓRIO & CONTAS Liquidação Fundo Especial de Investimento Aberto CAIXA FUNDO RENDIMENTO FIXO IV (em liquidação) RELATÓRIO & CONTAS Liquidação RELATÓRIO DE GESTÃO DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RELATÓRIO DO AUDITOR EXTERNO CAIXAGEST Técnicas

Leia mais

FUNDOS DE INVESTIMENTO

FUNDOS DE INVESTIMENTO FUNDOS DE INVESTIMENTO O QUE É FUNDO DE INVESTIMENTO? O Fundo de Investimento é um mecanismo organizado e tem a finalidade de captar e investir recursos no mercado financeiro, transformando-se numa forma

Leia mais

FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO

FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO I Curso de Férias do Grupo de Estudos de Direito Empresarial - Direito UFMG EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO Fernanda Valle Versiani Mestranda em Direito Empresarial pela Universidade Federal de Minas Gerais,

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte:

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos: São condomínios, que reúnem aplicações de vários indivíduos para investimento

Leia mais

Guia de Renda Fixa. 1. Principais Características

Guia de Renda Fixa. 1. Principais Características Guia de Renda Fixa Os títulos de renda fixa se caracterizam por possuírem regras definidas de remuneração. Isto é, são aqueles títulos cujo rendimento é conhecido previamente (juro prefixado) ou que depende

Leia mais

Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2

Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2 Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2 OBJETIVOS DA ATUALIZAÇÃO DA CPA-10 A Atualização dos profissionais certificados CPA-10 é parte do Código de Regulação

Leia mais

SUL AMÉRICA FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO - FGTS CARTEIRA LIVRE

SUL AMÉRICA FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO - FGTS CARTEIRA LIVRE SUL AMÉRICA FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO - FGTS CARTEIRA LIVRE REGULAMENTO CAPÍTULO I - DO FUNDO Artigo 1º - O SUL AMÉRICA FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO -- FGTS CARTEIRA LIVRE, doravante designado abreviadamente

Leia mais

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 Controle: D.04.10.04 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão: 30/09/2013 Elaborado por: Certificação ANBIMA Aprovado por:

Leia mais

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL

DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DE FUNDOS IMOBILIÁRIOS NO BRASIL Valdery Albuquerque 2ª Conferência Internacional de Crédito Imobiliário De 17 a 19 de março de 2010 Índice 1. Conceitos e Características

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO COPACABANA ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição, em

Leia mais

Demonstração da Composição e Diversificação das Aplicações em 31 de maio de 2008.

Demonstração da Composição e Diversificação das Aplicações em 31 de maio de 2008. Demonstração da Composição e Diversificação das Aplicações em 31 de maio de 2008. Mercado / % sobre Aplicações/Especificação Quantidade Realização Patrimônio R$ Mil Líquido 1.DISPONIBILIDADES 8 0,03 Depósitos

Leia mais

Novas Instruções da CVM sobre Fundos de Investimento

Novas Instruções da CVM sobre Fundos de Investimento LUCIANA BARBOSA SILVEIRA Superintendente de Jurídico e Compliance Novas Instruções da CVM sobre Fundos de Investimento Sumário A partir de out/2015, novas normas passarão a reger a indústria de fundos

Leia mais

BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.) DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 30 DE SETEMBRO

Leia mais

Módulo V Fundos de Investimentos. De 13 a 15 Questões na prova (26% a 40%)

Módulo V Fundos de Investimentos. De 13 a 15 Questões na prova (26% a 40%) Módulo V Fundos de Investimentos De 13 a 15 Questões na prova (26% a 40%) 5 - Fundos de Investimentos Definições legais Tipos de Fundo Administração Documentos dos fundos Dinâmica de Aplicação e resgate

Leia mais

Regulação de Fundos de Investimento

Regulação de Fundos de Investimento Regulação de Fundos de Investimento Reações à crise de 2008, novidades e desafios Francisco Santos Superintendente de Relações com Investidores Institucionais 6º Congresso ANBIMA de Fundos de Investimento

Leia mais

BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.

BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A. BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.) Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 30 de

Leia mais

Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA

Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA Renda Variável Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA Cotas de Fundos de Investimento em Ações - FIA Mais uma alternativa na diversificação da carteira de investimento em ações O produto O Fundo

Leia mais

Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (anteriormente denominado Fundo de Garantia da Bolsa de Valores de São Paulo)

Mecanismo de Ressarcimento de Prejuízos (anteriormente denominado Fundo de Garantia da Bolsa de Valores de São Paulo) 1. Contexto operacional A Bolsa de Valores de São Paulo (BOVESPA), por força do disposto no regulamento anexo à Resolução no. 2.690, de 28 de janeiro de 2000, do Conselho Monetário Nacional, mantinha um

Leia mais

Demonstração da Composição e Diversificação das Aplicações em 31 de maio de 2007.

Demonstração da Composição e Diversificação das Aplicações em 31 de maio de 2007. ITAUVEST PERSONNALITÉ CURTO PRAZO FUNDO DE INVESTIMENTO EM Demonstração da Composição e Diversificação das Aplicações em 31 de maio de 2007. Mercado / % sobre Aplicações/Especificação Quantidade Realização

Leia mais

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de março de 2004 e de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI.

Fundo multimercado que tem como objetivo buscar rentabilidade acima do Certificado de Depósito Interbancário - CDI. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS 1. Público-alvo dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG VERDE FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO.

Leia mais

Período de 01 de janeiro a 06 de outubro de 2011 (data de extinção do Fundo) com Relatório dos Auditores Independentes

Período de 01 de janeiro a 06 de outubro de 2011 (data de extinção do Fundo) com Relatório dos Auditores Independentes Demonstração da Evolução do Patrimônio Líquido CSHG Realty BC Fundo de Investimento em Participações (Administrado pela Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora de Valores S/A) Período de 01 de janeiro a

Leia mais

Simulado CPA 10 Completo

Simulado CPA 10 Completo Simulado CPA 10 Completo Question 1. O SELIC é um sistema informatizado que cuida da liquidação e custódia de: ( ) Certificado de Depósito Bancário ( ) Contratos de derivativos ( ) Ações negociadas em

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES PROGRESSO. no montante total de até

FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES PROGRESSO. no montante total de até UBS PACTUAL SERVIÇOS FINANCEIROS S.A. DTVM comunica o início da distribuição, de até 240 (duzentas e quarenta) cotas, escriturais, com valor inicial de R$1.000.000,00 (um milhão de reais), de emissão do

Leia mais

Mercado de Capitais. Renda Variável. Mercado Primário de Ações. Mercado Primário - ETAPAS. Mercado Primário - ETAPAS

Mercado de Capitais. Renda Variável. Mercado Primário de Ações. Mercado Primário - ETAPAS. Mercado Primário - ETAPAS Mercado Primário de Ações Mercado de Capitais Renda Variável Mestrando: Paulo Jordão. 03/04/2012 Venda direta aos investidores através de ofertas públicas (IPOs) ou subscrição particular; Motivos: Expansão

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO CAPITAL SEGURO ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição,

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Fundos de Investimento Difusão de Fundos de Investimento BB DTVM e FGV 17/05/2013 Programa. A ANBIMA. O que são Fundos de Investimento. Como se constituem. Governança. Operação. A indústria Brasileira

Leia mais

Transferência da administração de recursos e alocação de ativos para profissionais especializados;

Transferência da administração de recursos e alocação de ativos para profissionais especializados; Guia de Fundos de Investimento A CMA desenvolveu o Guia de Fundos de Investimento para você que quer se familiarizar com os princípios básicos do mercado financeiro, ou que tem interesse em aprofundar

Leia mais

ENTIDADES AUTO-REGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO

ENTIDADES AUTO-REGULADORAS DO MERCADO ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO BM&FBOVESPA A BM&FBOVESPA é muito mais do que um espaço de negociação: lista empresas e fundos; realiza negociação de ações, títulos, contratos derivativos; divulga cotações; produz índices de mercado;

Leia mais

Administração Financeira e Orçamentária I

Administração Financeira e Orçamentária I Administração Financeira e Orçamentária I Sistema Financeiro Brasileiro AFO 1 Conteúdo Instituições e Mercados Financeiros Principais Mercados Financeiros Sistema Financeiro Nacional Ações e Debêntures

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

ÍNDICE. Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES

ÍNDICE. Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES Administradores da Emissora... 13 Coordenador Líder... 13

Leia mais

Curso Preparatório CPA20

Curso Preparatório CPA20 Página 1 de 8 Você acessou como Flávio Pereira Lemos - (Sair) Curso Preparatório CPA20 Início Ambiente ) CPA20_130111_1_1 ) Questionários ) Passo 2: Simulado Módulo IV ) Revisão da tentativa 3 Iniciado

Leia mais

POLÍTICA: ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO

POLÍTICA: ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO POLÍTICA: ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO 1. INTRODUÇÃO A política de Risco de Mercado do Scotiabank Brasil ( Scotiabank ) é baseada na política do grupo de Risk Management Global do Scotiabank

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO 1. INTRODUÇÃO O Scotiabank Brasil (SBB), em atendimento à Resolução CMN 3.464 e alinhado a política global do grupo, implementou estrutura de Gerenciamento

Leia mais

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros;

a) mercados de derivativos, tais como, exemplificativamente, índices de ações, índices de preços, câmbio (moedas), juros; CREDIT SUISSE HEDGINGGRIFFO 1. Públicoalvo LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

Bovespa Supervisão de Mercados - BSM

Bovespa Supervisão de Mercados - BSM 1. C ontexto operacional A Bovespa Supervisão de Mercados BSM (BSM) criada em 16 de agosto de 2007 como uma associação civil sem finalidade lucrativa, em cumprimento ao disposto na regulamentação pertinente

Leia mais

La Supervisión de los Custodios en Brasil. Aspectos Legales

La Supervisión de los Custodios en Brasil. Aspectos Legales La Supervisión de los Custodios en Brasil Aspectos Legales CVM Competência Legal Lei nº 6.385/76 - Dispõe sobre o Mercado de Valores Mobiliários e Cria a Comissão de Valores Mobiliários. Art. 1º Serão

Leia mais

A CVM e a Autorregulação no Mercado de Capitais

A CVM e a Autorregulação no Mercado de Capitais A CVM e a Autorregulação no Mercado de Capitais A Lei nº 6.385/76 define os mandatos legais da CVM: Desenvolvimento do Mercado (art 4º. Incisos I e II); Eficiência e Funcionamento do Mercado (art. 4º,

Leia mais

HSBC Strategy S&P Diversifique seus investimentos com ativos internacionais

HSBC Strategy S&P Diversifique seus investimentos com ativos internacionais HSBC Strategy S&P Diversifique seus investimentos com ativos internacionais HSBC Strategy S&P Diversifique seus investimentos com ativos internacionais Avaliando oportunidades de sucesso através de um

Leia mais

Curso Preparatório CPA20

Curso Preparatório CPA20 Página 1 de 9 Você acessou como Flávio Pereira Lemos - (Sair) Curso Preparatório CPA20 Início Ambiente ) CPA20_130111_1_1 ) Questionários ) Passo 2: Simulado Módulo II ) Revisão da tentativa 1 Iniciado

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Vale do Rio Doce Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi...

http://www.receita.fazenda.gov.br/pessoafisica/irpf/2008/perguntas/aplicfinanrenfi... Page 1 of 8 Aplicações Financeiras - Renda Fixa e Renda Variável 617 Quais são as operações realizadas nos mercados financeiro e de capital? Nesses mercados são negociados títulos, valores mobiliários

Leia mais

BRB FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS PETROBRÁS (Administrado pela BRB Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.)

BRB FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS PETROBRÁS (Administrado pela BRB Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.) BRB FUNDO MÚTUO DE PRIVATIZAÇÃO FGTS PETROBRÁS (Administrado pela BRB Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.) Relatório dos auditores independentes Demonstrações contábeis Em 31 de março de

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Sistema de distribuição de valores mobiliários, que tem o objetivo de proporcionar liquidez

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário (FII) David Menegon Superintendência de Relações com Investidores Institucionais 10 de março de 2015

Fundos de Investimento Imobiliário (FII) David Menegon Superintendência de Relações com Investidores Institucionais 10 de março de 2015 Fundos de Investimento Imobiliário (FII) David Menegon Superintendência de Relações com Investidores Institucionais 10 de março de 2015 As opiniões aqui expostas são de exclusiva responsabilidade do apresentador,

Leia mais

PROSPECTO OUTUBRO/2008 INFINITY UNIQUE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: 07.878.282/0001-73

PROSPECTO OUTUBRO/2008 INFINITY UNIQUE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: 07.878.282/0001-73 PROSPECTO OUTUBRO/2008 INFINITY UNIQUE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: 07.878.282/0001-73 Classificação CVM: Multimercado Classificação ANBID: Multimercado com Renda Variável com Alavancagem (cód.:

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012

Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2013 e 2012 KPDS 82388 Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Demonstrações

Leia mais

O QUE É A CVM? II - a negociação e intermediação no mercado de valores mobiliários;

O QUE É A CVM? II - a negociação e intermediação no mercado de valores mobiliários; O QUE É A CVM? A CVM - Comissão de Valores Mobiliários é uma entidade autárquica em regime especial, vinculada ao Ministério da Fazenda, com personalidade jurídica e patrimônio próprios, dotada de autoridade

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VITÓRIA RÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: 05.384.841/0001-63. Informações referentes à MAIO de 2014

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VITÓRIA RÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: 05.384.841/0001-63. Informações referentes à MAIO de 2014 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O Informações referentes à MAIO de 2014 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o VITÓRIA RÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. As informações

Leia mais

NOVOS TIPOS DE INVESTIDORES E A REGULAÇÃO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO

NOVOS TIPOS DE INVESTIDORES E A REGULAÇÃO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO NOVOS TIPOS DE INVESTIDORES E A REGULAÇÃO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO Daniel Sposito Pastore Membro do Comitê de Assuntos Jurídicos da ANBIMA. I Estrutura Normativa CVM Contexto Regulatório Brasileiro Atual

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC MULT LP MASTER TRADING 13.902.141/0001-41 Informações referentes a Abril de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC MULT LP MASTER TRADING 13.902.141/0001-41 Informações referentes a Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FICFI MULTIMERCADO LONGO PRAZO. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ZENITH FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: 04.787.

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ZENITH FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: 04.787. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ZENITH FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES Informações referentes à Julho de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e de capitais.

Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e de capitais. RESOLUCAO 2.689 --------------- Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e de capitais. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31 de dezembro

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Gestão Financeira Prof. Marcelo Cruz Fundos de Investimento 3 Uma modalide de aplicação financeira Decisão de Investimento 1 Vídeo: CVM Um fundo de investimento é um condomínio que reúne recursos de um

Leia mais

Preparatório para Certificação da ANBID CPA 10

Preparatório para Certificação da ANBID CPA 10 Preparatório para Certificação da ANBID CPA 10 Programa 2011 PROGRAMA: 1) Sistema Financeiro Nacional Funções Básicas: Função dos intermediários financeiros e definição de intermediação financeira. Estrutura

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/06/2012 - BPMB I Participações S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.885/0001-45

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.885/0001-45 Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96) e 2014 com Relatório

Leia mais

Roberto Mendonça Pereira. CVM - Comissão de Valores Mobiliários Brasil

Roberto Mendonça Pereira. CVM - Comissão de Valores Mobiliários Brasil Clasificaciones de productos financieros por riesgo y diferenciación de los inversores. Diferentes niveles de protección y obligaciones que se derivan para las entidades. Roberto Mendonça Pereira CVM -

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Vida Feliz Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

Desafios Estratégicos para a Indústria de Fundos de Investimento. Marcelo Trindade mtrindade@trindadeadv.com.br Rio de Janeiro, 15.03.

Desafios Estratégicos para a Indústria de Fundos de Investimento. Marcelo Trindade mtrindade@trindadeadv.com.br Rio de Janeiro, 15.03. Desafios Estratégicos para a Indústria de Fundos de Investimento Marcelo Trindade mtrindade@trindadeadv.com.br Rio de Janeiro, 15.03.2012 Arcabouço Regulatório da Indústria de Fundos de Investimento Sumário

Leia mais

BANRISUL ÍNDICE FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ/MF nº 02.131.725/0001-44

BANRISUL ÍNDICE FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ/MF nº 02.131.725/0001-44 BANRISUL ÍNDICE FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ/MF nº 02.131.725/0001-44 PROSPECTO AVISOS IMPORTANTES I. A CONCESSÃO DE REGISTRO PARA A VENDA DAS COTAS DESTE FUNDO NÃO IMPLICA, POR PARTE DA COMISSÃO

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RISCOS. Pilar III Basiléia

GERENCIAMENTO DE RISCOS. Pilar III Basiléia GERENCIAMENTO DE RISCOS Pilar III Basiléia 3º Trimestre 2015 ÍNDICE I - INTRODUÇÃO 3 II OBJETIVO 3 III PERFIL CORPORATIVO 3 IV GOVERNANÇA CORPORATIVA 4 V RISCO DE CRÉDITO 4 VI RISCO DE MERCADO 5 VII RISCO

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 3.0 - Julho/2014)

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 3.0 - Julho/2014) Política de Exercício de Direito de Voto (Versão 3.0 - Julho/2014) 1. Objeto e Aplicação 1.1. Esta Política de Exercício de Direito de Voto ( Política de Voto ), em conformidade com as disposições do Código

Leia mais

Manual de Marcação a Mercado

Manual de Marcação a Mercado Departamento de Controladoria de Fundos de Investimento Setor de Precificação Propriedade de SITA Corretora de Câmbio e Valores Mobiliários S/A Proibida a reprodução total ou parcial sem prévia autorização.

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FI MM LONGO PRAZO HEDGE X 11.089.560/0001-80 Informações referentes a Fevereiro de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FI MM LONGO PRAZO HEDGE X 11.089.560/0001-80 Informações referentes a Fevereiro de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 2689. I - constituir um ou mais representantes no País; II - preencher formulário, cujo modelo constitui o Anexo a esta Resolução;

RESOLUÇÃO Nº 2689. I - constituir um ou mais representantes no País; II - preencher formulário, cujo modelo constitui o Anexo a esta Resolução; RESOLUÇÃO Nº 2689 Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e de capitais. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31 de dezembro de 1964, torna

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS Segurança nos investimentos Gestão dos recursos financeiros Equilíbrio dos planos a escolha ÍNDICE INTRODUÇÃO...3 A POLÍTICA DE INVESTIMENTOS...4 SEGMENTOS DE APLICAÇÃO...7 CONTROLE

Leia mais

As entidades locais no apoio às empresas regionais na retomada dos investimentos e experiência do Instituto Mineiro de Mercado de Capitais

As entidades locais no apoio às empresas regionais na retomada dos investimentos e experiência do Instituto Mineiro de Mercado de Capitais A retomada dos investimentos e o Mercado de Capitais Agosto de 2015 As entidades locais no apoio às empresas regionais na retomada dos investimentos e experiência do Instituto Mineiro de Mercado de Capitais

Leia mais

Gerenciamento de Riscos Pilar 3

Gerenciamento de Riscos Pilar 3 Gerenciamento de Riscos Pilar 3 2º Trimestre de 2014 ÍNDICE I - INTRODUÇÃO 3 II OBJETIVO 3 III PERFIL CORPORATIVO 3 IV GOVERNANÇA CORPORATIVA 4 V RISCO DE CRÉDITO 4 VI RISCO DE MERCADO 5 VII RISCO DE LIQUIDEZ

Leia mais

VALORA GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA

VALORA GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA MANUAL DE GERENCIAMENTO DE LIQUIDEZ VALORA GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA Elaborado pelo Oficial de Compliance: Misak Pessoa Neto Data: 25/01/2016 Versão: 1.3 1 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Princípios Gerais...

Leia mais

31 de março de 2015 e 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras

31 de março de 2015 e 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Demonstrações Financeiras Banrisul Multi Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96) e 2014 com Relatório

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC CAMBIAL DOLAR 02.294.024/0001-26 Informações referentes a Abril de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC CAMBIAL DOLAR 02.294.024/0001-26 Informações referentes a Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO CAMBIAL LONGO PRAZO. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento

Leia mais

CAIXA FI INSTITUCIONAL AÇÕES BDR NIVEL I

CAIXA FI INSTITUCIONAL AÇÕES BDR NIVEL I CAIXA FI INSTITUCIONAL AÇÕES BDR NIVEL I 1 Por que investir em fundo de AÇÕES BDR NIVEL I? Viabiliza o acesso das instituições reguladas pela Resolução CMN 3792/09 a investimentos no exterior; Estrutura

Leia mais

Workshop de Securitização FIDC E CRI. Comitê de FIDCs da ANBIMA Ricardo Augusto Mizukawa

Workshop de Securitização FIDC E CRI. Comitê de FIDCs da ANBIMA Ricardo Augusto Mizukawa Workshop de Securitização FIDC E CRI Comitê de FIDCs da ANBIMA Ricardo Augusto Mizukawa Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Mercado Iniciativas do Mercado - ANBIMA Classificação de FIDCs Formulário

Leia mais

RESOLUÇÃO N 1.927. Art. 2º. Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Art. 3º. Revogar a Resolução nº 1.848, de 31.07.91.

RESOLUÇÃO N 1.927. Art. 2º. Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação. Art. 3º. Revogar a Resolução nº 1.848, de 31.07.91. RESOLUÇÃO N 1.927 Dá nova redação ao regulamento anexo V à Resolução nº 1.289, de 20.03.87, que autoriza e disciplina os investimentos de capitais estrangeiros através do mecanismo de "DEPOSITARY RECEIPTS"

Leia mais

Preparatório para Certificação da ANBIMA CPA 10

Preparatório para Certificação da ANBIMA CPA 10 Preparatório para Certificação da ANBIMA CPA 10 Programa 2012 OBJETIVO: Habilitar os candidatos à Certificação Profissional ANBIMA CPA-10 a participarem do exame reunindo os conhecimentos necessários.

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures

LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 LOCALIZA RENT A CAR S.A. 5ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário

Leia mais

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Analistas indicam quais cuidados tomar no mercado financeiro em 2012 e quais investimentos oferecem menor probabilidade

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Banco do Nordeste Fundo de Investimento Ações Petrobras (Administrado pelo Banco do Nordeste do Brasil S.A. - CNPJ: 07.237.373/0001-20) 31 de março de 2014 com Relatório dos Auditores

Leia mais

As principais alterações trazidas pela Instrução CVM 571 encontram-se resumidas abaixo.

As principais alterações trazidas pela Instrução CVM 571 encontram-se resumidas abaixo. MERCADO DE CAPITAIS 01/12/2015 CVM ALTERA INSTRUÇÃO QUE DISPÕE SOBRE A CONSTITUIÇÃO, A ADMINISTRAÇÃO, O FUNCIONAMENTO, A OFERTA PÚBLICA DE DISTRIBUIÇÃO E A DIVULGAÇÃO DOS FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO

Leia mais

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI. Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI

Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI. Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Renda Fixa Privada Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários Instrumento de captação de recursos e de investimentos no mercado imobiliário O produto O Certificado

Leia mais

HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64

HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64 HSBC Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo Tripla Vantagem CNPJ nº 09.522.596/0001-64 (Administrado pelo HSBC Bank Brasil S.A. - Banco Múltiplo CNPJ nº 01.701.201/0001-89) Demonstrações financeiras

Leia mais

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS Unidade III 6 O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL O sistema financeiro nacional é o conjunto de instituições e instrumentos financeiros que possibilita a transferência de recursos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.263, DE 05 DE SETEMBRO DE 2013 Dispõe sobre as condições de emissão de Certificado de Operações Estruturadas (COE) pelas instituições

RESOLUÇÃO Nº 4.263, DE 05 DE SETEMBRO DE 2013 Dispõe sobre as condições de emissão de Certificado de Operações Estruturadas (COE) pelas instituições RESOLUÇÃO Nº 4.263, DE 05 DE SETEMBRO DE 2013 Dispõe sobre as condições de emissão de Certificado de Operações Estruturadas (COE) pelas instituições financeiras que especifica. O Banco Central do Brasil,

Leia mais

Política de Gerenciamento de Riscos Financeiros Endesa Brasil

Política de Gerenciamento de Riscos Financeiros Endesa Brasil Política de Gerenciamento de Riscos Financeiros Endesa Brasil Objeto Estabelecer uma política adequada de gerenciamento de riscos financeiros, de modo a resguardar as empresas do grupo Endesa Brasil de

Leia mais

ANÚNCIO DE INÍCIO DA DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA DAS COTAS DO GIF I - FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES CNPJ/MF: 08.872.941/0001-27

ANÚNCIO DE INÍCIO DA DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA DAS COTAS DO GIF I - FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES CNPJ/MF: 08.872.941/0001-27 ANÚNCIO DE INÍCIO DA DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA DAS COTAS DO GIF I - FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES CNPJ/MF: 08.872.941/0001-27 BEM DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. comunica o início

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IMA Geral Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.894/0001-36 (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96)

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O QUELUZ TRADER FIM 09.052.643/0001-53. Informações referentes a Agosto de 2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O QUELUZ TRADER FIM 09.052.643/0001-53. Informações referentes a Agosto de 2015 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O QUELUZ TRADER FIM 09.052.643/0001-53 Informações referentes a Agosto de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o QUELUZ TRADER FUNDO

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FI MM SMART NOVA GERACAO 13.896.109/0001-09 Informações referentes a Março de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FI MM SMART NOVA GERACAO 13.896.109/0001-09 Informações referentes a Março de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO SMART. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento

Leia mais

Por que abrir o capital?

Por que abrir o capital? Por que abrir capital? Por que abrir o capital? Vantagens e desafios de abrir o capital Roberto Faldini Fortaleza - Agosto de 2015 - PERFIL ABRASCA Associação Brasileira de Companhias Abertas associação

Leia mais

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de

MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de MBK Securitizadora S.A. Relatório sobre as demonstrações financeiras Período de 13 de abril de 2012 (Data de constituição da Companhia) a 31 de dezembro de 2012 MBK Securitizadora S.A. Demonstrações Financeiras

Leia mais