DOING BUSINESS IN BRAZIL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DOING BUSINESS IN BRAZIL"

Transcrição

1 ASSMANN CONSULTORIA EMPRESARIAL DOING BUSINESS IN BRAZIL member of 1

2 ASSMANN CONSULTORIA EMPRESARIAL is an international business consulting firm based in Brazil, that provides advisory services in management, strategy, finance, tax consulting, and legal advice. Our professionals combine experience and a deep knowledge in a wide range of economical sectors and business functions, aiming at assisting our clients and providing business solutions on an ongoing or project basis. Our knowledge of international business communities, cultures and practices allow us to effectively advise and counsel foreign companies interested in entering the Brazilian market. We are deeply involved with our client s results. ASSMANN CONSULTORIA EMPRESARIAL é uma empresa de consultoria em gestão, estratégia, finanças e tributos e assessoria legal com unidades em São Paulo e Belo Horizonte. Combinando a experiência de nossos profissionais e o conhecimento profundo sobre os diversos setores econômicos e funções de negócio, assessoramos nossos clientes, proporcionando as melhores soluções para ajudá-los a atingir alta performance. Estamos comprometidos com o resultado de nossos clientes. Somos associados a Integra Internacional, uma aliança global de firmas independentes, presentes em mais de 120 centros de negócios no mundo, as quais compartilham o compromisso de fornecer serviço de alta qualidade a seus clientes. We are members of Integra Internacional an international alliance of independent firms, present in more than 120 business centers around the globe. Nossa qualificação e experiência em negócios internacionais garantem uma assistência diferenciada para empresas interessadas em investir no mercado brasileiro. 2

3 DOING BUSINESS IN BRAZIL, prepared by ASSMANN CONSULTORIA EMPRESARIAL presents a comprehensive guide to the legal norms ruling, foreign investments and corporate activity in the country, and constitutes an important support for foreign businesspeople willing to invest in Brazil. Occupying a territory of more than 8.5 million km2 and with a population of nearly 180 million inhabitants, Brazil has a diversified economy offering great prospects for investment in all sectors: from infrastructure to telecommunications, from industry to agribusiness, from tourism to services. DOING BUSINESS IN BRASIL elaborado por ASSMANN CONSULTORIA EMPRESARIAL, apresenta um roteiro completo sobre as normas legais que regem os investimentos estrangeiros e a atividade empresarial no país, constituindose um importante suporte para os empresários do exterior que desejam investir no Brasil. Com um território de mais de 8,5 milhões de km2 e uma população de quase 180 milhões de habitantes, o Brasil possui uma economia diversificada que oferece imensas possibilidades para investimentos em todos os setores: da infraestrutura às telecomunicações, da indústria ao agronegócio, do turismo aos serviços. 3

4 S U M M A R Y Foreign Investment in Brazil / Investimento Estrangeiro no Brasil...05 Companies / Sociedades...07 Limited Liability Companies / Sociedades Limitadas.09 Joint-stock Companies / Sociedades Anônimas..11 TAXATION / TRIBUTAÇÃO 13 Tabela dos Principais Tributos Brasileiros/ Major Brazilian Taxes...14 Federal Taxes /Tributos Federais...15 State Tax /Tributo Estadual...20 Municipal Tax /Tributo Municipal...21 Transfer Pricing /Preços de Transferência...22 Final Comments...23 Contact us..24 4

5 Foreign Investment in Brazil / Investimento Estrangeiro no Brasil Under Brazilian law, foreign capital stands for any goods, machinery, equipment, cash and financial resources that enter Brazil for the production of goods or services, or for investment in economic activities, provided that in either case they belong to individuals or legal entities resident, domiciled or headquartered abroad. Foreign capital is ensured the same treatment as that afforded to domestic capital, and any discrimination not expressly prescribed by law is prohibited. In Brazil, the Central Bank is charged with registering, monitoring and following up on foreign investments, whereas the Ministry of Finance (through the Federal Revenue Office) focuses on the taxation of these foreign investments. The Brazilian legal tender is the Real (R$). In order to validate their investments in Brazil, foreign investors must translate their foreign currencies into Brazilian currency by entering into a foreign exchange contract at any Brazilian financial institution authorized to deal in exchange by the Central Bank. The corresponding foreign exchange transactions must follow the Central Bank rules and regulations. Inicialmente, cumpre observar que, segundo a legislação brasileira, são considerados capitais estrangeiros os bens, máquinas, equipamentos, recursos financeiros ou monetários que ingressem no Brasil, destinados à produção de bens ou serviços, ou para aplicação em atividades econômicas, desde que, em qualquer das hipóteses, pertençam a pessoas físicas ou jurídicas residentes, domiciliadas ou com sede no exterior. Nos termos da Lei, é assegurado ao capital estrangeiro tratamento idêntico ao concedido ao capital nacional, sendo vedadas quaisquer discriminações não previstas em Lei. No Brasil, o órgão responsável pelo registro, fiscalização e acompanhamento dos investimentos realizados por meio de capital estrangeiro é o Banco Central. Os aspectos fiscais relacionados ao investimento são acompanhados pelo Ministério da Fazenda, por meio da da Receita Federal do Brasil. A moeda corrente no Brasil é o Real. De modo a operacionalizar seus investimentos no País, os investidores estrangeiros precisam converter suas moedas locais em Reais, o que é feito por meio da contratação de câmbio junto a qualquer instituição financeira brasileira autorizada a fazê-lo pelo Banco Central do Brasil. Operações cambiais devem ser realizadas em atendimento a normas e regulamentos editados pelo Banco Central. 5

6 Foreign Investment in Brazil / Investimento Estrangeiro no Brasil Non-resident investments may be made in Brazil through the incorporation of a company; the opening of a branch; or other form of investment on the capital or financial markets, among others. Nevertheless, participation of foreign capital in the following activities is prohibited: nuclear energy; health services; businesses abutting on international borders; post office and telegraph services; domestic flight routes; and the aerospace industry. Some restrictions apply to foreign investment in the ownership and management of newspapers, magazines and other periodicals, as well as in radio and television networks. There are also certain limitations on the presence of foreign capital in financial institutions, but these restrictions can be lifted in the national interest. Supplementary legislation must still be enacted to regulate this matter, including for insurance companies. Existem diversas formas para a realização de investimentos no Brasil por parte de não residentes, entre as quais se destacam a constituição de uma empresa, o estabelecimento de uma filial, ou de outra forma a aplicação de recursos nos mercados de capitais ou financeiro. Não obstante, de acordo com a legislação brasileira está proibida a participação ao estrangeiro nas seguintes atividades: energia nuclear, serviços de saúde, negócios em zona de fronteira, serviços de correios e telégrafos, concessão de linhas aéreas domésticas, e indústria aeroespacial. Ademais, há restrições ao investimento estrangeiro na propriedade e administração de jornais, revistas e outras publicações, bem como de redes de rádio e televisão Destaca-se ainda que há restrições à participação do capital estrangeiro em instituições financeiras, embora tais restrições possam ser afastadas, no interesse nacional. Essa matéria deverá ser regulamentada em lei complementar, inclusive para as sociedades seguradoras. Foreign capital is ensured the same treatment as that afforded to domestic capital, and any discrimination not expressly prescribed by law is prohibited. 6

7 Companies / Sociedades The most usual procedure for a foreign investor to do business in Brazil is by organizing a company in Brazil. A foreign company may open branches in Brazil by submitting an application to the Brazilian Government for approval, which is granted in the form of a decree of the federal executive branch. Only after all the formalities have been fulfilled, which include publication in the official press and filing at the Register of Companies (Registro Público de Empresas Mercantis) of the documentation related to opening of the branch, will it be allowed to start up its activities. The foreign company must also appoint a representative who need not be a Brazilian national, but must be resident in Brazil to act on its behalf. The branch is governed by Brazilian law and, although it does not have a corporate capital of its own, the foreign company must allocate capital to the transactions to be performed in Brazil, for the branch is not an entity separated from the foreign company. This capital constitutes, just as subscription and payment of quotas or shares, an investment registrable with the Central Bank. The corporate entities existing in Brazil are basically regulated by Law No of January11, 2002 (the Civil Code) and by Law No of December 15, 1976 (the Corporation Law). Among the several types of corporate entities contemplated by such laws, the most widely used in Brazil are the limited liability company (sociedade limitada) and the joint-stock company (sociedade por ações). A forma mais comum para que um investidor estrangeiro desenvolva atividade empresarial no Brasil é mediante a constituição de uma pessoa jurídica (uma sociedade) no País. É ainda possível que empresas estrangeiras abram filiais no Brasil, mediante pedido ao Governo Brasileiro, que deverá aprová-lo por decreto do poder executivo federal. Somente após o cumprimento de todas as formalidades, que incluem publicação na imprensa oficial e arquivamento no Registro Público de Empresas Mercantis dos documentos relacionados à abertura da filial, é que esta poderá iniciar suas atividades. A empresa estrangeira deverá também nomear um representante, que não precisa ser brasileiro, mas necessariamente residente no País, com poderes para agir em seu nome. A filial está sujeita às leis brasileiras e, embora não possua propriamente um capital social, por não ser um ente separado da própria empresa estrangeira, esta última deve manter um capital destacado para as operações no Brasil. Este capital representa investimento sujeito a registro perante o Banco Central do Brasil. Os tipos societários existentes no Brasil, por sua vez, encontram regulamentação basicamente em duas normas, quais sejam, a Lei de 11 de janeiro de 2002 (Código Civil) e a Lei 6404 de 15 de dezembro de 1976 (Lei das Sociedades Anônimas). Dentre os diversos tipos societários previstos nessa legislação, os mais utilizados são a sociedade limitada e a sociedade por ações, motivo pelo qual concentraremos nessas nossos comentários. 7

8 Companies / Sociedades The liability of partners both in limited liability companies and joint-stock companies is restricted to the amount which they paid for their quotas or shares, as the case may be. This feature gives the company the necessary assurances to concentrate its efforts on its business, without its partners being held liable for any amount other than that disbursed to make up the company s capital, except in the case of illicit acts. Regardless of the type of corporate entity, companies have some features in common. First, the company must have at least two partners, whether individuals or legal entities, who need not be domiciled in Brazil. However, if said partner is resident or domiciled abroad, it must have an attorney-in-fact in Brazil with powers to represent it as a partner in the Brazilian company. Moreover, individual or corporate foreign partners must be enrolled in the Federal Revenue Office in Brazil, which reports to the Ministry of Finance and is responsible for dealing with tax-related aspects. In principle, there are no minimum corporate capital requirements. The corporate capital may be distributed among the partners as they find proper. Under Brazilian law, taxes and the respective rates are established in accordance with the size of the company, irrespective of the type of the corporate entity (ability to pay principle). Therefore, the type of company is not relevant for taxation purposes. Tanto sociedades limitadas como sociedades por ações representam tipos societários em que a responsabilidade dos sócios é restrita ao valor que despenderam para pagamento do preço de integralização, conforme o caso, de suas quotas ou ações, exceto em caso de prática de atos ilícitos ou por qualquer quantia além daquela desembolsada para compor o capital social da empresa. Independentemente do tipo jurídico adotado, é importante destacar que há determinados traços comuns entre as sociedades. Primeiramente, é necessário que haja ao menos dois sócios, que podem ser tanto pessoas físicas ou jurídicas e não precisam ser domiciliadas no Brasil. Todavia, destacamos que, sendo residentes ou domiciliados no exterior, é necessário que os sócios mantenham um procurador no Brasil, com poderes para representá-los. Ademais, é necessário que sócios estrangeiros, tanto pessoas físicas como jurídicas, mantenham cadastro perante a Receita Federal do Brasil. Em princípio, não há requisitos estabelecendo o capital social mínimo para constituição das sociedades, sendo que o mesmo poderá ser distribuído entre os sócios conforme estes desejarem. Finalmente, destacamos que, no que tange à tributação de empresas, a legislação brasileira tradicionalmente utiliza como critério diferenciado o porte da empresa, e não o tipo societário sob o qual ela se reveste. The type of company is not relevant for taxation purposes 8

9 Limited Liability Companies / Sociedades Limitadas The limited liability companies (sociedades limitadas) contemplated by Brazilian law are very similar to the limited liability companies, limited partnerships and closely-held companies under the English and United States laws. In Brazil, limited liability companies are governed by the Brazilian Civil Code (which has a chapter devoted to them) and, in a subsidiary manner when applicable, by the Corporation Law. The liability of each partner is limited to the amount of its quotas, but all partners are jointly and severally liable for the total amount of the corporate capital until it is fully paid up. Limited liability companies may take the form of a simple or entrepreneurial company. Under Brazilian law, entrepreneurial companies (sociedades empresárias) are those that perform economic activities in an organized and professional manner, with the goal of producing or marketing products and services. For their part, simple companies (sociedades simples) do not have a highly complex level of organization, and engage in intellectual, scientific, literary or artistic activities. Since simple companies are rarely adopted, emphasis will be given on entrepreneurial limited liability companies. A limited liability company need not publish its accounts, amendments to articles of association, or other corporate documents, except in the events of capital reduction, merger, spin-off or consolidation.but the articles of association are a public document, and third parties may obtain copies by application to the commercial registry with which these articles of association and their amendments must be filed. As sociedades limitadas previstas no direito brasileiro assemelham-se às limited-liability companies, limited partnerships e closely-held companies contempladas pelas leis inglesas e norte-americanas. No Brasil, as sociedades limitadas são regulamentadas por um capítulo a elas dedicado no Código Civil, podendo ainda ser subsidiariamente regidas por dispositivos da Lei das Sociedades Anônimas. Nelas, a responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas, embora todos os sócios respondam, solidariamente, por todo o valor do capital até que esteja totalmente integralizado. As sociedades limitadas podem ser simples ou empresárias. De acordo com a legislação, serão empresárias aquelas que se dediquem a atividades econômicas de maneira organizada e sistemática, objetivando a produção ou a circulação de bens ou de serviços. Por outro lado, serão simples aquelas que não apresentem elevado grau de complexidade organizacional, bem como as que se dediquem a atividades intelectuais, de natureza científica, literária ou artística. A sociedade limitada não precisa publicar suas contas, alterações contratuais ou outros atos constitutivos, exceto no caso de redução de capital, incorporação, cisão ou fusão. O contrato social, no entanto, permanece público, pois terceiros poderão solicitar uma cópia ao registro competente, em que devam ser arquivados o contrato social e suas posteriores alterações. 9

10 Limited Liability Companies/ Sociedades Limitadas Distribution of Dividends Distribuição de Lucros If the partners are individuals or legal entities resident or domiciled abroad, dividends remitted at the commercial exchange rate are subject to prior registration with the Central Bank of the foreign investments initially made by the partners to pay up their corporate holdings. As a rule, there are no restrictions on distribution and remittance of profits abroad. Profits and dividends distributed as from 1996 are not subject to income tax. Once the investment has been registered, the distribution, if in the same proportion as the registered investment, will not require prior registration. Brazil has signed double taxation treaties with many countries. Caso a sociedade limitada apresente lucros acumulados em certo período, poderá distribuí-los a seus sócios. Caso os sócios sejam pessoas físicas ou jurídicas residentes ou domiciliadas no exterior, a distribuição de dividendos por meio da contratação de câmbio comercial dependerá do prévio registro, junto ao Banco Central do Brasil, do investimento estrangeiro inicialmente realizado pelos sócios, quando da integralização de sua participação societária. Não há, em geral, restrições à distribuição e remessa de lucros ao exterior. Os lucros e dividendos apurados e distribuídos a partir de 1996 estão isentos de imposto de renda. Ademais, estando registrado o investimento, a distribuição, na proporção de referido registro, independerá de qualquer autorização prévia. Cabe mencionar que o Brasil assinou tratados para evitar bitributação com os diversos países. Profits and dividends distributed as from 1996 are not subject to income tax. 10

11 Joint-stock Companies / Sociedades Anônimas Joint-stock companies (sociedades anônimas) are governed by Law No of December 15, 1976, as amended (the Corporation Law). The joint-stock company is the corporate form that most closely resembles the U.S. joint-stock company or corporation. Unlike limited liability companies, Brazilian joint-stock companies always take the form of an entrepreneurial company as expressly prescribed by the pertinent law. Each shareholder of a joint-stock company is liable only to the extent that the capital stock for which it has subscribed remains unpaid. General Features of Joint-stock Companies A joint-stock company may be formed by public or private subscription of its shares. In both cases, at least 10% of the capital must be paid up upon incorporation. This type of company may be either publicly- or closely-held. A publicly-held company must be registered with the Brazilian Securities Commission (CVM) along with its securities, which may be traded on the stock exchange or on the overthe-counter market. The securities of a publicly-held company can be traded only after 30% of the issue price has been paid. The securities of a closely-held company are not available to the general public. As sociedades anônimas constituem um tipo societário que se assemelha bastante à joint-stock company ou à corporation. Diferentemente das sociedades limitadas, por disposição expressa em lei, as sociedades anônimas são sempre empresárias. Nelas, cada acionista é responsável apenas pelo capital que subscrever e ainda não houver integralizado. Características Gerais das Sociedades Anônimas As sociedades anônimas podem ser organizadas mediante subscrição pública ou privada das ações de sua emissão. Em ambos os casos, como regra geral, no mínimo dez por cento de seu capital precisarão ser integralizados desde logo. Este tipo societário comporta duas espécies, podendo a sociedade anônima ser de capital aberto ou fechado. A companhia aberta deverá ser registrada junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), assim como as ações por ela emitidas, que então poderão ser negociadas em bolsa de valores ou no mercado de balcão. As ações das companhias fechadas não estão disponíveis ao público em geral. 11

12 Joint-stock Companies / Sociedades Anônimas Payment of Dividends Joint-stock companies may pay dividends to shareholders pursuant to law and under the bylaws, also considering the origin and nature of such funds. If the shareholder is an individual or legal entity resident or domiciled abroad, the dividends remitted abroad at the commercial exchange rate is subject to prior Central Bank registration of the foreign seed capital. The distribution of dividends in the same proportion as registered investments does not require prior Central Bank authorization, and is not subject to taxation. Joint-stock companies may also pay interest on net equity, pursuant to Law 9249/95 and Law 9430/96. Payment of interest on net equity is conditioned to the existence of profits at least twofold the interest amounts to be paid or credited. Interest on net equity is calculated by applying the Long-Term Interest Rate (TJLP) on the company s adjusted net equity. As CVM qualifies interest on net equity as dividends, it is viewed as a company s results rather than expenses. However, unlike the payment of dividends, the interest on net equity is subject to income tax at the rate of 15%. Distribuição de Dividendos Tal como mencionado anteriormente em relação a sociedades limitadas, respeitados os requisitos estabelecidos em lei e no estatuto social, e as respectivas origens, pode a companhia distribuir dividendos a seus acionistas. Caso os acionistas sejam pessoas físicas ou jurídicas residentes ou domiciliadas no exterior, a distribuição de dividendos por meio da contratação de câmbio comercial dependerá do prévio registro, junto ao Banco Central do Brasil, do investimento estrangeiro inicialmente realizado pelos acionistas, quando da integralização de sua participação societária. Tal como já mencionado, estando registrado o investimento, a distribuição, na proporção de referido registro, independerá de qualquer autorização prévia, e poderá igualmente ser feita livre da incidência de tributos. Ademais, é possível que a sociedade distribua juros sobre capital próprio, com respaldo na Lei 9249 de 1995 e na Lei 9430 de De acordo com esses dispositivos, o pagamento desses juros está condicionado à existência de lucros, em quantia igual ou superior ao valor de duas vezes os juros a serem pagos ou creditados. O cálculo é feito mediante aplicação da chamada Taxa de Juros de Longo Prazo TJLP, sobre os valores das contas do patrimônio líquido, com os devidos ajustes. De acordo com o entendimento da Comissão de Valores Mobiliários, esse tipo de juros tem a natureza de dividendos, configurando, para a empresa, distribuição de resultado e não despesa. Todavia, diferentemente da distribuição de dividendos, acima mencionada, os valores apurados como juros sobre o capital próprio estão sujeitos à incidência de Imposto de Renda, à alíquota de 15%. 12

13 TAXATION / TRIBUTAÇÃO The 1988 Federal Constitution has conferred taxing authority on the Federal Government, the States, the Federal District, and Municipalities. The 1966 National Tax Code, accommodated by the 1988 Federal Constitution, provides for the governmental instances that may create and collect taxes. Taxes in whatever instance must always abide by certain tax law principles warranted by the Federal Constitution, including: (i) Strict lawfulness principle (princípio da legalidade): any and all taxes must be created by a law detailing all triggering events, the taxpayer, the tax base and rate, when and how it will be owed and payable. (ii) Ex post facto taxation principle (princípio da não retroatividade): events predating the effectiveness of the law creating a tax or increasing its rate are not reached by such law. (iii) No same-tax-period taxation principle (princípio da anterioridade): except in a few cases generally relating to quasi-taxes created for the implementation of economic policies, no tax may be levied in the same tax year in which the law creating or increasing it is published. A Constituição Federal de 1988 atribui competência tributária à União Federal, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios. O Código Tributário Nacional de 1966, recepcionado pela Constituição de 1988, dispõe sobre os entes políticos que podem instituir e cobrar tributos. Os tributos instituídos por quaisquer das mencionadas três esferas do governo, todavia, deverão sempre respeitar certos princípios de Direito Tributário, assegurados pela Constituição Federal. Entre eles, destacamos: (i) Princípio da legalidade: todo e qualquer tributo deve ser instituído por lei, que deverá descrever em detalhes todos os elementos da incidência do respectivo tributo, incluindo quem será seu contribuinte, qual a base de cálculo, a alíquota, onde e quando se poderá considerá-lo devido. (ii) Princípio da não retroatividade: não se poderá tributar fatos ocorridos antes da vigência da lei que institui o tributo ou o majorou. (iii) Princípio da anterioridade: salvo algumas exceções, relacionadas geralmente a tributos utilizados para implementação de políticas econômicas, chamados de tributos extrafiscais, não será cobrado tributo no mesmo exercício em que seja publicada a lei que o instituiu ou o majorou. 13

14 Tributo Tabela dos Principais Tributos Brasileiros/ Major Brazilian Taxes Base de Cálculo e/ou Fato Imponível Alíquota IRPJ (Corporate Income Tax) Adicional de IRPJ IRPJ Surcharge IR na Fonte remessas ao exterior/ Withholding Income tax on overseas Remittances IPI (Tax on manufactured Products) IOF (Tax on Financial transactions) CSLL (Social Contribution on Profits) PIS (Profit Participation Program Contribution) COFINS (Social Security Financing Contribution) CIDE - Remessas ao Exterior/ Contribution on Economic Activities Overseas emittances ICMS (Tax on istribution of Goods and Services) ISS Tax on Services II / Import Duty ITCMD (Estate and Gift Tax) ITBI (Inter-Vivos Transfer Tax) IPTU / Urban Land and Building Tax Lucro real, presumido ou arbitrado (Actual or estimated profits; profits determined by tax authorities) Lucro real, presumido ou arbitrado (Actual or estimated profits; profits determined by tax authorities) Rendimentos e ganhos de capital auferidos por não residentes, remetidos por fontes pagadoras situadas no Brasil - Income and capital gains earned by non-residents from paying sources in Brazil Preço de venda na saída do estabelecimento industrial ou na importação Sales price when a product leaves the industrial establishment or upon Import Operações de crédito, câmbio, seguros e sobre títulos e valores mobiliários Credit, foreign exchange, insurance and securities transactions Lucro líquido ajustado (Adjusted net profit) Faturamento (receita bruta da empresa) Gross revenues Faturamento (receita bruta da empresa) Gross revenues Pagamento de royalties e remuneração por transferência de tecnologia do exterior e prestação de serviços técnicos / Payment of royalties and fees on technology transfers and technical services by foreign persons Valor da Operação Transaction value Preço dos serviços (Service price) Valor aduaneiro do produto (CIF) CIF product value Valor de bens ou direitos transmitidos por doação ou sucessão Value of assets or rights transferred by donation or legal succession Transmissão da propriedade de bens imóveis e direitos a eles Conexos Transfer of title to real properties and related rights Propriedade, domínio útil, ou posse de bem imóvel, localizado em áreas urbanas / Direct or beneficial ownership and possession of urban properties 15% 10% sobre a parcela que exceder R$ ,00 por ano (on the income in excess of R$ 240 thousand per annum) 15% ou 25%, de acordo com a natureza (depending on the type of income) Variável, de acordo com a classificação do produto Variable per product classification Variável, de acordo com a natureza da operação Variable per type of transaction 9% 1,65% sob o regime não-cumulativo (under the noncumulative Regime) 0,65% para o regime cumulativo (under the cumulative regime) 7,6% sob o regime não-cumulativo (under the noncumulative Regime) e 3% para o regime cumulativo (under the cumulative regime) 10% 7% a 25% 7% through 25% 2% a 5% (2% through 5%) 0% a 35% Determinada por legislação estadual, entre 2% e 6% ( 2% and 6% according to state law) Determinada por legislação municipal, não podendo exceder 8% (Up to 8% according to municipal law) Determinada por legislação municipal/ According to municipal laws14

15 Federal Taxes / Tributos Federais Income Tax Income tax (IR) is assessed on the income and capital gains earned by Brazilian-based individuals at a progressive rate of 15% or 27.5%, depending on the taxpayer s ability to pay. Corporate IR is levied at 15% on the taxable profits determined at the end of each fiscal quarter or year. A 10% surcharge is levied on the actual profits, estimated profits, or profits determined by the tax authorities, in excess of R$ 240 thousand per year. Taxable profits are ascertained by deducting the operating costs and expenses from the gross income originating from the company s core activity and incidental businesses. Some of these costs and expenses are not allowed as deductible because of their nature or amount involved. In some cases, a company s taxable profits are tax-free. In some cases, a legal entity may opt for taxation on estimated profits, instead of actual profits. Under the estimated profit tax regime, a company s operating income is first applied a certain rate vis-à-vis its field of activity, and then the tax base is calculated. A legal entity qualifies for the estimated profit tax election if its total gross revenues was equal to or below R$ 48 million in the preceding calendar year (or R$ 4 million times the number of calendar months, if it operated for less than 12 months). Brazilian residents are taxed on their reported income and capital gains, whether earned in Brazil or abroad. There are certain ceilings on setoff of tax losses. Past reported losses can only be carried over up to 30% of the taxable income ascertained in each year. Profits and dividends from Brazilian sources generated as from January 1, 1996 are tax-exempt. A holding company is subject to the taxation system applicable to the corporations mentioned above. Income tax is payable only on direct income earned by the holding company, i.e. income from its business activities, since indirect income (i.e. profits earned by subsidiaries) has already been subject to corporate income tax. Imposto sobre a Renda O Imposto Sobre a Renda ( IR ) incide sobre rendimentos e ganhos de capital auferidos por pessoas naturais residentes no Brasil, à alíquota de 15% ou 27,5%, de maneira progressiva, de acordo com o nível de renda do contribuinte. Quanto às pessoas jurídicas, o IR incide à alíquota de 15% sobre o lucro tributável auferido,apurado ao final de cada exercício trimestral ou anual. É ainda cobrado um adicional de imposto de 10% sobre a parcela do lucro real, presumido ou arbitrado, que exceder R$ ,00 por ano. O lucro real tributável é determinado após deduzir-se custos e despesas necessários à produção da receita anual, dos ganhos brutos decorrentes da atividade normal da empresa e de qualquer negócio incidental. Alguns desses custos e despesas não são dedutíveis. Há também certas hipóteses de isenção de imposto quando da apuração do lucro tributável da sociedade. É ainda possível que pessoas jurídicas optem por ser tributadas com base no chamado lucro presumido, através da qual será primeiramente aplicada à receita operacional da empresa uma determinada alíquota, de acordo com seu ramo de atividade, para então determinar-se a base de cálculo sobre a qual incidirá o tributo. Para que seja possível a escolha pelo regime de tributação com base no lucro presumido, é necessário que a pessoa jurídica em questão apresente receita bruta total, no ano-calendário anterior, igual ou inferior a R$ ,00, ou a R$ ,00 multiplicado pelo número de meses de atividade do ano-calendário anterior, quando inferior a 12 meses. Há limites à compensação de prejuízos fiscais - somente poderão ser compensados em 30% do lucro tributável apurado em cada período fiscal. As holdings estão sujeitas ao regime tributário aplicável às pessoas jurídicas acima mencionadas. O IR é devido somente sobre a receita direta obtida pela holding, isto é, receita decorrente de suas atividades comerciais, uma vez que a receita indireta, isto é, os lucros auferidos pelas subsidiárias, já foram tributados diretamente nas subsidiárias pelo IR 15

16 Federal Taxes / Tributos Federais Withholding Income Tax The income, capital gains and other compensation paid, credited, delivered or remitted by paying sources in Brazil to foreign-b sed individuals or legal entities are subject to withholding income tax (IRF) at a general rate of 15%. This rate is increased to 25% when such remittances refer to services or employment, or when the beneficiary is resident or domiciled in a country where income is not taxed or levied a maximum income tax below 20%. * IRF is levied at a zero rate on corporate profits and dividends generated by Brazilian companies effective January Special rates also apply under double taxation treaties signed by Brazil. IR na Fonte Rendimentos, ganhos de capital e demais proventos pagos, creditados, entregues ou remetidos por fontes situadas no Brasil a pessoas naturais ou jurídicas residentes ou domiciliadas no exterior estão sujeitos à retenção do IR na fonte, à alíquota genérica de 15%. De outro modo, será de 25% a alíquota quando os valores forem referentes a trabalho ou prestação de serviços, ou quando os beneficiários dos rendimentos forem pessoas residentes ou domiciliadas em localidades com tributação favorecida, assim entendidas aquelas em que a renda não é tributada, ou quando a alíquota máxima instituída para referida tributação for inferior a 20%.* A alíquota será zero quando decorrer de lucros e dividendos gerados por empresas brasileiras a partir de janeiro de Finalmente, ressalvam-se alíquotas especiais eventualmente previstas em tratados para evitar a dupla tributação que hajam sido celebrados pelo Brasil. *I - Andorra; II - Anguilla; III - Antígua e Barbuda; IV - Antilhas Holandesas; V - Aruba; VI - Comunidade das Bahamas; VII - Bahrein; VIII - Barbados; IX - Belize; X - Ilhas Bermudas; XI -Campione D Italia; XII - Ilhas do Canal (Alderney, Guernsey, Jersey e Sark); XIII - Ilhas Cayman; XIV - Chipre; XV - Cingapura; XVI - Ilhas Cook; XVII - República da Costa Rica; XVIII - Djibouti; XIX - Dominica; XX - Emirados Árabes Unidos; XXI Gibraltar XXII - Granada; XXIII - Hong Kong; XXIV - Lebuan; XXV - Líbano; XXVI - Libéria; XXVII - Liechtenstein; XXVIII - Luxemburgo (no que respeita às sociedades holding regidas, na legislação luxemburguesa, pela Lei de 31 de julho de 1929) ; XXIX - Macau; XXX - Ilha da Madeira; XXXI - Maldivas; XXXII - Malta; XXXIII - Ilha de Man; XXXIV - Ilhas Marshall; XXXV - Ilhas Maurício; XXXVI - Mônaco; XXXVII - Ilhas Montserrat; XXXVIII - Nauru; XXXIX - Ilha Niue; XL - Sultanato de Omã; XLI - Panamá; XLII - Federação de São Cristóvão e Nevis; XLIII - Samoa Americana; XLIV - Samoa Ocidental; XLV - San Marino; XLVI - São Vicente e Granadinas; XLVII - Santa Lúcia; XLVIII - Seychelles; XLIX - Tonga; L - Ilhas Turks e Caicos; LI - Vanuatu; LII - Ilhas Virgens Americanas; LIII - Ilhas Virgens Britânicas. 16

17 Federal Taxes /Tributos Federais Social Contribution on Net Profits The Social Contribution on Net Profits (CSLL) applies to Brazilian companies (including financial institutions), and is calculated on the net profits before the allowance for income tax, adjusted by the additions, exclusions and offsettings prescribed by tax law. This tax base may be lowered by carrying over a negative tax base in past periods, capped at 30%. CSLL is levied on all profits, income and capital gains earned by Brazilian entities in Brazil and abroad (worldwide income taxation principle). Constitutional Amendment no. 33 of December 11, 2001 introduced some changes in the tax system. According to such amendment, the export income should be exempt from quasi-tax social contributions as from December 12, Despite the efforts of the federal tax authorities to defend a different stance, it stands to reason that the tax immunity established by such constitutional amendment also extends to CSLL, as income is also part of the CSLL tax base (as in the case of legal entities subject to the estimated profit taxation regime) and, besides, the profits earned by exporter companies paying CSLL on taxable profits can only exist and be ascertained if there is any export income, which is in turn exempt from social security contributions under said constitutional amendment. CSLL is levied at 9% for all legal entities, including financial institutions. Since 1997 CSLL is no longer deductible when computing the income tax base (actual profits). Contribuição Social sobre o Lucro Líquido Contribuição Social sobre o Lucro Líquido ( CSLL ) aplica-se a empresas brasileiras, inclusive instituições financeiras, e sua base de cálculo é o lucro líquido do exercício, antes da provisão do IR, ajustado pelas adições, exclusões e compensações previstas na legislação tributária. A base de cálculo apurada poderá ser reduzida por compensação da base de cálculo negativa apurada em períodos anteriores, até o limite de 30%. Aplica-se à incidência da CSLL o princípio da universalidade, portanto englobando lucros, rendimentos e ganhos de capital auferidos por empresas brasileiras, ainda que no exterior. A Emenda Constitucional nº 33, de 11 de dezembro de 2001, promoveu diversas alterações na Constituição Federal, inclusive de ordem tributária. Por meio de referida emenda, ficou estabelecido que, a partir de 12 de dezembro de 2001, receitas decorrentes de atividades de exportação passariam a ser imunes à tributação por contribuições sociais. Embora o Fisco federal brasileiro já tenha tentado defender posição diversa, é possível argumentar que a imunidade introduzida pela Emenda Constitucional mencionada se refere também à CSLL, uma vez que, por um lado, receita também é base de cálculo da CSLL, e receita de exportação, por sua vez imune é à tributação por contribuições sociais, nos termos da referida Emenda Constitucional. A CSLL incide à alíquota de 9%, aplicável a todas as pessoas jurídicas, inclusive instituições financeiras. Desde 1997, a CSLL deixou de ser dedutível para efeitos de determinação 17 da base de cálculo do IR (lucro real).

18 Federal Taxes /Tributos Federais Tax on Manufactured Products - IPI The Tax on Manufactured Products (IPI) is assessed on the manufacture of domestic products as well as on the imports of foreign products. IPI is paid by the respective manufacturer and/or importer. The IPI tax paid on raw materials, work in process and packaging material, among other items, may serve as a tax credit. IPI is non-cumulative, and the taxpayer may reduce this tax charged on its transactions by the tax already paid in past stages of the production chain. The IPI rate varies per type of product. The Federal Executive establishes the IPI rates by decree. Currently, the higher IPI rates are reserved for non-essential items, such as cigarettes, liquor, cosmetics, and the like. The no same-tax-period taxation principle does not apply to IPI tax, which can thus be created or increased in the financial year already in course. Contribution on Economic Activities CIDE on Overseas Remittances This CIDE is assessed on remittances overseas relating to payment of copyrights, trademark and patent royalties, technical services and assistance, administrative support, and related activities. As a rule, the Brazilian company figures as taxpayer of this CIDE tax, which is levied at up to 10% on the amounts remitted overseas. This contribution usually escapes the provisions set forth in the international double taxation treaties to which Brazil is a signatory. IPI O IPI incide sobre a industrialização de produtos nacionais e sobre a importação de produtos estrangeiros, sendo devido pelos respectivos fabricantes e/ou importadores. Os pagamentos do IPI sobre matérias-primas, produtos semimanufaturados e material de embalagem, entre outros, podem ser utilizados como créditos fiscais. A cobrança do IPI não é cumulativa, sendo que o contribuinte poderá compensar o imposto devido nas suas operações com o imposto já pago em outras etapas da cadeia produtiva. A alíquota do IPI varia de acordo com a natureza do produto. O poder executivo federal estabelece as alíquotas aplicáveis por meio de decreto. Segundo a política econômica em vigor, estabelecem-se alíquotas mais elevadas a produtos não essenciais como cigarros, bebidas e cosméticos, entre outros. O IPI não está sujeito ao princípio da anterioridade, de modo que sua cobrança ou majoração de sua alíquota podem ocorrer no mesmo exercício financeiro em que haja sido publicada a respectiva norma. Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico CIDE Remessas ao exterior Esta modalidade de CIDE incide sobre remessas realizadas ao exterior, vinculadas ao pagamento de direitos autorais, royalties de marcas e patentes, serviços técnicos, assistência técnica, assistência administrativa e atividades assemelhadas. Nesses casos, em regra, a CIDE é devida pela empresa brasileira, sobre os valores pagos ao exterior, a alíquotas de até 10%. Como regra, essas contribuições não estão sujeitas às disposições previstas em tratado internacionais para evitar a dupla tributação de que faça parte o Brasil. 18

19 Federal Taxes /Tributos Federais Profit Participation Program Contribution and Social Security Financing Contribution Effective February 1999, the Profit Participation Program Contribution (PIS) and the Social Security Financing Contribution (COFINS) are levied on the company s revenues, meaning all income earned under whatever accounting classification. Law No of December 30, 2002 introduced the PIS non-cumulative system, by which this quasi-tax contribution is levied at 1.65% only on the value added by the taxpayer at each stage of the production and commercial chain. Not all companies qualify for this noncumulative system; some are still fully or partially subject to the PIS cumulative system, depending on the activity and type of income, as prescribed by law. The cumulative system follows the taxation rules set out in Law No of November 27, 1998, adopting a flat PIS rate of 0.65%. Law 10833/03 established the non-cumulative system for COFINS, applying at a rate of 7.6% on taxable events as from February 1, As a trade-off for this non-cumulative system, however, the lawmaker allowed the use of credits (most of them relating to acquisition of goods and services necessary for the company s core activity). The new COFINS system does not apply to all legal entities or any type of income. As in the PIS contribution, a company s activities may call for full or partial adoption of the erstwhile cumulative system for COFINS as prescribed by law. The cumulative system follows the taxation rules set out in Law 9718/98, and is levied at a flat rate of 3%. Effective May 1, 2004, the levy of PIS and COFINS extended to imports of foreign products and services, known as PIS Imports and COFINS Imports (Provisional Measure No. 164, subsequently passed into Law No of April 30, 2004). These quasi-tax contributions are triggered by: (a) entry of foreign goods in the Brazilian territory; or (b) payment, credit, delivery, use or remittance of funds to foreign-based persons in consideration for services rendered. The services triggering the levy of PIS Imports and COFINS Imports are those originatingabroad and provided by a foreign-based individual or legal entity, encompassing those (a) rendered in Brazil or (b) whose results are felt in Brazil, even if performed abroad. PIS e COFINS O Programa de Integração Social ( PIS ) e a Contribuição para Financiamento da Seguridade Social ( COFINS ) incidem sobre o faturamento das empresas, por sua vez consistente na totalidade das receitas por elas auferidas, independentemente de sua classificação contábil. A Lei nº /2002, introduziu uma nova sistemática de tributação pelo PIS - nãocumulativa, segundo a qual a contribuição incide apenas sobre o valor agregado pelo contribuinte em cada etapa da cadeia produtiva e comercial. O PIS incide à alíquota de 1,65%. Não obstante, nem todas as pessoas jurídicas estão sujeitas ao PIS não-cumulativo, e algumas continuam sendo tributadas pelo regime cumulativo, total ou parcialmente, dependendo do tipo de atividade exercida e da natureza de suas receitas. O regime cumulativo segue as regras de tributação constantes da Lei nº 9.718/1998, e adota a alíquota única de 0,65%. O regime não-cumulativo de incidência da COFINS foi criado pela Lei nº /03, sendo aplicável aos fatos imponíveis ocorridos a partir de 1º de fevereiro de Na sistemática da não-cumulatividade da COFINS, a alíquota passou a ser de 7,6%. Porém, para assegurar o regime de não-cumulatividade, o legislador permitiu o reconhecimento de créditos, em sua maioria relacionados às aquisições de bens e serviços necessários à consecução da atividade da pessoa jurídica. Cabe notar que a nova sistemática da COFINS não é aplicável a todas as pessoas jurídicas, nem a todas as suas receitas. Do mesmo modo que ocorre no PIS, respeitados os requisitos da lei, relacionados às atividades exercidas pela empresa, ela poderá continuar sujeita, total ou parcialmente, ao antigo regime de cobrança da COFINS (cumulativo). O regime cumulativo segue as regras de tributação constantes da Lei nº 9.718/98, e adota a alíquota única de 3%. É ainda importante comentar que por meio da edição da Medida Provisória nº 164, convertida na Lei nº /2004, o PIS e a COFINS passaram a incidir também em operações relativas à importação de produtos ou serviços estrangeiros, a partir de 1º de maio de 2004 ( PIS Importação e COFINS Importação ). Nestas hipóteses, considera-se como fato imponível dos tributos: (a) a entrada de bens estrangeiros no território nacional; ou (b) o pagamento, crédito, entrega, o emprego ou a remessa de valores a residentes ou domiciliados no exterior, como contraprestação por serviço prestado. Os serviços objeto de tributação pelo PIS Importação e pela COFINS Importação são aqueles provenientes do exterior, prestados por pessoa natural ou jurídica residente ou domiciliada no exterior, e englobam aqueles (a) executados no Brasil, ou (b) executados no exterior, cujo resultado se verifique no Brasil 19

20 State Tax /Tributo Estadual State Taxes Tax on Distribution of Goods and Services The Tax on Distribution of Goods and Services (ICMS) is figured on the circulation of goods (thus covering the entire chain of trades from the manufacturer to the end consumer) and on the provision of intrastate and interstate transportation and communications services. As a rule, the transaction value serves as the ICMS tax base. ICMS is paid by the trader or provider of carrier/communications services. ICMS is a noncumulative tax and, as such, generates a tax credit to be offset by the product or service recipient against the tax payable on future transactions. Each Brazilian state is free to establish its own ICMS rates. Generally, intrastate transactions are taxed at a 17-18% rate. Interstate transactions are taxed at fixed rates determined by the Federal Senate. As a result, ICMS applies at a rate of 12% on the transactions directing products and services to the Brazilian states in the South/Southeast regions (except the Brazilian state of Espírito Santo); and 7% on the transactions directing products and services to the Brazilian states in the North, Northeast and Center-West regions (including the Brazilian state of Espírito Santo). ICMS tax exemptions, breaks and incentives are granted or cancelled via agreements (known as convênios) entered into between the Brazilian states. However, these states usually grant ICMS tax breaks and incentives to attract investments, without the consent of other states. Exports are not subject to ICMS. Tributos Estaduais Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços O ICMS incide sobre as operações relativas à circulação de mercadorias, portanto em todos os estágios da venda, desde a venda pelo fabricante até o consumidor final, e relativas à prestação de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicações. A base de cálculo do imposto, via de regra, é o valor da operação. O ICMS é devido por aquele que comercializa a mercadoria ou presta os aludidos serviços de transporte e comunicação. Dada sua característica de imposto não-cumulativo, o ICMS incidente em uma operação gera crédito a ser aproveitado pelo adquirente da mercadoria ou serviço, que será abatido do imposto devido nas operações posteriores. As alíquotas do ICMS poderão variar de um Estado da Federação para outro. Às operações intraestaduais, de uma forma geral, aplicam-se as alíquotas de 17% e 18%. As operações realizadas entre diferentes Estados possuem alíquotas fixas. Assim, em operações que destinem mercadorias e serviços aos Estados da Região Sul/Sudeste, com exceção do Estado do Espírito Santo, a alíquota aplicável é de 12%. As operações que destinam mercadorias e serviços aos Estados das Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, mais o Estado do Espírito Santo, ensejam a aplicação da alíquota de 7%. Isenções, reduções e incentivos fiscais com relação ao ICMS são concedidos ou cancelados por intermédio de convênios celebrados entre os Estados da Federação. É prática comum, todavia, que Estados concedam incentivos fiscais ligados ao ICMS como forma de atração de investimentos para seus territórios, sem aquiescência dos demais Estados. O ICMS não incide sobre operações de exportação. 20

Foreign Investments and Brazilian Tax Regime

Foreign Investments and Brazilian Tax Regime Foreign Investments and Brazilian Tax Regime André Ricardo Passos May/2010 1 Agenda 1 Brazilian Macroeconomics 2 Legal Regime 3 Taxation Regime 2 Agenda 1 Brazilian Macroeconomics 3 Direct Foreign Investment

Leia mais

RECEITA FEDERAL ALTERA LISTA DE PAÍSES CONSIDERADOS PARAÍSOS FISCAIS

RECEITA FEDERAL ALTERA LISTA DE PAÍSES CONSIDERADOS PARAÍSOS FISCAIS Brasil 01452-002 SP RECEITA FEDERAL ALTERA LISTA DE PAÍSES CONSIDERADOS PARAÍSOS FISCAIS Fábio Tadeu Ramos Fernandes ftramos@almeidalaw.com.br Melina Joice Fioravante mjfioravante@almeidalaw.com.br No

Leia mais

HOW DO YOU BECOME A LAWYER IN BRAZIL?

HOW DO YOU BECOME A LAWYER IN BRAZIL? HOW DO YOU BECOME A LAWYER IN BRAZIL? Doing Business in Brazil: Pathways to Success, Innovation and Access under the Legal Framework Keynote Speaker: Mr. José Ricardo de Bastos Martins Partner of Peixoto

Leia mais

REGRAS BÁSICAS DE INTERPRETAÇÃO DE TRATADOS INTERNACIONAIS. Juliana Dantas juliana.dantas@loyensloeff.com

REGRAS BÁSICAS DE INTERPRETAÇÃO DE TRATADOS INTERNACIONAIS. Juliana Dantas juliana.dantas@loyensloeff.com REGRAS BÁSICAS DE INTERPRETAÇÃO DE TRATADOS INTERNACIONAIS Juliana Dantas juliana.dantas@loyensloeff.com 1 O papel dos tratados no sistema jurídico holandês Constituição do Reino dos Países Baixos Art.

Leia mais

TributAção. Junho de 2010 - Edição Extraordinária DIREITO TRIBUTÁRIO COMENTADO. As novas listas de Paraísos Fiscais e de Regimes Fiscais Privilegiados

TributAção. Junho de 2010 - Edição Extraordinária DIREITO TRIBUTÁRIO COMENTADO. As novas listas de Paraísos Fiscais e de Regimes Fiscais Privilegiados TributAção Junho de 2010 - Edição Extraordinária DIREITO TRIBUTÁRIO COMENTADO As novas listas de Paraísos Fiscais e de Regimes Fiscais Privilegiados *Ricardo Luiz Becker Flávio Veitzman Felipe Barboza

Leia mais

DOING BUSINESS IN BRAZIL. 19 DE JUNHO Lisboa. RFF & Associados Preto Advogados

DOING BUSINESS IN BRAZIL. 19 DE JUNHO Lisboa. RFF & Associados Preto Advogados DOING BUSINESS IN BRAZIL 19 DE JUNHO Lisboa RFF & Associados Preto Advogados Raquel Elita Alves Preto - Graduada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), com especialização

Leia mais

IRRF - Rendimentos, Ganhos e Remessas - Residente ou Domiciliado no Exterior

IRRF - Rendimentos, Ganhos e Remessas - Residente ou Domiciliado no Exterior IRRF - Rendimentos, Ganhos e Remessas - Residente ou Domiciliado no Exterior RENDIMENTO, GANHO OU REMESSA Receitas de fretes, afretamentos, aluguéis ou arrendamentos de embarcações marítimas ou fluviais

Leia mais

Lara Schwartzmann e Clarissa Machado. Encontro com a Indústria de Private Equity & Venture Capital. 06 de Novembro de 2012

Lara Schwartzmann e Clarissa Machado. Encontro com a Indústria de Private Equity & Venture Capital. 06 de Novembro de 2012 Fundos de Investimento em Participações Regulamentação, tributação e utilização de estruturas de investimento independentes e conjugadas com fundos off-shore Lara Schwartzmann e Clarissa Machado Encontro

Leia mais

Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de Bens e Serviços no Brasil. Setembro 2015

Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de Bens e Serviços no Brasil. Setembro 2015 Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de Bens e Serviços no Brasil Setembro 2015 Investimento Direto Estrangeiro e Tributação de bens e serviços 1. Investimento Direto Estrangeiro Constituição de

Leia mais

Contmatic - Escrita Fiscal

Contmatic - Escrita Fiscal Lucro Presumido: É uma forma simplificada de tributação onde os impostos são calculados com base num percentual estabelecido sobre o valor das vendas realizadas, independentemente da apuração do lucro,

Leia mais

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014

SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL. Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas. Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 SIEEESP - SEMINÁRIO JURIDICO EDUCACIONAL Tributação das Instituições de Ensino Particulares Perspectivas e Medidas Wagner Eduardo Bigardi 27/05/2014 Sistema Tributário Nacional Conjunto de regras jurídicas

Leia mais

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS

ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS ESTRUTURA DE CAPITAL: UMA ANÁLISE EM EMPRESAS SEGURADORAS THE CAPITAL STRUCTURE: AN ANALYSE ON INSURANCE COMPANIES FREDERIKE MONIKA BUDINER METTE MARCO ANTÔNIO DOS SANTOS MARTINS PAULA FERNANDA BUTZEN

Leia mais

ASPECTOS GERAIS DO SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL

ASPECTOS GERAIS DO SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL 01452-002 SP ASPECTOS GERAIS DO SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL Fábio Tadeu Ramos Fernandes ftramos@almeidalaw.com.br I) INTRODUÇÃO Para a compreensão do Sistema Tributário Nacional, é preciso recorrer à Constituição

Leia mais

O IMPACTO DOS TRIBUTOS NA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA

O IMPACTO DOS TRIBUTOS NA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA TRIBUTOS CARGA TRIBUTÁRIA FLS. Nº 1 O IMPACTO DOS TRIBUTOS NA FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA 1. - INTRODUÇÃO A fixação do preço de venda das mercadorias ou produtos é uma tarefa complexa, onde diversos fatores

Leia mais

USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 USPTO No. 15143095 WORK PLAN FOR IMPLEMENTATION OF THE UNITED STATES PATENT AND

Leia mais

Novas Regras de Subcapitalização

Novas Regras de Subcapitalização Regras de Subcapitalização Jurisdições de Tributação Favorecida/ Regime Fiscal Privilegiado Gustavo L. Haddad Novembro/ 2010 0 Novas Regras de Subcapitalização 1 1 Regras de Subcapitalização (thin capitalization

Leia mais

75, 8.º DTO 1250-068 LISBOA

75, 8.º DTO 1250-068 LISBOA EAbrief: Medida de incentivo ao emprego mediante o reembolso da taxa social única EAbrief: Employment incentive measure through the unique social rate reimbursement Portaria n.º 229/2012, de 03 de Agosto

Leia mais

LEI N 12.973/14 (CONVERSÃO DA MP N 627/13) ALTERAÇÕES RELEVANTES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL

LEI N 12.973/14 (CONVERSÃO DA MP N 627/13) ALTERAÇÕES RELEVANTES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL LEI N 12.973/14 (CONVERSÃO DA MP N 627/13) ALTERAÇÕES RELEVANTES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL A Lei n 12.973/14, conversão da Medida Provisória n 627/13, traz importantes alterações à legislação tributária

Leia mais

106 BANCO DE PORTUGAL Boletim Estatístico

106 BANCO DE PORTUGAL Boletim Estatístico 106 BANCO DE PORTUGAL Boletim Estatístico B.7.1.1 Taxas de juro sobre novas operações de empréstimos (1) concedidos por instituições financeiras monetárias a residentes na área do euro (a) Interest rates

Leia mais

BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO

BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO BUSINESS TO WORLD COMPANHIA GLOBAL DO VAREJO 4Q08 Results Conference Call Friday: March 13, 2008 Time: 12:00 p.m (Brazil) 11:00 a.m (US EDT) Phone: +1 (888) 700.0802 (USA) +1 (786) 924.6977 (other countries)

Leia mais

MEMORANDUM OF UNDERSTANDING BETWEEN THE COMPETENT AUTHORITIES OF THE PORTUGUESE REPUBLIC AND THE GOVERNMENT OF JERSEY

MEMORANDUM OF UNDERSTANDING BETWEEN THE COMPETENT AUTHORITIES OF THE PORTUGUESE REPUBLIC AND THE GOVERNMENT OF JERSEY MEMORANDUM OF UNDERSTANDING BETWEEN THE COMPETENT AUTHORITIES OF THE PORTUGUESE REPUBLIC AND THE GOVERNMENT OF JERSEY The Competent Authorities of the Portuguese Republic and the Government of Jersey in

Leia mais

XII Seminário Internacional de Países Latinos Europa América.

XII Seminário Internacional de Países Latinos Europa América. XII Seminário Internacional de Países Latinos Europa América. La Gestión Contable, Administrativa y Tributaria en las PYMES e Integración Europa-América 23 24 de junio 2006 Santa Cruz de la Sierra (Bolívia)

Leia mais

Registration Form - 2013 - ALL - AMÉRICA LATINA LOGISTICA S.A. Version : 3

Registration Form - 2013 - ALL - AMÉRICA LATINA LOGISTICA S.A. Version : 3 Index: Company s Profile ALL AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. Corporate Taxpayers ID (CNPJ/MF) 02.387.241/0001-60 Companies Registry (NIRE) 413 00 019886 Publicly-held Company REGISTRATION FORM General Information

Leia mais

Services IMPORT ON BEHALF OF THIRD PARTY IMPORT EXPORT UNDER ORDER IMPORT INTERNATIONAL CONSULTING AND CUSTOMIZED PROJECTS

Services IMPORT ON BEHALF OF THIRD PARTY IMPORT EXPORT UNDER ORDER IMPORT INTERNATIONAL CONSULTING AND CUSTOMIZED PROJECTS Services IMPORT IMPORT ON BEHALF OF THIRD PARTY UNDER ORDER IMPORT EXPORT INTERNATIONAL CONSULTING AND CUSTOMIZED PROJECTS OUTSOURCING, PROCUREMENT, PURCHASING AGENT, Import: 7 TRADEX is updated to current

Leia mais

Consultoria em Direito do Trabalho

Consultoria em Direito do Trabalho Consultoria em Direito do Trabalho A Consultoria em Direito do Trabalho desenvolvida pelo Escritório Vernalha Guimarães & Pereira Advogados compreende dois serviços distintos: consultoria preventiva (o

Leia mais

TRIBUTAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO

TRIBUTAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO TRIBUTAÇÃO As informações apresentadas abaixo constituem um resumo das principais considerações fiscais da legislação brasileira que afetam o Fundo e seus investidores e não têm o propósito de ser uma

Leia mais

DA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP E COFINS

DA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP E COFINS O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, LEI Nº 9.718, DE 27 DE NOVEMBRO DE 1998. Altera a Legislação Tributária Federal. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1º Esta Lei aplica-se

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013

Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013 Instrução Normativa RFB nº 1.397, de 16 de setembro de 2013 DOU de 17.9.2013 Dispõe sobre o Regime Tributário de Transição (RTT) instituído pelo art. 15 da Lei nº 11.941, de 27 de maio de 2009. O SECRETÁRIO

Leia mais

PREÇOS DE TRANSFERÊNCIA

PREÇOS DE TRANSFERÊNCIA PREÇOS DE TRANSFERÊNCIA Com a Lei nº. 9.430, de 27-12-96, a legislação do imposto de renda regulou pela primeira vez a questões dos preços de transferências internacionais de bens, serviços, direitos e

Leia mais

PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB

PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB DIREITO TRIBUTÁRIO RIO 4ª PARTE CARACTERÍSTICAS CONSTITUCIONAIS DOS IMPOSTOS Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail.com DOS IMPOSTOS DA UNIÃO Art. 153. Compete

Leia mais

Unidade I. Direito Tributário. Profª. Joseane Cauduro

Unidade I. Direito Tributário. Profª. Joseane Cauduro Unidade I Direito Tributário Profª. Joseane Cauduro Introdução Importância do Direito Tributário Definição: Conjunto de normas hierarquizadas, formado por princípios e normas, que tem por fim cuidar direta

Leia mais

INFORMATIVO MENSAL. Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011.

INFORMATIVO MENSAL. Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011. INFORMATIVO MENSAL Apresentamos a seguir as principais alterações ocorridas na legislação tributária no mês de maio de 2011. I FEDERAL IPI - NOVAS DISPOSIÇÕES SOBRE A SUSPENSÃO DO IMPOSTO NA EXPORTAÇÃO

Leia mais

Principais Formas de Tributação no Brasil Reginaldo Gonçalves

Principais Formas de Tributação no Brasil Reginaldo Gonçalves Principais Formas de Tributação no Brasil Reginaldo Gonçalves 2.1 A Tributação no Brasil 2.2 Opção pela Tributação - Lucro Real 2.3 Opção pela Tributação - Lucro Presumido 2.4 Opção pela Tributação - Lucro

Leia mais

RESENHA TRIBUTÁRIA ATUALIZADA

RESENHA TRIBUTÁRIA ATUALIZADA RESENHA TRIBUTÁRIA ATUALIZADA! As mudanças no PIS e no Cofins! Lucro real e presumido! IR e CSLL! Simples Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br) Sócio-Diretor da Cavalcante & Associados, empresa

Leia mais

Perguntas & Respostas

Perguntas & Respostas Perguntas & Respostas 17 de Abril de 2008 Versão Portuguesa 1. O que é uma Certidão Permanente?...4 2. Como posso ter acesso a uma Certidão Permanente?...4 3. Onde posso pedir uma Certidão Permanente?...4

Leia mais

INTERNATIONAL CRIMINAL COURT. Article 98 TREATIES AND OTHER INTERNATIONAL ACTS SERIES 04-1119

INTERNATIONAL CRIMINAL COURT. Article 98 TREATIES AND OTHER INTERNATIONAL ACTS SERIES 04-1119 TREATIES AND OTHER INTERNATIONAL ACTS SERIES 04-1119 INTERNATIONAL CRIMINAL COURT Article 98 Agreement between the UNITED STATES OF AMERICA and CAPE VERDE Signed at Washington April 16, 2004 NOTE BY THE

Leia mais

Tax. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. All rights reserved.

Tax. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. All rights reserved. Tax Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. All rights reserved. Our services The team is fully qualified to meet its clients demands in all areas of tax law. Mattos Filho Tax Practice

Leia mais

Considerações sobre a CFEM no Projeto do Novo Código de Mineração e a competitividade das empresas de exploração mineral brasileiras.

Considerações sobre a CFEM no Projeto do Novo Código de Mineração e a competitividade das empresas de exploração mineral brasileiras. Considerações sobre a CFEM no Projeto do Novo Código de Mineração e a competitividade das empresas de exploração mineral brasileiras Ouro Preto - MG 13 de maio de 2014 ANY TAX ADVICE IN THIS COMMUNICATION

Leia mais

O Uso dos Paraísos Fiscais e Holdings Internacionais

O Uso dos Paraísos Fiscais e Holdings Internacionais O Uso dos Paraísos Fiscais e Holdings Internacionais Ana Cláudia Akie Utumi autumi@tozzinifreire.com.br Dezembro, 2013 Ana Cláudia Akie Utumi autumi@tozzinifreire.com.br Membro do Comitê Científico Permanente

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário. 09 de abril de 2010

Fundos de Investimento Imobiliário. 09 de abril de 2010 Fundos de Investimento Imobiliário 09 de abril de 2010 Introdução Histórico No Brasil, os fundos imobiliários foram inspirados nos Real Estate Investment Trusts americanos, tendo sido constituídos na forma

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 CIRCULAR 37/12 Novo Hamburgo, 02 de julho de 2012. OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 DIA 04 IR-FONTE Pessoas obrigadas: pessoas jurídicas que efetuaram retenção na fonte nos pagamentos ou créditos decorrentes

Leia mais

Aspectos Tributários

Aspectos Tributários Aspectos Tributários Principais Tributos IMPOSTOS Imposto sobre a Renda de Pessoas Jurídicas (IRPJ); Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS); Imposto sobre serviços de qualquer natureza

Leia mais

Faturamento - 1966/2008 Revenue - 1966/2008

Faturamento - 1966/2008 Revenue - 1966/2008 1.6 Faturamento 1966/008 Revenue 1966/008 1966 1967 1968 1969 1970 1971 197 1973 1974 1975 1976 1977 1978 1979 198 AUTOVEÍCULOS VEHICLES 7.991 8.11 9.971 11.796 13.031 15.9 17.793 0.78 3.947 6.851 6.64

Leia mais

IMPOSTOS SOBRE VENDAS! ICMS, PIS/COFINS, ISS e IPI! O que fazer com a CPMF?! As alterações da legislação tributária no cálculo da COFINS ASSOCIADOS

IMPOSTOS SOBRE VENDAS! ICMS, PIS/COFINS, ISS e IPI! O que fazer com a CPMF?! As alterações da legislação tributária no cálculo da COFINS ASSOCIADOS UP-TO-DATE. ANO I. NÚMERO 46 IMPOSTOS SOBRE VENDAS! ICMS, PIS/COFINS, ISS e IPI! O que fazer com a CPMF?! As alterações da legislação tributária no cálculo da COFINS Dr. João Inácio Correia (advcor@mandic.com.br)

Leia mais

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 14/2014

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 14/2014 TEXTO Brazil Leads Decline Among World's Biggest Companies THE losses OF São Paulo's stock market AND THE decline OF Brazil's real made Brazilian companies THE biggest losers among THE world's major companies,

Leia mais

REPARTIÇÃO DE RECEITA TRIBUTÁRIA

REPARTIÇÃO DE RECEITA TRIBUTÁRIA A forma de Estado adotada pela Constituição Federal é a Federação, e esta só estará legitimada se cada ente da Federação gozar de autonomia administrativa e fiscal. A CF estabelece percentuais a serem

Leia mais

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I).

Imunidade O PIS e a Cofins não incidem sobre as receitas decorrentes de exportação (CF, art. 149, 2º, I). Comentários à nova legislação do P IS/ Cofins Ricardo J. Ferreira w w w.editoraferreira.com.br O PIS e a Cofins talvez tenham sido os tributos que mais sofreram modificações legislativas nos últimos 5

Leia mais

Fórum Permanente de Micro e Pequenas Empresas. Comitê de Comércio Exterior. Brasília Julho de 2011

Fórum Permanente de Micro e Pequenas Empresas. Comitê de Comércio Exterior. Brasília Julho de 2011 Fórum Permanente de Micro e Pequenas Empresas Comitê de Comércio Exterior Brasília Julho de 2011 BALANÇA BRASILEIRA DE COMÉRCIO EXTERIOR DE BENS E SERVIÇOS* US$ Bilhões BRAZILIAN FOREIGN TRADE IN GOODS

Leia mais

COSEC. Valorização do Real e Mercado Futuro de Câmbio

COSEC. Valorização do Real e Mercado Futuro de Câmbio COSEC 8 de Agosto de 2011 Valorização do Real e Mercado Futuro de Câmbio Roberto Giannetti da Fonseca Diretor Titular Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior Mitos e Mistérios do Mercado

Leia mais

www.pwc.com.br The PECEX Method

www.pwc.com.br The PECEX Method www.pwc.com.br The PECEX Method Comparison between Brazil and OECD approach Main aspects of Brazilian TP rules as compared with OCDE Guidelines: Sixth Method Few countries adopt the Sixth Method for commodities,

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/prepararimpressao/imprimepagina.asp

http://www.receita.fazenda.gov.br/prepararimpressao/imprimepagina.asp Page 1 of 7 Instrução Normativa SRF nº 213, de 7 de outubro de 2002 DOU de 8.10.2002 Dispõe sobre a tributação de lucros, rendimentos e ganhos de capital auferidos no exterior pelas pessoas jurídicas domiciliadas

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos MEDIDA PROVISÓRIA Nº 206, DE 6 DE AGOSTO 2004. Altera a tributação do mercado financeiro e de capitais, institui o Regime Tributário

Leia mais

Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de

Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de Imposto sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre a prestação de serviços de transportes interestadual e intermunicipal e de comunicação - ICMS BASE CONSTITUCIONAL E LEGAL Artigo 155,

Leia mais

CARLA ALEXANDRA SEVES DE ANDRADE CANOTILHO

CARLA ALEXANDRA SEVES DE ANDRADE CANOTILHO Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico da Guarda R E L AT Ó R I O D E AT I V I D A D E P R O F I S S I O N A L N A J. V A R G A S - G A B I N E T E T É C N I C O D E G E S T Ã O E

Leia mais

Subject: The finance source/ new application/ project submission form COMPANY / PROJECT INFORMATION. Date of Submission: Registered Company Name

Subject: The finance source/ new application/ project submission form COMPANY / PROJECT INFORMATION. Date of Submission: Registered Company Name Subject: The finance source/ new application/ project submission form All questions must be answered in details to receive an informed response. All information & data are to be provided directly by the

Leia mais

SAP anuncia resultados do Segundo Trimestre de 2009

SAP anuncia resultados do Segundo Trimestre de 2009 SAP anuncia resultados do Segundo Trimestre de 2009 A SAP continua a demonstrar um forte crescimento das suas margens, aumentando a previsão, para o ano de 2009, referente à sua margem operacional Non-GAAP

Leia mais

RESOLUÇÃO (RESOLUTION) Nº2.689

RESOLUÇÃO (RESOLUTION) Nº2.689 RESOLUÇÃO (RESOLUTION) Nº2.689 Dispõe sobre aplicações de investidor não residente nos mercados financeiro e de capitais. (Concerning non-resident investments in the financial and capital markets). O BANCO

Leia mais

PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA RIA DIREITO TRIBUTÁRIO. RIO 2ª parte. Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail.

PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA RIA DIREITO TRIBUTÁRIO. RIO 2ª parte. Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail. PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB DIREITO TRIBUTÁRIO RIO 2ª parte COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA RIA Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail.com SISTEMA TRIBUTÁRIO RIO NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL 2. Competência

Leia mais

Redução da carga fiscal Aplicação das Convenções de Dupla Tributação aos fundos de investimento e de pensões

Redução da carga fiscal Aplicação das Convenções de Dupla Tributação aos fundos de investimento e de pensões Redução da carga fiscal Aplicação das Convenções de Dupla Tributação aos fundos de investimento e de pensões Conferência Soluções para a Competitividade Fiscal Ricardo da Palma Borges ricardo@ricardodapalmaborges.com

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO Parte II. Manaus, abril de 2013 Jorge de Souza Bispo, Dr. 1

DIREITO TRIBUTÁRIO Parte II. Manaus, abril de 2013 Jorge de Souza Bispo, Dr. 1 DIREITO TRIBUTÁRIO Parte II Manaus, abril de 2013 Jorge de Souza Bispo, Dr. 1 TRIBUTO Definido no artigo 3º do CTN como sendo toda prestação pecuniária compulsória (obrigatória), em moeda ou cujo valor

Leia mais

ANÚNCIO DE LANÇAMENTO DE OFERTA PÚBLICA DE TROCA DE OBRIGAÇÕES PELO BANIF BANCO INTERNACIONAL DO FUNCHAL, S.A. ( BANIF )

ANÚNCIO DE LANÇAMENTO DE OFERTA PÚBLICA DE TROCA DE OBRIGAÇÕES PELO BANIF BANCO INTERNACIONAL DO FUNCHAL, S.A. ( BANIF ) Banif Banco Internacional do Funchal, S.A. Sede Social: Rua de João Tavira, n.º 30, 9004-509 Funchal, Portugal Capital Social: 780.000.000 Euros Matriculado na Conservatória do Registo Comercial do Funchal

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL Artigo 1 A Constituição Federal passa a vigorar com os seguintes artigos alterados ou acrescidos: Art. 52. Compete privativamente ao Senado Federal: XVI estabelecer

Leia mais

- Imposto com função regulatória, também chamado de imposto aduaneiro de importação.

- Imposto com função regulatória, também chamado de imposto aduaneiro de importação. 1. DIREITO TRIBUTÁRIO 1.5. Imunidade Tributária - Nenhum ente federativo pode criar impostos sobre: a) Patrimônio, renda ou serviços uns dos outros; b) Templos de qualquer culto; c) Partidos políticos,

Leia mais

05. Demonstrações Financeiras Financial Statements

05. Demonstrações Financeiras Financial Statements 05. Demonstrações Financeiras Financial Statements Demonstrações Financeiras Financial Statements 060 Balanços em 31 de Dezembro de 2007 e 2006 Balance at 31 December 2007 and 2006 Activo Assets 2007 2006

Leia mais

BPOS GUIA DE REFERÊNCIA DA TRIBUTAÇÃO NO BRASIL. 12 de abril de 2010

BPOS GUIA DE REFERÊNCIA DA TRIBUTAÇÃO NO BRASIL. 12 de abril de 2010 BPOS GUIA DE REFERÊNCIA DA TRIBUTAÇÃO NO BRASIL 12 de abril de 2010 Página 1 de 11 A Microsoft Informática Ltda. ( Microsoft Brasil ), subsidiária brasileira da Microsoft Corporation solicitou ao escritório

Leia mais

Incentivo fiscal MP do Bem permite compensar débitos previdenciários

Incentivo fiscal MP do Bem permite compensar débitos previdenciários Notíci as Artigo s Página 1 de 5 @estadao.com.br :;):: ''(**. e-mail: senha: Esqueceu sua senha? Cadastre-se Artigos > Empresarial ÍNDICE IMPRIMIR ENVIAR COMENTAR aaa Incentivo fiscal MP do Bem permite

Leia mais

Decretos Federais nº 8.426/2015 e 8.451/2015

Decretos Federais nº 8.426/2015 e 8.451/2015 www.pwc.com Decretos Federais nº 8.426/2015 e 8.451/2015 PIS e COFINS sobre receitas financeiras Maio, 2015 Avaliação de Investimento & Incorporação, fusão, cisão Breve histórico da tributação pelo PIS

Leia mais

Regime Fiscal Brasileiro. Guido Vinci Veirano & Advogados Associados Março 2002

Regime Fiscal Brasileiro. Guido Vinci Veirano & Advogados Associados Março 2002 Regime Fiscal Brasileiro Guido Vinci Veirano & Advogados Associados Março 2002 Introdução - Base Legal Constituição Federal de 1988 Código Tributário Nacional de 1966 ("CTN") Constituição: estabelece os

Leia mais

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Domingo 1 2 3 4 5 6 Clique e veja o compromisso do dia aqui Atenção 01 Aqueles contribuintes obrigados ao envio mensal do arquivo SINTEGRA ao SEFAZ, devem observar a data de entrega, conforme definido pelo fisco. Atenção 02 Essas informações não substituem aquelas

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Demonstrativo de Preço de transferência - Transfer Pricing consolidado na matriz

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Demonstrativo de Preço de transferência - Transfer Pricing consolidado na matriz Demonstrativo de Preço de transferência - Transfer Pricing consolidado na matriz 18/12/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria...

Leia mais

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt.

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. NORMAS PARA AUTORES As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. COPYRIGHT Um artigo submetido à Revista Portuguesa

Leia mais

IMMIGRATION Canada. Study Permit. São Paulo Visa Office Instructions. Table of Contents. For the following country: Brazil IMM 5849 E (04-2015)

IMMIGRATION Canada. Study Permit. São Paulo Visa Office Instructions. Table of Contents. For the following country: Brazil IMM 5849 E (04-2015) IMMIGRATION Canada Table of Contents Document Checklist Study Permit (disponible en Portuguese) Study Permit São Paulo Visa Office Instructions For the following country: Brazil This application is made

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 76, DE 2014

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 76, DE 2014 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 76, DE 2014 Altera a Lei nº 8.894, de 21 de junho de 1994, para isentar de IOF as operações de câmbio efetuadas por bolsistas brasileiros em estudo no exterior. O CONGRESSO

Leia mais

Transação de Ações na sua Conta de Planos de Ações (Stock Plan Account)

Transação de Ações na sua Conta de Planos de Ações (Stock Plan Account) Transação de Ações na sua Conta de Planos de Ações (Stock Plan Account) Português - Portuguese Siga os passos que se seguem para vender as ações da sua empresa.* Antes de fazer a sua transação Recomendamos

Leia mais

4. Nomeação do mesmo administrador em três ou mais sociedades.

4. Nomeação do mesmo administrador em três ou mais sociedades. LISTA DE INDICADORES DE RISCO DA PRÁTICA DO CRIME DE BRANQUEAMENTO DE CAPITAIS A presente lista de indicadores de risco da prática do crime de branqueamento de capitais não pretende ser exaustiva, e não

Leia mais

Ato Declaratório Executivo Corat nº 27, de 27 de março de 2003

Ato Declaratório Executivo Corat nº 27, de 27 de março de 2003 Ato Declaratório Executivo Corat nº 27, de 27 de março de 2003 Divulga a Agenda Tributária do mês de abril de 2003. O COORDENADOR-GERAL DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA, no uso de suas atribuições declara:

Leia mais

ENTENDA OS IMPOSTOS. Impostos Diretos ou Indiretos, Progressivos ou Regressivos

ENTENDA OS IMPOSTOS. Impostos Diretos ou Indiretos, Progressivos ou Regressivos Página 1 de 10 ENTENDA OS IMPOSTOS As pessoas nem imaginam quão antiga é a origem dos tributos, estudos supõem que as primeiras manifestações tributárias foram voluntárias e feitas em forma de presentes

Leia mais

Conceito de tributação efectiva de lucros distribuídos

Conceito de tributação efectiva de lucros distribuídos 15 de Novembro de 2011 Tax Alert Conceito de tributação efectiva de lucros distribuídos For additional information, please contact: António Neves antonio.neves@pt.ey.com Carlos Lobo carlos.lobo@pt.ey.com

Leia mais

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2012 Capitulo IX - Resultados não operacionais 2013

ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2012 Capitulo IX - Resultados não operacionais 2013 ARQUIVO ATUALIZADO ATÉ 31/12/2012 Capitulo IX - Resultados não operacionais 2013 001 O que se entende por receitas e despesas não operacionais? Receitas e despesas não operacionais são aquelas decorrentes

Leia mais

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014. c) multa ou qualquer vantagem por rescisão de contratos.

AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014. c) multa ou qualquer vantagem por rescisão de contratos. Até dia Obrigação AGENDA DAS OBRIGAÇÕES FEDERAIS PARA AGOSTO DE 2014 Histórico ocorridos no período de 21 a 31.07.2014, incidente sobre rendimentos de (art. 70, I, letra "b", da Lei nº 11.196/2005 ): 5

Leia mais

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Tributos no Sistema TOTVS RM. Índice I. Acesso ao Cadastro... 2 II. Seleção de Filtros... 3 III. Cadastro...

Leia mais

001 O que é o Simples?

001 O que é o Simples? 001 O que é o Simples? O Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte (Simples) é um regime tributário diferenciado, simplificado e favorecido,

Leia mais

IMPOSTOS SOBRE O LUCRO! Imposto de Renda e Contribuição Social! As alterações mais recentes da legislação da Contribuição Social

IMPOSTOS SOBRE O LUCRO! Imposto de Renda e Contribuição Social! As alterações mais recentes da legislação da Contribuição Social UP-TO-DATE. ANO I. NÚMERO 43 IMPOSTOS SOBRE O LUCRO! Imposto de Renda e Contribuição Social! As alterações mais recentes da legislação da Contribuição Social João Inácio Correia (advcor@mandic.com.br)

Leia mais

Interface between IP limitations and contracts

Interface between IP limitations and contracts Interface between IP limitations and contracts Global Congress on Intellectual Property and the Public Interest Copyright Exceptions Workshop December 16, 9-12:30 Denis Borges Barbosa The issue Clause

Leia mais

Aula 04 IMPOSTOS FEDERAIS

Aula 04 IMPOSTOS FEDERAIS IMPOSTOS FEDERAIS 1- IMPOSTO SOBRE IMPORTAÇÃO (II) É um tributo extrafiscal, pois sua finalidade principal não é arrecadar, mas sim controlar o comércio internacional (intervenção no domínio econômico)

Leia mais

BCS Expertise para preencher

BCS Expertise para preencher BCS Expertise para preencher papéis-chave do projeto Serviço Symantec que ajuda a Suportar seu Negócio Hugo Saadi Serviços de Informática Itaú BBA Agenda Overview Institucional Business Critical Services

Leia mais

Regime Tributário Unificado e Simplificado

Regime Tributário Unificado e Simplificado SUPER SIMPLES, uma abordagem para escolas de idiomas A partir de 1/7/07, estará em funcionamento o regime único de tributação, instituído pela Lei Complementar nº123, conhecida também como Super Simples

Leia mais

PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores

PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores PROGRAM FOR 3 DAYS in Faial and S. Jorge Islands, Azores THIS PROGRAM AIMS TO TOAST OUR CUSTOMERS WITH THE OPPORTUNITY TO DISCOVER AND EXPLORE THE FAIAL AND S. JORGE ISLANDS. WE HAVE A WIDE RANGE OF CULTURAL

Leia mais

É o relatório, passa-se a opinar.

É o relatório, passa-se a opinar. São Paulo, 18 de outubro de 2013. A ABMI ASSOCIAÇAO BRASILEIRA DA MUSICA INDEPENDENTE Ref: Parecer EC75-2013 Transmitido para o endereço eletrônico: lpegorer@abmi.com.br Prezada Sra. Luciana, O breve parecer

Leia mais

05. Demonstrações Financeiras Financial Statements

05. Demonstrações Financeiras Financial Statements 05. Demonstrações Financeiras Financial Statements Demonstrações Financeiras Financial Statements 068 Balanços em 31 de Dezembro de 2008 e 2007 Balance at 31 December 2008 and 2007 Activo Assets 2008 2007

Leia mais

Estatísticas do Setor Externo Adoção da 6ª Edição do Manual de Balanço de Pagamentos e Posição Internacional de Investimentos (BPM6)

Estatísticas do Setor Externo Adoção da 6ª Edição do Manual de Balanço de Pagamentos e Posição Internacional de Investimentos (BPM6) Estatísticas do Setor Externo Adoção da 6ª Edição do Manual de Balanço de Pagamentos e Posição Internacional de Investimentos (BPM6) Nota Metodológica nº 4 Dívida externa Junho de 2015 1. Introdução A

Leia mais

Módulo Contábil e Fiscal

Módulo Contábil e Fiscal Módulo Contábil e Fiscal Escrita Fiscal Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Contábil e Fiscal Escrita Fiscal. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

O arquivo da EFD-Contribuições deverá ser validado, assinado digitalmente e transmitido, via Internet, ao ambiente Sped.

O arquivo da EFD-Contribuições deverá ser validado, assinado digitalmente e transmitido, via Internet, ao ambiente Sped. 001 O que é a EFD-Contribuições? A EFD-Contribuições é a Escrituração Fiscal Digital da Contribuição para o PIS/Pasep, da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e da Contribuição

Leia mais

Conselho Temático Permanente da Micro e Pequena Empresa O Simples Nacional e o ICMS

Conselho Temático Permanente da Micro e Pequena Empresa O Simples Nacional e o ICMS Conselho Temático Permanente da Micro e Pequena Empresa O Simples Nacional e o ICMS Unidade de Pesquisa, Avaliação e Desenvolvimento Unidade de Política Econômica O Simples Nacional e o ICMS* Adesão ao

Leia mais

FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 9

FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 9 FORMAÇÃO DE PREÇO DE VENDA MÓDULO 9 Índice 1. Lucro presumido...3 2. Lucro real...4 2 Dentre os regimes tributários, os mais adotados são os seguintes: 1. LUCRO PRESUMIDO Regime de tributação colocado

Leia mais

INVESTIMENTO ESTRANGEIRO DIRETO

INVESTIMENTO ESTRANGEIRO DIRETO INVESTIMENTO ESTRANGEIRO DIRETO DOCUMENTO EXECUTIVO (PARA DOWNLOAD) ATRAÇÃO DE INVESTIMENTOS DIRETOS: BASE LEGAL A atração de investimentos estrangeiros diretos IED é incentivada pelo governo brasileiro

Leia mais

João Francisco Bianco jfb@marizsiqueira.com.br 05.06.2013

João Francisco Bianco jfb@marizsiqueira.com.br 05.06.2013 João Francisco Bianco jfb@marizsiqueira.com.br 05.06.2013 Importação de Serviço Contribuição para os Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público incidente na Importação

Leia mais

INFORMATIVO 14/2014 LEI Nº 13.043/2014: CONVERSÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 651/2014

INFORMATIVO 14/2014 LEI Nº 13.043/2014: CONVERSÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 651/2014 Novo Hamburgo, 14 de novembro de 2014. INFORMATIVO 14/2014 LEI Nº 13.043/2014: CONVERSÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 651/2014 Foi publicada hoje, no Diário Oficial, a Lei nº 13.043/2014, resultante da conversão,

Leia mais

GERDAU. 1 o Trim. 2001

GERDAU. 1 o Trim. 2001 GERDAU Informações Relevantes 2 o Trimestre de Senhores Acionistas: O ano de iniciou-se movido pelo bom desempenho econômico brasileiro do ano anterior: forte crescimento industrial, inflação sob controle,

Leia mais

ISAMARA SEABRA O FINANCIAMENTO DAS PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS NO BRASIL

ISAMARA SEABRA O FINANCIAMENTO DAS PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS NO BRASIL UniCEUB Centro Universitário de Brasília Instituto CEUB de Pesquisa e Desenvolvimento Programa de Mestrado em Direito ISAMARA SEABRA O FINANCIAMENTO DAS PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS NO BRASIL BRASÍLIA -

Leia mais