AS NOVAS FACES DO CAPITALISMO NO SÉCULO XXI E O MOVIMENTO SINDICAL NO BRASIL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AS NOVAS FACES DO CAPITALISMO NO SÉCULO XXI E O MOVIMENTO SINDICAL NO BRASIL"

Transcrição

1 AS NOVAS FACES DO CAPITALISMO NO SÉCULO XXI E O MOVIMENTO SINDICAL NO BRASIL

2 OS SINDICATOS EXISTIRÃO ATÉ O FIM DO SÉCULO XXI?

3 A Centralidade do Trabalho no Marxismo Clássico Objetivos: Apresentar teorização marxiana e seus principais pressupostos (historicização do tema); Movimento de negação do Trabalho como categoria analítica (J. Habermas, C. Offe e A. Gorz); Resgate da centralidade do Trabalho (G. Lukács, I. Mészáros e R. Antunes);

4 Trabalho como Práxis Humana Postura Marxiana Clássica O ser humano não age apenas em função das necessidades imediatas, nem se guia pelos instintos. O homem antecipa suas ações através da projeção em sua cabeça dos diversos caminhos possíveis para alcançar o seu objetivo, traduzindo em uma atividade propriamente humana de domínio da natureza: o TRABALHO.

5 A dominação das forças naturais promove um naturalização do homem e uma humanização da natureza, possibilitando ao homem criar as condições para sua existência material e seu modo de ser. O TRABALHO é, portanto, a única manifestação da capacidade humana de criar.

6 Pressupostos: 1. O trabalho é uma eterna necessidade natural da vida social humana; 2. O trabalho é a categoria central, na qual todas as outras determinações que compõem a estrutura necessária da realidade social humana já se apresentam naturalmente.

7 3. Mediante o trabalho, tem lugar uma dupla transformação: ao passo que por meio dele o homem transforma a natureza, ao mesmo tempo transforma a sua própria natureza. Trabalho = Transformação da Realidade.

8 Descentralidade do Trabalho e o Paradigma da Modernidade Descentralidade do Trabalho Principais Teóricos Jurgen Habermas André Gorz Claus Offe

9 Habermas: Teoria Crítica Razão Instrumental X Razão Comunicativa Centralidade do trabalho Centralidade da linguagem

10 Os Pressupostos da Linguagem O que nos destaca da natureza é a única coisa cuja natureza podemos de fato conhecer: a linguagem. A única categoria cuja natureza permite substituir a velha relação objetivista de sujeito-objeto por uma nova relação eminentemente comunicativa de sujeitosujeito não é outra senão a linguagem. é a linguagem que possibilita a contextura de um novo paradigma. A AÇÃO COMUNICATIVA.

11 Trabalho em Habermas Não comunga com as ideias de Marx, o trabalho como práxis humana, atividadecriadora-do-novo. Habermas afirma que o trabalho é uma condição pré-humana. Redução da categoria trabalho a uma concepção meramente tecnicista.

12 André Gorz Discute o estatuto político do proletariado como sujeito revolucionário. OPERARIADO única classe capaz de abolir o sistema capitalista, ao se reapropriar do sistema de produção. não ocorreu em decorrência do processo de desqualificação taylorista do trabalho e da inocuidade do controle direto da produção como estratégia de abolição da ordem capitalista. Proletariado revelou-se constitutivamente incapaz de se tornar sujeito de poder. o proletariado encontrou seu fim como sujeito histórico revolucionário. Do antigo e temível proletariado, restaria apenas uma massa de assalariados acomodados.

13 Para Gorz Do antigo e temível proletariado, restaria apenas uma massa de assalariados acomodados. O PROLETARIADO ENCONTROU SEU FIM COMO SUJEITO HISTÓRICO REVOLUCIONÁRIO. Dessa forma, não interessaria se apropriar do sistema de produção e dos aparelhos de dominação mas, sim, conquistar crescentemente espaços de autonomia, ao lado e por sobre os aparelhos de produção, buscando retomar o poder sobre sua própria vida, subtraindo-a à racionalidade produtivista e mercantil.

14 Claus Offe fragmentação político-organizacional proletária, descentralização identitária do trabalho e obsolescência da luta de classe. TRABALHO ASSALARIADO conseqüências categoria privilegiada da pesquisa sociológica 1. Desagregação político-organizacional da classe trabalhadora; 2. Descentralização do trabalho como eixo estruturador das identidades individuais e coletivas; 3. Obsolescência do conflito capital-trabalho como contradição fundamental das sociedades contemporâneas.

15 Para Claus Offe O trabalho teria perdido sua capacidade de se constituir em eixo estruturador da autoconsciência e organização sóciopolítica dos trabalhadores, redundando no esvaziamento da classe trabalhadora enquanto sujeito político. Assim, questiona a validade do estatuto teórico da categoria trabalho como dado social fundamental.

16 Para Offe Os Fatores causadores do esvaziamento do trabalho como eixo estruturador das identidades individuais e coletivas: 1) as modalidades tayloristas de organização do processo de trabalho contribuem para a descentralização subjetiva do trabalho, posto que seu propósito é a abolição do fator humano e da autonomia operária sobre a produção. O processo de identificação do trabalhador com sua atividade seria bloqueado pela própria organização do trabalho; Dentre outros.

17 A Classe Trabalhadora fragmentada internamente de forma aguda não mais ocupa o centro da estruturação das identidades coletivas e individuais a luta de classes cedeu lugar à emergência de novos conflitos e atores na arena política contemporânea Claus Offe conclui que Nos encontramos ante uma sociedade não mais baseada no trabalho.

18 Resgate da Centralidade do trabalho no Contexto Capitalista Principais Teóricos Georg Lukács István Mészáros Ricardo Antunes

19 O processo de globalização econômica, internacionalização dos capitais e reestruturação produtiva, teve como principal característica a flexibilização e a precarização das Capitalismo contemporâneo relações de trabalho. Nesse período, ocorreu uma série de reformas estruturais, que variaram em intensidade, a partir da abertura dos mercados nacionais e da desregulamentação do mercado de trabalho interno. É no setor terciário, o mais atingido pela reestruturação produtiva da última década, que encontramos uma maior flexibilização dos direitos trabalhistas, com a intensificação das jornadas de trabalho e novas formas de contratação. Nova conformação produtiva do capital - forma de sociabilidade que desemprega ou precariza mais de 1 bilhão de pessoas, um terço da força humana mundial que trabalha.

20 Diante dessas transformações, de âmbito tecnológico e da gestão da produção, surgiram novas formas de inserção no mercado de trabalho trabalho em tempo parcial, emprego temporário, subcontratação, auto-empresariamento, etc. e uma diversificação das situações de atividade. Necessidade de proceder correções e aperfeiçoamentos do instrumental analítico desenvolvido pela tradição marxista.

21 Houve um redimensionamento ético e moral do trabalho, entretanto a intervenção humana pelo trabalho está longe de desaparecer. O número de indivíduos vinculados a uma atividade formal não decresceu - o que se percebeu foi um aumento do trabalho precário e a intensificação do trabalho. Para uma melhor análise é importante destacar que temos três dimensões da centralidade do trabalho: I. A centralidade ontológica do trabalho; II. A centralidade cotidiana do emprego; III. A centralidade política da classe trabalhadora.

22 A Centralidade Ontológica do Trabalho A categoria trabalho tem centralidade na Ontologia do Ser Social Produção e reprodução da vida, via atendimento das necessidades humanas e sociais. TRABALHO Produtor de valores de uso Possibilita o salto ontológico das formas pré-humanas para o ser social. Elemento mediador introduzido entre a esfera da necessidade e a realização desta - processo de autorealização humana.

23 O trabalho, portanto, pode ser visto como um fenômeno originário, como modelo, protoforma do ser social (Lukács) TRABALHO Conceito de atividade produtiva em Marx essência natural do homem = atividade industriosa Possibilita demonstrar as conexões entre Teleologia e casualidade A teleologia - presente na própria colocação de finalidades; A causalidade - dada pela materialidade fundante. Ao pensar, idealizar mentalmente o trabalho, o homem, define inicialmente a posição fim - o que quer realizar, onde quer chegar, em seguida concebe os meios que utilizará para objetivar e concretizar sua atividade produtiva.

24 DIANTE DESTE DEBATE QUAL O LUGAR DA QUESTÃO SOCIAL OU DAS NOVAS QUESTÕES SOCIAIS?

25 COMO EU ARTICULO A CENTRALIDADE DO TRABALHO COM A MINHA VIDA COTIDIANA, COM AS MINHAS EMOÇÕES, COM O MEU QUERER E DESEJAR O MUNDO, OU AS COISAS?

26 EXISTE ALGUMA RELAÇÃO ENTRE A CRISE DO TRABALHO E AS DIFICULDADE DE EU ME ORGANIZAR E REIVINDICAR E CONSTRUIR A CIDADE QUE QUEREMOS?

27 A RESPOSTA SE EXISTIRÁ SINDICATO NO FUTURO DEPENDE DE QUEM?

28 OBRIGADO! PROFº Dr. Luciano Gomes

A CRISE DO CAPITAL E A PRECARIZAÇÃO ESTRUTURAL DO TRABALHO

A CRISE DO CAPITAL E A PRECARIZAÇÃO ESTRUTURAL DO TRABALHO A CRISE DO CAPITAL E A PRECARIZAÇÃO ESTRUTURAL DO TRABALHO Prof. Dr. Ricardo Lara Departamento de Serviço Social Universidade Federal de Santa Catarina UFSC. CRISE DO CAPITAL Sistema sociometabólico do

Leia mais

CONTEÚDOS EXIN SERVIÇO SOCIAL

CONTEÚDOS EXIN SERVIÇO SOCIAL CONTEÚDOS EXIN 2016.2 4MA E 4NA DISCIPLINA CONTEÚDO DISCIPLINAS CUMULATIVAS -Etapas do processo de trabalho: Elementos constitutivos. - O significado do Serviço Social na divisão social e técnica do trabalho;

Leia mais

Trabalho e Educação 68 horas. Universidade Estadual de Ponta Grossa Curso de Pedagogia 4º ano Professora Gisele Masson

Trabalho e Educação 68 horas. Universidade Estadual de Ponta Grossa Curso de Pedagogia 4º ano Professora Gisele Masson Trabalho e Educação 68 horas Universidade Estadual de Ponta Grossa Curso de Pedagogia 4º ano Professora Gisele Masson EMENTA DA DISCIPLINA - Trabalho como fundamento do ser social. - Trabalho nas diferentes

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL (Currículo iniciado em 2015)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL (Currículo iniciado em 2015) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL (Currículo iniciado em 2015) ANTROPOLOGIA 68 h/a 3210 A relação dialética entre o material e o simbólico na construção das identidades sociais e da

Leia mais

A sociologia de Marx. A sociologia de Marx Monitor: Pedro Ribeiro 24/05/2014. Material de apoio para Monitoria

A sociologia de Marx. A sociologia de Marx Monitor: Pedro Ribeiro 24/05/2014. Material de apoio para Monitoria 1. (Uel) O marxismo contribuiu para a discussão da relação entre indivíduo e sociedade. Diferente de Émile Durkheim e Max Weber, Marx considerava que não se pode pensar a relação indivíduo sociedade separadamente

Leia mais

XIV APS Encontro de Atualização em Atenção Primária à Saúde Seminário Regional de Juiz de Fora Educação Permanente e Cuidado em Saúde: dimensões da

XIV APS Encontro de Atualização em Atenção Primária à Saúde Seminário Regional de Juiz de Fora Educação Permanente e Cuidado em Saúde: dimensões da XIV APS Encontro de Atualização em Atenção Primária à Saúde Seminário Regional de Juiz de Fora Educação Permanente e Cuidado em Saúde: dimensões da qualidade na APS Processo de trabalho em saúde: avanços

Leia mais

Eixo Temático: Política Social e Trabalho

Eixo Temático: Política Social e Trabalho ISSN 2359-1277 SERVIÇO SOCIAL E AS IMPLICAÇÕES DAS MUDANÇAS NO MUNDO DO TRABALHO Juliana Carolina Jorge, juliana_carolina_jorge@outlook.com; Professora (Orientadora) Priscila Semzezem, priscilasemzezem@hotmail.com;

Leia mais

AS TRANSFORMAÇÕES DO TRABALHO NA SOCIEDADE INFORMACIONAL

AS TRANSFORMAÇÕES DO TRABALHO NA SOCIEDADE INFORMACIONAL AS TRANSFORMAÇÕES DO TRABALHO NA SOCIEDADE INFORMACIONAL Disciplina: Trabalho, Sociedade e Desigualdades Prof. Francisco E. B. Vargas Instituto de Filosofia, Sociologia e Política IFISP/UFPel - 2013/2

Leia mais

Fundamentos Históricos Teóricos e Metodológicos do Serviço Social IV. ANDREIA AGDA SILVA HONORATO Professora

Fundamentos Históricos Teóricos e Metodológicos do Serviço Social IV. ANDREIA AGDA SILVA HONORATO Professora Fundamentos Históricos Teóricos e Metodológicos do Serviço Social IV ANDREIA AGDA SILVA HONORATO Professora Seminário TRABALHO E SERVIÇO SOCIAL:O REDIMENSIONAMENTO DA PROFISSÃO ANTE AS TRANSFORMAÇÕES SOCIETÁRIAS

Leia mais

O TRABALHO NA DIALÉTICA MARXISTA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA.

O TRABALHO NA DIALÉTICA MARXISTA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA. O TRABALHO NA DIALÉTICA MARXISTA: UMA PERSPECTIVA ONTOLÓGICA. SANTOS, Sayarah Carol Mesquita UFAL sayarahcarol@hotmail.com INTRODUÇÃO Colocamo-nos a fim de compreender o trabalho na dialética marxista,

Leia mais

Comparação entre as abordagens de classe marxiana e weberiana

Comparação entre as abordagens de classe marxiana e weberiana Comparação entre as abordagens de classe marxiana e weberiana 1. Semelhanças: 1a. classes são categorias historicamente determinadas (sociedades divididas em classe x sociedades de classe); 1b. propriedade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FILOSOFIA, SOCIOLOGIA E POLÍTICA CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS PLANO DE ENSINO. Semestre Letivo º

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FILOSOFIA, SOCIOLOGIA E POLÍTICA CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS PLANO DE ENSINO. Semestre Letivo º Professor(es) UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE FILOSOFIA, SOCIOLOGIA E POLÍTICA CURSO DE CIÊNCIAS SOCIAIS PLANO DE ENSINO Ano Semestre Letivo 2017 2º 1. IDENTIFICAÇÃO: Código: 1.1. Disciplina:

Leia mais

A vigência da centralidade da categoria trabalho: uma oposição às teorias do fim do trabalho vivo e do fim de sua centralidade

A vigência da centralidade da categoria trabalho: uma oposição às teorias do fim do trabalho vivo e do fim de sua centralidade A vigência da centralidade da categoria trabalho: uma oposição às teorias do fim do trabalho vivo e do fim de sua centralidade Vinícius Oliveira Santos * Resumo: Mediante as configurações do capitalismo

Leia mais

CRISE ATUAL E ALTERNATIVA SOCIALISTA

CRISE ATUAL E ALTERNATIVA SOCIALISTA 1 CRISE ATUAL E ALTERNATIVA SOCIALISTA Ivo Tonet A crise que a humanidade está vivendo hoje e que se agrava cada vez mais, torna cada dia mais premente a necessidade de discutir alternativas. Não se trata,

Leia mais

Shauane Itainhara Freire Nunes. Universidade Federal de Sergipe. INTRODUÇÃO

Shauane Itainhara Freire Nunes. Universidade Federal de Sergipe. INTRODUÇÃO A mediação natureza/sociedade sob a dimensão dos pressupostos teóricos luckacsianos da ontologia do trabalho: do caráter social do ser ao processo de reificação Shauane Itainhara Freire Nunes Universidade

Leia mais

Um dos debates mais importantes na atualidade versa

Um dos debates mais importantes na atualidade versa TRABALHO: ALGUNS MATIZES, CONTRAPONTOS E UM POSICIONAMENTO Fátima Cristina de Oliveira* Um dos debates mais importantes na atualidade versa sobre a crise da sociedade do trabalho, sinalizando a importância

Leia mais

As Teorias do Trabalho Imaterial: uma reflexão crítica a partir de Marx

As Teorias do Trabalho Imaterial: uma reflexão crítica a partir de Marx As Teorias do Trabalho Imaterial: uma reflexão crítica a partir de Marx Trabalho, valor e classes sociais são eixos conceituais fundamentais da teoria marxiana. No percurso de construção da crítica à economia

Leia mais

Imperialismo. Estudo dos Capítulos 9 e 10 da obra Economia Política: uma introdução Crítica para o Curso de Economia Política

Imperialismo. Estudo dos Capítulos 9 e 10 da obra Economia Política: uma introdução Crítica para o Curso de Economia Política uma introdução Crítica para o Curso de Economia Política Rosa Luxemburgo Vladimir Lênin Nikolai Bukharin capitalismo mobilidade e transformação atividade econômica desenvolvimento das forças produtivas

Leia mais

TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA: DESAFIOS À EDUCAÇÃO

TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA: DESAFIOS À EDUCAÇÃO TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA: DESAFIOS À EDUCAÇÃO MARCOCCIA, Patrícia Correia de Paula Marcoccia UEPG pa.tyleo12@gmailcom PEREIRA, Maria de Fátima Rodrigues UTP maria.pereira@utp.br RESUMO:

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR PPGPS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS CR M D

ESTRUTURA CURRICULAR PPGPS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS CR M D ESTRUTURA CURRICULAR PPGPS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS CR M D Nome: Metodologia da Pesquisa Social Professor (a): Vini Rabassa da Silva Ementa: Perspectivas teórico-metodológicas: o método em Marx, Durkheim,

Leia mais

PARA ALÉM DO IDEALISMO E DA TEORIA CRÍTICO-REPRODUTIVISTA: ANÁLISE MARXISTA DOS LIMITES DA EDUCAÇÃO ESCOLAR NA ORDEM DO CAPITAL

PARA ALÉM DO IDEALISMO E DA TEORIA CRÍTICO-REPRODUTIVISTA: ANÁLISE MARXISTA DOS LIMITES DA EDUCAÇÃO ESCOLAR NA ORDEM DO CAPITAL PARA ALÉM DO IDEALISMO E DA TEORIA CRÍTICO-REPRODUTIVISTA: ANÁLISE MARXISTA DOS LIMITES DA EDUCAÇÃO ESCOLAR NA ORDEM DO CAPITAL SILVA, Renalvo Cavalcante Instituto Federal de Alagoas renalvo.pedagogoifal@gmail.com

Leia mais

A PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO DO PROFESSOR DE EDUCAÇAO FÍSICA: NECESSIDADES PARA ALÉM DA SOCIEDADE DO CAPITAL

A PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO DO PROFESSOR DE EDUCAÇAO FÍSICA: NECESSIDADES PARA ALÉM DA SOCIEDADE DO CAPITAL A PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO DO PROFESSOR DE EDUCAÇAO FÍSICA: NECESSIDADES PARA ALÉM DA SOCIEDADE DO CAPITAL FERREIRA, Raissa Louany Cunha raialou@hotmail.com SILVA, Elizandra Garcia UFAM elizandragarcia@hotmail.com

Leia mais

Estratégia de Luta. Tel./Fax:

Estratégia de Luta. Tel./Fax: Estratégia de Luta Neste texto buscaremos refletir sobre alguns desafios que as alterações em curso no mundo do trabalho colocam para as instancias de representação dos trabalhadores. Elementos como desemprego

Leia mais

Teoria de Karl Marx ( )

Teoria de Karl Marx ( ) Teoria de Karl Marx (1818-1883) Professora: Cristiane Vilela Disciplina: Sociologia Bibliografia: Manual de Sociologia. Delson Ferreira Introdução à Sociologia. Sebastião Vila Sociologia - Introdução à

Leia mais

1ª Fase PROVA OBJETIVA FILOSOFIA DO DIREITO

1ª Fase PROVA OBJETIVA FILOSOFIA DO DIREITO 1ª Fase PROVA OBJETIVA FILOSOFIA DO DIREITO P á g i n a 1 QUESTÃO 1 - Admitindo que a história da filosofia é uma sucessão de paradigmas, a ordem cronológica correta da sucessão dos paradigmas na história

Leia mais

PLANO DE ENSINO ETIM DADOS DA DISCIPLINA

PLANO DE ENSINO ETIM DADOS DA DISCIPLINA PLANO DE ENSINO ETIM Nome da Disciplina: Sociologia IV Curso: Período: 4º ano Carga Horária: 2 a/s - 40 h/a 33 h/r Docente Responsável: DADOS DA DISCIPLINA EMENTA Significado do mundo do trabalho na construção

Leia mais

KARL MARX E A EDUCAÇÃO. Ana Amélia, Fernando, Letícia, Mauro, Vinícius Prof. Neusa Chaves Sociologia da Educação-2016/2

KARL MARX E A EDUCAÇÃO. Ana Amélia, Fernando, Letícia, Mauro, Vinícius Prof. Neusa Chaves Sociologia da Educação-2016/2 KARL MARX E A EDUCAÇÃO Ana Amélia, Fernando, Letícia, Mauro, Vinícius Prof. Neusa Chaves Sociologia da Educação-2016/2 BIOGRAFIA Karl Heinrich Marx (1818-1883), nasceu em Trier, Alemanha e morreu em Londres.

Leia mais

A Reforma do Ensino Médio e a Educação Profissional

A Reforma do Ensino Médio e a Educação Profissional Fórum da Educação Profissional do Estado de São Paulo A Reforma do Ensino Médio e a Educação Profissional Francisco Aparecido Cordão facordao@uol.com.br Diretrizes e orientações curriculares do Ensino

Leia mais

Trabalho e socialismo Trabalho vivo e trabalho objetivado. Para esclarecer uma confusão de conceito que teve consequências trágicas.

Trabalho e socialismo Trabalho vivo e trabalho objetivado. Para esclarecer uma confusão de conceito que teve consequências trágicas. Trabalho e socialismo Trabalho vivo e trabalho objetivado Para esclarecer uma confusão de conceito que teve consequências trágicas. 1 Do trabalho, segundo Marx Há uma frase de Marx nos Manuscritos de 1861-63

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE REINGRESSO E MUDANÇA DE CURSO 2017 SOCIOLOGIA CADERNO DE QUESTÕES INSTRUÇÕES AO CANDIDATO Você deverá ter recebido o Caderno com a Proposta de Redação, a Folha de Redação,

Leia mais

Unidade 2: História da Filosofia. Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes

Unidade 2: História da Filosofia. Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes Unidade 2: História da Filosofia Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes Períodos Históricos da Filosofia Filosofia Grega ou Antiga (Séc. VI a.c. ao VI d.c.) Filosofia Patrística (Séc. I ao VII) Filosofia

Leia mais

Análise Social 3. Desigualdades Sociais ESCS Sistemas de desigualdades

Análise Social 3. Desigualdades Sociais ESCS Sistemas de desigualdades Análise Social 3 Desigualdades Sociais ESCS 2016-17 Sistemas de desigualdades Historicamente, os tipos de desigualdade, definidos formalmente ou não, apresentaram-se de modos diferentes Tipos de sistemas

Leia mais

AS RELAÇÕES CONSTITUTIVAS DO SER SOCIAL

AS RELAÇÕES CONSTITUTIVAS DO SER SOCIAL AS RELAÇÕES CONSTITUTIVAS DO SER SOCIAL BASTOS, Rachel Benta Messias Faculdade de Educação rachelbenta@hotmail.com Os seres humanos produzem ações para garantir a produção e a reprodução da vida. A ação

Leia mais

UMA BREVE APROXIMAÇÃO: A ONTOLOGIA DO SER SOCIAL E O TRABALHO ENQUANTO CATEGORIA FUNDANTE

UMA BREVE APROXIMAÇÃO: A ONTOLOGIA DO SER SOCIAL E O TRABALHO ENQUANTO CATEGORIA FUNDANTE UMA BREVE APROXIMAÇÃO: A ONTOLOGIA DO SER SOCIAL E O TRABALHO ENQUANTO CATEGORIA FUNDANTE Francielly Rauber da Silva 1 RESUMO: O principal objetivo desse estudo é uma maior aproximação de análise da categoria

Leia mais

TRABALHO, TECNOLOGIA E SOCIEDADE: UM EMBATE CONTEMPORÂNEO ENTRE PERSPECTIVAS ACERCA DA SOCIEDADE E DA EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

TRABALHO, TECNOLOGIA E SOCIEDADE: UM EMBATE CONTEMPORÂNEO ENTRE PERSPECTIVAS ACERCA DA SOCIEDADE E DA EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA TRABALHO, TECNOLOGIA E SOCIEDADE: UM EMBATE CONTEMPORÂNEO ENTRE PERSPECTIVAS ACERCA DA SOCIEDADE E DA EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Resumo NETTO, Nilo Silva Pereira (PPGTE/UTFPR) nilonetto@gmail.com Área Temática:

Leia mais

Ricardo Antunes. Os Sentidos do Trabalho: Ensaio sobre a afirmação e negação do trabalho. Coimbra: CES/Almedina, 2013

Ricardo Antunes. Os Sentidos do Trabalho: Ensaio sobre a afirmação e negação do trabalho. Coimbra: CES/Almedina, 2013 Configurações Revista de sociologia 12 2013 EPISTEMOLOGIAS DO SUL: Contextos de Investigação Ricardo Antunes. Os Sentidos do Trabalho: Ensaio sobre a afirmação e negação do trabalho. Coimbra: CES/Almedina,

Leia mais

PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO

PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO Refere-se ao surgimento de novas formas de trabalho a partir de um processo de mudanças estruturais no capitalismo, que procura garantir competitividade às empresas por meio da

Leia mais

O TRABALHO: SUA CENTRALIDADE NO MUNDO CONTEMPORÂNEO (1) José Francisco de Melo Neto. Resumo

O TRABALHO: SUA CENTRALIDADE NO MUNDO CONTEMPORÂNEO (1) José Francisco de Melo Neto. Resumo O TRABALHO: SUA CENTRALIDADE NO MUNDO CONTEMPORÂNEO (1) José Francisco de Melo Neto Resumo Este texto insere-se na discussão atual sobre a problemática do trabalho. Procura mostrar que existe, ainda, uma

Leia mais

APONTAMENTOS TEÓRICOS SOBRE TRABALHO, RELAÇÕES SOCIAIS DE GÊNERO E DIVISÃO SEXUAL DO TRABALHO

APONTAMENTOS TEÓRICOS SOBRE TRABALHO, RELAÇÕES SOCIAIS DE GÊNERO E DIVISÃO SEXUAL DO TRABALHO APONTAMENTOS TEÓRICOS SOBRE TRABALHO, RELAÇÕES SOCIAIS DE GÊNERO E DIVISÃO SEXUAL DO TRABALHO Sharlene Souza Prata leneprata@yahoo.com.br GT7 - TRABALHO, FLEXIBILIZAÇÃO E PRECARIZAÇÃO RESUMO O presente

Leia mais

Capital Portador de Juros: Marx e Chesnais

Capital Portador de Juros: Marx e Chesnais Capital Portador de Juros: Marx e Chesnais Ref.: Capítulo XXI, vol. 3, de O Capital de Karl Marx e cap. 1 de A finança mundializada de François Chesnais 1 Economia Vulgar É bem conhecida a duplicidade

Leia mais

A Teoria Crítica e as Teorias Críticas

A Teoria Crítica e as Teorias Críticas A Teoria Crítica e as Teorias Críticas As Teorias Críticas Clássicas apresentam uma contestação aos métodos utilizados pelas pesquisas administrativas Têm o marxismo como base filosófica e ideológica Teoria

Leia mais

A HISTÓRIA SOCIAL DOS DIREITOS

A HISTÓRIA SOCIAL DOS DIREITOS A HISTÓRIA SOCIAL DOS DIREITOS TEMÁTICA As As bases sócio-históricas da fundação dos Direitos Humanos na Sociedade Capitalista A construção dos Direitos A Era da Cultura do Bem Estar Os Direitos na Contemporaneidade

Leia mais

ETICA E FUNDAMENTOS SOCIO-HISTÓRICOS. Profª.Ms.Maria Beatriz Alarcón Disciplina:Ética e Serviço Social (2012)

ETICA E FUNDAMENTOS SOCIO-HISTÓRICOS. Profª.Ms.Maria Beatriz Alarcón Disciplina:Ética e Serviço Social (2012) ETICA E FUNDAMENTOS SOCIO-HISTÓRICOS Profª.Ms.Maria Beatriz Alarcón Disciplina:Ética e Serviço Social (2012) Para o Serviço Social, a ética profissional é parte integrante da questão social. Portanto,

Leia mais

Profª Karina Oliveira Bezerra Aula 05 Unidade 1, capítulo 5: p. 63 Unidade 8, capítulo 5: p. 455 Filme: Germinal

Profª Karina Oliveira Bezerra Aula 05 Unidade 1, capítulo 5: p. 63 Unidade 8, capítulo 5: p. 455 Filme: Germinal Profª Karina Oliveira Bezerra Aula 05 Unidade 1, capítulo 5: p. 63 Unidade 8, capítulo 5: p. 455 Filme: Germinal No século XIX, em decorrência do otimismo trazido pelas idéias de progresso (positivismo),

Leia mais

O Capital - Crítica da Economia Política. Capítulo 2 - Processo de Troca

O Capital - Crítica da Economia Política. Capítulo 2 - Processo de Troca O Capital - Crítica da Economia Política Capítulo 2 - Processo de Troca Revisão Vimos que o fetiche da mercadoria surge quando o produto do trabalho assume a forma mercadoria. Vimos que a mercadoria é

Leia mais

1.4 OS PRESSUPOSTOS TEÓRICO-FILOSÓFICOS E A NOVA PAUTA HERMENTÊNTICA DO DIREITO DO TRABALHO CONTEMPORÂNEO. A

1.4 OS PRESSUPOSTOS TEÓRICO-FILOSÓFICOS E A NOVA PAUTA HERMENTÊNTICA DO DIREITO DO TRABALHO CONTEMPORÂNEO. A DISCIPLINA: TEORIA GERAL DO CONHECIMENTO JURÍDICO- TRABALHISTA PROFESSOR: Prof. Dr. Everaldo Gaspar Lopes de Andrade CARGA HORÁRIA: 04 créditos 60h/aula 1. EMENTA 1. A HISTÓRIA DO TRABALHO HUMANO. DO APOGEU

Leia mais

Metodologia do Trabalho Científico

Metodologia do Trabalho Científico Metodologia do Trabalho Científico Teoria e Prática Científica Antônio Joaquim Severino Grupo de pesquisa: Educação e saúde /enfermagem: políticas, práticas, formação profissional e formação de professores

Leia mais

Unidade: Introdução à Sociologia

Unidade: Introdução à Sociologia Unidade: Introdução à Sociologia Construção do conhecimento em sociologia Senso comum: conjunto de opiniões, recomendações, conselhos, práticas e normas fundamentadas na tradição, nos costumes e vivências

Leia mais

Marx e as Relações de Trabalho

Marx e as Relações de Trabalho Marx e as Relações de Trabalho Marx e as Relações de Trabalho 1. Segundo Braverman: O mais antigo princípio inovador do modo capitalista de produção foi a divisão manufatureira do trabalho [...] A divisão

Leia mais

PORTARIA Nº 249, DE 10 DE MAIO DE 2013

PORTARIA Nº 249, DE 10 DE MAIO DE 2013 Página 1 de 6 INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 249, DE 10 DE MAIO DE 2013 O Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONCEPÇÃO ONTOLÓGICA PARA A TEORIA DO ESTADO

A IMPORTÂNCIA DA CONCEPÇÃO ONTOLÓGICA PARA A TEORIA DO ESTADO A IMPORTÂNCIA DA CONCEPÇÃO ONTOLÓGICA PARA A TEORIA DO ESTADO Maria Edna Bertoldo UFAL edna_bertoldo@hotmail.com Mário André Pacifico UFAL macp_crvg@hotmail.com RESUMO O objetivo desse artigo é analisar

Leia mais

A escola de Frankfurt. Profª Karina Oliveira Bezerra

A escola de Frankfurt. Profª Karina Oliveira Bezerra A escola de Frankfurt Profª Karina Oliveira Bezerra Uma teoria crítica contra a opressão social Escola de Frankfurt é o nome dado ao grupo de pensadores alemães do Instituto de Pesquisas Sociais de Frankfurt,

Leia mais

PLANO DE CURSO. 1. Apresentar a emergência da teoria social de Marx e da tradição sociológica, discutindo os traços pertinentes destas duas vertentes.

PLANO DE CURSO. 1. Apresentar a emergência da teoria social de Marx e da tradição sociológica, discutindo os traços pertinentes destas duas vertentes. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL CURSO DE MESTRADO EM SERVIÇO SOCIAL Disciplina: Teorias Sociais

Leia mais

TRABALHO E SISTEMAS DE ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO

TRABALHO E SISTEMAS DE ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO 1 TRABALHO E SISTEMAS DE ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO O ser humano trabalha quando cria a vida ou melhora as condições de vida. O trabalho transforma a natureza O trabalho também serve a estratificação está

Leia mais

O Mundo reificado ou Da Natureza da economia

O Mundo reificado ou Da Natureza da economia O Mundo reificado ou Da Natureza da economia PROF. MANUEL BEZERRA NETO - Professor de Filosofia da Educação e Sociologia Departamento de Educação da Universidade Regional do Cariri (URCA) Resumo: Este

Leia mais

O CAPITALISMO ESTÁ EM CRISE?

O CAPITALISMO ESTÁ EM CRISE? O CAPITALISMO ESTÁ EM CRISE? Nildo Viana Professor da Faculdade de Ciências Sociais da Universidade Federal de Goiás; Doutor em Sociologia; Autor de diversos livros, entre os quais, O Capitalismo na Era

Leia mais

Amanda Duarte. Luana Freitas. Raiane Moreira. Victória Galter

Amanda Duarte. Luana Freitas. Raiane Moreira. Victória Galter Amanda Duarte Luana Freitas Raiane Moreira Victória Galter O TRABALHO ATÍPICO E A PRECARIEDADE COMO ELEMENTO ESTRATÉGICO DETERMINANTE DO CAPITAL NO PARADIGMA PÓS-FORDISTA Nesse último decênio, vem sendo

Leia mais

Revolução Industrial e Socialismo

Revolução Industrial e Socialismo Revolução Industrial e Socialismo Revolução Industrial e Socialismo 1. Na Europa, até o século XVIII, o passado era o modelo para o presente e para o futuro. O velho representava a sabedoria, não apenas

Leia mais

O Marxismo de Karl Marx. Professor Cesar Alberto Ranquetat Júnior

O Marxismo de Karl Marx. Professor Cesar Alberto Ranquetat Júnior O Marxismo de Karl Marx Professor Cesar Alberto Ranquetat Júnior Karl Marx (1818-1883). Obras principais: Manifesto Comunista (1847-1848). O Capital em 3 volumes.volume 1(1867) Volume 2 e 3 publicado por

Leia mais

Bárbara Oliveira ROSA* Analúcia Bueno dos Reis GIOMETTI. Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, UNESP - Câmpus de Franca.

Bárbara Oliveira ROSA* Analúcia Bueno dos Reis GIOMETTI. Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, UNESP - Câmpus de Franca. O TRABALHO COM MATERIAIS RECICLÁVEIS: INCLUSÃO OU EXCLUSÃO? Bárbara Oliveira ROSA* Analúcia Bueno dos Reis GIOMETTI Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, UNESP - Câmpus de Franca barbarass@hotmail.com.br

Leia mais

RECOMEÇAR COM MARX. Ivo Tonet Professor do Dep. de Filosofia da Universidade Federal de Alagoas

RECOMEÇAR COM MARX. Ivo Tonet Professor do Dep. de Filosofia da Universidade Federal de Alagoas RECOMEÇAR COM MARX 1 Ivo Tonet Professor do Dep. de Filosofia da Universidade Federal de Alagoas Nosso objetivo, nessa comunicação, é discutir a questão da reconstrução da teoria marxiana, buscando mostrar

Leia mais

NOTAS APROXIMATIVAS SOBRE A CENTRALIDADE DO TRABALHO NO MODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA

NOTAS APROXIMATIVAS SOBRE A CENTRALIDADE DO TRABALHO NO MODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA NOTAS APROXIMATIVAS SOBRE A CENTRALIDADE DO TRABALHO NO MODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA Lucilene Alves Pereira 1 Kênia Raísse Borges Lima 2 Francisca Alves Pereira 3 Maria Aparecida Nunes 4 RESUMO Este estudo

Leia mais

Capítulo 8 Proposição de dois de modelos para compreensão da história: Entendimento como o paradigma do social.

Capítulo 8 Proposição de dois de modelos para compreensão da história: Entendimento como o paradigma do social. Honneth, Crítica do Poder, Capítulos 8 ("Proposição de dois de modelos para compreensão da história: Entendimento como o paradigma do social") e 9 ("A teoria da sociedade de Habermas: Uma transformação

Leia mais

UMA ANÁLISE PRELIMINAR DO MERCADO DE TRABALHO DOS ASSISTENTES SOCIAIS NAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS MUNICIPAIS DE VITÓRIA E SERRA ES.

UMA ANÁLISE PRELIMINAR DO MERCADO DE TRABALHO DOS ASSISTENTES SOCIAIS NAS INSTITUIÇÕES PÚBLICAS MUNICIPAIS DE VITÓRIA E SERRA ES. UFMA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM POLÍTICAS PÚBLICAS III JORNADA INTERNACIONAL DE POLÍCAS PÚBLICAS QUESTÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO NO SÉCULO XXI UMA ANÁLISE PRELIMINAR

Leia mais

ANDAM DESARTICULADOS OS TEMPOS

ANDAM DESARTICULADOS OS TEMPOS ANDAM DESARTICULADOS OS TEMPOS Avance de investigación em curso Gt 18: reestruturação produtiva, trabalho e dominação social DANIELA RIBEIRO CASTILHO Faculdade de castanhal fcat/ RESUMO: As transformações

Leia mais

ADEUS AO PROLETARIADO: UMA ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DE ANDRÉ GORZ NA DISCUSSÃO SOCIOLÓGICA DE CLASSE E ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL NO BRASIL

ADEUS AO PROLETARIADO: UMA ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DE ANDRÉ GORZ NA DISCUSSÃO SOCIOLÓGICA DE CLASSE E ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL NO BRASIL ADEUS AO PROLETARIADO: UMA ANÁLISE DA INFLUÊNCIA DE ANDRÉ GORZ NA DISCUSSÃO SOCIOLÓGICA DE CLASSE E ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL NO BRASIL Maurício Reis Grazia 1 Resumo Esta pesquisa tem como objetivo central

Leia mais

Transformações recentes no mundo do trabalho

Transformações recentes no mundo do trabalho Unidade 2 Transformações recentes no mundo do trabalho Estrutura social Padrão de organização social A A posição que ocupamos na sociedade obedece a um padrão Todos temos um lugar específico dentro da

Leia mais

A estrutura social e as desigualdades

A estrutura social e as desigualdades 3 A estrutura social e as desigualdades O termo classe é empregado de muitas maneiras. Sociologicamente, ele é utilizado na explicação da estrutura da sociedade capitalista, que tem uma configuração histórico-estrutural

Leia mais

CENTRALIDADE DO TRABALHO: elementos críticos diante da crise contemporânea do capital

CENTRALIDADE DO TRABALHO: elementos críticos diante da crise contemporânea do capital CENTRALIDADE DO TRABALHO: elementos críticos diante da crise contemporânea do capital Álison Cleiton de Araújo 1 Resumo: As transformações orquestradas no âmbito da organização do trabalho, sobretudo nas

Leia mais

FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS

FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS Unidade I FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DO SERVIÇO SOCIAL Prof. José Junior O assistencialismo O conceito de assistencialismo estabelece uma linha tênue com o conceito de assistência,

Leia mais

A NECESSIDADE DO ESTUDO DO MARXISMO E DA COMPREENSÃO DA SOCIEDADE

A NECESSIDADE DO ESTUDO DO MARXISMO E DA COMPREENSÃO DA SOCIEDADE EDUCAÇÃO E MARXISMO A NECESSIDADE DO ESTUDO DO MARXISMO E DA COMPREENSÃO DA SOCIEDADE A DOMINAÇÃO DE TEORIAS CONSERVADORAS NA ACADEMIA AS IDÉIAS DOMINANTES DE CADA ÉPOCA SÃO AS IDÉIAS DA CLASSE DOMINANTE

Leia mais

RESENHA. ANTUNES, Ricardo. O Continente do Labor. São Paulo: Boitempo, pp..

RESENHA. ANTUNES, Ricardo. O Continente do Labor. São Paulo: Boitempo, pp.. RESENHA ANTUNES, Ricardo. O Continente do Labor. São Paulo: Boitempo, 2011. 175 pp.. João Vitor Ramos da Silva Não estarão os povos andinos, amazônicos, indígenas, negros, brancos, homens e mulheres trabalhadores

Leia mais

TRABALHO E SER SOCIAL: UMA REFLEXÃO ONTOLÓGICA DO TRABALHO NA RELAÇÃO HOMEM X NATUREZA

TRABALHO E SER SOCIAL: UMA REFLEXÃO ONTOLÓGICA DO TRABALHO NA RELAÇÃO HOMEM X NATUREZA 78 TRABALHO E SER SOCIAL: UMA REFLEXÃO ONTOLÓGICA DO TRABALHO NA RELAÇÃO HOMEM X NATUREZA WORK AND BE SOCIAL: AN ONTOLOGICAL REFLECTION OF THE WORK PROCESS IN MAN X NATURE Ana Karina da Silva Alves 1 Ruth

Leia mais

Referência Bibliográfica: SOUSA, Charles Toniolo de. Disponível em <http://www.uepg.br/emancipacao>

Referência Bibliográfica: SOUSA, Charles Toniolo de. Disponível em <http://www.uepg.br/emancipacao> Referência Bibliográfica: SOUSA, Charles Toniolo de. Disponível em 1. À funcionalidade ao projeto reformista da burguesia; 2. À peculiaridade operatória (aspecto instrumental

Leia mais

Interfaces da Questão Social, Gênero e Oncologia

Interfaces da Questão Social, Gênero e Oncologia 3ª Jornada de Serviço Social do INCA Direitos Sociais e Integralidade em Saúde Interfaces da Questão Social, Gênero e Oncologia Letícia Batista Silva Assistente Social HCII/INCA Rio de Janeiro, 1 de julho

Leia mais

APONTAMENTOS PARA O ENTENDIMENTO DA HEGEMONIA DO CONCEITO DE AGRICULTURA FAMILIAR NO CONTEXTO DO CAPITALISMO CONTEMPORÂNEO

APONTAMENTOS PARA O ENTENDIMENTO DA HEGEMONIA DO CONCEITO DE AGRICULTURA FAMILIAR NO CONTEXTO DO CAPITALISMO CONTEMPORÂNEO APONTAMENTOS PARA O ENTENDIMENTO DA HEGEMONIA DO CONCEITO DE AGRICULTURA FAMILIAR NO CONTEXTO DO CAPITALISMO CONTEMPORÂNEO Marcos Antônio de Oliveira 1 INTRODUÇÃO: No campo das ciências sociais no Brasil

Leia mais

Democracia no Mundo do Trabalho intervenção no XIII Plenário do Conselho. É uma honra estar aqui com vocês. Fiquei muito estimulado com a idéia de

Democracia no Mundo do Trabalho intervenção no XIII Plenário do Conselho. É uma honra estar aqui com vocês. Fiquei muito estimulado com a idéia de 1 Democracia no Mundo do Trabalho intervenção no XIII Plenário do Conselho Federal de Psicologia 1 Sérgio Lessa Doutor em Ciências Humanas pela Unicamp e professor do Departamento de Filosofia da Universidade

Leia mais

Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio

Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio TEMA CADERNO 3 : O CURRÍCULO DO ENSINO MÉDIO, SEUS SUJEITOS E O DESAFIO DA FORMAÇÃO HUMANA INTEGRAL Moderadora: Monica Ribeiro da Silva Produção: Rodrigo

Leia mais

MATERIALISMO HISTÓRICO (Marx e Engels)

MATERIALISMO HISTÓRICO (Marx e Engels) MATERIALISMO HISTÓRICO (Marx e Engels) ...as mudanças sociais que se passam no decorrer da história de uma sociedade não são determinadas por ideias ou valores. Na verdade, essas mudanças são influenciadas

Leia mais

FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS

FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS Unidade IV FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DO SERVIÇO SOCIAL Prof. José Junior A evoluçao do Serviço Social Nas décadas de 1980 e 1990, o serviço social encontra seu ápice, pois a revisão

Leia mais

MANIFESTO DA ABEPSS 15 DE MAIO DIA DA/O ASSISTENTE SOCIAL 2013

MANIFESTO DA ABEPSS 15 DE MAIO DIA DA/O ASSISTENTE SOCIAL 2013 MANIFESTO DA ABEPSS 15 DE MAIO DIA DA/O ASSISTENTE SOCIAL 2013 ABEPSS MANIFESTO MAY 15th SOCIAL WORKER S DAY 2013 O contexto mundial de reestruturação produtiva não é somente resultado da crise do capital

Leia mais

CURRÍCULO MÍNIMO 2013

CURRÍCULO MÍNIMO 2013 CURRÍCULO MÍNIMO 2013 (Versão preliminar) Componente Curricular: SOCIOLOGIA (Curso Normal) Equipe de Elaboração: COORDENADOR: Prof. Luiz Fernando Almeida Pereira - PUC RJ ARTICULADOR: Prof. Fábio Oliveira

Leia mais

Entre reforma e revolução

Entre reforma e revolução 1 Entre reforma e revolução Ivo Tonet Introdução Tenho acompanhado, com muito interesse, inúmeras publicações, progressistas e até revolucionárias, em um sentido amplo, referentes à crise atual. Constato

Leia mais

Sociais pela Unicamp. Membro do grupo de pesquisa Novas Metamorfoses do Mundo do Trabalho Unicamp/CNPq.

Sociais pela Unicamp. Membro do grupo de pesquisa Novas Metamorfoses do Mundo do Trabalho Unicamp/CNPq. I SEMANA ACADÊMICA DE HISTÓRIA: O CAMPO DA HISTÓRIA: reflexões teóricas e práticas Docentes Mesa Redonda Trabalho e Trabalhadores na Contemporaneidade A Precarização do Trabalho em Geral no Capitalismo

Leia mais

Capítulo 10. Modernidade x Pós - Modernidade. O mal estar científico e o mal estar social

Capítulo 10. Modernidade x Pós - Modernidade. O mal estar científico e o mal estar social Capítulo 10 Modernidade x Pós - Modernidade O mal estar científico e o mal estar social Modernidad e As transformações sociais e políticas tornaram o século XIX um cenário de mudanças. Duas grandes revoluções

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina CIS211 Sociologia Contemporânea II

Programa Analítico de Disciplina CIS211 Sociologia Contemporânea II 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Ciências Sociais - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes Número de créditos: 4 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal

Leia mais

AULA 2 A CONSTITUIÇÃO DO CAMPO DA SOCIOLOGIA ECONÔMICA (I) NADYA ARAUJO GUIMARÃES FSL 0638 SOCIOLOGIA ECONÔMICA 01/2015

AULA 2 A CONSTITUIÇÃO DO CAMPO DA SOCIOLOGIA ECONÔMICA (I) NADYA ARAUJO GUIMARÃES FSL 0638 SOCIOLOGIA ECONÔMICA 01/2015 AULA 2 A CONSTITUIÇÃO DO CAMPO DA SOCIOLOGIA ECONÔMICA (I) NADYA ARAUJO GUIMARÃES FSL 0638 SOCIOLOGIA ECONÔMICA 01/2015 ROTEIRO 1. Os principais momentos na constituição do campo: cronologia e território

Leia mais

Durkheim, Weber, Marx e as modernas sociedades industriais e capitalistas

Durkheim, Weber, Marx e as modernas sociedades industriais e capitalistas Durkheim, Weber, Marx e as modernas sociedades industriais e capitalistas Curso de Ciências Sociais IFISP/UFPel Disciplina: Fundamentos de Sociologia Professor: Francisco E. B. Vargas Pelotas, abril de

Leia mais

A PEDAGOGIA DAS COMPETÊNCIAS E AS CORRENTES PEDAGÓGICAS NÃO CRÍTICAS: ANOTAÇÕES PELA PERSPECTIVA DO MATERIALISMO HISTÓRICO- DIALÉTICO

A PEDAGOGIA DAS COMPETÊNCIAS E AS CORRENTES PEDAGÓGICAS NÃO CRÍTICAS: ANOTAÇÕES PELA PERSPECTIVA DO MATERIALISMO HISTÓRICO- DIALÉTICO A PEDAGOGIA DAS COMPETÊNCIAS E AS CORRENTES PEDAGÓGICAS NÃO CRÍTICAS: ANOTAÇÕES PELA PERSPECTIVA DO MATERIALISMO HISTÓRICO- DIALÉTICO Maricélia Maria da Silva Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Leia mais

O Desafio da Clínica na Estratégia Saúde da Família

O Desafio da Clínica na Estratégia Saúde da Família O Desafio da Clínica na Estratégia Francisca Valda da Silva II Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família 01 a 03 de junho de 2004 Brasília - DF Demandas Sociais pela inversão do Modelo de Atenção

Leia mais

PLANO DE ENSINO - 2S/ FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS

PLANO DE ENSINO - 2S/ FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS PLANO DE ENSINO - 2S/2010 - FACULDADE DE GESTÃO E NEGÓCIOS CURSO: CIÊNCIAS ECONÔMICAS TURNO: NOTURNO DISCIPLINA: DESENVOLVIMENTO SÓCIO ECONÔMICO SEMESTRE: 4º N DE CRÉDITOS: 04 CARGA HORÁRIA: 68 HS/AULAS

Leia mais

Paradigmas filosóficos e conhecimento da educação:

Paradigmas filosóficos e conhecimento da educação: Paradigmas filosóficos e conhecimento da educação: Limites atual do discurso filosófico no Brasil na abordagem da temática educacional Fonte: SEVERINO, Antonio Joaquim (USP) A preocupação do texto Os discursos

Leia mais

Unidade. A estrutura social e as desigualdades

Unidade. A estrutura social e as desigualdades Unidade 3 A estrutura social e as desigualdades O termo classe é empregado de muitas maneiras. Sociologicamente, ele é utilizado na explicação da estrutura da sociedade capitalista, que tem uma configuração

Leia mais

EMENTA OBJETIVOS DE ENSINO

EMENTA OBJETIVOS DE ENSINO Sociologia I PLANO DE DISCIPLINA COMPONENTE CURRICULAR: Sociologia I CURSO: Técnico em Segurança do Trabalho (Integrado) SÉRIE: 1ª CARGA HORÁRIA: 67 h (80 aulas) DOCENTE: EMENTA A introdução ao pensamento

Leia mais

O Estado neoliberal e os direitos humanos: A ofensiva contra os direitos sociais e fortalecimento do sistema penal punitivo

O Estado neoliberal e os direitos humanos: A ofensiva contra os direitos sociais e fortalecimento do sistema penal punitivo O Estado neoliberal e os direitos humanos: A ofensiva contra os direitos sociais e fortalecimento do sistema penal punitivo Parte I DA CRISE DO ESTADO PROVIDÊNCIA AO NEOLIBERALISMO Crise do Estado Providência

Leia mais

TRABALHO: ATIVIDADE VITAL, EXPLORAÇÃO E ALIENAÇÃO RESUMO

TRABALHO: ATIVIDADE VITAL, EXPLORAÇÃO E ALIENAÇÃO RESUMO TRABALHO: ATIVIDADE VITAL, EXPLORAÇÃO E ALIENAÇÃO Jamile de Lima Santos 1 Meyriana Bezerra Leite 2 RESUMO Compreender o trabalho na contemporaneidade exige, antes, percebê-lo em sua real essência: como

Leia mais

PLANO DE CURSO DISCIPLINA: SOCIOLOGIA ANO: 2016 PROFESSORA: LILIANE CRISTINA FERREIRA COSTA

PLANO DE CURSO DISCIPLINA: SOCIOLOGIA ANO: 2016 PROFESSORA: LILIANE CRISTINA FERREIRA COSTA Escola Estadual Virgínio Perillo Avenida José Bernardes Maciel, 471 Marília, Lagoa da Prata-MG Fone: (37) 3261-3222 E-mail: escolavirginioperillo@gmail.com PLANO DE CURSO DISCIPLINA: SOCIOLOGIA ANO: 2016

Leia mais

Unidade I CONSULTORIA EM. Profa. Silmara Quintana

Unidade I CONSULTORIA EM. Profa. Silmara Quintana Unidade I CONSULTORIA EM TRABALHO SOCIAL Profa. Silmara Quintana Consultoria e assessoria Sistema neoliberal globalização. Questões sociais. Novos espaços de atuação do assistente social. No papel de consultor

Leia mais

POLÍTICA E ALIENAÇÃO: uma relação imanente a partir das sociedades de classes. Maria Norma Alcântara Brandão de Holanda 1

POLÍTICA E ALIENAÇÃO: uma relação imanente a partir das sociedades de classes. Maria Norma Alcântara Brandão de Holanda 1 POLÍTICA E ALIENAÇÃO: uma relação imanente a partir das sociedades de classes Maria Norma Alcântara Brandão de Holanda 1 RESUMO Neste texto nos propomos a tratar da relação entre política e alienação,

Leia mais