EMPRESÁRIAS DE SUCESSO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EMPRESÁRIAS DE SUCESSO"

Transcrição

1 Resumo EMPRESÁRIAS DE SUCESSO NA GESTÃO DO VAREJO Lucia Simone Grivot Orientador metodológico: Prof. Dr. Márcio de Souza Pires Co-orientadora: Prof. Drª. Janice Inchauspe Pereira Este estudo busca: conhecer características no perfil de empresárias de sucesso na gestão do varejo em Porto Alegre/RS; verificar o significado de sucesso na perspectiva das participantes; identificar fatores determinantes do sucesso; identificar facilidades e dificuldades encontradas nos negócios, decorrentes da condição feminina. Trata-se de uma pesquisa qualitativa. A coleta de informações foi realizada através da técnica de grupos focais. Participaram oito empresárias varejistas, com idade entre 40 e 59 anos, indicadas pela Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre/RS. O material obtido foi trabalhado através do método de análise de conteúdo (BARDIN, 2009). Verificou-se como significado de sucesso: reconhecimento, construir, realizar e alcançar objetivos. São fatores determinantes do sucesso: parcerias, persistência, sonhar, iniciativa, garra e perseverança. Dentre as facilidades e as dificuldades encontradas, evidenciam-se: aspectos culturais discriminatórios, conciliar com a família, a multiplicidade da mulher, emoção, duplas jornadas, dentre outros. Palavras-chave: Mulher. Mulher e trabalho. Sucesso. Varejo. Gestão do varejo. 1. Considerações Iniciais A mulher vem conquistando posições no mercado de trabalho e atualmente divide espaço com empreendedores de sucesso, sendo reconhecida pelo mercado. Até alcançar o reconhecimento, foi preciso percorrer uma longa trajetória, romper padrões e vencer obstáculos. Hoje, aquelas mulheres que lutavam por igualdade, buscam destaque entre modelos masculinos criados nas organizações ao longo do tempo. O sucesso das mulheres no trabalho pode estar atrelado à capacidade para conciliar vida pessoal e profissional, alcançando realização em diferentes áreas. São apontadas diferenças entre homens e mulheres, especialmente no que se refere aos estilos de percepção e padrões de comportamento, diferenças essas presentes também no trabalho. Uma característica feminina é o fato de serem educadoras por vocação natural: educam em casa e conseqüentemente na empresa também o fazem (HSM Management, 2004). A partir da década de 60, mudanças nos padrões culturais e valores relativos ao papel da mulher interferiram no perfil do trabalho feminino no Brasil, alterando a identidade feminina. Ao mesmo tempo, a expansão da escolaridade proporcionou o acesso das mulheres a novas oportunidades de trabalho. Esses fatores explicam o crescimento da atividade feminina no mercado de trabalho. As trabalhadoras que nos anos de 1970, em maioria, eram jovens, solteiras e sem filhos, atualmente estão mais velhas, casadas e mães. Mesmo com tantas mudanças, muito continua igual: as mulheres ainda são as principais responsáveis pelas atividades domésticas e cuidados com familiares. Segundo o IBGE, em pesquisa de , 79% das mulheres se dedicam a afazeres domésticos e empregam neles 36 horas semanais. Apenas 28% dos homens realizam atividades semelhantes e gastam nelas apenas 4 horas semanais. Pesquisa da Editora Abril, "Melhores Empresas para Trabalhar", organizada pela consultoria internacional Great Place to Work, constata maior participação feminina no comando das empresas brasileiras. Em 2007, as mulheres ocuparam 44% dos postos de trabalho das cem melhores empresas, sendo que 32% dessas atuavam em cargos de liderança índice que era de 11% em Planejamento de longo prazo e capacidade de trabalhar em equipe são características que fazem diferença na gestão feminina. Outra peculiaridade é a atenção aos detalhes, que se traduz em mais qualidade dentro das organizações. Atualmente, 65% dos estabelecimentos em shopping center são comandados por mulheres, demonstrando destaque das empreendedoras no varejo. Na cidade de Porto Alegre/RS a participação

2 do varejo na economia é bastante abrangente e diversificada, o setor conta com a atuação de empresárias de sucesso, capacidade demonstrada através de suas trajetórias na gestão do setor. O sucesso pode ter diferentes significados e diversos entendimentos no mundo dos negócios, assim como, na perspectiva de homens e mulheres. Muitas vezes é atribuído sentido pejorativo a sucesso, confundindo com vida-boa ou fama. O empreendedorismo é considerado uma alternativa significativa para o crescimento da economia. Destaca-se o trabalho de David McClelland, psicólogo da Universidade de Harvard, que identificou características comuns entre empreendedores de sucesso em diversos países. Percebeu-se então que o resultado atingido estava diretamente relacionado com a forma de agir, assim, foram descritas dez características do comportamento empreendedor. Baseado no estudo citado, a Organização das Nações Unidas (ONU) desenvolveu treinamento que visa à prática consciente das características empreendedoras. O presente estudo tem como objetivo: conhecer características no perfil de empresárias de sucesso na gestão do varejo de Porto Alegre/RS. Para isso, propõe: verificar o significado de sucesso na perspectiva das participantes; identificar fatores determinantes do sucesso dessas empresárias; identificar facilidades e dificuldades encontradas nos negócios, decorrentes da condição feminina. Portanto, define-se o problema de pesquisa: Quais as características no perfil de empresárias de sucesso na gestão do varejo de Porto Alegre/RS? 2. Desenvolvimento MÉTODO Esse estudo pode ser caracterizado como qualitativo. Utilizou-se como procedimento para a coleta de informações a técnica de grupos focais e, as informações obtidas, foram trabalhadas através da análise de conteúdo. Os métodos qualitativos têm o objetivo de identificar os significados que as pessoas atribuem aos fenômenos, e não o de medir ou quantificar. As pesquisas qualitativas não precisam, segundo Triviños (1990), apoiar-se na informação estatística. Considera que, as impressões e os significados que um ambiente de estudo proporciona [...] são produto de uma visão subjetiva, [que] rejeita toda expressão quantitativa, numérica, toda medida. (p. 128) Ainda explica que por isso, a interpretação dos resultados surge da soma de investigações baseadas na percepção de um fenômeno em um determinado contexto. Por isso, a pesquisa qualitativa não é vazia, mas coerente, lógica e consistente. Assim, os resultados são expressos, por exemplo, em relatos (ou descrições), em narrativas, ilustradas com declarações das pessoas para dar o fundamento concreto necessário, [...] acompanhados de [...] fragmentos de entrevistas etc. (TRIVIÑOS, 1990, p. 128). Sobre os grupos focais, Romero (2008), refere que são aplicados quando se deseja identificar opiniões; sentimentos; formas de pensar, entender e interpretar a realidade das pessoas nela envolvidas. A discussão sobre um tema determinado norteia os grupos focais; e a coleta de informações, envolve os conteúdos manifestos e latentes, surgido nessa discussão através das linguagens verbais e não-verbais. Para compor os grupos, foi solicitada indicação da Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre/RS, entidade de classe representativa do varejo na cidade. Os critérios para identificar as participantes foram definidos conforme: idade a partir de 40 anos (pressupõe tempo para que tenham percorrido uma trajetória significativa, constituíram família e as empresas que criaram já têm tempo para sucessão); mínimo 10 anos de existência do negócio atual (tempo para demonstrar que as empresas estão consolidadas no mercado. Conforme SEBRAE/RS, no estado, 40% das empresas fecham no primeiro ano, 30% no segundo e somente 10% chegam ao quinto ano); atuação principal como empresária varejista (o estudo foi direcionado às características específicas do varejo); trajetória de sucesso na gestão do varejo em Porto Alegre/RS. Dessa forma, os grupos focais foram compostos por oito empresárias, sendo quatro do segmento de vestuário, uma de livros, uma de alimentação e duas de móveis. Possuindo nível superior de escolaridade, idade entre 40 e 59 anos e tempo médio de atuação como empresárias do varejo de 18 anos. Realizou-se gravação em áudio e o conteúdo obtido foi posteriormente trabalhado através da técnica de análise de conteúdo. Segundo Bardin (2009), a análise de conteúdo é um conjunto de técnicas de análise das comunicações. Utiliza procedimentos sistemáticos e objetivos de descrição do conteúdo das mensagens. É a inferência de conhecimentos relativos às condições de produção. Pertencem ao seu domínio todas as iniciativas que, a partir de um conjunto de técnicas complementares, consistam na explicitação e sistematização do conteúdo das mensagens e da

3 expressão deste conteúdo. Esta abordagem tem por finalidade efetuar deduções lógicas e justificadas, referentes à origem das mensagens tomadas, o emissor e seu contexto. A MULHER NO TRABALHO [...] nos dias de hoje, não existe mais a essência do masculino e do feminino, mas somente definições históricas sendo, portanto, relativas e revogáveis. [...] forçado a constatar que a dinâmica da igualdade acabou por conquistar um domínio que as sociedades democráticas esforçaram-se durante muito tempo em escamotear: as relações entre homens e mulheres. [...] esta redefinição de papéis profissionais nos conduz a questionar o papel mais fundamental que exerceram desde o início da humanidade, a diferenciação de sexo na organização social (BELLE, 1994, p ). Bruschini (2004) sugere que mudanças ocorridas nas últimas décadas do século XX, interferiram no perfil característico do trabalho feminino no Brasil: queda da taxa de fecundidade; redução no tamanho das famílias; envelhecimento da população e maior expectativa de vida das mulheres conseqüentemente, aumento do percentual de viúvas e do número de famílias chefiadas por mulheres. Conforme Belle (1994), o exercício do poder pode dividir-se em duas modalidades: um aspecto paternal, autoritário e fazedor de leis, que será vivenciado como hierarquizado; ou um aspecto maternal, ligado a condutas de persuasão e sedução. As pessoas que souberem integrar estas duas tendências em seu estilo de administrar terão maiores oportunidades de sucesso. Abramo (2007) relata que a noção da mulher como uma força de trabalho secundária está no imaginário social, empresarial e das próprias mulheres. Porém, essa noção é cada vez menos adequada para representar as distintas realidades da presença feminina no mercado de trabalho. É um dos elementos sobre os quais se estruturam e se reproduzem as hierarquias e os padrões de discriminação e subordinação de gênero no mundo do trabalho. Afirma ainda que a segregação ocupacional entre homens e mulheres é uma das expressões mais evidentes da discriminação, que está relacionada a construções culturais e sociais que atribuem posições e valores diferenciados ao trabalho realizado por homens e mulheres. Segundo Chanlat (1994), toda pesquisa sobre executivas pressupõe uma renovação dos questionamentos. Os estudos consagrados até hoje sobre o trabalho feminino tratam com freqüência da família que atrai sempre o interesse dos especialistas. A maioria desses estudos foca dois aspectos: a mulher é prioritariamente destinada à esfera doméstica; sua vida profissional é apenas a conseqüência de suas obrigações familiares. A empresa permanece fora do campo de visão dos pesquisadores. Afirma ainda que, o acesso recente das mulheres a postos de responsabilidade na empresa vem questionar a repartição tradicional entre masculinidade e feminilidade. Não se pode estudar a identidade das executivas na organização sem levar em conta que a mulher encontra-se prisioneira nos paradigmas e sistemas de representação viris, e isto é tão mais forte que estas imagens inconscientes estão concretamente instaladas no cerne das instituições. Leone e Baltar (2008) ressaltam que qualquer análise do mercado de trabalho no Brasil deve considerar a progressiva participação das mulheres, desde o final da década de 60. É o aumento da participação feminina que tem sustentado o intenso crescimento da população ativa, embora isso ainda signifique uma dupla jornada de trabalho, na medida em que continuam responsáveis pelos afazeres domésticos. Portanto, sua maior participação no mercado de trabalho vai diminuindo lentamente a segregação em determinados tipos de ocupação. Demonstram a continuidade do aumento da participação da mulher na atividade econômica, manifestado através do crescimento do trabalho feminino por conta própria (Tabela 1), o que acentua o crescimento da participação da mulher na renda familiar. TABELA 1 Distribuição da PEA por conta-alheia e conta-própria e taxa de crescimento, por sexo Brasil TAXA DE Indicadores Homens Mulheres CRESCIMENTO (%) Homens Mulheres PIA (pessoas de dez anos e mais) 100,0 100,0 100,0 100,0 2,15 2,17 PEA 73,2 72,9 51,6 52,6 1,95 3,19 Conta-alheia 63,6 64,3 69,5 69,8 2,53 3,34 Conta-própria 36,4 35,7 30,5 30,2 0,93 2,82 Fonte: IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2004 e Leone e Baltar (2008) destacam o mercado de trabalho por conta-própria, considerando que o aumento do número de empregadores foi intenso, principalmente para mulheres, elevando assim sua representatividade na ocupação total por conta-própria (Tabela 2). TABELA 2 Distribuição da PEA por conta-própria e taxa de crescimento, por sexo, segundo posição na ocupação (Brasil )

4 Homens Mulheres Taxa de Crescimento Indicadores (%) Mulhere Homens s Conta-própria 100,0 100,0 100,0 100,0 0,92 2,82 Empregador 13,4 14,9 7,4 8,1 6,44 8,27 Autônomo 66,6 65,4 47,3 47,4 0,02 2,95 Nãoremunerado 13,9 11,9 26,3 23,8-6,46-2,32 Autoconsumo e autoconstrução 6,1 7,8 19,0 20,7 13,83 7,2 Fonte: IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2004 e Mesmo que apresentando aumento de participação, os mesmos autores apontam que a segregação das mulheres no trabalho ainda não foi eliminada, parte desta se expressa na reduzida participação entre os empregadores e os autônomos (Tabela 2). Manifesta-se ainda nas diferenças de renda (Tabela 3). TABELA 3 Distribuição dos ocupados com 15 anos e mais de estudo, por posição na ocupação e sexo, segundo faixas de rendimento (Brasil ) Salários Formal (1) Sem carteira Autônomo Empregador (%) Mínimos Homens Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Homens Mulheres Menos de 2 3,7 8,7 13,8 19,5 7,6 12,8 3,6 6,6 De 2 a 3 7,2 14,5 13,9 17,5 7,8 11,0 6,0 6,9 De 3 a 5 17,5 27,1 22,1 28,5 18,5 21,6 12,1 19,1 De 5 a 10 34,5 33,2 26,8 24,4 31,5 30,2 28,0 29,4 10 e mais 37,1 16,5 23,4 10,1 34,6 24,4 50,3 38,0 Total 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 Fonte: IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2004 e (1) Inclui empregado em estabelecimento e serviço doméstico com carteira assinada. SUCESSO Sucesso é acordar de manhã não importa quem você é, onde você está, se é velho ou se é jovem e pular da cama porque existem coisas importantes que você adora fazer, nas quais acredita, e em que você é excelente. Algo que é maior que você, que você quase não resiste esperar para empreendê-lo hoje (WHIT HOBBS, 2009*). O sucesso está diretamente relacionado à capacidade de alcançar os objetivos planejados. Seu significado literal sugere acontecimento, resultado feliz, que alcança grande êxito, de largo prestígio e/ou popularidade (Ferreira, 1998). O sucesso é uma expressão utilizada desde a Grécia Antiga, que foi remodelada e recebeu novos significados no transcorrer dos tempos, reforçada nos anos 60. Por muito tempo o sucesso esteve somente relacionado ao trabalho e a sua busca diretamente associada a seguir uma carreira profissional de destaque. A partir da década de 80 os gestores passaram a questionar se tanto esforço realmente valeria à pena. Nos anos de 1990 o significado de sucesso foi ampliado, sendo visto também como sucesso pessoal dando margem a uma dimensão privada e familiar. Huggins (apud SILVA, 2006) define sucesso não somente como a busca de dinheiro ou tecnologia, mas a descoberta de um equilíbrio entre trabalho, lazer, família e comunidade. Entretanto, mesmo que o significado de sucesso tenha sido ampliado, ainda se mantém um conceito adotado desde a década de 60, onde o foco do indivíduo ou o seu tempo maior era voltado para conseguir atingir o sucesso profissional, esquecendo outras dimensões da vida pessoal, como a exemplo da família, Bertolomé e Evans (apud SILVA 2006). Assim como a vida pessoal pode influenciar no trabalho, apontam também o trabalho interferindo na vida pessoal. Consideram que para haver vida pessoal saudável é necessário que o indivíduo seja capaz de administrar as dificuldades do trabalho, o que não ocorre para a maioria. Morgan (2002) destaca que um indivíduo que vivencia um progresso ou sucesso, muitas vezes quer ir além, atingir mais e mais, ou melhor, o poder atua como estimulador ou catalisador para o indivíduo na busca insaciável do sucesso. Descreve que, apesar do sucesso não ter um significado único para todos, constitui um objetivo comum, variando os critérios de sucesso conforme a profissão e a cultura em que o indivíduo está inserido. Considera o interesse como sendo um conjunto de predisposições de valores, desejos e objetivos que acabam direcionando a pessoa na sua ação, concebendo interesses em três aspectos: tarefa, carreira e vida pessoal. Lacombe (2002) pondera que, quando desenvolve uma carreira, a relação que o indivíduo estabelece com o trabalho se revela, pois, a carreira profissional está diretamente relacionada a duas dimensões: a objetiva cargos que o indivíduo ocupa na trajetória profissional; e a subjetiva como percebe a trajetória percorrida. Projetar uma carreira de sucesso envolve indivíduo, organização e interesses de ambos. McClelland, através da Teoria da Motivação pelo Êxito e/ou Medo, por Rego e Leite (2003), destaca três motivos/necessidades que orientam a dinâmica do comportamento humano, como está demonstrado a seguir (Quadro 1). QUADRO 1 - Teoria da motivação pelo êxito e/ou pelo medo Motivo/Necessidade Realização Afiliação Poder Fonte: Nutep Escola de Administração UFRGS. Meio de satisfação - competir como forma de auto-avaliação - relacionar-se cordial e afetuosamente - exercer influência

5 Rego e Leite (2003) afirmam que, esta teoria sustenta que diferentes indivíduos têm diferentes níveis de cada motivo, mas nunca a inexistência de qualquer deles, em especial o da realização. Esses motivos têm relação íntima à resolução de problemas. Sendo assim, quando o indivíduo obtém sucesso, utilizando-se de determinado motivo, tenderá a repeti-lo para a solução de outros problemas, o que caracterizará o estilo da pessoa. Os mesmos caracterizam os motivos de sucesso baseados nos extensos estudos inspirados por McClelland: a) motivo de realização: representa uma orientação para excelência, preferência por riscos moderados, procura o feedback visando melhora do desempenho. Aqueles fortemente motivados para a realização aspiram metas elevadas, mas realistas, tomam iniciativa, tendem a ser inquietos e a bem-sucedidos como empreendedores; b) motivo afiliativo: representa uma orientação por relações fortes e amistosas. As pessoas fortemente motivadas para a afiliação tendem a agir amigável e cooperativamente, embora possam atuar irada e defensivamente sob condições de ameaça; c) motivo de poder: orientação para o prestígio, busca de posições de influência, assumir riscos elevados, e produzir impacto nos outros. A elevada motivação pelo poder está associada a atividades competitivas e assertivas, ao interesse em alcançar e manter prestígio e reputação. Barletta (2003) afirma que os homens tendem a ser obstinados e focados, enquanto as mulheres tendem a ser mais abrangentes e integradas. Destaca que suas principais diferenças são que as mulheres demonstram ser mais detalhistas na observação de um ambiente, enquanto os homens se detêm à visão geral. Também se refletem na forma como os dois gêneros estruturam suas atividades diárias e de trabalho. Homens listam suas atividades e, somente após concluírem uma, passam a executar outra. Já as mulheres desenvolvem várias atividades simultaneamente e, quando não estão fazendo mais de uma atividade ao mesmo tempo, em geral sentem certo desconforto e afirmam que seus esforços não estão rendendo o esperado. Considera ainda que: [...] o efeito multiplicador é exercido pela mulher consumidora. O que as mulheres compram, elas vendem quando estão satisfeitas com os produtos e serviços, falam para outras pessoas homens e mulheres. O resultado desse boca a boca é a ferramenta de marketing mais poderosa que você poderia esperar. E não apenas por ser de graça: tem mais credibilidade, é mais eficaz e persuasiva do que qualquer tática paga de marketing. Cada nova mulher consumidora que você conquista gera um efeito multiplicador de vendas direcionadas e negócios extras (p. 23). Ferry (2004) compreende que a busca do sucesso é muitas vezes a meta principal, mas que não é dita pela pessoa. Chega-se ao ponto de êxito assumir um modo de culpabilização do indivíduo: os fracassados permanecerão anônimos. Afirma que o sucesso pode também ter assumido significado de vida-boa ou fama, mas não pode ser somente assim considerado, pois, vai além. O que mais caracteriza a época contemporânea é a convicção de que sucesso ou fracasso não pode mais ser avaliado com base na transcendência. É na vida concreta, sem sair da esfera real ou fugir em direção a qualquer princípio superior, que decretamos uma existência mais ou menos bem-sucedida, mais ou menos rica e intensa, ou ao contrário. Pondera ainda que, atualmente vida bem-sucedida substituiu o termo vida-boa e hoje o êxito social foca performance e alto desempenho. Ressalta que uma vida realmente bem-sucedida está relacionada a ser bem-sucedido socialmente, inerente aos valores construídos pela sociedade, mas que difere de pessoa para pessoa, podendo significar ser admirado, inteligente ou ter status. Pahl (1997) aborda que muitas vezes a busca pelo sucesso traz consigo ansiedade, frustração e insegurança, pois o fracasso está relacionado somente à própria pessoa. Assim, afeta o indivíduo como um todo, acarretando dificuldades nos relacionamentos afetivos e acostuma-se estar menos tempo com a família. Considera ainda que atualmente, ocorre o que pode ser denominado obsessão tecnológica, enriquecimento e ânsia por status e que esses fatores geram dúvidas sobre o que é necessário para alcançar sucesso. Complementa que, enquanto as mulheres engendram-se no mundo dos negócios e na competição organizacional, os homens tentam engendrar-se no mundo da família, do lar, estando assim, ambos os gêneros procurando um equilíbrio. O VAREJO As mais antigas relíquias descobertas pelo comércio, segundo Las Casas (2007), mostram a existência de atacadista e varejista em épocas bem remotas, de modo que Atenas, Alexandria e Roma foram grandes áreas comerciais, e os gregos, conhecidos como excepcionais comerciantes. As lojas tornaram-se numerosas em Roma e em outras cidades imperiais, formando-se vários centros de compras, atualmente denominados shopping centers. No Brasil, o varejo iniciou-se no final do século XIX. Nos períodos seguintes surgiram estabelecimentos que fizeram história, como Casa Masson (1871), Casas Pernambucanas (1906) e

6 Mesbla (1913), com sedes instaladas nas principais cidades do país, a exemplo de Porto Alegre/RS. Las Casas (2007) afirma que atualmente, atendendo às mudanças dos hábitos de compra, qualquer produto pode ser oferecido através da Internet. Assim, consumir ficou mais prático, rápido e fácil, bastando estar próximo a um computador. Porém, para o varejo é fundamental, mesmo não necessitando de um ponto físico, atentar à qualificação da equipe, o que é de suma importância para o sucesso da empresa. Considera ainda que existem diversas definições de varejo, sua essência é a comercialização de produtos e serviços a consumidores finais. Kotler (apud LAS CASAS, 2007) indica que o varejo inclui todas as atividades envolvidas na venda de bens ou serviços diretamente aos consumidores finais para uso pessoal. Portanto, qualquer organização que utiliza de venda, seja fabricante, atacadista ou varejista, está praticando varejo. Não importa nem mesmo o local ou a forma em que está sendo praticado. Segundo Parente (2009), à medida que as empresas varejistas se expandem, passam a adotar tecnologias avançadas de gestão, desempenhando papel cada vez mais importante na modernização do sistema de distribuição e da economia brasileira. Considera ainda que, ao longo das últimas décadas o varejo atravessou um intenso ritmo de transformação. Se voltasse no tempo até uma metrópole brasileira em 1960, notaria que ainda não existia shopping centers, hipermercados, clubes de compras, franquias, ou pet shops. Ao longo do tempo, vários modelos cederam lugar a novos formatos, mais eficientes e mais adequados ao mercado consumidor. O autor constata ainda que, o varejo representa mais de 10% do PIB brasileiro, as atividades varejistas desempenham um papel de relevante importância no cenário econômico do país. Nos últimos anos, está passando por um processo de transformação especialmente intenso. Com o acelerado ritmo de consolidação do setor, um número crescente de varejistas aparece na relação das maiores empresas do Brasil. O Carrefour e o Pão de Açúcar situam-se entre as cinco maiores empresas privadas brasileiras. Dentre as cem maiores empresas privadas brasileiras, doze são varejistas. Afirma também que é preciso entender a dinâmica do mercado e enfrentar com sucesso as mudanças dramáticas que estão ocorrendo no setor. Considera que mesmo o varejista sendo intermediário, cada vez mais assume função pró-ativa na identificação das necessidades do consumidor e na definição do que deverá ser produzido para atender expectativas do mercado. Las Casas (2007), expõe que as mudanças decorrentes da abertura de mercado estão modificando o varejo, principalmente com os grupos estrangeiros. A acirrada concorrência leva o segmento a buscar pela diferenciação, seja por investimentos em automação ou treinamento de pessoal, mas sempre visando à agilidade e eficiência operacional. Observa que objetivando a fidelidade do cliente, o varejo tem sido pressionado a utilizar estratégias cada vez mais focadas no consumidor, gerando dessa forma um ritmo mais competitivo, o que possibilita a expansão desse segmento de negócio. Conforme o mesmo autor, ao se analisar o cenário descrito, é fácil perceber a importância do varejo no contexto mercadológico e econômico. Seu papel é o de intermediar a mercadoria entre o consumidor final. Por esses fatores, além de criar emprego e girar a economia, o varejo é o principal elemento de ligação da cadeia de distribuição. Segundo o autor, o varejo precisa de uma boa administração e de administradores para planejar, organizar, e controlar a sobrevivência e o futuro dos seus negócios. Caso contrário, verão seus esforços desmoronar mediante a concorrência e a competitividade existente no setor. As funções do administrador serão estabelecidas conforme a cultura da organização, mas sempre será ele que decidirá quais variáveis controláveis sofrerão influências das variáveis incontroláveis do ambiente em que está inserido. Determinar qual a melhor forma de administrar, ou qual o perfil do administrador do varejo pode ser inadequado. Porém, para Las Casas (2007), algumas características são primordiais e essenciais a esse profissional, tais como: dinamismo; flexibilidade; adaptação às mudanças dos ambientes interno e externo; atuação criativa e inovadora; entender o consumidor e atualizar-se constantemente, para conhecer as tendências mercadológicas independentemente da estrutura ou porte da organização. Considera ainda que, é importante o profissional estar atento às tendências do futuro, preparar-se para enfrentá-las é a tônica do varejista. Mesmo que as preocupações presentes sejam muitas e o mantenham muito ocupado, analisar novas tendências é uma atividade necessária para o empresário do setor. Afirma que para ser bem-sucedido no varejo, é preciso estar alerta e pronto para se adaptar aos desafios do mercado, é também fundamental estar em permanente processo de melhoria.

7 RESULTADOS DA PESQUISA Apresenta-se a seguir os resultados da análise das categorias: significado de sucesso; fatores determinantes do sucesso; facilidades e dificuldades encontradas nos negócios, decorrentes da condição feminina. Significado de Sucesso Na busca desse significado as participantes apontam: desafio, reconhecimento, assim como manter orientação para resultados e alcançar objetivos. É também considerado sinônimo da qualidade com a qual realizam suas atividades profissionais, sendo o resultado de muito trabalho e dedicação. Morgan (2002) descreve que, apesar do sucesso não ter um significado único para todos os executivos, constitui um objetivo comum variando os critérios de sucesso conforme a profissão e a cultura em que o indivíduo está inserido. É possível alcançar o sucesso, independente do porte da empresa, como refere uma participante: Não somos uma empresa grande. Não somos uma rede. Bem diferente, de certas realidades. A gente tem empresa com uma loja só e eu acho que somos muito bem sucedidos. Ferry (2004) considera que, sucesso pode também ser tratado de forma pejorativa quando é percebido como vida-boa. Essa é uma noção limitada, mas está presente na concepção de algumas participantes, o que pode ser observado quando afirmam: soa arrogante, ser bem-sucedida parece ser diferente de ter sucesso, não acredito no sucesso. Constata-se que muitas pessoas trazem dentro de si mesmo que não revelem, ou até mesmo neguem crenças relacionadas a sucesso, a algo não permitido. Essas crenças podem determinar a dificuldade de reconhecer sucesso como algo positivo. A que sucesso significa algo errado, sem valor verdadeiro, vazio, ou desmerecedor de reconhecimento. A análise das informações obtidas permite afirmar que sucesso é um conjunto de resultados positivos em diferentes áreas da vida, especialmente para as mulheres, que cuidam de cada uma dessas áreas não se satisfazendo com o sucesso em uma delas em detrimento de outra. Fatores Determinantes do Sucesso A posição feminina em relação ao consumo pode ser determinante do sucesso da mulher varejista: aquilo que compram, vendem naturalmente a outros. Dessa forma parecem tirar proveito das características de consumidora, utilizando-as como uma ferramenta de gestão. Uma participante comenta sobre o seu atendimento às clientes quando provam roupas em sua loja: Eu consigo ouvi-las. Não precisa falar muito para eu entender, é só escutar [...] Dificilmente eu deixava a cliente sair enquanto eu achava que não estivesse bom. Se a pessoa insistia, tudo bem. Eu acho que não está bom! Está muito justo! Mas se tu gosta, tudo bem. Jogava limpo! E elas adoram isso. Porque eu não estou querendo só vender. Isso surpreende. Evidenciou-se a relação entre o sucesso alcançado e as parcerias, ou seja, sucesso depende de bons parceiros. Foram referidos cônjuges, irmãos, ou mesmo sócios. As participantes consideraram também que é preciso ter obstinação, iniciativa, garra e perseverança e afirmam que essas são características femininas. Relacionam o sucesso à dedicação, persistência, disponibilidade para crescer, construir e realizar. Foi afirmação freqüente nos grupos o fato das mulheres serem múltiplas. Ter um sonho e seguir em direção a ele para alcançar o sucesso é também considerado pelas empresárias como sendo fundamental. Sobre sonhos, outra participante refere: Eu sonhei muito alto. Achava quase inalcançável. Olho para minhas conquistas e nem acredito. Morgan (2002) examina sucesso e poder: destaca que um indivíduo que vivencia o sucesso muitas vezes quer ir além, atingir mais e mais. Considera que o poder atua como estimulador ou catalisador do sucesso. Ainda sobre o significado e importância da família relacionada ao sucesso, evidenciou-se que a família é tão importante quanto o negócio. De acordo com as participantes não há como obter sucesso em uma ou outra área da vida, sem o apoio da família. Esses elementos evidenciam algumas características do perfil das empresárias de sucesso na gestão do varejo. Como Rego e Leite (2003) denominam por motivos de sucesso, que orientam a dinâmica do comportamento humano. Esses motivos estão relacionados aos padrões individuais de resolução de problemas e tendem a ser repetidos à medida que a pessoa alcança sucesso utilizando um determinado motivo.

8 Facilidades e Dificuldades Encontradas nos Negócios, Decorrentes da Condição Feminina Conforme Barletta (2003), os homens tendem a ser focados, enquanto, as mulheres tendem a ser mais abrangentes, integradas e detalhistas na observação de um ambiente. Isso se verifica, na atuação das participantes desse estudo, quando afirmam que a mulher evidencia e demonstra suas emoções, tirando proveito delas para tornar o ambiente belo e harmonioso. Isso pode ser observado na criação de vitrines assim como na relação cuidadosa com a equipe de trabalho. A emoção foi muito citada e considerada de fundamental importância para o sucesso na atuação da mulher. Os relatos a seguir elucidam essas características que podem ser consideradas facilidades para o sucesso: Mulher tem mais alma no que ela está fazendo. A mulher é mais preparada para lidar com a emoção. Sentimento e percepção sensorial são segredos do sucesso da mulher no trabalho. Conseguir ficar atenta a várias coisas ao mesmo tempo, aos sentimentos, as tarefas a realizar, ao objetivo da tarefa. Preocupada também com a rentabilidade que vai trazer para a família. Isso tem a ver com o sucesso da mulher. O varejo tinha que ser movido pelas mulheres. Porque são elas que dão emoção a tudo. E varejo é isso: é emoção! Huggins (apud SILVA, 2006) define sucesso não somente como a busca de dinheiro, mas um equilíbrio entre trabalho, lazer, família e comunidade. Pahl (1997) considera que muitas vezes a busca pelo sucesso acaba acarretando dificuldades ao indivíduo, bem como, acostuma ficar menos tempo com a família, o que pode ser confirmado quando uma participante relata: Sempre o mais complicado para mim foi administrar a vida pessoal com a profissional. É questão de tempo, prazos, agenda [...] sobra menos tempo para vaidade, para saúde [...] saúde engloba uma atividade física [...] essas coisas acabam ficando comprometidas. Sempre cuida bem do lado profissional, já o pessoal, a família, isso acaba ficando em terceiro plano. Bruschini (2004) refere que mudanças sociais interferiram no perfil característico do trabalho feminino no Brasil. Mudanças nos padrões culturais e nos valores relativos ao papel da mulher alteraram a identidade feminina. Essas mudanças e a predominância de padrões masculinos no trabalho são evidenciadas quando as participantes afirmam: CONCLUSÕES Somos sempre podadas e isso, nos faz crescer. Há grandes diferenças entre a mulher varejista e as outras empresárias, aquelas que trabalham até sexta-feira. Nós não temos hora. Na hora que os normais descansam, nós trabalhamos dobrado. Não ter estabilidade para a minha mãe era muito difícil. A maneira que eu tinha de lidar com isso era omitindo. Era fazer, e depois que estava feito, aí eu contava. Precisou o mercado reconhecer e valorizar o que eu fiz, para a minha mãe reconhecer, e hoje estimular. Meu pai queria que eu fosse professora. No máximo, que eu casasse com um fazendeiro ou militar e fosse dona de casa. Na época militar era muito bem reconhecido [...] Pra mim foi muito difícil o reconhecimento. Nesse mês que vem a empresa está fazendo vinte anos. Hoje posso sentar ao lado do meu primeiro chefe. Desde pequena eu não queria aquela vida. Eu achava um terror ser submissa. Eu sempre sonhei muito alto, queria ser diferente. Mas quase imaginando nunca alcançar esse objetivo. Achava praticamente impossível para uma criaturinha completamente analfabeta como eu era. Hoje olho para as minhas conquistas e nem acredito. Hoje a gente ainda vive um mundo muito machista e totalmente masculino. A gente vai comendo pelas beiradas e chega lá. A coleta de informações através dos grupos focais foi fundamental para a obtenção do conteúdo e do resultado apresentado ao final da pesquisa. Pode-se verificar os significados de sucesso, os fatores determinantes do sucesso, e também as facilidades e dificuldades encontradas nos negócios, decorrentes da condição feminina. Dessa forma, o objetivo geral desse estudo, que propôs conhecer características no perfil de empresárias de sucesso no varejo de Porto Alegre/RS, foi cumprido. A análise do conteúdo dos grupos possibilitou conhecer as características dessas empresárias, sendo que algumas foram mais freqüentes. A análise dos resultados descreve alguns dos significados que as participantes atribuíram a sucesso, o que coincide as idéias dos autores referidos quanto aos diferentes significados de sucesso para cada indivíduo. Alguns relatos demonstraram limites impostos pela família e situações de êxito através do uso de características femininas, o que gerou facilidades e dificuldades encontradas nos negócios decorrentes da condição feminina. O estudo oportunizou o debate entre empresárias varejistas reconhecidas pelo mercado. Suas trajetórias de sucesso foram ouvidas e analisadas com o intuito de conhecer características do seu perfil. A apresentação dessas características femininas permite que outras pessoas possam inspirar-se e buscar praticá-las conscientemente, intensificando aquelas já evidenciadas e/ou desenvolvendo outras, aumentando suas chances de

9 sucesso. Pode-se concluir que há muito a ser conhecido e ouvido das pessoas, por isso, há necessidade de investimento na discussão acerca das experiências na gestão do varejo, contribuindo para o desenvolvimento do setor. 3. Considerações Finais A partir desse estudo, espera-se gerar inspiração a outras pesquisas para continuidade em conhecer o tema. Poderão ser criados projetos de interesse ao meio acadêmico e empresarial. Sugere-se a implantação de um núcleo de pesquisa na Faculdade IBGEN sobre o tema aqui abordado e que a participação dos diferentes cursos, possa promover uma abordagem interdisciplinar entre as diferentes áreas do conhecimento. Também sugere-se a implantação de grupos de discussão sobre o tema, com a participação das empresas parceiras, o que pode aproximar o meio acadêmico e empresarial, como intencionado pela instituição. Será uma oportunidade de aprendizado extracurricular, complementando, a formação acadêmica e gerando diferencial. A proposta de continuidade estende-se também à CDL POA que poderá, através de pesquisa de maior abrangência, conhecer em maior profundidade as empresárias varejistas atuantes em Porto Alegre/RS. As informações obtidas contribuirão para o crescimento do varejo. Foi também demonstrado pelas participantes o desejo por novos encontros para a discussão do tema. Portanto, sugere-se a criação de um grupo regular para discussão das características femininas na gestão do varejo. O que será de relevante contribuição para o desenvolvimento pessoal e profissional dos participantes e conseqüentemente, do setor varejista. Referências BRUSCHINI, Cristina; PUPPIN, Andrea Brandão. Trabalho de mulheres executivas no Brasil no final do século XX. Rio de Janeiro: Departamento de Pesquisas Educacionais da Fundação Carlos Chagas; Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense, CHANLAT, Jean-François. O indivíduo na organização. São Paulo: Atlas, DOSSIÊ: as mulheres e o management. HSM Management, São Paulo, v. 2, n. 43, p , mar./abr FERREIRA, Aurélio B. H. Dicionário Aurélio. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, FERRY, Luc. O que é uma vida bem-sucedida? Portugal: Difel, LACOMBE, Beatriz Maria Braga. O aluno de administração de empresas, o trabalho e a construção da carreira profissional: contribuições de um estudo na grande São Paulo. In: ENAMPAD, 26., 2002, Salvador. Anais... Salvador: ANPAD, LAS CASAS, Alexandre Luzzi; GARCIA, Maria Tereza. Estratégias de marketing para varejo. São Paulo: Novatec, LEONE, Eugenia Troncoso; BALTAR, Paulo. A mulher na recuperação recente do mercado de trabalho brasileiro. Revista Brasileira de Estudos de População, São Paulo, v. 25, n. 2, p , jul./dez MORGAN, Gareth. Imagens da organização: edição executiva. 2. ed. São Paulo: Atlas, PAHL, Ray. Depois do sucesso. São Paulo: Fundação Editora da UNESP, PARENTE, Juracy. Varejo no Brasil: gestão e estratégia. São Paulo: Atlas, REGO, Arménio; LEITE, Emanuel. Motivos de sucesso, afiliação e poder: um estudo de validação do constructo no Brasil. Estudos de Psicologia, v. 8, p , jan./abr ROMERO, Sonia Mara. A utilização da metodologia dos grupos focais na pesquisa em psicologia. 2. ed. rev. ampl. Porto Alegre: Sulina, SILVA, Juliana Vieira Almeida. As relações de trabalho, família e sucesso: um estudo com gerentes f. Dissertação (Mestrado em Administração) Universidade do Vale do Itajaí, Biguaçu, TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à Pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, Sobre o Autor Lucia Simone Grivot Administradora (CRA ). Psicóloga em formação. Coach certificada pelo Instituto Brasileiro de Coaching, European Coaching Association e Global Coaching Community. Analista Comportamental no Instrumento Coaching Assessment. Atua por mais de 20 anos na área organizacional em cargos de Gestão e como Consultora. Sócia da Consultoria Détien Planejamento e Gestão. ABRAMO, Lais Wendel. A inserção da mulher no mercado de trabalho: uma força de trabalho secundária? f. Tese (Doutorado em Sociologia) Faculdade de Sociologia, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. 5. ed. rev e atual. Lisboa: Edições 70, BARLETTA, Martha. Como as mulheres consomem: marketing para impactar e seduzir o maior segmento do mercado. 2. ed. Rio de Janeiro: Campus, BELLE, Françoise. Executivas: quais as diferenças na diferença? In: CHANLAT, Jean-François (Org.). O indivíduo na organização. São Paulo: Atlas, v. 2, p

Pesquisa. Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e. O setor privado de ensino sob um perspectiva de gênero.

Pesquisa. Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e. O setor privado de ensino sob um perspectiva de gênero. Pesquisa O setor privado de ensino sob um perspectiva de gênero. Introdução Há 40 anos atrás nos encontrávamos discutindo mecanismos e políticas capazes de ampliar a inserção da mulher no mercado de trabalho.

Leia mais

UNESP - Botucatu. Gestão da Carreira e do Desenvolvimento Profissional. Prof. Joel Dutra

UNESP - Botucatu. Gestão da Carreira e do Desenvolvimento Profissional. Prof. Joel Dutra UNESP - Botucatu Gestão da Carreira e do Desenvolvimento Profissional Prof. Joel Dutra Prof. Joel Dutra Professor-Livre Docente da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo FEA-USP,

Leia mais

Varejo: será que o foco está mesmo no cliente?

Varejo: será que o foco está mesmo no cliente? Revista da ESPM -101 Varejo: será que o foco está mesmo no cliente? FÁTIMA MOTTA Graduada em Administração de Empresas (FMU) e Comunicação (ECA/USP) Pós -Graduada em Administração de Empresas (PUC/SP)

Leia mais

5. CONCLUSÃO. 5.1 Resumo dos Resultados

5. CONCLUSÃO. 5.1 Resumo dos Resultados 5. CONCLUSÃO 5.1 Resumo dos Resultados O presente trabalho se propôs a entender os significados atribuídos pelo público feminino de baixa renda no consumo dos produtos do mercado HPPC, especificamente

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

LIVRO O GERENTE INTERMEDIÁRIO Autor: Wellington Moreira

LIVRO O GERENTE INTERMEDIÁRIO Autor: Wellington Moreira LIVRO O GERENTE INTERMEDIÁRIO Autor: Wellington Moreira Manual de Sobrevivência dos Gestores, Supervisores, Coordenadores e Encarregados que atuam nas Organizações Brasileiras Capítulo 2 O Gestor Intermediário

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

Os Desafios na Gestão da Carreira e do Desenvolvimento Profissional. Prof. Joel Dutra

Os Desafios na Gestão da Carreira e do Desenvolvimento Profissional. Prof. Joel Dutra Os Desafios na Gestão da Carreira e do Desenvolvimento Profissional Prof. Joel Dutra Agenda Análise de contexto Conceitos básicos Papel da Pessoa na Gestão da Carreira Análise de Contexto Mudança de Referências

Leia mais

Evento técnico mensal

Evento técnico mensal Evento técnico mensal GERENCIAMENTO DE CARREIRA PARA O SUCESSO DO GESTOR DE PROJETOS Fernanda Schröder Gonçalves Organização Apoio 1 de xx APRESENTAÇÃO Fernanda Schröder Gonçalves Coordenadora do Ibmec

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

Gerência de projetos: arte ou disciplina? By André Barcaui, MsC, PMP is a consultant and management coach, Brazil. bbbrothers@bbbrothers.com.

Gerência de projetos: arte ou disciplina? By André Barcaui, MsC, PMP is a consultant and management coach, Brazil. bbbrothers@bbbrothers.com. Gerência de projetos: arte ou disciplina? By André Barcaui, MsC, PMP is a consultant and management coach, Brazil bbbrothers@bbbrothers.com.br O equilíbrio necessário para se tornar um excelente gerente

Leia mais

Como se tornar um líder de Sucesso!

Como se tornar um líder de Sucesso! Como se tornar um líder de Sucesso! Os 10 mandamentos do Como se tornar um líder de Sucesso! O líder é responsável pelo sucesso ou fracasso de uma organização. A liderança exige de qualquer pessoa, paciência,

Leia mais

Discutir liderança feminina em pleno século

Discutir liderança feminina em pleno século Liderança feminina Discutir liderança feminina em pleno século XXI parece ultrapassado, mas apenas agora as mulheres começam a ser reconhecidas como líderes eficazes. Somente neste século o reconhecimento

Leia mais

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa 1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa A motivação, satisfação e insatisfação no trabalho têm sido alvo de estudos e pesquisas de teóricos das mais variadas correntes ao longo do século XX. Saber o que

Leia mais

O PROCESSO DE COACHING EXECUTIVO E EMPRESARIAL: PERCEPÇÕES DE GESTORES DE RECURSOS HUMANOS PSICÓLOGOS E DE OUTRAS FORMAÇÕES

O PROCESSO DE COACHING EXECUTIVO E EMPRESARIAL: PERCEPÇÕES DE GESTORES DE RECURSOS HUMANOS PSICÓLOGOS E DE OUTRAS FORMAÇÕES 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 O PROCESSO DE COACHING EXECUTIVO E EMPRESARIAL: PERCEPÇÕES DE GESTORES DE RECURSOS HUMANOS PSICÓLOGOS E DE OUTRAS FORMAÇÕES Dione Nunes Franciscato 1 ;

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

na região metropolitana do Rio de Janeiro

na região metropolitana do Rio de Janeiro O PERFIL DOS JOVENS EMPREENDEDORES na região metropolitana do Rio de Janeiro NOTA CONJUNTURAL MARÇO DE 2013 Nº21 PANORAMA GERAL Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/IBGE) de 2011,

Leia mais

Ana Paula Vitelli, Ph.D. Reunião do Comitê de RH, Britcham 08 de Outubro, 2013 São Paulo SP

Ana Paula Vitelli, Ph.D. Reunião do Comitê de RH, Britcham 08 de Outubro, 2013 São Paulo SP Ana Paula Vitelli, Ph.D. Reunião do Comitê de RH, Britcham 08 de Outubro, 2013 São Paulo SP Introdução Do que estamos falando? Um grupo específico de mulheres Uma visão Pesquisa de Doutorado na FGV EAESP

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Missão, Visão e Objetivo Organizacional (Cultura Organizacional)

Estratégias em Tecnologia da Informação. Missão, Visão e Objetivo Organizacional (Cultura Organizacional) Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 2 Missão, Visão e Objetivo Organizacional (Cultura Organizacional) Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina

Leia mais

SEMIPRESENCIAL 2013.1

SEMIPRESENCIAL 2013.1 SEMIPRESENCIAL 2013.1 MATERIAL COMPLEMENTAR II DISCIPLINA: GESTÃO DE CARREIRA PROFESSORA: MONICA ROCHA LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO Liderança e Motivação são fundamentais para qualquer empresa que deseja vencer

Leia mais

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. A maioria absoluta das avaliações obtêm excelentes resultados,

Leia mais

CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS

CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS por David Miller The European Business Review, março/abril 2012 As mudanças estão se tornando mais frequentes, radicais e complexas. Os índices de falha em projetos

Leia mais

Teorias Contemporâneas

Teorias Contemporâneas Teorias Contemporâneas 1-Teoria ERG 2-Teoria das Necessidades, de McClelland 3-Teoria da Avaliação Cognitiva 4-Teoria da Fixação dos Objetivos 5-Teoria do Reforço 6-Teoria da Equidade 7-Teoria da Expectativa

Leia mais

O valor da educação Um aprendizado para a vida. Relatório do Brasil

O valor da educação Um aprendizado para a vida. Relatório do Brasil O valor da educação Um aprendizado para a vida Relatório do Brasil A pesquisa O valor da educação é uma pesquisa do consumidor independente sobre tendências globais de educação realizada para o HSBC. O

Leia mais

Comunicação e Reputação. 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados

Comunicação e Reputação. 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados Comunicação e Reputação 10 dicas para manter o alinhamento e assegurar resultados 1 Introdução Ao contrário do que alguns podem pensar, reputação não é apenas um atributo ou juízo moral aplicado às empresas.

Leia mais

Aumento da participação de mulheres no mercado de trabalho: mudança ou reprodução da desigualdade?

Aumento da participação de mulheres no mercado de trabalho: mudança ou reprodução da desigualdade? Aumento da participação de mulheres no mercado de trabalho: mudança ou reprodução da desigualdade? Natália de Oliveira Fontoura * Roberto Gonzalez ** A taxa de participação mede a relação entre a população

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Os gargalos para o ingresso e a permanência das mulheres no mercado de TI, no Brasil Bárbara Castro

Os gargalos para o ingresso e a permanência das mulheres no mercado de TI, no Brasil Bárbara Castro Os gargalos para o ingresso e a permanência das mulheres no mercado de TI, no Brasil Bárbara Castro Dra. em Ciências Sociais (UNICAMP) Bom dia, Primeiramente gostaria de cumprimentar a todos e a todas

Leia mais

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO 1 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO Por Regina Stela Almeida Dias Mendes NOVEMBRO 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA 2 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO

Leia mais

O QUE MAIS TE DRESCREVE

O QUE MAIS TE DRESCREVE O QUE MAIS TE DRESCREVE 1 A B C D 2 A B C D 3 A B C D 4 A B C D 5 A B C D 6 A B C D 7 A B C D 8 A B C D 9 A B C D 10 A B C D 11 A B C D 12 A B C D 13 A B C D 14 A B C D 15 A B C D 16 A B C D 17 A B C D

Leia mais

A maior pesquisa sobre consumo de calçados femininos já realizada no Brasil

A maior pesquisa sobre consumo de calçados femininos já realizada no Brasil A maior pesquisa sobre consumo de calçados femininos já realizada no Brasil Categoria: Consumo - Moda Segmento: Sapatos femininos Mercado: Brasil Edição 02 www.azimute720.com.br 2011 Quem Somos Uma agência

Leia mais

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. Outra característica marcante: Cada palestra é um projeto

Leia mais

o planejamento, como instrumento de ação permanente; a organização do trabalho, como produto efetivo do planejamento;

o planejamento, como instrumento de ação permanente; a organização do trabalho, como produto efetivo do planejamento; FRANCISCO BITTENCOURT Consultor Sênior do MVC VISÃO, AÇÃO, RESULTADOS Visão sem ação é um sonho, sonho sem visão é um passatempo. Fred Polak INTRODUÇÃO No conhecido diálogo entre Alice e o gato Ceeshire,

Leia mais

- Como utilizar essas medidas para analisar, melhorar e controlar o desempenho da cadeia de suprimentos?

- Como utilizar essas medidas para analisar, melhorar e controlar o desempenho da cadeia de suprimentos? Fascículo 5 A medição do desempenho na cadeia de suprimentos Com o surgimento das cadeias de suprimento (Supply Chain), a competição no mercado tende a ocorrer cada vez mais entre cadeias produtivas e

Leia mais

Liderança, gestão de pessoas e do ambiente de trabalho

Liderança, gestão de pessoas e do ambiente de trabalho Glaucia Falcone Fonseca O que é um excelente lugar para se trabalhar? A fim de compreender o fenômeno dos excelentes locais de trabalho, devemos primeiro considerar o que as pessoas falam sobre a experiência

Leia mais

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO #11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ÍNDICE 1. 2. 3. 4. 5. 6. Apresentação Níveis de planejamento Conceito geral Planejamento estratégico e o MEG Dicas para elaborar um planejamento estratégico eficaz Sobre a

Leia mais

Nisto poderemos perguntar, por que pensar em liderança: Vejamos alguns pontos de vital importância:

Nisto poderemos perguntar, por que pensar em liderança: Vejamos alguns pontos de vital importância: LIDERANÇA EMPRESARIAL EVIDÊNCIAS DO COACHING COMO ESTRATÉGIA DE SUCESSO Prof. Dr. Edson Marques Oliveira, Doutor em Serviço Social pela Unesp-Franca-SP, mestre em Serviço Social pela PUC-SP e bacharel

Leia mais

Ilca Maria Moya de Oliveira

Ilca Maria Moya de Oliveira Ilca Maria Moya de Oliveira Cargos e suas estruturas são hoje um tema complexo, com várias leituras e diferentes entendimentos. Drucker (1999, p.21) aponta que, na nova sociedade do conhecimento, a estrutura

Leia mais

MBA EM GESTÃO COMERCIAL E INTELIGÊNCIA DE MERCADO

MBA EM GESTÃO COMERCIAL E INTELIGÊNCIA DE MERCADO MBA EM GESTÃO COMERCIAL E INTELIGÊNCIA DE MERCADO O programa irá desenvolver no aluno competências sobre planejamento e força de Vendas, bem como habilidades para liderar, trabalhar em equipe, negociar

Leia mais

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros Quem somos Nossos Serviços Processo de Negociação Clientes e Parceiros O NOSSO NEGÓCIO É AJUDAR EMPRESAS A RESOLVEREM PROBLEMAS DE GESTÃO Consultoria empresarial a menor custo Aumento da qualidade e da

Leia mais

REVALORIZAR AS COMPETÊNCIAS CONVERSACIONAIS

REVALORIZAR AS COMPETÊNCIAS CONVERSACIONAIS Rafael Echeverría REVALORIZAR AS COMPETÊNCIAS CONVERSACIONAIS São chaves para as pessoas e as organizações, porque são as únicas que apoiam as grandes transformações pelas quais a sociedade e o mundo estão

Leia mais

Aula 07 Planejamento Estratégico de RH

Aula 07 Planejamento Estratégico de RH Aula 07 Planejamento Estratégico de RH Objetivos da aula: Nesta aula o objetivo será Apresentar uma visão diferenciada sobre como as ações integradas de planejamento estratégico de Recursos Humanos (RH)

Leia mais

A Computação e as Classificações da Ciência

A Computação e as Classificações da Ciência A Computação e as Classificações da Ciência Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Classificações da Ciência A Computação

Leia mais

Avaliação como instrumento de gestão de pessoas

Avaliação como instrumento de gestão de pessoas Glaucia Falcone Fonseca No contexto cada vez mais competitivo das organizações, a busca por resultados e qualidade é cada vez maior e a avaliação de pessoas assume o importante papel de instrumento de

Leia mais

EXERCÍCIOS DE COACHING Método SMART. www.evoraferraz.com.br

EXERCÍCIOS DE COACHING Método SMART. www.evoraferraz.com.br EXERCÍCIOS DE COACHING Método SMART www.evoraferraz.com.br Quem somos Leader Coach Trainer, Especialista em Self & Professional Coaching e Analista de Perfil Comportamental Assessment pelo Instituto Brasileiro

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

Módulo IV. Delegação e Liderança

Módulo IV. Delegação e Liderança Módulo IV Delegação e Liderança "As pessoas perguntam qual é a diferença entre um líder e um chefe. O líder trabalha a descoberto, o chefe trabalha encapotado. O líder lidera, o chefe guia. Franklin Roosevelt

Leia mais

O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais

O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais SDL Campaign Management & Analytics Introdução Prezado profissional de marketing, A ideia de

Leia mais

TÍTULO: LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES DA EMPRESA COR BELLA- AURIFLAMA

TÍTULO: LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES DA EMPRESA COR BELLA- AURIFLAMA TÍTULO: LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES DA EMPRESA COR BELLA- AURIFLAMA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014

NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 NÚCLEO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL 2014 WORKSHOPS CH DATA HORÁRIO INVESTIMENTO CONTEÚDO 1. Evolução e conceito de geomarketing. 2. Técnicas de geoprocessamento. Geomarketing : Tomada de Decisão no Varejo

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

PREÇO PSICOLÓGICO COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING

PREÇO PSICOLÓGICO COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING PREÇO PSICOLÓGICO COMO ESTRATÉGIA DE MARKETING César Augusto de Albuquerque ARAÚJO (1) (1) Instituto Federal do Maranhão (IFMA/Campus-Buriticupu), Rua Dep.Gastão Vieira, 1000-Vila Mansueto; Buriticupu-MA;

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Gestão de Conflitos Organizacionais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Gestão de Conflitos Organizacionais UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Gestão de Conflitos Organizacionais Jefferson Menezes de Oliveira Santa Maria, dezembro de 2006 INTRODUÇÃO

Leia mais

CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970

CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970 Departamento de Comunicação Social CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970 Aluno: Juliana Cintra Orientador: Everardo Rocha Introdução A publicidade

Leia mais

PERFIL E HABILIDADES DOS EGRESSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS DE CURVELO

PERFIL E HABILIDADES DOS EGRESSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS DE CURVELO PERFIL E HABILIDADES DOS EGRESSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS DE CURVELO 2 PERFIL E HABILIDADES DOS EGRESSOS DA FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS DE CURVELO 1 1- INTRODUÇÃO Alessandro

Leia mais

Business & Executive Coaching - BEC

Business & Executive Coaching - BEC IAC International Association of Coaching Empresas são Resultados de Pessoas José Roberto Marques - JRM O Atual Cenário no Mundo dos Negócios O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo, nesse

Leia mais

NO NEGÓCIO SAC TEXTO DE JULIANA KLEIN

NO NEGÓCIO SAC TEXTO DE JULIANA KLEIN NO NEGÓCIO SAC TEXTO DE JULIANA KLEIN 50 A ALMA DO NEGÓCIO Serviço de SAC eficiente é o que todos os clientes esperam e é no que todas as empresas deveriam investir. Especialistas afirmam: essa deve ser

Leia mais

EXERCÍCIOS DE COACHING. www.evoraferraz.com.br

EXERCÍCIOS DE COACHING. www.evoraferraz.com.br EXERCÍCIOS DE COACHING www.evoraferraz.com.br Quem somos Leader Coach Trainer, Especialista em Self & Professional Coaching e Analista de Perfil Comportamental Assessment pelo Instituto Brasileiro de Coaching

Leia mais

NOVOS TEMPOS, NOVOS PARADIGMAS E AS COMPETÊNCIAS NECESSÁRIAS

NOVOS TEMPOS, NOVOS PARADIGMAS E AS COMPETÊNCIAS NECESSÁRIAS NOVOS TEMPOS, NOVOS PARADIGMAS E AS COMPETÊNCIAS NECESSÁRIAS Jorge Knupp 1, Adriana Leonidas de Oliveira 2 1 Universidade de Taubaté/Professor do Mestrado em Gestão e Desenvolvimento Regional - Programa

Leia mais

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca Orientação ao mercado de trabalho para Jovens 1ª parte APRESENTAÇÃO Muitos dos jovens que estão perto de terminar o segundo grau estão lidando neste momento com duas questões muito importantes: a formação

Leia mais

Orientadora: Profa. Dra. Sonia Aparecida Cabestré (USC)

Orientadora: Profa. Dra. Sonia Aparecida Cabestré (USC) Título (Limite de 250 caracteres incluindo os espaços) Título: Relações Públicas e Ferramentas de Comunicação um estudo abordando à realidade de Ibitinga A capital nacional do bordado 1 Autores (Incluir

Leia mais

claro que o emprego existe enquanto houver trabalho para cada empregado.

claro que o emprego existe enquanto houver trabalho para cada empregado. Automotivação Antes de abordarmos a importância da motivação dentro do universo corporativo, vale a pena iniciarmos esta série de artigos com uma definição sobre esta palavra tão em voga nos dias atuais.

Leia mais

PRO PERFORMANCE EMPRESAS

PRO PERFORMANCE EMPRESAS Uma proposta cultural única aprimore o seu potencial Crie um versão melhor de is mesmo Conheça, pratique, supere-se, aprimore-se PRO PERFORMANCE EMPRESAS Programa de Excelência e Alta Performance para

Leia mais

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES

APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES APOSTILA DE FILOSOFIA E ÉTICA NAS ORGANIZAÇÕES 2º. Bimestre Capítulos: I Ética: noções e conceitos básicos II Processo de Decisão Ética III - Responsabilidade Social Apostila elaborada pela Profa. Ana

Leia mais

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Fabiano Akiyoshi Nagamatsu Everton Lansoni Astolfi Eduardo Eufrasio De

Leia mais

Motivação. O que é motivação?

Motivação. O que é motivação? Motivação A motivação representa um fator de sobrevivência para as organizações, pois hoje é um dos meios mais eficazes para atingir objetivos e metas. Além de as pessoas possuírem conhecimento, habilidades

Leia mais

I - A inserção dos trabalhadores negros nos mercados de trabalho metropolitanos entre 1998 e 2004

I - A inserção dos trabalhadores negros nos mercados de trabalho metropolitanos entre 1998 e 2004 DESIGUALDADE RACIAL EM MERCADOS DE TRABALHO METROPOLITANOS (ROTEIRO DE DIVULGAÇÃO) Embora a segregação racial esteja presente em várias manifestações e estruturas da sociedade brasileira, o mercado de

Leia mais

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Prof Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br Prof Dr. Antonio Carlos de Francisco (UTFPR) acfrancisco@pg.cefetpr.br

Leia mais

Business & Executive Coaching - BEC

Business & Executive Coaching - BEC IAC International Association of Coaching Empresas são Resultados de Pessoas José Roberto Marques - JRM O Novo Cenário no Mundo dos Negócios O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo e as empresas

Leia mais

GESTÃO DAS POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS NOS GOVERNOS ESTADUAIS BRASILEIROS

GESTÃO DAS POLÍTICAS DE RECURSOS HUMANOS NOS GOVERNOS ESTADUAIS BRASILEIROS Inter-American Development Bank Banco Interamericano de Desarrollo Banco Interamericano de desenvolvimento Banque interámericaine de développment BR-P1051 Departamento de Países do Cone Sul (CSC) Rascunho

Leia mais

EFEITOS DA POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA SOBRE A TAXA DE DESEMPREGO

EFEITOS DA POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA SOBRE A TAXA DE DESEMPREGO NOTA TÉCNICA EFEITOS DA POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA SOBRE A TAXA DE DESEMPREGO Maria Andréia Parente Lameiras* 1 INTRODUÇÃO Ao longo da última década, o mercado de trabalho no Brasil vem apresentando

Leia mais

MUDANÇA CULTURAL NAS ORGANIZAÇÕES

MUDANÇA CULTURAL NAS ORGANIZAÇÕES 1 MUDANÇA CULTURAL NAS ORGANIZAÇÕES Wainy Indaiá Exaltação Jesuíno 1 Marco Antônio 2 Resumo O objetivo deste trabalho é demonstrar a importância da análise do clima organizacional para mudança da cultura

Leia mais

A medição do desempenho na cadeia de suprimentos JIT e compras

A medição do desempenho na cadeia de suprimentos JIT e compras A medição do desempenho na cadeia de suprimentos JIT e compras Medição do desempenho na cadeia de suprimentos Medição do desempenho Sob a perspectiva da gestão da produção, o desempenho pode ser definido

Leia mais

O MARKETING COLETIVO COMO FORÇA COMPETITIVA

O MARKETING COLETIVO COMO FORÇA COMPETITIVA VAREJO Julho - 2012 O MARKETING COLETIVO COMO FORÇA COMPETITIVA Fonte imagem: Disponível em:< http://4.bp.blogspot.com/_caqa6tpillu/tjevn_ah_ei/ AAAAAAAAAAM/3dTp5VPhJ9E/s1600/69589_Papel-de-Parede-Todos-juntos_1280x800.

Leia mais

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções.

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções. Uma publicação: Estratégias para aumentar a rentabilidade 04 Indicadores importantes 06 Controle a produção 08 Reduza filas 09 Trabalhe com promoções 10 Conclusões 11 Introdução Dinheiro em caixa. Em qualquer

Leia mais

Estimativas Profissionais Plano de Carreira Empregabilidade Gestão de Pessoas

Estimativas Profissionais Plano de Carreira Empregabilidade Gestão de Pessoas By Marcos Garcia Como as redes sociais podem colaborar no planejamento e desenvolvimento de carreira (individual e corporativo) e na empregabilidade dos profissionais, analisando o conceito de Carreira

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

Gestão de Negócios. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Gestão de Negócios. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Gestão de Negócios Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

Somente com estratégia, varejo consegue reter clientes

Somente com estratégia, varejo consegue reter clientes Somente com estratégia, varejo consegue reter clientes Márcia Sola O mercado varejista no Brasil tem experimentado uma série de mudanças nos últimos anos. A estabilização da economia, o desenvolvimento

Leia mais

Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento.

Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento. Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento. Por PAULA FRANCO Diante de um cenário empresarial extremamente acirrado, possuir a competência atitude

Leia mais

O Valor Ideológico na Propaganda de Cerveja 1

O Valor Ideológico na Propaganda de Cerveja 1 O Valor Ideológico na Propaganda de Cerveja 1 Nathália Sene GARIERI/ Licenciada em História Aline Rafaela Portílio LEMES Aline Aparecida SILVA Samuel Douglas Farias COSTA RESUMO A propaganda ocupa um largo

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

INDICADORES ETHOS. De Responsabilidade Social Empresarial Apresentação da Versão 2000

INDICADORES ETHOS. De Responsabilidade Social Empresarial Apresentação da Versão 2000 INDICADORES ETHOS De Responsabilidade Social Empresarial Apresentação da Versão 2000 Instrumento de avaliação e planejamento para empresas que buscam excelência e sustentabilidade em seus negócios Abril/2000

Leia mais

Aos 45 anos, Carlos Ferreirinha é fundador e presidente da

Aos 45 anos, Carlos Ferreirinha é fundador e presidente da Business Batemos um papo com o primeiro gestor de luxo do Brasil e ele abriu o jogo sobre o avanço do mercado em solo nacional, seus projetos e se ainda está em forma para exercer tudo isso. texto LUCAS

Leia mais

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Avaliação de: Sr. José Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: 11/06/2014 Perfil Caliper Gerencial e Vendas

Leia mais

PED - PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA CIDADE DE SANTOS

PED - PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA CIDADE DE SANTOS PED - PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA CIDADE DE SANTOS MARÇO-2007 OBJETIVO Os principais objetivos desta pesquisa são: Conhecer e divulgar a situação do emprego e desemprego na cidade de Santos, de

Leia mais

ANALISANDO UM ESTUDO DE CASO

ANALISANDO UM ESTUDO DE CASO ANALISANDO UM ESTUDO DE CASO (Extraído e traduzido do livro de HILL, Charles; JONES, Gareth. Strategic Management: an integrated approach, Apêndice A3. Boston: Houghton Mifflin Company, 1998.) O propósito

Leia mais

Você é comprometido?

Você é comprometido? Você é comprometido? Não, isso não é uma cantada. O que o seu chefe quer saber é se você veste a camisa da organização. Você adora seu trabalho e desempenha suas funções com eficiência, mas não aposta

Leia mais

16/2/2011. Introdução à pesquisa de marketing. Relembrando. Planejando ações de marketing

16/2/2011. Introdução à pesquisa de marketing. Relembrando. Planejando ações de marketing Introdução à pesquisa de Disciplina: Pesquisa de Prof. Ms. Marco A. Arbex Relembrando Marketing é um processo social e de gestão, através do qual os indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e querem

Leia mais

OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES

OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES BOLETIM TÉCNICO MAIO/2011 OS TRÊS PILARES DO LUCRO EMPRESAS GRANDES Um empresário da indústria se assustou com os aumentos de custo e de impostos e reajustou proporcionalmente seus preços. No mês seguinte,

Leia mais

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO MÓDULO 3 - A organização O conceito fundamental para a administração é o de ORGANIZAÇÃO, uma vez que toda a aplicação administrativa vai ocorrer numa organização e

Leia mais

ATENDIMENTO A CLIENTES

ATENDIMENTO A CLIENTES Introdução ATENDIMENTO A CLIENTES Nos dias de hoje o mercado é bastante competitivo, e as empresas precisam ser muito criativas para ter a preferência dos clientes. Um dos aspectos mais importantes, principalmente

Leia mais

Pesquisa Semesp. A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho

Pesquisa Semesp. A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho Pesquisa Semesp A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho 2008 Ensino superior é um forte alavancador da carreira profissional A terceira Pesquisa Semesp sobre a formação acadêmica dos profissionais

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

O EMPREENDEDOR INTERNO

O EMPREENDEDOR INTERNO Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS Centro de Ciências da Comunicação.: Habilitação Relações Públicas Seminário Avançado em Relações Públicas Poliana dos Santos Fraga O EMPREENDEDOR INTERNO

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2013

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2013 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2013 CONVÊNIO UCDB-ACICG 20/09/2013 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2013 CONVÊNIO UCDB-ACICG Professores

Leia mais

0 21 anos: Fase do amadurecimento biológico 21 42 anos: Fase do amadurecimento psicológico mais de 42 anos: Fase do amadurecimento espiritual

0 21 anos: Fase do amadurecimento biológico 21 42 anos: Fase do amadurecimento psicológico mais de 42 anos: Fase do amadurecimento espiritual Por: Rosana Rodrigues Quando comecei a escrever esse artigo, inevitavelmente fiz uma viagem ao meu passado. Lembrei-me do meu processo de escolha de carreira e me dei conta de que minha trajetória foi

Leia mais

Novas Atitudes, Melhores Resultados em Liderança

Novas Atitudes, Melhores Resultados em Liderança PREPARADO PARA SER UM MASTER MIND? INSCRIÇÕES PARA 2014 LINCE: Liderança, Inteligência Interpessoal e Comunicação Eficaz Master Mind é uma expressão mundialmente utilizada para designar aquelas pessoas

Leia mais

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427 7.1 Introdução O processo de monitoramento e avaliação constitui um instrumento para assegurar a interação entre o planejamento e a execução, possibilitando a correção de desvios e a retroalimentação permanente

Leia mais