LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO."

Transcrição

1 08 TARDE MARÇO / 2010 CONHECMENTOS OS ESPECÍFCOS LEA ATENTAMENTE AS NSTRUÇÕES ABAXO Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este caderno, com os enunciados das 70 questões objetivas, sem repetição ou falha, com a seguinte distribuição: CONHECMENTOS ESPECÍFCOS Questões 1 a a 20 Pontos 0,5 1,0 Questões 21 a a 40 Pontos 1,5 2,0 Questões 41 a a 60 Pontos 2,5 3,0 Questões 61 a 70 - Pontos 3,5 - b) 1 CARTÃO-RESPOSTA destinado às respostas às questões objetivas formuladas nas provas Verifique se este material está em ordem e se o seu nome e número de inscrição conferem com os que aparecem no CARTÃO- RESPOSTA. Caso contrário, notifique MEDATAMENTE o fiscal Após a conferência, o candidato deverá assinar no espaço próprio do CARTÃO-RESPOSTA, a caneta esferográfica transparente de tinta na cor preta No CARTÃO-RESPOSTA, a marcação das letras correspondentes às respostas certas deve ser feita cobrindo a letra e preenchendo todo o espaço compreendido pelos círculos, a caneta esferográfica transparente de tinta na cor preta, de forma contínua e densa. A LETORA ÓTCA é sensível a marcas escuras; portanto, preencha os campos de marcação completamente, sem deixar claros. Exemplo: A C D E 05 - Tenha muito cuidado com o CARTÃO-RESPOSTA, para não o DOBRAR, AMASSAR ou MANCHAR. O CARTÃO-RESPOSTA SOMENTE poderá ser substituído caso esteja danificado em suas margens superior ou inferior - BARRA DE RECONHECMENTO PARA LETURA ÓTCA Para cada uma das questões objetivas, são apresentadas 5 alternativas classificadas com as letras (A), (B), (C), (D) e (E); só uma responde adequadamente ao quesito proposto. Você só deve assinalar UMA RESPOSTA: a marcação em mais de uma alternativa anula a questão, MESMO QUE UMA DAS RESPOSTAS ESTEJA CORRETA As questões objetivas são identificadas pelo número que se situa acima de seu enunciado SERÁ ELMNADO do Processo Seletivo Público o candidato que: a) se utilizar, durante a realização das provas, de máquinas e/ou relógios de calcular, bem como de rádios gravadores, headphones, telefones celulares ou fontes de consulta de qualquer espécie; b) se ausentar da sala em que se realizam as provas levando consigo o Caderno de Questões e/ou o CARTÃO-RESPOSTA; c) se recusar a entregar o Caderno de Questões e/ou o CARTÃO-RESPOSTA quando terminar o tempo estabelecido Reserve os 30 (trinta) minutos finais para marcar seu CARTÃO-RESPOSTA. Os rascunhos e as marcações assinaladas no Caderno de Questões NÃO SERÃO LEVADOS EM CONTA Quando terminar, entregue ao fiscal O CADERNO DE QUESTÕES E O CARTÃO-RESPOSTA e ASSNE A LSTA DE PRESENÇA. Obs. O candidato só poderá se ausentar do recinto das provas após 1 (uma) hora contada a partir do efetivo início das mesmas. Por motivos de segurança, o candidato NÃO PODERÁ LEVAR O CADERNO DE QUESTÕES, a qualquer momento O TEMPO DSPONÍVEL PARA ESTAS PROVAS DE QUESTÕES OBJETVAS É DE 4 (QUATRO) HORAS, findo o qual o candidato deverá, obrigatoriamente, entregar o CARTÃO-RESPOSTA As questões e os gabaritos das Provas Objetivas serão divulgados no primeiro dia útil após a realização das mesmas, no endereço eletrônico da FUNDAÇÃO CESGRANRO (http://www.cesgranrio.org.br).

2 2

3 CONHECMENTOS ESPECÍFCOS 1 O Actinobacillus Actinomycetemcomitans (A.a.) é considerado um micro-organismo chave na Periodontite Agressiva, anteriormente denominada Periodontite de Estabelecimento Precoce. Considere os seguintes fatores relacionados à virulência dos micro-organismos: V - produzir leucotoxina que destrói leucócitos polimorfonucleares a macrófagos; - produzir bacteriocina que causa a degradação do colágeno; - produzir endotoxina que ativa células do hospedeiro para secretarem mediadores inflamatórios; - produzir fatores imunossupressores que inibem a produção de gg e gm. São fatores determinantes da virulência A.a. (A) e V, apenas. (C), e V, apenas. (E),, e V. (B), e, apenas. (D), e V, apenas. 2 Características clínicas e radiográficas da paciente C.M.M de 32 anos Profundidade de sondagem Dente M V D L Sangramento à sondagem Presença de placa ou cálculo Envolvimento de furca Mobilidade Extrusão Horizontal Perda óssea Vertical X X 2 X X X 2 X X - X X - X X X 1 X X X - X X - X X X 3 3 X X X 2 X X X 2 X X - X X X 1 X X X 2 X X X 2 X X X 1 X X X - X X X 3 X X - X - Considerando as características clínicas e radiográficas da Paciente C.M.M., 32 anos, descritas no quadro acima, o diagnóstico é (A) Periodontite Agressiva Generalizada Avançada. (B) Periodontite Agressiva Localizada Avançada nos elementos 15, 36 e 44. (C) Periodontite Crônica Generalizada Avançada. (D) Periodontite Crônica Localizada Avançada nos elementos 15, 36 e 44. (E) Periodontite Crônica Moderada Generalizada e Periodontite Agressiva localizada Avançada nos elementos 15, 36 e 44. 3

4 3 BORGHETT, A., MONNET-CORT, V. Cirurgia plástica periodontal. Porto Alegre: Artmed, 2002, p A imagem acima apresenta uma situação de recessão tecidual marginal que atinge a linha mucogengival, sem perda tecidual interdentária, associada à presença de cálculo e inflamação. Com base na classificação de Miller, considere as afirmações abaixo. Trata-se de uma recessão gengival classe e o tratamento consiste de terapia periodontal inicial, reavaliação e enxerto conjuntivo. Trata-se de uma recessão gengival classe e o tratamento consiste de terapia periodontal inicial, reavaliação e enxerto conjuntivo. Um recobrimento total é possível nas recessões gengivais classe. V Um recobrimento parcial é esperado nas recessões gengivais classe. Estão corretas APENAS as afirmações (A) e V. (B) e. (C) e V. (D), e V. (E), e V. 4 O 3 o Simpósio da Academia Americana de Periodontia (1989) introduziu o termo Terapia Periodontal de Suporte (TPS) em substituição à Terapia Periodontal de Manutenção. A primeira fase da TPS inclui exame, reavaliação e diagnóstico o qual compreende os seguintes procedimentos: (A) determinação dos sítios com sangramento à sondagem, avaliação das reconstruções existentes e exploração de lesões cariosas. (B) determinação dos sítios com sangramento à sondagem, inspeção dos sítios reinfectados com formação de pus e tratamento da halitose. (C) determinação dos sítios com sangramento à sondagem, avaliação e recontorno das reconstruções existentes e situação da higiene oral. (D) situação da higiene oral e controle de placa, teste de vitalidade dos dentes pilares e acesso endodôntico nos dentes com resposta negativa. (E) avaliação da higiene oral, controle de placa e motivação. 5 Paciente S.M.R., 56 anos, se apresenta com queixa de falta de retenção da prótese total superior. Durante a anamnese constatou-se rinite e faringite. A paciente não faz uso de medicamentos. Ao exame clínico extraoral, observou-se tumefação parotídea bilateral. Ao exame clínico intrabucal, observou-se hipossalivação, quatro lesões cariosas e candidíase. O resultado do exame histopatológico da glândula salivar maior revelou um infiltrado linfocítico benigno substituindo o parênquima da glândula. Qual é o diagnóstico? (A) Caxumba. (B) Adenoma Monomórfico. (C) Síndrome da munodeficiência Adquirida. (D) Síndrome de Sjögren. (E) Síndrome de Papillon-Lefèvre. 6 O número de pacientes que relatam o uso de medicamentos que inibem a atividade dos osteoclastos tem aumentado consideravelmente. Tais medicamentos são utilizados para retardar o envolvimento ósseo em várias condições malignas, tratar a doença de Paget e reverter a osteoporose. Qual é o principal risco nesses pacientes, caso necessitem de intervenção cirúrgica bucal? (A) Osteomielite Difusa Esclerosante. (B) Osteoradionecrose. (C) Osteomielite Crônica. (D) Osteonecrose. (E) Osteíte Esclerosante Focal. 7 Como resultado da exposição crônica à luz solar, o vermelhão do lábio adquire um aspecto liso, pálido e lustroso, frequentemente com fissuras. Essas áreas se tornam espessas e podem se assemelhar a lesões leucoplásicas, tendo o risco de desenvolver um carcinoma de células escamosas. O texto descreve características de uma patologia que se manifesta mais frequentemente em trabalhadores rurais e embarcados. Qual o nome desta patologia? (A) Queilite Angular. (B) Leucoplasia Verrucosa Proliferativa. (C) Ceratoacantoma. (D) Leucoplasia diopática. (E) Queilose Actínica. 8 A introdução das radiografias periapicais digitais apresentou algumas vantagens em relação ao exame radiográfico tradicional no processo de elaboração do diagnóstico em Odontologia. Uma das vantagens da radiografia digital é (A) possibilitar a reconstrução das estruturas em três dimensões. (B) possibilitar a visualização das estruturas ósseas em duas dimensões. (C) dispensar a utilização de filmes radiográficos. (D) permitir cortes ortorradiais com 1 mm de espessura. (E) não apresentar distorção. 4

5 9 Paciente L.G.P., 45 anos, apresentou uma tumefação em região de gengiva inserida lingual nos incisivos centrais inferiores, não detectável radiograficamente. Paciente também apresentou pequenos nódulos (indolores, amolecidos e de crescimento lento) nas mãos e nos braços, características também encontradas no seu irmão. O resultado da biópsia do nódulo gengival mostrou feixes entrelaçados de células fusiformes com núcleo ondulado. Analisando o caso apresentado, conclui-se que o paciente é portador de (A) Fibroma Ameloblástico. (B) Fibroma Odontogênico. (C) Neuroma. (D) Neurofibrossarcoma. (E) Neurofibromatose. 10 Em uma radiografia tipo bite wing de dentes permanentes posteriores, é possível visualizar (A) cáries interproximais e bolsas periodontais. (B) lesões periodontais e lesões periapicais. (C) presença de cálculo e placa interproximais. (D) crista óssea alveolar e adaptações marginais de restaurações. (E) excesso vestibular das restaurações e lesões de furca. 11 O elemento individual da imagem em tomografia computadorizada é denominado Voxel. A obtenção do volume do objeto permite a construção do modelo para a reconstrução da imagem radiográfica. O valor de Voxel, referido como unidades de Hounsfield, descreve a(o) (A) distorção da área examinada. (B) densidade da imagem no ponto avaliado. (C) resolução geométrica no ponto avaliado. (D) contraste da região examinada. (E) ruído da imagem na área avaliada. 12 Paciente R.S.B., tabagista, apresentou-se para tratamento reabilitador com uma nova prótese total superior. Durante o exame, ao remover a prótese existente, observou-se lesão branca, generalizada e com pontos avermelhados circundados por halos ceratóticos. A biópsia do palato revelou hiperplasia epitelial e hiperceratose, além de metaplasia escamosa dos ductos excretores das glândulas salivares menores. Qual o diagnóstico e qual o potencial de transformação maligna? (A) Estomatite nicotínica com raro potencial de transformação maligna. (B) Estomatite nicotínica com alto potencial de transformação maligna. (C) Leucoplasia com raro potencial de transformação maligna. (D) Leucoplasia com alto potencial de transformação maligna. (E) Fibroma traumático associado ao tabagismo com raro potencial de transformação maligna. 13 Paciente J.L.M. apresenta-se solicitando clareamento dental a laser. Durante o exame clínico, observam-se: presença de todos os dentes permanentes; sangramento e profundidade à sondagem (> 6mm) em mais de 30% dos dentes; elemento 11 apresenta escurecimento da coroa; lesão cariosa classe profunda no 16; fístula região periapical entre elementos 11 e 12; presença de aumento de volume na região do ângulo esquerdo da mandíbula. Quais exames radiográficos são necessários para complementar o exame clínico e planejar o tratamento? (A) Periapical completo, oclusal dos incisivos superiores e cefalométrica. (B) Periapical completo, interproximais para molares e premolares e panorâmico. (C) Periapical completo, oclusal total de mandíbula e panorâmico. (D) Oclusal dos dentes incisivos superiores, interproximais para molares e premolares e cefalométrica. (E) Panorâmico, interproximais para molares e premolares e periapical dos elementos 11, 12 e Paciente se apresenta queixando-se de ardência na mucosa jugal. Ao exame clínico, foram verificadas linhas brancas entrelaçadas, também denominadas estrias de Wickham. A lesão clínica sugere que se trata de um Líquen Plano Reticular. Sobre essa patologia, considere as afirmações a seguir. A histopatologia apresenta degeneração hidrópica. A ardência pode ser um sintoma de uma infecção fúngica associada. As estrias de Wickham são praticamente patognomônicas. É correto o que se afirma em (A), apenas. (C) e, apenas. (E), e. (B), apenas. (D) e, apenas. 15 Paciente se apresenta com dor no elemento 21. Este elemento recebeu, há três dias, um preparo para coroa total. Em casos de agressões físicas à polpa, a primeira linha de defesa do organismo é uma resposta inflamatória aguda que se caracteriza pela presença de mediadores químicos. São mediadores químicos encontrados na inflamação aguda: (A) histamina e eucosanoides. (B) fator de crescimento e rhbm-2. (C) interleucina 1 e plasmócitos. (D) glicosaminaglicanas e dextranas. (E) fumarato e interleucina 6. 5

6 16 Em relação à ética profissional, considere os procedimentos a seguir. Deixar de atuar com absoluta isenção quando designado para servir como perito ou auditor, assim como ultrapassar os limites de suas atribuições e de sua competência. Revelar, sem justa causa, fato sigiloso de que tenha conhecimento em razão do exercício de sua profissão. Na condição de responsável técnico, elaborar planos de tratamento para serem executados por terceiros. É(São) avaliado(s) como infração(ões) ética(s) (A), apenas. (B) e, apenas. (C) e, apenas. (D) e, apenas. (E), e. 17 Paciente se apresenta para uma consulta de emergência, relatando dor à mastigação no elemento 16, recentemente restaurado. Ao exame clínico, o dente envolvido apresenta uma restauração de amálgama classe, extrusão, mobilidade grau 1 e dor à percussão, sem profundidade à sondagem. O teste térmico mostra vitalidade pulpar. Ao exame radiográfico, constatou-se que a profundidade da restauração era rasa, sem radiolucidez periapical. Qual é o diagnóstico? (A) Pulpite reversível. (B) Pulpite irreversível. (C) Pericementite. (D) Pericoronarite. (E) Trauma oclusal secundário. 18 À consulta de reavaliação, após tratamento de gengivite associada à placa generalizada em estágio inicial, o paciente mostra padrão adequado de higiene bucal e ausência de sangramento à sondagem. No entanto, observa-se restauração do elemento 21 com recidiva de cárie e presença de fístula periapical, confirmada radiograficamente com auxílio de um cone de guta-percha. Esse paciente apresenta lesão (A) combinada endoperiodontal. (B) endodôntica primária com envolvimento periodontal secundário. (C) periodontal primária com envolvimento endodôntico secundário. (D) periodontal primária. (E) endodôntica primária. 19 A correta interpretação da reação da polpa dentária frente às variações térmicas, constitui um importante fator diagnóstico. Sobre a aplicação do teste térmico, considere as afirmativas abaixo. A polpa normal responde com dor tardia à aplicação de calor e dor aguda, rápida, localizada, que passa logo após a remoção do estímulo de frio. A polpa com pulpite reversível responde com dor tardia à aplicação de calor e dor aguda, rápida, localizada, que tende a desaparecer com a manutenção do estímulo de frio. A polpa com pulpite irreversível sintomática responde com exacerbação da dor à aplicação de calor e remissão da dor com estímulo de frio. É correto o que se afirma em (A), apenas. (C) e, apenas. (E), e. (B) e, apenas. (D) e, apenas. 20 Quais são os estímulos que podem acelerar o processo de envelhecimento pulpar? (A) Cárie, trauma e doença periodontal. (B) Cárie, preparos cavitários e tratamentos endodônticos. (C) Diabetes mellitus, contatos prematuros e preparos cavitários. (D) Reabsorção externa, Hanseníase e doença periodontal. (E) Trauma, Doença de Paget e cárie. 21 Os estudos têm revelado a eficácia dos sistemas adesivos para esmalte/dentina. Uma das características das restaurações diretas de uma cavidade classe V, utilizando resina composta, é o(a) (A) mínimo sacrifício da estrutura dentária sadia. (B) mínima alteração de cor quando colocadas sobre bases tradicionais. (C) necessidade de uma segunda consulta para acabamento e polimento. (D) necessidade de remoção de esmalte desapoiado. (E) necessidade de preparo retentivo. 22 Estudos recentes mostram que os tecidos gengivais supracrestais (espaço biológico periodontal) podem variar de 1,0 a 6,0 mm. Sabe-se que a invasão desse espaço resulta em inflamação e perda óssea periodontal. Para a colagem de um fragmento dentário de um elemento com fratura na altura da crista alveolar, deve-se realizar, previamente, (A) osteoplastia com reposicionamento coronal do retalho. (B) osteotomia com reposicionamento apical do retalho. (C) gengivectomia. (D) afastamento gengival com fio retrator. (E) raspagem em campo aberto com reposicionamento apical do retalho. 6

7 23 A foto acima apresenta o caso clínico de um paciente do sexo masculino, 46 anos, com interferência oclusal e lesão em forma de cunha na região cervical do dente 34. Este quadro clínico representa (A) lesão cariosa. (B) cavidade por uso de escova dura. (C) erosão. (D) abfração. (E) atrição. 24 O sistema adesivo constitui uma etapa operatória crucial para o sucesso da restauração. Qual é a geração de sistema adesivo que apresenta ácido, primer e adesivo em um único frasco, facilitando a aplicação clínica? (A) Primeira. (B) Terceira. (C) Quinta. (D) Sétima. (E) Nona. 25 BARATER, L.N., Odontologia restauradora fundamentos e possibilidades. São Paulo: Editora Santos, 2007, p A cárie é uma doença multifatorial. PORQUE Todas as bactérias da placa bacteriana dental causam cárie. Analisando as afirmações acima, conclui-se que (A) as duas afirmações são verdadeiras e a segunda justifica a primeira. (B) as duas afirmações são verdadeiras e a segunda não justifica a primeira. (C) a primeira afirmação é verdadeira e a segunda é falsa. (D) a primeira afirmação é falsa e a segunda é verdadeira. (E) as duas afirmações são falsas. 26 O diagnóstico e o tratamento da doença cárie sofreram modificações nas últimas décadas. O tratamento apenas restaurador deu lugar a uma odontologia de promoção da saúde, que se baseia no diagnóstico da atividade de doença de cada paciente. Considerando a atividade da doença cárie, afirma-se que os fatores (A) determinantes e modificadores influenciam no processo metabólico bacteriano. (B) socioeconômicos e comportamentais interferem nos fatores modificadores bacterianos. (C) como a composição e a frequência da dieta interferem nos fatores determinantes bacterianos. (D) determinantes podem per si ocasionar perda mineral acelerando a atividade da doença. (E) modificadores são os mesmos nas várias populações. 27 No uso da sonda exploradora como método de diagnóstico de cáries oclusais, (A) a retenção pode se dar apenas pela morfologia oclusal. (B) a integridade da superfície desmineralizada do esmalte não é danificada. (C) as lesões de cárie são detectadas em mais de 90% dos casos. (D) as lesões de cárie são detectadas em menos de 10% dos casos. (E) o método ainda permanece seguro e confiável. 28 Restaurações extensas em dentes posteriores necessitam de materiais extremamente resistentes. Vários autores indicam a utilização de ligas metálicas para esse fim. No entanto, a crescente demanda por restaurações estéticas tem gerado interesse pelos materiais cerâmicos. Em virtude das propriedades desse material, o preparo cavitário para um inlay/onlay, em cerâmica, deve ter (A) paredes expulsivas em, aproximadamente, 2 o a 4 o. (B) redução axial mínima de 3,0 mm. (C) margens subgengivais 3,0 mm de profundidade. (D) ângulos internos em ombro. (E) ângulos cavo-superficiais nítidos e sem bisel. 29 O condicionamento ácido de uma restauração cerâmica para a cimentação adesiva utiliza ácido (A) fosfórico a 10-15% por 10 a 15 segundos. (B) fosfórico a 37%, por 10 a 15 segundos. (C) fluorídrico a 20%, por 10 a 15 segundos. (D) fluorídrico a 9-12%, por 2 a 5 segundos. (E) cítrico a 1%, por 2 a 5 segundos. 7

8 30 A decisão de iniciar um tratamento restaurador deve ser em conjunto com medidas de promoção de saúde bucal. A Conferência nternacional da Flórida examinou, em detalhes, os critérios para a realização do tratamento restaurador da doença cárie. É(São) razão(ões) para o tratamento restaurador: (A) cárie de cicatrícula ou fissura com envolvimento de esmalte e dentina superficial. (B) cárie em superfície lisa, julgada ter-se disseminado muito em dentina. (C) lesão de cárie paralisada, envolvendo a cervical. (D) restaurações anteriores com pigmentação marginal. (E) sítios com erosão, abrasão, atrição ou abfração. 31 Paciente G.L.M. se apresenta com o diagnóstico de queilite angular, detectado há três meses. O paciente fez uso tópico de nistatina, apresentando melhora. No entanto, durante o último mês, houve recidiva do quadro clínico. Que condições podem estar associadas à lesão fúngica bilateral? (A) Perda da dimensão vertical e Síndrome de Plummer- Vinson. (B) Perda da dimensão vertical e exposição prolongada ao sol. (C) Aumento da dimensão vertical e Síndrome de Sjögren. (D) Aumento da dimensão vertical e hábito de lamber os lábios. (E) Hábito de lamber os lábios e exposição ao sol. 32 Paciente L.C.D. com 52 anos, obeso, apresenta abscessos periodontais múltiplos. Suspeita-se de Diabetes Mellitus tipo. Segundo os critérios diagnósticos da Associação Americana de Diabetes, endossados pela Sociedade Brasileira de Diabetes, para confirmar esse diagnóstico, o paciente deve apresentar glicemia (2 amostras colhidas em dias diferentes) pela manhã, em jejum de pelo menos 8 horas, com valor (A) < 126 mg/dl (B) 126 mg/dl (C) 200 mg/dl (D) 200 mg/dl (E) de 200 a 400 mg/dl 33 Paciente jovem, atleta, se apresenta com dor intensa na região gengival palatina em torno dos elementos 13 ao 23. Ao exame clínico, notam-se hemorragia espontânea e necrose papilar. O diagnóstico é de Gengivite Ulcerativa Necrosante (GUN). Esta condição pode estar associada a algumas doenças sistêmicas que podem influenciar no plano de tratamento. Qual das doenças abaixo pode estar associada com a GUN? (A) Sífilis. (B) Síndrome de Sjögren. (C) Síndrome da munodeficiência Adquirida. (D) Síndrome Papillon-Lefèvre. (E) Síndrome de Paget. 34 Paciente A.P.R., fumante severo, portador de prótese total superior, apresenta-se para diagnóstico de lesão endofítica, com uma área central deprimida de formato irregular, ulcerada com borda de mucosa normal em rolete e leucoeritroplásica em região de palato. O osso subjacente apresenta lesão radiolúcida com bordas irregulares. O material da biópsia mostrou células epiteliais displásicas com formação de pérolas de ceratina. Qual é o diagnóstico para essa lesão? (A) Carcinoma de células basais. (B) Carcinoma de células escamosas. (C) Ceratoacantoma. (D) Líquen plano erosivo. (E) Sarcoma ameloblástico. 35 O movimento retrusivo da mandíbula é pequeno e limitado por ligamentos. Qual é o músculo que participa na retrusão da mandíbula? (A) Masseter. (B) Temporal. (C) Pterigóideo Medial. (D) Pterigóideo Lateral Superior. (E) Pterigóideo Lateral nferior. 36 O ajuste oclusal deve ser realizado para (A) evitar, profilaticamente, sinais e sintomas de oclusão traumática ou patológica. (B) prevenir, profilaticamente, futuras tensões musculares. (C) prevenir a disfunção neuromuscular. (D) auxiliar na estabilização dos resultados obtidos pelo tratamento ortodôntico e ortopédico. (E) descartar a necessidade do uso de placa oclusal e terapia psicológica em pacientes parafuncionais. 37 São medicamentos que alteram o fluxo de secreção salivar e promovem aumento gengival, respectivamente, (A) alendronato de sódio e antibióticos. (B) ansiolíticos e anti-hipertensivos. (C) anti-inflamatórios e antibióticos. (D) fenitoína e anticoncepcionais orais. (E) bifosfonatos e antiacne. 8

9 38 Paciente de 60 anos necessita de extração do elemento 46 em virtude do insucesso do tratamento endodôntico. Paciente relata estar fazendo uso de ácido acetil salicílico (AAS) diariamente para melhorar a circulação e prevenir infarto do miocárdio. O exame de coagulograma registrou tempo de sangramento de 10 minutos (valor de referência: 1 a 3 min) e NR de 1,4 (valor de referência 0,8 a 1,2). O paciente deve (A) consultar o médico para suspender, com segurança, o uso do medicamento pelo menos 7 dias antes da cirurgia. (B) consultar o médico para que este lhe prescreva, com segurança, outro anticoagulante. (C) suspender o medicamento 24 horas antes do procedimento. (D) fazer uso de vitamina k uma semana antes do procedimento. (E) substituir o AAS por Ginkgo biloba, por ser um fitoterápico. 39 A profilaxia antibiótica, para prevenção da endocardite infecciosa associada a procedimentos cirúrgicos, é recomendada para pacientes com algumas condições cardíacas. Dentre elas, destacam-se o uso de válvulas cardíacas protéticas, endocardite infecciosa prévia e algumas doenças cardíacas congênitas. O protocolo medicamentoso que tem sido utilizado (American Heart Association - AHA, 1997) foi atualizado (AHA, 2007) e recomenda o uso de (A) 1 g de Amoxicilina 6 horas após o procedimento. (B) 2 g de Amoxicilina 6 horas antes do procedimento. (C) 2 g de Amoxicilina 1 hora antes do procedimento. (D) 3 g de Amoxicilina 1 hora antes do procedimento. (E) 1 g de Amoxicilina na noite anterior ao procedimento. 40 A extração de dentes requer anestesias. Relacione os nervos que devem ser anestesiados, na coluna da esquerda, com os respectivos dentes a serem extraídos, na coluna da direita. Alveolar superior anterior P 36 Alveolar superior posterior Q 17 Alveolar inferior R 41 S 22 Estão corretas as associações (A) Q, P e R. (B) R, P e Q. (C) R, Q e S. (D) R, S e P. (E) S, Q e P. 41 Cada vez mais o clínico se depara com próteses implantosuportadas. Assim como os dentes naturais, os implantes endósseos necessitam de Terapia Perimplantar de Suporte. No quadro abaixo, é feita uma comparação das estruturas de suporte dos dentes e dos implantes endósseos. Comparação das estruturas de suporte dos dentes e dos implantes endósseos Conexão Epitélio juncional nserção conjuntiva Distância biológica Profundidade de sondagem Dente Cemento, osso, ligamento periodontal Hemidesmossomos e lâmina basal (lâmina lúcida e zonas de lâmina densa) Treze grupos: perpendiculares às superfícies dentárias Epitélio juncional: 0,97 a 1,14mm nserção conjuntiva: 0,77 a 1,07mm Distância biológica: 2,04 a 2,91mm 3mm na saúde mplante Osseointegração, anquilose funcional do osso Hemidesmossomos e lâmina basal (lâmina lúcida, lâmina densa e zonas de substância lúcida) Dois grupos: fibras circulares e paralelas, sem inserção nos implantes Epitélio juncional: 1,88mm nserção conjuntiva: 1,05mm Distância biológica: 3,08mm 2,5 a 5,0mm Analisando os dados apresentados, conclui-se que (A) a inflamação ao redor dos implantes avança mais rápido porque tem uma barreira menos resistente que a do dente. (B) a inflamação ao redor dos dentes evolui mais rapidamente pela menor profundidade de sondagem. (C) a inflamação evolui de forma mais lenta ao redor dos implantes devido ao íntimo contato com o osso. (D) a progressão da periodontite é compatível com a da periimplantite, o que se deve à presença de hemidesmossomas nos epitélios juncionais. (E) os implantes apresentam maior resistência à inflamação porque têm maior espessura de epitélio juncional. 42 Paciente V.F.F. se apresenta com diagnóstico de pericementite no elemento 44, restaurado há uma semana. Ao exame clínico, nota-se um contato prematuro na ponta da cúspide vestibular do 44 com a aresta longitudinal mesial do 14. Conclui-se que está ocorrendo o contato do tipo (A) deflectivo com deslize em direção à linha média. (B) deflectivo com deslize em direção contrária à linha média. (C) deflectivo com deslize em direção anterior. (D) deflectivo com deslize em direção posterior. (E) prematuro sem deslize. 9

10 43 Um Sistema de Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional (SGSSO) se baseia em um padrão internacional (OHSAS 18001) que define os requisitos e as exigências relacionadas à Segurança e à Saúde, permitindo às organizações o mapeamento e o controle de seus riscos operacionais, possibilitando o seu desempenho. Os principais benefícios do SGSSO são, EXCETO, (A) redução dos custos do negócio relacionados a afastamentos e acidentes. (B) redução das perdas de produção por interrupções ou acidentes. (C) disseminação de uma cultura de segurança. (D) aumento de controle dos perigos e redução de riscos. (E) evidência de atendimento social e psicológico. 44 O paciente C.S.A. apresenta-se para consulta com ulcerações e erosões difusas, envolvendo a superfície dorsal da língua. Segundo relato feito pelo próprio paciente, aproximadamente, há 1 semana do aparecimento das lesões, houve um estado semelhante à gripe, com febre, mal-estar, cefaleia, tosse e dor de garganta. Durante a anamnese foi possível observar uma lesão na pele da mão, com anéis eritematosos circulares e concêntricos, semelhante a um alvo. O diagnóstico desse paciente é (A) Eritema migratório areata. (B) Eritema multiforme. (C) Líquen plano erosivo. (D) Psoríase. (E) Lúpus eritematoso sistêmico. 45 Em relação à Regeneração Óssea Guiada (ROG) considere as afirmativas abaixo. - A ROG é indicada principalmente para manutenção das dimensões do rebordo alveolar após extração. - A ROG consiste na utilização de uma barreira biológica (membrana) que mantém um espaço entre o defeito ósseo e a superfície da membrana. - Na ROG células originárias do tecido epitelial, auxiliadas por substâncias de crescimento, migram e proliferam, formando osso, sem a interferência de outros tecidos. Está(ão) correta(s) APENAS a(s) afirmativa(s) (A). (B). (C) e. (D) e. (E) e. 46 As cúspides de suporte são responsáveis pela manutenção da distância entre a maxila e a mandíbula e exercem um papel importante na mastigação. O contato de uma cúspide cêntrica se dá na fossa central ou entre cristas marginais dos antagonistas. As cúspides com contato em fossa central e com contato entre cristas marginais são, respectivamente, (A) palatina do primeiro pré-molar superior e disto palatina do segundo molar superior. (B) mesio palatina do segundo molar superior e disto vestibular do primeiro molar inferior. (C) mesio vestibular do primeiro molar superior e vestibular do primeiro pré-molar superior. (D) disto vestibular do primeiro molar inferior e mésio vestibular do segundo molar inferior. (E) vestibular do primeiro pré-molar superior e disto vestibular do segundo molar superior. 47 A reabsorção do osso alveolar residual em edentados totais consiste em uma das maiores limitações para o tratamento reabilitador. As perdas ósseas apresentam características distintas em relação à maxila e à mandíbula. Assim, a reabsorção na (A) maxila segue um padrão vertical com perda da cortical vestibular. (B) maxila segue um padrão horizontal com perda da cortical palatina. (C) mandíbula segue um padrão horizontal com perda cortical vestibular. (D) mandíbula segue um padrão horizontal com perda da cortical lingual. (E) mandíbula segue um padrão vertical com perda das corticais vestibular e lingual. 48 O paciente A.B.C., 8 anos, apresenta lesão extensa no 84 e indicação de exodontia. As exodontias em pacientes pediátricos demandam uma série de cuidados adicionais. No caso descrito, que dispositivo apresenta fácil construção, menor custo, pouco tempo de cadeira e ajusta-se facilmente às mudanças da dentição? (A) Guia de erupção distal de Roche. (B) Mantenedor tipo prótese parcial removível com grampos de Adams. (C) Arco lingual W. (D) Mantenedor alça e banda. (E) Mantenedor palatino com fio labial de Hawley. 10

11 49 O valor real da análise cefalométrica depende inicialmente da localização exata dos pontos anatômicos e antropológicos. Estes pontos servem de referência para a delimitação de linhas e ângulos para avaliar a relação dentária e craniofacial do paciente. As definições dos pontos A, B e ENA são, respectivamente, (A) ponto mais externo na curvatura anterior da maxila, ponto mais anterior na sínfise mandibular sagital e projeção mais anterior da espinha nasal anterior da maxila. (B) ponto mais profundo na curvatura anterior da maxila, ponto mais posterior na curvatura externa do processo alveolar da mandíbula e projeção mais anterior da espinha nasal anterior da maxila. (C) ponto mais profundo na curvatura anterior da maxila, ponto mais posterior na curvatura externa do processo alveolar da mandíbula e projeção mais anterior da espinha nasal anterior da maxila. (D) ponto mais posterior na curvatura externa do processo alveolar da mandíbula, ponto mais anterior na sínfise mandibular sagital e ponto situado na junção externa da sutura nasofrontal do plano mediano. (E) ponto mais anterior na curvatura externa do processo alveolar da maxila, ponto mais anterior na sínfise mandibular sagital e ponto situado na junção externa da sutura nasofrontal do plano mediano. 50 Gerenciar os riscos reduz os acidentes, melhora o desempenho e garante o cumprimento da legislação. Segundo as normas OHSAS de 2007, o termo segurança e saúde no trabalho pode ser definido como o(a) (A) estado de estar livre de doenças, enfermidades e de riscos inaceitáveis. (B) estado de bem-estar físico, mental e social e risco mínimo dentro das atividades profissionais, limitados a acidentes não previstos. (C) estado de estar livre de riscos de danos inaceitáveis nos ambientes de trabalho, garantindo o bem-estar físico, mental e social dos trabalhadores. (D) mapeamento do processo produtivo de uma instituição com objetivo de promover o atendimento de saúde integral aos profissionais. (E) identificação dos pontos fortes e fracos de um local de trabalho e o comprometimento com redução do risco a níveis aceitáveis. 51 O paciente edentado parcial, com classificação de Kennedy, apresenta-se para reabilitação com prótese parcial dentomucossuportada. Qual(is) a(s) técnica(s) de moldagem indicada(s) para este tipo de prótese? (A) Moldagem anatômico-funcional com alginato. (B) Moldagem pela técnica de reembasamento ou dupla mistura com silicones de adição. (C) Moldagem com moldeiras individuais de resina acrílica e poliéter. (D) Moldagem preliminar com alginato ou godiva e moldagem funcional com pasta zinquenólica. (E) Moldagem dinâmica com mercaptana ou poliéter. 52 A violência doméstica envolvendo idosos tem aumentado no nosso país. A percepção dos sinais e sintomas de abuso entre indivíduos de todas as idades deve ser um objetivo de todo cirurgião-dentista. A promulgação do estatuto do idoso pela Lei n o , de 1 o de outubro de 2003, estabelece novas responsabilidades para os profissionais de saúde. Diante de casos de maus-tratos contra idosos, o cirurgião-dentista deve, obrigatoriamente, (A) guardar sigilo, por motivos éticos. (B) conversar com os familiares ou responsáveis legais. (C) recusar atendimento. (D) comunicar ao Conselho Tutelar. (E) comunicar à autoridade policial ou ao Ministério Público. 53 Paciente jovem se apresenta com mancha branca, rugosa e opaca na zona cervical da face vestibular do elemento 21. Trata-se de (A) lesão de cárie inativa. (B) lesão de cárie ativa. (C) substância amorfa. (D) abfração. (E) fluorose. 54 A paciente L.R.M. apresenta sensação de dormência no lábio, em parte da língua, parte da mucosa julgal e gengivas ao redor dos dentes inferiores posteriores do lado direito. Esse quadro teve início há uma semana, após a instalação de dois implantes osseointegráveis para substituir os elementos 44 e 45. Qual é o diagnóstico? (A) Paralisia do nervo alveolar inferior. (B) Efeito da quantidade de anestésico utilizado. (C) Parestesia do nervo alveolar inferior. (D) Trismo do masseter por fadiga muscular. (E) Sinestesia do nervo alveolar inferior. 55 M.S.O., trabalhador rural, meia-idade, do interior da cidade de Campos de Goytacases RJ, apresenta lesões orais como úlceras moriformes, eritematosas e granulomatosas, em mucosa alveolar, gengiva e palato. A biópsia apresenta estruturas com múltiplos brotamentos-filhos ligados à célula-mãe, com aparência de leme de marinheiro ou orelhas de Mickey Mouse. Essas características descrevem (A) Histoplasmose. (B) Carcinoma de células escamosas. (C) Carcinoma de células basais. (D) Paracoccidioidomicose. (E) Criptococose. 11

12 56 Analise as afirmações a seguir sobre doenças do trabalho. As lesões causadas por esforços mantidos, duradouros ou repetitivos são patologias, manifestações ou síndromes patológicas que se instalam insidiosamente em determinados segmentos do corpo em consequência do trabalho realizado de forma inadequada. A incidência dos Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT) vem diminuindo no mundo moderno, em decorrência das melhoras tecnológicas, que suavizaram as atividades técnicas. Dentre os grupos de fatores de risco dos DORT, estão o frio, as vibrações e as pressões locais sobre os tecidos, que implicam monotonia fisiológica e/ou psicológica, sendo isto válido para as tarefas dinâmicas e para as tarefas estáticas. V A ocorrência de DORT está relacionada, entre outros fatores, à grande quantidade e à alta velocidade dos movimentos repetitivos, à falta de autocontrole sobre o modo e o ritmo de trabalho, ao mobiliário e aos equipamentos ergonomicamente inadequados. Estão corretas APENAS as afirmativas (A) e. (B) e V. (C) e. (D) e V. (E) e V. 57 Os acidentes com exposição ocupacional ao material biológico são frequentes na Odontologia, em decorrência do trabalho com instrumentos perfurocortantes em um campo de visão restrito e sujeito à movimentação. Em relação a estes acidentes, os profissionais da área devem considerar que (A) são as condutas pós-exposição que podem evitar infecções, quando as exposições ocupacionais forem inevitáveis, e essas condutas incluem os cuidados imediatos, o tratamento e o acompanhamento pós-exposição. (B) existe risco de transmissão de patógenos sanguíneos como os vírus da hepatite B e da imunodeficiência humana (HV); nas exposições ocupacionais a material biológico, porém, não há risco de transmissão de patógenos sanguíneos do vírus da hepatite C. (C) constituem-se casos de emergência médica os acidentes com exposição ao material biológico, já que a profilaxia, quando indicada, pode ser iniciada durante as 72 horas subsequentes ao acidente e, com isso, se obtém melhor efetividade. (D) é recomendado, em caso de exposição ocupacional ao material biológico, em exposições percutâneas ou cutâneas, interromper o atendimento, remover a luva, localizar a lesão e imediatamente lavar a lesão com água destilada. (E) é complexa e totalmente eficaz a profilaxia pós-exposição (PPE) ao HV, e recomenda-se que o prazo máximo para início de PPE seja de até 72h após o acidente, sendo a duração da quimioprofilaxia de 28 dias. 58 As práticas de atenção à saúde do trabalhador vêm sofrendo profundas alterações no que se refere ao cuidado odontológico. A implantação de um programa de atenção em saúde bucal voltado ao trabalhador deve ter como objetivo principal promoção, proteção, recuperação e reabilitação da saúde bucal deste trabalhador, contribuindo, assim, para uma melhora em sua qualidade de vida. Nesse contexto, o profissional que for atuar em uma empresa deve considerar que (A) a Odontologia do Trabalho tem como objetivo a busca permanente da compatibilidade entre a atividade laboral e a preservação da saúde bucal do trabalhador, sendo uma de suas áreas de competências a de fiscalizar e multar as empresas que ofereçam riscos à saúde bucal do empregado no local de trabalho. (B) o profissional que for atuar nesses programas deve conhecer o local de trabalho, o processo produtivo e as funções que o trabalhador exerce neste processo, avaliando as doenças bucais oriundas das atividades laborais, com seu foco de atenção ao indivíduo em detrimento do coletivo. (C) os programas de atenção odontológica voltados aos trabalhadores podem oferecer as seguintes vantagens: prevenção das doenças bucais; aumento da motivação do empregado e aumento da sua qualidade de vida; aumento do absenteísmo e diminuição dos riscos de acidentes de trabalho. (D) os serviços odontológicos destinados ao segmento dos trabalhadores devem ser elaborados pela administração central sem a participação ativa dos trabalhadores, integrados aos demais setores da empresa e planejados, observando a realidade do processo produtivo. (E) deve analisar concretamente a epidemiologia e a patologia dos problemas bucais que podem afetar diretamente os trabalhadores, além de estudar o impacto que possa ocasionar em suas qualidades de vida e incorporar novos elementos na análise da causalidade das doenças. 59 O artigo 8 o da Lei n o 6.259, de 30 de outubro de 1975, reza que é dever de todo cidadão comunicar à autoridade sanitária local a ocorrência de fato comprovado ou presumível de casos de doença transmissível de notificação compulsória. De acordo com a legislação brasileira, qual das doenças abaixo se enquadra como agravo de notificação compulsória? (A) Candidíase. (B) Coqueluche. (C) Estomatite herpética. (D) Mononucleose. (E) Varicela. 12

13 60 Para minimizar os riscos físicos a que estão submetidos os profissionais de Odontologia, o procedimento a ser adotado é (A) armazenar os produtos químicos de maneira correta e segura, conforme instruções do fabricante para evitar acidentes. (B) realizar exercícios de alongamento entre os atendimentos, com a orientação de profissional da área. (C) evitar o uso da seringa tríplice na sua forma spray, acionando os dois botões ao mesmo tempo. (D) higienizar previamente a boca do paciente mediante escovação e/ou bochecho com antisséptico. (E) usar óculos de proteção para os procedimentos odontológicos durante o manuseio de equipamentos que possuem luz alógena e laser. 61 Em Odontologia, tempo profissional é aquele que (A) é dedicado ao exercício da profissão, com atendimento aos pacientes ou destinado ao aperfeiçoamento profissional. (B) é relacionado ao período decorrido entre cada consulta do paciente, podendo ser de dias, semanas ou meses. (C) é decorrido entre a primeira consulta odontológica e a consulta na qual o paciente recebe alta do tratamento. (D) compreende as ações prévias, similares e complementares à realização do trabalho. (E) interrompe o fluxo de trabalho, tal como aguardar a chegada do paciente ou a indução da anestesia. 62 Considere as afirmações a seguir sobre o papel do fluoreto na prevenção da cárie dentária. V O fluoreto livre presente na cavidade bucal será extremamente importante no processo de inibição de desmineralização e ativação da remineralização. É necessária a incorporação do fluoreto, na estrutura mineralizada dos dentes, para diminuir a solubilidade do esmalte. Existindo biofilme dental sobre os dentes, a presença de fluoreto na cavidade bucal terá efeito preventivo, quando o açúcar for ingerido. Na presença de má higiene bucal, o fluoreto retardará o aparecimento de lesões, conferindo proteção total contra a cárie. São corretas APENAS as afirmativas (A) e. (B) e. (C) e. (D) e V. (E) e V. 63 Com base na Lei n o , de 24 de dezembro de 2008, que regulamenta o exercício das profissões de Técnico em Saúde Bucal (TSB) e de Auxiliar em Saúde Bucal (ASB), compete ao ASB, sempre sob a supervisão do cirurgiãodentista, (A) fazer a remoção do biofilme com curetas manuais. (B) realizar fotografias, tomadas radiográficas e colagem de brackets para ortodontia. (C) proceder à limpeza e à antissepsia do campo operatório, antes e após atos cirúrgicos, inclusive em ambientes hospitalares. (D) executar remoção de tecido cariado em preparação para restauração pelo cirurgião-dentista. (E) realizar isolamento do campo operatório. 64 A erosão dentária ou perimólise é uma lesão caracterizada pela dissolução de esmalte e dentina, causada por ácidos de origem interna ou externa ao organismo humano e que não envolve ação bacteriana. Essa condição pode ser prevenida por intermédio de (A) aplicação tópica de flúor fosfato acidulado em gel, em intervalos anuais. (B) aplicação diária de enxaguatórios bucais contendo ph inferior a 4,5. (C) utilização de medicamentos líquidos contendo sacarose e com baixo ph endógeno. (D) controle dietético, com diminuição da frequência de ingestão de bebidas ácidas. (E) administração de fluoreto na forma de comprimidos, durante o período de formação dos dentes. 65 Considere as afirmações a seguir sobre as condutas que permitem a prevenção das maloclusões. V A execução de ajuste oclusal elimina traumas e discrepâncias oclusais em relação cêntrica. O uso de placa oclusal para reposicionar a mandíbula previne maloclusão. A prevenção da cárie dentária diminuirá a possibilidade de ocorrência de maloclusão, pois a cárie é o principal fator etiológico primário dos distúrbios oclusais. O uso de protetores bucais pelos praticantes de esportes em que exista perigo de fraturas auxilia na prevenção de maloclusões. É correto APENAS o que se afirma em (A) e. (B) e. (C) e. (D) e V. (E) e V. 13

14 66 A prevenção das doenças bucais deve ser considerada sob três temas principais: estratégia populacional, abordagem de fatores de risco comuns e ação intersetorial. A estratégia populacional é (A) apropriada para lidar com problemas que estão concentrados em pessoas com necessidades especiais. (B) direcionada a alguns setores da população, principalmente os indivíduos de alto risco de desenvolver doença. (C) ineficiente na redução da incidência da doença porque apenas algumas pessoas estão menos expostas às causas e/ ou aos fatores protetores ambientais. (D) adotada, se pequenas modificações no comportamento das pessoas e nos níveis de exposição aos fatores de risco puderem reduzir a ocorrência da doença, entre outras situações. (E) destinada a problemas de doenças que exigem a obtenção de resultados em curto espaço de tempo. 67 As Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal defendem a ideia da reorganização da atenção em saúde bucal em todos os níveis de atenção, tendo o conceito do cuidado como eixo de reorientação do modelo. Nessas diretrizes, o Ministério da Saúde aponta a necessidade de ampliação e qualificação da atenção básica, recomendando a organização e o desenvolvimento de ações de (A) prevenção e controle do câncer bucal. (B) implantação e decréscimo da resolutividade do prontoatendimento. (C) exclusão de procedimentos mais complexos na atenção básica. (D) inclusão da reabilitação protética na atenção terciária. (E) ampliação do acesso, exceto para o grupo de 0 a 5 anos. 68 Considere as afirmações a seguir sobre o diagnóstico de cárie oclusal por intermédio da inspeção visual. V É utilizada uma sonda exploradora afiada, identificando as áreas com resistência, ao se retirar o explorador. A confiabilidade do método melhora com a limpeza dos dentes para remoção do biofilme dentário e secagem com jatos de ar antes que eles sejam examinados. São registradas as mudanças de coloração do dente, e uma sombra azul/cinza indica que a lesão está no interior da dentina. São identificadas as modificações na configuração anatômica do dente, considerando que, em casos de destruição localizada do esmalte, a dentina está isenta de envolvimento. É correto o que se afirma APENAS em (A) e. (B) e. (C) e. (D) e V. (E) e V. 69 Constitui(em) ação(ões) da Política Nacional de Saúde Bucal Brasil Sorridente a (A) reorganização da atenção terciária em saúde bucal por meio da Estratégia de Saúde da Família. (B) ampliação e a qualificação da atenção especializada por meio do aumento do número de equipes de Saúde Bucal que atuam na Estratégia de Saúde da Família. (C) implantação da fluoretação da água de abastecimento nos municípios que possuem estação de tratamento e distribuição de água. (D) manutenção da verba para custeio das ações em saúde bucal na Estratégia de Saúde da Família. (E) distribuição de kits de saúde bucal (pasta de dente, escova, fio dental, gel de flúor, fosfato acidulado e enxaguatório bucal) para a população. 14

15 70 No quadro abaixo, são apresentados resultados da prevalência de cárie do mais recente levantamento epidemiológico realizado na população brasileira - Projeto SB Brasil dade Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste Brasil 0a 36 meses 5 anos 12 anos 15 a 19 anos ceo = O 68,17% 73,09% 76,77% 73,47% 79,29% 73,15% ceo >= 1 31,83% 26,91% 23,23% 26,53% 20,71% 26,85% ceo = O 35,04% 34,92% 44,92% 43,35% 41,73% 40,62% ceo >= 1 64,96% 65,08% 55,08% 56,65% 58,27% 59,37% CPO = O 24,15% 27,52% 37,58% 36,69% 27,13% 31,08% CPO >= 1 75,85% 72,48% 62,42% 63,31% 72,87% 68,92% CPO = O 10,50% 10,11% 12,75% 12,08% 9,64% 11,06% CPO >= 1 89,50% 89,89% 87,25% 87,92% 90,36% 88,94% Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Projeto SB Brasil 2003: condições de saúde bucal da população brasileira : resultados principais / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, Analisando os dados apresentados, conclui-se que (A) há uma tendência ao aumento no percentual de indivíduos livres de cárie em função da idade. (B) mais da metade das crianças brasileiras, na faixa etária de 0 a 36 meses, não apresentam experiência de cárie. (C) os percentuais de ceo-d = 0, na faixa etária de 18 a 36 meses e aos 5 anos, são sempre inferiores na região Nordeste, quando comparados com os da região Sudeste. (D) há semelhança no padrão de distribuição da cárie na idade de 12 anos, nas diferentes regiões do país. (E) na faixa etária de 15 a 19 anos, a menor prevalência de cárie é observada entre os adolescentes da região Centro- Oeste. 15

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Analisando-se a imagem de um dente íntegro, todas as suas partes são facilmente identificáveis, pois já conhecemos sua escala de radiopacidade e posição

Leia mais

DIAGNÓSTICO COLETA DE DADOS RACIOCÍNIO E DEDICAÇÃO

DIAGNÓSTICO COLETA DE DADOS RACIOCÍNIO E DEDICAÇÃO EXAME CLÍNICO DA DOENÇA PERIODONTAL DIAGNÓSTICO PERIODONTAL CONSISTE O DIAGNÓSTICO NA ANÁLISE DO PERIODONTAL HISTÓRICO DO CASO, NA AVALIAÇÃO DOS SINAIS CLÍNICOS E SINTOMAS, COMO TAMBÉM DOS RESULTADOS DE

Leia mais

A gengivite é uma inflamação das gengivas provocada por acumulação de placa bacteriana e tártaro como consequência

A gengivite é uma inflamação das gengivas provocada por acumulação de placa bacteriana e tártaro como consequência Periodontologia É a disciplina da medicina dentária que se dedica à prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças das gengivas e das estruturas de suporte dos dentes. A inflamação e o sangramento das

Leia mais

2. Quando o implante dental é indicado?

2. Quando o implante dental é indicado? Dúvidas sobre implantodontia: 1. O que são implantes? São cilindros metálicos (titânio) com rosca semelhante a um parafuso que são introduzidos no osso da mandíbula (arco inferior) ou da maxila (arco superior),

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE ODONTOLOGIA PATOLOGIA GERAL E ORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CAMPUS DE SOBRAL CURSO DE ODONTOLOGIA PATOLOGIA GERAL E ORAL SUB- PATOLOGIA GERAL E ORAL Estomatologia Métodos de Diagnóstico I e II Processos Patológicos PROGRAMA SUGERIDO (PROVA ESCRITA / DIDÁTICA / PRÁTICA) - TEMAS 1. Cistos dos maxilares. 2. Neoplasias benignas

Leia mais

CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS REGIONAL CEO/ CISA

CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS REGIONAL CEO/ CISA CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS REGIONAL CEO/ CISA Versão I 2013 PROTOCOLO INTEGRADO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS CEO CISA/IJUI 1. ENDODONTIA 2. PERIODONTIA 3. CIRURGIA ORAL MENOR 4. PACIENTES

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 23

PROVA ESPECÍFICA Cargo 23 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 23 QUESTÃO 31 Com relação aos tecidos dentários, analise as afirmativas abaixo: 1) O esmalte é um tecido duro, que constitui a maior parte do dente, determinando a forma da coroa.

Leia mais

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS DESCRIÇÃO DO SERVIÇO 01. DIAGNÓSTICO Exame clínico inicial Consultas com hora marcada Exame clínico final Exame admissional (exame de sanidade dentária) 02. ATENDIMENTO DE

Leia mais

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO

ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ASPECTO RADIOGRÁFICO DAS ALTERAÇÕES DO PERIODONTO ESTUDAR COM ATENÇÃO AMPLIAR AS IMAGENS PARA OBSERVAR OS DETALHES O periodonto (peri= em redor de; odontos = dente) compreende a gengiva, o ligamento periodontal,

Leia mais

Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10

Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10 Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde Bucal CID 10 K00 - Distúrbios do Desenvolvimento e da Erupção Dos Dentes K00.0 - Anodontia K00.1 - Dentes Supranumerários

Leia mais

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução ODONTOLOGIA CANINA Juliana Kowalesky Médica Veterinária Mestre pela FMVZ -USP Pós graduada em Odontologia Veterinária - ANCLIVEPA SP Sócia Fundadora da Associação Brasileira de Odontologia Veterinária

Leia mais

IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Em um dente íntegro, suas imagens são facilmente identificáveis, pois já conhecemos a escala de radiopacidade. Estudamos as imagens das estruturas anatômicas, suas

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: ODONTÓLOGO CADERNO DE PROVAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: ODONTÓLOGO CADERNO DE PROVAS CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

ODONTOLOGIA PERIODONTIA I. 5º Período / Carga Horária: 90 horas

ODONTOLOGIA PERIODONTIA I. 5º Período / Carga Horária: 90 horas ODONTOLOGIA PERIODONTIA I 5º Período / Carga Horária: 90 horas 1. PRÉ-REQUISITO: Biossegurança e Orientação Profissional Odontológica; Diagnóstico por Imagem I; Patologia Buço Denta. 2. EMENTA: O aluno

Leia mais

INSTRUÇÕES NÃO SERÃO ACEITAS RECLAMAÇÕES FORMULADAS APÓS O INÍCIO DA PROVA. Não efetue qualquer marcação nos campos destinados à atribuição de notas.

INSTRUÇÕES NÃO SERÃO ACEITAS RECLAMAÇÕES FORMULADAS APÓS O INÍCIO DA PROVA. Não efetue qualquer marcação nos campos destinados à atribuição de notas. INSTRUÇÕES Verifique, com muita atenção, este Caderno de QUESTÕES que deverá conter 14 (treze) questões de múltipla escolha, sendo 10 (dez) de Conhecimentos Específicos de Odontologia e 4 (quatro) de Língua

Leia mais

Placa bacteriana espessa

Placa bacteriana espessa A IMPORTÂNCIA DA SAÚDE BUCAL A saúde bucal é importante porque a maioria das doenças e a própria saúde começam pela boca. Por exemplo, se você não se alimenta bem, não conseguirá ter uma boa saúde bucal,

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR

DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR PREFEITURA DE BELO HORIZONTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA DESENVOLVIMENTO DAS AÇÕES DE SAÚDE BUCAL NA REDE DE SERVIÇOS DA SMSA DOCUMENTO AUXILIAR COORDENAÇÃO TÉCNICA DE SAÚDE BUCAL

Leia mais

Dra. Rosângela Ap. de Freitas Albieri TSB: Andre Santos e Clarice R.Silva Secretaria Municipal de Saúde Centro de Especialidades Odontologicas- CEO

Dra. Rosângela Ap. de Freitas Albieri TSB: Andre Santos e Clarice R.Silva Secretaria Municipal de Saúde Centro de Especialidades Odontologicas- CEO SAÚDE BUCAL Dra. Rosângela Ap. de Freitas Albieri TSB: Andre Santos e Clarice R.Silva Secretaria Municipal de Saúde Centro de Especialidades Odontologicas- CEO ANATOMIA BUCAL ANATOMIA DENTAL TIPOS DE DENTES

Leia mais

Dr. Felipe Groch CRO 101.353 Especialização em Implantes Dentários

Dr. Felipe Groch CRO 101.353 Especialização em Implantes Dentários Nosso consultório odontológico está equipado para oferecer ao produtor rural todos os tratamentos odontológicos disponíveis na atualidade. Segue abaixo uma discriminação detalhada de cada tratamento oferecido

Leia mais

Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética

Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética Manipulação de Tecido Mole ao Redor de Implantes na Zona Estética Figura 9 1A Diagrama de secção transversal mostrando um implante no local do incisivo. A forma côncava do rebordo vestibular é evidenciada.

Leia mais

1ª. PARTE CONHECIMENTOS GERAIS

1ª. PARTE CONHECIMENTOS GERAIS 1ª. PARTE CONHECIMENTOS GERAIS ODONTOLOGIA 01. As substâncias antimicrobianas podem agir controlando a formação de placa dental através de algumas estratégias, exceto: a) Prevenindo ou inibindo a formação

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014

PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014 PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014 CARGO E UNIDADES: Odontólogo (Unidade Móvel) Atenção: NÃO ABRA este caderno antes do início da prova. Tempo total para resolução desta prova: 3 (três) horas. I N S T R

Leia mais

PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS

PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS DISCIPLINA DE PATOLOGIA ORAL E MAXILOFACIAL Graduação em Odontologia - 5º Período PROCESSOS PROLIFERATIVOS NÃO NEOPLÁSICOS http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 GRANULOMA

Leia mais

Premissa. Códigos e rios

Premissa. Códigos e rios Índices epidemiológicos em saúde bucal 3/10/2011 Prof. Samuel Jorge Moysés, Ph.D. 1 Premissa A epidemiologia pode ser definida como o estudo da distribuição e dos determinantes de eventos ou estados relacionados

Leia mais

ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE

ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE ASPECTO DE IMAGEM DAS ESTRUTURAS DO DENTE O órgão dentário, um dos elementos do aparelho mastigatório, é constituído por tecidos especificamente dentais (esmalte, dentina, polpa) e por tecidos periodontais

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ODONTÓLOGO

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ODONTÓLOGO 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ODONTÓLOGO QUESTÃO 21 Assinale a alternativa CORRETA quanto à obtenção da analgesia (anestesia regional): a) O método do bloqueio de nervo é aplicado para a obtenção

Leia mais

MISSÃO DA EMPRESA. O nosso compromisso é atingir e superar as expectativas dos clientes, garantindo sua total satisfação, fazendo da Dental Plus

MISSÃO DA EMPRESA. O nosso compromisso é atingir e superar as expectativas dos clientes, garantindo sua total satisfação, fazendo da Dental Plus MISSÃO DA EMPRESA O nosso compromisso é atingir e superar as expectativas dos clientes, garantindo sua total satisfação, fazendo da Dental Plus Manual sinônimo do Dentista de excelência Credenciado em

Leia mais

PROTOCOLO INTEGRADO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS CREO CISAMUSEP 1. PRÓTESE 2. ENDODONTIA 3. PERIODONTIA 4. CIRURGIA ORAL MENOR

PROTOCOLO INTEGRADO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS CREO CISAMUSEP 1. PRÓTESE 2. ENDODONTIA 3. PERIODONTIA 4. CIRURGIA ORAL MENOR PROTOCOLO INTEGRADO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS CREO CISAMUSEP 1. PRÓTESE 2. ENDODONTIA 3. PERIODONTIA 4. CIRURGIA ORAL MENOR 5. PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS 6. ORTOPEDIA FUNCIONAL DOS MAXILARES

Leia mais

Diagnóstico - Primeira Consulta. Radiologia ou Radiografia

Diagnóstico - Primeira Consulta. Radiologia ou Radiografia Diagnóstico - Primeira Consulta Consulta Inicial: É a primeira consulta feita com o cirurgião-dentista, com o objetivo de diagnosticar as patologias presentes e estabelecer o tratamento a ser feito. Exame

Leia mais

É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente).

É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente). É a etapa inicial do tratamento do canal, consiste em o dentista atingir a polpa dentária (nervinho do dente). Consiste na regularização do alvéolo (local onde está inserido o dente), geralmente após a

Leia mais

Doenças Periodontais. Tratamento e Prevenção. 1º e-book - COS - Clínica Odontológica Soares

Doenças Periodontais. Tratamento e Prevenção. 1º e-book - COS - Clínica Odontológica Soares Doenças Periodontais Tratamento e Prevenção 1º e-book - COS - Clínica Odontológica Soares Gengivite e Periodontite Guia para o paciente Aprenda mais sobre as Doenças Periodontais (de gengiva) As doenças

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES AVISO DE RETIFICAÇÃO DE EDITAL Nº 01 A Comissão de Concurso torna publica

Leia mais

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral PALESTRA A Importância da Saúde Bucal na Saúde Geral A saúde começa pela boca Os dentes são importantes na mastigação dos alimentos, fala, e estética, influenciando diretamente na auto-estima do indivíduo

Leia mais

Cobertura dos Planos Odontológicos OdontoPrev

Cobertura dos Planos Odontológicos OdontoPrev Cobertura dos Planos Odontológicos OdontoPrev Plano Integral... TRATAMENTO AMBULATORIAL/DIAGNÓSTICO Consulta EMERGÊNCIA Colagem de fragmentos (consiste na recolocação de partes de dente que sofreu fratura,

Leia mais

Rol Mínimo. Cobertura detalhada

Rol Mínimo. Cobertura detalhada Cirurgia Alveoloplastia Amputação radicular com obturação retrógrada Amputação radicular sem obturação retrógrada Apicetomia birradiculares com obturação retrógrada Apicetomia birradiculares sem obturação

Leia mais

PROTOCOLO INTEGRADO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS CREO CISAMUSEP 1. PRÓTESE 2. ENDODONTIA 3. CIRURGIA ORAL MENOR 4. PERIODONTIA

PROTOCOLO INTEGRADO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS CREO CISAMUSEP 1. PRÓTESE 2. ENDODONTIA 3. CIRURGIA ORAL MENOR 4. PERIODONTIA PROTOCOLO INTEGRADO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS CREO CISAMUSEP 1. PRÓTESE 2. ENDODONTIA 3. CIRURGIA ORAL MENOR 4. PERIODONTIA 5. PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS Este protocolo colabora com a organização

Leia mais

PROTOCOLOS OPERACIONAIS DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A SEREM SEGUIDOS PELOS PERITOS E PRESTADORES DE SERVIÇO DO SESI/DR/AC

PROTOCOLOS OPERACIONAIS DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A SEREM SEGUIDOS PELOS PERITOS E PRESTADORES DE SERVIÇO DO SESI/DR/AC PROTOCOLOS OPERACIONAIS DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A SEREM SEGUIDOS PELOS PERITOS E PRESTADORES DE SERVIÇO DO SESI/DR/AC A) TIPOS DE SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A.1 Consulta Inicial Entende-se como exame clínico,

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Segundo Bonachela, os polígonos importantes a serem avaliados na condição de estabilidade da PPR são:

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Segundo Bonachela, os polígonos importantes a serem avaliados na condição de estabilidade da PPR são: 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PROTESE DENTÁRIA 21. Segundo Bonachela, os polígonos importantes a serem avaliados na condição de estabilidade da PPR são: a) Polígonos de Roy e de Kent. b) Polígono

Leia mais

Cobertura RN 338 Lei 9656/98:

Cobertura RN 338 Lei 9656/98: Cobertura RN 338 Lei 9656/98: CÓDIGO PROCEDIMENTO Flex 30% GRUPO 87000032 CONDICIONAMENTO EM ODONTOLOGIA PARA PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS R$ 7,62 CONSULTAS 81000030 CONSULTA ODONTOLÓGICA R$ 10,58

Leia mais

27/05/2014. Dentística I. Classe III. Classe I. Classe V. Terapêutica ou protética; Simples, composta ou complexa.

27/05/2014. Dentística I. Classe III. Classe I. Classe V. Terapêutica ou protética; Simples, composta ou complexa. Mauro A Dall Agnol UNOCHAPECÓ mauroccs@gmail.com Classe I Classe II Classe III Classe IV Classe V Classe I Classe II Classe III Classe IV Classe V Dentística I Terapêutica ou protética; Simples, composta

Leia mais

ASSESSORARTE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS

ASSESSORARTE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS ASSESSORARTE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS Prefeitura Municipal de Alumínio Concurso Público 001/2006 8 Dentista Instruções: Não abra o caderno de prova antes de receber autorização do fiscal; Este caderno de

Leia mais

Planilha1. Controle de hemorragia com aplicação de agente hemostático em região buco-maxilo-facial

Planilha1. Controle de hemorragia com aplicação de agente hemostático em região buco-maxilo-facial 81000421 Radiografia periapical CIRURGIA Planilha1 DIAGNÓSTICO 81000065 Consulta odontológica inicial 81000111 Diagnóstico anatomopatológico em citologia esfoliativa na região buco-maxilo-facial 81000138

Leia mais

2 Este Caderno contém uma proposta de Redação e trinta questões de múltipla escolha

2 Este Caderno contém uma proposta de Redação e trinta questões de múltipla escolha CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE Programa de Pós Graduação em Saúde Coletiva MESTRADO EM ODONTOLOGIA INSTRUÇÕES 1 Na parte inferior desta capa, escreva seu nome completo, em letra de forma e assine no local

Leia mais

TABELA INTEGRAL DE PROCEDIMENTOS Plano Master

TABELA INTEGRAL DE PROCEDIMENTOS Plano Master TABELA INTEGRAL DE PROCEDIMENTOS Plano Master (ANEXO A - ROL DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS EXIGIDOS PELA ANS)- Tabela Cliente CH = Coeficiente de Honorário Odontológico Valor do CH = R$ USO = Unidade

Leia mais

COBERTURA DA APÓLICE BRADESCO DENTAL SPG 5 A 49 VIDAS

COBERTURA DA APÓLICE BRADESCO DENTAL SPG 5 A 49 VIDAS ANS BRADESCO DENTAL DIAGNÓSTICO CONSULTA INICIAL EXAME HISTOPATOLÓGICO URGÊNCIA/EMERGÊNCIA COLAGEM DE FRAGMENTOS CURATIVO E/OU SUTURA EM CASO DE HEMORRAGIA BUCAL/LABIAL CURATIVO EM CASO DE ODONTALGIA AGUDA

Leia mais

COBERTURA UNIMED ODONTO

COBERTURA UNIMED ODONTO COBERTURA UNIMED ODONTO ODONTOPEDIATRIA Consulta Odontológica SIM SIM SIM Condicionamento em Odontologia SIM SIM SIM Condicionamento em Odontologia para pacientes com necessidades especiais SIM SIM SIM

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE TRAUMA OCLUSAL E DOENÇAS PERIODONTAIS

RELAÇÃO ENTRE TRAUMA OCLUSAL E DOENÇAS PERIODONTAIS RELAÇÃO ENTRE TRAUMA OCLUSAL E DOENÇAS PERIODONTAIS Por Carlos Marcelo da Silva Figueredo, DDS, MDSc, PhD cmfigueredo@hotmail.com www.periodontiamedica.com Introdução A associação do trauma oclusal (TO)

Leia mais

MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB -

MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB - 1 MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB - Porto Alegre, 2014. 1 2 S ODONTOLÓGICOS PARA AUXILIARES E TÉCNICOS EM SAÚDE BUCAL Tabela 1: Tipos de Procedimentos Odontológicos para

Leia mais

NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR

NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR NORMATIZAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE ODONTOLOGIA HOSPITALAR Atuação e conceitos da Odontologia Hospitalar e Medicina Oral A Odontologia exercida pela grande maioria dos dentistas brasileiros enfoca

Leia mais

Diretrizes Assistenciais

Diretrizes Assistenciais Diretrizes Assistenciais Protocolo de Tratamento Odontológico Versão eletrônica atualizada em Janeiro 2009 A EQUIPE DE SAÚDE BUCAL NA UTMO Fernanda de Paula Eduardo Letícia Mello Bezinelli Pacientes que

Leia mais

Incisão e Drenagem extra-oral de abscesso, hematoma e/ou flegmão da região buco-maxilo-facial

Incisão e Drenagem extra-oral de abscesso, hematoma e/ou flegmão da região buco-maxilo-facial CÓDIGO 81000049 81000057 82000468 Diagnóstico, Urgência-Emergência: Noturna, Sábado, Domingo ou Feriado (procedimento abaixo) Consulta odontológica de Urgência (Horário normal das 08:00 horas às 18:00

Leia mais

EXAMES LABORATORIAIS DIAGNOSTICO ANATOMOPATOLOGICO EM MATERIAL DE BIOPSIA NA REGIAO BUCO-MAXILO- 81000138 FACIAL

EXAMES LABORATORIAIS DIAGNOSTICO ANATOMOPATOLOGICO EM MATERIAL DE BIOPSIA NA REGIAO BUCO-MAXILO- 81000138 FACIAL UNIODONTO PORTO ALEGRE Modalidade pré-pagamento sem coparticipação, ou seja, o contratante pagará apenas o valor da mensalidade e terá a sua disposição todos os beneficios previstos pela ANS. Atendimento

Leia mais

Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 8 Especialidade: DENTÍSTICA RESTAURADORA

Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 8 Especialidade: DENTÍSTICA RESTAURADORA Tabela de Procedimentos Odontológicos Página: 1 de 8 Grupo: 100-Diagnose - As consultas deverão ser faturadas em Guias de Atendimento - GA, separadamente dos demais procedimentos, que serão faturados na

Leia mais

Cobertura do Plano Star

Cobertura do Plano Star Cobertura do Plano Star Diagnóstico Consulta inicial Exame histopatológico Condicionamento em odontologia. Urgência Curativo em caso de hemorragia bucal consiste na aplicação de hemostático e sutura no

Leia mais

ESPECIALIDADE MEDICINA DENTÁRIA

ESPECIALIDADE MEDICINA DENTÁRIA ESPECIALIDADE MEDICINA DENTÁRIA Cirurgia Oral A Cirurgia Oral é uma especialidade da Medicina Dentária que inclui o diagnóstico e o tratamento cirúrgico de patologias dos tecidos moles e tecidos duros

Leia mais

ODONTÓLOGO DO PSF - 40H

ODONTÓLOGO DO PSF - 40H QUESTÃO 01 No que diz respeito à Estratégia de Saúde da Família, pode-se afirmar, exceto: A. É uma estratégia de expansão, qualificação e consolidação da atenção básica. B. Favorece uma reorientação do

Leia mais

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 6 Dona Margarida. Fundamentação Teórica: Odontologia geriátrica

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 6 Dona Margarida. Fundamentação Teórica: Odontologia geriátrica CASO COMPLEXO 6 Dona Margarida : Maria Angela M. Mimura As alterações e patologias apresentadas no caso de Dona Margarida são diversas e de etiologias diferentes, portanto serão tratadas por itens de modo

Leia mais

manter um dente recém- período suficientemente prolongado correção ortodôntica que se conceito polêmico.

manter um dente recém- período suficientemente prolongado correção ortodôntica que se conceito polêmico. Introdução CONTENÇÕES EM ORTODONTIA em ortodontia é o procedimento para manter um dente recém- movimentado em posição por um período suficientemente prolongado para assegurar a manutenção da correção ortodôntica

Leia mais

BIOESTATÍSTICA x EPIDEMIOLOGIA EPIDEMIOLOGIA

BIOESTATÍSTICA x EPIDEMIOLOGIA EPIDEMIOLOGIA BIOESTATÍSTICA x EPIDEMIOLOGIA EPIDEMIOLOGIA Conceito: É o estudo da distribuição do estado ou eventos de saúde- doença e de seus determinantes em populações específicas, e a aplicação desse estudo para

Leia mais

30/03/2015 CEO O / C / ISA S R A e R gi g o i n o al 2015 Unid i ade I e II 1

30/03/2015 CEO O / C / ISA S R A e R gi g o i n o al 2015 Unid i ade I e II 1 CEO / CISA Regional 2015 Unidade I e II 1 O CEO / CISA teve inicio no dia 08/02/2010, junto ao Hospital de Caridade de Ijuí, onde 4 profissionais trabalhavam divididos em especialidades. Eram atendidos

Leia mais

Como obter resultados com a otimização dos consultórios com os TSB e ASB

Como obter resultados com a otimização dos consultórios com os TSB e ASB Como obter resultados com a otimização dos consultórios com os TSB e ASB 6º SINPLO Simpósio Internacional de Planos Odontológicos Fabiana Car Pernomiam 2011 Ergonomia racionalizar o trabalho, possibilitar

Leia mais

AMPUTAÇÃO RADICULAR COM OU SEM OBTURAÇÃO RETRÓGRADA 82000050 Amputação radicular sem obturação retrógrada

AMPUTAÇÃO RADICULAR COM OU SEM OBTURAÇÃO RETRÓGRADA 82000050 Amputação radicular sem obturação retrógrada 85400017 Ajuste Oclusal por acréscimo AJUSTE OCLUSAL 85400025 Ajuste Oclusal por desgaste seletivo AJUSTE OCLUSAL 82000034 Alveoloplastia ALVEOLOPLASTIA Amputação radicular com obturação retrógrada AMPUTAÇÃO

Leia mais

COBERTURA DE PLANOS PESSOA FÍSICA DENTALPAR MASTER I E MASTER IV

COBERTURA DE PLANOS PESSOA FÍSICA DENTALPAR MASTER I E MASTER IV COBERTURA DE PLANOS PESSOA FÍSICA DENTALPAR MASTER I E MASTER IV DIAGNÓSTICO exame inicial exame periódico perícia procedimento diagnóstico anatomopatológico exame histopatológico teste de fluxo salivar

Leia mais

METODOLOGIA DO EXAME CLÍNICO

METODOLOGIA DO EXAME CLÍNICO Disciplina: Estomatologia METODOLOGIA DO EXAME CLÍNICO Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 Levantamentos Epidemiológicos Clássicos Exame Clínico Nível de Doença não detectada Exames Complementares

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Faculdade de Odontologia Departamento de Odontopediatria e Ortodontia

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Faculdade de Odontologia Departamento de Odontopediatria e Ortodontia UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Faculdade de Odontologia Departamento de Odontopediatria e Ortodontia DISCIPLINAS DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ODONTOPEDIATRIA 1. ODONTOPEDIATRIA PROFESSOR RESPONSÁVEL:

Leia mais

ROL DE PROCEDIMENTOS Atendimento em consultórios particulares dos cooperados em todo o Brasil

ROL DE PROCEDIMENTOS Atendimento em consultórios particulares dos cooperados em todo o Brasil ROL DE PROCEDIMENTOS Atendimento em consultórios particulares dos cooperados em todo o Brasil 1 DIAGNÓSTICO 1.1 Consulta Clínico 1.2 Consulta Especialista 1.3 Condicionamento em Odontologia para crianças

Leia mais

Dentição Convênios Odontológicos Tabela de Procedimentos Odontológicos Dentalprev - descrição e códigos TUSS

Dentição Convênios Odontológicos Tabela de Procedimentos Odontológicos Dentalprev - descrição e códigos TUSS Dentição Convênios Odontológicos Tabela de Procedimentos Odontológicos Dentalprev - descrição e códigos TUSS Nome Código Observações Cir.Traum.Buco-Max-Fac Aprofundamento/aumento de vestíbulo 82000190

Leia mais

ASPECTOS DE IMAGEM DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL

ASPECTOS DE IMAGEM DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL ASPECTOS DE IMAGEM DAS ALTERAÇÕES DA RAIZ DENTAL Vamos descrever a seguir as principais imagens das alterações da raiz dental. As ocorrências, em sua maioria, são provenientes de causas patológicas. FORMA

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA BOM CONSELHO

LÍNGUA PORTUGUESA BOM CONSELHO LÍNGUA PORTUGUESA BOM CONSELHO Ouça um bom conselho Que eu lhe dou de graça Inútil dormir que a dor não passa Espere sentado Ou você se cansa Está provado, quem espera nunca alcança enha, meu amigo, Deixe

Leia mais

Código Estruturado. 79 81000138 Diagnóstico anatomopatológico em material de biópsia. 79 81000154 Diagnóstico anatomopatológico em peça cirúrgica na

Código Estruturado. 79 81000138 Diagnóstico anatomopatológico em material de biópsia. 79 81000154 Diagnóstico anatomopatológico em peça cirúrgica na TUSS Odontologia Código Procedimento US Código Estruturado Especialidade US DIAGNÓSTICO DIAGNÓSTICO 01.01 CONSULTA ODONTOLÓGICA INICIAL 65 81000065 Consulta odontológica inicial 65 01.05 CONSULTA ODONTOLÓGICA

Leia mais

à cirurgia periodontal

à cirurgia periodontal Introdução à cirurgia periodontal C. Marcelo S. Figueredo Por Carlos Marcelo da Silva Figueredo,, DDS, MDSc, PhD cmfigueredo@hotmail hotmail.com www.periodontiamedica periodontiamedica.com Cirurgia periodontal

Leia mais

Escrito por Administrator Ter, 02 de Fevereiro de 2010 09:14 - Última atualização Qua, 10 de Março de 2010 08:44

Escrito por Administrator Ter, 02 de Fevereiro de 2010 09:14 - Última atualização Qua, 10 de Março de 2010 08:44 Mitos e Verdades da Odontologia Mitos: Quanto maior e colorida for nossa escova dental, melhor! Mentira. A escova dental deve ser pequena ou média para permitir alcançar qualquer região da nossa boca.

Leia mais

Alterações da polpa, do periápice e do periodonto

Alterações da polpa, do periápice e do periodonto Disciplina: Patologia Oral Alterações da polpa, do periápice e do periodonto Parte 2 Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2º Semestre - 2012 ALTERAÇÕES DA POLPA, DO PERIÁPICE E DO PERIODONTO PATOLOGIA

Leia mais

ANEXO I. Rol de Procedimentos Odontológicos

ANEXO I. Rol de Procedimentos Odontológicos ANEXO I Rol de Procedimentos Odontológicos Classificam-se como procedimentos de DIAGNÓSTICO: I Consulta inicial II Exame histopatológico Consiste em anamnese, preenchimento de ficha clínica odontolegal,

Leia mais

Circular 0160/2000 São Paulo, 18 de Maio de 2000.

Circular 0160/2000 São Paulo, 18 de Maio de 2000. [fesehf/cabecalho.htm] Circular 0160/2000 São Paulo, 18 de Maio de 2000. Plano de Saúde Assunto: Rol de Procedimentos Odontológicos para Plano de Saúde Prezado (a) Senhor (a), A Agência Nacional de Saúde

Leia mais

ROL DE PROCEDIMENTOS E SUAS ESPECIFICAÇÕES

ROL DE PROCEDIMENTOS E SUAS ESPECIFICAÇÕES ROL DE PROCEDIMENTOS E SUAS ESPECIFICAÇÕES Classificam-se como procedimentos de DIAGNÓSTICOS: I Consulta Inicial Consiste em anamnese, preenchimento de ficha clínica Odontolegal, diagnósticos das doenças

Leia mais

Atendimento Emergencial... Consulta Clinica Geral... Prescrições de Medicamentos... Exames Clínicos Periódicos... RADIOGRAFIAS E EXAMES RADIOLÓGICOS

Atendimento Emergencial... Consulta Clinica Geral... Prescrições de Medicamentos... Exames Clínicos Periódicos... RADIOGRAFIAS E EXAMES RADIOLÓGICOS DESBAN Procedimentos YES EMPRESARIAL SPLIT Cobertura somente na rede credenciada YES EMPRESARIAL SPLIT PLUS Cobertura rede aberta (Reembolso) Atendimento Emergencial...... Consulta Clinica Geral......

Leia mais

TABELA DE HONORÁRIOS ODONTOLÓGICOS / TUSS - GOLDEN CROSS - REDE MASTER e PREFERENCIAL VALOR DE USO REDE MASTER e PREFERENCIAL : R$ 0,18

TABELA DE HONORÁRIOS ODONTOLÓGICOS / TUSS - GOLDEN CROSS - REDE MASTER e PREFERENCIAL VALOR DE USO REDE MASTER e PREFERENCIAL : R$ 0,18 DIAGNÓSTICO 17 800065 CONSULTA ODONTOLÓGICA INICIAL 0 17 800049 CONSULTA ODONTOLÓGICA DE URGÊNCIA 0 00 80120059 CONSULTA DE ESPECIALISTA EM ENDODONTIA 0 00 80120180 CONSULTA DE ESPECIALISTA EM ESTOMATOLOGIA

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Quanto ao mecanismo de fratura de um dente, podemos considerar como principal fator determinante:

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS. 21. Quanto ao mecanismo de fratura de um dente, podemos considerar como principal fator determinante: 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PRÓTESE DENTÁRIA 21. Quanto ao mecanismo de fratura de um dente, podemos considerar como principal fator determinante: a) Tratamento endodôntico. b) Perda da estrutura

Leia mais

CARGO DE DENTISTA. Abaixo são listadas algumas contraindicações para a realização do tratamento restaurador atraumático, com exceção de:

CARGO DE DENTISTA. Abaixo são listadas algumas contraindicações para a realização do tratamento restaurador atraumático, com exceção de: Questão 01 A proposta do Tratamento Restaurador Atraumático foi desenvolvida pelo Dr. Jo E. Frencken e sua equipe em meados dos anos 80. Tem como características: A) Paralisar o processo carioso através

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO 001/2014 Prefeitura Municipal de Bom Despacho AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO 001/2014 Prefeitura Municipal de Bom Despacho AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL 1)Para a prevenção e o controle da cárie, é necessário atuar em um conjunto de fatores : a) Restauração, polimento, bala b) Controle do açúcar, limpeza dos dentes, uso do flúor. c) Escovação, açúcar, flúor

Leia mais

Conhecimentos Específicos:

Conhecimentos Específicos: PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº003/2015 SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE CARGO: ODONTOLOGO 40 HORAS Nome do candidato: Doc. Identificação: Conhecimentos Específicos: 1- De acordo com a Lei Nº. 8.080, é

Leia mais

Caso 14. 1ª Parte. Refletindo e Discutindo

Caso 14. 1ª Parte. Refletindo e Discutindo Caso 14 1ª Parte Gabriel, 17 anos, procurou Maria, agente comunitária de saúde, para saber onde poderia tratar de seus vários dentes com buracos porque queria servir ao Exército. Maria pergunta se esse

Leia mais

Tabela de Preços/Descontos. Público em geral. Consulta de Medicina Dentária. Dentisteria e Estética. Restauração com Compósito ou Amálgama 50 45

Tabela de Preços/Descontos. Público em geral. Consulta de Medicina Dentária. Dentisteria e Estética. Restauração com Compósito ou Amálgama 50 45 SMILt Tabela de Preços/Descontos Designação Público em geral Comunidade IPLeiria Consulta de Medicina Dentária Consulta de Medicina Dentária 50 45 Consulta de Urgência 50 45 Dentisteria e Estética Restauração

Leia mais

Controle de Hemorragia sem Aplicação de Agente Hemostático em região Buco-maxilo-facial 82000484 130

Controle de Hemorragia sem Aplicação de Agente Hemostático em região Buco-maxilo-facial 82000484 130 ANEXO I TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS AGEMED Baseado na Lei 9656 e RN 211 - Edição julho/2014 Terminologia Unificada da Saúde Suplementar (TUSS). NOMENCLATURA / PROCEDIMENTO CÓDIGO TUSS RAIO X

Leia mais

GUIA DE SAÚDE BUCAL E TRAUMATISMO DENTAL PARA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA)

GUIA DE SAÚDE BUCAL E TRAUMATISMO DENTAL PARA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) GUIA DE SAÚDE BUCAL E TRAUMATISMO DENTAL PARA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) AUTORES Ingryd Coutinho de Oliveira Priscila Cunha Nascimento Discentes da Graduação em Odontologia e Bolsistas de Ensino

Leia mais

MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO

MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO BARROS, Ítala Santina Bulhões 1 LIMA, Maria Germana Galvão Correia 2 SILVA, Ariadne Estffany Máximo da

Leia mais

LINK CATÁLOGO DE EXAMES

LINK CATÁLOGO DE EXAMES Porque pedir um exame radiográfico? LINK CATÁLOGO DE EXAMES O exame radiográfico é solicitado para a visualização clinica das estruturas ósseas da cavidade bucal. Para isso, existem as mais diversas técnicas

Leia mais

Tomamos por exemplo a classificação referenciada por Kandelman et al em2008:

Tomamos por exemplo a classificação referenciada por Kandelman et al em2008: INTRODUÇÃO: O envelhecimento humano pode ser definido como o processo de mudança progressiva da estrutura biológica, psicológica e social dos indivíduos, que se inicia antes do nascimento e se desenvolve

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL (TSB)

CURSO TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL (TSB) CURSO TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL (TSB) INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO CARGA HORÁRIA: 1.200 HORAS COM ESTÁGIO DURAÇÃO : 2 ANOS PERIODICIDADE: SEMANAL (2ª, 3ª E 4ª) HORÁRIO DAS AULAS: 19H AS 21H INFORMAÇÕES SOBRE

Leia mais

MANIFESTAÇÕES E COMPLICAÇÕES BUCAIS NA DOENÇA FALCIFORME

MANIFESTAÇÕES E COMPLICAÇÕES BUCAIS NA DOENÇA FALCIFORME Departamento de Odontologia Social e Preventiva Faculdade de Odontologia - UFRJ MANIFESTAÇÕES E COMPLICAÇÕES BUCAIS NA DOENÇA FALCIFORME Marlene Cezini Doença Falciforme Conceito Doença genética caracterizada

Leia mais

TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS

TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS Obs. Para encontrar o valor dos serviços prestados pelos dentistas conveniados multiplica-se a quantidade de U.S.O. (Unidade Serviços Odontológicos) pelo valor estabelecido

Leia mais

! 1. Alterar forma e/ou cor vestibular dos dentes; 2. Realinhar dentes inclinados para lingual. Restaurações estéticas anteriores diretas.

! 1. Alterar forma e/ou cor vestibular dos dentes; 2. Realinhar dentes inclinados para lingual. Restaurações estéticas anteriores diretas. Restaurações estéticas anteriores diretas. O crescente desenvolvimento de materiais resinosos e técnicas adesivas, possibilita o planejamento e execução de restaurações de resina composta na dentição anterior.

Leia mais

TABELA DE REEMBOLSO. PRATA R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de tratamento. R$ 11,40 Exame histopatológico R$ 50,00

TABELA DE REEMBOLSO. PRATA R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de tratamento. R$ 11,40 Exame histopatológico R$ 50,00 TABELA DE REEMBOLSO PRATA R$ Consulta Inicial: Exame clínico e plano de tratamento. R$ 11,40 Exame histopatológico R$ 50,00 Urgência / Emergência Curativo em caso de hemorragia bucal R$ 37,80 Curativo

Leia mais

Sua melhor opção. Manual de Orientação 1

Sua melhor opção. Manual de Orientação 1 Sua melhor opção. Manual de Orientação 1 2 Manual de Orientação Julho/2013 (2 a edição) Indice Orientação ao Paciente Introdução 04 Implantes dentais 04 Titânio - a matéria-prima dos implantes 05 Osseointegração

Leia mais

SAÚDE BUCAL DO ADOLESCENTE

SAÚDE BUCAL DO ADOLESCENTE SAÚDE BUCAL DO ADOLESCENTE Texto montado a partir dos manuais: MINAS GERAIS. Secretaria de Estado de Saúde. Atenção à saúde do adolescente: Belo Horizonte: SAS/MG, 2006. p. 75-79. BARROS, Claudia Márcia

Leia mais

Curso de Especialização em Endodontia

Curso de Especialização em Endodontia Curso de Especialização em Endodontia Coordenador: Prof. Nilton Vivacqua EndodontiaAvancada.com OBJETIVOS DO CURSO Este curso tem como objetivos colocar à disposição de clínicos gerais, a oportunidade

Leia mais

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Natasha. Fundamentação teórica Odontohebiatria PROVAB

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Natasha. Fundamentação teórica Odontohebiatria PROVAB Caso complexo Natasha Especialização em Fundamentação teórica PROVAB Isa Teixeira Gontijo Para compreender bem as medidas que devem ser adotadas na prevenção da doença cárie e da doença gengival, diagnosticadas

Leia mais

ANEXO RN 211 ROL DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS

ANEXO RN 211 ROL DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS ROL DE ONTOLÓGICOS PROCEDIMENTO SUBGRUPO GRUPO CAPÍTULO AMB HCO HSO PAC D.UT ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL (COM DIRETRIZ DE AJUSTE OCLUSAL ALVEOLOPLASTIA AMPUTAÇÃO RADICULAR COM OU SEM OBTURAÇÃO RETRÓGRADA APICETOMIA

Leia mais

Tabela de Preços Convencionados para Medicina Dentária e Estomatologia

Tabela de Preços Convencionados para Medicina Dentária e Estomatologia Tabela de Preços Convencionados para Medicina Dentária e Estomatologia Em consequência de condições específicas convencionadas com os prestadores, o valor assumido pela Pessoa Segura poderá, em algumas

Leia mais