Espessamento endometrial na pós menopausa - aspectos atuais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Espessamento endometrial na pós menopausa - aspectos atuais"

Transcrição

1 Espessamento endometrial na pós menopausa - aspectos atuais I Curso Téorico-Prático de Histeroscopia do Hospital Pérola Byington 31 mai e 01 jun de 2012 Alysson Zanatta Núcleo de Endoscopia Ginecológica Hospital Pérola Byington

2 Davis P C et al. Radiographics 2002; 22:

3 É câncer? =??? Davis P C et al. Radiographics 2002;22:

4 É câncer? =??? Samardar P et al. Radiographics 2002;22:19-33

5 É câncer? =???

6 É câncer? =??? Gonçalves MO, 2010

7 É câncer? =??? Davis P C et al. Radiographics 2002;22:

8 Espessamento endometrial na pós menopausa I. Em que situação se deu o achado, e quais os fatores de risco da paciente?

9 Espessamento endometrial na pós menopausa II. Quando prosseguir na investigação, e qual a melhor maneira?

10 Espessamento endometrial na pós menopausa III. Conseguimos reduzir a morbimortalidade da doença?

11 Fatores de risco idade sd. Lynch diabetes mellitus obesidade hiperestrogenismo sangramento uterino

12 sangramento uterino 15-25% de malignidade

13 Etiologia do sangramento genital pós menopausa 15% 5% 30% 10% 10% 30% atrofia mistas hormônio exógeno hiperplasia endometrial pólipos câncer endometrial Hacker NF. Essentials of Obstetrics and Gynecology, 3rd Ed., 1998

14 Predição ultrassonográfica do câncer de endométrio em relação à espessura endometrial (com sangramento) % espessura (mm) sensibilidade especificidade Smith-Bindmann et al JAMA 1998;280:1510-7

15 Predição ultrassonográfica do câncer de endométrio em relação à espessura endometrial (com sangramento) ,9 % ,4 0 Smith-Bindmann et al : 5 mm Timmermans et al: 3 mm JAMA. 1998;280: Obstet Gynecol : espessura endometrial sensibilidade especificidade

16 Predição ultrassonográfica do câncer de endométrio em relação à espessura endometrial (com sangramento) Ref espessura endometrial n câncer VPN Karlsson, mm % Ferrazzi, mm ,8% 5 mm 4 99,6% Gull, mm ,4% Epstein, mm % Gull, mm % American College of Obstetrician and Gynecologists Committee Opinion 440. The role of transvaginal ultrasonography in the evaluation of postmenopausal bleeding. Obstet Gynecol 2009:114;409-11

17 4 mm American College of Obstetrician and Gynecologists Committee Opinion 440. The role of transvaginal ultrasonography in the evaluation of postmenopausal bleeding. Obstet Gynecol 2009:114;409-11

18 Achados histologicos em pacientes pós menopausa SEM sangramento vaginal 14,1% 0,1% 0,3% 0,2% 0,2% 1,1% n= ,0% endométrio benigno endométrio proliferativo hiperplasia sem atipia câncer de endométrio tecido insuficiente / sem tecido endométrio secretor hiperplasia com atipia Fleischer et al AJOG 2001:184:70-4

19 Achados histologicos em pacientes pós menopausa SEM sangramento vaginal, > 6mm 9,5% 9,5% 2,4% 4,7% n=42 73,9% endométrio benigno endométrio proliferativo câncer de endométrio tecido insuficiente / sem tecido endométrio secretor Fleischer et al AJOG 2001:184:70-4

20 corte teórica endométrio > 11mm risco de malignidade = 6.7% endométrio 11mm risco de malignidade = 0.002%???? Ultrasound Obstet Gynecol 2004; 24:558-65

21 rastreamento endométrio 5mm sens 77%, especif 85.8% regressão logística endométrio 6.75mm sens 84.3%, especif 89.9% * pacientes de risco: obesidade, idade, história pessoal de câncer de mama ou outra neoplasia????? Lancet 2011: 12:38-48

22 ausência de sangramento = baixa probabilidade de neoplasia

23 Prevalência de pólipos endometriais na pós menopausa 10-17%

24 Achados histeroscópicos em pacientes SEM sangramento 80% Dreisler E, Sorensen SS, Ibsen PH, Lose G. Ultrasound Obstet Gynecol. 2009; 33:

25 Achados histeroscópicos em pacientes SEM sangramento 0,1-0,4% de malignidade Ferrazzi E, Zupi E, Leone FP, et al.. Am J Obstet Gynecol. 2009; 200:235 e

26 Quando investigar, e qual a melhor maneira?

27 Sangramento*pós* menopausa* USG*TV* eco*endometrial* *4*mm* eco*endometrial* >*4*mm* Seguimento* clínico* Biópsia*ambulat* OU*histeroscopia* com*biópsia* ACOG Committee Opinion 440. Obstet and Gynecol 2009; 114:409-11

28

29

30 espessamento + pós+menopausa+ SEM+sangramento+ Seguimento+ clínico+ ** condutas individualizadas podem ser tomadas sob condições clínicas de risco ACOG Committee Opinion 440. Obstet and Gynecol 2009; 114:409-11

31 redução da morbimortalidade do câncer de endométrio

32 Evolução HIPOTÉTICA do câncer de endométrio sangramento? Anos celular hiperplasia estádio inicial estádio avançado 90% dos casos de câncer têm sangramento precoce 80% dos diagnósticos são em estádio inicial

33 sobrevida é semelhante quando intervenção < 8 sem na presença de sangramento Gerber B. Eur J Cancer 2001; 37:64-71

34 1.Sangramento uterino é o principal marcador para diagnóstico precoce do câncer de endométrio 2. Valor de corte para espessura endometrial = 4mm 3. não há indicação de avaliação em paciente assintomática, em geral

35 @alyssonzanatta

Alexandre de Lima Farah

Alexandre de Lima Farah Alexandre de Lima Farah Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico

Leia mais

Câncer de Endométrio Hereditário

Câncer de Endométrio Hereditário Disciplina de Cirurgia Geral e do Aparelho Digestivo Coordenador do Serviço de Cirurgia Oncológica I Disciplina Eletiva de Fundamentos da Cirurgia Oncológica Professor Afiliado Abner Jorge Jácome Barrozo

Leia mais

PERFIL DAS PACIENTES INVESTIGADAS POR SANGRAMENTO PÓS-MENOPAUSA NO HOSPITAL JÚLIA KUBITSCHEK NOS ANOS DE 2010 A 2014

PERFIL DAS PACIENTES INVESTIGADAS POR SANGRAMENTO PÓS-MENOPAUSA NO HOSPITAL JÚLIA KUBITSCHEK NOS ANOS DE 2010 A 2014 15 ARTIGO ORIGINAL PERFIL DAS PACIENTES INVESTIGADAS POR SANGRAMENTO PÓS-MENOPAUSA NO HOSPITAL JÚLIA KUBITSCHEK NOS ANOS DE 2010 A 2014 A SURVEY OF THE PROFILE OF PATIENTS INVESTIGATED FOR POST-MENOPAUSAL

Leia mais

Espessura endometrial na pós-menopausa

Espessura endometrial na pós-menopausa Artigo de Revisão Espessura endometrial na pós-menopausa Postmenopausal endometrium thickness Ana Carolina C Bozza 1, Carolina O Nastri 1,2, Wellington P Martins 1, 2 A ultrassonografia na avaliação endometrial

Leia mais

Achados histeroscópicos em pacientes na pós-menopausa com espessamento endometrial à ultra-sonografia

Achados histeroscópicos em pacientes na pós-menopausa com espessamento endometrial à ultra-sonografia Artigo original Achados histeroscópicos em pacientes na pós-menopausa com espessamento endometrial à ultra-sonografia Hysteroscopic findings in postmenopausal patients with ultrasonographic diagnosis of

Leia mais

Comparação entre os Achados Ultra-sonográficos, Histeroscópicos e Histopatológicos no Sangramento Uterino da Pós-menopausa

Comparação entre os Achados Ultra-sonográficos, Histeroscópicos e Histopatológicos no Sangramento Uterino da Pós-menopausa RBGO 25 (4): 229-235, 23 Trabalhos Originais Comparação entre os Achados Ultra-sonográficos, Histeroscópicos e Histopatológicos no Sangramento Uterino da Pós-menopausa Comparison of Ultrasonographic, Hysteroscopic

Leia mais

Acurácia da Histeroscopia na Avaliação da Cavidade Uterina em Pacientes com Sangramento Uterino Pós-Menopausa

Acurácia da Histeroscopia na Avaliação da Cavidade Uterina em Pacientes com Sangramento Uterino Pós-Menopausa RBGO 25 (4): 237-241, 2003 Acurácia da na Avaliação da Cavidade Uterina em Pacientes com Sangramento Uterino Pós-Menopausa Trabalhos Originais Accuracy of Hysteroscopy in the Evaluation of the Uterine

Leia mais

Avaliação ultra-sonográfica da paciente no climatério

Avaliação ultra-sonográfica da paciente no climatério Avaliação ultra-sonográfica da paciente no climatério Marco Aurélio Martins de Souza Unimontes-MG Tiradentes MG SOGIMIG 2008 Introdução Climatério é um evento fisiológico Deve ser considerado sob uma perspectiva

Leia mais

CAPÍTULO 18. MIOMAS SUBMUCOSOS: ESTADIAMEnTOS PARA TRATAMEnTO HISTEROSCÓPICO. 1. INTRODUçãO

CAPÍTULO 18. MIOMAS SUBMUCOSOS: ESTADIAMEnTOS PARA TRATAMEnTO HISTEROSCÓPICO. 1. INTRODUçãO CAPÍTULO 18 MIOMAS SUBMUCOSOS: ESTADIAMEnTOS PARA TRATAMEnTO HISTEROSCÓPICO 1. INTRODUçãO Leiomiomas uterinos são os tumores mais frequentes do trato genital feminino, clinicamente aparentes em 25% das

Leia mais

Dra. Erica Stein Ciasca. Orientadora: Dra. Lenita Panaro Serviço de Ginecologia HUCFF 21/09/2012

Dra. Erica Stein Ciasca. Orientadora: Dra. Lenita Panaro Serviço de Ginecologia HUCFF 21/09/2012 Hiperplasia Endometrial Classificação e Terapêutica Dra. Erica Stein Ciasca Orientadora: Dra. Lenita Panaro Serviço de Ginecologia HUCFF 21/09/2012 Endométrio Normal Fase Proliferativa Relação Glândulas/Estroma

Leia mais

CONCLUSÕES DOS REVISORES

CONCLUSÕES DOS REVISORES CARDIOTOCOGRAFIA: o seu valor na obstetrícia atual. CORINTIO MARIANI NETO Hospital Maternidade Leonor Mendes de Barros Universidade Cidade de São Paulo CARDIOTOCOGRAFIA Análise da frequência cardíaca fetal

Leia mais

HISTEROSCOPIA CIRÚRGICA COMO ALTERNATIVA À HISTERECTOMIA INDICAÇÕES

HISTEROSCOPIA CIRÚRGICA COMO ALTERNATIVA À HISTERECTOMIA INDICAÇÕES HISTEROSCOPIA CIRÚRGICA COMO ALTERNATIVA À HISTERECTOMIA INDICAÇÕES DGO USP RIB PRETO HISTEROSCOPIA CIRURGICA COMO ALTERNATIVA À HISTERECTOMIA Histerectomia Taxas excessivamente altas em alguns países

Leia mais

Estudo epidemiológico descritivo das pacientes atendidas no Ambulatório de Patologia Endometrial do Hospital Universitário

Estudo epidemiológico descritivo das pacientes atendidas no Ambulatório de Patologia Endometrial do Hospital Universitário 0004-2773/05/34-02/15 Arquivos Catarinenses de Medicina Arquivos Catarinenses de Medicina Vol. 34, n o. 2, de 2005 15 ARTIGO ORIGINAL Estudo epidemiológico descritivo das pacientes atendidas no Ambulatório

Leia mais

VÍDEO-HISTEROSCOPIA DA IMAGEM ENDOMETRIAL ALTERADA: UMA AVALIAÇÃO CRÍTICA

VÍDEO-HISTEROSCOPIA DA IMAGEM ENDOMETRIAL ALTERADA: UMA AVALIAÇÃO CRÍTICA Artigo Original ISSN 0100-6991 Vol. 34 - Nº 6, Nov. / Dez. 2007 Osthoff et al. VÍDEO-HISTEROSCOPIA DA IMAGEM ENDOMETRIAL ALTERADA: UMA AVALIAÇÃO CRÍTICA HYSTEROSCOPY WITH ABNORMAL ENDOMETRIAL IMAGE: CRITICAL

Leia mais

RM padrão de 1,5T no câncer endometrial: moderada concordância entre radiologistas

RM padrão de 1,5T no câncer endometrial: moderada concordância entre radiologistas Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina Departamento de Diagnóstico por Imagem RM padrão de 1,5T no câncer endometrial: moderada concordância entre radiologistas Especializanda: Renata

Leia mais

Hemorragia Genital na Pós-Menopausa

Hemorragia Genital na Pós-Menopausa Curso de Pós-Graduação em Geriatria Hemorragia Genital na Pós-Menopausa Avaliação e orientação diagnóstica Pedro Viana Pinto Introdução 5% motivos de consulta em Ginecologia Maioria dos casos têm etiologias

Leia mais

Tumores anexiais: O que valorizar?

Tumores anexiais: O que valorizar? Mariana Olival da Cunha marianaolival@ig.com.br Tumores anexiais: O que valorizar? Mariana Olival da Cunha (R2) Orientadora: Dra. Rebecca Sotelo Epidemiologia 6 a neoplasia maligna mais freqüente Baixa

Leia mais

AVALIAÇÃO DA MALIGNIDADE DE PÓLIPOS ENDOMETRIAIS NA PÓS- MENOPAUSA

AVALIAÇÃO DA MALIGNIDADE DE PÓLIPOS ENDOMETRIAIS NA PÓS- MENOPAUSA 32 Artigo Original AVALIAÇÃO DA MALIGNIDADE DE PÓLIPOS ENDOMETRIAIS NA PÓS- MENOPAUSA Mayra Pereira dos Santos 1, Arthur Diego de Aquino Moreira 2*, Felipe Matheus Neves Silva 2, Margarida Rosa dos Santos

Leia mais

Dr. Carlos Eduardo de Godoy Junior CRM: SP

Dr. Carlos Eduardo de Godoy Junior CRM: SP Dr. Carlos Eduardo de Godoy Junior CRM: 111.748 - SP - Graduação em Medicina - UNICAMP (1998-2003) - Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia - UNICAMP (2005-2007) - Título de Especialista em Ginecologia

Leia mais

Achados Histeroscópicos em Mulheres na Pós-menopausa com Diagnóstico de Espessamento Endometrial por Ultra-sonografia Transvaginal.

Achados Histeroscópicos em Mulheres na Pós-menopausa com Diagnóstico de Espessamento Endometrial por Ultra-sonografia Transvaginal. RBGO 6 (): -8, 004 Trabalhos Originais Achados Histeroscópicos em Mulheres na Pós-menopausa com Diagnóstico de Espessamento Endometrial por Ultra-sonografia Transvaginal. Hysteroscopic Findings in Postmenopausal

Leia mais

Rodrigo de Morais Hanriot Radioterapeuta Sênior Hospital Israelita Albert Einstein e Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Rodrigo de Morais Hanriot Radioterapeuta Sênior Hospital Israelita Albert Einstein e Hospital Alemão Oswaldo Cruz Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Câncer Ginecológico Rodrigo de Morais Hanriot Radioterapeuta Sênior Hospital Israelita Albert Einstein e Hospital Alemão Oswaldo Cruz Índice Neoplasia endometrial

Leia mais

Comparação entre ultrassonografia transvaginal e histerossonografia na avaliação de pacientes com sangramento uterino anormal *

Comparação entre ultrassonografia transvaginal e histerossonografia na avaliação de pacientes com sangramento uterino anormal * ARTIGO e ORIGINAL em sangramento ORIGINAL uterino anormal ARTICLE Comparação entre ultrassonografia transvaginal e histerossonografia na avaliação de pacientes com sangramento uterino anormal * Comparison

Leia mais

É um nódulo pulmonar?

É um nódulo pulmonar? Avaliação dos Pequenos Nódulos Pulmonares Alexandre Dias Mançano Radiologia Anchieta Hospital Regional de Taguatinga DF É um nódulo pulmonar? Até 20% são imagens que mimetizam nódulos ao RX Fratura de

Leia mais

Comparação entre a Histerossonografia, a Histeroscopia e a Histopatologia na Avaliação da Cavidade Uterina de Mulheres na Pós menopausa

Comparação entre a Histerossonografia, a Histeroscopia e a Histopatologia na Avaliação da Cavidade Uterina de Mulheres na Pós menopausa RBGO 25 (9): 667-672, 2003 Trabalhos Originais Comparação entre a Histerossonografia, a Histeroscopia e a Histopatologia na Avaliação da Cavidade Uterina de Mulheres na Pós menopausa Comparison between

Leia mais

Importância dos. em Ginecologia Ramon Andrade R2 Prof. Dr. Maurício Magalhães - Orientador

Importância dos. em Ginecologia Ramon Andrade R2 Prof. Dr. Maurício Magalhães - Orientador Importância dos marcadores tumorais em Ginecologia Ramon Andrade R2 Prof. Dr. Maurício Magalhães - Orientador Definição Macromoléculas (principalmente proteínas) Origem Gênese tumoral Resposta do organismo

Leia mais

NEWS: ARTIGOS CETRUS Ano V Edição 45 Maio 2013

NEWS: ARTIGOS CETRUS Ano V Edição 45 Maio 2013 NEWS: ARTIGOS CETRUS Ano V Edição 45 Maio 2013 COMO AVALIAR TUMORES ANEXIAIS RELATO DE CASO COMO AVALIAR TUMORES ANEXIAIS Relato de Caso AUTOR: FERNANDO GUASTELLA INSTITUIÇÃO: CETRUS Centro de Ensino em

Leia mais

Manejo Ambulatorial de Massas Anexiais

Manejo Ambulatorial de Massas Anexiais Instituto Fernandes Figueira FIOCRUZ Departamento de Ginecologia Residência Médica Manejo Ambulatorial de Massas Anexiais Alberto Tavares Freitas Tania da Rocha Santos Abril de 2010 Introdução Representam

Leia mais

Reunião GETH. Abril.2014

Reunião GETH. Abril.2014 Reunião GETH Abril.2014 Caso 1 Dr Sérgio Mancini Nicolau Caso I: Sexo feminino, 40 anos, casada, administradora História da Doença Atual: 2013 - Paciente sem queixas específicas, conta que irmã teve diagnóstico

Leia mais

Metrorragia pós-menopausa

Metrorragia pós-menopausa Metrorragia pós-menopausa LEONOR ASSIS RAMOS*, LEONOR SANTOS*, ANA FATELA** Os autores pretenderam fazer uma revisão da literatura sobre a etiologia, diagnóstico e terapêutica da metrorragia pós-menopausa.

Leia mais

O que fazer perante:nódulo da tiroideia

O que fazer perante:nódulo da tiroideia 10º Curso Pós-Graduado NEDO 2010 Endocrinologia Clínica ASPECTOS PRÁTICOS EM ENDOCRINOLOGIA O que fazer perante:nódulo da tiroideia Zulmira Jorge Serviço Endocrinologia Diabetes e Metabolismo. H. Santa

Leia mais

AGC sem especificação e AGC favorece neoplasia O que fazer? Yara Furtado

AGC sem especificação e AGC favorece neoplasia O que fazer? Yara Furtado AGC sem especificação e AGC favorece neoplasia Yara Furtado Atipias de Células Glandulares Bethesda 1991 Bethesda 2001 Células Glandulares *Células endometriais, benignas, em mulheres na pós-menopausa

Leia mais

Avaliação da acurácia ultra-sonográfica no estudo da cavidade uterina utilizando como padrão ouro a histeroscopia diagnóstica.

Avaliação da acurácia ultra-sonográfica no estudo da cavidade uterina utilizando como padrão ouro a histeroscopia diagnóstica. Artigo original Avaliação da acurácia ultra-sonográfica no estudo da cavidade uterina utilizando como padrão ouro a histeroscopia diagnóstica Evaluation of the ultrasound accuracy in the study of the uterine

Leia mais

vulva 0,9% ovário 5,1%

vulva 0,9% ovário 5,1% endométrio 12,3% ovário 5,1% vulva 0,9% colo uterino 13,3% câncer de mama 68,4% Maior incidência nas mulheres acima de 60 anos ( 75% ) Em 90% das mulheres o primeiro sintoma é o sangramento vaginal pós-menopausa

Leia mais

Vigilância das Doenças Crônicas Não

Vigilância das Doenças Crônicas Não Universidade Federal Fluminense Instituto de Saúde Coletiva MEB Epidemiologia IV Vigilância das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil Maria Isabel do Nascimento MEB/ Departamento de Epidemiologia

Leia mais

Punção Aspirativa com Agulha Fina Guiada por Ultrassonografia Endoscópica PAAF-USE primeira linha suspeita de neoplasia do pâncreas

Punção Aspirativa com Agulha Fina Guiada por Ultrassonografia Endoscópica PAAF-USE primeira linha suspeita de neoplasia do pâncreas A Punção Aspirativa com Agulha Fina Guiada por Ultrassonografia Endoscópica (PAAF-USE) é utilizada para estudo de lesões pancreáticas Complementa a caracterização imagiológica Método de primeira linha

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO DE SELEÇÃO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA

CONCURSO PÚBLICO DE SELEÇÃO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA CONCURSO PÚBLICO DE SELEÇÃO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA 2012 PROVA TIPO C C / EG ENDOSCOPIA GINECOLÓGICA 1 2 CONCURSO 2012 PARA RESIDÊNCIA MÉDICA UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO

Leia mais

Microcarcinoma cervical-questões: Seguimento: igual ao da NIC III?

Microcarcinoma cervical-questões: Seguimento: igual ao da NIC III? Microcarcinoma cervical-questões: : igual ao da NIC III? Yara Furtado Professora assistente da UNIRIO Médica do Ambulatório de Patologia Cervical do Instituto de Ginecologia da UFRJ FIGO Committee on Ginecologic

Leia mais

Vigilância das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil

Vigilância das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil Universidade Federal Fluminense Instituto de Saúde Coletiva MEB Epidemiologia IV Vigilância das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil Maria Isabel do Nascimento MEB/ Departamento de Epidemiologia

Leia mais

Vigilância das Doenças Crônicas Não

Vigilância das Doenças Crônicas Não Universidade Federal Fluminense Instituto de Saúde Coletiva MEB Epidemiologia IV Vigilância das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil Maria Isabel do Nascimento MEB/ Departamento de Epidemiologia

Leia mais

Rastreamento para Câncer de Pulmão

Rastreamento para Câncer de Pulmão Rastreamento para Câncer de Pulmão Rosana S Rodrigues Coordenadora de Pesquisa - Área de Imagem ID Or Médica Radiologista Hospital Copa D Or e HUCFF/UFRJ Rastreamento anual por TC de baixa dose (LDCT)

Leia mais

CÂnCER DE EnDOMéTRIO. Estados anovulatórios (ex: Síndrome dos ovários policísticos) Hiperadrenocortisolismo

CÂnCER DE EnDOMéTRIO. Estados anovulatórios (ex: Síndrome dos ovários policísticos) Hiperadrenocortisolismo CAPÍTULO 3 CÂnCER DE EnDOMéTRIO O Câncer de endométrio, nos Estados Unidos, é o câncer pélvico feminino mais comum. No Brasil, o câncer de corpo de útero perde em número de casos apenas para o câncer de

Leia mais

Tumores Ginecológicos. Enfª Sabrina Rosa de Lima Departamento de Radioterapia Hospital Israelita Albert Einstein

Tumores Ginecológicos. Enfª Sabrina Rosa de Lima Departamento de Radioterapia Hospital Israelita Albert Einstein Tumores Ginecológicos Enfª Sabrina Rosa de Lima Departamento de Radioterapia Hospital Israelita Albert Einstein Tumores Ginecológicos Colo de útero Endométrio Ovário Sarcomas do corpo uterino Câncer de

Leia mais

NÓDULO PULMONAR SOLITÁRIO

NÓDULO PULMONAR SOLITÁRIO Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Medicina Hospital São Lucas SERVIÇO DE CIRURGIA TORÁCICA José Antônio de Figueiredo Pinto DEFINIÇÃO Lesão arredondada, menor que 3.0 cm

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE RADIOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE RADIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE MEDICINA DEPARTAMENTO DE RADIOLOGIA ACHADOS DA VIDEO-HISTEROSCOPIA EM PACIENTES ENCAMINHADAS A UM CENTRO DE REFERÊNCIA PARA

Leia mais

Infertilidade. Propedêutica básica do casal infértil

Infertilidade. Propedêutica básica do casal infértil Propedêutica básica do casal infértil Conceitos -INFERTILIDADE: Ausência de contracepção após um ano de tentativa, sem a utilização de um método contraceptivo. -FECUNDIBILIDADE: É a probabilidade de se

Leia mais

EFICÁCIA DIAGNÓSTICA DA HISTEROSCOPIA EM MULHERES COM METRORRAGIA PÓS-MENOPAUSA

EFICÁCIA DIAGNÓSTICA DA HISTEROSCOPIA EM MULHERES COM METRORRAGIA PÓS-MENOPAUSA EFICÁCIA DIAGNÓSTICA DA HISTEROSCOPIA EM MULHERES COM METRORRAGIA PÓS-MENOPAUSA Revista UNILUS Ensino e Pesquisa v. 13, n. 30, jan./mar. 2016 ISSN 2318-2083 (eletrônico) Rafael Ehrenfreund Acadêmico do

Leia mais

Dilatação e Curetagem na Avaliação do Sangramento Uterino Anormal: Achados Histopatológicos e Relação Custo/Benefício

Dilatação e Curetagem na Avaliação do Sangramento Uterino Anormal: Achados Histopatológicos e Relação Custo/Benefício RBGO 22 (8): 495-502, 2000 Trabalhos Originais Dilatação e Curetagem na Avaliação do Sangramento Uterino Anormal: Achados Histopatológicos e Relação Custo/Benefício Dilatation and Curettage in the Evaluation

Leia mais

Avaliação histológica de pólipos endometriais em mulheres após a menopausa e correlação com o risco de malignização

Avaliação histológica de pólipos endometriais em mulheres após a menopausa e correlação com o risco de malignização 18 Avaliação histológica de pólipos endometriais em mulheres após a menopausa e correlação com o risco de malignização Artigos Originais Histopathologic features of endometrial polyps during menopause

Leia mais

Caso Clínico. Identificação: V.M.M Paciente do sexo feminino. 32 anos. G1P1A0.

Caso Clínico. Identificação: V.M.M Paciente do sexo feminino. 32 anos. G1P1A0. Reunião de casos Caso Clínico Identificação: V.M.M Paciente do sexo feminino. 32 anos. G1P1A0. Caso Clínico Quadro Clínico: - Dor abdominal, mais evidente em hipogástrio e metrorragia há 02 meses. Investigação

Leia mais

O PAPEL DOS TESTES DIAGNÓSTICOS EM POLÍTICA PÚBLICA DE SAÚDE E EM DECISÕES CLÍNICAS. Murilo Contó National Consultant PAHO/WHO

O PAPEL DOS TESTES DIAGNÓSTICOS EM POLÍTICA PÚBLICA DE SAÚDE E EM DECISÕES CLÍNICAS. Murilo Contó National Consultant PAHO/WHO O PAPEL DOS TESTES DIAGNÓSTICOS EM POLÍTICA PÚBLICA DE SAÚDE E EM DECISÕES CLÍNICAS Murilo Contó National Consultant PAHO/WHO Sumário 1- Definição Produtos Diagnósticos in vitro (IVD) 2- Características

Leia mais

Diagnóstico da adenomiose por métodos de imagem

Diagnóstico da adenomiose por métodos de imagem Artigo de Revisão Diagnóstico da adenomiose por métodos de imagem Diagnosis of adenomyosis by imaging Elaine M A Borges 1, Wellington P Martins 1, 2 A endometriose é caracterizada pela presença de tecido

Leia mais

Testes Diagnósticos. HEP Cassia Maria Buchalla

Testes Diagnósticos. HEP Cassia Maria Buchalla Testes Diagnósticos HEP 176 2017 Cassia Maria Buchalla Os testes são utilizados no diagnóstico clínico, na triagem e na pesquisa Concebido como um teste laboratorial, também se aplica à informação obtida

Leia mais

A Histerossonografia na Avaliação da Cavidade Uterina em Pacientes Menopausadas

A Histerossonografia na Avaliação da Cavidade Uterina em Pacientes Menopausadas RBGO 24 (8): 541-545, 2002 A na Avaliação da Cavidade Uterina em Pacientes Menopausadas Trabalhos Originais Sonohysterography in the evaluation of the uterine cavity in postmenopausal women Benito Pio

Leia mais

Artigo. Original. UNITERMOS: Obesidade. Endométrio. Pré-menopausa. Pós-menopausa. Hipertensão. Colesterol.

Artigo. Original. UNITERMOS: Obesidade. Endométrio. Pré-menopausa. Pós-menopausa. Hipertensão. Colesterol. Artigo Original PREVALÊNCIA DE LESÕES ENDOMETRIAIS EM MULHERES OBESAS ASSINTOMÁTICAS DANIELA ALVES DA CRUZ GOUVEIA*, LUIS BAHAMONDES, JOSÉ MENDES ALDRIGHI, SONIA TAMANAHA, ALESSANDRA LORENTI RIBEIRO, TSUTOMU

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2009 Altera a Lei nº 11.664, de 29 de abril de 2008, para incluir a pesquisa de biomarcadores entre as ações destinadas à detecção precoce das neoplasias malignas de mama

Leia mais

Lesões precursoras e câncer em pólipos do endométrio de pacientes submetidas à polipectomia histeroscópica

Lesões precursoras e câncer em pólipos do endométrio de pacientes submetidas à polipectomia histeroscópica ARTIGO ORIGINAL Lesões precursoras e câncer em pólipos do endométrio de pacientes submetidas à polipectomia histeroscópica Premalignant and malignant lesions in endometrial polyps in patients undergoing

Leia mais

Yara Furtado Professora Adjunta UFRJ/UNIRIO Chefe do Ambulatório de Patologia Cervical IG/UFRJ e HUGG Presidente ABPTGIC Capítulo RJ Secretária

Yara Furtado Professora Adjunta UFRJ/UNIRIO Chefe do Ambulatório de Patologia Cervical IG/UFRJ e HUGG Presidente ABPTGIC Capítulo RJ Secretária Yara Furtado Professora Adjunta UFRJ/UNIRIO Chefe do Ambulatório de Patologia Cervical IG/UFRJ e HUGG Presidente ABPTGIC Capítulo RJ Secretária Adjunta ABPTGIC ASC-US e ASC-H Significado clínico Sistema

Leia mais

Ygor Vieira de Oliveira. Declaração de conflito de interesse

Ygor Vieira de Oliveira. Declaração de conflito de interesse Ygor Vieira de Oliveira Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico

Leia mais

DIAGNÓSTICO. Processo de decisão clínica que baseia-se, conscientemente ou não, em probabilidade. Uso dos testes diagnósticos

DIAGNÓSTICO. Processo de decisão clínica que baseia-se, conscientemente ou não, em probabilidade. Uso dos testes diagnósticos Universidade Federal do Rio de Janeiro Centro de Ciências da Saúde Faculdade de Medicina / Instituto de Estudos em Saúde Coletiva - IESC Departamento Medicina Preventiva Disciplina de Epidemiologia Testes

Leia mais

EPIDEMIOLOGIA, ESTADIAMENTO E PREVENÇÃO DO CÂNCER

EPIDEMIOLOGIA, ESTADIAMENTO E PREVENÇÃO DO CÂNCER EPIDEMIOLOGIA, ESTADIAMENTO E PREVENÇÃO DO CÂNCER Felipe Trevisan Radioterapia HCFMRP USP Fevereiro / 2012 Epidemiologia Descritiva Incidência Mortalidade Analítica Estudo das causas das doenças Epidemiologia

Leia mais

MÉTODOS MOLECULARES PARA IDENTIFICAÇÃO DO HPV COLO UTERINO. Dra Rejane Santana R3 Orientadora: Dra Vera Fonseca

MÉTODOS MOLECULARES PARA IDENTIFICAÇÃO DO HPV COLO UTERINO. Dra Rejane Santana R3 Orientadora: Dra Vera Fonseca UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CLEMENTINO FRAGA FILHO SERVIÇO DE GINECOLOGIA MÉTODOS MOLECULARES PARA IDENTIFICAÇÃO DO HPV NO RASTREIO DO CÂNCER DE COLO UTERINO Dra Rejane

Leia mais

Lista de Exercícios de Probabilidades

Lista de Exercícios de Probabilidades Lista de Exercícios de Probabilidades Joel M. Corrêa da Rosa 2011 1. Lançam-se três moedas. Enumere o espaço amostral e os eventos : Ω = {(c, c, c); (k, k, k); (c, k, k); (k, c, k); (k, k, c); (k, c, c);

Leia mais

COMPARAÇÃO DOS ACHADOS ULTRA-SONOGRÁFICOS, HISTEROSCÓPICOS E HISTOPATOLÓGICOS EM PACIENTES COM SANGRAMENTO UTERINO NA PÓS-MENOPAUSA

COMPARAÇÃO DOS ACHADOS ULTRA-SONOGRÁFICOS, HISTEROSCÓPICOS E HISTOPATOLÓGICOS EM PACIENTES COM SANGRAMENTO UTERINO NA PÓS-MENOPAUSA COMPARAÇÃO DOS ACHADOS ULTRA-SONOGRÁFICOS, HISTEROSCÓPICOS E HISTOPATOLÓGICOS EM PACIENTES COM SANGRAMENTO UTERINO NA PÓS-MENOPAUSA AUTORA: ADRIANA SCAVUZZI ORIENTADORES: JOÃO SABINO PINHO NETO MELANIA

Leia mais

Fatores de risco: O histórico familiar é um importante fator de risco não modificável para o câncer de mama. Mulheres com parentes de primeiro grau

Fatores de risco: O histórico familiar é um importante fator de risco não modificável para o câncer de mama. Mulheres com parentes de primeiro grau Câncer O que é câncer? Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se (metástase)

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Colo do Útero, Anticoncepcionais, Teste de Papanicolaou.

PALAVRAS-CHAVE Colo do Útero, Anticoncepcionais, Teste de Papanicolaou. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

17/06/15. Administração de misoprostol previamente a procedimentos histeroscópicos. Histeroscopia. Preparação cervical. Preparação cervical

17/06/15. Administração de misoprostol previamente a procedimentos histeroscópicos. Histeroscopia. Preparação cervical. Preparação cervical Administração de misoprostol previamente a procedimentos histeroscópicos Histeroscopia A taxa de complicações decorrentes de procedimentos histeroscópicos é baixa (1-1,5%) Maioria relacionada com a introdução

Leia mais

COMPARAÇÃO DO ULTRA-SOM TRANSVAGINAL E DA HISTEROSCOPIA AMBULATORIAL No Diagnóstico das Doenças Intra-Uterinas

COMPARAÇÃO DO ULTRA-SOM TRANSVAGINAL E DA HISTEROSCOPIA AMBULATORIAL No Diagnóstico das Doenças Intra-Uterinas ARTIGO ORIGINAL Acta Med Port 2011; 24(S2): 65-70 COMPARAÇÃO DO ULTRA-SOM TRANSVAGINAL E DA HISTEROSCOPIA AMBULATORIAL No Diagnóstico das Doenças Intra-Uterinas Daniela A. YELA, Simone R. HIDALGO, Kelly

Leia mais

Relato de Caso: Carcinossarcoma uterino em paciente com achado sugestivo de Leiomioma à histeroscopia

Relato de Caso: Carcinossarcoma uterino em paciente com achado sugestivo de Leiomioma à histeroscopia V. 1, n. 02, p. 02-07, 2014 SOCIEDADE DE PATOLOGIA DO TOCANTINS CASE REPORT Relato de Caso: Carcinossarcoma uterino em paciente com achado sugestivo de Leiomioma à histeroscopia Jivago Oliveira AlmeidaChaves

Leia mais

Prevenção do Cancro do Ovário

Prevenção do Cancro do Ovário Área de Ginecologia/ Obstetrícia Serviço de Ginecologia Director de Área: Dr. Ricardo Mira Journal Club 15 de Maio 2015 Prevenção do Cancro do Ovário Raquel Lopes 7 de Abril de 2015 Cancro do Ovário 5ª

Leia mais

Diagnóstico e Conduta nas Lesões Intraepiteliais Cervicais de Alto Grau

Diagnóstico e Conduta nas Lesões Intraepiteliais Cervicais de Alto Grau Diagnóstico e Conduta nas Lesões Intraepiteliais Cervicais de Alto Grau Curso de Atualização em PTGI 20/06/09 Instituto de Ginecologia - UFRJ Susana Aidé História natural da NIC Progressão Progressão Regressão

Leia mais

Braquiterapia Ginecológica

Braquiterapia Ginecológica Braquiterapia Ginecológica Indicações e recomendações clínicas American Brachytherapy Society (ABS) European Society for Radiotherapy & Oncology (GEC-ESTRO) Rejane Carolina Franco Hospital Erasto Gaertner-

Leia mais

Aplicação do teste do HPV na citologia LSIL/ASC. Flávia de Miranda Corrêa

Aplicação do teste do HPV na citologia LSIL/ASC. Flávia de Miranda Corrêa Aplicação do teste do HPV na citologia LSIL/ASC Flávia de Miranda Corrêa Evolução da terminologia citológica Schiffman M et al. Human papillomavirus and cervical cancer. Lancet 2007; ; 370 (9590): 890-907.

Leia mais

PROTOCOLO DE EXAMES DE RM GINECOLÓGICA - ORIENTAÇÕES GERAIS -

PROTOCOLO DE EXAMES DE RM GINECOLÓGICA - ORIENTAÇÕES GERAIS - PROTOCOLO DE EXAMES DE RM GINECOLÓGICA - ORIENTAÇÕES GERAIS - Todas as sequências efectuadas deverão ser optimizadas de acordo com as especificidades do aparelho disponível. Preparação: 4-6h de jejum Esvaziar

Leia mais

Introdução à Bioestatística Turma Nutrição

Introdução à Bioestatística Turma Nutrição Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Departamento de Estatística Introdução à Bioestatística Turma Nutrição Aula 6: Avaliação da Qualidade de Testes de Diagnóstico Avaliando

Leia mais

Capítulo 5 Artigos sobre Testes Diagnósticos

Capítulo 5 Artigos sobre Testes Diagnósticos Capítulo 5 Artigos sobre Testes Diagnósticos L E I T u R A C R í T I C A D E A R T I G O S C I E N T í F I CO S 83 Podemos definir os testes diagnósticos de acordo com a finalidade, em três tipos clínicos

Leia mais

Faculdade de Medicina - UNISUL NEOPLASIAS DO OVÁRIO. Aula disponível no site: Rodrigo Dias Nunes

Faculdade de Medicina - UNISUL NEOPLASIAS DO OVÁRIO. Aula disponível no site:  Rodrigo Dias Nunes NEOPLASIAS DO OVÁRIO Aula disponível no site: www.rodrigodiasnunes.com.br Rodrigo Dias Nunes Epidemiologia > 50 anos Obesidade Nuligestas Não usaram anticoncepcionais orais Ingesta carne e gordura animal

Leia mais

RELATO DE CASO: METAPLASIA ÓSSEA DO ENDOMÉTRIO

RELATO DE CASO: METAPLASIA ÓSSEA DO ENDOMÉTRIO CASE REPORT RELATO DE CASO: METAPLASIA ÓSSEA DO ENDOMÉTRIO Renata Moreira Marques Passos 1 Stephanie Yuka Matwijszyn Nagano 1, Micael Cruz Santana 1 e Virgílio Ribeiro Guedes 2 RESUMO A metaplasia óssea

Leia mais

NEWS artigos CETRUS Ano 2 - Edição 16 - Dezembro/2010

NEWS artigos CETRUS Ano 2 - Edição 16 - Dezembro/2010 NEWS artigos CETRUS Ano 2 - Edição 16 - Dezembro/2010 Atualização em Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia - Capítulo II - Infecção por HPV e Lesões HHV-Induzidas Prof. Dr. Flávio Zucchi -

Leia mais

Índice. Texto dra. Graziela...pag. 4 e 5. Texto Maria Nirvana Formiga...pag. 6. Texto dr. Renato Moretti...pag. 7. Dados e números...pag.

Índice. Texto dra. Graziela...pag. 4 e 5. Texto Maria Nirvana Formiga...pag. 6. Texto dr. Renato Moretti...pag. 7. Dados e números...pag. Índice Texto dra. Graziela...pag. 4 e 5 Texto Maria Nirvana Formiga...pag. 6 Texto dr. Renato Moretti...pag. 7 Dados e números...pag. 8 e 9 Dia Mundial...pag. 10 Palavras da presidente...pag. 11 Participantes...pag.

Leia mais

Currículo Disciplina Carga Horária. Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco

Currículo Disciplina Carga Horária. Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco Currículo Disciplina Carga Horária Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco Assistência de Enfermagem a Criança a ao Adolescente Grave ou de Risco Estágio

Leia mais

46º Congresso de Ginecologia e Obstetrícia do Distrito Federal Direto ao ponto 24 a 26 de abril 2013

46º Congresso de Ginecologia e Obstetrícia do Distrito Federal Direto ao ponto 24 a 26 de abril 2013 46º Congresso de Ginecologia e Obstetrícia do Distrito Federal Direto ao ponto 24 a 26 de abril 2013 Mesa redonda 6 (G): tumores ovarianos em situações especiais. Walquiria Quida S. Pereira Primo (DF)

Leia mais

24ª Jornada de Obstetrícia e Ginecologia da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo 10 a 12 de junho de 2010

24ª Jornada de Obstetrícia e Ginecologia da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo 10 a 12 de junho de 2010 24ª Jornada de e Ginecologia da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo 10 a 12 de junho de 2010 Centro de Convenções Rebouças São Paulo Centro de Estudos Ayres Netto Condutas em Ginecologia e (10/3/2010)

Leia mais

José Rodrigues Pereira Médico Pneumologista Hospital São José. Rastreamento do Câncer de Pulmão: Como e quando realizar

José Rodrigues Pereira Médico Pneumologista Hospital São José. Rastreamento do Câncer de Pulmão: Como e quando realizar José Rodrigues Pereira Médico Pneumologista Hospital São José Rastreamento do Câncer de Pulmão: Como e quando realizar www.globocan.iarc.fr National Cancer Institute 2016 National Cancer Institute 2016

Leia mais

Estudo comparativo entre histeroscopia e ultrassonografia como métodos diagnósticos de patologias intrauterinas

Estudo comparativo entre histeroscopia e ultrassonografia como métodos diagnósticos de patologias intrauterinas ARTIGO ORIGINAL Arq Med Hosp Fac Cienc Med Santa Casa São Paulo 2013; 58: 1-5. Estudo comparativo entre histeroscopia e ultrassonografia como métodos diagnósticos de patologias intrauterinas Evaluation

Leia mais

Patologia - orientações

Patologia - orientações Patologia - orientações Padronização para Patologistas e Ginecologistas Elaborado pelas Sociedades Brasileiras de Citopatologia, de Patologia, de Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia, FEBRASGO,

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Neoplasias do colo do útero. Epidemiologia. Patologia

PALAVRAS-CHAVE Neoplasias do colo do útero. Epidemiologia. Patologia 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

Conduta em pólipos endometriais assintomáticos, revisão sistemática da literatura

Conduta em pólipos endometriais assintomáticos, revisão sistemática da literatura I UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE MEDICINA DA BAHIA Fundada em 18 de fevereiro de 1808 Monografia Conduta em pólipos endometriais assintomáticos, revisão sistemática da literatura Kessiane Florentina

Leia mais

TESTE DE AVALIAÇÃO. 02 novembro 2013 Duração: 30 minutos. Organização NOME: Escolha, por favor, a resposta que considera correta.

TESTE DE AVALIAÇÃO. 02 novembro 2013 Duração: 30 minutos. Organização NOME: Escolha, por favor, a resposta que considera correta. TESTE DE AVALIAÇÃO 02 novembro 2013 Duração: 30 minutos NOME: Escolha, por favor, a resposta que considera correta. 1. São indicação para a realização de RM todas as situações, excepto: ( 1 ) Mulher com

Leia mais

Gestão do agendamento de exames em um setor de diagnóstico por imagem: contribuições para melhoria da satisfação do cliente

Gestão do agendamento de exames em um setor de diagnóstico por imagem: contribuições para melhoria da satisfação do cliente Nº DO TRABALHO: P_87_2011 EIXO TEMÁTICO: QUALIDADE E SEGURANÇA Gestão do agendamento de exames em um setor de diagnóstico por imagem: contribuições para melhoria da satisfação do cliente Resumo À medida

Leia mais

Universidade de São Paulo Faculdade de Saúde Pública Departamento de Epidemiologia. Testes Diagnósticos ANA PAULA SAYURI SATO

Universidade de São Paulo Faculdade de Saúde Pública Departamento de Epidemiologia. Testes Diagnósticos ANA PAULA SAYURI SATO Universidade de São Paulo Faculdade de Saúde Pública Departamento de Epidemiologia Testes Diagnósticos ANA PAULA SAYURI SATO Objetivos da aula Definir validade de testes de rastreamento (screening) e diagnóstico

Leia mais

VALIDADE EM ESTUDOS EPIDEMIOLÓGICOS

VALIDADE EM ESTUDOS EPIDEMIOLÓGICOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE MEDICINA -DEPARTAMENTO DE MEDICINA PREVENTIVA NÚCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA DISCIPLINA DE EPIDEMIOLOGIA 1º semestre

Leia mais

VALOR DA ULTRA-SONOGRAFIA NA AVALIAÇÃO DAS ALTERAÇÕES ENDOMETRIAIS EM PACIENTES TRATADAS COM TAMOXIFENO*

VALOR DA ULTRA-SONOGRAFIA NA AVALIAÇÃO DAS ALTERAÇÕES ENDOMETRIAIS EM PACIENTES TRATADAS COM TAMOXIFENO* Artigo Original Valor da US na avaliação das alterações endometriais em pacientes em uso de tamoxifeno VALOR DA ULTRA-SONOGRAFIA NA AVALIAÇÃO DAS ALTERAÇÕES ENDOMETRIAIS EM PACIENTES TRATADAS COM TAMOXIFENO*

Leia mais