DISCIPLINAS, CÓDIGOS, EMENTAS E REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA. Nome da disciplina Código Ementa Referência bibliográfica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DISCIPLINAS, CÓDIGOS, EMENTAS E REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA. Nome da disciplina Código Ementa Referência bibliográfica"

Transcrição

1 DISCIPLINAS, CÓDIGOS, EMENTAS E REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA Nome da disciplina Código Ementa Referência bibliográfica Metodologia do Trabalho Científico Prof. Edgar OBR 105 Elaboração do projeto, desenvolvimento, defesa e redação de dissertação compatível com as características da área de concentração. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 6023 Informação e documentação Referências Elaboração Rio de Janeiro: ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 6024 Informação e documentação Numeração progressiva das seções de um documento escrito Apresentação Rio de Janeiro: ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 6027 Informação e documentação Sumário Apresentação Rio de Janeiro: ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 6028 Informação e documentação Resumo Apresentação Rio de Janeiro: ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR Informação e documentação Citações em documentos Apresentação Rio de Janeiro: ABNT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS NBR 14724

2 Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação Rio de Janeiro: ABNT, CARVALHO, Maria Cecília de. Construindo o saber: metodologia científica, fundamentos e técnicas. Campinas, SP: Papirus, FERRARI, Alfonso Trujillo. Metodologia da pesquisa científica. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, FERREIRA, Paulo Vanderlei. Estatística experimental aplicada à agronomia. Maceió: EDUFAL, GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, MACHADO, Anna Rachel; LOUSADA, Eliane; ABREU-TARDELLI, Lília Santos. Planejar gêneros acadêmicos. São Paulo: Parábola Editorial, PEREIRA, Lusia Ribeiro; VIEIRA, Martha Lourenço. Fazer pesquisa é um problema? Belo Horizonte: Editora, SALOMON, Délcio Vieira. Como fazer uma monografia. São Paulo: Martins Fontes, SAMPAIO. Ivan Barbosa Machado. Estatística aplicada à experimentação animal. Belo Horizonte: Fundação de Estudo e Pesquisa em Medicina

3 Veterinária e Zootecnia, SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, VIEIRA, Sônia. Estatística Experimental. São Paulo: Atlas, VILLA-ALVAREZ, Florindo. Iniciação à metodologia de pesquisa científica. Brasília: FUNCEP / ANAP, VOLPATO, Gilson Luiz. Ciência: da Filosofia à publicação. Jaboticabal: FUNEP, Seminários I OBR 106 Semanalmente reúne-se os Todas as indicadas para as disciplinas. Profa. Vera Banys alunos matriculados nesta disciplina para, após a apresentação de um tema específico relacionado a produção vegetal, abrir discussão com relação aos problemas e perspectivas do mesmo. Seminários II OBR 107 Semanalmente reúne-se os Todas as indicadas para as disciplinas.

4 Profa. Vera Banys alunos matriculados nesta disciplina para apresentação do projeto de pesquisa a ser abordado em sua dissertação. Após apresentação abre-se a discussão com relação ao tema apresentado. Seminários III Profa. Vera Banys Língua Estrangeira Profa Neuda OBR 108 Esta discplina tem como Todas as indicadas para as disciplinas. objetivo propiciar o treinamento do aluno de pósgraduação na apresentação de um seminário, com tema livre, utilizando os recursos áudiovisuais normalmente utilizados em aulas e em congressos científicos. OBR 104 Desenvolvimento sistemático da competência de leitura em inglês; aprofundamento das estruturas da língua-alvo, CROWTHER, J. (Ed.) Oxford Advanced Learner s Dictionary of Current English. Oxford: Oxford University Press. DIAS, R. Inglês Instrumental: leitura crítica - uma abordagem construtivista.

5 enriquecimento do léxico; abordagem dos problemas lingüísticos, semânticos, contextuais, extratextuais e retórico-formais dos textos de agronomia em língua inglesa. BeloHorizonte: Editora UFMG, MURPHY, R. English Grammar in Use. Cambridge: Cambridge University Press, OLIVEIRA, S. R. de F. Estratégias de leitura para inglês instrumental. Brasília: Editora UNB, OXFORD. Dicionário escolar para estudantes brasileiros. Oxford: Oxford University Press, Estágio Docência Prof. Edésio OBR 102 Vinculação entre teoria/prática e vivência de THOMSON, S. J.; MARTINET, A. V. A Practical English Grammar. Oxford: Oxford University Press, 2004 Recursos online dos seguintes sites: Textos científicos atuais de fontes diversas, em língua inglesa 1. Alves, R. (1995). A Conversa com quem gosta de ensinar. São Paulo: ARS. Poética.

6 Estatística Experimental Prof. Edésio atividades de ensino, aprendizagem e pesquisa na graduação. Realização de estágio nas fases de observação, planejamento e avaliação, desenvolvendo um olhar crítico sobre essa prática didático-pedagógica. OBR 103 Introdução. Teste de hipótese. Contrastes. Princípios básicos de experimentação. Procedimentos para comparações múltiplas. Delineamentos experimentais. Experimentos fatoriais. Análise de grupos de experimentos. Experimentos em parcelas subdivididas e em faixas. Modelos de regressão 2. Carvalho, A M. P. (Coord.) (1998). A Formação do professor e a prática de ensino. São Paulo: Pioneira. 3. Pimenta, S. G. (1994). O Estágio na formação de professores: unidade, teoria e prática? São Paulo: Cortez. 4. Freire, P. (1997). Pedagogia da Autonomia. Rio de Janeiro: Paz e Terra 5. Vasconcelos, C. (2002). Planejamento: projeto de ensino-aprendizagem e político-pedagógico: elementos metodológicos para elaboração e realização. São Paulo: Liberal. 1. BANZATO, A.D. e KRONKA, S.N. Experimentação agrícola. 4. ed. Jaboticabal: Funep BARBIN, D. Planejamento e Análise Estatística de Experimentos Agronômicos. Arapongas. Midas, COCHRAN, W. C. & COX, G. M. Diseños Experimentales. México, Editorial Trilhas, p 4. FEDERER, W. T. Experimental Design. New York, The MacMillan Company, p. 5. FERREIRA, P.V. Estatística Experimental Aplicada à Agronomia Maceió,

7 polinomial. 3ª Ed. Gráfica e Editora da Universidade Federal de Alagoas GOMES, F.P. Curso de Estatística Experimental. São Paulo, SP: Nobel NETER, J.; WASSERMAN, W.; KUTNER, M. H. Applied Linear Statistical Models. Regression, Analysis of Variance and Experimental Designs. USA, Richard D. Irwin, Inc., 2a ed., p. 8. VIEIRA, S. Estatística Experimental. São Paulo, SP: Editora Atlas VIEIRA, S. Introdução à Bioestatística. Rio de Janeiro, RJ: Editora Campus Dissertação OBR 101 Qualificação OBR 109 Bioquímica de Plantas Prof. Antônio Paulino BAS 101 Composição química da matéria viva; ácidos nucléicos; enzimas; bioenergética, metabolismo animal e vegetal; técnicas fotocolorimétricas; cromatografia. NELSON, D. L.; COX, M. M. Lehninger Principles of Biochemistry. 5th ed. W. H. Freeman: New York, p. VOET, D.; VOET, J. G.; Bioquímica. 3nd ed. Artmed. São Paulo, 2006, 1596p. BERG, J. M.; TYMOCZKO, J. L.; STRYER, L. Biochemistry. 6th ed. W. H. Freeman: New York, p.

8 Genética Básica Prof. Luis Contim BAS 102 Padrões de herança autossômica, ligada ao sexo e citoplasmática; Cromossomos e base cromossômica da herança; Mapeamento cromossômico; Mudanças cromossômicas em larga escala; Genética evolutiva; Estrutura e replicação do DNA; Transcrição e MURRAY, R. K.; GRANNER, D. K.; MAYES, P. A.; RODWELL, V. W. Harper's Illustrated Biochemistry. 27th ed. McGraw-Hill Medical: New York, p. LEHNINGER, A. Principles of biochemistry. 3ª ed. New York, Worth Publishers. 1152p, Marzocco A. e Torres, B.B. Bioquímica Básica, Guanabara Koogan, 2a ed. Rio de Janeiro, Stryer, L. Bioquímica. Guanabara Koogan, 4a ed. Rio de Janeiro, Periódicos científicos da área. Falconer, D. S. Introdução à Genética Quantitativa. Viçosa, Imprensa Universitária/UFV. 279 p Hallauer, A. R. e J. B. Miranda Filho. Quantitative Genetics in Maize Breeding. Ames, Iowa State Univ. Press. 468 p Mather K. e J. L. Jinks. Introdução à Genética Biométrica. Ribeirão Preto, Ver. Brás. De Genética. 242 p PIERCE, B. Genética: Um enfoque conceitual. 1ª Ed. Rio de Janeiro. Guanabara Koogan, 2011, 758p.

9 Cultura de Tecidos na Produção Vegetal Profa Alessandra FIT 103 processamento de RNA; RAMALHO, M.A.P.; PINTO, C.A.P.; SANTOS, J.B. (2000). Genética na Proteínas e o processo Agropecuária. Globo 359p. traducional; Regulação da SUZUKI, D.T., GRIFFITHS, A.J.F., MILLER, J.H. & LEWONTIN, R.C. expressão gênica; Elementos (2014). Introdução à Genética.. Rio de Janeiro, RJ. Guanabara Koogan. de transposição; Mutação, SNUSTAD, D. P.; SIMMONS M. J. (2008) Fundamentos de Genética. 4ª Ed. reparo e recombinação; Rio de Janeiro. Guanabara Koogan, 903p. Genômica; Isolamento e manipulação do gene; VIANA, J. M. S. CRUZ, C.D.; BARROS, E. G. (2003) Genética, Volume 1: Aplicações biotecnológicas Fundamentos, 2ª Ed. Editora UFV. 330p. (Transformação genética, Expressão de genes heterólogos e análise de transformantes); Genética de populações; Genética quantitativa. Retrospectiva da cultura de células e tecidos vegetais. Morfogênese in vitro e seu controle. Aplicações da cultura de células e tecidos 1. ARTECA, R.N. Plant growth substances; principles and applications. New York, Chapman & Hall, p. 2. COLLIN, H.A. & EDWARDS, S. Plant cell culture. Oxford, Bios

10 vegetais. Preparação e composição dos meios nutritivos. Etapas da cultura In viro. Fatores que afectam a cultura in vitro. Scientific Publishers p. 3. GEORGEm E.F. Plant propagation by tissue culture: the technology, part 1, London: Exegeties, 574p., HARTMANN, H.T. & KESTER, D.E.; DAVIES, JR, F.; GENEVE, J. Plant propagation: principles and practives. 6 ed. London, Prentice-Hall, p. 5. KYTE, L. Plants from test tubes- An introduction to micro propagation. Portland, Oregon, Timber Press, p. 6. PIERIK, R.L.M. Cultivo in vitro de las planta superiores. Barcelona, Ediciones Mundi-prensa p. 7. PONCE, J.N.P. Propagación y mejora genética de plantas por biotecnologia. Instituto de Biotecnologia de las Plantas V. 1; 390p.

11 8. TORRES, A.C.; CALDAS, L.S.; BUSO, J.A. Cultura de tecidos e transformação genética de plantas. Brasília, EMBRAPA-SPI/EMBRAPA- CNPH v., 864p. Manejo Integrado de Pragas Prof. Fernando Gielfi FIT 111 Caracterizar e discutir as bases e procedimentos de controle para desenvolver e adotar o manejo integrado de pragas MIP nos cultivos agrícolas. Discutir a evolução do conceito de MIP, sua história, trajetória, situação e perspectivas de adoção no Brasil. Estudar as bases e 9. Periódicos: Plant Cell Reports; Plant Science; Annals of Botany; Physiology Plantarum; Plant Physiology; In vitro Cellular & Developmental Biology-Plant; Plant Cell, Tissue and Organ Culture; Revista Brasileira de Fisiologia Vegetal. ALVES, S. B. (Ed.) Controle microbiano de insetos. Piracicaba: FEALQ p. CROCOMO, B. W. Manejo integrado de pragas. São Paulo: CETESB, p. DENTE, D. Insect pest management. Ascot, UK: CABI Publishing p. DONADIO, L. C., GRAVENA, S. Manejo integrado de pragas. Campinas: fundação Cargill p. GALLO, D., NAKANO. O., SILVEIRA NETO, S., et al. entomologia

12 técnicas fundamentais para a construção e adoção dos programas de MIP. Caracterizar e discutir os métodos de manejo de insetos com características para serem utilizados no MIP. Avaliar a situação e desenvolver a adoção do MIP nas culturas agrícolas. Agrícola. Piracicaba: FEALQ, p. GASSEN, D. N. Manejo de pragas associadas à cultura do milho. Passo Fundo: Aldeia do Norte, p. GUEDES, J. C., COSTA., I. F. D., CASTIGLIONI, E (Coord.) Bases e técnicas do manejo de insetos. Santa Maria: USFM/CCR/DFS, p. NORRIS, R. F., CASWELL-CHEN, E. P., KOGAN, M. Concepts in integrated pest management. New Jersey: Prentice-Hall Inc p. PANIZZI, A. R., PARRA, J. R. P. (Ed.) Ecologia nutricional de insetos e sua aplicação no manejo de pragas. São Paulo: Manole, p. PARRA, J. R. P., BOTELHO, P. S. M., CORRÊA-FERREIRA, B. BENTO, J. M. S. (Ed.) Controle biológico no Brasil - parasitóides e predadores. São Paulo: Manole, p. PEDIGO, L. P. Entomology and pesty management. 3 ed. New Jersey: Prentice-Hall Inc p. ZUCCHI, R. A., S. SILVEIRA NETTO; O. NAKANO. Guia de identificação de pragas agrícolas. Piracicaba: FEALQ p. Matologia FIT 119 Biologia e identificação de I - Básica

13 Prof. Paulo Timossi Produção, Manejo e Avaliação Pastagens Profa Vera Banys plantas daninhas; Medidas de controle; Herbicidas: conceituação, classificação, interação herbicida-planta, interação herbicida-solo; Mecanismos de ação dos herbicidas; Resistência de plantas daninhas a herbicidas. Controle integrado de plantas daninhas em diferentes sistemas de produção. FOR 102 Importância das gramíneas; conceitos básicos; aplicação dos conceitos; DEUBER, R. Ciência das plantas infestantes: fundamentos. 2ª Edição, Vol.1, Jaboticabal, SP: Funep, VARGAS, L.; ROMAN, E. S. Manual de manejo e controle de plantas daninhas. Bento Gonçalves-RS: Embrapa Uva e Vinho, II - Complementar CHRISTOFFOLETI, P.J.; LÓPEZ OVEJERO, R. F.; CARVALHO, J.C. Aspectos de resistência de plantas daninhas a herbicidas. 3ª Edição, Londrina, PR: Associação Brasileira de Ação à resistência de plantas daninhas aos herbicidas (HRAC-BR), DE SOUZA SILVA, C. M. M.; FAY, E. F. Agrotóxicos e ambiente. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica, p. ZAMBOLIM, L.; CONCEIÇÃO, M. Z.; SANTIAGO, T. O que os engenheiros agrônomos devem saber para orientar o uso de produtos fitossanitários. Viçosa: UFV, p. Básica FONSECA, D.M. da; MARTUSCELLO, J.A. Plantas forrageiras. Viçosa,

14 estabelecimento (correção e adubação do solo e formação de pastagens), produção e manejo de pastagem (sistemas de pastejo e métodos de manejo); medidas de plantas forrageiras e pastagens com e sem animais. MG: Ed. UFV, p. SILVA, S.C.; NASCIMENTO JÚNIOR, D. do; EUCLIDES, V.B.P. Pastagens: conceitos básicos, produção e manejo. Viçosa: Suprema, p. DA SILVA, S.C.; PEDREIRA, C.G.S.; MOURA, J.C. de; FARIA, V.P. de Simpósio sobre manejo de pastagens. Intensificação de sistemas de produção animal em pasto. Piracicaba: FEALQ, p. (Anais, 25). Complementar BUNGENSTAB, D.J. (Ed.). Sistemas de integração lavoura-pecuáriafloresta: a produção sustentável. 2.ed. Brasília, DF: Embrapa, p. SIMPÓSIO SOBRE MANEJO DA PASTAGEM. Anais do 17 Simpósio sobre Manejo de Pastagem: A Planta Forrageira no Sistema de Produção. Eds. PEIXOTO, A.M.; PEDREIRA, C.G.S.; MOURA, J.C.de; FARIA, V.P. de Piracicaba: FEALQ, p.

15 SIMPÓSIO SOBRE MANEJO DA PASTAGEM. Anais do 18 Simpósio sobre Manejo de Pastagem: Planejamento de Sistemas de Produção em Pastagens. Eds. PEIXOTO, A.M.; MOURA, J.C.de; SILVA, S.C. da; FARIA, V.P. de Piracicaba: FEALQ, p. SIMPÓSIO SOBRE MANEJO DA PASTAGEM. Anais do 19 Simpósio sobre Manejo de Pastagem: Inovações Tecnológicas no Manejo de Pastagens. Eds. PEIXOTO, A.M.; MOURA, J.C.de; PEDREIRA, C.G.S.; FARIA, V.P. de Piracicaba: FEALQ, p. Nutrição Mineral de Plantas Prof. Leandro/Simério SOL 105 Absorção de elementos pelas raízes das plantas; Absorção foliar de elementos, transporte e redistribuição; Fatores internos e externos que afetam SOUSA, D.M.G. de; LOBATO, E. Cerrado: correção do solo e adubação. 2.ed. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, p. EPSTEIN, E.; BLOOM,A.J. Nutrição Mineral de Plantas: Princípios e perspectivas. 2.ed. Londrina: Editora Planta, p. FAQUIN, V. Nutrição Mineral de Plantas. Lavras: ESAL/FAEPE, p. FAQUIN, V. Diagnone do estado nutricional das plantas. Lavras

16 a absorção radicular e foliar; Funções dos nutrientes; Diagnose Visual e Foliar; Solução nutritiva/adubação foliar/hidroponia/fertirrigação. UFLA/FAEPE, p. FERNANDES, M.S. Nutrição Mineral de Plantas. Viçosa, MG: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 2006, 432p. MALAVOLTA, E. Elementos de Nutrição Mineral de Plantas. São Paulo: Ceres, p. MALAVOLATA, E.; VITTI, G.C.& OLIVEIRA, S.A. Avaliação do estado nutricioanal das plantas: Aplicações e Perspectivas. Piracicaba: POTAFOS, p. MALAVOLTA, E.; ROMERO, J.P. (Coord.). Manual de nutrição mineral de plantas. Editora Agronômica Ceres. São Paulo, p. MATTOS, H.B.; WERNER, B.C.; YAMADA, T.; MALAVOLTA, E. Avaliação do estado nutricional das plantas: princípios e aplicações. 2ª ed. Potafós. Piracicaba p. MENGEL, K. & KIRKBY, E.A. Principles of Plant Nutrition. 4ª ed. International Potash Institute, p. MELO, V.F.; ALLEONI, L.R. (eds). Química e Mineralogia do solo: Parte I: Conceitos Básicos. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. Viçosa: Minas Gerais, p.

17 Fisiologia Vegetal Prof. Antônio Paulino/Hildeu BAS 103 Estudo dos processos fisiológicos dos vegetais e suas implicações no biociclo. Estudo dos processos biofísicos e bioquímicos envolvidos nos mecânicos fisiológicos dos vegetais. Processos de economia hidrica, nutrição mineral, fotossintese, respiração e crescimento e desenvolvimento das plantas. Crescimento vegetal; ação das auxinas, giberilina, citocininas, etileno e inibidores de crescimento; metabolismo e translocação MELO, V.F.; ALLEONI, L.R. (eds). Química e Mineralogia do solo: Parte II: Aplicações. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. Viçosa:? Minas Gerais, p. CASTRO, P.R.C., KLUGE R.A., PERES, L.E.P. Manual de Fisiologia Vegetal: teoria e prática. Piracicaba: Editora Agronômica Ceres, 2005, 640p. FERRI, M.G. Fisiologia Vegetal, v. 2, EPU-EDUSP. 1986, 392p. KERBAUY, G. B. Fisiologia Vegetal. Rio de Janeiro: GUANABARA KOOGAN, 2004, 452p. LARCHER, W. Ecofisiologia Vegetal. São Carlos: RIMA, p. RAVEN, P. H, EVERT, R.F., EICHHORN, S.E. Biologia Vegetal. Rio de Janeiro: GUANABARA KOOGAN, 2001, 906p

18 Genética Quantitativa Prof. Edésio/José Branco dos hormônios e relação entre os fito-hormônios e os ácidos nucléicos. FIT 107 Importância da Genética 1. CARNEIRO, P.C.S.; CRUZ, C. D.; REGAZZI, A. J. Modelos Biométricos Quantitativa. Caracteres aplicados ao Melhoramento Genético VOL. 1. Viçosa, 3ª Ed. Editora UFV. quantitativos. Constituição genética de populações. Médias e variâncias. 2. CARNEIRO, P.C.S.; CRUZ, C. D. Modelos Biométricos Aplicados ao Componentes da variação Melhoramento Genético, VOL. 2. Viçosa, 1ª Ed. Editora UFV fenotípica: plantas de reprodução vegetativa, alógamas e autógamas. 3. CRUZ, C. D. Princípios de Genética Quantitativa. Viçosa, 1ª Ed. Editora Coeficientes de herdabilidade. UFV Progresso esperado com seleção. Seleção simultânea para mais de um caráter. 4. FALCONER, D. S. Introdução à Genética Quantitativa. Viçosa. 1 ª Ed. Análise em vários ambientes: interação genótipo por ambiente. Heterose e 5. FERREIRA, D. F.; OLIVEIRA, A. C.; RAMALHO, M.A.P. endogamia. Predição de Experimentação em Genética e Melhoramento de Plantas. Lavras, 1ª Ed.

19 médias de híbridos duplos e compostos. Modelos estatístico-genéticos. Análise de covariância, correlação e regressão. Editora UFLA HALLAUER, A.R.; CARENA, M.J.; MIRANDA FILHO, J.B Quantitative genetics in maize breeding. Ames, The Iowa State University Press, 655 p. 7. MATHER, K.; JINKS, J.L. Introdução à Genética Biométrica. Ribeirão Preto: Sociedade Brasileira de Genética RAMALHO, M. A. P.; SANTOS, J. B.; ZIMMERMANN, M. J. Genética Quantitativa em Plantas Autógamas? Aplicações ao Melhoramento do Feijoeiro. Goiânia. UFG VENCOVSKY, R.; BARRIGA, P. Genética no fitomelhoramento. Ribeirão Preto. Revista Brasileira de Genética Produção de Hortaliças FIT 113 Importância econômica, social Bibliografia básica: Prof. José Hortêncio e nutricional das hortaliças. ALVARENGA, M.A.R. (Ed). Tomate: produção em campo, em casa-de-

20 Classificação das hortaliças. Hortaliças e interação com ambientes. Tratos culturais para hortaliças: adubação e nutrição, irrigação e fertirrigação, métodos de controle de pragas e doenças, colheita e comercialização. vegetação e em hidropônica. Lavras: UFLA, p. FILGUEIRA, F.A.R. Novo manual de olericultura. 3 ed. Viçosa: UFV, p. FILGUEIRA, F.A.R. Solanaceas: agrotecnologia moderna na produção de tomate, batata, pimentão, pimenta, berinjela e jiló. Lavras: UFLA, p. FONTES, P.C.R. (Ed.). Olericultura: teoria e prática. Viçosa: UFV, p. Bibliografia complementar: AGUIAR, R.L.; DAREZZO, R.J.; ROZANE, D.E.; AGUILERA, G.A.; SILVA, D.J.H. Cultivo em ambiente protegido: histórico, tecnologias e perspectivas. Viçosa: UFV, p. LUCINI, M.A. Manual prático de produção de alho. Curitibanos: ANAPA, p. MINAMI, K. Produção de mudas de alta qualidade em horticultura. São Paulo: ABCSEM, p.

21 PEREIRA, A.S.; DANIELS, J. O cultivo da batata na região sul do Brasil. Brasília: EMBRAPA, p. PRADO, R.M.; CECÍLIO FILHO, A.B.; CORREIA, M.A.R.; PUGA, A.P. (Eds.). Nutrição de plantas: diagnose foliar em hortaliças. Jaboticabal: FCAV/UNESP, p. SOUZA, J.L. RESENDE, P. Manual de horticultura orgânica. 2 ed. Viçosa: Aprenda Fácil, p. Tópicos em Análises Multivariadas Prof. Edésio BAS 105 Álgebra de matrizes e determinantes, Distribuição normal multivariada, Análise Periódicos: Ciência e Agrotecnologia HortScience Horticultura Brasileira Informe agropecuário Pesquisa Agropecuária Brasileira ANDERSON, T.W. An introduction to multivariate satatistical analysis. New York, John Wiley & Sons, inc p. COOLEY, W.W. & LOHENES, P.R. Multivariate data analysis. New York,

22 Biotecnologia Aplicada à Produção Vegetal Prof. Danival de variância multivariada John Wiley & Sonas, Inc., p. (MANOVA), Medidas de CRUZ C.D., FERREIRA F.M., PESSONI LA. Biometria Aplicada ao Estudo dissimilaridade, Análise de da Diversidade Genética. Editora Suprema, Visconde do Rio Branco, agrupamento (Hierárquico e 620p. Otimização), Análise de CRUZ, C.D. & REGAZZI, A.J. Modelos biométricos aplicados ao componentes principais, melhoramento genético. Viçosa, MG, Imprensa Universitária, UFV, Função discriminante linear 390p. de Fisher ou primeira variável canônica, correlação JOHNSON, R.A. & WICHEN, D.W. Applied multivariate statistical analysis. canônica, Recursos New Jersey. 4 ed computacionais para processamento e análise de dados experimentais. FIT 126 Genética Molecular, AMARA, M. et al. Biotecnologia. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, Replicação do DNA, v.21, n.204, Tecnologia do DNA SUZUKI, D. T. et al. Introdução à Genética. Rio de Janeiro: Guanabara- Recombinante, Código Koogan, p. Genético, Marcadores ZAHA, A. Biologia Molecular Básica. Porto Alegre: Mercado Aberto, Moleculares, Transferência 336p. Genética, Genômica,

23 Transciptômica, Proteômica, Metabolômica e Transgênicos. Bristow, A.F. Recombinant-DNA-derived insulin analogues as potentially useful therapeutic agents. Trends in Biotechnology 11: , Bugg, C.E., Carson, W.M., and Montgomery, J.A. Drugs by Design. Scientific American 269: 60-66, Felici, F., Castagnoli, L., Musacchio, A., Jappelli, R. and Cesareni, G. J. Mol. Biol. 222: , Fields, S., and Song, O. Novel genetic system to detect protein-protein interactions. Nature 340: , Little, M., Fuchs, P., Breitling, F., and Dübel, S. Bacterial surface presentation of proteins and peptides: an alternative to phage technology? Trends in Biotechnology 11: 3-5, Luyten, W.H.M.L., and Leysen, J.E. Receptor cloning and heterologous expression--towards a new tool for drug discovery. Trends in Biotechnology, 11: , Ma, J. K-C., and Hein, M. B. Immunotherapeutic potential of antibodies produced in plants. Trends in Biotechnology 13: , Ma, J. K-C., Hunjan, M., Smith, R., Kelly, C., and Lehner, T. An investigation into the mechanism of protection by local passive immunization

24 with monoclonal antibodies against Streptococcus mutans. Infection and Immunity 58: , Monaco, A.P. AND Larin, Z. YACS, BACs, PACs and MACs: artificial chromosomes as research tools. Trends in Biotechnology 12: , 1994 Pausch, M. H. G-protein-coupled receptors in S. cerevisae: high-throughput screening assays for drug discovery. Trends in Biotechnology 15: , Sambrook, J.; E.F.Fritsh and T. Maniatis - Molecular cloning. A laboratory manual, 2nd ed., Cold Spring Harbor Laboratory Press, Watson, F. Human gene therapy-progress on all fronts. Trends in Biotechnology 11: , Fertilidade do Solo em Sistemas de Produção Agrícola Prof. Leandro/Simério SOL 102 Mineralogia, Formação/geração de cargas elétricas no solo, Conceitos básicos em Fertilidade do solo; Amostragem, Acidez do Sites: CANTARELLA, H. QUAGGIO, J. A.; FURLANI, A. M. C.Recomendação para uso de corretivos e fertilizantes em Mina Gerais 5º aproximação. Viçosa p. RAIJ, B. van; FERREIRA, M.E. & CRUZ, M.C.P. (eds.). Micronutrientes na

25 solo, Calagem e gessagem, Interpretação e recomendação de nutrientes, Caracterização e classificação de fertilizantes; Dinâmica e disponibilidade de macronutrientes e micronutrientes; Integração lavoura-pecuária-floresta e Sistema de Plantio Direto. Agricultura. Piracicaba, São Paulo, POTAFOS/CNPq, p. FOTH, H. D.; ELLIS, B.G. Soil fertility. New York: John Wiley, p. FURTINI NETO, A.E.; VALE, F.R.; RESENDE, A.V.; GUILHERME, L.R.G.; GUEDES, G.A.A. Fertilidade do solo. Lavras, Ufla/Faepe, p. MEURER, E.J. Fundamentos de química do solo. 2ª. Ed. Porto Alegre: Genesis, p. NOVAIS, R.F.; SMYTH, T.J. Fósforo em solo e planta em condições tropicais. Viçosa: UFV, p. MELO, V.F.; ALLEONI, L.R. (eds). Química e Mineralogia do solo: Parte I - Conceitos Básicos. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. Viçosa -- Minas Gerais, p. MELO, V.F.; ALLEONI, L.R. (eds). Química e Mineralogia do solo: Parte II - Aplicações. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. Viçosa, Minas Gerais, p. MOREIRA, F.M.S.; SIQUEIRA, J.O. Microbiologia e bioquímica do solo. Lavras, Editora da UFLA, p. NOVAIS, R.F.; ALVAREZ, V.V.H.; BARROS, N.F.; FONTES, R.L.;

26 CANTARUTTI, R.B.; NEVES, J.C.L. Fertilidade do Solo. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. Viçosa Minas Gerais p. OLIVEIRA, F.H.T.; NOVAIS, R.F.; ALVAREZ, V.H.; CANTARUTTI, R.B. & BARROS, N.F. Fertilidade do solo no sistema plantio direto. Tópicos em Ciência do Solo, v.ii, p , PROCHNOW, L. I.; CASARIN, V.; STIPP, S. R.; Boas práticas para uso eficiente de fertilizantes. Anais do Simpósio sobre Boas práticas para uso eficiente de fertilizantes. Piracicaba, vol. 1: Contexto mundial e técnicas de suporte. SP, 28 a 30 de setembro de p. PROCHNOW, L. I.; CASARIN, V.; STIPP, S. R.; Boas práticas para uso eficiente de fertilizantes. Anais do Simpósio sobre Boas práticas para uso eficiente de fertilizantes. Piracicaba, vol. 2: Nutrientes. SP, 28 a 30 de setembro de p. PROCHNOW, L. I.; CASARIN, V.; STIPP, S. R.; Boas práticas para uso eficiente de fertilizantes. Anais do Simpósio sobre Boas práticas para uso eficiente de fertilizantes. Piracicaba, vol. 3: Culturas. SP, 28 a 30 de setembro de p. RAIJ, B.V. Fertilidade do Solo e Adubação. São Paulo, Piracicaba, Ceres, POTAFOS, p. RAIJ, B.van; CANTARELLA, H.; QUAGGIO, J.A.;

27 FURLANI, A.M.C. Recomendações de adubação e calagem para o Estado de São Paulo. Campinas: IAC, p. SANTOS, G.A.; SILVA, L.S.; CANELLAS, L.P.; CAMARGO, F.A.O. (eds.) Fundamentos da Matéria Orgânica do Solo: Ecossistemas Tropicais e Subtropicais. Porto Alegre, Metrópole, 2008 (2ª ed.). pp SILVA, C.A.; MACHADO, P.L.O. A. Sequestro e emissão de carbono em ecossistemas agrícolas; estratégias para o aumento dos estoques de matéria orgânica em solos tropicais. Rio de Janeiro, Embrapa Solos, p. (Documentos, 19). STEVENSON, F.J. Cycles of soil: C, N, P, S, micronutrients. New York: John Wiley, p. SOUSA, D.M.G & LOBATO, E. Cerrado: correção do solo e adubação. Planaltina, DF: Embrapa Cerrados, p. SUMNER, M.E. Handbook of soil science: section D soil fertility. New York: CRC Press, p.d-1-d186. TISDALE, S.R.L.; NELSON, W.L & BEATON, J.D. Soil Fertility and Fertilizers. McMillan Publishing Co, Inc., New York, VALE, F.R.; GUEDES, G.A.A. & GUILHERME, L.R.G. Manejo da

28 F í s i c a e C l a s s i f i c a ç ã o d o S o l o Fatores formadores de solos. Características físicas gerais dos solos. Fase sólida. Fase líquida. Fase gasosa. Coleta e preparo das amostras. Metodologia aplicada em Física do Solo. Interpretação resultados fertilidade do solo. Lavras: UFLA/FAEPE, p. VITTI, G.C. & BOARETTO, A.E. Adubo Líquido: produção e Uso no Brasil. Campinas/SP. Fundação Cargill p.. Fertilizantes fluídos. Piracicaba-SP. Potafós, p. KIEHL, E.J. Manual de Edafologia. Ed. Ceres, p. BRADY, N.C. Natureza e Propriedades dos Solos/ Nyle C. Brady The nature and prieties of solis Trad. Antônio B. Neiva Figueiredo Filho, 7 ed. Rio de Janeiro. Fretiras Bastos, p. RESENDE, M.; CURI, N. REZENDE, S.B.; CORRÊA, G.F. Pedologia base para distinção de ambientes. Viçosa:UFV, p. LEPSCH, I.F.(Coord.) Manual para levantamento utilitário do meio físico eclassificação de terras no sistema de capacidade de uso. Campinas:SBCS, p. LIBARDI, P. L. Dinâmica da água no sistema solo-planta-atmosfera. Piracicaba: O autor, p.

29 REICHARDT, K & TIMM, L.C. Solo, planta e atmosfera: Conceitos, processos e aplicações. Barueri: Manole, p. JURY, W.A.; GARDNER, W.R., GARDNER, W.H. Soil physics. 5 ed. Ney York: John Wiley & Sons, p. WARRICK, A.W. Soil physics companion. Boca Raton: CRC, p. Relação Solo Água Planta Prof. Carlos Alexandre/João Batista BAS 106 Ciclo da água na agricultura, água no solo, armazenamento de água no solo, movimento da água no solo, dinâmica da água no solo, infiltração da água no solo, qualidade da água, demanda atmosférica de água, monitoramento do VAN LIER, Q. Física do solo. Viçosa: SBCS, DIAS JÚNIOR, M. S. Compactação do Solo. Tópicos em Ciência do Solo. Vol.1, págs Sociedade Brasileira de Ciência do Solo LIBARDI, P.L. Dinâmica da água no solo. 2ª ed. Piracicaba, p AYRES, R, S, WESCTCOT. D. W. A. A qualidade da água na agricultura. Campina Grande:UFPB, p. BERNARDO, S, Manual de irrigação.viçosa: UFV, 1995, 657p. DOOREMBOS, J. KASSAM, A, H, Efeito da água no rendimento das culturas. Campina Grande: UFPB, p. KLAR, A. E. A água no sistema solo-planta-atmosfera. São Paulo: Nobel, 1984.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SOLO/ PRODUÇÃO VEGETAL CURSO DE : MESTRADO E DOUTORADO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SOLO/ PRODUÇÃO VEGETAL CURSO DE : MESTRADO E DOUTORADO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SOLO/ PRODUÇÃO VEGETAL CURSO DE : MESTRADO E DOUTORADO DADOS SOBRE A DISCIPLINA 1. Disciplina: NUTRIÇÃO DE PLANTAS 2. Responsável(eis): Renato de Mello Prado 3.

Leia mais

EDITAL Nº 13/2015 FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR DE BRAGANÇA PAULISTA

EDITAL Nº 13/2015 FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR DE BRAGANÇA PAULISTA EDITAL Nº 13/25 FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR DE BRAGANÇA PAULISTA O Diretor Presidente da Fundação Municipal de Ensino Superior de Bragança Paulista, Adilson Octaviano, torna público o edital

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO)

MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO) MATRIZ CURRICULAR - CURSO DE AGRONOMIA (DIURNO) Ingressantes a partir de 2015 1º SEMESTRE HORAS 2º SEMESTRE HORAS Introdução à Engenharia Agronômica 60 Metodologia Científica 60 Álgebra Linear 60 Desenho

Leia mais

Disciplinas. Dinâmica de Potássio no solo e sua utilização nas culturas

Disciplinas. Dinâmica de Potássio no solo e sua utilização nas culturas Disciplinas Solos nos domínios morfoclimáticos do cerrado Ementa: Solos em ambientes de Cerrado. Sistema Brasileiro de Classificação do Solo. Caracterização morfológica das principais classes de solo inseridas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MANEJO DE SOLO E ÁGUA

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MANEJO DE SOLO E ÁGUA PROGRAMA ANALÍTICO DE DISCIPLINA IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA CÓDIGO NOME NATUREZA PMS0014 FERTIRRIGAÇÃO [ ] Obrigatória [ X ] Optativa PROFESSOR Leilson Costa Grangeiro/José Francismar de Medeiros CARGA

Leia mais

UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA - UNOESTE

UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA - UNOESTE UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA - UNOESTE IDENTIFICAÇÃO: PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA NÍVEL: Mestrado / Doutorado TIPO: Acadêmico CONCEITO CAPES Mestrado: 4 (Triênios: 2004-2006 e 2007-2009) Doutorado:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GENÉTICA E MELHORAMENTO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GENÉTICA E MELHORAMENTO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GENÉTICA E MELHORAMENTO Campus Universitário - Viçosa, MG - 36570-000 - Telefone: (31) 3899-1419 - Fax: (31) 3899-2579

Leia mais

Caracterização de Disciplina

Caracterização de Disciplina Disciplina/Turma: GEV501 Produção de Proteínas Recombinantes 2012/1 de Créditos: 6 30 30 30 90 Professor(a) Responsável: Dra. Andrea Soares da Costa Fuentes : De 23 de julho a 06 de agosto, das 8h às 12

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia Código da Disciplina: ZOO 05453 Disciplina: Bovinocultura de Leite PROGRAMA DA DISCIPLINA CAMPUS: Alegre CURSO:

Leia mais

Propriedades físicas de um Cambissolo submetido a períodos de pastejo rotacionado

Propriedades físicas de um Cambissolo submetido a períodos de pastejo rotacionado Propriedades físicas de um Cambissolo submetido a períodos de pastejo rotacionado Rostirolla, P. 1 ; Miola, E. C. C. 2 ; Suzuki, L. E. A. S. 1 ; Bitencourt Junior, D. 3 ; Matieski, T. 1 ; Moreira, R. M.

Leia mais

A Matriz curricular do curso de Engenharia Agronômica das Faculdades Integradas de Santa Fé do Sul fica estabelecida da seguinte forma:

A Matriz curricular do curso de Engenharia Agronômica das Faculdades Integradas de Santa Fé do Sul fica estabelecida da seguinte forma: 5.2 Objetivo do Curso Capacitar o aluno para que se torne um profissional com habilidades para produzir mais e melhor, com competência para gerenciar e gerar tecnologias que reduzam os impactos negativos

Leia mais

Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC

Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC PROGRAMA ENSINO PROGRAD ANO: 2013.2 DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E AMBIENTAIS Curso de Medicina Veterinária PROGRAMA DE DISCIPLINA CÓDIGO DISCIPLINA PRÉ-REQUISITOS

Leia mais

Missão do Curso. Objetivos. Perfil do Profissional

Missão do Curso. Objetivos. Perfil do Profissional Missão do Curso A função primordial do Engenheiro Agrônomo consiste em promover a integração do homem com a terra através da planta e do animal, com empreendimentos de interesse social e humano, no trato

Leia mais

Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Manhã Tarde Manhã Tarde Manhã Tarde Manhã Tarde Manhã Tarde

Segunda-feira Terça-feira Quarta-feira Quinta-feira Sexta-feira Manhã Tarde Manhã Tarde Manhã Tarde Manhã Tarde Manhã Tarde BLOCO I ANFITEATRO A 78 carteiras c/ PG - EA Manutenção e Lubrificação de Máquinas Agrícolas PG -EA Ensaio de Máquinas Agrícolas Radiação Solar- SALA 2 SALA 3 SALA 4 50 carteiras c/ SALA 7 SALA 8 SALA

Leia mais

Sistema Baseado em Regras Fuzzy para Avaliação do Efeito de Lâminas de Irrigação na Produtividade e Diâmetro da Raiz de Cultivares de Beterraba

Sistema Baseado em Regras Fuzzy para Avaliação do Efeito de Lâminas de Irrigação na Produtividade e Diâmetro da Raiz de Cultivares de Beterraba Sistema Baseado em Regras Fuzzy para Avaliação do Efeito de Lâminas de Irrigação na Produtividade e Diâmetro da Raiz de Cultivares de Beterraba Alexsandro O. da Silva, Paulo R. Isler, Joselina S. Correia

Leia mais

A internacionalização da Scientia Agricola rumo à corrente principal

A internacionalização da Scientia Agricola rumo à corrente principal A internacionalização da Scientia Agricola rumo à corrente principal Luís Reynaldo Ferracciú Alleoni Editor Chefe - Scientia Agricola Seminário sobre o desempenho dos periódicos brasileiros no JCR 2010

Leia mais

PLANO DE ENSINO DADOS DE IDENTIFICAÇÃO EMENTA OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS

PLANO DE ENSINO DADOS DE IDENTIFICAÇÃO EMENTA OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Federal do Acre Curso: Mestrado em Agronomia Área de Concentração: Produção Vegetal Disciplina: Biologia do Solo Código: CAM 030 Natureza: Optativa Semestre/Ano:

Leia mais

AGRONOMIA. COORDENADOR Moacil Alves de Souza moacil@ufv.br

AGRONOMIA. COORDENADOR Moacil Alves de Souza moacil@ufv.br AGRONOMIA COORDENADOR Moacil Alves de Souza moacil@ufv.br UFV Catálogo de Graduação 2011 65 Engenheiro Agrônomo ATUAÇÃO Compete ao Engenheiro Agrônomo desempenhar as atividades profissionais previstas

Leia mais

Comunicado Técnico 06

Comunicado Técnico 06 Comunicado Técnico 06 ISSN 2177-854X Agosto. 2010 Uberaba - MG Irrigação de Pastagens Instruções Técnicas Responsáveis: André Luis Teixeira Fernandes; E-mail: andre.fernandes@fazu.br Engenheiro Agrônomo;

Leia mais

ENGENHARIA AGRONÔMICA - USP

ENGENHARIA AGRONÔMICA - USP Apresentação ENGENHARIA AGRONÔMICA - USP A Agronomia está intimamente ligada à produção de alimentos, sejam estes de origem animal ou vegetal. Compete ao Engenheiro Agrônomo produzir, conservar, transformar

Leia mais

Biometria Roberval Monteiro Bezerra de Lima (roberval.lima@embrapa.br) Sumaia Vasconcelos (sumaia.vasconcelos@inpa.gov.br)

Biometria Roberval Monteiro Bezerra de Lima (roberval.lima@embrapa.br) Sumaia Vasconcelos (sumaia.vasconcelos@inpa.gov.br) PÓS GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DE FLORESTAS TROPICAIS-PG-CFT INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS DA AMAZÔNIA-INPA Biometria Roberval Monteiro Bezerra de Lima (roberval.lima@embrapa.br) Sumaia Vasconcelos (sumaia.vasconcelos@inpa.gov.br)

Leia mais

Doses de adubo para produção de mudas de tomate (Solanum lycopersicum)

Doses de adubo para produção de mudas de tomate (Solanum lycopersicum) Doses de adubo para produção de mudas de tomate (Solanum lycopersicum) Dinael Henrique Rocha 1 ; Vinicius Samuel Martins 1 ; Rafael Antônio Cavalcante Carvalho 1 ; Jakeline Aparecida Greiver Ribeiro Ferreira

Leia mais

APLICAÇÃO FOLIAR DE ZINCO NO FEIJOEIRO COM EMPREGO DE DIFERENTES FONTES E DOSES

APLICAÇÃO FOLIAR DE ZINCO NO FEIJOEIRO COM EMPREGO DE DIFERENTES FONTES E DOSES APLICAÇÃO FOLIAR DE ZINCO NO FEIJOEIRO COM EMPREGO DE DIFERENTES FONTES E DOSES DENIS AUGUSTO DE SOUSA 1,4, ROBERLI RIBEIRO GUIMARÃES 2,4, ITAMAR ROSA TEIXEIRA 2,4 RESUMO: À exceção de alguns trabalhos

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM MANEJO ECOLÓGICO DE SOLOS

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM MANEJO ECOLÓGICO DE SOLOS CURSO DE CAPACITAÇÃO EM MANEJO ECOLÓGICO DE SOLOS Paulo Sérgio Rabello de Oliveira Docente no Centro de Ciências Agrárias Marechal Cândido Rondon/PR Tópicos Capacidade de uso das terras Conceitos básicos

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR ENGENHARIA AGRONÔMICA ESALQ/USP 2012

ESTRUTURA CURRICULAR ENGENHARIA AGRONÔMICA ESALQ/USP 2012 ESTRUTURA CURRICULAR ENGENHARIA AGRONÔMICA ESALQ/USP 2012 Disciplinas em Seqüência Aconselhada Créditos Carga Per. Obrigatórias Aula Trab. Tot. Horária Ideal 0110113(5) Introdução à Engenharia Agronômica

Leia mais

CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS - CCA

CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS - CCA CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS - CCA MEMBROS DA CÂMARA DE ENSINO DO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS Sérgio Hermínio Brommonschenkel - Presidente Coordenadores de curso Agronomia (AGN) - Eveline Mantovani Alvarenga

Leia mais

COMPORTAMENTO DE HÍBRIDOS EXPERIMENTAIS DE MILHO EM CONDIÇÕES DE ESTRESSES DE SECA

COMPORTAMENTO DE HÍBRIDOS EXPERIMENTAIS DE MILHO EM CONDIÇÕES DE ESTRESSES DE SECA COMPORTAMENTO DE HÍBRIDOS EXPERIMENTAIS DE MILHO EM CONDIÇÕES DE ESTRESSES DE SECA Marco Antônio Ferreira Varanda 1 ; Aurélio Vaz de Melo 2 ; Rubens Ribeiro da Silva³ 1 Aluno do Curso de Agronomia; Campus

Leia mais

Plano de Disciplina. Ementa:

Plano de Disciplina. Ementa: Curso: Mestrado em Produção Vegetal Disciplina: Sistemas agroflorestais Código: Carga Horária: 60 h.a. Semestre: 1 Caráter: Optativa Créditos: 4 Professor Coordenador: Tadário Kamel de Oliveira Horário

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE BIOQUÍMICA E BIOLOGIA MOLECULAR DISCIPLINA: CI0906 FISIOLOGIA VEGETAL SEMESTRE: 2015.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE BIOQUÍMICA E BIOLOGIA MOLECULAR DISCIPLINA: CI0906 FISIOLOGIA VEGETAL SEMESTRE: 2015. UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ DEPARTAMENTO DE BIOQUÍMICA E BIOLOGIA MOLECULAR DISCIPLINA: CI0906 FISIOLOGIA VEGETAL SEMESTRE: 2015.1 TRABALHO DE PESQUISA OBJETIVOS: Promover a aplicação dos conhecimentos

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 DIVERGÊNCIA GENÉTICA DE PROGÊNIES DE MEIOS-IRMÃOS DE AÇAIZEIRO COM BASE EM VALORES GENÉTICOS DE CARACTERES AGRONÔMICOS E DE CACHO DAVI HENRIQUE LIMA TEIXEIRA 1, MARIA DO SOCORRO PADILHA DE OLIVEIRA ; FLÁVIA

Leia mais

X (X-X): Total de Créditos (Carga Teórica semanal-carga Prática semanal)

X (X-X): Total de Créditos (Carga Teórica semanal-carga Prática semanal) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Curso: Engenharia Agrícola e Ambiental Matriz Curricular 1 Período IB 157 Introdução à Biologia 4 (2-2) IT 103 Técnicas Computacionais em Engenharia 4 (2-2)

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E AMBIENTAIS CAMPUS CEDETEG, GUARAPUAVA, PR

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E AMBIENTAIS CAMPUS CEDETEG, GUARAPUAVA, PR UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E AMBIENTAIS CAMPUS CEDETEG, GUARAPUAVA, PR EDITAL nº 18/2015 PPGA/UNICENTRO ABERTURA DE INSCRIÇÕES DE CANDIDATOS À MATRÍCULA EM DISCIPLINAS

Leia mais

GRADE CURRICULAR ENGENHARIA AGRONÔMICA ESALQ/USP 2014

GRADE CURRICULAR ENGENHARIA AGRONÔMICA ESALQ/USP 2014 GRADE CURRICULAR ENGENHARIA AGRONÔMICA ESALQ/USP 2014 Disciplinas em Seqüência Aconselhada Créditos Carga Per. Obrigatórias Aula Trab. Tot. Horária Ideal 0110113(5) Introdução à Engenharia Agronômica 2

Leia mais

Tabela de Cursos de Mestrado e Doutorado no Brasil

Tabela de Cursos de Mestrado e Doutorado no Brasil Tabela de Cursos de Mestrado e Doutorado no Brasil Universidade 1 Universidade Federal de UFRR Norte Agronomia http://www.posagro.ufrr.br/ 0 Roraima Desenvolvimento Regional da Amazônia http://www.necar.ufrr.br/index.php?

Leia mais

Cláudio Lopes de Souza Jr. Depto de Genética-ESALQ/USP clsouza@esalq.usp.br. Setembro-2008

Cláudio Lopes de Souza Jr. Depto de Genética-ESALQ/USP clsouza@esalq.usp.br. Setembro-2008 Cláudio Lopes de Souza Jr. Depto de Genética-ESALQ/USP clsouza@esalq.usp.br Setembro-2008 . Participação no PIB. Produção e Produtividade. Contribuição do Melhoramento Genético Vegetal. Exemplos: Cerrados

Leia mais

PRODUTIVIDADE DO CONSÓRCIO MILHO-BRAQUIÁRIA EM INTEGRAÇÃO COM PECUÁRIA E FLORESTA DE EUCALIPTO

PRODUTIVIDADE DO CONSÓRCIO MILHO-BRAQUIÁRIA EM INTEGRAÇÃO COM PECUÁRIA E FLORESTA DE EUCALIPTO PRODUTIVIDADE DO CONSÓRCIO MILHO-BRAQUIÁRIA EM INTEGRAÇÃO COM PECUÁRIA E FLORESTA DE EUCALIPTO Valdecir Batista Alves (1), Gessí Ceccon (2), Júlio Cesar Salton (3), Antonio Luiz Neto Neto (4), Leonardo

Leia mais

CURRÍCULO DO CURSO DE AGRONOMIA

CURRÍCULO DO CURSO DE AGRONOMIA 48 CURSO DE AGRONOMIA COORDENADOR DO CURSO DE AGRONOMIA Valterley Soares Rocha vsrocha@ufv.br Catálogo de Graduação 2002 49 ATUAÇÃO Compete ao Engenheiro-Agrônomo desempenhar as atividades profissionais

Leia mais

CALAGEM, GESSAGEM E AO MANEJO DA ADUBAÇÃO (SAFRAS 2011 E

CALAGEM, GESSAGEM E AO MANEJO DA ADUBAÇÃO (SAFRAS 2011 E RESPOSTA DE MILHO SAFRINHA CONSORCIADO COM Brachiaria ruziziensis À CALAGEM, GESSAGEM E AO MANEJO DA ADUBAÇÃO (SAFRAS 2011 E 2012) Carlos Hissao Kurihara, Bruno Patrício Tsujigushi (2), João Vitor de Souza

Leia mais

PRODUTIVIDADE DE MILHO SILAGEM SOB ADUBAÇÃO COM DEJETO LIQUIDO DE BOVINOS E MINERAL COM PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA¹. a2es@cav.udesc.br.

PRODUTIVIDADE DE MILHO SILAGEM SOB ADUBAÇÃO COM DEJETO LIQUIDO DE BOVINOS E MINERAL COM PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA¹. a2es@cav.udesc.br. Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas PRODUTIVIDADE DE MILHO SILAGEM SOB ADUBAÇÃO COM DEJETO LIQUIDO DE BOVINOS E MINERAL COM PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA¹. Mauricio Vicente Alves², Luiz Armando

Leia mais

EDITAL Nº 135/2015-GR/UEMA

EDITAL Nº 135/2015-GR/UEMA EDITAL Nº 135/2015-GR/UEMA A Universidade Estadual do Maranhão, torna público, para conhecimento dos interessados, que, no período de 15/10/2015 a 30/11/2015, estarão abertas as inscrições para os Concursos

Leia mais

FREDERICO FAÚLA DE SOUSA OFERECIDA PARA O (S)CURSO (S) DE: Ementa (Síntese do Conteúdo)

FREDERICO FAÚLA DE SOUSA OFERECIDA PARA O (S)CURSO (S) DE: Ementa (Síntese do Conteúdo) UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRO-REITORIA DE GRADUAÇÃO DIRETORIA DE REGISTRO E CONTROLE ACADÊMICO CONTEÚDO DE DISCIPLINA CARGA HORÁRIA CÓDIGO DENOMINAÇÃO CR. TEÓR. PRÁT. TOT. ENG 200 ARMAZENAMENTO DE

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA "CAMPUS" DE RIO CLARO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS E CIÊNCIAS EXATAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE RIO CLARO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS E CIÊNCIAS EXATAS PROGRAMA DE DISCIPLINA Programa de Pós-Graduação em Geociências e Meio Ambiente Curso: Mestrado e Doutorado Disciplina: ESTUDO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS POR ATIVIDADES DE MINERAÇÃO Código: GAA 00185

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica Secretaria da Pós-Graduação em Engenharia Mecânica. Praça Frei Orlando, 170 - Campus Santo Antônio - PPMEC São João del-rei - MG - CEP 36307-352 Disciplina:

Leia mais

SISTEMAS DE PRODUÇÃO IMPORTÂNCIA PARA CONSERVAÇÃO DOS SOLOS E PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE BAMBUI-MG 09/09/2008

SISTEMAS DE PRODUÇÃO IMPORTÂNCIA PARA CONSERVAÇÃO DOS SOLOS E PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE BAMBUI-MG 09/09/2008 SISTEMAS DE PRODUÇÃO IMPORTÂNCIA PARA CONSERVAÇÃO DOS SOLOS E PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE BAMBUI-MG 09/09/2008 19 ANOS DE FUNDAÇÃO MARÇO 1989 PODEMOS ESCOLHER O QUE SEMEAR, MAS SOMOS OBRIGADOS A COLHER

Leia mais

1º O Programa de que trata o caput deste artigo oferecerá uma área de concentração denominada Horticultura, com três linhas de pesquisas:

1º O Programa de que trata o caput deste artigo oferecerá uma área de concentração denominada Horticultura, com três linhas de pesquisas: SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 24/2010 Aprova o Regulamento e a Estrutura Acadêmica do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

ESSENCIALIDADE DE MACRONUTRIENTES EM MILHO CULTIVADO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA

ESSENCIALIDADE DE MACRONUTRIENTES EM MILHO CULTIVADO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA ESSENCIALIDADE DE MACRONUTRIENTES EM MILHO CULTIVADO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA Danilo Pavan 1 ; Luciano Ansolin 1 ; Ivan José Rambo 1 ; Leandro Hahn 2 ; Neuri Antonio Feldmann 3 ; Fabiana Raquel Mühl 4 ; Anderson

Leia mais

artigos 92 Revista UFG / Dezembro 2012 / Ano XIII nº 13

artigos 92 Revista UFG / Dezembro 2012 / Ano XIII nº 13 artigos INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA: ALTERNATIVA PARA INTENSIFICAÇÃO DO USO DA TERRA Lourival Vilela 1, Geraldo B. Martha Jr 2, Robélio Leandro Marchão 3 1. Pesquisador da Embrapa Cerrados. E-mail:

Leia mais

RESULTADOS E DISCUSSÃO

RESULTADOS E DISCUSSÃO ISSN 1983-6015 PESAGRO-RIO - Nº 22 - agosto/2014 - Niterói - RJ ATRIBUTOS NUTRICIONAIS DE LAVOURAS 1 DE CAFÉ CONILON NO NORTE FLUMINENSE 2 2 Wander Eustáquio de Bastos Andrade ; José Márcio Ferreira ;

Leia mais

Embrapa Agropecuária Oeste. Documentos, 32 Embrapa Algodão. Documentos, 82

Embrapa Agropecuária Oeste. Documentos, 32 Embrapa Algodão. Documentos, 82 Embrapa Agropecuária Oeste. Documentos, 32 Embrapa Algodão. Documentos, 82 Exemplares desta publicação podem ser solicitados à: Embrapa Agropecuária Oeste Área de Comunicação Empresarial - ACE BR 163,

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Aplicação de Adubo em Milho Verde Orgânico Irrigado Leandro Barradas Pereira 1, Lauro Kenji Komuro 1, Neli Cristina

Leia mais

CURSO DE ZOOTECNIA CARACTERIZAÇÃO DOS DOCENTES 1º.

CURSO DE ZOOTECNIA CARACTERIZAÇÃO DOS DOCENTES 1º. 1º. Período Introdução ao Cálculo 60 Luciana Alvarenga Santos Graduação em Engenharia Civil, Mestrado em Estruturas de Concreto. Química Geral 60 Nayara Penoni Graduação em Química e Mestrado em Agroquímica.

Leia mais

EDITAL Nº 24/PROPP DE 1º DE SETEMBRO DE 2010.

EDITAL Nº 24/PROPP DE 1º DE SETEMBRO DE 2010. EDITAL Nº 24/PROPP DE 1º DE SETEMBRO DE 2010. O Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da Fundação Universidade Federal da Grande Dourados, Prof. Dr. Cláudio Alves de Vasconcelos, no uso de suas atribuições

Leia mais

De Charles W. Rice Karina Fabrizzi e Paul White Departamento de Agronomia. Pesquisa e Extensão da Kansas

De Charles W. Rice Karina Fabrizzi e Paul White Departamento de Agronomia. Pesquisa e Extensão da Kansas Manejo de solos tropicais no mundo De Charles W. Rice Karina Fabrizzi e Paul White Departamento de Agronomia Pesquisa e Extensão da Kansas Clima Solos Manejo Luz solar CO 2 Rendimento Propriedades Químicas

Leia mais

Custo Operacional do Sistema Integração Lavoura-Pecuária-Silvicultura (ILPS) na Região Noroeste do Estado de São Paulo

Custo Operacional do Sistema Integração Lavoura-Pecuária-Silvicultura (ILPS) na Região Noroeste do Estado de São Paulo Custo Operacional do Sistema Integração Lavoura-Pecuária-Silvicultura (ILPS) na Região Noroeste do Estado de São Paulo Adelina Azevedo BOTELHO ( 1 ); Wander Luis Barbosa BORGES ( 1 ); Rogério Soares de

Leia mais

DEPRESSÃO POR ENDOGAMIA EM UMA POPULAÇÃO DE MILHO DENOMINADA MPA

DEPRESSÃO POR ENDOGAMIA EM UMA POPULAÇÃO DE MILHO DENOMINADA MPA DEPRESSÃO POR ENDOGAMIA EM UMA POPULAÇÃO DE MILHO DENOMINADA MPA Udenys Cabral Mendes (1), Stênio Bruno Sousa (2),Rodolfo Fernandes Schindler (2), Jefferson Fernando Naves Pinto (3), Edésio Fialho dos

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Período/ Fase: 3ª Semestre:01 Ano: 2011

PLANO DE ENSINO. Período/ Fase: 3ª Semestre:01 Ano: 2011 PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Agronomia Professora: Andréa Tozzo Marafon andreamarafon@uniarp.edu.br Período/ Fase: 3ª Semestre:01

Leia mais

EDITAL 01/2012 ABRE PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA VAGAS NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DOUTORADO

EDITAL 01/2012 ABRE PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA VAGAS NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DOUTORADO 1 EDITAL 01/2012 ABRE PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA VAGAS NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DOUTORADO EM BIOTECNOLOGIA, DA UNIVERSIDADE BANDEIRANTE DE SÃO PAULO, RECOMENDADO PELA CAPES COM NOTA 04.

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 PRODUÇÃO DE PEPINO TIPO CONSERVA EM FUNÇÃO DE DOSES DE FÓSFORO ELONHA RODRIGUES DOS SANTOS 1 ; ANTONIA PINTO DE CERQUEIRA 2 ; PAULO ROGÉRIO SIRIANO BORGES 3 ; PAULO ROBERTO PEREIRA 4 ; ARISTÓTELES CAPONE

Leia mais

Desempenho Econômico e Produtivo da Lavoura de Milho em

Desempenho Econômico e Produtivo da Lavoura de Milho em XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Desempenho Econômico e Produtivo da Lavoura de Milho em Sistema ilpf Leonardo Henrique Ferreira Calsavara (1), Marcelo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E GRADUAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA POSAGRO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E GRADUAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA POSAGRO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E GRADUAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA POSAGRO PROGRAMA DE DISCIPLINA CÓDIGO DISCIPLINA PAG 504 Metodologia

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA O CONTROLE DO MANEJO DA IRRIGAÇÃO 1

DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA O CONTROLE DO MANEJO DA IRRIGAÇÃO 1 DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO COMPUTACIONAL PARA O CONTROLE DO MANEJO DA IRRIGAÇÃO 1 M. G. Silva 2 ; F. D. D. Arraes 3 ; E. R. F. Ledo 4 ; D. H. Nogueira 5 RESUMO: O presente trabalho teve por objetivo

Leia mais

Helem Fernandes Naves Peixoto 1,3 Severino de Paiva Sobrinho 2,3 Mariane de Carvalho Vidal 2,4. Voluntário Iniciação Científica PVIC/UEG

Helem Fernandes Naves Peixoto 1,3 Severino de Paiva Sobrinho 2,3 Mariane de Carvalho Vidal 2,4. Voluntário Iniciação Científica PVIC/UEG 1 AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ALELOPÁTICO DO ADUBO VERDE (CROTALARIA SPECTABILIS) SOBRE O DESENVOLVIMENTO DE TOMATE (LYCOPERSICON ESCULENTUM MILL) E POSTERIOR DESENVOLVIMENTO EM CAMPO Helem Fernandes Naves

Leia mais

UFV - UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA. Histórico de Pesquisa e Desenvolvimento com Mandioquinha-salsa na Universidade Federal de Viçosa (UFV)

UFV - UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA. Histórico de Pesquisa e Desenvolvimento com Mandioquinha-salsa na Universidade Federal de Viçosa (UFV) Histórico de Pesquisa e Desenvolvimento com Mandioquinha-salsa na Universidade Federal de Viçosa (UFV) Pesquisas com mandioquinha-salsa no Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Viçosa (DFT/UFV):

Leia mais

Edital PRPPGI Nº 17/2014. Processo seletivo para o Programa de Pós-Graduação em Agronomia Produção Vegetal da UNIVASF

Edital PRPPGI Nº 17/2014. Processo seletivo para o Programa de Pós-Graduação em Agronomia Produção Vegetal da UNIVASF UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO - UNIVASF PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRPPGI Av. José de Sá Maniçoba, s/n, centro, CEP: 56304-917, Petrolina PE Fone 087 2101-6795 Fax

Leia mais

Integração Lavoura-Pecuária-ILP

Integração Lavoura-Pecuária-ILP Integração Lavoura-Pecuária-ILP Evolução da Produção e da Área Plantada de Grãos - Brasil 144,1 149,0 131,8 135,1 123,2 119,1 114,7 122,5 PRODUÇÃO (milhões de t) +157,3% = 4,8% aa 100,3 96,8 68,4 68,3

Leia mais

FIGURA 2. Modelo do efeito da injúria provocada por insetos sobre a produção.

FIGURA 2. Modelo do efeito da injúria provocada por insetos sobre a produção. 1 COEITOS BÁSICOS DO MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS O Manejo Integrado de Pragas (MIP) é uma filosofia de controle de pragas que procura preservar e incrementar os fatores de mortalidade natural, através do

Leia mais

EDITAL N. 24/PROPP, DE 1º DE DEZEMBRO DE 2015.

EDITAL N. 24/PROPP, DE 1º DE DEZEMBRO DE 2015. EDITAL N. 24/PROPP, DE 1º DE DEZEMBRO DE 2015. O Pró-Reitor de Ensino de Pós-Graduação e Pesquisa, em exercício, da Fundação Universidade Federal da Grande Dourados, Prof. Dr. Arquimedes Gasparotto Junior,

Leia mais

02 2014. ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA O PROCESSO SELETIVO DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

02 2014. ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA O PROCESSO SELETIVO DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU Edital nº 29/2014/PROPP/UEMS de 02 de setembro de 2014. ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA O PROCESSO SELETIVO DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO SUSTENTABILIDADE NA

Leia mais

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC)

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC) FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC) Ano/Semestre curricular Ano letivo 2014/2015 Curso Unidade Curricular [designação e tipo/se é do tipo obrigatório ou optativo] (máx100 caracteres) Língua de ensino ECTS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMIÁRIDO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO ANIMAL EDITAL N 01/2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMIÁRIDO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO ANIMAL EDITAL N 01/2015 EDITAL N 01/2015 PPGPA O coordenador Geral do Programa de Pós-Graduação em Produção Animal - Universidade Federal do Rio Grande do Norte (), em associação ampla com a Universidade Federal Rural do Semiárido

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Absorção de Macronutrientes pela Cultura do Milho sobre Diferentes Wander Luis Barbosa Borges 1,7, Rogério Soares

Leia mais

PORQUE NÃO ALCANÇAMOS MAIORES PRODUTIVIDADES NO BRASIL? Dr. Luís Ignácio Prochnow Dr. Valter Casarin Dr. Eros Francisco

PORQUE NÃO ALCANÇAMOS MAIORES PRODUTIVIDADES NO BRASIL? Dr. Luís Ignácio Prochnow Dr. Valter Casarin Dr. Eros Francisco PORQUE NÃO ALCANÇAMOS MAIORES PRODUTIVIDADES NO BRASIL? Dr. Luís Ignácio Prochnow Dr. Valter Casarin Dr. Eros Francisco 1. IPNI MISSÃO O International Plant Nutrition Institute (IPNI) é uma organização

Leia mais

Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM

Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM Resultados incluem primeiro ano de cultivo de milho geneticamente modificado, além das já tradicionais

Leia mais

O PROBLEMA DO BAIXO NÚMERO DE REPETIÇÕES EM EXPERIMENTOS DE COMPETIÇÃO DE CULTIVARES

O PROBLEMA DO BAIXO NÚMERO DE REPETIÇÕES EM EXPERIMENTOS DE COMPETIÇÃO DE CULTIVARES O PROBLEMA DO BAIXO NÚMERO DE REPETIÇÕES EM EXPERIMENTOS DE COMPETIÇÃO DE CULTIVARES Cristiano Nunes Nesi 1, Antônio Lourenço Guidoni 2 Cleber Bringhenti 1 INTRODUÇÃO Uma questão importante a ser definida

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO: FITOTECNIA IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA: CÓDIGO NOME ( T - P ) FTT 1016 CULTIVOS PROTEGIDOS (2-2) OBJETIVOS - ao término da disciplina

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA

CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA Departamento de Biotecnologia, Genética e Biologia Celular Centro de Ciências Biológicas Universidade Estadual de Maringá Coordenador: Prof. Dr. João Alencar Pamphile

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA RADIAÇÃO SOLAR E TEMPERATURA DO AR NO ESTADO DO PIAUÍ

DISTRIBUIÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA RADIAÇÃO SOLAR E TEMPERATURA DO AR NO ESTADO DO PIAUÍ DISTRIBUIÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA RADIAÇÃO SOLAR E TEMPERATURA DO AR NO ESTADO DO PIAUÍ L. G. M. de Figueredo Júnior 1 ; A. S. Andrade Júnior 2 ; F. E. P. Mousinho 1 RESUMO: O presente trabalho teve por

Leia mais

ENGENHARIA AGRÍCOLA E AMBIENTAL. COORDENADOR Antônio Teixeira de Matos atmatos@ufv.br

ENGENHARIA AGRÍCOLA E AMBIENTAL. COORDENADOR Antônio Teixeira de Matos atmatos@ufv.br ENGENHARIA AGRÍCOLA E AMBIENTAL COORDENADOR Antônio Teixeira de Matos atmatos@ufv.br 70 Currículos dos Cursos do CCA UFV Engenheiro Agrícola e Ambiental ATUAÇÃO Compete ao Engenheiro Agrícola e Ambiental

Leia mais

Como surgiu o feijão de terceira safra ou feijão de inverno? Um pouco de história Tomás de Aquino Portes

Como surgiu o feijão de terceira safra ou feijão de inverno? Um pouco de história Tomás de Aquino Portes Como surgiu o feijão de terceira safra ou feijão de inverno? Um pouco de história Tomás de Aquino Portes A 3 a safra, ou feijão irrigado ou de inverno, surgiu no início da década de 1980, como pode ser

Leia mais

Inovação Tecnológica para Defesa Agropecuária Situação Atual e Propostas para a Indução de Melhorias Através da Inovação Tecnológica

Inovação Tecnológica para Defesa Agropecuária Situação Atual e Propostas para a Indução de Melhorias Através da Inovação Tecnológica Inovação Tecnológica para Defesa Agropecuária Situação Atual e Propostas para a Indução de Melhorias Através da Inovação Tecnológica E V A L D O F E R R E I R A V I L E L A E V A L D O V I L E L A @ G

Leia mais

CALAGEM PARA O FEIJÃO-CAUPI [Vigna unguiculata (L.) WALP], CV. BR3 TRACUATEUA, EM SOLO ÁCIDO DE SALVATERRA, MARAJÓ, PARÁ

CALAGEM PARA O FEIJÃO-CAUPI [Vigna unguiculata (L.) WALP], CV. BR3 TRACUATEUA, EM SOLO ÁCIDO DE SALVATERRA, MARAJÓ, PARÁ Área: Solos e Nutrição de Plantas CALAGEM PARA O FEIJÃO-CAUPI [Vigna unguiculata (L.) WALP], CV. BR3 TRACUATEUA, EM SOLO ÁCIDO DE SALVATERRA, MARAJÓ, PARÁ João Elias Lopes Rodrigues 1 ; Sonia Maria Botelho

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 731

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 731 Página 731 POTENCIAL AGRÍCOLA DA UTILIZAÇÃO DE COMPOSTO ORGÂNICO DE LIXO URBANO NA CULTURA DO GIRASSOL1 João Paulo Gonsiorkiewicz Rigon 1 ;Moacir Tuzzin de Moraes 1 ; Fernando Arnuti 1 ; Maurício Roberto

Leia mais

ASPECTOS NUTRICIONAIS DA CULTURA DO TOMATEIRO Wiliam Paulo Araújo - Engenheiro agrônomo MSc performanceagr@terra.com.br. Resumo

ASPECTOS NUTRICIONAIS DA CULTURA DO TOMATEIRO Wiliam Paulo Araújo - Engenheiro agrônomo MSc performanceagr@terra.com.br. Resumo ASPECTOS NUTRICIONAIS DA CULTURA DO TOMATEIRO Wiliam Paulo Araújo - Engenheiro agrônomo MSc performanceagr@terra.com.br Resumo A nutrição do tomateiro envolve mais que simplesmente o aporte de nutrientes

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DAS FORMAS DE FÓSFORO APÓS 15 ANOS DA ADOÇÃO DE SISTEMAS DE MANEJO

DISTRIBUIÇÃO DAS FORMAS DE FÓSFORO APÓS 15 ANOS DA ADOÇÃO DE SISTEMAS DE MANEJO DISTRIBUIÇÃO DAS FORMAS DE FÓSFORO APÓS 15 ANOS DA ADOÇÃO DE SISTEMAS DE MANEJO Resumo Jefferson B. Venâncio 1, Josiléia Acordi Zanatta 2, Júlio Cesar Salton 2 Os sistemas de manejo de solo podem influenciar

Leia mais

Estudo de Caso: Fazenda Santa Brígida

Estudo de Caso: Fazenda Santa Brígida Estudo de Caso: Fazenda Santa Brígida XXIII FÓRUM ABAG INTEGRAÇÃO LAVOURA, PECUÁRIA E FLORESTA Maringá, 18 de maio de 2012. João Kluthcouski joaok@cnpaf.embrapa.br Produtividade (kg ha -1 ) Evolução da

Leia mais

Elisa dos Santos Schütz 1 ; Sandra Regina Pires de Moraes 2 RESUMO

Elisa dos Santos Schütz 1 ; Sandra Regina Pires de Moraes 2 RESUMO DETERMINAÇÃO DOS COEFICIENTES ESTATÍSTICOS DAS EQUAÇÕES DE REGRESSÃO PARA ESTIMATIVA DOS VALORES NORMAIS MÉDIOS, MENSAIS E ANUAL, DAS TEMPERATURAS MÁXIMAS, MÍNIMAS E MÉDIAS, NOS ESTADOS DE GOIÁS, MATO

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1066

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 1066 Página 1066 CONSUMO HÍDRICO DE PLANTAS DE MAMONA EM DIFERENTES NÍVEIS DE UMIDADE NO SOLO E SUA RELAÇÃO COM A RADIAÇÃO SOLAR Marília Alves Brito Pinto 1 ; Gabriel Franke Brixner 2, Carlos Reisser Júnior

Leia mais

IV Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí IV Jornada Científica 06 a 09 de Dezembro de 2011

IV Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí IV Jornada Científica 06 a 09 de Dezembro de 2011 Avaliação do feijão guandu (Cajanus Cajan) cultivado sob diferentes níveis de adubação e seus efeitos nos teores de fibra em detergente neutro (FDN) e fibra em detergente ácido (FDA) Arnon Henrique Campos

Leia mais

II. 5 Disciplinas optativas gerais Metodologia de ensino e estágio de docência

II. 5 Disciplinas optativas gerais Metodologia de ensino e estágio de docência EDITAL 102/2015 ABRE PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA VAGAS NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO ACADEMICO EM BIOTECNOLOGIA E INOVAÇÃO EM SAÚDE, DA UNIVERSIDADE ANHANGUERA DE SÃO PAULO, RECOMENDADO

Leia mais

Curso - MBA em Fitossanidade

Curso - MBA em Fitossanidade Curso - MBA em Fitossanidade 1. Objetivo O curso de MBA-IAC em Fitossanidade objetiva reunir conhecimentos sobre Fitossanidade, segurança na agricultura, gestão de pessoas e comunicação, com abordagem

Leia mais

TEORES FOLIARES DE N, P E K EM MELANCIA FERTIRRIGADA COM DOSES DE NITROGÊNIO E FÓSFORO

TEORES FOLIARES DE N, P E K EM MELANCIA FERTIRRIGADA COM DOSES DE NITROGÊNIO E FÓSFORO TEORES FOLIARES DE N, P E K EM MELANCIA FERTIRRIGADA COM DOSES DE NITROGÊNIO E FÓSFORO M. S. Souza 1 ; J. F. de Medeiros 2 ; S. W. P. Chaves 2 ; M. V. T. Silva 3 ; O. M. P. Silva 4 ; A. P. F. Santos 4

Leia mais

ADUBAÇÃO ORGÂNICA E MINERAL NA PRODUTIVIDADE DA CANA- SOCA

ADUBAÇÃO ORGÂNICA E MINERAL NA PRODUTIVIDADE DA CANA- SOCA Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas ADUBAÇÃO ORGÂNICA E MINERAL NA PRODUTIVIDADE DA CANA- SOCA Lucélia Alves Ramos (1) ; Regina Maria Quintão Lana (2) ; Gaspar Henrique Korndörfer (2), Adriane de

Leia mais

MANEJO DE IRRIGAÇÃO NA CULTURA DE ACEROLA ORGÂNICA NOS TABULEIROS LITORÂNEOS DO ESTADO DO PIAUÍ

MANEJO DE IRRIGAÇÃO NA CULTURA DE ACEROLA ORGÂNICA NOS TABULEIROS LITORÂNEOS DO ESTADO DO PIAUÍ MANEJO DE IRRIGAÇÃO NA CULTURA DE ACEROLA ORGÂNICA NOS TABULEIROS LITORÂNEOS DO ESTADO DO PIAUÍ Autor: Manoel de Jesus Nunes da Costa Junior 1 Orientador: Luis Gonzaga Medeiros de Figueredo Júnior 2 Universidade

Leia mais

PRODUÇÃO DE FEIJÃO EM ÁREA COM TOXIDEZ DE ALUMÍNIO NA BAIXADA CAMPISTA

PRODUÇÃO DE FEIJÃO EM ÁREA COM TOXIDEZ DE ALUMÍNIO NA BAIXADA CAMPISTA ISSN 1983-6015 PESAGRO-RIO - Nº 57 - agosto/2015 - Niterói - RJ PRODUÇÃO DE FEIJÃO EM ÁREA COM TOXIDEZ DE ALUMÍNIO NA BAIXADA CAMPISTA 1 1 Wander Eustáquio de Bastos Andrade ; Benedito Fernandes de Souza

Leia mais

Engenheiros Agrônomos e Florestais, Biólogos, profissionais de nível superior da área de Fitossanidade.

Engenheiros Agrônomos e Florestais, Biólogos, profissionais de nível superior da área de Fitossanidade. OBJETIVO O curso de MBA-IAC em Fitossanidade objetiva reunir conhecimentos sobre Fitossanidade, segurança na agricultura, gestão de pessoas e comunicação, com abordagem teórica e prática. O curso trará

Leia mais

O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção

O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção Leite relatório de inteligência JANEIRO 2014 O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção Na busca da eficiência nos processos produtivos na atividade leiteira este

Leia mais

Adaptação à mudança do clima*

Adaptação à mudança do clima* Agropecuária: Vulnerabilidade d e Adaptação à mudança do clima* Magda Lima - Embrapa Meio Ambiente Bruno Alves - Embrapa Agrobiologia OCB Curitiba Março de 2010 * Apresentação baseada em artigo publicado

Leia mais

Manejos da Cobertura do Solo e da Adubação Nitrogenada na Cultura do Milho para Silagem em Sistema de Integração Lavoura Pecuária

Manejos da Cobertura do Solo e da Adubação Nitrogenada na Cultura do Milho para Silagem em Sistema de Integração Lavoura Pecuária XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Manejos da Cobertura do Solo e da Adubação Nitrogenada na Cultura do Milho para Silagem em Sistema de Integração

Leia mais

DESCOMPACTAÇÃO DO SOLO NO PLANTIO DIRETO USANDO FORRAGEIRAS TROPICAIS REDUZ EFEITO DA SECA

DESCOMPACTAÇÃO DO SOLO NO PLANTIO DIRETO USANDO FORRAGEIRAS TROPICAIS REDUZ EFEITO DA SECA DESCOMPACTAÇÃO DO SOLO NO PLANTIO DIRETO USANDO FORRAGEIRAS TROPICAIS REDUZ EFEITO DA SECA Por: Julio Franchini Área: Manejo do Solo Julio Franchini possui graduação em Agronomia pela Universidade Estadual

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 486

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 486 Página 486 COMPONENTES DE PRODUÇÃO DA BRS NORDESTINA CULTIVADA EM DIFERENTES FONTES DE ADUBAÇÃO 1 Josely Dantas Fernandes 1, Lucia Helena Garófalo Chaves 2, José Pires Dantas 3, José Rodrigues Pacífico

Leia mais