A SITUAÇÃO SOBRE OS CASAMENTOS PREMATUROS EM MOÇAMBIQUE E A LEGISLAÇÃO RELACIONADA. Maputo, Dezembro de 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A SITUAÇÃO SOBRE OS CASAMENTOS PREMATUROS EM MOÇAMBIQUE E A LEGISLAÇÃO RELACIONADA. Maputo, Dezembro de 2015"

Transcrição

1 MINISTÉRIO DO GÉNERO, CRIANÇA E ACÇÃO SOCIAL A SITUAÇÃO SOBRE OS CASAMENTOS PREMATUROS EM MOÇAMBIQUE E A LEGISLAÇÃO RELACIONADA Maputo, Dezembro de 2015

2 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO 1. Introdução; 2. Situação actual dos Casamentos Prematuros em Moçambique; 3. Causas; 4. Consequências; 5. Legislação; 6. Acções em Curso; 7. Desafios. 2

3 INTRODUÇÃO Segundo as projecções do INE, existem, em Moçambique, crianças, que correspondem a 53.7% da população, e o seu bem-estar constitui uma das prioridades do Governo; O compromisso com a protecção da criança está plasmado na Constituição da República e nos demais instrumentos que promovem e protegem os direitos da criança; Apesar dos progressos alcançados na protecção da criança registam-se preocupações quanto a: Existência de cerca de crianças vivem em situação de vulnerabilidade devido a orfandade e violência entre outras causas; Prevalência de casamentos prematuros. 3

4 SITUAÇÃO ACTUAL Os dados do Inquérito Demográfico e de Saúde (INE, 2011) indicam que em Moçambique, 14% das mulheres, entre os 20 e 24 anos de idade, casaram-se antes dos 15 anos de idade e 48% casaram-se antes dos 18 anos; Estes dados colocam Moçambique entre os 3 países com a maior prevalência de casamentos prematuros em África e entre os 10 países mais afectados no mundo; Os casamentos prematuros ocorrem com maior incidência nas zonas rurais sendo as meninas as mais afectadas. 4

5 PAÍSES COM MAIOR PREVALÊNCIA DE CASAMENTOS PREMATUROS EM ÁFRICA 5

6 % DE CRIANÇAS SUBMETIDAS AO CASAMENTO PREMATURO POR ÁREA DE RESIDÊNCIA E SEXO (IDS, 2011). Feminino Masculino < 15 Anos < 18 Anos < 18 anos Total 14,3 48,2 8,7 Urbano 11,5 36,1 4,8 Rural 16,1 55,7 11,8 6

7 % DE CRIANÇAS SUBMETIDAS AO CASAMENTO PREMATURO POR PROVÍNCIA (IDS, 2011) 9 % 9 % 8 % 7% 18 % 9 % 24% Em termos de distribuição geográfica, as províncias das Zonas Centro e Norte são as mais afectadas destacando-se as Províncias de Nampula (24%), Zambézia (18%), Cabo Delgado, Tete e Manica(9%). 5% 5% 4% 2%

8 CAUSAS As causas dos casamentos prematuros são múltiplas das quais destacamos as seguintes: As práticas sociais e tradicionais relacionadas com as concepções sobre as crianças; A pobreza e vulnerabilidade das famílias; A violência e descriminação baseada no género. 8

9 CONSEQUÊNCIAS Os casamentos prematuros constituem violação dos direitos humanos e da criança e têm como consequências : A Perpetuação da pobreza; A Violência de género; Os problemas de saúde sexual e reprodutiva; A Perda de oportunidades de educação, formação por parte das crianças do sexo feminino; A maternidade precoce que tem impacto na saúde (Ex: fistula obstétrica), educação e desenvolvimento da mãe e do bebé. 9

10 LEGISLAÇÃO O País adoptou vários instrumentos no âmbito da Promoção e Protecção dos Direitos da Criança dos quais se destacam: A Constituição da República (Arts. 47, 120, 121) preconiza a protecção da criança pela família, sociedade e pelo Estado com vista ao seu desenvolvimento integral; A Lei de Promoção e Protecção dos Direitos da Criança (Lei Nº 7/2008, de 9 de Julho); 10

11 LEGISLAÇÃO A Lei da Família (N 10/2004, de 25 de Agosto) fixa no Artigo 30º a idade núbil em 18 anos. Contudo, o número 2 do mesmo artigo, define que a mulher ou homem com mais de dezasseis anos, a título excepcional, pode contrair casamento, quando ocorram circunstâncias de reconhecido interesse público e familiar e houver consentimento dos pais ou dos legais representantes. 11

12 LEGISLAÇÃO A nível internacional, Moçambique ratificou vários instrumentos dos quais se destacam: A Declaração Universal dos Direitos Humanos; A carta Africana Sobre os Direitos e Bem-Estar da Criança; A Convenção sobre os Direitos da Criança; A Convenção sobre a Eliminação de todas as formas de Discriminação contra a mulher; Protocolo da SADC sobre Género e Desenvolvimento. 12

13 ACÇÕES EM CURSO O Governo provou a Estratégia Nacional de Prevenção e Combate aos Casamentos Prematuros, com o objectivo de criar um ambiente favorável à eliminação progressiva dos casamentos prematuros; A Estratégia define as acções prioritárias no âmbito da Comunicação e mobilização social; Educação; Empoderamento das crianças do sexo feminino; Saúde sexual e reprodutiva; Mitigação e recuperação; Quadro político legal; Lançou a Campanha Nacional de Prevenção e Combate dos Casamentos Prematuros, alinhada com o movimento da União Africana; 13

14 ACÇÕES EM CURSO A sensibilização das famílias, líderes religiosos, líderes tradicionais, comunidade, crianças e sociedade em geral para a prevenção dos casamentos prematuros, destacando-se a divulgação de spots, folhetos e a realização de palestras e debates em todo o Pais; A Prestação de assistência multiforme a cerca de crianças em situação de vulnerabilidade e seus agregados familiares através dos Programas de Segurança Social Básica; A implementação de programas de saúde sexual e reprodutiva; A promoção da educação das raparigas incluindo a atribuição de bolsas de estudo. 14

15 DESAFIOS Constituem desafios na prevenção e combate aos casamentos prematuros: A divulgação e implementação da Estratégia Nacional de Prevenção e Combate aos Casamentos Prematuros; A Reforma Legal com o destaque para a Lei da Família, estabelecendo a idade núbil em 18 anos sem excepções; Prosseguir com as acções de sensibilização das famílias e comunidades para a protecção das crianças dos casamentos prematuros e de outras práticas sociais nocivas; 15

16 DESAFIOS A expansão dos programas de protecção social básica e outras acções visando a redução da vulnerabilidade das famílias; Prosseguir com as acções para o acesso e retenção das crianças nas escola em especial das raparigas; A implementação de acções de assistência e reabilitação das crianças envolvidas em casamentos prematuros. 16

17 A criança em primero lugar Muito Obrigado 17

Balanço dos Compromissos Políticos do Governo de Moçambique. Nova Aliança para a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 10 e 11 de Abril de 2013

Balanço dos Compromissos Políticos do Governo de Moçambique. Nova Aliança para a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 10 e 11 de Abril de 2013 Balanço dos Compromissos Políticos do Governo de Moçambique Nova Aliança para a Segurança Alimentar e Nutricional Maputo, 10 e 11 de Abril de 2013 1 1 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE

Leia mais

PROGRAMA DE ACÇÃO SAÚDE. - Advocacia junto ao Ministério da Saúde para criação de mais centros de testagem voluntária.

PROGRAMA DE ACÇÃO SAÚDE. - Advocacia junto ao Ministério da Saúde para criação de mais centros de testagem voluntária. PROGRAMA DE ACÇÃO A diversidade e complexidade dos assuntos integrados no programa de acção da OMA permitirá obter soluções eficazes nos cuidados primários de saúde, particularmente na saúde reprodutiva

Leia mais

Políticas Pública de Redução da Pobreza

Políticas Pública de Redução da Pobreza Políticas Pública de Redução da Pobreza Ministério da Planificação e Desenvolvimento Direcção Nacional de Planificação Por: Cristina Matusse (Técnica de Planificação) Maputo, 16 de Abril de 2009 Estrutura

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 515/XII

PROJETO DE LEI N.º 515/XII PROJETO DE LEI N.º 515/XII PROCEDE À 31.ª ALTERAÇÃO AO CÓDIGO PENAL, APROVADO PELO DECRETO-LEI N.º 400/82, DE 23 DE SETEMBRO, CRIANDO O CRIME DE MUTILAÇÃO GENITAL FEMININA Exposição de motivos 1 A Mutilação

Leia mais

Direitos Humanos das Mulheres

Direitos Humanos das Mulheres Direitos Humanos das Mulheres Federal Ministry for Foreign Affairs of Austria Direitos Humanos O avanço das mulheres e a conquista da igualdade entre mulheres e homens são uma questão de direitos humanos

Leia mais

Informe 6 Novembro de 2008

Informe 6 Novembro de 2008 Parceria para os Direitos da Criança em Moçambique Informe 6 Novembro de 28 O QUE DIZ A PROPOSTA DE ORÇAMENTO DO ESTADO 29 SOBRE A PREVISÃO DE RECURSOS NO SECTOR DE ACÇÃO SOCIAL? Mensagens Chave A Proposta

Leia mais

OS INVESTIMENTOS EM ÁGUA E SANEAMENTO EM CURSO NO SUMBE P/COORDENAÇÃO DO PROJECTO ENG.º CARLOS FONSECA

OS INVESTIMENTOS EM ÁGUA E SANEAMENTO EM CURSO NO SUMBE P/COORDENAÇÃO DO PROJECTO ENG.º CARLOS FONSECA OS INVESTIMENTOS EM ÁGUA E SANEAMENTO EM CURSO NO SUMBE WORKSHOP CONSULTA PÚBLICA SOBRE EIA DO PROJECTO SUMBE SUMBE, 22 DE MARÇO DE 2013 P/COORDENAÇÃO DO PROJECTO ENG.º CARLOS FONSECA 1 1. OBJECTIVOS DO

Leia mais

DR. AUGUSTO POMBAL CENTRO POLIVALENTE DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO MAPTSS 26 DE JUNHO DE 2015

DR. AUGUSTO POMBAL CENTRO POLIVALENTE DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO MAPTSS 26 DE JUNHO DE 2015 O REGIME DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS NO ÂMBITO DA CONVENÇÃO E DA RECOMENDAÇÃO SOBRE O TRABALHO DECENTE PARA OS TRBALHADORAS E OS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DR. AUGUSTO POMBAL CENTRO POLIVALENTE DE FORMAÇÃO

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA OS IDOSOS. Prof. Dr. Helio Furtado

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA OS IDOSOS. Prof. Dr. Helio Furtado POLÍTICAS PÚBLICAS PARA OS IDOSOS Prof. Dr. Helio Furtado POLÍTICAS PÚBLICAS O aumento da longevidade e o rápido crescimento do peso relativo da população idosa, aliados às deficiências no sistema público

Leia mais

República de Moçambique Ministério da Educação e Cultura INSTITUTO NACIONAL DO DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

República de Moçambique Ministério da Educação e Cultura INSTITUTO NACIONAL DO DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO República de Moçambique Ministério da Educação e Cultura INSTITUTO NACIONAL DO DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO Síntese Final do I Fórum Nacional de Consulta sobre a Transformação Curricular do Ensino Secundário

Leia mais

Direitos das Minorias

Direitos das Minorias Direitos das Minorias Federal Ministry for Foreign Affairs of Austria Direitos das Minorias Nos Estados em que existam minorias étnicas, religiosas ou linguísticas, as pessoas pertencentes a essas minorias

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM. Brasília, 18 de Novembro de 2013 Michelle Leite da Silva

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM. Brasília, 18 de Novembro de 2013 Michelle Leite da Silva POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM Brasília, 18 de Novembro de 2013 Michelle Leite da Silva DAET- Departamento de Atenção Especializada e Temática Secretaria de Atenção à Saúde - SAS

Leia mais

Declaração De Maseru Sobre O Combate Ao Hiv/Sida

Declaração De Maseru Sobre O Combate Ao Hiv/Sida Declaração De Maseru Sobre O Combate Ao Hiv/Sida PREÂMBULO NÓS, os Chefes de Estado ou Governo de: República da África do Sul República de Angola República do Botswana República Democrática do Congo Reino

Leia mais

INFORMACAO CAMPANHA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM MOÇAMBIQUE

INFORMACAO CAMPANHA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM MOÇAMBIQUE INFORMACAO CAMPANHA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM MOÇAMBIQUE (2013-2014) 1 Maputo, October, 2014 CAMPANHA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO NA

Leia mais

Convenção de Istambul

Convenção de Istambul CONVENÇÃO DO CONSELHO DA EUROPA PARA A PREVENÇÃO E O COMBATE À VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES E A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA Convenção de Istambul LIVRE DO MEDO LIVRE DA VIOLÊNCIA QUAL É O OBJETIVO DA CONVENÇÃO?

Leia mais

Estratégia da ONUSIDA para : Acelerar o financiamento para pôr fim à SIDA

Estratégia da ONUSIDA para : Acelerar o financiamento para pôr fim à SIDA Estratégia da ONUSIDA para 2016-2020: Acelerar o financiamento para pôr fim à SIDA www.itcilo.org INTRODUÇÃO Estratégia global orientar e apoiar a resposta à SIDA, a nível global e assente em princípios

Leia mais

PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS

PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS PROPOSTA DE PILARES PARA O PRÓXIMO PROGRAMA DE APOIO AS POLÍTICAS (PSI) APRESENTAÇÃO AO SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DO FMI E PERSPECTIVAS MAPUTO, 11 DE MARÇO DE 2013 ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO

Leia mais

PROJETO DE RELATÓRIO

PROJETO DE RELATÓRIO Parlamento Europeu 2014-2019 Comissão dos Direitos da Mulher e da Igualdade dos Géneros 15.12.2016 2017/0000(INI) PROJETO DE RELATÓRIO que contém uma proposta de recomendação do Parlamento Europeu ao Conselho

Leia mais

CAPÍTULO 5 DETERMINANTES PRÓXIMOS DA FECUNDIDADE

CAPÍTULO 5 DETERMINANTES PRÓXIMOS DA FECUNDIDADE CAPÍTULO 5 DETERMINANTES PRÓXIMOS DA FECUNDIDADE Neste capítulo são analisados os principais factores, para além da contracepção, que influenciam a probabilidade da mulher engravidar, geralmente conhecidos

Leia mais

COGESPA 2016 PREVENÇÃO. Eixo II - Enfrentamento da Epidemia das DST/Aids entre mulheres no Estado de São Paulo

COGESPA 2016 PREVENÇÃO. Eixo II - Enfrentamento da Epidemia das DST/Aids entre mulheres no Estado de São Paulo COGESPA 2016 PREVENÇÃO Eixo II - Enfrentamento da Epidemia das DST/Aids entre mulheres no Estado de São Paulo DST/Aids entre mulheres no Estado de São Paulo Diminuir a incidência de HIV/Aids entre as mulheres

Leia mais

O Turismo Sexual Infantil: Que Resposta Legal em

O Turismo Sexual Infantil: Que Resposta Legal em O Turismo Sexual Infantil: Que Resposta Legal em Hélder Chambal Advogado Mestre em Direito do Comércio Internacional Email: hchamball@gmail.com Cel: +(258) 84 7015590 Maputo - Moçambique Tópicos 1. Conceito

Leia mais

X CONFERÊNCIA DA RIICOTEC. Assunção, Paraguai

X CONFERÊNCIA DA RIICOTEC. Assunção, Paraguai Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República X CONFERÊNCIA DA RIICOTEC 22 a 24 Setembro 2010 Assunção, Paraguai DA NECESSIDADE AOS DIREITOS NAS POLÍTICAS PÚBLICAS PARA AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

Leia mais

Ministério da Integração Nacional

Ministério da Integração Nacional Protocolo Conjunto para Proteção Integral a Crianças e Adolescentes, Pessoas Idosas e Pessoas com Deficiência em Situação de Riscos e Desastres Portaria Interministerial Nº 02 de 06 de Dezembro de 2012

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar PeNSE

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar PeNSE Diretoria de Pesquisas Coordenação de População e Indicadores Sociais Gerência de Estudos e Pesquisas Sociais Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar PeNSE Data 26/08/2016 Introdução Adolescência Transição

Leia mais

Percentagem de escolas que são gratuitas, desagregadas por ano (*)

Percentagem de escolas que são gratuitas, desagregadas por ano (*) Indicadores globais propostos Objetivo 4. Garantir uma educação inclusiva e equitativa de qualidade e promover as oportunidades de aprendizagem contínua para todos Estas recomendações são feitas em conjunto

Leia mais

POSICIONAMENTO DO MOVIMENTO SINDICAL SOBRE O PISO DE PROTECÇÃO SOCIAL EM MOÇAMBIQUE

POSICIONAMENTO DO MOVIMENTO SINDICAL SOBRE O PISO DE PROTECÇÃO SOCIAL EM MOÇAMBIQUE CONFEDERACÃO NACIONAL DOS SINDICATOS INDEPENDENTES E LIVRES DE MOCAMBIQUE CONSILMO POSICIONAMENTO DO MOVIMENTO SINDICAL SOBRE O PISO DE PROTECÇÃO SOCIAL EM MOÇAMBIQUE CONTEXTUALIZAÇÃO CONFEDERACÃO NACIONAL

Leia mais

DÉCADA INTERNACIONAL DE. AFRODESCENDENTES 1º de janeiro de 2015 a 31 de dezembro de 2024 RECONHECIMENTO, JUSTIÇA E DESENVOLVIMENTO

DÉCADA INTERNACIONAL DE. AFRODESCENDENTES 1º de janeiro de 2015 a 31 de dezembro de 2024 RECONHECIMENTO, JUSTIÇA E DESENVOLVIMENTO DÉCADA INTERNACIONAL DE AFRODESCENDENTES 1º de janeiro de 2015 a 31 de dezembro de 2024 RECONHECIMENTO, JUSTIÇA E DESENVOLVIMENTO DÉCADA INTERNACIONAL DOS AFRODESCENDENTES 1º DE JANEIRO DE 2015 A 31 DE

Leia mais

VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL

VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL VIH-SIDA - SITUAÇÃO ACTUAL 1 Quadro Institucional Estratégias : Até 22 Sanitarização da abordagem Depois de 22 Multisectorialidade e Descentralização Prevalência do VIH (%), em adultos dos 15-49 anos,

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO PARA A COORDENAÇÃO DA ACÇÃO AMBIENTAL

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO PARA A COORDENAÇÃO DA ACÇÃO AMBIENTAL REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE -------- MINISTÉRIO PARA A COORDENAÇÃO DA ACÇÃO AMBIENTAL Intervenção de Sua Excelência Ministra para a Coordenação da Acção Ambiental por ocasião da assinatura do Memorando de

Leia mais

IX CONFERÊNCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CMDCA CAMPINAS II ENCONTRO ESTADUAL DE GESTORES MUNICIPAIS DE CONVÊNIO

IX CONFERÊNCIA MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE CMDCA CAMPINAS II ENCONTRO ESTADUAL DE GESTORES MUNICIPAIS DE CONVÊNIO II ENCONTRO ESTADUAL DE GESTORES MUNICIPAIS DE CONVÊNIO FUNDO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE FIA O Estatuto da Criança e Adolescente - ECA estabelece a Política de Atendimento a Criança e Adolescente:

Leia mais

ONU organiza debate sobre erradicação da. Mutilação Genital Feminina

ONU organiza debate sobre erradicação da. Mutilação Genital Feminina ONU organiza debate sobre erradicação da Mutilação Genital Feminina O Dia Internacional da Tolerância Zero à Mutilação Genital Feminina é observado pela Organização das Nações Unidas (ONU), anualmente,

Leia mais

Outline. I. Introdução. II. Importância do algodão na economia. III. A Cadeia de valor do algodão. VI. Análise SWOT. V. Factores de competitividade

Outline. I. Introdução. II. Importância do algodão na economia. III. A Cadeia de valor do algodão. VI. Análise SWOT. V. Factores de competitividade Outline I. Introdução II. Importância do algodão na economia III. A Cadeia de valor do algodão VI. Análise SWOT V. Factores de competitividade VI. Conclusões I. Introdução A cultura do algodão constitui

Leia mais

Parceria global quer erradicar o casamento precoce na África

Parceria global quer erradicar o casamento precoce na África Parceria global quer erradicar o casamento precoce na África por Por Dentro da África - segunda-feira, novembro 09, 2015 http://www.pordentrodaafrica.com/cultura/parceria-global-quer-erradicar-o-casamento-precoce-na-africa

Leia mais

ESTRATÉGIA DE ENERGIA

ESTRATÉGIA DE ENERGIA República de Moçambique ESTRATÉGIA DE ENERGIA Apresentado por Antonio Osvaldo Saide Director Nacional de Energias Novas e Renovaveis 15 de Abril de 2011 1 Situação Actual em Moçambique 1 INTRODUÇÃO Moçambique

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO MULTISECTORIAL DE EMERGÊNCIA/TRAUMA PERÍODO Maputo 11 de Novembro de 2015

PLANO ESTRATÉGICO MULTISECTORIAL DE EMERGÊNCIA/TRAUMA PERÍODO Maputo 11 de Novembro de 2015 PLANO ESTRATÉGICO MULTISECTORIAL DE EMERGÊNCIA/TRAUMA PERÍODO 2015-2018 Maputo 11 de Novembro de 2015 Conteúdo 1. Conceitos Básicos 2. Contextualização 3. Análise da situação e Justificação 4. Visão e

Leia mais

4º Draft. MULHERES E HOMENS EM MOÇAMBIQUE Indicadores Seleccionados de Género, 2014

4º Draft. MULHERES E HOMENS EM MOÇAMBIQUE Indicadores Seleccionados de Género, 2014 Mulheres e Homens em Moçambique 2014 MULHERES E HOMENS EM MOÇAMBIQUE Indicadores Seleccionados de Género, 2014 4º Draft Entregue por Dionisia Khossa 17/12/15 Recebibo por Mário Chivambo 17/12/15 Trabalho

Leia mais

Envelhecimento Populacional em Moçambique: Conquista, Ameaça ou Oportunidade?

Envelhecimento Populacional em Moçambique: Conquista, Ameaça ou Oportunidade? Envelhecimento Populacional em Moçambique: Conquista, Ameaça ou Oportunidade? Gustavo Toshiaki Lopes Sugahara ( gustavo.toshiaki@gmail.com ) Investigador Associado do Instituto de Estudos Sociais e Econômicos

Leia mais

DIAGNÓSTICO MULTISSECTORIAL PARA GUIAR DEFINIÇÃO DE PRIORIDADES NO PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR (PRONAE)

DIAGNÓSTICO MULTISSECTORIAL PARA GUIAR DEFINIÇÃO DE PRIORIDADES NO PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR (PRONAE) DIAGNÓSTICO MULTISSECTORIAL PARA GUIAR DEFINIÇÃO DE PRIORIDADES NO PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR (PRONAE) Projecto Trilateral Complementar (Moçambique/Brasil/EUA) de Apoio Técnico aos Programas

Leia mais

A Cooperação Portuguesa

A Cooperação Portuguesa FICHA TEMÁTICA A Cooperação Portuguesa Março de 2015 Política de Cooperação para o Desenvolvimento A Cooperação para o Desenvolvimento é um vetor chave da política externa portuguesa, que assenta num consenso

Leia mais

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Qualificação dos Profissionais da Administração Pública Local HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Formadora - Magda Sousa MÓDULO 1 NORMATIVOS LEGAIS OBJECTIVO Interpretar e aplicar a legislação, regulamentos

Leia mais

APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS. Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo

APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS. Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo APOIO FAMILIAR DIREITOS E ESTRATEGIAS Renata Flores Tibyriçá Defensora Pública do Estado de São Paulo O Que é Defensoria Pública? Defensoria Pública é instituição prevista na Constituição Federal (art.

Leia mais

QUEM SOMOS? 1.2. Aproximadamente, quantas pessoas vivem na comunidade?

QUEM SOMOS? 1.2. Aproximadamente, quantas pessoas vivem na comunidade? 1 2 QUEM SOMOS? Parte 1: Perfil da comunidade. Nome da comunidade: Estado onde se localiza: Município onde se localiza: 1.1. A que distância a sua comunidade fica da cidade? 1.2. Aproximadamente, quantas

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO DE MADRID SOBRE O ENVELHECIMENTO - MIPPA

PLANO DE ACÇÃO DE MADRID SOBRE O ENVELHECIMENTO - MIPPA ONU - ACÇÃO DIREITOS HUMANOS E O ENVELHECIMENTO Lisboa, 12 de ABRIL 2012 PLANO DE ACÇÃO DE MADRID SOBRE O ENVELHECIMENTO - MIPPA ODETE SEVERINO População mundial Outubro 2011: 7 bilhões de Pessoas 893

Leia mais

A aplicação da lei de violência doméstica em Moçambique: constrangimentos institucionais e culturais

A aplicação da lei de violência doméstica em Moçambique: constrangimentos institucionais e culturais A aplicação da lei de violência doméstica em Moçambique: constrangimentos institucionais e culturais (Síntese a partir dos slides) Por Joaquim Nhampoca (Departamento da Mulher e da Criança, Ministério

Leia mais

POLÍTICAS DE INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES EM PAÍSES DA CPLP CASO DE MOÇAMBIQUE

POLÍTICAS DE INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES EM PAÍSES DA CPLP CASO DE MOÇAMBIQUE POLÍTICAS DE INFRA-ESTRUTURAS DE TRANSPORTES EM PAÍSES DA CPLP CASO DE MOÇAMBIQUE Titulo da Comunicação, Título da Comunicação Nome do Orador Empresa/Instituição Rede de Estradas Classificadas (DM. 03/2005)

Leia mais

GOVERNO PROVINCIAL DA CIDADE DE MAPUTO DIRECÇÃO DA JUSTIÇA DE MAPUTO CIDADE

GOVERNO PROVINCIAL DA CIDADE DE MAPUTO DIRECÇÃO DA JUSTIÇA DE MAPUTO CIDADE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE GOVERNO PROVINCIAL DA CIDADE DE MAPUTO DIRECÇÃO DA JUSTIÇA DE MAPUTO CIDADE O presente documento tem em vista apresentar de forma resumida as realizações da Direcção da Justiça

Leia mais

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 PMA PROGRAMA MUNDIAL DE ALIMENTOS

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 PMA PROGRAMA MUNDIAL DE ALIMENTOS COPATROCINADOR UNAIDS 2015 PMA PROGRAMA MUNDIAL DE ALIMENTOS COPATROCINADORES UNAIDS 2015 PMA O QUE É O PROGRAMA MUNDIAL DE ALIMENTOS? As pessoas que vivem com HIV têm direito à alimentação e boa nutrição.

Leia mais

Caderneta da Gestante

Caderneta da Gestante MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS COORDENAÇÃO GERAL DE SAÚDE DAS MULHERES Caderneta da Gestante * A assistência pré-natal se constitui em

Leia mais

Presidência. Ficha Técnica: João Dias Loureiro Presidente. Título: Mulheres e Homens em Moçambique Indicadores Seleccionados de Género 2011

Presidência. Ficha Técnica: João Dias Loureiro Presidente. Título: Mulheres e Homens em Moçambique Indicadores Seleccionados de Género 2011 MULHERES E HOMENS EM MOÇAMBIQUE Indicadores Seleccionados de Género - 2011 Mulheres e Homens em Moçambique, 2011 2012 Instituto Nacional de Estatística Reprodução autorizada, excepto para fins comerciais,

Leia mais

Decreto Presidencial n.º 216/11, de 8 de Agosto

Decreto Presidencial n.º 216/11, de 8 de Agosto Decreto Presidencial n.º 216/11, de 8 de Agosto Página 1 de 10 Considerando que o acesso à terra é fundamental para o processo de reconstrução, construção e desenvolvimento económico e social do País e

Leia mais

Índice. Aquisições da nacionalidade portuguesa (Nº), por tipo de aquisição e sexo,

Índice. Aquisições da nacionalidade portuguesa (Nº), por tipo de aquisição e sexo, Índice Processos Entrados e Findos de Concessão de Nacionalidade Portuguesa, de 2007 a 2011, por Artigo da Lei da Nacionalidade (Lei n.º 37/81, de 3 de Outubro alterada e republicada pela Lei Orgânica

Leia mais

Órgão Ministério do Turismo (MTur) Representação Efetiva Câmara Temática de Turismo Sustentável e Infância do CNT Representante Ana Paula de Siqueira

Órgão Ministério do Turismo (MTur) Representação Efetiva Câmara Temática de Turismo Sustentável e Infância do CNT Representante Ana Paula de Siqueira T U R I S M O Órgão Ministério do Turismo (MTur) Representação Efetiva Câmara Temática de Turismo Sustentável e Infância do CNT Representante Ana Paula de Siqueira Assessora Secretaria Geral da CNC Ações

Leia mais

Delimitações, Planos de Uso da Terra e Desenvolvimento Local. Paul De Wit Nampula 9-11 Março 2010

Delimitações, Planos de Uso da Terra e Desenvolvimento Local. Paul De Wit Nampula 9-11 Março 2010 Delimitações, Planos de Uso da Terra e Desenvolvimento Local Paul De Wit Nampula 9-11 Março 2010 Estrutura da Apresentação Cenários de investimento e desenvolvimento O quadro de Moçambique Uma estratégia

Leia mais

CIGEF CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E FORMAÇÃO EM GÉNERO E FAMÍLIA Uni-CV. Igualdade de género em Cabo Verde Clementina Furtado

CIGEF CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E FORMAÇÃO EM GÉNERO E FAMÍLIA Uni-CV. Igualdade de género em Cabo Verde Clementina Furtado CIGEF CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E FORMAÇÃO EM GÉNERO E FAMÍLIA Uni-CV Igualdade de género em Cabo Verde Clementina Furtado 2 Objectivos 1. Fazer um breve enquadramento do quadro jurídico nacional a nível

Leia mais

Os conteúdos de apresentação

Os conteúdos de apresentação MINAG IIAM DE Fortalecimento da Capacidade Moçambicana para Aumento da Produtividade, Segurança Alimentar e Redução da Pobreza MSU- FOOD SECURITY III/MZ PROJECT Uma apresentação no workshop sobre Reforçando

Leia mais

ZA4814. Flash Eurobarometer 235 (The Rights of the Child) Country Specific Questionnaire Portugal

ZA4814. Flash Eurobarometer 235 (The Rights of the Child) Country Specific Questionnaire Portugal ZA4814 Flash Eurobarometer 235 (The Rights of the Child) Country Specific Questionnaire Portugal Flash 235 - Template Flash Eurobarometer The youth and their rights D1. Sexo [NÃO PERGUNTAR - ASSINALAR

Leia mais

Aborto um problema de saúde pública em Moçambique. Categoria: MEDIA, saúde sexual e reprodutiva. País: Moçambique, DATA: 25/02/2013 Maputo

Aborto um problema de saúde pública em Moçambique. Categoria: MEDIA, saúde sexual e reprodutiva. País: Moçambique, DATA: 25/02/2013 Maputo YOUR LOGO PLEASE FEEL FREE TO ADD YOUR OWN BACKGROUND Aborto um problema de saúde pública em Moçambique. Categoria: MEDIA, saúde sexual e reprodutiva País: Moçambique, DATA: 25/02/2013 Maputo BRIEF DESCRIPTION

Leia mais

MARÇO JANEIRO FEVEREIRO ABRIL. 18 Dia da Esteticista. 08 Dia internacional da mulher. 19 Dia da Cabelereira. 12 Dia da Bibliotecária

MARÇO JANEIRO FEVEREIRO ABRIL. 18 Dia da Esteticista. 08 Dia internacional da mulher. 19 Dia da Cabelereira. 12 Dia da Bibliotecária JANEIRO 18 Dia da Esteticista 19 Dia da Cabelereira 20 Dia da Farmacêutica 30 Dia da não-violência MARÇO 08 Dia internacional da mulher 12 Dia da Bibliotecária 14 Dia da vendedora de livro 15 Dia mundial

Leia mais

Afro-descendentes no Brasil: combate à pobreza e políticas de ação afirmativa como estratégias de superação das desigualdades de gênero e

Afro-descendentes no Brasil: combate à pobreza e políticas de ação afirmativa como estratégias de superação das desigualdades de gênero e Afro-descendentes no Brasil: combate à pobreza e políticas de ação afirmativa como estratégias de superação das desigualdades de gênero e étnico/raciais Debate nacional sobre a implantação das políticas

Leia mais

A mulher casada antes e depois do 25 de Abril:

A mulher casada antes e depois do 25 de Abril: A mulher casada antes e depois do 25 de Abril: A evolução da sua situação jurídica em Alexandra Teixeira de Sousa Maio de 2011. A mulher casada antes e depois do 25 de Abril: evolução da situação jurídica

Leia mais

Declaração sobre a Eliminação da Discriminação contra a Mulher

Declaração sobre a Eliminação da Discriminação contra a Mulher Declaração sobre a Eliminação da Discriminação contra a Mulher Proclamada pela Assembléia Geral na Resolução 2263(XXII), de 7 de novembro de 1967 A Assembléia Geral, Considerando que os povos das Nações

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE A CIRCULAÇÃO INTERNA DE PRODUTOS DA PESCA

RELATÓRIO SOBRE A CIRCULAÇÃO INTERNA DE PRODUTOS DA PESCA RELATÓRIO SOBRE A CIRCULAÇÃO INTERNA DE PRODUTOS DA PESCA I. INTRODUÇÃO O controlo da circulação interna dos produtos da pesca, é preconizado pelo artigo 22 do Regulamento de Inspecção e Garantia de Qualidade

Leia mais

Panorama Mundial do Trabalho Infantil e a Experiência Brasileira

Panorama Mundial do Trabalho Infantil e a Experiência Brasileira Panorama Mundial do Trabalho Infantil e a Experiência Brasileira Laís Abramo Diretora do Escritório da OIT no Brasil Forum Mundial de Direitos Humanos Brasília, 12 dezembro 2013 ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO

Leia mais

A Cooperação na Área do Trabalho Infantil nos Estados membros da CPLP

A Cooperação na Área do Trabalho Infantil nos Estados membros da CPLP A Cooperação na Área do Trabalho Infantil nos Estados membros da CPLP Documento de Projecto Âmbito geográfico: Estados membros da CPLP. Data de início das actividades: 15 de Fevereiro de 2007. Entidades

Leia mais

Relatório do Curso Desastres e Desenvolvimento- Maputo, 4 a 8 de Abril 2009

Relatório do Curso Desastres e Desenvolvimento- Maputo, 4 a 8 de Abril 2009 Relatório do Curso Desastres e Desenvolvimento- Maputo, 4 a 8 de Abril 2009 1. Introdução Entre os dias 04 a 08 de Maio de 2009 realizou-se em Maputo, no Residencial Hoyo-Hoyo o Curso Desastres e Desenvolvimento.

Leia mais

C Â M A R A M U N I C I P A L D E B A R C E L O S

C Â M A R A M U N I C I P A L D E B A R C E L O S O presente regulamento visa dar cumprimento ao disposto no artigo 5.º do REGULAMENTO INTERNO DE SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO do MUNICIPIO DE BARCELOS. Pretende-se estabelecer as prescrições mínimas

Leia mais

A intervenção da ergonomia na prevenção das LMERT

A intervenção da ergonomia na prevenção das LMERT A intervenção da ergonomia na prevenção das LMERT, Lda Fevereiro 2008 Estrutura da Apresentação Apresentação da Empresa Âmbito e Objectivos Análise Ergonómica dos Postos de Trabalho Resultados da Análise

Leia mais

Angola Perfil do país EPT 2014

Angola Perfil do país EPT 2014 Perfil do país EPT 4 Contexto geral A República de é um país da África austral com,5 milhão de km² e,8 milhões de habitantes. Pela sua extensão, é o segundo país lusófono, após o Brasil, e pela sua população,

Leia mais

Direito à Saúde da Criança e do Adolescente

Direito à Saúde da Criança e do Adolescente Direito à Saúde da Criança e do Adolescente Constituição Federal de 1988 Art. 227. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança, ao adolescente e ao jovem, com absoluta prioridade,

Leia mais

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA PLANO DE MELHORIA 2014 / 2016 ÍNDICE Introdução 3 Resultados da Avaliação Externa 4 Ações a contemplar no Plano de Melhoria 5 Conclusão 7 2 Introdução

Leia mais

POSIÇÃO COMUM AFRICANO SOBRE ACABAR COM O CASAMENTO INFANTIL

POSIÇÃO COMUM AFRICANO SOBRE ACABAR COM O CASAMENTO INFANTIL AFRICAN UNION UNION AFRICAINE UNIÃO AFRICANA Addis Ababa, ETHIOPIAP. O. Box 3243Telephone +251 11 5517 700 Fax : 00251 11 5517844 www.au.int POSIÇÃO COMUM AFRICANO SOBRE ACABAR COM O CASAMENTO INFANTIL

Leia mais

Desenvolvimento Industrial em. Moçambique. African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique

Desenvolvimento Industrial em. Moçambique. African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique República de Moçambique African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique Direcção Nacional da Industria Desenvolvimento Industrial em Moçambique Eng. Mateus Matusse

Leia mais

Futuro Maior. Com uma contribuição única de 30 tem-se o poder de dar a alguém o inalcançável e mudar a sua vida para sempre, através de:

Futuro Maior. Com uma contribuição única de 30 tem-se o poder de dar a alguém o inalcançável e mudar a sua vida para sempre, através de: Objectivo Pela 1ª vez, no ano passado, a ONGD Helpo associou-se ao ACP (Automóvel Clube de Portugal) e à Câmara Municipal de Fronteira, na prova 24 Horas TT, Vila de Fronteira 2013. Várias empresas amigas

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA PLANIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO REUNIÃO FINAL DO PROCESSO DE PLANIFICAÇÃO DO QUADRO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO PARA 2012 Intervenção de Sua Excelência, Aiuba Cuereneia

Leia mais

REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS

REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS REGULAMENTO DE APOIOS SOCIAIS NOTA JUSTIFICATIVA (art.º 116.º do Código do Procedimento Administrativo) Considerando que: Cada vez mais é imprescindível a intervenção da freguesia no âmbito da Acção Social,

Leia mais

Dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável do Milénio ao desenvolvimento de competências e criação de emprego em Moçambique

Dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável do Milénio ao desenvolvimento de competências e criação de emprego em Moçambique Dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável do Milénio ao desenvolvimento de competências e criação de emprego em Moçambique Alexio Musindo Director do Escritório Regional da OIT para a Zambia, Malawi

Leia mais

MITIGAÇÃO DAS MC EM MOÇAMBIQUE. Telma Manjta MICOA

MITIGAÇÃO DAS MC EM MOÇAMBIQUE. Telma Manjta MICOA MITIGAÇÃO DAS MC EM MOÇAMBIQUE Telma Manjta MICOA Conteúdo da Apresentação Enquadramento da mitigação dos GEE em Moçambique Prioridades de Mitigação identificadas na ENAMMC Emissões GEE em Moçambique Oportunidades

Leia mais

CONFERÊNCIA REGIONAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES

CONFERÊNCIA REGIONAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES CONFERÊNCIA REGIONAL DE POLÍTICAS PARA MULHERES Um desafio para a igualdade numa perspectiva de gênero Ituporanga 30/04/04 Conferência Espaço de participação popular para: Conferir o que tem sido feito

Leia mais

INFORMAÇÃO- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

INFORMAÇÃO- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA PROVA 344 INFORMAÇÃO- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 12º Ano de Escolaridade CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS SOCIOLOGIA ANO LECTIVO 2011/2012 Tipo de prova: Escrita Duração (em minutos): 90 TEMAS CONTEÚDOS

Leia mais

Como implementar estratégias de promoção de saúde? A promoção de saúde implica possuir uma cultura de risco.

Como implementar estratégias de promoção de saúde? A promoção de saúde implica possuir uma cultura de risco. Como implementar estratégias de promoção de saúde? A promoção de saúde implica possuir uma cultura de risco. Risco e cultura de risco? O risco é a probabilidade de ocorrência de perturbações que alterem

Leia mais

Dec. nº 4.339, de 22/08/2002

Dec. nº 4.339, de 22/08/2002 POLÍTICA NACIONAL DA BIODIVERSIDADE Dec. nº 4.339, de 22/08/2002 Os princípios estabelecidos na PNBio (20 ao todo) derivam, basicamente, daqueles estabelecidos na Convenção sobre Diversidade Biológica

Leia mais

Encontro Ministerio da Saúde e Segurança Social. Relatório referente aos trabalhos do dia 09/08/2016 5ª Sessão dos Trabalhos

Encontro Ministerio da Saúde e Segurança Social. Relatório referente aos trabalhos do dia 09/08/2016 5ª Sessão dos Trabalhos Encontro Ministerio da Saúde e Segurança Social Relatório referente aos trabalhos do dia 09/08/2016 5ª Sessão dos Trabalhos A saúde mental nos CSP Moderadoras Dra Marina e Dra Raquel Estrela Dr José Teixeira

Leia mais

CONCESSÕES FLORESTAIS E COMUNIDADES. Pequenos Libombos, 03 de Maio de 2012

CONCESSÕES FLORESTAIS E COMUNIDADES. Pequenos Libombos, 03 de Maio de 2012 REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA AGRICULTURA DIRECÇÃO NACIONAL DE TERRAS E FLORESTAS CONCESSÕES FLORESTAIS E COMUNIDADES Pequenos Libombos, 03 de Maio de 2012 Conteúdo da apresentação I. Objectivos

Leia mais

Comparação dos dados das campanhas de sensibilização (entre 2013 e 2015)

Comparação dos dados das campanhas de sensibilização (entre 2013 e 2015) Comparação dos dados das campanhas de sensibilização (entre 2013 e 2015) I. Divulgação através de visitas à comunidade 1. Cidadãos em geral, idosos e jovens Tema 01/06/2013- residências, Guarde bem os

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Gabinete do Ministro

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Gabinete do Ministro REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Gabinete do Ministro Intervenção de Sua Excelência Georges Rebelo Pinto Chikoti, Ministro das Relações Exteriores, na Reunião de Alto Nível do Comité

Leia mais

LGBT: Público ou Privado. Gênero, Orientação Sexual e Identidade de Gênero

LGBT: Público ou Privado. Gênero, Orientação Sexual e Identidade de Gênero LGBT: Público ou Privado Gênero, Orientação Sexual e Identidade de Gênero 1969 Revolta de Stonewall que marca o Dia Mundial do Orgulho LGBT; 1973 A OMS deixa de classificar a homossexualidade como doença;

Leia mais

Moçambique. informação de negócios. Oportunidades e Dificuldades do Mercado

Moçambique. informação de negócios. Oportunidades e Dificuldades do Mercado Moçambique informação de negócios Oportunidades e Dificuldades do Mercado Outubro 2008 Índice 1. Oportunidades 03 1.1 Tecnologias de Informação e Comunicação 03 1.2 Formação Profissional 03 1.3 Produtos

Leia mais

Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN WEB Vilma Ramos de Cerqueira Gestão em Sistemas de Saúde

Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN WEB Vilma Ramos de Cerqueira Gestão em Sistemas de Saúde Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional SISVAN WEB Vilma Ramos de Cerqueira Gestão em Sistemas de Saúde OBJETIVOS DO SISVAN I -Fornecer informação contínua e atualizada sobre a situação alimentar

Leia mais

Meninas casadas até os 18 anos na América Latina (%) Meninas casadas até os 15 anos (%) Bolivia (Plurinational State Costa Rica (17º) Brazil (3º)

Meninas casadas até os 18 anos na América Latina (%) Meninas casadas até os 15 anos (%) Bolivia (Plurinational State Costa Rica (17º) Brazil (3º) Nicaragua (1º) Dominican Republic (2º) Brazil (3º) Honduras (4º) Guatemala (5º) Equatorial Guinea (6º) Panama (7º) Cuba (8º) El Salvador (9º) Uruguay (10º) Colombia (11º) Guyana (12º) Mexico (13º) Ecuador

Leia mais

DH e Educação Aula 04

DH e Educação Aula 04 DH e Educação Aula 04 A tutela internacional dos direitos humanos a) Os precedentes históricos b) O sistema internacional e seus instrumentos de proteção (Carta da ONU, Declaração Universal dos Direitos

Leia mais

V Acampamento da Sociedade Civil dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. Direitos da Mulher e Equidade de Género

V Acampamento da Sociedade Civil dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa. Direitos da Mulher e Equidade de Género V Acampamento da Sociedade Civil dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa Direitos da Mulher e Equidade de Género Declaração de São Tomé e Príncipe Estiveram reunidos na Cidade de São Tomé, entre

Leia mais

Medida de apoio à inovação

Medida de apoio à inovação Medida de apoio à inovação Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 Maria Pedro Silva Organização: Apoio Institucional: Grupos Crescimento Valor Acrescentado Rentabilidade Económica Inovação Capacitação

Leia mais

RECURSOS HUMANOS EM MEDICINA GERAL E FAMILIAR:

RECURSOS HUMANOS EM MEDICINA GERAL E FAMILIAR: RECURSOS HUMANOS EM MEDICINA GERAL E FAMILIAR: SITUAÇÃO ACTUAL E PERSPECTIVAS DE FUTURO PAULA SANTANA HELENA PEIXOTO 27º Encontro Nacional de Clínica Geral, Vilamoura, Março de 2010 Objectivos do Estudo

Leia mais

RAÇA BRASIL REPORTAGENS: TEMAS & CÓDIGOS GRUPOS TEMÁTICOS (2.318 REPORTAGENS / 185 TEMAS & CÓDIGOS)

RAÇA BRASIL REPORTAGENS: TEMAS & CÓDIGOS GRUPOS TEMÁTICOS (2.318 REPORTAGENS / 185 TEMAS & CÓDIGOS) Personalidade Personalidade Perfil 322 Personalidade Personalidade Carreira 244 Estética Cabelos Femininos 157 Sociedade Eventos NULL 121 Estética Moda Feminina & Masculina 118 Estética Moda Feminina 107

Leia mais

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 OMS ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE

COPATROCINADOR UNAIDS 2015 OMS ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE COPATROCINADOR UNAIDS 2015 OMS ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE COPATROCINADORES UNAIDS 2015 O QUE É A OMS? As novas orientações consolidadas de tratamento da OMS representam mais um salto adiante para uma

Leia mais

FORMAÇÃO DE FORMADORES Igualdade de Oportunidades - Educação para a Cidadania

FORMAÇÃO DE FORMADORES Igualdade de Oportunidades - Educação para a Cidadania FORMAÇÃO DE FORMADORES Igualdade de Oportunidades - Educação para a Cidadania 1. Objecto de Estudo a. Cidadania e Igualdade de Oportunidades; b. Legislação Comunitária e Nacional em matéria de Igualdade

Leia mais

CARTA DE RECOMENDAÇÕES Elaborada pelos participantes do 2º Encontro da Rede Participação Juvenil de Sintra

CARTA DE RECOMENDAÇÕES Elaborada pelos participantes do 2º Encontro da Rede Participação Juvenil de Sintra CARTA DE RECOMENDAÇÕES Elaborada pelos participantes do 2º Encontro da Rede Participação Juvenil de Sintra 03.03.2012 PARTICIPAÇÃO EM ACTIVIDADES JUVENIS 1. Realizar inquéritos, a nível local, para averiguar

Leia mais

ARS NORTE: PROGRAMA ESCOLAS LIVRES DE TABACO (PELT)

ARS NORTE: PROGRAMA ESCOLAS LIVRES DE TABACO (PELT) Departamento de Saúde Pública JOVENS E TABACO - COMO INTERVIR? ARS NORTE: PROGRAMA ESCOLAS LIVRES DE TABACO (PELT) Rosa Branca Mansilha DSP da ARS Norte 29 Novembro 2013 PELT 2006-2009 PROGRAMA Escolas

Leia mais

A Intervenção com as Comunidades Ciganas: em prol da igualdade de género e de oportunidades

A Intervenção com as Comunidades Ciganas: em prol da igualdade de género e de oportunidades A Intervenção com as Comunidades Ciganas: em prol da igualdade de género e de oportunidades A luta das mulheres para conseguir espaços de igualdade é difícil, mas temos de ter a capacidade de tomar decisões

Leia mais

REGULAMENTO DAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM ENFERMAGEM COMUNITÁRIA E DE SAÚDE PÚBLICA

REGULAMENTO DAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM ENFERMAGEM COMUNITÁRIA E DE SAÚDE PÚBLICA REGULAMENTO DAS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM ENFERMAGEM COMUNITÁRIA E DE SAÚDE PÚBLICA APROVADO POR UNANIMIDADE EM ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DE 20 DE NOVEMBRO DE 2010 Proposta

Leia mais