Seminário 1 O mundo de Sofia - Aristóteles

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Seminário 1 O mundo de Sofia - Aristóteles"

Transcrição

1 Seminário 1 O mundo de Sofia - Aristóteles Leonardo Mendes Padilha Alex Campolina Marcelo Melo Flávio Gonçalves Jacqueline Pawlowsk Gerson Freitas Wellington Souza Fernanda Modesto Departamento de Organização e Tratamento da Informação Escola de Ciência da Informação Professora Gercina Ângela Borém Lima Tratamento da Informação V

2 Aristóteles Filósofo e cientista... Um organizador, um homem extremamente meticuloso que queria por ordem nos conceitos dos homens...

3 Filósofo e cientista Natural da Macedônia; Discípulo de Platão; Dedicou o seu maior projeto a natureza Viva; Se Contrapôs as idéias de seu mestre Platão; Criou uma linguagem técnica usada ainda hoje em diversas ciências; Foi o homem que fundou e ordenou as várias ciências;

4 Aristóteles As Idéias Não São Inatas Contrapondo-se às idéias de Platão, dizia que o mundo das idéias era um reflexo do que podíamos captar através dos sentidos físicos;

5 Aristóteles Principais conceitos Forma Aquilo que um determinado grupo de objetos têm em comum; Idéia Representação pessoal que cada ser humano possui das formas; Conceitos Capacidade humana, oriunda da razão, que nos permite classificar as formas grupos

6 Capacidade de Transformação Para Aristóteles todas as substâncias (coisas) tem um potencial inerente para transformar-se em uma determinada forma; mesmo que essa não se concretize por qualquer motivo;

7 A Causa Final, ou Finalidade Aristóteles dizia que por traz de toda causa existe uma finalidade, um propósito; se chove é porque as plantas precisam de água para crescer, logo as plantas são a finalidade da chuva

8 Lógica Quando reconhecemos as coisas vamos agrupando-nas em grupos em nossa mente; ao vermos um carro, mesmo que existam vários modelos o reconhecemos como um automóvel. Separamos os grupos de acordo com conceitos próprios, separamos coisas vivas de mortas, pedra de borracha e por ai vamos...

9 Lógica Como criador da lógica Aristóteles estabeleceu uma séria de normas rígidas para que uma conclusão pudesse ser considerada logicamente válida; era o princípio da lógica de Aristóteles; ele queria provar que todos os objetos estão inseridos dentro de um grupo ou sub-grupo e naturalmente classificamos tudo o que vemos.

10 A Escada da Natureza Classificação da natureza em dois grupos: 1 Coisas inanimadas que não encerram em si uma possibilidade de transformação 2 Criaturas Vivas que possuem uma potencialidade de transformação

11 Sub-Grupos e o Homem Partindo dos grandes grupos ele cria subdivisões destacam-do o homem como o único animal possuidor de razão, pensante e capaz de classificar o mundo a sua volta.

12 Como o Homem deve Viver? Segundo Aristóteles devemos combinar: 1 Uma vida de prazeres 2 Uma vida como homem livre 3 Ser um filósofo ou um pesquisador

13 Política Como ser pensante o homem não se torna completo sem a sociedade; mais que a família, capaz de satisfazer suas necessidades básicas o homem precisa de um estado para organizar-se;

14 Formas de Governo Monarquia Um único chefe de estado governa soberano; Aristocracia Um grupo maior ou menos de pessoas governa o estado; Democracia Governo do povo

15 A Visão da Mulher Aristóteles via a mulher como um homem incompleto. Na reprodução a mulher era vista como passiva e o homem ativo sendo responsável pelas características da criança;

16 Conclusões Foi o primeiro homem a criar um sistema de classificação, que segundo o texto concluímos que é inerente a razão humana.

17 Conclusões Além da classificação a representação dos objetos mediante modelos criados em nossa imaginação também é parte do nosso ser; sempre que ouvimos falar em alguma coisa pensamos no modelo, som ou outra característica captada antes por nossos sentidos.

18 Conclusões Todos os objetos do mundo encontram-se dentro de uma classificação que inclui grandes grupos e sub grupos criados por nossa razão de acordo com nossa experiência empírica

19 Conclusões Embora classifiquemos todos os objetos dentro da nossa razão tal classificação mostra-se falha quando precisamos organizar grandes coleções pois se baliza em nossa lógica que mostra-se muito formal e simplista;

20 Conclusões O sistema de classificação idealizado por Aristóteles não só foi pioneiro, como balizou conceitos de várias áreas da ciência durante muitos anos, contudo, o mesmo esbarra em sua formalidade que não leva em conta a dialética das coisas que acontecem num mundo que muda o tempo todo

21 Referência Bibliográfica GAARDER, Jostein. O mundo de Sofia: Romance da História da Filosofia.10ªEdição.São Paulo:Editora Schwarcz LTDA, p.

Nascido em Estagira - Macedônia ( a.c.). Principal representante do período sistemático.

Nascido em Estagira - Macedônia ( a.c.). Principal representante do período sistemático. Aristóteles Nascido em Estagira - Macedônia (384-322 a.c.). Principal representante do período sistemático. Filho de Nicômaco, médico, herdou o interesse pelas ciências naturais Ingressa na Academia de

Leia mais

ARISTÓTELES I) TEORIA DO CONHECIMENTO DE ARISTÓTELES

ARISTÓTELES I) TEORIA DO CONHECIMENTO DE ARISTÓTELES AVISO: O conteúdo e o contexto das aulas referem-se aos pensamentos emitidos pelos próprios autores que foram interpretados por estudiosos dos temas expostos. Todo exemplo citado em aula é, meramente,

Leia mais

Reprodução de animais C A P. 8

Reprodução de animais C A P. 8 Reprodução de animais C A P. 8 Animais e reprodução Os animais precisam se reproduzir para garantir a sobrevivência da sua espécie. Sem a reprodução os indivíduos mais velhos morreriam e não haveria outros

Leia mais

Você bem poderia dizer que enquanto Platão usou apenas sua razão, Aristóteles ao contrário usou também seus sentidos.

Você bem poderia dizer que enquanto Platão usou apenas sua razão, Aristóteles ao contrário usou também seus sentidos. O mundo de Sofia De Jostein Gaarder ARISTÓTELES FILÓSOFO E CIENTISTA Querida Sofia! Certamente você ficou impressionada com a teoria das idéias, de Platão. E você não é a primeira. Não sei se você aceitou

Leia mais

Pensar de modo autônomo e A filosofia, a curiosidade e o Capítulo 1: Decifra-me ou te devoro

Pensar de modo autônomo e A filosofia, a curiosidade e o Capítulo 1: Decifra-me ou te devoro PRIMEIRO ANO DO ENSINO MÉDIO QUADRO CURRICULAR FILOSOFIA TEMAS NOÇÕES/CONCEITOS HABILIDADES O olhar filosófico Pensar de modo autônomo e A filosofia, a curiosidade e o Capítulo 1: Decifra-me ou te devoro

Leia mais

Sociedade. O homem é, por natureza, um animal político Aristóteles.

Sociedade. O homem é, por natureza, um animal político Aristóteles. Sociedade O homem é, por natureza, um animal político Aristóteles. É impossível saber, historicamente, qual foi a primeira sociedade. O Homem vive em sociedade desde sua existência. A sociedade é uma necessidade

Leia mais

ARISTÓTELES e A Política

ARISTÓTELES e A Política ARISTÓTELES e A Política Aristóteles Política (em grego Πολιτικα, em latim Politica), é um texto do filósofo grego Aristóteles de Estagira. É composto por oito livros. Os livros I, II, e III são introdutórios

Leia mais

Nesta aula discutiremos sobre Linguagem e seus aspectos. -Oqueélinguagem. - Tipos de linguagem. - Artifícios humanos.

Nesta aula discutiremos sobre Linguagem e seus aspectos. -Oqueélinguagem. - Tipos de linguagem. - Artifícios humanos. LINGUAGEM PROFESSOR NICHOLAS GABRIEL MINOTTI LOPES FERREIRA Nesta aula discutiremos sobre Linguagem e seus aspectos -Oqueélinguagem. - A exclusividade id d humana. - Tipos de linguagem. - Artifícios humanos.

Leia mais

Classificação. Profa. Lillian Alvares, Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília

Classificação. Profa. Lillian Alvares, Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Classificação Profa. Lillian Alvares, Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Introdução A ação de classificar é intrínseca ao homem Desde a antiguidade, a preocupação em classificar

Leia mais

Curso TURMA: 2101 e 2102 DATA: Teste: Prova: Trabalho: Formativo: Média:

Curso TURMA: 2101 e 2102 DATA: Teste: Prova: Trabalho: Formativo: Média: EXERCÍCIOS ON LINE 3º BIMESTRE DISCIPLINA: Filosofia PROFESSOR(A): Julio Guedes Curso TURMA: 2101 e 2102 DATA: Teste: Prova: Trabalho: Formativo: Média: NOME: Nº.: Exercício On Line (1) A filosofia atingiu

Leia mais

Memória, cultura e literatura o prazer de ler e recriar o mundo

Memória, cultura e literatura o prazer de ler e recriar o mundo Memória, cultura e literatura o prazer de ler e recriar o mundo Apoio Pedagógico Memória, cultura e literatura: o prazer de ler e recriar o mundo, Elias José Memória, cultura e literatura o prazer de ler

Leia mais

Novas Propostas Pedagógicas ou Abordagens para o Ensino. Profa. Dra. Edna Maura Zuffi Depto. Matemática ICMC- USP

Novas Propostas Pedagógicas ou Abordagens para o Ensino. Profa. Dra. Edna Maura Zuffi Depto. Matemática ICMC- USP Novas Propostas Pedagógicas ou Abordagens para o Ensino Profa. Dra. Edna Maura Zuffi Depto. Matemática ICMC- USP O que é a educação? Educação Escolar Instrução Ensino Meios e ações Personalidade valores

Leia mais

INTRODUÇÃO À MODELAGEM DINÂMICA ESPACIAL

INTRODUÇÃO À MODELAGEM DINÂMICA ESPACIAL SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO 2003 TUTORIAL INTRODUÇÃO À MODELAGEM DINÂMICA ESPACIAL organizado por Gilberto Câmara e Antônio Miguel Vieira Monteiro (INPE) APRESENTAÇÃO Historicamente, a

Leia mais

ARISTÓTELES A POLÍTICA

ARISTÓTELES A POLÍTICA A POLÍTICA Prof. Elson Junior Santo Antônio de Pádua, março de 2017 A POLÍTICA Formação Social: -Barbárie; - Famílias; - Clãs; - Vilas; - Cidade (Pólis); - Relações: Família => Homem X (mulher, filhos

Leia mais

À procura do inato !!!!!!!!!!!!!!

À procura do inato !!!!!!!!!!!!!! À procura do inato Prem Rawat foi convidado a falar no Teatro Verdi de Pádua, em Itália, sob o patrocínio do Presidente da República Italiana, do Ministério da Justiça, da Região de Veneto e da Província

Leia mais

O verdadeiro conhecimento ética utilitarista procede da razão

O verdadeiro conhecimento ética utilitarista procede da razão CONTEÚDO FILOSOFIA Avaliação Mensal Professora Célia Reinaux 6º ANO Módulo Unidade 3 A sombra na madrugada Páginas 34 até 39 Um obstáculo na trilha Páginas 40 até 46 Filósofos trabalhados: René Descartes

Leia mais

FILOSOFIA CLÁSSICOS MEDIEVO CONTEMPORÂNEA.

FILOSOFIA CLÁSSICOS MEDIEVO CONTEMPORÂNEA. FILOSOFIA CLÁSSICOS MEDIEVO CONTEMPORÂNEA FILOSOFIA CLÁSSICA SÉC. V a.c. Democracia; Ruptura com a Filosofia Naturalista (pré-socrática) Antropocentrismo; Retórica/Discurso; Ruptura com a visão mitológica;

Leia mais

Descartando Descartes

Descartando Descartes Descartando Descartes Este livro foi criado com o proposito de ser independente e de ser, pessoalmente, o meu primeiro trabalho como escritor. Isaac Jansen - 2015 Quem foi René Descartes? Dono da razão,

Leia mais

NOTAS INTRODUTÓRIAS AO PENSAMENTO POLÍTICO DE ARISTÓTELES: O regime de inclusão de ricos e pobres.

NOTAS INTRODUTÓRIAS AO PENSAMENTO POLÍTICO DE ARISTÓTELES: O regime de inclusão de ricos e pobres. NOTAS INTRODUTÓRIAS AO PENSAMENTO POLÍTICO DE ARISTÓTELES: O regime de inclusão de ricos e pobres. Rafael Augusto De Conti 1. SUMÁRIO: 1. O ser se diz de vários modos; 2. As causas da comunidade política;

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Professor: Ana Paula dos Santos Lima Titulação: Doutora em Ensino, Filosofia e História das Ciências pela UFBA/UEFS

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Professor: Ana Paula dos Santos Lima Titulação: Doutora em Ensino, Filosofia e História das Ciências pela UFBA/UEFS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Componente Curricular: Filosofia Código: CTB - 110 CH Total: 60h Pré-requisito: Filosofia Geral Período Letivo: 2014. 2 Turma: 1º semestre Professor: Ana Paula dos Santos Lima

Leia mais

ECONOMIA POLÍTICA MATERIAL PREPARADO PARA A DISCIPLINA DE ECONOMIA POLÍTICA, PROFESSORA CAMILA MANDUCA.

ECONOMIA POLÍTICA MATERIAL PREPARADO PARA A DISCIPLINA DE ECONOMIA POLÍTICA, PROFESSORA CAMILA MANDUCA. ECONOMIA POLÍTICA AULA BASEADA NO CAPÍTULO 2 CATEGORIAS DA CRÍTICA DA ECONOMIA POLÍTICA, DO LIVRO ECONOMIA POLÍTICA- UMA INTRODUÇÃO CRÍTICA, DE JOSÉ PAULO NETTO E MARCELO BRAZ MATERIAL PREPARADO PARA A

Leia mais

O MUNDO DE PLATAO PDF

O MUNDO DE PLATAO PDF O MUNDO DE PLATAO PDF ==> Download: O MUNDO DE PLATAO PDF O MUNDO DE PLATAO PDF - Are you searching for O Mundo De Platao Books? Now, you will be happy that at this time O Mundo De Platao PDF is available

Leia mais

O que é Linguagem? PROF. RONALDO PINHO

O que é Linguagem? PROF. RONALDO PINHO O que é Linguagem? PROF. RONALDO PINHO Linguagem Sistema de signos que da nome as coisas do mundo. Organiza o pensamento. Possibilita a comunicação. Reflete sentimentos, valores, paixões e pensamentos.

Leia mais

LISTA DE CONTEÚDOS PARA RECUPERAÇÃO FINAL Professor: Airton José Müller Componente Curricular: Filosofia

LISTA DE CONTEÚDOS PARA RECUPERAÇÃO FINAL Professor: Airton José Müller Componente Curricular: Filosofia LISTA DE CONTEÚDOS PARA RECUPERAÇÃO FINAL - 2015 Professor: Airton José Müller Componente Curricular: Filosofia 7º Ano Filósofos Clássicos. A filosofia clássica. Sócrates de Atenas: o poder das perguntas

Leia mais

Sociedade como fonte do pensamento lógico

Sociedade como fonte do pensamento lógico Sociedade como fonte do pensamento lógico E. Durkheim Antropologia I Prof. Vagner Gonçalves da Silva Grupo: Nara G. R. Castillo - NºUSP 7131083 Milena C. Gomes - NºUSP 9765938 Paula R. Jorge - NºUSP 9825177

Leia mais

Programação Orientada Para Objetos. Professor Willer Gomes Júnior

Programação Orientada Para Objetos. Professor Willer Gomes Júnior Programação Orientada Para Objetos Professor Willer Gomes Júnior Objetivo Definir classes e objetos O mundo das ideias Antes de Platão (427-347 a.c.), Empédocles (494-434 a.c.) e Demóclito (460-370 a.c.)

Leia mais

Administração das Operações Produtivas

Administração das Operações Produtivas Administração das Operações Produtivas MÓDULO 10: PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO O projeto físico de uma operação produtiva deve conter recursos capazes de satisfazer exigências dos consumidores.

Leia mais

Por uma prática promotora de saúde em Orientação Vocacional (Ana Bock e Wanda Aguiar)

Por uma prática promotora de saúde em Orientação Vocacional (Ana Bock e Wanda Aguiar) Por uma prática promotora de saúde em Orientação Vocacional (Ana Bock e Wanda Aguiar) Segundo a OMS, saúde é o mais completo estado de bemestar físico, psicológico e social para um indivíduo. O que significa

Leia mais

Goiânia, 18 de fevereiro de 2016 Ao Conselho Diretor da Faculdade de Ciências Sociais Ao Prof. Dr. Dijaci David de Oliveira

Goiânia, 18 de fevereiro de 2016 Ao Conselho Diretor da Faculdade de Ciências Sociais Ao Prof. Dr. Dijaci David de Oliveira Goiânia, 18 de fevereiro de 2016 Ao Conselho Diretor da Faculdade de Ciências Sociais Ao Prof. Dr. Dijaci David de Oliveira Sr. Diretor e demais colegas, o objetivo desta comunicação é submeter à apreciação

Leia mais

Fenômenos Linguísticos

Fenômenos Linguísticos Fenômenos Linguísticos Fenômenos Linguísticos 1. Uma revista semanal brasileira traz a seguinte nota em sua seção A SEMANA: O HOMEM DAS BEXIGAS O britânico Ian Ashpole bateu no domingo 28 o recorde de

Leia mais

IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL

IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL SECRETARIA EXECUTIVA SC-E - 2010 22 a 24 de Novembro de 2010 - ARACRUZ - ES Folha 1 RELATÓRIO DA COMISSÃO: COMISSÃO XIV Exame de Relatórios das Juntas e Comissões Especiais

Leia mais

Sistemática de Biologia para o 2º Bimestre de º EM B, C e D

Sistemática de Biologia para o 2º Bimestre de º EM B, C e D Sistemática de Biologia para o 2º Bimestre de 2015 2º EM B, C e D Trabalho: Experimentos com plantas: pesquisa, seminários, slides/fotos e apresentação da planta. Importante: Relatório dos cuidados com

Leia mais

Prof. José Flôr de Medeiros Júnior Contato:

Prof. José Flôr de Medeiros Júnior Contato: Curso: DIREITO Turno: MANHÃ/NOITE Disciplina: CIÊNCIA POLÍTICA E Prof. José Flôr de Medeiros Júnior Contato: jfmjmedeiros@gmail.com EMENTA: Ciência política: epistemologia, origem e desenvolvimento. A

Leia mais

BREVE HISTÓRIA DA SEMIOLOGIA: Abordagens de Saussure, Peirce, Morris e Barthes.

BREVE HISTÓRIA DA SEMIOLOGIA: Abordagens de Saussure, Peirce, Morris e Barthes. 1 BREVE HISTÓRIA DA SEMIOLOGIA: Abordagens de Saussure, Peirce, Morris e Barthes. BREVE HISTÓRIA DA SEMIOLOGIA (1) Período Clássico; (2) Período Medieval; (3) Racionalismo; (4) Empirismo Britânico; (5)

Leia mais

EGC - Engenharia e gestão do conhecimento Disciplina: Complexidade, conhecimento e sociedades em rede Professor: Aires Rover Aluna: Desirée Sant Anna

EGC - Engenharia e gestão do conhecimento Disciplina: Complexidade, conhecimento e sociedades em rede Professor: Aires Rover Aluna: Desirée Sant Anna OSHO - INTUIÇÃO EGC - Engenharia e gestão do conhecimento Disciplina: Complexidade, conhecimento e sociedades em rede Professor: Aires Rover Aluna: Desirée Sant Anna Maestri 2016/1 O LIVRO três partes

Leia mais

E nós conhecemos, e cremos no amor de Deus que nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele. I João 4:16

E nós conhecemos, e cremos no amor de Deus que nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele. I João 4:16 E nós conhecemos, e cremos no amor de Deus que nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele. I João 4:16 INTRODUÇÃO A pregação do Amor de Deus, por ser a primeira em uma série de

Leia mais

A problemática da linguagem em Aristóteles

A problemática da linguagem em Aristóteles A problemática da linguagem em Aristóteles Solange Galeano As palavras são imagens dos pensamentos e as letras imagens das palavras. Aristóteles Introdução A realidade da linguagem não é transparente.

Leia mais

Diretora Executiva de Vendas Independe Mary Kay Daniele Gonçalves

Diretora Executiva de Vendas Independe Mary Kay Daniele Gonçalves UM SONHO É APENAS UM DESEJO ATE O MOMENTO EM QUE VOCE COMEÇA A ATUAR SOBRE ELE E SE PROPÕE A TRANSFORMA-LO EM UMA META Diretora Executiva de Vendas Independe Mary Kay Daniele Gonçalves Quais as suas escolhas?

Leia mais

CURSO DE EXTENSÃO EM PROGRAMAÇÃO VISUAL. Aula 2. Prof. Carlos Café Dias

CURSO DE EXTENSÃO EM PROGRAMAÇÃO VISUAL. Aula 2. Prof. Carlos Café Dias CURSO DE EXTENSÃO EM PROGRAMAÇÃO VISUAL Aula 2 Prof. Carlos Café Dias REFORÇANDO REPOSITÓRIO docente.ifrn.edu.br/carlosdias O QUE É CRIATIVIDADE? Criatividade é uma forma de loucura. Platão Inspiração

Leia mais

O chamado de Abraão e a experiência de Sara com Deus. Anésio Rodrigues

O chamado de Abraão e a experiência de Sara com Deus. Anésio Rodrigues O chamado de Abraão e a experiência de Sara com Deus Anésio Rodrigues Povo meu, escuta a minha instrução, presta atenção no que eu vou dizer. Vou falar em comparações, vou expor enigmas do passado. Salmos

Leia mais

MATÉRIA DA DISCIPLINA ÉTICA E CIDADANIA APLICADA AO DIREITO I

MATÉRIA DA DISCIPLINA ÉTICA E CIDADANIA APLICADA AO DIREITO I 4 MATÉRIA DA DISCIPLINA ÉTICA E CIDADANIA APLICADA AO DIREITO I MINISTRADA PELO PROFESSOR MARCOS PEIXOTO MELLO GONÇALVES PARA A TURMA 1º T NO II SEMESTRE DE 2003, de 18/08/2003 a 24/11/2003 O Semestre

Leia mais

Conceitos Básicos e História

Conceitos Básicos e História Psicologia na Educação Aula 1 Conceitos Básicos e História Profa. Adriana Straube Nesta aula discutiremos sobre o conceito de psicologia. As origens da psicologia como ciência nascendo na Alemanha. História

Leia mais

Notas de aula. Números de Mersenne, Perfeitos, Deficientes e Abundantes. Aline Barbosa Nascimento. Gesiel Gomes Moreira. Mônica Gonçalves da Silva

Notas de aula. Números de Mersenne, Perfeitos, Deficientes e Abundantes. Aline Barbosa Nascimento. Gesiel Gomes Moreira. Mônica Gonçalves da Silva Notas de aula Números de Mersenne, Perfeitos, Deficientes e Abundantes. Aline Barbosa Nascimento Gesiel Gomes Moreira Mônica Gonçalves da Silva Orientador: Igor Lima Resumo Neste seminário iremos falar

Leia mais

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ Aviso importante! Esta matéria é uma propriedade intelectual de uso exclusivo e particular do aluno da Saber e Fé, sendo proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo, exceto em breves citações

Leia mais

12 A interseção de retas e a solução de sistemas

12 A interseção de retas e a solução de sistemas A UA UL LA A interseção de retas e a solução de sistemas Introdução Aqui está um problema que serve de eemplo para as questões que serão tratadas nesta aula. Pense, e veja se consegue resolvê-lo com as

Leia mais

Estatística Aplicada à Gestão

Estatística Aplicada à Gestão Estatística Aplicada à Gestão E-mail: reginaldo.izelli@fatec.sp.gov.br Disciplina: Estatística Aplicada à Gestão Disciplina: Estatística Aplicada à Gestão Conceitos em amostragem: : é o processo de retirada

Leia mais

A METAFÍSICA E A TEORIA DAS QUATRO CAUSAS

A METAFÍSICA E A TEORIA DAS QUATRO CAUSAS A METAFÍSICA E A TEORIA DAS QUATRO CAUSAS O que é a metafísica? É a investigação das causas primeiras de todas as coisas existentes e estuda o ser enquanto ser. É a ciência que serve de fundamento para

Leia mais

ETICA E FUNDAMENTOS SOCIO-HISTÓRICOS. Profª.Ms.Maria Beatriz Alarcón Disciplina:Ética e Serviço Social (2012)

ETICA E FUNDAMENTOS SOCIO-HISTÓRICOS. Profª.Ms.Maria Beatriz Alarcón Disciplina:Ética e Serviço Social (2012) ETICA E FUNDAMENTOS SOCIO-HISTÓRICOS Profª.Ms.Maria Beatriz Alarcón Disciplina:Ética e Serviço Social (2012) Para o Serviço Social, a ética profissional é parte integrante da questão social. Portanto,

Leia mais

Prefácio aos alunos...7 APRESENTAÇÃO À IGREJA...9. Lição 25 A identidade da Igreja Lição 28 As celebrações da Igreja Batismo nas Águas...

Prefácio aos alunos...7 APRESENTAÇÃO À IGREJA...9. Lição 25 A identidade da Igreja Lição 28 As celebrações da Igreja Batismo nas Águas... SUMÁRIO Prefácio aos alunos...7 APRESENTAÇÃO À IGREJA...9 Lição 25 A identidade da Igreja... 10 Lição 26 As marcas da Igreja... 15 Lição 27 Os ministérios da Igreja...19 Lição 28 As celebrações da Igreja

Leia mais

Seminário 3: Estudo da Classificação

Seminário 3: Estudo da Classificação Seminário 3: Estudo da Classificação Texto: KAULA, Prithvi N. Repensando os conceitos no estudo da classificação. Disponível em: http://www.conexaorio.com/biti/kaula/index.htm. Acesso em: 2 ago 2005. Componentes

Leia mais

Tópicos da Aula. Conceitos de programação orientada a objetos. Projeto orientado a objetos com UML

Tópicos da Aula. Conceitos de programação orientada a objetos. Projeto orientado a objetos com UML Projeto OO com UML Tópicos da Aula Conceitos de programação orientada a objetos Projeto orientado a objetos com UML Orientação a objetos A orientação a objetos, também conhecida como Programação Orientada

Leia mais

Sócrates, Sofistas, Platão e Aristóteles (ética) Séc. III e IV a. C

Sócrates, Sofistas, Platão e Aristóteles (ética) Séc. III e IV a. C Sócrates, Sofistas, Platão e Aristóteles (ética) Séc. III e IV a. C Nunca deixou nada escrito Patrono da Filosofia Sh As principais fontes: Platão, Xenofonte e Aristóteles Questões Antropológicas O início

Leia mais

LIVRO DO PROFESSOR. o compõem. Propõem o estudo de Ciências por meio de problematização e busca de soluções em situações cotidianas;

LIVRO DO PROFESSOR. o compõem. Propõem o estudo de Ciências por meio de problematização e busca de soluções em situações cotidianas; O s livros de Ciências da coleção INTERAGIR & CRESCER têm o objetivo de desenvolver habilidades e competências que ajudam os estudantes a compreender o ambiente e os seres que o compõem. Propõem o estudo

Leia mais

Professor Douglas Pereira da Silva

Professor Douglas Pereira da Silva Professor Douglas Pereira da Silva Desenvolvimento Pessoal e Profissional Aula 1 Parte 1 1 O mundo em que vivemos Talvez a primeira pessoa a utilizar a expressão visão de mundo tenha sido o filosofo alemão

Leia mais

TEMA: tipos de conhecimento. Professor: Elson Junior

TEMA: tipos de conhecimento. Professor: Elson Junior Ciências Humanas e suas Tecnologias. TEMA: tipos de conhecimento. Professor: Elson Junior Plano de Aula Conhecimento O que é? Como adquirir Características Tipos Recordar é Viver... Processo de pesquisa

Leia mais

O conceito ética. O conceito ética. Curso de Filosofia. Prof. Daniel Pansarelli. Ética filosófica: conceito e origem Estudo a partir de Aristóteles

O conceito ética. O conceito ética. Curso de Filosofia. Prof. Daniel Pansarelli. Ética filosófica: conceito e origem Estudo a partir de Aristóteles Curso de Filosofia Prof. Daniel Pansarelli Ética filosófica: conceito e origem Estudo a partir de Aristóteles O conceito ética Originado do termo grego Ethos, em suas duas expressões Êthos (com inicial

Leia mais

IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL

IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL SECRETARIA EXECUTIVA SC-E - 2010 22 a 24 de Novembro de 2010 - ARACRUZ - ES Folha 1 RELATÓRIO DA COMISSÃO: COMISSÃO XIV Exame de Relatórios das Juntas e Comissões Especiais

Leia mais

Evolução: As Teorias de Lamarck e Darwin

Evolução: As Teorias de Lamarck e Darwin Evolução: As Teorias de Lamarck e Darwin Evolução Ancestral comum Primeiras ideias: filósofos da Grécia Clássica Tales de Mileto (Séc. VI a.c.): água como princípio organizador dos seres vivos Xenófanes

Leia mais

DEUS. Único Deus. Ser que não foi criado. Sem princípio ou fim O Eterno. Sua existência é um fato estabelecido

DEUS. Único Deus. Ser que não foi criado. Sem princípio ou fim O Eterno. Sua existência é um fato estabelecido Único Deus DEUS Ser que não foi criado Sem princípio ou fim O Eterno Sua existência é um fato estabelecido A Bíblia não tem a necessidade de provar a existência de Deus O fato dele ser o Criador, já define

Leia mais

1ª Fase PROVA OBJETIVA FILOSOFIA DO DIREITO

1ª Fase PROVA OBJETIVA FILOSOFIA DO DIREITO 1ª Fase PROVA OBJETIVA FILOSOFIA DO DIREITO P á g i n a 1 QUESTÃO 1 - Admitindo que a história da filosofia é uma sucessão de paradigmas, a ordem cronológica correta da sucessão dos paradigmas na história

Leia mais

Catequese Paroquial e CNE Escutismo Católico Português

Catequese Paroquial e CNE Escutismo Católico Português 1º Ano Paroquial e CNE Escutismo Católico Português JESUS GOSTA DE MIM Proporcionar às crianças um bom acolhimento eclesial, pelos catequistas e por toda a comunidade cristã (cf CT 16 e 24). Ajudá-las

Leia mais

No uso básico da ferramenta, o operador poderá criar regras facilmente dentro de um esquema pré-definido de forma rápida e prática.

No uso básico da ferramenta, o operador poderá criar regras facilmente dentro de um esquema pré-definido de forma rápida e prática. Treinamento: Regras de Negócios Objetivo: Apresentar a ferramenta que permite inserir regras de validação de sua Folha de Pagamento, monitorando estas regras no momento de seu uso, auditando automaticamente.

Leia mais

MULHER E MÍDIA: UMA ANÁLISE FEMINISTA DO JORNAL NEWS SELLER WOMAN AND MEDIA: A FEMINIST ANALYSIS OF THE NEWSPAPER NEWS SELLER

MULHER E MÍDIA: UMA ANÁLISE FEMINISTA DO JORNAL NEWS SELLER WOMAN AND MEDIA: A FEMINIST ANALYSIS OF THE NEWSPAPER NEWS SELLER Comunicação: Mulher e mídia: uma análise feminista do jornal News Seller MULHER E MÍDIA: UMA ANÁLISE FEMINISTA DO JORNAL NEWS SELLER WOMAN AND MEDIA: A FEMINIST ANALYSIS OF THE NEWSPAPER NEWS SELLER Clara

Leia mais

Oficina de Roteiro. Oficina de Roteiro. copyright - Felipe Neves

Oficina de Roteiro. Oficina de Roteiro. copyright - Felipe Neves Oficina de Roteiro Oficina de Roteiro O que é Roteiro? Podemos definir um roteiro de diversas maneiras. A forma escrita de qualquer espetáculo áudio e/ou visual. ( Doc Comparato) 2. Planta baixa ou um

Leia mais

Revista. Publicação do Jockey Club do Rio Grande do Sul - Edição de Maio de R$ 5,00 UM DIA EM HOMENAGEM A ELAS

Revista. Publicação do Jockey Club do Rio Grande do Sul - Edição de Maio de R$ 5,00 UM DIA EM HOMENAGEM A ELAS Revista Publicação do Jockey Club do Rio Grande do Sul - Edição 222-26 de Maio de 2016 - R$ 5,00 2016 UM DIA EM HOMENAGEM A ELAS Editorial E o glamour retorna ao Jockey Club do Rio Grande do Sul. Nesta

Leia mais

Lógica Proposicional Parte 2

Lógica Proposicional Parte 2 Lógica Proposicional Parte 2 Como vimos na aula passada, podemos usar os operadores lógicos para combinar afirmações criando, assim, novas afirmações. Com o que vimos, já podemos combinar afirmações conhecidas

Leia mais

Aula 2. Professor Douglas Pereira da Silva. dps aula 2

Aula 2. Professor Douglas Pereira da Silva. dps aula 2 Aula 2 Fundamentos Fecaf Professor Douglas Pereira da Silva 1 Há 1300 a.c. no Egito antigo já existia a necessidade de planejar, dirigir e controlar milhares de trabalhadores na construção de monumentais

Leia mais

A justiça como virtude e instituição social na organização da sociedade grega.

A justiça como virtude e instituição social na organização da sociedade grega. A justiça como virtude e instituição social na organização da sociedade grega. Colégio Cenecista Dr. José ferreira Professor Uilson Fernandes Fevereiro de 2016 A forma como os filósofos clássicos definem

Leia mais

DOUTRINAS ÉTICAS FUNDAMENTAIS PROFA. ME. ÉRICA RIOS

DOUTRINAS ÉTICAS FUNDAMENTAIS PROFA. ME. ÉRICA RIOS DOUTRINAS ÉTICAS FUNDAMENTAIS PROFA. ME. ÉRICA RIOS ERICA.CARVALHO@UCSAL.BR Ética e História Como a Ética estuda a moral, ou seja, o comportamento humano, ela varia de acordo com seu objeto ao longo do

Leia mais

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ

COPYRIGHT TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - SABER E FÉ Aviso importante! Esta disciplina é uma propriedade intelectual de uso exclusivo e particular do aluno da Saber e Fé, sendo proibida a reprodução total ou parcial deste conteúdo, exceto em breves citações

Leia mais

Teoria Geral dos Sistemas

Teoria Geral dos Sistemas Teoria Geral dos Sistemas Prof. Gerson Volney Lagemann A Base de Tudo: Problemas similares podem ser resolvidos com soluções similares. Certas características e regras acontecem em todas as áreas. SISTEMA:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE. Faculdade de Ciência da Computação

UNIVERSIDADE FEDERAL DE. Faculdade de Ciência da Computação UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Ciência da Computação Disciplina : Linguagens Formais e Autômatos - 2 Semestre 22 Professora : Sandra Aparecida de Amo Material Suplementar sobre Autômatos

Leia mais

CAP. 10 DIFERENTES MODELOS DE PEQUENOS GRUPOS

CAP. 10 DIFERENTES MODELOS DE PEQUENOS GRUPOS CAP. 10 DIFERENTES MODELOS DE PEQUENOS GRUPOS INTRODUÇÃO Vivemos em um mundo de constantes mudanças e, portanto, é importante saber que na evangelização se deve fazer adaptações permanentes, entre as quais

Leia mais

Atividade 1 Seres Vivos

Atividade 1 Seres Vivos Atividade 1 Seres Vivos Coletar seres vivos encontrados em casa, na rua ou na escola. Colocar dentro de um pote de vidro fechado. Entregar dia: 31/03/2016 Atividade 2 Classificação dos alunos do 7º Criaremos

Leia mais

FRANCAL 2017 DIAS 3 E 4 DE JULHO

FRANCAL 2017 DIAS 3 E 4 DE JULHO FRANCAL 2017 DIAS 3 E 4 DE JULHO HIGHLIGHTS O Talk Shoe é um projeto da Abicalçados que promove palestras objetivas, com temas atuais e relevantes para o mercado calçadista, durantes as principais feiras

Leia mais

INTRODUÇÃO. Relacionamento com Deus

INTRODUÇÃO. Relacionamento com Deus INTRODUÇÃO Relacionamento com Deus INTRODUÇÃO Relacionamento com Deus Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva

Leia mais

Você sabe o que é uma Parábola?

Você sabe o que é uma Parábola? Nos nossos quatro Evangelhos encontramos 44 Parábolas. Você sabe o que é uma Parábola? Saberia contar uma que Jesus narrou? Inteirinha? Vamos conversar um pouco... As Parábolas são narrativas breves, dotadas

Leia mais

COMUNICAÇÃO APLICADA MÓDULO 4

COMUNICAÇÃO APLICADA MÓDULO 4 COMUNICAÇÃO APLICADA MÓDULO 4 Índice 1. Significado...3 1.1. Contexto... 3 1.2. Intertextualidade... 3 1.2.1. Tipos de intertextualidade... 3 1.3. Sentido... 4 1.4. Tipos de Significado... 4 1.4.1. Significado

Leia mais

10 PALAVRAS ESSENCIAIS DE CRISTO PARA OS PASTORES. Por Robert W. Kellemen.

10 PALAVRAS ESSENCIAIS DE CRISTO PARA OS PASTORES. Por Robert W. Kellemen. 10 PALAVRAS ESSENCIAIS DE CRISTO PARA OS PASTORES Por Robert W. Kellemen. www.santoevangelho.com.br Quando eu faço aconselhamentos em igrejas locais, eu repetidamente ouço a preocupação de que nossa igreja

Leia mais

IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL

IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL SECRETARIA EXECUTIVA SUPREMO CONCÍLIO - 2010 11 a 17 de Julho de 2010 - CURITIBA - PR Folha 1 RELATÓRIO DA COMISSÃO: COMISSÃO XIV Exame de Relatórios das Juntas e Comissões

Leia mais

Biodiversidade. Sociobiodiversidade

Biodiversidade. Sociobiodiversidade Conceitos Biodiversidade Bio significa vida e diversidade significa variedade. Então, biodiversidade ou diversidade biológica compreende a totalidade de variedade de formas de vida que podemos encontrar

Leia mais

Romanos 8: Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, e dos que foram chamados de acordo com o seu propósito.

Romanos 8: Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, e dos que foram chamados de acordo com o seu propósito. Romanos 8:28-29 28 Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, e dos que foram chamados de acordo com o seu propósito. 29 Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou

Leia mais

ESTUDO 01: A VOLTA DE JESUS

ESTUDO 01: A VOLTA DE JESUS ESTUDO 01: A VOLTA DE JESUS QUEBRA-GELO: Qual é a sua expectativa em relação a volta de Jesus? Você vive essa expectativa ou seus dias são como se Ele não fosse voltar? TEXTO: João 14:1-3 Jesus prometeu

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE BENAVENTE Informação Prova de Equivalência à Frequência 2º Ciclo do Ensino Básico 2014/2015 Alunos com Necessidades Educativas Especiais Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 julho Aprovado

Leia mais

COLÉGIO CEC 24/08/2015. Conceito de Dialética. Professor: Carlos Eduardo Foganholo DIALÉTICA. Originalmente, é a arte do diálogo, da contraposição de

COLÉGIO CEC 24/08/2015. Conceito de Dialética. Professor: Carlos Eduardo Foganholo DIALÉTICA. Originalmente, é a arte do diálogo, da contraposição de COLÉGIO CEC Professor: Carlos Eduardo Foganholo Conceito de Dialética DIALÉTICA Originalmente, é a arte do diálogo, da contraposição de ideias que leva a outras ideias. O conceito de dialética, porém,

Leia mais

Paul Ricoeur: Uma fenomenologia hermenêutica da pessoa. Márcia de Oliveira Cruz

Paul Ricoeur: Uma fenomenologia hermenêutica da pessoa. Márcia de Oliveira Cruz Paul Ricoeur: Uma fenomenologia hermenêutica da pessoa Márcia de Oliveira Cruz Leituras 2: A região dos filósofos Morre o personalismo, volta a pessoa (1983) Abordagens da pessoa (1991) O personalismo

Leia mais

MÉTODO CIENTÍFICO: O CONHECIMENTO COMO UMA UNIDADE EM QUE TODOS OS SABERES ESTÃO CONECTADOS

MÉTODO CIENTÍFICO: O CONHECIMENTO COMO UMA UNIDADE EM QUE TODOS OS SABERES ESTÃO CONECTADOS MÉTODO CIENTÍFICO: O CONHECIMENTO COMO UMA UNIDADE EM QUE TODOS OS SABERES ESTÃO CONECTADOS Kethelen Amanda Silva (FDCON) 1 Carlos Alexandre Rodrigues de Oliveira (UFMG/FDCON) 2 Se quiser buscar realmente

Leia mais

AS FÁBULAS E OS PRINCÍPIOS DA EDUCAÇÃO DO CAMPO: UMA ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO

AS FÁBULAS E OS PRINCÍPIOS DA EDUCAÇÃO DO CAMPO: UMA ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO AS FÁBULAS E OS PRINCÍPIOS DA EDUCAÇÃO DO CAMPO: UMA ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO Jefferson Geovane da Silva (jefferson.geovane@hotmail.com) Ana Paula Bezerra Carneiro (paulinha.caolly@gmail.com) Cinthya

Leia mais

Clóvis de Barros Filho

Clóvis de Barros Filho Clóvis de Barros Filho Sugestão Formação: Doutor em Ciências da Comunicação pela USP (2002) Site: http://www.espacoetica.com.br/ Vídeos Produção acadêmica ÉTICA - Princípio Conjunto de conhecimentos (filosofia)

Leia mais

Filosofia Política Clássica

Filosofia Política Clássica Filosofia Política Clássica Antiguidade Clássica - Platão Platão - seres humanos são divididos em três almas ou princípios de atividades: alma desejante que busca a satisfação dos apetites do corpo; alma

Leia mais

Sobre Metodologia Científica

Sobre Metodologia Científica 2013 Sobre Metodologia Científica Sergio Scheer TC022 Introdução a Engenharia UFPR Motivação Para que serve Metodologia Científica? Ciência e Conhecimento A produção de Conhecimento: Pesquisa O Processo

Leia mais

PROGRAD / COSEAC PEDAGOGIA - Angra dos Reis - Gabarito

PROGRAD / COSEAC PEDAGOGIA - Angra dos Reis - Gabarito Prova de Conhecimentos Específicos 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) A profissão docente, embora pouco prestigiada na sociedade brasileira, é muito importante, pois ser professor significa, entre outros aspectos,

Leia mais

Projeto Literatura Viva. Tema: Nacionalismo

Projeto Literatura Viva. Tema: Nacionalismo Projeto Literatura Viva Tema: Nacionalismo 2017 Justificativa Expressar-se oralmente é algo que requer confiança em si mesmo. Isso se conquista em ambientes favoráveis à manifestação do que se pensa, do

Leia mais

As marés são causadas pela relação de força entre a gravidade da Terra, do Sol e da

As marés são causadas pela relação de força entre a gravidade da Terra, do Sol e da O que é a zona entre-marés? A zona entre marés é a área da costa que está sujeita à subida e descida da maré, isto é, fica a descoberto quando a maré baixa (baixa-mar) e submersa quando a maré sobe (preia-mar).

Leia mais

Aristóteles critica a doutrina das ideias, de Platão. Ele não acreditava num mundo de ideias à parte, nem nas formas ideias das coisas, nem que o

Aristóteles critica a doutrina das ideias, de Platão. Ele não acreditava num mundo de ideias à parte, nem nas formas ideias das coisas, nem que o Aristóteles critica a doutrina das ideias, de Platão. Ele não acreditava num mundo de ideias à parte, nem nas formas ideias das coisas, nem que o nosso mundo fosse uma cópia imperfeita ou um simulacro

Leia mais

O DNA vai ao supermercado

O DNA vai ao supermercado O DNA vai ao supermercado Você já comeu DNA alguma vez na vida? O DNA está presente em todos os seres vivos, tais como plantas, frutas e animais. O que é o DNA? O DNA, sigla de ácido desoxirribonucléico,

Leia mais

PLANO DE CURSO OBJETIVO GERAL DA ÁREA DE ENSINO RELIGIOSO

PLANO DE CURSO OBJETIVO GERAL DA ÁREA DE ENSINO RELIGIOSO PLANO DE CURSO OBJETIVO GERAL DA ÁREA DE ENSINO RELIGIOSO O direito fundamental à educação inclui receber, na formação integral, a capacitação necessária ao exercício da cidadania. O Ensino religioso tem

Leia mais

Sócrates: após destruir o saber meramente opinativo, em diálogo com seu interlocutor, dava início ã procura da definição do conceito, de modo que, o

Sócrates: após destruir o saber meramente opinativo, em diálogo com seu interlocutor, dava início ã procura da definição do conceito, de modo que, o A busca da verdade Os filósofos pré-socráticos investigavam a natureza, sua origem de maneira racional. Para eles, o princípio é teórico, fundamento de todas as coisas. Destaca-se Heráclito e Parmênides.

Leia mais

CITAÇÕES E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CITAÇÕES E REFEÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

CITAÇÕES E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CITAÇÕES E REFEÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CITAÇÕES E REFEÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Prof. Dr. Anael Krelling 1 2 Por quê utilizar citação? Dar credibilidade / fundamentação ao trabalho científico Fornecer informações a respeito dos trabalhos desenvolvidos

Leia mais

Concepções de Desenvolvimento: Inatista, Empirista e Construtivismo PROF. MARCOS ROMÃO

Concepções de Desenvolvimento: Inatista, Empirista e Construtivismo PROF. MARCOS ROMÃO Concepções de Desenvolvimento: Inatista, Empirista e Construtivismo PSICOLOGIA APLICADA A EDUCAÇÃO PROF. MARCOS ROMÃO Como o ser humano aprende? E como criar as melhores condições possíveis para que o

Leia mais