Cores em Imagens e Vídeo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cores em Imagens e Vídeo"

Transcrição

1 Aula 05 Cores em Imagens e Vídeo Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa Universidade Federal Rural do Semiárido Departamento de Ciências Exatas e Naturais Ciência da Computação

2 Ciência das Cores A cor é fundamentada na luz; A luz é uma onda eletromagnética; A cor é caracterizada pelo comprimento de onda desta onda eletromagnética. Ela ocupa apenas uma pequena parte do espectro eletromagnético.

3 Ciência das Cores Uma fonte de luz pode contribuir com ondas com diversos comprimentos de onda o especto não é completamento visível; Infra-vermelho; Ultra-violeta. A luz visível tem seu comprimento de onda na faixa de 400 a 700 nm;

4 Ciência das Cores Uma luz branca pode ser decomposta em vários espectros, em um processo chamado de dispersão;

5 Ciência das Cores Dada uma luz branca de um dia ensolarado, pode-se encontrar a distribuição de potência espectral (spectral power distribuition): E

6 Visão Humana A luz é focalizada pelo cristalino e é projetada na retina;

7 Visão Humana Retina: Array de células: cones e bastonetes; Bastonetes responsáveis pela percepção de intensidades de luz (mais ou menos claro); produz imagens em níveis de cinza; Cones células receptoras que, devido ao seu pigmento, produzem sinal para ondas no comprimento de vermelho, verde e azul.

8 Visão Humana

9 Sensibilidade Espectral do Olho A sensibilidade do olho humano (cones) ao espectro visível é maior para a parte central do diagrama de espectro; Há maior sensibilidade para o vermelho, e menor para o azul; A sensibilidade dos bastonetes engloba vários comprimentos de onda, mas produz imagens em nível de cinza;

10 Sensibilidade Espectral do Olho Há aproximadamente 6 milhões de cones na retina, com proporções diferentes para os receptores vermelho, verde e azul: A razão é 40 (red) : 20 (green) : 1 (blue)! Esta sensibilidade é representada pelo vetor: q =[q R, q G, q B ] T

11 Sensibilidade Espectral do Olho As cores produzidas por um objeto luminoso consiste na integração do sinal que cada receptor produz diante de um estímulo luminoso. R= E q R d G= E qg d B= E q B d

12 Formação da Imagem A visão de objetos deriva da visão da luz refletida por estes objetos; Diversos tipos de superfície refletem a luz em diferentes tipos de comprimento de onda. C =E S E S C

13 Formação da Imagem Considerando o espectro refletido pelo objeto: R= E S q R d G= E S q G d B= E S q B d

14 Formação da Imagem em Câmeras Mesmo princípio de formação da imagem no olho humano: Cada receptor (R, G e B) gera um sinal analógico correspondente ao comprimento de onda percebido; O sinal analógico é digitalizado, truncado para inteiro (8 bits) e armazenado; Intervalo RGB: [0, 255]; A imagem visualizada em um display tem sua luz gerada pelo equipamento alguns ajustes se fazem necessário.

15 Formação da Imagem em Câmeras

16 Formação da Imagem em Câmeras

17 Formação da Imagem em Câmeras

18 Correção Gama Para que uma imagem digital seja visualizada, os valores RGB digitais são novamente convertidos para sinais analógicos e uma luz no pixel do monitor é gerada a partir destes sinais analógicos (tensão elétrica): Tecnologia por tubos de raios catódicos; Tecnologia LCD.

19 Correção Gama Situação desejada: a luz emitida é linearmente proporcional à tensão elétrica; Situação real: a luz emitida é uma aproximação (potência) da tensão elétrica; Esta potência é chamada de gama ( ). Torna-se necessário utilizar um fator de correção do brilho: elevar a componente de saída ao inverso deste gama;

20 Correção Gama R ' =R 1/ G ' =G B ' =B 1/ 1/

21 Funções de Casamento de Cores A definição dos valores RGB foi por muito tempo realizada através de estudos da psicologia: Dado um conjunto particular de três cores (luzes) R, G e B (chamadas de cores primárias) eram ajustadas para que sua combinação casasse com a cor de uma dada luz. Em 1931, o CIE (Comission Internationale de L Eclairege) agrupou os valores destes testes em gráficos (curvas de casamento de cores).

22 Funções de Casamento de Cores Color matching function r, g, b Standard color matching function x, y, z

23 Diagrama de Cromaticidade Definição dos valores triestímulos a partir das funções padrões de casamento de cores: X = E x d Y = E y d Z = E z d X x= X Y Z Y y= X Y Z Z z= X Y Z

24 Diagrama de Cromaticidade Considera-se z = 0; O diagrama de cromaticidade mostra que o padrão de cores de luzes é aditiva.

25 Diagrama de Cromaticidade Especificações de cores em monitores: [ xr yr zr xg yg zg ][ ] [ ] xb R x yb G = y zb B b

26 Diagrama de Cromaticidade Impressoras Monitores Correção do gamut o monitor não pode reproduzir todas as cores do diagrama de cromaticidade; Correção do ponto branco alterar padrões de tal forma que quando RGB for máximo, tem-se luz branca.

27 Diagrama de Cromaticidade Impressoras [][ ][ ] R X Y = G B Z Monitores

28 Modelos de Cores para Imagens

29 Modelo RGB É o modelo de cores mais utilizado; Consiste em um sistema cartesiano 3D; Cada canal de cor (R, G ou B) tem sua variação, de forma proporcional, no intervalo [0, 1]; A cor é obtida através da adição dos valores nos três canais.

30 Modelo RGB

31 Modelo RGB

32 Modelo CMY Também é conhecido como o modelo de subtração de cores; É utilizada para impressão, apenas, com as cores ciano (C), magenta (M) e amarelo (Y); Exemplo: uma tinta amarela borrifada em um papel irá absorver a componente azul da iluminação branca e irá refletir as componentes vermelha e verde. Neste modelo, a cor preta é obtida quando: C =Y =M =1

33 Modelo CMY Transformação RGB para CMY: [ ] [] [ ] C 1 R M =1 G Y 1 B

34 Modelo CMY + K Para economia de tinta, as impressoras coloridas utilizam um quarto cartucho com tinta preta (componente K do modelo); Para determinar o quanto de preto deve ser utilizado, faz-se: K =min C, M,Y

35 Modelo CMY + K Em seguida, retira-se a parte correspondente ao preto nas demais componentes: [ ][ ] C new C K M new = M K Y K Y new

36 Modelos de Cores em Vídeo

37 Modelo YUV É um modelo de cores utilizado para transmissão analógica de vídeo; A componente Y codifica o sinal de luminância (considerendo as componentes R, G e B com o gama corrigido); Luminância (ou luma) refere-se ao brilho da imagem;

38 Modelo YUV As componentes U e V são chamadas de crominância e se referem a diferenças entre cores: { U =B Y V =R Y

39 Modelo YUV A trasformação entre modelos é: [][ ][ ] R Y U = G B V

40 Modelo YUV Em uma imagem de vídeo em nível de cinza ( preto e branco ), tem-se que as componentes R, G e B têm seus valores iguais. Logo: O valor da luminância é igual ao valor das componentes R ou G ou B (a soma dos coeficientes da matriz de transformação é igual a 1); Os valores da crominância são iguais a zero. Este modelo pode ser utilizado tanto em TVs coloridas como em TVs preto e branco.

41 Modelo YUV

42 Modelo YIQ { Os seus componentes também são chamados de luminância (Y) e crominância (I e Q); Este modelo é uma versão do modelo YUV, com o mesmo lume (Y), mas com as quadraturas rotacionadas por 33º: I = R Y cos B Y sen 33 Q= R Y sen B Y cos 33

43 Modelo YIQ Modelo utilizado para transmissão de TV colorida (NTSC); Pixels cinza (R = G = B ) também geram crominância com valores iguais a zero; A transformação é: [][ ][ ] Y R I = G Q B

44 Modelo YIQ

45 Modelo YCbCr É um modelo usado na compressão JPEG (imagens) e MPEG (vídeo); É fortemente relacionada com o modelo YUV: Não é uma codificação propriamente dita, mas uma forma de representar o modelo RGB para transmissão; Seus componentes, além da luminância (Y) são a crominância da diferença azul (Cb) e a crominância da diferença vermelha (Cr).

46 Modelo YCbCr Transformação: [ ][ ][ ] [ ] Y R Cb = G B 0.5 Cr

47 Modelo YCbCr

PROCESSAMENTO DE IMAGENS COLORIDAS

PROCESSAMENTO DE IMAGENS COLORIDAS PROCESSAMENTO DE IMAGENS COLORIDAS Fundamentos da cor A visão da cor É a capacidade de um organismo ou máquina de distinguir objetos baseando-se nos comprimentos de onda (ou freqüências) da luz sendo refletida,

Leia mais

Processamento de Imagens Coloridas. Prof. Adilson Gonzaga

Processamento de Imagens Coloridas. Prof. Adilson Gonzaga Processamento de Imagens Coloridas Prof. Adilson Gonzaga 1 Aparência de um Objeto A aparência de um objeto é o resultado de uma complexa interação da luz incidente sobre este objeto, suas características

Leia mais

Processamento Digital de Imagens. Cor

Processamento Digital de Imagens. Cor Processamento Digital de Imagens Cor Em uma descrição física a cor está associada ao seu comprimento de onda. Ao se analisar o espectro eletromagnético na região do visível, os menores comprimentos de

Leia mais

Mudanças de Coordenadas em Sistemas de Cores

Mudanças de Coordenadas em Sistemas de Cores Mudanças de Coordenadas em Sistemas de Cores Bruno Teixeira Moreira e Emídio Augusto Arantes Macedo Ciência da Computação 1 o. Período Professor: Rodney Josué Biezuner Disciplina: Geometria Analítica e

Leia mais

Luz e Cor. Luz. Onda eletro-magnética. Computação Gráfica Interativa - Gattass 10/26/2004. Luz e Cor. λ (m) f (Hertz)

Luz e Cor. Luz. Onda eletro-magnética. Computação Gráfica Interativa - Gattass 10/26/2004. Luz e Cor. λ (m) f (Hertz) Marcelo Gattass, PUC-Rio Luz Onda eletro-magnética 10 2 10 4 10 6 10 8 10 10 10 12 10 14 10 16 10 18 10 20 (m) rádioam FM,TV Micro-Ondas Ultra-Violeta Infra-Vermelho RaiosX f (Hertz) 10 6 10 4 10 2 10

Leia mais

Fundamentos sobre. Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE. Antonio G. Thomé Sala AEP/1033. Processamento de Imagens

Fundamentos sobre. Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE. Antonio G. Thomé Sala AEP/1033. Processamento de Imagens Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE Fundamentos sobre Processamento de Imagens Antonio G. Thomé thome@nce.ufrj.br Sala AEP/1033 Sumário do Curso Introdução Ambientação com o MatLab Aquisição

Leia mais

AULA 9 TRANSFORMAÇÃO RGB IHS. Daniel C. Zanotta 22/06/2017

AULA 9 TRANSFORMAÇÃO RGB IHS. Daniel C. Zanotta 22/06/2017 AULA 9 TRANSFORMAÇÃO RGB IHS Daniel C. Zanotta 22/06/2017 SISTEMA ADITIVO DE CORES (LUZ) LUZ: A LUZ É COMPOSTA DE VIBRAÇÕES ELETROMAGNÉTICAS QUE CORRESPONDEM ÀS CORES. ESSAS VIBRAÇÕES TEM ESPECÍFICAS FREQUÊNCIAS

Leia mais

Computação Gráfica Síntese de Cores

Computação Gráfica Síntese de Cores Computação Gráfica Síntese de Cores Professora: Sheila Cáceres Natureza da cor O ser humano é capaz de visualizar só um subconjunto do espectro de luz solar: desde 380 nanômetros (violeta) a 780 nanômetros

Leia mais

As imagens. As imagens. Representação digital de imagens. As imagens Wilson de Pádua Paula Filho 1

As imagens. As imagens. Representação digital de imagens. As imagens Wilson de Pádua Paula Filho 1 As As As Dispositivos gráficos Resolução espacial de : pixel - unidade de imagem, usada para medir resolução gráfica; visão humana - cerca de 3000 x 3000 pixels; fotografia - até 8000 x 8000 pixels. 2001

Leia mais

Cor SCC0251 Processamento de Imagens

Cor SCC0251 Processamento de Imagens Cor SCC0251 Processamento de Imagens Prof. Moacir Ponti Jr. www.icmc.usp.br/~moacir Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação USP 2012/1 Moacir Ponti Jr. (ICMCUSP) Cor 2012/1 1 / 39 Sumário 1 Introdução

Leia mais

PROCESSAMENTO DE IMAGENS. Eduardo Ribeiro

PROCESSAMENTO DE IMAGENS. Eduardo Ribeiro PROCESSAMENTO DE IMAGENS Eduardo Ribeiro Brilho Em uma imagem em tons de cinza, cada valor de pixel representa um brilho. Brilho é definido formalmente como o atributo de uma sensação visual segundo o

Leia mais

Representação de cores. Computação Gráfica Cores. O que é luz. Distribuição espectral da iluminação 11/12/12

Representação de cores. Computação Gráfica Cores. O que é luz. Distribuição espectral da iluminação 11/12/12 Representação de cores Computação Gráfica Cores Renato Ferreira Tratados de maneira geral como triplas RGB Um parâmetro alpha opcional Quase todas operações separadas por componente Mas usualmente tratadas

Leia mais

Introdução ao Processamento de Imagens Digitais Aula 01

Introdução ao Processamento de Imagens Digitais Aula 01 Introdução ao Processamento de Imagens Digitais Aula 01 Douglas Farias Cordeiro Universidade Federal de Goiás 06 de julho de 2015 Mini-currículo Professor do curso Gestão da Informação Formação: Graduação

Leia mais

Cor. Márcio Bueno Fonte: Material do Prof. Claudio Esperança e do Prof. Paulo Roma Cavalcanti

Cor. Márcio Bueno Fonte: Material do Prof. Claudio Esperança e do Prof. Paulo Roma Cavalcanti Cor Márcio Bueno {cgtarde,cgnoite}@marciobueno.com) Fonte: Material do Prof. Claudio Esperança e do Prof. Paulo Roma Cavalcanti Cor O que é cor? Cor é uma sensação produzida no nosso cérebro pela luz que

Leia mais

Aplicações Informáticas B 12º Ano

Aplicações Informáticas B 12º Ano Aplicações Informáticas B 12º Ano Prof. Adelina Maia 2013/2014 AIB_U4A 1 Bases sobre a teoria da cor aplicada aos sistemas digitais (red / Green / blue) Modelo CMYK (cyan / magenta / yellow + Black) Modelo

Leia mais

Prof. Cláudio Henrique Albuquerque Rodrigues

Prof. Cláudio Henrique Albuquerque Rodrigues Prof. Cláudio Henrique Albuquerque Rodrigues O que é vídeo? Vídeo é uma coleção de imagens discretas exibidas periodicamente ao longo do tempo. Cada imagem é composta por N linhas. 2 3 Como não se percebem

Leia mais

Sistema de Cores. Guillermo Cámara-Chávez

Sistema de Cores. Guillermo Cámara-Chávez Sistema de Cores Guillermo Cámara-Chávez Conceitos Motivação - poderoso descritor de característica que simplifica identificação e extração de objetos da cena; - humanos podem distinguir milhares de tonalidades

Leia mais

Considerando as cores como luz, a cor branca resulta da sobreposição de todas as cores, enquanto o preto é a ausência de luz. Uma luz branca pode ser

Considerando as cores como luz, a cor branca resulta da sobreposição de todas as cores, enquanto o preto é a ausência de luz. Uma luz branca pode ser Noções de cores Cor é como o olho dos seres vivos animais interpreta a reemissão da luz vinda de um objeto que foi emitida por uma fonte luminosa por meio de ondas eletromagnéticas; Corresponde à parte

Leia mais

A Luz-Cor EDUCAÇÃO VISUAL 8º ANO

A Luz-Cor EDUCAÇÃO VISUAL 8º ANO A Luz-Cor EDUCAÇÃO VISUAL 8º ANO O que é a cor? ? O que é a cor? O que é a cor? A cor é uma perceção visual provocada pela ação de um feixe de ondas eletromagnéticas sobre células especializadas da retina,

Leia mais

Sensoriamento Remoto II

Sensoriamento Remoto II Sensoriamento Remoto II 2: transformações espetrais IHS, Tasseled Cap UFPR Departamento de Geomática Prof. Jorge Centeno 2016 copyright@ centenet Sensoriamento Remoto II Descrição da Ementa: Transformações

Leia mais

Luz, Cor e Percepção Visual

Luz, Cor e Percepção Visual Luz, Cor e Percepção Visual André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br Capítulo 13 do Foley O que é luz? Luz é uma forma de energia. Tipo de radiação eletromagnética com um comprimento de onda que afeta

Leia mais

Luz e Cor. por Marcelo Gattass Departamento de Informática PUC-Rio

Luz e Cor. por Marcelo Gattass Departamento de Informática PUC-Rio Luz e Cor por Marcelo Gattass Departamento de Informática PUC-Rio (adaptado por Luiz Fernando Martha para a disciplina CIV2802 Sistemas Gráficos para Engenharia) Luz Onda eletro-magnética 10 2 10 4 10

Leia mais

Imagem Digital. Claudio Carvilhe

Imagem Digital. Claudio Carvilhe Imagem Digital Claudio Carvilhe Imagem Digital Roteiro Introdução. Pixel. Resolução espacial. Cor. Processamento de imagens. Introdução Informação Visual: Imagem vista na tela. Informação Descritiva: Modelo

Leia mais

Colorimetria e TV a Cores

Colorimetria e TV a Cores Colorimetria e TV a Cores PTC2547 Princípios de Televisão Digital Guido Stolfi EPUSP - 2016 EPUSP - Guido Stolfi 1 / 78 Tópicos Abordados Oponentes cromáticas Modelo da Percepção Cromática Processos de

Leia mais

Padrões de Compressão de Imagens

Padrões de Compressão de Imagens Aula 10 Padrões de Compressão de Imagens Diogo Pinheiro Fernades Pedrosa diogopedrosa@ufersa.edu.br http://www2.ufersa.edu.br/portal/professor/diogopedrosa Universidade Federal Rural do Semiárido Departamento

Leia mais

Teoria da Cor - Fundamentos Básicos

Teoria da Cor - Fundamentos Básicos Teoria da Cor - Fundamentos Básicos O objetivo desse material de apoio é trazer algumas informações básicas sobre teoria da cor, embora seu estudo seja muito mais amplo e envolve diversos aspectos de percepção,

Leia mais

Colorimetria Conceitos Básicos de Colorimetria

Colorimetria Conceitos Básicos de Colorimetria 16 3 Colorimetria 3.1. Conceitos Básicos de Colorimetria Para entender as técnicas de processamento de imagens em imagens coloridas, é importante compreender como a informação de cor é integrada em imagens

Leia mais

Características da cor

Características da cor Características da cor Qualquer cor particular pode ser obtida a partir da combinação de VERMELHO AZUL VERDE (Primárias aditivas) (no caso de transmissão) Isto é, uma fonte de luz vermelha, uma fonte de

Leia mais

Cor.doc Página 1 de 5 Teoria das Cores

Cor.doc Página 1 de 5 Teoria das Cores Cor.doc Página 1 de 5 Teoria das Cores As imagens formadas na retina são planas, entretanto, conseguimos enxergar o volume dos objetos, uma das razões disto ocorrer é devido à iluminação nas diferentes

Leia mais

Universidade Federal de Alagoas Instituto de Matemática. Cor. Prof. Thales Vieira

Universidade Federal de Alagoas Instituto de Matemática. Cor. Prof. Thales Vieira Universidade Federal de Alagoas Instituto de Matemática Cor Prof. Thales Vieira 2014 O que é cor? Cor no universo físico Cor no universo matemático Representação de cor Especificação de cor Colorimetria

Leia mais

Cor e Imagem. Luz. ! Visão = percepção da energia electromagnética. ! O espectro eletromagnético inclui diversos tipos de radiações:

Cor e Imagem. Luz. ! Visão = percepção da energia electromagnética. ! O espectro eletromagnético inclui diversos tipos de radiações: Cor e Imagem Computação Gráfica Luz! Visão = percepção da energia electromagnética! O espectro eletromagnético inclui diversos tipos de radiações:! Gamma! X-ray! Ultraviolet! Visible (pequena porção)!

Leia mais

Imagem bitmap. Gráfico vetorial. gráficos vetoriais

Imagem bitmap. Gráfico vetorial. gráficos vetoriais Sobre imagens bitmap e gráficos vetoriais Os elementos gráficos de um computador podem ser divididos em duas categorias principais -- bitmap e vetor. Imagem bitmap Gráfico vetorial Imagens bitmap são ideais

Leia mais

SISTEMAS DE VÍDEO. Instrutor : Claudio Younis

SISTEMAS DE VÍDEO. Instrutor : Claudio Younis SISTEMAS DE VÍDEO Instrutor : Claudio Younis VÍDEO Sequência de imagens exibidas em uma determinada velocidade de modo que nosso sistema visual (olho, retina, nervo óptico e cerébro) reconstrua o movimento

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO

INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB. PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO INTRODUÇÃO AO DESENVOLVIMENTO WEB PROFª. M.Sc. JULIANA H Q BENACCHIO Utilização de Cores em HTML Cores primárias Cores secundárias 2 Utilização de Cores em HTML Os comprimentos de onda vermelho, amarelo

Leia mais

FUNDAMENTOS DA COMPUTAÇÃO GRÁFICA

FUNDAMENTOS DA COMPUTAÇÃO GRÁFICA FUNDAMENTOS DA COMPUTAÇÃO GRÁFICA 28/05/2014 Luz e Cor Aluno: Leonardo Henrique Camello do Nascimento Professor: Marcelo Gattass INTRODUÇÃO O objetivo deste trabalho é gerar diversos espectros de reflexão.

Leia mais

Processamento de Imagens. Processamento de Imagens. Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE. Fundamentos sobre. Antonio Carlos Gay Thomé

Processamento de Imagens. Processamento de Imagens. Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE. Fundamentos sobre. Antonio Carlos Gay Thomé Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE Fundamentos sobre Processamento de Imagens Antonio Carlos Gay Thomé Meus dados: Sala 1033 / AEP thome@nce.ufrj.br equipe.nce.ufrj.br/thome Laboratório

Leia mais

Modelo RGB - Aplicações

Modelo RGB - Aplicações Modelo RGB - Aplicações As aplicações do modelo RGB estão associadas à emissão de luz por equipamentos como monitores de computador e ecrãs de televisão. O monitor CRT é essencialmente um tubo de raios

Leia mais

Universidade Federal de Sergipe Departamento de Matemática. Cor* Profª. Maria Andrade. *Parte desta apresentação foi do Prof. Thales Vieira.

Universidade Federal de Sergipe Departamento de Matemática. Cor* Profª. Maria Andrade. *Parte desta apresentação foi do Prof. Thales Vieira. Universidade Federal de Sergipe Departamento de Matemática Cor* Profª. Maria Andrade *Parte desta apresentação foi do Prof. Thales Vieira. 2016 Nosso Roteiro. Aulas (Cor): 7, 9 e 14 Aulas (Imagem): 16

Leia mais

Prof. Fernando Lang da Silveira

Prof. Fernando Lang da Silveira As sombras são coloridas com as três cores originais das lâmpadas (vermelho, verde e azul) e mais outras três cores (magenta, ciano e amarelo), além do branco e do preto. Prof. Fernando Lang da Silveira

Leia mais

Sistema de Cores. Guillermo Cámara-Chávez

Sistema de Cores. Guillermo Cámara-Chávez Sistema de Cores Guillermo Cámara-Chávez Conceitos Motivação - poderoso descritor de característica que simplifica identificação e extração de objetos da cena; - humanos podem distinguir milhares de tonalidades

Leia mais

Os seres humanos percebem as cores em alguns comprimentos de onda específicos.

Os seres humanos percebem as cores em alguns comprimentos de onda específicos. Os seres humanos percebem as cores em alguns comprimentos de onda específicos. Comprimento de Onda Transmissão Ondas curtas FM Televisão Radar Infravermelho Luz Visível Ultravioleta Raios-X Raios-γ Vermelho

Leia mais

MODELOS DE COR. Intensity is radiant power in a particular direction.

MODELOS DE COR. Intensity is radiant power in a particular direction. MODELOS DE COR Terminologias Intensity is radiant power in a particular direction. Radiance is intensity per unit projected area. Luminance is radiance weighted by the spectral sensitivity associated with

Leia mais

Processamento Digital de Imagens

Processamento Digital de Imagens Ciência da Computação Processamento Digital de Imagens Prof. Sergio Ribeiro Tópicos Introdução Espectro Eletromagnético Aquisição e Digitalização de Imagens Efeitos da Digitalização Digitalização Sensoriamento

Leia mais

Manipulação, Visualização e Interpretação de Imagens de Sensoriamento Remoto

Manipulação, Visualização e Interpretação de Imagens de Sensoriamento Remoto Manipulação, Visualização e Interpretação de Imagens de Sensoriamento Remoto Alexandre Xavier Falcão Instituto de Computação - UNICAMP afalcao@ic.unicamp.br Objetivo Extrair informações quantitativas e

Leia mais

Motivação Por que estudar?

Motivação Por que estudar? Aula 04 Imagens Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa Universidade Federal Rural do Semiárido Departamento de Ciências Exatas e Naturais Curso de Ciência da Computação Motivação Por que estudar? Imagens digitais

Leia mais

O sistema visual humano e noções de colorimetria

O sistema visual humano e noções de colorimetria STV 3 MAR 2010 1 O sistema visual humano e noções de colorimetria Considera se que a cor consista em um atributo dos objetos, assim como a textura e a forma, entre outros. Depende basicamente de: 1. Características

Leia mais

Espaço de Cor Fotografia Digital Prof. Rogério Simões

Espaço de Cor Fotografia Digital Prof. Rogério Simões Espaço de Cor Prof. Rogério Simões Espaço de Cor Muito antes da invenção dos primeiros monitores coloridos, cientistas, artistas e técnicos já se preocupavam com a maneira de representar cores uniformemente.

Leia mais

Gabarito dos Exercícios do Capítulo de Cores /1. 1. Complete os pontilhados ou brancos os parágrafos abaixo:

Gabarito dos Exercícios do Capítulo de Cores /1. 1. Complete os pontilhados ou brancos os parágrafos abaixo: Gabarito dos Exercícios do Capítulo de Cores - 2005/. Complete os pontilhados ou brancos os parágrafos abaixo: Valor da Questão: 2.0 - cada resposta completada corretamente: 0, Usando um byte por canal,

Leia mais

Computação Gráfica. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto

Computação Gráfica. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto Computação Gráfica Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Cores A cor exerce uma ação tríplice Impressionar Expressar Construir O uso da cor na computação gráfica apresenta vários

Leia mais

STV 29 SET SINAL I esta tensão de vídeo é produzida na matriz do transmissor como a seguinte combinação de vermelho, verde e azul:

STV 29 SET SINAL I esta tensão de vídeo é produzida na matriz do transmissor como a seguinte combinação de vermelho, verde e azul: STV 29 SET 2008 1 LARGURA DE FAIXA DO SINAL Y este sinal é transmitido com a largura de faixa da freqüência de vídeo completa de 0-4 MHz, como na transmissão monocromática contudo, a maioria dos receptores

Leia mais

CORES E. Adair Santa Catarina Curso de Ciência da Computação Unioeste Campus de Cascavel PR

CORES E. Adair Santa Catarina Curso de Ciência da Computação Unioeste Campus de Cascavel PR CORES E SISTEMAS DE CORES Adair Santa Catarina Curso de Ciência da Computação Unioeste Campus de Cascavel PR Abr/2014 A Estrutura do Olho Humano O olho humano é praticamente uma esfera com diâmetro médio

Leia mais

Sistemas de Cores. Leandro Tonietto Processamento Gráfico Jogos Digitais set-09

Sistemas de Cores. Leandro Tonietto Processamento Gráfico Jogos Digitais  set-09 Sistemas de Cores Leandro Tonietto Processamento Gráfico Jogos Digitais ltonietto@unisinos.br http://www.inf.unisinos.br/~ltonietto set-09 Sumário Introdução Cores RGB HSV Referências 4-set-09 Leandro

Leia mais

Mídias Discretas. Introdução à Ciência da Informação

Mídias Discretas. Introdução à Ciência da Informação Mídias Discretas Introdução à Ciência da Informação Mídias Discretas Mídias discretas (estáticas) Texto Gráficos e Imagens Estáticas Caracteres são convertidos para uma representação com um número fixo

Leia mais

CORES UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FÍSICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE FÍSICA

CORES UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FÍSICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE FÍSICA CORES UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FÍSICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE FÍSICA MESTRANDO PATRESE VIEIRA PORTO ALEGRE, MAIO DE 2013 Ondas Eletromagnéticas As ondas são

Leia mais

Evolução dos monitores. Os monitores evoluíram mais devagar que os outros aparelhos eletrônicos.

Evolução dos monitores. Os monitores evoluíram mais devagar que os outros aparelhos eletrônicos. Monitores Evolução dos monitores Os monitores evoluíram mais devagar que os outros aparelhos eletrônicos. Conexões Uma parte muito importante dos monitores é a sua ligação entre o computador e o monitor.

Leia mais

Aquisição de Imagens

Aquisição de Imagens Aquisição de Imagens Etapas típicas envolvidas no processamento de imagens. Aquisição da imagem Pré-processamento Segmentação Reconhecimento dos objetos e regiões Princípios da Visão Humana Referência:

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 5)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 5) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 5) 1 Sistema de cores A modelagem dos sistemas de cor é essencial, pois para a visualização

Leia mais

Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco

Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco Universidade de Pernambuco Escola Politécnica de Pernambuco TV Analógica e Digital O sistema de TV em cores Prof. Márcio Lima E-mail:marcio.lima@poli.br 15.04.20014 Características Principais A TV em cores

Leia mais

As imagens. Representação digital de imagens. P rocessamento da imagem

As imagens. Representação digital de imagens. P rocessamento da imagem As imagens As imagens Representação digital de imagens Dispositivos gráficos P rocessamento da imagem Representação digital de imagens Resolução espacial de imagens: pixel unidade de imagem, usada para

Leia mais

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de 1 O estudo das cores não é peculiar apenas da pintura ou do desenho; é um estudo amplo, que sem dúvida está presente dentro de muitas outras áreas e que estão diretamente interconectados. Veja nesta aula

Leia mais

METODOLOGIA PARA A QUANTIZAÇÃO DE CORES PELO MÉTODO SMCb: INTRODUÇÃO E EXEMPLOS DE RESULTADOS

METODOLOGIA PARA A QUANTIZAÇÃO DE CORES PELO MÉTODO SMCb: INTRODUÇÃO E EXEMPLOS DE RESULTADOS METODOLOGIA PARA A QUANTIZAÇÃO DE CORES PELO MÉTODO SMCb: INTRODUÇÃO E EXEMPLOS DE RESULTADOS Marcelo Zaniboni 1, Osvaldo Severino Junior 2 1: Universitário do curso de Ciência da Computação, Faculdade

Leia mais

Fundamentos de Cor. 1. Cor

Fundamentos de Cor. 1. Cor Universidade Federal de Santa Maria Departamento de Eletrônica e Computação Prof. Cesar Tadeu Pozzer Disciplina: Computação Gráfica pozzer@inf.ufsm.br 19/03/2012 1. Cor Fundamentos de Cor Do ponto de vista

Leia mais

Formação e Representação de Imagens

Formação e Representação de Imagens Formação e Representação de Imagens 35M34 Sala 3E1 Bruno Motta de Carvalho DIMAp Sala 15 Ramal 227 1 O Olho Humano 2 Sistema Visual Humano Sistema visual humano é constituído dos olhos, nervos óticos e

Leia mais

Luz e Cor. Sistemas Gráficos/ Computação Gráfica e Interfaces FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO

Luz e Cor. Sistemas Gráficos/ Computação Gráfica e Interfaces FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO Luz e Cor Sistemas Gráficos/ Computação Gráfica e Interfaces 1 Luz Cromática Em termos perceptivos avaliamos a luz cromática pelas seguintes quantidades: 1. Matiz (Hue): distingue entre as várias cores

Leia mais

Teoria das Cores MODULO III DESIGNER GRÁFICO. Suélen Dayane Martins. Professora

Teoria das Cores MODULO III DESIGNER GRÁFICO. Suélen Dayane Martins. Professora Teoria das Cores MODULO III DESIGNER GRÁFICO Suélen Dayane Martins Professora Aspectos Históricos Aristóteles entendia a cor como propriedade dos corpos, defendido em sua obra De sensu et sensibili. Para

Leia mais

Prof. a Graciela Campos

Prof. a Graciela Campos Blog Design com Poesia [ http://gracicampos.wordpress.com/ ] Facebook GracicamposDesign [www.facebook.com/gracicamposdesign ] Prof. a Graciela Campos Blog Design e Poesia Prof. a Graciela Campos Link aulas

Leia mais

INTRODUçÃO ÀS. UNIVERSIDADE DE AVEIRO Departamento de Física Detecção Remota

INTRODUçÃO ÀS. UNIVERSIDADE DE AVEIRO Departamento de Física Detecção Remota INTRODUçÃO ÀS UNIVERSIDADE DE AVEIRO Departamento de Física Detecção Remota Raquel Diogo, 38961 2011/2012 O que é o RGB? RGB abreviatura do sistema de cores aditivas: vermelho, r, verde, g e azul, b. As

Leia mais

Gabarito (e sugestão de Critério de Correção) - Capítulo de Cores

Gabarito (e sugestão de Critério de Correção) - Capítulo de Cores abarito (e sugestão de Critério de Correção) - Capítulo de Cores Complete os pontilhados ou brancos os parágrafos abaixo : Valor da Questão: 2.0. (Valor do item: 0.5) Usando um byte por canal, a cor (

Leia mais

Morfologia Matemática colorida

Morfologia Matemática colorida Morfologia Matemática colorida Conceitos fundamentais: Morfologia Matemática de imagens coloridas Amplamente explorada em sua forma binaria

Leia mais

Representações de Cores

Representações de Cores Representações de Cores 35T56 Sala 3E1 Bruno Motta de Carvalho DIMAp Sala 15 Ramal 227 1 Introdução 2 Sistemas de representação de cores Facilitam a escolha de cores Descrevem e nomeiam cores Conversão

Leia mais

Definição de uma Imagem Digital

Definição de uma Imagem Digital Definição de uma Imagem Digital Por que um objeto é visível? vel? http://www.luminous-landscape.com/tutorials/color_and_vision.shtml O olho humano o dispositivo de entrada da informação visual Funciona

Leia mais

Teoria da Cor TI. Elisa Maria Pivetta

Teoria da Cor TI. Elisa Maria Pivetta Teoria da Cor TI Elisa Maria Pivetta A percepção da cor é um processo complexo, resultante da recepção da luz pelo olho e da interpretação desta pelo cérebro. O que de fato determina a cor de um objeto

Leia mais

J. M. Brisson Lopes Computação Gráfica. 1 Cor e Luz

J. M. Brisson Lopes Computação Gráfica. 1 Cor e Luz J. M. Brisson Lopes Computação Gráfica 1 Cor e Luz A cor está presente em tudo o que observamos e é assim um elemento essencial em Computação Gráfica onde desempenha funções múltiplas na visualização de

Leia mais

MODELO de COR (1) ORIENTADO PARA O EQUIPAMENTO. Finalidade? Especificação precisa das cores numa certa gama, para determinada classe de equipamentos.

MODELO de COR (1) ORIENTADO PARA O EQUIPAMENTO. Finalidade? Especificação precisa das cores numa certa gama, para determinada classe de equipamentos. MODELO de COR (1) ORIENTADO PARA O EQUIPAMENTO Finalidade? Especificação precisa das cores numa certa gama, para determinada classe de equipamentos. O que é? Sub-espaço 3D Sistema de coordenadas 3D Combinação

Leia mais

2 Radiometria e fotometria

2 Radiometria e fotometria 2 Radiometria e fotometria Imagens HDR se preocupam em armazenar valores referentes as condições de iluminação do ambiente onde a imagem foi tirada. Dessa forma, a medição das quantidades de energia e

Leia mais

Resoluções das Imagens fotogramétricas e digitais. Fotogrametria e Fotointerpretação Prof. Dr. Raoni W. D. Bosquilia

Resoluções das Imagens fotogramétricas e digitais. Fotogrametria e Fotointerpretação Prof. Dr. Raoni W. D. Bosquilia Resoluções das Imagens fotogramétricas e digitais Fotogrametria e Fotointerpretação Prof. Dr. Raoni W. D. Bosquilia Classificação dos filmes aerofotogramétricos Os filmes podem ser: preto e branco ou coloridos.

Leia mais

Etienne De Crecy Live Transmusicales de Rennes Make My Logo Bigger Cream

Etienne De Crecy Live Transmusicales de Rennes Make My Logo Bigger Cream Etienne De Crecy Live Transmusicales de Rennes Make My Logo Bigger Cream 1 O Maravilhoso Mundo dos Pixels Não adianta fechar um arquivo se você não o criou de forma correta. Não adianta mandar para a gráfica/lab/bureau

Leia mais

Entendendo o Perfil das Cores Prof. Dr. Enio Leite 4 Comentários - Última Atualização a: 04/07/2017

Entendendo o Perfil das Cores Prof. Dr. Enio Leite 4 Comentários - Última Atualização a: 04/07/2017 Entendendo o Perfil das Cores Prof. Dr. Enio Leite 4 Comentários - Última Atualização a: 04/07/2017 Artigo originalmente escrito por Karen Lynne Dejean, Junho de 2017. A cor é um dos principais elementos

Leia mais

Cores. Misturando apenas essas três cores, em proporções e intensidades variadas, podemos obter todas as outras, mesmo as que não estão no

Cores. Misturando apenas essas três cores, em proporções e intensidades variadas, podemos obter todas as outras, mesmo as que não estão no Cores A cor é uma sensação provocada pela luz sobre o órgão da visão, isto é, sobre nossos olhos. A cor-luz pode ser observada através dos raios luminosos. Cor-luz é a própria luz que pode se decompor

Leia mais

Organização de Computadores Dispositivos de saída, principais tecnologias (Monitor/Impressora) Professor: Francisco Ary

Organização de Computadores Dispositivos de saída, principais tecnologias (Monitor/Impressora) Professor: Francisco Ary Organização de Computadores Dispositivos de saída, principais tecnologias (Monitor/Impressora) Professor: Francisco Ary Introdução O dispositivo de saída mais utilizado por um computador é o dispositivo

Leia mais

Fundamentos de Sensoriamento Remoto

Fundamentos de Sensoriamento Remoto UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA: Geoprocessamento para aplicações ambientais e cadastrais Fundamentos de Sensoriamento Remoto Profª. Adriana

Leia mais

COMPUTAÇÃO GRÁFICA. Ana Paula Mandelli

COMPUTAÇÃO GRÁFICA. Ana Paula Mandelli COMPUTAÇÃO GRÁFICA Ana Paula Mandelli anapaula_mandelli@hotmail.com Ementa Princípios de Design gráfico. Funcionalidades básicas. Técnicas aplicadas ao Design Gráfico. Ilustrações. Tratamento de Imagens.

Leia mais

Avaliação Parcial 01 - GABARITO Questões Bate Pronto. As questões 1 a 23 possuem apenas uma alternativa correta. Marque-a.

Avaliação Parcial 01 - GABARITO Questões Bate Pronto. As questões 1 a 23 possuem apenas uma alternativa correta. Marque-a. Avaliação Parcial 01 - GABARITO Questões Bate Pronto. As questões 1 a 23 possuem apenas uma alternativa correta. Marque-a. 1) A água reflete muita radiação no infravermelho próximo. (5 pontos) 2) A radiação

Leia mais

Capítulo 1 - Introdução Capítulo 2 - Tipos de Originais

Capítulo 1 - Introdução Capítulo 2 - Tipos de Originais Capítulo 1 - Introdução Luz O que É Luz Espectro Eletromagnético Luz Anárquica Cor Interpretação Espectro Visível Sínteses Aditiva e Subtrativa Síntese Aditiva Cores Opostas e Complementares Síntese Subtrativa

Leia mais

SEL 5895 Introdução ao Processamento Digital de Imagens. Aula 1 - Introdução. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira

SEL 5895 Introdução ao Processamento Digital de Imagens. Aula 1 - Introdução. Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira SEL 5895 Introdução ao Processamento Digital de Imagens Aula 1 - Introdução Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira mvieira@sc.usp.br EESC/USP PROCESSAMENTO DE IMAGENS O QUE É? Processar uma imagem significa

Leia mais

a) sistema de cores aditivo b) sistema de cores subtrativo Figura 1. Sistemas de cores.

a) sistema de cores aditivo b) sistema de cores subtrativo Figura 1. Sistemas de cores. RGB to Gray Resumo Este artigo tem como objetivo mostrar como converter uma imagem colorida para tons de cinza no MSX 2. 1- Introdução Uma imagem digital é composta de 3 componentes de cores primárias

Leia mais

Teoria tricromática de Young-Helmholtz

Teoria tricromática de Young-Helmholtz ESPECIALIZAÇAO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO Teoria tricromática de Young-Helmholtz Prof. Nelson Luiz Reyes Marques É um agente físico capaz de sensibilizar os nossos órgãos visuais. Dispersão

Leia mais

Sensoriamento Remoto I Engenharia Cartográfica. Prof. Enner Alcântara Departamento de Cartografia Universidade Estadual Paulista Presidente Prudente

Sensoriamento Remoto I Engenharia Cartográfica. Prof. Enner Alcântara Departamento de Cartografia Universidade Estadual Paulista Presidente Prudente Sensoriamento Remoto I Engenharia Cartográfica Prof. Enner Alcântara Departamento de Cartografia Universidade Estadual Paulista Presidente Prudente 2016 Interações da Energia Eletromagnética A Energia

Leia mais

Processamento Digital de Imagens - PDI

Processamento Digital de Imagens - PDI Processamento Digital de Imagens - PDI x Definição: x Manipulação da imagem por computador x Área Multidisciplinar: x Ótica x Engenharia Elétrica x Colorimetria x Neurofisiologia x Ciência da Computação

Leia mais

Cores. Judith Kelner Eduardo Albuquerque Vários colaboradores

Cores. Judith Kelner Eduardo Albuquerque Vários colaboradores Cores Judith Kelner Eduardo Albuquerque Vários colaboradores Abril/2011 Um pouco de História... Homem Primitivo Significado simbólico. Antiguidade Platão (427-347 ac), nos olhos existia um fogo que dava

Leia mais

Modulo 8: pequenos detalhes, grandes diferenças

Modulo 8: pequenos detalhes, grandes diferenças PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES V - TCC- 00.323 Modulo 8: pequenos detalhes, grandes diferenças Aura -Erick aconci@ic.uff.br, erickr@id.uff.br Roteiro Conversão de tipo Operador ternário condicional -? ; ;

Leia mais

Prof. Cláudio Henrique Albuquerque Rodrigues

Prof. Cláudio Henrique Albuquerque Rodrigues Prof. Cláudio Henrique Albuquerque Rodrigues As características do vídeo analógico são: Limitações no armazenamento, processamento e transmissão; Dificuldade na localização de imagens específicas; Dificuldade

Leia mais

Cor. Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica. Edward Angel, Caps. 1, 2 e 7 Apontamentos CG

Cor. Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica. Edward Angel, Caps. 1, 2 e 7 Apontamentos CG Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica Cor Edward Angel, Caps. 1, 2 e 7 Apontamentos CG Sumário Teoria da Cor Conceitos básicos Modelação da Cor Modelos de Cor Reprodução

Leia mais

7. Color Image Processing

7. Color Image Processing Transformação de níveis de cinza para cor a idéia por trás desta técnica é executar 3 transformações independentes sobre níveis de cinza dos pixels de uma imagem de entrada. Cada cor é transformada independentemente

Leia mais

PROGRAMAÇÃO VISUAL COR. Prof. Carlos Café Dias

PROGRAMAÇÃO VISUAL COR. Prof. Carlos Café Dias PROGRAMAÇÃO VISUAL COR Prof. Carlos Café Dias O mundo à nossa volta é repleto de cores, mas tudo está na nossa cabeça, é ativado em nós. Experimentamos as cores por apenas um sentido: a visão. As cores

Leia mais

5.1. Auto-ajuste. Ferramenta 1: Auto-ajuste de imagem. 96 Manual SilverFast

5.1. Auto-ajuste. Ferramenta 1: Auto-ajuste de imagem. 96 Manual SilverFast Ferramenta 1: Auto-ajuste de imagem Gradação automática A ferramenta Auto-ajuste, também chamada de Auto-gradação, é uma ferramenta adequada à obtenção de uma otimização rápida de imagem. A função analisa

Leia mais

Curso de Bacharelado em Design de Moda. Cor aplicada ao Design Claudia Albert Aula 1

Curso de Bacharelado em Design de Moda. Cor aplicada ao Design Claudia Albert Aula 1 Curso de Bacharelado em Design de Moda Cor aplicada ao Design Claudia Albert Aula 1 Material 1. Papel A4 2. Um pacote A4 de papel color set 3. Lápis de cor ou caneta colorida ou pastel 4. Tesoura 5. Cola

Leia mais

VISÃO COMPUTACIONAL. Nielsen Castelo Damasceno

VISÃO COMPUTACIONAL. Nielsen Castelo Damasceno VISÃO COMPUTACIONAL Nielsen Castelo Damasceno Visão Computacional A visão computacional lida com o desenvolvimento de bases teóricas e algorítmicas para as quais informações úteis do mundo real 3D podem

Leia mais

Técnicas Básicas de Compressão de Vídeo

Técnicas Básicas de Compressão de Vídeo Aula 11 Técnicas Básicas de Compressão de Vídeo Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa Universidade Federal Rural do Semiárido Departamento de Ciências Exatas e Naturais Curso de Ciência da Computação Introdução

Leia mais

Propriedades da Imagem Amostragem & Quantização (Quantificação) Histograma Imagem Colorida x Imagem Monocromática. Propriedades da Imagem

Propriedades da Imagem Amostragem & Quantização (Quantificação) Histograma Imagem Colorida x Imagem Monocromática. Propriedades da Imagem Proc. Imagem Prof. Júlio C. Klafke [1] TÓPICOS DESENVOLVIDOS NESTE MÓDULO PROCESSAMENTO DE IMAGEM #02 Propriedades da Imagem Amostragem & Quantização (Quantificação) Histograma Imagem Colorida x Imagem

Leia mais