EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA ESCOLARES COMO MÉTODO PARA MODIFICAÇÃO DA PREFERÊNCIA ALIMENTAR

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA ESCOLARES COMO MÉTODO PARA MODIFICAÇÃO DA PREFERÊNCIA ALIMENTAR"

Transcrição

1 EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA ESCOLARES COMO MÉTODO PARA MODIFICAÇÃO DA PREFERÊNCIA ALIMENTAR Aline Jabur Castilho(Acadêmica/UNICENTRO), Adriana Honaiser (ICV/ UNICENTRO), Caroline Christ (Acadêmica/UNICENTRO), Marcella Carolina Moura Bolognini (ICV/ UNICENTRO), Juliana Paula Mamus(Acadêmica/UNICENTRO), Priscilla Negrão de Moura (Orientadora), Universidade Estadual do Centro-Oeste/Setor de Ciências da Saúde Palavras-chave: Cardápio, Alimentação Saudável, Escolares, Educação Nutricional. Resumo O presente estudo teve como objetivo verificar a aceitação de alunos da educação infantil quanto a técnicas de educação nutricional, bem como verificar a modificação e aceitabilidade de cardápios. O estudo foi realizado em uma escola particular do Município de Pinhão (Paraná-Brasil). O objetivo das aulas de Educação Nutricional foi alcançado, uma vez que se percebeu notavelmente a mudança em relação às preferências alimentares. Introdução A alimentação saudável e completa é importante para a promoção da saúde, sobretudo dos organismos em fase de desenvolvimento, e para a prevenção e controle de doenças crônicas. Monteiro et al. (1995), referem que a razão entre prevalência de desnutrição e obesidade foi afetada entre 1974 e Em 1974, havia, na população infantil, mais de quatro desnutridos para um obeso e, em 1989, essa relação caiu para dois desnutridos para um obeso. Quanto à alimentação de crianças, estas merecem maior preocupação, pois necessitam de oferta equilibrada de nutrientes devido à fase de crescimento e desenvolvimento (ALBIERO; ALVES, 2007). Os hábitos alimentares de um indivíduo são adquiridos em função de aspectos que envolvem o ambiente em que a pessoa vive. Na primeira infância, as experiências determinam preferências e hábitos, gerando o comportamento alimentar (VIANNA, 2003). O comportamento na idade adulta irá depender da educação na infância, sendo assim, destaca-se que a educação direcionada às crianças poderá auxiliar nos seus hábitos alimentares (MOTTA et al., 1991). Segundo Philippi (2003), pais, educadores e profissionais da área de saúde, têm papel fundamental nos hábitos alimentares adequados, formando uma atitude coerente em relação à criança e aos alimentos. O ambiente escolar é ideal para que se realize um aconselhamento nutricional, uma vez que as crianças permanecem grande parte do dia neste local (SAUNDER; RAMALHO; LEAL, 2000; VIANNA, 2003). É de extrema

2 importância que a escola propicie condições para que crianças tenham acesso às informações sobre uma alimentação saudável (SAUNDER; RAMALHO; LEAL, 2000). O estudo teve por objetivo verificar a aceitação de alunos da educação infantil quanto a técnicas de educação nutricional, bem como verificar a modificação da preferência alimentar e aceitabilidade de cardápios. Materiais e Métodos O método utilizado foi o da pesquisa-ação, adaptado de Thiollent (1992), definido como uma estratégia de pesquisa, envolvendo a prestação de serviço, a observação sistemática, o diálogo com os sujeitos pesquisados, e o retorno aos sujeitos da elaboração teórica que o pesquisador faz. O estudo foi realizado em uma escola particular do Município de Pinhão (Paraná-Brasil). Na primeira etapa iniciou-se com a fase exploratória, na qual os autores permaneceram na instituição para tomar contato com o espaço, conhecendo-se também as equipes, programas e serviços prestados. Após, na segunda etapa, foi realizada a prestação de serviços, onde os pesquisadores passaram a trabalhar um período por semana na instituição, desenvolvendo atividades de educação nutricional. Nesta fase foram abordados os tipos de lanches desejados pelas crianças. Para a verificação dos resultados dos alimentos citados, estes foram agrupados conforme a pirâmide alimentar em açúcares, gorduras, leites, carboidratos e frutas. Foram realizadas em seguida atividades de Educação Nutricional como: teatro de fantoches sobre alimentação saudável, atividades individuais realizadas pelas crianças, confecção de máscaras de frutas, elaboração de salada de frutas com copos decorativos. Após as atividades de educação nutricional, novamente foi feita a elaboração do cardápio, seguindo o mesmo procedimento adotado anteriormente, podendo verificar e comparar as modificações presentes antes e depois de realizadas as atividades de Educação Nutricional. Resultados e Discussão Na elaboração do primeiro cardápio realizado pelas crianças, percebeu-se a preferência por frutas, em seguida por carboidratos, açúcares e gorduras, citados, e após o grupo dos leites. Notou-se grande aceitação no grupo das frutas e gorduras, açúcares e carboidratos. Segundo Novaes et al (2007), os hábitos inadequados podem ser observados principalmente na infância, podendo ser resultado da ingestão de grande quantidade de energia e gordura, levando a obesidade.

3 Na primeira abordagem às crianças, com atividades de educação nutricional, notou-se suas preferências por alimentos pouco saudáveis. No teatro de fantoches houve grande interação e, em outras atividades percebeu-se grande esforço em sua realização. No encontro posterior notouse a interação de todos, principalmente nas atividades práticas, como a elaboração da salada de frutas. As crianças possuem um aprendizado muito bom no que diz respeito à alimentação saudável, fato observado quando se questionou sobre o que elas se lembravam de terem aprendido na semana anterior. A educação para a saúde é uma ferramenta de medidas que podem induzir as atitudes da população promovendo a saúde e buscando a prevenção de doenças (NASCIMENTO E REZENDE, 1988). No último encontro, percebeu-se que as crianças assimilaram o assunto, pois durante a atividade falavam sobre alimentos saudáveis e ainda faziam questão de mostrar o que haviam trazido para o lanche. A formação de hábitos de alimentação saudável pode ser motivada através de atividades de educação nutricional que proporcionam os conhecimentos necessários para a formação dos mesmos (BOOG, 1999). Depois de terminadas as atividades de educação nutricional, os alimentos foram citados da seguinte forma nos cardápios: o grupo das frutas foi o mais citado, os carboidratos foram citados após as frutas, em seguida o grupo dos leites, merecendo destaque o grupo dos açúcares, o qual teve redução na escolha, mas ainda permaneceu na preferência de algumas crianças, e o grupo das gorduras que não foi citado por nenhuma criança.

4 Gráfico 1- Escolha Alimentar dos Escolares nos diferentes cardápios. O gráfico 1,compara a aplicação do cardápio antes (cardápio 1) e após as atividades de educação nutricional (cardápio 2), mostrando a escolha alimentar das crianças. Pode-se verificar através do gráfico, que após as atividades de educação nutricional realizadas, a composição dos cardápios esteve de forma diferenciada, mostrando uma maior importância aos alimentos saudáveis na segunda aplicação. Houve uma melhora significativa no segundo cardápio, visto que a qualidade ficou muito evidenciada, ressaltando que o grupo das gorduras não foi mencionado por nenhum aluno no segundo cardápio. Ramalho e Saunders (2000) consideram que a educação nutricional é essencial no desenvolvimento de técnicas que podem levar a mudanças nos hábitos alimentares. Conclusões Percebeu-se notavelmente a mudança em relação às preferências alimentares das crianças. A educação nutricional se torna cada vez mais importante para a formação dos hábitos alimentares, principalmente em crianças. A adoção de práticas educativas no meio escolar é de grande importância, principalmente nas séries iniciais, pois é nesta fase que estão sendo formados os hábitos alimentares que poderão persistir na vida adulta. Referências Albiero, K. A; Alves, F. S. Formação e desenvolvimento de hábitos alimentares em crianças pela educação nutricional. Revista Nutrição em Pauta, São Paulo, 2007, 15, 82. Boog, M.C.F. Educação nutricional em serviços públicos de saúde. Cad. Saúde Públ., Rio de Janeiro, 1999, 15, 2. Monteiro, C. A; Mondini, L; Souza, A. L. M. & Popkin, B. M. Da desnutrição para a obesidade: A transição nutricional no Brasil. In: Velhos e Novos Males da Saúde no Brasil: A Evolução do País e de suas Doenças (C. A. Monteiro, org.), pp , São Paulo: Editora Hucitec. Motta, D.G.D.A, & Boog, M.C.F. Educação nutricional. São Paulo: IBRASA, 1991, Nascimento, E. S; Rezende, A. L. M. Criando histórias, aprendendo saúde. São Paulo: Cortez, p. Novaes, J. F; Franceschini, S. C. C; Priore, S. E. Hábitos alimentares de crianças eutróficas e com sobrepeso em Viçosa, Minas Gerais, Brasil. Rev. Nutr., Campinas, 2007, 20(6): Philippi,S. T; Cruz, A. T. R;Colucci, A. C. A. Pirâmide alimentar para crianças de 2 a 3 anos. Revista de Nutrição da PUCCAMP, Campinas, 2003, 16, 1.

5 Ramalho, R.A; Saunders, C. O papel da educação nutricional no combate às carências nutricionais. Revista de Nutrição. 2000; 13:11 6. Saunder, C; Ramalho, R. A; Leal, M.C. O papel da educação nutricional no combate às carências nutricionais. Revista de nutrição. São Paulo, 2000, 13. Thiollent, M; Crítica Metodológica, Investigação Social e Enquete Operária. 3 a Ed., São Paulo: Editora Polis, Vianna, A. P. S. A análise da multimídia como ferramenta auxiliar ao processo cognitivo promovido através da educação nutricional em obesos. Tese de mestrado Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2003.

TRABALHANDO A BOA ALIMENTAÇÃO NAS FASES INICIAIS DA VIDA RESUMO

TRABALHANDO A BOA ALIMENTAÇÃO NAS FASES INICIAIS DA VIDA RESUMO TRABALHANDO A BOA ALIMENTAÇÃO NAS FASES INICIAIS DA VIDA Ana Paula Scherer de Brum* Valéria Grifante** RESUMO Este projeto buscou acompanhar o estado nutricional das crianças e contribuir para o planejamento

Leia mais

NUTRIÇÃO, OBESIDADE E A BOA ALIMENTAÇÃO NAS FASES INICIAIS DA VIDA RESUMO

NUTRIÇÃO, OBESIDADE E A BOA ALIMENTAÇÃO NAS FASES INICIAIS DA VIDA RESUMO NUTRIÇÃO, OBESIDADE E A BOA ALIMENTAÇÃO NAS FASES INICIAIS DA VIDA Ana Paula Scherer de Brum* Mauro Souza** Sabrina Roberta Wagner*** RESUMO A alimentação adequada é imprescindível em qualquer idade, no

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL RESUMO

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL RESUMO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Ana Paula Scherer de Brum* Patrícia Wolf** Paula Masiero*** RESUMO Para termos um corpo e uma mente sadia, devemos ter uma alimentação saudável, com propriedades que ajudam no desenvolvimento

Leia mais

XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS. Janaína V. dos S. Motta

XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS. Janaína V. dos S. Motta XIV Encontro Nacional de Rede de Alimentação e Nutrição do SUS Janaína V. dos S. Motta EPIDEMIOLOGIA NUTRICIONAL Relatório Mundial de Saúde 1) Água contaminada e falta de saneamento; 2) Uso de combustíveis

Leia mais

Movimento e alimento. Eliane Petean Arena Nutricionista

Movimento e alimento. Eliane Petean Arena Nutricionista Movimento e alimento Eliane Petean Arena Nutricionista Todos nós necessitamos de atividades físicas, o nosso corpo foi feito para se movimentar. O desenvolvimento da criança é um processo contínuo e dinâmico,

Leia mais

INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB

INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB INSEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DE TRABALHADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE JOÃO PESSOA - PB Lindemberg Medeiros de Araújo Evi Clayton de Lima Brasil TRANSIÇÃO NUTRICIONAL: CAUSAS, SIGNIFICADOS, EFEITOS

Leia mais

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO PLANO DE ESTÁGIO

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO PLANO DE ESTÁGIO FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO PLANO DE ESTÁGIO 2013.1 DADOS DO ESTÁGIO CÓDIGO ÁREA CARGA HORÁRIA PERÍODO HORÁRIO Nutrição Social 230h 7 7h30 às 12h30 SUPERVISOR(A) Eliete

Leia mais

INFLUÊNCIA NO CONSUMO DE HORTALIÇAS EM ESCOLAS NO MUNICÍPIO DE AREIA-PB

INFLUÊNCIA NO CONSUMO DE HORTALIÇAS EM ESCOLAS NO MUNICÍPIO DE AREIA-PB UFPB-PRAC XIV Encontro de INFLUÊNCIA NO CONSUMO DE HORTALIÇAS EM ESCOLAS NO MUNICÍPIO DE AREIA-PB SILVA, André Raimundo 1 GOMES, Mayara Germana dos Santos 2 SANTOS, Fábio Araujo 2 SOARES, Francisco Jeane

Leia mais

NUTRIÇÃO NA TERCEIRA IDADE. Como ter uma vida mais saudável comendo bem.

NUTRIÇÃO NA TERCEIRA IDADE. Como ter uma vida mais saudável comendo bem. NUTRIÇÃO NA TERCEIRA IDADE Como ter uma vida mais saudável comendo bem. IDADE X NUTRIÇÃO Depois dos 65 anos, o processo de envelhecimento naturalmente acelera e afeta a saúde. Com isso, um dos cuidados

Leia mais

EXPERIMENTAÇÃO CIENTÍFICA: ANALISANDO A MERENDA ESCOLAR COM PRÁTICAS DE BIOQUÍMICA NUTRICIONAL EM ESCOLAS DE ENSINO MÉDIO DE REDENÇÃO

EXPERIMENTAÇÃO CIENTÍFICA: ANALISANDO A MERENDA ESCOLAR COM PRÁTICAS DE BIOQUÍMICA NUTRICIONAL EM ESCOLAS DE ENSINO MÉDIO DE REDENÇÃO EXPERIMENTAÇÃO CIENTÍFICA: ANALISANDO A MERENDA ESCOLAR COM PRÁTICAS DE BIOQUÍMICA NUTRICIONAL EM ESCOLAS DE ENSINO MÉDIO DE REDENÇÃO Jossiane de Oliveira Lima, Nailda Moraes Dantas, Márcia Barbosa de

Leia mais

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE)

ENTENDENDO O CARDÁPIO. Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) ENTENDENDO O CARDÁPIO Centro Colaborador de Alimentação e Nutrição do Escolar (CECANE) O que é um cardápio? CARDÁPIO DO PNAE É a relação das preparações de alimentos a serem oferecidas em uma refeição.

Leia mais

OS EFEITOS POSITIVOS DA PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA PARA A SAÚDE RESUMO

OS EFEITOS POSITIVOS DA PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA PARA A SAÚDE RESUMO OS EFEITOS POSITIVOS DA PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA PARA A SAÚDE Acadêmico: Daniel Nunes Professoras Orientadoras: Elis Regina Frigeri e Sandra Fachineto RESUMO O esporte como conteúdo da Educação Física

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS PREFERÊNCIAS ALIMENTARES DOS ESCOLARES DA E.M.E.F.I PADRE AUGUSTO DALCIN DE PINHEIRINHO DO VALE - RS

AVALIAÇÃO DAS PREFERÊNCIAS ALIMENTARES DOS ESCOLARES DA E.M.E.F.I PADRE AUGUSTO DALCIN DE PINHEIRINHO DO VALE - RS AVALIAÇÃO DAS PREFERÊNCIAS ALIMENTARES DOS ESCOLARES DA E.M.E.F.I PADRE AUGUSTO DALCIN DE PINHEIRINHO DO VALE - RS Arléia Maria GASSEN 1, Raquel PILETTI 2 Palavras-chave: alimentação, criança, saúde. INTRODUÇÃO

Leia mais

Desenhos dos estudos de Epidemiologia Nutricional Analítica

Desenhos dos estudos de Epidemiologia Nutricional Analítica Desenhos dos estudos de Epidemiologia Nutricional Analítica Estudo experimental ou de intervenção Estudo transversal ou seccional. Estudo caso-controle. Estudo de coorte ou longitudinal. ESTUDO EXPERIMENTAL

Leia mais

ALIMENTAÇÃO E SAÚDE 1 - A RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO E SAÚDE

ALIMENTAÇÃO E SAÚDE 1 - A RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO E SAÚDE Alimentação e Saúde ALIMENTAÇÃO E SAÚDE 1 - A RELAÇÃO ENTRE A ALIMENTAÇÃO E SAÚDE Todo ser vivo precisa se alimentar para viver. A semente, ao ser plantada, precisa ser adubada e molhada todos os dias

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE PLANO DE ENSINO Unidade Universitária: CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE Curso: EDUCAÇÃO FISICA Núcleo Temático: Disciplina:

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONCEPÇÃO DO USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS ENTRE ALUNOS DE ESCOLA PÚBLICA EM NATAL/RN

A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONCEPÇÃO DO USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS ENTRE ALUNOS DE ESCOLA PÚBLICA EM NATAL/RN A INFLUÊNCIA DA MÍDIA NA CONCEPÇÃO DO USO DE SUPLEMENTOS ESPORTIVOS ENTRE ALUNOS DE ESCOLA PÚBLICA EM NATAL/RN Victor Henrique dos Santos Silva 1 ; Adriana Moura de Lima 2 Resumo: Perante a abordagem da

Leia mais

Período de Realização. De 3 de julho à 15 de setembro de População em geral. Sujeitos da Ação

Período de Realização. De 3 de julho à 15 de setembro de População em geral. Sujeitos da Ação Objetivos: Pesquisa Nacional sobre Saúde e Nutrição PNSN (1989) O objetivo central desta pesquisa foi apurar os indicadores da situação nutricional da população brasileira. Procurou-se observar quem eram

Leia mais

Alinhamento Visão Geral

Alinhamento Visão Geral Alinhamento Visão Geral O programa nacional Juntos Contamos inspira uma vida ativa e saudável. Escolas, membros da comunidade e empresas locais se uniram para promover hábitos saudáveis. Juntos, capacitam

Leia mais

Marque a opção do tipo de trabalho que está inscrevendo: ( x ) Resumo ( ) Relato de Caso

Marque a opção do tipo de trabalho que está inscrevendo: ( x ) Resumo ( ) Relato de Caso Marque a opção do tipo de trabalho que está inscrevendo: ( x ) Resumo ( ) Relato de Caso Projeto Horta escolar e a gastronomia em uma escola Municipal de Montauri-RS. AUTOR PRINCIPAL: Ana Rita Toffoli

Leia mais

Erly Catarina de Moura NUPENS - USP

Erly Catarina de Moura NUPENS - USP Erly Catarina de Moura NUPENS - USP erlycm@usp.br Evolução do estado nutricional de homens, 1974-1975, 1989, 2002-2003, Brasil déficit de peso sobrepeso obesidade eutrofia 100% 80% 60% 40% 20% 0% 1974-75

Leia mais

REEDUCAÇÃO ALIMENTAR NAS ESCOLAS URBANAS DO MUNICÍPIO DE LAGES, SC. Cristiane Pellizzaro Batalha, Mestre, CAV UDESC,

REEDUCAÇÃO ALIMENTAR NAS ESCOLAS URBANAS DO MUNICÍPIO DE LAGES, SC. Cristiane Pellizzaro Batalha, Mestre, CAV UDESC, REEDUCAÇÃO ALIMENTAR NAS ESCOLAS URBANAS DO MUNICÍPIO DE LAGES, SC Cristiane Pellizzaro Batalha, Mestre, CAV UDESC, a2cpb@cav.udesc.br Daiane de Souza Bueno, acadêmica de Agronomia, CAV UDESC, dayah_bueno@hotmail.com

Leia mais

EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRIÇÃO EM UMA PERSPECTIVA INOVADORA

EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRIÇÃO EM UMA PERSPECTIVA INOVADORA EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRIÇÃO EM UMA PERSPECTIVA INOVADORA Cryslânia da Costa Farias 1; Elisabete Januário de Alencar 2 ; Raissa Alcantara Soares 3 ; Juliana Moura Nascimento 4.. 1 Universidade Estadual

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS HÁBITOS ALIMENTARES E CUIDADO DA SAÚDE DE ESCOLARES DE UMA REDE PÚBLICA DE ENSINO EM RECIFE- PERNAMBUCO

AVALIAÇÃO DOS HÁBITOS ALIMENTARES E CUIDADO DA SAÚDE DE ESCOLARES DE UMA REDE PÚBLICA DE ENSINO EM RECIFE- PERNAMBUCO AVALIAÇÃO DOS HÁBITOS ALIMENTARES E CUIDADO DA SAÚDE DE ESCOLARES DE UMA REDE PÚBLICA DE ENSINO EM RECIFE- PERNAMBUCO Dayane de Melo Barros (1); Isla Ariadny Amaral de Souza Gonzaga (1); Liderlanio de

Leia mais

COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE ESCOLARES EM RELAÇÃO A FRUTAS E HORTALIÇAS 1

COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE ESCOLARES EM RELAÇÃO A FRUTAS E HORTALIÇAS 1 COMPORTAMENTO ALIMENTAR DE ESCOLARES EM RELAÇÃO A FRUTAS E HORTALIÇAS 1 NÖRNBERG, Marcele Leal 2 ; PAPALIA, Jéssica 2 ; EINLOFT, Fabiana 2 ; CASARIN, Gleica 2 ; ANNES, Thais 2 ; VANHOVE, Nathalia 2 ; STORCK,

Leia mais

Componente Curricular: Princípios Básicos da Nutrição. Pré-requisito: Titulação: Mestre em Meio Ambiente e Sustentabilidade. PLANO DE CURSO EMENTA

Componente Curricular: Princípios Básicos da Nutrição. Pré-requisito: Titulação: Mestre em Meio Ambiente e Sustentabilidade. PLANO DE CURSO EMENTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLÓGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA A u t o r i z a d o p e l a P o r t a r i a M E C n º 4 3 3 d e 2 1. 1 0. 1 1, D O U d e 2 4. 1 0. 1 1 Componente Curricular: Princípios Básicos da

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Tema Transversal: Cultivar e guardar a Criação Disciplina: Ciências / ESTUDOS AUTÔNOMOS Ano: 5º - Ensino Fundamental - Data: 28 / 8 / 2017 QUESTÃO 1 OBSERVE a imagem. a) CITE um

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA. Reconhecer que as atividades físicas regulares trazem benefícios à saúde. Habilidades afins - Interdisciplinaridad

EDUCAÇÃO FÍSICA. Reconhecer que as atividades físicas regulares trazem benefícios à saúde. Habilidades afins - Interdisciplinaridad Reconhecer que as atividades físicas regulares trazem benefícios à saúde. Interdisciplinaridad Ciências: Identificar os componentes do sistema esquelético e muscular; e Conhecer o impacto do tabagismo

Leia mais

Aluna do Curso de Graduação em Nutrição da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Unijuí,

Aluna do Curso de Graduação em Nutrição da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Unijuí, ALERTA SOBRE A QUANTIDADE DE AÇÚCAR,GORDURA E SÓDIO EM ALIMENTOS INDUSTRIALIZADOS PARA CRIANÇAS DO ENSINO FUNDAMENTAL1 1 ALERT ON THE QUANTITY OF SUGAR, FAT AND SODIUM IN INDUSTRIALIZED FOODS FOR CHILDREN

Leia mais

II SIEPS. Promoção de saúde no contexto escolar: um relato de experiência

II SIEPS. Promoção de saúde no contexto escolar: um relato de experiência XX ENFERMAIO II SIEPS I MOSTRA DO INTERNATO EM ENFERMAGEM Fortaleza - CE 23 a 25 de Maio de 2016 Promoção de saúde no contexto escolar: um relato de experiência Jakeline Oliveira Botelho¹, Carla Siebra

Leia mais

PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA PREVENÇÃO DA OBESIDADE ENTRE ESCOLARES DO MUNICÍPIO DE REDENÇÃO-CE.

PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA PREVENÇÃO DA OBESIDADE ENTRE ESCOLARES DO MUNICÍPIO DE REDENÇÃO-CE. PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA PREVENÇÃO DA OBESIDADE ENTRE ESCOLARES DO MUNICÍPIO DE REDENÇÃO-CE. Gutemberg dos Santos Chaves 1, Vivian Saraiva Veras 2, Ana Carolinna Correia Sales 3, Dara Cesário

Leia mais

V Jornada das Licenciaturas da USP/IX Semana da Licenciatura em Ciências Exatas - SeLic: A

V Jornada das Licenciaturas da USP/IX Semana da Licenciatura em Ciências Exatas - SeLic: A O ENSINO DE TEMAS RELACIONADOS COM ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO ATRAVÉS DE ATIVIDADES LÚDICAS Camila Filadelfo (bolsista de IC), Verónica Marcela Guridi (orientadora) Escola de Artes, Ciências e Humanidades

Leia mais

AÇÕES DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA. Palavras-chave: Educação Nutricional, escolares, alimentação.

AÇÕES DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA. Palavras-chave: Educação Nutricional, escolares, alimentação. AÇÕES DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Área Temática: Educação Adriana Masiero Kuhl (Coordenadora da Ação de Extensão) Palavras-chave: Educação Nutricional, escolares, alimentação. Adriana

Leia mais

Os escolares das Escolas Municipais de Ensino Fundamental

Os escolares das Escolas Municipais de Ensino Fundamental 16 Estado nutricional das crianças de 7 a 10 anos de idade do Município de Vinhedo (SP) em 2005 e 2008, segundo os critérios da Organização Mundial da Saúde (2007) Estela Marina Alves Boccaletto Doutoranda

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLÓGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de , DOU de

CURSO SUPERIOR DE TECNOLÓGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de , DOU de CURSO SUPERIOR DE TECNOLÓGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Autorizado pela Portaria MEC nº 433 de 21.10.11, DOU de 24.10.11 Componente Curricular: Princípios Básicos da Nutrição Código: Pré-requisito: Período

Leia mais

AVALIAÇÃO DA INGESTÃO DE CÁLCIO DAS CRIANÇAS DE UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE VIÇOSA 1

AVALIAÇÃO DA INGESTÃO DE CÁLCIO DAS CRIANÇAS DE UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE VIÇOSA 1 221 AVALIAÇÃO DA INGESTÃO DE CÁLCIO DAS CRIANÇAS DE UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE VIÇOSA 1 Jaqueline Miranda Lopes 2, Jacira Francisca Matias 2, Maria Aparecida Resende Marques 2, Vania Mayumi Nakajima

Leia mais

Campanha de sensibilização do pnase

Campanha de sensibilização do pnase São Tomé, 28 de Fevereiro de 2017. Campanha de sensibilização do pnase Em alusão a 1 de Março, Dia Africano da Alimentação Escolar, o Ministério da Educação Cultura de São Tomé e Príncipe dá início à campanha

Leia mais

AVALIAÇÃO IMC E DE CONSUMO DE ALIMENTOS FONTE DE PROTEÍNA, VITAMINA C E MAGNÉSIO POR ESCOLARES

AVALIAÇÃO IMC E DE CONSUMO DE ALIMENTOS FONTE DE PROTEÍNA, VITAMINA C E MAGNÉSIO POR ESCOLARES AVALIAÇÃO IMC E DE CONSUMO DE ALIMENTOS FONTE DE PROTEÍNA, VITAMINA C E MAGNÉSIO POR ESCOLARES RODRIGUES, Fernanda Nunes (UNITRI) nanda-nutricao@hotmail.com ARAÚJO, Ana Cristina Tomaz (UNITRI) anacrisnutricao@yahoo.com.br

Leia mais

TÍTULO: AUTORES: Justificativa

TÍTULO: AUTORES: Justificativa TÍTULO: CONDIÇÕES DE SAÚDE E NUTRIÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES, QUE PARTICIPAM DE TIMES DE FUTEBOL COMO PARTE DE UM PROJETO DE INCENTIVO À SOCIALIZAÇÃO REALIZADO PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA MG.

Leia mais

INFORMÁTICA NO ENSINO E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E SUPERIOR

INFORMÁTICA NO ENSINO E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E SUPERIOR INFORMÁTICA NO ENSINO E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E SUPERIOR Edilson Leite da Silva Universidade Federal de Campina Grande UFCG edilson.leite@cfp.ufcg.edu.br Introdução Ultimamente

Leia mais

3. Material e Métodos

3. Material e Métodos Avaliação do estado nutricional de escolares do ensino fundamental, composição química e aceitabilidade da merenda escolar ofertada por escolas públicas do município de Barbacena, MG. Natália Cristina

Leia mais

IV Jornada de Alimentação Escolar

IV Jornada de Alimentação Escolar IV Jornada de Alimentação Escolar INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CARDÁPIOS ESCOLARES: UMA PROPOSTA EM CONSTRUÇÃO Considerações Preliminares Trajetória da formação graduação em nutrição; Contexto profissional;

Leia mais

ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR DA EQUIPE DE SAÚDE DA FAMÍLIA NO ACOMPANHAMENTO DAS CRIANÇAS BENEFICIÁRIAS DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA

ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR DA EQUIPE DE SAÚDE DA FAMÍLIA NO ACOMPANHAMENTO DAS CRIANÇAS BENEFICIÁRIAS DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR DA EQUIPE DE SAÚDE DA FAMÍLIA NO ACOMPANHAMENTO DAS CRIANÇAS BENEFICIÁRIAS DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA Sabrina Alves Ribeiro Barra, Bruna Carneiro Silva, Roberta Lopes Kalrburger,

Leia mais

Desde 2008 o MUN-Si já desenvolveu atividades em 16 Municípios atingindo cerca de crianças e suas famílias.

Desde 2008 o MUN-Si já desenvolveu atividades em 16 Municípios atingindo cerca de crianças e suas famílias. O Programa MUN-SI é coordenado pelo CEIDSS (Centro de Estudos e Investigação em Dinâmicas Sociais e Saúde) e congrega a atuação das autarquias com a iniciativa da Academia e de investigadores com o apoio

Leia mais

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA PROJETO APRENDENDO A SER CRIANÇA : UM RELATO DE EXPERIÊNCIA 1

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA PROJETO APRENDENDO A SER CRIANÇA : UM RELATO DE EXPERIÊNCIA 1 EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA PROJETO APRENDENDO A SER CRIANÇA : UM RELATO DE EXPERIÊNCIA 1 Ana Paula Griep Assmann 2, Andrea Juliana Bernd Lima E Silva 3, Fernanda Rosa 4, Jaquieli Sanagiotto 5, Luana

Leia mais

O comportamento alimentar e as rejeições e aversões alimentares de estudantes adolescentes de escolas públicas e privadas de Teresina-PI.

O comportamento alimentar e as rejeições e aversões alimentares de estudantes adolescentes de escolas públicas e privadas de Teresina-PI. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENADORIA GERAL DE PESQUISA Iniciação Científica Voluntária - ICV Campus Universitário Ministro Petrônio

Leia mais

Preocupação com a alimentação saudável

Preocupação com a alimentação saudável Preocupação com a alimentação saudável Projeto: Nossa alimentação nossa vida Você cuida da sua alimentação? Nosso objetivo é conhecer os alimentos e incentivar as pessoas a comerem alimentos mais saudáveis.

Leia mais

RELATO DE EXPERIENCIA DE ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL REALIZADA EM UMA ESCOLA. 1

RELATO DE EXPERIENCIA DE ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL REALIZADA EM UMA ESCOLA. 1 RELATO DE EXPERIENCIA DE ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL REALIZADA EM UMA ESCOLA. 1 Lane Karina Jülg 2, Eilamaria Libardoni Vieira 3, Camila Lenhart Vargas 4. 1 Trabalho realizado na disciplina Estágio

Leia mais

Cantinas Escolares Saudáveis

Cantinas Escolares Saudáveis PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NO AMBIENTE ESCOLAR: Cantinas Escolares Saudáveis Patrícia Constante Jaime Coordenadora-Geral de Alimentação e Nutrição/DAB/SAS/MS Fortaleza, 25 de outubro de 2012 TÓPICOS

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: RELAÇÃO ENTRE INATIVIDADE FÍSICA E ÍNDICE DE MASSA CORPORAL EM CRIANÇAS DA REDE MUNICIPAL DE VITÓRIA DE SANTO ANTÃO PE.

EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: RELAÇÃO ENTRE INATIVIDADE FÍSICA E ÍNDICE DE MASSA CORPORAL EM CRIANÇAS DA REDE MUNICIPAL DE VITÓRIA DE SANTO ANTÃO PE. EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: RELAÇÃO ENTRE INATIVIDADE FÍSICA E ÍNDICE DE MASSA CORPORAL EM CRIANÇAS DA REDE MUNICIPAL DE VITÓRIA DE SANTO ANTÃO PE. RAMON WAGNER BARBOSA DE HOLANDA PABLO RUDÁ FERREIRA BARROS

Leia mais

, Considerando Considerando Considerando Considerando Considerando Considerando

, Considerando Considerando Considerando Considerando Considerando Considerando RESOLUÇÃO CNS Nº O Plenário do Conselho Nacional de Saúde, em sua 192ª Reunião Ordinária, realizada nos dias 10 e 11 de dezembro de 2008, no uso de suas competências regimentais e atribuições conferidas

Leia mais

PROMOÇÃO DE SAÚDE NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA RESUMO

PROMOÇÃO DE SAÚDE NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA RESUMO PROMOÇÃO DE SAÚDE NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA Acadêmicas: Amanda Luiza Rauber Godinho Lucilla Joceli Waschburger Professoras Orientadoras: Sandra Fachineto e Elis Regina Frigeri RESUMO O estágio Curricular

Leia mais

Frutas, Legumes e Verduras

Frutas, Legumes e Verduras Frutas, Legumes e Verduras Revisão da PNAN 26 seminários estaduais + 1 nacional (2010) Parceria com CIAN/CNS PNAN pactuada e aprovada na Reunião Ordinária da CIT 27 de outubro de 2011 Portaria nº 2.715,

Leia mais

AS DESNUTRIDAS: As peripécies para trabalhar com famílias em grupo. O Programa Hora de Comer:

AS DESNUTRIDAS: As peripécies para trabalhar com famílias em grupo. O Programa Hora de Comer: FAMÍLIAS COM CRIANÇAS AS DESNUTRIDAS: As peripécies para trabalhar com famílias em grupo. CENTRO DE SAÚDE SACO GRANDE NEPEPS - UFSC BOEHS, Astrid Eggert* STEFANES, Camila** DAMIANI, Cinthya Búrigo*** AQUINO,

Leia mais

Referencial de Educação para a Saúde

Referencial de Educação para a Saúde www.nutrimento.pt Referencial de Educação para a Saúde Para que serve? É uma ferramenta educativa que pode ser adaptada, desde a educação pré-escolar ao ensino secundário, por todas as instituições que

Leia mais

APRENDIZAGEM DE UM GRUPO DE IDOSOS SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL POR RESIDENTES MULTIPROFISSIONAIS: EXPERIÊNCIA EM SERVIÇO

APRENDIZAGEM DE UM GRUPO DE IDOSOS SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL POR RESIDENTES MULTIPROFISSIONAIS: EXPERIÊNCIA EM SERVIÇO APRENDIZAGEM DE UM GRUPO DE IDOSOS SOBRE ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL POR RESIDENTES MULTIPROFISSIONAIS: EXPERIÊNCIA EM SERVIÇO Tainah Pessoa Cabral 1 ; Lourdes Michele Duarte de Morais 2 ; Paloma Katlheen Moura

Leia mais

Projecto Obesidade Zero (POZ) Carvalho MA, Ramos C, Breda J, Rito A

Projecto Obesidade Zero (POZ) Carvalho MA, Ramos C, Breda J, Rito A Projecto Obesidade Zero (POZ) Carvalho MA, Ramos C, Breda J, Rito A Obesidade Infantil Constitui um dos mais sérios desafios de saúde pública do séc. XXI 1-3 Tem um impacto, a curto e a longo prazo, em

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DE SOBREPESO E OBESIDADE NO ENSINO FUNDAMENTAL EM UMA ESCOLA PARTICULAR E UMA ESCOLA PÚBLICA DE FORTALEZA.

ANÁLISE COMPARATIVA DE SOBREPESO E OBESIDADE NO ENSINO FUNDAMENTAL EM UMA ESCOLA PARTICULAR E UMA ESCOLA PÚBLICA DE FORTALEZA. CONEXÃO FAMETRO: ÉTICA, CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE XII SEMANA ACADÊMICA ISSN: 2357-8645 ANÁLISE COMPARATIVA DE SOBREPESO E OBESIDADE NO ENSINO FUNDAMENTAL EM UMA ESCOLA PARTICULAR E UMA ESCOLA PÚBLICA

Leia mais

REEDUCAÇÃO ALIMENTAR EM ESCOLAS URBANAS NUTRITIONAL EDUCATION IN URBAN SCHOOLS

REEDUCAÇÃO ALIMENTAR EM ESCOLAS URBANAS NUTRITIONAL EDUCATION IN URBAN SCHOOLS REEDUCAÇÃO ALIMENTAR EM ESCOLAS URBANAS NUTRITIONAL EDUCATION IN URBAN SCHOOLS Cristiane Pellizzaro Batalha Professora do Departamento de Produção Animal e Alimentos, Universidade do Estado de Santa Catarina/UDESC,

Leia mais

PARALISIA CEREBRAL: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA ACERCA DA INCLUSÃO ESCOLAR

PARALISIA CEREBRAL: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA ACERCA DA INCLUSÃO ESCOLAR EDUCAÇÃO FÍSICA E PARALISIA CEREBRAL: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA ACERCA DA INCLUSÃO ESCOLAR Gabrielle Cristina Sanchez Adriana Garcia Gonçalves São Carlos - UFSCar Eixo Temático: 9 Pesquisa e Inovação Metodológica

Leia mais

Palavras-chave: Guia Alimentar. Alimentos naturais. Alimentos ultraprocessados.

Palavras-chave: Guia Alimentar. Alimentos naturais. Alimentos ultraprocessados. APLICANDO OS 10 PASSOS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PROPOSTOS PELO NOVO GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA Elenilma Barros da Silva (FIBRA) RESUMO: O objetivo foi realizar abordagem educativa

Leia mais

Unidade: APLICAÇÃO DAS RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS NO PLANEJAMENTO DE DIETAS. Unidade I:

Unidade: APLICAÇÃO DAS RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS NO PLANEJAMENTO DE DIETAS. Unidade I: Unidade: APLICAÇÃO DAS RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS NO PLANEJAMENTO DE DIETAS Unidade I: 0 Unidade: APLICAÇÃO DAS RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS NO PLANEJAMENTO DE DIETAS ESTUDO DAS RECOMENDAÇÕES NUTRICIONAIS

Leia mais

Colégio F3: FOOD, FARMING & FORESTRY. FF 15 junho 2016

Colégio F3: FOOD, FARMING & FORESTRY. FF 15 junho 2016 Colégio F3: FOOD, FARMING & FORESTRY FF 15 junho 2016 A Saúde e o Bem-Estar nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável QUAIS AS TEMÁTICAS PRIORITÁRIAS, NA PERSPETIVA DOS PARTICIPANTES NO EVENTO? O papel

Leia mais

O CAFÉ DA MANHÃ E SUA RELAÇÃO COM O DESENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS EM IDADE ESCOLAR

O CAFÉ DA MANHÃ E SUA RELAÇÃO COM O DESENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS EM IDADE ESCOLAR O CAFÉ DA MANHÃ E SUA RELAÇÃO COM O DESENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS EM IDADE ESCOLAR MENDES, E. C. V; PIRES, P. C; PAGNAN, M. F. Resumo: A criança bem alimentada mostra disposição ao desenvolver suas habilidades.

Leia mais

Perfil socioeconômico e nutricional das crianças inscritas no programa de suplementação alimentar do Centro Municipal de Saúde Manoel José Ferreira

Perfil socioeconômico e nutricional das crianças inscritas no programa de suplementação alimentar do Centro Municipal de Saúde Manoel José Ferreira Perfil socioeconômico e nutricional das crianças inscritas no programa de suplementação alimentar do Centro Municipal de Saúde Manoel José Ferreira Juliana Mayo Helena Recht Pombo 1 Sandra M. M. Rodrigues

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA ESCOLA: UM TEMA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE.

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA ESCOLA: UM TEMA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE. ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA ESCOLA: UM TEMA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE. Lídia Maria Oliveira de Souza 1 Centro Universitário La Salle UNILASALLE 1 Mestranda em Saúde e Desenvolvimento Humano - UNILASALLE. Email:

Leia mais

Desenvolvendo o Pensamento Matemático em Diversos Espaços Educativos A MATEMÁTICA EM SITUAÇÕES QUE ENGLOBAM ALIMENTAÇÃO E SAÚDE

Desenvolvendo o Pensamento Matemático em Diversos Espaços Educativos A MATEMÁTICA EM SITUAÇÕES QUE ENGLOBAM ALIMENTAÇÃO E SAÚDE A MATEMÁTICA EM SITUAÇÕES QUE ENGLOBAM ALIMENTAÇÃO E SAÚDE Modelagem e Educação Matemática (MEM) GT 4 Ângela Tereza Silva de SOUZA Universidade Federal da Paraíba anjinhatereza@hotmail.com RESUMO Neste

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CONSUMO ALIMENTAR DE MULHERES QUE REALIZAM MASSAGENS COM FINALIDADE DE EMAGRECIMENTO

AVALIAÇÃO DO CONSUMO ALIMENTAR DE MULHERES QUE REALIZAM MASSAGENS COM FINALIDADE DE EMAGRECIMENTO AVALIAÇÃO DO CONSUMO ALIMENTAR DE MULHERES QUE REALIZAM MASSAGENS COM FINALIDADE DE EMAGRECIMENTO SOUZA, P. R.; LOURIVAL, N. B. S. Resumo: Procedimentos estéticos devem estar associados a uma alimentação

Leia mais

ETHANOL SUMMIT 2017 PAINEL. Açúcar: O Consumo Equilibrado Como Melhor Escolha. São Paulo junho/17

ETHANOL SUMMIT 2017 PAINEL. Açúcar: O Consumo Equilibrado Como Melhor Escolha. São Paulo junho/17 ETHANOL SUMMIT 2017 PAINEL Açúcar: O Consumo Equilibrado Como Melhor Escolha São Paulo junho/17 Estudo VIGITEL 2016* do Ministério da Saúde aponta: brasileiros trocam alimentos naturais por industrializados

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO (ID) [ ] ( ) Questionário [ ] ( ) Entrevistador (bolsista)

Leia mais

O Glúten é realmente um vilão?

O Glúten é realmente um vilão? UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ALIMENTOS E NUTRIÇÃO (PPGAN) Ciclo de Palestras O Glúten é realmente um vilão? Verônica Mayrinck Nov/2015 Veremos no Ciclo

Leia mais

DISCUTINDO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL COM ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA

DISCUTINDO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL COM ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA DISCUTINDO ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL COM ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA Ana Paula Scherer de Brum* Julia Fabian** Sabrina Antunes Abrão** Érica Mundin Karnal** Kauane Walter** RESUMO A mudança do perfil nutricional

Leia mais

A ESCOLA PROMOVENDO HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS: TRABALHANDO OS ALIMENTOS FUNCIONAIS EM SALA DE AULA

A ESCOLA PROMOVENDO HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS: TRABALHANDO OS ALIMENTOS FUNCIONAIS EM SALA DE AULA A ESCOLA PROMOVENDO HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS: TRABALHANDO OS ALIMENTOS FUNCIONAIS EM SALA DE AULA Angélica Sousa Santos (1); Noalixon Faustino de Oliveira (2); Ana Paula Martins Santos (3); Maria

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE O CUIDADO COM ALIMENTAÇÃO DOS IDOSOS QUE PERTENCEM AO GRUPO DE HIPERDIA: EXPERIÊNCIA EM SERVIÇO.

ORIENTAÇÃO SOBRE O CUIDADO COM ALIMENTAÇÃO DOS IDOSOS QUE PERTENCEM AO GRUPO DE HIPERDIA: EXPERIÊNCIA EM SERVIÇO. ORIENTAÇÃO SOBRE O CUIDADO COM ALIMENTAÇÃO DOS IDOSOS QUE PERTENCEM AO GRUPO DE HIPERDIA: EXPERIÊNCIA EM SERVIÇO. Paloma Katlheen Moura Melo (1); Lourdes Michele Duarte de Morais (2); Tainah Pessoa Cabral

Leia mais

DIMENSÕES SOCIAIS DA VIDA NO PROCESSO DE SAÚDE/DOENÇA: UMA ANÁLISE SOBRE A CIRURGIA BARIÁTRICA

DIMENSÕES SOCIAIS DA VIDA NO PROCESSO DE SAÚDE/DOENÇA: UMA ANÁLISE SOBRE A CIRURGIA BARIÁTRICA A obesidade é um fenômeno que ocorre na humanidade desde muito tempo, porém sua dimensão nunca havia alcançado proporções tão grandes como é a atual (MOURA; PASCHOAL, 2009). As causas para explicar esse

Leia mais

O USO DO STOP MOTION COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA TORNAR MAIS LÚDICO O ENSINO DE BIOQUÍMICA NO ENSINO MÉDIO

O USO DO STOP MOTION COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA TORNAR MAIS LÚDICO O ENSINO DE BIOQUÍMICA NO ENSINO MÉDIO O USO DO STOP MOTION COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA TORNAR MAIS LÚDICO O ENSINO DE BIOQUÍMICA NO ENSINO MÉDIO Hadassa Carolinny Soares de Oliveira (UFPE/CAV) Gabriel Henrique de Lima (UFPE/CAV) Josely Alves

Leia mais

Flavia Ramos NUTRICIONISTA CRN:

Flavia Ramos NUTRICIONISTA CRN: Flavia Ramos NUTRICIONISTA CRN: 99100-2440 Educação Nutricional Infantil. Proposta inicial sujeita a alterações Definir: objetivo específico, frequência, tempo disponível total e diário, faixa etária a

Leia mais

Dieta refere-se aos hábitos alimentares individuais. Cada pessoa tem uma dieta específica. Cada cultura costuma caracterizar-se por dietas

Dieta refere-se aos hábitos alimentares individuais. Cada pessoa tem uma dieta específica. Cada cultura costuma caracterizar-se por dietas Dieta Dieta refere-se aos hábitos alimentares individuais. Cada pessoa tem uma dieta específica. Cada cultura costuma caracterizar-se por dietas particulares. Contudo, popularmente, o emprego da palavra

Leia mais

BLOG DA SAÚDE. Autores: Grazieli Ferreira da Rosa 1 ; Alessandra Domingues Malheiro 2 ; Ana Paula Saccol 3 ; Anderson de Souza 4 INTRODUCÃO

BLOG DA SAÚDE. Autores: Grazieli Ferreira da Rosa 1 ; Alessandra Domingues Malheiro 2 ; Ana Paula Saccol 3 ; Anderson de Souza 4 INTRODUCÃO BLOG DA SAÚDE Autores: Grazieli Ferreira da Rosa 1 ; Alessandra Domingues Malheiro 2 ; Ana Paula Saccol 3 ; Anderson de Souza 4 INTRODUCÃO Tendo o IFC a missão de proporcionar educação profissional comprometida

Leia mais

INTERVENÇÃO. Jogo Nutri-Nutri

INTERVENÇÃO. Jogo Nutri-Nutri INTERVENÇÃO Jogo Nutri-Nutri Por: Alice Lemos Costa CONTEXTUALIZAÇÃO A Nutrição é o processo de fornecimento de energia vital aos seres vivos. É também a ciência que investiga as relações entre o alimento

Leia mais

PREFEITURA DE OURO VERDE DO OESTE CAFÉ DA MANHÃ NA ESCOLA

PREFEITURA DE OURO VERDE DO OESTE CAFÉ DA MANHÃ NA ESCOLA PREFEITURA DE OURO VERDE DO OESTE CAFÉ DA MANHÃ NA ESCOLA OURO VERDE DO OESTE PR 2016 SUMÁRIO 1 INFORMAÇÕES... 2 2 DIAGNÓSTICO... 2 3 JUSTIFICATIVA... 2 4 DESCRIÇÃO... 3 5 OBJETIVOS... 3 5.1 OBJETIVO GERAL...

Leia mais

ARAÚJO, Lindemberg Medeiros 1 BRASIL, Evi Clayton Lima 2 PAIVA, Maria Paula 3 RESUMO

ARAÚJO, Lindemberg Medeiros 1 BRASIL, Evi Clayton Lima 2 PAIVA, Maria Paula 3 RESUMO EDUCAÇÃO NUTRICIONAL E SAÚDE NA ESCOLA ZÉ PEÃO - ORGANIZANDO O CONHECIMENTO DE EDUCADORES E EDUCANDOS A PARTIR DE SUAS PRÓPRIAS VIVÊNCIAS INDIVIDUAIS E COLETIVAS NA FAMÍLIA, NA COMUNIDADE E NO TRABALHO.

Leia mais

Incentivo à Alimentação Saudável. Julho de 2016

Incentivo à Alimentação Saudável. Julho de 2016 Incentivo à Alimentação Saudável Julho de 2016 Como é o hábito alimentar do brasileiro PERFIL ALIMENTAR DO ADULTO Apesar de incluir mais frutas e hortaliças na rotina, os brasileiros consomem doces e refrigerantes

Leia mais

PERFIL NUTRICIONAL DE CRIANÇAS EM ESCOLA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE PIRAQUARA NUTRITIONAL PROFILE OF PUBLIC SCHOOL CHILDREN IN THE TOWN OF PIRAQUARA

PERFIL NUTRICIONAL DE CRIANÇAS EM ESCOLA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE PIRAQUARA NUTRITIONAL PROFILE OF PUBLIC SCHOOL CHILDREN IN THE TOWN OF PIRAQUARA Descritores estado nutricional; merenda escolar; desnutrição infantil Descriptors nutritional status; school feeding; child nutrition disorders Biografia 1. Graduanda em - Faculdades Integradas do Brasil

Leia mais

A nutrição esportiva visa aplicar os conhecimentos de nutrição, bioquímica e fisiologia na atividade física e no esporte. A otimização da recuperação

A nutrição esportiva visa aplicar os conhecimentos de nutrição, bioquímica e fisiologia na atividade física e no esporte. A otimização da recuperação NUTRIÇÃO ESPORTIVA A nutrição esportiva visa aplicar os conhecimentos de nutrição, bioquímica e fisiologia na atividade física e no esporte. A otimização da recuperação pós-treino, melhora do desempenho

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. Projeto. Clube de Nutrição

Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos. Projeto. Clube de Nutrição Agrupamento de Escolas de Paço de Arcos Projeto Clube de Nutrição julho de 2013 1. Enquadramento A Obesidade é provavelmente o maior problema, relacionado com a saúde, que a sociedade moderna apresenta.

Leia mais

Nutrição Aplicada à Educação Física. Cálculo da Dieta e Recomendações dietéticas. Ismael F. Freitas Júnior Malena Ricci

Nutrição Aplicada à Educação Física. Cálculo da Dieta e Recomendações dietéticas. Ismael F. Freitas Júnior Malena Ricci Nutrição Aplicada à Educação Física Cálculo da Dieta e Recomendações dietéticas Ismael F. Freitas Júnior Malena Ricci ARROZ 100 gramas CÁLCULO DE DIETA CH 25,1 PT 2,0 Lip 1,2 Consumo 300 gramas 100 gr

Leia mais

NUTRIÇÃO DA CRIANÇA VISANDO A EDUCAÇÃO ALIMENTAR

NUTRIÇÃO DA CRIANÇA VISANDO A EDUCAÇÃO ALIMENTAR NUTRIÇÃO DA CRIANÇA VISANDO A EDUCAÇÃO ALIMENTAR Ana Lúcia Guedes da Silva 1 ; Vivian Rahmeier Fietz 2 1 Acadêmica do Curso de Enfermagem da UEMS, Unidade Universitária de Dourados; ana_lucia- 92@hotmail.com.

Leia mais

Obesidade Infantil. Nutrição & Atenção à Saúde. Grupo: Camila Barbosa, Clarisse Morioka, Laura Azevedo, Letícia Takarabe e Nathália Saffioti.

Obesidade Infantil. Nutrição & Atenção à Saúde. Grupo: Camila Barbosa, Clarisse Morioka, Laura Azevedo, Letícia Takarabe e Nathália Saffioti. Obesidade Infantil Nutrição & Atenção à Saúde Grupo: Camila Barbosa, Clarisse Morioka, Laura Azevedo, Letícia Takarabe e Nathália Saffioti. A Obesidade Infantil O Problema da Obesidade Infantil É uma doença

Leia mais

PERFIL DE CONSUMO ALIMENTAR DE IDOSOS EM UM CENTRO DE CONVIVÊNCIA DE NATAL/RN

PERFIL DE CONSUMO ALIMENTAR DE IDOSOS EM UM CENTRO DE CONVIVÊNCIA DE NATAL/RN PERFIL DE CONSUMO ALIMENTAR DE IDOSOS EM UM CENTRO DE CONVIVÊNCIA DE NATAL/RN INTRODUÇÃO Aline Lopes Marques de Sousa; Renata Nayane Fernandes dos Santos. Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência

Leia mais

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO FUNDADOR PROF. EDILSON BRASIL SOÁREZ. O Colégio que ensina o aluno a estudar. ALUNO(A): TURMA: Ciências

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO FUNDADOR PROF. EDILSON BRASIL SOÁREZ. O Colégio que ensina o aluno a estudar. ALUNO(A): TURMA: Ciências FUNDADOR PROF. EDILSON BRASIL SOÁREZ 2012 O Colégio que ensina o aluno a estudar. APICE Ciências [1 a ETAPA] 5 o Ano Ensino Fundamental I ALUNO(A): TURMA: Você está recebendo o APICE (Atividades Para Intensificar

Leia mais

PLANO DE CURSO DISCIPLINA: Ciências ÁREA DE ENSINO: FUNDAMENTAL I SÉRIE\ ANO: 4º ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS

PLANO DE CURSO DISCIPLINA: Ciências ÁREA DE ENSINO: FUNDAMENTAL I SÉRIE\ ANO: 4º ANO DESCRITORES CONTEÚDOS SUGESTÕES DE PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS UNIDADE 1 A VIDA SOB MICROSCÓPIO *Conhecer a história do microscópio *Conhecer doenças causadas por microrganismos *conhecer que os seres vivos são formados por células *Conhecendo microscópio e sua utilidade.

Leia mais

Quais os indicadores para diagnóstico nutricional?

Quais os indicadores para diagnóstico nutricional? Como fazer o diagnóstico nutricional? Profa. Raquel Simões Quais os indicadores para diagnóstico nutricional? Adequação da média e mediana (classificação de Gomez) Desvio-padrão (DP) ou escore Z: indica

Leia mais

AVALIAÇÃO DA INTERPRETAÇÃO DE TABELAS NUTRICIONAIS COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

AVALIAÇÃO DA INTERPRETAÇÃO DE TABELAS NUTRICIONAIS COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL AVALIAÇÃO DA INTERPRETAÇÃO DE TABELAS NUTRICIONAIS COM ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL Natália G. T. MAGALHÃES ; Clécia de P. ALVES ; Miller M. SANCHES ; Valdirene P. COSTA RESUMO A escola tem um importante

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO NO CONTEXTO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS Ana Paula do Amaral Tibúrcio UFSJ

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO NO CONTEXTO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS Ana Paula do Amaral Tibúrcio UFSJ ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO NO CONTEXTO DO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS Ana Paula do Amaral Tibúrcio UFSJ Introdução Na história da educação de nosso país uma das questões sempre presente neste cenário

Leia mais

-PNAN - Portaria Estatuto da criança e do adolescente -PCNs

-PNAN - Portaria Estatuto da criança e do adolescente -PCNs -PNAN - Portaria 1.010 - Estatuto da criança e do adolescente -PCNs Alimentação Escolar Aline Guimarães Nutricionista - CECANE UnB PNAN Política Nacional de Alimentação e Nutrição Alimentação escolar PNAN

Leia mais

JOGANDO DIFERENTE NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

JOGANDO DIFERENTE NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA JOGANDO DIFERENTE NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA COSTA, Alan Queiroz da; PENTEADO, Maria Isabel Gaspar; MARQUES, Erica Tavian Pereira; GARCIA, Eduardo; SANTOS, Marcio Fereira dos; SCHIMIDT, Eliana Baptiston;

Leia mais

EXCESSO DE PESO E FATORES ASSOCIADOS EM IDOSOS ASSISTIDOS PELO NASF DO MUNICÍPIO DE PATOS-PB

EXCESSO DE PESO E FATORES ASSOCIADOS EM IDOSOS ASSISTIDOS PELO NASF DO MUNICÍPIO DE PATOS-PB EXCESSO DE PESO E FATORES ASSOCIADOS EM IDOSOS ASSISTIDOS PELO NASF DO MUNICÍPIO DE PATOS-PB Maria Rozimar Dias dos Santos Nóbrega José Maurício de Figueiredo Júnior Faculdades Integradas de Patos FIP

Leia mais

AVALIAÇÃO DE UM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL EM UMA CRECHE PARTICULAR¹

AVALIAÇÃO DE UM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL EM UMA CRECHE PARTICULAR¹ Avaliação de um programa de educação nutricional... 179 AVALIAÇÃO DE UM PROGRAMA DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL EM UMA CRECHE PARTICULAR¹ Michele Maria Rodrigues², Eliene da Silva Martins Viana³, Viviane Gomes

Leia mais