Agricultura: Convencional. Produto Min. Max Mais Freq. Max Freq. Freq. Freq. Freq. Freq. Pag.: 1 / 6. UNI= /kg

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Agricultura: Convencional. Produto Min. Max Mais Freq. Max Freq. Freq. Freq. Freq. Freq. Pag.: 1 / 6. UNI= /kg"

Transcrição

1 Produto Min. Mais AVES FRANGO ( Kg.) AVES FRANGO ( Kg.) AVES FRANGO ( g.) AVES FRANGO ( g.) AVES FRANGO (900 g Kg.) BOVINO BOVINO BOVINO PESO BOVINO BOVINO BOVINO PESO NOVILHO (12-24 MESES) ANIMAL INTEIRO NOVILHO (12-24 MESES) NOVILHO (12-24 MESES) PESO NOVILHO (6-12 MESES) 1,40 1,40 1,40 1,40 2,15 2,15 2,15 2,15 1,40 1,40 1,40 1,40 1,99 1,99 1,99 1,99 1,60 1,60 1,60 1,60 1,40 1,40 1,40 1,40 1,40 1,40 1,40 1, , , ,00 3,25 4,00 3,63 1,79 2,20 2, , , ,00 4,20 4,70 4,45 2,31 2,58 2,45 900, , ,00 3,64 4,50 4,07 4,90 4,90 4,90 4,90 2,00 2,47 2,24 750,00 750,00 750,00 750,00 Pag.: 1 / 6

2 Produto Min. Mais NOVILHO (6-12 MESES) NOVILHO (6-12 MESES) PESO PESO PESO (12-24 MESES) ANIMAL INTEIRO (12-24 MESES) (12-24 MESES) PESO (6-12 MESES) ANIMAL INTEIRO (6-12 MESES) (6-12 MESES) PESO 3,76 4,70 4,23 4,90 4,90 4,90 4,90 2,07 2,58 2, , , , ,00 3,25 3,25 3,25 3,25 1,79 1,79 1,79 1, , , , ,00 3,75 3,75 3,75 3,75 2,06 2,06 2,06 2,06 900,00 900,00 900,00 900,00 4,00 4,00 4,00 4,00 2,20 2,20 2,20 2,20 800,00 800,00 800,00 800,00 4,30 4,30 4,30 4,30 2,36 2,36 2,36 2,36 Pag.: 2 / 6

3 Produto Min. Mais PESO PESO (12-24 MESES) ANIMAL INTEIRO (12-24 MESES) (12-24 MESES) PESO (6-12 MESES) ANIMAL INTEIRO (6-12 MESES) (6-12 MESES) PESO CAPRINO CABRA REPRODUTORA ANIMAL INTEIRO CAPRINO CABRA REPRODUTORA 1500, , , ,00 3,75 3,75 3,75 3,75 2,06 2,06 2,06 2, , , , ,00 3,75 3,75 3,75 3,75 2,06 2,06 2,06 2, , , , ,00 4,50 4,50 4,50 4,50 2,47 2,47 2,47 2,47 900,00 900,00 900,00 900,00 4,60 4,60 4,60 4,60 2,53 2,53 2,53 2,53 350,00 350,00 350,00 350,00 Pag.: 3 / 6

4 Produto Min. Mais CAPRINO CABRA REPRODUTORA PESO CAPRINO CABRITO (< 10 CAPRINO CABRITO (< 10 Kg.) CAPRINO CABRITO (< 10 Kg.) PESO CAPRINO CABRITO (> 10 CAPRINO CABRITO (> 10 Kg.) CAPRINO CABRITO (> 10 Kg.) PESO CUNIDEO COELHO OVINO BORREGO (< 12 OVINO BORREGO (< 12 Kg.) OVINO BORREGO (< 12 Kg.) PESO OVINO BORREGO (12-24 OVINO BORREGO (12-24 Kg.) OVINO BORREGO (12-24 Kg.) PESO OVINO CARNEIRO (+ 12 OVINO CARNEIRO (+ 12 Kg.) OVINO CARNEIRO (+ 12 Kg.) PESO 2,75 2,75 2,75 2,75 50,00 50,00 50,00 50,00 10,00 10,00 10,00 10,00 9,00 9,00 9,00 9,00 70,00 70,00 70,00 70,00 8,00 8,00 8,00 8,00 7,50 7,50 7,50 7,50 50,00 50,00 50,00 50,00 9,00 9,00 9,00 9,00 140,00 140,00 140,00 140,00 9,00 9,00 9,00 9,00 4,50 4,50 4,50 4,50 65,00 65,00 65,00 65,00 2,75 2,75 2,75 2,75 5,10 5,10 5,10 5,10 Pag.: 4 / 6

5 Produto Min. Mais OVINO OVELHA (+ 12 OVINO OVELHA (+ 12 Kg.) OVINO OVELHA (+ 12 Kg.) PESO 65,00 65,00 65,00 65,00 2,75 2,75 2,75 2,75 OVOS GALINHA 12cartão 0,48 3,60 0,90 1,50 1,86 3,98 2,89 OVOS GALINHA 12misto 0,48 3,60 0,90 1,50 1,86 3,98 2,89 OVOS GALINHA 24misto 0,48 3,60 0,90 1,50 1,86 3,98 2,89 OVOS GALINHA 30cartão 0,48 3,60 0,90 1,50 1,86 3,98 2,89 OVOS GALINHA 6cartão 0,48 3,60 0,90 1,50 1,86 3,98 2,89 OVOS GALINHA 6plastico 0,48 3,60 0,90 1,50 1,86 3,98 2,89 SUINO LEITÃO (< 12 Kg.) SUINO LEITÃO (< 12 Kg.) SUINO LEITÃO (< 12 Kg.) PESO SUINO LEITÃO (12-15 SUINO LEITÃO (12-15 Kg.) SUINO LEITÃO (12-15 Kg.) PESO ENGORDA (+6 MESES) ENGORDA (+6 MESES) ENGORDA (+6 MESES) PESO 65,00 85,00 75,00 5,00 8,91 6,96 3,80 6,75 5,28 85,00 95,00 90,00 5,00 6,60 5,80 3,80 5,00 4,40 300,00 445,00 372,50 1,60 3,76 2,68 2,49 2,49 2,49 2,49 1,22 2,85 2,04 Pag.: 5 / 6

6 Produto Min. Mais ENGORDA (< 6 MESES) ENGORDA (< 6 MESES) ENGORDA (< 6 MESES) PESO 150,00 225,00 187,50 2,01 4,88 3,45 1,53 3,70 2,62 Pag.: 6 / 6

ALIMENTOS COMPOSTOS PARA ANIMAIS DE EXPLORAÇÃO ANO DE

ALIMENTOS COMPOSTOS PARA ANIMAIS DE EXPLORAÇÃO ANO DE FABRICANTE DE ALIMENTOS COMPOSTOS PARA ANIMAIS COMUNICAÇÕES OBRIGATÓRIAS RELATIVAS AO FABRICO NACIONAL ALIMENTOS COMPOSTOS PARA ANIMAIS DE EXPLORAÇÃO ANO DE (ALÍNEA D) DO ART.º 5º DO DECRETO-LEI N.º 247/2002,

Leia mais

CATÁLOGO. Aves COELHOS PORCOS BOVINOS OVINOS CAVALOS. SOL A 104: Pintos desde o 1º dia até 4 semanas de vida.

CATÁLOGO. Aves COELHOS PORCOS BOVINOS OVINOS CAVALOS. SOL A 104: Pintos desde o 1º dia até 4 semanas de vida. Aves SOL A 104: Pintos desde o 1º dia até 4 semanas de vida. SOL PINTEIROS: Pintos desde o 1º dia até 3 semanas de vida. COELHOS SOL A 115: Frangos desde as 4 semanas de vida até ao abate. SOL A 120: Galinhas

Leia mais

RESUMO DE ABATE DE ANIMAIS DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

RESUMO DE ABATE DE ANIMAIS DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES TOTAL DE ABATES NOS MATADOUROS DO IAMA EM 2014 MACHO - A 7 246 1 612 109 5 758 1 418 136 13 004 3 030 245 90 12 809 13 094 3 043 054 MACHO - B 2 156 645 337 667 209 445 2 823 854 782 34 5 655 2 857 860

Leia mais

Aves SUÍNOS CAVALOS OVINOS E CAPRINOS

Aves SUÍNOS CAVALOS OVINOS E CAPRINOS Aves AVIDIACO ESPECIAL: Alimento Natural completo para: Frangos, Galinhas, Patos, Perus, etc. Administrar como alimento único a aves desde os 30 dias de idade, até ao abate ou em postura. AVIDIACO NORMAL:

Leia mais

CATÁLOGO SEMENTES SEMENTES MAISADOUR MILHO: FAO 200: BEBOP FAO 500: MAS 56 E FAO 300: MAS 33A F AO 600: MAS 58 M MAS 66 C

CATÁLOGO SEMENTES SEMENTES MAISADOUR MILHO: FAO 200: BEBOP FAO 500: MAS 56 E FAO 300: MAS 33A F AO 600: MAS 58 M MAS 66 C SEMENTES ERVA DO SUDÃO HAYKING FERTIFENO I (ACIDOS) SORGO HIBRIDO ROCKET FERTIREG 1 - PRADO PERM. REGADIO SPEEDMIX AC AZEVÉM ANUAL VALLIVERT SPEEDMIX NEUTRO AVEX I - ÁCIDOS TRITIMIX AVEX III - (NEUTROS)

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E MEIO AMBIENTE Tab 220 - Censo Agropecuário 2006 - Resultados Preliminares Descrição Valor Unidade Número de estabelecimentos agropecuários 2052 Estabelecimentos Área dos estabelecimentos agropecuários Número de estabelecimentos

Leia mais

Gabriela Assis; Clara Cruz; Marina Martins

Gabriela Assis; Clara Cruz; Marina Martins Gabriela Assis; Clara Cruz; Marina Martins LIVRO BRANCO SOBRE A SEGURANÇA DOS ALIMENTOS Produção Animal Alimentação Animal Planos nacionais de controlo (Regulamento (CE) n.º 882/2004) Controlo Oficial

Leia mais

ANÁLISE EXPLORATÓRIA DOS DADOS DE ABATE DE UNGULADOS PARA CONSUMO HUMANO EM PORTUGAL ENTRE JANEIRO DE 2011 E DEZEMBRO DE 2013

ANÁLISE EXPLORATÓRIA DOS DADOS DE ABATE DE UNGULADOS PARA CONSUMO HUMANO EM PORTUGAL ENTRE JANEIRO DE 2011 E DEZEMBRO DE 2013 CONGRESSO NACIONAL DA INDÚSTRIA PORTUGUESA DE CARNES ANÁLISE EXPLORATÓRIA DOS DADOS DE ABATE DE UNGULADOS PARA CONSUMO HUMANO EM PORTUGAL ENTRE JANEIRO DE 2011 E DEZEMBRO DE 2013 6 de Maio de 2014 Universidade

Leia mais

SEGURANÇA ALIMENTAR. b) Nota de rodapé 3: que outros produtos pode o produtor fornecer para além dos ovos, leite cru e mel?

SEGURANÇA ALIMENTAR. b) Nota de rodapé 3: que outros produtos pode o produtor fornecer para além dos ovos, leite cru e mel? 27.11.2014 SEGURANÇA ALIMENTAR Requisitos relativos à produção animal Questão 1 Relativamente ao indicador 1.1 da Área n.º 2 do Ato 12 do Aviso n.º 8269/2010 Existência de registo atualizado de tipo documental,

Leia mais

Tabela de formulários, taxas, croquis e análises para registro de rótulo/produto de origem animal IS 003/06

Tabela de formulários, taxas, croquis e análises para registro de rótulo/produto de origem animal IS 003/06 Iogurte Iogurte Natural Iogurte com Polpa de Iogurte com Pedaços de Iogurte com Suco de Iogurte com Polpa e Suco de Iogurte... Iogurte Natural Parcialmente Iogurte com Polpa de Parcialmente Iogurte com

Leia mais

ÁGUA. 97% água salgada - ± 3% se restringe a água doce; Perda de toda gordura corporal, metade PTN s e 40% peso vivo Perda 10% - morte.

ÁGUA. 97% água salgada - ± 3% se restringe a água doce; Perda de toda gordura corporal, metade PTN s e 40% peso vivo Perda 10% - morte. ÁGUA 97% água salgada - ± 3% se restringe a água doce; Perda de toda gordura corporal, metade PTN s e 40% peso vivo Perda 10% - morte. PROPRIEDADES E FUNÇÕES Constituinte ativo e estrutural; 70% da carcaça

Leia mais

Leite de Cabra Departamento de Ciências Econômicas UFSJ. Orientador.: Prof. Ívis Bento de Lima

Leite de Cabra Departamento de Ciências Econômicas UFSJ. Orientador.: Prof. Ívis Bento de Lima Leite de Cabra Departamento de Ciências Econômicas UFSJ Orientador.: Prof. Ívis Bento de Lima Leite de Cabra Uma função social no Município de Coronel Xavier Chaves Aluno: Alexandre Rodrigues Loures A

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO SOCIOECONÔMICA Imóveis Diretamente Afetados Projeto de Duplicação da Ponte sobre o Rio Tocantins Data Entrevistador Data da Revisão Responsável pela Revisão / / / / Identificação do entrevistado

Leia mais

BENEFÍCIOS E recomendações nutricionais

BENEFÍCIOS E recomendações nutricionais BENEFÍCIOS E recomendações nutricionais Alimentando Vacas Leiteiras com hidropônico verde de forragem (FVH). Deve fornecer de 12 a 18 kg de forragem hidropônica Verde (FVH), divididos em duas partes, geralmente

Leia mais

DEPARTAMENTO DE INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL

DEPARTAMENTO DE INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DEPARTAMENTO DE INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL RESOLUÇÃO Nº 1, DE 9 DE JANEIRO DE 2003 O DIRETOR DO DEPARTAMENTO

Leia mais

Evolução Recente do Sector dos Pequenos Ruminantes no Alentejo

Evolução Recente do Sector dos Pequenos Ruminantes no Alentejo Evolução Recente do Sector dos Pequenos Ruminantes no Alentejo Claudino Matos ACOS O objectivo deste trabalho é apresentar a evolução recente dos efectivos de pequenos ruminantes no Alentejo bem como dos

Leia mais

Sistema de Defesa Agropecuária - Instruções para Impressão de e-gta para Equinos (Produtor Rural)

Sistema de Defesa Agropecuária - Instruções para Impressão de e-gta para Equinos (Produtor Rural) Instruções para Impressão de e-gta para Equinos (Produtor Rural) A Tabela 1 apresenta os tipos de lançamentos e finalidades de movimentações disponíveis para os produtores/possuidores de eqüídeos. Espécie

Leia mais

Reprodução e Obstetrícia II Ano lectivo de 2012/2013. Data Hora Local Tema Docente 25/02 14.00 A2.16 Bovinos Ciclo reprodutivo e ciclo éstrico

Reprodução e Obstetrícia II Ano lectivo de 2012/2013. Data Hora Local Tema Docente 25/02 14.00 A2.16 Bovinos Ciclo reprodutivo e ciclo éstrico Reprodução e Obstetrícia II Ano lectivo de 2012/2013 Calendário de aulas teóricas (n = 26) ata Hora Local Tema ocente 25/02 14.00.16 Bovinos Ciclo reprodutivo e ciclo éstrico LC 25/02 15.00.16 etecção

Leia mais

X Censo Agropecuário Questionário Geral

X Censo Agropecuário Questionário Geral MUNICÍPIO X Censo Agropecuário Questionário Geral 0 IDENTIFICAÇÃO E LOCALIZAÇÃO DO ESTABELECIMENTO AGROPECUÁRIO IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO NO SETOR 0 - UF 0 - MUNICÍPIO 0 - DISTRITO 0 - SUBDISTRITO

Leia mais

NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano 2017

NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano 2017 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL Elaboração: SEAB/DERAL/DCA/PECUÁRIA Data: 04/01/2017 NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano

Leia mais

EXIGÊNCIAS PARA TRÂNSITO DE ANIMAIS MATO GROSSO DO SUL - 2004

EXIGÊNCIAS PARA TRÂNSITO DE ANIMAIS MATO GROSSO DO SUL - 2004 1. ANIMAIS AQUÁTICOS (PEIXES, MOLUSCOS E CRUSTÁCEOS EM QUALQUER FASE DE DESENVOLVIMENTO: ALEVINOS, ISCAS, LARVAS, ETC) Trânsito de espécies cultivadas (nativas e exóticas) Trânsito de espécies coletadas

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA UNIDADE DE PRODUÇÃO FAMILIAR UPF

DIAGNÓSTICO DA UNIDADE DE PRODUÇÃO FAMILIAR UPF MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA DA AGRICULTURA FAMILIAR DIAGNÓSTICO DA UNIDADE DE PRODUÇÃO FAMILIAR UPF Entidade/Empresa Nº Contrato 1. DADOS DO BENEFICIÁRIO: Nome: ; Nº da DAP: ; Situação:

Leia mais

PRODUTO ELABORADO E ENVASADO NA ESPANHA

PRODUTO ELABORADO E ENVASADO NA ESPANHA PRODUTO ELABORADO E ENVASADO NA ESPANHA QUEIJO MANCHEGO DENOMINAÇÃO DE ORIGEM QUEIJO MANCHEGO SEMICURADO - DENOMINAÇÃO ORIGEM CURAÇÃO: minimo 90 dias CAPACIDADE: 2 peças por caixa PESO NETO UNIDADE: 3

Leia mais

Capítulo 2. Carnes e miudezas, comestíveis

Capítulo 2. Carnes e miudezas, comestíveis Capítulo 2 Carnes e miudezas, comestíveis Nota. 1.- O presente Capítulo não compreende: a) No que diz respeito às posições 02.01 a 02.08 e 02.10, os produtos impróprios para a alimentação humana; b) As

Leia mais

FORM-IN - FORMULÁRIO DE INVESTIGAÇÃO DE DOENÇAS (INICIAL) Versão:jun/03

FORM-IN - FORMULÁRIO DE INVESTIGAÇÃO DE DOENÇAS (INICIAL) Versão:jun/03 FORM-IN - FORMULÁRIO DE INVESTIGAÇÃO DE DOENÇAS (INICIAL) Versão:jun/03 N.º FORM-IN N.º estadual do foco N.º nacional do foco Ano U.F. Página: 1 de 5 Se for o caso, assinalar na lacuna à direita o número

Leia mais

Caraterização agropecuária da Região Centro e valorização dos seus efluentes pecuários

Caraterização agropecuária da Região Centro e valorização dos seus efluentes pecuários Caraterização agropecuária da Região Centro e valorização dos seus efluentes pecuários Francisco Viriato de Matos Viegas e Castro Engº Agrº/ Chefe de Divisão Divisão de Infraestruturas e Ambiente Seminário

Leia mais

BIOQUÍMICA DA ÁGUA. Disciplina: Bioquímica, Prof. Dr. Vagne Oliveira E-mail: vagne_melo_oliveira@outlook.com

BIOQUÍMICA DA ÁGUA. Disciplina: Bioquímica, Prof. Dr. Vagne Oliveira E-mail: vagne_melo_oliveira@outlook.com BIOQUÍMICA DA ÁGUA Disciplina: Bioquímica, Prof. Dr. Vagne Oliveira E-mail: vagne_melo_oliveira@outlook.com ÁGUA Substância mais abundante nos seres vivos; É uma substância líquida, incolor, inodora e

Leia mais

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50 ASSOCIAÇÃO 1 DORPER BRASIL SEM FRONTEIRAS NEWS ANO IV N o 04 R$ 19,50 9 771414 620009 0 2 ORGÃO OFICIAL DA ASSOCIAÇÃO ABC & DORPER B R A S I L BRASILEIRA DOS CRIADORES DE DORPER BIOTECNOLOGIAS REPRODUTIVAS

Leia mais

Pecuária na Região Nordeste 2000 a 2014

Pecuária na Região Nordeste 2000 a 2014 Pecuária na Região Nordeste 2000 a 2014 Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste ETENE Célula de Informações Econômicas, Sociais e Tecnológicas CIEST Fortaleza, Junho de 2015 Pecuária na Região

Leia mais

Licenciamento Agro-Industrial

Licenciamento Agro-Industrial Direção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo Licenciamento Agro-Industrial Agricultura Presente, um Projecto com Futuro Agricultura Presente, um Projeto com Futuro Santarém 16 de Novembro,

Leia mais

Inquérito aos Agrupamentos Gestores de Produtos com Nomes Protegidos DOP/IGP/ETG 2008 e 2009

Inquérito aos Agrupamentos Gestores de Produtos com Nomes Protegidos DOP/IGP/ETG 2008 e 2009 Inquérito aos Agrupamentos Gestores de s com Nomes Protegidos DOP/ /IGP/ETG 28 e 29 1 Índice 1 Introdução... 1 2 s de Qualidade Certificada... 3 2.1 Setor do Queijo... 4 2.2 Setor da Carne de Bovino...

Leia mais

Newsletter Informação Semanal a

Newsletter Informação Semanal a CONJUNTURA SEMANAL - OVINOS Newsletter Informação Semanal 25-01 a 31-01- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana em análise registou-se

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO PARA EMISSÃO DE GUIA DE TRÂNSITO ANIMAL PARA AVES E OVOS FÉRTEIS COM FINALIDADE DE PRODUÇÃO DE CARNE, OVOS E MATERIAL GENÉTICO

MANUAL DE PREENCHIMENTO PARA EMISSÃO DE GUIA DE TRÂNSITO ANIMAL PARA AVES E OVOS FÉRTEIS COM FINALIDADE DE PRODUÇÃO DE CARNE, OVOS E MATERIAL GENÉTICO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA SDA DEPARTAMENTO DE SAÚDE ANIMAL DSA COORDENAÇÃO DE TRÃNSITO E QUARENTENA ANIMAL CTQA MANUAL DE PREENCHIMENTO PARA

Leia mais

A evolução do sector da pecuária em Moçambique (2002-2012)

A evolução do sector da pecuária em Moçambique (2002-2012) A evolução do sector da pecuária em Moçambique (2002-2012) Gerson Machel (DNSV) Jaquelino Massingue (MSU) 19 de Dezembro de 2013 Seminario sobre estudos tematicos do TIA, Hotel VIP, Maputo Estrutura da

Leia mais

Inquérito. aos Agrupamentos Gestores de Produtos DOP/IGP/ETG. 2010 e 2011

Inquérito. aos Agrupamentos Gestores de Produtos DOP/IGP/ETG. 2010 e 2011 Inquérito aos Agrupamentos Gestores de s DOP/IGP/ETG e Julho 2014 i Índice Índice... i 1 Introdução... 1 2 Interpretação de Resultados... 2 3 Apresentação de Resultados... 3 3.1 Queijo... 3 3.2 Carne de

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO - SRP 002 / 2010 À COMISSÂO DE PREGÃO

PREGÃO ELETRÔNICO - SRP 002 / 2010 À COMISSÂO DE PREGÃO PREGÃO ELETRÔNICO - SRP 002 / 2010 Objeto: Alimento e Suplemento para Animais Processo: 23000.000155/2010-21 Seção Pública: 22/03/2010, segunda-feira às 09:00 hs À COMISSÂO DE PREGÃO PREZADOS SENHORES:

Leia mais

ESPECIAL OVOS EMBALADOS

ESPECIAL OVOS EMBALADOS CUIDE DO MEIO AMBIENTE Se imprimir este folheto, colabore para a sua reciclagem, colocando-o no ecoponto. Sede: Semino, 8125-303 Quarteira Tel: +351 289 300 320 Fax: +351 289 300 329 - Matriculada na C.R.C.

Leia mais

MELHORAMENTO ANIMAL II Código: DP0034. Prof. Eduardo Brum Schwengber

MELHORAMENTO ANIMAL II Código: DP0034. Prof. Eduardo Brum Schwengber MELHORAMENTO ANIMAL II Código: DP0034 Prof. Eduardo Brum Schwengber I EMENTA Principais programas de melhoramento genético utilizados nas diferentes criações de animais domésticos: Melhoramento de bovinos

Leia mais

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DAS CARNES

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DAS CARNES EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DAS CARNES Versão actualizada em Fevereiro de 211 Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO

Leia mais

Caderno de Estatísticas Setoriais

Caderno de Estatísticas Setoriais Caderno de Estatísticas Setoriais Pecuária no Dezembro/2013 Central de Informações Econômicas, Sociais e Tecnológicas Escritório Técnico de Estudos Econômicos do - ETENE ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Leia mais

financeira na ovinocultura de corte

financeira na ovinocultura de corte Gestão e análise financeira na ovinocultura de corte Djalma de Freitas Zootecnista Doutor em Produção Animal Diretor Técnico PlanGesPec ProOvinos SENAR/FAMASUL Campo Grande/MS junho/2012 Objetivos Pensar

Leia mais

Minerais Matsuda. Fós Leite. Lac Gold. Lac Gest. Lac Guardian. Lac Parto. Cocho. Sem tamponante para ração. Tamponado para ração

Minerais Matsuda. Fós Leite. Lac Gold. Lac Gest. Lac Guardian. Lac Parto. Cocho. Sem tamponante para ração. Tamponado para ração Fós eite uplemento mineral pronto para uso para rebanhos de leite. 25 kg = Código 18945 inerais atsuda ac Gest uplemento mineral para mistura para rebanhos de leite que recebem volumoso e/ou concentrado

Leia mais

Balanço Bruto de Nutrientes Azoto e Fósforo

Balanço Bruto de Nutrientes Azoto e Fósforo Balanço Bruto de Nutrientes Azoto e Fósforo I - Caracterização geral Descrição: Os Balanços dos Nutrientes, azoto e fósforo, representam uma quantificação dos desequilíbrios observados entre a incorporação

Leia mais

ANEXO AO COMUNICADO: PAUTA PARA CÁLCULO DO ICMS DE GADO E CARNE ORIGINADAS DE SÃO PAULO

ANEXO AO COMUNICADO: PAUTA PARA CÁLCULO DO ICMS DE GADO E CARNE ORIGINADAS DE SÃO PAULO I - GADO EM CONDIÇÕES DE ABATE DISCRIMINAÇÃO UNIDADE VALOR - R$ BOI CABEÇA 2.550,00 NOVILHO PRECOCE (BOVINO) CABEÇA 2.250,00 BÚFALO CABEÇA 2.240,00 BÚFALO PRECOCE (IDADE ATÉ 24 MESES) CABEÇA 2.100,00 VACA

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE

BOVINOCULTURA DE CORTE ISS 36-9 BOVINOCULTURA DE CORTE Os preços médios da arroba do boi e da vaca, em Mato Grosso do Sul, no mês de fevereiro, foram de R$8,8 e R$,99, respectivamente. Em relação ao mês anterior, houve um avanço

Leia mais

Perspectivas do Ensino da Reprodução Animal

Perspectivas do Ensino da Reprodução Animal UBI Portugal Perspectivas do Ensino da Reprodução Animal Prof. Dr. Halim Atique Netto Reprodução Animal e a Medicina Veterinária ria Ciclo Profissionalizante Reprodução Animal e a Medicina Veterinária

Leia mais

Desafios da Segurança Alimentar

Desafios da Segurança Alimentar Auditório II Centro de Reuniões da FIL Parque das Nações Desafios da Segurança Alimentar Graça Mariano Lisboa, 29 de Setembro de 2010 MISSÃO (DL 237/2005; DL 274/2007) Avaliar e comunicar os riscos na

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO N 43/2012 REGISTRO DE PREÇOS Nº 36/2012 LISTAGEM DO MENOR PREÇO REGISTRADO ALIMENTOS PERECÍVEIS FRIOS, DERIVADOS, CARNES

PREGÃO ELETRÔNICO N 43/2012 REGISTRO DE PREÇOS Nº 36/2012 LISTAGEM DO MENOR PREÇO REGISTRADO ALIMENTOS PERECÍVEIS FRIOS, DERIVADOS, CARNES PREGÃO ELETRÔCO N 43/2012 REGISTRO DE PREÇOS Nº 36/2012 LISTAGEM DO MENOR PREÇO REGISTRADO ALIMENTOS PERECÍVEIS FRIOS, DERIVADOS, CARNES VALIDADE: Início: 28/06/2012 Témino: 27/06/2013 ITEM QUANT ANUAL

Leia mais

Questionário Para Seguro de Rebanho Ovinos

Questionário Para Seguro de Rebanho Ovinos Questionário Para Seguro de Rebanho Ovinos 1 - Propriedade: Proprietário: Profissão: Telefone: Nome da Fazenda: Endereço da Fazenda: Roteiro de acesso completo: Confrontações: Norte: Sul: Leste: Oeste:

Leia mais

PECUÁRIA BIOLÓGICA. (Reg. 2082/91, modificado)

PECUÁRIA BIOLÓGICA. (Reg. 2082/91, modificado) PECUÁRIA BIOLÓGICA (Reg. 2082/91, modificado) SATIVA Controlo e Certificação de Produtos Av. Visconde de Valmor, 11, 3º. 1000-289 Lisboa sativa@sativa.pt www.sativa.pt Introdução consumidores - preocupações

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014.

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

BEM ESTAR ANIMAL NO TRANSPORTE INTRODUÇÃO

BEM ESTAR ANIMAL NO TRANSPORTE INTRODUÇÃO C O N F E D E R A Ç Ã O D O S A G R I C U L T O R E S D E P O R T U G A L BEM ESTAR ANIMAL NO TRANSPORTE INTRODUÇÃO O Regulamento (CE) n.º 1/2005 do Conselho de 22 de Dezembro de 2004 estabeleceu as normas

Leia mais

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO

DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO L 247/22 Jornal Oficial da União Europeia 24.9.2011 DECISÃO DE EXECUÇÃO DA COMISSÃO de 20 de Setembro de 2011 que altera o anexo D da Directiva 88/407/CEE do Conselho no que diz respeito ao comércio na

Leia mais

MELHORAMENTO GENÉTICO DE OVINOS

MELHORAMENTO GENÉTICO DE OVINOS MELHORAMENTO GENÉTICO DE OVINOS Profa. Dra. Sandra Aidar de Queiroz Departamento de Zootecnia FCAV UNESP INTRODUÇÃO Países com tradição na produção de ovinos Austrália Nova Zelândia África do Sul Argentina

Leia mais

SELEÇÃO E CUIDADOS COM AS RAQUETES

SELEÇÃO E CUIDADOS COM AS RAQUETES P A L PALMA GIGANTE PALMA MIÚDA PALMA MIÚDA P A L PALMA REDONDA SELEÇÃO E CUIDADOS COM AS RAQUETES PLANTAS MATRIZES SELEÇÃO DAS RAQUETES SELEÇÃO DAS RAQUETES SELEÇÃO DAS RAQUETES P A L CURA CURA CURA CURA

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

COOPERATIVA LANGUIRU

COOPERATIVA LANGUIRU COOPERATIVA LANGUIRU Iniciativas em prol da permanência do jovem associado nas propriedades Renato Kreimeier Vice-presidente Engenheiro Agrônomo Especialista em Gestão de Cooperativas Pós-graduando em

Leia mais

Profa. Dra. Alda Lúcia Gomes Monteiro Disciplina de Ovinocultura 2013

Profa. Dra. Alda Lúcia Gomes Monteiro Disciplina de Ovinocultura 2013 INSTALAÇÕES PARA OVINOS Profa. Dra. Alda Lúcia Gomes Monteiro Disciplina de Ovinocultura 2013 Temperaturas e ZCT Cordeiros TCI 6oC ; TCS 34oC ; ZCT 25 a 30oC (Baêta e Souza,1997) Ovinos adultos TCI -20

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO PARA REGISTRO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL FOLHA 1

INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO PARA REGISTRO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL FOLHA 1 INSTRUÇÕES PARA PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE SOLICITAÇÃO PARA REGISTRO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL - O formulário deve ser preenchido em 2 vias. - Preencher a máquina ou por computador. FOLHA 1 IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Avicultura Colonial - Uma alternativa para o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar e assentamentos no RS?

Avicultura Colonial - Uma alternativa para o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar e assentamentos no RS? Avicultura Colonial - Uma alternativa para o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar e assentamentos no RS? O que é Avicultura Colonial? - caminho para a sustentabilidade - legislação (Ofício

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 14/0035-PG REGISTRO DE PREÇOS ANEXO I DESCRIÇÕES DOS ITENS

PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 14/0035-PG REGISTRO DE PREÇOS ANEXO I DESCRIÇÕES DOS ITENS PREGÃO PRESENCIAL SESC/MA Nº 14/0035-PG REGISTRO DE PREÇOS ANEXO I DESCRIÇÕES DOS ITENS ITE M USO INTERNO (RCMS) DESCRIÇÃO QUANTIDADE ESTIMADA Sesc Deodoro Sesc Turismo Total Estimado Unidad e de Medida

Leia mais

Pagamento dos Prémios Ajudas do POSEI. Campanha 2007-2008. (16 de Outubro de 2008)

Pagamento dos Prémios Ajudas do POSEI. Campanha 2007-2008. (16 de Outubro de 2008) Pagamento dos Prémios Ajudas do POSEI Campanha 2007-2008 (16 de Outubro de 2008) Informa-se os agricultores que decorrerá no próximo dia 16 de Outubro, o pagamento das seguintes ajudas do POSEI campanha

Leia mais

Centro Estadual de Educação Profissional Arlindo Ribeiro

Centro Estadual de Educação Profissional Arlindo Ribeiro 1 Centro Estadual de Educação Profissional Arlindo Ribeiro 1. PRODUÇÃO ANIMAL Carga horária total: 400 h/a - 333 h APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA: a disciplina de produção animal é essencial ao currículo do

Leia mais

Melhorando o conhecimento local na criação urbana de animais em Bukavu, Congo

Melhorando o conhecimento local na criação urbana de animais em Bukavu, Congo Melhorando o conhecimento local na criação urbana de animais em Bukavu, Congo Augustin Cihyoka, Diobass Platform augucihyoka@yahoo.fr A cidade de Bukavu, capital administrativa da província de South-Kivu,

Leia mais

Kg/t de estrume ou kg/m 3 de estrume. Estrume 14,0 210 175 5,3 1,3 2,5 2,2 10,8

Kg/t de estrume ou kg/m 3 de estrume. Estrume 14,0 210 175 5,3 1,3 2,5 2,2 10,8 ANEXO I QUANTIDADE E COMPOSIÇÃO MÉDIA DE ESTRUMES E DE CHORUMES NÃO DILUÍDOS, PRODUZIDOS ANUALMENTE POR DIFERENTES ESPÉCIES PECUÁRIAS E SUA CONVERSÃO EM CABEÇA NORMAL (CN) Efluente pecuário (1) m 3 ou

Leia mais

Proposta de DIRETIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

Proposta de DIRETIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 11.2.2014 COM(2014) 4 final 2014/0033 (COD) Proposta de DIRETIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que altera as Diretivas 89/608/CEE, 90/425/CEE e 91/496/CEE no que diz respeito

Leia mais

Cadeia Produtiva do Avestruz

Cadeia Produtiva do Avestruz Cadeia Produtiva do Avestruz Descrição Empreender e atrair projetos para consolidação da estrutiocultura em Alagoas, envolvendo todos os elos da cadeia produtiva: criadores, fornecedores de insumos e equipamentos,

Leia mais

PRODUÇÃO DE FRANGOS EM MODO DE PRODUÇÃO BIOLÓGICO

PRODUÇÃO DE FRANGOS EM MODO DE PRODUÇÃO BIOLÓGICO PRODUÇÃO DE FRANGOS EM MODO DE PRODUÇÃO BIOLÓGICO NOTA INTRODUTÓRIA No texto que se segue, o leitor encontrará informação diversificada relativamente à produção de três diferentes espécies de animais,

Leia mais

MEDICINA VETERINÁRIA - BACHARELADO - GRA000437F PLANO CURRICULAR

MEDICINA VETERINÁRIA - BACHARELADO - GRA000437F PLANO CURRICULAR 1 SEMESTRE DISCIPLINA DESCRIÇÃO VET0201 Anatomia Veterinária I 4 60 CIB0507 Ecologia de Agroecossistemas 4 60 VET0243 Fisiologia Veterinária I 4 60 CES0200 Histologia e Embriologia 4 60 VET0200 Introdução

Leia mais

Redações Anteriores. Redações Anteriores

Redações Anteriores. Redações Anteriores MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 46, DE 6 DE OUTUBRO DE 2011 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

AGROPACTO DIA 18 de fevereiro de 2008

AGROPACTO DIA 18 de fevereiro de 2008 AGROPACTO DIA 18 de fevereiro de 2008 Viabilidade Econômica de Modelos de Exploração de Caprinos e Ovinos no SemiÁrido Nordestino Francisco Mavignier Cavalcante França Colaborador do INDI/FIEC Bolsista

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO Página 1 de 12 1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO Coliplus 2.000.000 UI/ml Concentrado para Solução Oral para uso na água da bebida em Bovinos, Ovinos, Suínos,

Leia mais

LANÇAMENTOS RECEITUÁRIO CULINÁRIOS BASES PARA MOLHOS MAGGI

LANÇAMENTOS RECEITUÁRIO CULINÁRIOS BASES PARA MOLHOS MAGGI LANÇAMENTOS RECEITUÁRIO CULINÁRIOS BASES PARA MOLHOS MAGGI Base Para Molho Branco Base Para Molho Branco ARGUMENTOS DE VENDAS: Base para diversas receitas; Permite o toque do chef; Garante a mesma qualidade

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO CONVITE Nº 15/2014

EDITAL DE LICITAÇÃO CONVITE Nº 15/2014 92.005.586/0001-03 Tipo de Julgamento: Menor Preço por Página 1 de 5 Sub. Qtde. Unid. Descrição Marca/Modelo Valor Valor Total 1 75,00 KG AÇUCAR 2 3,00 UND AÇUCAR DE BAUNILHA PC/500G 3 0,80 Kg ALHO 4 5,00

Leia mais

Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela

Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela 199 Trigo não é somente para alimentar o homem Renato Serena Fontaneli Leo de J.A. Del Duca Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela posição ocupada como uma das culturas mais importantes para alimentar

Leia mais

Registros dentro ScoringAg

Registros dentro ScoringAg Registros dentro ScoringAg site-specific recordkeeping TM TIPOS DE NEGÓCIOS Associação/Organização Lote de Leilão Domador/Adestrador Criador/Vendedor de Sementes Comprador/Corretor Fábrica de enlatados

Leia mais

0010 Envoltórios Naturais Resfriados de Bubalino (tripas e bexiga)

0010 Envoltórios Naturais Resfriados de Bubalino (tripas e bexiga) Caderno 4 SEXTA-FEIRA, CADERNO 4 1 13 DE DEZEMBRO DE 2013 RESULTADO DE LICITAÇÃO NÚMERO DE PUBLICAÇÃO: 627911 A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará EMATER - PA, através da

Leia mais

RAÇA DO ANIMAL DATA DE NASCIMENTO RAÇA DO ANIMAL DATA DE NASCIMENTO NOME DO ANIMAL Nº REGISTRO NOME DO ANIMAL Nº REGISTRO

RAÇA DO ANIMAL DATA DE NASCIMENTO RAÇA DO ANIMAL DATA DE NASCIMENTO NOME DO ANIMAL Nº REGISTRO NOME DO ANIMAL Nº REGISTRO BOVINOS MACHO SIM BOVINOS MACHO SIM EQUINOS FEMEA NÃO EQUINOS FEMEA NÃO OVINOS CASTRADO PRENHA CAT Nº M D OVINOS CASTRADO PRENHA CAT Nº M D RAÇA DO ANIMAL DATA DE NASCIMENTO RAÇA DO ANIMAL DATA DE NASCIMENTO

Leia mais

PRODUÇÃO DE LEITE. Parte 1. Prof. Dr. André M. Jorge UNESP-FMVZ-Botucatu. Prof. Dr. André Mendes Jorge FMVZ-Unesp-Botucatu

PRODUÇÃO DE LEITE. Parte 1. Prof. Dr. André M. Jorge UNESP-FMVZ-Botucatu. Prof. Dr. André Mendes Jorge FMVZ-Unesp-Botucatu PRODUÇÃO DE LEITE Parte 1 Prof. Dr. André M. Jorge UNESP-FMVZ-Botucatu Produção mundial de leite das diferentes espécies de animais Período 1992-2002 Produção de Leite (t) Variação (%) Animais 1992 1996

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA COMISSÃO DE PROCESSO SELETIVO PONTOS PARA CONCURSO PROFESSOR EFETIVO EDITAL 16/2010

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA COMISSÃO DE PROCESSO SELETIVO PONTOS PARA CONCURSO PROFESSOR EFETIVO EDITAL 16/2010 UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA COMISSÃO DE PROCESSO SELETIVO PONTOS PARA CONCURSO PROFESSOR EFETIVO EDITAL 16/2010 Quadro 1 Demonstrativo dos pontos e respectivas áreas, para o Campus UFRA/Belém.

Leia mais

AVALIAÇÃO ECONÔMICA EM SISTEMAS PECUÁRIOS DE CICLO COMPLETO NO ESTADO RIO GRANDE DO SUL

AVALIAÇÃO ECONÔMICA EM SISTEMAS PECUÁRIOS DE CICLO COMPLETO NO ESTADO RIO GRANDE DO SUL AVALIAÇÃO ECONÔMICA EM SISTEMAS PECUÁRIOS DE CICLO COMPLETO NO ESTADO RIO GRANDE DO SUL JOÃO GARIBALDI ALMEIDA VIANA; VICENTE C. P. SILVEIRA; ADRIANA FERREIRA VARGAS; UFSM SANTA MARIA - RS - BRASIL joaogaribaldi@brturbo.com.br

Leia mais

Cód Tipo Unidade Preço. E Silo metálico granjeiro de fundo cônico em 60 com capacidade de 51,80m3 ( kg ração) unidade R$ 15.

Cód Tipo Unidade Preço. E Silo metálico granjeiro de fundo cônico em 60 com capacidade de 51,80m3 ( kg ração) unidade R$ 15. SC - Valores válidos para não-contribuintes do ICMS. Cód Tipo Unidade Preço Estático e Tração Animal E2592401 Silo metálico granjeiro de fundo cônico em 60 com capacidade de 51,80m3 (33.600 kg ração) unidade

Leia mais

S TO DU O E PR D O G LO TÁ A C 1

S TO DU O E PR D O G LO TÁ A C 1 1 CATÁLOGO DE PRODUTOS NOSSA HISTÓRIA Fundada em 1983 na cidade de Propriá, no estado de Sergipe, pelo grande empresário visionário, o sergipano Murilo Dantas, a Nutrial se estabeleceu no ramo de frigorífico,

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até maio de Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até maio de Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de maio de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

Produção de Carne Ovina

Produção de Carne Ovina Mercado ovino no Brasil Produção de Carne Ovina Disponibilidade de terras Ambientais favoráveis Mercado interno Mercado externo 2 Pontos Negativos Desorganização da cadeia Baixos índices de produtividade

Leia mais

Ementa 07 a 13 Mar 2016

Ementa 07 a 13 Mar 2016 Ementa 07 a 13 Mar 2016 Segunda - 07Mar 08Mar 09Mar Curguete e cenoura Empadão (batata) de peixe. Alface, cenoura e couve-rouxa Empadão (batata) de peixe. Alface, cenoura e couve-rouxa + Pão de mistura

Leia mais

Alimentação em Fases Críticas do Ciclo Reprodutivo da Cabra

Alimentação em Fases Críticas do Ciclo Reprodutivo da Cabra Alimentação em Fases Críticas do Ciclo Reprodutivo da Cabra II Jornadas da Cabra Serpentina V Feira do Montado Portel Manuel Cancela de Abreu Departamento de Zootecnia A cabra Serpentina é uma raça autóctone,

Leia mais

Sistema de Informação de Mercados Agrícolas

Sistema de Informação de Mercados Agrícolas Sistema de Informação de Mercados Agrícolas Sistema de Normalização Contabilística Sistema de Normalização Contabilística Normativo Específico para Agricultura Activo Biológico Justo Valor Nas Normas contabilisticas

Leia mais

BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares

BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares BALANÇA COMERCIAL GOIANA OUTUBRO 2015 Dados preliminares 1 BALANÇA COMERCIAL GOIÁS OUTUBRO 2015 US$ FOB MÊS EXPORTAÇÕES IMPORTAÇÕES SALDO OUTUBRO/2015 516.095.546 262.729.719 253.365.827 2 EVOLUÇÃO DA

Leia mais

Nutrição e alimentação de ovinos. Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013

Nutrição e alimentação de ovinos. Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013 Nutrição e alimentação de ovinos Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013 EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS PARA OVINOS Tabelas de Exigências Nutricionais: NRC 1985 Primeira tabela de exigências nutricionais para

Leia mais

Estrutiocultura O Agronegócio que mais Cresce no Brasil

Estrutiocultura O Agronegócio que mais Cresce no Brasil Estrutiocultura O Agronegócio que mais Cresce no Brasil Fco. Bernardo S. Carneiro Médico Veterinário Faz. Canhotinho Ltda. Superintendente Técnico da ACAB / ABRE bernardo@bernardo.vet.br Porque o Brasil?

Leia mais

VPS 427: Avaliação Científica de Bem-Estar Animal

VPS 427: Avaliação Científica de Bem-Estar Animal VPS 427: Avaliação Científica de Bem-Estar Animal Responsável: Professor Adroaldo J. Zanella Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Único CT-e para vários destinatários e um tomador

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Único CT-e para vários destinatários e um tomador Único CT-e para vários destinatários e um tomador 01/04/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão...

Leia mais

Cisterna Rural: água para o consumo animal. Luiza Teixeira de Lima Brito Everaldo Rocha Porto Aderaldo de Souza Silva Nilton de Brito Cavalcanti

Cisterna Rural: água para o consumo animal. Luiza Teixeira de Lima Brito Everaldo Rocha Porto Aderaldo de Souza Silva Nilton de Brito Cavalcanti Cisterna Rural: água para o consumo animal Luiza Teixeira de Lima Brito Everaldo Rocha Porto Aderaldo de Souza Silva Nilton de Brito Cavalcanti Introdução No Semi-Árido brasileiro, dada a irregularidade

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO MEMORIAL ECONÔMICO-SANITÁRIO PARA ESTABELECIMENTOS SUJEITOS AO SIM-CURITIBA

ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO MEMORIAL ECONÔMICO-SANITÁRIO PARA ESTABELECIMENTOS SUJEITOS AO SIM-CURITIBA ORIENTAÇÕES PARA A ELABORAÇÃO DO MEMORIAL ECONÔMICO-SANITÁRIO PARA ESTABELECIMENTOS SUJEITOS AO SIM-CURITIBA Conforme determinação do Artigo 8º, item III, do Decreto nº 70/2002, o estabelecimento comercial

Leia mais

APTIDÃO TECNOLÓGICA E INDUSTRIAL DOS DIFERENTES TIPOS DE CARNE

APTIDÃO TECNOLÓGICA E INDUSTRIAL DOS DIFERENTES TIPOS DE CARNE APTIDÃO TECNOLÓGICA E INDUSTRIAL DOS DIFERENTES TIPOS DE CARNE CHARQUE BILTONG carne crua de hipopótamo, elefante devidamente condimentada, seca ao sol, pendurada com um tijolo na ponta para não enrolar

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS 1 Cardápio Segunda-Feira: Mingau de aveia, canela e biscoito doce MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Frango guisado, arroz escorrido, feijão, farofa, salada e Sopa de legumes e carne seca Tiras de frango acebolada,

Leia mais

Análises para monitorar a Função Hepática

Análises para monitorar a Função Hepática Análises para monitorar a Função Hepática Catabolismo protéico Professora: Renata Fontes Medicina Veterinária Período: 3 o Tipo Componentes das membranas celulares Hormônios peptídicos (p. ex., insulina,

Leia mais

Panorama Geral da Ovinocultura no Mundo e no Brasil

Panorama Geral da Ovinocultura no Mundo e no Brasil Revista Ovinos, Ano 4, N 12, Porto Alegre, Março de 2008. Panorama Geral da Ovinocultura no Mundo e no Brasil João Garibaldi Almeida Viana 1 Os ovinos foram uma das primeiras espécies de animais domesticadas

Leia mais

RECURSOS GENÉTICOS ANIMAIS EM PORTUGAL

RECURSOS GENÉTICOS ANIMAIS EM PORTUGAL RECURSOS GENÉTICOS ANIMAIS EM PORTUGAL Junho 2004 Comissão Executiva Nacional - Doutor Luís Telo da Gama (Coordenador) Estação Zootécnica Nacional - Engº Nuno Carolino (Secretário) Estação Zootécnica Nacional

Leia mais