Agricultura: Convencional. Produto Min. Max Mais Freq. Max Freq. Freq. Freq. Freq. Freq. Pag.: 1 / 6. UNI= /kg

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Agricultura: Convencional. Produto Min. Max Mais Freq. Max Freq. Freq. Freq. Freq. Freq. Pag.: 1 / 6. UNI= /kg"

Transcrição

1 Produto Min. Mais AVES FRANGO ( Kg.) AVES FRANGO ( Kg.) AVES FRANGO ( g.) AVES FRANGO ( g.) AVES FRANGO (900 g Kg.) BOVINO BOVINO BOVINO PESO BOVINO BOVINO BOVINO PESO NOVILHO (12-24 MESES) ANIMAL INTEIRO NOVILHO (12-24 MESES) NOVILHO (12-24 MESES) PESO NOVILHO (6-12 MESES) 1,40 1,40 1,40 1,40 2,15 2,15 2,15 2,15 1,40 1,40 1,40 1,40 1,99 1,99 1,99 1,99 1,60 1,60 1,60 1,60 1,40 1,40 1,40 1,40 1,40 1,40 1,40 1, , , ,00 3,25 4,00 3,63 1,79 2,20 2, , , ,00 4,20 4,70 4,45 2,31 2,58 2,45 900, , ,00 3,64 4,50 4,07 4,90 4,90 4,90 4,90 2,00 2,47 2,24 750,00 750,00 750,00 750,00 Pag.: 1 / 6

2 Produto Min. Mais NOVILHO (6-12 MESES) NOVILHO (6-12 MESES) PESO PESO PESO (12-24 MESES) ANIMAL INTEIRO (12-24 MESES) (12-24 MESES) PESO (6-12 MESES) ANIMAL INTEIRO (6-12 MESES) (6-12 MESES) PESO 3,76 4,70 4,23 4,90 4,90 4,90 4,90 2,07 2,58 2, , , , ,00 3,25 3,25 3,25 3,25 1,79 1,79 1,79 1, , , , ,00 3,75 3,75 3,75 3,75 2,06 2,06 2,06 2,06 900,00 900,00 900,00 900,00 4,00 4,00 4,00 4,00 2,20 2,20 2,20 2,20 800,00 800,00 800,00 800,00 4,30 4,30 4,30 4,30 2,36 2,36 2,36 2,36 Pag.: 2 / 6

3 Produto Min. Mais PESO PESO (12-24 MESES) ANIMAL INTEIRO (12-24 MESES) (12-24 MESES) PESO (6-12 MESES) ANIMAL INTEIRO (6-12 MESES) (6-12 MESES) PESO CAPRINO CABRA REPRODUTORA ANIMAL INTEIRO CAPRINO CABRA REPRODUTORA 1500, , , ,00 3,75 3,75 3,75 3,75 2,06 2,06 2,06 2, , , , ,00 3,75 3,75 3,75 3,75 2,06 2,06 2,06 2, , , , ,00 4,50 4,50 4,50 4,50 2,47 2,47 2,47 2,47 900,00 900,00 900,00 900,00 4,60 4,60 4,60 4,60 2,53 2,53 2,53 2,53 350,00 350,00 350,00 350,00 Pag.: 3 / 6

4 Produto Min. Mais CAPRINO CABRA REPRODUTORA PESO CAPRINO CABRITO (< 10 CAPRINO CABRITO (< 10 Kg.) CAPRINO CABRITO (< 10 Kg.) PESO CAPRINO CABRITO (> 10 CAPRINO CABRITO (> 10 Kg.) CAPRINO CABRITO (> 10 Kg.) PESO CUNIDEO COELHO OVINO BORREGO (< 12 OVINO BORREGO (< 12 Kg.) OVINO BORREGO (< 12 Kg.) PESO OVINO BORREGO (12-24 OVINO BORREGO (12-24 Kg.) OVINO BORREGO (12-24 Kg.) PESO OVINO CARNEIRO (+ 12 OVINO CARNEIRO (+ 12 Kg.) OVINO CARNEIRO (+ 12 Kg.) PESO 2,75 2,75 2,75 2,75 50,00 50,00 50,00 50,00 10,00 10,00 10,00 10,00 9,00 9,00 9,00 9,00 70,00 70,00 70,00 70,00 8,00 8,00 8,00 8,00 7,50 7,50 7,50 7,50 50,00 50,00 50,00 50,00 9,00 9,00 9,00 9,00 140,00 140,00 140,00 140,00 9,00 9,00 9,00 9,00 4,50 4,50 4,50 4,50 65,00 65,00 65,00 65,00 2,75 2,75 2,75 2,75 5,10 5,10 5,10 5,10 Pag.: 4 / 6

5 Produto Min. Mais OVINO OVELHA (+ 12 OVINO OVELHA (+ 12 Kg.) OVINO OVELHA (+ 12 Kg.) PESO 65,00 65,00 65,00 65,00 2,75 2,75 2,75 2,75 OVOS GALINHA 12cartão 0,48 3,60 0,90 1,50 1,86 3,98 2,89 OVOS GALINHA 12misto 0,48 3,60 0,90 1,50 1,86 3,98 2,89 OVOS GALINHA 24misto 0,48 3,60 0,90 1,50 1,86 3,98 2,89 OVOS GALINHA 30cartão 0,48 3,60 0,90 1,50 1,86 3,98 2,89 OVOS GALINHA 6cartão 0,48 3,60 0,90 1,50 1,86 3,98 2,89 OVOS GALINHA 6plastico 0,48 3,60 0,90 1,50 1,86 3,98 2,89 SUINO LEITÃO (< 12 Kg.) SUINO LEITÃO (< 12 Kg.) SUINO LEITÃO (< 12 Kg.) PESO SUINO LEITÃO (12-15 SUINO LEITÃO (12-15 Kg.) SUINO LEITÃO (12-15 Kg.) PESO ENGORDA (+6 MESES) ENGORDA (+6 MESES) ENGORDA (+6 MESES) PESO 65,00 85,00 75,00 5,00 8,91 6,96 3,80 6,75 5,28 85,00 95,00 90,00 5,00 6,60 5,80 3,80 5,00 4,40 300,00 445,00 372,50 1,60 3,76 2,68 2,49 2,49 2,49 2,49 1,22 2,85 2,04 Pag.: 5 / 6

6 Produto Min. Mais ENGORDA (< 6 MESES) ENGORDA (< 6 MESES) ENGORDA (< 6 MESES) PESO 150,00 225,00 187,50 2,01 4,88 3,45 1,53 3,70 2,62 Pag.: 6 / 6

ALIMENTOS COMPOSTOS PARA ANIMAIS DE EXPLORAÇÃO ANO DE

ALIMENTOS COMPOSTOS PARA ANIMAIS DE EXPLORAÇÃO ANO DE FABRICANTE DE ALIMENTOS COMPOSTOS PARA ANIMAIS COMUNICAÇÕES OBRIGATÓRIAS RELATIVAS AO FABRICO NACIONAL ALIMENTOS COMPOSTOS PARA ANIMAIS DE EXPLORAÇÃO ANO DE (ALÍNEA D) DO ART.º 5º DO DECRETO-LEI N.º 247/2002,

Leia mais

CATÁLOGO. Aves COELHOS PORCOS BOVINOS OVINOS CAVALOS. SOL A 104: Pintos desde o 1º dia até 4 semanas de vida.

CATÁLOGO. Aves COELHOS PORCOS BOVINOS OVINOS CAVALOS. SOL A 104: Pintos desde o 1º dia até 4 semanas de vida. Aves SOL A 104: Pintos desde o 1º dia até 4 semanas de vida. SOL PINTEIROS: Pintos desde o 1º dia até 3 semanas de vida. COELHOS SOL A 115: Frangos desde as 4 semanas de vida até ao abate. SOL A 120: Galinhas

Leia mais

RESUMO DE ABATE DE ANIMAIS DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES

RESUMO DE ABATE DE ANIMAIS DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES TOTAL DE ABATES NOS MATADOUROS DO IAMA EM 2014 MACHO - A 7 246 1 612 109 5 758 1 418 136 13 004 3 030 245 90 12 809 13 094 3 043 054 MACHO - B 2 156 645 337 667 209 445 2 823 854 782 34 5 655 2 857 860

Leia mais

Aves SUÍNOS CAVALOS OVINOS E CAPRINOS

Aves SUÍNOS CAVALOS OVINOS E CAPRINOS Aves AVIDIACO ESPECIAL: Alimento Natural completo para: Frangos, Galinhas, Patos, Perus, etc. Administrar como alimento único a aves desde os 30 dias de idade, até ao abate ou em postura. AVIDIACO NORMAL:

Leia mais

CATÁLOGO SEMENTES SEMENTES MAISADOUR MILHO: FAO 200: BEBOP FAO 500: MAS 56 E FAO 300: MAS 33A F AO 600: MAS 58 M MAS 66 C

CATÁLOGO SEMENTES SEMENTES MAISADOUR MILHO: FAO 200: BEBOP FAO 500: MAS 56 E FAO 300: MAS 33A F AO 600: MAS 58 M MAS 66 C SEMENTES ERVA DO SUDÃO HAYKING FERTIFENO I (ACIDOS) SORGO HIBRIDO ROCKET FERTIREG 1 - PRADO PERM. REGADIO SPEEDMIX AC AZEVÉM ANUAL VALLIVERT SPEEDMIX NEUTRO AVEX I - ÁCIDOS TRITIMIX AVEX III - (NEUTROS)

Leia mais

Gabriela Assis; Clara Cruz; Marina Martins

Gabriela Assis; Clara Cruz; Marina Martins Gabriela Assis; Clara Cruz; Marina Martins LIVRO BRANCO SOBRE A SEGURANÇA DOS ALIMENTOS Produção Animal Alimentação Animal Planos nacionais de controlo (Regulamento (CE) n.º 882/2004) Controlo Oficial

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E MEIO AMBIENTE Tab 220 - Censo Agropecuário 2006 - Resultados Preliminares Descrição Valor Unidade Número de estabelecimentos agropecuários 2052 Estabelecimentos Área dos estabelecimentos agropecuários Número de estabelecimentos

Leia mais

Operação Estatística: Estatísticas da Produção Animal

Operação Estatística: Estatísticas da Produção Animal INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICAS ECONÓMICAS Serviço de Estatísticas Agrícolas e do Ambiente Operação Estatística: Estatísticas da Produção Animal Código: 25 Versão: 1.0 Código

Leia mais

ANÁLISE EXPLORATÓRIA DOS DADOS DE ABATE DE UNGULADOS PARA CONSUMO HUMANO EM PORTUGAL ENTRE JANEIRO DE 2011 E DEZEMBRO DE 2013

ANÁLISE EXPLORATÓRIA DOS DADOS DE ABATE DE UNGULADOS PARA CONSUMO HUMANO EM PORTUGAL ENTRE JANEIRO DE 2011 E DEZEMBRO DE 2013 CONGRESSO NACIONAL DA INDÚSTRIA PORTUGUESA DE CARNES ANÁLISE EXPLORATÓRIA DOS DADOS DE ABATE DE UNGULADOS PARA CONSUMO HUMANO EM PORTUGAL ENTRE JANEIRO DE 2011 E DEZEMBRO DE 2013 6 de Maio de 2014 Universidade

Leia mais

Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia Manejo de pastagens

Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia Manejo de pastagens Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia Manejo de pastagens Pressão de pastejo e ajuste na taxa de lotação Magno José Duarte Cândido magno@ufc.br Núcleo de Ensino

Leia mais

L 55/12 Jornal Oficial da União Europeia

L 55/12 Jornal Oficial da União Europeia L 55/12 Jornal Oficial da União Europeia 1.3.2005 REGULAMENTO (CE) N. o 349/2005 DA COMISSÃO de 28 de Fevereiro de 2005 que fixa as regras relativas ao financiamento comunitário das intervenções de emergência

Leia mais

G r a v a t á TRADIÇÃO E QUALIDADE PARA O SEU REBANHO. SÁBADO 30 DE AGOSTO 18:OO H FAZENDA LAGOA DO CAVALO GRAVATÁ PE

G r a v a t á TRADIÇÃO E QUALIDADE PARA O SEU REBANHO. SÁBADO 30 DE AGOSTO 18:OO H FAZENDA LAGOA DO CAVALO GRAVATÁ PE LEILÃOCaroatá G r a v a t á 2 0 1 4 TRADIÇÃO E QUALIDADE PARA O SEU REBANHO. SÁBADO 30 DE AGOSTO 18:OO H FAZENDA LAGOA DO CAVALO GRAVATÁ PE LEILÃOCaroatá G r a v a t á 2 0 1 4 Este ano, em mais uma edição

Leia mais

Aviso DES ago16.pdf. Regularização CONFEDERAÇÃO DOS AGRICULTORES DE PORTUGAL INFORMAÇÃO DO SECTOR PECUÁRIO JUL 2016 PAG 2

Aviso DES ago16.pdf. Regularização CONFEDERAÇÃO DOS AGRICULTORES DE PORTUGAL INFORMAÇÃO DO SECTOR PECUÁRIO JUL 2016 PAG 2 INFORMAÇÃO JULHO 2016 IFAP Pagamentos Como já referido em anterior Info, em final de Junho foi efectuado um conjunto de pagamentos, entre os quais a última tranche dos prémios ligados na pecuária; os valores

Leia mais

Evolução Recente do Sector dos Pequenos Ruminantes no Alentejo

Evolução Recente do Sector dos Pequenos Ruminantes no Alentejo Evolução Recente do Sector dos Pequenos Ruminantes no Alentejo Claudino Matos ACOS O objectivo deste trabalho é apresentar a evolução recente dos efectivos de pequenos ruminantes no Alentejo bem como dos

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO SOCIOECONÔMICA Imóveis Diretamente Afetados Projeto de Duplicação da Ponte sobre o Rio Tocantins Data Entrevistador Data da Revisão Responsável pela Revisão / / / / Identificação do entrevistado

Leia mais

SEGURANÇA ALIMENTAR. b) Nota de rodapé 3: que outros produtos pode o produtor fornecer para além dos ovos, leite cru e mel?

SEGURANÇA ALIMENTAR. b) Nota de rodapé 3: que outros produtos pode o produtor fornecer para além dos ovos, leite cru e mel? 27.11.2014 SEGURANÇA ALIMENTAR Requisitos relativos à produção animal Questão 1 Relativamente ao indicador 1.1 da Área n.º 2 do Ato 12 do Aviso n.º 8269/2010 Existência de registo atualizado de tipo documental,

Leia mais

ESTATÍSTICA DO SECTOR

ESTATÍSTICA DO SECTOR ESTATÍSTICA DO SECTOR Tendo em conta o universo dos seus associados, a produção de alimentos compostos para animais registou uma quebra de 3.6% em 2008, passando de 3 410 milhares de tons em 2007 para

Leia mais

Certifico que este documento da empresa CELG DISTRIBUIÇÃO S.A. - CELG D, Nire: 52 30000295-8, foi deferido e arquivado na Junta Comercial do Estado

Certifico que este documento da empresa CELG DISTRIBUIÇÃO S.A. - CELG D, Nire: 52 30000295-8, foi deferido e arquivado na Junta Comercial do Estado Pág 12 de 60 Pág 13 de 60 Pág 14 de 60 Pág 15 de 60 Pág 16 de 60 Pág 17 de 60 Pág 18 de 60 Pág 19 de 60 Pág 20 de 60 Pág 21 de 60 Pág 22 de 60 Pág 23 de 60 Pág 24 de 60 Pág 25 de 60 Pág 26 de 60 Pág 27

Leia mais

Certifico que este documento da empresa COOPERATIVA DE CRÉDITO LIVRE ADMISSÃO DO VALE DO SÃO PATRÍCIO LTDA, Nire: 52 40000248-8, foi deferido e

Certifico que este documento da empresa COOPERATIVA DE CRÉDITO LIVRE ADMISSÃO DO VALE DO SÃO PATRÍCIO LTDA, Nire: 52 40000248-8, foi deferido e Pág 38 de 74 Pág 39 de 74 Pág 40 de 74 Pág 41 de 74 Pág 42 de 74 Pág 43 de 74 Pág 44 de 74 Pág 45 de 74 Pág 46 de 74 Pág 47 de 74 Pág 48 de 74 Pág 49 de 74 Pág 50 de 74 Pág 51 de 74 Pág 52 de 74 Pág 53

Leia mais

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº 5512916 em 22/05/2015 da Empresa UNIMED BELO HORIZONTE COOPERATIVA DE TRABALHO

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº 5512916 em 22/05/2015 da Empresa UNIMED BELO HORIZONTE COOPERATIVA DE TRABALHO pág. 2/33 pág. 3/33 pág. 4/33 pág. 5/33 pág. 6/33 pág. 7/33 pág. 8/33 pág. 9/33 pág. 10/33 pág. 11/33 pág. 12/33 pág. 13/33 pág. 14/33 pág. 15/33 pág. 16/33 pág. 17/33 pág. 18/33 pág. 19/33 pág. 20/33

Leia mais

Certifico que este documento da empresa COOPERATIVA DE CRÉDITO DOS MAGISTRADOS, SERVIDORES DA JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS E EMPREGADOS DA CELG LTDA,

Certifico que este documento da empresa COOPERATIVA DE CRÉDITO DOS MAGISTRADOS, SERVIDORES DA JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS E EMPREGADOS DA CELG LTDA, Pág 9 de 58 Pág 11 de 58 Pág 13 de 58 Pág 15 de 58 Pág 17 de 58 Pág 19 de 58 Pág 21 de 58 Pág 23 de 58 Pág 25 de 58 Pág 27 de 58 Pág 29 de 58 Pág 31 de 58 Pág 33 de 58 Pág 35 de 58 Pág 37 de 58 Pág 39

Leia mais

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 21/11/2014 da Empresa ANDRADE GUTIERREZ S/A, Nire e

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 21/11/2014 da Empresa ANDRADE GUTIERREZ S/A, Nire e pág. 1/46 pág. 2/46 pág. 3/46 pág. 4/46 pág. 5/46 pág. 6/46 pág. 7/46 pág. 8/46 pág. 9/46 pág. 10/46 pág. 11/46 pág. 12/46 pág. 13/46 pág. 14/46 pág. 15/46 pág. 16/46 pág. 17/46 pág. 18/46 pág. 19/46 pág.

Leia mais

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico que este documento da empresa COOPERNOVA COOPERATIVA NOVALIMENSE DE TRANSPORTE DE CARGAS E

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico que este documento da empresa COOPERNOVA COOPERATIVA NOVALIMENSE DE TRANSPORTE DE CARGAS E pág. 1/23 pág. 2/23 pág. 3/23 pág. 4/23 pág. 5/23 pág. 6/23 pág. 7/23 pág. 8/23 pág. 9/23 pág. 10/23 pág. 11/23 pág. 12/23 pág. 13/23 pág. 14/23 pág. 15/23 pág. 16/23 pág. 17/23 pág. 18/23 pág. 19/23 pág.

Leia mais

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 13/04/2016 da Empresa ALGAR TI CONSULTORIA S/A, Nire e

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 13/04/2016 da Empresa ALGAR TI CONSULTORIA S/A, Nire e pág. 1/71 pág. 2/71 pág. 3/71 pág. 4/71 pág. 5/71 pág. 6/71 pág. 7/71 pág. 8/71 pág. 9/71 pág. 10/71 pág. 11/71 pág. 12/71 pág. 13/71 pág. 14/71 pág. 15/71 pág. 16/71 pág. 17/71 pág. 18/71 pág. 19/71 pág.

Leia mais

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº 5496096 em 23/04/2015 da Empresa OMEGA GERACAO S.A., Nire 31300093107 e

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº 5496096 em 23/04/2015 da Empresa OMEGA GERACAO S.A., Nire 31300093107 e pág. 1/21 pág. 2/21 pág. 3/21 pág. 4/21 pág. 5/21 pág. 6/21 pág. 7/21 pág. 8/21 pág. 9/21 pág. 10/21 pág. 11/21 pág. 12/21 pág. 13/21 pág. 14/21 pág. 15/21 pág. 16/21 pág. 17/21 pág. 18/21 pág. 19/21 pág.

Leia mais

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 08/05/2015 da Empresa UNIMED JUIZ DE FORA COOPERATIVA DE TRABALHO

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 08/05/2015 da Empresa UNIMED JUIZ DE FORA COOPERATIVA DE TRABALHO pág. 16/49 pág. 17/49 pág. 18/49 pág. 19/49 pág. 20/49 pág. 21/49 pág. 22/49 pág. 23/49 pág. 24/49 pág. 25/49 pág. 26/49 pág. 27/49 pág. 28/49 pág. 29/49 pág. 30/49 pág. 31/49 pág. 32/49 pág. 33/49 pág.

Leia mais

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 19/10/2015 da Empresa COOPERATIVA DE CONSUMO DOS SERVIDORES DO

Junta Comercial do Estado de Minas Gerais Certifico registro sob o nº em 19/10/2015 da Empresa COOPERATIVA DE CONSUMO DOS SERVIDORES DO pág. 1/26 pág. 2/26 pág. 3/26 pág. 4/26 pág. 5/26 pág. 6/26 pág. 7/26 pág. 8/26 pág. 9/26 pág. 10/26 pág. 11/26 pág. 12/26 pág. 13/26 pág. 14/26 pág. 15/26 pág. 16/26 pág. 17/26 pág. 18/26 pág. 19/26 pág.

Leia mais

Certifico que este documento da empresa UNIMED MONTES CLAROS COOPERATIVA DE TRABALHO MEDICO, Nire: , foi deferido e arquivado na Junta

Certifico que este documento da empresa UNIMED MONTES CLAROS COOPERATIVA DE TRABALHO MEDICO, Nire: , foi deferido e arquivado na Junta pág. 1/34 pág. 2/34 pág. 3/34 pág. 4/34 pág. 5/34 pág. 6/34 pág. 7/34 pág. 8/34 pág. 9/34 pág. 10/34 pág. 11/34 pág. 12/34 pág. 13/34 pág. 14/34 pág. 15/34 pág. 16/34 pág. 17/34 pág. 18/34 pág. 19/34 pág.

Leia mais

Tabela de formulários, taxas, croquis e análises para registro de rótulo/produto de origem animal IS 003/06

Tabela de formulários, taxas, croquis e análises para registro de rótulo/produto de origem animal IS 003/06 Iogurte Iogurte Natural Iogurte com Polpa de Iogurte com Pedaços de Iogurte com Suco de Iogurte com Polpa e Suco de Iogurte... Iogurte Natural Parcialmente Iogurte com Polpa de Parcialmente Iogurte com

Leia mais

BENEFÍCIOS E recomendações nutricionais

BENEFÍCIOS E recomendações nutricionais BENEFÍCIOS E recomendações nutricionais Alimentando Vacas Leiteiras com hidropônico verde de forragem (FVH). Deve fornecer de 12 a 18 kg de forragem hidropônica Verde (FVH), divididos em duas partes, geralmente

Leia mais

ESTATÍSTICA DO SECTOR

ESTATÍSTICA DO SECTOR ESTATÍSTICA DO SECTOR Tendo em conta o universo dos associados da IACA, a produção de alimentos compostos para animais registou uma quebra de 1.3%, passando de 3 210 milhares de tons em 2009 para 3 168

Leia mais

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS Direcção-Geral dos Assuntos Comunitários SERVIÇO JURÍDICO D - PROTECÇÃO ANIMAL

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS Direcção-Geral dos Assuntos Comunitários SERVIÇO JURÍDICO D - PROTECÇÃO ANIMAL D - PROTECÇÃO ANIMAL III.D.1.374 L 0577 Directiva 74/577/CEE do Conselho, de 18 de Novembro de 1974, relativa ao atordoamento dos animais antes do seu abate. (JO L 316/10 de 26.11.1974) Decreto-Lei nº

Leia mais

PRODUTOS PESCADO e MARISCO CONGELADO FT Preço

PRODUTOS PESCADO e MARISCO CONGELADO FT Preço PRODUTOS PESCADO e MARISCO CONGELADO 1 ABROTEA INTEIRA granel variavel variavel 10,000 kg s/ consulta 2 higienizado variavel variavel 7,000 kg s/ consulta 3 s/ consulta 4 s/ consulta 5 ABROTEA POSTA granel

Leia mais

ÁGUA. 97% água salgada - ± 3% se restringe a água doce; Perda de toda gordura corporal, metade PTN s e 40% peso vivo Perda 10% - morte.

ÁGUA. 97% água salgada - ± 3% se restringe a água doce; Perda de toda gordura corporal, metade PTN s e 40% peso vivo Perda 10% - morte. ÁGUA 97% água salgada - ± 3% se restringe a água doce; Perda de toda gordura corporal, metade PTN s e 40% peso vivo Perda 10% - morte. PROPRIEDADES E FUNÇÕES Constituinte ativo e estrutural; 70% da carcaça

Leia mais

Direção Geral de Alimentação e Veterinária ROTULAGEM DE ORIGEM. Novas regras. Maria Teresa Carrilho DSNA-DAH

Direção Geral de Alimentação e Veterinária ROTULAGEM DE ORIGEM. Novas regras. Maria Teresa Carrilho DSNA-DAH ROTULAGEM DE ORIGEM Novas regras Maria Teresa Carrilho DSNA-DAH Congresso Nacional da Indústria Portuguesa de Carnes. Lisboa, 6 de maio de 2014 REGULAMENTO (UE) N.º 1169/2011 06-05-2014 2 Principais alterações

Leia mais

Leite de Cabra Departamento de Ciências Econômicas UFSJ. Orientador.: Prof. Ívis Bento de Lima

Leite de Cabra Departamento de Ciências Econômicas UFSJ. Orientador.: Prof. Ívis Bento de Lima Leite de Cabra Departamento de Ciências Econômicas UFSJ Orientador.: Prof. Ívis Bento de Lima Leite de Cabra Uma função social no Município de Coronel Xavier Chaves Aluno: Alexandre Rodrigues Loures A

Leia mais

C ARTA C IRCULAR N.º 01/2004

C ARTA C IRCULAR N.º 01/2004 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO C ARTA C IRCULAR N.º /2004 DATA DE EMISSÃO: 30-11-2004 : 30-11-2004 Assunto: Âmbito: Linha de Crédito de Curto Prazo - Agricultura, Silvicultura e Pecuária Continente Os agricultores

Leia mais

DEPARTAMENTO DE INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL

DEPARTAMENTO DE INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DEPARTAMENTO DE INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL RESOLUÇÃO Nº 1, DE 9 DE JANEIRO DE 2003 O DIRETOR DO DEPARTAMENTO

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2017/1 Mestrado Nutrição e Produção Animal Campus Rio Pomba ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA. Leia, com atenção, antes de começar!

PROCESSO SELETIVO 2017/1 Mestrado Nutrição e Produção Animal Campus Rio Pomba ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA. Leia, com atenção, antes de começar! ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA Leia, com atenção, antes de começar! 1. Este Caderno de Prova contém 10 (dez) questões: 5 (cinco) questões: Linha de Pesquisa 1. Nutrição e Produção de Bovinos; 5 (cinco) questões:

Leia mais

NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano 2017

NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano 2017 GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA AGRICULTURA E DO ABASTECIMENTO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA RURAL Elaboração: SEAB/DERAL/DCA/PECUÁRIA Data: 04/01/2017 NÚMEROS DA PECUÁRIA PARANAENSE Ano

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA UNIDADE DE PRODUÇÃO FAMILIAR UPF

DIAGNÓSTICO DA UNIDADE DE PRODUÇÃO FAMILIAR UPF MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA DA AGRICULTURA FAMILIAR DIAGNÓSTICO DA UNIDADE DE PRODUÇÃO FAMILIAR UPF Entidade/Empresa Nº Contrato 1. DADOS DO BENEFICIÁRIO: Nome: ; Nº da DAP: ; Situação:

Leia mais

Reprodução e Obstetrícia II Ano lectivo de 2012/2013. Data Hora Local Tema Docente 25/02 14.00 A2.16 Bovinos Ciclo reprodutivo e ciclo éstrico

Reprodução e Obstetrícia II Ano lectivo de 2012/2013. Data Hora Local Tema Docente 25/02 14.00 A2.16 Bovinos Ciclo reprodutivo e ciclo éstrico Reprodução e Obstetrícia II Ano lectivo de 2012/2013 Calendário de aulas teóricas (n = 26) ata Hora Local Tema ocente 25/02 14.00.16 Bovinos Ciclo reprodutivo e ciclo éstrico LC 25/02 15.00.16 etecção

Leia mais

Sistema de Defesa Agropecuária - Instruções para Impressão de e-gta para Equinos (Produtor Rural)

Sistema de Defesa Agropecuária - Instruções para Impressão de e-gta para Equinos (Produtor Rural) Instruções para Impressão de e-gta para Equinos (Produtor Rural) A Tabela 1 apresenta os tipos de lançamentos e finalidades de movimentações disponíveis para os produtores/possuidores de eqüídeos. Espécie

Leia mais

Bovino. Talho. Origem

Bovino. Talho. Origem A carne, peixe e ovos são constituídos principalmente por proteínas e gordura. São uma fonte de proteínas de alto valor biológico. As vísceras destacam-se por serem ricas em diversos nutrientes: vitamina

Leia mais

Newsletter Informação Semanal a

Newsletter Informação Semanal a CONJUNTURA SEMANAL - OVINOS Newsletter Informação Semanal 25-01 a 31-01- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana em análise registou-se

Leia mais

Pastagem para ovinos e caprinos

Pastagem para ovinos e caprinos Pastagem para ovinos e caprinos Hábitos alimentares Classes Ruminante Não ruminante Selecionadores de concentrado, frutos e folhas Brotos e folhas de árvores e arbustos (baixa fibra) Consumidores intermediários

Leia mais

Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia

Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia Ajuste na taxa de lotação Magno José Duarte Cândido Núcleo de Ensino e Estudos em Forragicultura- NEEF/DZ/CCA/UFC magno@ufc.br

Leia mais

EXIGÊNCIAS PARA TRÂNSITO DE ANIMAIS MATO GROSSO DO SUL - 2004

EXIGÊNCIAS PARA TRÂNSITO DE ANIMAIS MATO GROSSO DO SUL - 2004 1. ANIMAIS AQUÁTICOS (PEIXES, MOLUSCOS E CRUSTÁCEOS EM QUALQUER FASE DE DESENVOLVIMENTO: ALEVINOS, ISCAS, LARVAS, ETC) Trânsito de espécies cultivadas (nativas e exóticas) Trânsito de espécies coletadas

Leia mais

L 213/42 Jornal Oficial da União Europeia

L 213/42 Jornal Oficial da União Europeia L 213/42 Jornal Oficial da União Europeia 8.8.2008 DECISÃO DA COMISSÃO de 30 de Julho de 2008 que altera a Directiva 82/894/CEE do Conselho relativa à notificação de doenças dos animais na Comunidade,

Leia mais

Staldren. Um produto de. J.N. Jorenku

Staldren. Um produto de. J.N. Jorenku Durante todo o Staldren Um produto de J.N. Jorenku O desinfectante seco eficaz Staldren é um produto de desinfecção Dinamarquês, testado exaustivamente por laboratórios internacionalmente reconhecidos

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO - SRP 002 / 2010 À COMISSÂO DE PREGÃO

PREGÃO ELETRÔNICO - SRP 002 / 2010 À COMISSÂO DE PREGÃO PREGÃO ELETRÔNICO - SRP 002 / 2010 Objeto: Alimento e Suplemento para Animais Processo: 23000.000155/2010-21 Seção Pública: 22/03/2010, segunda-feira às 09:00 hs À COMISSÂO DE PREGÃO PREZADOS SENHORES:

Leia mais

PRODUTO ELABORADO E ENVASADO NA ESPANHA

PRODUTO ELABORADO E ENVASADO NA ESPANHA PRODUTO ELABORADO E ENVASADO NA ESPANHA QUEIJO MANCHEGO DENOMINAÇÃO DE ORIGEM QUEIJO MANCHEGO SEMICURADO - DENOMINAÇÃO ORIGEM CURAÇÃO: minimo 90 dias CAPACIDADE: 2 peças por caixa PESO NETO UNIDADE: 3

Leia mais

Prof. Anderson Rodrigo da Silva.

Prof. Anderson Rodrigo da Silva. Prof. Anderson Rodrigo da Silva anderson.silva@ifgoiano.edu.br Sobre Estatística Conjunto de conceitos e métodos. Ciência que recolhe fatos e fenômenos, analisa-os e interpreta-os quanto ao número de frequência,

Leia mais

Pagamento dos Prémios Ajudas do POSEI. Campanha 2007-2008. (16 de Outubro de 2008)

Pagamento dos Prémios Ajudas do POSEI. Campanha 2007-2008. (16 de Outubro de 2008) Pagamento dos Prémios Ajudas do POSEI Campanha 2007-2008 (16 de Outubro de 2008) Informa-se os agricultores que decorrerá no próximo dia 16 de Outubro, o pagamento das seguintes ajudas do POSEI campanha

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Melhoramento Animal Código: VET224 Curso: Medicina Veterinária Semestre de oferta: 4 Faculdade responsável: Medicina Veterinária Programa em vigência a partir de: Créditos:

Leia mais

Caraterização agropecuária da Região Centro e valorização dos seus efluentes pecuários

Caraterização agropecuária da Região Centro e valorização dos seus efluentes pecuários Caraterização agropecuária da Região Centro e valorização dos seus efluentes pecuários Francisco Viriato de Matos Viegas e Castro Engº Agrº/ Chefe de Divisão Divisão de Infraestruturas e Ambiente Seminário

Leia mais

X Censo Agropecuário Questionário Geral

X Censo Agropecuário Questionário Geral MUNICÍPIO X Censo Agropecuário Questionário Geral 0 IDENTIFICAÇÃO E LOCALIZAÇÃO DO ESTABELECIMENTO AGROPECUÁRIO IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO NO SETOR 0 - UF 0 - MUNICÍPIO 0 - DISTRITO 0 - SUBDISTRITO

Leia mais

Manejo de pastagens Consumo de forragem

Manejo de pastagens Consumo de forragem Universidade Federal do Ceará Centro de Ciências Agrárias Departamento de Zootecnia Manejo de pastagens Consumo de forragem Magno José Duarte Cândido magno@ufc.br Núcleo de Ensino e Estudos em Forragicultura-

Leia mais

Questões Frequentes relativas ao Regime de Apoio Associado

Questões Frequentes relativas ao Regime de Apoio Associado Questões Frequentes relativas ao Regime de Apoio Associado A presente nota de divulgação tem por objectivo facultar esclarecimentos sobre as regras de atribuição dos pagamentos anuais dos prémios à vaca

Leia mais

A este tipo de transporte aplica-se o Decreto-lei nº 265/2007 e o Regulamento 1/2005, nomeadamente no que se refere:

A este tipo de transporte aplica-se o Decreto-lei nº 265/2007 e o Regulamento 1/2005, nomeadamente no que se refere: A- TRANSPORTES DE ANIMAIS REALIZADOS NO TERRITÓRIO NACIONAL, PELOS AGRICULTORES NOS SEUS PRÓPRIOS MEIOS DE TRANSPORTE E DOS SEUS PRÓPRIOS ANIMAIS, NUMA DISTÂNCIA INFERIOR A 50 KM Neste tipo de transporte

Leia mais

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DAS CARNES

EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DAS CARNES EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO SECTOR DAS CARNES Versão actualizada em Fevereiro de 211 Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares EVOLUÇÃO DA BALANÇA DE PAGAMENTOS DO

Leia mais

BIOQUÍMICA DA ÁGUA. Disciplina: Bioquímica, Prof. Dr. Vagne Oliveira E-mail: vagne_melo_oliveira@outlook.com

BIOQUÍMICA DA ÁGUA. Disciplina: Bioquímica, Prof. Dr. Vagne Oliveira E-mail: vagne_melo_oliveira@outlook.com BIOQUÍMICA DA ÁGUA Disciplina: Bioquímica, Prof. Dr. Vagne Oliveira E-mail: vagne_melo_oliveira@outlook.com ÁGUA Substância mais abundante nos seres vivos; É uma substância líquida, incolor, inodora e

Leia mais

Capítulo 2. Carnes e miudezas, comestíveis

Capítulo 2. Carnes e miudezas, comestíveis Capítulo 2 Carnes e miudezas, comestíveis Nota. 1.- O presente Capítulo não compreende: a) No que diz respeito às posições 02.01 a 02.08 e 02.10, os produtos impróprios para a alimentação humana; b) As

Leia mais

FORM-IN - FORMULÁRIO DE INVESTIGAÇÃO DE DOENÇAS (INICIAL) Versão:jun/03

FORM-IN - FORMULÁRIO DE INVESTIGAÇÃO DE DOENÇAS (INICIAL) Versão:jun/03 FORM-IN - FORMULÁRIO DE INVESTIGAÇÃO DE DOENÇAS (INICIAL) Versão:jun/03 N.º FORM-IN N.º estadual do foco N.º nacional do foco Ano U.F. Página: 1 de 5 Se for o caso, assinalar na lacuna à direita o número

Leia mais

Pecuária na Região Nordeste 2000 a 2014

Pecuária na Região Nordeste 2000 a 2014 Pecuária na Região Nordeste 2000 a 2014 Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste ETENE Célula de Informações Econômicas, Sociais e Tecnológicas CIEST Fortaleza, Junho de 2015 Pecuária na Região

Leia mais

Ailena Sudo Salgado. Fabiana Góes de Almeida Nobre. Angela Escosteguy

Ailena Sudo Salgado. Fabiana Góes de Almeida Nobre. Angela Escosteguy Ailena Sudo Salgado Fabiana Góes de Almeida Nobre Angela Escosteguy OBJETIVOS DA LEGISLAÇÃO - Estabelecer conceitos, definições e princípios; - Estabelecer um conjunto de normas e procedimentos. A publicação

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia L 40/7

Jornal Oficial da União Europeia L 40/7 11.2.2009 Jornal Oficial da União Europeia L 40/7 REGULAMENTO (CE) N. o 124/2009 DA COMISSÃO de 10 de Fevereiro de 2009 que define limites máximos para a presença de coccidiostáticos ou histomonostáticos

Leia mais

Azeites De 25 de Novembro de 2013 a 04 de Janeiro de 2014

Azeites De 25 de Novembro de 2013 a 04 de Janeiro de 2014 Azeites CUIDE DO MEIO AMBIENTE Se imprimir este folheto, colabore para a sua reciclagem, colocando-o no ecoponto. Sede: Semino, 8125-303 Quarteira Tel: +351 289 300 320 Fax: +351 289 300 329 - Matriculada

Leia mais

Balanço Bruto de Nutrientes Azoto e Fósforo

Balanço Bruto de Nutrientes Azoto e Fósforo Balanço Bruto de Nutrientes Azoto e Fósforo I - Caracterização geral Descrição: Os Balanços dos Nutrientes, azoto e fósforo, representam uma quantificação dos desequilíbrios observados entre a incorporação

Leia mais

Avicultura. Zootecnia I Aves e Suínos. Avicultura Histórico da Avicultura Brasileira

Avicultura. Zootecnia I Aves e Suínos. Avicultura Histórico da Avicultura Brasileira Zootecnia I Aves e Suínos Prof. Edney Pereira da Silva Fabrício Faleiros de Castro M.Sc Unesp FCAV Principais segmentos Frangos de corte Poedeiras comerciais Reprodutoras Incubatório Fábrica de ração Perus

Leia mais

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0001

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0001 TERMO DE ADJUDICAÇÃO Às 10:01 horas do dia 13 de fevereiro de 2012, o Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de Capinzal, designado pela portaria 13/2011 após analise da documentação do Pregão Eletrônico

Leia mais

Catalogação recomendada

Catalogação recomendada AÇORES Catalogação recomendada INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA Recenseamento geral da agricultura : 999 : Açores : principais resultados / Instituto Nacional de Estatística. Lisboa : INE, 00. 40 p. :

Leia mais

ESPECIAL OVOS EMBALADOS

ESPECIAL OVOS EMBALADOS CUIDE DO MEIO AMBIENTE Se imprimir este folheto, colabore para a sua reciclagem, colocando-o no ecoponto. Sede: Semino, 8125-303 Quarteira Tel: +351 289 300 320 Fax: +351 289 300 329 - Matriculada na C.R.C.

Leia mais

Nas últimas duas décadas, o nível de instrução dos agricultores e a sua idade média aumentaram

Nas últimas duas décadas, o nível de instrução dos agricultores e a sua idade média aumentaram Nas últimas duas décadas, o nível de instrução dos agricultores e a sua idade média aumentaram O Instituto Nacional de Estatística produz, desde o início dos anos 80, um vasto conjunto de estatísticas

Leia mais

PECUÁRIA BIOLÓGICA. (Reg. 2082/91, modificado)

PECUÁRIA BIOLÓGICA. (Reg. 2082/91, modificado) PECUÁRIA BIOLÓGICA (Reg. 2082/91, modificado) SATIVA Controlo e Certificação de Produtos Av. Visconde de Valmor, 11, 3º. 1000-289 Lisboa sativa@sativa.pt www.sativa.pt Introdução consumidores - preocupações

Leia mais

Santa Maria - RS

Santa Maria - RS MERCADO INTERNO E DE EXPORTAÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL XXVI CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOTECNIA ZOOTEC 2016 SIMPÓSIO III: MARKETING E EMPREENDEDORISMO Santa Maria - RS 13-05-2016 POSIÇÃO DO BRASIL

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia L 335/3

Jornal Oficial da União Europeia L 335/3 13.12.2008 Jornal Oficial da União Europeia L 335/3 REGULAMENTO (CE) N. o 1242/2008 DA COMISSÃO de 8 de Dezembro de 2008 que estabelece uma tipologia comunitária das explorações agrícolas A COMISSÃO DAS

Leia mais

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50

NEWS BRASIL SEM FRONTEIRAS ABC & ANO IV N o 04 R$ 19,50 ASSOCIAÇÃO 1 DORPER BRASIL SEM FRONTEIRAS NEWS ANO IV N o 04 R$ 19,50 9 771414 620009 0 2 ORGÃO OFICIAL DA ASSOCIAÇÃO ABC & DORPER B R A S I L BRASILEIRA DOS CRIADORES DE DORPER BIOTECNOLOGIAS REPRODUTIVAS

Leia mais

A evolução do sector da pecuária em Moçambique (2002-2012)

A evolução do sector da pecuária em Moçambique (2002-2012) A evolução do sector da pecuária em Moçambique (2002-2012) Gerson Machel (DNSV) Jaquelino Massingue (MSU) 19 de Dezembro de 2013 Seminario sobre estudos tematicos do TIA, Hotel VIP, Maputo Estrutura da

Leia mais

Inquérito aos Agrupamentos Gestores de Produtos com Nomes Protegidos DOP/IGP/ETG 2008 e 2009

Inquérito aos Agrupamentos Gestores de Produtos com Nomes Protegidos DOP/IGP/ETG 2008 e 2009 Inquérito aos Agrupamentos Gestores de s com Nomes Protegidos DOP/ /IGP/ETG 28 e 29 1 Índice 1 Introdução... 1 2 s de Qualidade Certificada... 3 2.1 Setor do Queijo... 4 2.2 Setor da Carne de Bovino...

Leia mais

Inquérito. aos Agrupamentos Gestores de Produtos DOP/IGP/ETG. 2010 e 2011

Inquérito. aos Agrupamentos Gestores de Produtos DOP/IGP/ETG. 2010 e 2011 Inquérito aos Agrupamentos Gestores de s DOP/IGP/ETG e Julho 2014 i Índice Índice... i 1 Introdução... 1 2 Interpretação de Resultados... 2 3 Apresentação de Resultados... 3 3.1 Queijo... 3 3.2 Carne de

Leia mais

Licenciamento Agro-Industrial

Licenciamento Agro-Industrial Direção Regional de Agricultura e Pescas de Lisboa e Vale do Tejo Licenciamento Agro-Industrial Agricultura Presente, um Projecto com Futuro Agricultura Presente, um Projeto com Futuro Santarém 16 de Novembro,

Leia mais

ANEXO AO COMUNICADO: PAUTA PARA CÁLCULO DO ICMS DE GADO E CARNE ORIGINADAS DE SÃO PAULO

ANEXO AO COMUNICADO: PAUTA PARA CÁLCULO DO ICMS DE GADO E CARNE ORIGINADAS DE SÃO PAULO I - GADO EM CONDIÇÕES DE ABATE DISCRIMINAÇÃO UNIDADE VALOR - R$ BOI CABEÇA 2.550,00 NOVILHO PRECOCE (BOVINO) CABEÇA 2.250,00 BÚFALO CABEÇA 2.240,00 BÚFALO PRECOCE (IDADE ATÉ 24 MESES) CABEÇA 2.100,00 VACA

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO PARA EMISSÃO DE GUIA DE TRÂNSITO ANIMAL PARA AVES E OVOS FÉRTEIS COM FINALIDADE DE PRODUÇÃO DE CARNE, OVOS E MATERIAL GENÉTICO

MANUAL DE PREENCHIMENTO PARA EMISSÃO DE GUIA DE TRÂNSITO ANIMAL PARA AVES E OVOS FÉRTEIS COM FINALIDADE DE PRODUÇÃO DE CARNE, OVOS E MATERIAL GENÉTICO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA SDA DEPARTAMENTO DE SAÚDE ANIMAL DSA COORDENAÇÃO DE TRÃNSITO E QUARENTENA ANIMAL CTQA MANUAL DE PREENCHIMENTO PARA

Leia mais

RESUMO DAS CARATERÍSTICAS DO MEDICAMENTO

RESUMO DAS CARATERÍSTICAS DO MEDICAMENTO RESUMO DAS CARATERÍSTICAS DO MEDICAMENTO Página 1 de 19 1. NOME DO MEDICAMENTO VETERINÁRIO Vitalbion solução injetável para bovinos, ovinos e suínos 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada ml contém:

Leia mais

Sejam bem-vindos ao Rédeas Curtas!

Sejam bem-vindos ao Rédeas Curtas! Sejam bem-vindos ao Rédeas Curtas! No passado a vida no Alentejo era muito dura e os recursos económicos escassos. A maioria dos pratos tradicionais do cozinha alentejana são simples mas criativos, resultado

Leia mais

COOPERATIVA LANGUIRU

COOPERATIVA LANGUIRU COOPERATIVA LANGUIRU Iniciativas em prol da permanência do jovem associado nas propriedades Renato Kreimeier Vice-presidente Engenheiro Agrônomo Especialista em Gestão de Cooperativas Pós-graduando em

Leia mais

SELEÇÃO E CUIDADOS COM AS RAQUETES

SELEÇÃO E CUIDADOS COM AS RAQUETES P A L PALMA GIGANTE PALMA MIÚDA PALMA MIÚDA P A L PALMA REDONDA SELEÇÃO E CUIDADOS COM AS RAQUETES PLANTAS MATRIZES SELEÇÃO DAS RAQUETES SELEÇÃO DAS RAQUETES SELEÇÃO DAS RAQUETES P A L CURA CURA CURA CURA

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO MATÉRIAS-PRIMAS UTILIZADAS EM ALIMENTAÇÃO ANIMAL

CLASSIFICAÇÃO MATÉRIAS-PRIMAS UTILIZADAS EM ALIMENTAÇÃO ANIMAL I - INGREDIENTES DE ORIGEM VEGETAL ALFAFA Feno moído de alfafa 1214.10.00 8 Folhas desidratadas de alfafa 1214.90.00 8 ALGODÃO Farelo de algodão (solvente) 2306.10.00 6 Torta de algodão 2306.10.00 6 Casca

Leia mais

Proposta de DIRETIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO

Proposta de DIRETIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 11.2.2014 COM(2014) 4 final 2014/0033 (COD) Proposta de DIRETIVA DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que altera as Diretivas 89/608/CEE, 90/425/CEE e 91/496/CEE no que diz respeito

Leia mais

Minerais Matsuda. Fós Leite. Lac Gold. Lac Gest. Lac Guardian. Lac Parto. Cocho. Sem tamponante para ração. Tamponado para ração

Minerais Matsuda. Fós Leite. Lac Gold. Lac Gest. Lac Guardian. Lac Parto. Cocho. Sem tamponante para ração. Tamponado para ração Fós eite uplemento mineral pronto para uso para rebanhos de leite. 25 kg = Código 18945 inerais atsuda ac Gest uplemento mineral para mistura para rebanhos de leite que recebem volumoso e/ou concentrado

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO N 43/2012 REGISTRO DE PREÇOS Nº 36/2012 LISTAGEM DO MENOR PREÇO REGISTRADO ALIMENTOS PERECÍVEIS FRIOS, DERIVADOS, CARNES

PREGÃO ELETRÔNICO N 43/2012 REGISTRO DE PREÇOS Nº 36/2012 LISTAGEM DO MENOR PREÇO REGISTRADO ALIMENTOS PERECÍVEIS FRIOS, DERIVADOS, CARNES PREGÃO ELETRÔCO N 43/2012 REGISTRO DE PREÇOS Nº 36/2012 LISTAGEM DO MENOR PREÇO REGISTRADO ALIMENTOS PERECÍVEIS FRIOS, DERIVADOS, CARNES VALIDADE: Início: 28/06/2012 Témino: 27/06/2013 ITEM QUANT ANUAL

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE

BOVINOCULTURA DE CORTE ISS 36-9 BOVINOCULTURA DE CORTE Os preços médios da arroba do boi e da vaca, em Mato Grosso do Sul, no mês de fevereiro, foram de R$8,8 e R$,99, respectivamente. Em relação ao mês anterior, houve um avanço

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Único CT-e para vários destinatários e um tomador

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Único CT-e para vários destinatários e um tomador Único CT-e para vários destinatários e um tomador 01/04/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão...

Leia mais

Desafios da Segurança Alimentar

Desafios da Segurança Alimentar Auditório II Centro de Reuniões da FIL Parque das Nações Desafios da Segurança Alimentar Graça Mariano Lisboa, 29 de Setembro de 2010 MISSÃO (DL 237/2005; DL 274/2007) Avaliar e comunicar os riscos na

Leia mais