SEFAZ-RJ NOTA TÉCNICA. Receita Declarada e Informada: Análise de uma Amostra de Estabelecimentos do Estado do Rio de Janeiro

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SEFAZ-RJ NOTA TÉCNICA. Receita Declarada e Informada: Análise de uma Amostra de Estabelecimentos do Estado do Rio de Janeiro"

Transcrição

1 SEFAZ-RJ NOTA TÉCNICA Receita Declarada e Informada: Análise de uma Amostra de Estabelecimentos do Estado do Rio de Janeiro 13 de Novembro de 2007

2 Receita Declarada e Informada: Análise de uma Amostra de Estabelecimentos do Estado do Rio de Janeiro A presente nota técnica tem como objetivo analisar padrões de faturamento de um grupo de estabelecimentos no Estado do Rio de Janeiro e possíveis omissões de receita. Para isso, foram comparados os valores de faturamento mensais declarados pelos empreendedores na DECLAN 1 com os dados de faturamentos associados a vendas com cartão de crédito, relativos ao ano de 2006, informado pelas respectivas administradoras. Ao todo inscrições estaduais foram analisadas neste estudo. Elas se referem a contribuintes cujo somatório (dos 12 meses) das diferenças entre as informações das vendas realizadas em cartão de crédito e ou débito automático e os dados do faturamento total informado pelo contribuinte (na DECLAN 2006) for superior a R$ ,00. Como o faturamento de uma empresa inclui outras formas de pagamento além de cartão de crédito (efetivo, cheque, crediário próprio, etc.), o fato da soma das vendas com crédito ou débito automático ser maior que o valor do faturamento total declarado pelo contribuinte pode ser considerado como um indício de omissão de receita. As Tabelas 1, 2, 3 e 4 apresentam uma primeira análise da magnitude da insuficiência do faturamento declarado de muitos estabelecimentos no Estado do Rio de Janeiro. Em todas as tabelas são apresentadas: o total do faturamento destes 1,031 estabelecimentos segundo a DECLAN, o faturamento informado pelas administradoras de cartão de crédito e a diferença entre os dois valores. A diferença total equivale a um acréscimo de cerca de 150% sobre o faturamento declarado. Os setores de atividade (CNAE) na amostra que concentram a maior parte da discrepância são Comércio Varejista e Reparação de Automóveis, os quais respondem por 85% da 1 A Declaração Anual para o IPM (DECLAN-IPM), modelo único, é o documento que se destina à apuração do valor adicionado nas operações relativas à circulação de mercadorias e nas prestações de serviços alcançados pela incidência do ICMS, realizadas no Estado, visando a compor o cálculo dos Índices de Participação dos Municípios (IPM) na Arrecadação do ICMS, conforme disposto no artigo 3.º da Lei Complementar Federal n.º 63/

3 arrecadação não declarada, seguidos pelo setores de Alojamento e Alimentos, que respondem por quase todos os 15% restantes (Tabela 2). No primeiro setor também há uma relação mais alta entre valor informado pelas administradoras (que corresponde a parte do faturamento) e o faturamento total declarado o valor das administradoras sendo duas e vezes maior que o declarado (a diferença é 152%). Outro resultado interessante diz respeito a relação entre tempo de abertura e discrepâncias no faturamento: as empresas com menos tempo de abertura foram também aquelas que apresentaram as maiores discrepancias no faturamento (Tabela 3). Note-se que isso não tem a ver necessariamente com dificuldades de pequenas ou novas empresas, mas pode refletir a tendência de empresas com problemas no fisco fecharem e reabrirem com novo CNPJ. Essa prática, aliás, tende a prejudicar a realização da arrecadação decorrente dos autos, especialmente se a sucessão tributária não for aplicada de maneira rigorosa e ampla. Finalmente, a discrepância é proporcionalmente menor entre as empresas que apresentam maiores valores de faturamento total na DECLAN (Tabela 4). Isto pode estar associado ao fato de que empresas que cresceram tendam a ser mais formais, ou porque aquelas que optam pela formalidade terão para o mesmo valor de negócios efetivos, um valor declarado maior. Tabela 1 Faturamento Declan, Vendas registradas pelas Administradoras de Cartão de Crédito e Diferença por mês: Mês DECLAN Cartão de Crédito Diferença 2006m1 1,511, , ,407, m2 20,814, ,684, ,869, m3 23,768, ,684, ,916, m4 21,253, ,240, ,987, m5 22,966, ,522, ,555, m6 22,242, ,372, ,130, m7 22,622, ,100, ,477, m8 9,497, ,430, ,066, m9 9,973, ,046, ,927, m10 26,651, ,486, ,834, m11 27,284, ,691, ,406, m12 38,757, ,933, ,176, Total 247,344, ,296, ,951,

4 Tabela 2 Faturamento Declan, Vendas registradas pelas Administradoras de Cartão de Crédito e Diferença por Tipo de Estabelecimento DECLAN Cartão de Crédito Diferença (B- A) (B/ A -1) ALOJAMENTO E ALIMENTAÇÃO , , ,66 125% COMÉRCIO; REPARAÇÃO DE VEÍCULOS , , ,34 152% INDÚSTRIAS DE TRANSFORMAÇÃO , , ,45 57% INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO , ,34 -- OUTRAS ATIVIDADES DE SERVIÇOS , , ,13 67% TRANSPORTE, ARMAZENAGEM E CORREI , ,08 -- Total , , ,01 147% Tabela 3 Faturamento Declan, Vendas registradas pelas Administradoras de Cartão de Crédito e Diferença por tempo de funcionamento: Tempo de Funcionamento (em anos) DECLAN Cartão de Crédito Diferença 0 to 2 55,357, ,140, ,782, to 4 38,704, ,556, ,852, to 7 27,060, ,945, ,885, to 15 61,024, ,226, ,201, to 29 65,197, ,427, ,229, Total 247,344, ,296, ,951, Tabela 4 Faturamento Declan, Vendas registradas pelas Administradoras de Cartão de Crédito e Diferença por faixa de faturamento segundo a Declan: Faixa de Faturamento segundo DECLAN DECLAN Cartão de Crédito Diferença 0.00 to ,471, ,471, to 44, ,267, ,643, ,376, , to 125,000 16,683, ,637, ,954, , to 340,000 44,918, ,831, ,912, , to 12,000, ,475, ,713, ,237, Total 247,344, ,296, ,951, A Tabela 5 apresenta as discrepâncias entre faturamento declarado pelo contribuinte e informado pela operadora na amostra, organizado por municípios do estado, selecionando alguns dos mais expressivos (a tabela com todos os municípios está no anexo no final do texto). Como se pode observar 73% da omissão de receita está concentrada na cidade do Rio de Janeiro, que é seguido por 6.5% na cidade de Niterói. Em ambos os casos, a omissão 4

5 de receita representa mais do que 30% do faturamento declarado. Embora parte deste resultado esteja correlacionada com outros aspectos já analisados, como tamanho e idade dos empreendimentos, ou CNAE de atividade dos mesmos, vale notar que a dimensão geográfica deste problema permite a focalização espacial de ações públicas. Tabela 5 Faturamento Declan, Vendas registradas pelas Administradoras de Cartão de Crédito e Diferença por Município: Município Declan Cartões de Receita Omitida Tamanho relativo Participação do Crédito da omissão de Município no total receita de receta omitida RIO DE JANEIRO % 73.21% NITEROI % 6.83% PETROPOLIS % 2.11% DUQUE DE CAXIAS % 1.60% NOVA FRIBURGO % 1.58% NOVA IGUACU % 1.45% VOLTA REDONDA % 1.40% SAO GONCALO % 1.21% NILOPOLIS % 1.17% SEROPEDICA % 0.87% SAO JOAO DE MERI % 0.80% ITABORAI % 0.75% RIO DAS OSTRAS % 0.60% RESENDE % 0.53% CABO FRIO % 0.50% SAPUCAIA % 0.49% TERESOPOLIS % 0.43% CAMPOS DOS GOYTA % 0.42% PARATI % 0.42% ITAGUAI % 0.42% MACAE % 0.39% BARRA MANSA % 0.37% GUAPIMIRIM % ANGRA DOS REIS % 0.25% OUTROS % 1,93% Total % % De acordo com a Tabela 6, os municípios com maior índice de omissão de receita nessa amostra são Iguaba Grande, Sapucaia e Areal, seguidos de Seropédica, e Campos. Em todos esses casos, o valor informado pela operadora de cartões excede em pelo menos 20 vezes o valor declarado. A discrepância é quase dessa ordem ainda em Araruama e Friburgo. 5

6 Entre os 30 municípios de maior discrepância proporcional, os valores declarados totais são em media ao menos 3 vezes menores que os valores informados pelas administradoras. Tabela 6 Diferença entre valores declarados por Município por tamanho relativo da omissão de receita: Município Declan Cartões de Crédito Receita Omitida Participação do Município no total de receta omitida IGUABA GRANDE % SAPUCAIA % AREAL % SEROPEDICA % CAMPOS DOS GOYTA % ARARUAMA % NOVA FRIBURGO % BARRA MANSA % CARMO % MANGARATIBA % JAPERI % BOM JESUS DO ITA % NILOPOLIS % SAO GONCALO % PARATI % RESENDE % PATY DO ALFERES % VALENCA % MESQUITA % SAO JOAO DE MERITY % OUTROS % Total % Embora a declaração a menor do faturamento seja por si só um indicador importante, para uma dimensão mais acurada da perda de arrecadação faz-se necessário estimar algum tipo de alíquota efetiva dos estabelecimentos evolvidos. A tabela 7 apresenta esta estimativa para a amostra, aplicando a alíquota efetiva estimada a cada mês (coluna C) à diferença entre o faturamento informado pelas administradoras de cartão de crédito (D) e o faturamento declarado (A). Por esse cálculo a arrecadação para as 640 empresas da amostra que possuíam dados para todos os meses passaria de 8 milhões para aproximadamente R$ 19 milhões, ou seja, um crescimento mais de R$10 milhões ou de 6

7 quase 140%. Essa estimativa de arrecadação é um valor mínimo, pois não considera o aumento proporcional do faturamento pago por outro meios (e.g., efetivo e cheques), ou se a alíquota efetiva está correta ou muito baixa (e.g., devido a superestimativa das entradas e, portanto dos créditos de ICMS). Tabela 7 Estimativa de Arrecadação Adicional por Adequação do Faturamento: Arrecadação Mês Cartão de DECLAN Arrecadação Aliquota Efetiva potencial adicional Crédtio (A) (B) ( C = B / A ) estimada (D) ( E = (D/A-1)* C ) 2006m1 1,447, , % 83, (22.644,07) 2006m2 20,029, , % 28,918, , m3 22,771, , % 64,358, , m4 20,484, , % 58,446, , m5 22,268, , % 61,144, , m6 21,559, , % 57,631, , m7 21,979, , % 62,956, , m8 9,209, , % 5,971, ( ,49) 2006m9 9,652, , % 4,639, ( ,69) 2006m10 25,917, , % 69,736, , m11 26,463, , % 71,810, , m12 37,849, , % 60,231, ,06 Total 239,632, ,289, % 545,929, ,63 Uma observação interessante é o comportamento das empresas do Simples na amostra. Verifica-se que algumas delas têm um faturamento identificado pelas administradoras acima do teto de R$ 2,4 milhões anuais (Tabela 8). Além disso, nota-se que tipicamente, o faturamento declarado é por volta da metade da receita informada pelas administradoras de cartão. Essa discrepância é ainda mais significativa (média de 500%) para as empresas que declaram um faturamento abaixo de R$ 50, ao ano, indicando um alto grau de omissão nos valores declarados por muitas empresas no Simples 7

8 Tabela 8 Distribuição do Faturamento das Empresas no Simples na Amostra Faixa de Faturamento Faturamento Faturamento Diferença Diferença % das Anual (R$ mil) Medio Operadora (R$/ano) Medio Declarado (R$/ano) (R$/ano) Percentual firmas no SIMPLES na amostra x > 2, % 1,1% 2,400 > x > 1, % 5,5% 1000 > x > % 7,3% 640 > x > % 13,8% % 27,3% 200 > x > % 32,5% < % 12,5% Media todas as faixas % Soma todas as faixas % Outro setor com discrepâncias relevantes é o de Restaurantes, churrascarias, e lanchonetes. Conquanto haja um número significativo de estabelecimentos na amostra com valores informados pelas administradoras e declarados pelo contribuinte compatíveis, são bastante comuns casos de estabelecimentos com faturamento em cartão da ordem de centenas de milhares de reais e faturamento declarado de R$ Considerando-se que o segmento tem um tratamento especial de tributação a 4% do valor do faturamento, a correção dessas discrepâncias na amostra (aproximadamente 100 restaurantes) deve proporcionar no mínimo R$ 1,5 milhão por ano de arrecadação suplementar. 8

9 Figura 1 Faturamento Declarado Total e Capturado pelas Administradoras Setor Bar e Restaurantes até R$ 1 milhão de Faturamento Declarado Até agora a análise foi univariada, ou seja, verifica-se como a discrepância se comporta em função de uma única variável, como o tamanho da empresa, o setor em que atua, ate. No entanto, uma análise mais acurada precisa considerar como todas essas variáveis interagem, para identificar a contribuição individual de cada um. Para isso, existe a análise multivariada, que é conduzida a seguir. A Tabela 10 apresenta os coeficientes de uma regressão linear estimada por mínimos quadrados ordinários e variância robusta a presença de heterocedasticidade. A primeira coluna apresenta a média da discrepância na amostra para cada variável, a coluna dois apresenta a magnitude do coeficiente, e a terceira e última coluna apresenta a estatística t do coeficiente apresentado. Controlando para os fatores como tamanho da empresa e seu tempo de vida, os setores de atividade que apresentaram a maior tendência discrepância entre faturamento declarado e informado pela operadora (valor do coeficiente) são transporte rodoviário de carga, 9

10 edição, comércio varejista, hotéis, e comércio varejista de combustíveis para automóveis. Essa sensibilidade é condicionada a todas as demais características observáveis incluídas na análise, diminuindo o risco de se estar incorporando algum tipo de efeito composição nesses indicadores de tendência setorial. Tabela 10 Determinantes da discrepância entre valor informado pela operadora e declarado pelo contribuinte Média Coeficiente Estatistica T Faixa Faturamento = 0.01 to 44, Faixa Faturamento = 44, to 125, , Faixa Faturamento = 126, to 344, , *** Faixa Faturamento = 344, to 12,884, , *** Tempo Funcionamento = 3 to , *** Tempo Funcionamento = 5 to , *** Tempo Funcionamento = 8 to , *** Tempo Funcionamento = 16 to , *** Grupo CNAE = CONFECÇÃO DE ARTIGOS DO VESTUÁRIO E ACESSÓRIOS , Grupo CNAE = EXTRAÇÃO DE OUTROS MINERAIS NÃO METÁLICOS , Grupo CNAE = FABRICAÇÃO DE ARTEFATOS DE CONCRETO, CIMENTO, F , Grupo CNAE = FABRICAÇÃO DE MÓVEIS , Grupo CNAE = FABRICAÇÃO DE PRODUTOS DIVERSOS , *** Grupo CNAE = COMÉRCIO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES , Grupo CNAE = MANUTENÇÃO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES , *** Grupo CNAE = COMÉRCIO DE PEÇAS E ACESSÓRIOS PARA VEÍCULOS AU , *** Grupo CNAE = COMÉRCIO ATACADISTA ESPECIALIZADO EM PRODUTOS A , ** Grupo CNAE = COMÉRCIO ATACADISTA DE PRODUTOS DE CONSUMO NÃO , Grupo CNAE = COMÉRCIO VAREJISTA NÃO- ESPECIALIZADO , *** Grupo CNAE = COMÉRCIO VAREJISTA DE PRODUTOS ALIMENTÍCIOS, BE , *** Grupo CNAE = COMÉRCIO VAREJISTA DE COMBUSTÍVEIS PARA VEÍCULO , *** Grupo CNAE = COMÉRCIO VAREJISTA DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO Grupo CNAE = COMÉRCIO VAREJISTA DE EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTI , * Grupo CNAE = COMÉRCIO VAREJISTA DE ARTIGOS CULTURAIS, RECREA Grupo CNAE = COMÉRCIO VAREJISTA DE PRODUTOS FARMACÊUTICOS, P , Grupo CNAE = COMÉRCIO VAREJISTA DE PRODUTOS NOVOS NÃO ESPECI ,

11 Grupo CNAE = TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGA , *** Grupo CNAE = HOTÉIS E SIMILARES , * Grupo CNAE = OUTROS TIPOS DE ALOJAMENTO NÃO ESPECIFICADOS AN , Grupo CNAE = RESTAURANTES E OUTROS SERVIÇOS DE ALIMENTAÇÃO E , ** Grupo CNAE = SERVIÇOS DE CATERING, BUFÊ E OUTROS SERVIÇOS DE , * Grupo CNAE = EDIÇÃO INTEGRADA À IMPRESSÃO DE LIVROS, JORNAIS , *** Grupo CNAE = REPARAÇÃO E MANUTENÇÃO DE OBJETOS E EQUIPAMENTO , ** 2.65 Grupo CNAE = OUTRAS ATIVIDADES DE SERVIÇOS PESSOAIS Mês de Referência = 2006m , *** Mês de Referência = 2006m , *** Mês de Referência = 2006m , *** Mês de Referência = 2006m , *** Mês de Referência = 2006m , *** Mês de Referência = 2006m , *** Mês de Referência = 2006m , *** Mês de Referência = 2006m , *** Mês de Referência = 2006m , *** Mês de Referência = 2006m , *** Mês de Referência = 2006m , *** N 9,

12 ANEXO Município Declan Cartões de Crédito Receita Omitida Tamanho relativo da receita omitida ANGRA DOS REIS 1,041, ,960, , % 0.25% ARARUAMA 11, , , % 0.06% AREAL 13, , , % 0.14% ARMACAO DE BUZIO 1,653, ,866, , % 0.06% ARRAIAL DO CABO 179, , , % 0.03% BARRA MANSA 92, ,435, ,342, % 0.37% BELFORD ROXO 91, , , % 0.07% BOM JESUS DO ITA 39, , , % 0.07% CABO FRIO 1,094, ,913, ,818, % 0.50% CACHOEIRAS DE MA 0 379, , % CAMPOS DOS GOYTA 55, ,599, ,543, % 0.42% CANTAGALO 0 27, , % CARMO 4, , , % 0.01% DUQUE DE CAXIAS 8,807, ,619, ,811, % 1.60% GUAPIMIRIM 0 1,037, ,037, % IGUABA GRANDE 5, , , % 0.14% ITABORAI 1,813, ,556, ,743, % 0.75% ITAGUAI 816, ,336, ,520, % 0.42% ITAOCARA 34, , , % 0.01% ITAPERUNA 83, , , % 0.02% JAPERI 5, , , % 0.01% MACAE 1,335, ,764, ,428, % 0.39% MAGE 1,349, ,732, , % 0.11% MANGARATIBA 34, , , % 0.09% MARICA 0 359, , % MESQUITA 74, , , % 0.06% MIRACEMA 0 170, , % NILOPOLIS 723, ,978, ,255, % 1.17% NITEROI 18,440, ,291, ,850, % 6.83% NOVA FRIBURGO 307, ,040, ,732, % 1.58% NOVA IGUACU 6,283, ,558, ,274, % 1.45% PARACAMBI 395, , , % 0.11% PARATI 285, ,808, ,522, % 0.42% PATY DO ALFERES 157, , , % 0.16% PETROPOLIS 4,864, ,545, ,681, % 2.11% Participação do Município no total da receita omitida 12

13 PIRAI 27, , , % 0.00% QUEIMADOS 0 15, , % RESENDE 462, ,408, ,946, % 0.53% RIO DAS OSTRAS 1,062, ,252, ,189, % 0.60% RIO DE JANEIRO 188,887, ,326, ,439, % 73.21% SANTO ANTONIO DE 239, , , % 0.00% SAO GONCALO 800, ,186, ,386, % 1.21% SAO JOAO DE MERI 972, ,897, ,925, % 0.80% SAO PEDRO DA ALD 228, , , % 0.11% SAPUCAIA 34, ,815, ,780, % 0.49% SAQUAREMA 0 356, , % SEROPEDICA 105, ,254, ,148, % 0.87% TERESOPOLIS 1,993, ,547, ,554, % 0.43% VALENCA 251, ,127, , % 0.24% VASSOURAS , , % VOLTA REDONDA 2,182, ,265, ,082, % 1.40% Total 247,344, ,296, ,951, % % 13

CUSTEIO 339093. Total: 12.860,57. Total: 6.513,13. Total: 8.272,46. Total: 10.317,23 33909302 RESTITUIÇÕES

CUSTEIO 339093. Total: 12.860,57. Total: 6.513,13. Total: 8.272,46. Total: 10.317,23 33909302 RESTITUIÇÕES CREDORES - R.P. e Realizadas - /INVESTIMENTO - Página: Page 1 of 16 02 RESTITUIÇÕES 2º DISTRITO DA COMARCA DE CAMPOS DOS GOYTACAZES CNPJ/CPF: 23064378000154 2º RCPN DA COMARCA DA CAPITAL CNPJ/CPF: 23407222000129

Leia mais

JORGE LUIZ GONÇALVES DE ALMEIDA Presidente Nacional da Comissão Organizadora DIRETORIA:

JORGE LUIZ GONÇALVES DE ALMEIDA Presidente Nacional da Comissão Organizadora DIRETORIA: Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos Administração Central Processo seletivo para o Programa Jovem Aprendiz dos Correios Inscrição Indeferida Edital Nº 125/2014 A Empresa Brasileira de Correios

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Agosto, Setembro e Outubro de François E. J. de Bremaeker Rio de Janeiro, agosto de ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Agosto, Setembro e Outubro de

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO * RESOLUÇÃO N o 746/10 TRE/RJ O TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, e CONSIDERANDO que compete, privativamente, aos Tribunais Regionais, nos

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Dezembro de, Janeiro e Fevereiro de François E. J. de Bremaeker Rio de Janeiro, dezembro de ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Dezembro de, Janeiro

Leia mais

Q1 Cidade de Residência:

Q1 Cidade de Residência: Q Cidade de Residência: Respondidas: 8 Ignoradas: RIO DE JANEIRO ANGRA DO REIS APERIBE ARARUAMA AREAL ARMACAO DO BUZIOS ARRAIAL DO CABO BARRA DO PIRAI BARRA MANSA BELFORD ROXO BOM JARDIM BOM JESUS DO ITABAPOANA

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 47 de 2016 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

ATENÇÃO PSICOS. EXTRA-HOSP. ATENÇÃO PSICOS. EXTRA- HOSP res.235 PORTARIAS SIA

ATENÇÃO PSICOS. EXTRA-HOSP. ATENÇÃO PSICOS. EXTRA- HOSP res.235 PORTARIAS SIA 1 PROGRAMAÇÃO PACTUADA E INTEGRADA DA ASSISTÊNCIA À SAÚDE NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO LIMITES FINANCEIROS GLOBAIS MENSAIS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - TETO ABRIL DE 2009 APROVADO EM REUNIÃO

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 20 de 2017 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro

Situação da Dengue no Estado do Rio de Janeiro Boletim Semanal Semana 7 de 2017 O Estado Regionais de Saúde: Litoral Sul Noroeste Baixada Litorânea Médio Paraíba Metropolitana I Serrana Norte Centro Sul Metropolitana II : Tabela de Situação da Dengue

Leia mais

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro.

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro. Circular 11/2016 Rio de Janeiro, 29 de março de 2016. Ref: Desconto da Contribuição Sindical Ilmo Provedor / Presidente / Diretor Novamente estamos no período do desconto da Contribuição Sindical, anteriormente

Leia mais

Saneamento no estado do Rio de Janeiro Cobertura e Oportunidades de Investimentos

Saneamento no estado do Rio de Janeiro Cobertura e Oportunidades de Investimentos Novembro/2017 Saneamento no estado do Rio de Janeiro Cobertura e Oportunidades de Investimentos Saneamento básico é o conjunto de serviços, infraestruturas e instalações operacionais de abastecimento de

Leia mais

PANORAMA DA PISCICULTURA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Augusto da Costa Pereira Pesquisador e Biólogo F I P E R J

PANORAMA DA PISCICULTURA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Augusto da Costa Pereira Pesquisador e Biólogo F I P E R J PANORAMA DA PISCICULTURA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Augusto da Costa Pereira Pesquisador e Biólogo F I P E R J MUNDIAL Produção Mundial de Pescado,5 milhões de toneladas FAO - 2 5,6 milhões ton. Consumo

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 010/2014

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 010/2014 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL GERÊNCIA DE DOENÇAS TRANSMITIDAS POR VETORES E ZOONOSES -

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO SOMANDO FORÇAS Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO Localização: Região Sudeste 57% do PIB Nacional Área: 43.696

Leia mais

RESULTADOS E DISCUSSÃO

RESULTADOS E DISCUSSÃO RESULTADOS E DISCUSSÃO 72 O baixo número de indicadores nas dimensões espacial e ecológica reflete a pouca disponibilidade de dados relacionados. Contudo, os temas analisados nessas dimensões estão estritamente

Leia mais

RESOLUÇÃO/CERHI-RJ Nº 18 DE 08 DE NOVEMBRO DE 2006 APROVA A DEFINIÇÃO DAS REGIÕES HIDROGRÁFICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.

RESOLUÇÃO/CERHI-RJ Nº 18 DE 08 DE NOVEMBRO DE 2006 APROVA A DEFINIÇÃO DAS REGIÕES HIDROGRÁFICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. RESOLUÇÃO/CERHI-RJ Nº 18 DE 08 DE NOVEMBRO DE 2006 APROVA A DEFINIÇÃO DAS REGIÕES HIDROGRÁFICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. O CONSELHO ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

O Estado do Rio de Janeiro no Censo 2010

O Estado do Rio de Janeiro no Censo 2010 O Estado do Rio de Janeiro no Censo 2010 Documento preliminar Coordenação: Luiz Cesar Ribeiro Responsável: Érica Tavares da Silva Colaboração: Juciano Rodrigues e Arthur Molina 1 P á g i n a Introdução

Leia mais

RETRATO DA QUALIDADE DA ENERGIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

RETRATO DA QUALIDADE DA ENERGIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Julho/2017 RETRATO DA QUALIDADE DA ENERGIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Energia elétrica é um insumo fundamental para o desenvolvimento socioeconômico e industrial. O acesso a esse insumo com qualidade,

Leia mais

I. INTRODUÇÃO OUTRAS INFORMAÇÕES

I. INTRODUÇÃO OUTRAS INFORMAÇÕES 1 SUMÁRIO I. Introdução... 3 II. Informações Gerais... 3 Público Alvo... 3 Matrícula (Informatizada)... 3 Matrícula (Direto na escola)... 3 Outras Informações...3 III. Acessando o sistema... 5 IV. Como

Leia mais

Tarifa do Serviço de Transporte Complementar. 10% acima do serviço de transporte regular

Tarifa do Serviço de Transporte Complementar. 10% acima do serviço de transporte regular Tarifa do Serviço de Transporte Complementar. 10% acima do serviço de transporte regular REGIÃO METROPOLITANA LINHA: M500 ALCÂNTARA - ALDEIA DA PRATA TARIFA BILHETE ÚNICO R$ 2,75 LINHA: M501 ALCÂNTARA

Leia mais

Acompanhamento do Mercado Formal de Trabalho Fluminense - Resultados Evolução do Emprego Formal (Saldo anual em milhares)

Acompanhamento do Mercado Formal de Trabalho Fluminense - Resultados Evolução do Emprego Formal (Saldo anual em milhares) nº 0 Acompanhamento do Mercado Formal de Trabalho Fluminense - Resultados Em, a desaceleração da atividade econômica teve reflexos diretos sobre o mercado de trabalho formal. No ano passado foram gerados

Leia mais

Sumário. Introdução 3 Educação Superior: Brasil 5. Educação Superior: Rio de Janeiro 13. Perfil das Regiões Administrativas: Região Metropolitana 21

Sumário. Introdução 3 Educação Superior: Brasil 5. Educação Superior: Rio de Janeiro 13. Perfil das Regiões Administrativas: Região Metropolitana 21 Sumário Introdução 3 Educação Superior: Brasil 5 Número de Instituições de Ensino Superior no Brasil 6 Distribuição de Matrículas por Estado Cursos de Graduação Presenciais nas Redes Privada e Pública

Leia mais

Polícia Civil Principais Ocorrências Registro Interior - RJ 2010 Números Absolutos

Polícia Civil Principais Ocorrências Registro Interior - RJ 2010 Números Absolutos 1/8 Totais 88a. DP 89a. DP 90a. DP 91a. DP 92a. DP 93a. DP 94a. DP 95a. DP 96a. DP 97a. DP 98a. DP 99a. DP 100a. DP 101 DP 104a. DP 105a. DP Barra do Piraí Resende Barra Mansa Valença Rio das Flores Volta

Leia mais

Deliberação CIB nº 1936 de 09 de Agosto de 2012 Republicada. SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE COMISSÃO INTERGESTORES BIPARTITE ATO DO PRESIDENTE

Deliberação CIB nº 1936 de 09 de Agosto de 2012 Republicada. SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE COMISSÃO INTERGESTORES BIPARTITE ATO DO PRESIDENTE 16/07/2015 CIB RJ Comissão Intergestores Bipartite do Estado do Rio de Janeiro Deliberação CIB nº 1936 de 09 de Agosto de 2012 Republicada. Imprimir Deliberação CIB nº 1936 de 09 de Agosto de 2012 Republicada.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado do Ambiente - SEA Instituto Estadual do Ambiente - INEA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado do Ambiente - SEA Instituto Estadual do Ambiente - INEA GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Secretaria de Estado do Ambiente - SEA Instituto Estadual do Ambiente - INEA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO R3-A TEMAS

Leia mais

LEI Nº DE 19 DE JUNHO DE 2015.

LEI Nº DE 19 DE JUNHO DE 2015. LEI Nº 2.594 DE 19 DE JUNHO DE 2015. Regulamenta a concessão de diárias e cotas de traslado aos servidores (as) ou ocupantes de cargo comissionado da Câmara Municipal de Sapucaia, Estado do Rio de Janeiro,

Leia mais

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro - 2007 Lista de Abreviaturas e Siglas FOB Significa livre a bordo (free on board) o vendedor encerra suas obrigações quando a mercadoria

Leia mais

Situação de estados e municípios em relação à meta nacional

Situação de estados e municípios em relação à meta nacional Construindo as Metas Situação de estados e municípios em relação à meta nacional Região: Sudeste; UF: Mesorregião: Município: Angra dos Reis; Aperibé; Araruama; Areal; Armação dos Búzios; Arraial do Cabo;

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 009/2015

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 009/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE DOENÇAS

Leia mais

VI CONGRESSO ABAR Rio de Janeiro

VI CONGRESSO ABAR Rio de Janeiro VI CONGRESSO ABAR Rio de Janeiro - 2009 Estabelecimento de Critérios e de Mecanismos para Regulação da Situação atual da destinação final de resíduos no Estado do Rio de Janeiro 92 Municípios Aproximadamente

Leia mais

Indicadores das Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio de Janeiro - IMPE

Indicadores das Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio de Janeiro - IMPE Indicadores das Micro e Pequenas Empresas do Estado do Rio de Janeiro - IMPE Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Estado do Rio de Janeiro SEBRAE/RJ Divulgação dos Resultados de Janeiro de

Leia mais

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO

ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO ESTIMATIVAS DAS COTAS DO FPM RIO DE JANEIRO Setembro, Outubro e Novembro de François E. J. de Bremaeker Salvador, setembro de A Associação Transparência Municipal (ATM) é uma instituição brasileira sem

Leia mais

O impacto econômico do roubo de cargas no estado do Rio de Janeiro

O impacto econômico do roubo de cargas no estado do Rio de Janeiro Fevereiro/2017 O impacto econômico do roubo de cargas no estado do Rio de Janeiro A economia brasileira tem sido fortemente afetada pelo aumento do número de roubos de cargas no país. Este crime afeta

Leia mais

A V. vota aqui em (CIDADE PESQUISADA) e pretende votar nas eleições deste ano, ou não? Metropolitana do Rio/Niterói-Manilha

A V. vota aqui em (CIDADE PESQUISADA) e pretende votar nas eleições deste ano, ou não? Metropolitana do Rio/Niterói-Manilha Data: Rua Coronel Gomes Machado, nº 192 Centro Niterói/RJ Nº Questionário: Proposta Nº: Questionário: Amostra: 1466 1.300 Nome: Endereço: Projeto: 8ª ELEIÇÕES / GOVERNADOR 2014 ESTADO DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

EDITAL. II O Concurso destina-se ao preenchimento de 200 vagas, bem como daquelas que surgirem no decorrer do prazo de validade do Concurso.

EDITAL. II O Concurso destina-se ao preenchimento de 200 vagas, bem como daquelas que surgirem no decorrer do prazo de validade do Concurso. DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO COORDENAÇÃO GERAL DO ESTÁGIO FORENSE 40º CONCURSO PARA ADMISSÃO AO ESTÁGIO FORENSE DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO EDITAL A Coordenadora

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO SOMANDO FORÇAS Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO Localização: Região Sudeste 57% do PIB Nacional Área: 43.696

Leia mais

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO E TRANSPORTES

VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO E TRANSPORTES VERITAE TRABALHO - PREVIDÊNCIA SOCIAL - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRABALHO E TRANSPORTES Orientador Empresarial Serviços de Transporte Complementar em Veículos de Baixa Capacidade-Estado do RJ:

Leia mais

IFGF 2016 Análise Especial Rio de Janeiro

IFGF 2016 Análise Especial Rio de Janeiro IFGF 2016 Análise Especial Rio de Janeiro A edição 2016 do Índice FIRJAN de Gestão Fiscal (IFGF) mais uma vez joga luz sobre a situação das contas públicas municipais. Construído exclusivamente com base

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO RIO DE JANEIRO COORDENAÇÃO GERAL DO ESTÁGIO FORENSE 42º CONCURSO PARA ADMISSÃO AO ESTÁGIO FORENSE EDITAL

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO RIO DE JANEIRO COORDENAÇÃO GERAL DO ESTÁGIO FORENSE 42º CONCURSO PARA ADMISSÃO AO ESTÁGIO FORENSE EDITAL DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO RIO DE JANEIRO COORDENAÇÃO GERAL DO ESTÁGIO FORENSE 42º CONCURSO PARA ADMISSÃO AO ESTÁGIO FORENSE EDITAL A COORDENADORA GERAL DO ESTÁGIO FORENSE, no uso de suas atribuições

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DENGUE 006/2016

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DENGUE 006/2016 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE DOENÇAS

Leia mais

2 Estudo de Caso Descrição da Empresa

2 Estudo de Caso Descrição da Empresa 2 Estudo de Caso Descrição da Empresa A Companhia estudada é uma empresa distribuidora de energia elétrica. Uma sociedade anônima de capital aberto, concessionária de Serviço Público de Energia Elétrica,

Leia mais

EMPRESA DE ASSISTENCIA TECNICA E EXTENSAO RURAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESCA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

EMPRESA DE ASSISTENCIA TECNICA E EXTENSAO RURAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESCA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UF Municipio RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Angra dos Reis RJ Aperibé RJ Aperibé CNPJ Razão Social FUNDAÇÃO INSTITUTO DE DO ESTADO DO RIO DE

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 002/2014

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 002/2014 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 2/214 Gerência de Doenças Imunopreveníveis

Leia mais

5ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES

5ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES 5ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES REGIMENTO INTERNO CAPITULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES Art. 1º - São objetivos da 5ª Conferência Estadual das Cidades: I - propor a interlocução entre autoridades

Leia mais

DEZEMBRO Demandas NIP, por classificação na data de corte Data de atendimento: dezembro/2014 Data de corte: 06/07/2015

DEZEMBRO Demandas NIP, por classificação na data de corte Data de atendimento: dezembro/2014 Data de corte: 06/07/2015 DEZEMBRO 2014 Data de atendimento: dezembro/2014 OPERADORA BENEFICIÁRIOS 343731 - UNIMED-SÃO GONÇALO - NITERÓI - SOC.COOP.SERV.MED E HOSP LTDA 198.402 0 16 0 3 2 2 335215 - UNIMED ARARUAMA COOPERATIVA

Leia mais

IMPE INDICADORES DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RESULTADOS DE MAIO DE 2007

IMPE INDICADORES DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RESULTADOS DE MAIO DE 2007 IMPE INDICADORES DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RESULTADOS DE MAIO DE 2007 Rio de Janeiro, 10 de julho de 2007 ÍNDICE ÍNDICE...1 1 Introdução...2 2 Índice de Desempenho (IDES)

Leia mais

EMISSORAS DE RÁDIOS e TVS. Perfil / Área de Abrangência / Melhor programa / melhor apresentador Tabela de Preços. Outubro_2016.

EMISSORAS DE RÁDIOS e TVS. Perfil / Área de Abrangência / Melhor programa / melhor apresentador Tabela de Preços. Outubro_2016. EMISSORAS DE RÁDIOS e TVS. Perfil / Área de Abrangência / Melhor programa / melhor apresentador Tabela de Preços. Outubro_ Emissoras do Rio de Janeiro - Tráfego. Itaperuna AM Light FM Bom Jesus AM Mania

Leia mais

Informe Epidemiológico 076/2017

Informe Epidemiológico 076/2017 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL Informe Epidemiológico 076/2017 Centro de Informações Estratégicas

Leia mais

Dados dos Distritos do Estado do Rio de Janeiro

Dados dos Distritos do Estado do Rio de Janeiro Dados dos Distritos do Estado do Rio de Janeiro Mapa Social Ranking Anos Médios de Estudo Os cinco mais Niterói i (Niterói) i) 7,94 Itaipu (Niterói) i) 7,78 Rio de Janeiro (Rio de Janeiro) 6,87 Unidade

Leia mais

RIO DE JANEIRO Nome Número Localidade

RIO DE JANEIRO Nome Número Localidade RIO DE JANEIRO Nome Número Localidade ANGRA DOS REIS 460 ANGRA DOS REIS ARARUAMA 893 ARARUAMA AREAL 2941 AREAL ARMACAO DOS BUZIOS 1592 ARMACAO DOS BUZIOS ARRAIAL DO CABO 3839 ARRAIAL DO CABO BARRA DO PIRAI

Leia mais

Matemática Aplicada ao Direito: Um estudo de caso. Prevenção, Tratamento e Redução de Litígios de Consumo no Setor Elétrico

Matemática Aplicada ao Direito: Um estudo de caso. Prevenção, Tratamento e Redução de Litígios de Consumo no Setor Elétrico Matemática Aplicada ao Direito: Um estudo de caso Prevenção, Tratamento e Redução de Litígios de Consumo no Setor Elétrico AS DEMANDAS JUDICIAIS ILUSTRATIVO Custo anual: 90 milhões Estoque: 35 mil ações

Leia mais

EDITAL REGIÃO E COMARCAS

EDITAL REGIÃO E COMARCAS DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO COORDENAÇÃO GERAL DO ESTÁGIO FORENSE E RESIDÊNCIA JURÍDICA 45º CONCURSO PARA ADMISSÃO AO ESTÁGIO FORENSE EDITAL A Coordenadora Geral do Estágio e Residência

Leia mais

Coordenadoria Regional Metropolitana I E/CR19.R. Coordenadoria Regional Metropolitana II E/CR23.R. Coordenadoria Regional Metropolitana III E/CR26.

Coordenadoria Regional Metropolitana I E/CR19.R. Coordenadoria Regional Metropolitana II E/CR23.R. Coordenadoria Regional Metropolitana III E/CR26. Coordenadoria Regional Metropolitana I E/CR19.R Endereço: Rua: Profª Venina Correa Torres, nº 41 Bairro: Centro Município: Nova Iguaçu CEP: 26.220-100 Abrangência: Nova Iguaçu, Japeri, Mesquita, Nilópolis,

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ATOS DO DEFENSOR PÚBLICO GERAL DE

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ATOS DO DEFENSOR PÚBLICO GERAL DE 1 DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO ATOS DO DEFENSOR PÚBLICO GERAL DE 23.05.2013 APROVA a Tabela de Plantão dos Defensores Públicos para o mês de JUNHO DE 2013, nos termos da RESOLUÇÃO nº

Leia mais

Eloisa Elena Torres Superintendente SEA

Eloisa Elena Torres Superintendente SEA Eloisa Elena Torres Superintendente SEA Parque Nacional de Tijuca Patrimônio Ambiental do Estado do Rio de Janeiro Juatinga Cunhambebe Araras Pedra Branca Ilha Grande Perfil de distribuição da população

Leia mais

2 Definição da Área de Estudo

2 Definição da Área de Estudo 16 2 Definição da Área de Estudo Neste capítulo apresentamos uma das bases sobre as quais será feito este trabalho. Para dar inicio, se faz uma descrição da área em estudo (Região Metropolitana de Rio

Leia mais

ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS

ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS Aedes aegypti, Zika vírus e Microcefalia epidêmica ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS Alexandre Otavio Chieppe Aedes aegypti Aedes albopictus Indicadores Entomológicos LIRAa de outubro de 2015 Mapa: IIP para Aedes

Leia mais

Boletim Informativo. Atenção Integral às Pessoas com Doença Falciforme no Estado do Rio de Janeiro. Introdução. O Programa Primeiros Passos

Boletim Informativo. Atenção Integral às Pessoas com Doença Falciforme no Estado do Rio de Janeiro. Introdução. O Programa Primeiros Passos Dezembro de 2014 HEMORIO ASSESSORIA HEMORREDE Boletim Informativo Atenção Integral às Pessoas com Doença Falciforme no Estado do Rio de Janeiro Introdução O Hemocentro Coordenador do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

Repense Mobilidade. Seminário Rio Metropolitano: Desafios Compartilhados, O Futuro da Mobilidade na Metrópole

Repense Mobilidade. Seminário Rio Metropolitano: Desafios Compartilhados, O Futuro da Mobilidade na Metrópole Repense Mobilidade Seminário Rio Metropolitano: Desafios Compartilhados, O Futuro da Mobilidade na Metrópole Willian Alberto de Aquino Pereira Sinergia Estudos e Projetos Ltda. http://www.sinergiaestudos.com.br

Leia mais

Planilha Mensal de Ajuda de Custos (Res. 21/2006)

Planilha Mensal de Ajuda de Custos (Res. 21/2006) Planilha Mensal de Ajuda de Custos (Res. 21/2006) Período 01: 01/09/2010 a 10/09/2010 (Prot. nº 2010-207270) Processo Judicial Vara / Câmara 021795-48.2010.8.19.0021 5ª V. Família Duque de Caxias 0029219-44.2010.8.19.0021

Leia mais

COMARCAS DO INTERIOR. NITERÓI, SÃO GONÇALO, MARICÁ e ITABORAÍ Alcântara - 2ª Promotoria de Justiça de Alcântara 05 (sábado)

COMARCAS DO INTERIOR. NITERÓI, SÃO GONÇALO, MARICÁ e ITABORAÍ Alcântara - 2ª Promotoria de Justiça de Alcântara 05 (sábado) COMARCAS DO INTERIOR NITERÓI, SÃO GONÇALO, MARICÁ e ITABORAÍ Alcântara - 2ª Promotoria de Justiça de Alcântara Voluntário: Érika da Rocha Figueiredo Alcântara Promotoria de Justiça junto à 1ª Vara 06 (domingo)

Leia mais

Tabela 1 - Dados Operacionais dos Sistemas Isolados de Abastecimento de Água das Sedes Municipais

Tabela 1 - Dados Operacionais dos Sistemas Isolados de Abastecimento de Água das Sedes Municipais Tabela 1 Dados Operacionais dos Sistemas Isolados de Abastecimento de Água das Sedes Municipais Nome Aduzida Nome da / UT/ Angra dos Reis Barragem Banqueta (afluente de Rio Japuíba) 22 57'31,3" 44 16'21,9"

Leia mais

Subnotificação de acidentes por animais peçonhentos registrados pelo SINAN no Estado do Rio de Janeiro no período de 2001 a 2005*

Subnotificação de acidentes por animais peçonhentos registrados pelo SINAN no Estado do Rio de Janeiro no período de 2001 a 2005* Subnotificação de acidentes por animais peçonhentos registrados pelo SINAN no Estado do Rio de Janeiro no período de 2001 a 2005* Underreporting of accidents with venomous animals registered by SINAN in

Leia mais

CONCEITOS E TERMINOLOGIA DAS CARTAS DE RISCO QUE SE IMPUSERAM NA GESTÃO DO RISCO A ESCORREGAMENTOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CONCEITOS E TERMINOLOGIA DAS CARTAS DE RISCO QUE SE IMPUSERAM NA GESTÃO DO RISCO A ESCORREGAMENTOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CONCEITOS E TERMINOLOGIA DAS CARTAS DE RISCO QUE SE IMPUSERAM NA GESTÃO DO RISCO A ESCORREGAMENTOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Ingrid Lima e Claudio Amaral DRM-RJ 1 Introdução Os desastres associados a

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 005/2016 Gerência de Doenças Transmitidas por Vetores e Zoonoses

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 005/2016 Gerência de Doenças Transmitidas por Vetores e Zoonoses SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Leia mais

Seminário Rio Metropolitano: Desafios Compartilhados - SEGURANÇA. Pedro Strozenberg Maio

Seminário Rio Metropolitano: Desafios Compartilhados - SEGURANÇA. Pedro Strozenberg Maio Seminário Rio Metropolitano: Desafios Compartilhados - SEGURANÇA Pedro Strozenberg (pedro@iser.org.br) Maio - 2015 Prevenção das Violências contra a Juventude e Mulheres Desafio Metropolitano com o exemplo

Leia mais

5 Mendes - Nova Iguaçu A S 18,30 0 Três Rios - Itaguaí A C 51,20 1 Três Rios - Piraí A S 33,75 2

5 Mendes - Nova Iguaçu A S 18,30 0 Três Rios - Itaguaí A C 51,20 1 Três Rios - Piraí A S 33,75 2 Mendes - Nova Iguaçu 8, Três - Itaguaí, Três -,7 Três - Barra do, Três - 9,9 - Itaguaí, -,8 Barra do - Itaguaí, P Três - Paraiba do Sul, Três - Paraíba do Sul, Três - Paraiba do P Sul ( via Estrada da

Leia mais

SINAL FECHADO: CUSTO ECONÔMICO DO TEMPO DE DESLOCAMENTO PARA O TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO

SINAL FECHADO: CUSTO ECONÔMICO DO TEMPO DE DESLOCAMENTO PARA O TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO SINAL FECHADO: CUSTO ECONÔMICO DO TEMPO DE DESLOCAMENTO PARA O TRABALHO NA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO Carlos Eduardo Frickmann Young (GEMA- IE/UFRJ; young@ie.ufrj.br) Camilla Aguiar (GEMA-

Leia mais

PESQUISA ELEITORAL RIO DE JANEIRO AGOSTO/2014

PESQUISA ELEITORAL RIO DE JANEIRO AGOSTO/2014 PESQUISA ELEITORAL RIO DE JANEIRO AGOSTO/2014 2 1. COMO FOI FEITA A PESQUISA... 5 2. RESPOSTAS... 7 2.1. ESTE ANO TEREMOS ELEIÇÃO PARA PRESIDENTE E GOVERNADOR, SENADOR E DEPUTADOS. EM QUAL DESTES CANDIDATOS

Leia mais

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro.

Sindicato das Misericórdias e Entidades Filantrópicas e Beneficentes do Estado do Rio de Janeiro. Circular 16/2015 Rio de Janeiro, 16 de abril de 2015. Ref: Orientações para o Recolhimento da Contribuição Sindical Ilmo Provedor / Presidente / Diretor A contribuição sindical está prevista nos artigos

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO ARBOVIROSES Nº 008/2016

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO ARBOVIROSES Nº 008/2016 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO SUBSECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA E AMBIENTAL COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE DOENÇAS

Leia mais

MANUAL NOVA GUIA DE POSTAGEM

MANUAL NOVA GUIA DE POSTAGEM MANUAL NOVA GUIA DE POSTAGEM O presente manual tem como finalidade adequar o Sitema DCP (Projeto Comarca) as novas modalidades postais a serem utilizadas no Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro,

Leia mais

CONVENÇÕES COLETIVAS EMPREGADOS EM CONDOMÍNIOS. Sindicato Profissional Base Territorial PISO CCT PISO REGIONAL 1. Sind. Empreg. Edifícios Teresópolis

CONVENÇÕES COLETIVAS EMPREGADOS EM CONDOMÍNIOS. Sindicato Profissional Base Territorial PISO CCT PISO REGIONAL 1. Sind. Empreg. Edifícios Teresópolis CONVENÇÕES COLETIVAS EMPREGADOS EM CONDOMÍNIOS Sindicato Profissional Base Territorial PISO CCT PISO REGIONAL 1. Sind. Empreg. Edifícios Teresópolis Teresópolis a) R$ 500,00 (quinhentos reais): Porteiro,

Leia mais

CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ C129 Caderno de turismo do Estado do Rio de Janeiro : passaporte para o desenvolvimento do Estado / [João Carlos Gomes, organização].

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PANORAMA ECONÔMICO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PANORAMA ECONÔMICO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PANORAMA ECONÔMICO Maio/2015 Investidores Municípios Geolocalização Soluções tributárias Suporte na implantação e na ampliação Criação de Distritos Industriais Projetos especiais

Leia mais

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE MESQUITA

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE MESQUITA INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DE MESQUITA Rio de Janeiro - 2010 SEBRAE/RJ 1 Sumário Apresentação 1 - Perfil da Localidade.... 4 1.1 Demografia e Território.... 4 1.1.1 Informações Socioeconômicas

Leia mais

Oportunidades para concessões e parcerias públicoprivadas no estado e nos municípios do Rio de Janeiro

Oportunidades para concessões e parcerias públicoprivadas no estado e nos municípios do Rio de Janeiro Oportunidades para concessões e parcerias públicoprivadas no estado e nos municípios do Rio de Janeiro As crises fiscal, econômica, política e de confiança pelas quais passa o Brasil, os estados e a maioria

Leia mais

PERGUNTAS: Os órgãos do Poder Judiciário do estado do Rio de Janeiro não incluem o(s)

PERGUNTAS: Os órgãos do Poder Judiciário do estado do Rio de Janeiro não incluem o(s) PERGUNTAS: QUESTÃO 61 Os órgãos do Poder Judiciário do estado do Rio de Janeiro não incluem o(s) A) Conselhos da Justiça Militar. B) Tribunal de Alçada. C) Tribunal de Justiça. D) Juizados Especiais e

Leia mais

necessidades habitacionais

necessidades habitacionais i m necessidades habitacionais CIDE CentrodeInformaçõese Dados doriodejaneiro FAZENDONOSSOPOVOMAISFELIZ CIDE Centro de Informações e Dados do Rio de Janeiro i m necessidades habitacionais ÍNDICE DE QUALIDADE

Leia mais

SUA ÁGUA É LEGAL? FALE COM O INEA NA SUA CASA OU EMPRESA VOCÊ USA ÁGUA DE POÇO, RIO, LAGOA, CÓRREGO, RESERVATÓRIO OU NASCENTE?

SUA ÁGUA É LEGAL? FALE COM O INEA NA SUA CASA OU EMPRESA VOCÊ USA ÁGUA DE POÇO, RIO, LAGOA, CÓRREGO, RESERVATÓRIO OU NASCENTE? FALE COM O INEA SEDE Av. Venezuela, 110 - Saúde Rio de Janeiro - RJ - CEP 20081-312 DISQUE AMBIENTE Informações gerais sobre as atividades do Instituto Tel.: (21) 2332-4604 Atendimento: de 2ª a 6ª feira,

Leia mais

Acompanhamento do Mercado Formal de Trabalho Fluminense 1 Trimestre de 2012

Acompanhamento do Mercado Formal de Trabalho Fluminense 1 Trimestre de 2012 Gerência de Estudos Econômicos nº 05 Maio. 2012 Acompanhamento do Mercado Formal de Trabalho Fluminense 1 Trimestre de 2012 No primeiro trimestre de 2012 foram gerados 381.241 novos postos de trabalho

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGO VIA CONSTRUÇÃO CIVIL NA REGIÃOMETROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO

GERAÇÃO DE EMPREGO VIA CONSTRUÇÃO CIVIL NA REGIÃOMETROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO SEMINÁRIO MENOS GARGALOS E MAIS EMPREGOS. O QUE FAZER PARA RETOMAR AS OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO RIO? GERAÇÃO DE EMPREGO VIA CONSTRUÇÃO CIVIL NA REGIÃOMETROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO VICENTE DE PAULA LOUREIRO

Leia mais

RETRATO DA QUALIDADE DA ENERGIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REGIÃO LESTE FLUMINENSE

RETRATO DA QUALIDADE DA ENERGIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REGIÃO LESTE FLUMINENSE Julho/2017 RETRATO DA QUALIDADE DA ENERGIA NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REGIÃO LESTE FLUMINENSE Energia elétrica é um insumo fundamental para o desenvolvimento socioeconômico e industrial. O acesso a esse

Leia mais

XXVI Concurso Público para Provimento do Cargo de AUXILIAR DE CARTÓRIO da Corregedoria Geral da Justiça do Estado do Rio de Janeiro EDITAL

XXVI Concurso Público para Provimento do Cargo de AUXILIAR DE CARTÓRIO da Corregedoria Geral da Justiça do Estado do Rio de Janeiro EDITAL XXVI Concurso Público para Provimento do Cargo de AUXILIAR DE CARTÓRIO da Corregedoria Geral da Justiça do Estado do Rio de Janeiro EDITAL Corregedor-Geral da Justiça, Desembargador PAULO GOMES DA SILVA

Leia mais

Pobreza extrema no Rio de Janeiro: Uma espacialização alternativa *

Pobreza extrema no Rio de Janeiro: Uma espacialização alternativa * SONIA ROCHA / ROBERTO CAVALCANTI DE ALBUQUERQUE 63 Pobreza extrema no Rio de Janeiro: Uma espacialização alternativa * Sonia Rocha** Roberto Cavalcanti de Albuquerque*** Resumo Este texto tem um duplo

Leia mais

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE COMUNICAÇÕES E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA MARINHA BOLETIM DE ORDENS E NOTÍCIAS Nº 086 DE 06 DE FEVEREIRO DE 2012

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE COMUNICAÇÕES E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA MARINHA BOLETIM DE ORDENS E NOTÍCIAS Nº 086 DE 06 DE FEVEREIRO DE 2012 MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE COMUNICAÇÕES E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA MARINHA BOLETIM DE ORDENS E NOTÍCIAS Nº 086 DE 06 DE FEVEREIRO DE 2012 BONO ESPECIAL GERAL DIRETORIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DA MARINHA

Leia mais

I OLIMPÍADA DA OABRJ 2016

I OLIMPÍADA DA OABRJ 2016 CEE COMISSÃO DE EVENTOS ESPORTIVOS I OLIMPÍADA DA OABRJ 2016 A I Olimpíada da OABRJ promoverá 3 modalidades de esporte: Futebol, Futevolei e Volei feminino. FUTEBOL SOCIETY MASCULINO (7 + Goleiro) REGULAMENTO

Leia mais

CONTRASTES ENTRE A METRÓPOLE E O INTERIOR FLUMINENSE A PARTIR DA DINÂMICA POPULACIONAL

CONTRASTES ENTRE A METRÓPOLE E O INTERIOR FLUMINENSE A PARTIR DA DINÂMICA POPULACIONAL CONTRASTES ENTRE A METRÓPOLE E O INTERIOR FLUMINENSE A PARTIR DA DINÂMICA POPULACIONAL CONSIDERATIONS ON RIO DE JANEIRO STATE S POPULATION DYNAMICS: CONTRASTS BETWEEN METROPOLIS AND HINTERLAND Dr. Miguel

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO RESOLUÇÃO Nº 864/2014

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO RESOLUÇÃO Nº 864/2014 PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO Texto compilado RESOLUÇÃO Nº 864/2014 Cria Pólos de Cargas das Urnas Eletrônicas e designa os Juízos responsáveis para as eleições de 2014.

Leia mais

ESTUDO SOBRE O VALOR ADICIONADO FISCAL (VAF) DA 10ª REGIÃO ADMINISTRATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO

ESTUDO SOBRE O VALOR ADICIONADO FISCAL (VAF) DA 10ª REGIÃO ADMINISTRATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO ESTUDO SOBRE O VALOR ADICIONADO FISCAL (VAF) DA 10ª REGIÃO ADMINISTRATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO FONTE: FUNDAÇÃO SISTEMA ESTADUAL DE ANÁLISE DE DADOS (SEADE) DEPUTADO ESTADUAL ED THOMAS 1 1. VALOR ADICIONADO

Leia mais

UMA CULTURA INTOLERÁVEL UM RETRATO DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

UMA CULTURA INTOLERÁVEL UM RETRATO DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro Boletim CAO nº 01/2016 Quinta-feira, 14.04.2016 UMA CULTURA INTOLERÁVEL UM RETRATO DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Desde a edição

Leia mais

NOME ÁREA há MUNICÍPIO TIPO Categoria APA Alto-Iguaçu Belford Roxo 1850, Belford Roxo US APA APA Lago do Barro Vermelho 17,

NOME ÁREA há MUNICÍPIO TIPO Categoria APA Alto-Iguaçu Belford Roxo 1850, Belford Roxo US APA APA Lago do Barro Vermelho 17, NOME ÁREA há MUNICÍPIO TIPO Categoria APA Alto-Iguaçu Belford Roxo 1850,64224434000 Belford Roxo US APA APA Lago do Barro Vermelho 17,16137158770 Belford Roxo US APA APA da Bacia Hidrografica do Rio Japuiba

Leia mais

REPASSE AO FUNDO ESTADUAL DE COMBATE E ERRADICAÇÃO DA POBREZA PELO CONTRIBUINTE QUE APURA SEU ICMS PRÓPRIO EM CONTA GRÁFICA

REPASSE AO FUNDO ESTADUAL DE COMBATE E ERRADICAÇÃO DA POBREZA PELO CONTRIBUINTE QUE APURA SEU ICMS PRÓPRIO EM CONTA GRÁFICA REPASSE AO FUNDO ESTADUAL DE COMBATE E ERRADICAÇÃO DA POBREZA PELO CONTRIBUINTE QUE APURA SEU PRÓPRIO EM CONTA GRÁFICA A Secretaria de Fazenda de Mato Grosso (SefazMT) esclarece as regras para a operacionalização

Leia mais

ELEIÇÕES SISEJUFE 2014 LOCAIS DE VOTAÇÃO

ELEIÇÕES SISEJUFE 2014 LOCAIS DE VOTAÇÃO ELEIÇÕES SISEJUFE 2014 LOCAIS DE VOTAÇÃO URNAS HÍBRIDAS ITINERANTES (Número de eleitores:) SEÇÃO TIPO URNA CIDADE/REGIÃO ÓRGÃO ENDEREÇO 43 ITINERANTE SÃO JOÃO DE MERITI/ DUQUE DE CAXIAS SÃO JOÃO DE MERITI

Leia mais

SISTEMA CONFEA/CREA O

SISTEMA CONFEA/CREA O PARQUES DE DIVERSÃO INTRODUÇÃO SISTEMA CONFEA/CREA O Sistema Confea/Crea é composto por um Conselho Federal e vinte e sete Conselhos Regionais, autarquias federais, que tem por objetivo orientar, verificar

Leia mais

GEOLOGIA PRINCIPAIS ÁREAS DE ATUAÇÃO DO DRM - RJ MINERAÇÃO & DESENVOLVIMENTO RISCOS GEOLÓGICOS GEOLOGIA BÁSICA E APLICADA PETRÓLEO&GÁS HIDROGEOLOGIA

GEOLOGIA PRINCIPAIS ÁREAS DE ATUAÇÃO DO DRM - RJ MINERAÇÃO & DESENVOLVIMENTO RISCOS GEOLÓGICOS GEOLOGIA BÁSICA E APLICADA PETRÓLEO&GÁS HIDROGEOLOGIA PRINCIPAIS ÁREAS DE ATUAÇÃO DO DRM - RJ DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DISSEMINAÇÃO DO CONHECIMENTO MINERAÇÃO & DESENVOLVIMENTO RISCOS GEOLÓGICOS GEOLOGIA BÁSICA E APLICADA GEOLOGIA PETRÓLEO&GÁS HIDROGEOLOGIA

Leia mais

Evolução do Mercado Formal de Trabalho Fluminense em 2009

Evolução do Mercado Formal de Trabalho Fluminense em 2009 Nº 02 Os dados de mercado de trabalho no Brasil registraram dois momentos distintos: no primeiro semestre os fortes impactos da crise iniciada em 2008, e no segundo a recuperação econômica e recontratação

Leia mais

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO

INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO INFORMAÇÕES SOCIOECONÔMICAS DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO Rio de Janeiro - 2010 Sumário Apresentação 1 - Perfil da Localidade.... 4 1.1 Demografia e Território.... 4 1.1.1 Informações Socioeconômicas

Leia mais

Seminário Planejamento Estratégico do IFRJ. Trajetória e perspectiva econômica do Estado do Rio de Janeiro: Suas macrorregiões e o papel dos APLs

Seminário Planejamento Estratégico do IFRJ. Trajetória e perspectiva econômica do Estado do Rio de Janeiro: Suas macrorregiões e o papel dos APLs Seminário Planejamento Estratégico do IFRJ Trajetória e perspectiva econômica do Estado do Rio de Janeiro: Suas macrorregiões e o papel dos APLs Variação da participação relativa das unidades federativas

Leia mais