IRB-Brasil Re avança no mercado internacional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IRB-Brasil Re avança no mercado internacional"

Transcrição

1 ISSN IRB-Brasil Resseguros S.A. [ ano 71 ] [ número 310 ] [ Outubro ] [ 2012 ] IRB-Brasil Re avança no mercado internacional Resultados superam expectativas Entrevista: Helmut Schwarzer, da Organização Internacional do Trabalho (OIT) Mercado assume compromisso com o planeta Profissionais brasileiros se destacam no exterior

2

3 EDITORIAL Esta edição da Revista do IRB circula em um momento histórico para a Empresa que, ao completar 73 anos, estabeleceu como meta prioritária o crescimento dos seus negócios no exterior. Tendo consolidado a liderança no mercado brasileiro após o fim do monopólio de resseguro, que abriu as portas do país para a entrada de quase uma centena de concorrentes estrangeiros, o IRB-Brasil Re amplia fronteiras para conquistar novos clientes e repaginar o perfil das suas fontes de receita. O desafio tem demandado grande esforço por parte dos funcionários e dirigentes do ressegurador, mas os resultados já começam a aparecer. Na Argentina, por exemplo, em apenas um mês foi possível conquistar dez dos principais contratos automáticos do mercado local e, até o final deste ano, o IRB-Brasil Re deverá figurar entre as cinco maiores resseguradoras do país. Trata-se, sem dúvida alguma, de um feito histórico obtido em tempo recorde. Aliás, a internacionalização do IRB-Brasil Re é o assunto da matéria de capa, que traz um relato mais detalhado dos primeiros resultados obtidos com a abertura da sucursal portenha, bem como as medidas que vêm sendo adotadas para que o IRB-Brasil Re atue com mais vigor nos demais países da América Latina. A matéria também explica como está se dando a entrada do IRB-Brasil Re no mercado africano, cujo primeiro passo foi a compra de 4,8% do capital da Africa Re, empresa com forte penetração em quase todas as nações do continente. A matéria é complementada por entrevista exclusiva de Corneille Karekezi, presidente da Africa Re, que fala sobre as perspectivas da parceria, o promissor mercado africano e os planos da resseguradora no Brasil. Em outra entrevista exclusiva, o ex-secretário de Políticas de Previdência Social e atual especialista sênior da Organização Internacional do Trabalho (OIT) Helmut Schwarzer afirma haver espaço para o crescimento da previdência privada e para os investimentos dos recursos gerados pelo segmento, que podem fortalecer o próprio dinamismo econômico. Trazemos ainda uma reportagem sobre as premiações concedidas, no exterior, a diversas personalidades de empresas e instituições brasileiras, fatos que indicam que o crescimento acelerado e o consequente amadurecimento do mercado de seguros doméstico já se refletem no reconhecimento da qualidade dos profissionais e das entidades que atuam no setor. Por fim, como de costume, o leitor encontrará as tradicionais seções Na Estante, Jurisprudência e Panorama do Mercado. Boa Leitura! Conselho Editorial 3

4 EXPEDIENTE CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Carlos Augusto Moreira Araujo (Presidente) Leonardo André Paixão (Vice-Presidente) Antonio Eduardo Marquez de Figueiredo Trindade Guilherme Estrada Rodrigues João Pinto Rabelo Junior Luiz Tavares Pereira Filho DIRETORIA Leonardo André Paixão (Presidente) Mario Di Croce (Vice-presidente Executivo) Carlos de Paula Daniel da Silva Veiga Francisco Aldenor Alencar Andrade José Farias de Sousa Manoel Morais de Araujo Sergio Rosa CONSELHO FISCAL Luiz Alberto de Almeida Palmeira (Presidente) Glauben Teixeira de Carvalho Haydewaldo Roberto Chamberlain da Costa Ronaldo Affonso Nunes Lopes Baptista Sidney Maury Sentoma SEDE Av. Marechal Câmara, Castelo CEP Rio de Janeiro - RJ - Brasil Telefone: (21) GERÊNCIA REGIONAL EM SÃO PAULO Rua Manoel da Nóbrega, andar - Jardim Paulista CEP São Paulo - SP - Brasil Telefone: (11) SUBSIDIÁRIAS EM NOVA YORK IRB International Corporation UAIC - United Americas Insurance Company IRB Service Corporation Telephone: E 55 th Street - 12 th floor New York - Zip Code USA ESCRITÓRIO DE LONDRES London Branch 25, Lime Street - London EC3M 7HR, United Kingdom Telephone: SUCURSAL EM BUENOS AIRES Av. Eduardo Madero, 900 Piso 9 Oficina IRB Ciudad Autónoma de Buenos Aires Argentina (C1001AFB) Telefone: CONSELHO EDITORIAL Leonardo André Paixão Carlos de Paula Claudio Roberto Contador Francisco Aldenor Alencar de Andrade Loreta Pinheiro de Castro Lucio Antonio Marques COORDENAÇÃO EDITORIAL Inah de Paula Comunicações DIREÇÃO DE ARTE Inah de Paula Comunicações LAYOUT DA CAPA Leandro Pontes REDAÇÃO Flávia Pereira da Silva Jorge Clapp REVISÃO Eliana Oliveira Flávia Pereira da Silva Inah de Paula Comunicações GRÁFICA Grafitto Gráfica e Editora FOTOGRAFIAS Foto de Capa: IngImage Helmut Schwarzer, Corneille Karekezi e IngImage DISTRIBUIÇÃO IRB-Brasil Resseguros S.A. Os conceitos emitidos em artigos assinados exprimem apenas as opiniões de seus autores e são de sua exclusiva responsabilidade. Os textos publicados podem ser livremente reproduzidos, desde que citada a fonte. Publicação editada pelo IRB-Brasil Re. Circulação desta edição: exemplares, distribuídos gratuitamente mediante assinatura. 4

5 IRB-Brasil Resseguros S.A Revista do IRB, Rio de Janeiro, a. 71, n. 310, p. 1-52, outubro 2012 ISSN Editorial Previdência: o papel que cabe ao resseguro e ao setor privado Entrevista com Helmut Schwarzer Na Estante Matéria de Capa IRB-Brasil Re avança no mercado internacional Entrevista com Corneille Karekezi Mercado - IRB-Brasil Re pronto para atender diferentes demandas no país Panorama do Mercado Em Foco Desempenho do IRB-Brasil Re é reconhecido pelo mercado segurador IRB-Brasil Re: bons motivos para comemorar o 73º aniversário Mercado brasileiro se destaca no cenário internacional Sustentabilidade: mercado assume compromisso com o planeta Artigo O ressegurador e a busca da excelência na prestação de serviço Sergio Vasconcellos Dias Quem paga a conta? Roberto Muniz Seguro obrigatório de construtor de imóveis em áreas urbanas Osvaldo Haruo Nakiri Artigo Especial O futuro chegou, mas, e agora? Antonio Lassance Jurisprudência

6 ENTREVISTA Previdência: o papel que cabe ao resseguro e ao setor privado Helmut Schwarzer, doutor em Economia pela Freie Universität Berlin, é especialista sênior de seguridade social para as Américas e o Caribe da Organização Internacional de Trabalho (OIT), cargo que passou a ocupar em 2010, após sete anos como secretário de Previdência Social do Ministério da Previdência Social. Desde que foi para Genebra, cidade sede da OIT, Schwarzer se dedica a estudar os níveis de cobertura previdenciária ao redor do mundo, bem como maneiras de ampliar tal cobertura que, em geral, ainda é bastante restrita. Esse, aliás, foi um dos principais temas tratados durante a 101ª Conferência Internacional do Trabalho, evento anual que ocorre na Suíça e que conta com a participação de representantes de todos os países que integram os quadros da Associação. O encontro também deu lugar a discussões acerca da elaboração de possível recomendação sobre a implantação de um piso de proteção social de abrangência global, e de como as mudanças no mercado de trabalho têm dificultado a inserção de determinados grupos nos programas públicos de seguridade e proteção social. Nesse contexto, os fundos de pensão e as resseguradoras têm um importante papel a desempenhar. Afinal, tais instituições podem ajudar a promover uma maior distribuição dos riscos, contribuindo, assim, para a estabilidade dos sistemas. Para Helmut Schwarzer, existe espaço para o crescimento da previdência privada no Brasil e para o investimento dos recursos gerados por esse segmento, que podem fortalecer o próprio dinamismo econômico. Esses e outros assuntos foram abordados pelo especialista durante a entrevista exclusiva, concedida à Revista do IRB, por telefone, diretamente de Genebra, na Suíça. Revista do IRB: Em sua opinião, qual é o tema mais relevante que foi discutido na 101ª Conferência Internacional do Trabalho? Helmut Schwarzer: Do nosso ponto de vista é o da Seguridade Social. Está sendo discutida uma possível recomendação sobre a implantação de um piso de proteção social em todos os países do mundo. Uma recomendação não é uma convenção, mas uma norma internacional de caráter sugestivo. Cada país a adota da forma que achar mais apropriada. Essa recomendação, que deve ter o número 202, estabelece uma série de orientações sobre como melhor coordenar os sistemas de previdência com políticas de assistência social para aumentar os níveis de proteção social e cobertura, tanto na área de saúde como na de benefícios para crianças, trabalhadores desempregados e idosos. Esse é um tema crucial do ponto de vista da seguridade social. Outro tema muito importante que será discutido na área de emprego é o desemprego juvenil. A Organização Internacional do Trabalho (OIT) apresentou um informe bastante extenso sobre esse problema, que é grave em quase todos os países do mundo. É grande a dificuldade da transição escola/mercado de trabalho, ainda mais em tempos de crise. Os países membros, governos, trabalhadores e empregadores vão discutir o informe e, eventualmente, vão propor alguma ação ou diretriz de ação pró-oit no futuro. 6

7 ENTREVISTA Revista do IRB: Essa discussão é bastante relevante para o Brasil, não é mesmo? Porque nós temos os dois problemas: a questão da entrada dos jovens no mercado de trabalho e o da baixa cobertura previdenciária. Helmut Schwarzer: São dois temas relevantes e, sem dúvida, o Brasil tem destaque internacional pelo fato de, nesta última década, ter expandido uma série de programas de proteção social como o Bolsa Família e o Benefício de Prestação Continuada, além da ampliação dos programas da Previdência Social, com a entrada de novos contribuintes. O Brasil é um país que tem mostrado que é possível incorporar novas pessoas num processo de crescimento econômico (o chamado modelo de crescimento inclusivo). Revista do IRB: Como fazer com que esses programas sejam sustentáveis, uma vez que os recursos têm de vir de algum lugar? De certa maneira, não estaríamos onerando outras camadas da população? Helmut Schwarzer: Os recursos necessários para financiar programas dessa natureza, que fazem parte do piso de proteção social, exigem comprometimento de uma determinada parte de riqueza que um país produz, mas nossos cálculos para os diversos países do mundo mostram que, no caso dos mais pobres, um investimento entre 1% ou 2% do PIB já é um começo. São países que mantêm um gasto social diminuto, mas que podem, com algumas reformas tributárias e um pouco de esforço, melhorar a coleta de impostos, aumentar a formalização e investir na profissionalização dos seus serviços públicos a fim de evitar desperdícios. Ou seja, esses países mais pobres podem liberar recursos e aumentar a eficácia ou sinergia de programas de proteção social mais fragmentados que passam a ser mais orgânicos. No caso de países de renda média ou alta, como o Brasil, precisam abdicar de uma parte da carga tributária para investir em políticas que gerem um maior equilíbrio social porque o combate à pobreza, a menor concentração de renda e a incorporação de pessoas ao mercado de consumo doméstico Helmut Schwarzer, especialista em Seguridade Social da OIT são, além de direitos humanos, vantagens competitivas sob o ponto de vista econômico. Um país como o Brasil consegue manter seu ritmo de crescimento ao longo dos anos, apesar das crises que existem em nível internacional, em função do fortalecimento da capacidade de consumo doméstico. Então, essas políticas de inclusão, embora tenham um custo, também têm impacto favorável, garantindo maior estabilidade social, econômica e de demanda pelos produtos que são produzidos nesse país. A exemplo de países que fazem uso de determinadas fontes de financiamento, como no caso da Bolívia, que utiliza o imposto sobre os hidrocarbonetos (petróleo e gás), o Brasil aplicou durante muito tempo o imposto sobre as transações financeiras. Revista do IRB: No mundo, 80% da população não tem cobertura previdenciária. A que o senhor atribui isso? Até onde o mercado de trabalho tem participação nessa questão? Helmut Schwarzer: O mercado de trabalho tem um papel fundamental na medida em que a qualidade das ocupações está longe daquilo que a OIT conhece ou chama de trabalho decente. A maioria dos empregos nos países em desenvolvimento, infelizmente, ainda é precária. Muitos trabalham por conta própria ou exercem o trabalho doméstico não remunerado. São pessoas que, em função da baixa remuneração, têm baixa 7

8 ENTREVISTA Um país como o Brasil consegue manter seu ritmo de crescimento ao longo dos anos, apesar das crises que existem em nível internacional, em função do fortalecimento da capacidade de consumo doméstico. capacidade contributiva ou não têm acesso a informações suficientes para exercer os seus direitos ou cumprir com seus deveres, pois não conhecem os sistemas de proteção social que existem nos seus respectivos países. A gente também percebe que, em diversas ocasiões, há a necessidade de desenvolvimento institucional. A cobertura, tanto do ponto de vista da legislação como dos serviços, escritórios e instalações dos sistemas de seguro social nos países ainda está longe de ser suficiente, principalmente nos países em desenvolvimento. Outro motivo pelo qual as pessoas ainda estão passando por dificuldades nas coberturas dos seguros sociais são as transformações estruturais do mercado de trabalho. Isso impacta os graus de cobertura e faz com que muitos não consigam cumprir com os requisitos necessários, por exemplo, para ter direito a aposentadoria, uma vez que as carreiras são cada vez mais cortadas, com uma mescla de períodos formais e informais ou remuneração muito baixa, nos quais não se pagou a contribuição. Revista do IRB: Qual análise o senhor faz do mercado de trabalho brasileiro? Helmut Schwarzer: O Brasil, assim como vários outros países da América do Sul, caminha um pouco na contramão. No caso brasileiro, os incentivos ao empreendedorismo da pequena e média empresa e as iniciativas de formalização das domésticas têm gerado um número bastante positivo de novos segurados. O que acontece aqui é semelhante ao que ocorre em outros países da América do Sul como o Paraguai, a Argentina, o Uruguai e as nações andinas e vai um pouco contra a corrente observada na América Central ou no Caribe, que são regiões mais dependentes da economia americana e europeia. A estratégia dos países sul-americanos, principalmente Brasil e Argentina, é de diversificar suas relações internacionais, e me parece que isso acaba impactando positivamente a formalização e geração de empregos, além da proteção social. Revista do IRB: Qual seria o papel de uma resseguradora como o IRB-Brasil Re na ampliação da cobertura previdenciária? Helmut Schwarzer: Nós achamos que o setor privado tem um papel bastante relevante no conjunto de instrumentos para a proteção social. A OIT tem hoje um modelo que se chama Escada da Proteção Social, que teria como primeiro degrau o Piso de Proteção Social com um conjunto de garantias básicas para todas as pessoas (serviços e benefícios). O segundo degrau abrange os seguros sociais, ou seja, os seguros obrigatórios; e o terceiro degrau dessa Escada da Proteção Social, o pilar complementar, que tem regulação do Estado, representa, tanto nos países mais industrializados como no caso brasileiro, um papel importante na complementação da renda da classe média alta. É importante que esses pilares sejam desenhados de tal forma a serem mutuamente fortalecedores. Há um papel importante tanto para a previdência pública quanto para a previdência complementar privada. A política de resseguros é importante para que haja uma distribuição dos riscos entre as diversas instituições dentro do mercado, mantendo, assim, a estabilidade do sistema. O papel das resseguradoras é relevante nesse conjunto. Embora a OIT não entre no detalhe da indústria de resseguros, nós sabemos que o resseguro é importante para manter o sistema de seguros privados de pé, com uma distribuição aceitável dos riscos. 8

9 NA ESTANTE CONTRATOS INTERNACIONAIS DE SEGUROS Autor: Antônio Márcio da Cunha Guimarães - Editora: Revista dos Tribunais - Págs.: 116 Cinco anos após a abertura no resseguro, formalizada em janeiro de 2007, com a publicação da Lei Complementar 126, o mercado vive um cenário de plena e acirrada concorrência, com 101 resseguradoras em atividade (sendo 29 admitidas, 11 locais e 61 eventuais), além de 34 corretoras de resseguro. Nesse contexto, vale a leitura desta publicação, que discute a natureza jurídica dos contratos de seguros internacionais e suas implicações quanto à sua aplicabilidade em nosso cotidiano. O autor, profundo conhecedor da matéria, sintetiza a história da criação do instituto do seguro, delimita a natureza dos contratos de seguros e explica o funcionamento do mercado segurador nacional. Em um capítulo à parte, Cunha Guimarães aponta, ainda, as polêmicas acerca da contratação de seguros internacionais no Brasil, notadamente de produtos sem permissão legal expressa para comercialização e suas respectivas implicações. SEGUROS PRIVADOS Autor: Marcelo da Fonseca Guerreiro - Editora: Forense Universitária - Págs.: 276 Ex-procurador federal da Superintendência de Seguros Privados, o jurista e magistrado Marcelo Guerreiro, utiliza, nesta obra, uma linguagem clara, objetiva e concisa para explicar a todos os leitores, inclusive leigos, as principais noções acerca do direito securitário. Trata-se de um detalhado trabalho acadêmico, escrito de forma didática, que tornou-se leitura obrigatória para profissionais do mercado de seguros e resseguros. Para muitos, esse livro é um verdadeiro guia prático por esclarecer dúvidas, inclusive, de quem já atua na área do direito securitário, abordando questões que vão desde a legislação e a jurisprudência sobre seguros até a prescrição nos contratos e a agravação dos riscos. 9

10 NA ESTANTE CURSO DE DIREITO TRIBUTÁRIO Autor: Hugo de Brito Machado - Editora: Malheiros Editores - Págs.: 416 Autor de várias obras sobre o tema, o juiz federal e professor universitário Hugo de Brito Machado, neste livro, volta a brindar alunos e profissionais do setor com uma irretocável análise sobre o sistema tributário brasileiro, tomando como base a Constituição Brasileira, aprovada em Brito Machado também recorre a notas de aulas proferidas nos anos 1970, na Universidade de Fortaleza, para examinar mais profundamente os princípios e fundamentos, as competências tributárias, conceitos, características e classificação dos tributos, isenções, discriminação de rendas e as bases da legislação infraconstitucional. O livro está na lista dos mais completos estudos sobre o sistema tributário brasileiro e suas mudanças efetivadas nos últimos 40 anos. SEGUROS PARA RISCOS AMBIENTAIS Autor: Walter Polido - Editora: Revista dos Tribunais - Págs.: 638 Walter Polido é um dos maiores especialistas em seguros para riscos ambientais no mercado brasileiro. Com sólida carreira iniciada no IRB-Brasil Re, o autor apresenta, neste livro, teorias fundamentadas na sua longa experiência profissional. E vai além: embora não haja jurisprudência no campo dos seguros ambientais no Brasil, ele traça paralelos entre matérias correlatas. Imperdível em uma época na qual a sustentabilidade e a proteção ao meio ambiente são assuntos predominantes na sociedade. 10

11 MATÉRIA DE CAPA IRB-Brasil Re avança no mercado internacional Cinco anos após o fim do monopólio no resseguro estabelecido pela Lei Complementar 126, de 15 de janeiro de 2007, o IRB-Brasil Re não apenas consolidou sua posição de líder do mercado da América Latina, como também vem pondo em prática um ambicioso plano de voo para o exterior. Embora ainda esteja em fase de decolagem, essa trajetória já rende bons resultados. O ponto de partida são os países vizinhos, mais particularmente a Argentina, primeira etapa desse avanço do IRB-Brasil Re no mercado internacional. Mas já está bem encaminhada, também, a participação do ressegurador brasileiro no ainda pouco explorado, mas potencialmente valioso, mercado africano. Para conquistar esses novos mercados, o IRB-Brasil Re, que completou 73 anos de história em abril deste ano, conta com alguns valiosos trunfos. Além da expertise acumulada durante esse tempo, o ressegurador brasileiro investiu forte em governança e gestão de riscos, o que lhe permitiu manter-se competitivo mesmo em um mercado em franca expansão, sob acirrada concorrência. O foco na qualidade rendeu para a empresa a nota A- (excelente) da AM Best, agência de classificação de riscos especializada no mercado securitário, com a perspectiva de estabilidade para o ano de Outra vantagem competitiva importante é o fato de o IRB-Brasil Re operar em todas as linhas de negócio e ter a capacidade de desenhar planos e coberturas de resseguro de acordo com as necessidades de cada cliente. Do ponto de vista financeiro, há também muito o que comemorar. O IRB-Brasil Re encerrou 2011 contabilizando um volume de prêmios líquidos emitidos da ordem de R$ 2,064 bilhões, um aumento de 97% em comparação ao exercício anterior, enquanto o lucro líquido cresceu 18,5%, pulando para R$ 465 milhões. O que se espera agora é que, a partir de 2013, sejam aprimoradas as ações que, no futuro não muito distante, poderão posicionar o IRB-Brasil Re entre as maiores resseguradoras do planeta. 11

12 MATÉRIA DE CAPA IngImage Argentina A investida no mercado argentino teve início em meados de 2011, quando uma força tarefa foi deslocada para o país vizinho. Os técnicos enviados para a Argentina cumpriram a missão de abrir as portas do mercado local para o IRB-Brasil Re. Em apenas um mês, mais de dez contratos automáticos foram conquistados pela empresa brasileira, todos estabelecendo elevados valores de coberturas e prêmios, com riscos assumidos pela matriz. O segundo semestre de 2011 serviu para que gerentes, diretores e técnicos da empresa mantivessem contatos permanentes com seguradoras e brokers argentinos. O fato de todos terem vestido a camisa do IRB-Brasil Re, não medindo esforços nesse processo de convencimento, preparou a empresa para assumir um papel de destaque na Argentina. Assim, foi possível ao IRB-Brasil Re não apenas preparar-se adequadamente para as renovações dos contratos automáticos e conquista de novos clientes, como também para o segmento de contratos facultativos. 12

13 MATÉRIA DE CAPA Não por acaso, espera fechar o ano entre as cinco maiores resseguradoras locais, o que é uma grande conquista se for considerado que naquele país é grande o número de resseguradoras cativas, controladas por seguradoras que, naturalmente, privilegiam os negócios com essas coirmãs. O sucesso na Argentina acelerou os passos seguintes em direção a outros mercados da América Latina. Recentemente, o IRB-Brasil Re obteve autorização para operar no Uruguai e Paraguai. África Mercado com enorme potencial e inúmeros nichos pouco explorados ou mesmo inexplorados, a África apresenta-se como mais uma etapa importante do avanço internacional. A direção do IRB-Brasil Re trata a entrada naquela região como prioridade. Nos últimos meses, viagens de prospecção e de negociação direta com operadoras locais foram feitas por delegações compostas por diretores e técnicos do ressegurador brasileiro. O IRB-Brasil Re já comprou, inclusive, o equivalente a 4,8% do capital da African Reinsurance Corporation (Africa Re), empresa com status de organismo internacional, que pertence a 38 países africanos, aos bancos de desenvolvimento da África, da Alemanha, da França e da Holanda, ao IFC/Banco Mundial e a mais de cem empresas africanas de seguros e resseguros (ver box). A investida no mercado internacional é respaldada pelos ativos que o IRB-Brasil Re dispõe no Brasil, o que assegura mais estabilidade na acirrada disputa com as resseguradoras internacionais. Além disso, as operadoras estrangeiras ainda se recuperam de perdas do passado recente, marcado pelos prejuízos provocados pelo terremoto no Japão, a enchente na Tailândia e os tornados. O IRB-Brasil Re perdeu muito pouco nessas catástrofes, tendo, agora, o fôlego necessário para avançar para fora das fronteiras brasileiras. 13

14 MATÉRIA DE CAPA IngImage IRB-Brasil Re no mercado africano Em abril deste ano, o IRB-Brasil Re anunciou a compra de uma participação correspondente a 4,8% do capital total da African Reinsurance Corporation (Africa Re). Essa empresa tem status de organismo internacional e conta com acionistas do porte de bancos de desenvolvimento da África, da Alemanha, da França e da Holanda, o Banco Mundial e a mais de cem empresas africanas de seguros e resseguros. A Africa Re é a líder de mercado africano, com 10% de market share, e possui rating A- atribuído tanto por duas agências internacionais: Standard & Poors e AM Best. A sede da empresa fica em Lagos (Nigéria), mas a Africa Re está presente, também, com escritórios de representação e subsidiárias, em outros sete países: Costa do Marfim, Marrocos, Quênia, Ilhas Maurício, Egito, África do Sul e Etiópia. Ao fechar esse negócio, o IRB-Brasil Re assumiu a posição de primeira resseguradora não africana a ter participação acionária na Africa Re. 14

15 MATÉRIA DE CAPA Rating dá suporte ao IRB-Brasil Re para voos mais altos O processo de internacionalização do IRB-Brasil Re conta, desde o final do ano passado, com o importante respaldo do rating amplamente positivo obtido pela empresa. Esse passaporte para voos ainda mais altos foi assegurado com a nota A- concedida pela A.M. Best, especializada no setor de seguros. Essa foi a primeira classificação de risco do IRB-Brasil Re, que debutou em alto estilo, pois a nota conferida ao ressegurador equivale ao quarto grau mais alto na escala da agência, de 13 degraus. O presidente do IRB-Brasil Re, Leonardo Paixão, comemorou o feito, lembrando que a nota apurada superou as expectativas iniciais. O IRB-Brasil Re alcançou uma avaliação muito positiva, frisou. O entusiasmo é justificado. Afinal, tal avaliação de risco permitirá à empresa adotar uma estratégia mais agressiva no projeto que visa a internacionalizar a marca. Isso porque a nota A- está dentro da faixa considerada como segura pela agência, refletindo a avaliação dos técnicos da A.M. Best de que o IRB-Brasil Re oferece excelente capacidade para cumprir suas obrigações de resseguro. Aliás, com esse rating, o IRB-Brasil Re poderá entrar imediatamente em países cuja legislação exige a classificação de risco. Para citar apenas a vizinhança, estão neste caso o Uruguai e o Peru. Além disso, fortalece a entrada do IRB-Brasil Re na África. As notas de classificação refletem o forte perfil comercial do IRB-Brasil Re no mercado ressegurador brasileiro, sólido desempenho financeiro e forte capitalização ajustada ao risco. Contribui para isso o fato de, mesmo com o declínio na participação do mercado após o fim do monopólio, o IRB-Brasil Re ter mantido grande margem de diferença na liderança no mercado ressegurador local. Além disso, a empresa vem adotando várias iniciativas para manter um diferencial competitivo, tais como: a instalação de um sistema corporativo para ajudar no controle de processos, o que assegura melhor relação custo-eficiência; o estabelecimento de um grupo de gestão com foco no cliente, tendo como objetivo aprimorar o atendimento e fortalecer suas relações comerciais; e a criação de um grupo de gestão de risco corporativo visando a melhorar o uso do capital e auxiliar a empresa numa tomada mais prudente de risco. 15

16 MATÉRIA DE CAPA Entrevista com Corneille Karekezi Com mais de 21 anos de experiência no mercado de seguro e resseguro, dos quais 12 em posições de liderança, o administrador de empresas Corneille Karekezi está acostumado a lidar com desafios nas áreas de desenvolvimento de negócios estratégicos e reestruturação societária tanto em nível regional quanto continental. Atualmente ocupa o cargo de CEO e Diretor Operacional da African Reinsurance Corporation Africa Re, empresa com status internacional pertencente a 38 países africanos, aos bancos de desenvolvimento da África, da Alemanha, da França e da Holanda, ao IFC/Banco Mundial e a mais de cem empresas africanas de seguros e resseguros. Revista do IRB: Que análise o senhor faz dos mercados de seguro e resseguro africano? Corneille Karekezi, CEO do Africa Re Group Corneille Karekezi: Em termos de crescimento, vemos um futuro brilhante para o mercado de seguro e resseguro africano, apesar da atual preocupação com a recessão na Europa e nos EUA. Embora a economia africana seja dependente dos mercados desenvolvidos, temos visto muitas transformações interessantes que vêm gerando impacto positivo em muitos países. Espera-se que todo o continente continue a crescer acima de 5% ao ano. Mas embora algumas nações estejam batendo recordes de crescimentos superiores aos 5%, infelizmente, outras ainda vivenciam uma série de dificuldades. Logo, é inadequado julgar o que está acontecendo em todo o continente baseado no que ocorre em um ou outro país específico. Vale ressaltar que o mercado segurador africano vem crescendo de forma estável e superior ao crescimento do PIB, mantendo-se lucrativo ao longo dos anos, sobretudo devido ao fato de ser poupado de muitas catástrofes naturais sofridas por outras regiões do mundo. Podemos acrescentar, ainda, que as autoridades reguladoras vêm obtendo sucesso ao reformar seus mercados e garantir que estejam em linha com as tendências mundiais. Esse fator, em grande parte, tem contribuído para o fortalecimento das estruturas sobre as quais os negócios são realizados nesses países, além de fazer com que clientes e investidores sintam-se mais seguros. Espera-se que todo o continente continue a crescer acima de 5% ao ano (...) [e] o mercado segurador africano vem crescendo de forma estável e superior ao crescimento do PIB 16

17 MATÉRIA DE CAPA Revista do IRB: Como esses mercados vêm se desenvolvendo nos últimos anos? Corneille Karekezi: Em 2002, a receita de prêmios de seguro e resseguro da África foi de US$ 30,6 bilhões e US$ 3,22 bilhões, respectivamente. Em 2010, a renda do mercado de seguro aumentou para US$ 55,63 bilhões, ao passo que o total cedido pelo segmento de resseguro foi de US$ 6,10 bilhões, conforme levantamento feito pela divisão de estatística da Africa Re. Três fatores foram determinantes para esse crescimento. Primeiramente, a economia africana cresceu significativamente: 6,7% ao ano na última década (enquanto o crescimento global anual no mesmo período foi de 4,3% a.a.), tendo havido ainda um fluxo considerável de investimentos estrangeiros diretos (FDI) ao continente. O fluxo de FDI em 2011 foi de US$80 bilhões, quase um quarto dos FDI globais. Esse boom de crescimento criou uma classe média abastada que demanda diferentes soluções em seguros. Em segundo lugar está a relativa estabilidade política no continente e, em terceiro lugar, a atenção que vem sendo dispensada a assuntos relativos à governança corporativa. Contudo, é preciso dizer que o mercado africano de seguros ainda tem grande potencial de crescimento. Atualmente, a penetração é de 3,5% (o número global é de 7%). Porém, a expectativa é que esse percentual se eleve para 6% até 2015/2016 com a introdução dos microsseguros nas classes mais baixas, a criação de plataformas regulatórias mais efetivas, o crescimento médio esperado de 6,2% ao ano pelos próximos cinco anos (estimulado parcialmente pelos FDI, cujo valor estimado até 2015 é de US$ 150 bilhões), a melhoria da infraestrutura, a demanda mundial por recursos naturais e as constantes descobertas de óleo e gás em diferentes países. Revista do IRB: Quais são suas expectativas em relação à participação do IRB-Brasil Re no capital da Africa Re? Corneille Karekezi: A expectativa da Africa Re em ter o IRB-Brasil Re como acionista é a de que possa haver uma parceria mutuamente benéfica. Os laços culturais e históricos entre Brasil e África, assim como algumas similaridades em termos de ideais (missões de desenvolvimento) por trás da criação de ambas as Instituições implicam sinergias que, quando bem trabalhadas, garantirão benefícios aos dois lados. 17

18 MATÉRIA DE CAPA Revista do IRB: As empresas podem ter um aproveitamento mútuo no que diz respeito à expertise? Corneille Karekezi: Sim, por exemplo, nas áreas de consultoria técnica e de desenvolvimento de novos negócios e retrocessões, o IRB-Brasil Re pode se beneficiar tendo em vista a nossa posição e experiência no continente africano. A mesma reciprocidade pode se aplicar à Africa Re, à medida que nos preparamos para entrar no mercado brasileiro. Outros pontos interessantes da parceria são: o desenvolvimento de produtos para os ramos de óleo e gás, o desenvolvimento de temas ligados à área de recursos humanos, exploração máxima da atual capacidade de subscrição e tecnologia, bem como a troca de expertise no levantamento de riscos especiais e subscrição. Revista do IRB: Quais as linhas de negócios mais promissoras na África nos próximos anos? Corneille Karekezi: Acreditamos que o setor de óleo e gás continuará a oferecer muitas oportunidades. Ademais, o microsseguro ainda encontra-se em fase de desenvolvimento, especialmente no setor de agricultura, que tem um potencial imenso caso seja bem explorado. Trabalhando com o IRB-Brasil Re, e conhecendo sua vasta experiência nessas duas áreas, esperamos adquirir capacidade e inovação. Revista do IRB: Como o senhor vê o mercado ressegurador brasileiro? Corneille Karekezi: Após 69 anos de monopólio, o mercado brasileiro está vibrante e com um número cada vez maior de atores no ramo de seguro e resseguro. Trata-se de um mercado em que a maioria dos analistas mundiais, e nós da Africa Re, considera um dos mais promissores do mundo. Acreditamos que o desempenho atual tanto em forma de crescimento quanto de rentabilidade é sustentável, apesar da crescente competitividade entre as empresas. O mercado local, que controla dois terços de cessão direta, entra agora em nova fase, focando mais na bottom line do que no market share. Apesar dessas preocupações e da redução do crescimento de 7,5%, em 2010, para 3%, em 2011, devido à queda do consumo no 3º trimestre (segundo o IBGE), a economia brasileira ainda é a 6ª do mundo, apresentando um ambiente político estável e grandes oportunidades de investimento. Ademais, tudo indica que a agência reguladora continuará bastante ativa, o que já era esperado tendo em vista o tamanho e nível de sofisticação do mercado. Logo, achamos que o futuro do mercado ressegurador brasileiro será brilhante em face das ótimas oportunidades de investimentos e à sua sustentabilidade. 18

19 MATÉRIA DE CAPA Mercado IRB-Brasil Re pronto para atender diferentes demandas no país O processo de internacionalização é prioritário, mas o IRB-Brasil Re não deixará jamais de investir forte no mercado doméstico, com sua oferta de produtos e serviços diferenciados. Tendo como pilares o conhecimento do histórico de riscos do mercado brasileiro, a expertise acumulada há décadas por sua conceituada equipe técnica e a força da marca, líder na América Latina, o IRB-Brasil Re assume a postura de vanguarda para atender a todas as demandas que surgirão nos próximos anos em um país em obras, à espera dos grandes eventos a maioria, esportivos que sediará nos próximos anos e da própria infraestrutura de uma nação em franco desenvolvimento. Não há prioridades. A intenção é atender a todos na medida do possível, sem abrir mão da salutar e necessária seleção de riscos, inevitável para uma empresa de resseguro que almeja manter a liderança e ampliar seus negócios. E, acima de tudo, sem colocar em risco a sua rentabilidade. A expectativa é a de aproveitar da melhor forma possível um cenário no qual o volume de prêmios emitidos tende a crescer progressivamente nos próximos anos, a reboque dos investimentos maciços feitos pelo setor público nas obras do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) e em projetos de infraestrutura para a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016, além da exploração do pré-sal e da criação do microsseguro, que acaba de ser regulamentado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep). De olho nesse potencial, o IRB-Brasil Re trabalha ativamente na criação constante de novos serviços e produtos visando a continuar sendo o parceiro preferencial das principais seguradoras e de grandes grupos empresariais do país. E o incentivo maior para os técnicos e dirigentes da empresa é a comprovação irrefutável oferecida pelas estatísticas do mercado, que jogam para o escanteio a tese de que o IRB-Brasil Re não seria capaz de competir em um mercado livre. O IRB-Brasil Re investe para fortalecer sua posição de líder com novos produtos, embora já atue em quase todos os segmentos. Entre as novidades, pode surgir um produto para fundos de pensão. A ideia é oferecer uma ferramenta que assegure o pagamento de benefícios a quem ultrapassar o tempo de vida estimado. 19

20 MATÉRIA DE CAPA O IRB-Brasil Re está de olho, também, no promissor e ainda pouco explorado setor agrícola, apesar do risco dessa modalidade ser consideravelmente elevado, chegando, em algumas situações, a 150% o índice de sinistralidade, o que leva as seguradoras a ressegurarem cerca de 90% dos prêmios. Para ultrapassar essas barreiras, a solução é atuar pontualmente em determinadas culturas e regiões. O IRB-Brasil Re também está de portas abertas para o setor esportivo, aproveitando a enxurrada de grandes eventos internacionais que o Brasil sediará até Contudo, o principal foco continuará direcionado para segmentos vinculados a grandes volumes de negócios, atendendo seguradoras e clientes que precisam mais do que a cobertura do resseguro, pois demandam, principalmente, de apoio técnico e capacidade financeira. Estão nesse caso os grandes riscos de Propriedades e os tradicionais ramos de Transportes, Aeronáuticos, Responsabilidade Civil, Garantia e Riscos de Governo. Os ramos de Pessoas, especialmente Vida e Previdência, também têm grande potencial de desenvolvimento. Desde o ano passado, o IRB-Brasil Re conta, ainda, com uma capacidade adicional para a aceitação de riscos de Petróleo, incluindo a construção de sondas offshore e plataformas de petróleo, além de operações offshore em geral. Essa capacidade foi ampliada de US$ 120 milhões para US$ 1,2 bilhão, suficiente para atender aos grandes projetos que vêm surgindo no país. IngImage 20

A representação institucional do mercado segurador

A representação institucional do mercado segurador A representação institucional do mercado segurador A Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização CNseg é a entidade de representação

Leia mais

EXPOSIÇÃO DIDÁTICA SOBRE A ABERTURA DO MERCADO DE RESSEGUROS NO BRASIL

EXPOSIÇÃO DIDÁTICA SOBRE A ABERTURA DO MERCADO DE RESSEGUROS NO BRASIL RELATÓRIOS DE PESQUISA EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO v.13, Série B. n.1, p. 1-7 EXPOSIÇÃO DIDÁTICA SOBRE A ABERTURA DO MERCADO DE RESSEGUROS NO BRASIL Deborah Tinoco Ribeiro deborahtinoco@yahoo.com.br Marcus

Leia mais

Panorama e Perspectivas 2011/2012. Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização

Panorama e Perspectivas 2011/2012. Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização Panorama e Perspectivas / Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização 1. Sumário Executivo... 2 2. Seguradoras do grupo de seguros gerais... 2 2.1 Ramos do grupo de seguros gerais...

Leia mais

2. O que a Funpresp Exe traz de modernização para o sistema previdenciário do Brasil?

2. O que a Funpresp Exe traz de modernização para o sistema previdenciário do Brasil? Perguntas Frequentes 1. O que é a Funpresp Exe? É a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo, criada pelo Decreto nº 7.808/2012, com a finalidade de administrar

Leia mais

Brasil avança, mas é quarto país mais desigual da América Latina, diz ONU

Brasil avança, mas é quarto país mais desigual da América Latina, diz ONU Brasil avança, mas é quarto país mais desigual da América Latina, diz ONU Estudo faz balanço de serviços urbanos básicos, como a gestão dos resíduos sólidos. (Foto: Reprodução) Apesar do crescimento econômico,

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda, uma

Leia mais

MARCA BRADESCO RECURSOS HUMANOS

MARCA BRADESCO RECURSOS HUMANOS ATIVOS INTANGÍVEIS Embora a Organização não registre seus ativos intangíveis, há evidências da percepção de sua magnitude pelos investidores e que pode ser encontrada na expressiva diferença entre o Valor

Leia mais

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s

Byte Software POLÍTICA COMERCIAL. Parceiros Comerciais/CVB s Byte Software POLÍTICA COMERCIAL Parceiros Comerciais/CVB s 2013 1. Apresentação Este guia descreve o Programa de Parceria Byte Software através de uma estrutura básica, incluindo como participar e, ainda,

Leia mais

Receita do Network PwC cresce 6% e atinge US$ 34 bilhões no ano fiscal encerrado em junho

Receita do Network PwC cresce 6% e atinge US$ 34 bilhões no ano fiscal encerrado em junho Press release Data Contato EMBARGO 00h01min (horário Brasília) Terça-feira, 7 de outubro de 2014 Márcia Avruch Tel: +55 11 3674 3760 Email: marcia.avruch@br.pwc.com Pages 4 Receita do Network PwC cresce

Leia mais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais João Carlos Ferraz BNDES 31 de agosto de 2008 Guia Contexto macroeconômico Políticas públicas Perpectivas do investimento

Leia mais

POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S.

POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S. POLÍTICA FISCAL E DÍVIDA PÚBLICA O difícil caminho até o Grau de Investimento Jedson César de Oliveira * Guilherme R. S. Souza e Silva ** Nos últimos anos, tem crescido a expectativa em torno de uma possível

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil

Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil Thayne Garcia, Assessora-Chefe de Comércio e Investimentos (tgarcia@casacivil.rj.gov.br) Luciana Benamor, Assessora de Comércio e Investimentos

Leia mais

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Nota de Imprensa Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Presidente mundial do Banco Santander apresenta em São Paulo o Plano Estratégico 2008-2010 para o A integração

Leia mais

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel.

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. Press Release Date 1º de outubro de 2013 Contato Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508 Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. (11) 3674-3760 Pages

Leia mais

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Exportações de açúcar da empresa devem aumentar 86% na safra 2009/2010 A Copersucar completa

Leia mais

Algar Telecom registra lucro de R$ 71 milhões em 2009

Algar Telecom registra lucro de R$ 71 milhões em 2009 Algar Telecom registra lucro de R$ 71 milhões em 2009 EBITDA atingiu a soma de R$ 391 milhões no ano passado São Paulo, 24 de março de 2010 A Algar Telecom, empresa de telecomunicações do Grupo Algar,

Leia mais

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ JOVEM APRENDIZ Eu não conhecia nada dessa parte administrativa de uma empresa. Descobri que é isso que eu quero fazer da minha vida! Douglas da Silva Serra, 19 anos - aprendiz Empresa: Sinal Quando Douglas

Leia mais

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA 2 Caixa, patrimônio dos brasileiros. Caixa 100% pública! O processo de abertura do capital da Caixa Econômica Federal não interessa aos trabalhadores e à população

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname

Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname A República Argentina, a República Federativa do Brasil, a República do Paraguai, a República Oriental do Uruguai, a República Bolivariana

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV

Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV INVESTIMENTOS Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV Uma questão de suma importância para a consolidação e perenidade de um Fundo de Pensão é a sua saúde financeira, que garante

Leia mais

QUEM SOMOS VISÃO MISSÃO HISTÓRICO BRIEF INSTITUCIONAL 2013

QUEM SOMOS VISÃO MISSÃO HISTÓRICO BRIEF INSTITUCIONAL 2013 BRIEF INSTITUCIONAL 2013 QUEM SOMOS TETO é uma organização presente na América Latina e no Caribe, que busca superar a situação de pobreza em que vivem milhões de pessoas nos assentamentos precários, através

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

A Colocação do Resseguro Facultativo. Marcus Clementino Março/2013

A Colocação do Resseguro Facultativo. Marcus Clementino Março/2013 1 A Colocação do Resseguro Facultativo Marcus Clementino Março/2013 Marcus Clementino 2 Formação Acadêmica Engenheiro de Sistemas - PUC/RJ - 1971 Ph.D. em Matemática Aplicada - London School of Economics

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

8º Congresso Brasileiro & Pan-Americano de Atuária. Rio de Janeiro Agosto - 2010

8º Congresso Brasileiro & Pan-Americano de Atuária. Rio de Janeiro Agosto - 2010 Normas Internacionais de Supervisão 8º Congresso Brasileiro & Pan-Americano de Atuária Rio de Janeiro Agosto - 2010 Sumário: 1. Solvência II 2. International Association of Insurance Supervisors IAIS 3.

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015

A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015 A REORIENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL BRASILEIRO IBGC 26/3/2015 1 A Situação Industrial A etapa muito negativa que a indústria brasileira está atravessando vem desde a crise mundial. A produção

Leia mais

Nossa atuação no setor financeiro

Nossa atuação no setor financeiro Nossa atuação no setor financeiro No mundo No Brasil O porte da equipe de Global Financial Services Industry (GFSI) da Deloitte A força da equipe do GFSI da Deloitte no Brasil 9.300 profissionais;.850

Leia mais

DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO

DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO 1 DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO Cesar Simões Salim Professor e Autor de livros de empreendedorismo cesar.salim@gmail.com Visite meu blog: http://colecaoempreendedorismo.blogspot.com/

Leia mais

Experiências Nacionais Bem Sucedidas com Gestão de Tributos Municipais Ênfase no IPTU

Experiências Nacionais Bem Sucedidas com Gestão de Tributos Municipais Ênfase no IPTU Experiências Nacionais Bem Sucedidas com Gestão de Tributos Municipais Ênfase no IPTU O Papel dos Tributos Imobiliários para o Fortalecimento dos Municípios Eduardo de Lima Caldas Instituto Pólis Marco

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa

Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa Análise XP Fundamentos Senior Solution (SNSL3) Conhecendo a empresa A Empresa A Senior Solution está presente, há mais de 17 anos, no segmento de Tecnologia da Informação no mercado brasileiro, sendo uma

Leia mais

PROTEÇÃO ITAÚ MICROCRÉDITO

PROTEÇÃO ITAÚ MICROCRÉDITO PROTEÇÃO ITAÚ MICROCRÉDITO Prêmio Antonio Carlos de Almeida Braga Inovação em seguros edição 2012 CONTEÚDO 1 Introdução... 2 2 Objetivo... 3 3 Desenvolvimento do trabalho... 4 Parceria entre as duas áreas

Leia mais

O que é o conglomerado Caixa...

O que é o conglomerado Caixa... CAIXA FEDERAL QUAL CAIXA QUEREMOS? Março 2015 O que é o conglomerado Caixa... A Caixa é uma instituição financeira constituída pelo Decreto-Lei 759/1969, sob a forma de empresa pública, vinculada ao Ministério

Leia mais

Perspectivas do Mercado de Crédito Marcus Manduca, sócio da PwC

Perspectivas do Mercado de Crédito Marcus Manduca, sócio da PwC Perspectivas do Mercado de Crédito Marcus Manduca, sócio da PwC Perspectivas do Mercado de Crédito Cenário econômico Cenário econômico Contexto Macro-econômico e Regulamentação Redução de spreads Incremento

Leia mais

Análise Econômica do Mercado de Resseguro no Brasil

Análise Econômica do Mercado de Resseguro no Brasil Análise Econômica do Mercado de Resseguro no Brasil Estudo encomendado a Rating de Seguros Consultoria pela Terra Brasis Resseguros Autor: Francisco Galiza Sumário 1. Introdução... 3 2. Descrição do Setor...

Leia mais

Vida Segura Empresarial Bradesco:

Vida Segura Empresarial Bradesco: PRÊMIO ANSP 2005 Vida Segura Empresarial Bradesco: A democratização do acesso ao Seguro de Vida chega às Micro e Pequenas Empresas. 1 SUMÁRIO 1. Sinopse 3 2. Introdução 4 3. O desafio de ser o pioneiro

Leia mais

Welcome Call em Financeiras. Categoria Setor de Mercado Seguros

Welcome Call em Financeiras. Categoria Setor de Mercado Seguros Categoria Setor de Mercado Seguros 1 Apresentação da empresa e sua contextualização no cenário competitivo A Icatu Seguros é líder entre as seguradoras independentes (não ligadas a bancos de varejo) no

Leia mais

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE

A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DO GOVERNO FEDERAL E A MACROMETA DE AUMENTAR O INVESTIMENTO PRIVADO EM P&D ------------------------------------------------------- 3 1. O QUE É A PDP? ----------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 BUSINESS GAME UGB Eduardo de Oliveira Ormond Especialista em Gestão Empresarial Flávio Pires Especialista em Gerencia Avançada de Projetos Luís Cláudio Duarte Especialista em Estratégias de Gestão Marcelo

Leia mais

MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO PANORAMA DO GRUPO SEGURADOR ESTRATÉGIA EM AÇÃO

MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO PANORAMA DO GRUPO SEGURADOR ESTRATÉGIA EM AÇÃO 1 MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO 2 PANORAMA DO GRUPO SEGURADOR 3 4 PERSPECTIVAS E EVOLUÇÃO FUTURA ESTRATÉGIA EM AÇÃO 1 MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO Seguros Gerais 14 Milhões de Automóveis Segurados 7 Milhões

Leia mais

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr.

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr. Construindo o Conteúdo da Liderança José Renato S. Santiago Jr. Gestão Estratégica de RH Módulo 1: Alinhando Gestão de Pessoas com a Estratégia da Empresa Módulo 2: Compreendendo e Dinamizando a Cultura

Leia mais

Previdência no Brasil. Regime de Previdência Complementar. Regimes Próprios dos Servidores Públicos. Regime Geral de Previdência Social

Previdência no Brasil. Regime de Previdência Complementar. Regimes Próprios dos Servidores Públicos. Regime Geral de Previdência Social As Entidades Fechadas de participantes desta pesquisa, conhecidas como Fundos de Pensão, fazem parte do Sistema de. Os Fundos de Pensão desenvolveram-se e modernizaram-se ao longo dos últimos anos graças

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais) Fone: 55

Leia mais

Marco Antonio Rossi Bradesco Seguros

Marco Antonio Rossi Bradesco Seguros Marco Antonio Rossi Bradesco Seguros MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO PANORAMA DO GRUPO SEGURADOR PERSPECTIVAS E EVOLUÇÃO FUTURA ESTRATÉGIA EM AÇÃO MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO

Leia mais

Private Equity ADVISORY

Private Equity ADVISORY Private Equity ADVISORY Private Equity Excelentes profissionais que trabalham em equipe, transformando conhecimento em valor, em benefício de nossos clientes. Private Equity 1 Qualidade e integridade são

Leia mais

Projeto APAS Affinity Auto

Projeto APAS Affinity Auto Projeto APAS Affinity Auto Índice Objetivo Parceiros Produto Estrutura de Atendimento Preços Por Amostragem Objetivo Desenvolver produtos de seguros e benefícios para funcionários, dirigentes e sócios

Leia mais

Procon, Fiscalizadores, Reguladores e a transparência na relação consumo.

Procon, Fiscalizadores, Reguladores e a transparência na relação consumo. Classificação das Sociedades - Existem 2 categorias : Conglomerados financeiros Concentram se em público-alvo, que são os clientes do próprio conglomerado, pertence a uma sociedade participativa liderada

Leia mais

Saúde privada no Brasil

Saúde privada no Brasil Análise 12 Saúde privada no Brasil O futuro chegou e pede reformas Marcio Coriolano Projeções apontam que o Brasil terá 65 milhões de idosos em 2050, o que equivale à população de mais de cinco cidades

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

RISCOS E OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA DE BENS DE CONSUMO. Junho de 2012

RISCOS E OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA DE BENS DE CONSUMO. Junho de 2012 RISCOS E OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA DE BENS DE CONSUMO Junho de 2012 Riscos e oportunidades para a indústria de bens de consumo A evolução dos últimos anos, do: Saldo da balança comercial da indústria

Leia mais

PERFIS DE INVESTIMENTO

PERFIS DE INVESTIMENTO PERFIS DE INVESTIMENTO Índice 3 Apresentação 3 Como funciona a ELETROS? 4 Como são os investimentos em renda variável? 5 Como são os investimentos em renda fixa? 6 Como são os investimentos nos demais

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS Segurança nos investimentos Gestão dos recursos financeiros Equilíbrio dos planos a escolha ÍNDICE INTRODUÇÃO...3 A POLÍTICA DE INVESTIMENTOS...4 SEGMENTOS DE APLICAÇÃO...7 CONTROLE

Leia mais

MANTENEDOR E CONTADOR

MANTENEDOR E CONTADOR MANTENEDOR E CONTADOR No ano de 2000, Darci de Paula, Contador formado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, em Ciências Contábeis e Pós graduado em MBA IFRS(Normas Internacionais de Contabilidade),

Leia mais

BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA

BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA Por meio de um investimento estratégico de até R$314,7 milhões, a BNDESPAR ingressa no capital social da Renova Energia. Parceria de Longo Prazo A

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JULHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Plano de Sustentabilidade da Unilever

Plano de Sustentabilidade da Unilever Unilever Plano de Sustentabilidade da Unilever Eixo temático Governança Principal objetivo da prática Para a Unilever, o crescimento sustentável e lucrativo requer os mais altos padrões de comportamento

Leia mais

Nota à imprensa. Novo estudo sigma da Swiss Re, O seguro no mundo em 2010 revela aumento do volume global de prêmios e do capital

Nota à imprensa. Novo estudo sigma da Swiss Re, O seguro no mundo em 2010 revela aumento do volume global de prêmios e do capital Nota à imprensa ab Novo estudo sigma da Swiss Re, O seguro no mundo em 2010 revela aumento do volume global de prêmios e do capital Contatos: Daniel Staib, Zurique Telefone +41 43 285 8136 Thomas Holzheu,

Leia mais

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas Perguntas e Respostas Índice 1. Qual é a participação de mercado da ALL no mercado de contêineres? Quantos contêineres ela transporta por ano?... 4 2. Transportar por ferrovia não é mais barato do que

Leia mais

Governança Corporativa Profa. Patricia Maria Bortolon

Governança Corporativa Profa. Patricia Maria Bortolon Governança Corporativa Investidores Institucionais e Governança Corporativa Aula 11 Participação Acionária de Investidores Institucionais No Reino Unido: Tipo de Investidor 1963 % 2006 % Indivíduos 54

Leia mais

Veículo: Valor Online Data: 29/04/09

Veículo: Valor Online Data: 29/04/09 Veículo: Valor Online Data: 29/04/09 Cresce procura por gestores de risco Em tempos de crise, os gestores de risco estão sendo garimpados pelas empresas como pedras raras. Segundo a consultoria Michael

Leia mais

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS OUTUBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

CIRCULAR N 2.971. Documento normativo revogado pela Circular nº 3.280, de 9/3/2005. Art. 1º Regulamentar os seguintes normativos:

CIRCULAR N 2.971. Documento normativo revogado pela Circular nº 3.280, de 9/3/2005. Art. 1º Regulamentar os seguintes normativos: CIRCULAR N 2.971 Documento normativo revogado pela Circular nº 3.280, de 9/3/2005. Regulamenta as Resoluções nº 2.644, de 1999, nº 2.694 e nº 2.695, ambas de 2000, e divulga o Regulamento sobre Contas

Leia mais

UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL

UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL Julho/2013 Em 2014, o Brasil sediará a Copa do Mundo e em 2016 as Olimpíadas. Os brasileiros efetivamente são apaixonados por futebol e quando foi divulgado que

Leia mais

Carta da Indústria 2014 (PDF 389) (http://arquivos.portaldaindustria.com.br/app/conteudo_18/2013/06/06/481/cartadaindstria_2.pdf)

Carta da Indústria 2014 (PDF 389) (http://arquivos.portaldaindustria.com.br/app/conteudo_18/2013/06/06/481/cartadaindstria_2.pdf) www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/cni/iniciativas/eventos/enai/2013/06/1,2374/memoria-enai.html Memória Enai O Encontro Nacional da Indústria ENAI é realizado anualmente pela CNI desde

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 Aprova a NBC T 11.8 Supervisão e Controle de Qualidade. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Considerando que as Normas

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais) Fone:

Leia mais

Profissionais Portugueses no Brasil. Empresas Familiares

Profissionais Portugueses no Brasil. Empresas Familiares Profissionais Portugueses no Brasil Empresas Familiares Tópicos Abordados As Gerações e o Mercado de Trabalho Empresas Familiares no Brasil Cenário Brasileiro e Estatísticas de Emprego no Brasil Características

Leia mais

OS DESAFIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO EM ATRAIR E CONTRATAR EXECUTIVOS OS DESAFIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO EM ATRAIR E CONTRATAR EXECUTIVOS

OS DESAFIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO EM ATRAIR E CONTRATAR EXECUTIVOS OS DESAFIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO EM ATRAIR E CONTRATAR EXECUTIVOS OS DESAFIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO EM ATRAIR E CONTRATAR EXECUTIVOS EDITORIAL Bem vindos à nossa pesquisa. No Brasil desde 2000, a Michael Page foi a primeira consultoria internacional de recrutamento

Leia mais

Especialista questiona "ascensão" de bancos brasileiros em ranking

Especialista questiona ascensão de bancos brasileiros em ranking Veículo: Valor Online Data: 13/04/09 Especialista questiona "ascensão" de bancos brasileiros em ranking A crise global colocou os bancos brasileiros em destaque nos rankings internacionais de lucro, rentabilidade

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 é uma competição interna da Laureate International

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA SÃO PAULO, 2014

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA SÃO PAULO, 2014 APRESENTAÇÃO CORPORATIVA SÃO PAULO, 2014 BRIGANTI ADVOGADOS é um escritório brasileiro de advogados, de capacidade e experiência reconhecidas, que nasce com um propósito distinto. Nosso modelo de negócio

Leia mais

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio CBA Comércio Internacional Comércio Internacional A intensidade das relações comerciais e produtivas das empresas no atual contexto econômico tem exigido das empresas um melhor entendimento da complexidade

Leia mais

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia Descrição do Sistema de Franquia Franquia é um sistema de distribuição de produtos, tecnologia e/ou serviços. Neste sistema uma empresa detentora de know-how de produção e/ou distribuição de certo produto

Leia mais

Controles Internos e Governança de TI. Charles Holland e Gianni Ricciardi

Controles Internos e Governança de TI. Charles Holland e Gianni Ricciardi Controles Internos e Governança de TI Para Executivos e Auditores Charles Holland e Gianni Ricciardi Alguns Desafios da Gestão da TI Viabilizar a inovação em produtos e serviços do negócio, que contem

Leia mais

A rede de franquias nº 1 em produtividade do mundo

A rede de franquias nº 1 em produtividade do mundo FRANQUIA A rede de franquias nº 1 em produtividade do mundo A rede de franquia com maior volume de vendas nos EUA. (Real Trends 500 2011) Primeiro sistema de franquias imobiliárias da América do Norte

Leia mais

SEM FRONTEIRAS NA AMÉRICA LATINA

SEM FRONTEIRAS NA AMÉRICA LATINA SEM FRONTEIRAS NA AMÉRICA LATINA Case vencedor do VII Prêmio ANATEC na categoria B2B Serviços BANCA ASSINATURA CUSTOMIZADA PORTFÓLIO A maior provedora de conteúdo de economia, negócios e finanças da América

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz COMPETÊNCIAS A SEREM DESENVOLVIDAS CONHECER A ELABORAÇÃO, CARACTERÍSTICAS E FUNCIONALIDADES UM PLANO DE NEGÓCIOS.

Leia mais

BRICS Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul

BRICS Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul MECANISMOS INTER-REGIONAIS BRICS Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul O que faz o BRICS? Desde a sua criação, o BRICS tem expandido suas atividades em duas principais vertentes: (i) a coordenação

Leia mais

POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS

POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança - ABESE Entidade que representa, nacionalmente, as empresas de sistemas

Leia mais

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo

Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Discurso do ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, na cerimônia de transmissão de cargo Brasília, 02 de janeiro de 2015. Ministra Miriam Belchior, demais autoridades, parentes e amigos aqui presentes.

Leia mais

Mapa da Educação Financeira no Brasil

Mapa da Educação Financeira no Brasil Mapa da Educação Financeira no Brasil Uma análise das iniciativas existentes e as oportunidades para disseminar o tema em todo o País Em 2010, quando a educação financeira adquire no Brasil status de política

Leia mais

SEGUROS E RESSEGUROS

SEGUROS E RESSEGUROS SEGUROS E RESSEGUROS S EGUROS E R ESS Especialistas do setor prevêem que o mercado de seguros representará cerca de 6% do PIB até 2015 o mercado de seguros e resseguros no Brasil vem crescendo de forma

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

Discurso do presidente Alexandre Tombini na comemoração dos 30 anos da Associação Brasileira de Bancos Comerciais (ABBC).

Discurso do presidente Alexandre Tombini na comemoração dos 30 anos da Associação Brasileira de Bancos Comerciais (ABBC). São Paulo, 21 de março de 2013. Discurso do presidente Alexandre Tombini na comemoração dos 30 anos da Associação Brasileira de Bancos Comerciais (ABBC). Senhoras e senhores É com grande satisfação que

Leia mais

Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens

Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens Um país de idosos Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens A expectativa de vida do brasileiro aumentou mais de 20 anos em

Leia mais

Introdução. A Internet de Todas as Coisas está pronta para gerar pelo menos US$ 613 bilhões em lucros empresariais mundiais no. ano de 2013.

Introdução. A Internet de Todas as Coisas está pronta para gerar pelo menos US$ 613 bilhões em lucros empresariais mundiais no. ano de 2013. Internet de Todas as Coisas (IoE). 10 principais descobertas da Pesquisa Índice de valor da IoE da Cisco com 7.500 responsáveis pela tomada de decisão em 12 países Joseph Bradley Jeff Loucks Andy Noronha

Leia mais

CLIPPING Mídias de Primeiro Foco. Cliente: Fharos Data: 17/09/08 Veículo: DCI

CLIPPING Mídias de Primeiro Foco. Cliente: Fharos Data: 17/09/08 Veículo: DCI CLIPPING Mídias de Primeiro Foco Cliente: Fharos Data: 17/09/08 Veículo: DCI Cliente: Fharos Data: 10/09/08 Veículo: Executivos Financeiros 2 3 Cliente: Fharos Data: 12/09/08 Veículo: Canal Executivo 4

Leia mais

REQUERIMENTO N o, DE 2015

REQUERIMENTO N o, DE 2015 REQUERIMENTO N o, DE 2015 (Da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio) Requer a criação e constituição de Comissão Especial destinada a proferir parecer ao Projeto de Lei Complementar

Leia mais

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil.

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil. A ABEMD, Associação Brasileira de Marketing Direto, é uma entidade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1976 e constituída por pessoas jurídicas e físicas interessadas na aplicação de estratégias e técnicas

Leia mais

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

1. Por que o corretor de seguros deve. 2. Quais são os principais fundamentos. 3. Critérios importantes na escolha da SEGURO GARANTIA AGENDA

1. Por que o corretor de seguros deve. 2. Quais são os principais fundamentos. 3. Critérios importantes na escolha da SEGURO GARANTIA AGENDA SEGURO GARANTIA SINCOR-ES Vitória / 21set2010 AGENDA 1. Por que o corretor de seguros deve operar no segmento do Seguro Garantia? 2. Quais são os principais fundamentos técnicos do Seguro Garantia? 3.

Leia mais

Seminário de formação para cooperação e gestão de projetos. João Guilherme da Silva Passos.

Seminário de formação para cooperação e gestão de projetos. João Guilherme da Silva Passos. Seminário de formação para cooperação e gestão de projetos. João Guilherme da Silva Passos. Proposta de trabalho: Solicitação: linhas de Crédito nacional e regional. Sugestão: Conceituar empreendimentos

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM VENDAS E COACHING EM PLANO DE VIDA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 07/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM VENDAS E COACHING EM PLANO DE VIDA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 07/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM VENDAS E COACHING EM PLANO DE VIDA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 07/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais)

Leia mais