A SATISFAÇÃO DOS CORRETORES DE SEGUROS DO CANAL EXTRA-BANCO EM RELAÇÃO À BRADESCO AUTO/RE DE CRICIÚMA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A SATISFAÇÃO DOS CORRETORES DE SEGUROS DO CANAL EXTRA-BANCO EM RELAÇÃO À BRADESCO AUTO/RE DE CRICIÚMA"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE UNESC CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS OSIRIS MATIAS EING A SATISFAÇÃO DOS CORRETORES DE SEGUROS DO CANAL EXTRA-BANCO EM RELAÇÃO À BRADESCO AUTO/RE DE CRICIÚMA CRICIÚMA, JULHO DE 2009

2 OSIRIS MATIAS EING A SATISFAÇÃO DOS CORRETORES DE SEGUROS DO CANAL EXTRA-BANCO EM RELAÇÃO À BRADESCO AUTO/RE DE CRICIÚMA Monografia apresentada para obtenção do grau de Bacharel em Administração de Empresas, no curso de Administração de Empresas, da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC. Orientador: Prof. Esp. Evaldo Lourenço de Lima CRICIÚMA, JULHO DE 2009

3 OSIRIS MATIAS EING A SATISFAÇÃO DOS CORRETORES DE SEGUROS DO CANAL EXTRA-BANCO EM RELAÇÃO À BRADESCO AUTO/RE DE CRICIÚMA Monografia aprovada pela Banca Examinadora para obtenção do Grau de Bacharel em Administração de Empresas, no Curso de Administração de Empresas da Universidade do Extremo Sul Catarinense UNESC. Criciúma,... de...de BANCA EXAMINADORA Prof. Evaldo Lourenço de Lima Esp. UNESC Orientador Prof. João Batista da Silva Msc. - UNESC Prof. Marcelo Milioli Bristot Esp. - UNESC

4 DEDICATÓRIA Dedico esta obra à minha mãe Sra. Delinda Matias Eing, que foi a grande incentivadora de toda esta graduação, à esposa e filha por ser a parte mais importante da minha vida e à minha irmã por todo o apoio e amizade.

5 AGRADECIMENTOS Agradeço a Deus por ter me dado o dom da vida e a todos os professores da Unesc que me presentearam com o conhecimento adquirido durante os seus anos de vida. O conhecimento não pode ser tirado do homem por ninguém.

6 Tudo é possível ao que crê Marcos 9.23

7 RESUMO EING, Osiris Matias. A satisfação dos corretores de seguros do canal extrabanco em relação a Bradesco Auto/RE de Criciúma p. Monografia de conclusão de curso Curso de Administração de Empresas da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC, Criciúma. O objetivo do presente estudo é identificar o grau de satisfação do corretor de seguros do canal Extra Banco da Bradesco Auto/RE Criciúma em relação aos atributos que fazem parte do dia-a-dia do corretor. Foi estudado e analisado o grau de satisfação e o grau de importância de cada um dos atributos analisados. Para realizar o estudo foi aplicado um questionário com perguntas fechadas aos sessenta corretores que fazem parte da população estudada, sendo a pesquisa bibliográfica, descritiva e quantitativa. Através da tabulação dos dados da pesquisa foi possível analisar quais atributos são mais importantes para o corretor de seguros e identificar qual o grau de satisfação dos corretores em relação a estes atributos. A pesquisa definiu quais atributos estão com baixo grau de satisfação para que a empresa tome providencias com relação aos mesmos. Palavras Chave: Satisfação. Cliente. Marketing.

8 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura 01: Fórmula da satisfação Figura 02: Ultrapasse o serviço Figura 03: Benefícios esperados de um produto/serviço Figura 04: Custos de um produto/serviço Figura 05: Fatores influenciadores da lealdade Figura 06: Sexo Figura 07: Idade...39 Figura 08: Grau de Instrução Figura 09: Tempo de serviço como corretor Figura 10: Assistência Dia e Noite Figura 11: Atendimento da Área Comercial Figura 12: Atendimento da Área Operacional Figura 13: Atendimento de Sinistro Figura 14: Prazo de pagamento de Sinistro Figura 15: Prazo de Pagamento de Comissões Figura 16: Prazo de Emissão de Apólices Figura 17: Produto Automóvel Figura 18: Produto Ramos Elementares Figura 19: Preço do Seguro Figura 20: Política de Aceitação Figura 21: Software utilizado Figura 22: Site 100% Corretor Figura 23: Grau de importância x Grau de Satisfação... 59

9 LISTA DE TABELAS Tabela 01: Satisfação em relação aos atributos...42 Tabela 02: Grau de satisfação em ordem decrescente...43 Tabela 03: Importância do atributo...57 Tabela 04: Atributos em ordem de importância...58

10 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO TEMA PROBLEMA DA PESQUISA OBJETIVOS Objetivo Geral Objetivos Específicos JUSTIFICATIVA FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA MARKETING Marketing de Relacionamento SERVIÇOS SATISFAÇÃO DO CLIENTE Valor percebido pelo cliente Lacunas da Qualidade Satisfação X Lealdade PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS TIPOS DE PESQUISA Pesquisa Bibliográfica Pesquisa Descritiva ABORDAGEM DA PESQUISA POPULAÇÃO E AMOSTRA INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS EXPERIÊNCIA DA PESQUISA Sexo Idade Grau de instrução: Tempo de serviço como corretor Levantamento de dados em relação à satisfação dos corretores Grau de satisfação dos corretores Assistência Dia e Noite Atendimento da área comercial Atendimento da área operacional... 46

11 4.10 Atendimento de Sinistro Prazo de pagamento de Sinistro Prazo de Pagamento de Comissões Prazo de emissão das apólices Produto Automóvel Produto Ramos Elementares Preço do Seguro Política de Aceitação Software utilizado Site 100% corretor Importância do atributo Grau de importância do atributo Grau de Importância X Grau de Satisfação CONCLUSÃO REFERÊNCIAS APÊNDICE... 64

12 11 1 INTRODUÇÃO Indubitavelmente o mercado atual globalizado tem afetado diretamente as empresas em relação ao seu aprimoramento e técnicas de marketing utilizadas. Como o mercado tem uma demanda inferior ao que as empresas podem produzir, o marketing faz-se necessário para que haja um diferencial competitivo que faça o consumidor optar pela empresa em questão ao invés de optar pela concorrência. Dentro dos objetivos propostos pelo estudo, o presente trabalho aborda três pontos principais dentro da área de marketing empresarial: O marketing, os serviços e a satisfação do cliente. No capítulo referente ao marketing é explanada uma visão geral da disciplina, mostrando qual o seu significado, definição e como deve ser utilizado para que a empresa obtenha sucesso. Não muito diferente disso, no capítulo de serviços, está exposto à importância do mesmo nos dias atuais, onde as grandes economias mundiais têm os serviços como seu principal setor produtivo. Aborda-se uma visão global do assunto correlacionando o marketing de serviços com o marketing de produtos e esclarecendo ao leitor suas diferenças básicas. No capítulo referente à satisfação do cliente, descreve-se como fazer para que os clientes fiquem satisfeitos e qual a relação entre valor percebido, satisfação e lealdade, destacando as lacunas na qualidade. O estudo é regido por normas metodológicas adotadas pela Unesc e de acordo com a ABNT. Ao final do estudo são apresentados por meio de gráficos o resultado da pesquisa aplicada aos sessenta corretores de seguros do canal extra banco da Bradesco Auto/RE de Criciúma, sendo definidos quais atributos são mais importantes e qual o grau de satisfação dos corretores em relação aos mesmos. 1.1 TEMA A satisfação dos corretores de seguros do canal extra-banco em relação à Bradesco Auto/RE de Criciúma.

13 PROBLEMA DA PESQUISA A Bradesco Auto/RE é uma empresa de envergadura nacional que pertence ao Grupo Bradesco Seguros e Previdência. A expansão da comercialização do seguro massificado no país através do canal Extra-banco, ou seja, corretores independentes que possuem escritórios próprios, fez com que a demanda por novas sucursais aumentasse significativamente, vindo a culminar com a abertura de um escritório em Criciúma, que é subordinado à sucursal Florianópolis. A empresa já passou por situações delicadas onde teve que pensar estrategicamente para satisfazer o seu principal cliente: corretor de seguros. Em face da grande concorrência na área seguradora e, considerando que o corretor de seguros tem uma grande influência na decisão em qual seguradora o seguro dos seus clientes será realizado, com isso surge a seguinte indagação: Qual o nível de satisfação do corretor de seguros em relação à Bradesco Auto/RE de Criciúma? 1.3 OBJETIVOS Foram elaborados os seguintes objetivos de pesquisa para satisfazer a resposta do problema enfatizado Objetivo Geral Avaliar o nível de satisfação do corretor em relação aos produtos e serviços da Bradesco Auto/RE de Criciúma Objetivos Específicos a) Identificar quais elementos são mais importantes para que o corretor de seguros fique satisfeito. b) Verificar o nível de satisfação dos corretores ativos da Bradesco Auto/RE de Criciúma, em relação aos produtos e serviços oferecidos. c) Identificar os pontos fracos da Bradesco Auto/RE de Criciúma.

14 JUSTIFICATIVA A constante evolução do mercado segurador faz com que as companhias seguradoras estejam em constante modernização e adaptação ao modelo esperado pelo corretor de seguros em uma velocidade extrema. Com a tecnologia auxiliando todo esse processo evolutivo e dando sustentação para um novo conceito de seguro no país, a comercialização do seguro tornou-se mais eficaz de forma geral. De acordo com a SUSEP (Superintendência de Seguros Privados) o setor de seguros representa hoje em torno de 3% do PIB brasileiro, ficando bem aquém dos EUA, por exemplo, onde se tem uma representatividade de 8,9% do PIB para o setor. A região atendida pelo Núcleo de Produção Criciúma é geograficamente extensa e com um grande potencial de crescimento, que pode ser explorado com mais intensidade. A pesquisa aqui proposta visa definir quais os pontos fracos e onde a empresa deve melhorar para que o corretor esteja totalmente satisfeito, com isso, as metas de produção serão superadas com muita facilidade e resultará em benefício para corretores e todos os profissionais envolvidos no processo. Este estudo de pesquisa torna-se muito oportuno tendo em vista o grande potencial de crescimento do setor no país que é o oitavo maior PIB do mundo de acordo com o Ministério da Fazenda. A seguradora que ater-se à satisfação do seu corretor de seguros tende a evoluir rapidamente e conquistar um grande market share (participação de mercado) no mercado segurador brasileiro. A viabilidade do estudo está garantida, uma vez que todas as informações necessárias para sua realização foram disponibilizadas pela empresa, sendo a principal beneficiada pelo resultado da pesquisa, pois terá em suas mãos uma grande oportunidade de conhecer seus corretores e os atributos que satisfazem suas necessidades.

15 14 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Serão apresentados neste capítulo conceitos e pensamentos de autores reconhecidos e renomados na área de marketing com a finalidade de fundamentar este estudo de pesquisa sobre satisfação do corretor de seguros. 2.1 MARKETING No inicio da industrialização, tudo o que era produzido se consumia e estabelecia-se o preço de acordo com os custos de fabricação, no entanto, com a evolução da industrialização e do capitalismo, as empresas começaram a praticar preços que os consumidores aceitam pagar, pois a concorrência é acirrada. Segundo Cobra (1992) depois que a indústria focou a produção e a distribuição, em meados de 1930, passou-se a priorizar o processo de vendas, pois se percebeu que o gargalo de produção não era mais a quantidade de produtos, mas sim as vendas. Com isso, foi preciso desenvolver novas técnicas para vender mais o seu produto sem ter que diminuir ainda mais o preço em função da concorrência e do mercado consumidor acirrado. Conforme Kotler (2003, p. 9) O marketing é a resposta para como competir em outras bases que não apenas o preço. Por causa do excesso de capacidade, o marketing tornou-se mais importante do que nunca. O marketing é o departamento de fabricação de clientes da empresa.. Primeiramente é necessário definir o que é um produto, para que se possa compreender que não se trata apenas de um bem material, conforme afirma Kotler Qualquer coisa capaz de satisfazer uma necessidade pode ser chamada de produto. (KOTLER; ARMSTRONG, 2003, p.4). De acordo com Kotler é importante afirmar que A função do marketing é lidar com os clientes [...] marketing é a entrega de satisfação para o cliente em forma de beneficio.. (KOTLER; ARMSTRONG, Philip, 2003, p.3). Para estudar o marketing, é preciso saber qual a definição atribuída ao termo. Eis algumas dessas atribuições de autores conceituados. Existem várias definições para o termo marketing, que foram sendo aperfeiçoadas durante os anos. Kotler (2000, p.30) afirma que Marketing é um processo social por meio do qual pessoas e grupos de pessoas obtêm aquilo de que necessitam e o que

16 15 desejam com a criação, oferta e livre negociação de produtos e serviços de valor com outros.. Definição esta que se aproxima bastante da visão de Churchill e Peter (2000), onde afirmam que o marketing é o processo de planejar e executar a concepção, estabelecimento de preços, promoção e distribuição de idéias, bens e serviços a fim de criar trocas que satisfaçam metas individuais e organizacionais. O autor ainda ressalta que não se refere apenas a bens e serviços, mas também a idéias. Com base nestas informações pode-se afirmar que o marketing permeia o início, meio e fim de toda idéia, bem ou serviço com o objetivo de satisfazer os desejos e anseios das pessoas. Kotler (2003) afirma que o marketing é uma função empresarial que identifica aquilo que o cliente precisa e os seus desejos que ainda não foram satisfeitos, define e mede a capacidade de transformar isso em dinheiro, especifica onde deve ser focado o trabalho, ou seja, em quais mercados-alvo serão melhor atendidos pela empresa, toma as decisões sobre produtos, serviços e programas específicos para servir a esses mercados focados e elege a todos na organização para pensar e se colocar no lugar do cliente e atender ao cliente. O conceito de marketing apresentado por Kotabe (2000, p. 30), tem uma visão mais abrangente e inclui um detalhe primordial no marketing moderno: [...] uma atividade corporativa criativa que envolve o planejamento e a execução da concepção, determinação de preço, promoção e distribuição de idéias, produtos e serviços em uma troca que não apenas satisfaz às necessidades atuais dos consumidores, mas também antecipa e cria suas necessidades futuras com determinado lucro. Segundo esse conceito, o marketing não apenas cria produtos para satisfazer necessidades existentes, mas antecipa a necessidade, ou até mesmo cria necessidades para os clientes atuais, fazendo assim com que a empresa se mantenha na liderança do mercado através de ações estratégicas para o aumento do portfólio de produtos. Através de ferramentas apropriadas o gestor de marketing consegue identificar os desejos e as necessidades do seu público-alvo para que possa desenvolver benefícios a esse público que por sua vez satisfeito tende a fidelizar-se à empresa. Ainda segundo Kotler (2000, p.30) Marketing é o processo de planejar e executar a concepção, a determinação do preço, a promoção e a distribuição de

17 16 idéias, bens e serviços para criar trocas que satisfaçam metas individuais e organizacionais.. Conforme Kotler (2000) o marketing deve criar para o cliente um valor e através deste valor é que o cliente ficará fidelizado e satisfeito com o produto e a companhia. O autor ainda afirma que o marketing é a arte da escolha do mercado onde se vai atuar, e fazer de tudo para captar, manter e fidelizar os clientes através da entrega ao mesmo de um valor superior ao que ele esperava e superior ao de seus concorrentes. Mas afinal, qual é o papel do marketing? Conforme COBRA (1992) o papel do marketing é simples e até mesmo um leigo pode compreendê-lo, constituise apenas em identificar as necessidades não satisfeitas e colocar produtos no mercado que satisfaçam aos clientes e aos acionistas, fazendo com que o padrão e a qualidade de vida das pessoas melhorem significativamente. conforme abaixo: Cobra (1992, p.36) também define Macromarketing e Micromarketing MACROMARKETING É um processo social que dirige o fluxo da economia de bens e serviços dos produtores aos consumidores de forma a suprir adequadamente a demanda levando em conta os objetivos da sociedade MICROMARKETING É o desempenho das atividades que seguem os objetivos das organizações pela antecipação das necessidades do consumidor ou cliente e dirigem o fluxo de mercadorias e serviços para satisfazer às necessidades tanto do produtor, quanto do consumidor ou cliente. Cobra (1992) afirma que as nações emergentes, porém ainda subdesenvolvidas, necessitam de um sistema de macromarketing para sair do círculo vicioso da pobreza. Para haver evolução da nação as pessoas precisam produzir não somente o básico para consumo próprio, mas aquilo que outras pessoas necessitam, tendo assim poder de compra para consumir o que os outros produzem e para que os outros possam consumir o seu produto excedente. De acordo com Las Casas (2007, p. 15): O desafio dos administradores de marketing consiste em entender o consumidor, no sentido de conhecer as suas expectativas antes, durante e após a compra e identificar tanto suas necessidades e desejos como também as satisfações ou insatisfações contraídas pelo consumo dos produtos ou dos serviços vendidos. O marketing deve ser ajustado às alterações ambientais. No setor de seguros a definição de marketing não está divergente do que os autores supracitados definiram. De acordo com Povoas (1979) fica bem claro que

18 17 a seguradora tem como seu principal objetivo a função de produzir lucro e riquezas, além de valorizar o homem. Logo em seguida, Póvoas (1979, p.18) afirma que: Marketing em seguros é um conceito de comercialização que apóia a estratégia para aumentar o numero de apólices, os respectivos capitais e o número de segurados, na investigação das necessidades de previdência e segurança das pessoas seguráveis e na oferta de serviços capazes de as satisfazer efetivamente. No setor de seguros A motivação para o seguro ou resulta da conscientização das necessidades futuras, [...], ou resulta de convencimento que os argumentos de pessoas interessadas origina. (PÓVOAS, 1979, p. 22). A partir do momento em que a administração da empresa é voltada para o mercado, ou seja, para a satisfação do cliente, Cobra (1992) afirma que todas as áreas e departamentos tem que estar envolvidos para descobrir quais são as necessidades desses cliente e para que essas necessidades sejam supridas. De acordo com Munhoz (2007 apud McCarthy) dentro do marketing existem 4 Ps que são de fundamental importância para o sucesso de uma empresa: Produto, Praça, Preço e Promoção. O produto refere-se às características físicas como marca, variedade, qualidade, tamanho, embalagem, design, estilos, entre outros fatores. A praça diz respeito á distribuição, ou seja, por que canais este produto será distribuído fisicamente, questões de transporte, armazenagem e localização. O preço é composto por alguns fatores sendo o principal dele o preço básico, seguido dos descontos, condições de pagamento e prazos. Por fim a promoção que envolve propaganda, promoção de vendas, publicidade, merchandising, tele marketing, e qualquer outro meio que venha a divulgar o produto. Ainda segundo Lauterbom (2007 apud Munhoz, 2007) em complemento aos 4 Ps de McCarthy, foram criados os 4 Cs pois o composto dos Ps está muito baseado no produto, e deve se voltar para o cliente. Os 4 Cs são: Cliente, Conveniência, Custo e Comunicação. O composto está ligado da seguinte forma: PRODUTO = CLIENTE PRAÇA = CONVENIENCIA PREÇO = CUSTO PROMOÇÃO = COMUNICAÇÃO

19 18 Cliente: é muito mais importante ter um cliente para satisfazer do que um produto para oferecer ao mercado, por isso, o cliente deve ser o foco da organização. Conveniência: para manter o cliente fiel, é preciso proporcionar ao mesmo varias conveniências ao longo do relacionamento, pois a tendência é do cliente se manter satisfeito quando ele recebe algo do qual não está gerando expectativa. Custo: O custo não pode estar acima da possibilidade e expectativa do comprador. Alguns empreendimentos tornam-se viáveis por determinar uma política de custos atrativa ao consumidor. Não resolve nada ter várias pessoas desejando consumir o produto sem que haja a possibilidade de fazê-lo. Comunicação: é o momento em que o consumidor é atraído pela empresa a comprar o seu produto ou serviço. Deve ser feita de forma limpa e clara, informando os principais benefícios ao cliente, dando tempo para que ele fantasie em sua mente a compra de determinado serviço. Cobra (1989) complementa definindo a utilização dos 4 A s para que o processo de marketing seja bem sucedido quando utilizado. De acordo com Cobra (1989, p. 33) Análise: visa identificar as forças vigentes no mercado e suas iterações com a empresa. Os meios utilizados para tal fim são: a pesquisa de mercado e o sistema de informação em marketing. Adaptação: é o processo de adequação das linhas de produtos ou serviços da empresa ao meio ambiente identificado através da analise. E isso ocorre através da apresentação ou configuração básica do produto: design, embalagem e marca. E ainda por meio do preço e da assistência técnica. Ativação: os elementos-chave da ativação são a distribuição; a logística; a venda pessoal; e o composto de comunicação (publicidade, promoção de vendas, relações publicas e merchandising). Avaliação: é o controle dos resultados do esforço de marketing, isoladamente e em conjunto. Essa função é também chamada auditoria de marketing. Cobra (1989, p. 33) ainda afirma que o marketing não cria hábitos de consumo, mas estimula a compra de produtos ou serviços que satisfaçam a alguma necessidade latente Marketing de Relacionamento Segundo Cobra (1992) quando o mercado não consegue suportar o excesso de produtos gerados pela economia com base na produção e quando as

20 19 equipes de vendas aliada as estratégias liderança por preço não são mais capazes de lançar esses produtos para o mercado consumidor, surge então a preocupação com o consumidor. Segundo Cobra (1992, p. 29) Marketing é mais do que uma forma de sentir o mercado e adaptar produtos ou serviços é um compromisso com a busca da melhoria da qualidade de vida das pessoas.. De acordo com Cobra (1992) é a partir deste ponto que o Marketing de Relacionamento (MR) começa a atuar. Quando o mercado está saturado de produtos e serviços, para aumentar as receitas deve-se fazer a empresa ter a maior representatividade possível do mercado em que atua e para isso necessitamos do marketing de relacionamento. De acordo com Kotler (2003) o marketing de relacionamento (MR) representa uma mudança no modo de pensar, pois é uma transição entre uma mentalidade competitiva e cheia de conflitos, para uma mentalidade baseada em interdependência e a cooperação entre as partes, onde todos que fazem parte do processo são valorizados. unidos resultam em: Principais características do MR de acordo com Kotler (2003, p. 134): Concentra-se nos parceiros e clientes, em vez de nos produtos. Atribui mais ênfase à retenção e cultivo dos clientes existentes do que à conquista de novos clientes. Confia mais no trabalho de equipes interfuncionais do que nas atividades de departamentos isolados. Ouve e aprende mais do que fala e ensina. Segundo Kotler (2003, p. 135), o marketing de relacionamento e os 4Ps Produto: Personalizados na preferência dos consumidores. Projetados com cooperação de fornecedores e distribuidores. Preço: Define de acordo com o relacionamento com o cliente e o que ele pede. Produtos projetados para cada cliente. Distribuição: Favorece o marketing direto com clientes Oferece alternativas quanto à pedir, pagar, receber, instalar e consertar o produto. Comunicação: Prefere o dialogo individual com o cliente. De acordo com Stone (2002) o marketing de relacionamento se refere à utilização de várias técnicas e processos de marketing, unidos a técnicas de vendas e comunicação e cuidados com os clientes. Com isso, podendo identificá-los de

21 20 forma a que eles se sintam únicos, que haja um relacionamento duradouro entre a empresa e o cliente e que a empresa administre esse relacionamento para benefício de ambas as partes. Stone (2002, p. 9) ainda afirma que O marketing de relacionamento proporciona uma estrutura dentro da qual todas as demais atividades de marketing podem ser gerenciadas, para ganhar, reter e desenvolver clientes SERVIÇOS De acordo com Lovelock (2006), se utiliza serviços todos os dias, desde os mais simples deles como a energia elétrica, até os mais complexos como, por exemplo, o ensino em uma universidade ou os serviços de um banco. Nem todas às vezes os clientes que utilizam os serviços estão satisfeitos em todas as áreas, reclamando de várias coisas como: atrasos, má qualificação de funcionários, filas, entre outras coisas, que por sua vez não estão figurando na lista de preocupações dos empresários do setor. Os empresários têm uma preocupação excessiva com a necessidade de obtenção de lucros e a dificuldade de encontrar mão de obra especializada e como conciliar isso à satisfação do cliente. Kotler (2003, p.207) afirma que [...] prestar bons serviços é a essência do negócio orientado para os clientes. [...] Toda empresa é um negócio de serviços.. Segundo Palmer (in Baker, 2005) uma parte fundamental nos negócios de serviços é administrar, a intangibilidade dos mesmos sobre o processo de decisão das pessoas, os efeitos de produzir o serviço no mesmo momento em que está sendo consumido e o desempenho dos funcionários na analise geral feita pelos consumidores. Conforme Kotler (2001 apud Baker 2005, p.420) Um serviço é qualquer atividade ou benefício que uma parte pode oferecer a uma outra e que é essencialmente intangível e não resulta na propriedade de nada.. De acordo com Lovelock (2006) o setor de serviços está passando por grandes mudanças nos dias de hoje, pois se está cada vez mais utilizando a prestação de serviços para coisas tipicamente domesticas. E ainda mais, a cada dia são lançados novos serviços para satisfazer necessidades que não existiam ou não se conheciam, como por exemplo, serviços bancários on-line e hospedagem de sites na Web. Las Casas (2007) tem o mesmo pensamento de Lovelock, afirmando que

22 21 quando o poder aquisitivo das pessoas de uma nação aumenta, o setor de serviços cresce, pois as tarefas desagradáveis e entediosas são terceirizadas. Conforme afirma Palmer (in Baker, 2005) os serviços tem um alto nível de impacto sobre as economias atuais e o autor afirma que uma economia forte em serviços consolida ainda mais o setor manufatureiro. De acordo com o autor, no século XIX o que realmente aconteceu na Inglaterra foi uma revolução de serviços e não uma revolução industrial, pois o que proporcionou a expansão da indústria foi justamente o fortalecimento do setor de serviços na região. Os serviços dos bancos para financiar as empresas e das ferrovias para transportar os bens produzidos são exemplos de como os serviços foram o alicerce para o crescimento industrial. Segundo Las Casas (2007) os serviços são divididos em dois grandes grupos, sendo: serviços de consumo e serviços industriais. O primeiro grupo refere-se aos serviços prestados diretamente ao consumidor e pode ser subdividido em: de conveniência, de escolha e de especialidade. O segundo grupo refere-se aos serviços prestados a organizações industriais, comerciais ou institucionais e pode ser subdividido em: de equipamentos, de facilidade e de consultoria/orientação. Com base nestas classificações as empresas enquadram sua atividade e orientam sua estratégia de marketing de acordo com a tangibilidade do serviço que oferece. Empresas com serviços mais intangíveis direcionam-se para o marketing de relacionamento, focando na venda pessoal, na confiança e na qualidade percebida pelo cliente. Já as empresas com serviços menos intangíveis, ou seja, aquelas com algum bem tangível associado, utilizam o marketing de ocasião, que foca suas atividades na propaganda direta, dando ênfase as vantagens imediatas, aproveitando as oportunidades. De acordo com Palmer (in Baker, 2005, p. 419) Não há muita duvida de que o setor de serviços tornou-se uma força dominante em economias desenvolvidas respondendo por cerca de três quartos do total de empregos nos Estados Unidos, Reino Unido, Canadá e Austrália.. Conforme Palmer (in Baker, 2005, p. 419) Com a ampliação dos serviços fica mais difícil estabelecer uma ligação entre qualidade e valor. Qualidade tem sido definida como conformidade aos requisitos (Crosby, 1984), o que implica que organizações devem determinar os requisitos e especificações de clientes. [...] a qualidade se trata de adequação para o uso. [...] enquanto produtos tangíveis permitem que os consumidores vejam e acreditem, serviços exigem que eles imaginem e acreditem. No processo de compra de serviços, é muito mais difícil avaliar a qualidade antes da compra do que no caso dos bens.

23 22 Segundo Lovelock (2006) a empresa que quer se diferenciar precisa investir em habilidades e estratégias para executar o marketing de serviços, pois, as empresas de serviços, de um modo geral, não têm cultura de investir nesta área. Uma operação eficiente não é mais o bastante. Todos os profissionais devem estar totalmente orientados para a satisfação do serviço oferecido ao cliente, a empresa tem que monitorar a concorrência e acompanhar as tendências do mercado. Hoje em dia muitas empresas estão posicionando-se em segmentos específicos para não enfrentar a concorrência em segmentos já saturados de empresas com forte desempenho. Lovelock (2006, p.8) afirma que: O marketing pode ser visto de diversas formas. Pode ser considerado um esforço estratégico e competitivo perseguido pela alta administração; um conjunto de atividade funcionais, incluindo política de produto, determinação de preço, entrega e comunicações, desenvolvido por gerentes de produto; ou uma orientação dirigida ao cliente adotada por toda a organização. Um serviço é um ato ou desempenho oferecido por uma parte a outra. Embora o processo possa estar vinculado a um produto físico, o desempenho é transitório, freqüentemente de natureza intangível e não resulta normalmente em propriedade de quaisquer dos fatores de produção. Um serviço é uma atividade econômica que cria valor e proporciona benefícios a clientes em horários e locais específicos, efetuando uma mudança desejada em quem recebe o serviço, ou em seu nome. Conforme Palmer (in Baker, 2005, p. 419) Com o crescimento, o setor de serviços tornou-se mais competitivo e, portanto, acolheu os princípios do marketing. [...] O marketing de serviços surgiu quando simplesmente vender um produto tangível melhor já não era suficiente para as empresas. Segundo afirma Lovelock (2006), a distinção básica entre bens e serviços é que o consumidor obtém valor do serviço sem obter a posse de qualquer bem tangível. Outra diferença é que um bem pode ser estocado, mas um serviço na maioria das vezes não pode. Por exemplo, em um avião uma poltrona vazia em uma viagem internacional não pode mais ser utilizada após o avião decolar, portanto, uma tarefa importantíssima do marketing de serviços é utilizar meios que permitam à empresa ajustar sua demanda com a capacidade disponível. Segundo o autor, embora serviços quase sempre incluam bens tangíveis em parte do processo, o que realmente cria valor para o cliente é a parte intangível do negocio, ou seja, as pessoas. Alem disso, quando o cliente faz parte do processo de serviço, em um caixa eletrônico de banco por exemplo, o ambiente onde o cliente será recebido é

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «21. É falacioso falar que o marketing é filho do capitalismo e, portanto, apenas ajudaria a concentrar a renda satisfazendo necessidades supérfluas

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços

Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo Objetivos Definir ; Conhecer as diferenças básicas entre Produtos (Bens e Serviços); Analisar uma visão geral do Setor de Serviços; Conhecer o processo de Prestação

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004 2.4d_ização de

Leia mais

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR KOTLER, 2006 AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR. OS CANAIS AFETAM TODAS AS OUTRAS DECISÕES DE MARKETING Desenhando a estratégia

Leia mais

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA.

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. A CompuStream, empresa especializada em desenvolvimento de negócios, atua em projetos de investimento em empresas brasileiras que tenham um alto

Leia mais

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix)

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Dentro do processo de administração de marketing foi enfatizado como os profissionais dessa área identificam e definem os mercados alvo e planejam as estratégias

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS O plano de negócios deverá conter: 1. Resumo Executivo 2. O Produto/Serviço 3. O Mercado 4. Capacidade Empresarial 5. Estratégia de Negócio 6. Plano de marketing

Leia mais

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Resumo O presente case mostra como ocorreu o processo de implantação do Departamento Comercial em

Leia mais

O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações

O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações O comprometimento dos colaboradores é a chave para o sucesso das organizações Jean C. de Lara (Faculdade SECAL) jean@smagon.com.br Maria Elisa Camargo (Faculdade SECAL) elisa@aguiaflorestal.com.br Enir

Leia mais

GESTÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO PARA DIFERENCIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RH. PROFa. EVELISE CZEREPUSZKO

GESTÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO PARA DIFERENCIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RH. PROFa. EVELISE CZEREPUSZKO GESTÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO PARA DIFERENCIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RH PROFa. EVELISE CZEREPUSZKO O QUE É NÍVEL DE SERVIÇO LOGÍSTICO? É a qualidade com que o fluxo de bens e serviços

Leia mais

6 Modelo proposto: projeto de serviços dos sites de compras coletivas

6 Modelo proposto: projeto de serviços dos sites de compras coletivas 6 Modelo proposto: projeto de serviços dos sites de compras coletivas A partir do exposto, primeiramente apresentam-se as fases discriminadas no modelo proposto por Mello (2005), porém agora direcionadas

Leia mais

Plano de Marketing. Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing

Plano de Marketing. Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing Plano de Marketing Introdução (breve) ao Marketing Análise de Mercado Estratégias de Marketing 1 Plano de Marketing É o resultado de um processo de planejamento. Define o quevai ser vendido, por quanto,

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais

EMPREENDEDORISMO Marketing

EMPREENDEDORISMO Marketing Gerenciando o Marketing EMPREENDEDORISMO Marketing De nada adianta fabricar um bom produto ou prestar um bom serviço. É preciso saber colocálo no mercado e conseguir convencer as pessoas a comprá-lo. O

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA

Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA SWOT Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças) Forças Oportunidades Fraquezas Ameaças Interno Externo Ajudam Atrapalham

Leia mais

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico.

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. TENDÊNCIAS NO COMÉRCIO ELETRÔNICO Atualmente, muitos negócios são realizados de forma eletrônica não sendo necessário sair de casa para fazer compras

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO.

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. 1 ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. Juliana da Silva RIBEIRO 1 RESUMO: O presente trabalho enfoca as estratégias das operadoras de telefonia móvel TIM,VIVO e CLARO

Leia mais

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com.

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado Análise de Mercado A análise de mercado é um dos componentes do plano de negócios que está relacionado ao marketing da organização. Ela apresenta o entendimento

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 2 CLIENTES: DEFINIÇÕES E ENTENDIMENTOS Objetivo: Ao final desse módulo, você estará capacitado a termos, como: cliente, comprador, cliente final, consumidor,

Leia mais

O Marketing no Setor de Transporte de Cargas: Serviços Intangíveis e Sustentabilidade

O Marketing no Setor de Transporte de Cargas: Serviços Intangíveis e Sustentabilidade Acadêmico Autor: Horácio Braga LALT - Laboratório de Aprendizagem em Logística e Transportes Faculdade de Engenharia Civil - UNICAMP O Marketing no Setor de Transporte de Cargas: Serviços Intangíveis e

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Missão, Visão e Valores

Missão, Visão e Valores , Visão e Valores Disciplina: Planejamento Estratégico Página: 1 Aula: 12 Introdução Página: 2 A primeira etapa no Planejamento Estratégico é estabelecer missão, visão e valores para a Organização; As

Leia mais

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING 1 ÍNDICE 03 04 06 07 09 Introdução Menos custos e mais controle Operação customizada à necessidade da empresa Atendimento: o grande diferencial Conclusão Quando

Leia mais

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável Felipe de Oliveira Fernandes Vivemos em um mundo que está constantemente se modificando. O desenvolvimento de novas tecnologias

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO Autoria: Elaine Emar Ribeiro César Fonte: Critérios Compromisso com a Excelência e Rumo à Excelência

Leia mais

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM É COM GRANDE PRAZER QUE GOSTARÍAMOS DE OFICIALIZAR A PARTICIPAÇÃO DE PAUL HARMON NO 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE BPM!! No ano passado discutimos Gestão

Leia mais

2. Gerenciamento de projetos

2. Gerenciamento de projetos 2. Gerenciamento de projetos Este capítulo contém conceitos e definições gerais sobre gerenciamento de projetos, assim como as principais características e funções relevantes reconhecidas como úteis em

Leia mais

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Prof. Me. Dennys Eduardo Rossetto. Objetivos da Aula 1. O composto de marketing. 2. Administração do P

Leia mais

As Vendas e Prestações de Serviços

As Vendas e Prestações de Serviços Disciplina: Técnicas de Secretariado Ano lectivo: 2009/2010 Prof: Adelina Silva As Vendas e Prestações de Serviços Trabalho Realizado por: Susana Carneiro 12ºS Nº18 Marketing Marketing é a parte do processo

Leia mais

FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO

FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO CONTEÚDO DO CURSO DE FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO PROMOVIDO PELA www.administrabrasil.com.br - CONCEITO DE PREÇO NOS SERVIÇOS - FATORES DETERMINANTES DOS PREÇOS - ESTRATÉGIAS E ASPECTOS IMPORTANTES PARA

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Prof Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br Prof Dr. Antonio Carlos de Francisco (UTFPR) acfrancisco@pg.cefetpr.br

Leia mais

CONTROLE ESTRATÉGICO

CONTROLE ESTRATÉGICO CONTROLE ESTRATÉGICO RESUMO Em organizações controlar significa monitorar, avaliar e melhorar as diversas atividades que ocorrem dentro de uma organização. Controle é fazer com que algo aconteça como foi

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

ACOMPANHAMENTO GERENCIAL SANKHYA

ACOMPANHAMENTO GERENCIAL SANKHYA MANUAL DE VISITA DE ACOMPANHAMENTO GERENCIAL SANKHYA Material exclusivo para uso interno. O QUE LEVA UMA EMPRESA OU GERENTE A INVESTIR EM UM ERP? Implantar um ERP exige tempo, dinheiro e envolve diversos

Leia mais

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Avaliação de: Sr. João Vendedor Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Copyright 2012 Caliper & Tekoare. Todos os direitos

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

Quem precisa de metas afinal? Por que ter metas?

Quem precisa de metas afinal? Por que ter metas? Metas e Objetivos Muito se confunde a respeito destes dois conceitos quando se faz um planejamento estratégico do negócio. A diferença entre Meta e Objetivo, no entanto, é bastante clara como será apresentada

Leia mais

dynam PROPOSTA OFICIAL PARA PPC (Links Patrocinados) publicidadeonline AGÊNCIA SEARCH ENGINE MARKETING Marketing de Busca

dynam PROPOSTA OFICIAL PARA PPC (Links Patrocinados) publicidadeonline AGÊNCIA SEARCH ENGINE MARKETING Marketing de Busca PROPOSTA OFICIAL PARA PPC (Links Patrocinados) dynam publicidadeonline AGÊNCIA SEARCH ENGINE MARKETING Marketing de Busca Av. Carlos Gomes 141 Suite 411 - Porto Alegre. RS Tel. +55(11) 3522-5950 / (51)

Leia mais

Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo

Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo Estudo de viabilidade As perguntas seguintes terão que ser respondidas durante a apresentação dos resultados do estudo de viabilidade e da pesquisa de campo FOFA.

Leia mais

- Propaganda. Desenvolver um programa integrado de Marketing que proporcione valor superior. - Conceber produtos, serviços e marcas

- Propaganda. Desenvolver um programa integrado de Marketing que proporcione valor superior. - Conceber produtos, serviços e marcas Introdução e Noções de Mercados Compreendendo o processo de Marketing ADMINISTRAÇÃO - Produtos - Serviços - Mercados - Processos MARKETING COMUNICAÇÃO - Propaganda Marketing é uma filosofia de negócio

Leia mais

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki Martins 2,Gerliane

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida Apresentação Institucional Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida A empresa que evolui para o seu crescimento A VCN Virtual Communication Network, é uma integradora de Soluções Convergentes

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

Portfolio de cursos TSP2

Portfolio de cursos TSP2 2013 Portfolio de cursos TSP2 J. Purcino TSP2 Treinamentos e Sistemas de Performance 01/07/2013 Como encantar e fidelizar clientes Visa mostrar aos participantes a importância do conhecimento do cliente,

Leia mais

MARKETING NAATIVIDADE TURÍSTICA

MARKETING NAATIVIDADE TURÍSTICA MARKETING NAATIVIDADE TURÍSTICA Mestre em turismo e hotelaria-univali Professora do curso de turismo da Universidade de Uberaba-MG Trata-se nesse artigo da teoria e da prática do marketing no turismo.

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2

Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ 2 O desempenho do processo de recrutamento e seleção e o papel da empresa neste acompanhamento: Um estudo de caso na Empresa Ober S/A Indústria E Comercio Ana Claudia M. dos SANTOS 1 Edson Leite Lopes GIMENEZ

Leia mais

O que é ISO 9001:2000?

O que é ISO 9001:2000? O que é ISO 9001:2000? Um guia passo a passo para a ISO 9001:2000 SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Conteúdo * SISTEMAS DA QUALIDADE ISO 9001:2000 E PDCA... 1 * OITO PRINCÍPIOS DE GESTÃO DA QUALIDADE...

Leia mais

FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING. Professor: Arlindo Neto

FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING. Professor: Arlindo Neto FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING Professor: Arlindo Neto Competências a serem trabalhadas GESTÃO DE MARKETING PUBLICIDADE E PROPAGANDA GESTÃO COMERCIAL FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM

Leia mais

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa.

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa. DIREITO DOS CLIENTES O que esperar de sua empresa de Executive Search Uma pesquisa de executivos envolve um processo complexo que requer um investimento substancial do seu tempo e recursos. Quando você

Leia mais

LinkedIn - Tendências globais em recrutamento para 2013 1

LinkedIn - Tendências globais em recrutamento para 2013 1 LinkedIn - Tendências globais em recrutamento para 2013 Visão Brasil As cinco principais tendências em atração de talentos que você precisa saber 2013 LinkedIn Corporation. Todos os direitos reservados.

Leia mais

Saiba Como Convencer os Executivos Sobre o Valor do Gerenciamento de Projetos. White Paper

Saiba Como Convencer os Executivos Sobre o Valor do Gerenciamento de Projetos. White Paper Saiba Como Convencer os Executivos Sobre o Valor do Gerenciamento de Projetos White Paper TenStep 2007 Saiba Como Convencer os Executivos Sobre o Valor do Gerenciamento de Projetos Não há nenhuma duvida

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 BUSINESS GAME UGB Eduardo de Oliveira Ormond Especialista em Gestão Empresarial Flávio Pires Especialista em Gerencia Avançada de Projetos Luís Cláudio Duarte Especialista em Estratégias de Gestão Marcelo

Leia mais

MARKETING DESENVOLVIMENTO HUMANO

MARKETING DESENVOLVIMENTO HUMANO MRKETING DESENVOLVIMENTO HUMNO MRKETING rte de conquistar e manter clientes. DESENVOLVIMENTO HUMNO É a ciência e a arte de conquistar e manter clientes e desenvolver relacionamentos lucrativos entre eles.

Leia mais

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento

Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Conceito de Marketing Considerações Preliminares Atendimento Metodologia de Ensino 1) Noções de Marketing 2) Marketing de Serviço 3) Marketing de Relacionamento 1 2 1) Noções de Marketing 3 4 5 6 www.lacconcursos.com.br

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais

Terceirização de Serviços de TI

Terceirização de Serviços de TI Terceirização de Serviços de TI A visão do Cliente PACS Quality Informática Ltda. 1 Agenda Terceirização: Perspectivas históricas A Terceirização como ferramenta estratégica Terceirização: O caso específico

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

GUIA DE SOCIAIS EM REDES BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS.

GUIA DE SOCIAIS EM REDES BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS. GUIA DE BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO EM REDES SOCIAIS MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS. APRESENTAÇÃO OBJETIVO A ABA - Associação Brasileira de Anunciantes, por meio de

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

MARKETING ESTRATÉGICO

MARKETING ESTRATÉGICO MARKETING ESTRATÉGICO O conceito de marketing é uma abordagem do negócio. HOOLEY; SAUNDERS, 1996 Esta afirmação lembra que todos na organização devem se ocupar do marketing. O conceito de marketing não

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

Marketing de Serviços e de Relacionamento. MBA em Gestão de Marketing Prof.: Alice Selles

Marketing de Serviços e de Relacionamento. MBA em Gestão de Marketing Prof.: Alice Selles Marketing de Serviços e de Relacionamento MBA em Gestão de Marketing Prof.: Alice Selles Conteúdo programático Os fundamentos do Marketing de serviços O comportamento do consumidor nos serviços As expectativas

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Consultoria! O que é e como usar?

Consultoria! O que é e como usar? Consultoria! O que é e como usar? Luciano Terra Afinal, o que é consultoria? Percebe-se que, para muitos, o termo Consultoria, assim como Marketing, Rightsizing, Merchandising, Downsizing e tantos outros,

Leia mais

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Esta seção apresenta alguns dos problemas da gestão da cadeia de suprimentos discutidos em mais detalhes nos próximos capítulos. Estes problemas

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro

PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro Anexo 3 PLANO DE NEGÓCIOS Roteiro 1. Capa 2. Sumário 3. Sumário executivo 4. Descrição da empresa 5. Planejamento Estratégico do negócio 6. Produtos e Serviços 7. Análise de Mercado 8. Plano de Marketing

Leia mais

PESQUISA DE MARKETING

PESQUISA DE MARKETING PESQUISA DE MARKETING CONCEITOS É a busca de informação, a investigação do fenômeno que ocorre no processo de transferência de bens ao consumidor Trata da coleta de qualquer tipo de dados que possam ser

Leia mais

Cap 11: Gestão do Processo de Vendas e Monitoramento da Equipe Comercial

Cap 11: Gestão do Processo de Vendas e Monitoramento da Equipe Comercial Cap 11: Gestão do Processo de Vendas e Monitoramento da Equipe Comercial AGRODISTRIBUIDOR: O Futuro da Distribuição de Insumos no Brasil. São Paulo: Atlas, 2011. Org: Matheus Alberto Cônsoli, Lucas Sciencia

Leia mais

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br.

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br. Marketing Ambiental Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. O que temos visto e ouvido falar das empresas ou associado a elas? Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br 2 3 Sílvia

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Qualidade na Saúde. Patrícia Paula Dias de Sá Residente de Gestão Hospitalar - Administração Hospital Universitário - UFJF

Qualidade na Saúde. Patrícia Paula Dias de Sá Residente de Gestão Hospitalar - Administração Hospital Universitário - UFJF Qualidade na Saúde Patrícia Paula Dias de Sá Residente de Gestão Hospitalar - Administração Hospital Universitário - UFJF De acordo com o Dicionário Aurélio, QUALIDADE consiste na: * Maneira de ser, boa

Leia mais

COMO ADQUIRIR UMA FRANQUIA

COMO ADQUIRIR UMA FRANQUIA COMO ADQUIRIR UMA FRANQUIA O que é Franquia? Objetivo Esclarecer dúvidas, opiniões e conceitos existentes no mercado sobre o sistema de franquias. Público-Alvo Pessoa física que deseja constituir um negócio

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu PORTFÓLIO ESPECIALIZAÇÃO / MBA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Sumário ÁREA: CIÊNCIAS DA SAÚDE... 2 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO... 2 ÁREA: COMUNICAÇÃO E LETRAS...

Leia mais

M A N U A L TREINAMENTO. Mecânica de Veículos Piçarras Ltda. Manual Prático de Procedimento do Treinamento

M A N U A L TREINAMENTO. Mecânica de Veículos Piçarras Ltda. Manual Prático de Procedimento do Treinamento M A N U A L TREINAMENTO 1. Introdução A velocidade das mudanças tecnológicas, o aumento da diversidade nos locais de trabalho e a acentuada mobilidade dos trabalhadores atuais são aspectos do mundo contemporâneo

Leia mais

Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO

Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO Aula 7: TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO OBJETIVOS Definir com maior precisão o que é marketing; Demonstrar as diferenças existentes entre marketing externo, marketing interno e marketing de treinamento;

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER?

EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER? EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER? Anderson Katsumi Miyatake Emerson Oliveira de Almeida Rafaela Schauble Escobar Tellis Bruno Tardin Camila Braga INTRODUÇÃO O empreendedorismo é um tema bastante

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br Prezado(a) Sr.(a.) Agradecemos seu interesse em nossos programa de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso de Pós-MBA

Leia mais

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções.

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções. Uma publicação: Estratégias para aumentar a rentabilidade 04 Indicadores importantes 06 Controle a produção 08 Reduza filas 09 Trabalhe com promoções 10 Conclusões 11 Introdução Dinheiro em caixa. Em qualquer

Leia mais

2015 Manual de Parceiro de Educação. Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos.

2015 Manual de Parceiro de Educação. Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos. 2015 Manual de Parceiro de Educação Suas soluções. Nossa tecnologia. Mais inteligentes juntos. Prêmios Reais, a Partir de Agora Bem-vindo ao Intel Technology Provider O Intel Technology Provider é um programa

Leia mais