LISTA DE DISCIPLINAS MPPTA Não obrigatórias/ 90h, 2 créditos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LISTA DE DISCIPLINAS MPPTA Não obrigatórias/ 90h, 2 créditos"

Transcrição

1 LISTA DE DISCIPLINAS MPPTA Não obrigatórias/ 90h, 2 créditos PRODUÇÃO AGROINDUSTRIAL E SUSTENTABILIDADE Ementa: Sistemas de produção agroindustrial e sustentabilidade. Consideração de aspectos econômicos, sociais, ambientais e culturais das atividades agroindustriais. Organização social do trabalho e relações de produção na agroindústria contemporânea visando o desenvolvimento socioeconômico com equidade. Estudos fundamentais sobre produção sustentável. A transição para a agroindústria sustentável. Elementos e estratégias para uma produção sustentável no mundo contemporâneo. Daniel Bertoli Gonçalves Daniel Bertoli Gonçalves ABRAMOVAY, R. Muito além da economia verde. São Paulo: Abril, ALVES, F. (Org.) Certificação socioambiental para a agricultura: desafios para o setor sucroalcooleiro. Imaflora; São Carlos: EdUFSCar, AMATO NETO, J. Sustentabilidade & produção: teoria e prática para uma gestão sustentável. São Paulo: Atlas, BATALHA, M. O. Gestão agroindustrial. São Paulo: Atlas, BELLEN, Hans Michael van. Indicadores de sustentabilidade: uma análise comparativa. 2 ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, BRANDENBURG, A.; et al. Ruralidade e Questões Ambientais: estudo e estratégias, projetos e políticas. MDA, Brasília CAMARGO, A.; CAPOBIANCO, J.P.R.; OLIVEIRA, J.A.P. (Org.). Meio ambiente Brasil: avanços e obstáculos pós-rio ed. rev. São Paulo: Estação Liberdade, CAVALCANTI, C. (Org.). Desenvolvimento e natureza: estudos para uma sociedade sustentável. São Paulo: Cortez, CRAMER, G. L.; JENSEN, Clarence W.; SOUTHGATE JR., Douglas DeWitt. Agricultural economics and agribusiness. 8. ed. New York: John Wiley & Sons, MORAES, M.A.F.D.; SHIKIDA, P.F.A.(Orgs). A agroindústria canavieira no Brasil: evolução, desenvolvimento e desafios. São Paulo: Atlas, SILVEIRA, M.A.; VILELA, S.L. Globalização e sustentabilidade da agricultura. Jaguariúna, SP: EMBRAPA, GERENCIAMENTO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS Ementa: Os impactos sociais e ambientais das agroindústrias. Poluentes agroindustriais. Legislação e licenciamento ambiental. Gerenciamento de resíduos sólidos nas agroindústrias de alimentos, bebidas e biocombustíveis. Gerenciamento de resíduos sólidos urbanos. Disposição final de resíduos e recuperação de ambientes contaminados. Tratamento de efluentes: tratamentos preliminares, primários, secundários e terciários. Métodos de controle de poluentes atmosféricos. Ações mitigadoras para redução dos impactos ambientais gerados pelas agroindústrias. Resíduos agroindustriais: enfoque energético. Biodigestão de resíduos. Compostagem. Aproveitamento de resíduos vegetais, resíduos de madeira e resíduos animais. Formas de aproveitamento, subprodutos obtidos a partir da utilização dos resíduos. Aproveitamento do lixo e do esgoto doméstico. Aproveitamento de resíduos sólidos (bagaço; torta de filtro e melaço) e líquidos (vinhaça) da agroindústria sucroalcooleira. Legislação e Aspectos sociais e econômicos do aproveitamento de resíduos. ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas NBR :2004: Amostragem de resíduos sólidos. BRASIL, A.M.; SANTOS, F. Equilíbrio ambiental & resíduos na sociedade moderna. 4. ed. São Paulo: Brasil Sustentável, CAVALCANTI, C. (Org.). Desenvolvimento e natureza: estudos para uma sociedade sustentável. São Paulo: Cortez, GUERRA, A.J.T.; CUNHA, S.B. (Org.). Impactos ambientais urbanos no Brasil. 6.ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, p. LIMA, J. D. Gestão de resíduos sólidos urbanos no Brasil. Rio de Janeiro: ABES, p. MATOS, A.T. Manejo e Tratamento de Resíduos Agroindustriais. Viçosa: AEAGRI MATOS, A.T. Tratamento e aproveitamento agrícola de resíduos sólidos. Viçosa: AEAGRI MORAES, M.A.F.D.; SHIKIDA, P.F.A.(Orgs). A agroindústria canavieira no Brasil: evolução, desenvolvimento e desafios. São Paulo: Atlas, PEREIRA NETO, J.T. Manual de compostagem: processo de baixo custo. 1. ed. Viçosa, MG: Ed. da UFV, p. (Soluções). PHILIPPI JÚNIOR, A.; ROMÉRO, M.A.; BRUNA, G.C. (Ed.) Curso de gestão ambiental. In. Cap. 5 Controle ambiental de resíduos. São Paulo, SP: Manole,

2 Débora Zumkeller Sabonaro Denise Grotto Daniel Bertoli Gonçalves e Welber p (Coleção ambiental; SILVEIRA, M.A.; VILELA, S.L. Globalização e sustentabilidade da agricultura. Jaguariúna,SP: EMBRAPA, SPADOTTO, C.A.; RIBEIRO, W.C. (Ed.). Gestão de resíduos na agricultura e agroindústria. Botucatu: FEPAF, Von SPERLING, M. Tratamento e destinação de efluentes líquidos da agroindústria. Brasilia: ABEAS; Viçosa: DEA/UFV, INTERAÇÃO SOLO VEGETAÇÃO PARA FINS DE RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS Ementa: Conceitos Básicos. Agentes de Degradação. Legislação Pertinente ao Reflorestamento Ciliar e à Recuperação de Áreas Degradadas. Técnicas e Modelos de Recuperação de Áreas Degradadas. Seleção de espécies para mata ciliar e Áreas Degradadas. Métodos de enriquecimento e Regeneração Natural. Identificar e relacionar as características ecológicas importantes dos solos e da vegetação na proteção do meio ambiente. Planejamento de uso e conservação de solo. Restauração da camada fértil do solo. Revegetação de taludes, controle de erosão e cobertura de voçorocas. Planejamento para implantação de projetos participativos de Recuperação de Áreas Degradadas. ATTANASIO, C. M.; GANDOLFI, S.; RODRIGUES, R.R. Manual de recuperação de matas ciliares para produtores rurais. Campinas, SP: CATI, 51 p, GALVÃO, A. P. M. Reflorestamento de propriedades rurais para fins produtivos e ambientais: um guia para ações municipais e regionais. Brasília: Colombo, PR: Empraba-Comunicação para Transferência de Tecnologia: EMPRABA- Florestas. 351p, HAHN, C. M.; OLIVEIRA, C.; AMARAL, E. M.; RODRIGUES, M. S.; SOARES, P. V. Recuperação florestal: da semente à muda. São Paulo, SP: Secretaria do Meio Ambiente para a Conservação e Produção Florestal do Estado de São Paulo, 144p, KAGEYAMA, P.Y; OLIVEIRA, R.E.; MORAES, L.F.D.; ENGEL, V.E.; GANDARA, F.B. Restauração ecológica de ecossistemas naturais. Botucatu, SP: FEPAF, 340 p, MARTINS, S.V. Recuperação de Áreas Degradadas: ações em áreas de preservação permanente, voçorocas, taludes rodoviários e de mineração. Viçosa, Editora Aprenda Fácil, 270p, MARTINS, S. V. (Org.). Retauração ecológica de ecossistemas degradados. 1. ed. Viçosa, MG: Editora UFV, v p, PEREIRA, A.R. Como selecionar plantas para áreas degradadas e controle de erosão. Belo Horizonte, MG: editora FAPI, 150p, PORFÍRIO-DA-SILVA, V.; GALVÃO, A.P.M. Restauração florestal: fundamentos e estudos de caso. Colombo, PR: Embrapa Florestas, 143p, AVALIAÇÃO TOXICOLÓGICA DE RESÍDUOS QUÍMICOS Ementa: Introdução e fundamentos da avaliação toxicológica. Origem (indústria, agricultura, água de reuso, lodo de esgoto) e caracterização dos resíduos químicos (elementos químicos, corantes, defensivos agrícolas, desreguladores endócrinos). Métodos analíticos empregados na caracterização e quantificação de resíduos químicos. Ensaios toxicológicos in vitro. Ensaios toxicológicos in vivo. Ensaios ecotoxicológicos. Legislação ambiental brasileira e legislação internacional. Estudos de casos. ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 10004: Classificação de Resíduos. Rio de Janeiro: p APHA - USA American Public Health Association. Standard methods for the Examination of Water and Wastewater. 20. ed., CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE (CONAMA), Resolução nº 357, CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE (CONAMA), Resolução nº 375, EPA USA Environmental Protection Agency. Laws & Regulations. FRESHNEY, R.I. Culture of animal cells: a manual of basic technique. 6th edition. New York: Wiley-Liss, KLAASSEN, D.C. Editor In: Casarett & Doull s. Toxicology: the basic science of poisons. 8th Ed. New York, McGraw-Hill Companies, KNIE, J.L.W., LOPES, E. W. B. Testes ecotoxicológicos: métodos, técnicas e aplicações. Florianópolis: FATMA / GTZ, p. 289, LARINI, L. Toxicologia dos Praguicidas. Ed. Manole, 1ª Ed., RHODEN, E.L.; RHODEN, C.R. Princípios e técnicas em experimentação animal. Ed. UFRGS, 1ª Ed YU, MH., TSUNODA, H., TSUNODA, M. Environmental Toxicology: Biological and Health Effects of Pollutants, 3th Ed. CRC Press, INDICADORES AMBIENTAIS Ementa: Conceitos, modelos de construção e aplicabilidade de indicadores de ambiente para a gestão integrada e a sustentabilidade ambiental. Iniciativas internacionais e nacionais; A natureza e uso dos indicadores; Metodologias para a construção de indicadores ambientais e sustentabilidade; A elaboração de

3 Senteio Smith José Martins de Oliveira Junior Marco Vinicius Chaud cenários como ferramenta para a avaliação ambiental. BELL, S.; MORSE, S. Sustainability Indicators: Measuring the Immeasurable? 2ª Edição. Ed. Routledge Pub MAGALHÃES JR. A.P. Indicadores Ambientais e Recursos Hídricos. Ed. Bertrand Brasil MAIA, M., MARTOS, H.L., BARRELLA,W. Indicadores Ambientais: Conceitos e Aplicações. Ed. EDUC MARKANDYA, A; DALE,N. Measuring Environmental Degradation: Developing Pressure Indicators for Europe. Ed. Edward Elgar Pub PHILLIP JR, A.; MALHEIROS, T.F. Indicadores de Sustentabilidade e Gestão Ambiental. Ed. Manole ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS Ementa: Descrição das principais técnicas usadas em ensaios não destrutivos. Estudo de propriedades físico-químicas de materiais e insumos através do uso de técnicas de ensaios não destrutivos. Fundamentos das técnicas de ensaios não destrutivos e suas aplicações. Principais técnicas a serem discutidas: absorção de radiações ionizantes, radiografias e tomografias, termografias, ultra-som, fluorescência por raios-x. Métodos de reconstrução de imagens, qualidade das imagens e extração de informações de uma imagem. Remoção de artefatos de uma imagem, detecção de regiões de interesse e métodos estatísticos para tratamento de dados. AHLUWALIA, B. D. Tomographic Methods in Nuclear Medicine: Physical Principles, Instruments and Clinical Application. CRC Press: Boca Raton, Florida, BRAY, D. E.; McBRIDE, D. Nondestructive testing techniques, John Wiley: New Jersey, HALL E. L. Computer Image Processing and Recognition. 2º Ed. Academic Press: New York, HELLIER, C.J. Handbook of Nondestructive Evaluation. McGraw-Hill, 2001 HUSSEIN, E.M.A. Handbook on Radiation Probing, Gauging, Imaging and Analysis: Volume I Basis and Techniques (Non-Destructive Evaluation Series). Kluwer Academic Publishers, JÄHNE, B., HAUBECKER, H. Computer Vision and Applications. A guide for students and practitioners. Academic Press, JENKINS, R. X-Ray Fluorescence Spectrometry (Chemical Analysis: A Series of Monographs on Analytical Chemistry and its Applications). 2º Ed., John Wiley: New Jersey, KAK, A.C. and SLANEY, M. Principles of Computerized Tomographic Imaging. IEEE Press: USA, MIX, P.E. Introduction to nondestructive testing. 2º ed. John Wiley: New Jersey, PANICHELLO J.J. X-Ray Repair. A comprehensive Guide to the Installation and Servicing of Radiographic Equipment. Charles C. Thomas Publisher, LTD: Illinois, RANGAYYAN R.M. Biomedical Image Analysis. CRC Press: Boca Raton, Florida, RUDIN, M. Progress in Drug Research. Imaging in Drugs Discovery and Early Clinical Trials. v62, Barkhäuser Verlag: Basel-Boston-Berlim, PLATAFORMA TECNOLÓGICA PARA BIOMATERIAL Ementa: Conceito de biomaterial, biocompatibilidade, matriz celular e regeneração tecidual. Sistemas de defesa (barreiras) orgânica. Padrões biomiméticos. Sistemas micro e nanoestruturados. Avaliação das características físicas, físico-químicas e biológicas de matéria prima com potencial para uso humano e animal. Estratégias de desenvolvimento de produtos biofarmacêuticos para indústria farmoquímica. Estratégia de desenvolvimento de produtos biofarmacêuticos para enxertos ou regeneração tecidual. BARON, J., KAWABATA T., et al. Localization of carcinogen-metabolizing enzymes in human and animal tissues. In Rydstrom, I., Montelieus, J., and Bengtsson, M. (eds). Extrahepatic drug metabolism and chemical carcinogenisis. Elsevier, Amasterdam., p.73-89, BATHIA, Sujata K. Biomaterials for Clinical Application. New York: Springer, 283 p, BHUSHAN, B. e GUPTA B. K. Handbook of tribology: materials, coatins, ans surface treatments. New York: McGraw-Hill p, CHANDRA, M Jeya. Statistical Control. Washington Dc: Crc Press Llc. 280 p, CHIANN, C., GONÇALVES J. E., et al. Biofarmacotécnica. São Paulo: Guanabara Koogan, v p, 2009.

4 DENYER, S. P. e MCNABB C.. Microbial metabolism of topically applied drugs. In: J. Hadgraft e R. H. Guy (Ed.). Transdermal drug delivery. New York: Marcel Dekker, Microbial metabolism of topically applied drugs, p , FLORENCE, A. T. e SIEPMANN J. Modern Pharmaceutics: Basics Principles and Systems. New York: Informa Healthcare, v p, OREFICE, Rodrigo Lambert; PEREIRA, Marivalda de Magalhães; MANSUR, Herman Sander. Biomateriais Fundamentos e Aplicações. São Paulo: Guanabara Koogan. 538p, RIGGS, D. S. The Mathematical approaches to physiological problems. A Critical Primer Baltimore: Literary Licensing, LLC v p, SHARGEL, S., WU-PONG, S., et al. Applied Biopharmaceutics & Phramacokinetics. New York: McGraw-Hill's Companies, Inc. 902 p, SINKO, P. J. e SINGH, Y.. Martin's Physical Pharmacy and Pharmaceutical Science. Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins/Walters Kluwer, v.1, 345p, INTRODUÇÃO À CIÊNCIA DOS MATERIAIS Ementa: Estrutura atômica e macro estrutura dos sólidos cristalinos e não cristalinos. Defeitos e Impurezas. Difusão. Cerâmicas e Vidros: histórico, propriedades e aplicações. Polímeros: histórico, propriedades e aplicações. Compósitos: histórico, propriedades e aplicações. Diagramas de Fase. Processos de fabricação dos materiais metálicos e não-metálicos. Propriedades mecânicas. Propriedades ópticas. Ensaios de laboratório relativos à estrutura e propriedades dos materiais. Norberto Aranha Norberto Aranha ASKELAND, D.R.; PHULÉ, P.P. Ciência e Engenharia dos Materiais. São Paulo, Ed. Cengage Learning, CALLISTER, W.D., Ciência e Engenharia de Materiais: uma introdução, Rio de Janeiro, ed. LTC, CANEVAROLO JÚNIOR, S. JR. Técnicas de Caracterização de Polímeros, Artliber, CIENFUEGOS, F.; VAITSMAN, D.S. Análise Instrumental, Rio de Janeiro, Ed. Interciência, HARRIS, D. C. Análise Química Quantitativa, Ed. LTC, 7ª ed., Rio de Janeiro, LUCAS, E.F; SOARES, B.G; MONTEIRO, E. Caracterização de Polímeros: Determinação do Peso Molecular e Análise Térmica, e-papers, Rio de Janeiro, PAIVA, D.L. Introduction to Spectroscopy, 4ª Ed., Belmont, CA: Brooks/Cole, SALA, O. Fundamentos da Espectroscopia Raman e no infravermelho. São Paulo: Universidade Estadual Paulista, SHACKELFORD, James F. Ciência dos Materiais. São Paulo: Pearson Prentice Hall, SILVERSTEIN, R.M.; BASSLER, G.C.; MORRIL, T.C. Spectrometric Identification of Organic Compounds, John Wiley & Sons, 5ª ed., SKOOG, D.A.; HOLLER, F.J.; NIEMAN, T.A. Princípios de Análise Instrumental. 5ª ed. Bookman, SKOOG, D.A.; HOLLER, F.J.;Crouch Fundamentos de Química Analítica. Rio de Janeiro, Thomson, NANOTECNOLOGIA E BIOMATERIAIS Ementa: Conceito e Fundamentos da Nanotecnologia. Nanopartículas, Nanotubos, nanofios e nanofibras. Fullerenos e nanotubos de carbono. Filmes finos e multicamadas. Materiais nanoestruturados. Materiais nanocompósitos. Técnicas para Manipulação Molecular e Atômica. Nanofabricação. Aplicações. Biomateriais: histórico e definição. A natureza dos biomateriais: metais, biopolímeros, biocerâmicas e biovidros. Caracterização físico-química, mecânica e biológica de biomateriais. Biocompatibilidade. Tipos de implantes e suas características: metálicos, biocerâmicas, biopolímeros, materiais homólogos ou heterólogos. Comportamento clínico dos implantes. Processos de fabricação de biomateriais. Novas tendências em biomateriais: design biológico; áreas de aplicações. Importância e ética no uso de biomateriais: normas de desenvolvimento e usos. ASKELAND, D.R.; PHULÉ, P.P. Ciência e Engenharia dos Materiais. São Paulo, Ed. CENGAGE Learning, BERTOLINI A.C.; Biopolymers Technology. Editora Cultura Acadêmica 2008 CALLISTER, W.D., Ciência e Engenharia de Materiais: uma introdução, Rio de Janeiro, ed. LTC, DAVIES, J.E. The Bone Material Interface. University of Toronto Press, USA, 1991 DURAN N., MATTOSO L.H.C., MORAIS P.C. Nanotecnologia: introdução, preparação e caracterização de nanomateriais e exemplos de aplicação. Ed. Artliber, 2006.

5 FREITAS, R.A. Nanomedicine: biocompatibility. Austin-Texas: Landes Bioscience, ORÉFICE R.L.; PEREIRA M.M.; MANSUR H.S. Biomateriais: Fundamentos & Aplicações. Editora Cultura Médica 2005 PARK, J. B. Biomaterial Science and Engineering, Plenun Press, New York and London, FREITAS JR, R.A.. Nanomedicine, Volume IIA: Biocompatibility. Landes Bioscience: Georgetown, TX SHACKELFORD, J.F. Ciência dos Materiais. São Paulo: Pearson Prentice Hall, SILVER, F. e DOILLON, C. Biocompatibility: Interaction of Biological and Implantable Material, VCH Pub. Inc., USA, TOMA, H.E. O Mundo Nanométrico: dimensão do novo século, São Paulo, Ed. Oficina de Texttos, VALADARES, E.C.; ALVES, E.G.; CHAVES, A. Aplicações da Física Quântica: do transistor à nanotecnologia, SP, Ed. Livraria da Física, UTILIZAÇÃO DE ANÁLISES MOLECULARES E BIOTECNOLOGIA PARA AVALIAÇÃO DE NOVOS MATERIAIS Ementa: Estrutura do material genético, Extração de Ácidos Nucléicos de diferentes organismos e tecidos, PCR e suas variações, enzimas de restrição, clonagem gênica, Silenciamento gênico, Expressão genica, Transfecção e expressão de genes em bactérias e células eucariontes, uso de transgênicos para biomonitoramento ambiental, Regulamentação da Biossegurança no Brasil, Análise genética de águas e solos. Análises in vitro de resposta a novos materiais, Normas de Biossegurança, CTNBio, Regulamentação da Propriedade Intelectual. Renata de Lima ALBERTS, B. e cols. Biologia Molecular da Célula. 4ª. ed. Artes Médicas, GRIFFITHS, A.J.F.; WESSLER, S.R.; LEWONTIN, R.C.; GELBART, W.M.; SUZUKI, D.T.; MILLER, J.H. Introdução à Genética. 8ª. Ed. Guanabara Koogan, KREUZER, H.; MASSEY, A. Engenharia Genética e Biotecnologia. 2ª. ed. Porto Alegre: Artmed, LEE RILEY. Molecular Epidemiology of Infectious Diseases: Principles and Practices. Washington, D.C. : ASM Press, LODISH, Harvey F. p [et al.]. Biologia Molecular da Célula 2ª. ed. W. H. Freeman and Company. (edição traduzida) MARY CARRINGTON AND RUS HOELZEL. PriceMolecular Epidemiology. Oxford, PERES, C. M.; CURI, R. Como Cultivar Células. Guanabara/Koogan STRACHAN, T.; READ, A.P. 2ª. Ed. Genética Molecular Humana WATSON J. D. [et al] tradução BABÁ, E. H. [et al.]. DNA recombinant: genes e genomas. 3 ed. Porto Alegre: Artmed, 2009 ESTUDO DA GENOTOXICIDADE AMBIENTAL DE NOVOS MATERIAIS Ementa: Organização nuclear do material genético, Dominios nucleares, Mutação, Mecanismos de reparo de DNA, Ciclo celular e tumorgênese, Análise de citotoxicidade, Técnicas para detecção de efeitos clastogênicos, Análise de Allium cepa, Análise Cometa, Citogenética e Micronúcleo. Renata de Lima Thomaz Augusto Guisard Restivo CHOY, W.N. Genetic toxicology and cancer risk assessment, FRIEDBERG, E.C. DNA Repair and Mutagenesis. Libri, JACOBSON-KRAM D. Toxicological testing handbook. 2 edition. GRIFFITHS, A.J. F. Genética moderna. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2e (575.1 G29), RIBEIRO, L.R.; SALVADORI, D. M. F. E MARQUES, E. K. Mutagênese ambiental. Editora Ultra, WATSON, J. D.; BAKER, T. A.; BELL.S. P.; GANN, A.; LEVINE, M., LOSICK, R. Biologia molecular do gene. Artmed, ANÁLISE TÉRMICA E CALORIMETRIA APLICADA A PROCESSOS Ementa: Introdução sobre termodinâmica aplicada a análises térmicas, materiais e sistemas químicos. Apresentação das técnicas de análise térmica: termogravimetria (TG), análise térmica diferencial (DTA), calorimetria exploratória diferencial (DSC), técnicas simultâneas; (TG/DTA/DSC), dilatometria, calorimetria de mistura e reação. TG/DTA/DSC: aplicações. Dilatometria: princípios, análise termomecânica, aplicações, sinterização. Análise de gases evoluídos

6 EGA, acoplamento com outras técnicas, aplicações. Calorimetria de mistura e reação; calorímetro x DSC, termodinâmica, variáveis experimentais, aplicações, determinação de H e Cp. Cinética de reação e sinterização. Catálise e adsorção, petróleo e gás: hidratos de gás, ensaios em óleos, sistemas emulsionados, discussão. Difusivimetria e outras técnicas termoanalíticas. Tratamento de dados e resultados em software; deconvolução de picos. Thomaz Augusto Guisard Restivo Victor Manuel Cardoso Figueiredo Balcão CHARSLEY, E.L., WARRINGTON, S.B. Thermal Analysis: techniques and applications - Cambridge: Royal Society of CHemistry, DEKKER, M. (Editor) Thermal Analysis of Materials (1993), by SPEYER, R.F. Introduction to thermal analysis: techniques and applications / Michael E. Brown - London New York: Chapman & Hall, HATAKEYAMA, T.; LIU, Z. (Editors). Handbook of thermal analysis. Chichester: Wiley, New York, 1998 MENCZEL,J.D.; PRIME, R.B. Thermal Analysis of polymers: fundamentals and applications - Hoboken, N.J.: John Wiley, PATRICK K. GALLAGHER. Handbook of Thermal Analysis and Calorimetry. Elsevier Volume 1: Principle and Practice, editor Michael E. Brown, Periódico Journal of Thermal Analysis and Calorimetry Periódico Thermochimica Acta RAMACHANDRAN, V.S. et. al. Handbook of thermal analysis of construction materials. Norwich, N.Y.: Noyes Publications / William Andrew Pub., WENDLANDT, W.W. Thermal Analysis. New York: Willey, ZIELENKIEWICZ, W., MARGAS, E. Theory of calorimetry. Dordrecht: Kluwer Academic Publishers, Boston, TERMODINÂMICA APLICADA À ENGENHARIA DE PROCESSOS. Ementa: Leis da termodinâmica. Equilíbrio de fases em sistemas de um componente; comportamento dos gases e reações químicas envolvendo gases. Reações envolvendo fases condensadas e gasosas. Soluções sólidas e líquidas. Diagramas de equilíbrio e a energia de gibbs. Reações complexas envolvendo soluções. Soluções e reações em meios iônicos. Aplicações. KUBACHEWSKY, O. Materials Tehrmochemistry. Butterworth-Heinemann; 6th edition, KYLE, B.G. Chemical and Process Thermodynamics (3rd Edition). Prentice Hall PTR, ROSENQVIST, T. Principles of Extrative Metallurgy. Akademika Publishing; 2 edition, BIOTECNOLOGIA AMBIENTAL 90h, 2 créditos Ementa Objetivo: Com esta disciplina pretende-se fornecer as bases e a experiência laboratorial que permitam abordar a produção industrial de produtos biológicos com aplicação agro-alimentar e ambiental, no sentido de formar os novos Mestres em Processos Tecnológicos e Ambientais, na área de concentração em inovação, tecnologia e ambiente, numa área extremamente actual e de crescente importância: a produção biotecnológica de produtos agro-alimentares através da utilização da tecnologia do ADN recombinante, da manipulação de microorganismos e/ou de células vegetais, animais, humanas, ou de insectos. Assim, pretende-se por um lado dar a conhecer as novas aplicações da Biologia Molecular e da Microbiologia e, por outro, da Engenharia Enzimática, Bioquímica Aplicada e Engenharia Bioprocessual, de modo a que os pós-graduandos possam ficar a conhecer as principais áreas de desenvolvimento da Biotecnologia nos nossos dias, bem como preocupações ambientais emergentes da utilização das ferramentas por ela disponibilizadas aos pesquisadores. Nas aulas teóricas e teórico-práticas será feita a apresentação dos conceitos teóricos relevantes, conceitos estes que serão ilustrados por exemplos de aplicação reais, enquanto que nas aulas práticas-laboratoriais serão realizados alguns trabalhos experimentais relacionados com as tecnologias apreendidas. Procura-se, igualmente, proporcionar um balanço sólido entre os princípios teóricos e a aplicação prática de algumas técnicas biotecnológicas de ponta, com enfoque na resolução e discussão de problemas, de forma a permitir que os alunos desenvolvam uma visão mais clara, crítica e exacta. Pretende-se ainda capacitar os alunos para o correto manuseamento de material específico de uso num laboratório de biotecnologia e para a execução conveniente de operações biotecnológicas.

7 Justificativa: Transmissão de inovação biotecnológica no desenvolvimento de novos produtos agro-alimentares, como forma de agregar conhecimento, gerar patentes de (bio)produtos e técnicas biotecnológicas, e aquisição de competências em Biotecnologia Industrial, especificamente: 1- possuir formação adequada em domínios da biotecnologia como Genética, Engenharia Bioquímica, e os Bioprocessos, envolvendo Biorreatores e Biosseparações, a nível laboratorial ou industrial; 2- possuir formação básica em domínios específicos da biotecnologia como sejam, por exemplo, a biotecnologia microbiana, vegetal e animal, a engenharia enzimática e biorreatores enzimáticos, e a recuperação e purificação de bioprodutos; 3- possuir capacidade de comunicação e prevenção de risco em relação a situações relacionadas com utilização de células e (micro)organismos, geneticamente modificados ou não, ou produtos químicos em procedimentos laboratoriais ou processos industriais; 4- ter conhecimento básico das principais áreas da biotecnologia: biotecnologia branca (processos industriais); biotecnologia verde (processos agro-alimentares/químicos e ambientais); biotecnologia vermelha (processos médicos); e biotecnologia azul (utilização técnica de bioprocessos e organismos marinhos, com vista à obtenção de produtos biofarmacêuticos); e 5- ter atingido um nível de conhecimentos de biotecnologia e competências com um grau adequado de autonomia, nomeadamente em áreas de interface entre a Bioquímica e Biologia e as Ciências da Engenharia e Tecnologia. Conteúdos temáticos a serem trabalhados: aulas teóricas Unidade Letiva 1 ( [1], [2], [17]): 1. Fundamentos de Biotecnologia (O que é a biotecnologia?; Biotecnologia branca; Biotecnologia verde; Biotecnologia vermelha; Biotecnologia azul); 2. Princípios básicos de tecnologia de ADN recombinante (Princípios básicos de tecnologia de DNA recombinante; A estrutura do DNA; Corte e costura na molécula de DNA; Aplicações da tecnologia de DNA recombinante); Unidade Lectiva 2 ( [1], [2], [5], [7], [8], [14]): 3. Biotecnologia microbiana ambiental ((Bio)tecnologia de fermentação; Fermentadores industriais; Biotecnologia de proteínas monocelulares (Single-Cell Proteins); Bioremediação; Uso de (super)microorganismos destruidores de xenobióticos; Tratamento biológico de águas residuais; Insecticidas biológicos; Uso de virus modificados geneticamente para o controle de pragas de insectos); 4. Biotecnologia vegetal (Cultura e aplicações de tecidos vegetais; Micropropagação clonal; Plantas modificadas geneticamente; Plantas transplastómicas; As plantas como biorreatores; Aplicações da engenharia genética vegetal; Melhoria das colheitas; Resistência a herbicidas e insectos; Fitoremediação); 5. Biotecnologia marinha (Aquacultura; Produtos obtidos a partir de (micro)algas; Cultura de células algais: fotobiorreatores; Microalgas: fontes de biocombustíveis; Bioprospecção marinha; Produção de biohidrogénio; Biodiesel marinho); 6. Biotecnologia alimentar (Transformações biotecnológicas de alimentos; Utilização de enzimas como ferramenta na biotecnologia alimentar; Utilização de microorganismos como ferramenta na biotecnologia alimentar: alimentos fermentados, probióticos e simbióticos); Unidade Lectiva 3 ( [1], [3], [4], [5], [8], [9], [10], [11], [12], [15], [16]): 7. Engenharia enzimática (Enzimas: características estruturais e propriedades físico-químicas; Catálise enzimática: teorias de ativação enzimática, mecanismo de Michaëlis-Menten, mecanismos envolvendo múltiplos substratos e/ou múltiplos intermediários, Diagramas de Cleland; Equilíbrio rápido e pseudo-estado estacionário. Método de King-Altman. Aproximações de Cha e de Segel; Vantagens da utilização de enzimas em processos biotecnológicos; Métodos de imobilização de enzimas; Métodos físicos; Métodos químicos; Estratégias para a estabilização estrutural e funcional de enzimas imobilizadas (Modificação química com macromoléculas polifuncionais); Tipos de suportes utilizados para a imobilização de enzimas; Aplicações industriais de enzimas imobilizadas); 8. Reatores enzimáticos (Reator por partidas (BSTR); Reator contínuo (CSTR); Reator-pistão (PFR); Modelação de reatores enzimáticos ideais: BSTR, CSTR, PFR; Introdução à modelação de reatores enzimáticos reais; Efeitos difusionais; Modelos de desativação enzimática; Cinética de enzimas imobilizadas; Efeitos da resistência externa à transferência de massa: factor de efectividade externa e número de Damkhöler; Análise da difusão e reação intrapartícula: factor de efetividade interno e módulo de Thiele; Formulação, caracterização e aplicações de biocatalizadores com células imobilizadas; Fenómenos de transporte em bioprocessos; Transferência de massa gás-líquido em sistemas celulares; Transferência de massa por convecção forçada; Soluções macromoleculares; Design e análise de reatores biológicos); Unidade Lectiva 4 ( [2], [5], [6], [8], [13]): 9. Impacto ambiental da biotecnologia: preocupações emergentes (Utilização de herbicidas; Poluição genética e super ervas-daninhas ; Resistência a antibióticos; Resistência a pragas; Danos incutidos à vida selvagem e biodiversidade; Biosensores e biosentinelas; Vermiremediação).

8 Conteúdos temáticos a serem trabalhados: aulas teórico-práticas As aulas teórico-práticas consistirão na resolução de exercícios de aplicação relativos a: (1) Modelação de bioreatores BSTR, CSTR e PFR, com reação enzimática segundo cinética de Michaëlis-Menten, com e sem desativação enzimática de 1ª ordem; (2) Determinação do volume óptimo de uma cascata de dois biorreatores CSTR colocados em série, com reação enzimática segundo cinética de Michaëlis-Menten; (3) Determinação das condições ótimas de operação de um biorreator BSTR (operação + paragem + limpeza + re-início). Conteúdos temáticos a serem trabalhados: aulas práticas-laboratoriais Nas aulas práticas, caso sejam contempladas no cronograma letivo, serão realizados alguns trabalhos experimentais, abaixo referidos, que permitirão, recorrendo a diversas técnicas de biotecnologia, despertar o espírito crítico dos alunos. Nesta componente laboratorial pretende-se que os alunos adquiram e desenvolvam competências de utilização e manuseamento de material de laboratório, de execução de técnicas e procedimentos laboratoriais em biotecnologia e a ilustração de determinados conceitos abordados no programa teórico. Trabalho nº 1: Demonstração de um processo biotecnológico promissor para eliminação da carga poluente de efluentes da indústria de lacticínios e consequente valorização dos produtos obtidos: produção de ácidos graxos livres por hidrólise enzimática de gordura de manteiga. [3h] Trabalho nº 2: Produção de um bioinsecticida em fermentador. [3h+3h]. [1] Bailey, J. E.; Ollis, D. F.; Biochemical Engineering Fundamentals; McGraw-Hill; 1986; ISBN [2] Glick, B. R.; Pasternak, J. J.; Molecular Biotechnology principles and applications of recombinant DNA; ASM Press; 2 nd edition; 1998; ISBN [3] Balcão, V. M., Paiva, A. L., Malcata, F. X., (1996) Bioreactors with immobilized lipases: State-of-the-art, Enzyme and Microbial Technology, Vol. 18, nº 6, pp [4] Balcão, V. M., Mateo, C., Fernández-Lafuente, R., Malcata, F. X., Guisán, J. M. (2001) Structural and functional stabilization of L-asparaginase via multi-subunit immobilization onto highly activated supports, Biotechnology Progress, Vol. 17, pp [5] Klefenz, H.; Industrial Pharmaceutical Biotechnology; Wiley-VCH; 2005; ISBN [6] Balcão, V. M., Malcata, F. X., (2002) Enzyme-mediated modification of milkfat. Chapter 23 In T. M. Kuo / Gardner (Eds.) Lipid Biotechnology, Marcel Dekker, New York, pp [7] Lamas, E. M., Barros, R. M., Balcão, V. M., Malcata, F. X. (2001) Hydrolysis of whey proteins by proteases extracted from Cynara cardunculus and immobilized onto highly activated supports, Enzyme and Microbial Technology, Vol. 28, pp [8] Balcão, V. M., Mateo, C., Fernández-Lafuente, R., Malcata, F. X., Guisán, J. M. (2001) Coimmobilization of L-asparaginase and glutamate dehydrogenase onto highly activated supports, Enzyme and Microbial Technology, Vol. 28, pp [9] Segel, I. H.; Enzyme Kinetics - Behavior and Analysis of Rapid Equilibrium and Steady-State Enzyme Systems; Wiley, New York NY, U.S.A.; 1993; ISBN: [10] Balcão, V. M., Oliveira, T. A., Malcata, F. X. (1998) Stability of a commercial lipase from Mucor javanicus: kinetic modelling of ph and temperature dependencies, Biocatalysis and Biotransformation 16 (1), pp [11] Victor M. Balcão, Carla I. Costa, Carla M. Matos, Carla G. Moutinho, Manuela Amorim, Manuela E. Pintado, Ana P. Gomes, Marta M. Vila, José A. Teixeira (2013) Nanoencapsulation of bovine lactoferrin for food and biopharmaceutical applications, Food Hydrocolloids 32 (2): [12] Carla G. Moutinho, Carla M. Matos, José A. Teixeira, Victor M. Balcão (2012, Feb.) Nanocarrier possibilities for functional targeting of bioactive peptides and proteins: state-of-the-art, Journal of Drug Targeting 20 (2): [13] Victor Manuel Balcão e Lara Raquel Amorim (2012) Biotecnologia Protocolos Laboratoriais para Ciências da Saúde, Fundação Fernando Pessoa

9 Publishers, Porto, Portugal, 2012, ISBN: , 108 pps (manual) + 20 pps (caderno exercícios). [14] Balcão, V. M., Malcata, F. X., (1996) Reactors with immobilized lipase. Mathematical modelling. In F. X. Malcata (Ed.) Engineering of/with lipases, Kluwer Academic Publishers (Dordrecht), Holland, p [15] Manuela da Fonseca, M.; Teixeira, J. A. (Eds.); Reactores Biológicos Fundamentos e Aplicações; LIDEL; 2007; ISBN: [16] Barreira, S. (Ed.); Matemática Aplicada às Ciências Farmacêuticas; Escolar Editora; 2014; ISBN: [17] Lima, N.; Mota, M. (Eds.); Biotecnologia Fundamentos e Aplicações; LIDEL; 2003; ISBN: Waldemar Bonventi Jr. Waldemar Bonventi Jr. Welber Senteio Smith SIMULAÇÃO COMPUTACIONAL Ementa: Métodos computacionais de simulação. Fundamentos de teoria da computação e algoritmos Técnicas fundamentais de modelagem e simulação computacional. Métodos de discretizaçâo do continuo. Métodos de elementos finitos. Métodos de Monte Carlo. Modelagem, simulação, previsões e projeções computacionais de sistemas tecnológicos e ambientais. BANKS, J., Discrete Event System Simulation, 4ª ed. Editora Pearson Education, GARCIA, C., Modelagem e Simulação de Processos Industriais e de Sistemas Eletromecânicos Vol. 1, 2ªed. Editora EdUSP, QUARTERONI, A., SALERI, F., Cálculo científico com MATLAB E Octave, SpringerLink: Springer e-books. Editora Springer, CASTRUCCI, P. L., Modelos Computacionais para Gestão, Editora Manole Ltda, UDAWATTA, L., JAYASEKARA, B., Computer Aided Simulations, Editora Morgan & Claypool, LAW, Simulation Modeling And Analysis (sie), 4ªed., McGraw-Hill Education (India) Pvt Limited, ORSINI, L.Q., Simulação computacional de circuitos elétricos, Editora EDUSP, ASSAN, A. E., Método dos elementos finitos: primeiros passos, 2ªED., Editora Ed. da UNICAMP, MORGON, N.H., COUTINHO, K., Métodos de Química Teórica E Modelagem Molecular, Morgon & Coutinho, CHWIF, l., MEDINA, A.C., Modelagem e Simulação de Eventos Discretos, 3ªed BALLOU, R. H., Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos: Logística Empresarial, 5ª ed., Editora Bookman, COSTA, M. I., GODOY, W.A.C., Fundamentos de Ecologia Teórica, Editora Manole Ltda, BUDYNAS, R.G., NISBETT, J.K., Elementos de máquinas de Shigley, Editora McGraw Hill Brasil, SISTEMAS INTELIGENTES APLICADOS EM PROCESSOS TECNOLÓGICOS E AMBIENTAIS Ementa: Sistemas Baseados em Conhecimento; Aquisição de Conhecimento; Conceitos sobre Aprendizado de Máquina; Indução de Regras e Árvores de Decisão; Redes Neurais Artificiais; Sistemas Fuzzy; Computação Evolutiva; Sistemas Inteligentes Híbridos; Raciocínio baseado em casos; Agentes e Multiagentes; Mineração de Dados e de Texto; Sistemas de Produção; Sistemas Ambientais. REZENDE, S.O., Sistemas Inteligentes, Ed. Manole, RUSSELL, S., NORVIG, P. Artificial Intelligence: A Modern Approach, 2ªed, Pearson Education, De CAMPOS, M.M., Sistemas inteligentes em controle e automação de processos, Ciência Moderna, VON WANGENHEIM, C.A.G., VON WANGENHEIM, A., Raciocínio baseado em casos, Editora Manole Ltda, GOLDSCHMIDT, R., PASSOS, E., Data Mining: Um Guia Prático, Editora Campus, BRAGA, A. De P., Redes neurais artificiais: teoria e aplicações, 2ª Ed. LTC Editora, BRAGA, L.P.V., Introdução à Mineração de Dados - 2a edição: Edição ampliada e revisada, Editora E-papers, IMPACTO E RESTAURAÇÃO DE ECOSSISTEMAS AQUÁTICOS CONTINENTAIS Ementa: Introdução ao ambiente límnico. Funcionamento de sistemas naturais e impactados. Avaliação de Impactos causados por atividades antrópicas. Urbanização em ecossistemas aquáticos continentais. Diversidade de ambientes límnicos. Diversidade da flora e fauna. Impactos naturais e artificiais.

10 Monitoramento e Restauração de ecossistemas aquáticos continentais. MURRAY Jr, B.G. Are ecological and evolutionary theories scientific? Biological Reviews: , CAIRNS, J.Jr. Restoration Ecology. The Encyclopedia of the Environment. Eblen, R.A. and Eblen, W.E. (eds.) Boston; New York, Houghton Mifflin Company, p , ESTEVES, F.A. (editor). Estrutura, Funcionamento e Manejo de Ecossistemas Brasileiros. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, p , HOBBS, R.J. & NORTON, D.A. Towards a conceptual framework for restoration ecology. Restoration Ecology. Vol 4(2) June p , RODRIGUES, R.R. & LEITÃO FILHO, H.F. (eds.). Matas ciliares: conservação e recuperação. São Paulo:EDUSP, URBANSKA, K; WEBB, N. & EDWARDS P. (eds.). Restoration ecology and sustainable development Cambridge University Press. 414p, VILAS BÔAS, O. & DURIGAN, G. (orgs.). Pesquisas em Conservação e Recuperação Ambiental no Oeste Paulista. São Paulo: Páginas e Letras Editora e Gráfica, 484p, 2004.

Manual Pedagógico para Biotecnologia Farmacêutica Mestrado em Ciências Farmacêuticas

Manual Pedagógico para Biotecnologia Farmacêutica Mestrado em Ciências Farmacêuticas Universidade de Sorocaba Manual Pedagógico para Biotecnologia Farmacêutica Mestrado em Ciências Farmacêuticas Prof. Doutor Victor Manuel Cardoso Figueiredo Balcão UNISO Sorocaba Ano letivo 2012/2013 Ficha

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA "CAMPUS" DE RIO CLARO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS E CIÊNCIAS EXATAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE RIO CLARO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS E CIÊNCIAS EXATAS PROGRAMA DE DISCIPLINA Programa de Pós-Graduação em Geociências e Meio Ambiente Curso: Mestrado e Doutorado Disciplina: ESTUDO DOS IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS POR ATIVIDADES DE MINERAÇÃO Código: GAA 00185

Leia mais

UNIVERSIDADE DO PORTO FACULDADE DE CIÊNCIAS

UNIVERSIDADE DO PORTO FACULDADE DE CIÊNCIAS UNIVERSIDADE DO PORTO FACULDADE DE CIÊNCIAS PROGRAMA E CARGA HORÁRIA Disciplina: 3287 Bioquímica Industrial Curso: 255 - Mestrado em Bioquímica Ramo: 10 TRONCO COMUM / SEM RAMO Carga Horária: 28.0H TEÓRICAS

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA

CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA Departamento de Biotecnologia, Genética e Biologia Celular Centro de Ciências Biológicas Universidade Estadual de Maringá Coordenador: Prof. Dr. João Alencar Pamphile

Leia mais

Caracterização de Disciplina

Caracterização de Disciplina Disciplina/Turma: GEV501 Produção de Proteínas Recombinantes 2012/1 de Créditos: 6 30 30 30 90 Professor(a) Responsável: Dra. Andrea Soares da Costa Fuentes : De 23 de julho a 06 de agosto, das 8h às 12

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Campus São José dos Campos LISTA DE DISCIPLINAS DA GRADUAÇÃO

Universidade Federal de São Paulo Campus São José dos Campos LISTA DE DISCIPLINAS DA GRADUAÇÃO A B C Álgebra Linear Álgebra Linear Computacional Álgebra Linear II Algoritmos e Estrutura de Dados I Algoritmos e Estrutura de Dados II Algoritmos em Bioinformática Alteridade e Diversidade no Brasil

Leia mais

EDITAL PPGE3M Nº 64/2015

EDITAL PPGE3M Nº 64/2015 PROCESSO DE SELEÇÃO PARA O MESTRADO ACADÊMICO EM ENGENHARIA DE MINAS, METALÚRGICA E DE MATERIAIS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL (Ingresso em 2015/3º trimestre) EDITAL PPGE3M Nº 64/2015 O

Leia mais

QUÍMICA Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 1ª período

QUÍMICA Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 1ª período QUÍMICA Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Conclusão 74471 Química Estrutural 34 Química Química Inorgânica para Ciências Farmacêuticas OU 68 68977 Ciências Farmacêuticas 2008

Leia mais

Monitoramento Ambiental

Monitoramento Ambiental Linha de Pesquisa: Monitoramento Ambiental Grupo: Letícia Siena Carbonari Lucas Mortari Caccere Luciana de Oliveira Raquel Martins Montagnoli Monitoramento Ambiental Processo de coleta de dados, estudo

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO AMBIENTAL Conteúdo Programático 1) Gestão Ambiental e Desenvolvimento Sustentável: Conceitos Básicos (12 h) - Principais questões ambientais no Brasil e no mundo. - Conceitos

Leia mais

Universidade Estadual de Ponta Grossa PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DIVISÃO DE ENSINO

Universidade Estadual de Ponta Grossa PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DIVISÃO DE ENSINO Universidade Estadual de Ponta Grossa PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO DIVISÃO DE ENSINO PROGRAMA DE DISCIPLINA SETOR: Ciências Agrárias e de Tecnologia DEPARTAMENTO: Engenharia de Materiais DISCIPLINA: Ensaios

Leia mais

PROGRAMA TEÓRICO. 2. O Dogma Central da Biologia Molecular

PROGRAMA TEÓRICO. 2. O Dogma Central da Biologia Molecular PROGRAMA TEÓRICO 1. As moléculas da Biologia Molecular: DNA, RNA e proteínas Aspectos particulares da composição e estrutura do DNA, RNA e proteínas. EG- Características bioquímicas dos ácidos nucleicos,

Leia mais

DISCIPLINAS COMPONENTES DO CURSO DE MESTRADO

DISCIPLINAS COMPONENTES DO CURSO DE MESTRADO DISCIPLINAS COMPONENTES DO CURSO DE MESTRADO Disciplinas Obrigatórias 90h, 2 créditos 1 Disciplina: Delineamento Experimental Docente: Welber Senteio Smith Ementa: Noções básicas de desenho experimental

Leia mais

Exame de Seleção para o Programa de Pós-Graduação em Química (Mestrado)

Exame de Seleção para o Programa de Pós-Graduação em Química (Mestrado) PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Universidade Federal de Juiz de Fora Campus Universitário, Martelos, CEP 36036-900 Juiz de Fora, MG Tel/Fax: (32) 2102 3310 http://www.ufjf.edu.br/pgquimica Exame de Seleção para

Leia mais

ANEXO III. Domínios e áreas científicas

ANEXO III. Domínios e áreas científicas ANEXO III Domínios e áreas científicas Ciências da Vida e da Saúde Neurociências - Molecular e Celular Neurociências, Envelhecimento e Doenças Degenerativas Imunologia e Infeção Diagnóstico, Terapêutica

Leia mais

Disciplina MAF 2130 Química Aplicada Turma A02

Disciplina MAF 2130 Química Aplicada Turma A02 Disciplina MAF 2130 Química Aplicada Turma A02 1 CIÊNCIAS DOS MATERIAIS Profa. Dra. Adélia Lima Email: amlsilva0603@gmail.com à Química Aplicada 2 A disciplina Química Aplicada aborda os conteúdos básicos

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Computação e Informática MATRIZ CURRICULAR ELETIVAS

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Computação e Informática MATRIZ CURRICULAR ELETIVAS MATRIZ CURRICULAR S LIVRE ESCOLHA Núcleo Temático: HUMANAS Disciplina: LÍNGUA BRASILEIRA DE SINAIS 34 h/a (.34 ) Teóricas Etapa: 4ª Compreensão de aspectos composicionais da Língua Brasileira de Sinais

Leia mais

EDITAL 01/2012 ABRE PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA VAGAS NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DOUTORADO

EDITAL 01/2012 ABRE PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA VAGAS NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DOUTORADO 1 EDITAL 01/2012 ABRE PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA VAGAS NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DOUTORADO EM BIOTECNOLOGIA, DA UNIVERSIDADE BANDEIRANTE DE SÃO PAULO, RECOMENDADO PELA CAPES COM NOTA 04.

Leia mais

Mestrado: Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais

Mestrado: Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais Mestrado: Uso Sustentável de Recursos Naturais em Regiões Tropicais Informações Gerais Nível do Curso: Mestrado Profissional (Pós-graduação stricto sensu) Área Básica: Meio Ambiente e Agrárias Área de

Leia mais

EDITAL N 01/2008/INPA CONCURSO PÚBLICO ANEXO I VAGAS CONFORME AS CARREIRAS E PERFIS CORRESPONDENTES E LISTA DE TEMAS PARA PROVA ESCRITA.

EDITAL N 01/2008/INPA CONCURSO PÚBLICO ANEXO I VAGAS CONFORME AS CARREIRAS E PERFIS CORRESPONDENTES E LISTA DE TEMAS PARA PROVA ESCRITA. EDITAL N 01/2008/INPA CONCURSO PÚBLICO ANEXO I VAGAS CONFORME AS CARREIRAS E PERFIS CORRESPONDENTES E LISTA DE TEMAS PARA PROVA ESCRITA. 1. CARREIRA DE PESQUISA EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA CARGO DE PESQUISADOR

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 95/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em, Bacharelado, do Centro

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1) Geração e Transferência de Tecnologia 1.1) Estudo de viabilidade técnico-econômica de projetos Princípios fundamentais de aplicação de capital. Mecanismos de aplicação. Investimentos.

Leia mais

GRADE CURRICULAR DO CURSO DE BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA CAMPUS DE ARARAS

GRADE CURRICULAR DO CURSO DE BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA CAMPUS DE ARARAS GRADE CURRICULAR DO CURSO DE BACHARELADO EM BIOTECNOLOGIA CAMPUS DE ARARAS PERFIL 1 215090 Física para 1 04 220612 Tópicos em Matemática I 04 220663 Introdução a 04 220671 Fundamentos de Química 04 220680

Leia mais

X (X-X): Total de Créditos (Carga Teórica semanal-carga Prática semanal)

X (X-X): Total de Créditos (Carga Teórica semanal-carga Prática semanal) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Curso: Engenharia Agrícola e Ambiental Matriz Curricular 1 Período IB 157 Introdução à Biologia 4 (2-2) IT 103 Técnicas Computacionais em Engenharia 4 (2-2)

Leia mais

Combustão Industrial

Combustão Industrial Combustão Industrial JOSÉ EDUARDO MAUTONE BARROS Professor Adjunto da Universidade Federal de Minas Gerais Coordenador do Laboratório de Combustíveis e Combustão Doutor em Engenharia Mecânica - Térmica

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA - ITEC FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA - FEM CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA - ITEC FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA - FEM CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA 1 IDENTIFICAÇÃO Nome e código: Materiais de Construção Mecânica TE04031 Nome do professor: Prof. Dr. Jorge Teófilo de Barros Lopes Caráter: Obrigatória Bloco: III Período: 2º Ano letivo: 2014 Carga horária

Leia mais

Tecnologia 100% Nacional Transformação e Recuperação Energética de Resíduos Orgânicos

Tecnologia 100% Nacional Transformação e Recuperação Energética de Resíduos Orgânicos Tecnologia 100% Nacional Transformação e Recuperação Energética de Resíduos Orgânicos Pirólise Convencional (400 C x 60 minutos x pressão atmosférica) Quantidade ano 2011 (1.000 t) Motivação (exemplo)

Leia mais

IN0997 - Redes Neurais

IN0997 - Redes Neurais IN0997 - Redes Neurais Aluizio Fausto Ribeiro Araújo Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática - CIn Departamento de Sistemas da Computação aluizioa@cin.ufpe.br Conteúdo Objetivos Ementa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA - ITEC FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA - FEM CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE TECNOLOGIA - ITEC FACULDADE DE ENGENHARIA MECÂNICA - FEM CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA MECÂNICA 1 IDENTIFICAÇÃO Nome e código: Materiais de Construção Mecânica TE04031 Nome do professor: Prof. Dr. Jorge Teófilo de Barros Lopes Período: 2º Ano letivo: 2013 Carga horária total: 68 horas Carga horária

Leia mais

Habilitação recomendada para ministrar o componente curricular:

Habilitação recomendada para ministrar o componente curricular: Ementa do Curso Curso: SEGURANÇA DO TRABALHO Etapa: 1ª Componente Curricular: PROTEÇÃO AMBIENTAL - PA Carga Horária: 80 H/A Habilitação recomendada para ministrar o componente curricular: BIÓLOGO ENGENHEIRO

Leia mais

ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS Agricultura Sustentável Agrimensura Agroecologia Agroindústria Agroindústria - Alimentos Agroindústria - Madeira Agronegócio

Leia mais

ANEXO I QUADRO DAS ÁREAS DE ESTUDO. Lotação 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ

ANEXO I QUADRO DAS ÁREAS DE ESTUDO. Lotação 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ 01 MARACANAÚ Código/Área de Estudo. Desenho Técnico, Desenho Assistido por Computador (CAD), Informática 02. Materiais para Construção Mecânica, Corrosão e Tribologia 03. Termodinâmica, Refrigeração, Transferência

Leia mais

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC)

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC) FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC) Ano/Semestre curricular Ano letivo 2014/2015 Curso Unidade Curricular [designação e tipo/se é do tipo obrigatório ou optativo] (máx100 caracteres) Língua de ensino ECTS

Leia mais

CONSIDERANDO: os critérios e os padrões de qualidade estabelecidos pela UFPB para formação de profissionais;

CONSIDERANDO: os critérios e os padrões de qualidade estabelecidos pela UFPB para formação de profissionais; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 34/2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Química Industrial, Bacharelado,

Leia mais

SUAPE GLOBAL GT 4 PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO

SUAPE GLOBAL GT 4 PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO SUAPE GLOBAL GT 4 PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO GRUPO DE TRABALHO INTERNO SUAPE GLOBAL - UNICAP Alcivam Paulo de Oliveira (Coordenador de Extensão) Evânia Pincovsky (Coordenadora) Hélio Pereira

Leia mais

Categoria Resumo Expandido Eixo Temático - (Expansão e Produção Rural X Sustentabilidade)

Categoria Resumo Expandido Eixo Temático - (Expansão e Produção Rural X Sustentabilidade) Categoria Resumo Expandido Eixo Temático - (Expansão e Produção Rural Sustentabilidade) Titulo do Trabalho PRODUÇÃO ORGÂNICA DE CANA-DE-AÇÚCAR, MANEJO E BIODIVERSIDADE Nome do Autor (a) Principal Vagner

Leia mais

II. 5 Disciplinas optativas gerais Metodologia de ensino e estágio de docência

II. 5 Disciplinas optativas gerais Metodologia de ensino e estágio de docência EDITAL 102/2015 ABRE PERÍODO DE INSCRIÇÃO PARA VAGAS NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO ACADEMICO EM BIOTECNOLOGIA E INOVAÇÃO EM SAÚDE, DA UNIVERSIDADE ANHANGUERA DE SÃO PAULO, RECOMENDADO

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO Setor de Ciências Agrárias e Ambientais Unidade Universitária de Irati CURRÍCULO PLENO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO Setor de Ciências Agrárias e Ambientais Unidade Universitária de Irati CURRÍCULO PLENO CURSO: ENGENHARIA AMBIENTAL (540/I Integral 02 e SEM_02) (Para alunos ingressos entre 2006 a 2008) CÓD. D. DEPTOS. DISCIPLINAS 1º 2º 3º 4º 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª 6ª 7ª 8ª C/H 0872/I DEMAT/I Cálculo I 3 51 0873/I

Leia mais

TABELA DE PREÇOS ( valores sujeito a alterações )

TABELA DE PREÇOS ( valores sujeito a alterações ) Solicite os livros por e-mail : viviane@tratamentodeagua.com.br ou pelo telefone: 11-55818170 ITEM LIVROS VALOR 1 A BOTANICA NO ENSINO BASICO R$ 73,80 2 A COBRANÇA PELO USO DA AGUA R$ 30,00 3 A COBRANÇA

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. DISCIPLINA: Biologia TURMAS : A/B/C ANO: 12º ANO LECTIVO 2010/2011 ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES. DISCIPLINA: Biologia TURMAS : A/B/C ANO: 12º ANO LECTIVO 2010/2011 ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES SECUNDÁRIO DISCIPLINA: Biologia TURMAS : A/B/C ANO: 12º ANO LECTIVO 2010/2011 COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES ESTRATÉGIAS AULAS PREVISTAS

Leia mais

SUAPE GLOBAL GT 4. Atividades de Ensino e de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação no Setor Metal Mecânico em Pernambuco

SUAPE GLOBAL GT 4. Atividades de Ensino e de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação no Setor Metal Mecânico em Pernambuco SUAPE GLOBAL GT 4 Atividades de Ensino e de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação no Setor Metal Mecânico em Pernambuco Instituição: Universidade Católica de Pernambuco Agenda Proposta para o Primeiro Semestre

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: Gestão Ambiental campus Angra Missão O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental da Universidade Estácio de Sá tem por missão a formação de Gestores Ambientais

Leia mais

Análise Termogravimétrica da Bioespuma Poliuretana do Projeto de Produto Gasolimp como Agente Cogerador de Energia

Análise Termogravimétrica da Bioespuma Poliuretana do Projeto de Produto Gasolimp como Agente Cogerador de Energia Análise Termogravimétrica da Bioespuma Poliuretana do Projeto de Produto Gasolimp como Agente Cogerador de Energia J. C. V. Cortez Msc. em Meio ambiente Universidade Federal da Paraíba, cortez.juancarlos@gmail.com

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Computação e Informática EMENTAS DAS DISCIPLINAS OPTATIVAS I

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Faculdade de Computação e Informática EMENTAS DAS DISCIPLINAS OPTATIVAS I EMENTAS DAS DISCIPLINAS 1 FACUL DADE DE COMPUTAÇÃO E INFORMATICA NEGÓGIOS GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ( 68) Teóricas Etapa: 7ª ( ) Práticas Interpretação de Governança e estratégia organizacional:

Leia mais

Tecnologia em Produção de Grãos

Tecnologia em Produção de Grãos Tecnologia em Produção de Grãos Nível/Grau: Superior/Tecnólogo Vagas: 30 Turno: Matutino Duração: 3 anos mais estágio (7 semestres) Perfil do Egresso O profissional estará capacitado para: Produzir grãos

Leia mais

CONSIDERANDO a solicitação da Comissão Coordenadora do Programa, conforme processo nº 38393/2007;

CONSIDERANDO a solicitação da Comissão Coordenadora do Programa, conforme processo nº 38393/2007; DELIBERAÇÃO Câmara de Pós-Graduação Nº 008/2008 Reestrutura o Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Edificações e Saneamento, Mestrado, com área de concentração em Engenharia de Edificações e Saneamento.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PESSOAL

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DE PESSOAL Instituto de Ciências da Arte Universidade Federal do Pará Secretaria do Instituto de Ciências da Arte da UFPA, Av. Presidente Vargas Praça da Republica, n : s/n, Bairro: Campina, CEP: 66017060, Belém

Leia mais

Química Ambiental. Grupo: João Fernando G. Barreto Marcio Michihiko Fujii

Química Ambiental. Grupo: João Fernando G. Barreto Marcio Michihiko Fujii Química Ambiental Grupo: João Fernando G. Barreto Marcio Michihiko Fujii Definição A Química Ambiental estuda os processos químicos (mudanças) que ocorrem no meio ambiente. Essas mudanças podem ser naturais

Leia mais

Anexo II Resolução nº 133/2003 CEPE

Anexo II Resolução nº 133/2003 CEPE 1 Anexo II Resolução nº 133/2003 CEPE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ PRÓ REITORIA DE PESQUISA E PÓS GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO PERÍODO LETIVO/ANO 2006 Programa: Área de Concentração: Mestrado

Leia mais

INVENTÁRIO AMBIENTAL DO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE NANOCRISTAIS DE CELULOSE A PARTIR DA FIBRA DE COCO VERDE

INVENTÁRIO AMBIENTAL DO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE NANOCRISTAIS DE CELULOSE A PARTIR DA FIBRA DE COCO VERDE INVENTÁRIO AMBIENTAL DO PROCESSO DE OBTENÇÃO DE NANOCRISTAIS DE CELULOSE A PARTIR DA FIBRA DE COCO VERDE Aline Cavalcanti e Cavalcante * ; Ana Claudia Carneiro da Silva Braid; Diego Magalhães Nascimento;

Leia mais

BIOENGENHARIA A ENGENHARIA DOS SISTEMAS BIOLÓGICOS

BIOENGENHARIA A ENGENHARIA DOS SISTEMAS BIOLÓGICOS BIOENGENHARIA A ENGENHARIA DOS SISTEMAS BIOLÓGICOS Joaquim M.S. Cabral Laboratório rio Associado - Institute for Biotechnology and Bioengineering Centro de Engenharia Biológica e Química Instituto Superior

Leia mais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais

O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais O papel do engenheiro agrônomo no desenvolvimento das plantas medicinais Alexandre Sylvio Vieira da Costa 1 1.Engenheiro Agrônomo. Professor Universidade Vale do Rio Doce/Coordenador Adjunto da Câmara

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ALIMENTOS ANÁLISES TÉRMICAS DE ALIMENTOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ALIMENTOS ANÁLISES TÉRMICAS DE ALIMENTOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE ALIMENTOS ANÁLISES TÉRMICAS DE ALIMENTOS Regina Cristina A. De Lima TRANSIÇÕES DE FASE 1. Introdução Uma fase é um estado específico

Leia mais

Ambiente de Inovação. Biotecnologia. Micro e Pequenas Empresas

Ambiente de Inovação. Biotecnologia. Micro e Pequenas Empresas P&D e Inovação para Micro e Pequena Empresas do Estado do Rio de Janeiro: Como criar um ambiente de inovação nas empresas Estudo Setorial de Biotecnologia Prof a Adelaide Antunes Escola de Química da UFRJ

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES Ingresso Agosto de 2015 1. ABERTURA

EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES Ingresso Agosto de 2015 1. ABERTURA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA E CIÊNCIA DOS MATERIAIS NÍVEIS DE MESTRADO E DOUTORADO EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES

Leia mais

Eloi S. Garcia - Dipro Assessor da presidência

Eloi S. Garcia - Dipro Assessor da presidência O Inmetro Metrologia e Avaliação da Conformidade em Biologia Eloi S. Garcia - Dipro Assessor da presidência Objetivo Geral - Dipro -Ser depositária de produtos biológicos objetos de patentes concedidas

Leia mais

Biotecnologia e desenvolvimento sustentável. Ana Cristina Rodrigues acrodrigues@esa.ipvc.pt

Biotecnologia e desenvolvimento sustentável. Ana Cristina Rodrigues acrodrigues@esa.ipvc.pt Biotecnologia e Ana Cristina Rodrigues acrodrigues@esa.ipvc.pt - Imposições legais - Opinião pública - Pressão de competitividade Actualmente: Conceito de adoptado por muitas indústrias/actividades: só

Leia mais

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são:

Especialização em Direito Ambiental. 3. As principais funções das matas ciliares são: Pedro da Cunha Barbosa. Especialização em Direito Ambiental. Área do conhecimento jurídico que estuda as relações entre o homem e a natureza, é um ramo do direito diferenciado em suas especificidades e,

Leia mais

Sistemas Compactos de Tratamento de Esgotos Sanitários para Pequenos Municípios

Sistemas Compactos de Tratamento de Esgotos Sanitários para Pequenos Municípios Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Alto Rio Jacuí - COAJU III Seminário Estadual sobre os Usos Múltiplos da Água Erechim, 30 de julho de 2010 Sistemas Compactos de Tratamento de Esgotos Sanitários

Leia mais

Larissa Milaré Larissa Terumi Mariana Santos Vivian Tazima

Larissa Milaré Larissa Terumi Mariana Santos Vivian Tazima Larissa Milaré Larissa Terumi Mariana Santos Vivian Tazima Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Por poluição entende-se a introdução pelo homem, direta ou indiretamente, de substâncias ou energia

Leia mais

ENGENHARIA AGRÍCOLA E AMBIENTAL. COORDENADOR Antônio Teixeira de Matos atmatos@ufv.br

ENGENHARIA AGRÍCOLA E AMBIENTAL. COORDENADOR Antônio Teixeira de Matos atmatos@ufv.br ENGENHARIA AGRÍCOLA E AMBIENTAL COORDENADOR Antônio Teixeira de Matos atmatos@ufv.br 70 Currículos dos Cursos do CCA UFV Engenheiro Agrícola e Ambiental ATUAÇÃO Compete ao Engenheiro Agrícola e Ambiental

Leia mais

Tabela de Cursos de Mestrado e Doutorado no Brasil

Tabela de Cursos de Mestrado e Doutorado no Brasil Tabela de Cursos de Mestrado e Doutorado no Brasil Universidade 1 Universidade Federal de UFRR Norte Agronomia http://www.posagro.ufrr.br/ 0 Roraima Desenvolvimento Regional da Amazônia http://www.necar.ufrr.br/index.php?

Leia mais

GESTÃO DE RESÍDUOS EM UMA AGROINDÚSTRIA CANAVIEIRA NO VALE DO SÃO FRANCISCO: O REAPROVEITAMENTO DO BAGAÇO DA CANA DE AÇÚCAR.

GESTÃO DE RESÍDUOS EM UMA AGROINDÚSTRIA CANAVIEIRA NO VALE DO SÃO FRANCISCO: O REAPROVEITAMENTO DO BAGAÇO DA CANA DE AÇÚCAR. GESTÃO DE RESÍDUOS EM UMA AGROINDÚSTRIA CANAVIEIRA NO VALE DO SÃO FRANCISCO: O REAPROVEITAMENTO DO BAGAÇO DA CANA DE AÇÚCAR. Roberta Daniela da Silva Santos Universidade Federal do Vale do São Francisco,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE RIBEIRÃO PRETO.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE RIBEIRÃO PRETO. UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE RIBEIRÃO PRETO. COMUNICADO Encontram-se abertas no Serviço de Pós-Graduação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão

Leia mais

BIOTECNOLOGIA SUSTENTÁVEL: POSSIBILIDADES DE UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS DA PRODUÇÃO DE AÇÚCAR E ÁLCOOL PARA A PRODUÇÃO DE BIODIESEL ATRAVÉS DE MICROALGAS.

BIOTECNOLOGIA SUSTENTÁVEL: POSSIBILIDADES DE UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS DA PRODUÇÃO DE AÇÚCAR E ÁLCOOL PARA A PRODUÇÃO DE BIODIESEL ATRAVÉS DE MICROALGAS. BIOTECNOLOGIA SUSTENTÁVEL: POSSIBILIDADES DE UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS DA PRODUÇÃO DE AÇÚCAR E ÁLCOOL PARA A PRODUÇÃO DE BIODIESEL ATRAVÉS DE MICROALGAS. Dágon Manoel Ribeiro¹, Hânia Cardamoni Godoy 3, Gustavo

Leia mais

Central de Recursos Microbianos da UNESP CRM-UNESP

Central de Recursos Microbianos da UNESP CRM-UNESP Rede CRB-Br Petrópolis, 17/09/13 Central de Recursos Microbianos da UNESP CRM-UNESP Profa. Dra. Lara Durães Sette Gerente Executiva CRM-UNESP Histórico A CRM- UNESP está alocado no Instituto de Biociências

Leia mais

Objectivos gerais do ciclo de estudos:

Objectivos gerais do ciclo de estudos: Informações Gerais e Oferta Formativa de Cursos Avançados 1º Edição (2015-2019) Programa de Doutoramento em Ciências Biológicas Aplicadas à Saúde PhD program in Biological Sciences Applied to Health Objectivos

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CST EM GESTÃO AMBIENTAL Nome da disciplina Semestre básica Introdução à Gestão Ambiental 1 o Industrialização; demografia e impactos ambientais; poluição: ar-águasolo; tecnologias

Leia mais

Sistema Ambiental em Minas Gerais

Sistema Ambiental em Minas Gerais Sistema Ambiental em Minas Gerais José Cláudio Junqueira Ribeiro Belo Horizonte, março de 2011 Políticas Ambientais PROTEÇÃO DA BIODIVERSIDADE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS GESTÃO DE RESÍDUOS ENERGIA E MUDANÇAS

Leia mais

Plásticos Biodegradáveis e Compostáveis. Foto: Augusto Bartolomei

Plásticos Biodegradáveis e Compostáveis. Foto: Augusto Bartolomei Plásticos Biodegradáveis e Compostáveis 1 Foto: Augusto Bartolomei Conteúdo O que são plásticos biodegradáveis e compostáveis Certificação Aplicações Descarte aterro, reciclagem, compostagem Alinhamento

Leia mais

I. Dados Identificadores. II. Ementa. Conteúdo Programático

I. Dados Identificadores. II. Ementa. Conteúdo Programático I. Dados Identificadores Curso Disciplina Tecnologia em Processos Químicos Tecnologia e Gestão Ambiental Semestre 6º Carga Horária Semanal: 04 h/a Semestral: 80 horas II. Ementa A classificação dos resíduos

Leia mais

Pertinência da Ciência Precaucionária na identificação dos riscos associados aos produtos das novas tecnologias. Rubens Onofre Nodari 1

Pertinência da Ciência Precaucionária na identificação dos riscos associados aos produtos das novas tecnologias. Rubens Onofre Nodari 1 Pertinência da Ciência Precaucionária na identificação dos riscos associados aos produtos das novas tecnologias Rubens Onofre Nodari 1 O princípio da precaução foi formulado pelos gregos e significa ter

Leia mais

Plano de Ensino de Disciplina 2º Semestre de 2015

Plano de Ensino de Disciplina 2º Semestre de 2015 : Sigla: : Análise Instrumental Alimentos atendidas por este Plano Ensino: (marcar): A B Ementa: Importância da análise instrumental alimentos. Avaliação métodos analíticos. Controle qualida analítica.

Leia mais

Conteúdo Específico do curso de Gestão Ambiental

Conteúdo Específico do curso de Gestão Ambiental Conteúdo Específico do curso de Gestão Ambiental 1.CURSOS COM ÊNFASE EM : Gestão Ambiental de Empresas 2. CONCEPÇÃO DOS CURSOS: O Brasil possui a maior reserva ecológica do planeta sendo o número um em

Leia mais

DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5

DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5 DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR Unidade Curricular: Turismo, Hotelaria e Restauração Área Científica: Hotelaria CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5 CURSO: Licenciatura em Restauração e Catering Ano: 1º Semestre:

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR - 2012/1º semestre (Aprovada pela Resolução nº 01 CONSEPE, de 09/02/2012). 1º PERÍODO 2º PERÍODO

ESTRUTURA CURRICULAR - 2012/1º semestre (Aprovada pela Resolução nº 01 CONSEPE, de 09/02/2012). 1º PERÍODO 2º PERÍODO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI INSTITUTO DE CIÊNCIA, ENGENHARIA E TECNOLOGIA - TEÓFILO OTONI CURSO DE GRADUAÇÃO - ENGENHARIA CIVIL ESTRUTURA CURRICULAR

Leia mais

1. GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA

1. GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA 1. GRADE CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA 1 2. CARACTERÍSTICAS GERAIS DO CURSO DE ENGENHARIA BIOTECNOLÓGICA Para melhor entendimento desta proposta de reestruturação curricular apresentamos

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( x ) Pós-graduação ( ) Curso I. Dados Identificadores Disciplina Professor

Leia mais

Energia kj/mol kcal/mol

Energia kj/mol kcal/mol Cap. 1 A estrutura dos materiais 27 1.4 Estrutura dos Polímeros Já foi visto anteriormente, conforme ilustrado pela figura 1.15, que não existe uma ligação pura encontrada nos sólidos reais, inclusive

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR NÚCLEO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - NCT DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA. Carga Horária: 100 horas/aula

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR NÚCLEO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - NCT DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA. Carga Horária: 100 horas/aula FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA - UNIR NÚCLEO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - NCT DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA Código: CBIGEBA Créditos: 05 Período: 3 o (terceiro período) Disciplina: Genética Básica

Leia mais

EMENTA DA DISCIPLINA

EMENTA DA DISCIPLINA X Química Analítica QUI04-09501 Introdução ao Laboratório de Química 30 01 Analítica TEÓRICA LABORATÓRIO 02 30 TOTAL 02 30 11) CO-REQUISITO 12) CÓDIGO Ao final da disciplina o aluno deverá ser capaz de

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA PARA MONITORAMENTO DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES DESENVOLVIDOS POR MEIO DE TÉCNICAS DE NUCLEAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DOS TERMOS

Leia mais

Disciplinas. Dinâmica de Potássio no solo e sua utilização nas culturas

Disciplinas. Dinâmica de Potássio no solo e sua utilização nas culturas Disciplinas Solos nos domínios morfoclimáticos do cerrado Ementa: Solos em ambientes de Cerrado. Sistema Brasileiro de Classificação do Solo. Caracterização morfológica das principais classes de solo inseridas

Leia mais

Participação dos Setores Socioeconômicos nas Emissões Totais do Setor Energia

Participação dos Setores Socioeconômicos nas Emissões Totais do Setor Energia INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA DO ESTADO DE MINAS GERAIS ANO BASE 2005 O Governo do Estado, por meio da Fundação Estadual de Meio Ambiente FEAM, entidade da Secretaria Estadual de Meio

Leia mais

BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO O ENEM, Exame Nacional do Ensino Médio, em sua versão 2012, apresentará uma redação e 180 questões objetivas, divididas nas quatro áreas do conhecimento: - Ciências

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 ZOOTECNIA/UFG DISCIPLINA DE GPA Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 Introdução EVOLUÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL Passou por três grandes etapas: 1ª. Os problemas ambientais são localizados

Leia mais

Aplicações nas Áreas Agrícolas e Alimentos

Aplicações nas Áreas Agrícolas e Alimentos Aplicações nas Áreas Agrícolas e Alimentos Antonio Figueira Centro de Energia Nuclear na Agricultura CENA Universidade de São Paulo - USP Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA) Piracicaba, SP

Leia mais

Avaliação de Sustentabilidade em Instituições de Educação Superior: Perspectivas e Experiências Globais

Avaliação de Sustentabilidade em Instituições de Educação Superior: Perspectivas e Experiências Globais Avaliação de Sustentabilidade em Instituições de Educação Superior: Perspectivas e Experiências Globais Sustainability Assessment in Higher Education Institutions: Perspectives and Global Experiences Maicom

Leia mais

Programa dos cursos em Química

Programa dos cursos em Química Programa dos cursos em Química Primeiro ciclo Licenciatura em Química 1º ano /1º semestre QUADRO N.º 4 Química Geral I QUI S 162 T: 45; TP: 30 6 Matemática I MAT S 162 T: 45; TP: 30 6 Física Geral I FIS

Leia mais

UE EMBRAPA AGROENERGIA Bioquímica de Renováveis

UE EMBRAPA AGROENERGIA Bioquímica de Renováveis UE EMBRAPA AGROENERGIA Bioquímica de Renováveis A Embrapa Agroenergia Fundada em 2006; Missão Viabilizar soluções tecnológicas inovadoras para o desenvolvimento sustentável e equitativo do negócio da agroenergia

Leia mais

Sistema de Bibliotecas da Unopar Biblioteca Setorial Campus Londrina (Piza) Periódicos Específicos de Engenharia de Alimentos

Sistema de Bibliotecas da Unopar Biblioteca Setorial Campus Londrina (Piza) Periódicos Específicos de Engenharia de Alimentos Sistema de Bibliotecas da Unopar Biblioteca Setorial Campus Londrina (Piza) Periódicos Específicos de Engenharia de Alimentos Atualizado em 26/02/2007 Acta Scientiarum, Maringá,PR, 1998, 20(2), 1999, 21(2),

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Ambiente, Saúde e Segurança CURSO: Técnico em Meio Ambiente FORMA/GRAU:( )integrado ( x )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura (

Leia mais

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS

Curso Agenda 21. Resumo da Agenda 21. Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS Resumo da Agenda 21 CAPÍTULO 1 - Preâmbulo Seção I - DIMENSÕES SOCIAIS E ECONÔMICAS CAPÍTULO 2 - Cooperação internacional para acelerar o desenvolvimento sustentável dos países em desenvolvimento e políticas

Leia mais

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013 SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX Agosto 2013 ESTRATÉGIA EM SUSTENTABILIDADE Visão Uma estratégia de sustentabilidade eficiente deve estar alinhada com o core business da empresa

Leia mais

Professor: M.Sc. Jarbas Rodrigues dos Santos o.com.br PLANO DE CURSO. à Farmácia. O aluno que cursar essa componente deverá estar apto há:

Professor: M.Sc. Jarbas Rodrigues dos Santos o.com.br PLANO DE CURSO. à Farmácia. O aluno que cursar essa componente deverá estar apto há: CURSO DE FARMÁCIA Autorizado plea Portaria nº 991 de 01/12/08 DOU Nº 235 de 03/12/08 Seção 1. Pág. 35 Componente Curricular: Controle de Qualidade de Água Código: FAR 207 Pré-requisito: - Nenhum Período

Leia mais

ENGENHARIA DAS REAÇÕES QUÍMICAS

ENGENHARIA DAS REAÇÕES QUÍMICAS ENGENHARIA DAS REAÇÕES QUÍMICAS Apostila elaborado para o projeto PROMOPETRO Apoio Versão 1 2014 2 1- O QUE É ENGENHARIA DE REAÇÕES QUÍMICA (CRE)? Entender como reatores químicos funcionam é entender como

Leia mais

DA AGENDA CONSTRUÇÃO EMPRESA GOVERNO. Participação da sociedade ACADEMIA. Três Workshops. Consultores especializados

DA AGENDA CONSTRUÇÃO EMPRESA GOVERNO. Participação da sociedade ACADEMIA. Três Workshops. Consultores especializados Participação da sociedade CONSTRUÇÃO DA AGENDA Três Workshops Consultores especializados Colaboradores e revisores internos e externos Pesquisa de campo EMPRESA ACADEMIA GOVERNO AGENDA DE BIOECONOMIA:

Leia mais

GLOSSÁRIO: - MEIO URBANO; - UNIDADES DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL; - RISCOS AMBIENTAIS; - IMPACTO SIGNIFICATIVO.

GLOSSÁRIO: - MEIO URBANO; - UNIDADES DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL; - RISCOS AMBIENTAIS; - IMPACTO SIGNIFICATIVO. FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DISCIPLINA: NAI PROFESSORA: Drª CÁTIA FARIAS GLOSSÁRIO: - MEIO URBANO; - UNIDADES DE CONSERVAÇÃO AMBIENTAL; - RISCOS AMBIENTAIS; -

Leia mais

CURSO: GESTÃO AMBIENTAL

CURSO: GESTÃO AMBIENTAL CURSO: GESTÃO AMBIENTAL OBJETIVOS DO CURSO Objetivos Gerais O Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental tem por objetivo formar profissionais capazes de propor, planejar, gerenciar e executar ações

Leia mais

ANÁLISE ECONÔMICA DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO FLORESTAL. Luiz Carlos Estraviz Rodriguez ESA "Luiz de Queiroz" ESALQ/USP (luiz.estraviz@esalq.usp.

ANÁLISE ECONÔMICA DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO FLORESTAL. Luiz Carlos Estraviz Rodriguez ESA Luiz de Queiroz ESALQ/USP (luiz.estraviz@esalq.usp. ANÁLISE ECONÔMICA DE PROJETOS DE RECUPERAÇÃO FLORESTAL Luiz Carlos Estraviz Rodriguez ESA "Luiz de Queiroz" ESALQ/USP (luiz.estraviz@esalq.usp.br) 1 SUMÁRIO 1. Conceituando restauração 2. Recuperar. Por

Leia mais