AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL O QUE É AUTOMAÇÃO? O QUE É TELEMETRIA?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL O QUE É AUTOMAÇÃO? O QUE É TELEMETRIA?"

Transcrição

1 AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL O QUE É AUTOMAÇÃO? Desevolvemos soluções para automação idustrial em idustrias gerais, telecomado e telemetria para supervisão e cotrole remotos, com desevolvimeto e fabricação de equipametos, projetos, dimesioametos elétricos e eletrôicos e programação de sistemas. soluções as áreas de Te l e m e t r i a, A u t o m a ç ã o, I d u s t r i a, P r e d i a l, Saeameto, Agroidústria, Eergia, Seguraça Eletrôica e Eficiêcia Eergética. Desevolvemos soluções automáticas com CLP (cotrolador logico programável) itegrado a telemetria, com vasta liha de módulos e soluções avaçadas. Agregado a estas soluções, podemos oferecer sistemas supervisórios persoalizados. A liha de equipametos para Telecomado e Telemetria destaca-se pela excelete performace, ampla coectividade e elevada robustez, trazedo ovos coceitos de aplicação para vários segmetos idustrias, saeameto, eergia e agroidústria. Automação é a aplicação de técicas computadorizadas ou mecâicas para dimiuir o uso de mão-de-obra em qualquer processo, especialmete o uso de robôs as lihas de produção. A automação dimiui os custos e aumeta a velocidade da produção. O QUE É TELEMETRIA? Telemetria é uma tecologia de cotrole e trasmissão de dados que permite a medição e comuicação de iformações de iteresse do operador ou desevolvedor de sistemas a distacia, ou seja, remotamete e sem fios. Podemos automatizar e dispoibilizar supervisório remotos (GPRS ) ou locais sem fios (RF). Av. Marechal Floriao, Gr Cetro - Rio de Jaeiro Telefoes: (21) RAMAL 301 ou e mail: site:

2 ÁREAS DE APLICAÇÃO Atuamos as seguites áreas: AUTOMAÇÃO PREDIAL Nas fábricas, escritórios e residêcias, moitorado o uso de eergia de cada seção ou equipametos e os feômeos decorretes (como a temperatura) em um poto de cotrole por telemetria facilita a coordeação para o uso mais eficiete da eergia. O sistema de telemetria e automação que proporcioa muito mais traquilidade, ecoomia e seguraça para codomíios resideciais e comerciais. Uma solução iovadora que itegra um cotrolador lógico programável (CLP) de última geração, tecologia GPRS e uma iterface web de alto desempeho, resultado o melhor sistema de telemetria e automação predial do mercado. Podemos fazer um persoalizado para codomíios e admiistradoras, podedo itegrar cobraças mesais. Podemos itegrar a telemetria a sistemas iteligetes de seguraça eletrôica em idustrias, prédios ou residêcias. ENERGIA ELÉTRICA Cosumo de água, eletricidade ou gás. Algumas forecedoras de água, eergia elétrica ou gás, possuem cotadores eletrôicos que eviam a iformação do cosumo para uma cetral que gere toda a iformação recolhida, podedo assim ser efetuada a respectiva e correta faturação temporal (ormalmete mesal ou bimesal). Normalmete o cotador de água, eletricidade, ou gás, é eletrôico e trasmite através de um protocolo específico o cosumo medido usado certa frequêcia temporal, ou a pedido. Essa iformação eviada pelo cotador eletrôico é eviado para um cocetrador que reecamiha essa iformação para um servidor do forecedor do serviço, ormalmete através de redes de sistemas sem fios como GPRS. O forecedor do serviço pode assim efetuar uma faturação correta para o período temporal em causa ão sedo ecessária a leitura maual por parte de um técico em efetuar estimativas para obter valores para faturação. Desevolvimeto de sistemas de supervisão e cotrole para automação de usias hidrelétricas, as áreas de geração e distribuição de eergia. Desevolvimeto de sistema cosumo idividual em prédios e codomíios. Desevolvimeto de softwares aplicativos de CLP's e UTR's para o cotrole e supervisão de subestações de eergia elétrica. Automação, Moitoração de PCH's. Av. Marechal Floriao, Gr Cetro - Rio de Jaeiro Telefoes: (21) RAMAL 301 ou e mail: site:

3 A maioria das atividades relacioadas ao cultivo de alimetos, depedem das codições de solo e tempo. Sistema de irrigação iteligete Cotrole climático, humidade, vetos, reservas, etc. Automação de Fábricas de Ração Armazeameto e Recepção da Matéria-prima; Moagem dos produtos (idividual ou cojuta); Dosagem de Macros, micros, premix e líquidos; Pré-mistura e mistura fial dos produtos; Processameto da ração (Peletização); Expedição da ração (Esaque ou Carregameto o camihão); AGROINDÚSTRIA Automação de moihos: Armazeameto e estocagem; Moagem do trigo; Limpeza e separação do trigo; Expedição para silos estocagem da Fariha; Balaças de fluxo; Esacadeiras; Esacadeiras Sacos Valvulados; Sistema de Dosagem de fariha e igredietes. SISTEMAS DE MANUFATURA Projeto, desevolvimeto e comissioameto de sistemas, máquias e lihas de motagem com a utilização de Cotroladores Lógicos Programáveis (CLP's). Projeto e desevolvimeto de sistemas com automação peumática / eletropeumática. PROCESSOS INDUSTRIAIS Desevolvimeto de Estratégias de Cotrole Básico e Avaçado; Itegração de Hardware e Software Istalação, Motagem, Iterligação e Codicioameto de istrumetos e sistemas; Sitoia de Malhas de Cotrole Básicas e Avaçadas, Istrumetação covecioal e iteligete; Itegração, programação e cofiguração de redes Idustriais. Av. Marechal Floriao, Gr Cetro - Rio de Jaeiro Telefoes: (21) RAMAL 301 ou e mail: site:

4 SANEAMENTO Automação de Captação de Água Bruta e Elevatórias de Água tratada Sistemas via rádio com liceciameto; Sistemas via rádio livre de liceça; Sistemas via telefôica celular; Sistemas via cabo (liha física); Cotrole Acioameto bombas a distacia; Trasmissão de dados como correte, potecia, fator de potecia, horas de operação, vazão, pressão, ível etc; Cotrole de vazão através de iversores de frequêcia e válvulas proporcioais; Cotrole de período horossazoal; Sistema de escorva automatizado; Alarmes e Relatórios de Horas de Operação, íveis, vazões, etc. Progósticos de íveis reservação; Sistema de medição de vazão de baixo custo. Automação de estação de tratameto de água (ETA) Dosagem automatizada de produtos químicos; Cotrole automático de ph's; Cotrole automático coagulates; Cotrole automático de cloro residual; Lavagem de filtros automatizada; Moitoração de turbidez de água tratada e I- Natura "o-lie"; Itertravameto de turbidez, cloro, vazão, etc; Desevolvimeto de estratégias de cotrole avaçado, por exemplo, cotrole de ph's relacioado turbidez e vazão; Registro de vazões, íveis, pressão, ph, turbidez, etc; Sistemas de supervisão e cotrole via Iteret Automação de Elevatórias de Esgoto Acioametos em fução de íveis programáveis; Alarmes de extravasameto via celular e liha telefôica; Telemetria de íveis críticos de operação em poço de sucção; Revezameto de bombas automatizado; Alarmes e Relatórios de Horas de Operação, íveis, vazões, etc; Sistema de escorva automatizado. Automação de estação de tratameto esgoto (ETE) Cotrole automatizado de ph; Cotrole automatizado de Oxigêio dissolvido; Automação de Aeradores; Revezameto automatizado de bombas elevatórias de esgoto; Medição de vazão em calha parshall; Cocetração de dados em cetro de cotrole; Sistema via rede, rádio, fibra óptica, etc. Av. Marechal Floriao, Gr Cetro - Rio de Jaeiro Telefoes: (21) RAMAL 301 ou e mail: site:

5 TELEMETRIA E TELECOMANDO Soluções voltadas para sistemas de supervisão e cotrole de processos por telemetria, com a utilização de lihas telefôicas ou privativas, sistemas via rádio e através de telefoia celular. Soluções M2M (Machie-to-Machie, Mobile-to-Machie, Machieto-Mobile Commuicatios). Desevolvimeto de equipametos e sistemas para Telecomado e Telemetria: Rádio Modem; UTR's via rádio; UTR's via celular; Uidades de Moitorameto via celular e via rádio; Telecomados via rádio; Telecomados via celular. TRATORES E CAMINHÕES Cotrole de serviços prestados olie com moitorameto completo do veiculo e relkatorios de mao de obra LOGÍSTICA A telemetria é uma grade aliada dos trasportadores, pois as iformações relativas a codução do veículo são trasmitidas à base de moitorameto. Com isso é possível idetificar e corrigir hábitos dos motoristas, idetificar situações que podem expor o veículo, a carga e o próprio codutor a riscos e otimizar o desempeho de cada veículo. As pricipais iformações oferecidas pela telemetria são: odômetro (distâcia percorrida), velocidade em pista seca ou molhada, tempo de acioameto da embreagem (pé a embreagem), freadas bruscas, acelerações bruscas, tempo de uso do veículo parado, em marcha leta e em movimeto, rotações do motor, combustível, temperatura do motor, falha a pressão de óleo e uso do freio motor para veículos de carga. Através da Telemetria também é possível gerar relatórios de uso do veículo com idetificação do motorista, jorada de trabalho, tempo de codução a faixa de rotação ecoômica, etc. A quatidade de iformações depede do veículo (marca, ao, modelo, etc) em que será istalado o sistema. As iformações podem ser eviadas jutamete com a localização via sistema de rastreameto. Av. Marechal Floriao, Gr Cetro - Rio de Jaeiro Telefoes: (21) RAMAL 301 ou e mail: site:

6 CARACTERÍSTICAS FÍSICAS E RECURSOS São módulos de equipametos eletroeletrôicos que itegram sistemas trasceptores de dados. Têm tamahos reduzidos, robustez para suportar ambietes idustriais e características que se adequam a múltiplas aplicações se agregados a sistemas de softwares e compoetes exteros (ateas, supervisórios, etc). Respeitam as ormas idustriais de eletricidade de baixa tesão. Av. Marechal Floriao, Gr Cetro - Rio de Jaeiro Telefoes: (21) RAMAL 301 ou e mail: site:

7 VANTAGENS Pricipais vatages para ivestir em automação. 1. Cotiuidade operacioal, 2. Aumeta a seguraça o trabalho, 3. Redução de riscos ambietais, 4. Ampliação da produtividade e da qualidade 5. Melhoria da competitividade o mercado. 6. Proteção de equipametos de produção e maior durabilidade. 7. Cotrole geral dos estágios de um processo de produção. 8. Rastreabilidade total da operação, ocorrêcias e falhas do processo; 9. Relatórios de produção por turo, dia ou período selecioado; 10. Iterligação dos dados do sistema de automação com a rede corporativa, dispoibilizado assim as iformações para qualquer sistema de gereciameto; 11. Dimiuição de perdas ou refugos; 12. Seguraça, pois substitui o homem em atividades de risco; Av. Marechal Floriao, Gr Cetro - Rio de Jaeiro Telefoes: (21) RAMAL 301 ou e mail: site:

8 SERVIÇOS ENGENHARIA Desevolvimeto de Hardware e Software para as mais diversas aplicações; Dimesioameto, seleção e cofiguração de Sistemas de Cotrole de Processos; Cofiguração e programação de CLP's e sistemas redudates; Dimesioameto, cofiguração e istalação de Redes Idustriais; Cofiguração e programação de Sistemas Supervisórios (SCADA); Projeto, istalação, cofiguração e "Start-up" de sistemas de comuicação - via rádio ou liha privativa - utilizados em Telemetria; Especificação, dimesioameto, istalação e aferição de istrumetação de variáveis fudametais e aalíticas; Especificação, dimesioameto, istalação e aferição de atuadores de campo; Itegração do "Chão-de-Fábrica" aos Sistemas Corporativos; PAINÉIS E QUADROS DE COMANDO Projeto, motagem e testes de Paiéis empregado Cotroladores Programáveis, Telecomados e UTR's. TREINAMENTO E SUPORTE TÉCNICO Treiametos e cursos de Cotroladores Programáveis, sistemas de supervisão e cotrole, iversores de freqüêcia, soft-starter, istrumetação idustrial, redes idustriais e automação peumática. Treiametos para equipes de mauteção e operação; Av. Marechal Floriao, Gr Cetro - Rio de Jaeiro Telefoes: (21) RAMAL 301 ou e mail: site:

9 INVERSORES DE FREQUÊNCIA SIEMENS E WEG SIEMENS MICROMASTER Mesmo o mudo dos cotroladores, há variáveis que são difíceis de cotrolar. Até que o mais poderoso de ossos iversores de frequêcia etra em campo. O MICROMASTER 440 foi especialmete desevolvido para essas aplicações que requerem a mais ampla fucioalidade e uma maior resposta diâmica que os casos mais comus. O sofisticado sistema de cotrole vetorial garate uiformemete drive de alta qualidade, mesmo quado mudaças repetias de carga o motor ocorrem. Etradas de resposta rápida e rampas de desaceleração permitem o movimeto para posições desejadas mesmo sem o uso de um ecoder. Devido a um chopper de freagem itegrado, há o fucioameto com icrível precisão,mesmo durate a freagem e rampas mais icliadas. Tudo isso é possivel com uma faixa de potêcia de 0,12 kw (0,16 HP) ido até 250 kw (350 HP). Vatages para o Cliete IHM Iterface Homem-Máquia Paiéis de texto simplificam a operação e o suporte mesmo em líguas ãousuais Freagem e fucioameto diâmicos Variados tipos de cotroles e facilidades de freagem Comuicativo Variadas iterfaces de comuicação garatem usabilidade com as aplicações de rede mais usuais. Características Técicas Nossos coversores de freqüêcia são adequados para um úmero surpreedete de tarefas. Seu projeto compacto e sua capacidade de aplicação são qualidades de toda a família MICROMASTER 4. Mas essas ão são as úicas vatages dos ossos coversores. Há opções adicioais que podem ser utilizadas para melhorar a eficiêcia de eergia e a compatibilidade eletromagética (EMC), forecedo também alta flexibilidade a operação. Tesão e faixas de potêcia V, ± 10%, moofásico AC, 0.12 até 3 kw (0.16 até 4 HP) V, ± 10%, 0.12 até 45 kw (0.16 até 60 HP) V, ± 10%, 0.37 até 250 kw (0.5 até 350 HP) V, ± 10%, 0.75 até 90 kw (1.0 até 125 HP) Modos de cotrole cotrole vetorial de FCC (cotrole vetorial da correte de fluxo), característica multipoto, V/f parametrizável), característica V/f APLICAÇÕES Numerosas aplicações em diferetes áreas como: sistemas de maipulação de materiais, idústrias têxteis, elevadores, egeharia mecâica, idústrias de alimetos, lavaderias, pedreiras, cetros de usiagem, tabacos, ar codicioado, processos idustriais, pote rolate, compressor, bombas, dosagem, trasporte, toros, bobiadeiras e bebidas. Av. Marechal Floriao, Gr Cetro - Rio de Jaeiro Telefoes: (21) RAMAL 301 ou e mail: site:

Artículo técnico CVM-NET4+ Cumpre com a normativa de Eficiência Energética. Novo analisador de redes e consumo multicanal Situação actual

Artículo técnico CVM-NET4+ Cumpre com a normativa de Eficiência Energética. Novo analisador de redes e consumo multicanal Situação actual 1 Artículo técico Joatha Azañó Departameto de Gestão Eergética e Qualidade de Rede CVM-ET4+ Cumpre com a ormativa de Eficiêcia Eergética ovo aalisador de redes e cosumo multicaal Situação actual As ormativas

Leia mais

CFTV GRAVAÇÃO DE VIDEO DIGITAL E GESTÃO O QUE É CFTV DIGITAL? EXISTEM 2 TIPOS DE CFTV DIGITAL

CFTV GRAVAÇÃO DE VIDEO DIGITAL E GESTÃO O QUE É CFTV DIGITAL? EXISTEM 2 TIPOS DE CFTV DIGITAL CFTV GRAVAÇÃO DE VIDEO DIGITAL E GESTÃO O QUE É CFTV DIGITAL? O CFTV que a verdade sigifica "circuito fechado de televisão", ou "circuito itero de televisão" é um sistema de câmeras baseados em computador

Leia mais

LEICHTMETALL-GETRIEBE MIT GLATTMOTOREN 0,37 1,1 kw

LEICHTMETALL-GETRIEBE MIT GLATTMOTOREN 0,37 1,1 kw Itelliget Drivesystems, Worldwide Services Services LEICHTMETALL-GETRIEBE MIT GLATTMOTOREN 0,37 1,1 kw BR PT REDUTORES E MOTORES EM ALUMÍNIO AS VANTAGENS DE REDUTORES DE LIGA LEVE Carcaça resistete à corrosão,

Leia mais

REDUTORES DE LIGA LEVE COM MOTORES LISOS 0.37 1,1 kw

REDUTORES DE LIGA LEVE COM MOTORES LISOS 0.37 1,1 kw Itelliget Drivesystems, Worldwide Services Services REDUTORES DE LIGA LEVE COM MOTORES LISOS 0.37 1,1 kw BR PT REDUTORES E MOTORES DE ALUMÍNIO AS VANTAGENS DE REDUTORES DE LIGA LEVE Carcaça resistete à

Leia mais

LAYOUT CONSIDERAÇÕES GERAIS DEFINIÇÃO. Fabrício Quadros Borges*

LAYOUT CONSIDERAÇÕES GERAIS DEFINIÇÃO. Fabrício Quadros Borges* LAYOUT Fabrício Quadros Borges* RESUMO: O texto a seguir fala sobre os layouts que uma empresa pode usar para sua arrumação e por coseguite ajudar em solucioar problemas de produção, posicioameto de máquias,

Leia mais

nanotecnologia na nossa vida e na soldagem de revestimento E mais: Economia de Energia Automação Aplicativos Android Aplicações Industriais

nanotecnologia na nossa vida e na soldagem de revestimento E mais: Economia de Energia Automação Aplicativos Android Aplicações Industriais ovacao revista iformativa trimestral da Eutectic Castoli º 1-213 aotecologia a ossa vida e a soldagem de revestimeto E mais: Ecoomia de Eergia Automação Aplicativos Adroid Aplicações Idustriais editorial

Leia mais

O USO DA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO NA REDUÇÃO DO CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA EM UM SISTE-

O USO DA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO NA REDUÇÃO DO CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA EM UM SISTE- O USO DA ENGENHARIA DE AUTOMAÇÃO NA REDUÇÃO DO CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA EM UM SISTE- MA DE IRRIGAÇÃO POR PIVÔ CENTRAL PAULO HENRIQUE C. PEREIRA 1, ALBERTO COLOMBO 2, GIOVANNI FRANCISCO RABELO 2. 1.

Leia mais

MAN TeleMatics. O caminho para uma frota eficiente.

MAN TeleMatics. O caminho para uma frota eficiente. Dowloadig % 99 SYSTEM Dowloadig % 71 % 25 Dowloadig % 25 % 16 % 88 START % 29 % 06 Dowloadig % 34 Dowloadig % 23 % 16 % 48 % 65 Dowloadig % 75 Dowloadig % 23 MAN TeleMatics. O camiho para uma frota eficiete.

Leia mais

C O M P O S I T I O N No-break. S é r i e P r e m i u m. No-Break. para Rack CM COMANDOS LINEARES CM COMANDOS LINEARES

C O M P O S I T I O N No-break. S é r i e P r e m i u m. No-Break. para Rack CM COMANDOS LINEARES CM COMANDOS LINEARES C O P O S I T I O N No-break S é r i e P r e m i u m No-Break para Rack C E Iovação, qualidade, tecologia e cofiabilidade. arcas das soluções C Comados Lieares A E P R E S A Com mais de 30 aos de atuação,

Leia mais

CFTV GRAVAÇÃO DE VIDEO DIGITAL E GESTÃO O QUE É CFTV DIGITAL? EXISTEM 2 TIPOS DE CFTV DIGITAL

CFTV GRAVAÇÃO DE VIDEO DIGITAL E GESTÃO O QUE É CFTV DIGITAL? EXISTEM 2 TIPOS DE CFTV DIGITAL O Lie com a ecessidade de sua empresa CFTV GRAVAÇÃO DE VIDEO DIGITAL E GESTÃO O QUE É CFTV DIGITAL? O CFTV que a verdade sigifica "circuito fechado de televisão", ou "circuito itero de televisão" é um sistema

Leia mais

O QUE NOS UNE NO TRANSPORTE É A SEGURANÇA

O QUE NOS UNE NO TRANSPORTE É A SEGURANÇA O QUE NOS UNE NO TRANSPORTE É A SEGURANÇA A SEGURANÇA FAZ PARTE DA ESSÊNCIA DA VOLVO Ao lado da qualidade e do respeito ao meio ambiete, a seguraça é um dos valores corporativos que orteiam todas as ações

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DA OPERAÇÃO DE TORRES DE RESFRIAMENTO

OTIMIZAÇÃO DA OPERAÇÃO DE TORRES DE RESFRIAMENTO OTIMIZAÇÃO DA OPERAÇÃO DE TORRES DE RESFRIAMENTO Kelle Roberta de Souza (1) Egeheira Química pela UNIMEP, Especialista em Gestão Ambietal pela UFSCar, Mestre em Egeharia e Tecologia Ambietal pela Uiversidad

Leia mais

VARIAÇÃO DE VELOCIDADE DE MOTORES ELÉCTRICOS

VARIAÇÃO DE VELOCIDADE DE MOTORES ELÉCTRICOS VARIAÇÃO DE VELOCIDADE DE OTORES ELÉCTRICOS ACCIONAENTOS A VELOCIDADE VARIÁVEL Rede Coversor de potecia otor Carga Dispositivo de cotrolo Parâmetros O coversor estático trasforma a eergia eléctrica de

Leia mais

Sistemas de Visualização Estéreo. Uma superior qualidade de imagem para aplicação em todos os tipos de inspeção. Inclui NOVA opção

Sistemas de Visualização Estéreo. Uma superior qualidade de imagem para aplicação em todos os tipos de inspeção. Inclui NOVA opção Iclui NOVA opção de captura de imagem Sistemas de Visualização Estéreo Uma superior qualidade de imagem para aplicação em todos os tipos de ispeção. Tecologia ótica pateteada para visualização livre de

Leia mais

PIM da Janela Única Logística Vertente funcional

PIM da Janela Única Logística Vertente funcional Workshop Stakeholders Lisboa PIM da Jaela Úica Logística Vertete fucioal Coceito e Pricípios de Fucioameto Bruo Cima Lisboa, 9 de Maio de 0 Ageda. A compoete BB do projecto MIELE. Equadrameto da compoete

Leia mais

Rev. 01 ARAMES TUBULARES. Produtividade, eficiência e alta qualidade Linha completa de ligas para união, reconstrução e revestimento

Rev. 01 ARAMES TUBULARES. Produtividade, eficiência e alta qualidade Linha completa de ligas para união, reconstrução e revestimento Rev. 01 ARAMES TUBULARES Produtividade, eficiêcia e alta qualidade Liha completa de ligas para uião, recostrução e revestimeto Alta taxa de deposição Elevado redimeto 2 2 2 2 Facilidade de aplicação Redução

Leia mais

Sistemas de medição por vídeo para medição e inspeção precisas

Sistemas de medição por vídeo para medição e inspeção precisas S W IFT-DUO SWIFT Sistemas de medição por vídeo para medição e ispeção precisas S W IFT-DUO Sistemas de medição por vídeo 2 eixos, ideais para medir recursos em 2D de peças pequeas e itricadas Variação

Leia mais

www.partnervision.com.br

www.partnervision.com.br www.partervisio.com.br SERVIÇOS E SUPORTE PROCESSOS E INICIATIVAS PRODUTOS DE SOFTWARE SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA Software para o Desevolvimeto de Coteúdo e Processos Para Otimizar o Desevolvimeto de Produtos

Leia mais

Soluções em Engenharia Civil

Soluções em Engenharia Civil ENGECRAM K Soluções em Egeharia Civil 35 aos A ENGECRAM INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL LTDA foi costituída em 13 de dezembro de 1977, resultado de um ideal de prestar serviços a área de egeharia civil.

Leia mais

Um arquivo digital para dados de monitorização

Um arquivo digital para dados de monitorização Um arquivo digital para dados de moitorização Fábio Costa, Gabriel David, Álvaro Cuha ViBest e INESC TEC, Faculdade de Egeharia Uiversidade do Porto {fabiopcosta, gtd, acuha}@fe.up.pt 1 Uidade de ivestigação

Leia mais

ESPECIALISTA EM EVENTOS E CONVENÇÕES

ESPECIALISTA EM EVENTOS E CONVENÇÕES ESPECIALISTA EM EVENTOS E CONVENÇÕES Bem-vido ao Almeat, um espaço ode tudo foi projetado especialmete para realizar desde pequeas reuiões e evetos até grades coveções, com coforto, praticidade e eficiêcia,

Leia mais

Inspeção e medição em Full HD Excelente sistema de inspeção de vídeo digital, projetado para captura de imagens, documentação e medição fáceis

Inspeção e medição em Full HD Excelente sistema de inspeção de vídeo digital, projetado para captura de imagens, documentação e medição fáceis Ispeção e medição em Full HD Excelete sistema de ispeção de vídeo digital, projetado para captura de images, documetação e medição fáceis Realize ispeções, ampliações e medições em Full HD com o Makrolite

Leia mais

Modelo Matemático para Estudo da Viabilidade Econômica da Implantação de Sistemas Eólicos em Propriedades Rurais

Modelo Matemático para Estudo da Viabilidade Econômica da Implantação de Sistemas Eólicos em Propriedades Rurais Modelo Matemático para Estudo da Viabilidade Ecoômica da Implatação de Sistemas Eólicos em Propriedades Rurais Josiae Costa Durigo Uiversidade Regioal do Noroeste do Estado do Rio Grade do Sul - Departameto

Leia mais

GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS E A SEGURANÇA DO ALIMENTO: UMA PESQUISA EXPLORATÓRIA NA CADEIA EXPORTADORA DE CARNE SUÍNA

GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS E A SEGURANÇA DO ALIMENTO: UMA PESQUISA EXPLORATÓRIA NA CADEIA EXPORTADORA DE CARNE SUÍNA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS E A SEGURANÇA DO ALIMENTO: UMA PESQUISA EXPLORATÓRIA NA CADEIA EXPORTADORA DE CARNE SUÍNA Edso Talamii CEPAN, Uiversidade Federal do Rio Grade do Sul, Av. João Pessoa, 3,

Leia mais

SOLUTION. No-Break. Série Premium. No-Break. Digital Signal Processor

SOLUTION. No-Break. Série Premium. No-Break. Digital Signal Processor SOLUTION No-Break Série Premium No-Break Digital Sigal Processor C E Iovação, qualidade, tecologia e cofiabilidade. arcas das soluções C Comados Lieares A E P R E S A Com mais de 27 aos de atuação, a C

Leia mais

RECon Line. Conversores para Energias Renováveis

RECon Line. Conversores para Energias Renováveis RECo Lie Coversores para Eergias Reováveis Com ivestimetos cotíuos o sector da ivestigação e do desevolvimeto, a FRIEM FRIEM é líder as ovas tecologias aplicadas a coversores de alta potêcia a díodos,

Leia mais

INTEGRAÇÃO DAS CADEIAS DE SUPRIMENTOS DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL COM BASE NA SELEÇÃO DE FORNECEDORES

INTEGRAÇÃO DAS CADEIAS DE SUPRIMENTOS DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL COM BASE NA SELEÇÃO DE FORNECEDORES INTEGRAÇÃO DAS CADEIAS DE SUPRIMENTOS DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO CIVIL COM BASE NA SELEÇÃO DE FORNECEDORES Margaret Souza Schmidt Jobim (); Helvio Jobim Filho (); Valdeci Maciel (3) () Uiversidade Federal

Leia mais

Modelagem e Aplicação do Programa ATP para Estudos de Paralelismo nas Redes de Distribuição Atendidas por Subestações de Diferentes Fontes

Modelagem e Aplicação do Programa ATP para Estudos de Paralelismo nas Redes de Distribuição Atendidas por Subestações de Diferentes Fontes a 5 de Agosto de 006 Belo Horizote - MG Modelagem e Aplicação do Programa ATP para Estudos de Paralelismo as Redes de Distribuição Atedidas por Subestações de Diferetes Fotes M.Sc. Daiel P. Berardo AES

Leia mais

UM MODELO DE PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO CONSIDERANDO FAMÍLIAS DE ITENS E MÚLTIPLOS RECURSOS UTILIZANDO UMA ADAPTAÇÃO DO MODELO DE TRANSPORTE

UM MODELO DE PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO CONSIDERANDO FAMÍLIAS DE ITENS E MÚLTIPLOS RECURSOS UTILIZANDO UMA ADAPTAÇÃO DO MODELO DE TRANSPORTE UM MODELO DE PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO CONSIDERANDO FAMÍLIAS DE ITENS E MÚLTIPLOS RECURSOS UTILIZANDO UMA ADAPTAÇÃO DO MODELO DE TRANSPORTE Debora Jaesch Programa de Pós-Graduação em Egeharia de Produção

Leia mais

- 6,5% de consumo de combustível

- 6,5% de consumo de combustível - 6,5% de cosumo de combustível MAN EfficietLie 2. Meos combustível e mais gahos. Campeões da eficiêcia: MAN EfficietLie 2 Ídice O EfficietLie 2 com Euro 6 é melhor para o ambiete e utiliza meos combustível

Leia mais

Instrumento de medição de vídeo

Instrumento de medição de vídeo Istrumeto de medição de vídeo para medições precisas com 3 eixos 50 aos de experiêcia óptica comprovada reuidos em um efetivo istrumeto de medição de vídeo sem cotato e com 3 eixos Eficiete e ituitivo

Leia mais

Sistemas de controle para processos de bateladas

Sistemas de controle para processos de bateladas Sistemas de controle para processos de bateladas Por Alan Liberalesso* Há algum tempo os processos de batelada deixaram de ser um mistério nas indústrias e no ambiente de automação. O cenário atual nos

Leia mais

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK. José Ignácio Jaeger Neto jaeger@via-rs.net Fernanda Schmidt Bocoli fernanda-bocoli@procergs.rs.gov.

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK. José Ignácio Jaeger Neto jaeger@via-rs.net Fernanda Schmidt Bocoli fernanda-bocoli@procergs.rs.gov. Gerêcia de Projetos de Software CMM & PMBOK José Igácio Jaeger Neto jaeger@via-rs.et Ferada Schmidt Bocoli ferada-bocoli@procergs.rs.gov.br CMM Capability Maturity Model http://www.sei.cmu.edu/ Prefácio

Leia mais

Pesquisa Operacional

Pesquisa Operacional Faculdade de Egeharia - Campus de Guaratiguetá esquisa Operacioal Livro: Itrodução à esquisa Operacioal Capítulo 6 Teoria de Filas Ferado Maris fmaris@feg.uesp.br Departameto de rodução umário Itrodução

Leia mais

Eficiência no transporte de longo curso. O MAN TGX.

Eficiência no transporte de longo curso. O MAN TGX. Eficiêcia o trasporte de logo curso. O MAN TGX. INTERESSADO NA DINÂMICA. Algum do equipameto apresetado esta brochura ão é forecido de série. A EFICIÊNCIA É FASCINANTE. O percurso mais belo do mudo estede-se

Leia mais

Sistema Computacional para Medidas de Posição - FATEST

Sistema Computacional para Medidas de Posição - FATEST Sistema Computacioal para Medidas de Posição - FATEST Deise Deolido Silva, Mauricio Duarte, Reata Ueo Sales, Guilherme Maia da Silva Faculdade de Tecologia de Garça FATEC deisedeolido@hotmail.com, maur.duarte@gmail.com,

Leia mais

Detecção de Perdas com WaterGEMS usando AG - Case de Sucesso

Detecção de Perdas com WaterGEMS usando AG - Case de Sucesso Detecção de Perdas com WaterGEMS usado AG - Case de Sucesso Ego. Jua Carlos Gutiérrez, M.Sc. Regioal Egieer - Water ad Wastewater Solutios Jua.Gutierrez@Betley.com Problema Mudial: cotrole e redução de

Leia mais

Sistema de de Gerenciamento, Automação e Economia de Água PROJETO 3T (SCADA + GIS + MODELAGEM) "UM MUNDO NOVO EM SUAS MÃOS"

Sistema de de Gerenciamento, Automação e Economia de Água PROJETO 3T (SCADA + GIS + MODELAGEM) UM MUNDO NOVO EM SUAS MÃOS Sistema de de Gerenciamento, Automação e Economia de de Água ABINEE TEC - Minas Gerais 2006 PROJETO 3T (SCADA + GIS + MODELAGEM) "UM MUNDO NOVO EM SUAS MÃOS" COPASA DIRETORIA METROPOLITANA AGOSTO / 2006

Leia mais

Suporte e Consultoria. KuboIC. Suporte Avançado

Suporte e Consultoria. KuboIC. Suporte Avançado Suporte e Cosultoria A KuboIT é uma empresa de serviços que atua o mercado acioal e iteracioal de seguraça da iformação. A KuboIT foi formada com base as ecessidades das pequeas, médias e grades empresas

Leia mais

Do ponto de vista técnico, o balanço é positivo

Do ponto de vista técnico, o balanço é positivo por ZÉLIA PINHEIRO Do poto de vista técico, o balaço é positivo A rede urbaa de frio e calor do Parque das Nações já tem oze aos e João Castaheira, director-geral da Climaespaço, faz o balaço. Garate que

Leia mais

BASES DE DADOS I LTSI/2. Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011

BASES DE DADOS I LTSI/2. Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011 BASES DE DADOS I LTSI/2 Uiversidade da Beira Iterior, Departameto de Iformática Hugo Pedro Proeça, 200/20 Modelo Coceptual Modelo Coceptual de uma Base de Dados Esquematização dos dados ecessários para

Leia mais

SIMULAÇÃO DO SISTEMA DE ENERGIA DE UM VEÍCULO

SIMULAÇÃO DO SISTEMA DE ENERGIA DE UM VEÍCULO SMULAÇÃO DO SSTEMA DE ENEGA DE UM VEÍULO Luiz Gustavo Gusmão Soeiro Fiat Automóveis luiz.soeiro@fiat.com.br ESUMO O trabalho tem como objetivo viabilizar uma simulação computacioal para se determiar o

Leia mais

Ficha Técnica. TÍTULO Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Desempenho Económico e Financeiro do Segmento de Manutenção de Aeronaves [2011-2013]

Ficha Técnica. TÍTULO Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Desempenho Económico e Financeiro do Segmento de Manutenção de Aeronaves [2011-2013] Ficha Técica TÍTULO Istituto Nacioal de Aviação Civil, I.P. Desempeho Ecoómico e Fiaceiro do Segmeto de Mauteção de Aeroaves [2011-2013] EDIÇÃO INAC Istituto Nacioal de Aviação Civil, I.P. Rua B Edifícios

Leia mais

Anexo VI Técnicas Básicas de Simulação do livro Apoio à Decisão em Manutenção na Gestão de Activos Físicos

Anexo VI Técnicas Básicas de Simulação do livro Apoio à Decisão em Manutenção na Gestão de Activos Físicos Aexo VI Técicas Básicas de Simulação do livro Apoio à Decisão em Mauteção a Gestão de Activos Físicos LIDEL, 1 Rui Assis rassis@rassis.com http://www.rassis.com ANEXO VI Técicas Básicas de Simulação Simular

Leia mais

Motores Energia Automação Tintas. Motores Motores Elétricos

Motores Energia Automação Tintas. Motores Motores Elétricos Motores Eergia Automação Titas Motores Motores Elétricos O motor elétrico torou-se um dos mais otórios ivetos do homem ao logo de seu desevolvimeto tecológico. Máquia de costrução simples, custo reduzido,

Leia mais

PRODUTOS E SERVIÇOS. Configuração e programação de sistemas servocontrolados (CNC). Produtos Controladores Programáveis (CLP);

PRODUTOS E SERVIÇOS. Configuração e programação de sistemas servocontrolados (CNC). Produtos Controladores Programáveis (CLP); EMPRESA A ATRIA é uma empresa integradora de sistemas de Automação abrangendo os mais diversos segmentos de mercado. Contamos com a excelência técnica e a experiência de mais de 15 anos de nossa equipe

Leia mais

MODELO MATEMÁTICO PARA ANALISAR O DESEMPENHO DOS MOTORES ELÉTRICOS EM MÁQUINAS DE PROCESSAMENTO DE ARROZ

MODELO MATEMÁTICO PARA ANALISAR O DESEMPENHO DOS MOTORES ELÉTRICOS EM MÁQUINAS DE PROCESSAMENTO DE ARROZ MODELO MATEMÁTO ARA ANALAR O DEEMENHO DO MOTORE ELÉTRO EM MÁQUNA DE ROEAMENTO DE ARROZ LUZ G.. ORTO, RENATO. REE Departameto de Egeharia Elétrica, Faculdade de Egeharia de Bauru Uiversidade Estadual aulista

Leia mais

SOLUÇÕES INDUSTRIAIS

SOLUÇÕES INDUSTRIAIS Soluções em Tecnologia de Automação e Informação SOLUÇÕES INDUSTRIAIS LOGANN Soluções Especiais ESPECIALIDADES AUTOMAÇÃO E CONTROLE INDUSTRIAL Atuação em sistemas de controle, aquisição de dados e supervisão

Leia mais

CAPÍTULO 8 - Noções de técnicas de amostragem

CAPÍTULO 8 - Noções de técnicas de amostragem INF 6 Estatística I JIRibeiro Júior CAPÍTULO 8 - Noções de técicas de amostragem Itrodução A Estatística costitui-se uma excelete ferrameta quado existem problemas de variabilidade a produção É uma ciêcia

Leia mais

SÃO LEOPOLDO - RS SEMINÁRIO TÉCNICO DE AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO

SÃO LEOPOLDO - RS SEMINÁRIO TÉCNICO DE AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO 01 DEZEMBRO 2005 SÃO LEOPOLDO - RS SEMINÁRIO TÉCNICO DE AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO AUTOMAÇÃO PARA SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO SCAI Automação Ltda. INSTRUMENTAÇÃO NÍVEL PRESSÃO VAZÃO GRANDEZAS

Leia mais

QUESTÃO 40 QUESTÃO 41 PROVA DE BIOLOGIA I

QUESTÃO 40 QUESTÃO 41 PROVA DE BIOLOGIA I 0 PROVA DE BIOLOGIA I QUESTÃO 40 O sedetarismo é um comportameto que, associado a fatores geéticos e dietas hipercalóricas, pode cotribuir para que um idivíduo se tore obeso ou se mateha com sobrepeso.

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E INSTALAÇÃO

MANUAL DE OPERAÇÃO E INSTALAÇÃO A Empresa A Cozil produz equipametos para cozihas profissioais desde 1985. São aproximadamete três décadas de dedicação, seriedade e profissioalismo, ode costatemete vem iovado, aperfeiçoado e produzido

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores A Iteret Parte II Prof. Thiago Dutra Ageda Visão Geral O que é a Iteret? Orgaização da Iteret Estrutura da Iteret Bordas da Rede Núcleo da Rede Redes de

Leia mais

PROTÓTIPO DE MODELO DE DIMENSIONAMENTO DE ESTOQUE

PROTÓTIPO DE MODELO DE DIMENSIONAMENTO DE ESTOQUE ROTÓTIO DE MODELO DE DIMENSIONAMENTO DE ESTOQUE Marcel Muk E/COE/UFRJ - Cetro de Tecologia, sala F-18, Ilha Uiversitária Rio de Jaeiro, RJ - 21945-97 - Telefax: (21) 59-4144 Roberto Citra Martis, D. Sc.

Leia mais

Plano de Aula. Teste de Turing. Definição. Máquinas Inteligentes. Definição. Inteligência Computacional: Definições e Aplicações

Plano de Aula. Teste de Turing. Definição. Máquinas Inteligentes. Definição. Inteligência Computacional: Definições e Aplicações Potifícia Uiversidade Católica do Paraá Curso de Especialização em Iteligêcia Computacioal 2004/2005 Plao de Aula Iteligêcia Computacioal: Defiições e Aplicações Luiz Eduardo S. Oliveira, Ph.D. soares@ppgia.pucpr.br

Leia mais

MAK 3003 Sampling Stand Alone

MAK 3003 Sampling Stand Alone MAK 3003 Samplig Stad Aloe Service maual SA 121108 BARTEC BENKE GmbH Schulstraße 30 D-94239 Gotteszell Telefoe +49(0)9929)-301-0 Fax +49(0)9929)-301-112 E-mail: gotteszell@bartec-beke.de Iteret: www.bartec-beke.de

Leia mais

4 Teoria da Localização 4.1 Introdução à Localização

4 Teoria da Localização 4.1 Introdução à Localização 4 Teoria da Localização 4.1 Itrodução à Localização A localização de equipametos públicos pertece a uma relevate liha da pesquisa operacioal. O objetivo dos problemas de localização cosiste em determiar

Leia mais

LOCALIZAÇÃO ÓTIMA DE TRANSFORMADORES E OTIMIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM PROPRIEDADES RURAIS

LOCALIZAÇÃO ÓTIMA DE TRANSFORMADORES E OTIMIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM PROPRIEDADES RURAIS LOCALIZAÇÃO ÓTIMA E TRANSFORMAORES E OTIMIZAÇÃO E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM PROPRIEAES RURAIS *ROGÉRIO SILVA A CUNHA (BSC) - JOSÉ ROBERTO CAMACHO (PH) SEBASTIÃO CAMARGO GUIMARÃES JR. (R.) *UNIVERSIAE FEERAL

Leia mais

CLEBER V. R. ALMEIDA *, AMAURI OLIVEIRA, JÉS J. F. CERQUEIRA, ANTONIO C. C. LIMA

CLEBER V. R. ALMEIDA *, AMAURI OLIVEIRA, JÉS J. F. CERQUEIRA, ANTONIO C. C. LIMA EQUIPAMENTO PARA ESTIMAÇÃO DO TORQUE EM MOTORES DE INDUÇÃO TRIFÁSICOS PELO MÉTODO DO ESCORREGAMENTO AUXILIADO PELA ANÁLISE ESPECTRAL DO SINAL DE CORRENTE DO ESTATOR - DESENVOLVIMENTO E IMPLEMENTAÇÃO CLEBER

Leia mais

Manual do Usuário PR-100USB

Manual do Usuário PR-100USB Maual do Usuário PR-100USB Versão: 2.2 1 Ídice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. COMPOSIÇÃO BÁSICA DO EQUIPAMENTO... 4 2.1 OPCIONAIS MEDIANTE SOLICITAÇÃO ESPECÍFICA DA NAXOS... 4 3. ORIENTAÇÃO PARA INSTALAÇÃO... 4

Leia mais

LIVRETO. Armazenamento de Amostra, Manuseio e Gestão. Um armazenamento de amostra completo e rastreável para o seu laboratório

LIVRETO. Armazenamento de Amostra, Manuseio e Gestão. Um armazenamento de amostra completo e rastreável para o seu laboratório Um armazeameto de amostra completo e rastreável para o seu laboratório LIVRETO Armazeameto de Amostra, Mauseio e Gestão PRODUÇÃO NA HOLANDA E NOS ESTADOS UNIDOS MOLDE POR INJEÇÃO E MONTAGEM EM SALA LIMPA

Leia mais

Educar na cibercultura: docência e aprendizagem no presencial e no online EDU/UERJ

Educar na cibercultura: docência e aprendizagem no presencial e no online EDU/UERJ Educar a cibercultura: docêcia e apredizagem o presecial e o olie Clique para Marco Silvaeditar o estilo do EDU/UERJ subtítulo mestre Poto de partida Revista Teias Dossiê CIBERCULTURA, EDUCAÇÃO ONLINE

Leia mais

1.4- Técnicas de Amostragem

1.4- Técnicas de Amostragem 1.4- Técicas de Amostragem É a parte da Teoria Estatística que defie os procedimetos para os plaejametos amostrais e as técicas de estimação utilizadas. As técicas de amostragem, tal como o plaejameto

Leia mais

SIME Sistema de Incentivos à Modernização Empresarial

SIME Sistema de Incentivos à Modernização Empresarial SIME Sistema de Icetivos à Moderização Empresarial O presete documeto pretede fazer um resumo da Portaria.º 687/2000 de 31 de Agosto com as alterações itroduzidas pela Portaria.º 865-A/2002 de 22 de Julho,

Leia mais

Consultoria e Tecnologia em Automação

Consultoria e Tecnologia em Automação ARTH ENGENHARIA - Consultoria em Engenharia, Controle e Tecnologia de Automação. Empresa Com a filosofia de associar inovação e experiência em seus projetos, a ARTH engenharia sempre contou com uma equipe

Leia mais

Catálog de Produtos. 2009: Volume 2. Catálogo de Produtos. Soluções de Medição e Teste de Vídeo

Catálog de Produtos. 2009: Volume 2. Catálogo de Produtos. Soluções de Medição e Teste de Vídeo Catálog de Produtos 2009: Volume 2 Catálogo de Produtos Soluções de edição e Teste de Vídeo Possibilitado iovações o Novo udo Digital empresas voltadas à criação e distribuição de coteúdo, assim como projetistas

Leia mais

5 Proposta de Melhoria para o Sistema de Medição de Desempenho Atual

5 Proposta de Melhoria para o Sistema de Medição de Desempenho Atual 49 5 Proposta de Melhoria para o Sistema de Medição de Desempeho Atual O presete capítulo tem por objetivo elaborar uma proposta de melhoria para o atual sistema de medição de desempeho utilizado pela

Leia mais

A durabilidade e a confiabilidade da Rubbermaid são incomparáveis. Feitos Para Durar

A durabilidade e a confiabilidade da Rubbermaid são incomparáveis. Feitos Para Durar A durabilidade e a cofiabilidade da Rubbermaid são icomparáveis. Feitos Para Durar Duráveis. Cofiáveis. Apresetado um ovo padrão de excelêcia em gereciameto de resíduos e trasporte de materiais. Desde

Leia mais

VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE UMA USINA DE RECICLAGEM DA CONSTRUÇÃO CIVIL NA CIDADE DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS/SP

VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE UMA USINA DE RECICLAGEM DA CONSTRUÇÃO CIVIL NA CIDADE DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS/SP VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE UMA USINA DE RECICLAGEM DA CONSTRUÇÃO CIVIL NA CIDADE DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS/SP Beedito Camilo Corrêa 1, Deivis Cursio 2, Prof. Gilbert Silva 3 1-2-3 UNIVAP/FEAU, Av. Shishima

Leia mais

Esta Norma estabelece o procedimento para calibração de medidas materializadas de volume, de construção metálica, pelo método gravimétrico.

Esta Norma estabelece o procedimento para calibração de medidas materializadas de volume, de construção metálica, pelo método gravimétrico. CALIBRAÇÃO DE MEDIDAS MATERIALIZADAS DE VOLUME PELO MÉTODO GRAVIMÉTRICO NORMA N o 045 APROVADA EM AGO/03 N o 01/06 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Resposabilidade 4 Documetos Complemetes 5 Siglas

Leia mais

Tópicos em Otimização. Otimização Linear - Aplicações

Tópicos em Otimização. Otimização Linear - Aplicações Tópicos em Otimização Otimização Liear - Aplicações Problemas tratados por otimização liear Problema da Mistura: Combiar materiais obtidos a atureza (ou restos de outros á combiados) para gerar ovos materiais

Leia mais

METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO ECONÔMICA DA APLICAÇÃO DE CHILLERS POR ABSORÇÃO EM PLANTAS REAIS.

METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO ECONÔMICA DA APLICAÇÃO DE CHILLERS POR ABSORÇÃO EM PLANTAS REAIS. 16º POSMEC Uiversidade Federal de Uberlâdia Faculdade de Egeharia Mecâica METODOLOGIA PARA AVALIAÇÃO ECONÔMICA DA APLICAÇÃO DE CHILLERS POR ABSORÇÃO EM PLANTAS REAIS. Gustavo Soares de Almeida Uiversidade

Leia mais

Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos do Estado do Ceará Regionalização

Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos do Estado do Ceará Regionalização Gestão Itegrada dos Resíduos Sólidos do Estado do Ceará Regioalização Ceará 2011 Apoio Istitucioal Covêio SRHU/MMA/ º 003/2008 - Projeto Regioalização da Gestão Itegrada de Resíduos Sólidos do Estado do

Leia mais

Eletrodinâmica III. Geradores, Receptores Ideais e Medidores Elétricos. Aula 6

Eletrodinâmica III. Geradores, Receptores Ideais e Medidores Elétricos. Aula 6 Aula 6 Eletrodiâmica III Geradores, Receptores Ideais e Medidores Elétricos setido arbitrário. A ddp obtida deve ser IGUAL a ZERO, pois os potos de partida e chegada são os mesmos!!! Gerador Ideal Todo

Leia mais

Modelo Matemático para Estudo da Viabilidade Econômica da Implantação de Biodigestores em Propriedades Rurais

Modelo Matemático para Estudo da Viabilidade Econômica da Implantação de Biodigestores em Propriedades Rurais Aais do CNMAC v.2 ISSN 1984-820X Modelo Matemático para Estudo da Viabilidade Ecoômica da Implatação de Biodigestores em Propriedades Rurais Eliaa Walker Depto de Física, Estatística e Matemática, DEFEM,

Leia mais

LogWeb. Logística Supply Chain Transporte Multimodal Comércio Exterior. Armazenagem. Embalagem. Informe publicitário

LogWeb. Logística Supply Chain Transporte Multimodal Comércio Exterior. Armazenagem. Embalagem. Informe publicitário J O R N A L Logística Supply Chai Trasporte Multimodal Comércio Exterior Movimetação Armazeagem Automação Embalagem E D I Ç Ã O N º 6 6 A G O S T O 2 0 0 7 R E F E R Ê N C I A E M L O G Í S T I C A Iforme

Leia mais

CIRCUITOS SEQUÊNCIAIS

CIRCUITOS SEQUÊNCIAIS Coelh ho, J.P. @ Sistem mas Digita ais : Y20 07/08 CIRCUITOS SEQUÊNCIAIS O que é um circuito it sequêcial? Difereça etre circuito combiatório e sequecial... O elemeto básico e fudametal da lógica sequecial

Leia mais

Anais do XX Congresso Brasileiro de Automática Belo Horizonte, MG, 20 a 24 de Setembro de 2014

Anais do XX Congresso Brasileiro de Automática Belo Horizonte, MG, 20 a 24 de Setembro de 2014 Belo Horizote, MG, 20 a 24 de Setembro de 204 BANCADA DIDÁTICA DE CARGAS MECÂNICAS APLICADA EM MIT ACIONADO POR INVERSOR DE FREQUÊNCIA FELIPPE DOS S. E SILVA *, VANDEIR P. MARINS *, CÁSSIO A. DE OLIVEIRA

Leia mais

SOLUÇÃO EM ISOLAMENTO TÉRMICO

SOLUÇÃO EM ISOLAMENTO TÉRMICO XPS - POLIESTIRENO EXTRUDADO SOLUÇÃO EM ISOLAMENTO TÉRMICO RESISTÊNCIA TÉRMICA ECONOMIA DE ENERGIA DURABILIDADE RESISTÊNCIA MECÂNICA SUSTENTABILIDADE SPUMAPAC INOVAÇÃO SEMPRE Fudada em 1970, a Spumapac

Leia mais

Métodos PCR em Tempo Real Testes Alimentares. Mais Rápido, Mais Fácil, Melhor

Métodos PCR em Tempo Real Testes Alimentares. Mais Rápido, Mais Fácil, Melhor Métodos PCR em Tempo Real Testes Alimetares Mais Rápido, Mais Fácil, Melhor O sistema iq-check tira o máximo partido do PCR em tempo real para forecer uma solução mais rápida e fiável os testes alimetares

Leia mais

PARABÉNS! ASSISTÊNCIA TÉCNICA DADOS DA EMPRESA. Assistência Técnica Autorizada Cozil MANUAL DE OPERAÇÃO E INSTALAÇÃO

PARABÉNS! ASSISTÊNCIA TÉCNICA DADOS DA EMPRESA. Assistência Técnica Autorizada Cozil MANUAL DE OPERAÇÃO E INSTALAÇÃO A Empresa A Cozil produz equipametos para cozihas profissioais desde 1985. São aproximadamete três décadas de dedicação, seriedade e profissioalismo, ode costatemete vem iovado, aperfeiçoado e produzido

Leia mais

CUSTOS AMBIENTAIS E RESPONSABILIDADE SOCIAL NA BIOSSEGURANÇA

CUSTOS AMBIENTAIS E RESPONSABILIDADE SOCIAL NA BIOSSEGURANÇA CUSTOS AMBIENTAIS E RESPONSABILIDADE SOCIAL NA BIOSSEGURANÇA MARIANO YOSHITAKE Adelmo Ferado Ribeiro Schidler Júior Adriao Moitiho Pito Iracema Raimuda Brito das Neves Aselmo Teixeira Motes Resumo: O objetivo

Leia mais

Modelando o Tempo de Execução de Tarefas em Projetos: uma Aplicação das Curvas de Aprendizagem

Modelando o Tempo de Execução de Tarefas em Projetos: uma Aplicação das Curvas de Aprendizagem 1 Modelado o Tempo de Execução de Tarefas em Projetos: uma Aplicação das Curvas de Apredizagem RESUMO Este documeto aborda a modelagem do tempo de execução de tarefas em projetos, ode a tomada de decisão

Leia mais

PIMS Process Information Management System

PIMS Process Information Management System INTRODUÇÃO O setor industrial vem sofrendo constantes pressões para alcançar a excelência operacional, objetivando garantir sua competitividade. Algumas das principais pressões observadas são: redução

Leia mais

elo Motores CAT trazem benefícios aos barcos de pesca da Ecomar

elo Motores CAT trazem benefícios aos barcos de pesca da Ecomar elo º 55 ao 11 julho/agosto/setembro 2010 uma revista do grupo sotreq www.revistaelo.com.br egefort atua em obras de grade porte em todo o país mia da samarco completa 5 mil dias sem acidetes primeira

Leia mais

Tipo SF4B - F 111. Altura de proteção

Tipo SF4B - F 111. Altura de proteção CORTINAS DE LUZ CORTINAS DE LUZ Modelos para proteção de dedos, mãos e braços. Altura de proteção desde 0 mm até 90 mm. Distâcia de operação até 9 m. Modelo - Cortia de Luz Tipo F - proteção para os dedos

Leia mais

RESISTORES E RESISTÊNCIAS

RESISTORES E RESISTÊNCIAS ELETICIDADE CAPÍTULO ESISTOES E ESISTÊNCIAS No Capítulo estudamos, detre outras coisas, o coceito de resistêcia elétrica. Vimos que tal costitui a capacidade de um corpo qualquer se opôr a passagem de

Leia mais

Soluções em Saneamento

Soluções em Saneamento Soluções em Saneamento Automação com resultados A Lite Automação desenvolve projetos que envolvem desde pequenos controles e monitoramentos à solução completa para a sua operação. Soluções elaboradas em

Leia mais

Wi-Fi Mais Inteligente para Celulares Infraestrutura da Operadora

Wi-Fi Mais Inteligente para Celulares Infraestrutura da Operadora Wi-Fi Mais Iteligete para Celulares Ifraestrutura da Operadora White Paper da Ruckus Wireless Resumo Executivo Com o bem auciado tsuami o tráfego de dados que atigiu as ifraestruturas móveis em todo o

Leia mais

APOSTILA MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA AVALIAÇÃO DE PROJETOS

APOSTILA MATEMÁTICA FINANCEIRA PARA AVALIAÇÃO DE PROJETOS Miistério do Plaejameto, Orçameto e GestãoSecretaria de Plaejameto e Ivestimetos Estratégicos AJUSTE COMPLEMENTAR ENTRE O BRASIL E CEPAL/ILPES POLÍTICAS PARA GESTÃO DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS CURSO DE AVALIAÇÃO

Leia mais

O que são sistemas supervisórios?

O que são sistemas supervisórios? O que são sistemas supervisórios? Ana Paula Gonçalves da Silva, Marcelo Salvador ana-paula@elipse.com.br, marcelo@elipse.com.br RT 025.04 Criado: 10/09/2004 Atualizado: 20/12/2005 Palavras-chave: sistemas

Leia mais

Área de Consultoria. Mais de 100 filiais e 800 profissionais na Europa e América. www.infosn.com 214 143 334. Edição Portuguesa

Área de Consultoria. Mais de 100 filiais e 800 profissionais na Europa e América. www.infosn.com 214 143 334. Edição Portuguesa Mais de 100 filiais e 800 profissioais a Europa e América www.ifos.com 214 143 334 Catálogo de Servicios Cosultoría Edição Portuguesa Catálogo de Serviços Área de Cosultoria Edição Portuguesa Catálogo

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE ARQUITETURA INTEGRADA EM PROJETOS DE AUTOMAÇÃO

IMPLEMENTAÇÃO DE ARQUITETURA INTEGRADA EM PROJETOS DE AUTOMAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO DE ARQUITETURA INTEGRADA EM PROJETOS DE AUTOMAÇÃO Luis Henrique Gaspar* Saulo Renan de Sousa e Silva** RESUMO Apresenta as vantagens do uso de Arquitetura Integrada nos processos fabris de

Leia mais

SISTEMA DE MEDIÇÃO DE DESEMPENHO

SISTEMA DE MEDIÇÃO DE DESEMPENHO CAPÍTULO 08 SISTEMA DE MEDIÇÃO DE DESEMPENHO Simplificação Admiistrativa Plaejameto da Simplificação Pré-requisitos da Simplificação Admiistrativa Elaboração do Plao de Trabalho Mapeameto do Processo Mapeameto

Leia mais

PLATAFORMAS AÉREAS DE TRABALHO Vários tipos para diversas aplicações

PLATAFORMAS AÉREAS DE TRABALHO Vários tipos para diversas aplicações J O R N A L Logística Supply Chai Trasporte Multimodal Comércio Exterior Movimetação Armazeagem Automação Embalagem E D I Ç Ã O N º 6 5 J U L H O 2 0 0 7 R E F E R Ê N C I A E M L O G Í S T I C A Traspo-Sul

Leia mais

Linha. Booster. Soluções em Bombeamento

Linha. Booster. Soluções em Bombeamento Linha Booster Booster ESTAÇÃO PRESSURIZADORA TIPO BOOSTER MOVÉL As Estações Pressurizadoras IMBIL do tipo Booster Móvel são utilizadas nos segmentos de Saneamento, Empresas Estaduais, Municipais, SAAEs,

Leia mais

MANUAL DE RECOMENDAÇÕES GERAIS

MANUAL DE RECOMENDAÇÕES GERAIS A Empresa A Cozil produz equipametos para cozihas profissioais desde 1985. São aproximadamete três décadas de dedicação, seriedade e profissioalismo, ode costatemete vem iovado, aperfeiçoado e produzido

Leia mais

Universidade Federal do Maranhão Centro de Ciências Exatas e Tecnologia Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Física

Universidade Federal do Maranhão Centro de Ciências Exatas e Tecnologia Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Física Uiversidade Federal do Marahão Cetro de Ciêcias Exatas e Tecologia Coordeação do Programa de Pós-Graduação em Física Exame de Seleção para Igresso o 1º. Semestre de 2011 Disciplia: Mecâica Clássica 1.

Leia mais

INE 5111- ESTATÍSTICA APLICADA I - TURMA 05324 - GABARITO LISTA DE EXERCÍCIOS SOBRE AMOSTRAGEM E PLANEJAMENTO DA PESQUISA

INE 5111- ESTATÍSTICA APLICADA I - TURMA 05324 - GABARITO LISTA DE EXERCÍCIOS SOBRE AMOSTRAGEM E PLANEJAMENTO DA PESQUISA INE 5111- ESTATÍSTICA APLICADA I - TURMA 534 - GABARITO LISTA DE EXERCÍCIOS SOBRE AMOSTRAGEM E PLANEJAMENTO DA PESQUISA 1. Aalise as situações descritas abaixo e decida se a pesquisa deve ser feita por

Leia mais

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES

DIAGNÓSTICO E DEFINIÇÃO DE SOLUÇÕES Somos uma empresa brasileira, especializada em soluções de automação de máquinas e processos industriais, instalação, comissionamento e segurança de infraestrutura elétrica e de máquinas, microgeração

Leia mais