Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e Automação DAS 6607

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e Automação DAS 6607"

Transcrição

1 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 1/49 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e Automação DAS 6607 Guilherme Bittencourt Departamento de Automação e Sistemas Universidade Federal de Santa Catarina Florianópolis - SC - Brazil Internet: gb

2 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 2/49 Sumário Introdução Epistemologia Fundamentos

3 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 3/49 Introdução O que é ciência? Modelo F = m.a Predição

4 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 4/49 Introdução Objetos de Estudo e Modelos: Física/Química/Engenharia f F Mundo

5 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 5/49 Introdução Objetos de Estudo e Modelos: Psicologia

6 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 6/49 Introdução Objetos de Estudo e Modelos: Inteligência Artificial Mundo

7 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 7/49 Introdução Objetos de Estudo e Modelos: Inteligência Artificial Distribuída Mundo

8 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 8/49 Introdução Objetos de Estudo e Modelos: Modelos Distribuídos de Inteligência Mundo

9 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 9/49 Introdução O que é Inteligência Artificial? Conjunto de técnicas para resolver problemas complexos. Problemas sem solução Complexidade Problemas com solução Algorítmica

10 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 10/49 Introdução Conjunto de técnicas para resolver problemas complexos, isto é, problemas que, apesar de não ter solução algorítmica, são solucionados por seres humanos. Problemas sem solução Complexidade Problemas com solução Prática Problemas com solução Algorítmica

11 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 11/49 Introdução Objetivo central da IA: Criação de teorias e modelos para a capacidade cognitiva. Implementação de sistemas computacionais baseados nestes modelos. Modelos cognitivos Ferramentas Aplicações Mundo

12 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 12/49 Introdução Tipos de atividades desenvolvidas em IA: Desenvolvimento de modelos cognitivos. Implementação de aplicações. Contrução de ferramentas para exploração e experimentação de técnicas computacionais que permitam que os modelos desenvolvidos sejam utilizados em aplicações.

13 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 13/49 Epistemologia Livros introdutórios: Jostein Gaarder, Mundo de Sofia: Romance da História da Filosofia, Companhia Das Letras, Luc Ferry, Aprender a Viver, Editora Objetiva, K.R. Popper and J.C. Eccles. O eu e seu cérebro. Papirus, Campinas - SP, Editora Universidade de Brasília, Brasília - DF, 1991.

14 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 14/49 Epistemologia Epistemologia ou teoria do conhecimento (do grego [episteme], ciência, conhecimento; [logos], discurso) é um ramo da filosofia que trata dos problemas filosóficos relacionados à crença e ao conhecimento. A epistemologia estuda a origem, a estrutura, os métodos e a validade do conhecimento. Ela se relaciona ainda com a metafísica, a lógica e o empirismo, uma vez que avalia a consistência lógica da teoria e sua coesão fatual, sendo assim a principal dentre as vertentes da filosofia (é considerada a "corregedoria"da ciência).

15 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 15/49 Epistemologia Sua problematização compreende a questão da possibilidade do conhecimento: Será que o ser humano conseguirá algum dia atingir realmente o conhecimento total e genuíno, fazendo-nos oscilar entre uma resposta dogmática ou empirista? Quais os limites do conhecimento: Haverá realmente a distinção entre o mundo cognoscível e o mundo incognoscível? Qual origem do conhecimento? Por quais faculdades atingimos o conhecimento? Haverá conhecimento certo e seguro em alguma concepção a priori?

16 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 16/49 Epistemologia O conhecimento é um atributo da mente. O conhecimento se refere à realidade. Qual a natureza da mente e da realidade? A alma material Participation Mystique Homero, Shakespeare: sombra, fantasma, vapor, sopro. Heráclito: processos, fogo. A alma abstrata Pitágoras: alma como um número. Platão: formas, idéias. Ética: a mente como piloto do corpo. Aristóteles: enteléquias. Inspiração biológica.

17 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 17/49 Epistemologia O essencialismo Conjectura Percepção intuitiva da essência. Descartes: intuições e percepções representam seguros critérios de verdade. extensão é a essência da materialidade. a mente é inextensa e sua essência é pensante.

18 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 18/49 Epistemologia Discurso do método, René Descartes: INEXISTE NO MUNDO coisa mais bem distribuída que o bom senso, visto que cada indivíduo acredita ser tão bem provido dele que mesmo os mais difíceis de satisfazer em qualquer outro aspecto não costumam desejar possuí-lo mais do que já possuem. E é improvável que todos se enganem a esse respeito; mas isso é antes uma prova de que o poder de julgar de forma correta e discernir entre o verdadeiro e o falso, que é justamente o que é denominado bom senso ou razão, é igual em todos os homens; e, assim sendo, de que a diversidade de nossas opiniões não se origina do fato de serem alguns mais racionais que outros, mas apenas de dirigirmos nossos pensamentos por caminhos diferentes e não considerarmos as mesmas coisas. Pois é insuficiente ter o espírito bom, o mais importante é aplicá-lo bem. As maiores almas são capazes dos maiores vícios, como também das maiores virtudes, e os que só andam muito devagar podem avançar bem mais, se continuarem sempre pelo caminho reto, do que aqueles que correm e dele se afastam.

19 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 19/49 Epistemologia Inconsistência da teoria de Descartes: corpos extensos os espíritos animais receberem impulso de um inextenso a alma. Soluções: Ocasionalistas: paralelismo mediado por Deus (intervensão direta). Baruch Spinoza: Deus é a única substância, o pensamento e a extensão são apenas dois dos infinitos atributos de Deus. Gottfried Wilhelm von Leibniz: Deus, ao criar o mundo, pré-estabeleceu a harmonia (Mônadas). David Hume (monismo neutro): paralelismo epistemológico, não existe corpo ou mente, o que existe é um ordenamento físico e um ordenamento mental das mesmas coisas neutras, chamadas dados.

20 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 20/49 Epistemologia Fim do essencialismo: Isaac Newton: teoria baseada na atração gravitacional, e não em impulso ou repulsão. James Clerck Maxwell: As ondas eletromagnéticas não têm extensão. Albert Einstein: o tempo e o espaço não correspondem à intuição. Mecânica Quântica: princípio da incerteza de Heisenberg, a matéria só pode ser concebida em termos de ondas de probabilidade.

21 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 21/49 Epistemologia Fim do essencialismo: Nous devons [...] envisager l état présent de l univers comme l effet de son état antérieur et comme la cause de celui qui va suivre. Une intelligence qui pour un instant donné connaîtrait toutes les forces dont la nature est animée et la situation respective des êtres qui la composent, si d ailleurs elle était assez vaste pour soumettre ces données à l analyse, embrasserait dans la même formule les mouvements des plus grands corps de l univers et ceux du plus léger atome: rien ne serait incertain pour elle, et l avenir, comme le passé, serait présent à ses yeux. Pierre Simon Laplace (1825)

22 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 22/49 Epistemologia Karl Popper ( ): Assumir tacitamente a existência de estados físicos e estados mentais e sua interação e tentar ampliar o entendimento a respeito de como é possível a interação entre entidades tão distintas. mundos 1: o mundo físico, o universo das entidades físicas. mundo 2: o mundo dos estados mentais, estados de consciência e inconsciência. mundo 3: o mundo do conteúdo do pensamento e dos produtos da mente humana.

23 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 23/49 Epistemologia Karl Popper ( ): Problema corpo-mente, dois subproblemas: A interação entre o mundo externo (via sentidos) e os estados mentais. A interação entre estados mentais e os elementos do mundo 3. Utilizar o conhecimento sobre a interação entre o mundo 2 e mundo 3 para entender melhor a interação entre mundo 1 e mundo 2.

24 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 24/49 Epistemologia Autopoiesis: O ser humano existe em dois domínios que não se intersectam: o domínio da corporalidade e o domínio de nossas interações e relações enquanto seres humanos (Humberto Maturana). organização: define o sistema enquanto unidade composta, determinando a classe de sistemas à qual o sistema pertence, suas propriedades e o domínio no qual ele pode interagir. estrutura: determina o espaço no qual o sistema existe como unidade composta, e que pode ser perturbado através de interações de seus componentes, mas não determina suas propriedades enquanto unidade. Sistema determinado estruturalmente: pode mudar de estado, caso mude a sua estrutura mantendo a organização, ou desintegrar-se, quando a mudaça de estrutura leva a uma mudança de organização.

25 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 25/49 Epistemologia Autopoiesis: A linguagem se deve à existência de um domínio consensual, criando através do acoplamento estrutural de diversos organismos, cada um fazendo papel de meio ambiente para o outro. Este acoplamento estrutural é formado por coordenações de coordenações de ações e é construído através das interações do organismo com o meio e com outros organismos. A idéia de realidade objetiva não não faz sentido, pois toda descrição é sujeito-dependente e só tem significado quando é realizada em um domínio consensual.

26 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 26/49 Epistemologia C.S. Peirce semiótica: A teoria de Peirce tem profundas raízes matemáticas e pode ser vista como uma teoria geral da evolução dos sistemas cognitivos.

27 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 27/49 Epistemologia C.S. Peirce semiótica: Um signo S representa um objeto O para outro signo, o interpretante I. A relação triádica r(s, O, I) não é redutível: o signo peirceano é vago e geral em extensão e compreensão lógicas. Semiosis: atualização da série I, I 1, I 2,...,I n, onde, I: hábito ou lei mental, que pode determinar um interpretante I 1, etc. O resultado da semiosis é a diminuição da vagueza e o aumento da generalidade dos signos envolvidos, uma ação (as vezes) ou mudança de hábitos (sempre).

28 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 28/49 Epistemologia Ludwig Wittgenstein Tractatus Logico-Philosophicus:

29 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 29/49 Epistemologia Ludwig Wittgenstein Tractatus Logico-Philosophicus: (...) The whole sense of the book might be summed up the following words: what can be said at all can be said clearly, and what we cannot talk about we must pass over in silence. Thus the aim of the book is to draw a limit to thought, or rather not to thought, but to the expression of thoughts: for in order to be able to draw a limit to thought, we should have to find both sides of the limit thinkable (i.e. we should have to be able to think what cannot be thought). It will therefore only be in language that the limit can be drawn, and what lies on the other side of the limit will simply be nonsense. (...)

30 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 30/49 Epistemologia Ludwig Wittgenstein Tractatus Logico-Philosophicus (1922): 1 The world is everything that is the case. 1.1 The world is the totality of facts, not of things. 1.2 The world divides into facts. 2 What is the case, the fact, is the existence of atomic facts. 3 The logical picture of the facts is the thought. 3.4 The proposition determines a place in logical space: the existence of this logical place is guaranteed by the existence of the constituent parts alone, by the existence of the significant proposition The propositional sign and the logical co-ordinates: that is the logical place.

31 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 31/49 Epistemologia Ludwig Wittgenstein Tractatus Logico-Philosophicus: 4 The thought is the significant proposition The proposition shows its sense. The proposition shows how things stand, if it is true. And it says, that they do so stand. 4.1 A proposition presents the existence and non-existence of atomic facts. 4.2 The sense of a proposition is its agreement and disagreement with the possibilities of the existence and non-existence of the atomic facts The proposition shows what it says, the tautology and the contradiction that they say nothing. The tautology has no truth-conditions, for it is unconditionally true; and the contradiction is on no condition true. Tautology and contradiction are without sense. (Like the point from which two arrows go out in opposite directions.) (I know, e.g. nothing about the weather, when I know that it rains or does not rain.)

32 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 32/49 Epistemologia Ludwig Wittgenstein Tractatus Logico-Philosophicus: 5 Propositions are truth-functions of elementary propositions. (An elementary proposition is a truth-function of itself.) 6 The general form of truth-function is: [p, ξ, N(ξ)]. This is the general form of proposition. 7 Whereof one cannot speak, thereof one must be silent.

33 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 33/49 Epistemologia António Damásio (1944-): sem emoção não há razão... O Erro de Descartes - Emoção, Razão e Cérebro Humano (1996). O Mistério da Consciência (2000). Em Busca de Espinosa: Prazer e Dor na Ciência dos Sentimentos (2004).

34 Fundamentos Suposições que orientam e dividem as opiniões sobre como a inteligência pode ser capturada por um mecanismo artificial: a simulação da inteligência requer conhecimento declarativo e algum tipo de mecanismo de raciocínio; a inteligência pode ser estudada independentemente dos detalhes de percepção e controle motor; a evolução dos estados de conhecimento de um agente pode ser descrita em forma de linguagem (lógica ou natural); a inteligência pode ser estudada independentemente dos processos de aprendizagem, desenvolvimento psicológico e mudança evolutiva; existe uma arquitetura única na qual qualquer tipo de inteligência pode ser simulada. Programas de pesquisa em IA: combinações das suposições acima ou de suas negações. Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 34/49

35 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 35/49 Fundamentos Conhecimento e conceitualização Teorias em nível de conhecimento: especificação do conhecimento necessário a uma capacidade cognitiva, por exemplo: solução de problemas, uso de linguagem, tomada de decisões, percepção, elementos de controle motor.

36 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 36/49 Fundamentos Conhecimento e conceitualização Exemplo: o projeto CYC (www.cyc.com): Cycorp was founded in 1994 to research, develop, and commercialize Artificial Intelligence. Cycorp s vision is to create the world s first true artificial intelligence, having both common sense and the ability to reason with it. At the present time, the Cyc KB contains nearly two hundred thousand terms and several dozen hand-entered assertions about/involving each term. New assertions are continually added to the KB by human knowledge enterers.

37 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 37/49 Fundamentos Conhecimento e conceitualização A capacidade cognitiva pode ser dividida em duas partes: uma base de conhecimento declarativa e um motor de inferência, i.e., um mecanismo capaz de, a partir da descrição de uma situação e da base de conhecimento, gerar novos conhecimentos declarativos que serão, por sua vez, armazenados na base de conhecimento e, eventualmente, utilizados como instruções para ação.

38 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 38/49 Fundamentos Conhecimento e conceitualização Conceitualização: escolher uma estrutura matemática formada por objetos, funções e relações que descreva o estado das coisas no mundo. conceito: componente modular do conhecimento codificado em estruturas declarativas na memória do computador. entendimento de um conceito: de que maneira um conceito reflete a situação no mundo real? Como este conceito se relaciona com outros conceitos? Como isto influencia o comportamento do agente que possui o conceito? Mas, um programa reflexivo deve representar suas próprias representações, o que cria problemas de recursividade e auto-referência similares aos problemas encontrados no Paradoxo de Russel e no Teorema de Gödel.

39 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 39/49 Fundamentos Conhecimento e conceitualização Jerry A. Fodor: Mentalese, the language of thought. "... assume that psychological laws are typically implemented by computational processes. There must be an implementing mechanism for any law of a non-basic science, and the putative intentional generalisations of psychology are not exceptions... Computational processes are ones defined over syntactically structured objects; viewed in extension, computations are mappings from symbol to symbol; viewed in intension, they are mappings of symbols under syntactic description to symbols under syntactic description..." Since sciences all have laws governing their phenomenon, psychology and the workings of the brain are not an exception.

40 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 40/49 Fundamentos Cognitivo ou reativo Todo homem é mortal Sócrates é homem Logo, Sócrates é mortal

41 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 41/49 Fundamentos Percepção e controle motor Rodney A. Brooks (moboticistas): As capacidades dos sistemas inteligentes devem ser construídas incrementalmente. A cada passo deve resultar um sistema inteligente completo, capaz de atuar no mundo real através de percepção e ação. O mundo é um modelo melhor de si mesmo que qualquer representação.

42 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 42/49 Fundamentos Percepção e controle motor Suposições que levam a uma interpretação errônea da natureza das atividades cognitivas: a interface entre o sistema perceptivo e o mecanismo central da cognição pode ser descrita através de uma linguagem lógica; a atividade cognitiva é caracterizada pela atualização regular, através da percepção ou de inferência, de uma representação interna do estado do mundo; as seqüências de ações que permitem a um agente inteligente realizar tarefas são previamente planejadas através do exame das possibilidades e da escolha da melhor alternativa. A complexidade do mundo não permite que este tipo de mecanismo cognitivo seja executado em tempo real.

43 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 43/49 Fundamentos Percepção e controle motor Sistemas inteligentes sem representação: Hannibal Attila Seymour

44 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 44/49 Fundamentos Percepção e controle motor Arquitetura de subsunção: Arquitetura sem controle centralizado. Arquitetura "bottom-up"construída apenas com máquinas de estado finitas. Módulos devem ser agrupados em camadas de competências. Módulos nas camadas superiores podem controlar os das camadas inferiores: Supressão: entrada substituta para um módulo Inibição: desligar a saída de um módulo. Não existem representações internas do mundo. Arquitetura baseada em tarefas.

45 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 45/49 Fundamentos Percepção e controle motor Problema: a complexidade do mundo não permite que este tipo de mecanismo cognitivo seja executado em tempo real. Argumentos filosóficos contra a possibilidade de um mecanismo cognitivo totalmente abstrato: teorias axiomáticas que não levam em conta uma teoria da percepção e controle motor são excessivamente incompletas para servir de base para um modelo da cognição e conhecimento axiomático não é suficiente para capturar todo conhecimento que um agente pode ter sobre o mundo.

46 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 46/49 Fundamentos Percepção e controle motor Um planejador abstrato, incapaz de perceber o mundo ou agir sobre ele, mas informado sobre as propriedades do domínio, é capaz de fazer previsões e propor explicações? A única maneira de dar sentido à linguagem de um tal planejador seria adotar uma interpretação em teoria dos modelos do possível significado dos termos que compõem a linguagem. Mas a teoria de modelos é uma teoria que trata da validade e das conseqüências lógicas e nada tem a dizer sobre intencionalidade e significado.

47 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 47/49 Fundamentos Linguagem e cognição Enfoque lógico: raciocinar é passar de um estado cognitivo a outro. Estes estados são caracterizados por funções e relações, cujo significado foi especificado pelo projetista do sistema, e a passagem de um estado a outro é uma inferências válida na linguagem lógica. Problemas: a caracterização de um conceito através da linguagem natural pode tornar-se tão complexa a ponto de não ser mais racionalmente compreensível. os conceitos primários utilizados na caracterização não são compartilhados pelo usuário e pelo sistema. formas de processamento não seqüenciais (processamento paralelo, processamento distribuído, redes neurias) não têm uma descrição semântica em termos da teoria de modelos.

48 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 48/49 Fundamentos Aprendizado e cognição Enfoque lógico: a aprendizagem é uma função que recebe uma conceitualização e retorna uma outra mais madura e pode ser estudada separadamente da competência do sistema. Restrições: em uma rede neuronal não é possível descrever em uma linguagem lógica o estado de conhecimento do sistema e a aprendizagem inseparável da competência. as trajetórias de conhecimento, mesmo em sistemas simbólicos, são imprevisíveis. Uma reorganização da base de conhecimento pode ter um efeito não linear sobre a competência do sistema. sistemas com capacidade interna de automodificação requerem mecanismos para integrar novo conhecimento ao antigo (indexação do conhecimento).

49 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e AutomaçãoDAS 6607 p. 49/49 Fundamentos Arquiteturas Não existe consenso na comunidade de IA sobre a questão de qual arquitetura é a mais indicada para a simulação da inteligência, ou se esta arquitetura é única ou não. Projeto SOAR: toda cognição pode ser simulada em um único tipo de arquitetura e a interação e composição de um pequeno conjunto de mecanismos é capaz de servir de base para a implementação de qualquer tipo de atividade cognitiva. Minsky A sociedade da mente: a inteligência é o produto de inúmeros mecanismos computacionais especializados (agentes) Brooks: arquiteturas em diversos níveis onde cada nível é capaz de agir sobre os níveis inferiores eliminando ou redirecionando entradas e saídas. A questão da arquitetura ideal é aquela que menos pode ser esclarecida

Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e Automação DAS 6607

Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e Automação DAS 6607 Inteligência Artificial Aplicada a Sistemas de Controle e Automação DAS 6607 Guilherme Bittencourt Departamento de Automação e Sistemas Universidade Federal de Santa Catarina 88040-900 - Florianópolis

Leia mais

A MÁQUINA INTELIGENTE. O longo caminho do pensamento mecanizado Júlio Cesar da Silva - juliocesar@eloquium.com.br

A MÁQUINA INTELIGENTE. O longo caminho do pensamento mecanizado Júlio Cesar da Silva - juliocesar@eloquium.com.br A MÁQUINA INTELIGENTE O longo caminho do pensamento mecanizado Júlio Cesar da Silva - juliocesar@eloquium.com.br APRESENTAÇÃO Júlio Cesar da Silva Mestrando em Administração MBA em Gestão da Tecnologia

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial As organizações estão ampliando significativamente suas tentativas para auxiliar a inteligência e a produtividade de seus trabalhadores do conhecimento com ferramentas e técnicas

Leia mais

Perguntas e Concepções presentes sobre a natureza do Psicológico e da Psicologia. I Natureza Humana

Perguntas e Concepções presentes sobre a natureza do Psicológico e da Psicologia. I Natureza Humana Perguntas e Concepções presentes sobre a natureza do Psicológico e da Psicologia I Natureza Humana * Qual a natureza humana? Ou seja, qual é a ontologia humana? - Uma teoria da natureza humana busca especificar

Leia mais

Será que a minha mente está dentro da minha cabeça? (questões de filosofia da mente e Inteligência Artificial)

Será que a minha mente está dentro da minha cabeça? (questões de filosofia da mente e Inteligência Artificial) FACULDADE DE LETRAS UNIVERSIDADE DO PORTO Será que a minha mente está dentro da minha cabeça? (questões de filosofia da mente e Inteligência Artificial) Sofia Miguens Universidade do Porto - MLAG O que

Leia mais

IC Inteligência Computacional Redes Neurais. Redes Neurais

IC Inteligência Computacional Redes Neurais. Redes Neurais Universidade Federal do Rio de Janeiro PÓS-GRADUAÇÃO / 2008-2 IC Inteligência Computacional Redes Neurais www.labic.nce.ufrj.br Antonio G. Thomé thome@nce.ufrj.br Redes Neurais São modelos computacionais

Leia mais

CAPÍTULO 1. A FACULDADE DE PERCEBER, A PERCEPÇÃO E OS OBJETOS DA PERCEPÇÃO

CAPÍTULO 1. A FACULDADE DE PERCEBER, A PERCEPÇÃO E OS OBJETOS DA PERCEPÇÃO CAPÍTULO 1. A FACULDADE DE PERCEBER, A PERCEPÇÃO E OS OBJETOS DA PERCEPÇÃO Muito antigo e pouco alterado no longo transcurso que teve dentro da história da filosofia, o sentido do termo latino facultas

Leia mais

Redes Neurais. Profa. Flavia Cristina Bernardini

Redes Neurais. Profa. Flavia Cristina Bernardini Redes Neurais Profa. Flavia Cristina Bernardini Introdução Cérebro & Computador Modelos Cognitivos Diferentes Cérebro Computador Seqüência de Comandos Reconhecimento de Padrão Lento Rápido Rápido Lento

Leia mais

SISTEMAS INTELIGENTES DE APOIO À DECISÃO

SISTEMAS INTELIGENTES DE APOIO À DECISÃO SISTEMAS INTELIGENTES DE APOIO À DECISÃO As organizações estão ampliando significativamente suas tentativas para auxiliar a inteligência e a produtividade de seus trabalhadores do conhecimento com ferramentas

Leia mais

Gestão de TI. Aula 9 - Prof. Bruno Moreno 27/06/2011

Gestão de TI. Aula 9 - Prof. Bruno Moreno 27/06/2011 Gestão de TI Aula 9 - Prof. Bruno Moreno 27/06/2011 Aula passada... CRM BI - Introdução Sistemas Interorganizacionais 17:08 2 Aula de hoje... Gestão do Conhecimento 17:08 3 85% dos ativos de conhecimento

Leia mais

Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Inteligência Artificial

Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Inteligência Artificial Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Inteligência Artificial João Marques Salomão Rodrigo Varejão Andreão Inteligência Artificial Definição (Fonte: AAAI ): "the scientific understanding of the mechanisms

Leia mais

Módulo 6: Inteligência Artificial

Módulo 6: Inteligência Artificial Módulo 6: Inteligência Artificial Assuntos: 6.1. Aplicações da IA 6.2. Sistemas Especialistas 6.1. Aplicações da Inteligência Artificial As organizações estão ampliando significativamente suas tentativas

Leia mais

Guião M. Descrição das actividades

Guião M. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Inovação Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: O Mundo do trabalho Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO Guião M Intervenientes

Leia mais

Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais

Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais Esse documento é parte integrante do material fornecido pela WEB para a 2ª edição do livro Data Mining: Conceitos, técnicas, algoritmos, orientações

Leia mais

Assunto 9 : Tecnologias de Inteligência Artificial nos Negócios

Assunto 9 : Tecnologias de Inteligência Artificial nos Negócios Assunto 9 : Tecnologias de Inteligência Artificial nos Negócios Empresas e outras organizações estão ampliando significativamente suas tentativas para auxiliar a inteligência e a produtividade de seus

Leia mais

Os Sete Termos Sinônimos de Deus Satisfazem a Necessidade que o Mundo Tem de um Novo Sistema de Referência

Os Sete Termos Sinônimos de Deus Satisfazem a Necessidade que o Mundo Tem de um Novo Sistema de Referência Os Sete Termos Sinônimos de Deus Satisfazem a Necessidade que o Mundo Tem de um Novo Sistema de Referência Joel Jessen Traduzido para o Português do Brasil por Guita R. Herman a partir da versão inglesa

Leia mais

161 FILOSOFIA Prova escrita

161 FILOSOFIA Prova escrita 161 FILOSOFIA Prova escrita PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Duração: 120 min Ano: 2014 1ª fase - Junho 10º/11º anos Grupo I Selecione a alternativa correta: 1. Uma não ação é algo que A. Nos acontece.

Leia mais

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Portuguese Lesson A Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

Programação de Computadores

Programação de Computadores Programação de Computadores INTRODUÇÃO AOS ALGORITMOS E À PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES PARTE 1 Renato Dourado Maia Instituto de Ciências Agrárias Universidade Federal de Minas Gerais Programas e Programação

Leia mais

Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC

Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC Turma 1222 Unidade Curricular INTERFACE HOMEM-COMPUTADOR Professor CLÁUDIA SANTOS FERNANDES Aula 4 Abordagens Teóricas em IHC Introdução -Apesar de IHC ser uma área bastante prática, muitos métodos, modelos

Leia mais

Filosofia na Antiguidade Clássica Sócrates, Platão e Aristóteles. Profa. Ms. Luciana Codognoto

Filosofia na Antiguidade Clássica Sócrates, Platão e Aristóteles. Profa. Ms. Luciana Codognoto Filosofia na Antiguidade Clássica Sócrates, Platão e Aristóteles Profa. Ms. Luciana Codognoto Períodos da Filosofia Grega 1- Período pré-socrático: (VII e VI a.c): início do processo de desligamento entre

Leia mais

Projeto de Arquitetura

Projeto de Arquitetura Projeto de Arquitetura Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 11 Slide 1 Objetivos Apresentar projeto de arquitetura e discutir sua importância Explicar as decisões de projeto

Leia mais

GERENCIAMENTO DO CONHECIMENTO NA EMPRESA DIGITAL

GERENCIAMENTO DO CONHECIMENTO NA EMPRESA DIGITAL GERENCIAMENTO DO CONHECIMENTO NA EMPRESA DIGITAL 1 OBJETIVOS 1. Por que hoje as empresas necessitam de programas de gestão do conhecimento e sistemas para gestão do conhecimento? 2. Quais são as aplicações

Leia mais

Paradigmas da IA. Eixos centrais (das diferenças)

Paradigmas da IA. Eixos centrais (das diferenças) Paradigmas da IA Paradigmas da IA Simbólico: metáfora lingüística/lógica Sistemas de produção Conexionista: metáfora cérebro Redes neurais Evolucionista: metáfora teoria da evolução natural Algoritmos

Leia mais

sistemas de informação nas organizações

sistemas de informação nas organizações sistemas de nas organizações introdução introdução aos sistemas de objectivos de aprendizagem avaliar o papel dos sistemas de no ambiente empresarial actual definir um sistema de a partir de uma perspectiva

Leia mais

1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação

1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação 1 1ª. Apostila de Filosofia O que é Filosofia? Para que a Filosofia? A atitude filosófica. Apresentação O objetivo principal de Introdução Filosofia é despertar no aluno a percepção que a análise, reflexão

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 ARQUITETURA DE COMPUTADORES... 4 02 FILOSOFIA... 4 03 FUNDAMENTOS MATEMÁTICOS PARA COMPUTAÇÃO...

Leia mais

Representação de Conhecimento

Representação de Conhecimento Representação de Conhecimento Jomi Fred Hübner Departamento de Automação e Sistemas http://www.das.ufsc.br/~jomi/das6607 PPGEAS 2010/3 Conhecimento o que é? como representá-lo? como obtê-lo? para que serve?

Leia mais

LINGUAGENS E PARADIGMAS DE PROGRAMAÇÃO. Ciência da Computação IFSC Lages. Prof. Wilson Castello Branco Neto

LINGUAGENS E PARADIGMAS DE PROGRAMAÇÃO. Ciência da Computação IFSC Lages. Prof. Wilson Castello Branco Neto LINGUAGENS E PARADIGMAS DE PROGRAMAÇÃO Ciência da Computação IFSC Lages. Prof. Wilson Castello Branco Neto Conceitos de Linguagens de Roteiro: Apresentação do plano de ensino; Apresentação do plano de

Leia mais

PROF. DR. PAULO ROBERTO SCHROEDER DE SOUZA

PROF. DR. PAULO ROBERTO SCHROEDER DE SOUZA Inteligência Artificial CONCEITOS PROF. DR. PAULO ROBERTO SCHROEDER DE SOUZA O que é Inteligência Artificial O que é Inteligência Artificial? É a ciência e engenharia de projetar/construir máquinas inteligentes,

Leia mais

MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO

MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO CENTRO UNIVERSITÁRIO FIEO Osasco 2009 MARLI DA COSTA RAMOS

Leia mais

Searching for Employees Precisa-se de Empregados

Searching for Employees Precisa-se de Empregados ALIENS BAR 1 Searching for Employees Precisa-se de Empregados We need someone who can prepare drinks and cocktails for Aliens travelling from all the places in our Gallaxy. Necessitamos de alguém que possa

Leia mais

METODOLOGIA DA PESQUISA. Característica: Obrigatória. Créditos: 2 (30 h)

METODOLOGIA DA PESQUISA. Característica: Obrigatória. Créditos: 2 (30 h) METODOLOGIA DA PESQUISA Ementa: Pesquisa qualitativa e quantitativa. As técnicas de observação e o trabalho de campo: componentes do trabalho de campo: componentes do trabalho de campo. O método cientifico.

Leia mais

Marta Kohl de Oliveira Algumas Contribuições da Psicologia Cognitiva

Marta Kohl de Oliveira Algumas Contribuições da Psicologia Cognitiva Marta Kohl de Oliveira Algumas Contribuições da Psicologia Cognitiva A criança que chega à escola é um indivíduo que sabe coisas e que opera intelectualmente de acordo com os mecanismos de funcionamento

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software O que é a engenharia de software É um conjunto integrado de métodos e ferramentas utilizadas para especificar, projetar, implementar e manter um sistema. Método É uma prescrição

Leia mais

A PESQUISA E SUAS CLASSIFICAÇÕES

A PESQUISA E SUAS CLASSIFICAÇÕES 1/6 A PESQUISA E SUAS CLASSIFICAÇÕES Definir o que é pesquisa; mostrar as formas clássicas de classificação das pesquisas; identificar as etapas de um planejamento de pesquisa. INTRODUÇÃO O que é pesquisa?

Leia mais

Teoria Económica Clássica e Neoclássica

Teoria Económica Clássica e Neoclássica Teoria Económica Clássica e Neoclássica Nuno Martins Universidade dos Açores Jornadas de Estatística Regional 29 de Novembro, Angra do Heroísmo, Portugal Definição de ciência económica Teoria clássica:

Leia mais

Guião A. Descrição das actividades

Guião A. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Ponto de Encontro Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO

Leia mais

IA: Introdução. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

IA: Introdução. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br IA: Introdução Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário O que é Inteligência Artificial? IA forte e IA fraca Métodos fortes e Métodos fracos De Aristóteles a Babbage Alan Turing e

Leia mais

Programação de Computadores

Programação de Computadores Programação de Computadores INTRODUÇÃO AOS ALGORITMOS E À PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES PARTE 2 Renato Dourado Maia Instituto de Ciências Agrárias Universidade Federal de Minas Gerais Exemplo Inicial Uma

Leia mais

SEYMOUR PAPERT Vida e Obra

SEYMOUR PAPERT Vida e Obra SEYMOUR PAPERT Vida e Obra Eva Firme Joana Alves Núria Costa 1 de Março de 1928 -EUA Activista - movimento anti-apartheid 1954-1958 - Universidade de Cambridge (matemática). 1958-1963 - Centro de Epistemologia

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS UNIDADE ACADÊMICA GRADUAÇÃO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ROBERTO RAGUZE FLORES

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS UNIDADE ACADÊMICA GRADUAÇÃO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ROBERTO RAGUZE FLORES UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS UNIDADE ACADÊMICA GRADUAÇÃO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ROBERTO RAGUZE FLORES EXEMPLO DE MONOGRAFIA NO PADRÃO DA UNISINOS: VERSÃO L A TEX

Leia mais

Tecnologia da Informação. Visão Geral sobre Informática

Tecnologia da Informação. Visão Geral sobre Informática 9/18/2014 1 Tecnologia da Informação Visão Geral sobre Informática Trabalho compilado da internet Prof. Claudio Passos 9/18/2014 2 PROBLEMAS ADMINISTRATIVOS Volume de Informação Tempo de Resposta Aumento

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial CTC15 Aula 1 CTC15 Aula 1 1 Motivação e orientações gerais Sumário O que é e para que serve IA Breve história e estado da arte Divisões em IA Bibliografia e organização do curso

Leia mais

I OS GRANDES SISTEMAS METAFÍSICOS

I OS GRANDES SISTEMAS METAFÍSICOS I OS GRANDES SISTEMAS METAFÍSICOS A principal preocupação de Descartes, diante de uma tradição escolástica em que as espécies eram concebidas como entidades semimateriais, semi-espirituais, é separar com

Leia mais

Breve Histórico do Raciocínio Lógico

Breve Histórico do Raciocínio Lógico Breve Histórico do Raciocínio Lógico Enquanto muitas culturas tenham usado complicados sistemas de raciocínio, somente na China, Índia e Grécia os métodos de raciocínio tiveram um desenvolvimento sustentável.

Leia mais

John Locke (1632-1704) Colégio Anglo de Sete Lagoas - Professor: Ronaldo - (31) 2106-1750

John Locke (1632-1704) Colégio Anglo de Sete Lagoas - Professor: Ronaldo - (31) 2106-1750 John Locke (1632-1704) Biografia Estudou na Westminster School; Na Universidade de Oxford obteve o diploma de médico; Entre 1675 e 1679 esteve na França onde estudou Descartes (1596-1650); Na Holanda escreveu

Leia mais

Fundamentos Históricos e Filosóficos das Ciências

Fundamentos Históricos e Filosóficos das Ciências ESPECIALIZAÇAO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO Fundamentos Históricos e Filosóficos das Ciências Prof. Nelson Luiz Reyes Marques O que é ciência afinal? O que é educação em ciências? A melhor maneira

Leia mais

Conceitos de Identidade Relação "eu" e "outro" Para Vygotsky

Conceitos de Identidade Relação eu e outro Para Vygotsky FAMOSP - FACULDADE MOZARTEUM DE SÃO PAULO PEDAGOGIA - 1 o SEMESTRE PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO Conceitos de Identidade Relação "eu" e "outro" Para Vygotsky Deyse Maria Souza Almeida Eliete Pereira Nunes

Leia mais

Lógica para Computação Prof. Celso Antônio Alves Kaestner, D.E.E. celsokaestner (at) utfpr (dot) edu (dot) br Introdução Lógica para Computação (IF61B) Três citações extraídas de Logique: Méthodes pour

Leia mais

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO PROJECTO PROVAS EXPERIMENTAIS DE EXPRESSÃO ORAL DE LÍNGUA ESTRANGEIRA - 2005-2006 Ensino Secundário - Inglês, 12º ano - Nível de Continuação 1 1º Momento GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

Leia mais

Tecnologia para Sistemas Inteligentes Apontamentos para as aulas sobre. Introdução à Representação e Processamento de Ontologias: Framework O3f

Tecnologia para Sistemas Inteligentes Apontamentos para as aulas sobre. Introdução à Representação e Processamento de Ontologias: Framework O3f Tecnologia para Sistemas Inteligentes Apontamentos para as aulas sobre Introdução à Representação e Processamento de Ontologias: Framework O3f Luís Miguel Botelho Departamento de Ciências e Tecnologias

Leia mais

Programação I. Introdução a Lógica de Programação

Programação I. Introdução a Lógica de Programação Engenharia de Controle e Automação Programação I Introdução a Lógica de Programação Lara Popov Zambiasi Bazzi Oberderfer Ementa Introdução a lógica de programação e algoritmos. Constantes, variáveis e

Leia mais

INF 1771 Inteligência Artificial

INF 1771 Inteligência Artificial Edirlei Soares de Lima INF 1771 Inteligência Artificial Aula 12 Aprendizado de Máquina Agentes Vistos Anteriormente Agentes baseados em busca: Busca cega Busca heurística Busca local

Leia mais

SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO SAD

SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO SAD SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO SAD Conceitos introdutórios Decisão Escolha feita entre duas ou mais alternativas. Tomada de decisão típica em organizações: Solução de problemas Exploração de oportunidades

Leia mais

12/02/2012. Administração I. Estrutura da Administração INTRODUÇÃO À TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO

12/02/2012. Administração I. Estrutura da Administração INTRODUÇÃO À TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO INTRODUÇÃO À TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO Idalberto Chiavenato Conceitos; Evidências históricas; e Estruturando a administração. 1 Administração I Administração é criar um ambiente para o esforço grupal

Leia mais

01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS

01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS 01-A GRAMMAR / VERB CLASSIFICATION / VERB FORMS OBS1: Adaptação didática (TRADUÇÃO PARA PORTUGUÊS) realizada pelo Prof. Dr. Alexandre Rosa dos Santos. OBS2: Textos extraídos do site: http://www.englishclub.com

Leia mais

Introdução à Inteligência Artificial (Capítulo 1 - Russell) Inteligência Artificial. Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto

Introdução à Inteligência Artificial (Capítulo 1 - Russell) Inteligência Artificial. Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Introdução à Inteligência Artificial (Capítulo 1 - Russell) Inteligência Artificial Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Estrutura 1. Definições 2. Áreas de Apoio para IA 3. Sub-Áreas da IA 4.

Leia mais

Como Eu Começo meu A3?

Como Eu Começo meu A3? Como Eu Começo meu A3? David Verble O pensamento A3 é um pensamento lento. Você está tendo problemas para começar seu A3? Quando ministro treinamentos sobre o pensamento, criação e uso do A3, este assunto

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA DE ALUNOS E PORTADOR DE DIPLOMA DE GRADUAÇÃO PRIMEIRO SEMESTRE - 2016 ANEXO VI CURSO DE PSICOLOGIA 1º PERÍODO

PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIA DE ALUNOS E PORTADOR DE DIPLOMA DE GRADUAÇÃO PRIMEIRO SEMESTRE - 2016 ANEXO VI CURSO DE PSICOLOGIA 1º PERÍODO 1 Conteúdos conceituais ANEXO VI CURSO DE PSICOLOGIA 1º PERÍODO CONSTRUÇÃO DO PENSAMENTO PSICOLÓGICO Definição dos conceitos de conhecimento científico e de senso comum; Estudo do processo de obtenção

Leia mais

INF 1771 Inteligência Artificial

INF 1771 Inteligência Artificial INF 1771 Inteligência Artificial Aula 02 Agentes Inteligentes Edirlei Soares de Lima Agentes Inteligentes Um agente é algo capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de

Leia mais

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL Figura: Capa do Livro Russell, S., Norvig, P. Artificial Intelligence A Modern Approach, Pearson, 2009. Universidade Federal de Campina Grande Unidade Acadêmica de Sistemas e Computação Curso de Pós-Graduação

Leia mais

ANÁLISE E PROJETO DE SISTEMAS

ANÁLISE E PROJETO DE SISTEMAS UFU Universidade Federal de Uberlândia ANÁLISE E PROJETO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE SOFTWARE Professora: Fabíola Gonçalves. AGENDA Introdução à Engenharia de Software Características do Software

Leia mais

O PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO E SUA IMPORTÂNCIA PARA AS

O PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO E SUA IMPORTÂNCIA PARA AS O PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO E SUA IMPORTÂNCIA PARA AS RESUMO RELAÇÕES ESCOLARES. Oscar Celestino da Silva 1 O presente trabalho tem como objetivo refletir sobre a importância do planejamento escolar nas

Leia mais

Programação Funcional BCC222. Aula 2. Avaliação

Programação Funcional BCC222. Aula 2. Avaliação Programação Funcional BCC222 Aula 2 Avaliação Lucília Camarão de Figueiredo Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal de Ouro Preto Parte I Regra de Leibniz O que é uma função? Uma receita

Leia mais

CONHECIMENTO E A EXPERIÊNCIA EDUCATIVA SEGUNDO JOHN DEWEY

CONHECIMENTO E A EXPERIÊNCIA EDUCATIVA SEGUNDO JOHN DEWEY CONHECIMENTO E A EXPERIÊNCIA EDUCATIVA SEGUNDO JOHN DEWEY Nivaldo de Souza Aranda Graduando em Filosofia pelo Centro Universitário do Leste de Minas Gerais UnilesteMG Profª Maria Aparecida de Souza Silva

Leia mais

Interação e Interface com Sistemas Aéreos. IV Encontro Brasileiro de Psicologia Aplicada à Aviação

Interação e Interface com Sistemas Aéreos. IV Encontro Brasileiro de Psicologia Aplicada à Aviação Interação e Interface com Sistemas Aéreos IV Encontro Brasileiro de Psicologia Aplicada à Aviação Objetivo Conhecer os conceitos de interação e interfaces homem-maquina e suas implicações nos processos

Leia mais

Interface Homem-Computador

Interface Homem-Computador Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão Interface Homem-Computador Aula: Engenharia Cognitiva e Semiótica Professor: M.Sc. Flávio Barros flathbarros@gmail.com Conteúdo Engenharia Cognitiva Fundamentos

Leia mais

Linguagem Matemática e as Artes

Linguagem Matemática e as Artes Linguagem Matemática e as Artes Hermes Renato Hildebrand e José Armando Valente Sumário Introdução Matemática como linguagem Capítulo 01 Etnomatemática e os Espaços de Representação 1. Etnomatemática;

Leia mais

Modelagem do Conhecimento para a Gestão de Processos e Projetos. Modelagem do Conhecimento para a Gestão de Processos e Projetos Prof.

Modelagem do Conhecimento para a Gestão de Processos e Projetos. Modelagem do Conhecimento para a Gestão de Processos e Projetos Prof. Modelagem do Conhecimento para a Gestão de Processos e Projetos 1 Objetivo Apresentação de modelo conceitual para a integração e recuperação de informações, disponíveis em ambientes internos ou externos,

Leia mais

Interação Humano-Computador Golfos e Execução e Avaliação PROFESSORA CINTIA CAETANO

Interação Humano-Computador Golfos e Execução e Avaliação PROFESSORA CINTIA CAETANO Interação Humano-Computador Golfos e Execução e Avaliação PROFESSORA CINTIA CAETANO Teoria de IHC Explicações e previsões fenômenos de interação entre usuário e o sistema. Na década de 80 as fundamentações

Leia mais

Introdução. Aulas. ltodi.est.ips.pt/es. Detalhes administrativos Definição de engenharia de software Contexto Relação com outras áreas e disciplinas

Introdução. Aulas. ltodi.est.ips.pt/es. Detalhes administrativos Definição de engenharia de software Contexto Relação com outras áreas e disciplinas Sumário Introdução Joaquim Filipe João Ascenso Engenharia de Software 2005/06 EST, Setúbal Detalhes administrativos Definição de engenharia de software Contexto Relação com outras áreas e disciplinas 2

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO E SEQUENCIAMENTO DA PRODUÇÃO EM UM TRATAMENTO TÉRMICO COM A UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE CAPACIDADE FINITA

OTIMIZAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO E SEQUENCIAMENTO DA PRODUÇÃO EM UM TRATAMENTO TÉRMICO COM A UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE CAPACIDADE FINITA OTIMIZAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO E SEQUENCIAMENTO DA PRODUÇÃO EM UM TRATAMENTO TÉRMICO COM A UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE CAPACIDADE FINITA Izabel C. Zattar, Carlos M. Sacchelli, M. Eng. Instituto Superior de Tecnologia

Leia mais

Áreas, sub-áreas e especialidades dos estudos da cognição

Áreas, sub-áreas e especialidades dos estudos da cognição 01. GRANDE ÁREA: CIÊNCIAS MATEMÁTICAS E NATURAIS 2. Área - Probabilidade Probabilidade Aplicada (aspectos 3. Área - Estatística Fundamentos da Estatística (aspectos Modelagem Estatística Teoria da Amostragem

Leia mais

PSICOMOTRICIDADE E SUA RELAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA E A EMOÇÃO. AGUIAR, Oscar Xavier de

PSICOMOTRICIDADE E SUA RELAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA E A EMOÇÃO. AGUIAR, Oscar Xavier de PSICOMOTRICIDADE E SUA RELAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA E A EMOÇÃO AGUIAR, Oscar Xavier de Docente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: oscarxa@bol.com.br

Leia mais

O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO DA CRIANÇA SEGUNDO EMILIA FERREIRO.

O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO DA CRIANÇA SEGUNDO EMILIA FERREIRO. O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO DA CRIANÇA SEGUNDO EMILIA FERREIRO. Duarte, Karina. Rossi, Karla. Discentes da faculdade de ciências Humanas/FAHU. Rodrigues, Fabiana. Docente da faculdade de ciências Humanas/FAHU.

Leia mais

GUIÃO A. What about school? What s it like to be there/here? Have you got any foreign friends? How did you get to know them?

GUIÃO A. What about school? What s it like to be there/here? Have you got any foreign friends? How did you get to know them? GUIÃO A Prova construída pelos formandos e validada pelo GAVE, 1/7 Grupo: Chocolate Disciplina: Inglês, Nível de Continuação 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas 1º Momento Intervenientes

Leia mais

Padrões de projeto 1

Padrões de projeto 1 Padrões de projeto 1 Design Orientado Objeto Encapsulamento Herança Polimorfismo Design Patterns 2 Responsabilidades Booch e Rumbaugh Responsabilidade é um contrato ou obrigação de um tipo ou classe. Dois

Leia mais

Márcio Ronaldo de Assis 1

Márcio Ronaldo de Assis 1 1 A JUSTIÇA COMO COMPLETUDE DA VIRTUDE Márcio Ronaldo de Assis 1 Orientação: Prof. Dr. Juscelino Silva As virtudes éticas derivam em nós do hábito: pela natureza, somos potencialmente capazes de formá-los

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial Licenciatura em Computação Prof. Adriano Avelar Site: www.adrianoavelar.com Email: eam.avelar@gmail.com Agentes Inteligentes Um agente é algo capaz de perceber seu ambiente por

Leia mais

Projeto de Arquitetura

Projeto de Arquitetura Introdução Projeto de Arquitetura (Cap 11 - Sommerville) UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Curso de Ciência da Computação Engenharia de Software I Prof. Rômulo Nunes de Oliveira Até agora, estudamos: Os

Leia mais

Avaliação em filosofia: conteúdos e competências

Avaliação em filosofia: conteúdos e competências Avaliação em filosofia: conteúdos e competências Desidério Murcho Universidade Federal de Ouro Preto desiderio@ifac.ufop.br 1 Immanuel Kant O jovem que completou a sua instrução escolar habituou- se a

Leia mais

CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO

CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO CURSO DE INFORMÁTICA LICENCIATURA 1 PERÍODO DISCIPLINA: Metodologia Científica H111900 Finalidade da metodologia científica. Importância da metodologia no âmbito das ciências. Metodologia de estudos. O

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Introdução Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software Os modelos de processos de desenvolvimento de software surgiram pela necessidade de dar resposta às

Leia mais

COERÊNCIA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO EM FACE DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS

COERÊNCIA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO EM FACE DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS COERÊNCIA DO CURRÍCULO DO CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO EM FACE DAS DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS O documento que serviu de base para a análise a seguir é o denominado "Diretrizes Curriculares

Leia mais

dóxa e epistéme. sensível e inteligível. fé e razaão.

dóxa e epistéme. sensível e inteligível. fé e razaão. dóxa e epistéme. sensível e inteligível. fé e razaão. Senso comum... aranha caranguejeira ou aranha-marrom? Epistemologia Moderna e Contemporânea EPISTEMOLOGIA investiga o conhecimento. limites. possibilidades.

Leia mais

VYGOTSKY E O PAPEL DA BRINCADEIRA NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL

VYGOTSKY E O PAPEL DA BRINCADEIRA NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL VYGOTSKY E O PAPEL DA BRINCADEIRA NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL Elisa Nélia da Cunha Brasiliense 1 Resumo: O objetivo deste texto é expor, segundo Vygotsky, a importância das brincadeiras de fazde-conta

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Dados de Identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

Prova Escrita de Filosofia

Prova Escrita de Filosofia Exame Final Nacional do Ensino Secundário Prova Escrita de Filosofia 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 714/Época Especial 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

Resenha: PINKER, Steven. Como a mente funciona. Companhia das Letras, SP, 1998. Computador neural que identifica objetivos e estratégias para obtê-los

Resenha: PINKER, Steven. Como a mente funciona. Companhia das Letras, SP, 1998. Computador neural que identifica objetivos e estratégias para obtê-los Resenha: PINKER, Steven. Como a mente funciona. Companhia das Letras, SP, 1998. Computador neural que identifica objetivos e estratégias para obtê-los Maria Isabel Timm 1 O trabalho de Pinker (1998), no

Leia mais

http://legacy.afonsomiguel.com/graduacao/projetosintegrados/2006-1/r... Robô Explorador

http://legacy.afonsomiguel.com/graduacao/projetosintegrados/2006-1/r... Robô Explorador 1 de 5 16/7/2009 13:51 Robô Explorador Renan Souza Iralla zeroskull@bol.com.br Francesco Jacomel francesco.jacomel@gmail.com Fabio Andrei Salles fabio.salles@pucpr.br Professores Orientadores Profº Gil

Leia mais

Cadeira de Tecnologias de Informação. Conceitos fundamentais de sistemas e tecnologias de informação e de gestão do conhecimento.

Cadeira de Tecnologias de Informação. Conceitos fundamentais de sistemas e tecnologias de informação e de gestão do conhecimento. Cadeira de Tecnologias de Informação Ano lectivo 2007/08 Conceitos fundamentais de sistemas e tecnologias de informação e de gestão do conhecimento. Prof. Mário Caldeira Profª Ana Lucas Dr. Fernando Naves

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR ORGANIZAÇÃO CURRICULAR O curso Técnico em Informática, em Nível Médio Subseqüente, será organizado de forma semestral, com aulas presenciais, compostos por disciplinas, com conteúdos estabelecidos, tendo

Leia mais

AGENTES INTELIGENTES. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com

AGENTES INTELIGENTES. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com AGENTES INTELIGENTES Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com Agentes Inteligentes Um agente é tudo o que pode ser considerado capaz de perceber seu ambiente por meio de sensores e de agir sobre

Leia mais

PARADIGMAS DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL EM JOGOS ELETRÔNICOS

PARADIGMAS DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL EM JOGOS ELETRÔNICOS PARADIGMAS DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL EM JOGOS ELETRÔNICOS João Antônio Bezerra Rodrigues¹, Késsia Rita da C. Marchi¹, Jaime William Dias¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil joaoabrodrigues@outlook.com

Leia mais

ABORDAGEM INTERACIONISTA COGNITIVISTA: A EPISTEMOLOGIA GENÉTICA DE PIAGET

ABORDAGEM INTERACIONISTA COGNITIVISTA: A EPISTEMOLOGIA GENÉTICA DE PIAGET ABORDAGEM INTERACIONISTA COGNITIVISTA: A EPISTEMOLOGIA GENÉTICA DE PIAGET 1- QUEM FOI JEAN PIAGET? Piaget nasceu em 9 de agosto de 1896, na Suíça. Foi psicólogo do desenvolvimento e, anteriormente, biólogo.

Leia mais

Sistemas Inteligentes. Aula: Agentes Inteligentes Flávia Barros & Patricia Tedesco

Sistemas Inteligentes. Aula: Agentes Inteligentes Flávia Barros & Patricia Tedesco Sistemas Inteligentes Aula: Agentes Inteligentes Flávia Barros & Patricia Tedesco 1 Ao final desta aula a gente deve... Entender o que é um Agente Racional (inteligente)? Distinguir entre os vários tipos

Leia mais

As habilidades na Solução de Problemas em Matemática

As habilidades na Solução de Problemas em Matemática As habilidades na Solução de Problemas em Matemática Érica Valeria Alves O que diferencia a espécie humana das demais espécies do reino animal é a capacidade de pensar, raciocinar, formular hipóteses,

Leia mais