UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ JORGE CARLOS FAHAD MARIA PAULA URBAN CHAGAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ JORGE CARLOS FAHAD MARIA PAULA URBAN CHAGAS"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ JORGE CARLOS FAHAD MARIA PAULA URBAN CHAGAS GERENCIAMENTO DE CRISE. ESTUDO DE CASO DA CAMPANHA DE INVERNO 2011 DA AREZZO. CURITIBA 2012

2 UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ JORGE CARLOS FAHAD MARIA PAULA URBAN CHAGAS GERENCIAMENTO DE CRISE. ESTUDO DE CASO DA CAMPANHA DE INVERNO 2011 DA AREZZO. Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Especialização em Gestão da Comunicação Pública e Empresarial, da Universidade Tuiuti do Paraná como requisito para obtenção do grau especialista. Orientadora: Georgia Natal CURITIBA 2012

3 RESUMO Este estudo pretende abordar o tema de Gerenciamento de crise, com objetivo de comprovar a eficiência da elaboração prévia de um plano de Gestão de crises. Para que, através deste plano de contingência a empresa possa agir, tomando as providências para evitar situações que possam gerar falta de credibilidade e por em risco a reputação da marca. Será abordado como foi conduzido o Gerenciamento de crise da empresa Arezzo diante a crise gerada em 13 de Abril de 2011 por comentários negativos em sua fan page do facebook, twitter e blogs. Estes comentários aconteceram pelo fato da empresa anunciar que sua nova coleção, Pelemania, de sapatos e bolsas foram feitos de peles exóticas de animais. Para confiabilidade na análise do estudo, os dados serão coletados e copiados diretamente dos membros das comunidades on-line de interesse e pela observação do pesquisador das práticas comunicacionais dos membros das comunidades. Palavras-chave: Gerenciamento de crise, imagem, reputação, internet e mídias sociais.

4 ABSTRAT This study intends to address the issue of crisis management, with the objective to demonstrate the efficiency of a prior preparation plan for the management of crisis so that the company can act, looking forward to avoiding situations that could lead to a lack of credibility and put at risk the reputation of its brand. The crisis management of Arezzo will be analised and how it was conducted face to the crisis rised on April 13, 2011 by negative comments in its facebook fan page, twitter and blogs. This comments took place that time because of the advertisement of its news collection "Pelemania" shoes and bags made of exotic animal skins. Insuring reliability for this study, the data will be collected directly from the members of online community and researchers' notes about communication practices. Key words: Crisis management, image, reputation, internet and social media.

5 LISTA DE FIGURAS Figura 1: Twitter Arezzo Divulgação Coleção Pelemania Figura 2: Boicote Essa Moda Figura 3: Site UOL, Arezzo recolhe coleção com pele animal Figura 4: Fan Page do Boicoite Arezzo Figura 5: Blog época: Qual problema de usar pele de animais? Figura Figura Figura 8 Caso Arezzo: a polêmica do uso de peles vira assunto na internet Figura 9: Comunicado Arezzo Figura 10: Site IG: A versão de Anderson Birman sobre o caso... 30

6 SUMÁRIO 1- INTRODUÇÃO METODOLOGIA O QUE É CRISE? IDENTIDADE, IMAGEM E REPUTAÇÃO COMO GERENCIAR CRISE A CRISE E A AREZZO CONSIDERAÇÕES FINAIS: REFERÊNCIAS... 34

7 7 1- INTRODUÇÃO Na atualidade, o homem utiliza a internet como canal para o conhecimento de tudo o que acontece no mundo, onde todos podem interagir, nada passa despercebido, o excesso, a velocidade e o grande volume de informações, aliados à transformação do que é privado em público se tornam ferramentas para este cenário e contribuem para potencialidade da crise. Tudo que se expõem através da mídia pode transformar-se em uma grande atração para o público. E conforme Arena online (Acesso em 05/04/12); "a mídia faz sua parte, exacerbando a emoção, fazendo fluir a vida e expurgando os fantasmas individuais, numa combinação corrosiva que leva a apologia da crise seja ela qual for. De acordo com a autora, estas apologias são relacionadas aos ideais de perfeição do homem contemporâneo e das organizações, e servem muitas vezes de gatilho para a crise, que quando exaurida na sua potencialidade pela mídia, se torna passado. No âmbito empresarial, cada vez mais os gerentes tentam se adaptar aos desafios de um ambiente de negócios que está em constante mudança. Neste ambiente volátil, qualquer empresa, independente do seu ramo de atuação, está sujeita a uma crise, que pode ser pela falha na fabricação de seu produto, algo que não a- gradou os consumidores, um acidente aéreo, funcionários insatisfeitos, acidentes na própria fábrica ou uma greve. Estes problemas graves gerados por falhas, se não forem bem administrados, podem levar a empresa a uma situação de crise, podendo prejudicar sua imagem perante o público em geral. É necessário ressaltar a importância das ações e estratégias planejadas pela Comunicação para gerenciar a crise, solucionar conflitos e até prevenir futuras conjunturas de dificuldades. disponível em: TEIXEIRA, Danielle: (http://www.comtexto.com.br/convicomcomunicadanielleteixeiracrise.htm) acesso em 05/04/12

8 8 Como exemplo de gerenciamento de crise, cita-se a indústria de fast-food McDonald's que sofreu danos e precisou mudar após alvo de ataque com o lançamento do documentário Super Size Me* 1 O documentário foi dirigido e protagonizado por Morgan Spurlock, o filme contribuiu para chamar a atenção para o marketing do fast-food e o problema da o- besidade nos Estados Unidos. Após 30 dias se alimentando três vezes ao dia com os produtos da rede McDonald's se percebe as mudanças na aparência física de Spurlock. A empresa passa a se adaptar a este novo cenário, tendo os clientes e suas preocupações como parte da sua gestão. Spurlock tem o objetivo com este documentário demonstrar que os maiores culpados pelo problema de obesidade são as próprias indústrias alimentícias, pois criam mecanismos para incentivar e viciar, diretamente ou indiretamente, as crianças de todo o mundo a serem consumidores fiéis de seus produtos. Em resposta ao filme e à crescente epidemia de obesidade no país, a empresa renovou seu cardápio com mais opções saudáveis, além de esforços de relações públicas, incluindo brindes como pedômetros e o desenvolvimento de um site, que apresentava propostas de cardápios para uma alimentação mais saudável no McDonald's. (Argenti, 2006,p.12). A empresa optou por esclarecer o acontecimento com a intenção de corrigir os danos e desenvolveu novas iniciativas para atender as exigências de seu público de interesse. Estas ações feitas pelo McDonald's, confirmam que Argenti (2006) a- credita ser eficiente para diminuir os impactos gerados em momentos de crise. É importante ressaltar o case do recall 2 do Tylenol da Johnson&Johnson (J&J), que aconteceu no início da década de De acordo com Argenti, (2006), este caso é considerado por muitos um padrão ouro do gerenciamento de crises por recall de produto. O processo que a J&J passou para conduzir a crise foi destacado por resposta rápida e coordenada, demonstrando preocupação com o público, com isso acabou fortalecendo sua reputação de empresa preocupada com o consumidor. 1 A dieta do Palhaço, em 2004, que acompanha o criador do filme durante um período em que a base de sua alimentação foi o cardápio do McDonald's. Argenti, pág É uma solicitação de devolução de um lote ou de uma linha inteira de produtos feita pelo fabricante do mesmo. Geralmente, isto ocorre pela descoberta de problemas relativos à segurança do produto, Fonte wikipedia:

9 9 A crise ocorreu quando sete pessoas ingeriram cápsulas de Tylenol com cianureto. Nesta ocasião a Tylenol possuía 40% da fatia do mercado de medicamentos analgésicos. Relatos comprovam que dias após, as vendas tinham caído quase 90%. Este episódio se tornou um dos mais memoráveis da história das crises corporativas. Argenti (2006), descreve que foi a resposta rápida e atenciosa da J&J que fez transformar a crise em triunfo para a empresa. Apesar dos danos monetários, a empresa saiu mais forte do que nunca. Conforme, Argenti, (2006, pág.262), a Johnson&Johnson não reagiu simplesmente ao que estava acontecendo. Em vez disso, tomou medidas ofensivas e removeu o produto potencialmente letal das prateleiras (31 milhões de frascos). A empresa alavancou a boa vontade que tinha construído ao longo dos anos, com médicos e com a mídia, e decidiu salvar a marca ao invés de desenvolver uma nova identidade para o produto. Por último, a empresa reagiu de forma atenciosa e humana, em vez de simplesmente analisar o incidente com perspectiva jurídica ou financeira. Milhares de funcionário J&J fizeram mais de um milhão de visitas a hospitais, médicos e farmacêuticos em toda a nação para restaurar a confiança do nome Tylenol. O momento de crise nos faz pensar e agir, mas também gera uma perda de equilíbrio e de controle. Apresentamos neste trabalho o estudo de caso sobre o Gerenciamento de Crise da empresa Arezzo Indústria e Comércio S.A, uma companhia do setor de calçados, bolsas e acessórios femininos com 39 anos de mercado no Brasil. Naquele momento a empresa possuía mais de 25 mil seguidores no twitter 3 * e facebook 4, e ao postar as fotos do lançamento da coleção "Pelemania que aconteceu em Abril de 2011, a coleção feita com peles de animais causou uma mobilização nas redes sociais e milhares de internautas se posicionaram contra a Arezzo em seus perfis no twitters e facebooks. Aborda-se na obra de Las Casas (2010) sobre Gerenciamento de crises, que um dos fatos mais determinantes para agravar a situação é o fato de que não se pode controlar o boca a boca diante de um problema. A proporção pode ser ainda maior devido à facilidade que hoje o público de comunidades virtuais tem de interagir 3 é um serviço de origem norte-americana criado em Março de 2006, tornando público em Agosto do mesmo ano pela obvious. Permite postagens de até 140 caracteres e é um dos destaques no contexto digital. Las Casas, 2010, p é um site e serviço de rede social que foi lançada em 4 de fevereiro de 2004, operado e de propriedade privada da Facebook Inc..

10 10 com mundo inteiro, através de perfis em fan pages do facebook ou expondo suas opiniões em seus blogs 5 *. Os criadores destes blogs se tornam formadores de opiniões, e estabelecem comunicação com seus seguidores e geram notícias sobre produtos de diversificadas marcas. Essas ações, assim como a opinião pública, não podem ser controladas, porém podem ser monitoradas e, principalmente compreendidas para com isso utilizar das estratégias para gerenciar estes acontecimentos. Rede sociais é constituída de nós (indivíduos) conectados por laços sociais, Las Casas (2003, p.75 apud WATTS). As Mídias sociais conforme Las Casas (2010, p.83 apud Fontoura, 2009) são tecnologias e práticas on-line, usadas por pessoas e empresas para disseminar conteúdos, provocando o compartilhamento de opiniões, idéias, experiências e perspectivas. Consumidores insatisfeitos criam blogs, sites e comunidades nas redes sociais para atacar marcas, produtos e serviços. Conforme a Delloite 6 realizou um estudo com 302 empresas de diversos segmentos e portes econômicos que atuam no País. (Site Deloitte, acesso em 04/05/2012) 7. A pesquisa realizada em 04/05/2012, teve como resultado que 83% das empresas utilizam mídias sociais para marketing e divulgação de produtos ou serviços, 71% a utilizam para monitorar a marca ou mercado e 46% para vendas ou captura de oportunidades. A ferramenta mais utilizada são os microblogs 8, facebook e Orkut com 81% e twitter e outros com 79%. E 85% das empresas das empresas que usam as mídias digitais tem como meta melhorar a reputação da marca e 82% para marketing boca-boca. Em contra-partida 49% alegam ter falta tempo para gerenciar e de monitorar. E 60% das empresas afirma ter intenção de aumentar o valor investido para próximos 12 meses. A pesquisa também mostrou uma preocupação dos empresários em monitorar o que se está falando da empresa nas redes sociais. Para a área da comunica- 5 são páginas pessoais ou empresariais destinadas a oferecer, na forma de um diário on-line, informações precisas, com atualizações rápidas a partir dos chamados artigos ou posts usados no mundo virtual. Fonte (Las Casas,2010, p.95) 6 A Deloitte é a marca sob a qual dezenas de milhares de profissionais dedicados de firmas independentes de todo o mundo colaboram para oferecer serviços de, consultoria tributária, consultoria empresarial, consultoria em gestão de riscos, corporate finance e auditoria para clientes selecionados..., informação disponível em: acesso em 06/07/ Pesquisa está disponível em: presentacao_midiassociais.pdf. 8 São uma mescla de blogs, redes sociais e comunicadores instantâneos. É um diário on-line em que as pessoas registram seus pensamentos, opiniões, imagens e vídeos. Las Casa, 2010, p.24.

11 11 ção, uma crise pode afetar tanto o público interno, possibilitando uma falta de confiança dos funcionários, quanto externo, provocando falta de credibilidade com o consumidor, além da possível imagem negativa que será transmitida pela imprensa. Nestes casos, a empresa precisa gerenciar a situação para que tenha as menores consequências em sua imagem. Em crises o gerenciamento deve ser conduzido de maneira clara e bem elaborada, pois conforme Lucas (2004, p.27) As pressões das comunidades e da opinião pública por ausência de uma postura transparente em questões polêmicas podem produzir, igualmente, sérias consequências na atuação de uma empresa. Com a tecnologia cada vez mais inserida no cotidiano, as pessoas tendem a ser mais bem informadas sobre questões empresariais, conforme argumenta Argenti (2006) que atualmente as pessoas estão mais envolvidas e mais céticas em relação ás intenções das empresas, os gostos dos clientes estão em constante evolução, as inovações tecnológicas ocorrem de uma hora para outra.(argenti, 2006, P12). E ainda, Li (2011, p.06) diz que os clientes e funcionários, se tornam mais competentes no uso de tecnologias sociais, a entrada desta tecnologia é inevitável para a empresa. Assim, as comunicações destas empresas estão mais complexas, sendo mais difícil controlar todas as partes que formam uma estratégia de comunicação coerente. Criando um plano de gerenciamento de crises, as organizações terão condições de enfrentar os desafios deste século com estratégias concretas para se manter no mercado. Para a área de comunicação este trabalho tende a contribuir para o entendimento de como a empresa pode agir em momentos de crise, para evitar situações que possam gerar falta de credibilidade e por em risco a reputação da marca. 2 METODOLOGIA A escolha da metodologia de pesquisa para o presente estudo leva em conta o ambiente gerador da problemática de pesquisa, a internet. Conforme MONTARDO & ROCHA, (2005, p.01, citado por Amaral, Natal e Viana, 2008, p. 35), a adoção da Netnografia, ou etnografia virtual é validada no campo da comunicação pelo fato de que muitos objetos de estudo localizam-se no ciberespaço.

12 12 Em especifico no presente tema, a internet foi onde teve inicio e o ambiente gerador da crise, por isso se faz importante o uso de métodos de pesquisa a fim de gerar credibilidade nos dados a serem coletados. Os dados a serem apresentados, poderão ser provenientes de textos jornalísticos, textos gerados por clientes/consumidores e ainda por qualquer outro cidadão proveniente do ciberespaço. Para esta pesquisa, utilizaremos como principais ferramentas: os blogs, e o facebook. Os blogs possuem variedade de conteúdo e muitos deles são feitos por formadores de opiniões e ainda têm sido uma ferramenta rica para os estudos empíricos ao serem analisados a partir de perspectivas netnográfica nos últimos anos, conforme detectado por Amaral, Recuero e Montardo (citado por Amaral, Natal e Viana, 2008, p.35) Com o facebook os usuários geram conteúdos em suas fan pages 9 e estes podem ser clicados em Likes e comentados pelos internautas gerando assim uma possível discussão sobre determinado tema. Neste Estudo de Caso uma fan page gerada pelo internauta deve ser levada em conta nesta pesquisa. Considerando os canais escolhidos para pesquisa como uma transposição de metodologia do espaço físico ao espaço online, Amaral, Natal e Viana, 2008, p.38 concluem que ao utilizar a netnografia se faz necessário incluir procedimentos específicos acerca da tipologia dos objetos estudados. Sendo assim, em busca de enaltecer a confiabilidade destas informações geradas pelas comunidades virtuais utilizaremos os critérios de Kozinets (1997): (1) indivíduos familiarizados entre eles; (2) comunicações que sejam especificamente identificadas e anônimas; (3) grupos com linguagens, símbolos, e normas específicas e; (4) comportamentos de manutenção do enquadramento dentro das fronteiras de dentro e fora do grupo (KOZINETS, 1997, p. 9). Para a coleta e análise, serão utilizados dois dos três tipos de critérios de Kozinets (2002) citado por Amaral, Natal e Viana, 2008, conforme segue abaixo: O primeiro são os dados coletados e copiados diretamente dos membros das comunidades on-line de interesse. Devido ao grande número de informações 9 é uma página do Facebook que pode ser seguida pelos usuários e interessados em determinada marca ou empresa, oferecendo uma estratégia de marketing digital eficiente e de baixo custo, acesso em 04/09/2012, disponível:

13 13 coletadas e às dúvidas que estas possam causar, é prudente o pesquisador se utilizar de vários tipos filtros para que sobrem apenas informações de relevância para o contorno da pesquisa. A segunda coleta refere-se às informações que o pesquisador observou das práticas de comunicação dos membros das comunidades, das interações, simbologias e de sua própria participação. Como complemento para a análise deste caso, foi feito um levantamento bibliográfico em livros, teses e artigos relacionados ao tema para aprofundar o estudo em questão. 3- O QUE É CRISE? Toda empresa está sujeita a uma crise de imagem, não importa o porte ou o ramo em que atua. As crises podem ocorrer no ambiente corporativo por causas naturais, um furacão devasta uma cidade, um tsunami devasta uma área costeira, entre outros incidentes da natureza, no qual nem todos podem ser previstos pelo homem, mas podem ser planejados. Não é possível evitar desastres naturais, neste caso a empresa é vítima, mas a empresa pode se preparar para as crises ocasionadas por erro humano, intervenção ou até mesmo intenção criminosa. Conforme exemplificado por Argenti (2006), a crise pode incluir devastação tangível, como destruição de vidas ou ativos, ou devastação intangível, como perda da credibilidade da organização ou outros danos de reputação. Estes últimos resultados podem ser consequência da resposta da gerência á devastação tangível ou resultados de erros humanos, (ARGENTI, 2006, p.259). As crises geram mudanças necessárias e com os fatos conhecidos pode-se urgentemente ser resolvida pela empresa, conforme diz Teixeira, (2011, p.43),...crise é uma mudança - repentina ou gradual que resulta em um problema urgente que deve ser resolvido imediatamente. O ambiente corporativo sofre constante mudança, para Bueno (2003, p.237),...um momento crítico pode acontecer a qualquer empresa, a qualquer momento, e é preciso estar preparado para enfrentá-lo. Critérios, como a boa imagem, credibilidade e disposição para o diálogo poderão contribuir para amenizar os impactos. Ao comprovar que a empresa precisa estar preparada para enfrentar a crise, Neves (2000), diz que a crise é... como uma situação inesperada que foge ao con-

14 14 trole dos administradores e cujo desdobramento vai prejudicar a atuação normal da empresa. (NEVES, 2000, p.115). Para os autores citados a crise pode nascer a qualquer momento, por qualquer necessidade, seja por carência humana, erros humanos ou influenciada por mudanças no ambiente corporativo, mas os fatos quando identificados podem ser rapidamente resolvidos mediante do reconhecimento rápido da crise. Arena, 10 define que:... uma crise é um momento pinçado do cotidiano, visto publicamente apenas por um ângulo e com potencial para alimentar todas as carências humanas, funcionando como catalisador das incoerências do mundo contemporâneo. Patricia Teixeira, (2011, p.43), diz que...uma crise é um desdobramento de um fato, ou seja, este passa a ser uma crise quando ganha relevância, evidência, e proporções maiores diante de seus diferentes públicos. Arena e Teixeira seguem na mesma linha de pensamento ao considerar que os fatos quando notados por sua relevância particular ao público de interesse geram crises que as vezes passam despercebidas por outros públicos quando não evidenciadas. As empresas precisam estar atentas as evidências, entre elas, as reclamações de clientes e boatos não investigados, indícios significativos não levados a sério e recursos humanos despreparados. (NEVES, 2000, p.116). São muitos os danos causados pelas crises na imagem, para ROSA (2008, p71): a imagem de uma organização é o seu maior patrimônio e representa o que é percebido por todos os seus públicos, a partir do momento que isso é comprometido, toda a corporação fica prejudicada. Conclui-se com isso que uma crise quando não gerenciada pode ocasionar perda de confiança na relação entre a pessoa ou organização com os seus públicos de relacionamento. Em crises monitoradas constitui-se a importância da manutenção da credibilidade, com posturas empresariais que valorizam a imagem. Esta postura torna-se 10 disponível em (http://www.comtexto.com.br/convicomartigoliciaarena.htm) acesso em 05/04/12

15 15 um diferencial competitivo para a organização, pois as crises geram instabilidade, além de colocar em risco a imagem e reputação, enfraquecem o clima organizacional, alteram a estabilidade da produção e trazem à tona rumores capazes de afetar o balanço financeiro de uma corporação. Como consequência os stakeholders (públicos interessados no negócio) passam a ter dúvidas quanto à integridade e ética da organização, (TEIXEIRA, 2011, p.42). Os mercados midiáticos estão passando por mais uma mudança de paradigma. Nos anos 1990, a retórica da revolução digital continha uma suposição implícitas, e ás vezes explícitas, de que os novos meios de comunicação eliminaram os antigos, que a internet substituiria a radiodifusão e que tudo isso permitiria aos consumidores acessas mais facilmente o conteúdo que mais lhes interessasse. (JEN- KIS, 2009, P.31). Conforme Jenkis, (2009, p.190) nos últimos anos, os celulares se tornaram cada vez mais fundamentais nas estratégias de comunicação e que o computador ofereceu amplas oportunidades de interação com o conteúdo das mídias. Com isso, cada vez mais a web tem se tornado um local de participação do consumidor, que inclui muitas maneiras não autorizadas e não previstas de relação com o conteúdo da mídia. Em razão disso, o surgimento das mídias sociais nos últimos anos podem ser novas oportunidades para as empresas construírem relacionamentos abertos e ficarem mais próximas de seus clientes. Nas redes sociais as pessoas possuem um crescente desejo de compartilhar suas opiniões, experiências e se expõem mais, com isso as empresas tem a oportunidade para captar, medir e conectar dados que podem ser utilizados nas estratégias de comunicação e marketing. Além do tradicional SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente), as empresas utilizam as redes sociais como fan pages em facebook, twitter e blogs, para se relacionar e criam link de acesso aos comentários postados. Esta informação pode ser passada pela rede em poucos minutos, mesmo não confirmada pela empresa pode ser repassada por meio de conversas online ou s e para se tornar de domínio público, precisa ser um assunto de interesse coletivo e atingir o maior número de pessoas possível. Considerando isso, Gomes e Maia apud Teixeira (2011, pág.60), dizem que opinião pública é um processo baseado em interações discursivas, de modo que demanda comunicação e busca de consenso.

16 16 A informação boca a boca é forte e se espalha rapidamente quando o assunto é de interesse de um grande número de pessoas e esta informação pode ter um grande peso quando é divulgada por um amigo ou conhecido. E ainda, segundo Argenti (2006, p.60) a atenção é toda para a crise e não na empresa, e isso força a tomada de decisão e também a falta de preparação pode fazer com que as crises sejam ainda mais sérias e duradouras, ocasionando sérios riscos para a imagem e reputação da empresa envolvida. 4 IDENTIDADE, IMAGEM E REPUTAÇÃO Num cenário em que os consumidores, empregados, investidores são cada vez mais exigentes, o objetivo dos estrategistas de comunicação é a construção de uma imagem competitiva. Pois, conforme Neves (2000, p.23), a imagem se torna competitiva se ela der resultados concretos para a empresa e estes resultados são, entre outros, conseguir a preferência de clientes e de consumidores, fazer crescer a renda e os lucros, atrair e manter bons profissionais no mercado de trabalho, despertar a confiança de investidores e comprar boa vontade de formadores da opinião. Para construir a reputação a empresa deve se basear na estrutura. Argenti, (2006, P.98), complementa o que foi dito por Neves (2000), dizendo que a estrutura é composta pela identidade corporativa (nomes, marcas, símbolos e autoapresentações) e é percebida por meio da imagem para o cliente, para a comunidade, para o investidor e para o funcionário e a soma de suas percepções resulta na sua reputação. Teixeira 2011, (p.52 e 53) diz que a reputação é a consequência da boa i- magem, que é construída por meio da identidade. É uma sequência: identidade gera imagem, que gera reputação. E ainda, Argenti, (2006, p.80), diz que...a identidade corporativa é transmitida através do nome, logomarca, lema, produtos, serviços, instalações, folhetos, uniformes e todas as outras peças que possam ser exibidas, criadas e comunicadas para uma variedade de públicos.

17 17 Segundo, Olga Curado, 11...a imagem é a atribuição de qualidades ou defeitos a alguém ou a alguma coisa, que não são necessariamente verificados. Para Argenti (2006), a empresa é responsável em transmitir a mensagem ao seu público e a imagem é o reflexo da identidade de uma organização, transmitida pela manifestação visual da realidade de uma empresa. Sendo que a identidade é a única parte da reputação da empresa que pode ser totalmente controlada pela gerência. (Argenti, 2006, p.84). Ao considerar que a visão transmitida é um dos elementos mais importantes na identidade corporativa e que os valores, filosofias e objetivos das empresas a constituí, pode-se concluir que são através dos produtos e serviços, funcionários e símbolos, dentre outros, que se formam essa realidade para os diferentes tipos de públicos. E ainda, a percepção é interligada as preferências, afinidades, identidade, posicionamento e empatia que cada indivíduo se baseia para diferenciar suas escolhas. Segundo, (Neves, 2000 p.19), não há dúvida de que a administração da imagem é fator de vantagem competitiva, tanto quanto é o uso de tecnologia, dos recursos humanos e das modernas técnicas de gerenciamento. Gerenciar crises tem como objetivo manter a boa imagem e reputação da empresa, por isso no próximo tópico discutiremos como devemos conduzir as crises através de um plano gerenciamento de crises possibilitando amenizar os impactos na imagem e na reputação da empresa. 5- COMO GERENCIAR CRISE Nos dias de hoje as empresas se deparam com consumidores mais esclarecidos, exigentes, cuidadosos, atentos e prontos a se defenderem no momento em que se sentirem atingidos. Aprender a lidar com as crises antes que elas aconteçam é o melhor caminho para evitá-las. Podemos encontrar vários exemplos de crises que aconteceram em grandes empresas. A imagem abalada, a reputação em risco devido a reações inesperadas e perda de controle que é gerada pela crise. 11 disponível em (http://www.comtexto.com.br/convicomartigoliciaarena.htm) acesso em 05/04/12

18 18 A palavra-chave da crise é prevenção diz Rosa (2008) na hora da crise, o importante é lidar com o problema da forma mais adequada e isso é muito mais fácil se houve um planejamento prévio. A hora da crise é hora de reagir - e não de planejar, (ROSA, 2008, P.70). Conforme Argenti, (2006, p. 282), a empresa deve ter uma lista de quem informar em uma emergência, deve conter os nomes e telefones de todas as pessoas da equipe de crise, além de telefones de bombeiros e da polícia. Esta lista deve ser mantida atualizada. Os planos de gerenciamento de crises nasceram com outro nome planos de contingência, este com finalidade de lidar com casos de calamidades e catástrofes que aconteceram ou tentando evitá-las. Rosa define que: Um plano de Gerenciamento de crises, sob a ótica da comunicação, é um conjunto de medidas, posturas e consensos capazes de fazer com que um o sucesso de uma ação no lugar onde ocorreu uma situação adversa possa ser captado como tal. (ROSA, 2008, p.71). O importante não é o que se faz, mas principalmente como se faz. O grande desafio do gerenciamento de imagem em situações de crise é fazer com que a percepção de diversas ações seja mais positiva possível. Sendo assim, um plano de gerenciamento de crises é o alicerce de tudo, não é a forma de agir, mas a forma de pensar. Para Rosa, (2008, p.71-74), um plano de Gerenciamento de Crises incorpora seis pontos básicos: (1) Avaliação das crises mais prováveis: Há pelo menos dez tipos de crises: de origem criminosa, de natureza econômica, de informação, desastres naturais, falhas em equipamentos e construções, de natureza legal, de relações humanas, de risco de vida e regulatórias. (2) O comando das situações de crise: Para que haja um comando treinado o plano de Gerenciamento de Crises deve definir quais são os líderes que antes das crises vão criar a cultura da organização para enfrentar esse processo. (3) A doutrina de crise: O plano tem como desafio estratégico definir a forma como a organização irá se comportar em cada situação de crise. (4) Base de dados: Consiste na preparação prévia de documentos de informação e a reunião de dados aparentemente simples, mas vitais, como telefone de todos os fornecedores, de autoridades, jornalistas, enfim, daqueles que precisam ser acionados em caso de necessidade.

19 19 (5) Definição do porta-voz: Este é a figura-chave em acontecimentos que exijam elevada exposição. (6) Auditoriais de crise: Consistem em auditar permanentemente a organização ou o líder, tentando descobrir potenciais focos de crises. As crises podem ser de grande valor para que as organizações repensem suas estruturas. Lucas, (2004, p.39), propõem alguns pontos que, em momento de crise, podem aproximar ou afastar uma companhia de seus objetivos. 1) Avalie o impacto das decisões estratégicas: Para elaborar novos produtos, as empresas estão cada vez mais utilizando de pesquisa e desenvolvimento, sendo assim antecipando, possíveis erros de fabricação e de divulgação. Conhecendo bem a elaboração de seus produtos, avaliando principais processos e impactos que ocasionam no ambiente natural, avaliando o impacto de suas ações no ambiente de negócios (decisões mercadológicas mal elaboradas podem por em risco a credibilidade da marca), mapeando os riscos e desenvolvendo planos alternativos, considerando os públicos que podem ser afetados direta ou indiretamente, os Stakeholders. 2) Crie rotinas prévias quando o problema ainda for uma hipótese improvável: É preciso que a empresa esteja preparada para os maus momentos, gerando rotinas a serem seguidas para minimizar os impactos na mídia. 3) Aja imediatamente: cuidar do problema para que não tome outras proporções, é fundamental e constitui o primeiro passo quando o acidente já a- conteceu. Agir rapidamente diminui danos na imagem e aumenta as chances de controle dos efeitos causados. Se a responsabilidade for sua, assuma o ônus: Uma ação vale mais do que mil explicações (LUCAS, 2004, p.50). A empresa deve se comprometer com soluções para o problema e criar um plano de emergência que reduza os danos à comunidade e se prontifique a corrigir os erros no processo produtivo. Estas informações divulgadas na mídia, o impacto das notícias negativas vão sendo substituídas pelo acompanhamento da postura dos dirigentes diante do fato.

20 20 Esqueça o estilo low-profile 12: Não importa a natureza do problema, acidente na fábrica, falha de fabricação ou vazamento de lixo tóxico, o que a empresa deve fazer é o mesmo em todos os casos: denunciar ás autoridades e avisar imediatamente à população. Informar o consumidor e assumir o ônus é atitudes imediatas diante a crise. Quando a informação vem a público, a empresa não deve impedir a opinião pública, pois pode ser negativo em situação de crise. (LUCAS, 2004, p.55). Seja o primeiro a advertir sobre os riscos: Problemas na fabricação que causam recalls de produtos são necessários para não negligenciar os riscos de acidentes, mas será uma ferramenta útil com a comunicação ao consumidor em tempo hábil. É importante em momentos de crise que a empresa não tente impedir da informação se tornar pública, pois poderá tornar sua imagem negativa. Informe permanentemente o que está sendo feito: Informar a opinião pública não termina na entrevista coletiva ou na nota oficial que ela publica nos jornais de grande circulação. Neste momento é que a assessoria de impressa deve preparar os CEOs 13, para entrevistas, munindo-os com dados, números e estatísticas que demonstrem, efetivamente, os investimentos na correção de rumos. Não superestime o poder do departamento jurídico: Para minimizar crises, muitas empresas recorrem seus casos para departamento jurídico, principalmente com necessidade de indenizações a consumidores, vítimas de acidentes e seus familiares. Mas não pode priorizar só o lado financeiro, a crescente opinião pública pode comprometer tanto ou mais um negócio do que as fatias de faturamento empregadas para corrigir erros e melhorar processos. (LUCAS, 2004, p.57). Acompanhe a influência de um público nos outros: Frequentemente mensurar os índices de credibilidade é fundamental. Com pesquisas com varejistas, perguntas e reclamações extraídas de SACs e comitês de clientes, mesmo quando não estiver em crise, podem ajudar em mudanças a serem implantadas antecipando-se a possíveis fatos que ocasionem crises. Mostre os resultados das ações corretivas: Mostrar passo a passo, o que está sendo feito durante a crise é importante. Mas tão importante quanto, é evidenciar seus resultados e divulgar na impressa sua mudança de gestão e quais são os novos parâmetros adotados. 12 O sentido literal de low profile é de baixo perfil. Mas para a moda o sentido é diferente, significa chamar pouco atenção, ser discreto. Mas nem por isso o look low profile deixa a elegância de lado, muito pelo contrário, esse estilo de não chamar atenção tem ganhado cada vez mais seguidoras. 13 Chief Executive Officer

Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado

Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado Maio de 2010 Conteúdo Introdução...4 Principais conclusões...5 Dados adicionais da pesquisa...14 Nossas ofertas de serviços em mídias sociais...21

Leia mais

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Este assunto normalmente é tratado quando se aborda a coleta de dados no ciclo de Inteligência. No entanto, o fenômeno das redes sociais, atualmente, cresceu

Leia mais

Imagem corporativa e as novas mídias

Imagem corporativa e as novas mídias Imagem corporativa e as novas mídias Ellen Silva de Souza 1 Resumo: Este artigo irá analisar a imagem corporativa, mediante as novas e variadas formas de tecnologias, visando entender e estudar a melhor

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

Mídias Sociais nos Negócios. GorillaBrand BRAND

Mídias Sociais nos Negócios. GorillaBrand BRAND Mídias Sociais nos Negócios GorillaBrand BRAND Marketing de Relacionamento Estratégias Empresa Marca Faturamento Clientes Uso de estratégias Relacionamento Empresa x Cliente Gera Valorização da Marca Aumento

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

GUIA DE SOCIAIS EM REDES BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS.

GUIA DE SOCIAIS EM REDES BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS. GUIA DE BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO EM REDES SOCIAIS MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS. APRESENTAÇÃO OBJETIVO A ABA - Associação Brasileira de Anunciantes, por meio de

Leia mais

A pluralidade das relações públicas

A pluralidade das relações públicas A pluralidade das relações públicas Carolina Frazon Terra Introdução Sétima colocada no ranking "As profissões do futuro" segundo a Revista Exame de 13 de abril de 2004, as relações públicas se destacam

Leia mais

História Diferenciações Assessoria o que é? Estrutura Comunicação x Imprensa Papéis e funções Planejamento Conteúdo Processamento interno x externo

História Diferenciações Assessoria o que é? Estrutura Comunicação x Imprensa Papéis e funções Planejamento Conteúdo Processamento interno x externo Morgana Hamester História Diferenciações Assessoria o que é? Estrutura Comunicação x Imprensa Papéis e funções Planejamento Conteúdo Processamento interno x externo Contexto atual Modelização digital contemporaneidade;

Leia mais

Como deixar seu negócio on-line. Tendências e a força das mídias sociais no VAREJO!

Como deixar seu negócio on-line. Tendências e a força das mídias sociais no VAREJO! Como deixar seu negócio on-line Tendências e a força das mídias sociais no VAREJO! A palavra de ordem das redes sociais é interação. Comparando a internet com outros meios de comunicação em massa como

Leia mais

A quem se destina: empresas, ONGs e instituições, personalidades, lideranças, profissionais liberais, CEOs e executivos.

A quem se destina: empresas, ONGs e instituições, personalidades, lideranças, profissionais liberais, CEOs e executivos. 1 REPUTAÇÃO DIGITAL Na era da informação digital, sua reputação não é construída apenas e partir das informações que você disponibiliza. Blogueiros, ativistas, funcionários, clientes e outras pessoas participam

Leia mais

O Papel dos Meios de Comunicação na Formação da Imagem Empresarial importância do Assessor de Imprensa neste processo 1

O Papel dos Meios de Comunicação na Formação da Imagem Empresarial importância do Assessor de Imprensa neste processo 1 O Papel dos Meios de Comunicação na Formação da Imagem Empresarial importância do Assessor de Imprensa neste processo 1 Evelyn Nascimento Bastos 2 Palavras-chaves: Meios de Comunicação; Imagem Empresarial;

Leia mais

MÍDIAS SOCIAIS. Manual de Conduta

MÍDIAS SOCIAIS. Manual de Conduta MÍDIAS SOCIAIS Manual de Conduta Apresentação O Sistema Ocemg, atento às mudanças de mercado e preocupado em estar sempre próximo de seus públicos de interesse, assume o desafio de se posicionar também

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

Nascemos na era digital. Mas somos muito mais que isso.

Nascemos na era digital. Mas somos muito mais que isso. Nascemos na era digital. Mas somos muito mais que isso. Uma agência digital? Sim, porém vamos além, formamos uma equipe que aplica experiência e inteligência em todos os nossos trabalhos. Com conhecimento

Leia mais

social media para bares, restaurantes e afins

social media para bares, restaurantes e afins BARTIPS social media para bares, restaurantes e afins O que buscamos? Divulgar seu estabelecimento para milhares de potenciais consumidores. Fazer você ser parte do dia-a-dia de seu cliente Ter suas novidades,

Leia mais

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital 11 1 Introdução Com o advento da nova era da internet, conhecida com web 2.0, e o avanço das tecnologias digitais, o consumidor passa a ter maior acesso à informação bem como à facilidade de expressar

Leia mais

Resumo. Palavras-chave: twitter; ferramenta; planejamento; Greenpeace.

Resumo. Palavras-chave: twitter; ferramenta; planejamento; Greenpeace. O Twitter Como Ferramenta de Divulgação Para As Empresas: Um Estudo De Caso do GREENPEACE 1 Jonathan Emerson SANTANA 2 Gustavo Guilherme da Matta Caetano LOPES 3 Faculdade Internacional de Curitiba - FACINTER

Leia mais

Cliocar Acessórios: A construção de um negócio. A história de um empresário que saiu da estaca zero e construiu uma loja virtual de sucesso.

Cliocar Acessórios: A construção de um negócio. A história de um empresário que saiu da estaca zero e construiu uma loja virtual de sucesso. Cliocar Acessórios: A construção de um negócio A história de um empresário que saiu da estaca zero e construiu uma loja virtual de sucesso. 2 Conteúdo Resumo executivo... 2 Conhecendo o mercado... 2 Loja

Leia mais

Đ ŕňĉòă. g esſ tã o d e r e d esſ sſo ciaisſ

Đ ŕňĉòă. g esſ tã o d e r e d esſ sſo ciaisſ Đ ŕňĉòă g esſ tã o d e r e d esſ sſo ciaisſ Em todas as empresas há um segredo Na nossa o segredo passa a ser você quem somos? Quando acabarem a licenciatura, o desemprego espera-vos. Enganaram se! Se

Leia mais

Nome: Camila Dalzoto Silva, Diego Perboni de Andrade, Gabriela Saldanha, Keidi. Carneiro, Mariana de Morais Pretto, Rita Souza e Vanessa Rottmann.

Nome: Camila Dalzoto Silva, Diego Perboni de Andrade, Gabriela Saldanha, Keidi. Carneiro, Mariana de Morais Pretto, Rita Souza e Vanessa Rottmann. Faculdades Integradas de Taquara Credenciada pela Portaria 921, de 07/11/2007, D.O.U. de 08/11/2007 Nome: Camila Dalzoto Silva, Diego Perboni de Andrade, Gabriela Saldanha, Keidi Carneiro, Mariana de Morais

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR &DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR Toda comunicação publicitária visa atender a alguma necessidade de marketing da empresa. Para isso, as empresas traçam estratégias de comunicação publicitária, normalmente traduzidas

Leia mais

Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo. Copyright 2015. Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda.

Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo. Copyright 2015. Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda. Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo Copyright 2015 Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda. Todos os direitos reservados. Pode ser compartilhado com conteúdo,

Leia mais

AS MÍDIAS SOCIAIS E O SEU ALCANCE PARA A IMAGEM E O AUMENTO DAS VENDAS DAS PEQUENAS EMPRESAS VAREJISTAS DE SANTA FÉ DO SUL (SP) RESUMO

AS MÍDIAS SOCIAIS E O SEU ALCANCE PARA A IMAGEM E O AUMENTO DAS VENDAS DAS PEQUENAS EMPRESAS VAREJISTAS DE SANTA FÉ DO SUL (SP) RESUMO 200 AS MÍDIAS SOCIAIS E O SEU ALCANCE PARA A IMAGEM E O AUMENTO DAS VENDAS DAS PEQUENAS EMPRESAS VAREJISTAS DE SANTA FÉ DO SUL (SP) RESUMO Clayton Cardoso de MORAES 1 Guilherme Bernardo SARDINHA 2 O presente

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

Social Media em 5 etapas

Social Media em 5 etapas Como estruturar seu sistema de Social Media em 5 etapas O que é este guia? O Guia de inicialização em social media foi criado pela G&P como uma forma de ajudar e incentivar as mais diversas empresas do

Leia mais

Mídias Sociais: Conhecendo, aplicando e monitorando. Entenda como você pode trabalhar e monitorar mídias sociais, com foco no Twitter e Facebook.

Mídias Sociais: Conhecendo, aplicando e monitorando. Entenda como você pode trabalhar e monitorar mídias sociais, com foco no Twitter e Facebook. 1 Mídias Sociais: Conhecendo, aplicando e monitorando. Entenda como você pode trabalhar e monitorar mídias sociais, com foco no Twitter e Facebook. O que você vai encontrar neste ebook: Por que eu preciso

Leia mais

Como gerar Relacionamentos MÍDIAS SOCIAIS

Como gerar Relacionamentos MÍDIAS SOCIAIS Como gerar Relacionamentos MÍDIAS SOCIAIS REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA 50 milhões de usuários IDADE MÍDIA 90 milhões de brasileiros na WEB, 70 milhões na rede social Facebook e mais de 30 milhões no Twitter ADEUS

Leia mais

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET

FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS. Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL HABILITAÇÃO EM RELAÇÕES PÚBLICAS ASSESSORIA DE RELAÇÕES PÚBLICAS Professora Iara Silva INTRANET E EXTRANET CONCEITOS, OBJETIVOS, BENEFÍCIOS E TENDÊNCIAS Renato Schumacher

Leia mais

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo

5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo 5 Conclusões 5.1. Síntese do estudo Este estudo teve como objetivo contribuir para a compreensão do uso das mídias sociais, como principal ferramenta de marketing da Casar é Fácil, desde o momento da sua

Leia mais

Sobre o estudo. Publico: De um lado: Consumidores Do outro: Profissionais de marketing, comunicação, design, pesquisa...

Sobre o estudo. Publico: De um lado: Consumidores Do outro: Profissionais de marketing, comunicação, design, pesquisa... Sobre o estudo perfil Publico: De um lado: Consumidores Do outro: Profissionais de marketing, comunicação, design, pesquisa... Amostra: Total: 1.035 respondentes Consumidores: 805 Profissionais: 230 objetivo

Leia mais

Quando se trata do universo on-line, nada é estático. Tudo pode se transformar de uma hora pra outra, basta o vento mudar de direção.

Quando se trata do universo on-line, nada é estático. Tudo pode se transformar de uma hora pra outra, basta o vento mudar de direção. estratégias online Quando se trata do universo on-line, nada é estático. Tudo pode se transformar de uma hora pra outra, basta o vento mudar de direção. serviços consultoria Benchmark Planejamento

Leia mais

Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil. Região do Rio Grande do Sul

Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil. Região do Rio Grande do Sul Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil Após um mais de ano de trabalho e experiências adquiridas a CRIC apresenta à diretoria regional as diretrizes que regem

Leia mais

Por muitos anos, investir cifras. Venda diferenciada. marketing conteúdo

Por muitos anos, investir cifras. Venda diferenciada. marketing conteúdo Venda diferenciada Para fechar negócios e estreitar relação com clientes, corretoras de seguros aderem ao Marketing de Conteúdo Lívia Sousa Por muitos anos, investir cifras altíssimas em ações publici-

Leia mais

GUIA BÁSICO DE COMUNICAÇÃO

GUIA BÁSICO DE COMUNICAÇÃO GUIA BÁSICO DE COMUNICAÇÃO CONVERSA DE ELEVADOR Sendo um empreendedor social, você sabe como é importante ser capaz de descrever sua organização, definindo o que diferencia seu trabalho e detalhando o

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

Inteligência em. redes sociais. corporativas. Como usar as redes internas de forma estratégica

Inteligência em. redes sociais. corporativas. Como usar as redes internas de forma estratégica Inteligência em redes sociais corporativas Como usar as redes internas de forma estratégica Índice 1 Introdução 2 Por que uma rede social corporativa é um instrumento estratégico 3 Seis maneiras de usar

Leia mais

Como cultivar leads do Comitê de TI

Como cultivar leads do Comitê de TI BRASIL Como cultivar leads do Comitê de TI O marketing está ajudando ou atrapalhando? Confiança + Credibilidade devem ser CONQUISTADAS O profissional de marketing moderno conhece a importância de cultivar

Leia mais

Introdução. Pra quem é esse ebook?

Introdução. Pra quem é esse ebook? Introdução Se você está lendo esse ebook é porque já conhece o potencial de resultados que o marketing digital e o delivery online podem trazer para a sua pizzaria. Bem como também deve saber que em pouco

Leia mais

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico

Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico CUSTOMER SUCCESS STORY Abril 2014 Solução CA Technologies Garante Entrega de Novo Serviço de Notícias do Jornal Valor Econômico PERFIL DO CLIENTE Indústria: Mídia Companhia: Valor Econômico Funcionários:

Leia mais

UM NEGÓCIO PRODUTIVO NO

UM NEGÓCIO PRODUTIVO NO UM NEGÓCIO PRODUTIVO NO Objetivos do treinamento Conhecer o potencial que as Redes Sociais tem no mundo e a aplicabilidade no seu Negócio Amway. Aprender como criar e administrar uma conta no FACEBOOK.

Leia mais

PROGRAMA COMPLIANCE VC

PROGRAMA COMPLIANCE VC Seguir as leis e regulamentos é ótimo para você e para todos. Caro Colega, É com satisfação que compartilho esta cartilha do Programa Compliance VC. Elaborado com base no nosso Código de Conduta, Valores

Leia mais

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política No Brasil, há poucas experiências conhecidas de uso de ferramentas de monitoramento de mídias sociais em campanhas políticas. Uma delas

Leia mais

Manual de conduta nas mídias sociais. colégio magnum cidade nova

Manual de conduta nas mídias sociais. colégio magnum cidade nova Manual de conduta nas mídias sociais colégio magnum cidade nova Manual de conduta nas mídias sociais Práticas de comportamento dos educadores do Colégio Magnum nas mídias sociais A Magnum 2 Introdução

Leia mais

Email marketing: os 10 erros mais comuns

Email marketing: os 10 erros mais comuns Email marketing: os 10 erros mais comuns Publicado em: 18/02/2008 Não ter permissão dos contatos para enviar mensagens Um dos princípios fundamentais do email marketing é trabalhar apenas com contatos

Leia mais

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br

JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ www.diariodaconstrucao.com.br PROPOSTA DE PROPAGANDA - ANUNCIE NO JDC Apresentação de Plano de Publicidade Online no Site O JORNAL DIÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO PARÁ atende com o nome de JDC, porque é uma empresa que tem como sua atividade

Leia mais

Blogs Corporativos como instrumentos de comunicação nas empresas: uma análise prático-teórica.

Blogs Corporativos como instrumentos de comunicação nas empresas: uma análise prático-teórica. Blogs Corporativos como instrumentos de comunicação nas empresas: uma análise prático-teórica. Além de tornar-se fundamental para a difusão do conhecimento e geração das relações interpessoais, a Internet

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE CRISE Desafios e Oportunidades

COMUNICAÇÃO DE CRISE Desafios e Oportunidades COMUNICAÇÃO DE CRISE Desafios e Oportunidades Mariana Victorino Docente convidada e Investigadora na FCH/UCP Diretora Geral da Porter Novelli Omnicom Group De que vamos falar? Contexto tecnológico e comunicacional

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

3 METODOLOGIA DA PESQUISA

3 METODOLOGIA DA PESQUISA 3 METODOLOGIA DA PESQUISA O objetivo principal deste estudo, conforme mencionado anteriormente, é identificar, por meio da percepção de consultores, os fatores críticos de sucesso para a implementação

Leia mais

Cases. Estratégias de Marketing de Conteúdo por quem entende do assunto

Cases. Estratégias de Marketing de Conteúdo por quem entende do assunto Cases Estratégias de Marketing de Conteúdo por quem entende do assunto ContaAzul O ContaAzul é um sistema de gestão empresarial para micro e pequenas empresas. O objetivo é ajudá-las a crescer de forma

Leia mais

Capítulo 1 Por que Google Marketing?

Capítulo 1 Por que Google Marketing? Capítulo 1 Por que Google Marketing? O Google modificou substancialmente a maneira como o mercado lida com a informação e informação, na nossa sociedade pós terceira onda, é tudo. Do dinheiro ao eletrodoméstico,

Leia mais

A contribuição da comunicação interna na construção e

A contribuição da comunicação interna na construção e A contribuição da comunicação interna na construção e fortalecimento da imagem corporativa O QUE É IMAGEM CORPORATIVA? Para fazer uma comunicação interna que fortaleça a Imagem Corporativa é preciso entender

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE RISCO E COORDENAÇÃO DE STAKEHOLDERS NA GESTÃO DE ÁREAS CONTAMINADAS

COMUNICAÇÃO DE RISCO E COORDENAÇÃO DE STAKEHOLDERS NA GESTÃO DE ÁREAS CONTAMINADAS COMUNICAÇÃO DE RISCO E COORDENAÇÃO DE STAKEHOLDERS NA GESTÃO DE ÁREAS CONTAMINADAS Outubro, 2014 Agenda... Introdução Comunicação Corporativa & o Risco de Imagem Perfil dos Stakeholders em Áreas Contaminadas

Leia mais

Quem é Ana Luiza Cunha?

Quem é Ana Luiza Cunha? Apresentação WSI Quem é a WSI? Fundada em 1995 Nascimento da Internet 1.100 Consultores de Marketing Digital 81 países 12 grandes Centros de Produção Receita estimada da rede: acima de US$160 milhões Parceiros:

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

E-books. Introdução às Mídias Sociais. Sebrae

E-books. Introdução às Mídias Sociais. Sebrae E-books Sebrae Marketing e Vendas Introdução às Mídias Sociais O que fazer com as mídias sociais Tipos de ações As principais mídias sociais Dicas e considerações finais Autor Felipe Orsoli 1 SUMÁRIO 1

Leia mais

E-books. Guia completo de como criar uma Página no Facebook. Sebrae

E-books. Guia completo de como criar uma Página no Facebook. Sebrae E-books Sebrae Marketing e Vendas Guia completo de como criar uma Página no Facebook Como começar Criando uma Página Conhecendo a Página Configurações iniciais Estabelecendo conversas Autor Felipe Orsoli

Leia mais

Tentar entender como usar melhor os diferentes canais.

Tentar entender como usar melhor os diferentes canais. The New Conversation: Taking Social Media from Talk to Action A Nova Conversação: Levando a Mídia Social da Conversa para a Ação By: Harvard Business Review A sabedoria convencional do marketing por muito

Leia mais

A compra de TI e as redes sociais

A compra de TI e as redes sociais Solicitada por A compra de TI e as redes sociais Como as redes sociais transformaram o processo de compras B2B e as melhores práticas para adaptar as suas estratégias de marketing à nova realidade BRASIL

Leia mais

Programa de Comunicação Interna e Externa

Programa de Comunicação Interna e Externa Programa de Comunicação Interna e Externa Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Comunicação Interna e Externa das Faculdades Integradas Ipitanga FACIIP pretende orientar a execução

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Uso estratégico do Twitter: como usar o microblogging a favor da sua empresa. www.talk2.com.br

Uso estratégico do Twitter: como usar o microblogging a favor da sua empresa. www.talk2.com.br Uso estratégico do Twitter: como usar o microblogging a favor da sua empresa www.talk2.com.br 04 Introdução 4 05 08 10 16 Por que as pessoas seguem uma conta 5 O que você precisa ter e saber antes de criar

Leia mais

Consultoria! O que é e como usar?

Consultoria! O que é e como usar? Consultoria! O que é e como usar? Luciano Terra Afinal, o que é consultoria? Percebe-se que, para muitos, o termo Consultoria, assim como Marketing, Rightsizing, Merchandising, Downsizing e tantos outros,

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

RELACIONAMENTO, REPUTAÇÃO E RELEVÂNCIA

RELACIONAMENTO, REPUTAÇÃO E RELEVÂNCIA RELACIONAMENTO, REPUTAÇÃO E RELEVÂNCIA Comunicação Organizacional em Mídias Sociais UNISO Prof. Randolph de Souza PRESENÇA NAS MÍDIAS Necessidade Definição de Estratégias para minimizar riscos Se bem trabalhadas

Leia mais

MANUAL DE CONDUTA EM REDES SOCIAIS

MANUAL DE CONDUTA EM REDES SOCIAIS MANUAL DE CONDUTA EM REDES SOCIAIS AS MÍDIAS SOCIAIS SÃO HOJE AS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DE INTERAÇÃO SOCIAL E DE COMPARTILHAMENTO DE IDEIAS E INFORMAÇÕES. O Sistema de Saúde Mãe de Deus (SSMD), sabendo

Leia mais

KIT ONLINE PARA SEU SALÃO DE BELEZA Como criar um blog de sucesso para seu salão de beleza e triunfar nas redes sociais

KIT ONLINE PARA SEU SALÃO DE BELEZA Como criar um blog de sucesso para seu salão de beleza e triunfar nas redes sociais KIT ONLINE PARA SEU SALÃO DE BELEZA Como criar um blog de sucesso para seu salão de beleza e triunfar nas redes sociais INTRODUÇÃO Em plena era 2.0 é imprescindível que as empresas estejam presentes na

Leia mais

E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa]

E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa] E-BOOK [TÍTULO DO DOCUMENTO] Matrix [NOME DA EMPRESA] [Endereço da empresa] 1 Sumário O Surgimento do Analista de Redes Sociais... 2 O que é um Analista de Redes Sociais?... 5 Qual é o Perfil do Analista

Leia mais

Marketing Digital de resultado para PMEs. Monitoramento na Internet A arma competitiva das pequenas e médias empresas

Marketing Digital de resultado para PMEs. Monitoramento na Internet A arma competitiva das pequenas e médias empresas Monitoramento na Internet A arma competitiva das pequenas e médias empresas 1 Sumário I II V Porque monitorar? O que monitorar? Onde monitorar? Como engajar? 2 Por que Monitorar? 3 I II V Nas mídias sociais

Leia mais

Cinco pontos sobre redes sociais na Internet

Cinco pontos sobre redes sociais na Internet Cinco pontos sobre redes sociais na Internet Por Raquel Recuero (*) Nos últimos anos, assistimos a um crescimento espantoso das chamadas tecnologias de comunicação. Essas tecnologias tornaram-se mais rápidas,

Leia mais

Prezado Futuro Cliente

Prezado Futuro Cliente Prezado Futuro Cliente É com grade satisfação que encaminhamos nossa apresentação institucional e certos de estabelecermos uma parceria de sucesso e duradoura. Ela foi desenvolvida com objetivo de mostrar

Leia mais

A comunicação eficaz é tão estimulante como um café preto e tão difícil quanto dormir depois...

A comunicação eficaz é tão estimulante como um café preto e tão difícil quanto dormir depois... A comunicação eficaz é tão estimulante como um café preto e tão difícil quanto dormir depois... livro Comunicação Interpessoal Empresas investem cada vez mais no desenvolvimento de pessoas e processos

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO. 1.1. Objetivo Geral

1. APRESENTAÇÃO. 1.1. Objetivo Geral PRÁTICA 1) TÍTULO FEEDBACK DE INTERAÇÕES CLIENTES E GESTORES REDES SOCIAIS 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA - limite de 8 (oito) páginas: 1. APRESENTAÇÃO O Serviço de Monitoramento em Redes Sociais da Infraero,

Leia mais

Thaísa Fortuni. 15 dicas de Mídias Sociais para Moda. Copyright 2015 - Todos os direitos reservados

Thaísa Fortuni. 15 dicas de Mídias Sociais para Moda. Copyright 2015 - Todos os direitos reservados Thaísa Fortuni Thaísa Fortuni 15 dicas de Mídias Sociais para Moda Copyright 2015 - Todos os direitos reservados Sobre Thaísa Fortuni Publicitária por formação, escritora e empreendora digital. Trabalha

Leia mais

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr.

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr. A Chave para o Sucesso Empresarial José Renato Sátiro Santiago Jr. Capítulo 1 O Novo Cenário Corporativo O cenário organizacional, sem dúvida alguma, sofreu muitas alterações nos últimos anos. Estas mudanças

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

Como facilitar sua Gestão Empresarial

Como facilitar sua Gestão Empresarial Divulgação Portal METROCAMP Como facilitar sua Gestão Empresarial Aplique o CANVAS - montando o seu(!) Modelo de Gestão Empresarial de Werner Kugelmeier WWW.wkprisma.com.br Por que empresas precisam de

Leia mais

www.startercomunicacao.com startercomunic@gmail.com

www.startercomunicacao.com startercomunic@gmail.com 7 DICAS IMPERDÍVEIS QUE TODO COACH DEVE SABER PARA CONQUISTAR MAIS CLIENTES www.startercomunicacao.com startercomunic@gmail.com As 7 dicas imperdíveis 1 2 3 Identificando seu público Abordagem adequada

Leia mais

Comunicação diferenciada e relacionamento efetivo. Um novo enfoque de RI para um novo mercado

Comunicação diferenciada e relacionamento efetivo. Um novo enfoque de RI para um novo mercado + Comunicação diferenciada e relacionamento efetivo Um novo enfoque de RI para um novo mercado + Menu Cenário Menu + + Cenário RI hoje: uma operação indiferenciada Comunicação muito limitada com foco quase

Leia mais

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 Narjara Bárbara Xavier Silva 2 Patrícia Morais da Silva 3 Resumo O presente trabalho é resultado do Projeto de Extensão da Universidade Federal da

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO.

TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO. CATEGORIA: EM ANDAMENTO

Leia mais

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa.

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa. A Liderança Faz a Diferença Guia de Gerenciamento de Riscos Fatais Introdução 2 A prevenção de doenças e acidentes ocupacionais ocorre em duas esferas de controle distintas, mas concomitantes: uma que

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada 5 1. Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas

Leia mais

Nosso Planeta Mobile: Brasil

Nosso Planeta Mobile: Brasil Nosso Planeta Mobile: Brasil Como entender o usuário de celular Maio de 2012 1 Resumo executivo Os smartphones se tornaram indispensáveis para nosso cotidiano. A difusão dos smartphones atinge 14% da população,

Leia mais

Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail...

Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail... FACEBOOK Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail... 8 Características do Facebook... 10 Postagens... 11

Leia mais

Fluxo Ampliado de Marketing

Fluxo Ampliado de Marketing Fluxo Ampliado de Marketing No estudo deste fluxo ampliado de marketing, chega-se a conclusão da importância de um composto mercadológico mais intenso e realmente voltado ao atendimento das necessidades

Leia mais

O que é ISO 9001:2000?

O que é ISO 9001:2000? O que é ISO 9001:2000? Um guia passo a passo para a ISO 9001:2000 SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Conteúdo * SISTEMAS DA QUALIDADE ISO 9001:2000 E PDCA... 1 * OITO PRINCÍPIOS DE GESTÃO DA QUALIDADE...

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico O Dia D e a culturalização de um posicionamento estratégico 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE Centro Universitário Franciscano uma universidade para suas aspirações Santa Maria é um polo educacional

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA-UFES Departamento de Computação

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA-UFES Departamento de Computação - Centro de Ciências Agrárias Departamento de Computação Os sistemas de informação empresariais na sua carreira Introdução à Ciência da Computação Introdução à Ciência da Computação COM06850-2015-II Prof.

Leia mais

Auditoria Interna Como assessoria das entidades

Auditoria Interna Como assessoria das entidades Auditoria Interna Como assessoria das entidades Francieli Hobus 1 Resumo A auditoria interna vem se tornando a cada dia, uma ferramenta indispensável para as entidades. Isso está ocorrendo devido à preocupação

Leia mais

COMUNICAÇÃO SOCIAL PARA GRUPOS ESCOTEIROS

COMUNICAÇÃO SOCIAL PARA GRUPOS ESCOTEIROS PROJETO INSÍGNIA DA MADEIRA COMUNICAÇÃO SOCIAL PARA GRUPOS ESCOTEIROS COMO ORGANIZAR SEU GRUPO ESCOTEIRO PARA UMA MELHOR COMUNICAÇÃO COM A COMUNIDADE, MEMBROS JUVENIS E ADULTOS UTILIZANDO A INTERNET. LUÍS

Leia mais