[Ano] ESTRUTURA ORGANIZACIONAL. Campus Virtual Cruzeiro do Sul

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "[Ano] ESTRUTURA ORGANIZACIONAL. Campus Virtual Cruzeiro do Sul"

Transcrição

1 [Ano] ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

2 UNIDADE : ESTRUTURA ORGANIZACIONAL MATERIAL TEÓRICO Responsável pelo Conteúdo: Profa. Ms. Andréia de Carvalho Andrade 2

3 1- Fundamentos de organização Em uma empresa tem-se um grupo de pessoas que trabalham com foco em um mesmo objetivo. Assim torna-se necessário estabelecer um acordo sobre as atribuições de cada um e definir as relações de trabalho que devem existir entre cada profissional, para tanto define-se a estrutura organizacional ou comportamento organizacional. Figura 1 Relações de trabalho Fonte: E61D4CB49E4BEE_rt.jpg. A estrutura organizacional advém do termo organização. Para Sobral e Peci (2008) a palavra organização é uma das funções administrativas (planejamento, direção, controle e organização) que distribui tarefas e recursos pelos membros da empresa, que determina quem tem autoridade sobre quem, quando e onde se devem tomar decisões. Pode dizer também, que a organização é a etapa do processo de administração que agrupa e estrutura os recursos organizacionais e estabelece os mecanismos de comunicação e coordenação entre seus membros de forma a permitir que se alcancem os objetivos estabelecidos de modo eficiente. 3

4 2- Organograma: estrutura formal e informal Unidade: Estrutura Colocar Organizacional De acordo com Massarollo (1991) normalmente, quando se pensa em estrutura, se pensa na estrutura formal da organização, que é a estrutura planejada, formalizada oficialmente, aquela que está no papel. Por esse motivo, faz-se uso de uma forma visual de representação da estrutura organizacional: o organograma. Figura 2 Modelo de representação gráfica organograma Fonte: A representação gráfica da estrutura organizacional mostra as funções, os departamentos e os cargos da organização, especificando também como eles se relacionam. Cada retângulo de um organograma representa a forma de dividir o trabalho e os critérios de departamentalização usados pela organização. Esses retângulos são dispostos em níveis que representam a hierarquia da organização, já as linhas que ligam os retângulos referem-se à distribuição de autoridade ou a cadeia de comando, indicando quem está subordinado a quem. (SOBRAL e PECI, 2008) Os organogramas são instrumentos úteis de comunicação da estrutura organizacional, mas não conseguem representá-la totalmente, pois não fica evidente a estrutura informal. A estrutura informal refere-se aos aspectos da organização que não foram planejados formalmente, mas que emergem espontânea e 4

5 naturalmente de interações e relacionamentos sociais entre as pessoas que ocupam posições na organização formal. (MASSAROLLO, 1991) Vamos entender melhor esse processo? Uma estrutura é considerada informal quando colaboradores de diferentes unidades de um hospital se encontram e trocam informações sobre assuntos da instituição, sem passar por meio das linhas formais de comunicação, ou ainda, quando um colaborador influi na decisão do líder, de forma sistemática, devido ao relacionamento de amizade existente entre eles. (MASSAROLLO, 1991) 1- Elementos do processo de organização Os conceitos e princípios básicos do processo de organização foram formulados no início do século XX por Fayol e Weber. Surpreendentemente, apesar de todas as mudanças nas sociedades, muitos desses princípios ainda oferecem contribuições importantes para o entendimento do processo de organização. (SOBRAL e PECI, 2008; MARQUIS e HUSTON, 2005) Os elementos do processo de organização também podem ser chamados de aspectos relativos à estrutura organizacional. Para Massarollo (1991), Sobral e Peci (2008), esse conjunto compreende seis aspectos: Definição do grau desejável de especialização do trabalho que permita ganhos de eficiência; Definição da cadeia de comando, que distribui a autoridade e a responsabilidade pelos membros organizacionais; Definição da amplitude de controle ideal, ou seja, do número de subordinados sob a responsabilidade de cada líder; Definição dos critérios de departamentalização para agrupar as tarefas em unidades; Definição do grau desejável de centralização/descentralização do processo de tomada de decisão; Definição do grau desejável de formalização das funções e das tarefas organizacionais. 5

6 Resumindo: Os aspectos compreendem: a divisão do trabalho e especialização, hierarquia, autoridade e responsabilidade, amplitude da supervisão, centralização e descentralização, e formalização. Vamos entender melhor como identificar a cada um desses aspectos? A) Especialização do trabalho: As organizações realizam um conjunto amplo de tarefas. Essas tarefas devem ser divididas em atividades pequenas e simples, de modo a permitir que os trabalhadores se especializem em sua execução e, assim, sejam mais produtivos. Por meio da divisão de trabalho, uma tarefa complexa é decomposta em partes, atribuindo a cada colaborador, um conjunto de atividades limitadas e diferentes, nas quais se especializará em uma parte e não a tarefa como um todo. (SOBRAL e PECI, 2008; MARQUIS e HUSTON, 2005) Figura 3 Especialização na divisão de trabalho Fonte: Para Massarolo (1991) proceder-se a divisão de trabalho, primeiro se procura determinar as atividades necessárias ao alcance dos objetivos gerais, para depois dividi-las, compondo unidades distintas e, completa, a especialização pode ocorrer em dois sentidos: na horizontal e na vertical. Na especialização horizontal a especialização de atividades e de conhecimento acarreta um maior número de órgãos no mesmo nível hierárquico, conhecido como departamentalização, que é o processo de reunir as atividades para fins administrativos, ocorre em todos os níveis hierárquicos e caracteriza-se 6

7 pelo crescimento horizontal do organograma. (MARQUIS e HUSTON, 2005; MASSAROLO, 1991) Na especialização vertical ocorre a necessidade de verificar a necessidade de aumentar a qualidade da supervisão, acrescentando mais níveis hierárquicos de supervisão na estrutura. Caracteriza pelo crescimento vertical do organograma. (MASSAROLO, 1991) De modo geral, as organizações têm de tomar decisões quanto ao grau de especialização horizontal e vertical das tarefas. B) Cadeia de Comando: De acordo com Sobral e Peci (2008), em toda organização formal existe uma hierarquia que a divide em camadas ou em níveis de autoridade. Essa hierarquia é chamada de cadeia de comando. A cadeia de comando especifica que a autoridade deve passar do topo até o último elemento da hierarquia organizacional por uma linha clara e ininterrupta, identificando quem deve responder a quem. Dessa forma, as decisões relativas à cadeia de comando da estrutura organizacional dizem respeito à distribuição da autoridade a pessoas ou unidades de trabalho na organização. A medida que se sobe na escala hierárquica, aumenta a autoridade do ocupante do cargo, como mostra a figura abaixo: Figura 4 - Autoridade na escala hierárquica Fonte: 4/images/guia/piramide.jpg 7

8 O conceito de cadeia de comando está associado a um princípio clássico de administração, o princípio da unidade de comando, segundo o qual, cada colaborador reporta apenas a um único superior hierárquico, mas como ocorre nas estruturas de organizações contemporâneas? Importante ressaltar que, na concepção clássica, autoridade é o poder de comandar colaboradores para que executem atividades visando à realização dos objetivos propostos. O poder de comandar diminui à medida que se vai do alto para baixo na estrutura hierárquica, ou seja, as posições do topo tem mais autoridade formal que as posições da base. (MARQUIS e HUSTON, 2005; MASSAROLO, 1991) A autoridade pode ser representada por uma pirâmide invertida, uma vez que, à medida que se sobe na cadeia de comando até o topo da estrutura de organização, a área de autoridade se expande gradativamente em cada nível hierárquico. (MASSAROLO, 1991) Nível estratégico Nível tático Nível operacional Figura 5 Pirâmide hierárquica correspondente à área de autoridade C) Amplitude de controle: Também denominada de amplitude administrativa, extensão do controle e amplitude da supervisão. Esse conceito decorre da distribuição de autoridade e responsabilidade e mede o número de pessoas subordinadas a um administrador, ou seja, o número de pessoas que um profissional pode supervisionar com eficiência. (SOBRAL e PECI, 2008; MASSAROLO, 1991) 8

9 A amplitude de controle varia de acordo com a situação, dependo de fatores como similaridade das funções, proximidade física, complexidade do trabalho, competência dos colaboradores, grau necessário de supervisão direta, assim pode-se identificar que nem todos os administradores tem o mesmo número de colaboradores na sua responsabilidade. Essa amplitude adotada pela organização determina a configuração geral de sua estrutura organizacional, quanto maior a amplitude, maior o número de subordinados e, consequentemente, menor o grau de atenção e controle que o superior pode desenvolver sobre eles. (SOBRAL e PECI, 2008; MASSAROLO, 1991) Para Sobral e Peci (2008) a amplitude de controle ideal depende de vários fatores, como: Complexidade do trabalho; Competência, experiência e motivação dos gestores e dos colaboradores; Sofisticação do sistema de informação e comunicação; Similaridade das tarefas e das funções supervisionadas; Disponibilidade e clareza das regras e procedimentos que definem as tarefas; Interdependência ou interligação das tarefas; Proximidade dos colaboradores concentração no mesmo espaço físico; Estabilidade ou instabilidade do ambiente externo; Estilo pessoal dos administradores e cultura organizacional. Em geral, as organizações contemporâneas tendem a apresentar amplitude de controle maior, como uma forma de facilitar a delegação e, com isso, aumentar sua agilidade e rapidez na resposta às mudanças ambientais e ás exigências dos clientes. D) Departamentalização: O departamento refere-se a uma unidade de trabalho que agrega um conjunto de tarefas semelhantes ou coerentes entre si sob a direção de um líder. A departamentalização permite simplificar o trabalho do líder, aumentando a eficácia e a eficiência da administração, pois contribui para um aproveitamento 9

10 mais racional dos recursos disponíveis nas organizações. Sabe-se que, os critérios usados para departamentalizar devem refletir o agrupamento que melhor contribui para o alcance dos objetivos organizacionais.. (SOBRAL e PECI, 2008; MASSAROLO, 1991) E) Centralização e Descentralização: Figura 6 Centralização e descentralização Ao que se refere? A descentralização e Centralização referem-se ao nível hierárquico no qual são tomadas as decisões. Centralização significa que a autoridade, para tomar decisões, está centrada no topo da organização, enfatizando assim, a cadeia de comando. Já a descentralização, significa que a autoridade, para tomar decisões, é distribuída pelos níveis inferiores da organização. (SOBRAL e PECI, 2008; MARQUIS e HUSTON, 2005) ATENÇÃO! Nenhuma organização funcionaria com eficácia se todas as decisões fossem centralizadas em poucas pessoas, da mesma forma que não funcionaria se todas as decisões fossem tomadas pelos níveis hierárquicos que executam essas decisões. Assim, cabe aos administradores decidirem o grau de centralização adequado à sua organização. (SOBRAL e PECI, 2008) E qual as vantagens? 10

11 Vantagens: Centralização Decisões mais consistentes, com os objetivos da organização; Maior uniformidade de procedimentos, políticas e decisões; Maior facilidade na avaliação e no controle de desempenho da organização. (SOBRAL e PECI, 2008) Descentralização Maior agilidade, rapidez, tomada decisão; Decisões mais adaptadas às condições locais; Maior facilidade na avaliação e controle do desempenho de unidades e gerentes; (SOBRAL e PECI, 2008) F) Formalização: A formalização prescreve como, quando e por quem as atividades deverão ser executadas, representa o uso de normas na organização e corresponde ao grau em que normas, procedimentos (padronização de processos), instruções e comunicações estão escritos. E ainda, a formalização materializa-se na quantidade de manuais, pouco espaço para comunicação oral, horários fixos de trabalho, controle da hora de entrada e saída, aplicação de penalidades formais, por último, linha de produção em que uma peça passa na mesma direção. (SOBRAL e PECI, 2008; MASSAROLO, 1991) Pode-se dizer que a formalização é uma dimensão que se refere ao grau de controle da organização sobre o profissional. Ela reduz a capacidade de decisão e autonomia dos membros organizacionais, especificando a forma e os limites de atuação no lugar de trabalho e definindo, em algum grau, seu comportamento. Por último, o alto grau de formalização é associado aos efeitos perversos da burocracia. 11

12 Anotações 12

13 Referências MARQUIS BL.; HUSTON CJ. Administração e liderança em enfermagem teoria e prática.porto Alegre: Artmed, MASSAROLLO, MCKB. Estrutura organizacional e os serviços de enfermagem. In: KURCGANT, P. Administração em enfermagem. São Paulo: EPU, SOBRAL F.; PECI A. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro. São Paulo: Pearson Prentice Hall,

14 Campus Liberdade Rua Galvão Bueno, São Paulo SP Brasil Tel: (55 11)

Teoria da Administração. RAD-1101 Prof.Dr.Jorge Henrique Caldeira de Oliveira

Teoria da Administração. RAD-1101 Prof.Dr.Jorge Henrique Caldeira de Oliveira Teoria da Administração RAD-1101 Bibliografia Filipe Sobral, Alketa Peci. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro, cap.6 Organização Objetivos da aula Definir os conceitos de organização,

Leia mais

MODELOS DE GESTÃO AULA 05 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

MODELOS DE GESTÃO AULA 05 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL MODELOS DE GESTÃO AULA 05 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL AS ORGANIZAÇÕES: ESTRUTURA Estrutura: (latim) structūra: ação ou modo de edificar ou de construir, aquilo que se construiu Structum: reunir, juntar, arrumar

Leia mais

Unidade II ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha

Unidade II ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha Unidade II ESTRUTURAS ORGANIZACIONAIS Prof. Léo Noronha Sumário Unidade II 3. A organização como função administrativa 3.1 Conceitos básicos: a administração e o processo administrativo 3.2 A função organização

Leia mais

Administração. Princípios da Organização do Trabalho. Professor Rafael Ravazolo.

Administração. Princípios da Organização do Trabalho. Professor Rafael Ravazolo. Administração Princípios da Organização do Trabalho Professor Rafael Ravazolo www.acasadoconcurseiro.com.br Administração Aula XX PRINCÍPIOS DA ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO Há seis elementos-chave ajudam um

Leia mais

Delegação, centralização e descentralização

Delegação, centralização e descentralização Delegação, centralização e descentralização Amplitude de controle PROF. DACIANE DE O. SILVA DISCIPLINA- OSM Referência: REBOUÇAS, Djalma de Oliveira DELEGAÇÃO Definição : A Delegação pode ser definida

Leia mais

Organização Formal. Organização Formal x Organização Informal. Tipos de Organização. Divisão Racional do Trabalho

Organização Formal. Organização Formal x Organização Informal. Tipos de Organização. Divisão Racional do Trabalho Divisão Racional do Trabalho Organização Formal x Organização Informal Organização Formal - Heterogênea -Rígida - Hierarquizada -Estática - Limitada Princípios Básicos das Organizações - Divisão do Trabalho

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO A busca do essencial. Estrutura Organizacional

FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO A busca do essencial. Estrutura Organizacional FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO A busca do essencial Estrutura Organizacional SUMÁRIO 1. A grande vilã 2. A estrutura é uma estratégia 3. Condicionantes e componentes 4. Elementos definidores da estrutura

Leia mais

PARTE IV O SISTEMA ORGANIZACIONAL CAPÍTULO FUNDAMENTOS DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL by Pearson Education

PARTE IV O SISTEMA ORGANIZACIONAL CAPÍTULO FUNDAMENTOS DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL by Pearson Education PARTE IV O SISTEMA ORGANIZACIONAL CAPÍTULO 15 FUNDAMENTOS DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL 2006 by Pearson Education O QUE É ESTRUTURA ORGANIZACIONAL? Estrutura organizacional Como as tarefas são formalmente

Leia mais

Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Cronograma das Aulas. Hoje você está na aula Semana Tema 01 Apresentação do PEA. Fundamentos

Leia mais

SISTEMA DE RESPONSABILIDADES: DEPARTAMENTALIZAÇÃO, LINHA E ASSESSORIA E DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES

SISTEMA DE RESPONSABILIDADES: DEPARTAMENTALIZAÇÃO, LINHA E ASSESSORIA E DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES PARTE III SISTEMA DE RESPONSABILIDADES: DEPARTAMENTALIZAÇÃO, LINHA E ASSESSORIA E DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES Departamentalização É o processo de agrupar atividades em frações organizacionais definidas segundo

Leia mais

2.2 Elementos formais e informais

2.2 Elementos formais e informais 2.2 Elementos formais e informais A produtividade de um grupo e sua eficiência estão estreitamente relacionadas não somente com a competência de seus membros, mas, sobretudo com a solidariedade de suas

Leia mais

Disciplina: Comportamento Organizacional. Assunto: Estrutura organizacional

Disciplina: Comportamento Organizacional. Assunto: Estrutura organizacional AULAS EMENTA: Estrutura organizacional e o processo de organização. Níveis hierárquicos e amplitude de controle e estilo gerencial. Departamentalização. I assunto: Estrutura organizacional e o processo

Leia mais

Aspectos Administrativos Comuns às Organizações (segundo Drucker)

Aspectos Administrativos Comuns às Organizações (segundo Drucker) Apostila : Teoria Neoclássica da Administração Apesar da influência das ciências do comportamento sobre a teoria administrativa os pontos de vista dos autores clássicos nunca deixaram de ser considerados.

Leia mais

Funções de Administração

Funções de Administração Funções de Administração Organização A Língua Portuguesa, como outros idiomas, utiliza uma mesma palavra com diversos significados. Neste curso, você já viu ou ainda verá algumas palavras ou expressões

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Organização do Trabalho na Produção

Curso de Engenharia de Produção. Organização do Trabalho na Produção Curso de Engenharia de Produção Organização do Trabalho na Produção Estrutura Organizacional Organização da Empresa: É a ordenação e agrupamento de atividades e recursos, visando ao alcance dos objetivos

Leia mais

Disciplina: Comportamento Organizacional. Assunto: Departamentalização

Disciplina: Comportamento Organizacional. Assunto: Departamentalização Disciplina: Comportamento Organizacional Assunto: Departamentalização Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA Especialista em Gestão Empresarial pela UEFS Graduada em Administração pela

Leia mais

Processos Organizacionais

Processos Organizacionais Processos Organizacionais 1 Contextualização Organizar: prática humana milenar Administração: esforços de racionalização do processo de trabalho adequação de meios e fins 2 As funções administrativas:

Leia mais

PRINCÍPIOS DE ADMINISTRAÇÃO ACH1113. Profa. Sylmara Gonçalves Dias. Profa. Sylmara Gonçalves Dias. ACH113 Princípios de Administração

PRINCÍPIOS DE ADMINISTRAÇÃO ACH1113. Profa. Sylmara Gonçalves Dias. Profa. Sylmara Gonçalves Dias. ACH113 Princípios de Administração PRINCÍPIOS DE ADMINISTRAÇÃO ACH1113 Profa. Sylmara Gonçalves Dias Agenda de aula (1)A evolução da Administração O processo administrativo e as funções gerenciais segundo Fayol O processo administrativo

Leia mais

TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO. HENRI FAYOL França

TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO. HENRI FAYOL França DA ADMINISTRAÇÃO HENRI FAYOL França HENRI FAYOL 1841-1925 Nasceu em Constantinopla, morreu em Paris. Desenvolveu a Teoria Clássica na França. Engenheiro de Minas aos 25 anos. Gerente Geral aos 47 anos.

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL CONCEITOS BÁSICOS

ADMINISTRAÇÃO GERAL CONCEITOS BÁSICOS ADMINISTRAÇÃO GERAL CONCEITOS BÁSICOS Atualizado em 27/10/2015 CONCEITOS BÁSICOS Administração, em seu conceito tradicional, é definida como um conjunto de atividades, princípios, regras, normas que têm

Leia mais

Fundamentos do Processo Administrativo: Organização

Fundamentos do Processo Administrativo: Organização Fundamentos do Processo Administrativo: Organização Unidade 4 Celina Martins Presidente 71 Sumário Introdução... 73 Objetivos... 74 Estrutura da Unidade... 74 Unidade 4: Tópico 1: Fundamentos de Organização...

Leia mais

Gestão de Negócios (7)

Gestão de Negócios (7) Gestão de Negócios (7) MODELO: CONFIGURAÇÕES DE MINTZBERG Prof. Dr. Hernan E. Contreras Alday A grande idéia Usando as configurações básicas de Henry Mintzberg, pode-se categorizar ou até tipificar organizações.

Leia mais

Modelos configuracionistas. Maria José Chambel

Modelos configuracionistas. Maria José Chambel Modelos configuracionistas Maria José Chambel Configuracão estrutural Introduz o conceito de configuração como um conjunto de variáveis que se interrelacionam; isto é constelações de variáveis que se conjugam

Leia mais

Organização Sistemas e Métodos. Tópico 7 Organogramas

Organização Sistemas e Métodos. Tópico 7 Organogramas Organização Sistemas e Métodos Tópico 7 Sumário 1. Introdução... 3 2. Objetivos... 3 3. Benefícios e Limitações... 3 4. Regras Gerais... 4 5. Significado dos componentes... 4 6. Tipos... 4 6.1 Organograma

Leia mais

Teoria Básica da Administração. Teoria Neoclássica. Professor: Roberto César

Teoria Básica da Administração. Teoria Neoclássica. Professor: Roberto César Teoria Básica da Administração Teoria Neoclássica Professor: Roberto César CENTRALIZAÇÃO VERSUS DESCENTRALIZAÇÃO Taylor Administração Científica Organização Funcional Descentralização da Autoridade Fayol

Leia mais

Liderança, Atributos & Atribuições

Liderança, Atributos & Atribuições Liderança, Atributos & Atribuições Rosely Gaeta Liderança a Situacional Modelo de Hersey & Blanchard, 1986 Fonte: Apostila e Capítulo 7 Sobral & Peci 11/11/2015 A liderança situacional, ou líder que adapta

Leia mais

Administração Interdisciplinar

Administração Interdisciplinar Administração Interdisciplinar 21/9/2015 Rosely Gaeta Revisão Fundamentos da Administração Introdução àadministração e às organizações Fonte: Felipe Sobral Alketa Peci - Teoria e Prática no Contexto Brasileiro

Leia mais

Processos e estruturas de. Organização. Capítulo 5. relações entre as pessoas e os recursos disponíveis

Processos e estruturas de. Organização. Capítulo 5. relações entre as pessoas e os recursos disponíveis Capítulo 5 Processos e estruturas de Organização Organização: processo de definir e estabelecer relações entre as pessoas e os recursos disponíveis da empresa, tendo em vista os objectivos que esta se

Leia mais

Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Cronograma das Aulas. Hoje você está na aula Semana Tema 01 Apresentação do PEA. Fundamentos

Leia mais

TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO

TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO TGA II TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO Henri Fayol (1841-1925) TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO As Funções Básicas da Empresa Funções técnicas: relacionadas com a produção de bens ou serviços da empresa.

Leia mais

Organização, Sistemas e Métodos. Aula 4 Amplitude de Controle; Níveis Administrativos

Organização, Sistemas e Métodos. Aula 4 Amplitude de Controle; Níveis Administrativos Organização, Sistemas e Métodos Aula 4 Amplitude de Controle; Níveis Administrativos OSM Bibliografia OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças, Sistemas, Organizações & Métodos, 17 a Edição, Editora Atlas, São

Leia mais

Introdução à Teoria Geral da Administração. Aula 6 Abordagem Neoclássica

Introdução à Teoria Geral da Administração. Aula 6 Abordagem Neoclássica Introdução à Teoria Geral da Administração Aula 6 Abordagem Neoclássica Fayol II: o Resgate Teoria Clássica Henri Fayol Escreveu o livro no início do século XX Só foi reconhecido nos EUA após sua morte,

Leia mais

PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA. ; Nome da Disciplina: ADMINISTRAÇÃO INTRODUÇÃO E TEORIAS Curso:

PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA. ; Nome da Disciplina: ADMINISTRAÇÃO INTRODUÇÃO E TEORIAS Curso: PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA Docente: JORGE DOVHEPOLY Telefones: (043) 9108-1444 / 3424-5222 E-mail: jdovhepoly45@gmail.com ; jorgeg.dovhepoly@uol.com.br Nome da Disciplina: ADMINISTRAÇÃO INTRODUÇÃO E

Leia mais

Estratégia e Marketing. EGI ISEC Denise Lila Lisboa Gil Abril 2008

Estratégia e Marketing. EGI ISEC Denise Lila Lisboa Gil Abril 2008 Estratégia e Marketing EGI ISEC Denise Lila Lisboa Gil Abril 2008 A Estrutura Organizacional é o que vai servir como ponte de ligação entre a Formulação e a Implementação da Estratégia para que a empresa

Leia mais

Apostilas OBJETIVA Ano XII - Concursos Públicos - Brasil. Concurso Público Conteúdo

Apostilas OBJETIVA Ano XII - Concursos Públicos - Brasil. Concurso Público Conteúdo Concurso Público 2017 Conteúdo 1 Características básicas das organizações formais modernas: tipos de estrutura organizacional, natureza, finalidades e critérios de departamentalização. 2 Cultura organizacional.

Leia mais

Capítulo 1. Introdução à administração e às organizações. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro 2008 Pearson Prentice Hall

Capítulo 1. Introdução à administração e às organizações. Administração: teoria e prática no contexto brasileiro 2008 Pearson Prentice Hall Capítulo 1 Introdução à administração e às organizações Conteúdo do capítulo Introdução à administração e às organizações As organizações e a administração O processo de administração As áreas funcionais

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FOR A FACULDADE DE ENFERMAGEM DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM BÁSICA (EBA) DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM I

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FOR A FACULDADE DE ENFERMAGEM DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM BÁSICA (EBA) DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM I UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FOR A FACULDADE DE ENFERMAGEM DEPARTAMENTO DE ENFERMAGEM BÁSICA (EBA) DISCIPLINA: ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM I Métodos de trabalho em Enfermagem DUTRA, Herica Silva Profa.

Leia mais

GESTÃO EM SAÚDE. Teorias da Administração. Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira

GESTÃO EM SAÚDE. Teorias da Administração. Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira 1 GESTÃO EM SAÚDE Teorias da Administração - 2 DEFINIÇÕES GESTÃO - engloba pessoas, processos e planejamento. ADMINISTRAÇÃO - finanças, contabilidade e mercado. 3 DEFINIÇÕES O conceito de administração

Leia mais

Desafio: Administração Geral - Parte I

Desafio: Administração Geral - Parte I Desafio: Administração Geral - Parte I 1. Em uma organização, os líderes podem possuir diferentes perfis ou estilos. Qual o estilo em que a liderança ocorre quando o colaborador necessita aprender a tarefa

Leia mais

Organização, Sistemas e Métodos. Organogramas. Por José Luís Carneiro. - -

Organização, Sistemas e Métodos. Organogramas. Por José Luís Carneiro. -  - Organização, Sistemas e Métodos Organogramas Por José Luís Carneiro - www.jlcarneiro.com - Organogramas Organogramas 2 - www.jlcarneiro.com - Introdução Gráfico que representa a estrutura formal da organização

Leia mais

Administração Interdisciplinar

Administração Interdisciplinar Administração Interdisciplinar LIVRO Administração, teoria e prática no contexto brasileiro: Filipe Sobral e Alketa Peci (capítulos 1 e 2) Original: Profª Me. Elizete F. Montalvão Adaptado por Prof. Me.

Leia mais

Panorama histórico da administração, parte I Taylor, ford, fayol, weber

Panorama histórico da administração, parte I Taylor, ford, fayol, weber Panorama histórico da administração, parte I Taylor, ford, fayol, weber Panorama histórico da ADM I Nascido na Filadélfia (EUA); Engenheiro Mecânico; Carreira na Midvale Steel Co. (de capataz a engenheiro)

Leia mais

Evolução do Pensamento

Evolução do Pensamento Unidade IV Evolução do Pensamento Administrativo Prof. José Benedito Regina Conteúdo da disciplina EPA Parte 1 - conceitos gerais da administração Parte 2 - evolução histórica: Abordagens administrativas

Leia mais

PROCESSOS DE NEGÓCIOS

PROCESSOS DE NEGÓCIOS GESTÃO DE DE NEGÓCIO UNIDADE 2: GESTÃO DE DE NEGÓCIOS PROFESSORA: LUCIANA FORTES FARIAS UNIDADE 2: GESTÃO DE DE NEGÓCIOS CONTEÚDO DESTA UNIDADE 2.1 Melhoria de processos e reengenharia organizacional 2.2

Leia mais

Treinamento e Desenvolvimento

Treinamento e Desenvolvimento Aula 8 Treinamento e Desenvolvimento Agenda 1 2 Seminário T&D e Estratégia de RH 3 4 Treinamento & Desenvolvimento Desenvolvimento de Lideranças 1 Seminário 3 The Young and the Clueless Bunker, K. A.;

Leia mais

TEORIA BUROCRACIA. Profa. Dra. Rosângela F. Caldas

TEORIA BUROCRACIA. Profa. Dra. Rosângela F. Caldas TEORIA BUROCRACIA CONCEITO Trabalho baseado em papéis e documentos, movimentados em seqüência contínua entre as várias unidades componentes da estrutura organizacional DESENVOLVIMENTO Europa - Sec. XX

Leia mais

Disciplina:OS&M Prof Ms Keilla Lopes Assunto: ORGANIZAÇÃO ( Estrutura Organizacional) AULA 4 II parte

Disciplina:OS&M Prof Ms Keilla Lopes Assunto: ORGANIZAÇÃO ( Estrutura Organizacional) AULA 4 II parte Disciplina:OS&M Prof Ms Keilla Lopes Assunto: ORGANIZAÇÃO ( Estrutura Organizacional) AULA 4 II parte MONTAGEM DE UMA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL ESTRUTURA ORGANIZACIONAL 1. COMPONENTES 2. CONDICIONANTES

Leia mais

CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DAS ORGANIZAÇÕES FORMAIS MODERNAS

CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DAS ORGANIZAÇÕES FORMAIS MODERNAS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS DAS ORGANIZAÇÕES FORMAIS MODERNAS Renato Lacerda Administração Pública Brasília, junho de 2011 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL: DEFINIÇÕES É o arcabouço que, formal ou informalmente, estabelece

Leia mais

Definições. Tarefa: atividades individualizadas e executadas por um ocupante de cargo. Cargos simples e repetitivos.

Definições. Tarefa: atividades individualizadas e executadas por um ocupante de cargo. Cargos simples e repetitivos. Desenho de Cargos 1 Definições Tarefa: atividades individualizadas e executadas por um ocupante de cargo. Cargos simples e repetitivos. Atribuição: atividades individualizadas, executadas por um ocupante

Leia mais

Processo de Organização AS ORGANIZAÇÕES E A ADMINISTRAÇÃO MUNDO ATUAL. Profª. Maíra Barroso Pereira. Março de 2011

Processo de Organização AS ORGANIZAÇÕES E A ADMINISTRAÇÃO MUNDO ATUAL. Profª. Maíra Barroso Pereira. Março de 2011 Universidade Federal do Ceará Faculdade de Farmácia, Odontologia e Enfermagem Departamento de Farmácia Disciplina de Gestão Farmacêutica Processo de Organização Oi Pessoal, tudo bem?! Quais são as expectativas

Leia mais

CONH. ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES IBFC AGENTE ADMINISTRATIVO AGENTE/ASSISTENTE ADMINISTRATIVO QUESTÕES IBFC - LISTA 01

CONH. ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES IBFC AGENTE ADMINISTRATIVO AGENTE/ASSISTENTE ADMINISTRATIVO QUESTÕES IBFC - LISTA 01 CONH. ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS AGENTE ADMINISTRATIVO AGENTE/ASSISTENTE ADMINISTRATIVO - LISTA 01 O inteiro teor desta apostila está sujeito à proteção de direitos autorais. Copyright 2016

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PROVA PARA TRANSFERÊNCIA. 1. Considerar (V) verdadeiro ou (F) falso, quanto às vantagens do organograma linear em uma organização.

ADMINISTRAÇÃO PROVA PARA TRANSFERÊNCIA. 1. Considerar (V) verdadeiro ou (F) falso, quanto às vantagens do organograma linear em uma organização. ADM 1 ADMINISTRAÇÃO PROVA PARA TRANSFERÊNCIA 1. Considerar (V) verdadeiro ou (F) falso, quanto às vantagens do organograma linear em uma organização. (V) Permite a visualização das responsabilidades e

Leia mais

ANÁLISE DE CARGOS. Conceito:

ANÁLISE DE CARGOS. Conceito: ANÁLISE DE CARGOS Conceito: É o trabalho de prospectar todos os detalhes de cada uma das funções que compõem um cargo, estudando-lhe os contornos do que, como e para que se faz, registrando todas as exigências

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Unidade 4: Implementação e controle do planejamento estratégico 1 SEÇÃO 4.1 A ESTRUTURA E A CULTURA ORGANIZACIONAL NA IMPLEMENTAÇÃO DA ESTRATÉGIA 2 Estrutura organizacional Especifica

Leia mais

Faculdades Integradas Teresa D Ávila

Faculdades Integradas Teresa D Ávila Faculdades Integradas Teresa D Ávila CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Reconhecido pela Portaria Ministerial nº. 4.571 de 28/12/05 e publicado no DOU em 29/12/05. Componente Curricular: Gestão por Processos Carga-horária:

Leia mais

24/11/2015. Evolução do Pensamento Administrativo. Teoria da Burocracia

24/11/2015. Evolução do Pensamento Administrativo. Teoria da Burocracia Evolução do Pensamento Administrativo 1903 1909 1916 1932 1947 1951 1953 1954 1957 1962 1972 1990 Teoria Abordagem 1903 Administração Científica Clássica 1909 Estruturalista 1916 Teoria Clássica Clássica

Leia mais

Concurso: Aula 2 LEONARDO FERREIRA SENADO FEDERAL ADMINISTRADOR

Concurso: Aula 2 LEONARDO FERREIRA SENADO FEDERAL ADMINISTRADOR Concurso: SENADO FEDERAL ADMINISTRADOR Aula 2 LEONARDO FERREIRA 1.Planejamento 2.Organização Processo Administrativo 3.Direção 4. Controle 2 O processo Organizacional(1) O planejamento, organização, direção

Leia mais

Estruturas Organizacionais

Estruturas Organizacionais Estruturas Organizacionais Rosely Gaeta 9/3/2016 Slides de Aula 01 Visão Geral Estruturas formais e informais Fontes: Henry Mintzberg Criando Organizações Eficazes Cap 1 Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira

Leia mais

Gestão de Negócios OBJETIVO NESTA AULA. A Pirâmide das Finanças Pessoais - AULA 01

Gestão de Negócios OBJETIVO NESTA AULA. A Pirâmide das Finanças Pessoais - AULA 01 A Pirâmide das Finanças Pessoais - OBJETIVO Formar profissionais com atuação eficaz nas empresas, apresentando uma visão holística das diversas atividades e processos que interagem nos ambientes interno

Leia mais

Estruturas Organizacionais

Estruturas Organizacionais Organizações, Sistemas e Métodos Estruturas Organizacionais Material desenvolvido com base em: CURY, Antonio. Organização e métodos: uma visão holística. São Paulo: Atlas, 2000. 1 Funções básicas 1. Realizar

Leia mais

Liderança 04/11/2011. Fonte: Maximiano (2009)

Liderança 04/11/2011. Fonte: Maximiano (2009) Fonte: Maximiano (2009) Autoridade Formal Fundamenta-se em leis aceitas de comum acordo, que criam figuras de autoridade dotadas do poder de comando. O seguidor obedece à lei incorporada na figura de autoridade,

Leia mais

Desenho Organizacional

Desenho Organizacional Desenho Organizacional Prof. Paulo Cesar F. de Oliveira, BSc, PhD 1 Processos Gerenciais Seção 1.1 Requisitos do desenho organizacional 2 1 Processos Gerenciais 3 Processos Gerenciais Seção 1.2 CaracterísFcas

Leia mais

Abordagens Organizacionais

Abordagens Organizacionais NOTA DE AULA CLASS NOTE Abordagens Organizacionais Roberto de Medeiros Junior roberto.medeiros.junior@hotmail.com Prof. Maria Terezinha Angeloni, Dr. terezinha.angeloni@unisul.br Abordagens Organizacionais

Leia mais

TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO

TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO Profa Giselle Pavanelli 5ª Aula Como explicar a Teoria Comportamental? Contexto da Teoria Comportamental A organização como organismo vivo As Relações Humanas Hierarquia das Necessidades

Leia mais

Afundamentos da Administração

Afundamentos da Administração Afundamentos da Administração aula 3 Professor Douglas Pereira da Silva 1 Fayol em uma de suas contribuições para o estudo da Administração define o chamado processo administrativo, com o desempenho de

Leia mais

Professora: Márcia Eliana Martins GRÁFICOS DE ORGANIZAÇÃO

Professora: Márcia Eliana Martins GRÁFICOS DE ORGANIZAÇÃO Disciplina: Organização, Sistemas e Métodos Professora: Márcia Eliana Martins 6º período/ Sistemas de Informação GRÁFICOS DE ORGANIZAÇÃO São todos aqueles que apresentam como finalidade básica representar

Leia mais

Gestão de Pessoas: Fases Evolutivas

Gestão de Pessoas: Fases Evolutivas Gestão de Pessoas: Fases Evolutivas Transição: de Operacional para Estratégico Fischer (2002) 4 fases correntes teóricas: Departamento pessoal até 20s controle, eficiência, taylorismo, fordismo; Gestão

Leia mais

Disciplina:OS&M Prof Ms Keilla Lopes Assunto: ORGANIZAÇÃO ( Estrutura Organizacional) AULA 4

Disciplina:OS&M Prof Ms Keilla Lopes Assunto: ORGANIZAÇÃO ( Estrutura Organizacional) AULA 4 Disciplina:OS&M Prof Ms Keilla Lopes Assunto: ORGANIZAÇÃO ( Estrutura Organizacional) AULA 4 CONCEITO DE ESTRUTURA ORGANIZACIONAL O agrupamento ordenado de recursos e atividades visando alcançar os objetivos

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2016 Plano de Curso nº 213 aprovado pela portaria Cetec nº 134 de 04/10/2012 Etec PROFa. MARIA CRISTINA MEDEIROS Código:

Leia mais

TÉCNICO EM MARKETING ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING. PROFESSOR: Murilo Gustavo Bott

TÉCNICO EM MARKETING ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING. PROFESSOR: Murilo Gustavo Bott TÉCNICO EM MARKETING ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING PROFESSOR: Murilo Gustavo Bott Presidente Prudente 2009 CURSO TÉCNICO EM MARKETING TURMA 2009 Disciplina: ADMINISTRAÇÃO DE MARKETING Docente: 1. OBJETIVOS

Leia mais

Etapa 03 Análise da Estrutura (continuação 01)

Etapa 03 Análise da Estrutura (continuação 01) Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Análise Organizacional 4º Período Administração 2013/2 Etapa 03 Análise da Estrutura (continuação 01) Agenda: O que é Estrutura Organizacional 1. Relembrando

Leia mais

ANÁLISE DO MODELO DE GESTÃO DE UMA PEQUENA EMPRESA ATRAVÉS DAS TEORIAS DE MINTZBERG ADAPTADAS AOS 8 CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA DO FPNQ

ANÁLISE DO MODELO DE GESTÃO DE UMA PEQUENA EMPRESA ATRAVÉS DAS TEORIAS DE MINTZBERG ADAPTADAS AOS 8 CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA DO FPNQ ANÁLISE DO MODELO DE GESTÃO DE UMA PEQUENA EMPRESA ATRAVÉS DAS TEORIAS DE MINTZBERG ADAPTADAS AOS 8 CRITÉRIOS DE EXCELÊNCIA DO FPNQ RESUMO Vários autores têm se esforçado em identificar o melhor modelo

Leia mais

EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES AULA 01

EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES AULA 01 EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES AULA 01 1. (CESPE / ICMBIO / 2014) De acordo com Henri Fayol, planejamento, preparo, controle e execução são as funções universais da administração. 2. (CESPE / ICMBIO / 2014)

Leia mais

SIMULADO AULA (CESPE / FUB / 2015)

SIMULADO AULA (CESPE / FUB / 2015) SIMULADO AULA 02 1. (CESPE / ICMBIO / 2014) De acordo com Henri Fayol, planejamento, preparo, controle e execução são as funções universais da administração. 2. (CESPE / ICMBIO / 2014) Com relação ao funcionamento

Leia mais

ORGANIZAÇÃO: Ato de dispor os elementos de um conjunto, de modo a facilitar o desempenho de suas funções para alcançar um determinado objetivo

ORGANIZAÇÃO: Ato de dispor os elementos de um conjunto, de modo a facilitar o desempenho de suas funções para alcançar um determinado objetivo OS&E ORGANIZAÇÃO: Ato de dispor os elementos de um conjunto, de modo a facilitar o desempenho de suas funções para alcançar um determinado objetivo Organização Informal: - Surge naturalmente, em função

Leia mais

ROTEIRO ESCOLA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO BASES DA MODERNA ADMINISTRAÇÃO EXERCÍCIOS FREDERICK TAYLOR E ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA

ROTEIRO ESCOLA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO BASES DA MODERNA ADMINISTRAÇÃO EXERCÍCIOS FREDERICK TAYLOR E ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA FILIPE S. MARTINS ROTEIRO BASES DA MODERNA ADMINISTRAÇÃO ESCOLA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO FREDERICK TAYLOR E ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA HENRY FORD E A LINHA DE MONTAGEM HENRI FAYOL E A ESCOLA DO PROCESSO

Leia mais

Figura 2.1: níveis hierárquicos de uma decisão. Fonte: Chiavenato, 1994.

Figura 2.1: níveis hierárquicos de uma decisão. Fonte: Chiavenato, 1994. 2 QUEM DECIDE? Saber tomar as decisões é a principal função do administrador da empresa, pois não existe decisão perfeita, ele terá que pesar as vantagens e desvantagens de cada alternativa para escolher

Leia mais

TEORIA GERAL DOS SISTEMAS Teoria Geral da Administração - TGA. Professores: Jailson Castro Freitas Sâmya Aguiar Lôbo

TEORIA GERAL DOS SISTEMAS Teoria Geral da Administração - TGA. Professores: Jailson Castro Freitas Sâmya Aguiar Lôbo TEORIA GERAL DOS SISTEMAS Teoria Geral da Administração - TGA Professores: Jailson Castro Freitas Sâmya Aguiar Lôbo Na ENFERMAGEM, o enfermeiro incorpora, em sua formação profissional, o saber de várias

Leia mais

Unidade I. Avaliação de Desempenho. Profª. Ana Paula de Andrade Trubbianelli

Unidade I. Avaliação de Desempenho. Profª. Ana Paula de Andrade Trubbianelli Unidade I Avaliação de Desempenho Profª. Ana Paula de Andrade Trubbianelli Avaliação / desempenho Avaliação: apreciação, análise Desempenho: possibilidade de atuação Conceituação de avaliação de desempenho

Leia mais

A organização afetando o comportamento das pessoas

A organização afetando o comportamento das pessoas Objetivos Definir as estruturas Organizacionais Diferenciar estruturas mecanicistas e orgânicas Conceituar Cultura Organizacional Apontar como as estruturas e principalmente a cultura organizacional afetam

Leia mais

UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná

UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná Processo Seletivo para Ocupação de Vagas Remanescentes nos Cursos de Graduação PROVOU 2015 Candidato: inscrição - nome do candidato Opção: código - nome

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORAMENTO, AVALIAÇÃO, CONTROLE E ATUALIZAÇÃO DO PLANO

PROGRAMA DE MONITORAMENTO, AVALIAÇÃO, CONTROLE E ATUALIZAÇÃO DO PLANO 9 PROGRAMA DE MONITORAMENTO, AVALIAÇÃO, CONTROLE E ATUALIZAÇÃO DO PLANO 120 121 9-PROGRAMA DE MONITORAMENTO, AVALIA- ÇÃO CONTROLE E ATUALIZAÇÃO DO PLANO 9.1-COMENTÁRIO O monitoramento de um Programa de

Leia mais

Burocracia segundo Weber. A Sociedade da Hierarquia Burocrática

Burocracia segundo Weber. A Sociedade da Hierarquia Burocrática Burocracia segundo Weber A Sociedade da Hierarquia Burocrática Problematização l O que há em comum entre a administração pública e a privada, que garante estabilidade política para a primeira e estabilidade

Leia mais

Gestão em Saúde LIDERANÇA

Gestão em Saúde LIDERANÇA Gestão em Saúde LIDERANÇA Profa. Ms. Raquel J. Oliveira Lima A administração tinha como objetivos principais: alcançar a eficiência e eficácia, Hoje alcançar a excelência por meio da eficiência e eficácia

Leia mais

Fundamentos da Direção

Fundamentos da Direção Aula 7 Direção Fundamentos da Direção Inerente a qualquer organização está a necessidade de gerir esforços individuais em função de objetivos organizacionais. A direção é a função da administração responsável

Leia mais

Aula 06 Organização da Manutenção

Aula 06 Organização da Manutenção Condições Básicas: O bom funcionamento de qualquer tipo de estrutura adotada para a manutenção de uma empresa depende de alguns fatores básicos que serão determinantes para a qualidade e agilidade dos

Leia mais

Clima organizacional dos colaboradores da indústria de Panificação do Grupo Cíntia

Clima organizacional dos colaboradores da indústria de Panificação do Grupo Cíntia Clima organizacional dos colaboradores da indústria de Panificação do Grupo Cíntia Michele Firmino Guimarães Vanessa Q. Rocha Centro Universitário do Norte (Uninorte) RESUMO Este trabalho vem mostrar o

Leia mais

Teoria Básica da Administração. Teoria Clássica. Professor: Roberto César

Teoria Básica da Administração. Teoria Clássica. Professor: Roberto César Teoria Básica da Administração Teoria Clássica Professor: Roberto César Abordagem Clássica da Administração Administração Científica Taylor Ênfase nas Tarefas Abordagem Clássica da Administração Teoria

Leia mais

Estruturas Organizacionais

Estruturas Organizacionais Estruturas Organizacionais Rosely Gaeta 11/3/2015 Slides de Aula 01 Visão Geral Estruturas formais e informais Fontes: Antonio Cury Organizações e Métodos M Uma Visão Holística - Capítulo 4 Henry Mintzberg

Leia mais

Gestão de Produção Aula1: Conceitos e Fundamentos da Administração da Produção. Prof. Valdir Tavares de Lucena

Gestão de Produção Aula1: Conceitos e Fundamentos da Administração da Produção. Prof. Valdir Tavares de Lucena Gestão de Produção Aula1: Conceitos e Fundamentos da Administração da Produção Prof. Valdir Tavares de Lucena »Vamos começar relembrando algumas teorias administrativas... 2 EVOLUÇÃO HISTÓRICA Pré-história

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS AULA 02

LISTA DE EXERCÍCIOS AULA 02 LISTA DE EXERCÍCIOS AULA 02 1. (FCC / TRF 5ª Região / 2012) A teoria administrativa que se relaciona à múltipla abordagem com enfoque na organização formal e informal e análise Intraorganizacional e Interorganizacional

Leia mais

Teoria Básica da Administração. Teoria Clássica. Professor: Roberto César

Teoria Básica da Administração. Teoria Clássica. Professor: Roberto César Teoria Básica da Administração Teoria Clássica Professor: Roberto César Abordagem Clássica da Administração Administração Científica Taylor Ênfase nas Tarefas Abordagem Clássica da Administração Teoria

Leia mais

Clique para editar o estilo do. título mestre

Clique para editar o estilo do. título mestre 1 A empresa é uma organização. O mundo de hoje é uma sociedade composta de organizações. Organizações são constituídas de: Pessoas Recursos não-humanos (como recursos físicos e materiais, recursos financeiros,

Leia mais

Gestão de Vendas Como administrar a sua empresa para transformá-la em uma máquina de vender

Gestão de Vendas Como administrar a sua empresa para transformá-la em uma máquina de vender Gestão de Vendas Como administrar a sua empresa para transformá-la em uma máquina de vender DICAS Para a sua leitura: Os itens do índice são clicáveis, então sinta-se à vontade para ler o conteúdo que

Leia mais

CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO. Prof. FLÁVIO TOLEDO

CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO. Prof. FLÁVIO TOLEDO CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO Prof. FLÁVIO TOLEDO 1. Em Administração, utilizar da melhor forma todos os recursos disponíveis denomina-se: A) Eficácia. B) Eficiência. C) Desempenho. D) Gerenciamento. 2. A

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Modular Noções de Administração Questões Giovanna Carranza

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Modular Noções de Administração Questões Giovanna Carranza 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Modular Noções de Administração Questões Giovanna Carranza 11. A Análise SWOT é uma ferramenta de gestão muito utilizada como

Leia mais

Cultura ética educacional

Cultura ética educacional Cultura ética educacional Prof. Dante Bonetti de Freitas OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM Entender os conceitos de burocracia e desburocratização. Analisar a estratégia educacional como fator de mudança. Compreender

Leia mais

As relações inter-organizacional no sistema de governação Joaquim Filipe Ferraz Esteves de Araújo

As relações inter-organizacional no sistema de governação Joaquim Filipe Ferraz Esteves de Araújo As relações inter-organizacional no sistema de governação Joaquim Filipe Ferraz Esteves de Araújo O modelo de organização dominante nas sociedades modernas resultou da aplicação da tecnologia nos processos

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2015 ETEC de Mairiporã Código: 271 Município: Mairiporã EE: Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional:

Leia mais

3- O PROCESSO DE PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO, LIDERANÇA E CONTROLE

3- O PROCESSO DE PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO, LIDERANÇA E CONTROLE 3- O PROCESSO DE PLANEJAMENTO, ORGANIZAÇÃO, LIDERANÇA E CONTROLE Quando fala-se em gestor, administrador ou gerente a primeira ideia que vem a mente é de um profissional que detém o poder dentro de uma

Leia mais