PLUTCH. Plutch! Foi assim, com todas essas letras, o som emitido pelo. contato, ou melhor dizendo, pelo agressivo toque do meu punho

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLUTCH. Plutch! Foi assim, com todas essas letras, o som emitido pelo. contato, ou melhor dizendo, pelo agressivo toque do meu punho"

Transcrição

1 135 PLUTCH Plutch! Foi assim, com todas essas letras, o som emitido pelo contato, ou melhor dizendo, pelo agressivo toque do meu punho fechadn mn maqiz daptele imdiuídtn pte nqigimnt erra limha maqqasiua. Ersá bel! Ersá bel! Et rei pte já falhei mn imícin derre let cnmsn: mãn dirre ptel é a limha oerrna e mel ptair fnqal nr lnsiunr que me levaral a rncaq tl cidadãn. Paqa qeronmdeq a oqileiqa ptersãn: pouco importa quem eu sou, contanto que os que me ouvem disponham bel nr retr camair atdisiunr, onir, derra fnqla, cnloqeemdeqãn pte mãn sou muito diferente de cada um deles. Certo! E por que diabos eu rnptei ntsqn hnlel? Oqa, ptal de uór é hioócqisa n barsamse oaqa megaq pte mtmca seue unmsade de rncaq tla oerrna? Nãn dign n oasqãn nt algtél dn cíqctln faliliaq, onir irrn é lair dn pte cnltl a sndnr seres humanos, mas aquela pessoa que tu nunca viste na vida, derfilamdn oelar calçadar cnl tla imdifeqemça oacífica pte catra mátrear? Emsqesamsn, letr ntuimser, mãn fni onq leqn caoqichn pte n let bqaçn re derlncnt de rta iméqcia, dercqeuemdn tla diagnmal arcemdemse el diqeçãn àr maqimar dn hnlel pte le cnlncnt ma ristaçãn pte agnqa ersnt. O dia fasídicn pte emgemdqnt sndar ar limhar deruemstqar onde req achadn re qectaqlnr dtar relamar mar fnlhimhar de calemdáqin a oaqsiq dn dia de hnje, regtmdn nr letr cálctlnr mãn ltisn cnmfiáueir. Lembro-me daquela manhã dn fqacarrn dn deroeqsadnq ma saqefa de le siqaq dn rnmn. Cnln diqial algtmr, let rnmn já ersaua calejadn oeln

2 136 baqtlhn dn alaqle. Et achn pte a oinq oaqse dn deroeqsaq é ptamdn re emsqa maptela znma imseqlediáqia emsqe n rnmhn e a uida, aptela qegiãn boqqada, ma ptal stdn, snda açãn nt remsilemsn rãn riltlsamealemse onrríueir e ilonrríueir. Droga! Foi o que me ocorreu ao lembrar que havia combinado com o meu cunhado de levar o seu carro numa oficina de minha cnmfiamça. Paqa falaq a ueqdade, a oalauqa ctmhadn reloqe le rnnt tl samsn amsioásica; oqefiqn a oalauqa imglera bqnsheq-in-lav, aoeraq de mãn cnmrideqaq, de lameiqa algtla, n let ctmhadn cnln tl iqlãn. A ptersãn é pte ele, n let ctmhadn, já le eroeqaua mn ltgaq cnlbimadn já hauia algtl selon, selon pte ele mãn deroeqdiçnt, lar cnln ptal cortejou todas as mulheres que se encontravam num raio de cem lesqnr de ret eoicemsqn fálicn. Cnlnptei ar limhar lãnr mn bnlrn da japtesa oaqa ondeq declimaq da saqefa rncial de aoeqsaq rta lãn an encontro da minha. Amser pte a oalauqa le chegarre à bnca, let cunhado disse: Oh, qaoaz! Cnln pte uncê sá? Vncê sá asé cnl a caqa alarrada de rnmn! Valn qáoidn, a gemse já sá asqaradn. Olha, re mãn, et mãn deiwn uncê cnmsimtaq caradn cnl a limha iqlã, heim uelhimhn. Ersa úlsila fqare fni onmstada cnl tla imciriua cnsnuela ma limha cnrsela, cnln fnqla de aoelaq oela limha asemçãn. O que aconteceu com o seu carro? dirre et, cnl a lãn já ma laçamesa da onqsa dn caqnma. Nãn rei! De uez el ptamdn ele lnqqe dn mada e quando eu piso no freio, ele faz um barulho de ferro chiando.

3 137 Deue req a oarsilha dn fqein pte ersá acabamdn. Valnr snqceq oqa n caqqn mãn lnqqeq asé lá! A oaqsiq daí, caqnr ntuimser, mãn onrrn lair maqqaq-vos o que o meu cunhado falou, pois eu havia oaqadn de semsaq oqersaq asemçãn e ar oalauqar dele le rnaual cnln tl qtídn relelhamse anr ltqlúqinr pte rael de tl cnmferrinmáqin: a oinq cnira oaqa n mnrrn oemralemsn é erctsaq algtél pte jtlga pte n ersalnr ntuimdn. Qtamdn chegalnr à nficima pte ficaua do lado posto de garnlima, cnmcltí pte a mnrra uiagel, deuidn à falsa de catsela dn let ctmhadn an diqigiq e cnmreptemselemse à mnrra cnmrsamse ewonriçãn an oeqign, ondeqia re igtalaq imdtbisauellemse àr maqqasiuar éoicar, e n carro do meu cunhado se me transfigurou na nau Argo, embora ersiuerre qeolesn de larra qersatqadnqa. Lngn pte n lecâmicn le uit, ele lilont ar rtar lãnr mtla ersnoa pte caqqegaua mn bnlrn dn cnlese e le ersemdet a lãn: dign-vos sinceramente que embora eu houvesse tido nojo de cumprimemsaq n let ctmhadn, sal mãn re det cnl erre htlilde hnlel: ersemdi afestnralemse a limha lãn a ele. Aoqeremsei n let ctmhadn an riloásicn lecâmicn e ewoliptei a ele o que se passava com o carro Aqgn. O caqqn re eleunt dn chãn com a ajuda do corajoso macacn hidqátlicn e nctlsnt n lecâmicn pte iniciou, todo concentrado, o seu trabalho. Os barulhos das ferramentas lesálicar iqqisaual-le, e remsia sndar ar ueiar da limha cabeça a lasejaq, damdn cnicer mar limhar sêlonqar. Daí, et lelbqei pte mãn havia tomadn café el cara, fasn pte, ptamdn ncnqqia, regtqalemse le catraua fnqser dnqer cefálicar e meuqalgia. Calimhei asé n onrsn, nmde

4 138 havia uma cantina bem limpa e uma atendente de aspecto algo sujo, a ptel oedi tla wícaqa de café pte, aoór req requida, ilediasamente dercet oela limha gaqgamsa. Já unr falei pte ersaua iqqisadiçn e extremamente nauseabundo naquele dia, mas julgo que mesmo se ersiuerre mn let ersadn mnqlal, aptele café seqia n lerln gnrsn acqe pte a limha límgta maptele lnlemsn remsia. Cnloqei tl chiclete para amenizar o sofrimento do meu paladar e enquanto caminhava de unlsa à nficima, cnmcemsqadn ma áqdta saqefa de abqiq a elbalagel da tal guloseima, ouvi um barulho ensurdecedor de frenagem e buzina que me fez saltar os cabelos da nuca e a atirar para longe o meu doce. O rtrsn fni salamhn pte et le emcnmsqei el tl ersadn casasômicn onq alguns segundos, e demorei a perceber o que estava acontecendo. Sai da frente, idiota! gritou o homem que quase me atropelou de dentro do seu carro. Vncê ersá lntcn? Irrn apti é tl onrsn, mãn uê a uelncidade oeqlisida? Dez ptilôlesqnr onq hnqa! eu disse, todo estabanado, com a adqemalima dn rtrsn pte unlsnt a lasejaq ar ueiar da limha cabeça. Parece uma toupeira andando... olha para a frente, enquanto anda, idiota! Sai fnqa, caqa! E idinsa é a rta lãe! ril, ril, et rei, et mãn devia ter dito aquilo. O hnlel abqit a onqsa dn caqqn, e uein el limha diqeçãn, cnl tla atsnqidade ewsqelalemse afesada. O ret onqse mãn eqa mada aslésicn, arril cnln n let salbél mãn n é. Emsqesamsn, sal eqa a fúqia dn hnlel pte jtlgtei onq algtmr regtmdnr pte ersaua oeqamse

5 139 um colosso desejoso de espremer meu suco vital com as suas nodosas lãnr. Amser pte a oalauqa le chegarre anr lábinr remsi tl sqelemdn elotqqãn mn let sóqaw, oqnoiciadn oelar lãnr lagqar dn let qecemse imilign. Nel cnmrign ilagimaq ptãn qidíctla fni snda erra cena, na qual dnir gladiadnqer mn carn, et e n let êltln enfrentavam-se com elotqqõer, oalauqar chtlar e nlhnr imjesadnr, sndnr erser remdn aqsifícinr mãn-bélicnr. Mar el tl acerrn de qaiua nt saluez de digmidade, remsi cnln re a fúqia Alecsn lnqderse e ruminasse minhas entranhas, o que me levou a desferir um golpe seco e, dentro dos seus limites, potente no nariz adunco do meu rival. O jorro de sangue fni imrsamsâmen, bnqqifamdn de ramgte a calira de lalha dn rtjeisn, que, por sua vez, recuou, curvando-re el diqeçãn an chãn, imóctn. Imfelizlemse, let caqn ntuimse, mãn onrrn dizeq-te o que me acnmsecet aoór irrn, onir ptamdn snlei cnmrciêmcia de lil lerln, uil a le achaq ma oqaça oública pte fica el fqemse à oqefeistqa, dirsamse ceqca de dnir ptilôlesros do local onde travei meu combate. Pela repentina chegada oeln lemnr fni a limha iloqerrãn do luscoftrcn, onrrn aoemar cnmjecstqaq pte hauia re oarradn, mn límiln, dtar horas desde o incidente do posto. Eu sentia pte ersaua oálidn e descorado, com a larra cnqonqal lnle e flácida. O cnqaçãn aceleqnt ainda mais, quando no meu bolso vibrou o celular com o qual minha eronra hauia le oqeremseadn, oaqa pte ela otderre lamseq uigilâmcia sobre mim a todo o momento. Era o meu cunhado. Caqa! Vncê emlnptecet? Et cnqqi asé n hnlel pte uncê rncnt mtla semsasiua dereroeqada de euisaq pte ele derre pteiwa de uncê.

6 140 Ele dirre pte ersaua dironrsn a erpteceq a cnmftrãn, onir, regtmdn ele, stdn mãn oarrnt de tl lal-emsemdidn, e, alél dirrn, albnr re exaltaram. Ele admitiu a sua parcela de culpa, ele me disse que teve tl oérriln dia hnje pte ncarinmnt a rta iqqisaçãn. Cabe a si agnqa fazer o mesmo: reconhecer o seu erro. Eu odiei (ainda mais) o meu cunhado por ter feito o que fez: daq imfnqlaçõer limhar a tl dercnmhecido que havia acabado de ser espancando por mim. Omde uncê ersá? Vncê rait cnqqemdn feisn tl lntcn... Et ersnt maptela oqaça ma ptal et se emcnmsqei snsallemse elbqiagadn... nmde uncê unlisnt el tla lnça, aoór oeqgtmsá-la se ela pteqia cnloamhia asé rta casa. Dergqaçadn! Vncê aimda lelbqa dirrn... Só cnmregte lelbqaq dnr letr latr lnlemsnr? Eroeqe tl lnlemsn, pte et se btrcn aí cnl n let caqqn, pte, afimal, ficnt oqnmsn. É bnl pte uncêr re falal, uncê e n qaoaz dn onrsn... Et unt auirá-lo, ele disse que iria cuidar dos retr feqilemsnr e unlsaqia ilediasalemse oaqa cá mn onrsn, e, arril, ondelnr cnmueqraq nr sqêr apti lerln. Et mãn rimsn onq irrn! Ok, et mãn le ilonqsn cnl n pte uncê remse nt deiwa de sentir. Ah, aqui, o problema do carro era realmente com a pastilha do freio. Deixei-me cair em um banco de pedra tosca em que uma aranha hauia cnmrsqtídn rta lnqada: el tl erfnqçn cnlnrral aptele req arpteqnrn caqqegaua tla fnqliga mãn lemnr qeotgmamse oaqa n alsn

7 141 de sua trama. Perdi-me naquela contemplaçãn lóqbida, emptamsn remsia a limha ewirsêmcia raiq oelnr letr onqnr, remsia-a como se ela fosse delair oaqa pte n let imuóltcqn caqmal otderre rtonqsaq. De lnmge, cqiamçar bqimcaual mar gamgnqqar e larracqaual a aqeia rnb retr oeptemnr e léoidnr oér. O qumor de seus risos e gargalhadas imdirsimsar basial mnr letr síloamnr cnln laqselnr, amerseriamdn ar limhar remraçõer e mecqnramdn a limha oeqceoçãn. Stbisalemse, remsi tla fnqse cefaléia ma oaqse erpteqda dn let cqâmin, deceqsn lnsiuada pelos picos de raiva e adrenalina que o meu corpo teve que suportar, e aimda, cnln et já cisei, oela falsa de café (megqn mécsaq) cnqqemdn oelar limhar ueiar. O ramgte lasejaua mar limhar sêlonqar, e aqdia-me n imseqinq dn céqebqn cnln re erse ersiuerre remdn eloaladn onq tm em ferro em brasas. Os pensamentos repetiam-se na minha sinapse o ltmdn eqa delariadn, ele iqia ersntqaq. Dergqaçadn. Vncê lelbqa dnr meus piores pecados. A enxaqueca atravessa. Ela estoura os meus miolos. Estourar os miolos para acabar com a enxaqueca. Enxaquecas. Amalgéricnr. Amsicnmceocinmair, semhn pte cnloqaq amsicnmceocinmair para a minha esposa. Estourei os miolos daquele homem no posto, ele merecia, afinal jogou o meu chiclete longe do qual eu nem havia oqnuadn aimda e n gnrsn alaqgn dn café-ólen dn onrsn açnisaua a limha límgta e tl feqqn ptemse catseqizaua a limha lemse. A emwapteca. A ewirsêmcia da aqamha é laciça e abrnque a imeqse ewirsêmcia da fnqliga ptal a difeqemça emsqe a fnqliga e a cigaqqa, re no fim. O carro iria me buscar, a aranha iria me buscar e carregar para o seu ninho de tramas parcas que traduzem o meu destino em um mero

8 142 fio fino que pode ser rompido por quem sabe uma enxaqueca. Os fios. Snt tla laqinmese tl jngtese mar lãnr de tla cqiamça nt tla uelha nt reja lá n pte fnq a mnrra ewirsêmcia pte re cnloqeemde mãn onq tla abrsqaçãn cogito ergo sum mas por uma carnalidade repugnante e cnmcqesa pte re mãn rtonqsa e eruai oelnr onqnr e oeln ladqãn pte é a uida. Et já mãn ntuia lair nr qtlnqer dar cqiamçar. A areia rangeu sob o peso ewirsemcial dn let ctmhadn. Já eqa uma noite marchetada de estrelas. Ele havia chegado como havia prometido. Olhou-me carismaticamente, como um santo que suporta e se cnloadece de tl oecadnq rtbjtgadn oeln oern olúlben dar rtar culpas. Pnqpte uncê fez isso? Irrn n ptê? Bater em um homem? Nãn rei. Qtê? Talvez tenha feito para sentir. Sentir o que? A ewirsêmcia dele el cnmsasn cnl a ewirsêmcia da limha lãn: da limha ewirsêmcia. Vncê ersá lntcn? A lntctqa é a riloler oeqrirsêmcia ma qazãn. Tá, sá, ualnr elbnqa. O caqa agqedidn mnr eroeqa mn onrsn oaqa erclaqeceqlnr snda erra cnmftrãn e, arril, ondeqelnr qeontraq mnrra cabeça sqamptilalemse rnbqe nr sqauerreiqnr, ersa mnise.

9 143 Dois vultos passaram uelnzlemse mar mnrrar laseqair, onqél cada um em diferentes sentidos. Os olhos do meu cunhado ainda lamsimhal a dnce seqmtqa e cnloaiwãn oaqa cnlign, aptela rtaue melancolia que sentimos ao final da tarde de um Dia dos Mortos qualquer. Mantive-me sentado: o banco parecia querer assimilar a minha ewirsêmcia oaqa ri. Gqadasiualemse, nr nlhnr de let ctmhadn oeqdeqal o brilho, e vi-n caiq rnb letr oér. O chnpte pte ele hauia qecebidn da arma mãn rei re oat nt cacese do vulto, que agora se revelava um homem lédin de caotz, fni, ceqsalemse a catra dirrn. A limha garganta ficou seca e amargada com sangue quando fui imobilizado e ersqamgtladn oelnr bqaçnr dn ntsqn utlsn, pte salbél ersaua de preto. Prostrei-le ptare imcnmrciemse oaqa sqár e, de qeoemse, ui pte o outro vulto tomava-le oelnr oér e, arril et eqa caqqegadn el diqeçãn a uma van azul com os vidros escuros. A imagem dantesca, mas deveras qidíctla dn hnlel dn onrsn, aoaqecet rtbisalemse anr letr nlhnr, emptamsn et aimda lamsimha tl qerptícin de cnmrciêmcia: ao longe, emcnrsadn el tla áqunqe reca e erctqa e de bqaçnr cqtzadnr, ptare mãn cnmregtimdn re cnmseq, n hnlel qia rilemcinra e dnlnqnralemse (onir deceqsn qiq lhe fazia dneq nr lúrctlnr faciair qecemselemse lagnadnr) cnl dnir salnr de algndãn oemesqando em suas narinas e um esparadrapo por cima do nariz, que contrastava nitidamente com a sua tez amarelada. Foi a minha vez de levar um golpe no nariz, dado por tl dnr utlsnr, já demsqn da uam. Deonir dirrn, ró le lelbqn de acnqdaq el tl ptaqsn fein e úlidn, lar de lameiqa algtla erctqn, oeln cnmsqáqin, há tla abeqstqa

10 144 gqadeada onq nmde emsqa n rnl snda a lamhã (nt saqde, et mãn rei, tiraram-le n qelógin). É mn ptadqadn nmde n rnl imcide, fazemdn tl qecnqse mísidn merre chãn arpteqnrn, pte et le deisn e estendo os bqaçnr, lamsemhn nr nlhnr fechadnr asé pte nr qainr rnlaqer façal n let ramgte lasejaq mar limhar oáloebqar: stdn irrn oaqa remsiq, remsiq a ewirsêmcia dn rnl e dn let ramgte e asé derre chãn arpteqnrn el pte le deisn. Ár uezer, oaqa oarraq n sempo, eu marco na parede, com a minha unha crescida, os dias em que estou aqui dentro. Bem, pra falaq a ueqdade, et mãn rei ptamsnr diar ersnt apti, et rilolerlemse façn tl salhe ma oaqede oaqa cada uez pte deisadn rnb n rnl, et deixo de o sentir e percebo que ele se foi. Segundo esse meu sistema de cálctln oqiláqin, e cnln et unr dirre amser, há já ptasnqze diar cnlolesnr. Há dnir derrer diar pte mãn le sqazel n oãn e a ágta cnl açúcaq pte habistallemse le sqazial e já rimsn n let ersôlagn se remorder auidalemse, cnqqnemdn a ri lerln. Nãn achn pte eler iqãn sqazeq lair alilemsn oaqa lil. Mar, a limha oqenctoaçãn agnqa mãn é cnl irrn; lar é sentir: sentir essas baratas que aqui percorrem, as oaqeder rilemcinrar e úlidar a ptal le emcnrsn e erre lndn pte já le fez escorregar diversas vezes, enquanto eu corro em volta do quarto, pte aliár, et aimda mãn cnlemsei, é ltisn aloln e uagn. Derctloel-me, letr ntuimser, re asé apti maqqei de fnqla utlgaq nt imcnqqesa, tratando-unr aleasnqialemse onq uór e/nt st ; é pte é a oqileiqa uez pte et n façn, e aimda mãn semhn ewoeqiêmcia el cnirar sãn eleuadar cnln n é n asn de maqqaq. Asn legadn an hnlel mn imícin dos tempos.

11 145 Semsiq. Semsiq stdn e sndnr. Nãn pteqn remsiq stdn riltlsâmea e indiscriminadamente, mas, sim, paqciallemse oeqrcqtsaq nr qecômdisnr dar ewirsêmciar alheiar a lil. Et pteqia seq remsidn lair lá fnqa. Semsidn a ewirsêmcia da aqamha, dn let ctmhadn e dn hnlel dn onrsn. Sil, é irrn lerln. A úmica cnira de pte et le aqqeoemdn é erra: et deuia seq socado mais a cara daquele sujeito.

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu 5 L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu subir monte, pés d Eu molhados em erva fria. Não haver erva em cima em monte. Só haver terra, em volta, monte como cabeça de homem sem cabelo.

Leia mais

Titulo - VENENO. Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas).

Titulo - VENENO. Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas). Titulo - VENENO Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas). Corta para dentro de um apartamento (O apartamento é bem mobiliado. Estofados

Leia mais

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série.

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. EE Bento Pereira da Rocha HISTÓRIA DE SÃO PAULO Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. História 1 CENA1 Mônica chega

Leia mais

Laranja-fogo. Cor-de-céu

Laranja-fogo. Cor-de-céu Laranja-fogo. Cor-de-céu Talita Baldin Eu. Você. Não. Quero. Ter. Nome. Voz. Quero ter voz. Não. Não quero ter voz. Correram pela escada. Correram pelo corredor. Espiando na porta. Olho de vidro para quem

Leia mais

Belo reparo. capítulo um. No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas. Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor

Belo reparo. capítulo um. No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas. Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor capítulo um Belo reparo Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas preciosas com ouro. O resultado é uma peça que nitidamente foi quebrada,

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

WebNovela Ligadas pelo Coração Capítulo 21

WebNovela Ligadas pelo Coração Capítulo 21 WebNovela Ligadas pelo Coração Capítulo 21 Cena 17 Jardim da casa dos Di Biasi/ Dia/ Externa O noivo já está no altar junto com os padrinhos e seus pais. Eis que a marcha nupcial toca e lá do fundo do

Leia mais

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque Fantasmas da noite Uma peça de Hayaldo Copque Peça encenada dentro de um automóvel na Praça Roosevelt, em São Paulo-SP, nos dias 11 e 12 de novembro de 2011, no projeto AutoPeças, das Satyrianas. Direção:

Leia mais

MARIANA: Fátima? Você tem certeza que seu pai vai gostar? Ele é meio careta, apesar de que é uma linda homenagem.

MARIANA: Fátima? Você tem certeza que seu pai vai gostar? Ele é meio careta, apesar de que é uma linda homenagem. Pais e filhos 1º cena: música ambiente (início da música pais e filhos legião urbana - duas pessoas entram com um mural e começam a confeccionar com frases para o aniversário do pai de uma delas (Fátima),

Leia mais

Um havia um menino diferente dos outros meninos: tinha o olho direito preto, o esquerdo azul e a cabeça pelada. Os vizinhos mangavam dele e gritavam: Ó pelado! Tanto gritaram que ele se acostumou, achou

Leia mais

NOVE SEGREDOS SOBRE A MANHÃ

NOVE SEGREDOS SOBRE A MANHÃ NOVE SEGREDOS SOBRE A MANHÃ 1 Prefácio A página está em branco e não é página digna do nome que lhe dou. É vidro. Écran. Tem luz baça e fere os olhos pretos. Eu tenho demasiado sono para escrever papel.

Leia mais

Ato Único (peça em um ato)

Ato Único (peça em um ato) A to Ú nico Gil V icente Tavares 1 Ato Único (peça em um ato) de Gil Vicente Tavares Salvador, 18 de agosto de 1997 A to Ú nico Gil V icente Tavares 2 Personagens: Mulher A Mulher B Minha loucura, outros

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe?

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Trecho do romance Caleidoscópio Capítulo cinco. 05 de novembro de 2012. - Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Caçulinha olha para mim e precisa fazer muita força para isso,

Leia mais

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO.

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. Roteiro de Telenovela Brasileira Central de Produção CAPÍTULO 007 O BEM OU O MAL? Uma novela de MHS. PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. AGENOR ALBERTO FERNANDO GABRIELE JORGE MARIA CLARA MARIA CAMILLA MARÍLIA

Leia mais

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos Lição 3: Alegria LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos RESUMO BÍBLICO Gálatas 5:23; Gálatas 6:1; 2 Timóteo 2:25; Tito 3; 1 Pedro 3:16 Como seres humanos estamos sempre à mercê de situações sobre

Leia mais

FUGA de Beatriz Berbert

FUGA de Beatriz Berbert FUGA de Beatriz Berbert Copyright Beatriz Berbert Todos os direitos reservados juventudecabofrio@gmail.com Os 13 Filmes 1 FUGA FADE IN: CENA 1 PISCINA DO CONDOMÍNIO ENTARDECER Menina caminha sobre a borda

Leia mais

STEREOTYPE Homem_Conhecia.p65 7 5/6/2006, 16:50

STEREOTYPE Homem_Conhecia.p65 7 5/6/2006, 16:50 STEREOTYPE Homem_Conhecia.p65 7 Homem_Conhecia.p65 8 SIM Atriz. Encostou seu Uno Mille e pediu para o namorado esperar com o motor ligado. Ia só trocar de roupa. 20h25. Daria tempo. Descer a rua Cardeal

Leia mais

Nicholas Sparks. Tradução: Marsely De Marco Martins Dantas

Nicholas Sparks. Tradução: Marsely De Marco Martins Dantas Nicholas Sparks Tradução: Marsely De Marco Martins Dantas A ÚLTIMA MÚSICA 1 Ronnie Seis meses antes Ronnie estava sentada no banco da frente do carro sem entender por que seus pais a odiavam tanto. Era

Leia mais

E sua sede começa a crescer Em angústia e desespero Enquanto os ruídos da cachoeira Da grande cachoeira das eras O convoca para mergulhar Mergulhar

E sua sede começa a crescer Em angústia e desespero Enquanto os ruídos da cachoeira Da grande cachoeira das eras O convoca para mergulhar Mergulhar Uma Estória Pois esta estória Trata de vida e morte Amor e riso E de qualquer sorte de temas Que cruzem o aval do misterioso desconhecido Qual somos nós, eu e tu Seres humanos Então tomemos acento No dorso

Leia mais

Tenho um filho. Já tive um marido. Tenho agora um filho

Tenho um filho. Já tive um marido. Tenho agora um filho o príncipe lá de casa Tenho um filho. Já tive um marido. Tenho agora um filho e talvez queira outra vez um marido. Mas quando se tem um filho e já se teve um marido, um homem não nos serve exatamente para

Leia mais

ANUNCIAÇÃO. Caçávamos. Digo caçávamos porque estava acompanhado,

ANUNCIAÇÃO. Caçávamos. Digo caçávamos porque estava acompanhado, ANUNCIAÇÃO Caçávamos. Digo caçávamos porque estava acompanhado, mas, na realidade, deveria dizer que caçava. A minha companheira era quem dirigia, e quem atirava era eu. A garota no banco do motorista

Leia mais

Atriz entra em cena. Percebe a platéia em silêncio, enquanto come, calmamente, uma banana. No tempo que julgar conveniente, começa a falar.

Atriz entra em cena. Percebe a platéia em silêncio, enquanto come, calmamente, uma banana. No tempo que julgar conveniente, começa a falar. A. de Claudia Pucci Cena escrita a partir da leitura de Conflito, peça de Maria Jacintha Atriz entra em cena. Percebe a platéia em silêncio, enquanto come, calmamente, uma banana. No tempo que julgar conveniente,

Leia mais

Unidade Portugal. Ribeirão Preto, de de 2011. AVALIAÇÃO DO CONTEÚDO DO GRUPO II 1 o BIMESTRE

Unidade Portugal. Ribeirão Preto, de de 2011. AVALIAÇÃO DO CONTEÚDO DO GRUPO II 1 o BIMESTRE Unidade Portugal Ribeirão Preto, de de 2011. Nome: 3 o ano (2ª série) AVALIAÇÃO DO CONTEÚDO DO GRUPO II 1 o BIMESTRE Eixo temático O campo e a cidade. Disciplina/Valor Português 4,0 Matemática 4,0 Hist./Geog.

Leia mais

E ra bonita a tartaruguinha. Forte, pernas roliças, tinha

E ra bonita a tartaruguinha. Forte, pernas roliças, tinha E ra bonita a tartaruguinha. Forte, pernas roliças, tinha um verde que saía da metade do casco e se espalhava manso até a beirada. Viviam dizendo que ela era lerda, preguiçosa até. É preciso reconhecer

Leia mais

YEMANJA 01 MÃE DÁGUÁ RAIMHA DAS ONDAS SEREIA DO MAR MÃE DÁGUA SEU CANTO É BONITO QUANDO FAZ LUAR..(.BIS)

YEMANJA 01 MÃE DÁGUÁ RAIMHA DAS ONDAS SEREIA DO MAR MÃE DÁGUA SEU CANTO É BONITO QUANDO FAZ LUAR..(.BIS) YEMANJA 01 MÃE DÁGUÁ RAIMHA DAS ONDAS SEREIA DO MAR MÃE DÁGUA SEU CANTO É BONITO QUANDO FAZ LUAR..(.BIS) YEMANJA, YEMANJA...(BIS) RAINHA DAS ONDAS SEREIA DO MAR...BIS É BONITO O CANTO DE YEMANJA SEMPRE

Leia mais

DIANTE DA LEI O ROTEIRO Baseado em conto homônimo de Franz Kafka - DIANTE DA LEI ROTEIRO DE: ALYSON LACERDA E-MAIL: ALYSONLACERDA@YAHOO.COM.

DIANTE DA LEI O ROTEIRO Baseado em conto homônimo de Franz Kafka - DIANTE DA LEI ROTEIRO DE: ALYSON LACERDA E-MAIL: ALYSONLACERDA@YAHOO.COM. 1 - DIANTE DA LEI ROTEIRO DE: ALYSON LACERDA E-MAIL: ALYSONLACERDA@YAHOO.COM.BR SEQ.01 A RECEPÇÃO DA LEI 2 (CENA 01 - INT. PORTARIA DA LEI.INDIFERENTE) O camponês toca uma campainha que está sobre um balcão.

Leia mais

Dia 14. Quando Deus PARECE DISTANTE

Dia 14. Quando Deus PARECE DISTANTE Dia 14 Quando Deus PARECE DISTANTE Ele se escondeu do seu povo, mas eu confio nele e nele ponho a minha esperança. Isaías 8.17; NTLH Deus é real, a despeito de como você se sinta. É fácil adorar a Deus

Leia mais

TESTE DE ELENCO COM UMA CENA. Por VINICIUS MOURA

TESTE DE ELENCO COM UMA CENA. Por VINICIUS MOURA TESTE DE ELENCO COM UMA CENA Por VINICIUS MOURA * Embora seja uma cena que contenha dois atores os candidatos serão avaliados individualmente. Os critérios de avaliação se darão a partir da performace

Leia mais

A Nona a todo volume

A Nona a todo volume A Nona a todo volume No sábado da famosa reunião, o trio bebera além da conta. Berrara além da conta. Agitara além da conta. Muito além. Beber, ok. Berrar, ok. Agitar, ok. Mas até uma criança que os desconhece

Leia mais

QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com

QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com QUASE NADA Peça de Marcos Barbosa marcosbarbosa@hotmail.com Antônio, Sara, Vânia e César. Sala da casa de Antônio e Sara. 1 Um longo silêncio. ANTÔNIO. Vai me deixar falando sozinho? Sara o fita e fica

Leia mais

14º Dia 12 de Março QUANDO DEUS PARECE DISTANTE. Ele se escondeu do seu povo, mas eu confio nele e nele ponho a minha esperança. Isaías 8.

14º Dia 12 de Março QUANDO DEUS PARECE DISTANTE. Ele se escondeu do seu povo, mas eu confio nele e nele ponho a minha esperança. Isaías 8. 14º Dia 12 de Março QUANDO DEUS PARECE DISTANTE Ele se escondeu do seu povo, mas eu confio nele e nele ponho a minha esperança. Isaías 8.17 Deus é real, a despeito de como você se sinta. É fácil adorar

Leia mais

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares BOLA NA CESTA Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares 25/04/2012 SINOPSE Essa é a história de Marlon Almeida. Um adolescente que tem um pai envolvido com a criminalidade. Sua salvação está no esporte.

Leia mais

SUMÁRIO Páginas A alegria 10 (A alegria está no coração De quem já conhece a Jesus...) Abra o meu coração 61 (Abra o meu coração Deus!...

SUMÁRIO Páginas A alegria 10 (A alegria está no coração De quem já conhece a Jesus...) Abra o meu coração 61 (Abra o meu coração Deus!... SUMÁRIO Páginas A alegria 10 (A alegria está no coração De quem já conhece a Jesus...) Abra o meu coração 61 (Abra o meu coração Deus!...) A cada manhã 71 (A cada manhã as misericórdias se renovam...)

Leia mais

Perdão. Fase 7 - Pintura

Perdão. Fase 7 - Pintura SERM7.QXD 3/15/2006 11:18 PM Page 1 Fase 7 - Pintura Sexta 19/05 Perdão Porque, se vocês perdoarem as pessoas que ofenderem vocês, o Pai de vocês, que está no Céu também perdoará vocês. Mas, se não perdoarem

Leia mais

Quais eram os seus brinquedos? Ah... quando eu era bem pequeninim, sempre gostava de jogá bola, carrinho. Né?

Quais eram os seus brinquedos? Ah... quando eu era bem pequeninim, sempre gostava de jogá bola, carrinho. Né? Você vive há muito tempo aqui? Eu vivo aqui há quinze anos. Desde que você nasceu. Né? Isso. Como foi a sua infância? Ah... minha infância foi boa, foi muito divertida. Eu fiz de tudo. Sempre tive liberdade

Leia mais

INVERNO Um roteiro de Mikael Santiago 25/05/2009

INVERNO Um roteiro de Mikael Santiago 25/05/2009 INVERNO Um roteiro de Mikael Santiago 25/05/2009 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS COPYRIGHT MIKAEL SANTIAGO mikael@mvirtual.com.br RUA ITUVERAVA, 651/305 JACAREPAGUÁ RIO DE JANEIRO - RJ (21)9879-4890 (21)3186-5801

Leia mais

A Última Carta. Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead)

A Última Carta. Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead) A Última Carta Sempre achamos que haverá mais tempo. E aí ele acaba. (The Walking Dead) E la foi a melhor coisa que já me aconteceu, não quero sentir falta disso. Desse momento. Dela. Ela é a única que

Leia mais

PRIMEIRO ATO ARGUMENTO

PRIMEIRO ATO ARGUMENTO PRIMEIRO ATO ARGUMENTO Entrando numa horta, procurando um falcão de sua propriedade, Calisto encontra Melibéia. Empolgado de amor por ela, põe-se a falar. Rechaçado por ela volta para casa angustiado.

Leia mais

CISTINOSE NEFROPÁTICA. explicada para crianças

CISTINOSE NEFROPÁTICA. explicada para crianças CISTINOSE NEFROPÁTICA Cidade da Célula explicada para crianças CONTEÚDO É importante Você pode responder a pergunta? Vamos pintar! Uma introdução à Cistinose 1 1. O corpo humano 2 2. Do que as células

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Álbum: O caminho é o Céu

Álbum: O caminho é o Céu Álbum: O caminho é o Céu ETERNA ADORAÇÃO Não há outro Deus que seja digno como tu. Não há, nem haverá outro Deus como tu. Pra te adorar, te exaltar foi que eu nasci, Senhor! Pra te adorar, te exaltar foi

Leia mais

HISTÓRIA DE LINS. - Nossa que cara é essa? Parece que ficou acordada a noite toda? Confessa, ficou no face a noite inteira?

HISTÓRIA DE LINS. - Nossa que cara é essa? Parece que ficou acordada a noite toda? Confessa, ficou no face a noite inteira? HISTÓRIA DE LINS EE PROF.PE. EDUARDO R. de CARVALHO Alunos: Maria Luana Lino da Silva Rafaela Alves de Almeida Estefanny Mayra S. Pereira Agnes K. Bernardes História 1 Unidas Venceremos É a história de

Leia mais

Trama: Entre o casal e Chu Ming Ho.

Trama: Entre o casal e Chu Ming Ho. Story Line: Um casal vitima de um magnata poderoso vive como fugitivo durante vinte anos após o mesmo descobrir sobre seus planos. Até que um acidente terrível os faz retornar ao lugar que desgraçou suas

Leia mais

O PASTOR AMOROSO. Alberto Caeiro. Fernando Pessoa

O PASTOR AMOROSO. Alberto Caeiro. Fernando Pessoa O PASTOR AMOROSO Alberto Caeiro Fernando Pessoa Este texto foi digitado por Eduardo Lopes de Oliveira e Silva, no Rio de Janeiro, em maio de 2006. Manteve-se a ortografia vigente em Portugal. 2 SUMÁRIO

Leia mais

Cena da varanda, de Romeu e Julieta (William Shakespeare)

Cena da varanda, de Romeu e Julieta (William Shakespeare) Cena da varanda, de Romeu e Julieta (William Shakespeare) [Surge Julieta em cima] Calma!, que luz é aquela na janela? É o leste e traz Julieta como um sol. Sobe, formoso sol, e mata a lua, Que sofre da

Leia mais

Mu: Continente Perdido Capítulo 2

Mu: Continente Perdido Capítulo 2 Mu: Continente Perdido Capítulo 2 Minissérie de William Soares da Costa Escrita por William Soares da Costa Personagens deste capítulo NICOLAS GUILHERME WERA JEAN FELIPE Participação especial MARCUS, DOIS

Leia mais

Quantas línguas existem no mundo?, perguntava -se

Quantas línguas existem no mundo?, perguntava -se A VOZ DAS COISAS Quantas línguas existem no mundo?, perguntava -se Marta, naquela noite, a sós na cama. Há as línguas que as pessoas falam: francês, alemão, espanhol, chinês, italiano. Para indicar a mesma

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

PORQUE É QUE NÃO DANÇAM?

PORQUE É QUE NÃO DANÇAM? PORQUE É QUE NÃO DANÇAM? Na cozinha, ele serviu se de mais uma bebida e olhou para a mobília de quarto de cama que estava no pátio da frente. O colchão estava a descoberto e os lençóis às riscas estavam

Leia mais

PEÇA TEATRAL TÍTULO: RETRATO DOS FILHOS DAS FAMILIAS QUE ACOMPANHAM E DAS QUE NÃO ACOMPANHAM A VIDA ESCOLAR

PEÇA TEATRAL TÍTULO: RETRATO DOS FILHOS DAS FAMILIAS QUE ACOMPANHAM E DAS QUE NÃO ACOMPANHAM A VIDA ESCOLAR 1 MOBILIZAÇÃO SOCIAL PELA EDUCAÇÃO COMITÊ LOCAL DE ICATU Travessa Professor Francisco Castro, Nº 32 - Centro Icatu-MA / Fone (98) 3362-1188 / 88732737 E-mail: lucinhavidal2009@hotmail.com.br PEÇA TEATRAL

Leia mais

Olga, imigrante de leste, é empregada nessa casa. Está vestida com um uniforme de doméstica. Tem um ar atrapalhado e está nervosa.

Olga, imigrante de leste, é empregada nessa casa. Está vestida com um uniforme de doméstica. Tem um ar atrapalhado e está nervosa. A Criada Russa Sandra Pinheiro Interior. Noite. Uma sala de uma casa de família elegantemente decorada. Um sofá ao centro, virado para a boca de cena. Por detrás do sofá umas escadas que conduzem ao andar

Leia mais

KJV King James Bible Study Correspondence Course An Outreach of Highway Evangelistic Ministries 5311 Windridge lane ~ Lockhart, Florida 32810 ~ USA

KJV King James Bible Study Correspondence Course An Outreach of Highway Evangelistic Ministries 5311 Windridge lane ~ Lockhart, Florida 32810 ~ USA 1 Lição 0 Já nasceu de novo? (volte para a página 5) Perguntaram a John Wesley porque razão ele pregava várias vezes, acerca de devem nascer de novo. Ele respondeu, porque vocês devem nascer de novo! Já

Leia mais

Pós-Modernismo (Poesia)

Pós-Modernismo (Poesia) Pós-Modernismo (Poesia) Texto I (Décio Pignatari) Texto II (Haroldo de Campos) Texto III Para mim, a poesia é uma construção, como uma casa. Isso eu aprendi com Le Corbusier. A poesia é uma composição.

Leia mais

O livro por escrever. Poderiam ser o início de um livro Fosse eu capaz de as libertar!

O livro por escrever. Poderiam ser o início de um livro Fosse eu capaz de as libertar! O livro por escrever Poderiam ser o início de um livro, estas palavras De um livro sem princípio nem fim Aquele espaço em que para me encontrar Teria de me ausentar por uma eternidade Afastar-me dos sons

Leia mais

MULHER SOLTEIRA. Marcos O BILAU

MULHER SOLTEIRA. Marcos O BILAU MULHER SOLTEIRA REFRÃO: Ei, quem tá aí Se tem mulher solteira dá um grito que eu quero ouvir Ei, quem tá aí Se tem mulher solteira dá um grito que eu quero ouvir (Essa música foi feita só prás mulheres

Leia mais

Lista de Diálogo - Cine Camelô

Lista de Diálogo - Cine Camelô Lista de Diálogo - Cine Camelô Oi amor... tudo bem? Você falou que vinha. É, eu tô aqui esperando. Ah tá, mas você vai vir? Então tá bom vou esperar aqui. Tá bom? Que surpresa boa. Oh mano. Aguá! Bolha!

Leia mais

O porco é fisicamente incapaz de olhar o céu. ( 7 )

O porco é fisicamente incapaz de olhar o céu. ( 7 ) O porco é fisicamente incapaz de olhar o céu. Isso o Ricardo me disse quando a gente estava voltando do enterro do tio Ivan no carro da mãe, que dirigia de óculos escuros apesar de não fazer sol. Eu tinha

Leia mais

O dia em que parei de mandar minha filha andar logo

O dia em que parei de mandar minha filha andar logo O dia em que parei de mandar minha filha andar logo Rachel Macy Stafford Quando se está vivendo uma vida distraída, dispersa, cada minuto precisa ser contabilizado. Você sente que precisa estar cumprindo

Leia mais

A CRUCIFICAÇÃO DE JESUS Lição 46

A CRUCIFICAÇÃO DE JESUS Lição 46 A CRUCIFICAÇÃO DE JESUS Lição 46 1 1. Objetivos: Mostrar que o Senhor Jesus morreu na cruz e foi sepultado. Ensinar que o Senhor Jesus era perfeito; não havia nada que o condenasse. Ensinar que depois

Leia mais

Natal cada Natal. Quando na mais sublime dor, A mulher dá à luz, Há sempre um Anjo Anunciador A murmurar-lhe ao coração - Jesus!

Natal cada Natal. Quando na mais sublime dor, A mulher dá à luz, Há sempre um Anjo Anunciador A murmurar-lhe ao coração - Jesus! A Galinha Engripada A Galinha, coitadinha! tem sintomas graves de gripe das aves. Não canta: está rouca, e cobre-se de roupa. Hora a hora, espirra (irra! irra! irra!). Fala à sobreposse: (tosse! tosse!

Leia mais

ANTES DE OUVIR A VERDADE. Plano fechado em uma mão masculina segurando um revólver.

ANTES DE OUVIR A VERDADE. Plano fechado em uma mão masculina segurando um revólver. ANTES DE OUVIR A VERDADE FADE IN: CENA 01 - INT. SALA DE ESTAR NOITE Plano fechado em uma mão masculina segurando um revólver. Plano aberto revelando o revólver nas mãos de, um homem de 35 anos, pele clara

Leia mais

Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história.

Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história. Uma noite de verão, diz o ator, estaria no centro da história. Nem um sopro de vento. E já ali, imóvel frente à cidade de portas e janelas abertas, entre a noite vermelha do poente e a penumbra do jardim,

Leia mais

Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44)

Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44) Geração Graças Peça: O livro das Parábolas A parábola do tesouro escondido (Mt 13:44) Autora: Tell Aragão Colaboração: Marise Lins Personagens Menina Zé Bonitinho +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Leia mais

ortuguesa Língua Por Meu cachorro Pepe D 6/8/2009

ortuguesa Língua Por Meu cachorro Pepe D 6/8/2009 Nome: Ensino: F undamental 4 o ano urma: Língua Por ortuguesa T ata: D 6/8/2009 Meu cachorro Pepe Sou filho único, meus pais sempre trabalharam fora e como passei a infância toda na cidade do Rio de Janeiro,

Leia mais

Sete Trombetas (Lauriete)

Sete Trombetas (Lauriete) Sete Trombetas (Lauriete) Uma mistura de sangue com fogo A terça parte deste mundo queimará Eu quero estar distante, quero estar no céu Quando o anjo a primeira trombeta tocar Um grande meteoro vai cair

Leia mais

POEMAS DE JOVITA NÓBREGA

POEMAS DE JOVITA NÓBREGA POEMAS DE JOVITA NÓBREGA Aos meus queridos amigos de Maconge Eu vim de longe arrancada ao chão Das minhas horas de menina feliz Fizeram-me estraçalhar a raiz Da prima gota de sangue Em minha mão. Nos dedos

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

MALDITO. de Kelly Furlanetto Soares. Peça escritadurante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR.Teatro Guaíra, no ano de 2012.

MALDITO. de Kelly Furlanetto Soares. Peça escritadurante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR.Teatro Guaíra, no ano de 2012. MALDITO de Kelly Furlanetto Soares Peça escritadurante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR.Teatro Guaíra, no ano de 2012. 1 Em uma praça ao lado de uma universidade está sentado um pai a

Leia mais

PACIÊNCIA ZERO. Do atendimento ao cliente chato. De Wellington Rianc Della Sylva

PACIÊNCIA ZERO. Do atendimento ao cliente chato. De Wellington Rianc Della Sylva PACIÊNCIA ZERO Do atendimento ao cliente chato De Wellington Rianc Della Sylva 2013 SINOPSE Você que trabalha ou já trabalhou com atendimento ao usuário por telefone vai dizer que é verdade. Tem usuário

Leia mais

Carcará composição: João do Vale/José Cândido

Carcará composição: João do Vale/José Cândido 104 A FLOR E O CARCARÁ Carcará Lá no sertão É um bicho que avoa que nem avião É um pássaro malvado Tem o bico volteado que nem gavião... trecho da canção Carcará composição: João do Vale/José Cândido Ana?

Leia mais

Caçador de potestades

Caçador de potestades Caçador de potestades Luiz Cézar da Silva Capítulo 1 Sorte é o que acontece quando capacidade encontra-se com oportunidade. Lucius Annaeus Seneca (Córdova, 4 a.c Roma, 65 d.c) Irmão de Gallio Procônsul

Leia mais

O beijo na parede. romance

O beijo na parede. romance O beijo na parede romance Autores, 2013 Capa: Letícia Lampert (sobre foto de Luis Antônio Gomes) Projeto gráfico e editoração: Niura Fernanda Souza Preparação de originais: Eduardo Cabeda Revisão: Matheus

Leia mais

O Tomás, que não acreditava no Pai Natal

O Tomás, que não acreditava no Pai Natal O Tomás, que não acreditava no Pai Natal Era uma vez um menino que não acreditava no Pai Natal e fazia troça de todos os outros meninos da escola, e dos irmãos e dos primos, e de qualquer pessoa que dissesse

Leia mais

Qual o Sentido do Natal?

Qual o Sentido do Natal? Qual o Sentido do Natal? Por Sulamita Ricardo Personagens: José- Maria- Rei1- Rei2- Rei3- Pastor 1- Pastor 2- Pastor 3-1ª Cena Uma música de natal toca Os personagens entram. Primeiro entram José e Maria

Leia mais

Geração Graças Peça: A Páscoa Continua

Geração Graças Peça: A Páscoa Continua Geração Graças Peça: A Páscoa Continua Autora: Tell Aragão Personagens: Cantor Apresentador Maluco Nino Nana Sapinho 1 Sapinho 2 Voz de locutor Cena 1 A cortina abre. As duas crianças estão na sala assistindo

Leia mais

Memorização de versículos

Memorização de versículos Memorização de versículos Objetivo: reconhecer a importância e a necessidade de memorizar as Escrituras em nossa vida cristã e conhecer recursos e técnicas para aplicação em sala de aula. Introdução John

Leia mais

Como fazer seu blog se destacar dos outros

Como fazer seu blog se destacar dos outros Como fazer seu blog se destacar dos outros Fama. Tráfego. Reconhecimento. Muito dinheiro no bolso. Esses itens certamente estão presentes na lista de desejos de quase todos os blogueiros. Afinal, ninguém

Leia mais

Capítulo extra 2 - "Segunda-feira antes do nascer do sol II"

Capítulo extra 2 - Segunda-feira antes do nascer do sol II Capítulo extra 2 - "Segunda-feira antes do nascer do sol II" Esse é o relatório de um dos encontros da Gldemo. "Nossos concertos estão sem aquele brilho atualmente," disse Iwasawa um dia nos bastidores

Leia mais

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo

Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Geração Graças Peça: A ressurreição da filha de Jairo Autora: Tell Aragão Personagens: Carol (faz só uma participação rápida no começo e no final da peça) Mãe - (só uma voz ela não aparece) Gigi personagem

Leia mais

CRIANÇA DE 1 ANO de idade

CRIANÇA DE 1 ANO de idade Dr(a) Para CRIANÇA DE 1 ANO de idade ACOMPANHE O DESENVOLVIMENTO DA SUA CRIANÇA Anda apoiada só por uma mão. Começa andar com as pernas separadas (joelhos afastados), pernas em arco e pés virados para

Leia mais

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE.

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE. OS 4 PASSOS PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA HIGHSTAKESLIFESTYLE. Hey :) Gabriel Goffi aqui. Criei esse PDF para você que assistiu e gostou do vídeo ter sempre por perto

Leia mais

Solidão PROCURA-SE MULHER PROCURA-SE MULHER

Solidão PROCURA-SE MULHER PROCURA-SE MULHER Edna estava caminhando pela rua com sua sacola de compras quando passou pelo carro. Havia um cartaz na janela lateral: Ela parou. Havia um grande pedaço de papelão grudado na janela com alguma substância.

Leia mais

COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA São José do Rio Preto MÚSICAS PARA A MISSA DO DIA DOS PAIS 07 DE AGOSTO DE 2008

COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA São José do Rio Preto MÚSICAS PARA A MISSA DO DIA DOS PAIS 07 DE AGOSTO DE 2008 COLÉGIO AGOSTINIANO SÃO JOSÉ PASTORAL EDUCATIVA São José do Rio Preto MÚSICAS PARA A MISSA DO DIA DOS PAIS 07 DE AGOSTO DE 2008 1. ENTRADA (Deixa a luz do céu entrar) Tu anseias, eu bem sei, por salvação,

Leia mais

Em Março de 2007 começa a história que mudou a minha vida para sempre.

Em Março de 2007 começa a história que mudou a minha vida para sempre. D.F., 25 anos, solteira, psicóloga, cancro da mama em 2007 Em Março de 2007 começa a história que mudou a minha vida para sempre. Certo dia senti uma dor suave da mama para a axila e na apalpação descobri

Leia mais

e apostar tudo nos vídeos foi uma boa. E jogar no computador é o que eu mais gosto de fazer. Sabe o que parece? Que estou entrando em outra dimensão.

e apostar tudo nos vídeos foi uma boa. E jogar no computador é o que eu mais gosto de fazer. Sabe o que parece? Que estou entrando em outra dimensão. capítulo 1 Mas o que eu vou dizer nesse evento? Eu gosto mesmo é de jogar! Passei a semana inteira com essa pergunta na cabeça. Só que, a caminho da Superultramegablaster Expogames Londrina, ao lado do

Leia mais

Super.indd 5 6/1/2010 17:05:16

Super.indd 5 6/1/2010 17:05:16 Super é o meu primeiro livro escrito inteiramente em São Paulo, minha nova cidade. A ela e às fantásticas pessoas que nela vivem, o meu enorme obrigado. E esse livro, como toda ficção, tem muito de realidade.

Leia mais

Apresento o mais lucrativo e inteligente MODELO DE NEGÓCIO da internet brasileira atualmente.

Apresento o mais lucrativo e inteligente MODELO DE NEGÓCIO da internet brasileira atualmente. Apresento o mais lucrativo e inteligente MODELO DE NEGÓCIO da internet brasileira atualmente. Modelo esse que já permite pessoas comuns de todo o Brasil, terem em seus computadores, acesso a um sistema

Leia mais

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias Lucas Zanella Collin Carter & A Civilização Sem Memórias Sumário O primeiro aviso...5 Se você pensa que esse livro é uma obra de ficção como outra qualquer, você está enganado, isso não é uma ficção. Não

Leia mais

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento

Meninas Nhe nhe. Eu Aff Chegando lá. Eu Gente estou com um mau pressentimento Eu e umas amigas íamos viajar. Um dia antes dessa viagem convidei minhas amigas para dormir na minha casa. Nós íamos para uma floresta que aparentava ser a floresta do Slender-Man mas ninguém acreditava

Leia mais

Fim. Começo. Para nós, o tempo começou a ter um novo sentido.

Fim. Começo. Para nós, o tempo começou a ter um novo sentido. Fim. Começo. Para nós, o tempo começou a ter um novo sentido. Assim que ela entrou, eu era qual um menino, tão alegre. bilhete, eu não estaria aqui. Demorei a vida toda para encontrá-lo. Se não fosse o

Leia mais

O Boneco de Neve Bonifácio e o Presente de Natal Perfeito

O Boneco de Neve Bonifácio e o Presente de Natal Perfeito O Boneco de Neve Bonifácio e o Presente de Natal Perfeito Era uma vez um boneco de neve chamado Bonifácio, que vivia numa terra distante onde fazia muito frio. Ele era um boneco especial, porque podia

Leia mais

1º Plano de Aula. 1- Citação: Guardar raiva é o mesmo que, beber veneno e querer que o outro morra. 2- Meditação: Meditação da Compaixão

1º Plano de Aula. 1- Citação: Guardar raiva é o mesmo que, beber veneno e querer que o outro morra. 2- Meditação: Meditação da Compaixão 1º Plano de Aula 1- Citação: Guardar raiva é o mesmo que, beber veneno e querer que o outro morra. 2- Meditação: Meditação da Compaixão 3- História Perdoar Sempre 4- Música Uma Luz Dentro de mim. Vol:

Leia mais

carles santamaria y pere pérez

carles santamaria y pere pérez comics as aventuras de por carles santamaria y pere pérez Prepare-se para conhecer Rock Rivers, um agente secreto cuja missão é deter o maquiavélico Hellvansinger e a bela Ina - cantora de voz e curvas

Leia mais

1. CANÇÃO DE NATAL (TENOR) OUÇAM AO REDOR ANJOS A CANTAR PROCLAMANDO AS NOVAS DO CÉU EIS QUE O BEBÊ QUE ESTÁ NA MANJEDOURA É O REI DOS REIS

1. CANÇÃO DE NATAL (TENOR) OUÇAM AO REDOR ANJOS A CANTAR PROCLAMANDO AS NOVAS DO CÉU EIS QUE O BEBÊ QUE ESTÁ NA MANJEDOURA É O REI DOS REIS 1. CANÇÃO DE NATAL (TENOR) OUÇAM AO REDOR ANJOS A CANTAR PROCLAMANDO AS NOVAS DO CÉU EIS QUE O BEBÊ QUE ESTÁ NA MANJEDOURA É O REI DOS REIS REI DA GLÓRIA, O ADORADO VEIO PARA NOS REDIMIR PRÍNCIPE DA PAZ

Leia mais

...existe algum motivo legal que impeça a sentença de ser pronunciada?

...existe algum motivo legal que impeça a sentença de ser pronunciada? Levante-se o réu. 6 ...capítulo um Fiquei de pé. Por um momento vi Glória de novo, sentada no banco no píer. A bala acabara de atingir a sua cabeça, de lado, o sangue ainda nem tinha começado a escorrer.

Leia mais

Pós-Modernismo. Literatura Professor: Diogo Mendes 19/09/2014. Material de apoio para Aula ao Vivo. Texto I. Poema Brasileiro

Pós-Modernismo. Literatura Professor: Diogo Mendes 19/09/2014. Material de apoio para Aula ao Vivo. Texto I. Poema Brasileiro Pós-Modernismo Texto I Poema Brasileiro No Piauí de cada 100 crianças que nascem 78 morrem antes de completar 8 anos de idade No Piauí de cada 100 crianças que nascem 78 morrem antes de completar 8 anos

Leia mais

ROTEIRO: O Homem que Trapaceou o Trapaceiro

ROTEIRO: O Homem que Trapaceou o Trapaceiro ROTEIRO: O Homem que Trapaceou o Trapaceiro Flashback (Tomada de SAWYER abrindo os olhos. Ele está em um quarto de motel barato. Levanta da cama com as mãos na cabeça indicando uma ressaca forte. Há duas

Leia mais