NORMAS PARA SELEÇÃO DE PESSOAL PARA TRABALHAR NA APLICAÇÃO DOS PROCESSOS SELETIVOS UFV-2013 (CEDAF, COLUNI e PASES) E CONCURSOS PÚBLICOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NORMAS PARA SELEÇÃO DE PESSOAL PARA TRABALHAR NA APLICAÇÃO DOS PROCESSOS SELETIVOS UFV-2013 (CEDAF, COLUNI e PASES) E CONCURSOS PÚBLICOS"

Transcrição

1 NORMAS PARA SELEÇÃO DE PESSOAL PARA TRABALHAR NA APLICAÇÃO DOS PROCESSOS SELETIVOS UFV-2013 (CEDAF, COLUNI e PASES) E CONCURSOS PÚBLICOS Os Processos Seletivos da Universidade Federal de Viçosa, CEDAF, COLUNI, PASES, E CONCURSOS PÚBLICOS coordenados pela Diretoria de Vestibular e Exames (DVE), serão aplicados nas seguintes cidades: PASES 2: o Minas Gerais: Araxá, Belo Horizonte, Betim, Campos Altos, Carmo do Paranaiba, Divinópolis, Florestal, Formiga, Ibiá, Ipatinga, Manhuaçu, Muriaé, Pará de Minas, Patos de Minas, Patrocínio, Ponte Nova, Rio Paranaíba, São Gotardo, Ubá e Viçosa. PASES 1: o Minas Gerais: Araxá, Belo Horizonte, Betim, Carmo do Paranaíba, Divinópolis, Florestal, Formiga, Ipatinga, Manhuaçu, Muriaé, Pará de Minas, Patos de Minas, Patrocínio, Ponte Nova, Rio Paranaíba, São Gotardo, Ubá, Uberlândia e Viçosa. Colégio de Aplicação COLUNI: o Minas Gerais: Viçosa, Ubá, Manhuaçu e Muriaé. Cursos Tecnicos CEDAF: o Minas Gerais: Divinópolis, Florestal, Teófilo Otoni e Viçosa. Para atuar na aplicação das provas dos Processos Seletivos e Concursos Públicos, serão selecionados servidores do quadro efetivo e estudantes vinculados à Universidade Federal de Viçosa. Além disso, nos casos em que a UFV utiliza espaço cedido por outras instituições, serão contratadas pessoas indicadas pelo Coordenador Local, responsável pelo espaço físico cedido para a realização das provas (contrapartida institucional pela cessão do espaço físico para aplicação das Provas). Em concursos públicos, preferencialmente serão utilizados servidores do quadro efetivo da Instituição. As funções a serem exercidas pelos envolvidos nos processos de aplicação das provas são as seguintes: Comissão Coordenadora: o Coordenador e Chefes de Setor. Apoio à Comissão Coordenadora: o Apoio e/ou Motorista (que também poderá atuar como apoio). Fiscalização: o Chefe de Sala, Fiscal de Sala e Fiscal de Banheiro. Controle e Limpeza dos locais o Segurança ou Porteiro e Faxineiro. 1

2 Além das funções acima, os locais cedidos à UFV para aplicação de prova terão Coordenadores Locais (limitados a dois, em função do tamanho das instalações e das negociações com o cedente), que são os responsáveis pela abertura, fechamento e segurança das instalações, bem como a coordenação e seleção do pessoal contratado. A Diretoria de Vestibular e Exames poderá ainda, a seu critério, escolher: Até dois servidores da Central de Processamento de Dados (CPD), diretamente envolvidos com o processamento ou o desenvolvimento de sistemas para a DVE, para permanecerem de plantão durante os processos seletivos, enquadrados como Chefe de Setor; Até cinco servidores para trabalharem como apoio central, distribuindo e recolhendo as provas dos vários locais de Viçosa, trabalhando na organização do material durante os dias de aplicação, todos enquadrados como Apoio aos processos; Até cinco servidores administrativos da DVE para atuarem no plantão na Diretoria durante os Processos Seletivos, todos enquadrados como Chefes de Setor. O servidor da UFV (docente ou técnico-administrativo), ou o estudante, interessado em trabalhar na aplicação das provas deverá inscrever-se para atuar nos Processos Seletivos da UFV. A seleção e remuneração pelo trabalho estarão sujeitas aos requisitos e critérios estabelecidos nestas normas. Cada servidor, ou estudante, poderá inscrever-se para apenas uma cidade e uma função. A seleção e alocação dos servidores e dos estudantes que irão atuar nas diversas funções e locais de prova será feita por uma Comissão de Seleção, conforme definida no item VI das normas. I Critérios gerais a) O servidor que se aposentar ou romper o vínculo empregatício com a UFV antes do pagamento ficará automaticamente impossibilitado de receber (não é possível o lançamento em folha de pagamento para aposentados ou servidores que não tenham mais vínculo com a UFV, mesmo aqueles com vínculo em outra instituição). Portanto, recomendamos àqueles que pretendam se enquadrar em uma das situações que não se inscrevam. b) Para trabalhar na Cidade de Florestal, Rio Paranaíba e Viçosa dar-se-á preferência para os servidores lotados em seus respectivos campi, desde que preencham as especificações das funções que se candidatarem. O servidor deverá ser selecionado para participar de apenas um dos processos: CEDAF, COLUNI e PASES. No entanto, se o número de candidatos for menor que a demanda, se o selecionado não confirmar a participação, ou ainda se faltar aos compromissos, um outro candidato poderá ser selecionado por recorrência à lista de inscritos (se ainda for possível) e desse modo, trabalhar nos três processos; 2

3 c) Os valores a serem pagos, na aplicação das provas para cada função, estão estabelecidos no item II. Tais valores serão os mesmos para quaisquer dos locais de aplicação das provas (nos Campi de Florestal, Rio Paranaíba e Viçosa ou fora deles). O pagamento será realizado via SIAPE para todos os servidores; Por questões legais, não poderão trabalhar nos processos seletivos os professores substitutos e outros servidores que se enquadrem na mesma situação funcional, bem como aposentados. Recomendamos aos interessados que leiam cuidadosamente o item a desta seção. d) Somente farão jus a diárias, os servidores selecionados para trabalhar fora do campus de lotação (Florestal, Rio Paranaíba e Viçosa), na Comissão Coordenadora (Coordenador e Chefe de Setor) e de Apoios à Comissão Coordenadora (Apoio e Motorista). O número de diárias a receber em função dos locais de aplicação encontram-se apresentados na tabela I. Os valores das diárias (tabela II) são definidos pelo Decreto no de 21 de julho de 2009 (publicada no DOU de 22/07/09). Tabela I Cidades de Aplicação e Número de Diárias a Serem Cidades Saída Retorno Araxá, Campos Altos, Carmo do Paranaíba, Divinópolis, Florestal, Formiga, Ibiá,Patrocinio, Pará de Minas, Patos de Minas, São Gotardo, Rio Paranaíba e Uberlândia. Nº de diárias 29/11 02/12 3,5 Belo Horizonte, Betim, Ipatinga, Manhuaçu, Muriaé Ponte Nova, e Ubá. 30/11 02/12 2,5 Divinópolis, Florestal eteófilo Otoni 15/12 16/12 1,5 Tabela II - Valor da Indenização de Diárias aos servidores públicos federais, no País (Decreto de 21/07/2009) Classificação do Cargo/Função Belo Horizonte Demais Cidades Todos os Cargos e Funções 212,40 177,00 e) Os Membros da Comissão Coordenadora, que receberão diárias, não poderão estar gozando férias regulares ou afastamento por qualquer natureza no período indicado na tabela I acima. 3 f) Não terá direito a diárias o servidor selecionado para atuar na função de Chefe de Sala e Fiscal fora do campus de lotação (Florestal, Rio Paranaíba e Viçosa). Também não será fornecido transporte da UFV para o seu deslocamento até a cidade onde irá trabalhar (exceto se houver lugares disponíveis nos veículos após a alocação dos membros da Comissão Coordenadora e Apoio; nestes casos, se a demanda for superior aos lugares disponíveis, será efetuado um sorteio entre os solicitantes). No entanto, havendo necessidade, este servidor poderá atuar nos dois processos seletivos (CEDAF, COLUNI e PASES), recebendo separadamente por cada um deles;

4 g) Os valores a serem pagos aos servidores serão calculados por processo trabalhado (CEDAF, COLUNI e/ou PASES). Quando for necessário, caberá ao Coordenador a indicação do(s) Chefe (s) de Setor e Apoio(s) que atuarão nos dois turnos (manhã e tarde); h) Os Fiscais de sala, que irão trabalhar nos locais de provas não vinculados à UFV, serão indicados pelos Coordenadores Locais onde estarão sendo aplicadas as provas (contrapartida institucional pela cessão do espaço físico); i) As pessoas contratadas nas cidades, onde serão aplicadas as provas, serão designadas como contratados locais e somente poderão exercer as funções de Fiscal, Chefe de Sala ou Apoio e não terão direito à diária nem ao transporte oficial; Apenas nos casos em que o sorteado da UFV para trabalhar na aplicação seja um discente e que local de provas cedido seja vinculado a outras Instituições Federais de Ensino, O Coordenador (da UFV) poderá, a seu critério, nomear como Chefe de Sala um Servidor Público Federal, indicado pelo Coordenador Local e, na sua ausência, um servidor publico estadual ou municipal. j) A contratação de estudantes da UFV somente ocorrerá para as cidades onde não houver número suficiente de servidores inscritos para participar dos processos seletivos naqueles locais. Tendo em vista que os estudantes que trabalham nos Processos recebem a sua gratificação na forma de Auxílio Acadêmico, não poderão participar todos aqueles que irão colar grau em Janeiro/2013, posto que à época do pagamento os mesmos não terão mais vínculo acadêmico com a UFV; k) As inscrições dos candidatos interessados em trabalhar na aplicação serão realizadas somente pela Internet, em período a ser estabelecido pela DVE, e a oferta de vagas para os processos, em cada local, será definida em função do número de inscrições para os processos seletivos da UFV; l) Os seguranças ou porteiros e auxiliares de limpeza serão indicados, na UFV, pelos administradores dos prédios onde serão realizadas as provas. Nos locais fora de Viçosa, pelos Coordenadores Locais dos Estabelecimentos cedidos à UFV; m) Para que o candidato participe do processo de seleção será levada em consideração a completitude e exatidão das informações prestadas na inscrição (incluindo o número do CPF), além do atendimento aos critérios estabelecidos. Caso estes critérios não sejam atendidos, ou as informações prestadas estejam incorretas o candidato estará automaticamente excluído do processo de seleção; n) A partir de 2002, foi instituída a avaliação de todos os participantes da aplicação dos processos seletivos da UFV, em todas as funções exercidas. O objetivo desse procedimento é identificar os perfis mais adequados para o desempenho deste trabalho, bem como evitar problemas de qualquer ordem decorrentes do trabalho desenvolvido. Aqueles que obtiveram nas avaliações, médias inferiores a 4 (quatro) pontos, numa escala de 0 (zero) a 5 (cinco), a partir de 2002, estarão automaticamente excluídos do processo de seleção. A ausência da avaliação do participante nos vestibulares de 2003 a 2012 implica em nota máxima para o servidor, nestes anos; 4

5 II Gratificação a ser paga pela função exercida A tabela III apresenta os valores das gratificações para cada uma das funções. Tabela III Valores para Cálculo das Gratificações Valor Por turno de aplicação Total por Processo Seletivo Processo Função Todos os Processos Todos os Processos Coordenador 190,00 + 5,00* 380, ,00* Chefe de Setor 140,00 + 5,00* 280, ,00* Chefe de Sala 115,00 + 5,00* 230, ,00* Vigilante ou Segurança 115,00 + 5,00* 230, ,00* Fiscal (sala ou banheiro) 100,00 + 5,00* 200, ,00* Apoio 95,00 + 5,00* 190, ,00* Segurança ou Porteiro 70,00 + 5,00* 140, ,00* Auxiliar de Limpeza 70,00 + 5,00* 140, ,00* (*) Não será fornecido lanche para os aplicadores. Está sendo concedido um valor extra para efeito de pagamento do lanche, cabendo a cada participante tomar as providências necessárias caso tenha interesse em lanchar durante o período de aplicação. III - Condições para ocupação das funções pelos servidores ATENÇÃO: O servidor que se aposentar ou romper o vínculo empregatício com a UFV antes do pagamento ficará automaticamente impossibilitado de receber (não é possível o lançamento em folha de pagamento para aposentados ou servidores que não tenham mais vínculo com a UFV, mesmo aqueles com vínculo em outra instituição). Para ocupar uma função na Comissão Coordenadora (Coordenador e Chefe de Setor) o servidor deverá satisfazer aos seguintes requisitos: a) Ter, preferencialmente, formação de nível superior (será exigido o nível superior para a função de Coordenador); e, b) Ter sido Coordenador em outra oportunidade; ou, c) Ter sido Chefe de Setor pelo menos, por 3 (três) vezes; ou, d) Chefe de Sala, pelo menos por 3 (três) vezes (neste caso o servidor somente poderia ser Chefe de Setor). Para ocupar a função de Chefe de Sala o servidor deverá, preferencialmente: a) Ter nível superior ou médio completo; e, b) Ter sido Coordenador ou Chefe de Setor ou Chefe de Sala em outra oportunidade; ou c) Ter sido Fiscal, pelo menos, por 2 (duas) vezes. 5

6 Para ocupar a função de Fiscal o servidor deverá: a) Ter, no mínimo, formação de ensino fundamental completa (8ª série do Ensino Fundamental). Para ocupar a função de Apoio o servidor deverá: a) Ter, no mínimo, formação de ensino fundamental incompleto (4ª série do Ensino Fundamental); b) O servidor que irá ocupar a função de Apoio será escolhido pelo Coordenador. Os casos omissos deverão ser resolvidos pelo Diretor de Vestibular e Exames. IV - Condições para inscrição dos estudantes da UFV Para as cidades, onde houver necessidade (número de servidores da UFV for insuficiente), serão contratados estudantes da UFV para atuarem como Chefe de Sala, Fiscal ou Apoio. Para se candidatar, o estudante deverá atender aos seguintes requisitos: a) Estar devidamente matriculado na UFV e cursando, pelo menos, o 4º (quarto) período de seu curso de graduação; b) Não estar em processo de desligamento (inclusive aqueles aguardando julgamento de recurso impetrado junto aos órgãos colegiados pertinentes); c) Inscrever-se para apenas 1 (uma) cidade (não é permitida a inscrição de estudantes para as cidades de Florestal, Rio Paranaíba e Viçosa, onde serão selecionados apenas servidores da UFV); d) Não estar com Colação de Grau ou quebra de vínculo acadêmico (desligamento, conclusão de pós-graduação e outros) até abril de 2013 (se o vínculo acadêmico for rompido antes desta data o interessado não poderá receber o auxílio acadêmico); e) Fornecer, no ato da inscrição, o número correto do seu CPF e os dados bancários (Banco, e números da agência e da conta corrente; Atenção: não serão efetuados pagamentos em contas poupança, contas salário ou contas em que o titular principal não seja o contratado). Caso isto não aconteça, ele estará automaticamente excluído do processo de seleção; f) Escolher a função desejada no ato da inscrição. Ele poderá ser indicado para qualquer uma das relacionadas acima, a critério da DVE; Os estudantes não terão direito a transporte ou a diárias. Se houver lugares disponíveis nos veículos após a alocação dos membros da Comissão Coordenadora e Apoio e de outros servidores da UFV, poder-se-á permitir aos estudantes o transporte; nestes casos, a preferência será dada aos estudantes carentes (de acordo com os dados da Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários) e, caso sobrem ainda lugares, será efetuado um sorteio entre os demais solicitantes. 6

7 Não poderão participar do Processo de Seleção os estudantes matriculados em cursos de pós-graduação Lato Sensu bem como os estudantes especiais. V Critérios para a definição do número de vagas de cada função Para a definição do número de vagas para cada uma das funções serão adotados os seguintes critérios: a) 1 (um) Coordenador para cada local de prova com até 35 salas; b) 1 (um) Chefe de Setor para cada 5 (cinco) salas e/ou 300 candidatos; A princípio não serão designados chefes de setor para locais com menos de 200 candidatos. No entanto, tanto esta determinação quanto o número de chefes de setor poderão sofrer pequenas alterações em função das condições do local (número de pavimentos ou blocos distintos, por exemplo); c) 1 (um) apoio para cada coordenador (desde que o número de inscritos no local seja superior a 100); d) 1 (um) vigilante (escolhido pela Diretoria de Logística e Segurança) para cada um dos locais de prova nos Campi Viçosa e Florestal); e) 1 (um) Chefe de Sala para cada sala; f) Fiscais em quantitativos proporcionais ao número de candidatos por sala de acordo com a tabela IV abaixo (alguns ajustes poderão ser feitos pela DVE nos intervalos acima propostos, em função das condições de aplicação). Tabela IV Número de Fiscais de sala em função do Número de Candidatos Número de candidatos na sala até 50 de 51 a 70 de 71 a 90 de 91 a 120 Acima de 120 Número de fiscais 1 fiscal 2 fiscais 3 fiscais 4 fiscais 1 fiscal para cada 30 candidatos VI Processo de seleção dos candidatos para contratação A seleção dos candidatos será coordenada e executada por uma Comissão de Seleção, presidida pelo Diretor de Vestibular e Exames, e constituída pelos seguintes membros: Diretor de vestibular e Exames; Um representante indicado pelo(a) Pró-Reitor(a) de Ensino; 7

8 Um representante docente indicado pelo CEPE; Um representante técnico-administrativo indicado pelo CEPE; Um representante discente indicado pelo CEPE. O preenchimento das funções obedecerá aos seguintes procedimentos: a) A seleção dos Coordenadores será feita pela Comissão de Seleção, com base no perfil do candidato e nas avaliações obtidas pelo mesmo nos processos anteriores, observada a lista de candidatos inscritos para Comissão de Coordenação desse local. Eventualmente, a Comissão de Seleção poderá recorrer a nomes fora das inscrições para um determinado local, se considerar que existam riscos para a segurança do processo seletivo, sendo obrigatória uma justificativa fundamentada para este procedimento; b) Os Chefes de Setores serão selecionados pelo Coordenador do local, observando a lista de candidatos inscritos para a Comissão de Coordenação, com base no perfil do candidato e nas avaliações obtidas pelo mesmo nos processos anteriores. A Comissão de Seleção analisará a escolha feita, podendo interferir no processo de escolha, caso não concorde com as justificativas apresentadas pelo Coordenador; c) A Comissão de Seleção deverá escolher os Coordenadores e dos Chefes de Setor antes dos procedimentos de escolha de candidatos para qualquer outra função; d) O apoio, quando necessário, será selecionado pelo Coordenador, observando a lista de inscritos para a função. Porém, caso julgue mais apropriado para o êxito da aplicação, ele poderá optar por candidatos inscritos e que não foram selecionados para desempenhar outra função. A Comissão de Seleção analisará a solicitação e poderá não acatá-la, caso não concorde com as justificativas feitas pelo Coordenador; e) A seleção dos Chefes de Salas e dos Fiscais para cada local de aplicação far-se-á por sorteio eletrônico, observada a lista de inscritos para o local, inicialmente entre os servidores (docentes e técnico-administrativos) da UFV. Após o término das inscrições será associado a cada inscrito um número aleatório gerado por procedimento computacional. Estes números serão então classificados em ordem crescente. A seguir os interessados serão alocados às funções, seguindo-se a lista, gerada. Este sorteio somente acontecerá se o número de inscritos for maior que a demanda para o local; f) Não havendo servidores em número suficiente para preenchimento das funções em todos os locais serão adotados os seguintes critérios para preenchimento das vagas restantes (entre os estudantes que preencham os requisitos apresentados no item IV destas normas): 8

9 Serão selecionados, primeiramente, os estudantes carentes em função do índice de vulnerabilidade econômica determinado pela Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários; Se ainda houver vagas disponíveis, as mesmas serão preenchidas por sorteio eletrônico entre os demais estudantes inscritos, nos mesmos termos descritos no item e desta seção (que trata da seleção dos servidores). VI Dos procedimentos de Pagamento O pagamento do pessoal selecionado para trabalhar ocorrerá de acordo com os seguintes procedimentos: a) Servidores (Docentes ou Técnico-Administrativos): Após a conclusão do processo e a confirmação da presença do servidor, será liberado (a partir do dia 20/12/2012) um sistema que cada servidor deverá acessar (usando a sua senha pessoal de acesso aos sistemas da UFV) e imprimir a sua declaração de horas trabalhadas em cumprimento das exigências legais determinadas pelo Decreto Esta declaração deverá ser assinada pelo servidor e pela chefia imediata e entregue na DVE. Os pagamentos obedecerão à escala de pagamentos apresentada na tabela V (em função da data de entrega da declaração na DVE). Tabela V Escala de Pagamentos para Servidores da UFV (Em função da data de entrega da declaração de horas trabalhadas na DVE) Período de Entrega da Declaração De 16/01 a 03/02/2013 De 06/02 a 02/03/2013 De 05/03 a 02/04/2013 De 02/04 a 02/05/2013* Folha de Pagamento Fevereiro/2013 Março/2013 Abril/2013 Maio/2013 (*) Não serão aceitas declarações após esta data, salvo em casos de doença ou impedimento legal de qualquer natureza (mediante abertura de processo pelo interessado). A não entrega da declaração nos prazos estipulados acima acarretará automaticamente na exclusão do nome do servidor da folha de pagamento. b) Estudantes: Após a conferência e confirmação da presença do estudante, será encaminhada (até o dia 06/02/2013) à Diretoria Financeira da UFV a listagem para que se efetue o pagamento por meio dos procedimentos pertinentes. 9

10 VII Calendário Geral Tabela VI Calendário geral dos Procedimentos de Seleção de Pessoal e Aplicação de Provas Descrição Inscrição dos interessados em trabalhar nos processos Seletivos 2013 Período/Data De 15/10 até o dia 29/10/2012 Classificação eletrônica dos inscritos Até 01/11/2012 Período de Chamada e Confirmação: Neste período os interessados deverão acompanhar diariamente a movimentação pelo site da Diretoria de Vestibular e Exames (onde serão publicadas as listas dos selecionados e os prazos para confirmação) Reunião com os coordenadores e Chefes de Setor selecionados para trabalhar nos Processos Seletivos Reuniões Preparatórias para aplicação das provas dos Processos Seletivos (nos locais de prova) Aplicação das provas do COLUNI 06/11 a 21/11/ h30min do dia 22/11/ h00min do dia 30/11/2012 Das 12h30min às 18h00min do dia 01 e 02/12/2012 Aplicação das provas do PASES I e PASES II Aplicação das provas da CEDAF Das 06h30min às 12h00min do dia 01 e 02/12/2012 Das 06h30min às 12h00min do dia 16/12/2012. VIII Competências das Várias Funções A. Coordenador 1. Responsabilizar-se pela guarda das provas desde sua saída da DIRETORIA DE VESTIBULAR E EXAMES até o seu retorno, zelando pelo sigilo absoluto. 2. Coordenar a reunião de treinamento, a preparação das salas e sinalização no interior do prédio. 3. Ler cuidadosamente as identificações das caixas antes de levá-las para o local das provas. 4. Controlar a frequência de todo o pessoal (chefes de setor, fiscais, apoios, porteiros e faxineiros) providenciando substitutos daqueles que não comparecerem. 5. Coordenar todo o trabalho de distribuição de material para os fiscais de sala, tomando cuidado com a distribuição correta dos malotes que contém as provas e dos envelopes com as folhas de respostas. 6. Indicar os chefes de setor para acompanhar a entrada dos candidatos que apresentarem documento de identidade e comprovante de inscrição e encaminhar aqueles que não tiverem a documentação completa à Coordenação. 7. Dirimir dúvidas quanto à identificação incompleta do candidato. 8. Para os casos de documentação incompleta, proceder como segue: Na falta do comprovante de inscrição, cabe ao Coordenador verificar se o nome do candidato consta da relação dos inscritos. Caso conste, basta conferir a identidade e autorizar sua entrada na sala. Na falta do documento de identidade deverá ser exigido (para candidatos cadastrados): 110

11 a) qualquer documento oficial com foto; b) registro de queixa policial, em caso de roubo; c) colher, no verso da folha de resposta do candidato, 3 (três) assinaturas do mesmo; e d) colher a impressão digital nos campos previstos na folha de resposta (polegar direito sem permitir a rolagem do dedo). Candidatos não cadastrados e que não constam da listagem de inscritos, mas possuem o boleto bancário, devidamente quitado, deverão preencher a ficha de inscrição: a) nome completo do candidato; b) endereço completo incluindo CEP e telefone, c) curso pretendido; d) Campus para o qual se inscreveu; Em seguida o coordenador deverá preparar uma folha de resposta com a identificação do candidato, sem atribuir número de inscrição, e encaminhá-lo para uma das salas. Ao final da prova, a ficha de inscrição e a Folha de resposta deverão ser acondicionadas e lacradas em um envelope pardo a parte e enviadas a Diretoria de vestibular e Exames na mesma caixa que contenha os envelopes com as folhas de resposta. 9. Zelar pelo cumprimento das atribuições dos: chefes de setor, apoios, porteiros e faxineiros, circulando permanentemente por toda a escola sob sua coordenação. 10. Determinar aos fiscais de sala e chefes de setor que coloquem as Folhas de Respostas em ordem crescente, do número de inscrição, em envelopes próprios. (Não separar os ausentes). 11. Lacrar as caixas contendo os envelopes com as folhas de resposta. 12. Repassar à Diretoria de Vestibular e Exames todo o material recolhido e organizado nas caixas próprias. 13. Anular as folhas de resposta substituídas com a letra X, em toda sua extensão, e encaminhálas à Diretoria de Vestibular e Exames, em envelope a parte na caixa da coordenação. 14. Organizar as caixas de prova, colocando os envelopes com as folhas de respostas em ordem crescente, evitando que possam ser danificadas durante o retorno. 15. Conferir a numeração do PIS/PASEP/NIT e o CPF dos contratados locais, para evitar transtornos no pagamento. 16. Identificar, na folha de presença dos contratados aqueles que não compareceram e foram substituídos. 17. Preencher corretamente a relação dos contratados que substituíram os ausentes (utilizar o formulário próprio) contendo nome, CPF, PIS e telefone e encaminhá-la à Diretoria de Vestibular e Exames na caixa da coordenação. 18. Lançar pela internet no sistema da DVE as substituições ocorridas em seu setor até a data estipulada até 09/12/ Ao final do processo preencher a ficha de avaliação. 11

12 20. Cuidar para que a realização da prova siga rigorosamente a programação estabelecida. 21. Outras atribuições determinadas pela Diretoria de Vestibular e Exames. 22. Em caso de dúvida comunicar-se com a Diretoria de Vestibular e Exames para esclarecimentos. B. Chefe de Setor 1. Auxiliar o Coordenador em cada uma de suas atividades (Guarda da Prova, reunião, distribuição, recepção e conferência do material). 2. Faltando 20 minutos para o início da prova romper o lacre dos malotes, na presença de pelo menos três candidatos e lavrar a ata do rompimento colhendo as assinaturas dos fiscais de sala e dos três candidatos que presenciaram o rompimento. 3. Não permitir que os chefes de sala ou fiscais assentem ou se mantenham encostados na porta da sala, ou ainda que leiam a prova ou qualquer outro material que não tenha relação com a fiscalização; 4. Permitir o afastamento dos fiscais das salas, sob sua responsabilidade, somente em caso de necessidades fisiológicas dos mesmos. 5. Responsabilizar-se pelo acompanhamento das atividades dos fiscais de sala e apoios, do conjunto de salas designadas pelo Coordenador. 6. Ao término da prova conferir, nas salas sob sua responsabilidade, todo o material dos candidatos, principalmente, as Folhas de Respostas, de produção Textual e os Cadernos de Provas que deverão estar contadas (número de folhas/cadernos iguais ao número de candidatos na sala) e organizadas em ordem crescente de inscrição, antes de serem encaminhadas ao Coordenador. Atenção: não separar as folhas de respostas dos ausentes. 7. Logo após o início da prova solicitar, aos fiscais de sala e aos apoios o preenchimento da declaração atestando a ausência de vinculo social ou consanguíneo com os candidatos presentes na sala, ou grupo de salas para a(s) qual(is) foi designado. HAVENDO QUALQUER IMPEDIMENTO PROVIDENCIAR A TROCA DE SALA. 8. Controlar a circulação dos apoios, para melhorar a eficiência do trabalho, a auxiliá-los no acompanhamento dos candidatos ao banheiro. 9. Circular permanentemente nas salas sob sua responsabilidade atentando para o pleno cumprimento das determinações que regem o concurso (solicitando a retirada de boné, tiara, relógio, celular, ou qualquer outro objeto que possa gerar suspeita de fraude). 10. Outras atribuições determinadas pela Diretoria de Vestibular e Exames ou pelo Coordenador. C. Apoio 1. Acatar e cumprir as solicitações do Coordenador e dos chefes de setor. 2. Conduzir os candidatos ao banheiro, um por vez, evitando manter contato verbal com os mesmos. Permitir a entrada e a permanência, no interior do banheiro, de apenas um candidato de cada vez. 3. Contribuir para o bom andamento dos trabalhos evitando conversar no corredor, com os outros apoios ou nas portas das salas, com os fiscais. 4. Outras atribuições determinadas pela Diretoria de Vestibular e Exames ou pelo Coordenador. 12

13 D. Chefe de Sala 1. Acatar e cumprir as solicitações do Coordenador e dos chefes de setor. 2. Relatar toda e qualquer anormalidade ao chefe de setor e no relatório de ocorrências. 3. Garantir a lisura do concurso zelando para que não haja fraudes. 4. Garantir que os candidatos mantenham sobre a carteira somente o documento de identidade, o comprovante de inscrição e caneta, além das provas e folhas de respostas. 5. Observar para que o candidato não permita que outros vejam a sua prova. 6. Não assentar ou se manter encostado na porta da sala, ou ainda que ler a prova ou qualquer outro material que não tenha relação com a fiscalização. 7. Outras atribuições determinadas pela Diretoria de Vestibular e Exames, pelo Coordenador ou pelo Chefe de Setor. E. Fiscal de Sala 1. Seguir as instruções do Chefe de sala. 2. Relatar toda e qualquer anormalidade ao chefe de sala. 3. Garantir a lisura do concurso zelando para que não haja fraudes. 4. Garantir que os candidatos mantenham sobre a carteira somente o documento de identidade, o comprovante de inscrição e caneta, além das provas e folhas de respostas. 5. Observar para que o candidato não permita que outros vejam a sua prova. 6. Não assentar ou se manter encostado na porta da sala, ou ainda que ler a prova ou qualquer outro material que não tenha relação com a fiscalização. 7. Outras atribuições determinadas pela Diretoria de Vestibular e Exames, pelo Coordenador, pelo Chefe de Setor ou pelo Chefe de Sala. F. Fiscal de Banheiro 1. Seguir as instruções do Chefe de setor. 2. Relatar toda e qualquer anormalidade ao chefe de setor. 3. Garantir a lisura do concurso zelando para que não haja fraudes. 4. Garantir que os candidatos, ao utilizarem as instalações sanitárias, não estejam portando dispositivos ou materiais que permitam a fraude. 5. Utilizar, se for o caso, o detector de metais para escanear os candidatos antes dos mesmos acessarem as instalações sanitárias. 6. Garantir que o pessoal de limpeza esvazie os cestos de lixo sempre que um candidato sair das instalações. 7. Garantir que o acompanhante entre nas instalações com o candidato e que ele determine qual dos boxes será utilizado pelo candidato. 8. Não assentar ou se manter encostado na porta ou manter conversação com candidatos, fiscais ou Chefes de Setor, exceto as essenciais para o bom andamento do processo. 9. Outras atribuições determinadas pela Diretoria de Vestibular e Exames, pelo Coordenador ou pelos Chefes de Setor. 13

14 G. Vigilante/Segurança 1. Garantir a segurança externa do edifício onde estão sendo realizadas as provas e, se necessário, acionar o policiamento para garantir a paz e a integridade do concurso. 2. Auxiliar os porteiros no controle e organização da entrada dos candidatos. 3. Outras atribuições determinadas pela Diretoria de Vestibular e Exames, pelo Coordenador ou pelos Chefes de Setor. 14

EDITAL 02/ 2015 COMISSÃO LOCAL DE CONCURSOS SELEÇÃO PARA FISCAIS DO CONCURSO DOCENTE EDITAL Nº. 21 DE 09 DE OUTUBRO DE 2015

EDITAL 02/ 2015 COMISSÃO LOCAL DE CONCURSOS SELEÇÃO PARA FISCAIS DO CONCURSO DOCENTE EDITAL Nº. 21 DE 09 DE OUTUBRO DE 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CAMPUS MORRINHOS EDITAL 02/ 2015 COMISSÃO LOCAL

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO BOLSA DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

EDITAL DE SELEÇÃO BOLSA DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Universidade Federal de Viçosa Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários Serviço de Bolsa EDITAL DE SELEÇÃO BOLSA DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL A Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários comunica que estarão abertas,

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO BOLSA DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

EDITAL DE SELEÇÃO BOLSA DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Universidade Federal de Viçosa Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários Serviço de Bolsa/Divisão de Assistência Estudantil EDITAL DE SELEÇÃO BOLSA DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL A Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA CORREÇÃO E LANÇAMENTO DE NOTAS DO VESTIBULAR TRADICIONAL DOMINGO

INSTRUÇÕES PARA CORREÇÃO E LANÇAMENTO DE NOTAS DO VESTIBULAR TRADICIONAL DOMINGO Página 1 de 11 [ INSTRUÇÕES PARA CORREÇÃO E LANÇAMENTO DE NOTAS DO VESTIBULAR DOMINGO LOCAIS DE COMUNICAÇÃO COM O COORDENADOR DE POLO Em DOCUMENTOS E LINKS, dentro da aba VESTIBULAR DOMINGO estarão disponíveis

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO - UFES COMISSÃO COORDENADORA DO VESTIBULAR

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO - UFES COMISSÃO COORDENADORA DO VESTIBULAR EDITAL Nº 09/2015-CCV/UFES SELEÇÃO DE PRESTADORES DE SERVIÇO EVENTUAL, SEM VÍNCULO EMPREGATÍCIO, PARA REALIZAÇÃO DO PROCESSO SELETIVO UFES 201 A UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO, representada pela

Leia mais

Art. 7º O candidato poderá consultar o Edital do Processo Seletivo no site da UNISA, www.unisa.br, ou na Central de Relacionamento UNISA dos Campi.

Art. 7º O candidato poderá consultar o Edital do Processo Seletivo no site da UNISA, www.unisa.br, ou na Central de Relacionamento UNISA dos Campi. 1 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO PARA CURSO DA PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU - BOLSA APRIMORAMENTO EM MEDICINA VETERINÁRIA DA UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO PARA O ANO LETIVO DE 2013. A Magnífica Reitora

Leia mais

EDITAL Nº 14/2011-PROEN/IFRN PROCESSO SELETIVO PARA OS CURSOS SUPERIORES DE PÓS-GRADUAÇÃO CAMPI JOÃO CÂMARA E MACAU 2º SEMESTRE DE 2011

EDITAL Nº 14/2011-PROEN/IFRN PROCESSO SELETIVO PARA OS CURSOS SUPERIORES DE PÓS-GRADUAÇÃO CAMPI JOÃO CÂMARA E MACAU 2º SEMESTRE DE 2011 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE PRO-REITORIA DE ENSINO EDITAL Nº 14/2011-PROEN/IFRN PROCESSO

Leia mais

Edital Processo Seletivo - 2º semestre de 2011

Edital Processo Seletivo - 2º semestre de 2011 Edital Processo Seletivo - 2º semestre de 2011 O Instituto de Ensino Superior João Alfredo de Andrade, por sua Comissão Organizadora do Processo Seletivo, instituída em caráter permanente pela Portaria

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO 03-2015

EDITAL DE SELEÇÃO 03-2015 EDITAL DE SELEÇÃO 03-2015 Estabelece as normas e condições para o Processo Seletivo nos Cursos de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Solos e Qualidade de Ecossistemas da UFRB, para ingresso no semestre

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CONCURSOS PÚBLICOS ROTEIRO DO FISCAL DE SALA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CONCURSOS PÚBLICOS ROTEIRO DO FISCAL DE SALA INSTRUÇÕES: 1. Os fiscais de sala são os responsáveis pela guarda de todo o material de aplicação recebido e utilizado na sala de prova, não devendo afastar-se do mesmo, principalmente do envelope cinza

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO EDITAL PROGRAD Nº 18/2008, DE 22 DE JULHO DE 2008 SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DO PROGRAMA PRÓ-ESTÁGIO UFGD 2008 O PRÓ-REITOR DE ENSINO DE GRADUAÇÃO da Fundação Universidade Federal da Grande Dourados, no uso

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO 01-2016

EDITAL DE SELEÇÃO 01-2016 EDITAL DE SELEÇÃO 01-2016 Estabelece as normas e condições para o Processo Seletivo nos Cursos de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em da UFRB, para ingresso no semestre acadêmico 2016.1. A Universidade

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA. EDITAL Nº 009/2014-PROPPG, de 22 de abril de 2014

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA. EDITAL Nº 009/2014-PROPPG, de 22 de abril de 2014 PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENSINO DE CIÊNCIAS E MATEMÁTICA EDITAL Nº 009/2014-PROPPG, de 22 de abril de 2014 A, por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPPG/IFG), torna público o processo

Leia mais

Pós-Graduação Lato Sensu em Telecomunicações: Prédios Inteligentes. EDITAL Nº 012/2015-PROPPG, de 16 de dezembro de 2015.

Pós-Graduação Lato Sensu em Telecomunicações: Prédios Inteligentes. EDITAL Nº 012/2015-PROPPG, de 16 de dezembro de 2015. Pós-Graduação Lato Sensu em Telecomunicações: Prédios Inteligentes EDITAL Nº 012/2015-PROPPG, de 16 de dezembro de 2015. A, por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPPG/IFG), torna público

Leia mais

2.2 - O(A) candidato a avaliador deve possuir currículo atualizado na Plataforma Lattes;

2.2 - O(A) candidato a avaliador deve possuir currículo atualizado na Plataforma Lattes; EDITAL PROEX/IFRR - Nº 002/2014 - Processo seletivo para constituição do Banco de avaliadores do Programa Institucional de Bolsa Acadêmica de Extensão-IFRR. O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE EDUCAÇÃO - TERRITÓRIOS, EDUCAÇÃO INTEGRAL E CIDADANIA (TEIA) EDITAL 001/2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE EDUCAÇÃO - TERRITÓRIOS, EDUCAÇÃO INTEGRAL E CIDADANIA (TEIA) EDITAL 001/2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE EDUCAÇÃO - TERRITÓRIOS, EDUCAÇÃO INTEGRAL E CIDADANIA (TEIA) EDITAL 001/2015 PROCESSO DE SELEÇÃO DE TUTORES À DISTÂNCIA O Grupo Territórios, Educação Integral

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 061/2014-UAB-UEM

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 061/2014-UAB-UEM EDITAL Nº 061/2014-UAB-UEM A Coordenadora da UAB da Universidade Estadual de Maringá, no uso das atribuições, TORNA PÚBLICO: A abertura de inscrições para o processo seletivo de TUTORIA (A Distância) para

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 098/2012-UAB-UEM

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 098/2012-UAB-UEM EDITAL Nº 098/2012-UAB-UEM A Coordenadora da UAB da Universidade Estadual de Maringá, no uso das atribuições, TORNA PÚBLICO: A abertura de inscrições do processo seletivo para contratação de TUTOR (PRESENCIAL)

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina

Universidade Estadual de Londrina PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL 007/2010 A Pró-Reitora de Extensão da Universidade Estadual de Londrina, considerando a seleção de projetos para o Programa de Extensão Universitária Universidade Sem Fronteiras,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA (UnB) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA EDITAL No. 01/2012

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA (UnB) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA EDITAL No. 01/2012 UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA (UnB) PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA EDITAL No. 01/2012 SELEÇÃO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA, PARA O CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL, ÁREA

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE EDUCAÇÃO - TERRITÓRIOS, EDUCAÇÃO INTEGRAL E CIDADANIA (TEIA) EDITAL 001/2014

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE EDUCAÇÃO - TERRITÓRIOS, EDUCAÇÃO INTEGRAL E CIDADANIA (TEIA) EDITAL 001/2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE EDUCAÇÃO - TERRITÓRIOS, EDUCAÇÃO INTEGRAL E CIDADANIA (TEIA) EDITAL 001/2014 PROCESSO DE SELEÇÃO DE TUTORES PRESENCIAIS O Grupo Territórios, Educação Integral

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EAD DEZEMBRO 2013-09/12/2012

PROCESSO SELETIVO EAD DEZEMBRO 2013-09/12/2012 PROCESSO SELETIVO EAD DEZEMBRO 2013-09/12/2012 Calendário Processo de Dezembro Inscrições na internet: até dia 06/12/2012 Data da Prova: 09/12/2012 Resultado: 19/12/2012 Matrículas: 19/12/2012 a 01/02/2013

Leia mais

Edital de Seleção de Equipe para Aplicação de Provas do Vestibular

Edital de Seleção de Equipe para Aplicação de Provas do Vestibular O Grupo Educacional Unis, seleciona colaboradores para aplicação de provas presenciais aos(às) candidatos(as) do Vestibular 2016/2. 1 DAS VAGAS 1.1 As vagas de aplicadores serão estipuladas do dia 30/06/2016

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO FACULDADE NACIONAL DE DIREITO Edital Interno - Programa de Monitoria 2014

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO FACULDADE NACIONAL DE DIREITO Edital Interno - Programa de Monitoria 2014 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO FACULDADE NACIONAL DE DIREITO Edital Interno - Programa de Monitoria 2014 A Coordenação de Graduação da Faculdade Nacional de Direito (FND) torna público que a Pró-Reitoria

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS QUÍMICA E BIOLÓGICA EDITAL Nº 1/2014

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS QUÍMICA E BIOLÓGICA EDITAL Nº 1/2014 UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS QUÍMICA E BIOLÓGICA EDITAL Nº 1/2014 SELEÇÃO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS QUÍMICA E BIOLÓGICA PARA

Leia mais

Valor Total do 1º Período Serviço Social. Dia da Semana. Noturno Segunda-feira (Bacharelado 8 semestres) R$1.444,00 Administração

Valor Total do 1º Período Serviço Social. Dia da Semana. Noturno Segunda-feira (Bacharelado 8 semestres) R$1.444,00 Administração 1. ABERTURA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS-UNITINS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO FACULDADE EDUCACIONAL DA LAPA - FAEL EDITAL Nº. 01/2008 NORMAS DE REGULAMENTAÇÃO DO PROCESSO SELETIVO COMPLEMENTAR - 2008

Leia mais

1. PREÂMBULO. 1.6. A página eletrônica do MNPEF Polo 1- UnB está disponível em: http://cifmc.fis.unb.br/mnpef/index.html

1. PREÂMBULO. 1.6. A página eletrônica do MNPEF Polo 1- UnB está disponível em: http://cifmc.fis.unb.br/mnpef/index.html UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE FÍSICA POLO-1 UNB EDITAL COMPLEMENTAR MNPEF- UnB - N O 01/2014 SELEÇÃO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS DO CURSO DE MESTRADO NACIONAL PROFISSIONAL

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina

Universidade Estadual de Londrina PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL PROEX - 075/2010 A Pró-Reitora de Extensão da Universidade Estadual de Londrina, considerando a seleção de projetos para o Programa de Extensão Universitária Universidade

Leia mais

II. PROGRAMAS OPÇÕES, NÚMERO DE VAGAS E SITUAÇÃO JUNTO À CNRM:

II. PROGRAMAS OPÇÕES, NÚMERO DE VAGAS E SITUAÇÃO JUNTO À CNRM: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ALCIDES CARNEIRO COORDENAÇÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA RESIDÊNCIA MÉDICA 2013 EDITAL Nº 01/2013, DE 7 DE FEVEREIRO DE 2013.

Leia mais

SELEÇÃO PARA ENTRADA NO SEGUNDO SEMESTRE LETIVO DE 2014

SELEÇÃO PARA ENTRADA NO SEGUNDO SEMESTRE LETIVO DE 2014 AGENDA MUDANÇA INTERNA DE CURSO SELEÇÃO PARA ENTRADA NO SEGUNDO SEMESTRE LETIVO DE 2014 22 a 24/4/2014 Período de inscrição - Internet 25/4/2014 Último dia para o candidato entregar seu Currículo à PRG

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTÂNCIA - DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTÂNCIA - DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTÂNCIA - DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE A Coordenadoria de Educação a Distância da Universidade Federal de Viçosa(CEAD/UFV),

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 114/2014-UAB-UEM

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 114/2014-UAB-UEM EDITAL Nº 114/2014-UAB-UEM A Coordenadora da UAB da Universidade Estadual de Maringá, no uso das atribuições, TORNA PÚBLICO: A abertura de inscrições do processo seletivo para contratação de TUTOR (PRESENCIAL)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE ENSINO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE ENSINO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE ENSINO EDITAL Nº 376/2014, de 25 de setembro de 2014 PROCESSO SELETIVO PARA BOLSISTA DO PROGRAMA INSTITUCIONAL

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO DE MONITORIA INSTRUÇÃO DE SERVIÇO N.º 03 DE 10 DE NOVEMBRO DE 2014

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO DE MONITORIA INSTRUÇÃO DE SERVIÇO N.º 03 DE 10 DE NOVEMBRO DE 2014 UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO DE MONITORIA INSTRUÇÃO DE SERVIÇO N.º 03 DE 10 DE NOVEMBRO DE 2014 EMENTA: Estabelece critérios para a operacionalização do Programa de

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 079/2014-UAB-UEM

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 079/2014-UAB-UEM EDITAL Nº 079/2014-UAB-UEM A Coordenadora da UAB da Universidade Estadual de Maringá, no uso das atribuições, TORNA PÚBLICO: A abertura de inscrições do processo seletivo para contratação de TUTOR (PRESENCIAL)

Leia mais

EDITAL Nº. 76/2013 PROCESSO SELETIVO 2014/1

EDITAL Nº. 76/2013 PROCESSO SELETIVO 2014/1 EDITAL Nº. 76/2013 PROCESSO SELETIVO 2014/1 O Diretor Superintendente da Faculdade Autônoma de Direito FADISP, no uso de suas atribuições regimentais e em acordo com a Lei nº. 9394/1996 das Diretrizes

Leia mais

EDITAL UESC Nº 115 ABERTURA DE INSCRIÇÕES CONCURSO VESTIBULAR PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO NA MODALIDADE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - 2014

EDITAL UESC Nº 115 ABERTURA DE INSCRIÇÕES CONCURSO VESTIBULAR PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO NA MODALIDADE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - 2014 EDITAL UESC Nº 115 ABERTURA DE INSCRIÇÕES CONCURSO VESTIBULAR PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO NA MODALIDADE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - 2014 O Reitor em exercício da Universidade Estadual de Santa Cruz UESC, no

Leia mais

EDITAL Nº 04/2014 EDITAL DE ABERTURA DO VESTIBULAR 2014/2

EDITAL Nº 04/2014 EDITAL DE ABERTURA DO VESTIBULAR 2014/2 EDITAL Nº 04/2014 EDITAL DE ABERTURA DO VESTIBULAR 2014/2 A Comissão Coordenadora do Processo Seletivo das Faculdades Integradas de Vitória FDV, para conhecimento de todos os interessados, torna público

Leia mais

reais) perante geração de boleto bancário no endereço eletrônico, referido no artigo 4º.

reais) perante geração de boleto bancário no endereço eletrônico, referido no artigo 4º. EDITAL (06/2015) E NORMAS DO CONCURSO DE SELEÇÃO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNOESTE A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação - PRPPG da UNOESTE faz saber que fará realizar,

Leia mais

EDITAL INSTITUCIONAL N 10, DE 30 DE JANEIRO DE 2013.

EDITAL INSTITUCIONAL N 10, DE 30 DE JANEIRO DE 2013. EDITAL INSTITUCIONAL N 10, DE 30 DE JANEIRO DE 2013. SELEÇÃO SIMPLIFICADA DE SERVIDORES ATIVOS E INATIVOS DO IFMA PARA ATUAREM COMO PROFESSORES NOS CURSOS DO PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO

Leia mais

FACULDADE ARI DE SÁ EDITAL Nº 2, DE 6 DE NOVEMBRO DE 2015, PROCESSO SELETIVO 2016.1

FACULDADE ARI DE SÁ EDITAL Nº 2, DE 6 DE NOVEMBRO DE 2015, PROCESSO SELETIVO 2016.1 FACULDADE ARI DE SÁ EDITAL Nº 2, DE 6 DE NOVEMBRO DE 2015, PROCESSO SELETIVO 2016.1 Em conformidade com as Portarias do MEC nº 1.120 de 16/07/1999 e nº 391 de 07/02/2002 e da Portaria nº 1449 de 23/12/1999

Leia mais

COORDENADORIA DE EXTENSÃO. Edital Nº 015/2013

COORDENADORIA DE EXTENSÃO. Edital Nº 015/2013 COORDENADORIA DE EXTENSÃO Edital Nº 015/2013 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA A SELEÇÃO DE BOLSISTA, NA MODALIDADE DOCENTE PARA O CURSO DE ESPANHOL APLICADO AO TURISMO PARA ATUAR NO PROGRAMA NACIONAL

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UERJ CENTRO BIOMÉDICO FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM TISIOLOGIA E PNEUMOLOGIA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UERJ CENTRO BIOMÉDICO FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM TISIOLOGIA E PNEUMOLOGIA 1 UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UERJ CENTRO BIOMÉDICO FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM TISIOLOGIA E PNEUMOLOGIA EDITAL CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM TISIOLOGIA E PNEUMOLOGIA

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO Nº 007/NEAD/FaPP/CEPEAD/UEMG PROCESSO SIMPLIFICADO DE SELEÇÃO DE TUTORES PRESENCIAIS

EDITAL DE SELEÇÃO Nº 007/NEAD/FaPP/CEPEAD/UEMG PROCESSO SIMPLIFICADO DE SELEÇÃO DE TUTORES PRESENCIAIS UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS NEAD Núcleo de Educação a Distância FaPP Faculdade de Políticas Públicas Tancredo Neves CEPEAD - Centro de Pesquisa em Educação a Distância EDITAL DE SELEÇÃO Nº 007/NEAD/FaPP/CEPEAD/UEMG

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 068/2012-UAB-UEM A Coordenadora da UAB da Universidade Estadual de Maringá, no uso das atribuições, TORNA PÚBLICO A abertura de inscrições do processo seletivo para contratação de TUTOR (A DISTÂNCIA)

Leia mais

CISNE FACULDADE DE QUIXADÁ PROCESSO SELETIVO 2015.2 EDITAL Nº 03/2015

CISNE FACULDADE DE QUIXADÁ PROCESSO SELETIVO 2015.2 EDITAL Nº 03/2015 CISNE FACULDADE DE QUIXADÁ PROCESSO SELETIVO 2015.2 EDITAL Nº 03/2015 O Instituto Educacional e Tecnológico de Quixadá e a CISNE Faculdade de Quixadá, com base no seu Regimento Interno e nas disposições

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL Nº 14/2015 PROPPG EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA PARA INGRESSO DE ALUNOS

Leia mais

EDITAL 01/2015 CONCURSO PARA PROGRAMA DE APRIMORAMENTO EM MEDICINA VETERINÁRIA

EDITAL 01/2015 CONCURSO PARA PROGRAMA DE APRIMORAMENTO EM MEDICINA VETERINÁRIA UNIÃO METROPOLITANA PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO E CULTURA FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA PROGRAMA DE APRIMORAMENTO EM MEDICINA VETERINÁRIA EDITAL 01/2015

Leia mais

COLÉGIO POSITIVO COMISSÃO DE PROCESSO SELETIVO. Edital nº 01/2014

COLÉGIO POSITIVO COMISSÃO DE PROCESSO SELETIVO. Edital nº 01/2014 COLÉGIO POSITIVO COMISSÃO DE PROCESSO SELETIVO Edital nº 01/2014 A COMISSÃO DE PROCESSO SELETIVO, doravante referida como CPS, torna públicas as normas a seguir, que regem o processo seletivo para ingresso

Leia mais

EDITAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO TURMA 2014/1 DOUTORADO

EDITAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO TURMA 2014/1 DOUTORADO UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UERJ CENTRO DE EDUCAÇÃO E HUMANIDADES FACULDADE DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO CURSO DE DOUTORADO EDITAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

EDITAL E NORMAS DO CONCURSO DE SELEÇÃO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNOESTE

EDITAL E NORMAS DO CONCURSO DE SELEÇÃO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNOESTE EDITAL E NORMAS DO CONCURSO DE SELEÇÃO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNOESTE A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação da UNOESTE, faz saber que fará realizar nesta cidade de

Leia mais

EDITAL Nº 09 2015 VAGAS REMANESCENTES PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR

EDITAL Nº 09 2015 VAGAS REMANESCENTES PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR EDITAL Nº 09 2015 VAGAS REMANESCENTES PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR O Diretor da Faculdade Horizontina-FAHOR, mantida pela Instituição Sinodal de Assistência, Educação e Cultura ISAEC, no uso de suas atribuições

Leia mais

2. DAS ATRIBUIÇÕES DOS PROFESSOES TUTORES PRESENCIAIS SELECIONADOS: 2.1 Atuar no polo de apoio presencial do campus para o qual foi selecionado.

2. DAS ATRIBUIÇÕES DOS PROFESSOES TUTORES PRESENCIAIS SELECIONADOS: 2.1 Atuar no polo de apoio presencial do campus para o qual foi selecionado. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO - PROPESQ EDITAL Nº. 06, DE 12 DE JULHO DE 2013. SELEÇÃO DE SERVIDORES

Leia mais

EDITAL Nº 01/2015, DE 15 DE ABRIL DE

EDITAL Nº 01/2015, DE 15 DE ABRIL DE Edital nº 01, de 15 de abril de 2015, da Universidade Federal de Pelotas UFPEL, referente ao processo seletivo simplificado, para a função temporária de TUTOR PRESENCIAL para atuar no Curso de Especialização

Leia mais

EDITAL (01/2014) E NORMAS DO CONCURSO DE SELEÇÃO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNOESTE

EDITAL (01/2014) E NORMAS DO CONCURSO DE SELEÇÃO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNOESTE EDITAL (01/2014) E NORMAS DO CONCURSO DE SELEÇÃO DOS CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA DA UNOESTE A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós Graduação da UNOESTE faz saber que fará realizar, nesta

Leia mais

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO

Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Programa de Pós-Graduação em Ensino de Física PROFIS - UNIRIO Curso de Mestrado Nacional Profissional

Leia mais

1. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

1. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS O Diretor Geral da Faculdade ISAEBRASIL, credenciada pela Portaria MEC n. 439 de 29 de abril de 2015, por sua Comissão de Vestibular, instituída em caráter permanente pela Portaria ISAE n.º 02/2015 de

Leia mais

EDITAL 01/2013. 1.3.1. Somente estudantes maiores de 18 anos poderão ocupar os alojamentos.

EDITAL 01/2013. 1.3.1. Somente estudantes maiores de 18 anos poderão ocupar os alojamentos. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS SETOR DE RESIDÊNCIA ESTUDANTIL BR 465, km 7, Seropédica, RJ. Tel.: (21) 2681-4687 EDITAL 01/2013

Leia mais

1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

1. DISPOSIÇÕES PRELIMINARES UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTÂNCIA - DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE A Coordenadoria de Educação a Distância da Universidade Federal de Viçosa (CEAD/UFV),

Leia mais

CURSO PRÉ - VESTIBULAR COMUNITÁRIO SISTEMA DINAMUS Edital 01/2012 PROEX/SIMULADO ENEM 2012

CURSO PRÉ - VESTIBULAR COMUNITÁRIO SISTEMA DINAMUS Edital 01/2012 PROEX/SIMULADO ENEM 2012 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS UFAL PRÓ-REITORIA DE EXTENSÁO PROEX PROGRAMA CONEXÕES DE SABERES CURSO PRÉ - VESTIBULAR COMUNITÁRIO SISTEMA DINAMUS Edital 01/2012 PROEX/SIMULADO ENEM 2012 A UNIVERSIDADE

Leia mais

EDITAL IF FARROUPILHA Nº 253/2013

EDITAL IF FARROUPILHA Nº 253/2013 PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM EDUCAÇÃO PROFISSIONAL INTEGRADA À EDUCAÇÃO BÁSICA NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (PROEJA) EAD EDITAL IF FARROUPILHA Nº 253/2013

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL PROEX - 089/2010

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL PROEX - 089/2010 PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL PROEX - 089/2010 A Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Estadual de Londrina, considerando a seleção de projetos para o Programa de Extensão Universitária Universidade

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Conselho Permanente de Reconhecimento de Saberes e Competências (CPRSC)

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Conselho Permanente de Reconhecimento de Saberes e Competências (CPRSC) Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Conselho Permanente de Reconhecimento de Saberes e Competências (CPRSC) EDITAL 01, de 29 de maio de 2014 Processo Seletivo de Avaliadores

Leia mais

UNIVERSIDADE POSITIVO COMISSÃO DE PROCESSO SELETIVO CPS VESTIBULAR 2 o SEMESTRE DE 2010 CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA EDITAL n o 16 14/05/2010

UNIVERSIDADE POSITIVO COMISSÃO DE PROCESSO SELETIVO CPS VESTIBULAR 2 o SEMESTRE DE 2010 CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA EDITAL n o 16 14/05/2010 UNIVERSIDADE POSITIVO COMISSÃO DE PROCESSO SELETIVO CPS VESTIBULAR 2 o SEMESTRE DE 2010 CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA EDITAL n o 16 14/05/2010 A UNIVERSIDADE POSITIVO, por sua COMISSÃO DE PROCESSO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL 002/2008 - COPERVES (Íntegra)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL 002/2008 - COPERVES (Íntegra) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO EDITAL 002/2008 - COPERVES (Íntegra) A Universidade Federal de Santa Maria () torna público que, no período de 16 de

Leia mais

1. CALENDÁRIO DO PROCESSO SELETIVO

1. CALENDÁRIO DO PROCESSO SELETIVO Edital n.º 004/2015 para seleção de Tutores a Distância para os Cursos Técnicos de Nível Médio Subsequentes, na modalidade a Distância EaD, da Rede Escola Técnica Aberta do Brasil, e-tec Brasil/SETEC/MEC,

Leia mais

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 25, DE 12 DE AGOSTO DE 2013.

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 25, DE 12 DE AGOSTO DE 2013. EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 25, DE 12 DE AGOSTO DE 13. O Diretor Pró-Tempore do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão Campus São João dos Patos, no uso de suas atribuições,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA - COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTÂNCIA - DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA - COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTÂNCIA - DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA - COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTÂNCIA - DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA A Coordenadoria de Educação Aberta e a Distância da Universidade Federal de Viçosa (CEAD/UFV),

Leia mais

1 PRÉ-REQUISITOS São pré-requisitos para a inscrição no processo seletivo do qual se refere esse Edital, regulamentado por meio deste instrumento:

1 PRÉ-REQUISITOS São pré-requisitos para a inscrição no processo seletivo do qual se refere esse Edital, regulamentado por meio deste instrumento: EDITAL DO 3 PROCESSO SELETIVO 2015 PARA TRANSFERÊNCIA DE CURSO DA ÁREA DA SAÚDE E CIÊNCIAS BIOLÓGICAS NO CURSO DE MEDICINA DA FACULDADE SÃO LUCAS 1 SEMESTRE 2015 - EDITAL n o 3/2015 DATA: PROCESSO SELETIVO

Leia mais

EDITAL. 1. INSCRIÇÕES As inscrições deverão ser realizadas, no período de 25 a 29 de maio de 2015, nos seguintes horários e salas:

EDITAL. 1. INSCRIÇÕES As inscrições deverão ser realizadas, no período de 25 a 29 de maio de 2015, nos seguintes horários e salas: EDITAL PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS PARA INGRESSO NO MESTRADO PROFISSIONAL EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO NO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DE VOLTA REDONDA A coordenação do Programa

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS OURO PRETO PIBID FÍSICA- IFMG SELEÇAO PIBID- FÍSICA IFMG

Leia mais

EDITAL Nº 35/2014 EDITAL DE ABERTURA DO VESTIBULAR 2015

EDITAL Nº 35/2014 EDITAL DE ABERTURA DO VESTIBULAR 2015 EDITAL Nº 35/2014 EDITAL DE ABERTURA DO VESTIBULAR 2015 A Comissão Coordenadora do Processo Seletivo das Faculdades Integradas de Vitória FDV, para conhecimento de todos os interessados, torna público

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS. DIVISÃO DE EXTENSÃO EDITAL Nº.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MATO GROSSO DO SUL PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS. DIVISÃO DE EXTENSÃO EDITAL Nº. EDITAL Nº.004/2009 A Pró-Reitora de Extensão, Cultura e Assuntos Comunitários - PROEC/UEMS, no uso de suas atribuições legais, torna pública, para conhecimento da comunidade acadêmica UEMS, o Edital 004/2009-

Leia mais

FABEL- FACULDADE DE BELÉM EDITAL DO PROCESSO SELETIVO COMPLEMENTAR 2010.1

FABEL- FACULDADE DE BELÉM EDITAL DO PROCESSO SELETIVO COMPLEMENTAR 2010.1 FABEL- FACULDADE DE BELÉM EDITAL DO PROCESSO SELETIVO COMPLEMENTAR 2010.1 O Diretor da FABEL FACULDADE DE BELÉM, Instituição autorizada a funcionar pela Portaria Ministerial nº. 675 de 17 de março de 2004,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISA EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISA EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISA EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EDITAL Nº 012/NEAD/CEPEAD/FaPP/UEMG/2015 SELEÇÃO DE TUTORES A DISTÂNCIA/BOLSISTAS

Leia mais

EDITAL MESTRADO 2015

EDITAL MESTRADO 2015 EDITAL MESTRADO 2015 Edital do Exame de Seleção para ingresso no Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Espírito Santo. A Coordenação

Leia mais

Agrimensura 15 Controle Ambiental 23 Informática 02 Mecatrônica 08 Secretariado 20 Segurança do Trabalho 12

Agrimensura 15 Controle Ambiental 23 Informática 02 Mecatrônica 08 Secretariado 20 Segurança do Trabalho 12 EDITAL Nº 005/2014//IFTO, DE 14 DE MARÇO DE 2014. SELEÇÃO PARA CURSOS TÉCNICOS SUBSEQUENTES DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS 2014/1 VAGAS REMANESCENTES O DIRETOR-GERAL

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA EDITAL Nº 001/2013

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA EDITAL Nº 001/2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA EDITAL Nº 001/2013 INSCRIÇÃO AO TESTE DE SUFICIÊNCIA EM LÍNGUA ESTRANGEIRA, 1º SEMESTRE DE 2013 A Chefia do Departamento de Letras Estrangeiras

Leia mais

2.6. Da inscrição A inscrição poderá ser realizada:

2.6. Da inscrição A inscrição poderá ser realizada: EDITAL Nº 016/2015 Regulamento do processo seletivo inicial para os Cursos de Tecnologia da Faculdade SATC em 2015.2 A Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina - SATC, mantenedora

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 708, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 R E S O L U Ç Ã O:

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 708, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 R E S O L U Ç Ã O: SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 708, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 Institui o Regimento Eleitoral que estabelece normas para a eleição on line (SIGEleição)

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO DE QUÍMICA EDITAL Nº 001/2015

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO DE QUÍMICA EDITAL Nº 001/2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO INSTITUTO DE QUÍMICA EDITAL Nº 001/2015 EDITAL DE INSCRIÇÃO, SELEÇÃO E MATRÍCULA AO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014.

REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. REGULAMENTO/DIGEP Nº 002, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2014. Dispõe acerca das regras e procedimentos para a concessão, indenização, parcelamento e pagamento da remuneração de férias dos servidores do Instituto

Leia mais

Instituto de Ensino Superior de Goiás Faculdades IESGO Edital do 2º Processo Seletivo de 2015

Instituto de Ensino Superior de Goiás Faculdades IESGO Edital do 2º Processo Seletivo de 2015 Instituto de Ensino Superior de Goiás Faculdades IESGO Edital do 2º Processo Seletivo de 2015 O Diretor Geral do Instituto de Ensino Superior de Goiás, mantido pela Sociedade de Ensino Superior Fênix Ltda,

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina PROEX - Pró-Reitoria de Extensão

Universidade Estadual de Londrina PROEX - Pró-Reitoria de Extensão PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL PROEX - 004/2009 A Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Estadual de Londrina, considerando a seleção de projetos para o Programa de Extensão Universitária Universidade

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 03/2012/CS

RESOLUÇÃO nº 03/2012/CS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLÓGIA DE SERGIPE Av. Engenheiro Gentil Tavares da Mota, 1166 - Bairro Getúlio Vargas

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE PROVAS

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE PROVAS EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE PROVAS No uso das atribuições legais, e mediantes as condições estipuladas nos Editais e Comunicados oficiais publicados no site www.selecao.uneb.br/dpe2012, CONVOCA os Candidatos

Leia mais

EDITAL Nº. 71/2013 PROCESSO SELETIVO 2014/1

EDITAL Nº. 71/2013 PROCESSO SELETIVO 2014/1 EDITAL Nº. 71/2013 PROCESSO SELETIVO 2014/1 O Diretor Superintendente das Faculdades Alves Faria ALFA, no uso de suas atribuições regimentais e em acordo com a Lei nº. 9394/1996 das Diretrizes e Bases

Leia mais

FACULDADE INTEGRADA DE ARAGUATINS - FAIARA EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 01/2012

FACULDADE INTEGRADA DE ARAGUATINS - FAIARA EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 01/2012 FACULDADE INTEGRADA DE ARAGUATINS - FAIARA EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 01/2012 A FAIARA Faculdade Integrada de Araguatins, através de sua Comissão Permanente do Processo Seletivo CPPS, em conformidade

Leia mais

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 03, DE 03 DE JULHO DE 2015.

EDITAL INSTITUCIONAL DE EXTENSÃO N 03, DE 03 DE JULHO DE 2015. O Diretor Geral do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão Campus Imperatriz-MA, no uso de suas atribuições, torna público que estarão abertas no período de 01/07/2015 a 22/07/2015

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL - UAB EDITAL Nº 036/2014, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2014 Abre inscrições para o processo seletivo para ingresso no curso de Especialização em Gestão Pública Municipal. A Coordenadora da Universidade Aberta do Brasil

Leia mais

BOLSAS DE EXTENSÃO PARA PROJETOS NA ÁREA DA SAÚDE

BOLSAS DE EXTENSÃO PARA PROJETOS NA ÁREA DA SAÚDE BOLSAS DE EXTENSÃO PARA PROJETOS NA ÁREA DA SAÚDE Edital Nº 003/2013 Em consonância com a Resolução Normativa 03/CUn/09 de 8 de dezembro de 2009 e com a Resolução Normativa N.º 09/CUn/10, de 7 de dezembro

Leia mais

EDITAL Nº 006/CRFI DE 11 DE MAIO DE 2015. SELEÇÃO 2015/2 PROCESSO SELETIVO PARA CURSOS DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FICs) PRESENCIAIS

EDITAL Nº 006/CRFI DE 11 DE MAIO DE 2015. SELEÇÃO 2015/2 PROCESSO SELETIVO PARA CURSOS DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FICs) PRESENCIAIS EDITAL Nº 006/CRFI DE 11 DE MAIO DE 2015. SELEÇÃO 2015/2 PROCESSO SELETIVO PARA CURSOS DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FICs) PRESENCIAIS 1. DA ABERTURA O DIRETOR(A) SERGIO BARBOSA GOMES DO CAMPUS RIACHO

Leia mais

Parágrafo único - Exige-se que os candidatos mencionados nos incisos I e II tenham sido aprovados em alguma disciplina na IES de origem.

Parágrafo único - Exige-se que os candidatos mencionados nos incisos I e II tenham sido aprovados em alguma disciplina na IES de origem. RESOLUÇÃO GR 44, de 7-8-2013 Dispõe sobre normas para o Processo Seletivo Aberto a Graduados ou Alunos Regularmente Matriculados em Instituições de Ensino Superior (Processo Seletivo para as Vagas Remanescentes

Leia mais

Parágrafo único - Exige-se que os candidatos mencionados nos incisos I e II tenham sido aprovados em alguma disciplina na IES de origem.

Parágrafo único - Exige-se que os candidatos mencionados nos incisos I e II tenham sido aprovados em alguma disciplina na IES de origem. RESOLUÇÃO GR 27/2014 Dispõe sobre normas para o Processo Seletivo Aberto a Graduados ou Alunos Regularmente Matriculados em Instituições de Ensino Superior (Processo Seletivo para as Vagas Remanescentes

Leia mais

EDITAL Nº 015/2014-PROPPG, de 22 de dezembro de 2014.

EDITAL Nº 015/2014-PROPPG, de 22 de dezembro de 2014. Pós-Graduação Lato Sensu em Matemática EDITAL Nº 015/2014-PROPPG, de 22 de dezembro de 2014. A Reitoria do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás, por meio da Pró-Reitoria de Pesquisa

Leia mais

-Bolsa Moradia Consiste na concessão de recurso financeiro para custear despesas de moradia, aos

-Bolsa Moradia Consiste na concessão de recurso financeiro para custear despesas de moradia, aos UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA - UFV Pró-Reitoria de Assuntos Comunitários - PCD Serviço de Bolsa - SBO LEIA ATENTAMENTE ANTES DE PREENCHER O FORMULÁRIO As Bolsas e Serviços são concedidos pela UFV, por

Leia mais

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA UNIJUI/FUMSSAR. EDITAL DCVida No. 01/2012

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA UNIJUI/FUMSSAR. EDITAL DCVida No. 01/2012 1 PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA UNIJUI/FUMSSAR EDITAL DCVida No. 01/2012 SELEÇÃO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO, ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU, NA MODALIDADE

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL PROEX 073/2010

PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL PROEX 073/2010 PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO EDITAL PROEX 073/2010 A Pró-Reitora de Extensão da Universidade Estadual de Londrina, considerando a seleção de projetos para o Programa de Extensão Universitária Universidade

Leia mais