Alternativas sustentáveis de uso da madeira na construção civil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Alternativas sustentáveis de uso da madeira na construção civil"

Transcrição

1 1 Alternativas sustentáveis de uso da madeira na construção civil Rosanne Teixeira de Araújo Master em Arquitetura Instituto de Pós-Graduação e Graduação IPOG Manaus, AM, 11/03/2012 Resumo Na atual realidade em que vivemos, uma das maiores preocupações da humanidade é o futuro do nosso planeta. Grande parte dessa preocupação origina-se do desmatamento indiscriminado das florestas brasileiras, das queimadas em extensas áreas verdes e da exploração ilegal de madeiras de lei. Este artigo visa mostrar a opinião dos profissionais e indústrias de madeira para construção sobre a origem da matéria-prima e a sustentabilidade. Foram questionados arquitetos, engenheiros e industriários do setor, de várias regiões do país e suas respostas foram avaliadas e agrupadas por conteúdo. Constatou-se a necessidade do controle desde o manejo até o produto final e que a busca por novas alternativas e tecnologias deve ser contínua, de forma a minimizar os impactos ambientais e suprir as características de resistência, requinte e nobreza que a madeira proporciona. Palavras-chave: Madeira. Sustentabilidade. Construção civil. 1. Introdução Muito se tem falado sobre sustentabilidade nos dias de hoje, porém, pouco se conhece ou se põe em prática esse conceito. A sustentabilidade nada mais é do que a utilização racional de recursos naturais para satisfazer as necessidades atuais, sem que esse recurso comprometa as futuras gerações. Na vida moderna, todos os setores da economia dependem de um fluxo constante de materiais, em um ciclo que começa na extração de matérias-primas naturais, e segue em sucessivas etapas de transformações industriais, transporte, montagem, manutenção e desmontagem final. (AGOPYAN E JOHN, 2011, p.74). A madeira é um produto presente em quase todas as etapas das obras de construção civil. Seja em fôrmas, estruturas, escoramentos, esquadrias, pisos, forros, revestimentos até a mobília final, o uso da madeira ainda é indispensável para muitos arquitetos e engenheiros, por ser um diferencial de beleza e sofisticação. A questão é: como aliar o uso da madeira com a sustentabilidade? Na tentativa de poupar o corte de árvores, buscam-se alternativas que muitas vezes são mais prejudiciais ao meio-ambiente. Optar pelo uso de alumínio, plástico ou outros derivados do petróleo, por exemplo, é um grande engano, pois estes produtos não são renováveis e nem biodegradáveis.

2 2 A devastação das florestas traz não só a perda da biodiversidade e outros danos à fauna e à flora, mas reduz as áreas do planeta com grande potencial para contribuir com o combate ao aquecimento global. Uma das formas de devastação da floresta é a extração de madeira ilegal. Estima-se, através de imagens de satélite, que para cada hectare de madeira extraída segundo um plano de manejo sustentável, outros 100 são desmatados ilegalmente. Além da questão do aquecimento global é importante garantir que na sua cadeia produtiva a madeira seja extraída de forma sustentável, com respeito aos direitos dos trabalhadores e a identidade das comunidades. Em outras palavras, existe a responsabilidade de garantir que a madeira exista sempre, que a riqueza que ela produz não empobreça as comunidades de onde ela é extraída e que haja sustentabilidade em toda a cadeia produtiva. Na região norte do Brasil, ainda é muito comum a utilização de madeira de lei, proveniente de árvores centenárias da floresta. Pesquisas realizadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis IBAMA indicam que entre 43% e 80% da produção madeireira da região amazônica seja ilegal, advinda de áreas desmatadas ou exploradas de forma predatória, sem o manejo adequado das áreas nativas. Isso faz com que a produção de madeira no estado tenha um perfil bastante semelhante ao dos demais estados da região: é oriunda, principalmente, do desmatamento e do corte seletivo não sustentável, e desconhece-se quanto dela é produzido legalmente. (MENEZES, 2005, p.11) Ao se optar pela escolha de um produto, deve-se levar em conta várias características que comprovam seu respeito ao meio-ambiente: disponibilidade da matéria-prima, impacto ambiental na extração, transporte, utilização e demolição, eficiência na energia embutida, durabilidade, manutenção, reutilização, reciclabilidade e os aspectos humanos. LEE (1998), analisando o trabalho de Severiano Mário Porto, observa que o arquiteto desenvolvendo um comportamento coerente com suas obras, teve a preocupação em aproveitar a potencialidade da região, considerando as técnicas contemporâneas para buscar alternativas tecnológicas mais adaptadas ecológica e socialmente à realidade regional. Enfim, a sustentabilidade é a forma de promover uma busca de maior igualdade social, valorização dos aspectos culturais, maior eficiência econômica e um menor impacto ambiental, nas soluções adotadas nas fases de projeto, construção, utilização, reutilização e reciclagem da edificação, visando à distribuição equitativa da matéria-prima, garantindo a competitividade do homem e das cidades. 2. A madeira na construção civil A madeira é um recurso insubstituível. Desde os primórdios da civilização ela sempre desempenhou papel decisivo em todos os aspectos da vida. Através da construção de casas, silos, estradas, pontes, teatros, templos e barragens, a humanidade desde a antiguidade vem moldando a natureza de forma a desenvolver sua capacidade em edificar.

3 3 As características únicas de beleza, charme, conforto térmico e acústico, fácil manuseio e usinagem, leveza, fonte renovável, grande resistência mecânica, estabilidade e durabilidade que só a madeira proporciona, fazem desde recurso uma opção indispensável em qualquer projeto. A tradição em arquitetura pode ser descrita como um conjunto de precedentes conhecidos e de uso consagrado, parcialmente repetidos, parcialmente modificados, dos quais o arquiteto se utiliza quando projeta um edifício. (...) que torna possível a quem projeta ir direto às prioridades, poupando-lhe o trabalho de reinventar o que já foi inventado. (STROETER, 1986, p.109) Várias civilizações fizeram da madeira uma referência de sua história. Temos como exemplo a arquitetura japonesa, com seus tradicionais pagodes e templos que fazem amplo uso desse recurso. O templo budista Horyu-ji construído no ano 607 é considerado a construção de madeira mais antiga do mundo. Figura 1 Templo Horyu-ji construído em Japão Fonte: Wikipédia A arquitetura dos países europeus também apresenta um vasto repertório. Fazia-se uso da arquitetura vernacular, com madeira extraída dos vastos bosques da região. Tinham por característica uma estrutura maciça e robusta, sem transparências, com a junção de troncos empilhados.

4 4 Figura 2 Igreja da Dormição de Rússia Fonte: BDM Nos Estados Unidos é quase unânime o uso do wood frame em residências. Trata-se de um método construtivo industrializado que utiliza perfis de madeira reflorestada em sua estrutura e destaca-se pela rapidez na sua execução. Figura 3 Sistema wood frame Estados Unidos Fonte: Wikipédia No Brasil, os primeiros relatos de construções em madeira referem-se às malocas indígenas. A arquitetura evoluiu para o uso predominante do concreto e aço e com isso criou-se a cultura do preconceito com as casas de madeira, remetendo à populações de baixa renda, sendo bem comum o seu uso em favelas da região sudeste, nos sertões do nordeste ou em casas ribeirinhas no norte do país.

5 5 Figura 4 Moradias ribeirinhas da região amazônica Brasil Fonte: Gilberto Costa - Panoramio 3. Certificadoras A grande necessidade do uso dos recursos naturais advindos da madeira, já se tornou alvo de estudo de muitos órgãos ligados a estas indústrias. Diante dessa necessidade cada vez maior em se buscar alternativas sustentáveis e da ânsia das grandes construtoras pela obtenção do selo verde em suas obras, o mercado tem tornado indispensável a existência de certificadoras que garantam tais atributos, indicando que não só o produto tem qualidade, mas que o ambiente de onde ele foi extraído continua saudável. A certificação florestal tem como fundamento a garantia dada ao consumidor de que determinado produto é originário de manejo florestal ambientalmente adequado, socialmente justo e economicamente viável. Ou seja, os produtos que têm o selo de certificação são aqueles produzidos com madeira de florestas certificadas. Não cabe ao consumidor o conhecimento e exigências técnicas de uma produção sustentável, ele precisa de uma instituição confiável que garanta que aquele produto chegou até ele respeitando o meio ambiente. 3.1 Selo FSC O selo FSC Forest Stewardship Council (Conselho de Manejo Florestal) é uma das primeiras etapas na busca de um produto sustentável. Trata-se de uma organização internacional não-governamental fundada em 1993, que objetiva o manejo correto e responsável das florestas, garantindo a preservação dos recursos naturais e a sobrevivência das comunidades locais. O FSC não emite certificados e sim credencia certificadoras no mundo inteiro, garantindo que os certificados destas obedeçam aos seus princípios e critérios de qualidade, adaptando-o para a realidade de cada região ou sistema de produção. Apesar de ser um selo voluntário, 100% das grandes empresas nacionais fabricantes de produtos provenientes de madeira já possuem esse certificado, o que demonstra a preocupação das mesmas com a sustentabilidade, desde a busca de sua matéria-prima. É uma certificação onerosa, mas que gera um amplo custo-benefício, pois o FSC já pode ser visto pelos consumidores como um indício básico de que a empresa tem essa preocupação com o meio-

6 6 ambiente. Já é possível inclusive, ver o selo FSC em embalagens de papel nas prateleiras de supermercados, indicando que essa preocupação com a origem e preservação dos recursos já é um diferencial na escolha de um produto pelo consumidor. 3.2 Cerflor Fundado em 1996 pela Sociedade Brasileira de Silvicultura (SBS) em parceria com outras entidades, o Cerflor Programa Brasileiro de Certificação Florestal, também é um programa voluntário desenvolvido em parceria com a ABNT e o Inmetro, que visa à certificação do manejo florestal e da cadeira de custódia, segundo o atendimento dos critérios e indicadores, aplicáveis para todo o território nacional. 3.3 PNQM O PNQM Programa Nacional de Qualidade da Madeira é um certificado desenvolvido pela Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente ABIMCI, que visa o controle do processo produtivo, desde o recebimento da matéria-prima (toras e lâminas) até a embalagem do produto final, sendo definidos parâmetros a serem verificados e critérios de aceitação. O objetivo deste controle é disponibilizar ao mercado produtos com especificações conhecidas, fabricados dentro de parâmetros controlados. 3.4 Marcação CE O Certificado de Conformidade Européia (Marcação CE) é uma marca que indica que o produto ao qual está afixada está em conformidade com as Diretivas de Segurança de Produtos da União Européia. Desde 2004 a certificação CE está sendo exigida para painéis de madeira, em todo o Espaço Econômico Europeu. É regido pela Norma Européia que garante que os painéis de madeira aos quais se refere, podem ser utilizados em construção como elementos estruturais. A diretiva estabelece requisitos essenciais para esses produtos, com o objetivo de atender a determinados níveis de resistência mecânica, estabilidade, durabilidade da colagem, baixas emissões de gás formaldeído, tolerâncias rigorosas quanto ao tamanho e durabilidade da própria madeira. 3.5 ISO Criada para controlar os resíduos e evitar a poluição, permitindo uma convivência responsável entre as empresas e o meio-ambiente, a ISO é um reconhecimento mundial de que uma empresa cumpre rigorosos padrões para promover a proteção ambiental. Com a ISO 14001, as empresas comprovam ter um compromisso ainda maior com a conservação da biodiversidade. O primeiro passo é determinar a Política Ambiental da empresa. O segundo é um processo contínuo de investimentos em ações para minimizar os impactos ambientais, otimizar a utilização de fertilizantes químicos, reduzir a utilização de agrotóxicos, recompor a vegetação dos fragmentos florestais, promover a conscientização nas unidades vizinhas e estabelecer indicadores e verificadores de conservação da biodiversidade.

7 7 3.6 Teco Tested Os painéis com esta marca indicam que eles foram certificados de acordo com as exigências do código de construção dos Estados Unidos para aplicações industriais e estruturais. Portanto, arquitetos, engenheiros e construtores podem ter certeza de que quando os painéis tiverem o selo da agência Teco, eles atendem às exigências da norma adequada. 4. Metodologia A pesquisa foi feita com profissionais e indústrias do setor, com a intenção de conhecer e analisar a preocupação e as ações desenvolvidas por ambos, na busca da sustentabilidade direcionada à construção civil. Foi adotado o método de questionário, distintos para profissionais e indústrias, enviado por , com quinze perguntas sobre o tema. A escolha desses grupos se justifica pela representatividade dos mesmos para a construção civil. Conforme critérios descritos por Levin (1985), a amostra escolhida é não-casual, do tipo julgamento ou conveniência. As respostas foram categorizadas pela técnica de análise de conteúdo e apresentaram os resultados relatados a seguir. 4.1 As Indústrias e a Sustentabilidade Foram coletados os dados de vinte empresas nacionais, das variadas regiões do país, desde multinacionais a pequenas empresas que trabalham com qualquer material proveniente do uso de madeira. 17% 32% 17% 17% 17% Painéis e compensados Madeira beneficiada Madeira de demolição Madeira ecológica Esquadrias Figura 5 Ramo de atividade das indústrias pesquisadas Foi comprovada a preocupação das empresas com a obtenção da matéria prima. Todas as grandes fábricas de painéis e compensados possuem sua própria área de reflorestamento, todas com certificação do selo verde FSC, garantindo o manejo correto de suas florestas e comprovando o estudo de Zenid (2009), de que o Brasil tem a maior área certificada da América Latina. Algumas empresas possuem mais de um certificado, demonstrando ainda maior interesse e total comprometimento com o meio ambiente, conforme gráfico abaixo. Apenas as pequenas empresas não possuem certificação, mas garantiram exigi-lo de seus fornecedores.

8 8 11% 11% 45% 11% 11% 11% FSC CERFLOR CE TECO PNQM Não possui Figura 6 Certificação das indústrias Dentre os fatores considerados impeditivos para a aceitação do mercado pelos produtos alternativos aliados à sustentabilidade, os mais citados foram o custo e a cultura. O processo de certificação, o manejo e o controle de poluentes na produção aumenta significativamente o custo desses materiais, o que muitas vezes acarreta na escolha de produtos ilegais menos onerosos. A cultura de muitas regiões tende a rejeitar a idéia de uso de madeiras ecológicas, como a substituição de madeiras de lei por reflorestadas como o pinus e o eucalipto. Infelizmente, muitos profissionais ainda acreditam que somente as madeiras nobres possuem qualidade e resistência, mas já é possível encontrar no mercado espécies geneticamente modificadas, que apresentam características semelhantes, sem agredir as florestas nativas. De um modo geral, observa-se que o mercado já exige das indústrias de madeira um produto com o diferencial da sustentabilidade. A empresa que deseja manter-se competitiva no mercado, precisa obrigatoriamente, procurar a certificação e garantir aos seus clientes que os impactos ambientais provenientes do processo de fabricação de seus produtos não agridem o meio-ambiente e agregam valor ao seu projeto. 4.2 Os Profissionais e a Sustentabilidade Foram coletados os dados de dezessete profissionais, entre arquitetos e engenheiros, das regiões norte e sul do país, nos percentuais indicados na Tabela 1. O principal objetivo era conhecer a opinião dos mesmos sobre sustentabilidade e de que forma estes profissionais estão incorporando esse conceito em seus projetos e obras. Tabela 1 Grupo de profissionais pesquisados Profissionais Quantidade Percentual Arquiteto Engenheiro Civil % 41% Engenheiro Florestal 1 6% Total % Fonte: Rosanne Araújo (2012) Felizmente a consciência da sociedade sobre esta questão tem avançado bastante. Por conta disso, os clientes tendem a solicitar cada vez mais dos arquitetos e engenheiros, alternativas sustentáveis para aplicação em seus projetos. Esse número ainda é pequeno se considerarmos

9 9 a importância do assunto. Alguns órgãos públicos já têm optado pela adoção desse sistema, o que estimula a população ao ver que o conceito pode dar certo. A construção civil utiliza basicamente materiais não renováveis, logo, por si só não é sustentável. O que se pode trabalhar é a redução dos desperdícios, o controle desde a origem do processo produtivo de cada produto utilizado, a busca de materiais ecologicamente corretos e certificados e a eficiência energética. A grande maioria dos profissionais consultados têm consciência da importância da sustentabilidade para a construção civil, mas também concordam que na prática, pouco tem sido feito. Muitos atribuem essa escassez ao elevado custo dos produtos com rótulo sustentável, outros admitem que as alternativas disponíveis no mercado, não garantem a mesma qualidade que os produtos de origem nativa. Ao serem questionados sobre os fatores que os influenciam a especificar um produto para seu projeto ou obra, foi constatado que os arquitetos se preocupam mais com a sustentabilidade e a estética, enquanto os engenheiros valorizam a qualidade e o preço. Ainda nesse quesito, foi possível identificar que os profissionais da região sul têm maior preocupação com a sustentabilidade, enquanto os da região norte priorizam a qualidade dos produtos. O estudo indica que esse posicionamento se deve ao fato de a região sul do país disponibilizar uma gama maior de produtos no mercado e da proximidade com as grandes indústrias. No oposto, a região norte sempre fez uso das madeiras nobres e resistentes. Segundo Espósito (2007), em função das dificuldades de cada região, os arquitetos tendem a aproveitar os recursos naturais e materiais locais, bem como a mão de obra típica, adaptados ao contexto onde a obra está inserida Arquitetos Engenheiros Qualidade Preço Sustentab. Estética Marca Outros Figura 7 Grau de importância para a escolha de um produto (%) Fonte: Rosanne Araújo (2012) Os profissionais fizeram questão de frisar que a madeira é um item indispensável em qualquer obra. Seja pela beleza, qualidade, durabilidade, propriedades térmica e acústica, trabalhabilidade e custo, a madeira se adapta às mais variadas formas de uso. Com base nesses aspectos, os profissionais esperam das indústrias novidades e tecnologias constantes, que favoreçam a aplicação em novos projetos, como destacado por Agopyan e John (2011) ao

10 10 afirmarem que a inovação é imprescindível para a sustentabilidade na construção civil. 5. Produtos de madeira sustentável As indústrias já disponibilizam no mercado diversas opções de produtos derivados de madeira certificada, que podem adaptar-se aos mais variados projetos e usos. Abaixo segue relação com alguns materiais de uso mais comum. Painéis de MDF (Medium Density Fiberboard) e derivados: amplamente usados na indústria moveleira, substituindo com extrema qualidade e resistência a madeira maciça. São fabricadas através da aglomeração de fibras de madeira com resinas sintéticas e outros aditivos. Apresentam inúmeras opções de acabamento. São fabricadas obedecendo rigorosos critérios de qualidade e utilizam 100% de madeira certificada como matériaprima. Figura 8 Painéis de MDF Fonte: Portal da Madeira Madeira ecológica: produto rotulado ecologicamente correto, pois tem como matéria-prima principal resíduos plásticos descartados pela indústria e lascas de madeira oriundas de serrarias legalizadas. Possui alta resistência e dispensam manutenção. São utilizadas em revestimentos externos, fachadas, rodapés, decks e paisagismo.

11 11 Figura 9 Madeira ecológica Fonte: Madeplast Laminados: revestimentos para aplicação nos painéis de MDF, com textura e padrões imitando madeira, de fácil aplicação e com maior durabilidade e resistência que as lâminas naturais. Dispensa aplicação de pintura e podem ser aplicados em áreas externas, sem comprometer sua qualidade e aparência. Figura 10 Laminados de madeira Fonte: Formica Painéis estruturados: revestimentos laminados compactos, autoportantes, indicados para uso em prateleiras, divisórias convencionais e sanitárias, portas, móveis, entre outros. Possui estabilidade dimensional, alta resistência ao desgaste, umidade, impacto, calor e manchas. Já vem sendo empregadas em banheiros públicos de shoppings, aeroportos e áreas de grande público.

12 12 Figura 11 Divisórias em painéis estruturados Fonte: Neocom Pisos laminados: material de grande durabilidade e resistência, excelente acabamento, conforto ambiental, fabricado com madeira de reflorestamento, não degrada o meio ambiente e proporciona sofisticação aos ambientes. Indicados para áreas internas, quartos, salas e escritórios, conservam a sensação térmica dos cômodos. Figura 12 Pisos laminados Fonte: Eucatex

13 13 Esquadrias: fabricadas com madeira laminada certificada, ótimo padrão de acabamento, mais leve que as esquadrias maciças e com excelente resistência. Figura 13 Esquadrias laminadas Fonte: Fuck SA Nota-se que é bem extensa a gama de produtos com apelo ecológico que o mercado dispõe aos seus clientes. Boa parte desses produtos já vêm sendo incorporados pelos profissionais, mas muitos ainda esbarram no custo elevado. É imprescindível que haja a cobrança cada vez maior dos arquitetos e engenheiros para com as indústrias, forçando a certificação de mais empresas e ampliando o universo de possibilidades aprimoradas tecnologicamente para aplicações no uso da madeira, que possam agregar valor aos projetos e torná-los cada vez mais sustentáveis. 6. Conclusão A exploração de recursos florestais, notadamente de madeiras, assume especial importância no contexto da sustentabilidade. A maior parte da madeira extraída no Brasil de modo sustentável é exportada. Internamente, o país carece de políticas de incentivo direto ao consumo de produtos da indústria madeireira, produzidos com base em práticas que conjuguem as atividades econômicas e a preservação ambiental. Em geral, o consumidor interno prefere comprar madeira mais barata, o que fomenta uma cadeia produtiva predatória, com efeitos negativos sobre o meio ambiente. É preciso que haja mudança de hábitos, de padrões e de políticas na forma de tratar o meio ambiente, que cada um faça a sua parte para alcançarmos os resultados necessários. Embora as legislações ambientais sejam razoavelmente adequadas, faltam normas que incentivem o consumo de bens e serviços elaborados segundo práticas ambientalmente

14 14 sustentáveis, socialmente justas e, ainda assim, economicamente viáveis. Nesse contexto, é inegável o papel dos arquitetos e engenheiros na indução de comportamentos sintonizados com o imperativo do desenvolvimento sustentável. Os dados obtidos mostram que a indústria tem sido a grande responsável pela mudança de comportamento, ao disponibilizar no mercado produtos certificados e ecologicamente corretos. Cabe aos profissionais optar pela inclusão desses produtos em seus projetos e obras, apresentando aos clientes as vantagens de se adotá-los, contribuindo para o bem estar geral do planeta e das futuras gerações. É imprescindível a realização de mais estudos sobre o assunto, estimulando um conhecimento mais aprofundado e abrangendo um maior número de profissionais, que são os responsáveis por aplicar na prática todo esse conceito. Referências ABIMCI. Associação Brasileira da Industria de Madeira Processada Mecanicamente. Disponível em: Acesso em: 18 Fev AGOPYAN, Vahan e JOHN, Vanderley M. Desafio da Sustentabilidade na Construção Civil. São Paulo: Blucher, BDM - Biblioteca Digital Mundial. Disponível em Acesso em 19 Fev ESPÓSITO, Sidnei Sérgio. O uso da madeira na Arquitetura dos séculos XX e XXI. Dissertação de Mestrado: USJT Universidade São Judas Tadeu. São Paulo, EUCATEX. Disponível em Acesso em 19 Fev FOREST STEWARDSHIP COUNCIL. Um guia de fácil uso sobre a certificação FSC para pequenos proprietários. FSC International Center GmbH, Disponível em: Series/FSC_ smallholder_guide-pt.pdf. Acesso em: 18 Fev FSC. Conselho Brasileiro de Manejo Florestal. FSC Brasil FUCK SA. Disponível em Acesso em 20 Fev LEE, Kyung Mi. Severiano Mário Porto. A produção do espaço na Amazônia. Dissertação de Mestrado: FAUUSP Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. São Paulo, LEVIN, Jack. Estatística aplicada a Ciências Humanas. São Paulo: Harper & Row do Brasil, MADEPLAST. Disponível em Acesso em 19 Fev 2012.

15 15 MENEZES, Mário. Cadeia produtiva da madeira no Estado do Amazonas. Amazonas: SDS, NEOCOM. Disponível em Acesso em 19 Fev PANORAMIO. Disponível em Acesso em 20 Fev PORTAL DA MADEIRA. Disponível em Acesso em 19 Fev STROETER, J. R. Arquitetura e Teorias. São Paulo: Nobel, WIKIPÉDIA. Disponível em Acesso em 19 Fev ZENID, Geraldo José. Madeira: uso sustentável na construção civil. São Paulo: SVMA, 2009.

Regulamento da Categoria 1: Ação Social: Cuidado com o Meio Ambiente e Bem-Estar

Regulamento da Categoria 1: Ação Social: Cuidado com o Meio Ambiente e Bem-Estar Regulamento da Categoria 1: Ação Social: Cuidado com o Meio Ambiente e Bem-Estar PARTICIPANTES Empresas ou organizações não-governamentais (ONGs) legalmente constituídas no Brasil. PRÉ-REQUISITOS Poderão

Leia mais

EXPLORAR ESPAÇOS TRADUZIR SENSAÇÕES APAIXONAR-SE

EXPLORAR ESPAÇOS TRADUZIR SENSAÇÕES APAIXONAR-SE A madeira é o material que melhor combina com os sentidos e as sensações humanas. Por isso é eterna e sua beleza e originalidade são impossíveis de serem reproduzidas sinteticamente. Agora é possível dispor

Leia mais

Matérias Primas e Processos para Marcenaria INTRODUÇÃO

Matérias Primas e Processos para Marcenaria INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO A cada dia surgem no mercado novos materiais com o objetivo de tornar a produção mais competitiva, reduzindo as etapas de produção, o tempos de fabricação e os custos. Madeira maciça A madeira

Leia mais

Sustentabilidade em Edificações Públicas Entraves e Perspectivas

Sustentabilidade em Edificações Públicas Entraves e Perspectivas Câmara dos Deputados Grupo de Pesquisa e Extensão - Programa de Pós-Graduação - CEFOR Fabiano Sobreira SEAPS-NUARQ-CPROJ-DETEC Valéria Maia SEAPS-NUARQ-CPROJ-DETEC Elcio Gomes NUARQ-CPROJ-DETEC Jacimara

Leia mais

Soluçoes ~ Gráficas. Digital. Off-Set. Compromisso com o CERTIFICAÇÃO FSC FOREST STEWARDSHIP COUNCIL. www.dizart.com.br

Soluçoes ~ Gráficas. Digital. Off-Set. Compromisso com o CERTIFICAÇÃO FSC FOREST STEWARDSHIP COUNCIL. www.dizart.com.br Soluçoes ~ Gráficas Digital Off-Set CERTIFICAÇÃO FSC FOREST STEWARDSHIP COUNCIL www.dizart.com.br SOBRE O FSC É amplamente aceito que os recursos florestais e as áreas por eles ocupadas devam ser manejados

Leia mais

MDF RINO. não é tudo igual. PROCURE O

MDF RINO. não é tudo igual. PROCURE O MDF não é tudo igual. PROCURE O RINO. Quer MDF assegurado, fabricado com a mais avançada tecnologia mundial, produzido pela empresa que é sinônimo de qualidade? PROCURE O RINO. Tecnologia, qualidade e

Leia mais

3.2 Madeira e Móveis. Diagnóstico

3.2 Madeira e Móveis. Diagnóstico 3.2 Madeira e Móveis Diagnóstico Durante a década de 90, a cadeia produtiva de madeira e móveis sofreu grandes transformações em todo o mundo com conseqüentes ganhos de produtividade, a partir da introdução

Leia mais

TECNOLOGIAS E PRODUTOS SUSTENTÁVEIS

TECNOLOGIAS E PRODUTOS SUSTENTÁVEIS TECNOLOGIAS E PRODUTOS SUSTENTÁVEIS ENGº. MARCOS CASADO Gerente Técnico LEED Tópicos a serem abordados: Objetivos Conceitos: ECOPRODUTOS - Produtos recomendados - Produtos corretos - Produtos aceitáveis

Leia mais

PRECON, A MARCA DA CONSTRUÇÃO

PRECON, A MARCA DA CONSTRUÇÃO PRECON, A MARCA DA CONSTRUÇÃO Em 1963, foi fundada a Precon, uma pequena fábrica que após quase 50 anos de atuação tornou-se um grupo, que tem uma história de empreendedorismo, inovação, compromisso com

Leia mais

Certificação ambiental a) Sistema de Gestão Ambiental

Certificação ambiental a) Sistema de Gestão Ambiental Certificação ambiental A certificação dos sistemas de gestão atesta a conformidade do modelo de gestão de fabricantes e prestadores de serviço em relação a requisitos normativos. Os sistemas clássicos

Leia mais

MANOA FLORESTAL HOMEM E NATUREZA EM HARMONIA

MANOA FLORESTAL HOMEM E NATUREZA EM HARMONIA MANOA FLORESTAL HOMEM E NATUREZA EM HARMONIA INDÚSTRIAS TRIÂNGULO Cachoeira Manoa Cujubim - RO MENSAGEM DO PRESIDENTE Conservar a floresta é garantir que as futuras gerações de brasileiros possam se orgulhar

Leia mais

Principais benefícios. Aplicação. Fachadas, portas, janelas, coberturas e sacadas.

Principais benefícios. Aplicação. Fachadas, portas, janelas, coberturas e sacadas. Produzimos vidros, entregamos soluções. Nova geração O Emerald, vidro verde intenso, permite excelente passagem de luz e controle térmico, sem usar camadas refletivas em sua composição. Excelente passagem

Leia mais

Consumo responsável. de madeira. Um guia completo para o uso do produto certificado

Consumo responsável. de madeira. Um guia completo para o uso do produto certificado de madeira Consumo responsável Um guia completo para o uso do produto certificado Garantia de origem Matéria-prima rastreada desde a produção florestal até o consumo Construção civil Como e por que consumir

Leia mais

ASBEA GRUPO DE TRABALHO DE SUSTENTABILIDADE. RECOMENDAÇÕES BÁSICAS PARA PROJETOS DE ARQUITETURA. INTRODUÇÃO

ASBEA GRUPO DE TRABALHO DE SUSTENTABILIDADE. RECOMENDAÇÕES BÁSICAS PARA PROJETOS DE ARQUITETURA. INTRODUÇÃO ASBEA GRUPO DE TRABALHO DE SUSTENTABILIDADE. RECOMENDAÇÕES BÁSICAS PARA PROJETOS DE ARQUITETURA. INTRODUÇÃO O Grupo de Trabalho de Sustentabilidade da AsBEA, às vésperas de completar seu primeiro ano de

Leia mais

Eco Dicas - Construir ou Reformar

Eco Dicas - Construir ou Reformar Eco Dicas - Construir ou Reformar São dicas de como preservar e economizar os recursos naturais quando se pensa em obras. Praticando-as, nosso bolso também agradece. É bom saber que: a fabricação de PVC

Leia mais

Prefeitura Municipal de Jaboticabal

Prefeitura Municipal de Jaboticabal LEI Nº 4.715, DE 22 DE SETEMBRO DE 2015 Institui a Política Municipal de estímulo à produção e ao consumo sustentáveis. RAUL JOSÉ SILVA GIRIO, Prefeito Municipal de Jaboticabal, Estado de São Paulo, no

Leia mais

CHAPA DE FIBRA. não é tudo igual. PROCURE O RINO.

CHAPA DE FIBRA. não é tudo igual. PROCURE O RINO. CHAPA DE FIBRA não é tudo igual. PROCURE O RINO. Madeira Ecológica Duratex O manejo ambiental é um diferencial para a Duratex, que adota as melhores práticas para alcançar alta produtividade com o mínimo

Leia mais

Índice. 3 Resultados da pesquisa. 17 Conclusão. 19 Questionário utilizado na pesquisa

Índice. 3 Resultados da pesquisa. 17 Conclusão. 19 Questionário utilizado na pesquisa Índice 3 Resultados da pesquisa 17 Conclusão 19 Questionário utilizado na pesquisa Esta pesquisa é uma das ações previstas no Plano de Sustentabilidade para a Competitividade da Indústria Catarinense,

Leia mais

CONSTRUÇÃO CIVIL ARTIGOS APROVADOS AUTORES TÍTULO RESUMO ANÁLISE MECÂNICA DE BLOCOS DE SOLO- CIMENTO PRODUZIDOS COM RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO CIVIL

CONSTRUÇÃO CIVIL ARTIGOS APROVADOS AUTORES TÍTULO RESUMO ANÁLISE MECÂNICA DE BLOCOS DE SOLO- CIMENTO PRODUZIDOS COM RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO CIVIL MARIA DA CONCEIÇÃO DOS SANTOS ALMEIDA SOFIA ARAÚJO LIMA CONSTRUÇÃO CIVIL ARTIGOS APROVADOS AUTORES TÍTULO RESUMO ANÁLISE MECÂNICA DE BLOCOS DE SOLO- CIMENTO PRODUZIDOS COM RESÍDUO DE CONSTRUÇÃO CIVIL Um

Leia mais

CERTIFICAÇÃO FLORESTAL

CERTIFICAÇÃO FLORESTAL ESTUDO CERTIFICAÇÃO FLORESTAL Luís Antônio Guerra Conceição Silva Consultor Legislativo da Área VI Direito Agrário e Política Fundiária ESTUDO OUTUBRO/2005 Câmara dos Deputados Praça 3 Poderes Consultoria

Leia mais

Plásticos: Novas aplicações no mercado de construção civil. Maceió, mai/2014

Plásticos: Novas aplicações no mercado de construção civil. Maceió, mai/2014 Plásticos: Novas aplicações no mercado de construção civil Maceió, mai/2014 INDÚSTRIA PETROQUÍMICA INTEGRAÇÃO COMPETITIVA EXTRAÇÃO Matérias-Primas 1 ª GERAÇÃO Petroquímicos Básicos 2 ª GERAÇÃO Resinas

Leia mais

Estudo de Tendências

Estudo de Tendências Estudo de Tendências Tendência Fenômeno social ou tecnológico de alto poder de impacto, cujo desenvolvimento, por vezes já em curso, indica durabilidade em horizontes temporais futuros. (Fonte: Observatórios

Leia mais

AMBIENTES RESIDENCIAIS, CORPORATIVOS E HOTELARIA

AMBIENTES RESIDENCIAIS, CORPORATIVOS E HOTELARIA AMBIENTES RESIDENCIAIS, CORPORATIVOS E HOTELARIA Princípios Respeito pelo indivíduo da forma mais ampla possível sejam nossos clientes, colaboradores, parceiros e fornecedores. Queremos compartilhar nossa

Leia mais

Recomendações para inclusão de critérios de sustentabilidade no projeto para a construção do prédio de laboratórios da ENSP no Campus Manguinhos

Recomendações para inclusão de critérios de sustentabilidade no projeto para a construção do prédio de laboratórios da ENSP no Campus Manguinhos Recomendações para inclusão de critérios de sustentabilidade no projeto para a construção do prédio de laboratórios da ENSP no Campus Manguinhos 1. Introdução A inclusão de critérios sustentáveis em diferentes

Leia mais

CURSO EMBALAGENS DE PAPELCARTÃO, PAPEL E MICRO-ONDULADO. São Paulo/2013 Fernando Sandri

CURSO EMBALAGENS DE PAPELCARTÃO, PAPEL E MICRO-ONDULADO. São Paulo/2013 Fernando Sandri CURSO EMBALAGENS DE PAPELCARTÃO, PAPEL E MICRO-ONDULADO São Paulo/2013 Fernando Sandri Fernando Sandri Graduado em Engenharia Química pela EM- Universidade Estadual de Maringá. Pós graduado em MBA Marketing

Leia mais

O selo verde garante que o produto respeita rios e nascentes

O selo verde garante que o produto respeita rios e nascentes O selo verde garante que o produto respeita rios e nascentes Secretária executiva do FSC, ONG que gerencia a principal certificação de florestas, diz que o desafio agora é ampliar atuação na Mata Atlântica

Leia mais

A Produção de Empreendimentos Sustentáveis

A Produção de Empreendimentos Sustentáveis A Produção de Empreendimentos Sustentáveis Arq. Daniela Corcuera arq@casaconsciente.com.br www.casaconsciente.com.br A construção sustentável começa a ser praticada no Brasil, ainda com alguns experimentos

Leia mais

Concebida por arquitetos que visam a elegância e a praticidade do bom viver, a TABLERIA, é uma empresa extremamente ligada às tendências

Concebida por arquitetos que visam a elegância e a praticidade do bom viver, a TABLERIA, é uma empresa extremamente ligada às tendências Concebida por arquitetos que visam a elegância e a praticidade do bom viver, a TABLERIA, é uma empresa extremamente ligada às tendências contemporâneas. Propõe levar para dentro de sua residência, escritório,

Leia mais

Materiais Ecológicos e Sustentáveis para Arquitetura, Interiores e Design de produtos Teoria e Prática

Materiais Ecológicos e Sustentáveis para Arquitetura, Interiores e Design de produtos Teoria e Prática Materiais Ecológicos e Sustentáveis para Arquitetura, Interiores e Design de produtos Teoria e Prática Dias 1 e 2 de outubro, em Blumenau/ Pomerode - SC Curso do IDHEA Instituto para o Desenvolvimento

Leia mais

Gestão Empresarial para a Sustentabilidade. Wilberto Lima Junior Diretor de Comunicação e Responsabilidade Social

Gestão Empresarial para a Sustentabilidade. Wilberto Lima Junior Diretor de Comunicação e Responsabilidade Social Gestão Empresarial para a Sustentabilidade Wilberto Lima Junior Diretor de Comunicação e Responsabilidade Social Klabin: Uma empresa líder 107 anos de tradição, inovação, liderança e sustentabilidade 17

Leia mais

PROCESSO DE PROJETO SOB A ÓTICA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

PROCESSO DE PROJETO SOB A ÓTICA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL PROCESSO DE PROJETO SOB A ÓTICA DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Monique PAIVA M.Sc., Arquiteta, Universidade Federal Fluminense - Correio eletrônico: Paiva.nit@gmail.com Carlos SOARES D.Sc., Arquiteto,

Leia mais

Guia de sustentabilidade para plásticos

Guia de sustentabilidade para plásticos Guia de sustentabilidade para plásticos Maio 2014 1 2 3 4 5 6 7 8 Introdução... 4 Contextualização dos plásticos... 6 Composição dos móveis e utensílios de plásticos...7 Requerimentos para materiais que

Leia mais

AÇÃO MADEIRA LEGAL Informativo às construtoras - Internet

AÇÃO MADEIRA LEGAL Informativo às construtoras - Internet AÇÃO MADEIRA LEGAL Informativo às construtoras - Internet A Ação Madeira Legal está vigorando, desde 02 de Janeiro de 2009. O procedimento implantado pela CAIXA é simples e consiste na apresentação do

Leia mais

CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL CDES GT MATRIZ ENERGÉTICA PARA O DESENVOLVIMENTO COM EQUIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL CDES GT MATRIZ ENERGÉTICA PARA O DESENVOLVIMENTO COM EQUIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL CDES GT MATRIZ ENERGÉTICA PARA O DESENVOLVIMENTO COM EQUIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL COLÓQUIO EMPREGOS VERDES E CONSTRUÇÕES SUSTENTÁVEIS 20.08.2009

Leia mais

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática A Abiquim e suas ações de mitigação das mudanças climáticas As empresas químicas associadas à Abiquim, que representam cerca

Leia mais

manual de conservação Você acaba de adquirir um produto Tora Brasil.

manual de conservação Você acaba de adquirir um produto Tora Brasil. manual de conservação Você acaba de adquirir um produto Tora Brasil. Além de adquirir uma peça de qualidade, design diferenciado, você está contribuindo para a conservação da floresta amazônica, pois a

Leia mais

Construção Civil e Sustentabilidade

Construção Civil e Sustentabilidade CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO RECONHECIDA NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE EM 16 DE SETEMBRO DE 2010 Estudo técnico Edição nº 07 maio de 2014 Organização:

Leia mais

A Questão Florestal e o Desenvolvimento

A Questão Florestal e o Desenvolvimento Alcir Ribeiro Carneiro de Almeida, Eng. Ftal., MSc.,Dr. Gerente Florestal A Questão Florestal e o Desenvolvimento BNDES, Rio de Janeiro, 09 de julho de 2003 Grupo CIKEL CIKEL BRASIL VERDE S.A. - atua na

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

MDF, MDP, OSB... A MADEIRA POR TRÁS DAS SIGLAS INFORMATIVO TÉCNICO 3 - JULHO DE 2008

MDF, MDP, OSB... A MADEIRA POR TRÁS DAS SIGLAS INFORMATIVO TÉCNICO 3 - JULHO DE 2008 Por quê transformar a madeira? Fábrica de painéis de MDP Enquanto trabalhada sob a forma de peças serradas, a madeira maciça apresenta excelentes propriedades mas também alta heterogeneidade e anisotropia

Leia mais

Catálogo de Produtos

Catálogo de Produtos Catálogo de Produtos Gesso Convenciona O gesso é um material versátil: ele auxilia nas tarefas de embutir a iluminação, esconder ferragens e disfarçar vigas, além de criar efeitos fantásticos, especialmente

Leia mais

Utilização de Madeira Tratada em Sistemas Construtivos - Uma Opção Inteligente -

Utilização de Madeira Tratada em Sistemas Construtivos - Uma Opção Inteligente - Por: Flavio C. Geraldo ABPM Presidente Madeira 2014 Instituto BESC de Humanidades e Economia Outubro de 2014 Utilização de Madeira Tratada em Sistemas Construtivos - Uma Opção Inteligente - ÁRVORE - A

Leia mais

ÍNDICE. Fotos: Greenpeace Designer Gráfico: Carol Patitucci

ÍNDICE. Fotos: Greenpeace Designer Gráfico: Carol Patitucci FSC - SECR - 0030 ÍNDICE 3 4 6 8 9 10 11 12 13 14 15 Sua empresa vai ficar fora do mercado O que é manejo florestal Resumo das Etapas do Manejo Florestal O que é Certificação Florestal Como funciona O

Leia mais

Lucca Schmidt Osellame, Márcio Rosa D Ávila(orientador) Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, PUCRS. Resumo

Lucca Schmidt Osellame, Márcio Rosa D Ávila(orientador) Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, PUCRS. Resumo Sustentabilidade e Habitação de Interesse Social - HIS: potencial de integração de tecnologia inovadora na produção de projetos habitacionais arquitetura em contêiner Lucca Schmidt Osellame, Márcio Rosa

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: MEIO AMBIENTE MAIO/2012

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: MEIO AMBIENTE MAIO/2012 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: MEIO AMBIENTE MAIO/2012 Pesquisa CNI-IBOPE CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA - CNI Presidente: Robson Braga de Andrade DIRETORIA DE POLÍTICAS E ESTRATÉGIA José Augusto

Leia mais

...VAI MUITO ALÉM DO QUE VOCÊ IMAGINA

...VAI MUITO ALÉM DO QUE VOCÊ IMAGINA REVISTA AU REFERÊNCIAS DE APLICAÇÃO DE PISO ELEVADO O CHÃO QUE VOCÊ PISA......VAI MUITO ALÉM DO QUE VOCÊ IMAGINA 1- Quais as principais diferenças entre pisos elevados para áreas internas e externas? E

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO RESUMOS DOS PROJETOS DE PESQUISA DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DESIGN DE MOBILIÁRIO PROJETO DE MOBILIÁRIO E DE INTERIORES PROJETO ARQUITETÔNICO PARA ESCOLAS DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROF. DR.

Leia mais

MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA

MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA MANUAL DO PROPRIETÁRIO E CERTIFICADO DE GARANTIA sca.com.br Parabéns! Agora, a mudança faz parte da sua vida. Neste manual, você encontrará as principais informações para garantir que seu mobiliário S.C.A.

Leia mais

Soluções sustentáveis para a vida.

Soluções sustentáveis para a vida. Soluções sustentáveis para a vida. A Ecoservice Uma empresa brasileira que está constantemente em busca de recursos e tecnologias sustentáveis para oferecer aos seus clientes, pessoas que têm como conceito

Leia mais

A RESPONSABILIDADE AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL

A RESPONSABILIDADE AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL A RESPONSABILIDADE AMBIENTAL NA FORMAÇÃO DO ENGENHEIRO CIVIL Adriano Aldrey Pereira Sousa 2 Diana Bárbara Portela Cruz 2 Magno Pereira Correa 2 Claudemir Gomes 3 RESUMO: A necessidade de preservar o meio

Leia mais

Materiais de Construção. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010

Materiais de Construção. Prof. Aline Fernandes de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 Materiais de Construção de Oliveira, Arquiteta Urbanista 2010 APLICAÇÕES DOS MATERIAIS NA ARQUITETURA O ENVELOPE MADEIRAS MADEIRAS MADEIRAS MADEIRAS MADEIRA E FIBRAS NATURAIS FIBRAS NATURAIS CONCRETO

Leia mais

INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO

INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Aula 8 a A Engenharia e o Meio Ambiente Parte I Edgar Aberto de Brito PRIMEIRA PARTE As questões ambientais e os problemas para a engenharia. ENGENHARIA

Leia mais

Logística, Competitividade e Sustentabilidade

Logística, Competitividade e Sustentabilidade Logística, Competitividade e Sustentabilidade Porque a Surya é diferente? A Surya fabrica cosméticos naturais e orgânicos pensando na saúde e no bem estar das pessoas e natureza. Sobre a Surya Brasil Empresa

Leia mais

Materiais de Construção Civil. Aula 10. Madeira

Materiais de Construção Civil. Aula 10. Madeira Materiais de Construção Civil Aula 10 Madeira Taciana Nunes Arquiteta e Urbanista Situação atual no Brasil: Complicantes: Poucos cursos de graduação ministram estruturas de madeira; Falta de conhecimento

Leia mais

construímos a inovação POR

construímos a inovação POR construímos a inovação POR construímos a inovação 2 3 Compact Habit, uma iniciativa da empresa de Manresa, Constructora d Aro S.A., foi criada em 2004 para atender à necessidade de inovação na construção.

Leia mais

Visão Sustentável sobre o Desenvolvimento de Embalagens

Visão Sustentável sobre o Desenvolvimento de Embalagens Fórum Varejo Sustentável Alternativas de Embalagens no Varejo Visão Sustentável sobre o Desenvolvimento de Embalagens Eloísa E. C. Garcia CETEA / ITAL VISÃO DE SUSTENTABILIDADE Consumo Sustentável é saber

Leia mais

plantadas e investidores financeiros.

plantadas e investidores financeiros. A Indústria Brasileira de Árvores (Ibá) é a associação responsável pela representação institucional da cadeia produtiva de árvores plantadas, do campo à indústria, junto a seus principais públicos de interesses.

Leia mais

Aeroporto de Carrasco - Uruguai EM SINTONIA COM O MERCADO. À ALTURA DO SEU PROJETO.

Aeroporto de Carrasco - Uruguai EM SINTONIA COM O MERCADO. À ALTURA DO SEU PROJETO. Aeroporto de Carrasco - Uruguai EM SINTONIA COM O MERCADO. À ALTURA DO SEU PROJETO. Aeroporto de Carrasco - Uruguai Alumínio. Esta é a principal matéria-prima da Belmetal. Atuamos fortemente na distribuição

Leia mais

soluções do futuro para o seu presente

soluções do futuro para o seu presente soluções do futuro para o seu presente PORTFÓLIO conheça a solução com excelência para seu lar EMPRESA A JR ALUMINIUM é uma empresa especializada na criação, fabricação e instalação de Esquadrias de Alumínio

Leia mais

REQUINTE, QUALIDADE E SUSTENTABILIDADE

REQUINTE, QUALIDADE E SUSTENTABILIDADE REQUINTE, QUALIDADE E SUSTENTABILIDADE AÇÕES DA ANPM PARA VALORIZAR OS PISOS DE MADEIRA Ivaldo P. Jankowsky 1 Ariel de Andrade 2 1 Professor Associado, Departamento de Ciências Florestais, ESALQ, USP.

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O COMÉRCIO DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE A LEI 15.374/2011 LEI DA SACOLINHA

ORIENTAÇÕES PARA O COMÉRCIO DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE A LEI 15.374/2011 LEI DA SACOLINHA DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE A LEI 15.374/2011 LEI DA SACOLINHA Muito prazer. Somos a Associação Comercial de São Paulo. A ACSP faz parte da vida de empreendedores de diversos tamanhos. Nós existimos para

Leia mais

Empresa jovem e 100 % nacional, a Bazze está sediada em PORTÃO RS e é referência na extrusão de perfis em PVC.

Empresa jovem e 100 % nacional, a Bazze está sediada em PORTÃO RS e é referência na extrusão de perfis em PVC. Empresa jovem e 100 % nacional, a Bazze está sediada em PORTÃO RS e é referência na extrusão de perfis em PVC. Comprometida com a qualidade e o desenvolvimento dos nossos produtos investimos continuamente

Leia mais

Lilian Sarrouf Coord Técnica COMASP SindusConSP

Lilian Sarrouf Coord Técnica COMASP SindusConSP Lilian Sarrouf Coord Técnica COMASP SindusConSP VISÃO: O SindusCon-SP considera que a construção sustentável é uma questão estratégica para o setor da construção civil já que este é um assunto primordial

Leia mais

Soluções construtivas em aço. Steel framing estrutura em perfis galvanizados dobrados a frio. www.constructalia.com

Soluções construtivas em aço. Steel framing estrutura em perfis galvanizados dobrados a frio. www.constructalia.com Soluções construtivas em aço Steel framing estrutura em perfis galvanizados dobrados a frio www.constructalia.com Aplicações do aço Fundações e contenções Estruturas Coberturas Fechamentos Fachadas Foto:

Leia mais

Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça), fundada em 1947 (normatização de 140 países)

Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça), fundada em 1947 (normatização de 140 países) A SÉRIE ISO 14.000 A ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DE NORMALIZAÇÃO (ISO) ISO => Internacional Organization for Standardization Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça),

Leia mais

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE Sustentabilidade significa permanecer vivo. Somos mais de 7 bilhões de habitantes e chegaremos a 9 bilhões em 2050, segundo a ONU. O ambiente tem limites e é preciso fazer

Leia mais

PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO IN LOCO COMO SOLUÇÃO PARA EDIFÍCIOS VERTICAIS

PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO IN LOCO COMO SOLUÇÃO PARA EDIFÍCIOS VERTICAIS I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. PAREDES EXTERNAS EM CONCRETO ARMADO MOLDADO

Leia mais

ADICIONANDO SUSTENTABILIDADE AO PROJETO ARQUITETONICO ECOLATINA- 19 DE OUTUBRO DE 2007

ADICIONANDO SUSTENTABILIDADE AO PROJETO ARQUITETONICO ECOLATINA- 19 DE OUTUBRO DE 2007 ADICIONANDO SUSTENTABILIDADE AO PROJETO ARQUITETONICO ECOLATINA- 19 DE OUTUBRO DE 2007 CURRICULUM Paulo Lisboa, arquiteto, formado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Mackenzie em 1981, com pós-graduação

Leia mais

SUSTENTABILIDADE E A CONFECÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS ALLAN W. GARCIA VIDIGAL; *GUILHERME MAUAD SANT ANNA & MARCELO MENDES GAZOLA

SUSTENTABILIDADE E A CONFECÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS ALLAN W. GARCIA VIDIGAL; *GUILHERME MAUAD SANT ANNA & MARCELO MENDES GAZOLA BE_310 CIÊNCIAS DO AMBIENTE UNICAMP ESTUDO (Turma 2012) Disponível em: http://www.ib.unicamp.br/dep_biologia_animal/be310 SUSTENTABILIDADE E A CONFECÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS ALLAN W. GARCIA VIDIGAL;

Leia mais

MCMV-E CASA SUSTENTÁVEL PROPOSTA DE INTERVENÇÃO ARQUITETÔNICO URBANÍSTICA EM GRANDE ESCALA

MCMV-E CASA SUSTENTÁVEL PROPOSTA DE INTERVENÇÃO ARQUITETÔNICO URBANÍSTICA EM GRANDE ESCALA MCMV-E CASA SUSTENTÁVEL PROPOSTA DE INTERVENÇÃO ARQUITETÔNICO URBANÍSTICA EM GRANDE ESCALA Arq. Mario Fundaro Seminário internacional arquitetura sustentável São Paulo 2014 A CASA SUSTENTÁVEL Conceitos

Leia mais

Decor Store. Interiores. Loja de Decorações de Interiores. Cristiane Dal Prá Designer de Interiores

Decor Store. Interiores. Loja de Decorações de Interiores. Cristiane Dal Prá Designer de Interiores Decor Store Interiores Loja de Decorações de Interiores Cristiane Dal Prá Designer de Interiores Quem somos A Decor Store Interiores é uma loja que agrega em um único espaço vários itens relacionados a

Leia mais

Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS

Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS 4 2º INVENTÁRIO BRASILEIRO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA 5 PERSPECTIVAS E DESAFIOS 6

Leia mais

Tratamento de Efluentes

Tratamento de Efluentes Tratamento de Efluentes A IMPORTÂNCIA DO TRATAMENTO DE EFLUENTES E A REGULAMENTAÇÃO DO SETOR INTRODUÇÃO Conservar a qualidade da água é fundamental, uma vez que apenas 4% de toda água disponível no mundo

Leia mais

Pág. 14,15 Atrium Deslizante Pág. 16,17 Atrium Hosp Pág. 18 Clientes Pág. 19 Arquitetura-Parceria Pág. 20 Acessórios e Ferragens Especiais

Pág. 14,15 Atrium Deslizante Pág. 16,17 Atrium Hosp Pág. 18 Clientes Pág. 19 Arquitetura-Parceria Pág. 20 Acessórios e Ferragens Especiais Pág. 3 Introdução Pág. 4,5 Atrium Sicura Pág. 6,7 Atrium Pivot Pág. 8,9 Atrium Wood Calibre Pág. 10,11 Atrium 357 InoxMagnum Pág. 12,13 Atrium Calibre Contemporânea 22 Pág. 14,15 Atrium Deslizante Pág.

Leia mais

Lounge Hotel Nightclub Foto: Mariana Medeiros Milanezi

Lounge Hotel Nightclub Foto: Mariana Medeiros Milanezi Lounge Hotel Nightclub Foto: Mariana Medeiros Milanezi 70 ANOS DE HISTÓRIA, INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL A SANTA LUZIA foi fundada em 1942, como uma pequena fábrica de espelhos.poucos anos

Leia mais

Guia de tendas sustentáveis

Guia de tendas sustentáveis Guia de tendas sustentáveis JUNHO 2014 1 2 3 4 5 6 Introdução... 4 Contextualização das tendas... 6 Composição da tenda... 8 3.1 Material estrutural... 8 3.1.1 Material estrutural convencional... 8 3.1.2

Leia mais

Sistemas da edificação Aplicação na prática

Sistemas da edificação Aplicação na prática 1 Vantagens Alta produtividade com equipes otimizadas; Redução de desperdícios e obra limpa; Facilidade de gerenciamento e padronização da obra; Elevada durabilidade; Facilidade de limpeza e conservação;

Leia mais

A busca da qualidade em proteção passiva contra fogo de estruturas metálicas

A busca da qualidade em proteção passiva contra fogo de estruturas metálicas MATERIAL DE REFERÊNCIA: PROFESSOR SERGIO PASTL A busca da qualidade em proteção passiva contra fogo de estruturas metálicas A proteção passiva contra fogo em estruturas metálicas é relativamente recente

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS

CATÁLOGO DE PRODUTOS CATÁLOGO DE PRODUTOS ISOPORTEC A ISOPORTEC é focada na produção de soluções em isopor de alta performance para a construção civil, valorizando produtos que fazem diferença nos projetos mais complexos.

Leia mais

Envolva-se! Venha ser um membro do FSC!

Envolva-se! Venha ser um membro do FSC! Envolva-se! Venha ser um membro do FSC! O seu apoio é fundamental para continuarmos a trabalhar pelo futuro de nossas florestas, da fauna, da flora e dos povos que nela habitam. Um planeta com qualidade

Leia mais

Sistemas construtivos à base de cimento. Uma contribuição efetiva para a. sustentabilidade da construção civil

Sistemas construtivos à base de cimento. Uma contribuição efetiva para a. sustentabilidade da construção civil Sistemas construtivos à base de cimento. Uma contribuição efetiva para a sustentabilidade da construção civil A CONSCIÊNCIA AMBIENTAL É TEMA DESTE SÉCULO, E PORQUE NÃO DIZER DESTE MILÊNIO REDUZA REUTILIZE

Leia mais

9001, ISO TS 16949, ISO 14001, OHSAS 18001, ISO 22000, SASSMAQ.

9001, ISO TS 16949, ISO 14001, OHSAS 18001, ISO 22000, SASSMAQ. 1 Versão: 04A APRESENTAÇÃO: A I9Gestão é uma empresa de consultoria e treinamento especializada na implantação de Sistemas de Gestão, auxiliando as organizações no atendimento a diversos padrões normativos

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

concreto É unir economia e sustentabilidade.

concreto É unir economia e sustentabilidade. concreto É unir economia e sustentabilidade. A INTERBLOCK Blocos e pisos de concreto: Garantia e confiabilidade na hora de construir. Indústria de artefatos de cimento, que já chega ao mercado trazendo

Leia mais

O tema não é novo no setor, ele é a base de sua existência e desenvolvimento, guiando seu avanço tecnológico em busca de

O tema não é novo no setor, ele é a base de sua existência e desenvolvimento, guiando seu avanço tecnológico em busca de A EMBALAGEM CONSTRUINDO SUSTENTABILIDADE Proteção, aumento de vida útil, saúde, segurança, economia, redução do desperdício e bem estar são os principais pilares da embalagem. E em consonância a esses,

Leia mais

Papel com Reflorestamento. e Reciclagem

Papel com Reflorestamento. e Reciclagem Papel com Reflorestamento e Reciclagem 49 O setor brasileiro de celulose e papel prima pela utilização de madeiras florestais plantadas exclusivamente para fins industriais. O emprego de técnicas de manejo

Leia mais

Histórico. Os Incentivos Fiscais

Histórico. Os Incentivos Fiscais Histórico Há mais de século eram plantadas no Brasil as primeiras mudas de eucalipto, árvore originária da Austrália. Desde então se originou uma história de sucesso: nascia a silvicultura brasileira.

Leia mais

reflexos da oscilação cambial para o exportador brasileiro

reflexos da oscilação cambial para o exportador brasileiro Central de Cases MADEHOUSE: reflexos da oscilação cambial para o exportador brasileiro www.espm.br/centraldecases Central de Cases MADEHOUSE: reflexos da oscilação cambial para o exportador brasileiro

Leia mais

curitiba / pr Módulos a partir de 1.600m 2 Área bruta locável de 51.000m 2

curitiba / pr Módulos a partir de 1.600m 2 Área bruta locável de 51.000m 2 Perspectiva artística. curitiba / pr Módulos a partir de 1.600m 2 Área bruta locável de 51.000m 2 Commercial Properties HORTOLÂNDIA A LOG ComMercial Properties A LOG Commercial Properties, empresa do grupo

Leia mais

Ser referência no mercado com nossos produtos pelo reconhecimento da qualidade e atendimento.

Ser referência no mercado com nossos produtos pelo reconhecimento da qualidade e atendimento. NOSSOS PRINCÍPIOS MISSÃO: Atuar no mercado de forma ética com nossos clientes, parceiros de negócios, fornecedores e colaboradores, fornecendo produtos adequados as necessidades de nossos clientes. Entregar

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO FINAL (Observação: as informações prestadas neste relatório poderão, no todo ou em parte, ser publicadas pela FAPESC.

RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO FINAL (Observação: as informações prestadas neste relatório poderão, no todo ou em parte, ser publicadas pela FAPESC. RELATÓRIO TÉCNICO-CIENTÍFICO FINAL (Observação: as informações prestadas neste relatório poderão, no todo ou em parte, ser publicadas pela FAPESC.) 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO (item a ser preenchido pela

Leia mais

Uma empresa que tem raízes fortes em sua própria história,

Uma empresa que tem raízes fortes em sua própria história, Uma HISTÓRIA de sucesso que começou em 1967... A Rivera é uma empresa que tem a vocação para o desenvolvimento e produção de móveis, em especial aqueles que compõem ambientes de trabalho que vão desde

Leia mais

Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com.

Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com. 1 Aprenda a produzir e preservar mais com a Série Produção com Preservação do Time Agro Brasil Entre no portal www.timeagrobrasil.com.br e baixe todas as cartilhas, ou retire no seu Sindicato Rural. E

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS SISTEMA DE GESTÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO (OHSAS 18001)

CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS SISTEMA DE GESTÃO EM SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO (OHSAS 18001) 1 INFO012 REV 05 APRESENTAÇÃO: A I9Gestão é uma empresa de consultoria e treinamento especializada na implantação de Sistemas de Gestão, auxiliando as organizações no atendimento a diversos padrões normativos

Leia mais

Resíduo Zero e alternativas à incineração. TATIANA BARRETO SERRA Promotora de Justiça

Resíduo Zero e alternativas à incineração. TATIANA BARRETO SERRA Promotora de Justiça Resíduo Zero e alternativas à incineração TATIANA BARRETO SERRA Promotora de Justiça SÃO PAULO 28/05/2015 Desequilíbrio: padrões de produção e consumo dos séculos XX e XXI Necessidades do consumidor Melhorias

Leia mais

AULA 4 FLORESTAS. O desmatamento

AULA 4 FLORESTAS. O desmatamento AULA 4 FLORESTAS As florestas cobriam metade da superfície da Terra antes dos seres humanos começarem a plantar. Hoje, metade das florestas da época em que recebemos os visitantes do Planeta Uno não existem

Leia mais

Outros materiais que merecem atenção do marceneiro. Introdução

Outros materiais que merecem atenção do marceneiro. Introdução Introdução Existem diversos materiais utilizados pela marcenaria na composição do móvel ou ambiente. Por exemplo os vidros, chapas metálicas, tecidos e etc. O mercado fornecedor da cadeia moveleira lança

Leia mais

RELAZZO SISTEMA DE DECKS REHAU IDEAL PARA O USO DIÁRIO. www.rehau.com.br. Construção Automotiva Indústria

RELAZZO SISTEMA DE DECKS REHAU IDEAL PARA O USO DIÁRIO. www.rehau.com.br. Construção Automotiva Indústria RELAZZO SISTEMA DE DECKS REHAU IDEAL PARA O USO DIÁRIO www.rehau.com.br Construção Automotiva Indústria UMA INTERPRETAÇÃO INOVADORA EM WPC: RAUWOOD A proteção do meio ambiente e o manejo sustentável das

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST CIÊNCIAS HUMANAS Título do Podcast Área Segmento Duração Consumo, consumismo e impacto humano no meio ambiente Ciências Humanas Ensino Fundamental; Ensino Médio 6min29seg Habilidades:

Leia mais