SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO"

Transcrição

1 SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

2 Equipe de Elaboração/Revisão Elaboração e Instrutores ALDEMÁRIO SILVA DE OLIVEIRA UCCT/GPR/DT ALVAMAR ROBERTO COELHO CIRNE GFO/DT EDUARDO NOGUEIRA CUNHA UMED/GDP/DT ISAIAS DE ALMEIDA DA COSTA FILHO GDP/DT JOSILDO LOURENÇO DOS SANTOS GPR/DT MARCO ANTÔNIO CALAZANS DUARTE GDP/DT PAULO EDUARDO VIEIRA CUNHA GDP/DT RAULYSON FERREIRA DE ARAÚJO UNES/RNS/DT RICARDO DA FONSECA VARELA FILHO DT VILMA FÉLIX DA SILVA ARAÚJO AGT/PR WALQUIRIA JOSEANE DA SILVA USMT/GDH/DA Coordenação ERMERSON DE OLIVEIRA CAPISTRANO - UADH/GDH/DA

3

4 Descrição de perfis Função: Auxiliar Operador de Sistema de Água e Esgotos Definição adj. Quem opera, quem faz, quem executa.

5 Sumário Descrição de perfis Executar atividades de OPERAÇÃO, MANUTENÇÃO E CONTROLE dos sistemas de águas e esgotos nos Processos de produção ÁGUAS - Produção - Tratamento Distribuição - Coleta ESGOTOS - Tratamento de esgotos SISTEMA

6 Descrição de perfis Operar conjunto e grupo moto-bomba, geradores Efetuar e controlar o tratamento da água e efluentes Realizar manutenção Executar serviços de manutenção em adutoras Executar serviços de extensões de redes Auxiliar as equipes de manutenção e eletromecânica Executar serviços de limpeza e manutenção Entregar as faturas de consumo de água Efetuar a medição de consumo de água e registro de irregularidades Fiscalizar ramais Relacionar-se com o cliente Executar serviços de ligação, instalação de hidrômetros Estabelecer a comunicação com colaboradores Fazer a reposição de pavimentação Manter atenção sobre higiene e segurança do trabalho Manter e controlar os equipamentos Conduzir motocicletas Executar outras atividades

7

8

9 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVOS Abordagem Conscientização sobre a importância do uso de Equipamentos de Proteção Individual. Normas regulamentadoras e de documentos de ordem interna e seus efeitos no ambiente de trabalho. 2. DESENVOLVIMENTO Reconhecimento das situações e agentes de riscos em ETE s e ETA s versus Práticas de prevenção e segurança. Trabalhos de escavações. Sinalização. Apresentação e consulta as Instruções de Segurança do Trabalho, Saúde Ocupacional e Serviço Social.

10 Abordagem 3. CONCLUSÃO 4. REFERÊNCIAS

11

12 Objetivos Promoção da segurança e saúde através de sistemas de segurança (medidas de ordem administrativa, de organização do trabalho, proteções coletivas e individuais) nos ambientes, condições e métodos de trabalho existente na Companhia visando a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais e do trabalho. Orientação quanto ao reconhecimento e proteção aos riscos existentes nos ambientes de trabalho e das medidas de prevenção a acidentes e doenças ocupacionais e do trabalho.

13 Que valor tem a segurança para você? Sistemas de segurança: Aspectos humanos econômicos sociais

14 Conhecer e refletir sobre o desafio de tornar o ambiente de trabalho mais saudável e também mais produtivo - não somente pela obtenção de um maior volume de produção, mas também pela redução dos desperdícios e dos esforços despendidos para obtê-la. Gestores de ambientes e de equipes de trabalho encontrarão subsídios para a melhoria da performance organizacional nesse fascinante mundo das relações entre o ser humano e o trabalho que desenvolve em seu cotidiano. FONTE:

15 Introdução MUNDO Egito papiro Anastacius V; ano 2360 a.c., insurreição geral evidencia ao faraó a necessidade de melhorar as condições de vida dos escravos Império Romano Idade média Samuel Stockausen e Bernardino Ramazzini 1760 Revolução Industrial Academia de Medicina da França 1779 OIT 1919 (1921 comissões +50f) BRASIL Revolução Industrial Decreto Legislativo nº 3.724, de 15 de janeiro de 1919 Decreto n o de 10 de julho de foi fundada a ABPA o Decreto Lei nº de CLT Getúlio Vargas Decreto Lei nº comitês + 100f 1968: Portaria redução + 50f: Cipas Lei 6.514, de 22 de dezembro de 1977 Portaria nº 3.214/78 NRs Constituição de 1988 marco jurídico

16 Noções Preliminares sobre Hierarquia das Leis Constituição Federal Decreto Lei 5.452, de 1 de maio de 1943 aprova a Consolidação das Leis do Trabalho Lei 6.514, de 22 de dezembro de 1977 altera o Capítulo V do Título II da CLT relativo a Segurança e Medicina do Trabalho Portaria Portaria 3.214, de 08 de Junho de 1978 aprova as Normas Regulamentadoras NRs. Normas Regulamentadora Rurais (NRR), aprovadas pela Portaria nº 3.067, de 12 de abril de 1988

17 Possuem força de lei; Normas Regulamentadoras - NRs De caráter fiscalizatório - utilizadas pelos fiscais do trabalho para autuar empresas; Abrangentes e específicas conforme o setor de trabalho e aplicabilidade; Caráter obrigatório (empregador/ empregado);

18 Saneamento? Postos de trabalho: em 2011 o setor de saneamento gerou 642,9 mil empregos diretos e indiretos e de efeito renda em todo o país

19 Normas Regulamentadoras - NRs NR 1 - Disposições gerais NR 4 Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho NR 5 Comissão Interna de Prevenção de Acidentes NR 6 Equipamento de Proteção Individual NR 7 Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional NR 8 - Edificações NR 9 Programa de Prevenção e Riscos Ambientais NR 10 Segurança em instalações e serviços em eletricidade NR 11 Transporte, movimentação, armazenagem e manuseio de materiais NR 12 Máquinas e equipamentos NR 15 Atividades e operações e insalubres NR 16 Atividade e operações perigosas NR 17 Ergonomia NR 21 Trabalho a céu aberto NR 23 Proteção contra incêndios NR 24 - Condições sanitárias e de conforto nos locais de trabalho NR 26 Sinalização de segurança NR 33 Segurança e saúde nos trabalhos em espaços confinados

20 Equipamentos de Proteção Capacete de segurança Óculos de segurança Protetores auriculares (tipo concha ou plug) Máscara e respiradores Protetores faciais Aventais Macacão e/ou jardineira impermeável tipo saneamento Luvas impermeáveis/ de raspa de couro Luvas para eletricidade para baixa e alta tensão Calçados de segurança Capa de chuva Cinto de segurança Demonstração in loco

21 Resolução Interna N 18/ D Dispõem sobre a responsabilidade das chefias e empregados da Companhia pelo descumprimento do uso de Equipamentos de Proteção Individual e dá outras providências INTRODUÇÃO

22

23

24

25 ETA e atividades afins Eliminar os elementos contaminantes, atendendo as necessidades humanas e respeitando os limites impostos pelas legislações. Conversão dos contaminantes da água em resíduos insolúveis (lodos), em líquidos (óleos) ou em gases (nitrogênio), mediante a aplicação de tratamentos apropriados. Há ainda os tratamentos estéticos (correção da cor, sabor e turbidez) Água produto apropriado para o consumo

26 Principais equipamentos e atividades Decantadores Filtros... Dosagem de produtos químicos Determinação do PH, cor, turbidez, alcalinidade das águas brutas, decantada e filtrada Verificar cloro

27 RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s e afins RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s Riscos Físicos Avaliar as condições de conforto térmico Radiação não-ionizante pela exposição ao sol em trabalhos a céu aberto. Calor proveniente de fontes naturais em trabalhos realizados a céu aberto e/ou ambientes sem ventilação adequada.

28 RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s e afins RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s Riscos Físicos Fornecer proteção contra a exposição aos raios solares. * Alternar tarefas * Ingerir líquidos Fornecimento de bloqueador solar contendo fatores de proteção contra raios ultravioletas A e B

29 Riscos Físicos RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s Ruídos provenientes de máquinas e equipamentos Exemplo: Enclausuramento de bombas na Zona 14/BR 406 (Extremoz)- AUTOMATIZADA Bombas Geradores Empilhadeira Martelete pneumático Na impossibilidade técnica de redução da geração/propagação/exposi ção ao ruído, adotar-se-á o uso de EPI, cuidando-se para que ofereçam a proteção requerida.

30 Riscos de acidentes Operação de máquinas ou partes delas (motores em elevatórias, bombas e seus dispositivos mecânicos) Adotar de sistemas de controle que impossibilitem o acionamento inadvertido de máquinas em manutenção. (Equipes de manutenção de captação e as oficinas eletromecânicas) Para a possibilidade de manutenção de partes submersas de máquinas, cuidar para o desligamento e desenergização prévios. Equipamentos adequados de mergulho por profissionais especialmente treinados para tais tarefas, que serão executadas, no mínimo, por 2 profissionais. Sendo 1 executando a tarefa e outro de vigia 16/10/2014 RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s

31 RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s Riscos de acidentes Choques em equipamentos elétricos em geral. Emissão de ordens de serviço e/ou de procedimentos operacionais a serem adotados para manutenção de máquinas procedendo aos pertinentes treinamentos de trabalhadores.

32 RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s e atividades afins Riscos de acidentes Contusões e quedas (pelas diferenças de nível e umidade no solo). Instalar proteção coletiva nos locais com riscos de queda e, na impossibilidade técnica, fornecimento e exigência de uso de EPI. RODAPÉ GAIOLAS GUARDA CORPO CORRIMÃO

33 Riscos de acidentes Picadas de animais peçonhentos (Captações, reservatórios, poços, lagoas e rios) Uso do fardamento e EPI.

34 Riscos de acidentes Afogamento em rios, açudes, tanques de reunião que possuam crivos (atividades de limpeza de grades de remoção preliminar de impurezas da água crivos) Cuidados para adentrar em espaços confinados Uso de equipamentos contra afogamento, uso de cinto de segurança ou similar Ponto estável para a fixação dos cintos

35 Reparos de redes Soterramento em obras de manutenção e reparação de redes e ramais de água. Acidentes por atropelamento, pelo desempenho de tarefas em vias públicas por falta ou sinalização inadequada. Riscos de acidentes Escoramento de valas e deposição de resíduos delas retirados, etc. Choques elétricos em escavações em virtude de contato com redes elétricas subterrâneas energizadas Sinalização do local, especialmente em se tratando de trabalhos em vias públicas. Noções de direção defensiva para os trabalhadores que utilizem veículos. RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s e atividades afins

36 RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s e atividades afins Riscos Leitura e entrega de contas Radiação não-ionizantes Calor Mordida de animais?? Campanhas educativas

37 RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s Exposição aos agentes químicos utilizados no processo de tratamento Riscos Químicos Planos de Contingências e Controle de Emergência para situações de vazamento de produtos tóxicos. Programa de treinamento visando esclarecer sobre os métodos de manuseio e utilização de substâncias e seus riscos à saúde. Instituir ventilação mecânica e/ou exaustão em locais onde haja atividades de manipulação.

38 Exposição aos agentes químicos utilizados no processo de tratamento Riscos Químicos Uso dos chuveiros e lava-olhos em locais com possibilidade de contato com cloro e outros produtos capazes de causar lesões cutâneas e oculares em casos de vazamento. Nas captações onde existam cilindros de cloro de 900 Kg disponibilizar máscaras autônomas para situações emergenciais, promovendo o adequado treinamento para seu uso. Máscara facial com filtro para suportar até 0,5% volume de gases ácidos) Fornecimento e uso obrigatório dos equipamentos de proteção individual - EPI RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s

39 Efeitos versus Concentração e Tempo

40 Cloro e seus efeitos Causa irritação no aparelho respiratório Queimaduras Vermelhidão e formação de bolhas Breve inalação lesões brônquicas. FISPQ Permanência prolongada edema pulmonar agudo Parada respiratória Morte RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s

41 Vídeo para fixação

42 RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s Policloreto de alumínio e seus efeitos Levemente irritante, provoca vermelhidão e inchaço Corrosivo, provoca vermelhidão e possíveis lesões oculares FISPQ Causa irritação no aparelho respiratório

43 RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s Riscos Químicos Contato com óleos, graxas e solventes na manutenção de máquinas. Uso da bomba de lubrificar Uso obrigatório de EPI

44 RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s Check list Controle da Exposição e prevenção da intoxicação Treinamento em Higiene: esclarecer sobre os métodos de manuseio e utilização da substância Uso de equipamento de proteção em geral Riscos à saúde

45 Medidas de controle Precauções pessoais: Usar os EPI s recomendados para a atividade que está sendo executada e seguir os procedimentos de segurança recomendados. Procedimento de emergência: Na impossibilidade de conter o vazamento, retirar-se do local, isolar a área comunicar a empresa, Corpo de Bombeiros (193), CIOSP (190) e Defesa Civil.

46 Durante as manutenções de equipamentos em geral garfos, etc. Transporte de cargas em geral Má postura Riscos Ergonômicos Mecanizar processo de levantamento preliminar de água RISCOS NOS TRABALHOS EM ETA s

47 Eliminar maior quantidade possível de contaminantes sólidos, líquidos e gasosos, dentro das possibilidades técnicas e econômicas. ETE e atividades afins DESENVOLVIMENTO

48 RISCOS NOS TRABALHOS EM ETE s e afins Riscos Físicos Radiação não-ionizante pela exposição ao sol em trabalhos a céu aberto. Calor proveniente de fontes naturais em trabalhos realizados a céu aberto e/ou ambientes sem ventilação adequada. Fornecer proteção contra a exposição ao sol Avaliar as condições de conforto térmico

49 RISCOS NOS TRABALHOS EM ETE s Explosões em atmosferas contendo metano e H 2 S tais como em reatores anaeróbicos e em espaços confinados - PV - valas subterrâneas Riscos de acidentes Não fumar nem alimentar-se durante os serviços Destampar o PV ou o tanque de reunião e aguardar 5 minutos REALIDADE CAERN: NUNCA OCORREU EXPLOSÃO MONITORAMENTO FEITO

50 RISCOS NOS TRABALHOS EM ETE s Riscos de acidentes Adequar treinamento de trabalhadores quanto a medidas de segurança para adentrar nesses espaços Suspensão dos trabalhos nos casos em que persistirem condições inadequadas para a execução das tarefas prescritas. Manter equipe composta por no mínimo 3 pessoas, autorizadas a laborar somente mediante Permissão para Trabalho - PT. Utilizar completa e corretamente os EPI s recomendados.

51 RISCOS NOS TRABALHOS EM ETE s Riscos de acidentes Operação de máquinas ou partes delas - equipamentos de mistura - rastelo para lodos - bombas e seus dispositivos mecânicos (principalmente, se acionados inadvertidamente em momentos de manutenção)

52 RISCOS NOS TRABALHOS EM ETE s Riscos de acidentes Adoção de procedimentos/sistemas de controle (programas bloqueio/advertência) que impossibilitem o acionamento inadvertido de máquinas em manutenção. Emissão de ordens de serviço e/ou de procedimentos operacionais a serem adotados para manutenção de máquinas Treinamentos.

53 RISCOS NOS TRABALHOS EM ETE s e atividades afins Riscos de acidentes Contusões e quedas Afogamento por queda em tanques de tratamento de esgotos Soterramento em obras de manutenção e reparação de redes de esgoto. Instalar proteção coletiva nos locais com riscos de queda e, na impossibilidade Técnica confirmada, fornecimento e exigência de uso de EPI. Garantia de que as instalações elétricas estejam desenergizadas nos trabalhos de manutenção em máquinas e equipamentos e em trabalhos em valas. Adoção de medidas adequadas quanto ao prévio estudo do solo, adequado escoramento de valas e deposição de resíduos delas retirados, etc.

54 Riscos de acidentes Picadas de animais peçonhentos (entrada em poços de visita, estações elevatórias, ETE s e lagoas de estabilização) Uso do fardamento e EPI.

55 Riscos Químicos Contato com óleos e graxas lubrificantes para conjuntos moto-bombas Solventes (limpeza) na manutenção de máquinas. Uso da bomba de lubrificar Uso obrigatório de EPI RISCOS NOS TRABALHOS EM ETE s

56 Esforço físico na utilização repetida de equipamentos pesados tais como garfos para retirada de resíduos sólidos de maior volume como a que ocorre nos setores de tratamento preliminar de esgoto. Má postura. Riscos Ergonômicos Mecanizar processo de levantamento de resíduos recolhidos em grades de tratamento preliminar de esgoto. RISCOS NOS TRABALHOS EM ETE s

57 Outros riscos presentes no dia do operador

58 Outros riscos presentes no dia do operador Direção defensiva Manutenção preventiva

59

60 Trabalhos de escavações Vala poço esvaziamento Talude

61 Riscos nos trabalhos de escavações Queda de pessoas ao mesmo nível Quedas de pessoas ao interior da escavação Desabamento de materiais, terras e/ou rochas Desmoronamento do terreno ou de edifícios adjacentes. Inundações Colisões e atropelamento com veículos Ruídos Outros riscos decorrentes da interferência com outras canalizações subterrâneas (eletricidade, gás, água, telefone, etc.).

62 Medidas básicas de prevenção Conhecer previamente as características físicas e mecânicas do terreno (estratificação, fissuras, etc.). O tipo, localização, profundidade e dimensões de fundações próximas e vias de circulação que se encontrem a uma distância igual ou inferior a duas vezes a profundidade do corte provisório. Dispor da informação dos órgãos públicos e companhias fornecedoras que permita localizar as condutas e canalizações de água, gás, telefone, esgoto e eletricidade para determinar o método de escavação e os sistemas de proteção mais apropriados.

63 Medidas básicas de prevenção Prever os apoios provisórios e escoramentos tendo em conta a proximidade de edifícios adjacentes, equipamentos, armazenamento de materiais e estradas ou ruas.

64 Medidas básicas de prevenção Devem ser delimitadas as áreas de trânsito de pessoas e veículos (comunicando ao Orgão Municipal de Trânsito) sinalizando adequadamente cada uma delas. Se tal não for possível, a passarela deve ser prevista de tal forma que a passagem para pessoas fique separada da zona de trânsito de veículos por meio de uma barreira de proteção. Evitar a acumulação do material escavado e de equipamentos ao lado da borda Legislação

65 Medidas básicas de prevenção No caso de baixa visibilidade ou durante a noite as valas ou poços devem ser sinalizados através de lâmpadas de luz-relâmpago, sempre que haja previsão de circulação nas suas imediações de pessoas ou veículos. Sempre que previsto o trânsito de pessoas ou veículos, as barreiras de proteção devem ser sinalizadas a cada 10 m com dispositivos de luz portáteis. Quando seja necessária iluminação no interior da vala/poço, devem ser instaladas torres exteriores de iluminação.

66 Medidas básicas de prevenção Após a interrupção dos trabalhos, e especialmente no começo da semana, deve ser realizada uma revisão das condições da vala antes de autorizar a retomada dos trabalhos. Nas épocas de chuva, antes de proceder a executar os trabalhos, deve-se inspeccionar especialmente a vala e todo o sistema de escoramento

67 Medidas básicas de prevenção NR Escavações "É proibido servir-se da própria estrutura ou escoramento para a descida ou subida dos trabalhadores".

68

69

70 Vídeo para fixação

71 Sinalização de segurança Formas de sinalização

72 Sinalização de segurança Formas de sinalização

73 Sinalização de segurança Formas de sinalização

74

75 Sinalização em vias Definição Procedimento padrão de trabalho Antecede o início dos trabalhos Quem são os beneficiados? EPI ou EPC?

76 Sinalização de segurança Formas de sinalização Como saber a melhor de sinalização - Depende dos trabalhos - Do próprio local onde os trabalhos serão realizados - Tráfego de veículos e de pedestres - Horário Considerar as particularidades LEITURA AMBIENTAL A escolha da forma de sinalização deve ser realizada visando obter a máxima eficiência em função das diversas características que possam existir no local de trabalho.

77 Planejamento - Sinalização em vias Comunicação as autoridades (quando for o caso) serviços que demandem longas interdições )

78 Padrões para sinalização de forma adequada Qual tipo/tamanho para veiculo de pequeno porte? Qual tipo/tamanho para veículo de grande porte? 100m de distância da equipe em vias de perímetros urbanos 200m de distância da equipe com indicação de desvio em rodovias

79 Garantia de desvio com segurança Lei Ordinária 5933/2009 DISPÕE SOBRE A EXECUÇÃO DE OBRAS, REPAROS OU SERVIÇOS EM VIAS E LOGRADOUROS[...]

80 Vídeo para fixação

81 Legislação Código de Trânsito Brasileiro Resolução 160/2004, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) Lei Ordinária 5933/ SEMOB Resolução 160/2004 CONTRAN aprovou o Anexo II do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que trata da sinalização vertical, horizontal, dispositivos auxiliares, sinalização semafórica, sinalização de obras, gestos e sinais sonoros Lei Ordinária 5933/2009 DISPÕE SOBRE A EXECUÇÃO DE OBRAS, REPAROS OU SERVIÇOS EM VIAS E LOGRADOUROS[...]

82

83

84 Referências NETO, N.W. Manual de Procedimentos para Auditoria no Setor Saneamento Básico. Disponível em <http:// %20EM%20SANEAMENTO.pdf />.Acesso em 31 de outubro de CUNHA, Sandra. Gerenciar os riscos no tratamento de água assegura a segurança e a saúde dos trabalhadores. CIPA, São Paulo, v. 24, n. 11, edição 284, p.78-81, nov Situação do Saneamento no Brasil. Disponível em <http://www.tratabrasil.org.br/situacao-do-saneamento-no-brasil >. Acesso em 19 de novembro de 2013.

85 Obrigado pela atenção!

86 TREINAMENTO E CAPACITAÇÃO DE AUXILIAR OPERADORES DE SISTEMA DE ÁGUA E ESGOTO

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Equipamento De Proteção Individual - EPI Definição: EPI é todo dispositivo de uso individual, destinado a proteger a integridade física do trabalhador. EPI (s)

Leia mais

Cópia Não-Controlada

Cópia Não-Controlada Página 1 de 6 Tipo de Documento Formulário Empresarial - Recursos Humanos Título do Documento Análise Preliminar de Riscos Número e Versão do Documento Fase Elaborado por FE-RH0001 - V.1 Vigente Walnei

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/6 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ABERTURA DE CABOUCOS PARA MACIÇOS DE FUNDAÇÃO 2 DESCRIÇÃO A construção dos maciços de fundação para os pórticos e torres metálicas das linhas

Leia mais

SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTO. José Francisco Buda

SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTO. José Francisco Buda SEGURANÇA E HIGIENE NO TRABALHO EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTO Engenheiro Civil e de Segurança no Trabalho Mestre pela UNICAMP Professor do CEFET-SP e da UNIFIAM-FAAM Interpretar as estações de tratamento

Leia mais

SESMT SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO TRABALHO.

SESMT SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO TRABALHO. EMPRESA Conforme o Art. 157 da CLT - Consolidação das Leis Trabalhistas Cabe às empresas: Cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho; Instruir os empregados, através de ordens

Leia mais

Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes?

Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes? Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes? Publicado em 13 de outubro de 2011 Por: Tônia Amanda Paz dos Santos (a autora permite cópia, desde que citada a fonte e/ou indicado

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho DISCIPLINA: Prevenção e Controle de Riscos em Máquinas, Equipamentos e Instalações Aula

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Título: Tipo do Documento: SubTipo: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Trabalho em espaços confinados

Leia mais

Higiene e Segurança no Trabalho

Higiene e Segurança no Trabalho Curso Técnico em Mecânica Integrado ao Ensino Médio. Higiene e Segurança no Trabalho EPI & EPC Joinville, outubro de 2014 Medidas de Proteção no Trabalho Quando se fala em Segurança e Saúde no Trabalho

Leia mais

NPT 032 PRODUTOS PERIGOSOS EM EDIFICAÇÕES E ÁREAS DE RISCO

NPT 032 PRODUTOS PERIGOSOS EM EDIFICAÇÕES E ÁREAS DE RISCO Outubro 2011 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 032 Produtos perigosos em edificações e áreas de risco CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 01 Norma de Procedimento Técnico 6 páginas SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação

Leia mais

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Introdução A Engemix possui uma equipe de Engenheiros de Segurança e Meio Ambiente capacitada para dar todo subsídio técnico para implantação, operação e desmobilização

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade: NBR ISO 9001 Ficha de Segurança de Produto: LAB TAR 1401

Sistema de Gestão da Qualidade: NBR ISO 9001 Ficha de Segurança de Produto: LAB TAR 1401 Código: FSP-250 Revisão: 1 Página: 1/5 1 Informação do produto e da empresa Nome do produto: LAB TAR 1401 Nome da empresa: Lab Analítica e Ambiental Ltda. Endereço: Rodovia Geraldo Scavone, 2300 Condomínio

Leia mais

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES 1 O QUE É ESPAÇO CONFINADO? CARACTERÍSTICAS VOLUME CAPAZ DE PERMITIR A ENTRADA DE EMPREGADOS LIMITAÇÕES E RESTRIÇÕES PARA ENTRADA E SAIDA DE PESSOAL NÃO E PROJETADO PARA OCUPAÇÃO CONTÍNUA POSSUI, EM GERAL,

Leia mais

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9)

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) 10.1. Esta Norma Regulamentadora - NR fixa as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalham em instalações

Leia mais

Especificações Técnicas

Especificações Técnicas ANEXO IV Referente ao Edital de Pregão nº. 010/2015 Especificações Técnicas 1. OBJETIVO 1.1. A presente licitação tem como objeto a prestação de serviços para realização de cursos para os colaboradores

Leia mais

6.1 Conceitos Gerais de Trabalho em Altura Carga Horária: 4 horas

6.1 Conceitos Gerais de Trabalho em Altura Carga Horária: 4 horas 6.1 Conceitos Gerais de Trabalho em Altura Carga Horária: 4 horas 1. Conceitos e práticas gerais de trabalho em altura a. O conceito de altura b. O trabalho em altura 2. Tipos de recursos utilizados 3.

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico CHEMFOS 700 A Código do produto: CF700A Página 1 de 5

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico CHEMFOS 700 A Código do produto: CF700A Página 1 de 5 Código do produto: CF700A Página 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Código do produto: Aplicação: Fornecedor: CF700A Telefone de emergência: (19) 3864-6000 FOSFATO ÁCIDO DE

Leia mais

PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS SETEMBRO / 2005 SANTA MARIA - RS Avenida. Medianeira 1900, Centro Santa Maria/ RS, CEP 97060-002- Fone (55) 3027 8911 Sumário 1 INTRODUÇÃO... 3 2

Leia mais

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09

- PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS. Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09 - PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS Portaria MTE nº 3214/78 Portaria SSST nº 25, de 29/12/94 Norma Regulamentadora NR 09 - ANÁLISE GLOBAL - DESTAQUE AVIAÇÃO AGRÍCOLA LTDA. - SÃO PEDRO DO

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade: NBR ISO 9001 Ficha de Segurança de Produto: LAB TIN 3104

Sistema de Gestão da Qualidade: NBR ISO 9001 Ficha de Segurança de Produto: LAB TIN 3104 Código: FSP-261 Revisão: 1 Página: 1/5 1 Informação do produto e da empresa Nome do produto: LAB TIN 3104 Nome da empresa: Lab Analítica e Ambiental Ltda. Endereço: Rodovia Geraldo Scavone, 2300 Condomínio

Leia mais

A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO

A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por Resolução do Conselho 2002/C161/01 Nova Estratégia Comunitária de Saúde e Segurança (2002 2006) Redução dos Acidentes de Trabalho

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS As Normas Regulamentadoras estabelecem critérios e procedimentos obrigatórios relacionados à segurança e medicina do trabalho, que devem ser seguidos por empresas de acordo com

Leia mais

NORMA TÉCNICA 32/2014 Produtos Perigosos em Edificações de Armazenamento e Manejo

NORMA TÉCNICA 32/2014 Produtos Perigosos em Edificações de Armazenamento e Manejo ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA 32/2014 Produtos Perigosos em Edificações de Armazenamento e Manejo SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Referências

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NR 1 - Disposições Gerais As Normas Regulamentadoras são de observância obrigatória por

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do produto: CJI URETANO AR ENDURECEDOR Nome da empresa: Endereço: Rua Hermínio Poltroniere,

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PÁG. 1/11 1. OBJETIVO Identificar os riscos envolvidos em cada passo da tarefa, estabelecer salvaguardas que garantam a eliminação ou controle dos riscos identificados. Essa ferramenta deve ser utilizada

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 32/2015

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 32/2015 Instrução Técnica nº 26/2011 - Sistema fixo de gases para combate a incêndio 645 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO

Leia mais

Segurança Brigada de incêndio. Brigada de incêndio florestal. CIPA. Combate a incêndios Noções básicas. Consignação de equipamentos. Direção defensiva. Metodologia de análise de risco. Metodologia de investigação

Leia mais

Ingredientes que contribuam para o perigo: Nome químico ou genérico N CAS % Classificação e rotulagem

Ingredientes que contribuam para o perigo: Nome químico ou genérico N CAS % Classificação e rotulagem FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ Nome do produto: DENINPLUS 400-N Página 1 de 5 1. Identificação do produto e da empresa Nome do produto: DENINPLUS 400-N Nome da Empresa: INDÚSTRIA

Leia mais

02/08/2015. Padrões de potabilidade TRATAMENTO DA ÁGUA. Tratamento da água. Tratamento da água. Tratamento da água

02/08/2015. Padrões de potabilidade TRATAMENTO DA ÁGUA. Tratamento da água. Tratamento da água. Tratamento da água Padrões de potabilidade A água própria para o consumo deve obedecer certos requisitos: TRATAMENTO DA ÁGUA Professor: André Luiz Montanheiro Rocha Disciplina: Gestão de Recursos Naturais 2ª COLÉGIO ESTADUAL

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO Página 1 de 5 FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO FISPQ Em conformidade com ABNT 14725-4/2014 Data: 02.05.2002 Revisão: 5 Data da Revisão: 06/02/15 Produto: WD 40 Líquido N 0040 1. Identificação

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ORGANIZAÇÃO DO ESTALEIRO 2 DESCRIÇÃO Face à legislação em vigor, estaleiros temporários ou móveis são os locais onde se efectuam trabalhos de

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do produto: CJI MASTER HARD SS Nome da empresa: Endereço: Rua Hermínio Poltroniere, 198

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO Página: 1 de 5 FISPQ Nº: 037 Data da última revisão: 26/10/2010 Nome do Produto: Betugrout 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Betugrout Código do Produto: 026050025. Nome da Empresa:

Leia mais

NOÇÕES SOBRE OPERAÇÃO DE ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS

NOÇÕES SOBRE OPERAÇÃO DE ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS NOÇÕES SOBRE OPERAÇÃO DE ESTAÇÕES ELEVATÓRIAS Equipe de Elaboração/Revisão Elaboração e Instrutores ALDEMÁRIO SILVA DE OLIVEIRA UCCT/GPR/DT ALVAMAR ROBERTO COELHO CIRNE GFO/DT EDUARDO NOGUEIRA CUNHA UMED/GDP/DT

Leia mais

NR 33 - SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS

NR 33 - SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS NR 33 - SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS INTRODUÇÃO A trigésima terceira Norma Regulamentadora do Ministério do Trabalho e Emprego denominada Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS ( FISPQ)

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS ( FISPQ) Nome do Produto DNC Página 01/06 SEÇÃO 1.0 NOME DO PRODUTO Detergente Neutro Concentrado - HERMON Limpeza- Ltda Rua Vicente Melle,771-Bairro Ana Jacinta- Presidente Prudente-São Paulo - CEP: IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho 1 0 Dia Realizar a apresentação dos participantes 1. Técnica de Lista de presença; apresentação e O multiplicador

Leia mais

Classificação e Rotulagem de Perigo dos Ingredientes que Contribuem para o Perigo: N. A

Classificação e Rotulagem de Perigo dos Ingredientes que Contribuem para o Perigo: N. A Nome do Produto: VERCLEAN 900 FISQP N.º: 02 Página: 1/7 Última Revisão: 08/04/13 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do Produto: DETERGENTE VERCLEAN 900 Código Interno de Identificação: 101 Nome

Leia mais

MULTI USO TRADICIONAL

MULTI USO TRADICIONAL Pag. 1 de 6 SEÇÃO 1.0 INFORMAÇÕES DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do Produto : Identificação da Empresa: VALÊNCIA IND. E COMÉRCIO DE MATERIAIS DE LIMPEZA LTDA. ENDEREÇO: Rua Soldado Arlindo Sardanha,11.Parque

Leia mais

Comércio de Produtos Químicos

Comércio de Produtos Químicos Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos FISPQ 1.) Identificação do Produto Nome do Produto: Pombo Código do Produto: Pr 295307 2.) Composição e Informação sobre os Ingredientes Substância:

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único Curso Técnico Segurança do Trabalho Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único SeÄÅo IX Das InstalaÄÉes ElÑtricas Art. 179 - O Ministério do Trabalho disporá sobre as condições de segurança e as medidas

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico CHEMKLEEN 611L Código do produto: CK611L Página 1 de 5

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico CHEMKLEEN 611L Código do produto: CK611L Página 1 de 5 Código do produto: CK611L Página 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Código do produto: Aplicação: Fornecedor: CK611L Telefone de emergência: (19) 2103-6000 DESENGRAXANTE ALCALINO

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS De que trata cada Norma Regulamentadora (NR), urbanas e rurais. Nos links (sublinhados), você pode conferir o texto original das Normas, direto no site do Ministério do Trabalho

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE FISPQ N PRODUTOS QUÍMICOS - FISPQ CERA LÍQUIDA AUTOMOTIVA

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE FISPQ N PRODUTOS QUÍMICOS - FISPQ CERA LÍQUIDA AUTOMOTIVA GARANTIA DE QUALIDADE Página 1/5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Sinônimo: Cera líquida Automotiva Nome da empresa: GITANES PRODUTOS AUTOMOTIVOS LTDA Endereço: Rua Dos Diamantes,

Leia mais

3. Identificação dos Perigos Perigos mais importantes : Ação irritante para olhos, pele e sistema respiratório.

3. Identificação dos Perigos Perigos mais importantes : Ação irritante para olhos, pele e sistema respiratório. Tripolifosfato de Sódio Página 1 de 5 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do produto : Tripolifosfato de Sódio Código do produto : 001.019 Empresa Corpo de Bombeiros : 193 Polícia Militar : 190

Leia mais

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes.

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes. SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S NR-1 DISPOSIÇÕES GERAIS O campo de aplicação de todas as Normas Regulamentadoras de segurança e medicina do trabalho urbano, bem como os direitos e obrigações do

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído

Leia mais

CAS Nome Químico Concentração (%) Solvente de Petróleo < 50,00 Gás Propelente < 50,00

CAS Nome Químico Concentração (%) Solvente de Petróleo < 50,00 Gás Propelente < 50,00 Nome do Produto: Limpa Contato GT2000 Gold Inflamável 306ml/200g Página 1 de 7 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 1.1 Nome Comercial: Limpa Contato GT2000 Gold Inflamável 306ml / 200g 1.2 Código de

Leia mais

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO Página 01/07 SEÇÃO 1.0 NOME DO PRODUTO BRILHO CERTEC NOME DO FABRICANTE ENDEREÇO Rua Dr. Fernão Pompeu de Camargo, 1704/52 Jardim do Trevo - Campinas/SP - CEP: 13040-010 SEÇÃO 2.0 TIPO DE PRODUTO PREPARADO

Leia mais

Rebrilhar Catalisador Ureia-Formol

Rebrilhar Catalisador Ureia-Formol 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome comercial do Produto: Nome da Empresa: Rebrilhar Resinas e Vernizes Ltda. Endereço: Rua Luiz de Moraes Rego, nº. 505 Jardim do Bosque Leme/SP Telefones: 19-35186900

Leia mais

RISCOS DE ACIDENTES EM OBRAS CIVIS DENTRO DE UMA. Monografia Apresentada ao Curso de Engenharia Civil UFC - 2012

RISCOS DE ACIDENTES EM OBRAS CIVIS DENTRO DE UMA. Monografia Apresentada ao Curso de Engenharia Civil UFC - 2012 RISCOS DE ACIDENTES EM OBRAS CIVIS DENTRO DE UMA SUBESTAÇÃO ELÉTRICA Aluna: Thalita Ripardo Ximenes Orientadora: Profª.. Dra. Ana Barbara de Araujo Nunes Monografia Apresentada ao Curso de Engenharia Civil

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS.

SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS. NR-33 SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS. 33.1 - Objetivo e Definição 33.1.1 - Esta Norma tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos para identificação de espaços confinados

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ PRODUTO: CARBONATO DE SÓDIO 1/6 1. IDENTIFICACÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Empresa: Endereço: Telefone de emergência: e-mail: CARBONATO DE SÓDIO Sasil Comercial e Industrial de Petroquímicos

Leia mais

LIMPA- PEDRAS. FISPQ-004 Pag. 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DOPRODUTO E DA EMPRESA. Nome Comercial do Produto :

LIMPA- PEDRAS. FISPQ-004 Pag. 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DOPRODUTO E DA EMPRESA. Nome Comercial do Produto : Pag. 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DOPRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do Produto : LIMPA- PEDRAS Identificação da Empresa: VALÊNCIA IND. E COMÉRCIO DE MATERIAIS DE LIMPEZA LTDA. Telefone FAX: (11) 2632-7070

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ FISQP n o 24 15/11/10 Página 1 de 5 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ Contato/emergência: Centro de Atendimento Toxicológico do Espírito Santo (Toxcen-ES) Telefone: 0800-283-9904

Leia mais

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma;

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma; TRABALHO EM ALTURA 36.1 Objetivo e Campo de Aplicação 36.1 Objetivo e Definição 36.1.1 Esta Norma tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura,

Leia mais

Segurança do Trabalho Introdução

Segurança do Trabalho Introdução Segurança do Trabalho Introdução Joinville, fevereiro de 2015 Introdução A Segurança no Trabalho é a ciência que estuda as possíveis causas dos acidentes e incidentes originados durante a atividade laboral

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA 1. Identificação da substância/preparação e da sociedade / empresa Identificação da substância / preparação Nome comercial: LUSO EXTRUDER Código do produto: TPVE 301 Utilização da substância / da preparação:

Leia mais

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

FISPQ - FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES Página 1 de 8 Página 01/07 SEÇÃO 1.0 NOME DO PRODUTO NOME DO FABRICANTE ENDEREÇO Rua Dr. Fernão Pompeu de Camargo, 1704/52 Jardim do Trevo - Campinas/SP - CEP: 13040-010 SEÇÃO 2.0 TIPO DE PRODUTO PREPARADO

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS 1) OBJETO 1.1) As diretrizes aqui apresentadas tem o objetivo de instruir as empresas contratadas pela, UNILA, quanto

Leia mais

DEFESA CIVIL - ES. Recomendações Técnicas de Procedimentos Escavações. Facilitador: Roney Gomes Nascimento Eng.º Civil Subcoordenador de Operações

DEFESA CIVIL - ES. Recomendações Técnicas de Procedimentos Escavações. Facilitador: Roney Gomes Nascimento Eng.º Civil Subcoordenador de Operações DEFESA CIVIL - ES Recomendações Técnicas de Procedimentos Escavações Facilitador: Roney Gomes Nascimento Eng.º Civil Subcoordenador de Operações NR- 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria

Leia mais

A GESTÃO DA SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

A GESTÃO DA SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO R & W Engenharia Fundada em 19 de abril de 1991. Prestação de serviços em segurança do trabalho atendendo em especial as NRs6, 9, 13, 15, 16 e 17 com emissão de laudos técnicos. Treinamentos como: Cipa,

Leia mais

FISPQ N 193 N da Revisão 04 FIREGUARD

FISPQ N 193 N da Revisão 04 FIREGUARD Página 1 de 5 1 - Identificação do Produto e da Empresa Nome do produto: Nome da empresa: Anchortec Industrial e Comercial Ltda. Endereço: Rua Tenente Onofre Rodrigues de Aguiar, 800, Mogi das Cruzes -

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional

Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional Maio / 2016 Eng. Jose Arnaldo Acidentes envolvendo produtos químicos Em 2014, ocorreram: Mais de 83.000 óbitos e 7,4 milhões de trabalhadores feridos decorrentes

Leia mais

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome: VOTOMASSA CHAPISCO CONCRETO Empresa: VOTORANTIM CIMENTOS LTDA. Endereço: Rodovia PR092, 1303 Cidade: Curitiba Estado: PR Telefone: 0800 701 98 98 Telefone

Leia mais

de Segurança de Produtos Químicos

de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: Impermeabilizante acrílico a base d água. Fornecedor:. Av Eng Juarez de Siqueira Britto Wanderley, 380 Jd Vale do Sol CEP: 12.238-565 São José

Leia mais

LEVANTAMENTO DE PERIGOS E DANOS E AVALIAÇÃO DE RISCOS

LEVANTAMENTO DE PERIGOS E DANOS E AVALIAÇÃO DE RISCOS fl. de 7 Endereço Local Aprovado Data Rev. UNIOP-SP Av. Paulista, 06 São Paulo SP 9º, 5º, 7º e 8º andares JMn (SESMS) 0/08/ C Atividade Perigo Dano (Todas) Agressão Física Assédio Discriminação Energizadas

Leia mais

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas. Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.es/insht/ INTRODUÇÃO Os incêndios e explosões, ainda que representem uma porcentagem

Leia mais

Nome do produto: Botatop DM -W Data da última revisão: 10/01/2012. - Nome da empresa: MC-Bauchemie Brasil Indústria e Comércio Ltda

Nome do produto: Botatop DM -W Data da última revisão: 10/01/2012. - Nome da empresa: MC-Bauchemie Brasil Indústria e Comércio Ltda Página 1 de 6 1. Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: Botatop DM-W - Nome da empresa: MC-Bauchemie Brasil Indústria e Comércio Ltda - Endereço: Rua Henry Martin, 235 Vargem Grande Paulista

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS ( FISPQ)

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS ( FISPQ) Nome do Produto Página 01/06 DUG - HERMON SEÇÃO 1.0 NOME DO PRODUTO Desinfetante de Uso Geral - HERMON Limpeza- Ltda Rua Vicente Melle,771-Bairro Ana Jacinta- Presidente Prudente-São Paulo - CEP: IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE SEGURANÇA 02 sem 2009 PROF. DANIEL BRAATZ DEP/UFSCar TEXTO 03

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE SEGURANÇA 02 sem 2009 PROF. DANIEL BRAATZ DEP/UFSCar TEXTO 03 INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE SEGURANÇA 02 sem 2009 PROF. DANIEL BRAATZ DEP/UFSCar TEXTO 03 Normas Regulamentadoras do trabalho, trabalho rural..objetivos ESPECÍFICOS Apresentar o modelo legal de organização,

Leia mais

Sinalização. Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94

Sinalização. Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94 Sinalização Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94 Materiais VINIL AUTO-ADESIVO PVC / PS Utilizado em ambientes internos e externos. Pode ser confeccionado com

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL. Identificação e Avaliação de Perigos e Riscos de SST

PROCEDIMENTO GERAL. Identificação e Avaliação de Perigos e Riscos de SST PÁG. 1/8 1. OBJETIVO Definir a sistemática para identificação contínua de perigos, avaliação de riscos de e determinação de medidas de controle para redução dos riscos de, seguindo a hierarquia: eliminação,

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto Limpa ar condicionado Código interno de identificação 00.00.000.000 Nome da empresa Endereço Aeroflex Indústria de Aerosol Ltda. Rod. BR 116 km

Leia mais

www.colabortreinamentos.com.br (31) 3059-5141 (341

www.colabortreinamentos.com.br (31) 3059-5141 (341 www.colabortreinamentos.com.br (31) 3059-5141 (341 APRESENTAÇÃO COLABOR A COLABOR Consultoria e Treinamentos é uma empresa de soluções para aumento de performance para PROFISSIONAIS E EMPRESAS. Nossas

Leia mais

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Segundo a OMS, a verificação de condições de Higiene e Segurança consiste num estado de bem-estar estar físico, mental e social e não somente a ausência de doença e enfermidades.

Leia mais

TELEFONE PARA EMERGÊNCIAS: 0800-7077022 (SUATRANS)

TELEFONE PARA EMERGÊNCIAS: 0800-7077022 (SUATRANS) 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Código do Produto: 3076 Data da FISPQ: 01/11/2005 Comercializado por: BRENNTAG QUÍMICA BRASIL LTDA Guarulhos - SP Rua Hum, 1.333 Bonsucesso Guarulhos CEP

Leia mais

Curso Técnico em Química Disciplina: Higiene e Segurança do Trabalho Prof. Naila Borba NORMAS REGULAMENTADORAS

Curso Técnico em Química Disciplina: Higiene e Segurança do Trabalho Prof. Naila Borba NORMAS REGULAMENTADORAS Curso Técnico em Química Disciplina: Higiene e Segurança do Trabalho Prof. Naila Borba NORMAS REGULAMENTADORAS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EP I) - NR 6 Em muitos servicos, o trabalhador precisa

Leia mais

Equipamento de Proteção Individual

Equipamento de Proteção Individual Equipamento de Proteção Individual NR 6 Equipamento de Proteção Individual De acordo com a NR-6 da Portaria nº 3214 de 8 de junho de 1978, do Ministério do Trabalho e Emprego, considera-se Equipamento

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO - FISPQ 1. IDENTIFICACÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Empresa: Endereço: Telefone de emergência: e-mail: POLICLORETO DE ALUMINIO Sasil Comercial e Industrial de Petroquímicos Ltda. Rua Alameda Granjas

Leia mais

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico ACELERADOR DE VULCANIZAÇÃO MBTS-80 ACELERADOR DE VULCANIZAÇÃO MBTS-80

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico ACELERADOR DE VULCANIZAÇÃO MBTS-80 ACELERADOR DE VULCANIZAÇÃO MBTS-80 Folha: 1 / 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Código Interno: Principais usos recomendados: Master de acelerador de vulcanização de borracha MBTS-80. Acelerador de vulcanização;

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST No Brasil a Segurança e Medicina no Trabalho é regulamentada pela portaria 3214/78, atualmente com 36 Normas Regulamentadoras do Ministério

Leia mais

O sistema de gerenciamento de risco é composto pelas etapas de identificação e avaliação de controle dos riscos, descritas a seguir.

O sistema de gerenciamento de risco é composto pelas etapas de identificação e avaliação de controle dos riscos, descritas a seguir. 2.6.16 - Este programa contém as principais ações que têm sido tomadas para prevenir os danos à saúde e integridade física dos trabalhadores e da população da região, os prejuízos materiais e possíveis

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Nome do produto: BENZOATO DE SÓDIO Page: (1 de 5) ATENÇÃO: Leia atentamente esta Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico (FISPQ) antes

Leia mais

INDUFIX FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA

INDUFIX FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA FISPQ 014 REVISÃO: 30/03/2014 PÁGINA 1/6 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Indufix Código interno: 2000 Empresa: Indutil Indústria de Tintas Ltda. e-mail: indutil@indutil.com.br

Leia mais

Noções de Segurança e Higiene do Trabalho

Noções de Segurança e Higiene do Trabalho Noções de Segurança e Higiene do Trabalho Sinópse Generalidades. Antecedentes Históricos. Conceitos Básicos: - Acidente do Trabalho; - Atividades e Operações Insalúbres; - Riscos Ocupacionais; - Equipamentos

Leia mais

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas 1. Objetivo Este Procedimento tem como objetivo fixar os requisitos de segurança e medicina do trabalho para as atividades de empresas contratadas, que venham a executar obras e/ou serviços nas dependências

Leia mais

Procedimento Operacional N do procedimento: PO 037

Procedimento Operacional N do procedimento: PO 037 1/ 11 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Elaboração inicial do documento 01 Revisão anual conforme Norma Regulamentadora 33 Alteração nos envolvidos para análise e aprovação. Demais envolvidos na análise

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria SSMT n.º 05, de 07 de maio de 1982 17/05/82

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ )

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ ) 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Anti Ruído Tradicional Aplicação: Reparação e emborrachamento de veículos. Fornecedor: Nome: Mastiflex Indústria e Comércio Ltda Endereço : Rua

Leia mais

Produto: DIPPING BASE DIPPING BASE (62) 3310-2700 (85) 3366-2350 (19) 3455-8900 (62) 3310-2700 (85) 3366-2350 (19) 3455-8900. emergencia@beraca.

Produto: DIPPING BASE DIPPING BASE (62) 3310-2700 (85) 3366-2350 (19) 3455-8900 (62) 3310-2700 (85) 3366-2350 (19) 3455-8900. emergencia@beraca. FISPQ-040 Revisão: 01 Data: 28/04/2009 Página: 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Empresa Distribuidora: DIPPING BASE Telefones para Emergências: (81) 3543-0571 (62) 3310-2700

Leia mais

Exemplo de Relatório de Auditoria. Geral

Exemplo de Relatório de Auditoria. Geral Exemplo de Relatório de Auditoria Geral Período 29/1/2009 Reavaliação para 15//2009 Dados da Auditoria Auditoria: Cliente: Setor: Nr Funcionários: Dt. Início: Dt. Término Usou a NR: Exemplo de Relatório

Leia mais

QUIMICRYL S/A Ficha de Segurança de Produtos Químicos Página 1 de 9 BAUCRYL VEDAFRISO. Data da última revisão: 23/6/2015

QUIMICRYL S/A Ficha de Segurança de Produtos Químicos Página 1 de 9 BAUCRYL VEDAFRISO. Data da última revisão: 23/6/2015 Ficha de Segurança de Produtos Químicos Página 1 de 9 1. Identificação do Produto e da Empresa Produto: Uso Recomendado: Impermeabilização de friso de fachada com acabamento em pintura/textura. Empresa:

Leia mais

CIPA GESTÃO 2013/2014

CIPA GESTÃO 2013/2014 HOSPITAL SÃO PAULO-SPDM Mapa de Risco da Empresa: Questionário auxiliar para elaboração do Mapa de Riscos Mapa de Risco é uma representação gráfica de um conjunto de fatores presentes nos locais de trabalho,

Leia mais

de Segurança de Produtos Químicos

de Segurança de Produtos Químicos 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: Nome do Produto: CONCRECOR CIMENFLEX Fornecedor:. Av Eng Juarez de Siqueira Britto Wanderley, 380 Jd Vale do Sol CEP: 12.238-565 São José dos Campos - SP e-mail:

Leia mais