MANUAL DE NORMAS INTERNAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA FIRMAS EMPREITEIRAS E/OU PRESTADORAS DE SERVIÇO.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE NORMAS INTERNAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA FIRMAS EMPREITEIRAS E/OU PRESTADORAS DE SERVIÇO."

Transcrição

1 1. Introdução: MANUAL DE NORMAS INTERNAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA FIRMAS EMPREITEIRAS E/OU PRESTADORAS DE SERVIÇO. O Centro Espírita Nosso Lar "Casas André Luiz", estabelece neste manual as exigências mínimas de segurança do trabalho para firmas empreiteiras e/ou prestadoras de serviço, adiante denominada contratada, que vier a executar obras ou serviços de qualquer natureza em qualquer um de seus estabelecimentos. Este manual foi elaborado com o objetivo de proteger a integridade física e saúde do empregado, observando a legislação vigente, bem como, esclarecer a contratada quanto as suas obrigações. As presentes normas aplicam-se à todas as atividades de demolição, reforma, construção, montagem, instalações, manutenção, limpeza e outras que envolvam serviços de terceiros. A obrigatoriedade do cumprimento dessas normas também é das firmas subcontratadas pela contratada principal, cabendo a esta, responsabilizar-se pelo comportamento das mesmas. 2. Compromisso da Contratada: 2.1. Além das normas a seguir, a contratada cumprirá e fará cumprir outros dispositivos contratuais relativos à segurança do trabalho, às leis aplicáveis, entre as quais destacam-se as Normas Regulamentadoras publicadas pela Portaria 3214, de 08 de junho de 1978, e suas alterações, bem como empenhar-se-á por todos os meios para prevenir acidentes e/ou doenças ocupacionais O presente manual e o cumprimento do conteúdo nele disposto, não eliminam nem diminui a responsabilidade da contratada pela segurança dos serviços executados. Neste sentido, a contratada tomará cuidados específicos à realização das obras e/ou serviços estabelecidos às normas que julgarem necessárias A contratada transmitirá tais normas e dispositivos aos seus empregados ou prepostos, treinando-os devidamente e apresentado as evidencias ao SESMT das C.A.L. 3. Normas de Segurança: Proteção Individual 3.1. A contratada fornecerá equipamentos de proteção individuais (EPI s), a todos os seus empregados, conforme dispõe a Norma Regulamentadora de n.º 06 (NR-06) vigente, sobre o uso obrigatório conforme determina a Portaria n.º 3214/ A contratada proibirá o uso de sandálias ou outros tipos de calçados inadequados para trabalho nas áreas de risco da Instituição. 4. Escadas e Andaimes: 4.1. A contratada manterá em boas condições de uso todas as escadas de sua propriedade utilizadas em qualquer das unidades do Centro Espírita Nosso Lar "Casas André Luiz". Tais escadas serão de madeira sem pintura, afim de facilitar a inspeção quanto a trincas, não permitindo o uso de escadas improvisadas, com defeitos ou sem qualquer condição de segurança Todas as escadas acima de 3 (três) metros de altura, somente poderão ser utilizadas quando as mesmas estiverem firmemente presas em suas partes superiores.

2 4.3. Todos os andaimes devem estar em boas condições de conservação e serão montados de maneira adequada e segura. No caso de andaimes construídos em madeira, não deve ser utilizado material de segunda qualidade. Quanto aos andaimes de estrutura metálica, serão seguramente montados com todos os acessórios em boas condições de conservação As tábuas destinadas à permanência ou locomoção de empregados, devem conter travamentos nas partes inferiores para impedir deslizamentos sobre a estrutura Guarda-corpo e rodapé de proteção devem ser instalados em todos os níveis de trabalho destes andaimes os dispositivos da Norma Regulamentadora de Nº 18, e Nº 35 referentes a andaimes, serão observados em toda a extensão aplicável. 5. DOCUMENTAÇÃO NECESSARIA PARA PRESTADORES DE SERVIÇOS. PCMSO 5.1. A obrigatoriedade do PCMSO aplica-se a toda e qualquer empresa contratada que empregue trabalhadores, independente do número destes, do grau de risco e de qualquer outra qualificação. A Portaria n.º 8 Desobriga algumas empresas, conforme grau de risco e número de empregados, apenas da indicação do médico coordenador e da confecção do relatório anual, mas em hipótese alguma, a desobriga da elaboração e implantação do 5.2. PCMSO, Todos os trabalhadores devem ter o controle de saúde, de acordo com os riscos que estão expostos. Além de ser uma exigência legal, previsto no artigo 168 da CLT, está respaldada na convenção 161 da Organização Internacional do Trabalho(OIT), respeitando princípios éticos, morais e técnicos Caberá a empresa contratada, informar à empresa subcontratada por ela para prestar serviços em seu nome, os riscos existentes e auxiliar na elaboração e implantação do PCMSO nos locais de trabalho onde os serviços serão prestados Caberá a empresa contratada apresentar copia simples do PCMSO ao setor de SESMT Cópia simples, ASO dos empregados específicos, dos últimos 6 meses Trabalhos em altura: Hemograma, Glicemia de jejum, Eletrocardiograma, Audiometria e Eletroncefalograma Espaço confinado: Hemograma, Glicemia de jejum, Eletrocardiograma, Audiometria e Eletroencefalograma Espirometria; 5.6. Esta NR estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implementação, por parte de todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores como empregados, do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais - PPRA, visando à preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, através da antecipação, reconhecimento, avaliação e conseqüente controle da ocorrência de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, tendo em consideração a proteção do meio ambiente e dos recursos naturais Caberá a empresa contratada prestador de serviços apresentarem o PPRA Programa de Prevenção de Risco Ambiental ao setor de SESMT Instalações e Equipamentos Elétricos: A Todos os trabalhos em instalações elétricas atenderão as mínimas condições de segurança fixadas pela Norma Regulamentadora N.º Serviços em Locais Elevados: Apresentação do Certificado do curso NR 35 a contratada. 6. Serviços em Locais Elevados:

3 6.1. Todo e qualquer trabalho executado em locais elevados, sobre área de trabalho, será previamente comunicado pela contratada ao responsável da área Materiais e ferramentas não devem ser deixados desordenadamente nos locais de trabalho ou colocados sobre andaimes, plataformas ou qualquer outro tipo de estrutura elevada, afim de evitar perigo para as pessoas que transitam próximo as mesmas Somente pessoas experientes realizarão trabalhos em telhados, sendo obrigatório o uso de tábuas como passadiço e cintos de segurança. Tais trabalhos não serão realizados em dias de chuva ou com telhas molhadas Para execução de trabalhos que apresentam interferências, ainda que a nível do solo, com pontes rolantes, talhas, monovias ou outro equipamento, a contratada instruirá devidamente seus empregados e alertá-los-á sobre os riscos envolvidos Apresentação do Certificado do curso NR 35 a contratada. 7. Instalações e Equipamentos Elétricos: 7.1. Todo e qualquer serviço a ser realizado nas instalações e/ou equipamentos elétricos, somente poderá ser executado por profissional habilitado Qualquer ligação de equipamentos e ferramentas elétricas na rede permanente de distribuição elétrica, deve ser precedida de verificação de capacidade de carga da rede com acompanhamentos do Setor de Manutenção As ligações e interrupções das ligações serão devidamente sinalizadas com placas indicativas As instalações elétricas serão executadas de forma a não ficarem expostas a danos causados por impactos ou quedas de materiais, assim como protegidas contra contatos acidentais de pessoas ou objetos Não devem ser efetuados reparos, consertos, modificações, etc., em circuitos, máquinas e equipamentos energizados Permanecerá desligado todo equipamento elétrico que não estiver sendo usado Todos os trabalhos em instalações elétricas atenderão as mínimas condições de segurança fixadas pela Norma Regulamentadora N.º 10 da Portaria 3214/ Toda e qualquer ligação em nossa rede elétrica será feita por profissional habilitado pertencente ao quadro de empregados da Instituição Setor de Manutenção Elétrica. 8. Máquinas, Equipamentos e Ferramentas: 8.1. As máquinas e equipamentos usados pela contratada estacionários ou portáteis corresponderão aos princípios básicos de segurança do trabalho, quanto ao funcionamento e capacidade compatíveis com os tipos e volume de serviços Todas as máquinas e equipamentos serão providos de proteção adequada afim de evitar o contato com suas partes móveis, ponto de operação e sistema de transmissão de força, ou ainda, impedir a projeção de fragmentos Qualquer ligação de ferramentas ou equipamentos pneumáticos ao sistema de distribuição de ar comprimido requer prévia comunicação ao responsável pela área no setor de Manutenção.

4 8.4. Todas as mangueiras empregadas para a condução de ar comprimido serão de resistência e estarão em estado de conservação adequada à pressão utilizada. Tais mangueiras serão providas de terminais. 9. Operações com Aparelhos de Solda e Corte: 9.1. Todos e quaisquer trabalhos de solda e cortes somente serão executado com comunicação prévia à Segurança do Trabalho ramal As mangueiras dos equipamentos de oxi-acetileno estarão de acordo com as especificações técnicas e nas cores padronizadas: oxigênio verde; acetileno vermelho O dispositivo de segurança contra retrocesso de chama será instalado nas mangueiras, o mais próximo possível do maçarico Os cilindros em uso serão mantidos na posição vertical e presos de modo que não possam cair. O conteúdo destes não será usado sem o regulador de pressão, com o mesmo em más condições ou para outros fins que não seja solda e corte à maçarico Os cilindros serão mantidos longe de chamas e faíscas, sendo transportados na posição vertical. O capuz de proteção da válvula deve estar sempre rosqueado na cabeça do cilindro, quando estiver sem o regulador de pressão conectado. 10. Veículos de Transporte: Todo e qualquer veículo de transporte a serviço da contratada, obedecerá aos limites de velocidade conforme placas informativas, dando prioridade à passagem de pedestres e residentes A contratada é responsável pela correta operação destes veículos, devendo os mesmos serem operados por empregados habilitados A contratada não permitirá o transporte de empregados em quaisquer veículos de carga ou transporte, tais como: empilhadeiras, guindastes etc., assim como o transporte de materiais ou equipamentos na carroceria de caminhões com as grades abaixadas. 11. Escavações: Na execução de escavações, perfurações e cravação de estacas, devem ser tomadas precauções quanto a cabos elétricos subterrâneos ou dutos de outras instalações A contratada tomará as devidas providências para que todas as escavações e obstruções sejam dotadas de sinalização e proteção adequada A contratada tomará as medidas necessárias com relação ao escoramento das paredes laterais das escavações executadas na obra A contratada fará inspeções em todas as instalações existentes na área e vizinhanças do local onde serão realizadas escavações, afim de verificar seu estado e adotar as providências necessárias. 12. Proteção contra Incêndios: Todos os equipamentos de proteção e combate a incêndios situados em áreas de serviço da contratada serão mantidos com seus acessos livres Serão claramente identificados quanto a seus conteúdos e propriedades, todos os equipamentos que oferecem riscos de explosões ou incêndios.

5 12.3. Na execução de obras nos terrenos do C. E. N. L. "Casas André Luiz", não serão empregados dispositivos, ferramentas ou sistemas de qualquer tipo que exijam carga explosiva, caso haja a necessidade do uso, deverá obter autorização prévia e expressa da Segurança do Trabalho Em caso de princípio de incêndio na área de trabalho da contratada, seus empregados desligarão todos os equipamentos elétricos, apagarão os maçaricos de soldas e se retirarão ordenadamente do local Qualquer ocorrência de princípio de incêndio será imediatamente comunicada à Segurança do Trabalho (ramal 282) e/ou à Segurança Patrimonial (ramais 215/216/217), informando o local da ocorrência e sua extensão. 13. Acidentes do Trabalho: Na eventualidade da ocorrência de acidente do trabalho, que resulte em lesão corporal nos empregados da contratada, esta providenciará o encaminhamento dos acidentados para o serviço médico externo conveniado, incluindo o transporte A contratada investigará todos os casos de acidentes do trabalho ocorridos com seus empregados, com o intuito de determinar suas causas e tomar as providências necessárias afim de evitar acidentes semelhantes. Uma cópia desse relatório deve ser enviada ao Setor de Segurança do Trabalho no prazo de 48 horas após a ocorrência do acidente Em caso de acidente com vítima, independente da gravidade, o Setor de Segurança do Trabalho deverá ser comunicado de imediato pessoalmente ou pelo ramal Normas gerais: A circulação dos empregados da contratada ficará limitada às áreas de atuação na Instituição, sendo proibida a presença e a circulação em outras áreas, a não ser, para acesso aos seus locais de trabalho A contratada sempre que possível, isolará a área na qual trabalha, com tapumes ou outro meio adequado, como forma de evitar a criação de riscos aos empregados, residentes, voluntários, etc., da Instituição A contratada manterá todas as suas áreas de atividades limpas e ordenadas de modo a não propiciar riscos de acidentes Não é permitido ingerir ou adentrar com bebidas alcoólicas, drogas ou armas de qualquer espécie na Instituição As construções provisórias destinadas á acomodação do pessoal tais como: refeitório, vestiários e sanitários serão mantidas em adequadas condições de higiene e segurança ao usuário conforme a Norma Regulamentadora de n.º Não é permitido aos empregados da contratada trajes como bermudas, calções, camisetas regata ou sem camisa, como também usar chinelos, sandálias etc.. Considerações Finais Damos por encerrado o presente trabalho composto de 07 (sete) folhas digitadas. Encontramonos à disposição através do ramal 282 para quaisquer esclarecimentos que se façam necessário. Anexo 1

6 ORDEM DE SERVIÇO NR 1 SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO O Centro Espírita Nosso Lar Casa André Luiz, C.N.P. J / , sito à Avenida André Luiz nº 723, Guarulhos, SP, no uso de suas atribuições legais que confere a Lei Federal de 22 dezembro de 1.977, Portaria de 8 de junho de / Mtb (NR 01), Constituição Federal, art. 7º inciso XXII, adota esta ORDEM DE SERVIÇO, a qual deverá ser obedecida e cumprida por todos os empregados e Terceirizados. 1 - OBRIGAÇÃO DOS CONTRATADOS É OBRIGATÓRIO A TODOS OS CONTRATADOS 1.1 Cumprir as Normas de Segurança e Saúde no Trabalho, tais como: Procedimentos, Instruções, Manuais, regras, sinalizações e outros que tenham por finalidade a proteção e a integridade física do empregado; 1.2 Participar dos programas e campanhas de segurança e saúde no trabalho promovido pelo SESMT (Serviço Especializado de Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho) ou CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidente), apoiando e colaborando para a realização do evento; 1.3 Usar corretamente e conservar em boas condições de higiene, os Equipamentos de Proteção Individual EPI s, fornecidos pela empresa; 1.4 Responsabilizar-se pelo extravio ou dano voluntário dos Equipamentos de Proteção Individual EPI s, bem como guardá-los em local apropriado e comunicar ao superior imediato toda e qualquer irregularidade do mesmo; 1.5 Colaborar para a conservação dos Equipamentos de Proteção Coletiva, zelar pela conservação dos equipamentos de prevenção e combate a incêndio mantendo-os sempre desobstruídos; 1.6 Comunicar imediatamente ao líder irregularidades constatadas no ambiente de trabalho que possam resultar em acidentes pessoais e/ou danos materiais; 1.7 Colaborar pela conservação de placas de sinalização, avisos, faixas e cartazes, fixados para a manutenção da segurança e saúde no trabalho; 1.8 Submeter-se aos exames médicos ocupacionais previstos nas Normas Regulamentadoras; 1.9 Comunicar no mesmo dia, ao líder e ao SESMT a ocorrência de qualquer acidente, inclusive de trajeto, desde que este ocorra no seu itinerário; 1.10 Eleger, prestigiar e participar, quando eleito, da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA, bem como seguir as orientações dos cipeiros no que tange a segurança do trabalho; 1.11 Respeitar e acatar as orientações do líder, do departamento de seg. do trab. e dos membros da CIPA, relacionadas à seg. e saúde no trabalho; 1.12 Colaborar para a manutenção da higiene, ordem e limpeza nos seus locais de trabalho e dependências de uso coletivo, bem como zelar pela boa aparência e higiene pessoal; 1.13 Andar somente nas faixas de segurança delimitadas e com o carro não exceder a velocidade máxima permitida de 10 km/h; 1.14 Outros de acordo com as peculiaridades das atividades a serem desenvolvidas. 2 PROIBIÇÃO É PROIBIDO A TODOS OS CONTRATADOS 2.1 Acesso e permanência em locais restritos e/ou de risco, exceto com autorização de sua chefia; 2.2 Executar qualquer atividade, operar máquinas e/ou equipamentos, sem que seja devidamente, treinado, habilitado e autorizado a fazê-lo; 2.3 Operar máquina ou equipamentos sem a devida proteção de segurança (proteções móveis, fixas, botões de emergência, sensores) 2.4 Remover ou ultrapassar as proteções existentes na máquina durante a operação; 2.4 Fazer uso de bebidas alcoólicas, cigarro ou qualquer tipo de droga alucinógena durante o expediente de trabalho e/ou apresentar-se em estado de embriaguez; 2.5 Acessar instalações ou quadro elétrico, bem como, ligar simultaneamente mais de um aparelho na mesma tomada elétrica; 2.6 A execução de reparos, limpeza, ajuste ou inspeção em equipamentos ou em qualquer dependência, por pessoas não habilitadas ou que não esteja devidamente credenciadas e autorizadas; 2.7 Armazenar ou guardar em lugares inadequados e sem as devidas medidas de segurança e sinalização, produtos ou materiais tóxicos, corrosivos, inflamáveis ou explosivos; 2.8 Guardar objetos estranhos à instalação, dentro das caixas dos hidrantes e/ou quadros elétricos; 2.9 Desenvolver atividades não relacionadas com seu trabalho, bem como, correr, vender produtos, promover qualquer tipo de brincadeira no ambiente de trabalho, que possa desviar a atenção dos empregados, favorecendo a ocorrência de acidentes; 2.10 Portar arma de fogo ou arma branca; 2.11 Usar inadequadamente os equipamentos de emergência; 2.12 O uso de cabelo solto e adornos, tais como, aliança, anel, relógio, pulseira, colares, brincos e outros que possam se prender nos pontos de agarramento das máquinas; 2.13 Fumar ou acender chamas, nas áreas com risco de incêndio e/ou locais onde fumar é proibido, como as dependências internas; 2.14 Trabalhar sem o EPI apropriado para a função a ser desempenhada; 2.15 Não cumprir com as recomendações ergonômicas do posto de trabalho; 2.16 Outros de acordo com as peculiaridades das atividades a serem desenvolvidas. 3 PUNIÇÃO Constitui ATO FALTOSO do CONTRATADO a inobservância ou recusa injustificada ao cumprimento das disposições contidas nesta ORDEM DE SERVIÇO, sujeito à advertência, suspensão ou sanções do contrato. 4- DECLARAÇÃO Declaro para os devidos fins, que li e compreendi o MANUAL DE NORMAS INTERNAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA FIRMAS EMPREITEIRAS E/OU PRESTADORAS DE SERVIÇO presente no link (http://www.casasandreluiz.org.br/pdf /manual_normas_internas_seguranca_trabalho.pdf) bem como me comprometo a entregar os documentos solicitados pelo SESMT, recebi e fui orientado quanto a ORDEM DE SERVIÇO NR-1, composta de duas vias, ficando claro que o não cumprimento da mesma acarretará a empresa a aplicação das penalidades previstas na legislação pertinente. EMPRESA.: CNPJ.: REPRESENTANTE LEGAL.: GUARULHOS, de de ASSINATURA DO CONTRATADO

7 Relação de Funcionários: EMPRESA - NOME RG. ASSINATURA ENCARREGADO RG. ASSINATURA Segurança do Trabalho Data / /

ORDEM DE SERVICO nº 4-2011/PR Unidade Transporte Função: MOTORISTA

ORDEM DE SERVICO nº 4-2011/PR Unidade Transporte Função: MOTORISTA ORDEM DE SERVICO nº 4-2011/PR Unidade Transporte Função: MOTORISTA O Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado de Goiás - IPASGO, C.N.P.J. 01.246.693/0001-60, em cumprimento às determinações

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NR 1 - Disposições Gerais As Normas Regulamentadoras são de observância obrigatória por

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS ANTES DO INÍCIO DOS TRABALHOS Fornecer cópia deste manual a sua equipe de liderança, e exigir o seu cumprimento de acordo com o Artigo 157 Item I

Leia mais

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas 1. Objetivo Este Procedimento tem como objetivo fixar os requisitos de segurança e medicina do trabalho para as atividades de empresas contratadas, que venham a executar obras e/ou serviços nas dependências

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO. Eng. Daiana Paterno

SEGURANÇA NO TRABALHO. Eng. Daiana Paterno SEGURANÇA NO TRABALHO Eng. Daiana Paterno ATUALMENTE?? PORQUE? O cenário atual da Segurança e Saúde no Trabalho no Brasil ainda é muito distante do desejável. A Previdência Social registra, anualmente,

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE ACESSO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE ACESSO 25/03/203 PSP-0. INTRODUÇÃO O Procedimento de Controle de Acesso tem como objetivo orientar e padronizar o procedimento de acesso de pessoas as fábricas, garantindo que somente pessoas autorizadas possam

Leia mais

Manual de Segurança NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA EMPRESAS CONTRATADAS. TP Organização de Eventos LTDA ME www.tpeventos.com.br

Manual de Segurança NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA EMPRESAS CONTRATADAS. TP Organização de Eventos LTDA ME www.tpeventos.com.br Manual de Segurança NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA EMPRESAS CONTRATADAS 1 I OBJETIVO Estabelecer as diretrizes e procedimentos de segurança que devem ser cumpridos pelas Empresas Contratadas. II ABRANGÊNCIA

Leia mais

MANUAL MEIO AMBIENTE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO

MANUAL MEIO AMBIENTE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO MANUAL MEIO AMBIENTE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO PVP SOCIEDADE ANÔNIMA Fundada em 1962 1 Índice Introdução...... 04 Política de Saúde e Segurança do Trabalho... 06 1. Prevenção e Controle de Riscos...

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP DIVISÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL - DVSS Sumário 1. OBJETIVO...

Leia mais

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes.

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes. SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S NR-1 DISPOSIÇÕES GERAIS O campo de aplicação de todas as Normas Regulamentadoras de segurança e medicina do trabalho urbano, bem como os direitos e obrigações do

Leia mais

Anexo contratual: Health and Safety (HAS)

Anexo contratual: Health and Safety (HAS) Com a premissa fundamental de perpetuar a visão preventiva e o controle eficaz dos riscos operacionais, este anexo contratual determina os princípios legais e gerenciais para a manutenção da integridade

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS De que trata cada Norma Regulamentadora (NR), urbanas e rurais. Nos links (sublinhados), você pode conferir o texto original das Normas, direto no site do Ministério do Trabalho

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único Curso Técnico Segurança do Trabalho Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único SeÄÅo IX Das InstalaÄÉes ElÑtricas Art. 179 - O Ministério do Trabalho disporá sobre as condições de segurança e as medidas

Leia mais

NR35. Todo trabalho em altura começa no solo. Portaria SIT nº313/12 TRABALHO EM ALTURA

NR35. Todo trabalho em altura começa no solo. Portaria SIT nº313/12 TRABALHO EM ALTURA Portaria SIT nº313/12 Todo trabalho em altura começa no solo OBJETIVO DO CURSO Promover a capacitação dos trabalhadores que realizam trabalhos em altura, no que diz respeito a prevenção de acidentes no

Leia mais

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9)

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) 10.1. Esta Norma Regulamentadora - NR fixa as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalham em instalações

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPREITEIRAS E PRESTADORES DE SERVIÇOS NAS DEPÊNDENCIAS DA UDESC

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPREITEIRAS E PRESTADORES DE SERVIÇOS NAS DEPÊNDENCIAS DA UDESC Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC CNPJ 83.891.283/0001-36 CONTATO (48)3321-8155 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPREITEIRAS E PRESTADORES DE SERVIÇOS

Leia mais

A SEGURANÇA EM TRABALHOS DE MANUTENÇÃO 1 1/35

A SEGURANÇA EM TRABALHOS DE MANUTENÇÃO 1 1/35 A SEGURANÇA EM TRABALHOS DE MANUTENÇÃO 1 1/35 1. Análise de riscos 2. Ferramentas de uso comum 3. Máquinas e ferramentas pneumáticas 4. Pedras de esmeril 5. Máquinas ferramenta 6. Escadas portáteis 7.

Leia mais

Treinamento e qualificação de operadores de Plataformas de Trabalho Aéreo

Treinamento e qualificação de operadores de Plataformas de Trabalho Aéreo Treinamento e qualificação de operadores de Plataformas de Trabalho Aéreo Principais tipos de plataformas aéreas Mastro Telescópica Tesoura Unipessoal Articulada A segurança As plataformas foram desenvolvidas

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA DE TRABALHO

INSTRUÇÃO TÉCNICA DE TRABALHO 1 Objetivo Promover a permanente melhoria e contínua compatibilização do trabalho com a prevenção da vida, integridade e patrimônio do SAAE Sorocaba e a promoção da saúde e segurança dos profissionais.

Leia mais

Manual de Segurança e Saúde do Trabalho

Manual de Segurança e Saúde do Trabalho Manual de Segurança e Saúde do Trabalho 1 INTRODUÇÃO A política de recursos humanos da Toledo do Brasil abrange as áreas de recrutamento, seleção, treinamento e desenvolvimento de pessoal; administração

Leia mais

SESMT SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO TRABALHO.

SESMT SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO TRABALHO. EMPRESA Conforme o Art. 157 da CLT - Consolidação das Leis Trabalhistas Cabe às empresas: Cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho; Instruir os empregados, através de ordens

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP DIVISÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL - DVSS Sumário 1. OBJETIVO...

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA ÁS PRESTADORAS DE SERVIÇOS

NORMAS DE SEGURANÇA ÁS PRESTADORAS DE SERVIÇOS NORMAS DE SEGURANÇA ÁS PRESTADORAS DE SERVIÇOS 1 O SESMT Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho elaborou esta norma com o objetivo de estabelecer as condições mínimas no cumprimento

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS 1) OBJETO 1.1) As diretrizes aqui apresentadas tem o objetivo de instruir as empresas contratadas pela, UNILA, quanto

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS As Normas Regulamentadoras estabelecem critérios e procedimentos obrigatórios relacionados à segurança e medicina do trabalho, que devem ser seguidos por empresas de acordo com

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4 FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Saúde Ocupacional AULA 4 Competências a serem trabalhadas nesta aula Estabelecer os parâmetros e diretrizes necessários para garantir um padrão

Leia mais

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO 1 Definição ANEXO I (Incluído pela Portaria SIT n.º 15, de 03 de julho de 2007) ANEXO IV PLATAFORMAS DE TRABALHO AÉREO (Alterado

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL. Indústria da Panificação

SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL. Indústria da Panificação SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL Indústria da Panificação PROGRAMAÇÃO: Palestra Segurança Geral - SESI - Segurança do Trabalho; - Riscos Ambientais e Acidentes do Trabalho; - PPRA/PCMSO; - Normas regulamentadoras;

Leia mais

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR LOGO DA EMPRESA EMPRESA: DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE: LOCAL DA ATIVIDADE: ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR FOLHA: 01 DE 10. DATA DE EMISSÃO: DATA DE APROVAÇÂO: REVISÃO: HORÁRIO: ASSINATURA DOS ENVOLVIDOS NA

Leia mais

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP PCMSO/GEAP 6.1.23.1 Providenciar atestados e exames Todo trabalho em eletricidade deve ser planejado, organizado e executado por empregado capacitado e autorizado. Para executar trabalhos em altura, o

Leia mais

Relatório de Inspeção

Relatório de Inspeção Relatório de Inspeção Obra: Recuperação do sistema de bondes de Santa Teresa Local: Rua Joaquim Murtinho, Santa Teresa, Rio de Janeiro-RJ Executante: Consórcio Elmo-Azvi Gerente da Obra: Sr. Angel Técnico

Leia mais

Procedimento de Segurança para Terceiros

Procedimento de Segurança para Terceiros Página 1 de 6 1. OBJETIVO Sistematizar as atividades dos prestadores de serviços, nos aspectos que impactam na segurança do trabalho de forma a atender à legislação, assim como, preservar a integridade

Leia mais

PORTARIA N. 3.214, 08 DE JUNHO DE 1978

PORTARIA N. 3.214, 08 DE JUNHO DE 1978 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA N. 3.214, 08 DE JUNHO DE 1978 Aprova as Normas Regulamentadoras - NR - do Capítulo V, Título II, da Consolidação das Leis do

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST No Brasil a Segurança e Medicina no Trabalho é regulamentada pela portaria 3214/78, atualmente com 36 Normas Regulamentadoras do Ministério

Leia mais

03/01/2015. Sumário. Trabalho em altura. Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão.

03/01/2015. Sumário. Trabalho em altura. Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão. Andre Cavalcanti Santos Téc. em saúde e segurança do trabalho E-mail: cavalcanti_sst@hotmail.com Sumário Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão.

Leia mais

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma;

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma; TRABALHO EM ALTURA 36.1 Objetivo e Campo de Aplicação 36.1 Objetivo e Definição 36.1.1 Esta Norma tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura,

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ASSUNTO PADRONIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, A SEREM EXECUTADAS PELAS EMPRESAS CONTRATADAS PELA INFRAERO RESPONSÁVEL DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO (DA) GERÊNCIA DE DINÂMICA LABORAL

Leia mais

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Responsável: Diretoria de Administração (DA) Superintendência de Recursos Humanos (DARH) Gerência de Dinâmica Laboral

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho DISCIPLINA: Prevenção e Controle de Riscos em Máquinas, Equipamentos e Instalações Aula

Leia mais

Avaliação Serviço em Eletricidade Básica- NR10

Avaliação Serviço em Eletricidade Básica- NR10 Empresa: Instrutor: Nome: DATA: Questões: 01- A NR10 Instalação e Serviços de eletricidade fixam as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalha em instalações elétricas,

Leia mais

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE SEGURANÇA 02 sem 2009 PROF. DANIEL BRAATZ DEP/UFSCar TEXTO 03

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE SEGURANÇA 02 sem 2009 PROF. DANIEL BRAATZ DEP/UFSCar TEXTO 03 INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE SEGURANÇA 02 sem 2009 PROF. DANIEL BRAATZ DEP/UFSCar TEXTO 03 Normas Regulamentadoras do trabalho, trabalho rural..objetivos ESPECÍFICOS Apresentar o modelo legal de organização,

Leia mais

GRUPO 01 GRUPO 02 GRUPO 03 NÃO SE APLICA

GRUPO 01 GRUPO 02 GRUPO 03 NÃO SE APLICA CONCEITO DE AVALIAÇÃO CHECK LIST 1. MEMORIAL SOBRE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NAS NOTA MÉDIA FINAL: 6,71NOTA MÉDIA FINAL: 4,82NOTA MÉDIA FINAL: 8,97 ATIVIDADES E OPERAÇÕES a) O memorial contempla

Leia mais

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF A Comissão de segurança do Instituto de Química da UFF(COSEIQ) ao elaborar essa proposta entende que sua função é vistoriar, fiscalizar as condições

Leia mais

Manual de Segurança para Prestadores de Serviço 1. Manual de Segurança para Prestadores de Serviço

Manual de Segurança para Prestadores de Serviço 1. Manual de Segurança para Prestadores de Serviço Manual de Segurança para Prestadores de Serviço 1 Manual de Segurança para Prestadores de Serviço Manual de Segurança para Prestadores de Serviço 2 Conteúdo 1. Documentação... 3 2. Objetivo... 4 3. Obrigações

Leia mais

Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674

Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674 Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674 1987-2012 legislação consultoria assessoria informativos treinamento auditoria pesquisa qualidade Legislação

Leia mais

Segurança do trabalho para paradas gerais. Guia básico

Segurança do trabalho para paradas gerais. Guia básico Segurança do trabalho para paradas gerais Guia básico Segurança do trabalho para paradas gerais 13 Guia básico Este material destina-se as empresas contratadas que prestam serviços e desenvolvem seus trabalhos

Leia mais

Regulamentação do MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. Normas de segurança

Regulamentação do MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. Normas de segurança Regulamentação do MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Normas de segurança 1802 INGLATERRA - FRANÇA COMISSÕES DE FÁBRICAS 1923 1968 BRASIL: NA LIGHT RIO DE JANEIRO É CRIADA A PRIMEIRA COMISSÃO DE FÁBRICA Portaria

Leia mais

CALDEIREIRO. De acordo com a lei 6.514, de 22 de Dezembro de 1977

CALDEIREIRO. De acordo com a lei 6.514, de 22 de Dezembro de 1977 : 1/5 De acordo com a lei 6.514, de 22 de Dezembro de 1977 Capítulo V Da Segurança e da Medicina do Trabalho Art 157 - Cabe às empresas: I - cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do

Leia mais

NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0)

NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0) 12.1. Instalações e áreas de trabalho. NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0) 12.1.1. Os pisos dos locais de trabalho onde se instalam máquinas e equipamentos devem ser vistoriados e limpos, sempre

Leia mais

1 FINALIDADE Orientar os aspectos relativos à Segurança e Saúde do Trabalho na Integração de Prestadores de Serviços à CPFL.

1 FINALIDADE Orientar os aspectos relativos à Segurança e Saúde do Trabalho na Integração de Prestadores de Serviços à CPFL. SUMÁRIO 1 Finalidade 2 Âmbito de Aplicação 3 Conceitos Básicos 4 Procedimentos 5 Elaboração 6 Anexo 1 FINALIDADE Orientar os aspectos relativos à Segurança e Saúde do Trabalho na Integração de Prestadores

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de

Leia mais

2.2 - A entrada ou saída de pedestres nas dependências da ULIVING BELA VISTA dar-se-á, pela recepção principal Rua Barata Ribeiro, 61

2.2 - A entrada ou saída de pedestres nas dependências da ULIVING BELA VISTA dar-se-á, pela recepção principal Rua Barata Ribeiro, 61 O Regulamento Interno da ULIVING BELA VISTA, localizado na cidade de SÃO PAULO CAPITAL, à Rua Barata Ribeiro nº 61 estabelece as regras de convivência e as relações entre os usuários do empreendimento.

Leia mais

Informativo 21/2011. - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 -

Informativo 21/2011. - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 - Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Di - Alterações nas NRs 12, 15 e 06 - Informativo 21/2011 NR 12 NOVO ANEXO (XII - EQUIPAMENTOS DE GUINDAR PARA ELEVAÇÃO DE PESSOAS E REALIZAÇÃO DE TRABALHO

Leia mais

Manual de Saúde, Segurança e Meio Ambiente para Serviços Contratados

Manual de Saúde, Segurança e Meio Ambiente para Serviços Contratados Manual de Saúde, Segurança e Meio Ambiente para Serviços Contratados REV. 03 1 SUMÁRIO 1. RESPONSABILIDADES...3 2. POLÍTICA DE SAÚDE, SEGURANÇA E MEIO AMBIENTE...3 2.1 Política de Saúde, Segurança e Saúde

Leia mais

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA 1/5 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

PRINCÍPIOS DE CONDUTA PARA FORNECEDORES VONPAR S.A

PRINCÍPIOS DE CONDUTA PARA FORNECEDORES VONPAR S.A PRINCÍPIOS DE CONDUTA PARA FORNECEDORES VONPAR S.A REV01 05/11/2010 Prezado Fornecedor, A Gestão de Fornecedores têm o objetivo de Qualificar, aprovar e periodicamente avaliar os fornecedores considerados

Leia mais

ENGENHARIA DE SEGURANÇA

ENGENHARIA DE SEGURANÇA ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA DE SEGURANÇA P R O F ª K A R E N W R O B E L S T R A

Leia mais

Regulamentação do MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

Regulamentação do MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Regulamentação do MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO Normas de segurança 1802 INGLATERRA - FRANÇA COMISSÕES DE FÁBRICAS 1923 BRASIL: NA LIGHT RIO DE JANEIRO É CRIADA A PRIMEIRA COMISSÃO DE FÁBRICA 1968 Portaria

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA PARA EMPREITEIRAS E PRESTADORES DE SERVIÇOS GERAIS DE EMERGÊNCIA EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA PARA EMPREITEIRAS E PRESTADORES DE SERVIÇOS GERAIS DE EMERGÊNCIA EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA PARA EMPREITEIRAS E PRESTADORES DE SERVIÇOS GERAIS DE EMERGÊNCIA EM REDES DE DISTRIBUIÇÃO Autor(es) Lisandro DSSO Data: Julho / 2007 REVISÃO Autor(es)

Leia mais

Saliente-se ainda que toda caldeira somente deverá ser operada por trabalhador habilitado para este fim, devidamente certificado.

Saliente-se ainda que toda caldeira somente deverá ser operada por trabalhador habilitado para este fim, devidamente certificado. Com o objetivo de manter sua empresa informada a respeito das obrigatoriedades legais previstas na atual redação das Normas Regulamentadoras de Segurança e Medicina do Trabalho, Portaria MTE. 3214/78,

Leia mais

NR-26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA. ELABORADO POR BRUNO MARTINS BUZON Formando em Téc. Seg. do trabalho /3º Sem.

NR-26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA. ELABORADO POR BRUNO MARTINS BUZON Formando em Téc. Seg. do trabalho /3º Sem. NR-26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA ELABORADO POR BRUNO MARTINS BUZON Formando em Téc. Seg. do trabalho /3º Sem. NR-26 SINALIZAÇÃO DE SEGURANÇA 26.1.1 Esta Norma Regulamentadora NR tem por objetivo fixar as

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Tipo do Documento: SubTipo: Equipamentos de Transporte

Leia mais

2 CAMPO DE APLICAÇÃO Todas as empresas contratadas para executar projetos, serviços e obras na empresa.

2 CAMPO DE APLICAÇÃO Todas as empresas contratadas para executar projetos, serviços e obras na empresa. Responsável Técnico: Eduardo Machado Homem Gerência de Segurança do Trabalho Público-alvo: Empregados próprios e prestadores de serviços das unidades da Vale Fertilizantes. 1 OBJETIVO Nº: PRO-3209-74-24-03

Leia mais

Sinalização de Segurança. As cores na segurança do trabalho

Sinalização de Segurança. As cores na segurança do trabalho Sinalização de Segurança As cores na segurança do trabalho Funções das cores na segurança Prevenção de Acidentes; Identificar os equipamentos de segurança; Delimitando áreas; Identificação de Tubulações

Leia mais

Blog Segurança do Trabalho WWW.BLOGSEGURANCADOTRABALHO.COM.BR

Blog Segurança do Trabalho WWW.BLOGSEGURANCADOTRABALHO.COM.BR NOME DA EMPRESA CHECK LIST - NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 Empresa: Inspetor (es): Data da Inspeção: / / Responsável pelo Local de Trabalho / Setor: Local de Trabalho / Setor: ITENS DESCRIÇÃO SIM DA INSPEÇÃO

Leia mais

GR ASSESSORIA LTDA. Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho. Fones 3257.4685 /3274.7841 / 3091.0306 87578392 / 8778.

GR ASSESSORIA LTDA. Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho. Fones 3257.4685 /3274.7841 / 3091.0306 87578392 / 8778. GR ASSESSORIA LTDA Engenharia de Segurança do Trabalho e Medicina do Trabalho Fones 3257.4685 /3274.7841 / 3091.0306 87578392 / 8778.4561 Normas Regulamentadoras Portaria nº 3.214 de 08 de Junho de 1978.

Leia mais

ANEXO Nº I. Liberação: ¾ Termo de Liberação dos gestores da área solicitante para inicio das atividades; Prorrogação:

ANEXO Nº I. Liberação: ¾ Termo de Liberação dos gestores da área solicitante para inicio das atividades; Prorrogação: ANEXO Nº I Item: SERVIÇO Unidade Requisitante: Código Cadastro: Empresa Contratada Especificações de Segurança, Higiene e Medicina do Trabalho para realização de integração na contratante. 1) Itens obrigatórios

Leia mais

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA.

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. CLAUSULA PRIMEIRA: OBJETIVO. 1.1. Estabelecer diretrizes de

Leia mais

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno PPRA MANUAL PRÁTICO PARA ELABORAÇÃO FORMULÁRIO PARA RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Esse Formulário deve ser aplicado

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA GUINCHO VELOX e HUCK ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÕES TÉCNICAS... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 2 2.1. USO DOS GUINCHOS... 3 2.2. LUBRIFICAÇÃO... 3 2.3.

Leia mais

rimetal casa de vácuo Manual do Usuário Máquinas para Baterias

rimetal casa de vácuo Manual do Usuário Máquinas para Baterias casa de vácuo Manual do Usuário ÍNDICE INTRODUÇÃO Apresentação Dados Técnicos Cuidados Segurança Limpeza 2 3 4 5 6 MANUTENÇÃO Instruções Manutenção Preventiva INSTALAÇÃO 8 9 10 GARANTIA Garantia 12 Contato

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro.

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro. e MANUAL TÉCNICO ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR e ANDAIME TUBULAR Objetivo Estabelecer os procedimentos que devem ser obedecidos na liberação de montagem / desmontagem de andaimes com a finalidade de

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Trata-se de proposta de texto para criação de Norma Regulamentadora sobre Trabalho em Altura

Leia mais

DOCUMENTOS E AVISOS DE AFIXAÇÃO OBRIGATÓRIA PELOS EMPREGADORES

DOCUMENTOS E AVISOS DE AFIXAÇÃO OBRIGATÓRIA PELOS EMPREGADORES DOCUMENTOS E AVISOS DE AFIXAÇÃO OBRIGATÓRIA PELOS EMPREGADORES info@qualityassociados.com.br Existem documentos e avisos que, por determinação legal, devem obrigatoriamente, permanecerem afixados em local

Leia mais

Procedimentos referentes aos serviços de terceiros nas dependências dos Campi da UNICENTRO.

Procedimentos referentes aos serviços de terceiros nas dependências dos Campi da UNICENTRO. INSTRUÇÃO NORMATIVA No. 001 DATA: 30/04/2010 1. ASSUNTO: Procedimentos referentes aos serviços de terceiros nas dependências dos Campi da UNICENTRO. 2. Serviços Terceirizados A presente instrução tem por

Leia mais

A GESTÃO DA SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

A GESTÃO DA SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO R & W Engenharia Fundada em 19 de abril de 1991. Prestação de serviços em segurança do trabalho atendendo em especial as NRs6, 9, 13, 15, 16 e 17 com emissão de laudos técnicos. Treinamentos como: Cipa,

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA 35.1. Objetivo e Campo de Aplicação NR-35 TRABALHO EM ALTURA Publicação D.O.U. Portaria SIT n.º 313, de 23 de março de 2012 27/03/12 35.1.1 Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção

Leia mais

NOVA NORMA REGULAMETADORA NR10 SEGURANÇA EM SERVIÇOS E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS NOVA NR-10 SEGURANÇA EM SERVIÇOS E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

NOVA NORMA REGULAMETADORA NR10 SEGURANÇA EM SERVIÇOS E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS NOVA NR-10 SEGURANÇA EM SERVIÇOS E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS NOVA NR-10 SEGURANÇA EM SERVIÇOS E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS NOVA NORMA REGULAMETADORA NR10 Dispõe sobre as diretrizes básicas para a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos, destinados

Leia mais

ANEXO 46 P16 MODELO DO RELATÓRIO GERENCIAL. RELATÓRIO Nº XX/20XX, referente ao mês XX/20XX (Medição nº XX)

ANEXO 46 P16 MODELO DO RELATÓRIO GERENCIAL. RELATÓRIO Nº XX/20XX, referente ao mês XX/20XX (Medição nº XX) ANEXO 46 P16 MODELO DO RELATÓRIO GERENCIAL OBJETIVO DO REQUISITO: Demonstrar mensalmente os resultados qualitativos e quantitativos dos serviços, avaliando o cumprimento das obrigações e metas estabelecidas

Leia mais

Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015

Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015 Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015 Altera a Norma Regulamentadora nº 34 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval. O Ministro de Estado do Trabalho e Previdência

Leia mais

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001)

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18 Andaime Suspenso Mecânico ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18.15.30 Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de apoio dos andaimes

Leia mais

1 e 2... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n.

1 e 2... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n. ANEXO I da NR-20 1 e 2.... devem contemplar no Programa de Prevenção de Riscos Ambientais, além dos requisitos previstos na Norma Regulamentadora n.º 9: a) o inventário e características dos inflamáveis

Leia mais

Introdução. Conheça seus direitos e deveres. Leia o manual com atenção. Utilize-o quando precisar. Desejamos-lhe uma vida segura e saudável.

Introdução. Conheça seus direitos e deveres. Leia o manual com atenção. Utilize-o quando precisar. Desejamos-lhe uma vida segura e saudável. 1 Introdução Durante sua integração à empresa, você receberá os seguintes manuais: Código de Conduta Ética, Integração do Colaborador, Qualidade Total e Cultura do Comprometimento, Saúde e Segurança no

Leia mais

Manual de Regulamentação Saúde e Segurança Ocupacional

Manual de Regulamentação Saúde e Segurança Ocupacional Manual de Regulamentação Saúde e Segurança Ocupacional Normas Regulamentadoras (NR) As Normas Regulamentadoras (NR s), criadas pelo Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE), tem como objetivo estabelecer

Leia mais

Sinalização. Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94

Sinalização. Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94 Sinalização Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94 Materiais VINIL AUTO-ADESIVO PVC / PS Utilizado em ambientes internos e externos. Pode ser confeccionado com

Leia mais

Cores na segurança do trabalho PRODUTOR > CABRAL VERÍSSIMO

Cores na segurança do trabalho PRODUTOR > CABRAL VERÍSSIMO Cores na segurança do trabalho PRODUTOR > CABRAL VERÍSSIMO DESCRIÇÃO: 26.1.5 As cores aqui adotadas serão as seguintes: - vermelho; - amarelo; - branco; - preto; - azul; - verde; - laranja; - púrpura;

Leia mais

CONSULTA Nº 13.488/2012

CONSULTA Nº 13.488/2012 1 CONSULTA Nº 13.488/2012 Assunto: Sobre a execução da NR-32 da ANVISA. Relator: Conselheiro Renato Françoso Filho. Ementa: Ao implantar as medidas previstas nesta NR 32, o SESMT deve avaliar as condições

Leia mais

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP DPS 38.008-13 EDP Natureza do documento Versão Data Emissor Procedimento de Segurança (DPS) R4 14-12-2012

Leia mais

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 6 1 CONCEITO DE SEGURANÇA PATRIMONIAL 3 CRACHÁS ESQUECIMENTO OU PERDA 6 ENTRADA DE EQUIPAMENTOS, FERRAMENTAS E MAT.

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 6 1 CONCEITO DE SEGURANÇA PATRIMONIAL 3 CRACHÁS ESQUECIMENTO OU PERDA 6 ENTRADA DE EQUIPAMENTOS, FERRAMENTAS E MAT. TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 6 1 CONCEITO DE SEGURANÇA PATRIMONIAL 2 ENTRADA E SAÍDA NA PORTARIA 3 CRACHÁS ESQUECIMENTO OU PERDA 4 ACHADOS E PERDIDOS 5 PROIBIÇÕES 6 ENTRADA DE EQUIPAMENTOS, FERRAMENTAS

Leia mais

DICAS DE SEGURANÇA NA OBRA

DICAS DE SEGURANÇA NA OBRA ASSOCIAÇÃO DOS CONSTRUTORES E INCORPORADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE CAPÃO DA CANOA DICAS DE SEGURANÇA NA OBRA Profissional qualificado e registrado operando o Guincho ( com certificado); Profissional qualificado

Leia mais

U N I V E R S I D A D E D E S Ã O P A U L O

U N I V E R S I D A D E D E S Ã O P A U L O SESMT - 2013 ESTE PROCEDIMENTO DEVERÁ SER SEGUIDO POR TODAS AS EMPRESAS CONTRATADAS POR LICITAÇÕES, COMPRAS DIRETAS DE OBRAS, SERVIÇOS DE ENGENHARIA E NA GESTÃO DE SERVIÇOS TERCEIRIZADOS. DEVERÁ SER FORNECIDA

Leia mais

Introdução. A Importância Da Segurança Do Trabalho. Acidentes De Trabalho CENTREIND CENTRO DE TREINAMENTO INDUSTRIAL

Introdução. A Importância Da Segurança Do Trabalho. Acidentes De Trabalho CENTREIND CENTRO DE TREINAMENTO INDUSTRIAL SEGURANÇA DO TRABALHO Introdução A Segurança do trabalho pode ser entendida como a Ciência e arte do reconhecimento, avaliação e controle dos riscos de acidentes, ou seja, visa a prevenção de acidentes

Leia mais

A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida.

A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida. A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida. Campanha do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Bento do Sul e Campo Alegre contra os Acidentes de Trabalho

Leia mais

Departamento Regional Minas Gerais ERRATA Nº 01/2014

Departamento Regional Minas Gerais ERRATA Nº 01/2014 Serviço Social do Comércio Departamento Regional Minas Gerais Processo nº 14595/2012 Folha nº Informações e/ou despachos ERRATA Nº 01/2014 Nº do edital: Pregão Presencial nº 0054/2014 Área Técnica Responsável:

Leia mais

Mãos e dedos. atenção. Risco de: Esmagamentos Escoriações Cortes Amputações Fraturas

Mãos e dedos. atenção. Risco de: Esmagamentos Escoriações Cortes Amputações Fraturas Mãos e dedos Risco de: Esmagamentos Escoriações Cortes Amputações Fraturas Nenhum empregado foi exposto ao perigo para produzir esse material. As fotos simulam possíveis situações de risco no seu dia de

Leia mais

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira. Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira. Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura Porque este assunto preocupa? Impacto dos Acidentes envolvendo Quedas - 40% das fatalidades

Leia mais