ERRATA: TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO BANCO DO BRASIL EXERCÍCIOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ERRATA: TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO BANCO DO BRASIL EXERCÍCIOS"

Transcrição

1 ERRATA: TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO BANCO DO BRASIL EXERCÍCIOS 01. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGA). Um empregado de uma indústria, contratado em regime CLT, atuou como membro eleito na CIPA por um mandato, foi reeleito Bpara o mandato seguinte a este, foi impedido de se candidatar para um terceiro mandato em obediência às disposições da NR 5, e, após um ano distante desta Comissão, atuou na CIPA novamente, porém na condição de membro efetivo indicado pelo empregador, sem ter participado de novo processo eleitoral. Considere que a empresa seguiu as orientações da NR 5 na íntegra nesse período, pois não existia qualquer outro instrumento que orientasse procedimentos diferenciados referentes à CIPA. Neste caso, além dos dias relativos ao período em que se candidatou para participar do primeiro processo eleitoral, este empregado teve estabilidade de emprego por (A) 3 anos. (B) 5 anos. (C) 6 anos. (D) 4 anos. (E) 2 anos. 02. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO AULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). Dalmo atua como empregado mensalista, contratado em regime CLT em uma empresa onde desenvolve atividade em condição de insalubridade, comprovada por meio de laudo de inspeção no local de trabalho, em conformidade com a NR 15, onde consta indicado insalubridade de grau médio. A empresa onde ele trabalha se orienta pelas determinações da NR 15, garantindo-lhe o recebimento mensal de adicional de insalubridade, conforme consta nesta norma regulamentadora. Considerando que o valor do salário mínimo vigente na região onde Dalmo está empregado é R$ 678,00 e o seu salário é de R$ 1.500,00, o valor do adicional de insalubridade que ele recebe mensalmente, conforme consta em seu demonstrativo de pagamento, é (A) R$ 271,20. (B) R$ 450,00. (C) R$ 300,00. (D) R$ 203,40. (E) R$ 135,60 RESPOSTA: E 03. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). Uma empresa tem uma de suas portas de saída de

2 emergência com acesso à sua área externa. Isto gera insegurança, pois facilita o acesso de estranhos às suas dependências internas. Seu presidente solicitou a instalação de dispositivo de travamento que permite abertura facilitada pelo interior do estabelecimento da empresa, objetivando garantir a segurança do seu patrimônio e de seus empregados. De acordo com a NR 23, o presidente desta empresa agiu (A) erroneamente, pois a saída de emergência deveria ser fechada com cadeado, inclusive durante a jornada normal de trabalho, garantindo mais segurança à integridade física de seus empregados. (B) corretamente, pois é permitido equipar saídas de emergência com o dispositivo descrito no caso. (C) corretamente, porém também deveria ter instalado fechadura com chaves para trancamento da porta de emergência durante a jornada normal de trabalho. (D) erroneamente, pois deveria ter instalado fechadura com chaves para que a porta permanecesse fechada durante a jornada normal de trabalho, sinalizando a porta com dispositivo luminoso de identificação. (E) erroneamente, pois não deveria instalar qualquer dispositivo de travamento da porta, mesmo aqueles que permitem fácil abertura pelo interior do estabelecimento, por se tratar de saída de emergência. 04. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). Uma empresa é constituída por uma fábrica, três oficinas, dois laboratórios e um escritório. Cada uma destas unidades está localizada em um endereço diferente e bem distante um do outro. Conjuntamente, todas elas constituem uma organização, utilizada pelo empregador para atingir seus objetivos. Sendo assim, segundo os conceitos constantes na NR 1, a unidade da fábrica desta empresa é denominada (A) frente de trabalho. (B) canteiro de obra. (C) estabelecimento. (D) setor de serviço. (E) unidade laboral. 05. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). Um empregador, utilizando seus critérios de seleção (cumprindo suas responsabilidades definidas no item 1.7 da NR 1), determinou que o gerente de manutenção industrial de sua empresa é capaz de desenvolver todas as atividades dispostas na NR-9, designando-o como responsável pela elaboração, implementação, acompanhamento e avaliação do PPRA. O referido gerente designado, que atua como membro da CIPA há dez anos, conhece a área de segurança e saúde do trabalho em função de sua experiência como cipeiro. Ele ficou contente com suas novas atribuições, muito embora não tenha qualquer formação na área de segurança e saúde do trabalho, pois realizou ensino médio regular e curso superior de Tecnologia em Mecatrônica Industrial. Nestas condições, a designação do empregador foi

3 (A) errada, pois ele deveria ser o responsável pela elaboração, implementação, acompanhamento e avaliação do PPRA, não podendo designar essas atribui ações a terceiros. (B) errada, pois somente engenheiros de segurança do trabalho podem elaborar e implementar o PPRA. (C) correta, pois somente cipeiros, técnicos de segurança do trabalho e engenheiros de segurança do trabalho podem elaborar e implementar o PPRA. (D) errada, pois somente o SESMT pode elaborar e implementar o PPRA. (E) correta, pois indicou pessoa que, a seu critério, é capaz de desenvolver o disposto na NR-9. RESPOSTA: E 06. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). De acordo com a NR 26, as cores que devem ser adotadas para sinalização de segurança em estabelecimentos e locais de trabalho devem ser aplicadas (A) na cor cinza para identificação de caldeiras e vasos sob pressão e na cor verde para identificação de tubulação de água potável. (B) na cor verde para identificação de tubulação de gás encanado e na cor amarela para identificação de dutos para transporte de água potável. (C) na cor amarela para identificação de dutos para transporte de água potável e na cor vermelha para identificação de tubulação de transporte de água para combate a incêndios. (D) conforme disposições nas normas técnicas oficiais para identificar os equipamentos de segurança, delimitar áreas, identificar tubulações empregadas para a condução de líquidos e gases e advertir contra riscos. (E) na cor azul para identificação de tubulação para transporte de água potável e na cor vermelha para identificação de tubulação de transporte de água para combate a incêndios. RESPOSTA: D 07. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). Em relação aos Equipamentos de Proteção Individual EPI, cabe ao empregado (A) comunicar ao MTE qualquer irregularidade observada e adquirir o EPI adequado ao risco de cada atividade. (B) responsabilizar-se pela sua guarda e conservação e cumprir as determinações do empregador em relação ao seu uso adequado. (C) usar, utilizando-o apenas para a finalidade a que se destina e adquirir o EPI adequado ao risco de cada atividade. (D) comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para uso e substituir o EPI imediatamente, quando danificado ou extraviado. (E) exigir seu uso e adquirir somente EPI aprovado pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho.

4 08. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS).. Um eletricista atua na manutenção de redes de distribuição de energia elétrica. Ele realizou e concluiu curso específico na área elétrica reconhecido pelo Sistema Oficial de Ensino, tendo recebido diploma, com validade nacional. Porém, ele não realizou seu registro no Conselho de Classe Profissional competente. Além disso, quando foi empregado nesta empresa, em regime CLT, recebeu capacitação sob orientação e responsabilidade de profissional habilitado e autorizado, nas condições estabelecidas por este profissional, e trabalha, simultaneamente, sob a responsabilidade de profissional habilitado e autorizado. Segundo a NR 10, este eletricista é um profissional (A) qualificado e capacitado para esta empresa. (B) qualificado e habilitado para esta empresa. (C) habilitado e capacitado para esta empresa. (D) habilitado e autorizado para esta empresa. (E) capacitado e autorizado para esta empresa. 09. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO ULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). Um técnico de segurança do trabalho da SABESP fez um monitoramento ambiental da taxa de monóxido de carbono (CO) em uma galeria, onde uma equipe de funcionários precisa adentrar para fazer reparos e manutenção. Trata- se de um trabalho em espaço confinado. Durante a execução dos trabalhos, por meio do uso do instrumento de detecção de gases, obteve-se as seguintes leituras: 43,0 mg/m3, 44,0 mg/m3, 42,0 mg/m3 e 43,0 mg/m3. De acordo com o Anexo 11 da NR 15, essa substância tem limite de tolerância de 43,0 mg/m3 e fator de desvio de 1,5. Os resultados das variáveis valor máximo permitido, concentração média (CM) e da exposição ao agente nocivo, respectivamente, permitem concluir que: (A) VM = 44,0 mg/m3, CM = 64,5 mg/m3, equipe irá se expor ao agente nocivo, acima do valor máximo permitido, caracterizando uma atividade de risco grave e iminente. (B) VM = 43,0 mg/m3, CM = 43,0 mg/m3, equipe irá se expor ao agente nocivo, porém estará no nível de ação, não exigindo o uso do equipamento de proteção respiratória. (C) VM = 64,5 mg/m3, CM = 43,0 mg/m3, equipe irá se expor ao agente nocivo, acima dos limites de tolerância, exigindo uso do equipamento de proteção respiratória EPR com filtros específicos para gases. (D) VM = 64,5 mg/m3, CM = 44,0 mg/m3, equipe irá se expor ao agente nocivo, acima do valor máximo permitido, caracterizando uma atividade de risco grave e iminente.

5 (E) VM = 64,5 mg/m3, CM = 43,0 mg/m3, equipe irá se expor ao agente nocivo, no nível de ação, não exigindo o uso do equipamento de proteção respiratória. 10. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO ULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). De acordo com a NR 17, nos locais de trabalho como escritório, sala de projetos e engenharia, onde são executadas atividades que exijam solicitação intelectual, de desenvolvimento ou análise de projetos e desenhos técnicos, são recomendadas as seguintes condições de conforto: (A) níveis de ruído de acordo com o estabelecido no anexo 1 da NR 15, índice de temperatura efetiva entre 20 a 23 graus Celsius, velocidade do ar não superior a 1,0 m/s e umidade relativa do ar não inferior a 60%. (B) níveis de ruído de acordo com o estabelecido no anexo 1 da NR 15, índice de temperatura efetiva entre 20 a 23 graus Celsius, velocidade do ar não superior a 0,5 m/s e umidade relativa do ar não inferior a 40%. (C) níveis de ruído de acordo com o estabelecido na NBR 10152, índice de temperatura efetiva entre 19 a 24 graus Celsius, velocidade do ar não superior a 1,0 m/s e umidade relativa do ar variando de 40 a 60%. (D) níveis de ruído de acordo com o estabelecido na NBR 10152, índice de temperatura efetiva entre 20 a 23 graus Celsius, velocidade do ar não superior a 0,75 m/s e umidade relativa do ar não inferior a 40%. (E) níveis de ruído de acordo com o estabelecido na NBR 10151, índice de temperatura efetiva até 25 graus Celsius, velocidade do ar não superior a 0,5 m/s e umidade relativa do ar não inferior a 40%. RESPOSTA: D 11. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO ULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). Um Brigadista de Incêndio está diante de cenário em que um armário de madeira, cheio de papéis arquivados e documentos plastificados da empresa, está em chamas. Para a extinção do fogo, ele terá que buscar o extintor de (A) água pressurizada para incêndio de classe K, para sólidos que queimam e deixam resíduos. (B) pó químico seco para incêndio de classe B para substâncias que queimam na superfície e não deixam resíduos. (C) água pressurizada para incêndio de classe A, para sólidos que queimam na superfície e não deixam resíduos. (D) gás carbônico para incêndio de classe C, para sólidos e substâncias que queimam na superfície e não deixam resíduos. (E) água pressurizada para incêndio de classe A, para sólidos que queimam e deixam resíduos. RESPOSTA: E 12. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO ULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). O item da NR 10 descreve que As empresas estão

6 obrigadas a manter esquemas unifilares atualizados das instalações elétricas. A partir desta informação, entende-se por esquema unifilar um (A) desenho técnico que, utilizando simbologia específica,r epresenta graficamente uma instalação elétrica, indicando sobre a planta arquitetônica. Deve ser elaborado por profissional legalmente habilitado e deve ser mantido para instalações, inclusive aquelas com carga instalada superior a 75 kw. (B) desenho técnico que, utilizando simbologia específica, representa graficamente uma forma de aterramento projetada, indicando sobre a planta arquitetônica. Deve ser elaborado por qualquer profissional legalmente habilitado e deve ser mantido somente para instalações com carga instalada inferiores a 75 kw. (C) memorial descritivo que, utilizando simbologia específica, descreve as características da entrada de energia, indicando sobre a planta arquitetônica. Pode ser elaborado por profissional legalmente habilitado e deve ser mantido para instalações com carga instalada superior a 25 kw. (D) desenho técnico que, utilizando simbologia específica, descreve de forma resumida todos os disjuntores da instalação projetada, indicando sobre a planta arquitetônica. Pode ser elaborado por profissional legalmente habilitado e deve ser mantido para instalações com carga instalada superior a 25 kw. (E) memorial descritivo que, utilizando simbologia específica, descreve o diâmetro dos condutores elétricos projetados, indicando sobre a planta arquitetônica. Pode ser elaborado por qualquer profissional legalmente habilitado e deve ser mantido somente para instalações com carga instalada superior a 75 kw. 13. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). O item da NR 10 descreve que As empresas estão 42. As exigências do Projeto Técnico Simplificado PTS, com redação na Instrução Técnica no 42 do Decreto Estadual no /11, dizem que, pelo menos, um extintor de incêndio deve ser instalado a não mais de I da entrada principal da edificação e das escadas nos demais pavimentos. A altura máxima de fixação é de II, e a mínima é de III. As lacunas I, II e III são preenchidas, respectivamente, por: (A) 5 m 1,60 m 0,10 m (B) 5 m 1,80 m 0,30 m (C) 10 m 1,60 m 0,10 m (D) 10 m 1,80 m 0,30 m (E) 15 m 1,60 m 0,30 m 14. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO ULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). Operários que trabalham na mineração de Carvão Vegetal, sem a devida proteção respiratória, de acordo com o nexo técnico epidemiológico (causa e efeito), poderão adquirir doença ocupacional em curto tempo ou ao longo dos anos, conhecida como (A) Silicose.

7 (B) Fibrose Pulmonar. (C) Grafitose. (D) Asbestose. (E) Saturnismo. Atenção: Considere o texto abaixo para responder às questões de números 15 a COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO ULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). Considere uma empresa metalúrgica de estampagem de metais. Em 2011, ocorreram 3 acidentes. O primeiro foi um acidente de trajeto. O segundo, um acidente com afastamento leve, que impediu o trabalhador de realizar suas atividades por meio período. O terceiro acidente provocou uma perda do membro acima do punho do trabalhador, afastando-o por 200 dias, com os dias debitados que, de acordo com a NBR 14280, equivalem a dias. Naquele ano os 200 funcionários trabalharam 250 dias úteis e a jornada de trabalho foi de 8 horas diárias. 44. A taxa de gravidade (Tg) e frequência (Tf), respectivamente, desta empresa, naquele ano, foram: (A) Tg = e Tf = 5,0. (B) Tg = e Tf = 7,5. (C) Tg = e Tf = 7,5. (D) Tg = e Tf = 5,0. (E) Tg = e Tf = 2, COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO ULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). O trabalhador, devidamente capacitado, que teve a perda do membro acima do punho, infringiu as normativas de segurança interna da empresa, desconectando o sensor de segurança, a cortina de luz, de uma prensa pneumática que trabalhava com 500 golpes por minutos. O objetivo dele era aumentar a produtividade e se destacar como funcionário do mês. De acordo com a NBR 14280, é considerado, para esta situação, como causa principal do acidente de trabalho: (A) Fator impessoal de segurança. (B) Ato inseguro, ação ou omissão. (C) Condição ambiente de insegurança ou condição do meio. (D) Falta de ordens de serviços ou falta de treinamento eficaz. (E) Erro Humano, falta de conhecimento (ou ignorância). 17. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO ULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). O técnico de segurança do trabalho desta empresa Metalúrgica fez o levantamento dos níveis de pressão sonora uma semana antes do prensista sofrer o acidente e concluiu, em sua avaliação, que a dose absorvida é de 80% para um tempo de exposição de 5 horas e 36 minutos. O tempo máximo que esse prensista poderia ficar em outro equipamento, exposto a um

8 nível de pressão sonora de 85 db(a), sem ultrapassar o limite de tolerância, é de (A) 1 hora e 36 minutos. (B) 2 horas e 24 minutos. (C) 1 hora e 15 minutos. (D) 30 minutos. (E) 12 minutos. 18. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO ULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). Um trabalhador realiza sua atividade em uma cozinha industrial, entre o fogão e a bancada de preparação. O regime de trabalho é intermitente e com descanso no próprio local de trabalho. As condições térmicas nas vizinhanças do fogão e a bancada são as seguintes: Temperatura de bulbo úmido natural (Tbn) = 25,0 C; Temperatura de globo (Tg) = 31,0 C; Temperatura de bulbo seco (Tbs) = 28,0 C. O Valor de IBUTG Índice de Bulbo Úmido Termômetro de Globo que define o limite de tolerância para exposição ao calor para uma atividade moderada, de acordo com o anexo 3 da NR 15, é de: (A) 26,5 C, sendo o regime de trabalho intermitente com descanso no próprio local de Trabalho (por hora) é continuo. (B) 26,8 C, sendo o regime de trabalho intermitente com descanso no próprio local de Trabalho (por hora) exige uma pausa de 15 minutos e 45 minutos de trabalho. (C) 26,8 C, sendo o regime de trabalho intermitente com descanso no próprio local de Trabalho (por hora) é continuo. (D) 27,1 C, sendo o regime de trabalho intermitente com descanso no próprio local de Trabalho (por hora) exige uma pausa de 15 minutos e 45 minutos de trabalho. (E) 29,2 C, sendo o regime de trabalho intermitente com descanso no próprio local de Trabalho (por hora) exige uma pausa de 30 minutos e 30 minutos de trabalho. 19. COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2014 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). A insalubridade, quando caracterizada pela avaliação qualitativa ou pericial, via inspeção visual das condições do ambiente de trabalho, para os profissionais expostos aos agentes químicos, deve-se levar em consideração o anexo: (A) No 11 da NR 15 e são exemplos de agentes nocivos à saúde: o álcool etílico e o chumbo. (B) No 13 da NR 15 e são exemplos de agentes nocivos à saúde: o carvão e o chumbo. (C) No 12 da NR 15 e são exemplos de agentes nocivos à saúde: o manganês e a sílica. (D) No 11 da NR 15 e são exemplos de agentes nocivos à saúde: o metanol e o mercúrio.

9 (E) No 13 da NR 15 e são exemplos de agentes nocivos à saúde: o manganês e o fósforo. 20. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). Dos Agentes Ambientais listados abaixo, todos são Agentes Físicos, EXCETO A) Ruído. B) Vibração. D) Pressões Anormais. C) Aerodispersoides. E) Temperaturas Extremas. 21. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). O medidor de nível de pressão sonora é o instrumento utilizado para analisar o seguinte agente ambiental: A) Pressões Anormais. B) Ruído. C) Radiações. D) Gases e vapores. E) Poeiras. 22. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). Em relação ao grau de exposição a agentes patogênicos, os vírus são as formas mais simples de vida. Das doenças listadas a seguir, todas são provocadas por vírus, EXCETO A) pneumonia. B) caxumba. C) raiva. D) varíola. E) enterite. RESPOSTA: E 23. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). 24. Existem várias técnicas para a coleta de microrganismos existentes no ar que respiramos, a fim de que seja feita uma avaliação no ambiente de trabalho. A técnica, que consiste na exposição de Placas Petri ao ambiente de trabalho durante um certo tempo, é denominada de A) sedimentação. B) coleta em meio líquido. C) filtração. D) impactação. E) bombeamento.

10 24. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE).Consideram-se dois graus de insalubridade para agentes biológicos, grau máximo e grau médio, que são caracterizados por avaliação qualitativa, por meio de inspeção nos locais de trabalho. Associe cada trabalho ou operação abaixo de acordo com o seu grau de insalubridade. 1. Insalubridade de Grau Médio ( ) Resíduos de animais deteriorados 2. Insalubridade de Grau Máximo ( ) Estábulos e cavalariças ( ) Esgotos (galerias e tanques) ( ) Lixo urbano (coleta e industrialização) Assinale a alternativa que contém a sequência CORRETA. A) B) C) D) E) COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). Leia o texto a seguir: O saturnismo é uma doença ocupacional, provocada pela exposição dos trabalhadores ao, em indústrias de baterias, metalúrgica, siderúrgica, petrolífera, cerâmica, gráfica, química, etc. Assinale a alternativa cujo(s) termo(s) preenche(m) CORRETAMENTE a lacuna nele existente. A) mercúrio metálico, orgânico ou inorgânico B) chumbo C) manganês D) aminhanto E) quartzo 26. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). Normalmente os limites de tolerância para os agentes químicos (gases e vapores) são expressos em ppm, que B representa A) partículas por pé cúbico. B) partículas por mil C) partes por mil D) partículas por milhão. E) partes por milhão. RESPOSTA: E

11 27. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). A fim de que se evite a ocorrência de reações inesperadas, provocadas pela incompatibilidade de produtos químicos em seu armazenamento, é importante o conhecimento dos tipos e respectivos comportamentos. Os produtos com potencial de formação de substâncias, que podem explodir com aquecimento, choque ou atrito, são denominados de A) produtos corrosivos. B) solventes. C) produtos peroxidáveis D) produtos pirofóricos. E) produtos que reagem com a água. 28. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). Em relação ao ruído, analise as proposições a seguir: I. Critério de referência é o nível médio para o qual a exposição, por um período de oito horas, corresponderá a uma dose de 50%. II. Limite de exposição ocupacional é o parâmetro de exposição ocupacional, que representa condições sob as quais se acredita que a maioria dos trabalhadores possa estar exposta, repetidamente, sem sofrer efeitos adversos à sua capacidade de ouvir e entender uma conversação normal. III. Medidor integrador de uso pessoal é o medidor, que pode ser fixado no trabalhador durante o período de medição, fornecendo, por meio de integração, a dose ou o nível médio. Está CORRETO, apenas, o que se afirma em A) I. B) II. C) III. D) I e II. E) II e III. RESPOSTA: E DESCONSIDERAR. 29. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). O Nível de Pressão Sonora (NPS) é um índice, em que P é a pressão sonora existente, e Po é a pressão de referência mínima audível. Sobre isso, é CORRETO afirmar que NPS é igual a A) B) C) D) E)

12 30. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). Uma dada medição do nível de pressão sonora foi de 85 db. Com relação à abreviatura db, é CORRETO afirmar que é uma A) unidade de ruído. B) unidade de pressão. C) grandeza física. D) escala logarítmica. E) frequência. 31. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). As medidas de controle de ruído deverão ser na ordem de prioridade, quando viáveis tecnicamente, no(a)(s) A) homem e na fonte, apenas. B) fonte, na trajetória e no homem. C) fonte e no homem, apenas. D) homem e na trajetória, apenas. E) homem, na fonte e na trajetória. 32. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). O sistema de coordenadas ortogonais x, y e z é utilizado para indicar as direções das vibrações sobre o corpo humano. Assim, para o homem em pé, é CORRETO afirmar que o eixo A) x tem direção horizontal e sentido do peito para as costas. B) x tem direção horizontal e sentido dos pés para a cabeça. C) y tem direção vertical e sentido dos pés para a cabeça. D) y tem direção horizontal e sentido do lado direito para o lado esquerdo. E) z tem direção vertical e sentido da cabeça para os pés. RESPOSTA: D 33. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). As principais doenças devido à exposição do trabalhador ao calor são, EXCETO: A) síndrome do canal cárpico. B) exaustão do calor. C) desidratação D) cãibra do calor. E) choque térmico. 34. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). Associe cada sigla ao seu significado.

13 1. PPRA ( ) Comissão Interna de Prevenção de Acidentes 2. PCMSO ( ) Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho 3. SESMT ( ) Programa de Prevenção de Riscos Ambientais 4. CIPA ( ) Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional Assinale a alternativa que contém a sequência CORRETA. A) B) C) D) E) RESPOSTA: E 35. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). Leia o texto a seguir: Toda empresa é obrigada a constituir ou designar um responsável pelas atividades desta. Assinale a alternativa cujos termos preenchem CORRETAMENTE a lacuna nele existente. A) uma CIPA B) um SESMT C) um PPRA D) uma CAT E) um LTCAT 36. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). Segundo o COSCIPE, os discos de sinalização de extintores são formados por um círculo interno, que tem a cor identificadora do agente extintor correspondente, com a indicação do fone do Corpo de Bombeiros e circunscrito por outro na cor vermelha, em cores firmes. Para indicar os aparelhos com agente extintor gás carbônico, o círculo interno é na cor A) branca. B) amarela. C) verde. D) vermelha. E) azul. 37. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). Segundo o COSCIPE, a área máxima a ser coberta por um bico de chuveiro automático, para classe de risco B, em m², é A) 5 B) 9 C) 10

14 D) 15 E) 21 RESPOSTA: E 38. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO -2013(UPENET/IAUPE). A norma regulamentadora que trata da Proteção Contra Incêndios é a NR A) 8 B) 13 C) 23 D) 33 E) COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). O PPRA deverá estar articulado com o disposto nas demais NR, em especial com o A) PCMSO B) LTCAT C) SESMT D) CAT E) PCMAT 40. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). Pode-se classificar, de maneira didática, os gases vapores, segundo sua ação no organismo, em três tipos: irritantes, anestésicos e asfixiantes. Sabendo disso, assinale a alternativa que apresenta gases e vapores preponderantemente asfixiantes. A) SO2, Cl2, Br2, I2 B) HCl, H2SO4, H3CCOOH, HF C) Butano, propano, etileno e propileno D) Nitrobenzeno, nitrotolueno, nitrato de etila E) Nitrogênio, hidrogênio, metano, hélio, CO2 RESPOSTA: E 41. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). Qual das alternativas abaixo apresenta um agente qualitativo de insalubridade, ou seja, aquele que é independente de medições e é avaliado, apenas, pela mera constatação de sua presença no ambiente de trabalho? A) Calor B) Frio C) Ruído D) Poeira mineral

15 E) Radiação Ionizante 42. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). Qual é a Norma Regulamentadora que trata do respeito das Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção? A) NR-15 B) NR-16 C) NR-17 D) NR-18 E) NR-19 RESPOSTA: D 43. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). A distância máxima para o transporte manual de um saco é A) 20 m B) 40 m C) 60 m D) 80 m E) 100 m 44. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). A largura mínima que devem ter as vias principais de circulação no interior dos locais de trabalho e as que conduzem às saídas é de A) 1,00 m B) 1,10 m C) 1,20 m D) 1,30 m E) 1,40 m 45. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). A norma internacional de certificação de sistemas de gestão em Saúde e Segurança Ocupacional é A) LTR 1900 B) OHSAS C) ISO 9000 D) ISO E) SMS 2000

16 46. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). Classifica-se a responsabilidade civil do empregador por ato lesivo de seu empregado quanto ao agente por responsabilidade A) direta. B) indireta. C) trivial. D) subjetiva. E) complexa. 47. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). Em relação à Ergonomia, assinale a alternativa abaixo que NÃO apresenta uma condição de conforto. A) Níveis de Ruído B) Doenças Causadas por Agentes Biológicos C) Índice de Temperatura Efetiva D) Velocidade do Ar E) Umidade Relativa do Ar 48. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). A análise que tem por objetivo antecipar as possíveis circunstâncias, as quais podem gerar um acidente durante a realização do trabalho, é denominada de A) AIAT Análise Inicial de Acidente do Trabalho B) APRO Análise Prévia de Risco Ocupacional de Perigo C) APR Análise Preliminar de Risco E) AAA Análise Anterior de Acidentes D) APP Análise Preliminar E) AAA Análise Anterior de Acidentes 49. COMPANHIA PERNAMBUCANA DE SANEAMENTO- COMPESA. DO TRABALHO (UPENET/IAUPE). O Contador Geiger-Müller é o aparelho usado para detectar A) radioatividade. B) vibração. C) umidade. D) velocidade do vento. E) ruído. 50. COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2012 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). De acordo com a Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, acidente de trabalho, dentre outros modos, é o que ocorre

17 (A) Dentro ou fora da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional, de caráter temporário ou permanente, desde, desde que o empregado esteja segurado pelo INSS. (B) Pelo exercício do trabalho a serviço da empresa ou pelo exercício do trabalho do segurado, provocando lesão corporal ou pertubação funcional que cause a morte ou perda ou redução, permanecente ou temporária, da capacidade para o trabalho. (C) No local habitual de trabalho, ou de trajeto durante o deslocamento do empregado fora do local habitual de trabalho, provocando lesão corporal de caráter temporário ou permanente. (D) No exercício do trabalho durante o expediente normal ou nas horas extras determinadas pela empresa, no local habitual de trabalho, provocando lesão corporal ou pertubação funcional, de caráter temporário. (E) Pelo exercício do trabalhop as erviço da empresa, provocando afastamento funcional por morte, perda ou redução, temporária ou permanentem, assim como da capacidade para o trabalho. 51. COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2012 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). Com base na Norma Regulamentadora 15-NR 15- atividades e operações insalubres Anexo I- Limites de Tolerância para ruído contínuo ou intermitente, para indivíduos que não estejam adequadamente protegidos NÃO é permitida exposição a níveis de ruído acima (A)105dB (B) 85dB (C) 90 db (D)100 db (E)115 Db RESPOSTA: E 52. COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2012 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). Tendo em vista a Norma Regulamentadora 18 NR 18 Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção Anexo 28 Treinamento, todos os empregados devem receber treinamentos visando a garantir a execução de suas atividades com segurança, sobre o qual é correto afirmar: (A) Nos treinamentos, os trabalhadores devem receber instruções técnicas sobre suas atividades, cujas cópias dos procedimentos e operações a serem realizadas devem permanecer sob a guarda do encarregado. (B) O conteúdo deve conter informações sobre as condições e meio ambiente de trabalho e sobre os Equipamentos de Proteção Coletiva EPC existentes no canteiro de obra.

18 (C) O treinamento admissional deve ser ministrado dentro do horário de trabalho, durante o desenvolvimento das atividades pelo trabalhador. (D) O treinamento periódico deve ser ministrado de 6 em 6 meses, conforme estabelecido em Norma. (E) O treinamento admissional deve ter carga horária mínima de 4 horas. 53. COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2012 (FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS). Sobre a Norma Regulamentadora 12 NR 12 Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos, considere: I. As instalações elétricas das máquinas e equipamentos devem ser projetadas e mantidas de modo a prevenir, por meios seguros, os perigos de choque elétrico, incêndio, explosão e outros tipos de acidentes, conforme previsto na NR 10. II. Devem ser aterrados, conforme as normas técnicas oficiais vigentes, as instalações, carcaças, invólucros, blindagens ou partes condutoras das máquinas e equipamentos que não façam parte dos circuitos elétricos, mas que possam ficar sob tensão. III. As instalações elétricas das máquinas e equipamentos que utilizem energia elétrica fornecida por fonte externa devem possuir dispositivo protetor contra sobre corrente, dimensionado conforme a demanda de consumo do circuito. Está correto o que consta em (A) II e III, apenas. (B) II, apenas. (C) III, apenas. (D) I, II e III. (E) I e III, apenas. RESPOSTA: D 54. PREFEITURA BELO HORIZONTE/MG TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2011 (FUMARC). Segundo a NR 23 (Proteção Contra Incêndios), todos os empregadores devem adotar medidas de prevenção de incêndios (em conformidade com a legislação estadual e as normas técnicas aplicáveis), além de providenciar a todos os trabalhadores informações sobre: a) utilização dos equipamentos de combate ao incêndio; procedimentos para evacuação dos locais de trabalho com segurança; dispositivos de alarme existentes. b) utilização dos equipamentos de proteção individual, brigadas de incêndios e rotas de fuga que estejam alinhadas com os planos desenvolvidos pelo SESMT. c) utilização dos equipamentos de combate ao incêndio; brigadas de incêndios e rotas de fugas que estejam alinhadas com os dispositivos de alarme existentes. d) utilização dos equipamentos de proteção individual, brigadas de incêndios e rotas de fuga que estejam alinhadas com os planos desenvolvidos pela CIPA. 55. PREFEITURA BELO HORIZONTE/MG TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2011 (FUMARC). Ao ser questionado sobre as orientações

19 BÁSICAS da aplicação de cores na segurança do trabalho, um Técnico de Segurança do Trabalho, alinhado com as orientações da NR 26 (Sinalização de Segurança), fez algumas recomendações sobre o assunto. Todas as recomendações do Técnico de Segurança do Trabalho apresentam-se corretas segundo as diretrizes da NR 26, EXCETO: a) Devem ser adotadas cores para segurança em estabelecimentos ou locais de trabalho, a fim de indicar e advertir acerca dos riscos existentes. b) As cores utilizadas nos locais de trabalho para identificação devem também atender ao disposto previsto nas normas técnicas oficiais. c) A utilização de cores não dispensa o emprego de outras formas de prevenção de acidentes que garantam a saúde dos trabalhadores. d) O uso de cores deve ser o mais ampliado, diversificado e intenso possível, a fim de não ocasionar distração, confusão e fadiga ao trabalhador. RESPOSTA: D 56. PREFEITURA BELO HORIZONTE/MG TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2011 (FUMARC). Segundo a NR 17 (Ergonomia), nas atividades que envolvam leitura de documentos para digitação, datilografia ou mecanografia deve ser fornecido: a) suporte adequado para documentos que possa ser ajustado proporcionando boa postura, visualização e operação, evitando movimentação frequente do pescoço e fadiga visual. b) suporte que permita a fácil legibilidade dos documentos, especialmente aqueles que possuam características de ajustes, que não possam eliminar qualquer tipo de fadiga visual. c) suporte que não favoreça os movimentos e ações próprias da função, sem exigência acentuada de força, pressão, preensão, flexão, extensão ou torção de segmentos e fadiga visual. d) suporte que permita pausas para descanso do operador, facilitando sua interação e intervenção com o posto de trabalho, eliminando a possibilidade de qualquer ofuscamento visual. 57. PREFEITURA BELO HORIZONTE/MG TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2011 (FUMARC). Conforme a NR 06 (Equipamento de Proteção Individual) é INCORRETO afirmar que: a) a empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, garantindo sempre o seu perfeito estado de conservação e funcionamento. b) a empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, para atender as eventuais situações de emergência que possam surgir. c) a empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, somente enquanto as medidas de proteção estiverem sendo implantadas. d) a empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção.

20 58. PREFEITURA BELO HORIZONTE/MG TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2011 (FUMARC). Segundo a NR 06 (EPI - Equipamento de Proteção Individual), marque a alternativa CORRETA: a) Para fins de comercialização, o certificado de Aprovação (CA), concedido aos EPI terá validade de 2 (dois) anos, para aqueles equipamentos com laudos de ensaio que não tenham sua conformidade avaliada no âmbito do SINMETRO. b) Para fins de comercialização, o certificado de Aprovação (CA), concedido aos EPI terá validade de 3 (três) anos, para aqueles equipamentos com laudos de ensaio que não tenham sua conformidade avaliada no âmbito do SINMETRO. c) Para fins de comercialização, o certificado de Aprovação (CA), concedido aos EPI terá validade de 4 (quatro) anos, para aqueles equipamentos com laudos de ensaio que não tenham sua conformidade avaliada no âmbito do SINMETRO. d) Para fins de comercialização, o certificado de Aprovação (CA), concedido aos EPI terá validade de 5 (cinco) anos, para aqueles equipamentos com laudos de ensaio que não tenham sua conformidade avaliada no âmbito do SINMETRO. RESPOSTA: D 59. PREFEITURA BELO HORIZONTE/MG TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2011 (FUMARC). Em uma entrevista de emprego, um Técnico de Segurança do Trabalho, que seria vinculado ao SESMT (Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho) foi questionado sobre o seu papel em auxiliar o empregador no cumprimento das responsabilidades ao atendimento da NR 06 Equipamento de Proteção Individual (EPI). Marque a alternativa CORRETA, vinculada à resposta do Técnico de Segurança do Trabalho: a) o SESMT deve auxiliar o empregador promovendo a orientação e treinamento dos trabalhadores sobre o uso adequado, a guarda e conservação dos EPI. b) o SESMT não deve auxiliar o empregador nessas situações já que essa atividade não está diretamente associada às responsabilidades do setor de segurança. c) o SESMT deve indicar empresa competente para treinar e capacitar os empregados da empresa e assim atender a legislação de saúde e segurança do trabalho. d) o SESMT deve cobrar da CIPA a atuação e intervenção para treinar e capacitar os empregados e assim atender a legislação de saúde e segurança do trabalho. 60. PREFEITURA BELO HORIZONTE/MG TÉCNICO SEGURANÇA DO TRABALHO 2011 (FUMARC). Segundo a NR 15 (Atividades e Operações Insalubres), a eliminação ou neutralização da insalubridade deverá ocorrer quando: a) ocorrer a adoção de medidas de ordem geral que não conservem o ambiente de trabalho dentro dos limites de tolerância; e sem a utilização de EPI (Equipamentos de Proteção Individual).

PROVA ESPECÍFICA Cargo 45

PROVA ESPECÍFICA Cargo 45 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 45 QUESTÃO 26 Sobre os Limites de Tolerância para exposição ao calor, em regime de trabalho intermitente, com períodos de descanso no próprio local de prestação de serviço, de

Leia mais

Universidade Estadual de Maringá

Universidade Estadual de Maringá Universidade Estadual de Maringá Pró-reitoria de Recursos Humanos e Assuntos Comunitários CONCURSO PÚBLICO EDITAL N o 057/2013-PRH TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA

Leia mais

Engenheiro de Segurança do Trabalho

Engenheiro de Segurança do Trabalho SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos Concurso Público para Técnico-Administrativo em Educação 02

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NR 1 - Disposições Gerais As Normas Regulamentadoras são de observância obrigatória por

Leia mais

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno PPRA MANUAL PRÁTICO PARA ELABORAÇÃO FORMULÁRIO PARA RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Esse Formulário deve ser aplicado

Leia mais

Noções de Segurança e Higiene do Trabalho

Noções de Segurança e Higiene do Trabalho Noções de Segurança e Higiene do Trabalho Sinópse Generalidades. Antecedentes Históricos. Conceitos Básicos: - Acidente do Trabalho; - Atividades e Operações Insalúbres; - Riscos Ocupacionais; - Equipamentos

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único Curso Técnico Segurança do Trabalho Introdução a Segurança do Trabalho Módulo Único SeÄÅo IX Das InstalaÄÉes ElÑtricas Art. 179 - O Ministério do Trabalho disporá sobre as condições de segurança e as medidas

Leia mais

Aplicar os princípios de ergonomia na realização do trabalho;

Aplicar os princípios de ergonomia na realização do trabalho; Curso: Técnico de Segurança do Trabalho Curso Reconhecido pelo MEC: PORTARIA N 959/2007 Apresentação: O curso de Técnico de Segurança do Trabalho da Conhecer Escola Técnica é reconhecido pela excelência

Leia mais

Técnico de Segurança do Trabalho

Técnico de Segurança do Trabalho SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos Concurso Público para Técnico-Administrativo em Educação 02

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL. Indústria da Panificação

SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL. Indústria da Panificação SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL Indústria da Panificação PROGRAMAÇÃO: Palestra Segurança Geral - SESI - Segurança do Trabalho; - Riscos Ambientais e Acidentes do Trabalho; - PPRA/PCMSO; - Normas regulamentadoras;

Leia mais

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Identificação: PROSHISET 06

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Identificação: PROSHISET 06 Extintores de Incêndio Portáteis. Revisão: 00 Folha: 1 de 7 1. Objetivo Assegurar que todos os canteiros de obras atendam as exigências para utilização dos extintores de incêndio portáteis de acordo com

Leia mais

Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa XXXVI CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO. Clique para editar os estilos do texto

Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa XXXVI CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO. Clique para editar os estilos do texto Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa Clique para editar os estilos do texto de São Paulo XXXVI CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MEDICINA DO TRABALHO 2015 1 Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa

Leia mais

NR 15 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES

NR 15 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES NR 15 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES 15.1 São consideradas atividades ou operações insalubres as que se desenvolvem: 15.1.1 Acima dos limites de tolerância previstos nos Anexos n.º 1, 2, 3, 5, 11

Leia mais

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9)

NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) NR 10 - Instalações e Serviços em Eletricidade (110.000-9) 10.1. Esta Norma Regulamentadora - NR fixa as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalham em instalações

Leia mais

Conceitos básicos em Medicina e Segurança do Trabalho

Conceitos básicos em Medicina e Segurança do Trabalho Conceitos básicos em Medicina e Segurança do Trabalho A Consolidação das Leis do Trabalho foi aprovada pelo decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de l.943. Em seu art. 1º a Consolidação estatui as normas

Leia mais

Avaliação Serviço em Eletricidade Básica- NR10

Avaliação Serviço em Eletricidade Básica- NR10 Empresa: Instrutor: Nome: DATA: Questões: 01- A NR10 Instalação e Serviços de eletricidade fixam as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalha em instalações elétricas,

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Publicação D.O.U. Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Alterações/Atualizações D.O.U. Portaria SSMT n.º 05, de 07 de maio de 1982 17/05/82

Leia mais

CIPA GESTÃO 2013/2014

CIPA GESTÃO 2013/2014 HOSPITAL SÃO PAULO-SPDM Mapa de Risco da Empresa: Questionário auxiliar para elaboração do Mapa de Riscos Mapa de Risco é uma representação gráfica de um conjunto de fatores presentes nos locais de trabalho,

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP DIVISÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL - DVSS Sumário 1. OBJETIVO...

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 45

PROVA ESPECÍFICA Cargo 45 27 PROVA ESPECÍFICA Cargo 45 QUESTÃO 41 Conforme o Artigo 193, da Lei 6.514, são consideradas atividades ou operações perigosas, na forma da regulamentação aprovada pelo Ministério do Trabalho, aquelas

Leia mais

PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS PPRA / NR 9 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS SETEMBRO / 2005 SANTA MARIA - RS Avenida. Medianeira 1900, Centro Santa Maria/ RS, CEP 97060-002- Fone (55) 3027 8911 Sumário 1 INTRODUÇÃO... 3 2

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA NR 17

NORMA REGULAMENTADORA NR 17 NORMA REGULAMENTADORA NR 17 NORMA REGULAMENTADORA - NR 17 ERGONOMIA 17.1. Esta Norma Regulamentadora visa a estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características

Leia mais

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE SEGURANÇA 02 sem 2009 PROF. DANIEL BRAATZ DEP/UFSCar TEXTO 03

INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE SEGURANÇA 02 sem 2009 PROF. DANIEL BRAATZ DEP/UFSCar TEXTO 03 INTRODUÇÃO A ENGENHARIA DE SEGURANÇA 02 sem 2009 PROF. DANIEL BRAATZ DEP/UFSCar TEXTO 03 Normas Regulamentadoras do trabalho, trabalho rural..objetivos ESPECÍFICOS Apresentar o modelo legal de organização,

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS FAP E NTEP

NORMAS REGULAMENTADORAS FAP E NTEP NORMAS REGULAMENTADORAS FAP E NTEP LEGISLAÇÃO A Portaria n 3214, de 08/06/1978, aprovou as normas regulamentadoras NR do capítulo V, Título II, da CLT, relativas a segurança e medicina do trabalho. Atualmente

Leia mais

PORTARIA N. 3.214, 08 DE JUNHO DE 1978

PORTARIA N. 3.214, 08 DE JUNHO DE 1978 MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO PORTARIA N. 3.214, 08 DE JUNHO DE 1978 Aprova as Normas Regulamentadoras - NR - do Capítulo V, Título II, da Consolidação das Leis do

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS As Normas Regulamentadoras estabelecem critérios e procedimentos obrigatórios relacionados à segurança e medicina do trabalho, que devem ser seguidos por empresas de acordo com

Leia mais

SIMULADOS - Professor Flávio Nunes Segurança e Saúde no Trabalho

SIMULADOS - Professor Flávio Nunes Segurança e Saúde no Trabalho 1. Com base na CLT e com a Norma Regulamentadora 07 (PCMSO), julgue os itens a seguir. I. Quando na fase de reconhecimento dos riscos ambientais não for detectado risco específico, o controle médico poderá

Leia mais

PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL NR 7

PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL NR 7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL NR 7 Esta norma estabelece a relação de obrigatoriedade para os empregadores e instituições que admitam empregados, da Elaboração de um Programa de

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09 Prof. Me. Vítor Hugo Magalhães Vono Engenheiro de Segurança do Trabalho Lei 6514 de 12/77 Capítulo V da CLT da Segurança e Medicina do Trabalho (art.

Leia mais

NR 23 - PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS COMBATE AO FOGO CLASSES DE FOGO. SENAI - Carlos Eduardo do Vale Melo NR-23 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO

NR 23 - PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS COMBATE AO FOGO CLASSES DE FOGO. SENAI - Carlos Eduardo do Vale Melo NR-23 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO NR- PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO NR - PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS A proteção contra incêndios é uma das Normas Regulamentadoras que disciplina sobre as regras complementares de segurança e saúde no trabalho

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22

PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 22 QUESTÃO 31 Os Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, obedecendo ao Quadro II da NR- 4, subitem 4.4, com redação dada pela Portaria nº

Leia mais

Prefeitura Municipal de Passo Fundo

Prefeitura Municipal de Passo Fundo ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA/ESPECIFICAÇÕES BÁSICAS 1. OBJETO 2. OBJETIVO 1.1 Prestação de serviços técnicos especializados em Engenharia de segurança do Trabalho, de modo a elaborar e emitir os Laudos

Leia mais

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho

Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite. Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho Núcleo de Pós-Graduação Pitágoras Escola Satélite Curso de Especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho DISCIPLINA: Prevenção e Controle de Riscos em Máquinas, Equipamentos e Instalações Aula

Leia mais

Aprovadas pela Portaria 3214 de 08/06/1978. Revogadas NR rurais em 15/04/2008

Aprovadas pela Portaria 3214 de 08/06/1978. Revogadas NR rurais em 15/04/2008 Ministério Trabalho e Emprego -CLT Aprovadas pela Portaria 3214 de 08/06/1978 36 NR (última( (19/04/2013 Segurança e Saúde no Trabalho em Empresas de Abate e Processamento de Carnes e Derivados) Revogadas

Leia mais

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Segundo a OMS, a verificação de condições de Higiene e Segurança consiste num estado de bem-estar estar físico, mental e social e não somente a ausência de doença e enfermidades.

Leia mais

SESMT SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO TRABALHO.

SESMT SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO TRABALHO. EMPRESA Conforme o Art. 157 da CLT - Consolidação das Leis Trabalhistas Cabe às empresas: Cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho; Instruir os empregados, através de ordens

Leia mais

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Caderno de Provas SEGURANÇA DO TRABALHO Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Use apenas caneta esferográfica azul ou preta. Escreva o seu nome completo e o

Leia mais

VI SEMINÁRIO RIO METROLOGIA 2008 NAS ATIVIDADES LABORATORIAIS

VI SEMINÁRIO RIO METROLOGIA 2008 NAS ATIVIDADES LABORATORIAIS A METROLOGIA E O SMS A METROLOGIA E O SMS NAS ATIVIDADES LABORATORIAIS SEGURANÇA X METROLOGIA OBJETIVO Mostrar a importância da Metrologia no cumprimento dos requisitos de segurança laboratorial. Identificar

Leia mais

- NORMA REGULAMENTADORA Nº 23 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS

- NORMA REGULAMENTADORA Nº 23 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS - NORMA REGULAMENTADORA Nº 23 PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS Aprovada pela Portaria GM/MTB nº 3.214 - DOU 06/07/1978. 23.1 Todos os empregadores devem adotar medidas de prevenção de incêndios, em conformidade

Leia mais

Manual de Regulamentação Saúde e Segurança Ocupacional

Manual de Regulamentação Saúde e Segurança Ocupacional Manual de Regulamentação Saúde e Segurança Ocupacional Normas Regulamentadoras (NR) As Normas Regulamentadoras (NR s), criadas pelo Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE), tem como objetivo estabelecer

Leia mais

INSTRUÇÕES. O tempo disponível para a realização das duas provas e o preenchimento da Folha de Respostas é de 5 (cinco) horas no total.

INSTRUÇÕES. O tempo disponível para a realização das duas provas e o preenchimento da Folha de Respostas é de 5 (cinco) horas no total. INSTRUÇÕES Para a realização desta prova, você recebeu este Caderno de Questões. 1. Caderno de Questões Verifique se este Caderno de Questões contém a prova de Conhecimentos Específicos referente ao cargo

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 25 MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS

NORMA TÉCNICA N o 25 MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS ANEXO XXV AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 25 MEDIDAS DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO EM SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS 1. OBJETIVO Esta Norma Técnica estabelece as medidas de segurança

Leia mais

LAUDO 007 / 2014 DELIMITAÇÃO DE ATIVIDADES AUXILIAR DE COZINHEIRA / SMED LAUDO PERICIAL DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE 1.

LAUDO 007 / 2014 DELIMITAÇÃO DE ATIVIDADES AUXILIAR DE COZINHEIRA / SMED LAUDO PERICIAL DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE 1. PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE SMS GERÊNCIA DE SAÚDE DO SERVIDOR MUNICIPAL EQUIPE DE PERÍCIA TÉCNICA EPT LAUDO 007 / 2014 DELIMITAÇÃO DE ATIVIDADES AUXILIAR DE COZINHEIRA

Leia mais

Exemplo de Relatório de Auditoria. Geral

Exemplo de Relatório de Auditoria. Geral Exemplo de Relatório de Auditoria Geral Período 29/1/2009 Reavaliação para 15//2009 Dados da Auditoria Auditoria: Cliente: Setor: Nr Funcionários: Dt. Início: Dt. Término Usou a NR: Exemplo de Relatório

Leia mais

Governador do Estado do Rio de Janeiro. Secretário de Estado de Trabalho e Renda

Governador do Estado do Rio de Janeiro. Secretário de Estado de Trabalho e Renda Governador do Estado do Rio de Janeiro Sérgio Cabral Secretário de Estado de Trabalho e Renda Sergio Zveiter Superintendência de Saúde, Segurança e Ambiente do Trabalho Engenheiro de Segurança do Trabalho

Leia mais

ESCOPO DE FORNECIMENTO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6

ESCOPO DE FORNECIMENTO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6 Projeto N o Data de entrada: 3RFollowGoGreener-001-10-2010 Data de saída: Título do Projeto: Programa 3RFollowGoGreener - Sistema Follow é composto por Modelos de Documentos

Leia mais

Conheça nossos Serviços

Conheça nossos Serviços BEM VINDO! Oferecemos completa Assessoria e Consultoria nos aspectos legais, técnicos e normativos relacionados à quaisquer serviços de SEGURANÇA, SAÚDE E MEDICINA DO TRABALHO. Conheça nossos Serviços

Leia mais

NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS. Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila

NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS. Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS Alunos: Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila NR 7 PCMSO - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL Esta Norma Regulamentadora - NR

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 3 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP DIVISÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL - DVSS Sumário 1. OBJETIVO...

Leia mais

Segurança do Trabalho

Segurança do Trabalho Segurança do Trabalho CEUNES / UFES Prof. Manuel Jarufe Introdução à Segurança do Trabalho O que é a função Segurança do Trabalho? Segurança do trabalho pode ser entendida como os conjuntos de medidas

Leia mais

Legislação sobre equipamentos de proteção individual (EPI)

Legislação sobre equipamentos de proteção individual (EPI) Legislação sobre equipamentos de proteção individual (EPI) A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A Lei

Leia mais

Edital Nº. 08/2009-DIGPE 13 de dezembro de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA

Edital Nº. 08/2009-DIGPE 13 de dezembro de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Caderno de Provas HIGIENE E SAÚDE DO TRABALHO Edital Nº. 08/2009-DIGPE 13 de dezembro de 2009 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Use apenas caneta esferográfica azul ou preta. Escreva o seu nome completo

Leia mais

PROGRAMAS (41) 35620280. medicinaocupacional@saudemais.med.br. http://www.saudemais.med.br

PROGRAMAS (41) 35620280. medicinaocupacional@saudemais.med.br. http://www.saudemais.med.br (41) 35620280 medicinaocupacional@saudemais.med.br http://www.saudemais.med.br Temos a satisfação de apresentar nossos serviços de Saúde Ocupacional. Oferecemos assessoria completa em segurança e medicina

Leia mais

Riscos Ambientais MAPA DE RISCOS

Riscos Ambientais MAPA DE RISCOS Riscos Ambientais MAPA DE RISCOS MAPA DE RISCOS Previsto na NR 5. 5.16 A CIPA terá por atribuição: a) identificar os riscos do processo de trabalho, e elaborar o mapa de riscos, com a participação do maior

Leia mais

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas. Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.es/insht/ INTRODUÇÃO Os incêndios e explosões, ainda que representem uma porcentagem

Leia mais

PPRA E PCMSO EXIGÊNCIAS E COMPATIBILIDADES. Elizabeth Sadeck Burlamaqui 09.01.2015

PPRA E PCMSO EXIGÊNCIAS E COMPATIBILIDADES. Elizabeth Sadeck Burlamaqui 09.01.2015 EXIGÊNCIAS E COMPATIBILIDADES PCMSO (NR-7) estabelece que o programa deverá ser desenvolvido sob a responsabilidade de um médico coordenador (OBRIGATORIAMENTE MT, podendo este repassar responsabilidades

Leia mais

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO - SST No Brasil a Segurança e Medicina no Trabalho é regulamentada pela portaria 3214/78, atualmente com 36 Normas Regulamentadoras do Ministério

Leia mais

Normas Técnicas Regulamentadoras - VClipping UCRH

Normas Técnicas Regulamentadoras - VClipping UCRH Page 1 of 11 Normas Técnicas Regulamentadoras De VClipping UCRH Tabela de conteúdo 1 NTR-1: DISPOSIÇÕES GERAIS 2 NTR-2: DOS AGENTES FÍSICOS 3 NTR-3: DOS AGENTES QUÍMICOS 4 NTR 4: DOS AGENTES BIOLÓGICOS

Leia mais

Aspectos do Projeto e Planejamento na Gestão Segurança do Trabalho

Aspectos do Projeto e Planejamento na Gestão Segurança do Trabalho Aspectos do Projeto e Planejamento na Gestão Segurança do Trabalho Prof.MSc.Gonçalo Siqueira Santos / SP Segurança no trabalho Qual a sua atividade? Esta frase é uma das mais utilizadas entre os médicos

Leia mais

Curso Técnico em Segurança do Trabalho Subsequente

Curso Técnico em Segurança do Trabalho Subsequente Curso Técnico em Segurança do Trabalho Subsequente PERFIL PROFISSIONAL Profissional capaz de orientar e intervir na realidade do processo produtivo, promovendo mudanças em relação às aplicações tecnológicas

Leia mais

Perturbação funcional - entende-se que não só um acidente típico, mas também uma doença pode se enquadrar na definição de acidente do trabalho.

Perturbação funcional - entende-se que não só um acidente típico, mas também uma doença pode se enquadrar na definição de acidente do trabalho. ACIDENTE DO TRABALHO Conceito Legal: Lei 8.213/9 Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, ou pelo exercício do trabalho do segurado especial (autônomos, qual

Leia mais

FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PROJETO TÉCNICO

FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO PROJETO TÉCNICO ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA E DA DEFESA SOCIAL CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS DAT/1 SEÇÃO DE ANÁLISE DE PROJETOS FORMULÁRIO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

Leia mais

LEGISLAÇÃO: RESUMO DAS NRs NORMAS REGULAMENTADORAS

LEGISLAÇÃO: RESUMO DAS NRs NORMAS REGULAMENTADORAS LEGISLAÇÃO: RESUMO DAS NRs NORMAS REGULAMENTADORAS Portaria Nº 3.214/78, SSST Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho, atualmente, DSST Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho, do Ministério

Leia mais

GESTÃO DA PRODUÇÃO (GPd)

GESTÃO DA PRODUÇÃO (GPd) GESTÃO DA PRODUÇÃO (GPd) Antonio Keh Chuan Chou Gerente EHS GSC Latin America Sherwin Williams São Paulo, 22 de agosto de 2013 workshop AGENDA workshop Saúde Ocupacional e Segurança do Trabalho Operações

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS 1) OBJETO 1.1) As diretrizes aqui apresentadas tem o objetivo de instruir as empresas contratadas pela, UNILA, quanto

Leia mais

MANUAL ORIENTATIVO DE FISCALIZAÇÃO CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO MODALIDADE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

MANUAL ORIENTATIVO DE FISCALIZAÇÃO CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO MODALIDADE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO MANUAL ORIENTATIVO DE FISCALIZAÇÃO CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO MODALIDADE ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO Laudo Ergonômico Laudo de Periculosidade/Insalubridade Laudo

Leia mais

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas 1. Objetivo Este Procedimento tem como objetivo fixar os requisitos de segurança e medicina do trabalho para as atividades de empresas contratadas, que venham a executar obras e/ou serviços nas dependências

Leia mais

NORMA TÉCNICA DO CORPO DE BOMBEIROS Nº 18/2015 SISTEMA DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO - PROPOSTA

NORMA TÉCNICA DO CORPO DE BOMBEIROS Nº 18/2015 SISTEMA DE PROTEÇÃO POR EXTINTORES DE INCÊNDIO - PROPOSTA ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO NORMA TÉCNICA DO CORPO DE BOMBEIROS Nº 18/2015 SISTEMA DE PROTEÇÃO

Leia mais

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes.

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes. SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S NR-1 DISPOSIÇÕES GERAIS O campo de aplicação de todas as Normas Regulamentadoras de segurança e medicina do trabalho urbano, bem como os direitos e obrigações do

Leia mais

1.1 Segurança do trabalho

1.1 Segurança do trabalho 1.1 Segurança do trabalho A Segurança do Trabalho pode ser entendida como o conjunto de medidas adotadas, visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade

Leia mais

NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0)

NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0) 12.1. Instalações e áreas de trabalho. NR 12 - Máquinas e Equipamentos (112.000-0) 12.1.1. Os pisos dos locais de trabalho onde se instalam máquinas e equipamentos devem ser vistoriados e limpos, sempre

Leia mais

Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2

Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2 Segurança do Trabalho no Canteiro de Obras PARTE 2 Equipamento de Proteção Coletiva (EPC): 2 Áreas vazadas: Equipamento de Proteção Coletiva (EPC) 18.13.1. É obrigatória a instalação de proteção coletiva

Leia mais

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 Caderno de Provas SEGURANÇA DO TRABALHO Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Use apenas caneta esferográfica azul ou preta. Escreva o seu nome completo

Leia mais

A SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS NAS EDIFICAÇÕES

A SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS NAS EDIFICAÇÕES A SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIOS NAS EDIFICAÇÕES 1 OBJETIVOS DO PROJETO DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO A proteção da vida humana A proteção do patrimônio A continuidade do processo produtivo 2 O CÍRCULO DE PROTEÇÃO

Leia mais

NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE NR 10: Portaria n.º 598, de 07/12/2004 (D.O.U. de 08/12/2004 Seção 1) Ementas: Portaria n.º 126, de 03/06/2005 (D.O.U. de 06/06/2005 Seção 1) NR 10 - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS EM ELETRICIDADE

Leia mais

Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa.

Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa. Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa. NR 01 - Disposições Gerais Descrever alguns tópicos do que cabe ao empregador. Verificar

Leia mais

CURSO BÁSICO DE SEGURANÇA E HIGIENE OCUPACIONAL

CURSO BÁSICO DE SEGURANÇA E HIGIENE OCUPACIONAL TUFFI MESSIAS SALIBA CURSO BÁSICO DE SEGURANÇA E HIGIENE OCUPACIONAL 3ª edição SUMÁRIO CAPÍTULO I INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE DOS TRABALHADORES I Breve histórico... 19 II Segurança

Leia mais

30/03/2011. Matéria: Legislações e Normas Técnicas. Professor: Gustavo Fonseca. Assunto: Consolidação das Leis Trabalhistas e Normas Regulamentadoras

30/03/2011. Matéria: Legislações e Normas Técnicas. Professor: Gustavo Fonseca. Assunto: Consolidação das Leis Trabalhistas e Normas Regulamentadoras Matéria: Legislações e Normas Técnicas Professor: Gustavo Fonseca Assunto: Consolidação das Leis Trabalhistas e Normas Regulamentadoras A Constituição Federal de 1988 estabeleceu a competência privativa

Leia mais

COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES C.I.P.A. COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CURSO DE FORMAÇÃO DE CIPEIROS ÍNDICE PÁGINA INTRODUÇÃO 002 RISCOS AMBIENTAIS 003 MAPA DE RISCOS 004 ACIDENTE DO TRABALHO 006 CAUSAS DOS ACIDENTES 007

Leia mais

Símbolos Gráficos Para Projeto de Segurança Contra Incêndio

Símbolos Gráficos Para Projeto de Segurança Contra Incêndio Outubro 2011 Vigência: 08 Janeiro 2012 NPT 004 Símbolos Gráficos Para Projeto de Segurança Contra Incêndio CORPO DE BOMBEIROS BM/7 Versão: 01 Norma de Procedimento Técnico 17 páginas SUMÁRIO 1 Objetivo

Leia mais

Condições de Trabalho

Condições de Trabalho NR-17 Ergonomia OBJETIVO Visa a estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto,

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0)

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) 6.1 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora NR, considera-se Equipamento de Proteção Individual EPI, todo dispositivo ou produto, de

Leia mais

Sistema de Gestão de SMS

Sistema de Gestão de SMS DESCRIÇÃO DA EMPRESA Nome SMART EXPRESS TRANSPORTES LTDA EPP CNPJ 12.103.225/0001-52 Insc.Est. 79.477.680 Atividade: transporte rodoviário de carga em geral Código: 206-2 Nº de funcionários (inclusive

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ASSUNTO PADRONIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, A SEREM EXECUTADAS PELAS EMPRESAS CONTRATADAS PELA INFRAERO RESPONSÁVEL DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO (DA) GERÊNCIA DE DINÂMICA LABORAL

Leia mais

Segurança e Saúde no Trabalho

Segurança e Saúde no Trabalho www.econcursando.com.br Segurança e Saúde no Trabalho Autor: Flávio O. Nunes Auditor Fiscal do Trabalho Todos os direitos reservados ao professor Flávio Nunes cópia proibida 1 NR-07 - PCMSO CLT: Art. 168

Leia mais

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Responsável: Diretoria de Administração (DA) Superintendência de Recursos Humanos (DARH) Gerência de Dinâmica Laboral

Leia mais

A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Legislação sobre equipamentos de proteção individual (EPI) A legislação que trata de EPI no âmbito da segurança e saúde do trabalhador é estabelecida pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A Lei

Leia mais

Checklist aplicável ao Fornecedor ou Subcontratado e Pontuação

Checklist aplicável ao Fornecedor ou Subcontratado e Pontuação Checklist aplicável ao Fornecedor ou Subcontratado e Pontuação Segue abaixo checklist que será utilizado na auditoria no fornecedor ou subcontratado das empresas signatárias.. Formalização da Empresa Peso.

Leia mais

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0)

NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) NR 6 EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (206.000-0/I0) * NR aprovada pela Portaria MTb 3.214/1978. * Texto de acordo com a Portaria SIT/DSST 25/2001. * V. Portaria SIT/DSST 162/2006 (Estabelece procedimentos

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO. Eng. Daiana Paterno

SEGURANÇA NO TRABALHO. Eng. Daiana Paterno SEGURANÇA NO TRABALHO Eng. Daiana Paterno ATUALMENTE?? PORQUE? O cenário atual da Segurança e Saúde no Trabalho no Brasil ainda é muito distante do desejável. A Previdência Social registra, anualmente,

Leia mais

NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EPI

NR 6 - EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EPI Portarias de Alteração Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07/78 Portaria SSMT n.º 06, de 09 de março de 1983 14/03/83 Portaria DSST n.º 05, de 28 de outubro de 1991 30/10/91 Portaria DSST

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Equipamento De Proteção Individual - EPI Definição: EPI é todo dispositivo de uso individual, destinado a proteger a integridade física do trabalhador. EPI (s)

Leia mais

ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES

ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES 1. JUSTIFICATIVA 1.1. Motivação para a Contratação: A contratação constante do objeto em questão é justificada em virtude do término do atual contrato; da impreterível necessidade

Leia mais

MAPA DE RISCOS COMSAT

MAPA DE RISCOS COMSAT MAPA DE RISCOS COMSAT Comissão de Saúde do Trabalhador 1 - Cores usadas no Mapa de Risco e Tabela de Gravidade GRUPO 1: VERDE GRUPO 2: VERMELHO GRUPO 3: MARROM GRUPO 4: AMARELO GRUPO 5: AZUL Riscos Físicos

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 03

PROVA ESPECÍFICA Cargo 03 18 PROVA ESPECÍFICA Cargo 03 QUESTÃO 41 De acordo com a NR-01 da Portaria 3.214/78 MTE DISPOSIÇÕES GERAIS, as Normas Regulamentadoras NR relativas à segurança e medicina do trabalho são de observância

Leia mais

Blog Segurança do Trabalho WWW.BLOGSEGURANCADOTRABALHO.COM.BR

Blog Segurança do Trabalho WWW.BLOGSEGURANCADOTRABALHO.COM.BR NOME DA EMPRESA CHECK LIST - NORMA REGULAMENTADORA Nº 10 Empresa: Inspetor (es): Data da Inspeção: / / Responsável pelo Local de Trabalho / Setor: Local de Trabalho / Setor: ITENS DESCRIÇÃO SIM DA INSPEÇÃO

Leia mais

NORMA TÉCNICA N o 11 PLANOS DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO

NORMA TÉCNICA N o 11 PLANOS DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO ANEXO XI AO DECRETO N o 3.950, de 25 de janeiro de 2010. NORMA TÉCNICA N o 11 PLANOS DE INTERVENÇÃO DE INCÊNDIO 1. OBJETIVOS Esta Norma Técnica estabelece princípios gerais para: a) o levantamento de riscos

Leia mais