Economia e Finanças Públicas Aula T17. Bibliografia. Conceitos a reter. Cap. 5 - Orçamento do Estado (OE) Livro EFP, Cap. 12. Orçamento do Estado

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Economia e Finanças Públicas Aula T17. Bibliografia. Conceitos a reter. Cap. 5 - Orçamento do Estado (OE) Livro EFP, Cap. 12. Orçamento do Estado"

Transcrição

1 Economia e Finanças Públicas Aula T17 Cap. 5 - Orçamento do Estado (OE) 5.1 Noção de orçamento e ciclo orçamental Noção, âmbito e importância do OE O conteúdo da Proposta de Lei do OE O ciclo orçamental EFP - ISEG 1 Livro EFP, Cap. 12 Bibliografia P e (3ª ed.) P e (2ª ed.) EFP - ISEG 2 Orçamento do Estado Contexto legal Noção Âmbito Conteúdo Ciclo orçamental Quatro fases do ciclo Conceitos a reter Prazos e competências EFP - ISEG 3 1

2 O Orçamento de Estado - introdução O instrumento de Política Económica mais importante Com a UEM, é praticamente o único É um documento com 3 dimensões relevantes: Económica: abrange cerca de metade do PIB Política: reflecte as prioridades do governo - volume e estrutura dos recursos financeiros (receitas) e sua afectação às políticas públicas (despesas) Jurídica: é um instrumento, sob a forma de Lei da AR, que limita os poderes financeiros do governo. EFP - ISEG 4 O contexto legal do orçamento Dois níveis (em Portugal): Lei constitucional (Constituição da República Portuguesa, Revisão de 2001) Lei orgânica orçamental (Lei Nº 2/2002) e legislação conexa (Lei nº 8/90 - Lei de s da Contabilidade Pública, entre outras) Adicionalmente (União Europeia): Tratados subscritos por Portugal (Maastricht/Nice) Regulamentos do Conselho Europeu (Pacto de Estabilidade e Crescimento) EFP - ISEG 5 Lei constitucional grandes princípios Âmbito e conteúdo do orçamento e estrutura da respectiva lei anual Organização do orçamento e apresentação das receitas e despesas Definição das competências da Assembleia da República e do Governo em cada uma das fases do ciclo orçamental e prazos de algumas destas competências EFP - ISEG 6 2

3 Lei orgânica orçamental Disposições que regulam a elaboração, discussão, aprovação, execução e controlo do Orçamento de Estado Lei de valor reforçado: decorre da competência legislativa da Assembleia da República e a respeitar por outras leis EFP - ISEG 7 Orçamento de Estado - noção Documento, apresentado sob a forma de lei, que comporta: uma descrição detalhada de todas as receitas e de todas as despesas do Estado, propostas pelo Governo e autorizadas pela AR antecipadamente previstas para um horizonte temporal de um ano Governo apresenta a Proposta de Lei na AR Após a aprovação pela AR e promulgação pelo PR, aquela proposta passa a Lei do OE EFP - ISEG 8 Orçamento de Estado - âmbito O Orçamento de Estado integra os orçamentos Dos serviços integrados no subsector Estado Dos Serviços e Fundos Autónomos Da Segurança Social não integra os orçamentos Das Administrações Regionais e Locais EFP - ISEG 9 3

4 Orçamento de Estado periodicidade O orçamento reporta-se sempre a um período anual, que em muitos países (incluindo Portugal), coincide com o ano civil Reino Unido: ano económico inicia-se em Abril A cada orçamento (para o ano t) correspondem fases que ocorrem previamente (ano t-1) e posteriormente (ano t+1) O ciclo orçamental corresponde ao conjunto de todas as fases relacionadas directamente com cada orçamento EFP - ISEG 10 OE conteúdo da Proposta de Lei A Proposta de Lei do OE contém (Art.º 31 da LEO): 1. Articulado 2. Mapas orçamentais 3. Relatório (ver art.º 33 da LEO e Relatório) 4. Desenvolvimentos Orçamentais (nomeadamente, os orçamentos dos Serviços e Fundos Autónomos - ver art.º 32º 1 b) da LEO) 5. Elementos Informativos (ver art.º 34º da LEO) Estes elementos (indicadores financeiros de médio, longo prazo, etc.) estão incluídos no Relatório EFP - ISEG 11 OE conteúdo da Lei A Lei do Orçamento de Estado contém (Art.º 27 da LEO): 1. Articulado ver Artº 28 da LEO e Proposta de Lei do Orçamento do Estado 2. Mapas orçamentais ver Artº 29 da LEO e Mapas Orçamentais Mapas de base são vinculativos para o Governo Mapas derivados são não vinculativos, pelo que o Governo poderá alterá-los. EFP - ISEG 12 4

5 Mapa Conteúdo Espécie I Receitas dos serviços integrados, por classificação económica II / III Despesas dos serviços integrados, por classificação orgânica e funcional IV V / VI VII / VIII IX Despesas dos serviços integrados, por classificação económica Receitas dos serviços e fundos autónomos, por classificação orgânica e económica Despesas dos serviços e fundos autónomos, por classificação orgânica e funcional Despesas dos serviços e fundos autónomos, por classificação económica X Receitas de segurança social, por classificação económica XI Despesas de segurança social, por classificação funcional XII Despesas de segurança social, por classificação económica XIII / XIV XV XVI Receitas e despesas de cada subsistema, por classificação económica Programa de Investimento e Despesas de Desenvolvim. da Administração Central (PIDDAC) Despesas correspondentes a programas s XVII Responsabilidades contratuais plurianuais por ministério XVIII / XIX / XX XXI Transferências para as Regiões Autónomas, Municípios e Freguesias s EFP - ISEG 13 Receitas tributárias cessantes Ciclo orçamental 4 fases Distintas, mas interdependentes: Fase I - Elaboração do Orçamento do Estado e da respectiva proposta de lei Fase II - Discussão e votação da proposta de lei Fase III - Execução e fiscalização (da Lei) do OE Fase IV - Elaboração, discussão, votação e fiscalização da Conta do Estado EFP - ISEG 14 Ciclo orçamental prazos e competências Fase I Constitui uma competência do Governo, no âmbito das suas funções políticas e administrativas, a iniciativa de apresentação da proposta de lei (CRP, Artigo 197º), até 15 de Outubro de cada ano (LEO, Artigo 35º, nº1) EFP - ISEG 15 5

6 Ciclo orçamental prazos e competências Fase II No âmbito da sua competência política e legislativa, cabe à AR aprovar as leis das GOP e do OE, sob proposta do Governo (CRP, Art.161, alinea g) Votação: até 45 dias após apresentação da proposta Aprovação (AR) e Promulgação (PR): até final ano Rejeição: nova proposta de lei ou demissão do Governo Duas fases na discussão e votação: Generalidade (Plenário da AR) Especialidade (Plenário - Matérias referentes ao sistema fiscal e limites ao endividamento do Estado e ARL - e Comissão de Economia, Finanças e Plano EFP - ISEG 16 Ciclo orçamental prazos e competências Fase III Compete ao Governo, no âmbito da sua função administrativa executar e fazer executar o orçamento no respeito pela autorização concedida pela Assembleia da República e pelo quadro jurídico aplicável (CRP, Artigo 199º) No último dia do ano económico (31 de Dezembro), cessa a vigência do OE EFP - ISEG 17 Ciclo orçamental prazos e competências Fase III (cont.) Princípios na execução das receitas: Legalidade Regularidade orçamental (estar inscrita como receita) Nota: o valor orçamentado pode ser ultrapassado Princípios na execução das despesas: Legalidade Regularidade orçamental o valor inscrito como despesa é um limite máximo Cabimento Execução por duodécimos para o subsector Estado EFP - ISEG 18 6

7 Ciclo orçamental prazos e competências Fase IV A elaboração da Conta Geral do Estado (CGE) é da competência do governo, sendo a sua votação e fiscalização da competência da AR A CGE é uma síntese da execução orçamental durante o ano económico (controlo a posteriori) Âmbito: similar ao do OE Conteúdo: Relatório, Mapas Contabilisticos Gerais, Agrupamento de Contas e Elementos Informativos Com a sua aprovação até 31 de Dezembro de t+1, na AR, encerrase o ciclo orçamental do ano t. EFP - ISEG 19 7

SEMINÁRIO DE ALTO NÍVEL SOBRE FISCALIZAÇÃO LEGISLATIVA DO CICLO ORÇAMENTAL & CONTROLO EXTERNO DAS CONTAS PÚBLICAS NOS PALOP E EM TIMOR-LESTE

SEMINÁRIO DE ALTO NÍVEL SOBRE FISCALIZAÇÃO LEGISLATIVA DO CICLO ORÇAMENTAL & CONTROLO EXTERNO DAS CONTAS PÚBLICAS NOS PALOP E EM TIMOR-LESTE SEMINÁRIO DE ALTO NÍVEL SOBRE FISCALIZAÇÃO LEGISLATIVA DO CICLO ORÇAMENTAL & CONTROLO EXTERNO DAS CONTAS PÚBLICAS NOS PALOP E EM TIMOR-LESTE Praia, Cabo Verde, 9-13 de Março, 2015 1 1- O Parlamento e o

Leia mais

Conceitos a reter. Economia e Finanças Públicas Aula T As contas e os saldos das AP. Bibliografia. Livro EFP, Cap 11 e Cap.

Conceitos a reter. Economia e Finanças Públicas Aula T As contas e os saldos das AP. Bibliografia. Livro EFP, Cap 11 e Cap. Economia e Finanças Públicas Aula T15 4.2 As contas e os saldos das AP 4.2.1 O saldo global das AP 4.2.2 A classificação económica das receitas e das despesas 4.2.3 Os saldos orçamentais EFP - ISEG 1 Conceitos

Leia mais

CAPÍTULO VI VEDAÇÕES CONSTITUCIONAIS EM MATÉRIA ORÇAMENTÁRIA Questões de concursos anteriores Gabarito

CAPÍTULO VI VEDAÇÕES CONSTITUCIONAIS EM MATÉRIA ORÇAMENTÁRIA Questões de concursos anteriores Gabarito SUMÁRIO CAPÍTULO I INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA 1.1 O Direito Financeiro e a Administração Financeira e Orçamentária 1.2 Normas gerais de Direito Financeiro 2. A atividade financeira

Leia mais

Programa. Finanças Públicas 2.º Ano Turmas A/B/Noite Ano Lectivo 2012/2013. Professor Doutor Eduardo Paz Ferreira. Introdução

Programa. Finanças Públicas 2.º Ano Turmas A/B/Noite Ano Lectivo 2012/2013. Professor Doutor Eduardo Paz Ferreira. Introdução Programa Finanças Públicas 2.º Ano Turmas A/B/Noite Ano Lectivo 2012/2013 Professor Doutor Eduardo Paz Ferreira Introdução I. Aspectos gerais 1. As Finanças Públicas. Questões de ordem geral 2. Fixação

Leia mais

Sumário. Prefácio à Décima Quinta Edição, xv. Prefácio à Décima Quarta Edição, xvi. Prefácio à Décima Terceira Edição, xvii

Sumário. Prefácio à Décima Quinta Edição, xv. Prefácio à Décima Quarta Edição, xvi. Prefácio à Décima Terceira Edição, xvii Sumário Prefácio à Décima Quinta Edição, xv Prefácio à Décima Quarta Edição, xvi Prefácio à Décima Terceira Edição, xvii Prefácio à Décima Segunda Edição, xviii Prefácio à Décima Primeira Edição, xix Prefácio

Leia mais

4. O Sector Público Administrativo em Portugal

4. O Sector Público Administrativo em Portugal 4. O Sector Público Administrativo em Portugal 4.1 Estrutura e Competências 4.1.1.Âmbito e estrutura do SPA: descentralização política e administrativa 4.1.2 Administração Central e Segurança Social 4.1.3

Leia mais

1.- Exemplos de alteração da lei de enquadramento orçamental para integração para integração do enfoque de género no ciclo orçamental.

1.- Exemplos de alteração da lei de enquadramento orçamental para integração para integração do enfoque de género no ciclo orçamental. CASO PRÁTICO 5: ALTERAÇÃO DA LEI DE ENQUADRAMENTO ORÇAMENTAL PARA INTEGRAÇÃO DO ENFOQUE DE GÉNERO NO CICLO ORÇAMENTAL. ANALISE DE PRÁCTICAS INTERNACIONAIS E PROPOSTAS PARA CABO VERDE 1.- Exemplos de alteração

Leia mais

Tribunal de Contas. PARECER SOBRE A CONTA GERAL DO ESTADO Ano Económico de 2001 VOLUME III Anexos

Tribunal de Contas. PARECER SOBRE A CONTA GERAL DO ESTADO Ano Económico de 2001 VOLUME III Anexos Tribunal de Contas PARECER SOBRE A CONTA GERAL DO ESTADO Ano Económico de 2001 VOLUME III Anexos Tribunal de Contas ÍNDICE Tribunal de Contas ÍNDICE ANEXO I Identificação de actos administrativos publicados

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES ORÇAMENTAIS E FINANCEIRAS CONSOLIDADAS COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DESEMPENHO DO ESTADO. Pedro Soutelinho Correia Ribeiro

DEMONSTRAÇÕES ORÇAMENTAIS E FINANCEIRAS CONSOLIDADAS COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DESEMPENHO DO ESTADO. Pedro Soutelinho Correia Ribeiro 77F DEMONSTRAÇÕES ORÇAMENTAIS E FINANCEIRAS CONSOLIDADAS COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DESEMPENHO DO ESTADO Pedro Soutelinho Correia Ribeiro Profissão: Docente Universitário / Universidade Lusófona Área

Leia mais

2828 Diário da República, 1.ª série N.º de Maio de 2011

2828 Diário da República, 1.ª série N.º de Maio de 2011 2828 Diário da República, 1.ª série N.º 98 20 de Maio de 2011 Artigo 11.º 3 No exercício das suas competências, a IGF pode, em relação às companhias aéreas e marítimas que operem nas rotas entre o continente

Leia mais

VERSÕES CONSOLIDADAS

VERSÕES CONSOLIDADAS 7.6.2016 Jornal Oficial da União Europeia C 202/1 VERSÕES CONSOLIDADAS DO TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA E DO TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA (2016/C 202/01) 7.6.2016 Jornal Oficial da União

Leia mais

Economia e Finanças Públicas Aula T18. Conceitos a reter. Bibliografia. 5.2 Regras orçamentais. Livro EFP, cap. 12. Lei de Enquadramento Orçamental

Economia e Finanças Públicas Aula T18. Conceitos a reter. Bibliografia. 5.2 Regras orçamentais. Livro EFP, cap. 12. Lei de Enquadramento Orçamental Economia e Finanças Públicas Aula T18 5.2 Regras orçamentais 5.2.1 Anualidade 5.2.2 Unidade e universalidade 5.2.3 Não compensação 5.2.4 Não consignação 5.2.5 Especificação (introdução) 5.2.6 Equilíbrio

Leia mais

Equipa: Regente: Eduardo Paz Ferreira

Equipa: Regente: Eduardo Paz Ferreira PROGRAMA Introdução Equipa: Regente: Eduardo Paz Ferreira Colaboradores (dia): Nazaré da Costa Cabral Alexandra Pessanha André Marçalo Paulo Marques Colaboradores (noite): Marco Capitão Ferreira André

Leia mais

COMPOSIÇÃO DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA, GOVERNOS CONSTITUCIONAIS E PRESIDENTES DA REPÚBLICA ( )

COMPOSIÇÃO DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA, GOVERNOS CONSTITUCIONAIS E PRESIDENTES DA REPÚBLICA ( ) COMPOSIÇÃO DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA, GOVERNOS CONSTITUCIONAIS E PRESIDENTES DA REPÚBLICA (1976-015) I LEGISLATURA (1976-1980) Eleição em 5 de abril de 1976 107 PPD 73 40 CDS 4 UDP 1 Em 07.1979, 3 Deputados

Leia mais

JORNADAS DE FORMAÇÃO EM FISCALIZAÇÃO ORÇAMENTAL COM ENFOQUE NO GÉNERO

JORNADAS DE FORMAÇÃO EM FISCALIZAÇÃO ORÇAMENTAL COM ENFOQUE NO GÉNERO JORNADAS DE FORMAÇÃO EM FISCALIZAÇÃO ORÇAMENTAL COM ENFOQUE NO JORNADAS DE FORMAÇÃO EM FISCALIZAÇÃO ORÇAMENTAL COM ENFOQUE NO Orçamento Programático em Cabo Verde Quadro Legal, Instrumentos e Ferramentas

Leia mais

CASO PRÁTICO 4: INTEGRAÇÃO DA ABORDAGEM DE GÉNERO NAS FERRAMENTAS DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLO DAS DESPESAS PÚBLICAS DE CABO VERDE

CASO PRÁTICO 4: INTEGRAÇÃO DA ABORDAGEM DE GÉNERO NAS FERRAMENTAS DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLO DAS DESPESAS PÚBLICAS DE CABO VERDE CASO PRÁTICO 4: INTEGRAÇÃO DA ABORDAGEM DE GÉNERO NAS FERRAMENTAS DE FISCALIZAÇÃO E CONTROLO DAS DESPESAS PÚBLICAS DE CABO VERDE GRUPO 1: Análise da proposta de Relatório de Género anexo ao Relatório das

Leia mais

CIRCULAR Série A N.º 1386/2017

CIRCULAR Série A N.º 1386/2017 CIRCULAR Série A N.º 1386/2017 ASSUNTO: Instruções genéricas para a elaboração da Conta Geral do Estado de 2016 Aprovadas por despacho de Sua Excelência o Secretário de Estado do Orçamento, em 23 de março

Leia mais

1.2- Breves Considerações sobre a Implementação do SISTAFE

1.2- Breves Considerações sobre a Implementação do SISTAFE I INTRODUÇÃO 1.1 Enquadramento Legal A Constituição da República de Moçambique estabelece, na alínea l) do n.º 2 do artigo 179, que é da exclusiva competência da Assembleia da República deliberar sobre

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO I ÍNDICE. CAPÍTULO I A relevância do estudo do direito administrativo

DIREITO ADMINISTRATIVO I ÍNDICE. CAPÍTULO I A relevância do estudo do direito administrativo ÍNDICE DIREITO ADMINISTRATIVO I Abreviaturas e siglas CAPÍTULO I A relevância do estudo do direito administrativo 1. A relevância do estudo do direito administrativo 1.1 As abordagens do direito administrativo

Leia mais

A CONTA GERAL DO ESTADO

A CONTA GERAL DO ESTADO Seminario sobre Responsabilização Financeira e Prestação de Contas Ministerio de Finanças e Cooperação Internacional(MFCI) S.Tomé, 28 à 30 de Maio 2012 A CONTA GERAL DO ESTADO Prestação de Contas Aprovação

Leia mais

Roteiro de Leitura de Direito Constitucional II 1º Semestre

Roteiro de Leitura de Direito Constitucional II 1º Semestre Roteiro de Leitura de Direito Constitucional II 1º Semestre 2017 1 AULA I Apresentação do Plano de Ensino / Finalidade e Função do Estado (Introdução) *não cai na prova 21/02/2017 Bibliografia básica 31ª

Leia mais

CAPÍTULO IV CRÉDITOS ADICIONAIS 1. Introdução 2. Créditos suplementares 3. Créditos especiais

CAPÍTULO IV CRÉDITOS ADICIONAIS 1. Introdução 2. Créditos suplementares 3. Créditos especiais SUMÁRIO CAPÍTULO I INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA 1.1 O Direito Financeiro e a Administração Financeira e Orçamentária 1.2 Normas gerais de Direito Financeiro 2. A atividade financeira

Leia mais

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante INTRODUÇÃO II - DO OBJETO E DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS III - DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA IV - DAS CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO V - DO RECEBIMENTO DA DOCUMENTAÇÃO E DA PROPOST VI - ABERTURA DOS ENVELOPES VII - DA DOCUMENTAÇÃO

Leia mais

A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161º da Constituição, para valer como lei geral da República, o seguinte:

A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161º da Constituição, para valer como lei geral da República, o seguinte: Lei Nº 91/2001 de 20 de Agosto Lei de enquadramento orçamental A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161º da Constituição, para valer como lei geral da República, o seguinte:

Leia mais

Eu é que sou o benfeitor!!!

Eu é que sou o benfeitor!!! Eu é que sou o benfeitor!!! PODERES TRIBUTÁRIOS & BENEFÍCIOS FISCAIS AUTÁRQUICOS 2 Benefícios fiscais Eu é que sou o benfeitor!!! Poderes tributários Poder(es) financeiro(s) Poderes tributários autárquicos:

Leia mais

DECRETO N.º 221/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea d) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.

DECRETO N.º 221/XII. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea d) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1. DECRETO N.º 221/XII Autoriza o Governo a simplificar o regime de acesso e de exercício de diversas atividades de comércio, serviços e restauração, a regular as profissões dos responsáveis técnicos para

Leia mais

Conselhos Regionais. Normas e Procedimentos de Funcionamento. Conselhos Regionais - Normas e Procedimentos de Funcionamento P á g i n a 1 6

Conselhos Regionais. Normas e Procedimentos de Funcionamento. Conselhos Regionais - Normas e Procedimentos de Funcionamento P á g i n a 1 6 Conselhos Regionais Normas e Procedimentos de Funcionamento P á g i n a 1 6 P á g i n a 2 6 CONSELHOS REGIONAIS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE FUNCIONAMENTO Considerando que: 1. Os Conselhos Regionais não são

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO ORÇAMENTO PÚBLICO (continuação)

DIREITO FINANCEIRO ORÇAMENTO PÚBLICO (continuação) DIREITO FINANCEIRO ORÇAMENTO PÚBLICO (continuação) III. VEDAÇÕES ORÇAMENTÁRIAS A vedação, tratada pelo art. 167, da CF, é dividida em 2 tópicos: a) Execução Orçamentária (limitações a serem aplicadas no

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 28, DE 5 DE MAIO DE Estabelece regras para a implementação da homepage Contas Públicas, de que trata a Lei nº 9.755/98.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 28, DE 5 DE MAIO DE Estabelece regras para a implementação da homepage Contas Públicas, de que trata a Lei nº 9.755/98. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 28, DE 5 DE MAIO DE 1999 Estabelece regras para a implementação da homepage Contas Públicas, de que trata a Lei nº 9.755/98. O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas atribuições

Leia mais

LEI ORGÂNICA N.º 4/2006 LEI DE PROGRAMAÇÃO MILITAR

LEI ORGÂNICA N.º 4/2006 LEI DE PROGRAMAÇÃO MILITAR LEI ORGÂNICA N.º 4/2006 LEI DE PROGRAMAÇÃO MILITAR A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, a seguinte lei orgânica: CAPÍTULO I Programação militar SECÇÃO

Leia mais

Contabilidade Pública. Aula 2. Apresentação. Aula 2. Orçamento Público. O orçamento nacional deve ser equilibrado

Contabilidade Pública. Aula 2. Apresentação. Aula 2. Orçamento Público. O orçamento nacional deve ser equilibrado Contabilidade Pública Aula 2 Apresentação Prof. Me. Adilson Lombardo Aula 2 Orçamento Público: conceito e finalidades. O orçamento nacional deve ser equilibrado As dívidas públicas devem ser reduzidas...

Leia mais

Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"

Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS PREVISÃO INICIAL PREVISÃO ATUALIZADA RECEITAS REALIZADAS RECEITAS CORRENTES (I) 1.919.900,00 1.919.900,00 10.802.689,50 8.882.789,50 RECEITA TRIBUTÁRIA 0,00 0,00 0,00 0,00 RECEITA

Leia mais

Procedimento dos Défices Excessivos (1ª Notificação de 2017)

Procedimento dos Défices Excessivos (1ª Notificação de 2017) Procedimento dos Défices Excessivos 1ª Notificação 2017 24 de março de 2017 Procedimento dos Défices Excessivos (1ª Notificação de 2017) Nos termos dos Regulamentos da União Europeia, o INE envia ao Eurostat,

Leia mais

5352 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o de Agosto de 2001 TÍTULO II TÍTULO I. Princípios e regras orçamentais. Objecto, âmbito e valor da lei

5352 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o de Agosto de 2001 TÍTULO II TÍTULO I. Princípios e regras orçamentais. Objecto, âmbito e valor da lei 5352 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 192 20 de Agosto de 2001 Artigo 5. o Entrada em vigor A presente lei entra em vigor no 30. o dia após a publicação. Aprovada em 28 de Junho de 2001. O Presidente

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.415, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1568 *Revogada pela Lei nº 2.735, de 4/07/2013. Dispõe sobre o Sistema de Controle Interno do Poder Executivo Estadual, e adota outras

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA 3274 Diário da República, 1.ª série N.º 113 14 de junho de 2013 ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Lei n.º 37/2013 de 14 de junho Procede à sétima alteração à lei de enquadramento orçamental, aprovada pela Lei n.º

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 40/XIII. Exposição de Motivos

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. Proposta de Lei n.º 40/XIII. Exposição de Motivos Proposta de Lei n.º 40/XIII Exposição de Motivos A aprovação de uma Lei de programação de infraestruturas e equipamentos para as Forças e Serviços de Segurança do Ministério da Administração Interna (Lei

Leia mais

Referencial Elaboração do Contrato de Consórcio. Sistema de Incentivos à I&DT

Referencial Elaboração do Contrato de Consórcio. Sistema de Incentivos à I&DT Referencial Elaboração do Contrato de Consórcio Sistema de Incentivos à I&DT Contrato Consórcio Externo (aplicável a Projectos de I&DT Empresas em Co-promoção e a Projectos Mobilizadores) I. Legislação

Leia mais

O Parecer do Tribunal de Contas sobre a Conta Geral do Estado no Âmbito da Prestação de Contas

O Parecer do Tribunal de Contas sobre a Conta Geral do Estado no Âmbito da Prestação de Contas Transparência Orçamental e os principais documentos orçamentais na fase de Auditoria das Contas Públicas O Parecer do Tribunal de Contas sobre a Conta Geral do Estado no Âmbito da Prestação de Contas Luanda,

Leia mais

7.ª alteração à Lei de Enquadramento Orçamental PPL n.º 124/XII

7.ª alteração à Lei de Enquadramento Orçamental PPL n.º 124/XII 7.ª alteração à Lei de Enquadramento Orçamental PPL n.º 124/XII Audição na COFAP 22-02-2013 Contexto A PPL 124-XII O projeto de Criação das bases institucionais para a sustentabilidade das finanças públicas

Leia mais

DIREITO FINANCEIRO PÚBLICO

DIREITO FINANCEIRO PÚBLICO DIREITO FINANCEIRO PÚBLICO PROGRAMA 2015/2016 INFORMAÇÕES GERAIS Cordenador: JORGE BACELAR GOUVEIA Regente: RITA CALÇADA PIRES Ano letivo: 2015/2016 Curso: 1º CICLO Semestre: 1º SEMESTRE ECTS: 6 Contacto

Leia mais

Controlo das Administrações Públicas Novo Paradigma

Controlo das Administrações Públicas Novo Paradigma das Administrações Públicas Novo Paradigma Pressupostos: Reforço da base de acréscimo na nova Lei de Enquadramento Orçamental (LEO) Introdução da adaptação das normas internacionais de contabilidade para

Leia mais

Composição do Orçamento do Estado e o Ciclo orçamental. Fernanda Massarongo Beira, Dezembro de 2010

Composição do Orçamento do Estado e o Ciclo orçamental. Fernanda Massarongo Beira, Dezembro de 2010 Composição do Orçamento do Estado e o Ciclo orçamental Fernanda Massarongo Fernanda.massarongo@iese.ac.mz Beira, Dezembro de 2010 Pretende-se que ao final deste módulo o participante tenha alcançado os

Leia mais

Lei do Enquadramento Orçamental

Lei do Enquadramento Orçamental CÓDIGOS ELECTRÓNICOS DATAJURIS DATAJURIS é uma marca registada no INPI sob o nº 350529 Lei do Enquadramento Orçamental Todos os direitos reservados à DATAJURIS, Direito e Informática, Lda. É expressamente

Leia mais

4 - A LOA compreende, entre outros, o orçamento de investimento de todas as empresas de que a União participe.

4 - A LOA compreende, entre outros, o orçamento de investimento de todas as empresas de que a União participe. Orçamento Público CF/88 (CESPE SAD/PE Analista de Controle Interno Especialidade: Finanças Públicas/2010) - A seção II do capítulo referente às finanças públicas, estabelecido na CF, regula os denominados

Leia mais

SISTEMA TRIBUTÁRIO PORTUGUÊS. 7ª Edição da Pós-Graduação em Fiscalidade

SISTEMA TRIBUTÁRIO PORTUGUÊS. 7ª Edição da Pós-Graduação em Fiscalidade SISTEMA TRIBUTÁRIO PORTUGUÊS 7ª Edição da Pós-Graduação em Fiscalidade Instituto Politécnico de Leiria (E.S.T.G.) Departamento de Gestão e Economia 4 de Novembro 2016 OE 2017 CENÁRIO MACRO-ECONÓMICO FMI

Leia mais

Cargo: Técnico Judiciário Área Administrativa

Cargo: Técnico Judiciário Área Administrativa Comparativo das aulas dos cursos regulares e dos cursos para tribunais (Superiores, TRFs, TREs, TRTs e TJs) com os itens o edital do TST Cargo: Técnico Judiciário Área Administrativa Noções de Orçamento

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE PARELHAS Palácio Severino da Silva Oliveira GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE PARELHAS Palácio Severino da Silva Oliveira GABINETE DO PREFEITO RESOLUÇÃO DO LEGISLATIVO Nº 005/2013, DE 31 DE OUTUBRO DE 2013. A MESA DIRETORA DA CÂMARA MUNICIPAL DE PARELHAS RN, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES, CONFERIDAS PELO ART 35, INCISO IV DA LEI ORGÂNICA DESTE MUNICÍPIO,

Leia mais

PLANO DE ENSINO - 2º SEMESTRE/ Curso. Número de Créditos Teórica Prática Total Teórica Prática Total 04 h/a - 04 h/a 72 h/a - 72 h/a 04

PLANO DE ENSINO - 2º SEMESTRE/ Curso. Número de Créditos Teórica Prática Total Teórica Prática Total 04 h/a - 04 h/a 72 h/a - 72 h/a 04 Disciplina DIREITO FINANCEIRO.2 Curso Turno/Horário DIREITO NOITE Professor Arnaldo Santos Filho Turma: 7 º DIN Carga Horária Semanal Carga Horária Semestral Número de Créditos Teórica Prática Total Teórica

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE SETUBAL REGIMENTO CONSELHO DE CONTAS

ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE SETUBAL REGIMENTO CONSELHO DE CONTAS _ ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE SETUBAL REGIMENTO DO CONSELHO DE CONTAS Aprovado em Reunião C. Contas de 10.12.2016 1 ASSOCIACÃO DE FUTEBOL DE SETÚBAL REGIMENTO DO CONSELHO DE CONTAS CAPÍTULO I COMPOSIÇÃO ARTIGO

Leia mais

RELATÓRIO (2016/C 449/20)

RELATÓRIO (2016/C 449/20) 1.12.2016 PT Jornal Oficial da União Europeia C 449/107 RELATÓRIO sobre as contas anuais da Autoridade Europeia dos Seguros e Pensões Complementares de Reforma relativas ao exercício de 2015 acompanhado

Leia mais

PGA PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA (REGULAMENTO)

PGA PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA (REGULAMENTO) PGA PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA (REGULAMENTO) Texto aprovado pelo Conselho Deliberativo na 4ª Reunião Ordinária, de 15 de fevereiro de 2013 Resolução CD/Funpresp-Exe nº 07/2013 SUMÁRIO CAPÍTULO I Da

Leia mais

Notícias Consolidação das Leis Federais

Notícias Consolidação das Leis Federais Notícias Consolidação das Leis Federais Encaminhado ao Congresso Nacional Projeto de lei para declarar expressamente revogadas leis e decretos-leis cujos preceitos perderam eficácia. (EM nº 020/2000 -

Leia mais

Quadro I Emissão do alvará de licença ou admissão de comunicação prévia de loteamento com obras de urbanização

Quadro I Emissão do alvará de licença ou admissão de comunicação prévia de loteamento com obras de urbanização Quadro I Emissão do alvará de licença ou admissão de comunicação prévia de loteamento com obras de urbanização 1 1 - Emissão do alvará ou admissão de comunicação prévia 75,35 2 a) Por lote 3 b) Por fogo

Leia mais

Sector Público. SPA ou AP: diferentes abordagens. Âmbito do sector público - introdução. O sector público divide-se em:

Sector Público. SPA ou AP: diferentes abordagens. Âmbito do sector público - introdução. O sector público divide-se em: Economia e Finanças Públicas Aula T14 4. O sector público em Portugal: âmbito, estrutura e contas 4.1 As administrações públicas (AP) 4.1.1 As AP: âmbito e estrutura 4.1.2 Os sub-sectores das AP 4.1.2.1

Leia mais

Sumário Estatístico dos Exames ANBIMA. Certificação Dados obtidos até: Relatório Gerado em:

Sumário Estatístico dos Exames ANBIMA. Certificação Dados obtidos até: Relatório Gerado em: Sumário Estatístico dos Exames ANBIMA Certificação Dados obtidos até: 31.12.2016 Relatório Gerado em: 13.01.2017 Números consolidados dos Exames de Certificação ANBIMA CPA-10 CPA-20 CGA** CEA Total Inscrições

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 299/XII/2.ª

PROJETO DE LEI N.º 299/XII/2.ª Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 299/XII/2.ª DEFINE O REGIME DE AUDIÇÃO E PARTICIPAÇÃO DAS AUTARQUIAS LOCAIS E POPULAÇÕES NO PROCESSO LEGISLATIVO DE CRIAÇÃO, EXTINÇÃO, FUSÃO E MODIFICAÇÃO DE AUTARQUIAS

Leia mais

JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 29 de julho de 2013

JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 29 de julho de 2013 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Segunda-feira, Série Sumário ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA DA MADEIRA Decreto Legislativo Regional n.º 26/2013/M Primeira alteração ao Decreto

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL

PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL PLANO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL 2010 2013 INSTRUMENTOS TÉCNICOS DO CICLO ORÇAMENTÁRIO CONSIDERAÇÕES INICIAIS A Constituição de 1988 introduziu significativa alteração no sistema de planejamento e

Leia mais

PAINEL 3: "Desafios e Perspectivas face a Nova lei de finanças públicas e o processo de Convergência aos padrões internacionais"

PAINEL 3: Desafios e Perspectivas face a Nova lei de finanças públicas e o processo de Convergência aos padrões internacionais PAINEL 3: "Desafios e Perspectivas face a Nova lei de finanças públicas e o processo de Convergência aos padrões internacionais" PLS 229: Inovações, Riscos e oportunidades NATAL - RN 20 de Outubro de 2016

Leia mais

Aprova o regulamento orgânico da Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos

Aprova o regulamento orgânico da Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos DECRETO N.º 116/XI Aprova o regulamento orgânico da Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte:

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA PSS SEGURIDADE SOCIAL

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA PSS SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA PSS SEGURIDADE SOCIAL ÍNDICE CAPÍTULO I Quanto ao Objetivo...3 CAPÍTULO II Glossário.........3 CAPÍTULO III Quanto as Fontes e Limites de Custeio Administrativo...5

Leia mais

CONSELHO DE MINISTROS PROPOSTA DE LEI Nº /IX /2017 DE DE

CONSELHO DE MINISTROS PROPOSTA DE LEI Nº /IX /2017 DE DE CONSELHO DE MINISTROS PROPOSTA DE LEI Nº /IX /2017 DE DE ASSUNTO: Procede à primeira alteração à Lei n.º 89/VII/2011, de 14 de fevereiro, que aprova a Orgânica do Ministério Público. EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SUBCOMISSÃO DE POLÍTICA GERAL INTRODUÇÃO

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SUBCOMISSÃO DE POLÍTICA GERAL INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO A Subcomissão de Política Geral, em 23 de junho de 2015, procedeu à apreciação, relato e emissão de parecer sobre a Proposta de Lei n.º 342/XII/4 que altera o Código Civil, aprovado pelo Decreto-Lei

Leia mais

PROJETO DE ORÇAMENTO RETIFICATIVO N.º 3 AO ORÇAMENTO GERAL DE 2013 MAPA GERAL DE RECEITAS

PROJETO DE ORÇAMENTO RETIFICATIVO N.º 3 AO ORÇAMENTO GERAL DE 2013 MAPA GERAL DE RECEITAS COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 15.4.2013 COM(2013) 224 final PROJETO DE ORÇAMENTO RETIFICATIVO N.º 3 AO ORÇAMENTO GERAL DE 2013 MAPA GERAL DE RECEITAS PT PT PROJETO DE ORÇAMENTO RETIFICATIVO N.º 3 AO ORÇAMENTO

Leia mais

PROCEDIMENTO DOS DÉFICES EXCESSIVOS (2ª NOTIFICAÇÃO DE 2017)

PROCEDIMENTO DOS DÉFICES EXCESSIVOS (2ª NOTIFICAÇÃO DE 2017) 22 de setembro de 2017 Procedimento dos Défices Excessivos 2ª Notificação 2017 PROCEDIMENTO DOS DÉFICES EXCESSIVOS (2ª NOTIFICAÇÃO DE 2017) Nos termos dos Regulamentos da União Europeia, o INE envia ao

Leia mais

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante I - INTRODUÇÃO II - OBJETO III - DOS ÓRGÃOS E UNIDADES INTEGRANTES DO REGISTRO IV - CONDIÇÕES GERAIS PARA PARTICIPAÇÃO V - DO RECEBIMENTO DA DOCUMENTAÇÃO E DA PROPOST VI - ABERTURA DOS ENVELOPES VII -

Leia mais

Diploma. Estabelece os modelos de licenças, alvarás, certificados e outras autorizações a emitir pela Polícia de Segurança Pública

Diploma. Estabelece os modelos de licenças, alvarás, certificados e outras autorizações a emitir pela Polícia de Segurança Pública Diploma Estabelece os modelos de licenças, alvarás, certificados e outras autorizações a emitir pela Polícia de Segurança Pública Portaria n.º 931/2006 de 8 de Setembro O novo regime jurídico das armas

Leia mais

Tribunal de Contas. Nota Introdutória

Tribunal de Contas. Nota Introdutória Nota Introdutória NOTA INTRODUTÓRIA O presente Volume, cuja estrutura reflecte o conteúdo genérico previsto no artigo 41.º da Lei n.º 98/97, de 26 de Agosto, contém os resultados das acções de verificação

Leia mais

NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL

NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL 1 Constituição. 1.1 Conceito, classificações, princípios fundamentais. 2 Direitos e garantias fundamentais. 2.1 Direitos e deveres individuais e coletivos, Direitos sociais,

Leia mais

Financiado pela AAC - Agência de Aviação Civil

Financiado pela AAC - Agência de Aviação Civil Concurso Financiado pela AAC - Agência de Aviação Civil Concurso Concurso para Apresentação de Propostas no âmbito de Selecção de um Fiscal Único Nº 02/2017 I. Entidade Contratante: Agencia de Aviação

Leia mais

Os objetivos fundamentais da disciplina de Contabilidade e Finanças Públicas consistem na análise e compreensão:

Os objetivos fundamentais da disciplina de Contabilidade e Finanças Públicas consistem na análise e compreensão: CONTABILIDADE E FINANÇAS PÚBLICAS [12505] GERAL Ano Letivo: 201617 Grupo Disciplinar: Administração e Finanças Públicas ECTS: 4,5 Regime: D, PL Semestre: S1 OBJETIVOS Os objetivos fundamentais da disciplina

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 7.150, DE 2014 (Do Sr. Rodrigo Maia)

PROJETO DE LEI N.º 7.150, DE 2014 (Do Sr. Rodrigo Maia) *C0048302E* C0048302E CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 7.150, DE 2014 (Do Sr. Rodrigo Maia) Altera a Lei nº 8.080, de 11 de setembro, de 1990, para determinar a realização de campanhas destinadas

Leia mais

Relatório sobre as contas anuais da Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia relativas ao exercício de 2016

Relatório sobre as contas anuais da Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia relativas ao exercício de 2016 Relatório sobre as contas anuais da Agência dos Direitos Fundamentais da União Europeia relativas ao exercício de 2016 acompanhado da resposta da Agência 12, rue Alcide De Gasperi - L - 1615 Luxembourg

Leia mais

Indicadores) Administrações Publicas. Indicadores (AC) Administração Central

Indicadores) Administrações Publicas. Indicadores (AC) Administração Central Indicadores) Administrações Publicas Indicadores (AC) Administração Central Funcional Económica Introdução A presente solução é uma ferramenta que pretende mostrar aos cidadãos interessados em matérias

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES GERAIS MIG REGULAÇÃO INSTITUCIONAL REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL - SICOOB AGRORURAL

MANUAL DE INSTRUÇÕES GERAIS MIG REGULAÇÃO INSTITUCIONAL REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL - SICOOB AGRORURAL MANUAL DE INSTRUÇÕES GERAIS MIG REGULAÇÃO INSTITUCIONAL REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL - SICOOB AGRORURAL 1/6 REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO FISCAL DA COOPERATIVA DE CRÉDITO DE LIVRE ADMISSÃO DO VALE

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA. Lei n.º /2015. de Março

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA. Lei n.º /2015. de Março REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Lei n.º /2015 de de Março O Orçamento do Estado para 2015 materializa a política financeira do Governo, em conformidade com os objectivos do Plano Económico

Leia mais

Encontros Temáticos Autonomia das Escolas e Avaliação do Desempenho Docente Parte II Autonomia das Escolas

Encontros Temáticos Autonomia das Escolas e Avaliação do Desempenho Docente Parte II Autonomia das Escolas REGIME JURÍDICO DE AUTONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO Decreto-lei nº 75/2008 de 22 de Abril Maio de 2008 Disposições transitórias e finais (Cap. VIII) [artigos 60º-72º] Disposições transitórias Conselho

Leia mais

Altera o Estatuto do Distrito Estadual de Fernando de Noronha, aprovado pelo Decreto nº , de 12 de março de 2003, e dá outras providências.

Altera o Estatuto do Distrito Estadual de Fernando de Noronha, aprovado pelo Decreto nº , de 12 de março de 2003, e dá outras providências. DECRETO Nº 26.266, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2003. Altera o Estatuto do Distrito Estadual de Fernando de Noronha, aprovado pelo Decreto nº 25.297, de 12 de março de 2003, e dá outras providências. O GOVERNADOR

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Segunda-feira, 26 de junho de Série. Número 112

JORNAL OFICIAL. Suplemento. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Segunda-feira, 26 de junho de Série. Número 112 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Segunda-feira, 26 de junho de 2017 Série Suplemento Sumário SECRETARIAS REGIONAIS DOS ASSUNTOS PARLAMENTARES E EUROPEUS E DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Leia mais

acompanhado da resposta do Centro

acompanhado da resposta do Centro Relatório sobre as contas anuais do Centro Europeu para o Desenvolvimento da Formação Profissional relativas ao exercício de 2016 acompanhado da resposta do Centro 12, rue Alcide De Gasperi - L - 1615

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 15 de maio de Série. Número 58

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Quarta-feira, 15 de maio de Série. Número 58 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Quarta-feira, 15 de maio de 2013 Série Sumário ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA Resolução da Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira

Leia mais

Índice ÍNDICE. Pág. Prefácio... 7 Plano da obra Abreviaturas Bibliografia Geral Parte I CONCEITO DE DIREITO

Índice ÍNDICE. Pág. Prefácio... 7 Plano da obra Abreviaturas Bibliografia Geral Parte I CONCEITO DE DIREITO Índice 609 ÍNDICE Pág. Prefácio... 7 Plano da obra... 11 Abreviaturas... 13 Bibliografia Geral... 15 Parte I CONCEITO DE DIREITO Capítulo 1 A vida do Homem em sociedade 1. Observações preliminares... 23

Leia mais

ANO CONGRESSO PAÍS TEMAS TÉCNICOS 1953 I Cuba Tema 1 O sistema de contabilidade do Estado, fundamento da intervenção e fiscalização dos Tribunais de

ANO CONGRESSO PAÍS TEMAS TÉCNICOS 1953 I Cuba Tema 1 O sistema de contabilidade do Estado, fundamento da intervenção e fiscalização dos Tribunais de ANO CONGRESSO PAÍS TEMAS TÉCNICOS 1953 I Cuba Tema 1 O sistema de contabilidade do Estado, fundamento da intervenção e fiscalização dos Tribunais de Contas. Alcance da fiscalização preventiva na execução

Leia mais

ÍNDICE DE QUADROS... ÍNDICE DE FIGURAS... ÍNDICE DE GRÁFICOS... NOTA INTRODUTÓRIA... 1

ÍNDICE DE QUADROS... ÍNDICE DE FIGURAS... ÍNDICE DE GRÁFICOS... NOTA INTRODUTÓRIA... 1 ÍNDICE DE QUADROS ÍNDICE ÍNDICE DE QUADROS... ÍNDICE DE FIGURAS... ÍNDICE DE GRÁFICOS... ix xiii xiv NOTA INTRODUTÓRIA... 1 Parte 1O «ACIDENTE TÍPICO» EM TODOS OS SECTORES DE ACTIVIDADE (PERÍODO 2001-2003)...

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS INFORMAÇÃO MENSAL E TRIMESTRAL

PRESTAÇÃO DE CONTAS INFORMAÇÃO MENSAL E TRIMESTRAL REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE MINISTERIO DE FINANÇAS E COOPERAÇÃO INTERNACIONAL DIRECÇÃO DE CONTABILIDADE PUBLICA SEMINARIO SOBRE A RESPONSABILIZAÇÃO FINANCEIRA E PRESTAÇÃO DE CONTAS PRESTAÇÃO

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DE INVESTIMENTOS SOCIAIS

FUNDO MUNICIPAL DE INVESTIMENTOS SOCIAIS a. Quadro Principal DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS : 2015 QUADRO - VARIAÇÕES PATRIMONIAIS QUANTITATIVAS Nota Impostos, Taxas e Contribuições de Melhoria Contribuições Exploração e Venda de Bens,

Leia mais

TÍTULO VIII PODER LOCAL

TÍTULO VIII PODER LOCAL TÍTULO VIII PODER LOCAL CAPÍTULO I Princípios gerais Artigo 235.º Autarquias locais 1. A organização democrática do Estado compreende a existência de autarquias locais. 2. As autarquias locais são pessoas

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS SOCIAIS

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS SOCIAIS COMISSÃO PERMANENTE DE ASSUNTOS SOCIAIS RELATÓRIO E PARECER AO PROJECTO DE DECRETO-LEI QUE REGULAMENTA OS CONSELHOS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO E APROVA O PROCESSO DE ELABORAÇÃO DA CARTA EDUCATIVA, TRANSFERINDO

Leia mais

PROGRAMA DE CIÊNCIA POLÍTICA E DIREITO CONSTITUCIONAL

PROGRAMA DE CIÊNCIA POLÍTICA E DIREITO CONSTITUCIONAL João Albuquerque PROGRAMA DE CIÊNCIA POLÍTICA E DIREITO CONSTITUCIONAL (Ano Lectivo de 2010/2011) Faculdade de Direito da Universidade de Macau 2 CAPÍTULO I O POLÍTICO I A noção de Política em sentido

Leia mais

Relatório sobre as contas anuais do Serviço Europeu de Polícia relativas ao exercício de acompanhado da resposta do Serviço

Relatório sobre as contas anuais do Serviço Europeu de Polícia relativas ao exercício de acompanhado da resposta do Serviço Relatório sobre as contas anuais do Serviço Europeu de Polícia relativas ao exercício de 2016 acompanhado da resposta do Serviço 12, rue Alcide De Gasperi - L - 1615 Luxembourg T (+352) 4398 1 E eca-info@eca.europa.eu

Leia mais

Relatório sobre as contas anuais da Agência de Aprovisionamento da Euratom relativas ao exercício de 2016

Relatório sobre as contas anuais da Agência de Aprovisionamento da Euratom relativas ao exercício de 2016 Relatório sobre as contas anuais da Agência de Aprovisionamento da Euratom relativas ao exercício de 2016 acompanhado da resposta da Agência 12, rue Alcide De Gasperi - L - 1615 Luxembourg T (+352) 4398

Leia mais

MODELO DE GOVERNAÇÃO ANEXO I

MODELO DE GOVERNAÇÃO ANEXO I MODELO DE GOVERNAÇÃO ANEXO I Modelo de Governação do Fundo para a Modernização da Justiça ENQUADRAMENTO O Fundo para a Modernização da Justiça (FMJ) foi criado pelo artigo 167.º da Lei n.º 55/2010, de

Leia mais

ESTRUTURA EMPRESARIAL - PORTUGAL

ESTRUTURA EMPRESARIAL - PORTUGAL Aula Magna da Universidade Clássica de Lisboa - 11 de Dezembro de 2007 Conferência Internacional Sobre PME ESTRUTURA EMPRESARIAL - PORTUGAL Prof. Dr. Fernando Augusto Morais Gestor de Empresas pela Univ.

Leia mais

Tribunal de Contas CAPÍTULO I. Processo Orçamental

Tribunal de Contas CAPÍTULO I. Processo Orçamental CAPÍTULO I Processo Orçamental I PROCESSO ORÇAMENTAL 1.1 Lei do Orçamento A Lei do Orçamento do Estado para 1998, Lei n.º 127-B/97, foi aprovada pela Assembleia da República em 14 de Novembro de 1997,

Leia mais

Sumário CAPÍTULO I TEORIA DA CONSTITUIÇÃO E DAS NORMAS CONSTITUCIONAIS... 13

Sumário CAPÍTULO I TEORIA DA CONSTITUIÇÃO E DAS NORMAS CONSTITUCIONAIS... 13 Sumário 7 Sumário CAPÍTULO I TEORIA DA CONSTITUIÇÃO E DAS NORMAS CONSTITUCIONAIS... 13 QUESTÕES... 13 I.1. Constitucionalismo e história das Constituições... 13 I.2. Conceito e concepções de Constituição...

Leia mais

Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO QUESTÕES CESPE COMENTADAS Transferência de empregados Capítulo III

Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO QUESTÕES CESPE COMENTADAS Transferência de empregados Capítulo III Sumário APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO QUESTÕES CESPE COMENTADAS... 13 Guia de leitura... 15 DIRECIONAMENTO DO ESTUDO... 17 Raio-x dos assuntos mais cobrados... 21 Raio-X da incidência das questões por assunto...

Leia mais

PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTOS PARTE ESPECIFICA (REF G1)

PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTOS PARTE ESPECIFICA (REF G1) PROVA ESCRITA DE CONHECIMENTOS PARTE ESPECIFICA (REF G1) A duração desta prova é de 30 minutos MATERIAL O material desta prova é constituído por este caderno de questões e pela folha de respostas para

Leia mais

Unidade I INSTITUIÇÕES DO DIREITO. Prof. Me. Edson Guedes

Unidade I INSTITUIÇÕES DO DIREITO. Prof. Me. Edson Guedes Unidade I INSTITUIÇÕES DO DIREITO Prof. Me. Edson Guedes 1. Introdução ao Direito 1.1 Origem do Direito: Conflitos humanos; Evitar a luta de todos contra todos; 1. Introdução ao Direito 1.2 Conceito de

Leia mais

SECÇÃO III - Regime da sociedade antes do registo. Invalidade do contrato

SECÇÃO III - Regime da sociedade antes do registo. Invalidade do contrato Legislação Comercial Ficha Técnica Código das Sociedades Comerciais TÍTULO I - Parte geral CAPÍTULO I - Âmbito de aplicação CAPÍTULO II - Personalidade e capacidade CAPÍTULO III - Contrato de sociedade

Leia mais