Regulamento de Estágio do Curso de Engenharia Elétrica

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regulamento de Estágio do Curso de Engenharia Elétrica"

Transcrição

1 Regulamento de Estágio do Curso de Engenharia Elétrica

2 Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório no curso de Engenharia Elétrica é uma atividade curricular obrigatória aos acadêmicos do curso dividida em duas etapas. A primeira corresponde à participação do graduando nos seminários de estágio realizados no curso desenvolvidos em sala de aula visando preparar o aluno para a segunda etapa. Esta segunda etapa corresponde à realização efetiva do estágio enquanto uma atividade que deve ser cumprida com um mínimo de 280 horas junto a pessoas jurídicas de direito público ou privado, na área de eletro-eletrônica, sistemas de energia, engenharia biomédica, sistemas de automação ou inteligência computacional. O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório é uma atividade realizada em colaboração com a empresa, visando dar ao acadêmico uma complementação profissional, não se constituirá em especialização do acadêmico, num determinado campo industrial, pois seu principal objetivo é dar ao acadêmico conhecimentos gerais e vivência dos problemas relacionados à sua futura profissão. Estágio Não Obrigatório é aquele realizado pelo estagiário como atividade opcional, com o intuito de complementar a formação por meio de experiências próprias como complemento do ensino e da aprendizagem técnica, ética, social e cultural. Sua carga horária é acrescida à carga horária regular e obrigatória, quando prevista em regulamento de estágio do curso. De acordo com a Lei , de 25 de setembro de 2008, para esta modalidade de estágio é compulsória a concessão de bolsa ou outra forma de contraprestação que venha a ser acordada, bem como auxílio transporte e recesso remunerado. O Estágio Não Obrigatório poderá ser aproveitado como Atividades Complementares, comprovado pelo Termo de Compromisso de Estágio TCE e a entrega do relatório final. O estagiário deverá solicitar o aproveitamento de tal atividade na Central de Atendimento. 2. OBJETIVOS Desenvolver a interdisciplinaridade; Permitir o desenvolvimento de habilidades técnico-científicas, visando a melhor qualificação do futuro profissional; Contribuir para a redução do tempo de adaptação do recém-formado à sua atividade profissional;

3 Propiciar condições para aquisição de novos conhecimentos e experiências no campo profissional; Subsidiar o Conselho do Curso de Engenharia Elétrica com informações que permitam adaptações e/ou reformulações curriculares relacionadas ao estágio, quando necessárias; Promover a integração dos Cursos de Engenharia, bem como de todo o UnilesteMG com a comunidade, especialmente com a parcela ligada às atividades de engenharia. 3. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL A Estrutura Organizacional do Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório será constituída de: um (01) Coordenador Institucional de Estágio; um (01) professor orientador designado pelo coordenador do curso; orientadores técnicos designados pela empresa; estagiários. 4. ATRIBUIÇÕES 4.1 Ao Coordenador de Estágio institucional, compete: Divulgar entre os acadêmicos as vagas de estágio, oferecidas pelas empresas; Propor, a quem de direito, a celebração de convênios, subvenções e bolsasauxílio; Administrar sob o ponto de vista técnico-didático os estágios; Zelar pela documentação gerada no processo de estágio; Acompanhar os trabalhos do agente de integração na obtenção das vagas para estágio, julgando as possibilidades técnicas das empresas para oferecerem o estágio pretendido; Fiscalizar o andamento dos estágios e convocar reuniões com os professores orientadores e estagiários, sempre que se fizer necessário; Fornecer à coordenação do curso informações referentes ao estágio; Enviar à Secretaria de Ensino Superior a avaliação final do estágio;

4 Promover palestras, seminários, visitas, objetivando esclarecer sobre os programas de estágio. 4.2 Ao Professor Orientador, compete: Organizar, com o estagiário e com o Supervisor do estágio na empresa, um Plano de estágio. Orientar o estagiário a desenvolver as atividades fixadas no planejamento e auxiliá-lo quanto às providências a serem tomadas com relação ao levantamento de dados, fontes de consulta e análises a serem efetuadas. Acompanhar e manter sob sua guarda o processo de estágio, desde o seu recebimento formal até a sua conclusão, ocasião em que deverá devolvê-lo à Coordenação de Estágio. Fixar prazos para a apresentação de relatórios parciais do estágio, estabelecer as normas de apresentação do relatório final, discutí-lo com o aluno e avaliá-lo. Avaliar os relatórios parciais e final. 4.3 Ao Orientador Técnico, compete: Junto com o estagiário e o professor orientador, elaborar o programa de estágio antes de seu início, tendo em vista os objetivos a serem alcançados; Orientar e acompanhar todas as atividades do estagiário no campo de estágio; Avaliar o desempenho do estagiário; Solicitar o desligamento do estagiário do campo de estágio, quando se fizer necessário; Prestar ao Coordenador de Estágio informações adicionais, quando solicitadas; Solicitar reuniões com o Coordenador de Estágio ou com os professores orientadores, quando se fizerem necessárias. 4.4 Ao Estagiário, compete: Acatar as decisões da Coordenação de Estágio, durante o período em que estiver estagiando;

5 Aceitar a indicação da coordenação do Setor de Estágio, quanto à época de realização do estágio; Acatar as determinações do orientador técnico e do professor orientador, cumprindo o programa de estágio, as normas e os regulamentos internos da empresa e o estabelecido neste manual; Elaborar bimestralmente em três (03) vias os relatórios das atividades; Respeitar e obedecer o sigilo da instituição ou da unidade concedente de estágio e obedecer às normas por eles estabelecidas. 5. LOCAIS DE ESTÁGIO E AGENTES DE INTEGRAÇÃO O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório será realizado em empresas, mediante prévio convênio com o UBEC/UnilesteMG, através de contrato firmado entre a empresa e o estagiário, que, para todos os efeitos legais, não gerará vínculo empregatício de qualquer espécie, ou ainda com a participação de agentes de integração. Os alunos do curso podem ainda estagiar em setores internos desta instituição especificamente para prestação de serviços às empresas conveniadas ou ainda em projetos de pesquisa com perfil apropriado. 6. OPERACIONALIZAÇÃO A operacionalização do Estágio no curso de Engenharia Elétrica do UnilesteMG se dá a partir das disciplinas Estágio Supervisionado I e Estágio Supervisionado II que são organizadas na forma de seminários discorrendo sobre temas relacionados à formação do Engenheiro Eletricista, além do estágio prático realizado em uma empresa de caráter público ou privado em áreas profissionalizantes relacionadas à formação e devidamente orientado por um profissional da área com formação ou experiência profissional na área de conhecimento desenvolvida no curso do estagiário, conforme legislação. O aluno matriculado na disciplina Estágio Supervisionado I deverá ter pelo menos seis certificados de participação para ser aprovado na disciplina. O aluno matriculado em Estágio Supervisionado II será orientado quinzenalmente sobre a realização do estágio e sobre a apresentação do seu estágio prático nos seminários de estágio realizados no curso. Caso esteja realizando o estágio, deverá entregar um relatório parcial a cada dois meses de estágio, sob orientação de um professor do curso.

6 Atendendo a legislação em vigor a carga horária do estágio prático poderá ser de até 6 horas diárias totalizando no mínimo 280 horas. O estágio é requisito para a aprovação e obtenção de diploma e pode ser equiparado a atividades de extensão, monitorias e de iniciação científica, desde que cumprida a carga horária mínima de 280h, conforme o artigo 2 o. da lei O aluno que trabalha há pelo menos seis meses na área de atuação profissional poderá apresentar uma declaração das funções exercidas por ele para a equiparação com o estágio. Estará apto para o Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório o aluno que matriculado regularmente a partir do 8 o período e tenha cursado ou esteja cursando a disciplina Estágio Supervisionado Obrigatório. O prazo limite para realização do estágio na empresa será de no máximo 6 (seis) meses após a conclusão dos créditos da disciplina, caso contrário, será considerado reprovado no Estágio Supervisionado Obrigatório. 6.1 APROVEITAMENTO DE FUNÇÃO O aluno que trabalha em área afim poderá solicitar a dispensa de Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório e a carga horária do seu estágio poderá ser computada dentro do seu horário de trabalho. Deverá encaminhar uma declaração da empresa devidamente carimbada e assinada contendo: 1. data de admissão; 2. setor onde trabalha; 3. função e atividades técnicas que executa. Neste caso o aluno poderá ser dispensado do Estágio caso trabalhe a pelo menos seis meses na função descrita na declaração. Jornada de Trabalho, de 6 (seis) horas diárias, de acordo com a lei Programação das atividades: o estágio será realizado através de programação detalhada (programa de estágio), previamente elaborado pelo estagiário com o orientador técnico e aprovado pelo professor orientador. Relatório das Atividades: o estagiário obriga-se a apresentar ao professor orientador e ao orientador técnico, um relatório parcial das suas atividades ao

7 final de dois (02) meses, e um relatório final, que deverá ser entregue até 15 dias após o término do estágio. Nos relatórios não se divulgará o que for considerado "segredo industrial" pela empresa. O aluno que trabalhar em área afim ou estiver cumprindo carga horária mínima, apresentará dois relatórios, sendo um parcial, entregue na metade do estágio e um relatório técnico final, que deverá ser entregue até 15 dias após o término do estágio. O Relatório Técnico Final poderá ser substituído por uma apresentação nos Seminários de Estágio a serem apresentados na disciplina Estágio Supervisionado II. 7. AVALIAÇÃO O critério de avaliação para o estágio desenvolvido na empresa será efetuado com base participação nos seminários, na avaliação da empresa, dos relatórios e das entrevistas feitas pelo professor orientador com o aluno. Para avaliação do Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório será atribuído um total de 100 (cem) pontos. Para aprovação o aluno deverá obter nota de no mínimo 60 pontos. A nota final do Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório, será a média aritmética das notas atribuídas pela empresa, pelo professor orientador e pela nota da disciplina. O aluno deverá solicitar ao orientador técnico que seja encaminhada à escola Ficha de Avaliação de Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório. 8. ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO O aluno pode participar de Estágio não obrigatório remunerado, conforme lei , em qualquer período do curso. Providências que o aluno deve tomar para realizar o Estágio não obrigatório: Solicitar a carta de estágio junto à Secretaria de Estágio. Retirá-la no Setor de Estágio, num prazo de 2 a 4 dias. Encaminhar ao Setor de Estágio: Contrato de Estágio (Termo de Compromisso de Estágio) de empresa conveniada; Relatórios parciais a cada dois meses; Relatório Final de Estágio.

8 O aluno COM PENDÊNCIA NO SETOR DE estágio não receberá novas cartas de estágio E NEM SERÃO ASSINADOS NOVOS CONTRATOS DE ESTÁGIO. Os documentos e formulários encontram-se disponibilizados na página do Estágio Institucional (www.unilestemg.br/estagio).

Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL

Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL Regulamento de Estágio ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL Coronel Fabriciano/ 2008 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVOS... 1 3. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL... 2 4. ATRIBUIÇÕES... 2 5. LOCAIS DE ESTÁGIO E

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO UGB PARTE I - DOS ASPECTOS GERAIS DO ESTÁGIO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DO ESTÁGIO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO UGB PARTE I - DOS ASPECTOS GERAIS DO ESTÁGIO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DO ESTÁGIO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO UGB PARTE I - DOS ASPECTOS GERAIS DO ESTÁGIO CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DO ESTÁGIO Art. 1º - Este regulamento tem por finalidade, fixar

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ELÉTRICA, MECÂNICA E DE COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO N 02/2012

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ELÉTRICA, MECÂNICA E DE COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO N 02/2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE ENGENHARIA ELÉTRICA, MECÂNICA E DE COMPUTAÇÃO RESOLUÇÃO N 02/2012 Regulamenta as atividades de Estágios Supervisionados Obrigatório e Não

Leia mais

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO

Licenciatura em Ciências Exatas Revisão 3 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO O Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Ciências Exatas do Setor Palotina da UFPR prevê a realização de estágios nas modalidades de estágio obrigatório e

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI CIMATEC NÚCLEO DE CARREIRA PROFISSIONAL MAIO 2012 CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º. Este regulamento tem por finalidade disciplinar as atividades

Leia mais

PORTARIA CE Nº 48, de 04 de novembro de 2015.

PORTARIA CE Nº 48, de 04 de novembro de 2015. PORTARIA CE Nº 48, de 04 de novembro de 2015. Regulamenta a realização de estágios dos alunos dos Cursos de Graduação do Campus de Itapeva. O Coordenador Executivo no uso de suas atribuições legais, expede

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE TURISMO CAPÍTULO I DA NATUREZA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE TURISMO CAPÍTULO I DA NATUREZA REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE TURISMO CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º O Projeto Pedagógico do Curso Turismo da UFPR prevê a realização de estágio nas modalidades de obrigatório

Leia mais

Estágio Curricular. Profa. Dra. Tatiana Renata Garcia Coordenação de estágios

Estágio Curricular. Profa. Dra. Tatiana Renata Garcia Coordenação de estágios Estágio Curricular Profa. Dra. Tatiana Renata Garcia Coordenação de estágios Normas gerais Estágio obrigatório: é aquele definido como tal no projeto do curso, cuja carga horária é requisito para aprovação

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas O Diretor Geral Pró Tempore do Instituto Federal Catarinense Campus de Blumenau, no uso de

Leia mais

RESOLUÇÃO N 43/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE no uso de suas atribuições legais e;

RESOLUÇÃO N 43/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE no uso de suas atribuições legais e; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 43/2009/CONEPE Aprova Normas de Estágio Curricular Obrigatório do

Leia mais

Capítulo I - Da caracterização. Capítulo II - Do objetivo

Capítulo I - Da caracterização. Capítulo II - Do objetivo REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO SUPERVISIONADO Capítulo I - Da caracterização Art. 1º. O Estágio Curricular Obrigatório Supervisionado (ECOS) é atividade individual obrigatória do Currículo

Leia mais

MINUTA REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS UNESP CAMPUS DE MARÍLIA

MINUTA REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS UNESP CAMPUS DE MARÍLIA MINUTA REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS UNESP CAMPUS DE MARÍLIA Capítulo I Do conceito e Objetivos Art. 1º - O Estágio Supervisionado do curso de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01/2008 REGULAMENTO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL OBRIGATÓRIO DOS CURSOS TÉCNICOS

RESOLUÇÃO Nº 01/2008 REGULAMENTO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL OBRIGATÓRIO DOS CURSOS TÉCNICOS RESOLUÇÃO Nº 01/2008 REGULAMENTO DO ESTÁGIO PROFISSIONAL OBRIGATÓRIO DOS CURSOS TÉCNICOS CAPÍTULO I DO ESTÁGIO PROFISSINAL OBRIGATÓRIO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - O Estágio Profissional Obrigatório, previsto

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular

REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular REGULAMENTO INSTITUCIONAL Estágio Curricular CAPITULO I DA DEFINIÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR E SUAS FINALIDADES Art. 1º Este regulamento tem por finalidade orientar a operacionalização do Estágio Curricular

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO EMC RESOLUÇÃO EMC N 01/2017 O Conselho Diretor da Escola de Engenharia Elétrica, Mecânica e de Computação da Universidade Federal de Goiás, em reunião do dia 17 de abril de 2017,

Leia mais

PORTARIA GD Nº 06, DE 23/04/2010

PORTARIA GD Nº 06, DE 23/04/2010 PORTARIA GD Nº 06, DE 23/04/2010 Aprova o Regulamento do Programa de Estágios da Faculdade de Engenharia da UNESP - Campus de Ilha Solteira. O Diretor da Faculdade de Engenharia do Campus de Ilha Solteira,

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º. Este Regulamento estabelece as políticas básicas

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES O Curso de Educação Física - Licenciatura - objetiva a formação pedagógica, ao contemplar uma visão geral da educação e dos processos formativos dos educandos. Adequar-se-á

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 171/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, no uso de suas atribuições legais e,

RESOLUÇÃO Nº 171/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, no uso de suas atribuições legais e, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 171/2009/CONEPE Aprova alteração nas Normas de Estágio do Curso

Leia mais

REGIMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS CURRICULARES DE CURSOS DE GRADUAÇÃO, E DE ENSINO TÉCNICO TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA NATUREZA

REGIMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS CURRICULARES DE CURSOS DE GRADUAÇÃO, E DE ENSINO TÉCNICO TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA NATUREZA 1 REGIMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS CURRICULARES DE CURSOS DE GRADUAÇÃO, E DE ENSINO TÉCNICO TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º. Estas normas regulamentam os estágios dos cursos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 36/2002, DE 13 DE JUNHO DE 2002

RESOLUÇÃO Nº 36/2002, DE 13 DE JUNHO DE 2002 RESOLUÇÃO Nº 36/2002, DE 13 DE JUNHO DE 2002 Altera o Regulamento do Estágio Supervisionado do Curso de Psicologia - Habilitação Formação do Psicólogo, na forma do Anexo. O REITOR DA UNIVERSIDADE REGIONAL

Leia mais

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - BACHARELADOS DO UNILASALLE NORMAS DE FUNCIONAMENTO

PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - BACHARELADOS DO UNILASALLE NORMAS DE FUNCIONAMENTO PRÓ-REITORIA ACADÊMICA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - BACHARELADOS DO UNILASALLE NORMAS DE FUNCIONAMENTO Disciplinas de Estágio Supervisionado Art. 1º De acordo

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO PALMAS/2011 SUMÁRIO CAPÍTULO I - DA NATUREZA...03 CAPÍTULO II - DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO...03 Seção I - Da

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO 1 MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO BETIM MG 2 Este manual tem como objetivo orientar e auxiliar o aluno na compreensão das atividades, normas e diretrizes

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Praia Grande São Paulo Dezembro de 2008 CAPÍTULO I DA NATUREZA Artigo 1º O presente regulamento tem como objetivo normatizar as atividades relacionadas com o estágio

Leia mais

Resolução nº 014, de 06 de dezembro de 2010.

Resolução nº 014, de 06 de dezembro de 2010. Resolução nº 014, de 06 de dezembro de 2010. Resolução nº 014, de 06 de dezembro de 2010. A Presidenta do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Federal do Acre, no uso de suas atribuições

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE ENGENHARIA DE GUARATINGUETÁ

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE ENGENHARIA DE GUARATINGUETÁ UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE ENGENHARIA DE GUARATINGUETÁ REGULAMENTO DO ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ENGENHARIA DO CAMPUS DE GUARATINGUETÁ DA UNESP

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO

CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE PEDAGOGIA REGULAMENTO CAPÍTULO I - DA DEFINIÇÃO DO ESTÁGIO Artigo 01 - O Estágio Supervisionado constitui disciplina obrigatória do Currículo dos Cursos de Licenciatura.

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DO IF BAIANO - CAMPUS URUÇUCA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO DO IF BAIANO - CAMPUS URUÇUCA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CAMPUS URUÇUCA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. TÍTULO I Da definição do Estágio Supervisionado e suas finalidades

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. TÍTULO I Da definição do Estágio Supervisionado e suas finalidades REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO TÍTULO I Da definição do Estágio Supervisionado e suas finalidades Art. 1 - Nos termos da lei 11.788 de Vinte e Cinco de Setembro de Dois Mil e Oito, considera-se

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE FAMETRO

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE FAMETRO REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS CURRICULARES OBRIGATÓRIOS E NÃO OBRIGATÓRIOS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE FAMETRO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º O presente Regulamento fixa diretrizes e normas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 184/2009/CONEPE

RESOLUÇÃO Nº 184/2009/CONEPE SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 184/2009/CONEPE Altera as Normas Específicas do Estágio Supervisionado

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DE CACOAL-FACIMED Autorizado Portaria Nº 306, de 20 de maio de Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado

FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DE CACOAL-FACIMED Autorizado Portaria Nº 306, de 20 de maio de Regulamento de Estágio Curricular Supervisionado FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS DE CACOAL-FACIMED Autorizado Portaria Nº 306, de 20 de maio de 2014 CURSO DE BACHARELADO EM ARQUITETURA E URBANISMO Cacoal - RO 2016 2 REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E TECNOLÓGICOS DE NÍVEL SUPERIOR

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E TECNOLÓGICOS DE NÍVEL SUPERIOR REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO E TECNOLÓGICOS DE NÍVEL SUPERIOR Canoas, RS 2012 CAPÍTULO I DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º - O Estágio Supervisionado dos alunos

Leia mais

RESOLVE: Capítulo I DA NATUREZA

RESOLVE: Capítulo I DA NATUREZA RESOLUÇÃO 02/16 CCMV Regulamenta os estágios no Curso de Medicina Veterinária do Setor de Ciências Agrárias da UFPR. O Colegiado do Curso de Medicina Veterinária do Setor de Ciências Agrárias, na cidade

Leia mais

FACULDADE DE PRESIDENTE VENCESLAU

FACULDADE DE PRESIDENTE VENCESLAU REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I Das Disposições Legais Art.1º - O estágio deve propiciar a complementação do ensino e da aprendizagem e ser planejado, executado, acompanhado e avaliado

Leia mais

Unidade Sede: Rua Marquês do Herval, 701 Centro Caxias do Sul (RS) CEP: Unidade Ana Rech: Avenida Rio Branco, 1595 Bairro Ana Rech Caxias

Unidade Sede: Rua Marquês do Herval, 701 Centro Caxias do Sul (RS) CEP: Unidade Ana Rech: Avenida Rio Branco, 1595 Bairro Ana Rech Caxias OBJETIVO: As Atividades Complementares têm por objetivos: a) desenvolver a autonomia intelectual do acadêmico, favorecendo sua participação em atividades de estudos diversificados que contribuam para a

Leia mais

Rua Clarimundo de Melo, 79 - Encantado - Rio de Janeiro - RJ - Tel.: (21) sjt.com.br

Rua Clarimundo de Melo, 79 - Encantado - Rio de Janeiro - RJ - Tel.: (21) sjt.com.br O Diretor Geral da Faculdade São Judas Tadeu, no uso de suas atribuições regimentais, institui o Regulamento de conforme aprovação do Conselho Superior. Art. 1º O estágio é o ato educativo desenvolvido

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Escola de Engenharia Civil RESOLUÇÃO N 01/2008 Regulamenta as atividades de Estágio Curricular Obrigatório e Não-obrigatório do Curso de Graduação da Escola de Engenharia

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E ESTUDO DE PORTO FERREIRA

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E ESTUDO DE PORTO FERREIRA ASSOCIAÇÃO DE ESCOLAS REUNIDAS ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E ESTUDO DE PORTO FERREIRA ATIVIDADES COMPLEMENTARES CURSO DE TECNÓLOGO EM SISTEMAS PARA INTERNET REGULAMENTO 2 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL

INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL Art. 1 o O Estágio regulamentado pela Lei N o 11.788, de

Leia mais

2 Cartilha de Estágio Univale CARTILHA DE ESTÁGIO UNIVALE

2 Cartilha de Estágio Univale CARTILHA DE ESTÁGIO UNIVALE 2 Cartilha de Estágio Univale CARTILHA DE ESTÁGIO UNIVALE Apresentação 3 Prezados alunos da UNIVALE, Com o objetivo de socializar as informações sobre estágio obrigatório e não obrigatório na UNIVALE,

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO TÍTULO I DO ESTÁGIO E SEUS FINS

ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO TÍTULO I DO ESTÁGIO E SEUS FINS ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO TÍTULO I DO ESTÁGIO E SEUS FINS Art. 1º - O ESTÁGIO SUPERVISIONADO visa complementar a formação acadêmica e efetivar a habilitação profissional, exigida por lei, para

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO PÚBLICA UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO PÚBLICA RESOLUÇÃO CSTGP Nº 02/2015 Regulamenta o Estágio Supervisionado obrigatório do Curso

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

REGULAMENTO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ENGENHARIA DE PRODUÇÃO REGULAMENTO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Fixa as DIRETRIZES E NORMAS PARA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO do Curso de Engenharia de Produção da UNIPAMPA, Campus Bagé. 2011

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Capítulo I DA NATUREZA Art. 1º. O Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Computação do Câmpus Jandaia do Sul da UFPR prevê a realização

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES DO ESTÁGIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES DO ESTÁGIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO Considerando o significado e a importância do Estágio como parte fundamental da formação profissional, define-se

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA E BIOQUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA E BIOQUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA E BIOQUÍMICA REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA E BIOQUÍMICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

FACULDADE DE HORTOLÂNDIA

FACULDADE DE HORTOLÂNDIA INSTITUTO EDUCACIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO Faculdade de Hortolândia REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURSO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Hortolândia 2015 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSUNI nº 54/16

RESOLUÇÃO CONSUNI nº 54/16 Conselho Universitário - CONSUNI RESOLUÇÃO CONSUNI nº 54/16 Aprova o Regulamento do Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Engenharia Mecânica. O Vice-Reitor, no exercício da Presidência do Conselho

Leia mais

UniBrasil Centro Universitário

UniBrasil Centro Universitário 1 UniBrasil Centro Universitário REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA CURITIBA MARÇO DE 2014 2 SUMÁRIO CAPÍTULO 1 Do estágio e sua finalidade...3 CAPÍTULO 2 Das condições...3

Leia mais

Art. 8º - A duração do Estágio Supervisionado Obrigatório será estipulado no projeto pedagógico de cada curso.

Art. 8º - A duração do Estágio Supervisionado Obrigatório será estipulado no projeto pedagógico de cada curso. REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO IFPR- CÂMPUS CURITIBA CAPITULO I DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - O Estágio Supervisionado Obrigatório, previsto na Lei

Leia mais

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac

REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac REGULAMENTO DE REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO Faculdade de Enfermagem Luiza de Marillac 2 TÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES GERAIS Artigo 1º - Os Cursos da FELM mantém estágios curriculares supervisionados que se constituem

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE NUTRIÇÃO CAPÍTULO I DO CONCEITO E OBJETIVOS

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE NUTRIÇÃO CAPÍTULO I DO CONCEITO E OBJETIVOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE NUTRIÇÃO CAPÍTULO I DO CONCEITO E OBJETIVOS Art. 1º - Os Estágios Supervisionados, consoante ao Artigo 9º da Resolução nº 004/72, do Conselho Federal de Educação,

Leia mais

UniBrasil Centro Universitário

UniBrasil Centro Universitário 1 UniBrasil Centro Universitário REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CURITIBA ABRIL DE 2014 2 SUMÁRIO CAPÍTULO 1 Do estágio e sua finalidade...3 CAPÍTULO 2 Das condições...3

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO CAPÍTULO I APRESENTAÇÃO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO CAPÍTULO I APRESENTAÇÃO ESTÁGIO SUPERVISIONADO REGULAMENTO CAPÍTULO I APRESENTAÇÃO Artigo 1º O presente regulamento disciplina as atividades de Estágio Supervisionado dos cursos de graduação oferecidos pela Faculdade Jauense.

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS OBRIGATÓRIOS E NÃO OBRIGATÓRIOS

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS OBRIGATÓRIOS E NÃO OBRIGATÓRIOS REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS OBRIGATÓRIOS E NÃO OBRIGATÓRIOS CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS Art. 1º. Os Estágios Supervisionados do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Pará

Leia mais

CETRO CONSULTORIA EDUCACIONAL E PARTICIPAÇÕES LTDA FACULDADE DE ITAPECERICA DA SERRA FIT

CETRO CONSULTORIA EDUCACIONAL E PARTICIPAÇÕES LTDA FACULDADE DE ITAPECERICA DA SERRA FIT CETRO CONSULTORIA EDUCACIONAL E PARTICIPAÇÕES LTDA FACULDADE DE ITAPECERICA DA SERRA FIT Regulamento de Estágio Supervisionado REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I Das Disposições da Lei Artigo

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Pró-Reitoria de Graduação Coordenação de Estágio, Monitoria e Egressos

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Pró-Reitoria de Graduação Coordenação de Estágio, Monitoria e Egressos TERMO DE COMPROMISSO PARA ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO DA LEGISLAÇÃO DE REGÊNCIA, DA CONCEITUAÇÃO E DOS PRÉ-REQUISITOS LEGAIS. 1. O presente TCE é regido pela Lei n.º 11.788, de 25 de setembro de 2008 e, no

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTAGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PESCA - UNIR - PRESIDENTE MÉDICI-RO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DE ESTAGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PESCA - UNIR - PRESIDENTE MÉDICI-RO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DE ESTAGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE PESCA - UNIR - PRESIDENTE MÉDICI-RO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - O presente Regulamento tem por finalidade estabelecer

Leia mais

CONSIDERANDO o parecer do Relator, Consº RUY BELÉM DE ARAUJO, ao analisar o processo nº /09-47;

CONSIDERANDO o parecer do Relator, Consº RUY BELÉM DE ARAUJO, ao analisar o processo nº /09-47; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 133/2010/CONEPE Aprova Normas Específicas do Estágio Curricular

Leia mais

REGIMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS-LIBRAS

REGIMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS-LIBRAS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA NÚCLEO DE CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE LIBRAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM LETRAS LIBRAS REGIMENTO DE ESTÁGIOS CURRICULARES

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 192/2012-CEPE, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2012.

RESOLUÇÃO Nº 192/2012-CEPE, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2012. RESOLUÇÃO Nº 192/2012-CEPE, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2012. REGULAMENTO DE ESTÁGIO PROFISSIONAL SUPERVISIONADO DO CURSO DE GEOGRAFIA, MODALIDADE BACHARELADO, DO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO CAPÍTULO I ORGANIZAÇÃO

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE DESIGN

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE DESIGN UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA UNOESC ÁREA DAS CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA CURSO DE DESIGN MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC DO CURSO DE DESIGN São Miguel do Oeste,

Leia mais

PEDAGOGIA MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. 2º Semestre de 2012

PEDAGOGIA MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO. 2º Semestre de 2012 PEDAGOGIA MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 2º Semestre de 2012 COORDENAÇÃO GERAL Diretor Geral Prof. Adalberto Miranda Distassi Coordenadoria Geral de Estágios Prof. Ricardo Constante Martins Coordenador

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS

REGULAMENTO DE ESTÁGIOS ANEXO 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIOS ENGENHARIA DE REDES DE COMUNICAÇÃO 49 REGULAMENTO DE ESTÁGIOS NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE REDES DE COMUNICAÇÃO Estabelece normas para a realização de estágios

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA

1. IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA 1. IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Estágio Supervisionado Obrigatório (ESO) é uma disciplina curricular do curso de Medicina Veterinária da Faculdade de Ciências Agrárias de Andradina. É composto do desenvolvimento

Leia mais

Regulamento de Estágios do Curso de Odontologia UFJF/GV

Regulamento de Estágios do Curso de Odontologia UFJF/GV Universidade Federal de Juiz de Fora Campus Avançado Governador Valadares Regulamento de Estágios do Curso de Odontologia UFJF/GV TÍTULO I Da comissão orientadora de estágio CAPÍTULO I Dos objetivos Art.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA RESOLUÇÃO 001/2012 FEF/UFG

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA RESOLUÇÃO 001/2012 FEF/UFG UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA RESOLUÇÃO 001/2012 FEF/UFG Institui e regulamenta o funcionamento do Estágio Curricular Não Obrigatório dos cursos de Licenciatura e Bacharelado

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 1 MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA BETIM MG (ANEXO I - PPC) 2 Este manual tem como objetivo orientar e auxiliar o aluno na compreensão das atividades, normas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS DIRETRIZES PARA A REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS PORTO ALEGRE 2011 2 ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO EM ENGENHARIA DE ALIMENTOS O Estágio Curricular Supervisionado

Leia mais

RESOLUÇÃO. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogadas as disposições contrárias. São Paulo, 25 de junho de 2008.

RESOLUÇÃO. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogadas as disposições contrárias. São Paulo, 25 de junho de 2008. RESOLUÇÃO CONSEPE 17/2008 APROVA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE TURISMO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO. O Presidente

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS INSTITUTO DE QUÍMICA E GEOCIÊNCIAS CURSO DE BACHARELADO EM QUÍMICA COMISSÃO DE ESTÁGIO E MONOGRAFIA NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Pelotas, maio de 2009. NORMAS DOS ESTÁGIOS

Leia mais

NORMAS PARA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO EM JORNALISMO

NORMAS PARA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO EM JORNALISMO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DEPARTAMENTO DE LETRAS E COMUNICAÇÃO COLEGIADO DO CURSO JORNALISMO NORMAS PARA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO

Leia mais

CONSIDERANDO a Orientação Normativa nº 7, de 30 de outubro de 2008, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão,

CONSIDERANDO a Orientação Normativa nº 7, de 30 de outubro de 2008, do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, RESOLUÇÃO nº 04 DE 08 DE JUNHO DE 2009 Dispõe sobre a realização de Estágios obrigatórios e não obrigatórios por alunos da UFPel O Presidente do Conselho Coordenador do Ensino, da Pesquisa e da Extensão

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO Atualizado em janeiro de 2015 UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO Organização Vera Lucia Lima do Espírito Santo Colaboração Coordenadores de Cursos de Graduação 1 Sumário Lista de Anexos... 3 Apresentação... Fundamentação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 034/ CEPE DE 23 de Agosto de 2006.

RESOLUÇÃO Nº 034/ CEPE DE 23 de Agosto de 2006. RESOLUÇÃO Nº 034/2006 - CEPE DE 23 de Agosto de 2006. APROVA A ALTERAÇÃO DA RESOLUÇÃO CEPE N.º 003- A/2003 NORMAS DE ESTÁGIO. O Reitor da Universidade Castelo Branco, usando de suas atribuições legais

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE DESIGN I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE DESIGN I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE DESIGN I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de DESIGN é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais e o Projeto

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 02/2013 DO CONSELHO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE TECNOLOGIA

RESOLUÇÃO Nº 02/2013 DO CONSELHO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE TECNOLOGIA RESOLUÇÃO Nº 02/2013 DO CONSELHO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE TECNOLOGIA Estabelece normas para a realização de estágios obrigatórios e não obrigatórios no âmbito dos cursos de graduação da

Leia mais

Ciências Contábeis Regulamento Estágio Curricular Supervisionado Curso de Ciências Contábeis

Ciências Contábeis Regulamento Estágio Curricular Supervisionado Curso de Ciências Contábeis Regulamento Estágio Curricular Supervisionado Curso de REGULAMENTO GERAL PROCEDIMENTOS PARA ESTÁGIO OBRIGATÓRIO PARA O CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA FAPE TÍTULO I INTRODUÇÃO O presente regulamento normatiza

Leia mais

CONSELHO DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA COMISSÃO DE ESTÁGIO REGULAMENTO PARA O ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA

CONSELHO DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA COMISSÃO DE ESTÁGIO REGULAMENTO PARA O ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA REGULAMENTO PARA O ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS E FINALIDADES ARTIGO 1º - Considera-se Estágio Curricular, o conjunto de atividades de aprendizagem social, profissional

Leia mais

REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO EM ADMINISTRAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA EAD

REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO EM ADMINISTRAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA EAD REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO NÃO-OBRIGATÓRIO EM ADMINISTRAÇÃO NA MODALIDADE A DISTÂNCIA EAD O presente Regulamento tem o intuito de estabelecer normas gerais para cumprimento da Lei nº.

Leia mais

Campus Itaqui Curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos Normas para o Estágio Supervisionado Obrigatório

Campus Itaqui Curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos Normas para o Estágio Supervisionado Obrigatório Campus Itaqui Curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos Normas para o Estágio Supervisionado Obrigatório 1. ASPECTOS LEGAIS O Estágio Supervisionado tem caráter curricular obrigatório e é uma exigência

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO - CEPEAGE

REGULAMENTO DE ESTÁGIO - CEPEAGE REGULAMENTO DE ESTÁGIO - CEPEAGE REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CENTRO DE PRÁTICA EM ENGENHARIA, ARQUITETURA E GESTÃO - CEPEAGE DAS FACULDADES INTEGRADAS PITÁGORAS / FIPMoc I - DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1.

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ENERGIA I INTRODUÇÃO II CARACTERÍSTICAS GERAIS

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ENERGIA I INTRODUÇÃO II CARACTERÍSTICAS GERAIS REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ENERGIA I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Engenharia de Energia é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CURSO ENGENHARIA CES-CL

MANUAL DE ESTÁGIO CURSO ENGENHARIA CES-CL MANUAL DE ESTÁGIO CURSO ENGENHARIA CES-CL Conselheiro Lafaiete 2016 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. NOVA LEI DO ESTÁGIO... 4 2.1 Tipos de Estágio... 4 2.1.1 Estágio Obrigatório... 4 2.1.2 Estágio Não Obrigatório...

Leia mais

CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E INSCRIÇÃO. Parágrafo Único Somente poderá inscrever-se no Estágio, aluno regularmente matriculado.

CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E INSCRIÇÃO. Parágrafo Único Somente poderá inscrever-se no Estágio, aluno regularmente matriculado. REGULAMENTO GERAL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E INSCRIÇÃO Artigo 1º - O Estágio Supervisionado, dos Cursos de Graduação, de caráter de iniciação à prática profissional, nos termos

Leia mais

RESOLUÇÃO 01/ TGP

RESOLUÇÃO 01/ TGP UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA - SEPT COORDENAÇÃO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO PÚBLICA REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO - CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO

Leia mais

Art. 3º Revogam-se as disposições em contrário.

Art. 3º Revogam-se as disposições em contrário. Resolução n.º 31/2015 Estabelece a Criação Regulamento de Estágio do Curso de Bacharelado em Engenharia de Produção da Faculdade Campo Real O Diretor Geral da Faculdade Campo Real, mantida pela UB Campo

Leia mais

APÊNDICE B REGULAMENTO DE ESTÁGIO

APÊNDICE B REGULAMENTO DE ESTÁGIO APÊNDICE B REGULAMENTO DE ESTÁGIO Regulamentação do Componente Curricular ATIVIDADES DE ESTÁGIO Esta norma estabelece as linhas gerais para a atividade de Estágio Supervisionado Obrigatório e Estágio Supervisionado

Leia mais

Instituto Superior de Tecnologia de Petrópolis - ISTCC-P. Índice

Instituto Superior de Tecnologia de Petrópolis - ISTCC-P. Índice Índice I. Apresentação... 2 II. Caracterização do Estágio... 2 II.1. O que é o Estágio Supervisionado... 2 II.2. Quem pode contratar o Estagiário... 2 II.3. Quais os pré-requisitos para o Estágio Supervisionado...

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DA FACIG. Seção I Da modalidade e desenvolvimento

REGULAMENTO GERAL DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DA FACIG. Seção I Da modalidade e desenvolvimento REGULAMENTO GERAL DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DA FACIG Seção I Da modalidade e desenvolvimento Art.1 - O Estágio Curricular Supervisionado constitui-se em uma forma para que o discente vivencie

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPEVISIONADO ENGENHARIA CIVIL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPEVISIONADO ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPEVISIONADO ENGENHARIA CIVIL O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE), no uso de suas prerrogativas legais, aprovou as alterações do Regulamento de Estágio Curricular

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Coordenadora de Curso Prof. Dr. Sérgio Pereira Vice-coordenador de Curso Prof. Dr. Rogério Caetano da Costa Comissão de Estágio

Leia mais

FAMEC REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DAS ENGENHARIAS

FAMEC REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DAS ENGENHARIAS FAMEC REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DAS ENGENHARIAS 1 REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DAS ENGENHARIAS (Lei Nº 11.788 / 2008) Regulamenta as atividades do Estágio Curricular

Leia mais

REGULAMETO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO CURRICULAR

REGULAMETO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO CURRICULAR REGULAMETO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO CURRICULAR São Paulo Novembro de 2016 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - Estágio é um ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA CARTOGRÁFICA E DE AGRIMENSURA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA CARTOGRÁFICA E DE AGRIMENSURA REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA CARTOGRÁFICA E DE AGRIMENSURA Estabelece normas para a realização de atividades de estágio obrigatório (Supervisionado) e estágio não obrigatório, em complementação

Leia mais

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO que entre si celebram a/o

TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO que entre si celebram a/o 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO TERMO DE CONVÊNIO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO que entre

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º - O Estágio Supervisionado é um componente

Leia mais