CENTRAL EM NOTÍCIAS. VISÃO Ser reconhecido como a principal instituição financeira propulsora do desenvolvimento econômico e social dos associados.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENTRAL EM NOTÍCIAS. VISÃO Ser reconhecido como a principal instituição financeira propulsora do desenvolvimento econômico e social dos associados."

Transcrição

1 CENTRAL EM NOTÍCIAS Março de 2015 VISÃO Ser reconhecido como a principal instituição financeira propulsora do desenvolvimento econômico e social dos associados. MISSÃO Gerar soluções financeiras adequadas e sustentáveis por meio do cooperativismo, aos associados e as suas comunidades. Gerenciamento é substituir músculos por pensamentos, folclore e superstição por conhecimento, e força por cooperação Peter Drucker Código de Ética estabelece padrões preconizados em valores do Sistema Desde 2011, o Sicoob Cecresp instituiu o Comitê de Ética para atuar em situações conflitantes » Guardiões da conduta» Controles internos com padrão internacional» Assembleias com qualidade e dentro das normas» Cooperativas superam meta de crédito consignado» Sicoobnet Empresarial para 100% das cooperativas sem Compe Nesta edição, a importância do cadastro para os negócios 7 8» Campanha Cartão da Mão» Adequação da marca Sicoob

2 Editorial EXPEDIENTE Sicoob Central Cecresp - Uma publicação mensal da Central das Cooperativas de Crédito do Estado de São Paulo Praça Alfredo Issa, 48-18º andar - São Paulo - SP CEP: Fone: (11) Conselho de Administração: Presidente: Carlos Augusto de Macedo Chiaraba Vice-Presidente: Francisco Ráo Conselheiros: Antônio João Batista Fabiana Aparecida Rui José Luiz de Lira Luiz Roberto Nahun Manoel Messias da Silva Nilza Pregucci Lopes Walter Francisco Orloski Diretoria Executiva: Diretor Presidente: Manoel Messias da Silva. Diretor Operacional: Luiz Flávio Gonçalves Borges Diretor Administrativo: Marcelo Cárfora Redação e Editoração. Projeto Gráfi co: Cynthia Akemi Toma Jornalista Responsável: João Rainho Mtb Redação: João Rainho Ilustração: Cynthia Akemi Toma Edição: Alessandra Del Nero Natália Lucia Silva José Impressão: Ativaonline Tiragem: 600 exemplares Ética não se discute. Tem a ver com nossa conduta moral e com normativos institucionais. Ou seja, são parâmetros de convivência do mundo do trabalho que se afinam muito com a filosofia associativa do cooperativismo. Por isso a importância do Código de Ética do Sicoob, para que tenhamos uma uniformidade nas relações entre membros de nosso Sistema e também entre nós e a sociedade. O Comitê de Ética da Cecresp tem feito um ótimo trabalho de conscientização a respeito de nossa carta de princípios e, graças a Deus, não temos tido muita demanda em resolver conflitos dessa natureza. Outra frente de controle de nossas ações e de grande importância sistêmica é o trabalho de nossa auditoria interna. Esta Gerência tem minimizado possibilidades de riscos em nossas associadas e agido rapidamente para corrigilos quando encontra uma não conformidade. O Sicoobnet Empresarial será o padrão de operações financeiras entre a Cecresp e as associadas sem Compe. Também está se esgotando o prazo para a padronização da marca Sicoob. Fiquem atentos. O treinamento de Processos Assembleares foi um sucesso e ajudou na melhoria da condução das Assembleias e o cumprimento das exigências legais. Com a realização das Assembleias Gerais durante este mês, a Cecresp está à disposição para orientar a respeito de quaisquer dúvidas. É a nossa missão. Saudações cooperativistas Carlos Augusto de Macedo Chiaraba, presidente do Conselho de Administração do Sicoob Central Cecresp 2

3 Matéria de Capa Guardiões da conduta Comitê de Ética da Central Cecresp busca difundir e fazer valer os princípios de nossa visão e missão institucional O Código de Ética do Sicoob estabelece padrões de comportamento e relacionamento interno e externo preconizados em valores de nosso Sistema. Esses valores estão pautados em preceitos legais, éticos, morais e de bons costumes. Para zelar na aplicação do Código e intervir em eventuais situações conflitantes, a Central Cecresp possui desde 2011, o Comitê de Ética - que age sempre que houver alguma situação pertinente, avaliando o caso e encaminhando parecer ao Conselho de Administração (Conad). O Comitê também é responsável pela implementação do Código de Ética entre as associadas da Central, conscientizando a respeito de sua importância. O mandato de seus membros é de um ano, podendo ser renovável. E sua constituição é a mesma desde o início, sob coordenação de Juliano Manoel Paiva (Sicoob Cecresa), além de Maria Aparecida Pereira (Coopertel), Hugo Mesquista (Conselho Fiscal da Central Cecresp), José Luiz de Lira (Conselheiro de Administração da Central) e Luis Fernando Godinho Brigido (Coopercred Zillo Lorenzetti). É importante que as pessoas que estejam na liderança das associadas acompanhem a evolução do cooperativismo, opina Juliano Paiva, ao comentar que o trabalho de educação sobre o Código de Ética faz parte das atribuições do Comitê. Os componentes da estrutura organizacional das entidades do Sicoob devem buscar dar exemplo, ao gerir pessoas, sendo modelo de conduta ética e moral para a equipe, justifica o coordenador do Comitê, complementando que os gestores devem ainda reconhecer o mérito da cada um e propiciar a igualdade de acesso às oportunidades de desenvolvimento profissional, segundo as características as competências e as contribuições de cada profissional e basear as decisões únicas e exclusivamente nos aspectos profissionais, afastando completamente decisões de cunho pessoal. Nesse sentido, Paiva destaca um trecho do Código, no capítulo Comportamento do Público Interno. I dar exemplo, ao gerir pessoas, sendo modelo de conduta ética e moral para a equipe; II reconhecer o mérito de cada um e propiciar a igualdade de acesso às oportunidades de desenvolvimento profissional eventualmente existentes, segundo as características, as competências e as contribuições de cada profissional; e III basear as decisões única e exclusivamente nos aspectos profissionais, afastando completamente decisões de cunho pessoal. Líderes e gestores devem prestar mais atenção em seus comportamentos éticos referentes aos seus subordinados, recomenda Juliano, para que o relacionamento entre eles traga maior qualidade de serviços e diminua os atritos e desrespeito nas relações internas. Para mais informações, entre em contato com o Comitê por meio do endereço eletrônico Gerenciamento é substituir músculos por pensamentos, folclore e superstição por conhecimento, e força por cooperação Peter Drucker 3

4 Auditoria Controles internos com padrão internacional Auditoria Interna busca reduzir inconformidades e deficiências para uma boa governança corporativa Por Hércio Colúcio A Gerência de Auditoria Interna (Geaud) do Sicoob Central Cecresp segue padrões internacionais de procedimentos para auxiliar as cooperativas a atingirem seus objetivos, avaliando a adequação de seus processos, controles internos e governança corporativa. A Geaud também é responsável pela identificação de eventuais riscos que podem causar diversos danos às filiadas, por isso os técnicos da área sempre recomendam a existência de um bom ambiente de controle interno corporativo que assegure a proteção de seus ativos; a produção de informações relevantes e fidedignas; a existência de eficiência operacional e administrativa, além do cumprimento e atendimentos às regulamentações, favorecendo a perenidade dos negócios. Em 2013 e 2014 a Geaud realizou, respectivamente, 162 e 154 auditorias nas cooperativas associadas e conveniadas da Cecresp, incluindo 22 auditorias de verificações especiais, como apuração de fraudes internas, externas e denúncias diversas; averiguações pontuais solicitadas pelo Banco Central do Brasil; pedidos de auditorias especiais por dirigentes e conselheiros das associadas; auditorias em singulares que solicitaram filiações na Central; avaliações tempestivas de caráter econômico-financeiro, entre outros. Em 31/12/2012, a Geaud registrava o montante de 910 pontos de auditoria em aberto nas cooperativas. Passado dois anos, o número caiu para 701 apontamentos, uma redução de 23%. As principais deficiências e inconformidades ainda pendentes de regularização e providências de saneamento, que podem causar riscos de diversas naturezas às cooperativas e seus associados são:desenquadramentos de indicadores legais; descumprimentos às resoluções do Conselho Monetário Nacional (CMN), falhas no processo de crédito,rolagens de dívidas, classificações incorretas de níveis de riscos e insuficiências de provisões, cadastros incompletos, não observância dos aspectos de Prevenção e Lavagem de Dinheiro (PLD), ausência de implementação ou desatualização de manuais, inconsistência de escriturações contábeis, processos com riscos trabalhistas, gestão ineficaz, falta de fiscalização, não participação dos associados em assembleias, entre outros. Em dois anos, o número de apontamentos em aberto caiu 23% Para evitar fatos que gerem riscos operacionais, os gerentes, dirigentes e conselheiros das cooperativas devem se atentar para o cumprimento dos normativos; existência de segregação de funções nas atividades de riscos; não permissão de compartilhamento de senhas e logins pessoais, além de adequada supervisão de todos os serviços e processos. No aspecto do cumprimento do papel da Central na supervisão auxiliar e acompanhamento das atividades e operações de suas associadas, a auditoria interna registrou nos últimos dois anos, o atendimento a 109 ofícios emitidos pelo Bacen Departamento de Supervisão das Cooperativas de Crédito (Desuc) à Central e suas associadas, com ênfase no apoio às cooperativas na elaboração de respostas e providências saneadoras das irregularidades e deficiências registradas por este órgão fiscalizador. Os índices de 99,1% e 98,1% auferidos à Geaud, respectivamente em 2013 e 2014 na pesquisa de satisfação realizada junto às associadas, nos motiva a continuar na missão de adicionar valores às cooperativas, prestando, além da auditoria sistemática, a consultoria necessária para que atinjam seus objetivos. Hércio Colúcio Gerente da Auditoria - Geaud 4

5 Conhecimento Assembleias com qualidade e dentro das normas Treinamento ajuda a revisar os procedimentos legais antes, durante e depois das assembleias As Assembleias gerais e ordinárias exigem um complexo rito para sua organização e atendimento aos preceitos legais. Para que tudo ocorra de forma correta, todas as documentações exigidas sejam providenciadas e os prazos de entrega das informações nos órgãos reguladores cumpridos, a Cecresp organizou o Treinamento de Processos Assembleares, de 2 a 11 de fevereiro em algumas diferentes regiões (Capital, Bauru, Ribeirão Preto, Campinas e São José dos Campos). As dúvidas mais comuns são as prestações de contas, cálculos de distribuição de sobras, remuneração de diretores, criação e utilização de fundos, relaciona Rafael Franco, da área jurídica da Gerência de Consultoria (Gecon) da Cecresp. Durante o evento, Natalia Escarlate, também da área jurídica da Gecon, relembrou como se organiza uma assembleia, todos os atos, editais e registro na junta comercial, prazos de entrega de documentos. Recomendamos sempre que as associadas enviem a documentação para análise prévia da Cecresp, pontua Natalia. Erick Souza, da área de Orientação Técnica e Normativa da Gecon, por sua vez, falou da importância da atualização dos dados cadastrais dos novos dirigentes e conselheiros no sistema SisBacen, que se não ocorrerem pode haver sanções do Banco Central. Amanda Santos de Oliveira, do setor de Atendimento do Sicoob Cooperac (empresários, Ribeirão Preto), que futuramente irá acompanhar as assembleias ficou satisfeita com o treinamento, o qual proporcionou informações gerais e incentivou-me a buscar mais detalhes na cooperativa e na legislação. Participante do treinamento em Bauru, Lurdes Rocha Jallageas, contadora da Credicazola (crédito rural), já participou de outros treinamentos desse tema e diz ser sempre esclarecedor porque sempre tem novidades a cada ano e cada Assembleia é diferente da outra, exigindo sempre reciclagem. Pela primeira vez como diretor operacional, após alguns anos como conselheiro, Francisco Alberto Giudice (o Mococa), irá neste ano participar da organização da Assembleia em sua entidade e atesta que o treinamento foi muito bom, produtivo e outras cooperativas da Região que não estavam presentes deveriam ter participado (em São José dos Campos) devido a importância do tema. Ele parabenizou ainda a Central pela iniciativa do treinamento que veio num momento importante, onde o Banco Central quer promover mudanças na regulamentação do cooperativismo financeiro. Meta Cooperativas superam meta de crédito consignado Campanha abrangeu as 15 Centrais no ranking final, as cooperativas da central ficaram em 6º lugar As cooperativas do Sistema alavancaram o volume de negócios do crédito consignado durante a campanha de incentivo que aconteceu entre os dias 19 de janeiro e 6 de março. Foram mais de R$ 26 milhões em contratos comercializados e propostas em todo Sistema. As cooperativas do Sicoob Central Cecresp, ficaram em 6º lugar no ranking das 15 Centrais, com 169 propostas e R$ 997 mil em operações. Carlos Barbosa, responsável pela Gerência de Desenvolvimento e Negócios da Central elogia o desempenho das cooperativas associadas à Central. Estamos no caminho certo, e olhando o nosso potencial ficamos motivados pelo espaço que ainda podemos alcançar, informa. O sucesso da campanha demonstra a força da união e do comprometimento de todos no alcance das metas sistêmicas. 5

6 Obrigatoriedade Sicoobnet Empresarial para 100% das cooperativas sem Compe Ferramenta de office banking será obrigatória para todas as associadas sem compe após o dia 30 de junho Cooperativas associadas à Central Cecresp e não aderentes ao Convênio Compe tem até o dia 30 de junho para implantar gratuitamente o Sicoobnet Empresarial, ferramenta destinada às associadas para efetuar transações financeiras por meio da internet de maneira simples e segura, evitando fraudes. A cooperativa deve contatar a Unidade de Finanças da Gerência Administrativa Financeira (Geafi), pelo Uma das vantagens do sistema é realizar operações financeiras sem intermediação da Cecresp, onde há limitação de três TEDs por dia. Com o Sicoobnet Empresarial, além de não ter limite de operações, as associadas terão mais segurança, pois são exigidas duas assinaturas eletrônicas de diretores e que podem ser feitas até via dispositivos móveis, garante Alessandra Demarco, da Geafi. A Coopercredi Fleury já utiliza o sistema e se diz muito satisfeita com a praticidade e economia da ferramenta. Precisávamos fazer 70 operações de pagamento de juros ao capital para associados. Ao invés de termos que arcar com tarifas bancárias, emissão de cheques ou dividir TEDs em vários dias, com a limitação de 3 por dia via Central, fizemos tudo via Sicoobnet, resume Ana Allegretto, gerente da Coopercredi Fleury. Melhorou muito a nossa vida, já devíamos ter esse sistema há muito tempo, alegra-se. Com o Sicoobnet empresarial faço transações que an- tes eram feitas por outros bancos e ainda fica mais fácil e rápido fazer liberações de empréstimos, opina Arcilio José Alves, diretor administrativo da Crediscoop (empregados de instituições financeiras). Se você ainda não utiliza o sistema, contate a Geafi e agende a instalação do Sicoobnet Empresarial em sua cooperativa! 6

7 Negócios Campanha Cartão da Mão Incentivo para os associados utilizarem mais os cartões Sicoobcard função crédito Existem mais de 180 mil cartões Sicoobcard que nunca foram utilizados na função crédito. Entre cooperados de associadas vinculadas à Cecresp são cartões (13,29% do total) parados e habilitados para compras. Para aumentar a base desses produtos com compra e gerar receita para as cooperativas, foi criada a Campanha Cartão na Mão. Até o dia 30 de abril, a cada R$ 20 em compras via cartão, o associado ganha um cupom para concorrer a prêmios em dinheiro pela Loteria Federal. Não é necessária inscrição prévia. Todos os usuários já estão concorrendo. Serão seis sorteios de R$ 300,00 no dia 15 de abril e no dia 20 de maio. Neste último dia, também será sorteado um prêmio extra de R$ 1.000,00 para o associado que realizar a primeira compra durante o período da campanha. A consulta de cupons, regulamento, e ganhadores serão disponibilizadas no site cartaonamao. É uma ótima oportunidade para fortalecer relacionamentos e ampliar as receitas da cooperativa. Avise seus associados da campanha e divulgue os materiais promocionais banner de regulamento, cartaz, marketing. Quanto mais cupons o associado tiver, maiores são suas chances de ganhar prêmios! Boa sorte para os seus cooperados! 7

8 Padrão Adequação da marca Sicoob Prazo para adequação à marca Sicoob expira no dia 13 de julho. Em 2010 a marca Sicoob sofreu alterações de atualização visual e foi estabelecido um prazo de cinco anos para as cooperativas adequarem-se ao novo padrão. Se a sua cooperativa utiliza a marca Sicoob e ainda não promoveu essas mudanças, o prazo termina em 13 de julho. O Manual de Instruções Gerais (MIG) - Identidade Sicoob, também trata da padronização de formulários, papelaria e impressos diversos que devem ter a identidade atualizada. A padronização visual fortalece os objetivos sistêmicos e mercadológicos, pois em qualquer lugar do país que tenha uma cooperativa Sicoob a marca, suas cores e padrões devem ser os mesmos, comenta Alessandra Del Nero, da Assessoria de Marketing e Comunicação (Asmac) da Central Cecresp. Vale lembrar às cooperativas que ainda não se adequaram que a Central oferece uma linha de crédito voltada para este fim. O financiamento para Padronização disponibilizado pela Cecresp é ainda pouco utilizado, diz Rafael Freitas, da Gerência de Desenvolvimento (Geden) da Cecresp. As condições são muito favoráveis, conforme ele explica: A linha de crédito oferece 36 meses com até seis de carência e juros de 140% do CDI e pode ser utilizada para modificações e reformas na sede ou PA. Informações sobre a padronização visual pode ser solicitada via Já as dúvidas sobre a linha de crédito podem ser adquiridas no Aconteceu A Central Cecresp disponibilizou em sua extranet (parte do site de acesso exclusivo às cooperativas) um menu sobre a Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo (Ocesp), com informações sobre vantagens e benefícios do registro na instituição. A Gerência de Gestão de Riscos (Geris) da Central realizou em 3/2, palestra para as auditorias independentes das associadas que utilizam o Sistema de Informática do Sicoob, o Sisbr sobre a nova Plataforma de Risco de Crédito (PRC). As Prés Assembleias e os encontros do Comitê de Orientação Estratégica Regional (Coer) aconteceram de nos meses de fevereiro e março nas cidades de Bauru; Ribeirão Preto; Campinas; São Paulo; São José dos Campos e Santo André. 8

Sicoob Central Cecresp. Institucional

Sicoob Central Cecresp. Institucional Sicoob Central Cecresp Institucional Gestão DIRETOR PRESIDENTE Carlos Augusto de Macedo Chiaraba Sicoob Nossacred DIRETOR VICE PRESIDENTE Francisco Rao - Sicoob Crediconsumo CONSELHEIROS Antonio João Batista

Leia mais

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Resultado da Pesquisa de Satisfação mantém alto índice

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Resultado da Pesquisa de Satisfação mantém alto índice CENTRAL EM NOTÍCIAS Março de 2014 Resultado da Pesquisa de Satisfação mantém alto índice A meta é de 90% entre ótimo e bom. Média geral da instituição foi de 93,9%. A edição deste mês, terá como destaque

Leia mais

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Assembleias 2013: a voz do cooperativismo

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Assembleias 2013: a voz do cooperativismo CENTRAL EM NOTÍCIAS Fevereiro/Março de 2013 Assembleias 2013: a voz do cooperativismo A participação em uma assembleia é o ponto alto na vivência do cooperativismo, momento em que podemos influir nos rumos

Leia mais

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA 1 1. APRESENTAÇÃO Esta política estabelece os princípios e práticas de Governança Cooperativa adotadas pelas cooperativas do Sistema Cecred, abordando os aspectos de

Leia mais

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Está no ar a nova Campanha do Sicoob

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Está no ar a nova Campanha do Sicoob CENTRAL EM NOTÍCIAS Outubro de 2013 Está no ar a nova Campanha do Sicoob Com o slogan, Associado ao que há de melhor. Associado a você. A nova campanha nacional vai mostrar que o Sicoob é uma instituição

Leia mais

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Assembleia 2013 consolida governança

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Assembleia 2013 consolida governança CENTRAL EM NOTÍCIAS Abril de 2013 Assembleia 2013 consolida governança A 28º AGO deliberou questões do Planejamento Estratégico 2013-2015, que norteará a Central e suas filiadas. Confira na pág 3. 3 4

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional - 2010

Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional - 2010 Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional - 2010 Sumário 1. Introdução:...3 2. Abrangência:...3 3. Estrutura do Gerenciamento de Risco Operacional:...3 3.1. Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional:...4

Leia mais

Editorial. O Sistema como um todo vai muito bem. O Bancoob teve ótimos resultados em 2014 e está distribuindo dividendos.

Editorial. O Sistema como um todo vai muito bem. O Bancoob teve ótimos resultados em 2014 e está distribuindo dividendos. CENTRAL EM NOTÍCIAS Abril de 2015 Compartilhar conhecimento é cooperar para o nosso crescimento. Sicoob lança universidade corporativa O Sicoob Confederação lançou a Universidade Corporativa, que oferecerá

Leia mais

CENTRAL EM NOTÍCIAS. IOF não aumenta para as cooperativas

CENTRAL EM NOTÍCIAS. IOF não aumenta para as cooperativas CENTRAL EM NOTÍCIAS Fevereiro de 2015 IOF não aumenta para as cooperativas As cooperativas financeiras ganharam uma importante vantagem competitiva ao não serem contempladas com o aumento do IOF. 3 4 5

Leia mais

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Construindo novos rumos

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Construindo novos rumos CENTRAL EM NOTÍCIAS Junho de 2015 Construindo novos rumos O Sicoob Central Cecresp e associadas reuniram-se para contribuir com as diretrizes do Planejamento Estratégico Sicoob 2016-2018. 3 4 5 6» Planejamento

Leia mais

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Sicoob Cecresp Corretora de Seguros. Corretora da Central Cecresp oferece atendimento personalizado e produtos competitivos.

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Sicoob Cecresp Corretora de Seguros. Corretora da Central Cecresp oferece atendimento personalizado e produtos competitivos. CENTRAL EM NOTÍCIAS Agosto de 2014 Sicoob Cecresp Corretora de Seguros Corretora da Central Cecresp oferece atendimento personalizado e produtos competitivos. Neste mês, o Crédito Consignado Sicoob INSS,

Leia mais

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob;

b) supervisionar o cumprimento desta política pelas entidades integrantes do Sistema Sicoob; 1. Esta Política institucional de gestão de pessoas: Política institucional de gestão de pessoas a) é elaborada por proposta da área de Gestão de Pessoas da Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob

Leia mais

Parecer do Comitê de Auditoria

Parecer do Comitê de Auditoria Parecer do Comitê de Auditoria 26/01/2015 Introdução Título do documento De acordo com o que estabelece o seu regimento interno, compete ao Comitê de Auditoria assegurar a operacionalização dos processos

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A.

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS COMITÊ DE FINANÇAS E ORÇAMENTO APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 24 DE SETEMBRO DE 2014 SUMÁRIO I INTRODUÇÃO

Leia mais

e) visa estabelecer diretrizes aplicáveis ao posicionamento estratégico de comunicação e marketing das entidades integrantes do Sicoob.

e) visa estabelecer diretrizes aplicáveis ao posicionamento estratégico de comunicação e marketing das entidades integrantes do Sicoob. 1. Esta Política Institucional de Comunicação e Marketing: Política Institucional de Comunicação e Marketing a) é elaborada por proposta da área de Comunicação e Marketing da Confederação Nacional das

Leia mais

Regimento Interno do Comitê de Auditoria

Regimento Interno do Comitê de Auditoria 01. FINALIDADE Art. 1º O Comitê de Auditoria (Coaud) rege-se pela legislação aplicável, pelo Estatuto Social do Banco do Brasil, por seu Regimento Interno e por decisões do Conselho de Administração. Art.

Leia mais

1º Seminário Suitability. 27 de Abril de 2015 São Paulo SP

1º Seminário Suitability. 27 de Abril de 2015 São Paulo SP 1º Seminário Suitability 27 de Abril de 2015 São Paulo SP Suitability em Operações Bancárias 27.04.2015 Contexto Normativo Resolução CMN nº 4.283/2013 Alteração do texto do art. 1º da Resolução CMN nº

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça Superior Tribunal de Justiça RESOLUÇÃO STJ/GP N. 11 DE 12 DE NOVEMBRO DE 2015. Institui a política de segurança da informação do Superior Tribunal de Justiça e dá outras providências. O PRESIDENTE DO SUPERIOR

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 Aprova a NBC T 11.8 Supervisão e Controle de Qualidade. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Considerando que as Normas

Leia mais

Gerenciamento do Risco Operacional. Gerenciamento do Risco Operacional

Gerenciamento do Risco Operacional. Gerenciamento do Risco Operacional Gerenciamento do Risco Operacional Controle do documento Data Autor Versão Outubro/2010 Compliance 001 Dezembro/2011 Compliance 002 Dezembro/2012 Compliance 003 Agosto/2014 Compliance 004 Revisão do documento

Leia mais

CARGOS E FUNÇÕES APEAM

CARGOS E FUNÇÕES APEAM CARGOS E FUNÇÕES APEAM 1. PRESIDÊNCIA A Presidência possui por finalidades a representação oficial e legal da associação, coordenação e integração da Diretoria Executiva, e o acompanhamento, avaliação,

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO NORMA N-134.0002

POLÍTICA DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO NORMA N-134.0002 POLÍTICA DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO NORMA N-134.0002 POLÍTICA DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO Norma N-134.0002 Estabelece as diretrizes da política de segurança e saúde do trabalho na Celesc, definindo

Leia mais

Regulamento Interno. de Estágios

Regulamento Interno. de Estágios Regulamento Interno de Estágios Índice Apresentação... 3 Capítulo 1 Caracterização e objetivo do estágio... 3 Capítulo 2 - Oferta de vagas de estágio... 4 Capítulo 3 - Duração do estágio... 5 Capítulo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 83, DE 30 DE OUTUBRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 83, DE 30 DE OUTUBRO DE 2014 RESOLUÇÃO Nº 83, DE 30 DE OUTUBRO DE 2014 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sessão de 30/10/2014, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo Artigo 19, Inciso XVII do

Leia mais

PLANO BÁSICO ORGANIZACIONAL SINTÉTICO DA FINANCEIRA BRB

PLANO BÁSICO ORGANIZACIONAL SINTÉTICO DA FINANCEIRA BRB Plano Básico Organizacional BRB CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO S.A. PRESI/DIFAD/SUFAD GERGE GERÊNCIA DE GESTÃO PLANO BÁSICO ORGANIZACIONAL SINTÉTICO DA FINANCEIRA BRB BRASÍLIA - DF DA ORGANIZAÇÃO

Leia mais

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Cenário econômico atual favorece as cooperativas

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Cenário econômico atual favorece as cooperativas CENTRAL EM NOTÍCIAS Julho de 2015 Cenário econômico atual favorece as cooperativas As cooperativas de crédito são uma importante uma alternativa econômica em meio ao momento de crise pela qual passa o

Leia mais

POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM CORRESPONDENTES NO PAÍS

POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM CORRESPONDENTES NO PAÍS POLÍTICA DE RELACIONAMENTO COM CORRESPONDENTES NO PAÍS Belo Horizonte, Novembro de 2013. Diretoria de Crédito Consignado Diretoria Executiva Comercial Diretoria Executiva Administrativa e de Atendimento

Leia mais

1. Esta Política institucional de comunicação e marketing:

1. Esta Política institucional de comunicação e marketing: 1. Esta Política institucional de comunicação e marketing: Política Institucional de Comunicação e Marketing a) é elaborada por proposta da área de Comunicação e Marketing da Confederação Nacional das

Leia mais

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ 60.872.504/0001-23 Companhia Aberta NIRE 35300010230

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ 60.872.504/0001-23 Companhia Aberta NIRE 35300010230 ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ 60.872.504/0001-23 Companhia Aberta NIRE 35300010230 REGULAMENTO DO COMITÊ DE AUDITORIA Este regulamento ( Regulamento ), elaborado com base nas melhores práticas internacionais,

Leia mais

CENTRAL EM NOTÍCIAS Planejamento Sistêmico:

CENTRAL EM NOTÍCIAS Planejamento Sistêmico: CENTRAL EM NOTÍCIAS Maio de 2013 Planejamento Sistêmico: direção certa para alcançar o sucesso. O Sicoob Confederação, em conjunto com as centrais do sistema, determinaram seus objetivos e definiram o

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

Estrutura de gerenciamento do Risco Operacional do Sistema Sicoob

Estrutura de gerenciamento do Risco Operacional do Sistema Sicoob Estrutura de gerenciamento do Risco Operacional do Sistema Sicoob 1. Sistema Sicoob A estrutura de gerenciamento do risco operacional das cooperativas do Sicoob é composta da seguinte forma: A adoção do

Leia mais

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com.

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com. 1 2 CONSÓRCIO FÊNIX PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA - SMMU MANUAL DOS USUÁRIOS DO SISTEMA SIM MODALIDADE POR ÔNIBUS DIREITOS E DEVERES DAS PARTES ENVOLVIDAS

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação NORMAS DE CONDUTA Apresentação Adequando-se às melhores práticas de Governança Corporativa, a TITO está definindo e formalizando as suas normas de conduta ( Normas ). Estas estabelecem as relações, comportamentos

Leia mais

SUPERVISÃO COOPERATIVA Acompanhamento Indireto, acompanhamento dos planos, auditoria e comunicação

SUPERVISÃO COOPERATIVA Acompanhamento Indireto, acompanhamento dos planos, auditoria e comunicação SUPERVISÃO COOPERATIVA Acompanhamento Indireto, acompanhamento dos planos, auditoria e comunicação 1 Acompanhamento Indireto Tratamento das informações Análise intrínseca, evolutiva e comparativa Processos

Leia mais

AGENDA - A Ouvidoria nas Empresas - Sistema de controle Exceller Ouvidoria - Resolução Bacen 3.477 - Principais pontos

AGENDA - A Ouvidoria nas Empresas - Sistema de controle Exceller Ouvidoria - Resolução Bacen 3.477 - Principais pontos AGENDA - A Ouvidoria nas Empresas - Sistema de controle Exceller Ouvidoria - Resolução Bacen 3.477 - Principais pontos mediação, ouvidoria e gestão de relacionamentos A Ouvidoria nas Empresas Ferramenta

Leia mais

ESTATUTO DO COMITÊ DE AUDITORIA DO CONSELHO DIRETOR 23 DE OUTUBRO DE 2014

ESTATUTO DO COMITÊ DE AUDITORIA DO CONSELHO DIRETOR 23 DE OUTUBRO DE 2014 ESTATUTO DO COMITÊ DE AUDITORIA DO CONSELHO DIRETOR 23 DE OUTUBRO DE 2014 I. FINALIDADE A finalidade do Comitê de Auditoria da AGCO Corporation (a Empresa ) é auxiliar o Conselho Diretor (o Conselho )

Leia mais

CENTRAL EM NOTÍCIAS Educação Corporativa: um modelo estratégico

CENTRAL EM NOTÍCIAS Educação Corporativa: um modelo estratégico CENTRAL EM NOTÍCIAS Novembro de 2013 Educação Corporativa: um modelo estratégico O Sicoob Central Cecresp, em 2013, transformou as ações educacionais pontuais em Educação Continuada, proporcionando aos

Leia mais

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO O presente Regulamento institui a normatização adotada pelo Conselho

Leia mais

Regulamento da MultiConta Prestige

Regulamento da MultiConta Prestige Regulamento da MultiConta Prestige Mais serviços e mais benefícios feitos para quem recebe seu crédito de salário ou aposentadoria no Itaú Personnalité. A MultiConta Prestige oferece um maior número de

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO

Cooperativismo. Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO Cooperativismo Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empregados da INFRAERO GESTÃO: Samuel José dos Santos Diretor Presidente Marco Antonio da C.Guimarães - Diretor Operacional João Gonçalves dos Santos Diretor

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE GERÊNCIA DE CONTROLE DE TESOURARIA ANÁLISE DE RISCO OPERACIONAL RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 Belo Horizonte

Leia mais

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014 Compliance e a Valorização da Ética Brasília, outubro de 2014 Agenda 1 O Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética Compliance, Sustentabilidade e Governança 2 Corporativa 2 Agenda 1 O Sistema de Gestão

Leia mais

Coordenadoria de Tecnologia da Informação. Documentos Formais. Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR

Coordenadoria de Tecnologia da Informação. Documentos Formais. Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR NOV/2011 1 Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas de Governança de Auditoria Interna de TI...

Leia mais

PORTARIAN 4536/2013. gusto Viana Neto Presidente. José Is.

PORTARIAN 4536/2013. gusto Viana Neto Presidente. José Is. - 2" REGIAO Serviço Público Federal PORTARIAN 4536/2013 Altera o Regulamento Executivo das Delegacias Sub. regionais o Presidente do da 2 Região, no exercício regular de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1 o. O Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia - NITTEC é um Órgão Executivo

Leia mais

AUDITORIA GOVERNAMENTAL. Maio de 2013 Sandra Maria de Carvalho Campos

AUDITORIA GOVERNAMENTAL. Maio de 2013 Sandra Maria de Carvalho Campos AUDITORIA GOVERNAMENTAL Maio de 2013 Sandra Maria de Carvalho Campos KPMG no Mundo A KPMG é uma rede global de firmas independentes que prestam serviços profissionais de Audit, Tax e Advisory presente

Leia mais

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO...

Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... Manual do Cooperado Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 3 2 VOCÊ SABE COMO FUNCIONA UMA COOPERATIVA DE CRÉDITO?... 3 3 COOPERATIVISMO... 3 4 COOPERATIVA DE CRÉDITO... 3 5 COOPERHIDRO... 3 6 RECONHECIMENTO PARA FUNCIONAMENTO...

Leia mais

Gestão. Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Qualidade. Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos

Gestão. Curso Superior de Tecnologia em Gestão da Qualidade. Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da Qualidade Gestão O tecnólogo em Gestão da Qualidade é o profissional que desenvolve avaliação sistemática dos procedimentos, práticas e rotinas internas e externas de uma entidade, conhecendo e aplicando

Leia mais

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE COMITÊ ORGANIZADOR DOS JOGOS OLÍMPICOS RIO 206 RIO 206 POLÍTICA DE 25/02/205 / 2 Sumário. OBJETIVO... 2 2. DEFINIÇÕES... 2 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 5 4. DIRETRIZES... 7 4. Programa Geral de...

Leia mais

Projeto n 14593/2014 - Escritório Nacional do CATAFORTE - Negócios Sustentáveis em Redes Solidárias COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº 06/2015

Projeto n 14593/2014 - Escritório Nacional do CATAFORTE - Negócios Sustentáveis em Redes Solidárias COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº 06/2015 Projeto n 14593/2014 - Escritório Nacional do CATAFORTE - Negócios Sustentáveis em Redes Solidárias COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇOS Nº 06/2015 1. PREÂMBULO O CEADEC - Centro de Estudos e Apoio ao Desenvolvimento,

Leia mais

Plano de Controle de Qualidade. Resolução 3.954

Plano de Controle de Qualidade. Resolução 3.954 Plano de Controle de Qualidade Resolução 3.954 1. DA RESOLUÇÃO 3.954, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2011 Com as alterações advindas pela Resolução 3.954/11, um dos objetivos do Conselho Monetário Nacional é que

Leia mais

Governança Corporativa

Governança Corporativa Governança Corporativa POLÍTICA DE INTEGRIDADE A política de integridade (conformidade), parte integrante do programa de governança corporativa. Mais do que nunca as empresas necessitam de estruturas consistentes

Leia mais

Empréstimo e cartão consignado

Empréstimo e cartão consignado outubro/2014 Empréstimo e cartão consignado direcionados a aposentados e pensionistas Todo aquele que recebe benefícios de aposentadoria ou pensão por morte pagos pela Previdência Social pode obter crédito

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA CAPÍTULO I DA CONCEITUAÇÃO E FINALIDADE Art.1º O Comitê de Auditoria, doravante denominado COAUD, é um órgão estatutário que se submete à regulamentação do Conselho

Leia mais

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Retrospectiva 2014. Relembre os acontecimentos do cooperativismo financeiro e do Sicoob Central Cecresp em 2014.

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Retrospectiva 2014. Relembre os acontecimentos do cooperativismo financeiro e do Sicoob Central Cecresp em 2014. CENTRAL EM NOTÍCIAS Janeiro de 2015 Retrospectiva 2014 Relembre os acontecimentos do cooperativismo financeiro e do Sicoob Central Cecresp em 2014. 3 6» Marco regulatório em mudança» Operações de Seguros

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania

Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania 1. Sobre o Projeto 1.1. O que é o Projeto Serviços e Cidadania? É um canal de serviços gratuitos que oferece apoio nas áreas de gestão, jurídica e comunicação

Leia mais

Procedimentos e Controles Internos - Distribuição de Fundos de Investimento Imobiliários. RB Capital DTVM

Procedimentos e Controles Internos - Distribuição de Fundos de Investimento Imobiliários. RB Capital DTVM Procedimentos e Controles Internos - Distribuição de Fundos de Investimento Imobiliários RB Capital DTVM Junho 2011 Objetivo Este instrumento normativo contém os procedimentos e controles internos da RB

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 821/97 Aprova a NBC P 1 Normas Profissionais de Auditor Independente com alterações e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais

Leia mais

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 Publicado no Jornal Correio Paranaense Em, 04.06.2008 Dispõe sobre a Estrutura Regimental da Secretaria Municipal de Governo. O Prefeito Municipal de São José dos

Leia mais

LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007

LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007 LEI N 280 DE 18 DE SETEMBRO DE 2007 Súmula: Dispõe sobre o Sistema de Controle Interno Municipal, nos termos do artigo 31 da Constituição Federal e do artigo 59 da Lei Complementar n 101/2000 e cria a

Leia mais

-CAPÍTULO I ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO

-CAPÍTULO I ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO -CAPÍTULO I ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO 1. Sistema Sicoob A Estrutura de Gerenciamento do Risco Operacional abaixo visa dar conformidade ao que dispõe a Resolução n 3.380/2006, do Conselho Monetário

Leia mais

Prefeitura Municipal de Castelo Av. Nossa Senhora da Penha, 103 Centro Cep: 29360 000 Castelo/ES Tel.: +55 28 3542 2124 8526

Prefeitura Municipal de Castelo Av. Nossa Senhora da Penha, 103 Centro Cep: 29360 000 Castelo/ES Tel.: +55 28 3542 2124 8526 DECRETO Nº 13.492 DE 25 DE SETEMBRO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 017/2014, DISPÕE SOBRE OS PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO NA PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTELO / ES, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº 9.461, DE 04 DE MARÇO DE 2011.

RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº 9.461, DE 04 DE MARÇO DE 2011. RIO GRANDE DO NORTE LEI Nº 9.461, DE 04 DE MARÇO DE 2011. Dispõe sobre a simplificação do atendimento público prestado ao cidadão, ratifica a dispensa do reconhecimento de firma em documentos produzidos

Leia mais

Carta-Circular nº 3.337 (DOU de 28/08/08)

Carta-Circular nº 3.337 (DOU de 28/08/08) Carta-Circular nº 3.337 (DOU de 28/08/08) Divulga procedimentos mínimos necessários para o desempenho do estabelecido pela Circular 3.400, de 2008, no cumprimento das atribuições especiais das cooperativas

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

CONTRATO DE EMISSÃO E UTILIZAÇÃO DO CARTÃO OUROCARD PRÉ-PAGO RECARREGÁVEL VISA DO BANCO DO BRASIL S.A - CORRENTISTAS PESSOAS FÍSICAS

CONTRATO DE EMISSÃO E UTILIZAÇÃO DO CARTÃO OUROCARD PRÉ-PAGO RECARREGÁVEL VISA DO BANCO DO BRASIL S.A - CORRENTISTAS PESSOAS FÍSICAS CONTRATO DE EMISSÃO E UTILIZAÇÃO DO CARTÃO OUROCARD PRÉ-PAGO RECARREGÁVEL VISA DO BANCO DO BRASIL S.A - CORRENTISTAS PESSOAS FÍSICAS Pelo presente contrato, o BANCO DO BRASIL S.A., com sede em Brasília

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ 2008 CAPÍTULO I DA CONCEPÇÃO E FINALIDADE Art. 1º. Respeitada a legislação vigente, as normas específicas aplicáveis a cada curso e, em

Leia mais

SAC: Fale com quem resolve

SAC: Fale com quem resolve SAC: Fale com quem resolve A Febraban e a sociedade DECRETO 6523/08: UM NOVO CENÁRIO PARA OS SACs NOS BANCOS O setor bancário está cada vez mais consciente de seu papel na sociedade e deseja assumi-lo

Leia mais

BEM-VINDO AO SICOOB. A maior instituição financeira cooperativa do país. www.sicoob.com.br

BEM-VINDO AO SICOOB. A maior instituição financeira cooperativa do país. www.sicoob.com.br BEM-VINDO AO SICOOB. A maior instituição financeira cooperativa do país. www.sicoob.com.br Parabéns! Agora você faz parte de uma cooperativa Sicoob e conta com todos os produtos e serviços de um banco,

Leia mais

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO DOU de 05/10/2015 (nº 190, Seção 1, pág. 669) Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE COLEGIADO PLENO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO Nº 13/2010 Aprova o Regimento Interno do Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia

Leia mais

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS Unidade III 6 O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL O sistema financeiro nacional é o conjunto de instituições e instrumentos financeiros que possibilita a transferência de recursos

Leia mais

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL COD: NOR 312 APROVAÇÃO: Resolução DIREX Nº 009/2012 de 30/01/2012 NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO 1/17 ÍNDICE

Leia mais

Treinamento Proposta Online

Treinamento Proposta Online Treinamento Proposta Online 03 Procedimentos para preenchimento da Proposta Preenchendo a Proposta Online Digitalizando os documentos 06 20 26 Status das Propostas 02 Procedimentos para preenchimento da

Leia mais

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica.

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica. Classificação: RESOLUÇÃO Código: RP.2007.077 Data de Emissão: 01/08/2007 O DIRETOR PRESIDENTE da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia - PRODEB, no uso de suas atribuições e considerando

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE AUDITORIA Art. 1º. O Comitê de Auditoria ( Comitê ) é órgão estatutário de assessoramento vinculado diretamente ao Conselho de Administração, de caráter permanente, regido

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA RESOLUÇÃO COEMA N 116, DE 03 DE JULHO DE 2014. Dispõe sobre as atividades de impacto ambiental

Leia mais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais

Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Hilti do Brasil Comercial Ltda. Política de Privacidade e Proteção de Informações Pessoais Nós, Hilti (Brasil) Comercial Ltda. (coletivamente, referido como Hilti, "nós", "nosso" ou "a gente") nessa Política

Leia mais

Diretrizes de Governança Corporativa

Diretrizes de Governança Corporativa Diretrizes de Governança Corporativa DIRETRIZES DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA BM&FBOVESPA Objetivo do documento: Apresentar, em linguagem simples e de forma concisa, o modelo de governança corporativa da

Leia mais

Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão

Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão Regimento Interno do Comitê de Remuneração e Sucessão 1 ARTIGO Artigo 1º - NATUREZA, OBJETO E APROVAÇÃO DO REGIMENTO INTERNO Artigo 2º - COMPOSIÇÂO, CARGOS E MANDATOS Artigo 3º - DA PRESIDÊNCIA E SECRETARIADO

Leia mais

O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS

O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS Luís Filipe Vellozo de Sá e Eduardo Rios Auditores de Controle Externo TCEES Vitória, 21 de fevereiro de 2013 1 Planejamento Estratégico

Leia mais

EDITAL Nº 038 DE 13 DE AGOSTO DE 2014

EDITAL Nº 038 DE 13 DE AGOSTO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA, TECNICA E TECNOLÓGICA COLÉGIO TÉCNICO INDUSTRIAL DE SANTA MARIA EDITAL Nº 038 DE 3 DE AGOSTO DE 204 SELEÇÃO

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF A estrutura administrativa do Senado Federal está dividida em três áreas que compreendem os órgãos superiores de execução, órgãos de assessoramento superior e órgão supervisionado. Conheça a estrutura

Leia mais

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Campanha terá reforço para o Dia das Crianças e novidades para o Cofrinho.

CENTRAL EM NOTÍCIAS. Campanha terá reforço para o Dia das Crianças e novidades para o Cofrinho. CENTRAL EM NOTÍCIAS Setembro de 2014 Está de volta a Campanha #Liberte Seu Porquinho Campanha terá reforço para o Dia das Crianças e novidades para o Cofrinho. 3 4» No mês das Crianças, a campanha #Liberte

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.029/05

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.029/05 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.029/05 Aprova a NBC T 11.12 Processamento Eletrônico de Dados. O, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO que as Normas Brasileiras de Contabilidade e suas

Leia mais

COMPLIANCE FUNÇÃO, CONSOLIDAÇÃO E. Vanessa Alessi Manzi 19/09/08

COMPLIANCE FUNÇÃO, CONSOLIDAÇÃO E. Vanessa Alessi Manzi 19/09/08 COMPLIANCE FUNÇÃO, CONSOLIDAÇÃO E DESAFIOS Vanessa Alessi Manzi 19/09/08 Agenda 1. Compliance conceito e missão 2. Atuação de Compliance nas instituições 3. Ferramentas de Compliance 4. Auditoria e Compliance

Leia mais

SELO ABRAIDI Programa de BPADPS

SELO ABRAIDI Programa de BPADPS SELO ABRAIDI Programa de BPADPS Reuniões: Julho a Agosto de 2010 Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Implantes PAUTA * OBJETIVOS * ASPECTOS FUNDAMENTAIS * HISTÓRICO * SITUAÇÃO ATUAL

Leia mais

A FORMALIZAÇÃO COMO TENDÊNCIA

A FORMALIZAÇÃO COMO TENDÊNCIA EVOLUÇÃO DO SEGMENTO DE PROMOÇÃO DE CRÉDITO: A FORMALIZAÇÃO COMO TENDÊNCIA Desenvolvendo Pessoas e Fortalecendo o Sistema Renato Martins Oliva Agenda O que é ABBC Missão e valores Bancos de pequena e média

Leia mais

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII)

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII) PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO Secretaria-Executiva Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Plano de Integridade Institucional (PII) 2012-2015 Apresentação Como

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL GOVERNANÇA CORPORATIVA

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL GOVERNANÇA CORPORATIVA 1. INTRODUÇÃO 1.1 A CAIXA A Caixa Econômica Federal é uma instituição financeira sob a forma de empresa pública, vinculada ao Ministério da Fazenda. Instituição integrante do Sistema Financeiro Nacional

Leia mais

Câmara Municipal de Barueri. Conheça a Norma SA8000. Você faz parte!

Câmara Municipal de Barueri. Conheça a Norma SA8000. Você faz parte! Câmara Municipal de Barueri Conheça a Norma SA8000 Você faz parte! O que é a Norma SA 8000? A SA 8000 é uma norma internacional que visa aprimorar as condições do ambiente de trabalho e das relações da

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

Programa Nota CAPES COTA

Programa Nota CAPES COTA PROGRAMA DE BOLSAS FAPESB - COTAS INSTITUCIONAIS MESTRADO PROFISSIONAL, MESTRADO E DOUTORADO 1. INTRODUÇÃO A FAPESB tem como um de seus principais objetivos apoiar a formação científica através da concessão

Leia mais

CARTA TÉCNICA CERTIFICADO DE ENTIDADE BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CEBAS ÁREA: EDUCAÇÃO

CARTA TÉCNICA CERTIFICADO DE ENTIDADE BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CEBAS ÁREA: EDUCAÇÃO CARTA TÉCNICA CERTIFICADO DE ENTIDADE BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL CEBAS ÁREA: EDUCAÇÃO ENTIDADES ABRANGIDAS: Entidades que prestam serviços preponderantemente na área da educação podem requerer a

Leia mais

1. Esta Política Institucional de Gestão de Continuidade de Negócios:

1. Esta Política Institucional de Gestão de Continuidade de Negócios: 1. Esta Política Institucional de Gestão de Continuidade de Negócios: a) é elaborada por proposta da área de gestão de continuidade de negócios da Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob Sicoob

Leia mais