Visão do Acreditador. Marcos Aurelio Lima de Oliveira Coordenador Geral de Acreditação Cgcre / Inmetro

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Visão do Acreditador. Marcos Aurelio Lima de Oliveira Coordenador Geral de Acreditação Cgcre / Inmetro"

Transcrição

1 Visão do Acreditador Marcos Aurelio Lima de Oliveira Coordenador Geral de Acreditação Cgcre / Inmetro

2 Acreditação no Acordo de Barreiras Técnicas ao Comércio competência técnica adequada e contínua dos organismos de avaliação da conformidade pertinentes ao Membro que realiza exportação, para que seja possível confiar na fidedignidade continuada de seus resultados de avaliação da conformidade; assim, a conformidade verificada, por exemplo, por meio da acreditação, com guias ou recomendações relevantes emitidas por organismos internacionais de normalização, deve ser levada em consideração como uma indicação da competência técnica adequada;

3 O que é acreditação? Avaliação independente de organismos de avaliação da conformidade contra normas reconhecidas para assegurar sua imparcialidade e competência em realizar atividades específicas como ensaios, calibrações, inspeções e certificações.

4 Acreditação no Mercado Avaliação de pares ACREDITAÇÃO Normas Internacionais ORGANISMOS DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE Normas / requisitos regulamentares/ critérios de esquemas FORNECEDORES DE PRODUTOS & SERVIÇOS CONFIANÇA CONVICÇÃO GARANTIA GOVERNO CONSUMIDORES COMPRADORES

5 IAF e ILAC introdução O IAF e a ILAC são redes globais de organismos de acreditação e organizações envolvidas em avaliação da conformidade Reconhecimento de atividades de avaliação da conformidade competentes e igualmente confiáveis por meio de Acordos Globais Desenvolvimento / harmonização de práticas de acreditação Promoção da acreditação como um mecanismo eficaz para prover confiança em produtos e serviços Certificado uma vez Aceito em qualquer lugar

6 IAF e ILAC - Objetivos Manter Acordos de reconhecimento mútuo multilaterais Expandir a cobertura para todas as economias do mundo Prover apoio para novos sistemas de acreditação Harmonizar boas práticas de acreditação Cooperar com todas as partes interessadas relevantes

7 IAF e ILAC - Visão Global Assegurar que os serviços acreditados são confiáveis Confiança nos Acordos para desenvolver ou melhorar os acordos de comércio Ensaiado, inspecionado ou certificado uma vez, aceito em todo lugar' Acreditado uma vez, aceito em todo lugar

8 ILAC e IAF - Acordos Membros de organismos de acreditação considerados competentes por meio de um processo de avaliação de pares: ISO/IEC Documentos da série A do IAF-ILAC Documentos de aplicação do IAF & ILAC Os signatários reconhecem os certificados, relatórios e resultados emitidos por organizações acreditadas por outros signatários

9 MRA da ILAC Status (set 2013) A rede de membros da ILAC é composta por 148 organismos de 112 diferentes economias 83 signatários do MRA da ILAC representando 68 economias O MRA da ILAC cobre ensaio, laboratórios clínicos, calibração e inspeção Os signatários representam cerca de 95% do PIB mundial Mais de laboratórios acreditados Cerca de organismos de inspeção acreditados

10 Cobertura do MRA da ILAC (Setembro de 2013) Signatários do MRA ILAC Membros Associados da ILAC Membros Afiliados da ILAC

11 MLA do IAF - Status (Set 2013) Existem 56 Signatários do MLA do IAF, representando 52 economias Sistemas de Gestão: 52 Organismos de Acreditação e EA, PAC & IAAC ISO 9001 SGQ: 52 Organismos de acreditação e EA, PAC & IAAC ISO SGA: 45 Organismos de acreditação e EA, PAC & IAAC ISO SGSA: em desenvolvimento ISO SGSI: em desenvolvimento ISO MDMS : em desenvolvimento; Produto: 46 Organismos de Acreditação e EA, PAC & IAAC Pessoas: em desenvolvimento

12 Cobertura do MLA do IAF (Set 2013) Signatários do MLA do IAF Membros do IAF que ainda não são signatários

13 Benefícios Aumento da confiança nos resultados de avaliação da conformidade Eliminação de atividades de avaliação da conformidade redundantes Melhora da eficiência do processo de avaliação Monitoramento e validação contínuos

14 Número de laboratórios acreditados: Calibração 319 Ensaio 562 Labs Clínicos 03 Provedores de Ensaio de Proficiência 13 Produtores de Materiais de Referência 05 TOTAL 902

15 Organismos de inspeção acreditados OIA ATIVO Produtos Perigosos 103 Segurança Veicular 325 Ensaio Não Destrutivo 7 OIVA 131 PE 1 IL 0 Edificio Eficiente 1 TOTAL 545

16 Organismos de certificação acreditados Modalidade Organismos de certificação Tipo Produtos (ISO Guia 65) SGQ (ISO 9001) SGA (ISO 14001) SGQ Aeroespacial (NBR 15100) Floresta (NBR ) PBQP-h SG Seg. Alimentar (ISO 22000) Resp. Social (NBR 16001) Pessoas (ISO 17024) 9 SG de segurança do turismo 4 SG produtos para saúde 2 SG de medição 1 Quant

17 Participação nos MLAs IAF - SGQ (1998), SGA (2006), Produtos (2009) ILAC ensaio e calibração (2000), inspeção (2013) IAAC - SGQ, ensaio e calibração (2002); SGA e produtos (2009); inspeção (2013) OECD - Autoridade Brasileira de Monitoramento da Conformidade aos Princípios das Boas Práticas de Laboratório (2011) Cgcre é reconhecida por OAs em 112 economias

18 Aceitação dos MLAs no Brasil A maioria dos órgãos reguladores no Brasil requer e/ou aceita as acreditações da Cgcre, por exemplo: - Ministério da Saúde / ANVISA Preservativos; mamadeiras; Equipamentos Eletromédicos - MINISTÉRIO DA JUSTIÇA / DENATRAN Capacetes para motociclistas e similares; Óculos de segurança para veículos; - MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Embalagem para transporte rodoviário de produtos perigosos; - MINISTÉRIO DO MEIO-AMBIENTE / IBAMA Tanque subterrâneo de armazenamento de combustível em postos de combustíveis; Componentes de sistemas para descarga e armazenamento de combustíveis

19 Aceitação dos MLAs no exterior Alguns exemplos de organizações que se beneficiam da acreditação estão nas áreas de metalurgia, vazão, alimentos, principalmente com o objetivo de exportação de produtos por diversos mercados, incluindo a União Europeia. Outros exemplos de aceitação dos MLAs são: Wada (World Anti-doping Agency) - LADETEC-IQ/UFRJ é o único lab brasileiro acreditado reconhecido pela WADA (suspenso) Globalgap reconhece a acreditação de organismos de certificação de produtos nos escopos de frutas, vegetais, IFA (integrated farm assurance), flores e plantas ornamentais, café, sistema integrado de pesca. PEFC reconhece a acreditação de organismos de certificação de florestas usando normas brasileiras (programa do Cerflor) para florestas plantadas e nativas. IAQG reconhece a acreditação de organismos de certificação de sistema de gestão aeroespacial com normas específicas de setores para organizações que fabricam peças aeroespaciais entre outros itens.

20 MoU IAF ILAC - IEC - Assinado em out/2012, visa: - Maximizar a eficiência das partes ao lidar com clientes comuns de organismos de certificação e laboratórios de ensaios; - Facilitar a futura realização de avaliações pertinentes de organismos de certificação e laboratórios de ensaios; - Reduzir a duplicação de atividades; - Maximizar a harmonização em avaliações técnicas realizadas pelo Sistema de Avaliação da Conformidade ILAC, IAF e IEC O MoU tripartite agora inclui avaliações iniciais, supervisões e reavaliações

21 MoU IAF ILAC - IEC - Ao assinar o MoU, os membros do IAF/ILAC e os sistemas da IEC concordam em: Manter um Comitê de Orientação de alto nível; Facilitar a aplicação coordenada de normas e diretrizes para avaliação de organismos de certificação de sistemas de gestão e produtos e laboratórios de ensaios que operam no sistemas do IEC Realizar avaliações comuns unificadas, quando possível; Desenvolver treinamentos conjuntos; Compartilhar a base de avaliadores técnicos do sistema IEC; Realizar trabalho conjunto no desenvolvimento de procedimentos e políticas harmonizados.

22 MoU IAF ILAC - IEC - Objetivos: Usar resultados das avaliações um do outro; Usar recursos de maneira eficiente; Evitar duplicação; O escopo poderá incluir : entradas para supervisões ou outras avaliações de organismos de certificação e laboratórios de ensaio; entradas para decisões de aceitação e reconhecimento de avaliadores fornecidos por cada parte.

23 OBRIGADO PELA ATENÇÃO

O Cenário da Acreditação no Brasil e no Mundo. Marcos Aurélio Lima de Oliveira Coordenador-Geral de Acreditação - Inmetro

O Cenário da Acreditação no Brasil e no Mundo. Marcos Aurélio Lima de Oliveira Coordenador-Geral de Acreditação - Inmetro O Cenário da Acreditação no Brasil e no Mundo Marcos Aurélio Lima de Oliveira Coordenador-Geral de Acreditação - Inmetro Acreditação no Acordo de Barreiras Técnicas ao Comércio 6.1.1 competência técnica

Leia mais

Acreditação: Abordagem para as Américas

Acreditação: Abordagem para as Américas Acreditação: Abordagem para as Américas Aldoney Freire Costa Coordenador Geral de Acreditação Substituto Chefe da Divisão de Acreditação de Organismos de Certificação - Dicor O QUE É ACREDITAÇÃO? Atestação

Leia mais

Competência Técnica de Laboratórios - INMETRO. Rio de Janeiro, 26 de novembro de 2014. MARCOS AURÉLIO LIMA OLIVEIRA Inmetro - Cgcre

Competência Técnica de Laboratórios - INMETRO. Rio de Janeiro, 26 de novembro de 2014. MARCOS AURÉLIO LIMA OLIVEIRA Inmetro - Cgcre Divisão de Acreditação de Laboratórios DICLA/Cgcre Competência Técnica de Laboratórios - INMETRO Rio de Janeiro, 26 de novembro de 2014 MARCOS AURÉLIO LIMA OLIVEIRA Inmetro - Cgcre A Coordenação Geral

Leia mais

Rota para assinar os Acordos do IAF ou ILAC

Rota para assinar os Acordos do IAF ou ILAC Rota para assinar os Acordos do IAF ou ILAC Objetivo O objetivo deste guia é destacar as etapas no processo de solicitação e avaliação para possibilitar que os organismos de acreditação assinem os Acordos

Leia mais

Acordo de Reconhecimento Multilateral (MLA) do IAF. Certificado uma vez, aceito em toda parte

Acordo de Reconhecimento Multilateral (MLA) do IAF. Certificado uma vez, aceito em toda parte Acordo de Reconhecimento Multilateral (MLA) do IAF Certificado uma vez, aceito em toda parte Apoio à aceitação de produtos e serviços além das fronteiras nacionais A acreditação provê a garantia ao governo,

Leia mais

Acreditação Panorama Brasil

Acreditação Panorama Brasil Acreditação Panorama Brasil 28 de novembro de 2013 Victor Pavlov Miranda Gestor de Acreditação Divisão de Acreditação de Laboratórios - Coordenação Geral de Acreditação INMETRO INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA,

Leia mais

Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar

Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar Introdução O International Accreditation Forum (IAF) é uma associação mundial de Organismos de Acreditação, Associações de Organismos de Certificação e outras

Leia mais

Acreditação de Provedores de Ensaios de Proficiência e de Produtores de

Acreditação de Provedores de Ensaios de Proficiência e de Produtores de Acreditação de Provedores de Ensaios de Proficiência e de Produtores de Materiais de Referência no Brasil Rio de Janeiro, 03 de setembro de 2008. Renata Martins Horta Borges. Divisão de Acreditação de

Leia mais

Acreditação de Laboratórios. Acreditação de Laboratórios. Acreditação

Acreditação de Laboratórios. Acreditação de Laboratórios. Acreditação Acreditação de Laboratórios Acreditação Acreditação de Laboratórios Como Acreditar Laboratórios Vantagens da Acreditação Documentos Básicos para Acreditação Reconhecimento Internacional Acreditação A acreditação

Leia mais

REQUISITOS GERAIS PARA COMPETÊNCIA DE LABORATORIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO NBR ISO/IEC 17025

REQUISITOS GERAIS PARA COMPETÊNCIA DE LABORATORIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO NBR ISO/IEC 17025 CURSO E-LEARNING REQUISITOS GERAIS PARA COMPETÊNCIA DE LABORATORIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO NBR ISO/IEC 17025 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitido a distribuição física ou eletrônica deste

Leia mais

Ensaio e Certificação

Ensaio e Certificação Seminário sobre as experiências basileiras na implementação das Diretivas WEEE e RoHS Ensaio e Certificação 08/02/2011 Marcos Aurélio Lima de Oliveira Cgcre/Inmetro O INMETRO Autarquia do Governo Federal

Leia mais

CERTIFICAÇÃO E ACREDITAÇÃO DE PRODUTOS E PROJETOS EM AMBIENTE SUBTERRÂNEO. (ferramenta para a competitividade)

CERTIFICAÇÃO E ACREDITAÇÃO DE PRODUTOS E PROJETOS EM AMBIENTE SUBTERRÂNEO. (ferramenta para a competitividade) CERTIFICAÇÃO E ACREDITAÇÃO DE PRODUTOS E PROJETOS EM AMBIENTE SUBTERRÂNEO (ferramenta para a competitividade) 02 de outubro de 2013 Carlos Roberto dos Santos Diretoria de Engenharia e Qualidade Ambiental

Leia mais

Coordenação Geral de Acreditação Cgcre/Inmetro. Acreditação de Organismos de Certificação de Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde

Coordenação Geral de Acreditação Cgcre/Inmetro. Acreditação de Organismos de Certificação de Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde Coordenação Geral de Acreditação Cgcre/Inmetro Acreditação de Organismos de Certificação de Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde Marcos Aurélio Lima de Oliveira Instituto Nacional de Metrologia,

Leia mais

Como ter confiança em um Organismo de Inspeção? É necessária certificação ABNT NBR ISO 9001 ou acreditação ABNT NBR ISO/IEC 17020?

Como ter confiança em um Organismo de Inspeção? É necessária certificação ABNT NBR ISO 9001 ou acreditação ABNT NBR ISO/IEC 17020? É necessária certificação ABNT NBR ISO 9001 ou acreditação ABNT NBR ISO/IEC 17020? O que buscar quando há uma necessidade 3 Como ter confiança em um Organismo 4 Como a acreditação do organismo de inspeção

Leia mais

Requisitos Boas Práticas/OCDE. Memorando de Entendimento. Rede de Informações. Gestão da Rede Global. Elementos Principais da Rede Global

Requisitos Boas Práticas/OCDE. Memorando de Entendimento. Rede de Informações. Gestão da Rede Global. Elementos Principais da Rede Global Plano de Acreditação das Atividades dos Centros de Recursos Biológicos no Brasil Elizabeth Cavalcanti, Waldemar Souza, Renata Almeida Inmetro/Cgcre/Dconf Petrópolis 16,17,18 set 2013 Elementos Principais

Leia mais

REQUISITOS PARA ACREDITAÇÃO

REQUISITOS PARA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 REQUISITOS PARA ACREDITAÇÃO OBJETIVO Demonstrar a documentação básica necessária para atender aos requisitos de acreditação para ensaios. ISO 9001 X ISO 17025 Abordagem Abrangência

Leia mais

Laboratory Quality Management System: Private and Public scenarios. 0liveira M CDTS-Fiocruz /Rede TB

Laboratory Quality Management System: Private and Public scenarios. 0liveira M CDTS-Fiocruz /Rede TB Laboratory Quality Management System: Private and Public scenarios 0liveira M CDTS-Fiocruz /Rede TB O que é Gestão da Qualidade?????? A gestão da qualidade pode ser definida como sendo qualquer atividade

Leia mais

Acreditação de Organismos de Avaliação da Conformidade

Acreditação de Organismos de Avaliação da Conformidade Acreditação de Organismos de Avaliação da Conformidade João Carlos Antunes de Souza Chefe da Divisão de Credenciamento de Laboratórios dicla@inmetro.gov.br Acreditação Atestação realizada por terceira

Leia mais

Inmetro Principais Atividades

Inmetro Principais Atividades XXIV Congresso Nacional de Círculos de Controle da Qualidade II Encontro Nacional de Gestão Estratégica para a Competitividade Sustentabilidade: do econômico ao social 06 de novembro 2008 Firjan Rio de

Leia mais

REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AVALIADORES E ESPECIALISTAS UTILIZADOS NAS AVALIAÇÕES DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO

REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AVALIADORES E ESPECIALISTAS UTILIZADOS NAS AVALIAÇÕES DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AVALIADORES E ESPECIALISTAS UTILIZADOS NAS AVALIAÇÕES DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO NORMA Nº NIE-CGCRE-017 APROVADA EM MAI/2013 REV Nº 01/13

Leia mais

Programa de acreditação para laboratórios de Perícias Forenses

Programa de acreditação para laboratórios de Perícias Forenses Programa de acreditação para laboratórios de Perícias Forenses Xerém - RJ 28 de julho de 2010 Marcos Aurélio Lima de Oliveira Coordenador Geral de Acreditação Convênio Inmetro/SENASP Termo de Cooperação

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL - INMETRO Portaria nº 185,de 04 de dezembro de 2003. O PRESIDENTE

Leia mais

Encontro da Qualidade em Laboratórios Científicos

Encontro da Qualidade em Laboratórios Científicos Elisa Rosa dos Santos Assessora Técnica na Divisão de Acreditação de Laboratórios Divisão de Acreditação de Laboratórios DICLA/Cgcre Encontro da Qualidade em Laboratórios Científicos Acreditação de Laboratórios

Leia mais

Cesar Lima - Gerdau Açominas.

Cesar Lima - Gerdau Açominas. Cesar Lima - Gerdau Açominas. A Gerdau Açominas. - Usina siderúrgica integrada. - Capacidade instalada de 3.000.000 t./ano de aço liquido. - Produz 2.750.000 t./ano de acabados em forma de blocos, placas,

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO Portaria n.º 186, de 04 de dezembro de 2003. O PRESIDENTE

Leia mais

Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÃO PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO. Documento de caráter orientativo DOQ-CGCRE-012

Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÃO PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO. Documento de caráter orientativo DOQ-CGCRE-012 Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÃO PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO Documento de caráter orientativo DOQ-CGCRE-012 Revisão 02 Fev/2010 DOQ-CGCRE-012 Rev. 02 Fev/2010 Página: 02/12

Leia mais

Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade

Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Sua Adequação para Novas Demandas Elizabeth Cavalcanti Assessora da Presidência Inmetro Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Sinmetro Inmetro

Leia mais

CRITÉRIO ESPECÍFICO PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMO DE INSPEÇÃO DE ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS

CRITÉRIO ESPECÍFICO PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMO DE INSPEÇÃO DE ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS CRITÉRIO ESPECÍFICO PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMO DE INSPEÇÃO DE ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS NORMA Nº: NIT-DIOIS-003 APROVADA EM JUN/2011 Nº 0 01/09 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade

Leia mais

REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AVALIADORES E ESPECIALISTAS UTILIZADOS NAS AVALIAÇÕES DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO

REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AVALIADORES E ESPECIALISTAS UTILIZADOS NAS AVALIAÇÕES DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AVALIADORES E ESPECIALISTAS UTILIZADOS NAS AVALIAÇÕES DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO NORMA Nº NIE-CGCRE-017 APROVADA EM JUN/2011 REV Nº 01/10

Leia mais

UM ORGANISMO ACREDITADO DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE CONTRIBUINDO PARA GARANTIR A SEGURANÇA DE VÔO

UM ORGANISMO ACREDITADO DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE CONTRIBUINDO PARA GARANTIR A SEGURANÇA DE VÔO UM ORGANISMO ACREDITADO DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE CONTRIBUINDO PARA GARANTIR A SEGURANÇA DE VÔO Luciane de Oliveira Cunha (ITA) lucianeoc@yahoo.com.br João Murta Alves (ITA) murta@ita.br

Leia mais

1. A Vigilância Sanitária pode acatar a verificação metrológica realizada pelo IPEM como calibração?

1. A Vigilância Sanitária pode acatar a verificação metrológica realizada pelo IPEM como calibração? Página 1 de 8 Esclarecimentos prestados pelo IPEM-PR aos questionamentos realizados pela Vigilância Sanitária, através do oficio n 420/2014 DVVSP/CEVS/SVS de 04 de junho de 2014. 1. A Vigilância Sanitária

Leia mais

PC-HK-001 REQUISITOS GERAIS PARA CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS

PC-HK-001 REQUISITOS GERAIS PARA CERTIFICAÇÃO DE PRODUTOS 1. OBJETIVO Este procedimento estabelece os Requisitos Gerais para Certificação de Produtos. As particularidades de cada RAC específico de cada Objeto serão expressas em Procedimentos Específicos do HK,

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO. Documento de caráter orientativo

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO. Documento de caráter orientativo Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO Documento de caráter orientativo DOQ-CGCRE-002 Revisão 03

Leia mais

Certificado uma vez, aceito em toda parte. A iniciativa do IAF para certificação acreditada para a ISO 13485 Produtos para a saúde

Certificado uma vez, aceito em toda parte. A iniciativa do IAF para certificação acreditada para a ISO 13485 Produtos para a saúde Certificado uma vez, aceito em toda parte A iniciativa do IAF para certificação acreditada para a ISO 13485 Produtos para a saúde Índice Introdução 3 Certificação ABNT NBR ISO 13485 acreditada dentro de

Leia mais

9. O Que é Avaliação da Conformidade

9. O Que é Avaliação da Conformidade 9. O Que é Avaliação da Conformidade Demonstração de que os requisitos especificados relativos a um produto, processo, sistema, pessoa ou organismo são atendidos. (ABNT ISO/IEC 17000) PROCEDIMENTOS DE

Leia mais

Análise Crítica de Certificados de Calibração

Análise Crítica de Certificados de Calibração Análise Crítica de Certificados de Calibração João Carlos Antunes de Souza Ana Cristina D. M. Follador Chefe da Divisão Chefe do de Núcleo Acreditação de Avaliação de Laboratórios- de Laboratórios DICLA/CGCRE/INMETRO

Leia mais

ACREDITAÇÃO, CERTIFICAÇÃO E QUALIDADE

ACREDITAÇÃO, CERTIFICAÇÃO E QUALIDADE ACREDITAÇÃO, CERTIFICAÇÃO E QUALIDADE Stela Cals de Oliveira* Os países mais desenvolvidos tecnologicamente, diante da necessidade de melhorar a qualidade de seus produtos e serviços começaram a estabelecer

Leia mais

BOLETIM IAAC. 19º Assembleia Geral da IAAC. Maio 2015

BOLETIM IAAC. 19º Assembleia Geral da IAAC. Maio 2015 BOLETIM IAAC 19º Assembleia Geral da IAAC 2 Maio 2015 Conteúdo ASSEMBLÉIAS 19º Assembleia Geral da IAAC 4 CELEBRAÇÕES Semana de portas abertas no ema 6 Primeiro acreditado em produto orgânico da ema 7

Leia mais

Andraplan Administração Empresarial Ltda. A essência da consultoria.

Andraplan Administração Empresarial Ltda. A essência da consultoria. Andraplan Administração Empresarial Ltda. A essência da consultoria. Publicação de domínio público reproduzida na íntegra por Andraplan Administração Empresarial Ltda. Caso tenha necessidade de orientações

Leia mais

Portaria nº 457, de 01 de dezembro de 2010.

Portaria nº 457, de 01 de dezembro de 2010. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria nº 457, de 01 de dezembro de

Leia mais

Guia Sugerido para Relacionamento com o Governo e Regulamentadores

Guia Sugerido para Relacionamento com o Governo e Regulamentadores Recommended guide for engaging with Government Finalidade & Regulators O apoio às necessidades do governo e dos regulamentadores é um objetivo básico do IAF e da ILAC e de seus organismos de acreditação

Leia mais

Portaria n.º 54, de 1 de fevereiro de 2016.

Portaria n.º 54, de 1 de fevereiro de 2016. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 54, de 1 de fevereiro de 2016. O PRESIDENTE

Leia mais

SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO E OBJETIVO... 3 2 COORDENAÇÃO DO PROGRAMA E POLÍTICA DE CONFIDENCIALIDADE... 4 3 ITEM DA COMPARAÇÃO, PARÂMETROS E RESULTADOS...

SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO E OBJETIVO... 3 2 COORDENAÇÃO DO PROGRAMA E POLÍTICA DE CONFIDENCIALIDADE... 4 3 ITEM DA COMPARAÇÃO, PARÂMETROS E RESULTADOS... COMPARAÇÃO ENTRE ORGANISMOS EM INSPEÇÃO: ENSAIOS NÃO DESTRUTIVOS, MEDIÇÕES DE ESPESSURA POR ULTRASSOM Programa PEP REDE 1406 Rodada 012/2015 (Instruções aos Participantes, atualizado em 30/03/2015) SUMÁRIO

Leia mais

Exigências Internacionais e o Programa Brasileiro de Certificação em Biocombustíveis

Exigências Internacionais e o Programa Brasileiro de Certificação em Biocombustíveis Exigências Internacionais e o Programa Brasileiro de Certificação em Biocombustíveis Romeu J. Daroda, Ph.D. Assessor Técnico DIMCI Coordenador do Projeto Biocombustíveis Importância dos biocombustíveis:

Leia mais

Portaria n.º 138, de 17 de março de 2011 CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 138, de 17 de março de 2011 CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 138, de 17 de março de 2011

Leia mais

GUIA PARA O RECONHECIMENTO DOS PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE

GUIA PARA O RECONHECIMENTO DOS PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE MERCOSUL/GMC/RES. Nº 14/05 GUIA PARA O RECONHECIMENTO DOS PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e as Resoluções Nº 38/95, 77/98, 56/02,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE QUÍMICA - IV REGIÃO (SP)

CONSELHO REGIONAL DE QUÍMICA - IV REGIÃO (SP) CONSELHO REGIONAL DE QUÍMICA - IV REGIÃO (SP) :2005 Sistemas de gestão de qualidade em laboratórios de ensaios e calibração Ministrante: Neifer Borges França Tecnólogo ambiental - Gerente de Negócios da

Leia mais

COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL EM ENSAIOS MECÂNICOS: ÁREA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS, PRESSOSTATO

COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL EM ENSAIOS MECÂNICOS: ÁREA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS, PRESSOSTATO COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL EM ENSAIOS MECÂNICOS: ÁREA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS, PRESSOSTATO Programa PEP REDE 1401 Rodada 021/2015 (Instruções aos Participantes, atualizado em 25/08/2015) F.PEP-4.6-003,

Leia mais

PROCEDIMENTO. PRC 29 Revisão: 01 Data: 10/09/2014

PROCEDIMENTO. PRC 29 Revisão: 01 Data: 10/09/2014 Página 1 de 66 Data da Revisão Nº da Revisão Histórico das Alterações 00 Emissão inicial aprovada. 01 Inserção dos Anexos Específicos e aperfeiçoamento deste. Elaboração Jessica Leite Aprovação Sonia M.

Leia mais

Lab Management : a tool for competitiveness. Celso Romero Kloss

Lab Management : a tool for competitiveness. Celso Romero Kloss Lab Management : a tool for competitiveness Celso Romero Kloss METROLOGIA NO DIA A DIA A VELOCIDADE DAS MUDANÇAS A aceleração da história é também medido pelo tempo entre a descoberta de um processo tecnológico

Leia mais

Portaria n.º 387, de 23 de outubro de 2007.

Portaria n.º 387, de 23 de outubro de 2007. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 387, de 23 de outubro de

Leia mais

Portaria n.º 341, de 24 de setembro de 2008

Portaria n.º 341, de 24 de setembro de 2008 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 341, de 24 de setembro de

Leia mais

CERTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DE PRODUTOS IQA/Inmetro CERTIFICAÇÃO. BENEFÍCIOS DO SEGMENTO AUTOMOTIVO

CERTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA DE PRODUTOS IQA/Inmetro CERTIFICAÇÃO. BENEFÍCIOS DO SEGMENTO AUTOMOTIVO CERTIFICAÇÃO. BENEFÍCIOS DO SEGMENTO AUTOMOTIVO PROFILE Debora do Nascimento Bueno (debora.bueno@iqa.org.br) Auditora Líder da qualidade no IQA - Instituto da Qualidade Automotiva. Formação técnica: Técnica

Leia mais

Certificação de reatores eletrônicos para lâmpadas fluorescentes

Certificação de reatores eletrônicos para lâmpadas fluorescentes 1/26 Palavras-chave: Certificação, reatores. Exemplar nº: Sumário 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Documentos complementares 4 Definições 5 Procedimento 6 Referências 1 Objetivo Este Procedimento tem como objetivo

Leia mais

Portaria n.º 348, de 03 de outubro de 2008

Portaria n.º 348, de 03 de outubro de 2008 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 348, de 03 de outubro de

Leia mais

Programa Brasileiro de Certificação em Responsabilidade Social

Programa Brasileiro de Certificação em Responsabilidade Social 1ª Reunião Extraordinária de 2012 do Fórum Governamental de Responsabilidade Social SEMINÁRIO BRASIL-HOLANDA SOBRE RESPONSABILIDADE SOCIAL GOVERNAMENTAL Programa Brasileiro de Certificação em Responsabilidade

Leia mais

METROLOGIA SENAI / SP

METROLOGIA SENAI / SP METROLOGIA SENAI / SP Rede de Laboratórios de Serviços Senai / SP Eduardo Ferreira Garcia GIT Metrologia Definição : Metrologia : Ciência da medição e suas aplicações Nota : A metrologia engloba todos

Leia mais

DIRETRIZ DO IAF PARA APLICAÇÃO DA ABNT NBR ISO/IEC 17020: 2006

DIRETRIZ DO IAF PARA APLICAÇÃO DA ABNT NBR ISO/IEC 17020: 2006 DIRETRIZ DO IAF PARA APLICAÇÃO DA ABNT NBR ISO/IEC 17020: 2006 NORMA Nº: NIT-DIOIS-008 APROVADA EM MAI/2012 Nº 01/18 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Siglas 5 Histórico da Revisão

Leia mais

RM 62 REQUISITOS SOBRE A PARTICIPAÇÃO DE LABORATÓRIOS EM ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA SUMÁRIO

RM 62 REQUISITOS SOBRE A PARTICIPAÇÃO DE LABORATÓRIOS EM ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA SUMÁRIO SUMÁRIO 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO O presente documento tem o objetivo definir os requisitos sobre a participação de laboratórios

Leia mais

Programa piloto de acreditação de produtores de materiais de referência: compilação de pontos observados nas avaliações realizadas.

Programa piloto de acreditação de produtores de materiais de referência: compilação de pontos observados nas avaliações realizadas. Programa piloto de acreditação de produtores de materiais de referência: compilação de pontos observados nas avaliações realizadas. Renata Martins Horta Borges Divisão de Acreditação de Laboratórios Coordenação

Leia mais

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Preparando a Implantação de um Sistema de Gestão da Qualidade Preparando a Implantação de um Projeto Pró-Inova - InovaGusa Ana Júlia Ramos Pesquisadora em Metrologia e Qualidade e Especialista em Sistemas de Gestão da Qualidade 1. Gestão Gestão Atividades coordenadas

Leia mais

Módulo 4. Conceitos e Princípios de Auditoria

Módulo 4. Conceitos e Princípios de Auditoria Módulo 4 Conceitos e Princípios de Auditoria NBR: ISO 14001:2008 Sistemas da Gestão Ambiental Requisitos com orientações para uso NBR:ISSO 19011: 2002 Diretrizes para auditorias de sistema de gestão da

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DA QUALIDADE EM LABORATÓRIO

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DA QUALIDADE EM LABORATÓRIO IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DA QUALIDADE EM LABORATÓRIO Leonardo César Amstalden Gerente da Qualidade Laboratório T&E Analítica Rua Lauro Vannucci 1260 Campinas - SP (19) 3756-6600 SISTEMA DA QUALIDADE Um

Leia mais

Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial. Inmetro. Avaliação da Conformidade. Gustavo José Kuster

Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial. Inmetro. Avaliação da Conformidade. Gustavo José Kuster Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial Inmetro Avaliação da Conformidade Gustavo José Kuster Avaliação da Conformidade Conceituação ABNT ISO/IEC GUIA 2 Exame sistemático

Leia mais

Food Safety System Certification 22000. fssc 22000

Food Safety System Certification 22000. fssc 22000 Food Safety System Certification 22000 fssc 22000 CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DE SEGURANÇA DOS ALIMENTOS 22000 O esquema de certificação de sistema de gestão da segurança dos alimentos - FSSC 22000

Leia mais

REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AUDITOR DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NBR 15100

REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AUDITOR DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NBR 15100 REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AUDITOR DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NBR 15100 NORMA Nº NIT-DICOR-062 APROVADA EM AGO/2011 Nº 01/08 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico

Leia mais

Papel da Tecnologia Industrial Básica (TIB) para a Inovação

Papel da Tecnologia Industrial Básica (TIB) para a Inovação Papel da Tecnologia Industrial Básica (TIB) para a Inovação Sérgio Pinheiro de Oliveira, D.Sc. Chefe Substituto do Laboratório de Força do Inmetro Sumário da Apresentação: - Introdução: - Inovação - Simetro

Leia mais

Programa de Capacitação Interna - I Jornada PCI - CETEM

Programa de Capacitação Interna - I Jornada PCI - CETEM Programa de Capacitação Interna - I Jornada PCI - CETEM Marta Brandão Tozzi Bolsista, Química Industrial, M. Sc. Maria Alice Goes Orientadora, Engenheira Metalúrgica, D. Sc. Resumo O CETEM é acreditado

Leia mais

CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE PBQP-H / SiAC

CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE PBQP-H / SiAC CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE PBQP-H / SiAC NORMA Nº: NIT-DICOR-007 APROVADA EM FEV/2010 01/07 SUMÁRIO 1 1 Objetivo 2 Campo de

Leia mais

I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ

I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ A importância do conhecimento da legislação ambiental para auditores profissionais Marcello Guimarães Couto, Esp. Gerente da Divisão

Leia mais

Coordenação Geral de Acreditação INTRODUÇÃO ÀS PRÁTICAS DE AUDITORIA DE ACREDITAÇÃO. Documento de caráter orientativo DOQ-CGCRE-021

Coordenação Geral de Acreditação INTRODUÇÃO ÀS PRÁTICAS DE AUDITORIA DE ACREDITAÇÃO. Documento de caráter orientativo DOQ-CGCRE-021 Coordenação Geral de Acreditação INTRODUÇÃO ÀS PRÁTICAS DE AUDITORIA DE ACREDITAÇÃO Documento de caráter orientativo DOQ-CGCRE-021 Revisão 01 FEV/2010 DOQ-CGCRE-021 Revisão 01 Fev/2010 Página: 02/28 Introdução

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com Contexto SGQ SGQ Sistema de Gestão da Qualidade Sistema (Definição do dicionário Michaelis) 1- Conjunto de princípios

Leia mais

Portaria nº 118, de 06 de março de 2015.

Portaria nº 118, de 06 de março de 2015. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria nº 118, de 06 de março de 2015. O PRESIDENTE

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 159, de 29 de junho de 2006.

Leia mais

Raquel Nogueira (Cgcre, Inmetro) Maurício A. Soares (Cgcre, Inmetro)

Raquel Nogueira (Cgcre, Inmetro) Maurício A. Soares (Cgcre, Inmetro) ISSN 1984-9354 PROGRAMAS DE ACREDITAÇÃO E RECONHECIMENTO DA COORDENAÇÃO GERAL DE ACREDITAÇÃO (CGCRE) DO INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA (INMETRO): SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE (D.O 01 revisão 05, de 22 de março de 2011) 2 SUMÁRIO PARTE I INTRODUÇÃO

Leia mais

Implantação e Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade no Processo de Produção de Materiais de Referência Certificados

Implantação e Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade no Processo de Produção de Materiais de Referência Certificados Implantação e Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade no Processo de Produção de Materiais de Referência Certificados Lívia Gebara Muraro Serrate Cordeiro Bolsista PCI/DTI, M.Sc. Maria Alice

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DE VENTILADORES DE MESA, COLUNA, CIRCULADORES DE AR E APAREHOS SIMILARES

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DE VENTILADORES DE MESA, COLUNA, CIRCULADORES DE AR E APAREHOS SIMILARES Página 1 de 52 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO DE MUDANÇAS... 2 2. ESCOPO... 3 3. MANUTENÇÃO... 3 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS... 3 5. DEFINIÇÕES... 4 6. QUALIFICAÇÃO DA EQUIPE DE AUDITORES... 8 7. CONDIÇÕES GERAIS...

Leia mais

REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AUDITOR DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NBR 15100

REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AUDITOR DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NBR 15100 REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AUDITOR DE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NBR 15100 NORMA Nº NIT-DICOR-062 APROVADA EM FEV/08 Nº 01/07 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico

Leia mais

REGRA DE CERTIFICAÇÃO PRODUTO. Elaborado por: Karen C. Martins Verificado por: Arnaldo Barbúlio

REGRA DE CERTIFICAÇÃO PRODUTO. Elaborado por: Karen C. Martins Verificado por: Arnaldo Barbúlio Doc:700-RC-001 Página: 1/11 Elaborado por: Karen C. Martins Verificado por: Arnaldo Barbúlio Aprovado por: Regina Toscano Data Aprovação: 09/12/2013 1 OBJETIVO Esta Regra de Certificação estabelece os

Leia mais

Portaria n.º 350, de 06 de setembro de 2010.

Portaria n.º 350, de 06 de setembro de 2010. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 350, de 06 de setembro de

Leia mais

II INTELAB REMEPE Encontro Técnico de Laboratórios Recife 12 de Agosto de 2015

II INTELAB REMEPE Encontro Técnico de Laboratórios Recife 12 de Agosto de 2015 II INTELAB REMEPE Encontro Técnico de Laboratórios Recife 12 de Agosto de 2015 A estratégia do trabalho em rede para o fortalecimento da metrologia industrial no Estado de São Paulo Celso Scaranello Rede

Leia mais

PROVA DE NÍVEL SUPERIOR

PROVA DE NÍVEL SUPERIOR PROVA DE NÍVEL SUPERIOR CARGO: Técnico de Nível Superior Júnior I - QUÍMICA 1. PPHO são os Procedimentos-Padrão de Higiene Operacional. Um bom plano de PPHO deve ser estruturado sobre alguns pontos básicos.

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DO 8º PROGRAMA DE ENSAIO DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL VAZÃO

RELATÓRIO FINAL DO 8º PROGRAMA DE ENSAIO DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL VAZÃO RELATÓRIO FINAL DO 8º PROGRAMA DE ENSAIO DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL VAZÃO PROCESSO CERTIFICADO ISO 9001:008 pela SGS Certificadora Certificado BR 98/0139 8-set-00 Relatório do PEP 008/010

Leia mais

Considerando que é dever do Estado instaurar condições para a existência de concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições:

Considerando que é dever do Estado instaurar condições para a existência de concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições: MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria nº 109, de 13 de junho de 2005. O PRESIDENTE DO

Leia mais

Calibração. Soluções econômicas para calibração de medidores de vazão. 05/28/2009 André Nadais. Slide 1

Calibração. Soluções econômicas para calibração de medidores de vazão. 05/28/2009 André Nadais. Slide 1 Calibração Soluções econômicas para calibração de medidores de vazão Slide 1 Agenda 1. Endress+Hauser Medição de vazão e competência de calibração 2. Calibração on-site de medidores de vazão Reduzindo

Leia mais

ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA. Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva

ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA. Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva Joel Alves da Silva, Diretor Técnico JAS-METRO Soluções e Treinamentos

Leia mais

Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) Divisão de Metrologia Óptica (Diopt) Painéis Setoriais.

Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) Divisão de Metrologia Óptica (Diopt) Painéis Setoriais. Relato Técnico Tema: Painel Setorial Inmetro Sobre o CB Scheme Data: 15 de outubro de 2013 Local: Auditório Centro Operacional Inmetro/Xerém 1. Introdução O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE MANUTENÇÃO DA CONFIABILIDADE METROLÓGICA DE INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO

GUIA PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE MANUTENÇÃO DA CONFIABILIDADE METROLÓGICA DE INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO GUIA PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE MANUTENÇÃO DA CONFIABILIDADE METROLÓGICA DE INSTRUMENTOS DE MEDIÇÃO Sereno H.R.S. 1, Sheremetieff Jr. A. 2 1 Inmetro, Duque de Caxias, Brasil hrsereno@inmetro.gov.br

Leia mais

Portaria n.º 385, de 23 de outubro de 2007.

Portaria n.º 385, de 23 de outubro de 2007. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 385, de 23 de outubro de

Leia mais

Portaria n.º 108, de 06 de março de 2012.

Portaria n.º 108, de 06 de março de 2012. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Portaria n.º 108, de 06 de março de 2012. O PRESIDENTE

Leia mais

Sistemas de Medição e Metrologia. Aula 5. Organização da Aula 5. 5.Sistema de Medição e Metrologia. Contextualização. Profa. Rosinda Angela da Silva

Sistemas de Medição e Metrologia. Aula 5. Organização da Aula 5. 5.Sistema de Medição e Metrologia. Contextualização. Profa. Rosinda Angela da Silva Sistemas de Medição e Metrologia Aula 5 Organização da Aula 5 Sistema de Gestão da Qualidade na organização A importância da Metrologia Profa. Rosinda Angela da Silva dentro do Sistema de Qualidade Abordagem

Leia mais

Portaria n.º 456, de 01 de dezembro de 2010

Portaria n.º 456, de 01 de dezembro de 2010 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 456, de 01 de dezembro de

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Rafael D. Ribeiro, M.Sc. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br A expressão ISO 9000 (International Organization for Standardization) designa um grupo de normas técnicas que estabelecem

Leia mais

Missão Institucional da REMEQ-PB Promover a difusão de conhecimentos científicos e tecnológicos nas áreas de metrologia e qualidade, apoiando o desenvolvimento de pessoal e de infra-estrutura laboratorial,

Leia mais

A revisão 1 foi feita para contemplar as mudanças necessárias, em função da publicação das novas regras para utilização de identidade visual.

A revisão 1 foi feita para contemplar as mudanças necessárias, em função da publicação das novas regras para utilização de identidade visual. CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE PBQP-H / SiAC NORMA Nº: NIT-DICOR-007 APROVADA EM JUL/07 /07 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação

Leia mais

Andraplan Serviços Ltda. A essência da consultoria.

Andraplan Serviços Ltda. A essência da consultoria. Andraplan Serviços Ltda. A essência da consultoria. Publicação de domínio público reproduzida na íntegra por Andraplan Serviços Ltda. Caso tenha necessidade de orientações sobre o assunto contido nesta

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL. Modelo da Série NBR ISO 9000

GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL. Modelo da Série NBR ISO 9000 GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL Modelo da Série NBR ISO 9000 Modelo da Série NBR ISO 9000 A Garantia da Qualidade requer uma ação coordenada de todo sistema produtivo da empresa, do fornecedor de insumos de

Leia mais