Futebol de Mesa volta a renascer

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Futebol de Mesa volta a renascer"

Transcrição

1 Preço 1.25 e (IVA incluido) Ano XXIII Nº 286 JANEIRO 2013 Director: Paulo Pimenta UNIÃO RECREATIVA DO DAFUNDO XXIII ANOS Uma maneira diferente de informar Futebol de Mesa volta a renascer Diversos artigos de qualidade à sua escolha CAMILO até 20 de Fevereiro SALDOS Secção de Senhora Tudo com 50% de desconto Secção de Homem Tudo desde 20% a 50% de desconto RUA JOSÉ JOAQUIM DE ALMEIDA 571-A CARCAVELOS TEL.: Misericórdia de Cascais dá posse a novos corpos sociais Junta de Freguesia de Barcarena comemora 177 anos A F u n e r á r i a São João das Lampas Q u i n t i n o e M o r a i s 25 Anos de serviço com Competência e Honestidade Atendimento Permanente: Funeral Social: 356,20e Funeral Económico: 676,00e SEDE: Rua da Oliveira, 1 Aldeia Galega S. João das Lampas SINTRA Telef Fax Telem / FILIAL 1: Rua Moínho de Fanares, Mem Martins SINTRA Telef Fax FILIAL 2: Rua Visconde d Asseca, 25 MUCIFAL Telef /6 Fax BREVEMENTE NA TERRUGEM

2 2 25 Janeiro 2013 O CORREIO DA LINHA GAVE entrega prémios do concurso de presépios A Casa do Elétrico de Sintra Vila Alda foi palco, no passado dia 6 de Janeiro, da entrega oficial dos troféus aos vencedores do XI Concurso de Artesanato, subordinado ao tema O Natal. Promovida em parceria pelo Grupo de Artistas de Vale de Eureka (GAVE), pela Câmara Municipal de Sintra (CMS) e pela Vila Alda, a iniciativa contou com um júri composto por figuras do concelho de Sintra: Marco Almeida, Vice-Presidente da CMS, MEDICINA Tradicional chinesa Acupunctura Fitoterapia Massagem Tuina Mário Lameiras Pós-Graduado pelo Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar - Universidade do Porto Consultório Rua Artur Brandão, s/n Nova Oeiras Marcações Tlm Parceria: Boas Festas Paula Simões, Vereadora do Pelouro da Cultura da CMS, Rosária Santos, secretária do Executivo da Junta de Freguesia do Cacém e em representação do Presidente desse organismo, António Gouveia, diretor da Escola Secundária Gama de Barros, José Gavino, em representação dos artesãos sintrenses, e Rui Santos, Presidente da Vila Alda. Entre os 136 trabalhos em exposição, estes jurados premiaram dez obras. Na categoria Associações e Instituições de Ensino, a Escola Secundária Egas Moniz recebeu a segunda menção honrosa pelo trabalho Presépio na Telha, tendo ficado ainda em terceiro lugar exaequo com o Presépio instalado em concha e pedra do mar, do Centro Paroquial da Caparica. Já o Centro de Educação para o Cidadão Deficiente de Mira Sintra conquistou o segundo prémio com a obra Ouriços Presépio, enquanto o primeiro lugar foi arrebatado pelo trabalho Os Minimeus, da autoria da Escola Básica para o 1º Ciclo/ Jardim de Infância de Portela de Sintra. Na categoria Artesãos, os artistas premiados foram César Cruz pelo trabalho Presépio (segunda menção honrosa), Francisco Boleto pela obra Presépio em Movimento (primeira menção honrosa), Ercílio Natálio por Belém- Hoje (terceiro prémio), Nuno Justino pelo trabalho Totem de Natal (segundo prémio) e José Costa Duarte pela obra Presépio (primeiro prémio). Os jornais O Correio da Linha e Jornal da Região e a Rádio Clube de Sintra foram os órgãos de comunicação social que apoiaram o XI Concurso de Artesanato. Cada um distinguiu um artesão diferente: O Correio da Linha premiou Maria Helena Brandão pelo trabalho Presépio Envidraçado, o Jornal da Região galardoou Nuno e Anabela Justino pela obra Árvore de Natal e a Rádio Clube de Sintra distinguiu Presépio, de José Costa Duarte. Os visitantes da Casa do Elétrico também puderam escolher a sua obra favorita e decidiram distinguir o trabalho Presépio Envidraçado, de Maria Helena Brandão, com o Prémio Vila Alda. Este ano, Instalações do CETO Clube Escola de Ténis de Oeiras - PALMEIRAS mais uma vez, o concurso decidiu ultrapassar as fronteiras físicas e foi possível votar na Internet através da rede social Facebook. A vencedora desta votação online foi Maria Cecília Lagareiro. No rescaldo da cerimónia, o Presidente da Vila Alda, Rui Santos, sublinhou a quantidade de trabalhos que estiveram em concurso: De longe que esta foi a edição que contou com mais obras inscritas. São trabalhos que têm uma enorme qualidade, visto que resultam da sensibilidade de cidadãos de alma sintrense. Lanço já o desafio para que todos participem no próximo Concurso de Artesanato e em todas as outras futuras edições deste evento. Já o Presidente do GAVE, Vítor Amaro, considera que o sucesso deste concurso foi uma boa maneira de comemorar o oitavo aniversário do grupo: Este evento é um excelente exemplo da vitalidade e da grandeza da associação, para além de demonstrar a simpatia que o GAVE tem junto dos artesãos. Felizmente que esse espírito tem-se sempre mantido ao longo da existência deste grupo. De resto, desejo que o GAVE continue a sua atividade por muitos mais anos, dando oportunidade a todos de mostrarem o seu artesanato. Não posso deixar de agradecer a algumas entidades e personalidades que nos têm apoiado e que inclusive marcaram presença no nosso almoço de aniversário, que decorreu a 5 de janeiro, como a Câmara Municipal de Sintra, a padaria Caruço & Filhos, o diretor da Escola Secundária Gama de Barros, António Gouveia, o jornal O Correio da Linha e as óticas Dona Maria II, Avenida e Vistissom. Marco Almeida, Vice- Presidente da Câmara Municipal de Sintra, também elogiou o trabalho do GAVE: Acima de tudo quero dizer «obrigado». É uma palavra que nos vamos esquecendo de usar no dia-a-dia, mas que reflete muito bem aquilo que sinto especialmente em relação ao GAVE. Este grupo tem tido um papel extremamente importante na promoção da arte e da cultura no concelho de Sintra. Por essa razão, o GAVE está de parabéns e posso garantir que esta associação vai contar sempre com o apoio da autarquia. Para Paula Simões, Vereadora do Pelouro da Cultura da CMS, o XI Concurso de Artesanato é mais uma prova do dinamismo artístico de Sintra: Nem sei como é que alguém, alguma vez, pôde duvidar do excelente estado da cultura neste concelho. Há sempre diversas iniciativas e que se dirigem a todos os tipos de público. Por exemplo, antes de marcar presença nesta entrega de prémios, tive a oportunidade de participar no lançamento da obra poética do Dr. Miguel Barbosa, um munícipe que mantém bem viva a arte em Sintra. Por outro lado, nós sentimos que todos os cidadãos são interessados e aderem aos eventos, como aconteceu neste concurso. Logo, até em termos culturais, Sintra é um município de destaque. Texto: Igor Garcia pires Fotos: j.r.

3 Cascais reforça apoio a familias Fruto de uma parceria entre a Câmara Municipal de Cascais, a Junta de Freguesia do Estoril, o Centro Paroquial do Estoril e o Movimento Famílias SOS da Paróquia da freguesia, foi inaugurada, no passado dia 7 de janeiro, a Loja Partilha Espaço Solidário, na Avenida Aida, no Estoril. A cerimónia contou com a presença do Dr. Carlos Carreiras, Presidente da Câmara Municipal de Cascais, Dr. Miguel Pinto Luz, Vice-Presidente da autarquia, Frederico Almeida, vereador da Ação Social, Luciano Mourão, Presidente da Junta de Freguesia do Estoril, e do padre Ricardo Neves, presidente do Centro Paroquial do Estoril. Em complemento das respostas sociais atualmente existentes para as famílias fragilizadas, a loja será um espaço de partilha de diversos bens, colocando à disposição produtos alimentares não perecíveis, produtos de higiene e limpeza, bem como vestuário e calçado. Localizado no número 613 do Edifício Estoril Garden, a loja irá ainda contemplar o espaço Nós Ajudamos que será vocacionado para a compilação e cruzamento de procura e oferta de emprego, assim como para o aconselhamento nas áreas jurídica e de emprego. Na cerimónia de inauguração, o padre Ricardo Neves frisou que a Partilha Espaço Solidário nasceu de uma experiência tipicamente cristã : Todos nós sabemos que os cristãos têm uma atenção permanente à realidade que os envolve e têm na sua genética uma vontade imensa de ajudar os outros naquilo que puderem. Por isso, este espaço é resultado da boa vontade de um conjunto de cristãos da nossa paróquia. Luciano Mourão considera que o poder local deve estar junto dos cidadãos na atual conjuntura socioeconómica: É essencial que as juntas de freguesia apoiem as pessoas quando elas já não conseguem encontrar ajuda em mais lado nenhum. Como é óbvio, a Junta de Freguesia do Estoril está sempre de braços abertos para prestar assistência social a quem mais precisa, através de diversas parcerias, nomeadamente com a Câmara Municipal de Cascais e com o Centro Paroquial. Para Carlos Carreiras, a Partilha Espaço Solidário tem um significado especial: Sinto-me muito orgulhoso por inaugurar um espaço que assegura a dignidade dos cidadãos mesmo em tempos mais conturbados. Ao garantirmos isso, é certo que vamos todos conseguir ultrapassar as dificuldades atuais. Por outro lado, a «Partilha Espaço Solidário» é mais um reforço dos laços que unem a nossa comunidade. Afinal, o sentimento de integração é extremamente importante para que haja uma partilha de direitos, responsabilidades e obrigações. Com a inauguração desta sexta loja solidária no concelho, quero aproveitar PSP de Carnaxide entrega cabazes de Natal Inserido no âmbito do projeto de apoio social de proximidade, as Equipas de Policiamento e Escola Segura do Modelo Integrado de Policiamento de Proximidade da 83.ª Esquadra da Policia de Segurança Pública (PSP) de Carnaxide reuniu bens alimentícios em parceria com entidades educativas da freguesia com fim a apoiar dez famílias sinalizadas pelas referenciadas pe- las Equipas de Proximidade e Apoio à Vítima do MIPP e a uma instituição de Carnaxide. Ao jornal Correio da Linha um dos responsáveis pela ação referiu que a adesão à mesma superou todas as expectativas. Foram recolhidos perto de 720 bens alimentícios entre cereais, leite, conservas, etc. e as famílias abrangidas ficaram bastante gratas pela oferta. A iniciativa «Aqueles que têm pouco mais podem ajudar os que quase nada têm» teve como principal objetivo a sensibilização das famílias que ainda têm alguma desafogo socioeconómico para a entreajuda na comunidade onde estão inseridos, disse o subcomissário da 83.ª Esquadra da PSP de Carnaxide. Na cerimónia de entrega dos cabazes estiveram presentes as famílias beneficiárias, as entidades parceiras da ação e as crianças envolvidas que foram as protagonistas da entrega dos bens alimentares. A par desta ação decorreu uma exposição de postais de natal sob o tema Natal em Segurança produzidos pelas crianças das escolas de 1.º ciclo e jardinsde-infância no Centro Comercial Alegro a partir de material reutilizado e reciclado. também para fazer um reconhecimento público às instituições da Igreja Católica, visto que uma boa parte destes espaços está associada a organizações direta ou indiretamente ligadas à Igreja. Sem esse apoio, seria completamente impossível dar conta deste tsunami social que se abateu sob o mundo ocidental e, mais propriamente, sob o nosso país. Quem quiser doar bens pode fazê-lo diretamente na loja, que dispõe de um pequeno armazém. A coordenação e dinamização da Uma Maneira Diferente de Informar O CORREIO DA LINHA 25 Janeiro Partilha - Espaço Solidário são da responsabilidade do movimento das Famílias SOS da Paróquia do Estoril e vai contar com o apoio da Câmara Municipal de Cascais e da Junta de Freguesia no que respeita às despesas de funcionamento da loja. Este espaço está aberto de segunda-feira a sábado, das 11 às 18 horas. Texto: Igor Garcia pires Fotos: j.r. SMAS de Sintra vai acabar com 250 fossas seticas Chegando cada vez mais perto das necessidades das pessoas, no dia 10 de dezembro, o Conselho de Administração dos SMAS-SINTRA aprovou a segunda fase da empreitada referente à rede de drenagem de águas residuais domésticas no Mucifal, na Freguesia de Colares. Com um valor de ,26 euros (mais IVA) e um prazo de execução de 360 dias, esta obra executará o prolongamento da rede de drenagem de águas residuais domésticas das zonas periféricas do Mucifal (abrangendo a R. da Botelha, R. Branca Flor, R. da Peregrinação, R. das Folhas Soltas, R. dos Canaviais, entre outras) com ligação à rede existente, bem como da rede de drenagem de águas pluviais de alguns arruamentos na povoação, que têm tido frequentemente problemas de escoamento. Está prevista a construção de aproximadamente 250 ramais domiciliários, eliminando-se, deste modo, muitas fossas séticas existentes nessa zona. Boutique Queijas As lojas Teresa Silveira desejam um bom 2013 O mal de muita gente não é a falta de ideias mas um excesso de confiança nas poucas que têm (Noél Clarasó) Deseja um Feliz 2013

4 25 Janeiro 2013 O CORREIO DA LINHA José Carlos Freitas O velhinho subbuteo, que apaixonou gerações de jovens portugueses nas décadas de 70 e 80, está a ganhar nova vida na União Recreativa do Dafundo. O futebol de mesa, nome oficial da modalidade, foi destronado, no decorrer dos anos 90, pelas consolas e pelos jogos eletrónicos mas voltou a animar o pavilhão há cerca de um ano e meio, através de um clube criado por José Freitas. O jornal O Correio da Linha assistiu a uma jornada do Campeonato Nacional Absoluto para perceber o que encanta os praticantes desta modalidade. oito jogadores, quatro mesas, quatro árbitros e muita concentração. Foi assim o dia de sábado, 12 de Janeiro, no primeiro andar do edifício que alberga a União Recreativa do Dafundo, onde decorreu mais uma jornada do Campeonato Nacional Absoluto de Futebol de Mesa, conhecido por subbuteo. Esta modalidade, nascida em Inglaterra em 1947, consiste num autêntico jogo de futebol, disputado numa mesa, com onze bonecos de cada lado que são comandados pelas mãos de cada jogador, numa disputa de um contra um. A ideia de Peter Adolph, inventor do jogo, era precisamente fazer uma réplica do futebol. Entretanto, foram feitos alguns ajustes para tornar o jogo mais real e mais dinâmico mas, no fundo, o objectivo é o mesmo: marcar mais golos do que o adversário, explicou ao jornal Miguel Castro, da Associação Portuguesa de Subbuteo. De facto, tal como no futebol, há penalties, livres, foras de jogo, lançamentos pela linha lateral e pontapés de canto. O jogo tem muitas regras mas elas estão assentes nalguns princípios básicos que é possível dominar com alguma rapidez e a lógica é a mais popular do Mundo - o futebol, acrescentou Miguel Castro. Na União Recreativa do Dafundo pratica-se futebol de mesa O futebol de mesa é, ao mesmo tempo, um jogo de estratégia, como o xadrez, e de emoções, como o futebol. Calma, paciência e muito treino fazem a receita do sucesso. A Associação Portuguesa de Subbuteo tem sede em Campolide e foi criada em 1993 com o objetivo de não deixar cair em esquecimento aquele que foi o passatempo de milhares de jovens em Portugal. Conseguimos manter alguma organização, trazer antigos praticantes de volta à modalidade e dinamizar um pouco as pessoas, no sentido de fazer reavivar o subbuteo, sublinhou Miguel Castro. Temos entre 80 a 100 filiados que vão participando nas provas que vão ocorrendo ao longo do ano, acrescentou. São várias as competições e torneios ao dispor de um jogador de subbuteo. Há torneios internos, dos clubes, há torneios interclubes, a Taça de Portugal, que pode ser disputada a nível individual ou por clubes e existe também a Liga APS, com uma fase regional e uma fase final. Temos ainda os Open, em que qualquer associado pode participar. É o ideal para quem está a começar porque no sorteio pode apanhar jogadores muito bons ou mais fracos e é com essa competição que se vai evoluindo, explicou Miguel Castro. Quanto mais cedo se começa mais experiência se vai acumulando. É essa a perspectiva de Carolina Villarigues, jogadora do clube sediado em Sassoeiros. A campeã nacional feminina tem 15 anos mas conheceu o subbuteo com 12, através de uma primeira experiência na escola que frequenta. Mesmo assim, diz que devia ter começado antes. Lamenta também o facto de haver poucas praticantes do sexo feminino. Em Portugal só há quatro ou cinco raparigas a praticar, explicou. Carolina, Jose Freitas e Ricardo Um arbito atento às Jogadas Acontece o mesmo a nível mundial. É um jogo predominantemente masculino apesar de as mulheres, segundo Carolina, não terem nenhuma desvantagem em relação aos rapazes. É um jogo mais psicológico do que físico. Não é preciso ter grandes qualidades físicas para jogar subbuteo, sublinhou, em entrevista ao jornal O Correio da Linha. Carolina Villarigues acredita que, com a divulgação da modalidade, vão chegar mais mulheres à competição. Quando digo aos meus colegas que jogo subbuteo, normalmente não sabem o que é. Não conhecem, lamenta. Ricardo José, tal como Carolina, pertence à geração das consolas e dos jogos electrónicos, que acabam por tirar protagonismo a modalidades como o subbuteo. Tem 13 anos e pratica futebol de mesa há cerca de dois anos e meio. Na sua faixa etária, há entre dez a quinze praticantes. Ricardo pertence ao clube da União Recreativa do Dafundo, onde treina semanalmente, às quartas-feiras. A dedicação já lhe trouxe alguns prémios. Em 2012, foi campeão nacional e o objectivo para este ano é participar no Campeonato do Mundo. Para ser apurado é preciso ocupar uma das duas primeiras posições no Campeonato Nacional. Já estive classificado no ano passado mas não deu para ir, lamentou. Já tive uma experiência em Espanha, em Madrid, num torneio internacional e gostava de continuar. É uma A origem do subbuteo O futebol de mesa, conhecido como subbuteo, foi inventado por Peter Adolph, um inglês nascido em 1916 e morreu em Gibraltar em Inicialmente, o jogo chamavase hobby, nome inspirado por uma espécie de falcão pequeno. Quando Adolph quis registar a patente, o Instituto Nacional de Propriedade Industrial considerou o nome demasiado vago e foi nessa altura que Adolph se lembrou de subbuteo, o nome latino para o falcão hobby. Em Inglaterra, o jogo foi um autêntico sucesso logo nos anos 50. A febre do subbuteo chegou a Portugal no final da década de 60. modalidade mais desenvolvida lá. Aprendi e evolui imenso, comentou. O desejo de competir fora de portas é comum à maioria dos jogadores portugueses porque há países, como Inglaterra, Espanha, Itália e Grécia, onde o subbuteo é levado muito a sério. Há jogadores que vêm apenas por diversão, mas há outros que procuram um nível competitivo, mais exigente, e que por isso jogam em clubes estrangeiros, explicou Miguel Castro. É o caso de Ricardo Pavão, um engenheiro informático de 28 anos, apaixonado pelo futebol de mesa há cerca de dez anos. Em 2008 decidiu experimentar a jogar num clube italiano, na Lazio de Roma. Estive lá duas épocas. Iamos à sexta-feira e regressávamos ao domingo. É um bocado cansativo mas, como se costuma dizer, quem corre por gosto não cansa. Às vezes era preciso tirar um dia de férias mas deu sempre para conciliar e foi uma experiência muito positiva, contou. Entretanto transferi-me para um clube espanhol, em Madrid. Este ano voltei para um clube português, que pertence ao Grupo Recreativo e Drámatico de Tires, para tentar ajudar a relançar a modalidade aqui em Portugal. Para quem gosta da modalidade, Itália é o melhor sítio para se jogar. Jogamos em pavilhões cheios de pessoas, várias mesas, há apoios e patrocínios, há toda uma máquina em torno da modalidade é o auge da subbuteo, explicou. Ainda assim, Ricardo Pavão diz que as condições para a prática da modalidade em Portugal, estão a melhorar. No clu- Nuno Noronha e José Freitas

5 O CORREIO DA LINHA 25 Janeiro be de Tires temos uma sala para nós, com quatro mesas sempre montadas, o que nos permite treinar sempre que quisermos, além dos treinos fixos que são à quarta e à sexta-feira em regime pós-laboral, explicou. Neste momento, eu quero ficar no clube porque acho o projeto muito interessante. Já estivemos em Sevilha, agora em Março vamos à Bélgica é também uma forma de ajudar a que a modalidade se afirme mais em Portugal, revelou. O convívio e a disputa com praticantes de outros países motiva os portugueses e reforça algumas das suas qualidades. Nós, portugueses, jogamos de maneira bem diferente em relação a um italiano ou de um jornal O Correio da Linha. Depois das dificuldades iniciais, levantadas pelo desconhecimento da modalidade, os interessados foram aparecendo, atraídos pelo espaço, que reune excelentes condições, e pelo ambiente do clube. Neste momento temos sete elementos, incluindo um campeão nacional sub-15 e vencedor da Taça de Portugal sub-15, o Ricardo José. Temos também três veteranos, dois séniores e dois sub-15, enumerou. Para José Freitas, o que falta é divulgação e conhecimento. Aqui no Dafundo queremos chamar as pessoas, fazê-las perceber que há muitas crianças que, em vez de estarem fechadas em casa a jogar consola, podem estar José Freitas com Paulo Sena O professor José Santos mais os alunos da escola Egas Moniz em Massamá alemão por exemplo. Tem muito a ver com a forma de pensar e com a forma de abordar o jogo, explicou Miguel Castro. Como há uma interação constante com o adversário, a criatividade pode ser importante e os latinos são mais criativos do que os nórdicos. Por outro lado, eles são menos emotivos do que nós e por isso erram menos. O Open Internacional de Tires, marcado para o final do mês de Janeiro, pretende precisamente mostrar que Carlos Oleastro,José Freitas ( Jogador e responsável pela secção),josé galvão, José Costa ( presidente do URD) Bruno valente, Ricardo José, João Casaca e João Casaca Jr. Portugal existe e colocá-lo no mapa dos circuitos dos praticantes de subbuteo. No mesmo sentido, e para dar um novo fôlego à modalidade, José Freitas criou um clube de subbuteo na União Recreativa do Dafundo, há cerca de um ano e meio. Encontrei aqui o espaço ideal, que felizmente nos foi cedido, contou ao aqui a praticar uma modalidade de forma mais saudável, menos virtual, mais real, num ambiente excelente. Como nós costumamos dizer, aqui não se joga para o boneco, joga-se com o boneco, brincou. Para pertencer ao clube só é preciso vontade. Aparecer, experimentar, mesmo que nunca se tenha jogado subbuteo, sublinhou José Freitas. Os treinos são semanais, às quartas-feiras e, por vezes, duas vezes por semana, quando há torneios, acrescentou. Para Miguel Castro, da Associação Portuguesa de Subbuteo, o caminho para a divulgação da modalidade é precisamente a criação de clubes, como aconteceu com a iniciativa de José Freitas. Actualmente, há apenas quatro clubes com actividade regular: um no Porto e três em Lisboa. É um cenário difícil de contrariar quando o sol português afasta muita gente de actividades praticadas em pavilhões mas principalmente quando não existem apoios nem patrocínios de marcas ou empresas e as colectividades estão com dificuldades financeiras. Por isso, estas actividades dependem muito da boa vontade das pessoas. Felizmente não é uma modalidade cara, considera Miguel Castro. Uma mesa que dura muitos anos, bem equipada, custa no máximo cem euros. As equipas podem custar entre dez e cinquenta euros. E é um material que dura muito tempo. Não é uma actividade cara quando pensamos que um par de patins, de iniciação, custa cerca de 150 euros. A Associação Portuguesa de Subbuteo está disponível para ajudar qualquer simpatizante da modalidade que pretenda criar um clube mas, para Miguel Castro, a comunidade escolar também pode ter um papel importante neste campo. A Escola Egas Moniz, em Massamá, incluiu o futebol de mesa no programa do Desporto Escolar e por isso muitos dos jovens que actualmente praticam subbuteo vêm de lá, depois de experimentarem os torneiros internos na escola, exemplificou. A vertente pedagógica do subbuteo não deve, para Miguel Castro, ser menosprezada. O subbuteo é um desafio para os jovens desta geração porque são miúdos que não estão habituados a lidar com o fracasso. Enquanto que, à frente de uma consola, é possível desligar o jogo quando este não está a correr bem, aqui as coisas têm de ser levadas até ao fim, independentemente do resultado. Lidar com a frustração é por vezes complicado e o subbuteo pode ajudá-los nesse campo, explicou. Texto: Diana duarte Matias Fotos: j.r. e J.F. Calendário das próximas competições de subbuteo: Janeiro: 26 e 27 - Open Internacional de Lisboa (GRD Tires) Fevereiro: 17/02 - Open Nacional do 20º Aniversário da APS (CF Sassoeiros) Março: 09/03 - Open Internacional B de Massamá (Escola Egas Moniz) 24/03 - Campeonatos Nacionais Absolutos - Fase Final (OFD) Filial 2: Av. Dr. Francisco Sá Carneiro, n.º 5A OEIRAS Tel.: Fax: Sede: Rua João Teixeira Simões, n.º OEIRAS Tel.: Fax: Filial 1: Rua Costa Pinto, n.º PAÇO D ARCOS Tel.: Fax: Miguel Castro Ricardo Pavão Acordos com: ADVANCECARE - MEDIS - MULTICARE - ADM - SAMS Quadros

6 25 Janeiro 2013 O CORREIO DA LINHA Realizou-se no passado dia 3 de janeiro, na Igreja da Misericórdia de Cascais, a tomada de posse dos novos corpos sociais da Santa Casa da Misericórdia do concelho para o triénio 2013/2015. O presidente da Câmara Municipal de Cascais, Dr. Carlos Carreiras, o vicepresidente da autarquia, Dr. Miguel Pinto Luz, o Secretário de Estado da Tomada de posse dos novos corpos sociais da Misericórdia de Cascais Segurança Social, Marco António Costa, o Presidente da União das Misericórdias Portuguesas, Manuel Lemos, o comendador Joaquim Baraona, a deputada Teresa Caeiro, o Dr. Mário Assis Ferreira e o ator Ricardo Carriço foram algumas das personalidades que estiveram presentes na cerimónia. Neste novo triénio, preside à Assembleia-Geral da Santa Casa Armando Acácio Gomes Leandro, secundado pelos vogais José Manuel dos Santos Encarnação, Alberto Maia e Costa e Miguel Luís Correia (suplentes: Jorge Manuel Lorenzo de Oliveira e Maia e José Manuel Nunes de Carvalho). Continua como provedora Isabel Miguens de Almeida Bouças, sendo membros da mesa administrativa os Irmãos Adelino Borges Martins de Albuquerque, Pedro Domingos de Souza e Holstein Campilho, além de José Luís Silva Pimentel de Carvalho, João Cândido Campos de Sousa Teixeira, José Manuel Martins, Manuel Ferreira de Andrade, Carlos Alberto Queiroz Ferreira do Nascimento e José Lués Lopes Baptista, o último designado pela Irmandade do Santíssimo Sacramento (suplentes: Fernando Adão da Fonseca, Maria Manuela da Silva Filipe e Maria Estrela Graça Campinos Poças). Ao Conselho Fiscal preside Alberto José dos Santos Ramalheira, secundado por António Dias Sequeira e Horácio de Almeida Bacelar de Brito (suplentes: Eduardo Martins, Ana Isabel Barosa Saragga Horta e Costa e Mário Orlando Gomes dos Santos). Durante a tomada de posse, a Provedora Isabel Miguens de Almeida Bouças relembrou a História secular da Santa Casa, mas sempre de olhos postos no presente e no futuro: Desde 1551 que a Misericórdia tem ajudado de forma exemplar os que mais precisam de assistência social no nosso concelho. Apesar de já ter tantas provas dadas, esta instituição é cada vez mais necessária, devido aos tempos de crise económica e moral que estamos a atravessar. É por essa razão que diariamente, por exemplo, ajudamos mais de quatro mil famílias, prestamos assistência a cerca de duas mil crianças e jovens em catorze estabelecimentos de Cascais, auxiliamos 340 adultos deficientes e mais de mil idosos através de lares, de centros de convívio e do apoio domiciliário, além de desenvolvermos um trabalho especializado nas áreas das dependências e da prevenção das mesmas através da Fundação Portuguesa para o Estudo, Prevenção e Tratamento da Toxicodependência. De futuro, julgo que esta instituição deve ter como objetivos a consolidação do trabalho em curso, a qualificação das áreas consideradas socialmente mais frágeis com o recurso a uma melhor formação e a continuação da bem-sucedida parceria com a autarquia, entre outros. O presidente da Assembleia-Geral, Armando Acácio Gomes Leandro, enumerou os valores-base da instituição: Fico muito orgulhoso por fazer parte de uma fundação que se rege por princípios tão nobres e estimulantes, como o respeito pela dignidade humana, a salvaguarda do bem comum e a solidariedade social. É um privilégio fazer parte de uma equipa dotada de um sentido cívico exemplar e de uma extrema dedicação a todas as pessoas que são acompanhadas pela Misericórdia. Essa humanidade tão característica da Santa Casa foi igualmente destacada pelo presidente do Conselho Fiscal, Alberto José dos Santos Ramalheira: Estamos perante uma instituição cujos colaboradores se comprometem a responsabilizar-se pelo bem-estar físico, psicológico e espiritual de outras pessoas que porventura nem sequer conhecem, mas que precisam imenso dos serviços que a Santa Casa presta junto da comunidade de Cascais. Ao Conselho Fiscal, cuja presidência foi-me confiada, compete velar pelo bom cumprimento dos estatutos, acompanhando e aconselhando a mesa administrativa na sua função executiva de bem gerir o património material e humano de que dispomos. Trata-se de uma atividade criadora e de permanente transformação da angústia e da escassez de recursos em confiança e em esperança. O secretário de Estado da Segurança Social, Marco António Costa, elogiou o papel da Santa Casa, que é um excelente exemplo dos feitos extraordinários do povo português até em tempos mais conturbados : A Misericórdia de Cascais é o tipo de fundação de que mais precisamos atualmente. Nós necessitamos de organizações que apostem na economia social. Esta economia não nos abandona quando as dificuldades nos batem à porta, buscando lucro independentemente da localidade, cidade, país ou continente. Esta economia pensa nas soluções para os problemas e dános mais quando nós mais precisamos. É por isso que a economia social continuará sempre a ser defendida e salvaguardada pelo

7 O CORREIO DA LINHA 25 Janeiro 2013 Comandos da Amadora tem avenida e praça Governo. O trabalho da Santa Casa, e da Provedora em particular, também foi reconhecido pelo Presidente da União das Misericórdias Portuguesas, Manuel Lemos: Quero prestar uma homenagem não só à obra que a instituição tem desenvolvido já há tanto tempo, mas também à coragem, à determinação e à força de vontade que acompanha todos aqueles que colaboram com a Santa Casa. Realço em especial a gentileza da Provedora desta instituição. A amiga Isabel Miguens de Almeida Bouças gosta de cultivar os afetos e, na minha opinião, é essa a principal função das Misericórdias. Já o Presidente da Câmara Municipal de Cascais, Dr. Carlos Carreiras, frisou a relevância desta instituição no contexto atual: A Santa Casa é a segunda instituição mais antiga do concelho e tem sido sobretudo, ao Coral de Queluz tem novo maestro No passado dia 2 de dezembro realizouse, na Igreja de Queluz, o último concerto do Grupo Coral de Queluz (GCQ), com a mestria de Pedro Teixeira. O maestro, que esteve à frente da direção artística do GCQ ao longo de 12 anos, deixa muitas saudades entre os coralistas, mas vai partir para abraçar um novo desafio profissional. Clara Ramos, da Direção do Grupo, descreve as emoções desse último espetáculo comandado por Pedro Teixeira: Os coralistas estavam «de lágrima ao canto do olho» e a Igreja estava cheia, não apenas com o nosso muito público habitual, mas também com familiares, amigos e antigos coralistas. Todos queriam assistir ao nosso Concerto de Natal, o último de Pedro Teixeira com o Grupo Coral de Queluz. O concerto correu muito bem, dadas as circunstâncias. As maiores emoções vieram ao de cima com as longo de quase cinco séculos, a maior fonte de humanidade em Cascais. Desde o primeiro momento que todos os Provedores que passaram por esta Misericórdia encararam a cidadania como uma missão, que também é seguida atualmente pelos voluntários que colaboram não só na Santa Casa, mas também em todas as instituições sociais do concelho. Num mundo marcado pelas lentes do economicismo, onde por vezes os valores da bondade e de amor ao próximo parecem estar fora de moda, impõe-se sublinhar o exemplo destes homens e mulheres para quem a solidariedade não tem um preço ou uma utilidade. São homens e mulheres para quem estas ações têm apenas um valor, uma finalidade, um sentido moral. Texto: Igor Garcia pires Fotos: j.r. palavras dirigidas ao maestro Pedro, primeiro por Fátima Salvaterra, Presidente da Direção do GCQ, e depois pelo Presidente da Junta de Freguesia de Queluz, António Barbosa de Oliveira, e pelo representante da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição. Quer a Junta quer a Paróquia ofereceram ao Pedro lembranças e o Grupo atribuiu-lhe, muito justamente, um Diploma de Mérito. Entretanto, o Grupo Coral já tem novo maestro, Pedro Daniel Miguel, e uma agenda repleta de concertos para 2013, alguns dos quais terão o apoio financeiro da Junta de Freguesia de Queluz. Aliás, o primeiro espetáculo com direção artística de Pedro Daniel Miguel decorreu no passado dia 13 de janeiro, às 17 horas, no Palácio Nacional de Queluz. Além de ser um concerto de Ano Novo, este evento celebrou o 46º aniversário do Grupo. Mama Sume (Aqui estamos prontos para o sacrifício). Foi com este grito de comando que dezenas de atuais e antigos membros dos Comandos se congratularam com o descerramento da Placa Toponímica com o nome Avenida Regimento de Comandos, na freguesia da Venteira (junto ao ex-cinema Lido), que decorreu dia 18 de dezembro. Nesta iniciativa, que contou com a presença do Secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional, Paulo Braga Lino, estiveram ainda onze delegações da Associação de Comandos, de norte a sul do país. A atribuição, pela Câmara Municipal da Amadora, da designação de Regimento de Comandos a uma avenida e a uma praça do Município, justifica-se pela celebração do 50.º aniversário do Regimento de Comandos e pelo reconhecimento da importância do Regimento de Comandos para a Amadora, cidade que foi durante vários anos o campo de formação desta tropa de elite. No decurso da cerimónia, na Unidade de Apoio da Área Militar Amadora- Sintra, o Secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional, Paulo Braga Lino salientou a importância desta ação, que valoriza a ligação do Regimento dos Comandos com os cidadãos e com a cidade da Amadora. É a manifestação coletiva do apreço que o Município tem por esta unidade militar, frisou o governante. Joaquim Moreira Raposo, presidente da Câmara Municipal da Amadora, que minutos antes tinha recebido, em nome da Autarquia, a Medalha da Associação de Comandos pela mão do Presidente da Direção Nacional da Associação de Comandos, José Ângelo Lobo do Amaral, destacou o papel dos Comandos e de Jaime Neves no 25 de Novembro de Esta cerimónia é um ato simbólico e uma homenagem a todos os Comandos que serviram com audácia Portugal, enalteceu o edil. José Ângelo Lobo do Amaral, dirigindo-se ao Presidente da Câmara Municipal da Amadora agradeceu-lhe ter querido guardar a memória do nosso Regimento de Comados. Os Comandos não o esquecerão, sublinhou.

8 25 Janeiro 2013 O CORREIO DA LINHA Victor Alves Presidente da JF Barcarena Em Barcarena houve uma mudança de mentalidades Texto: Diana duarte Matias Fotos: j.r. e J.F.B O presidente da Junta de Freguesia de Barcarena, Vitor Alves, vê com bons olhos o facto da reorganização administrativa deixar de parte a hipótese da fusão desta freguesia com Porto Salvo. Em entrevista ao jornal O Correio da Linha, o autarca não tem dúvidas que a extinção de Barcarena, enquanto freguesia, não faria sentido por se tratar de um território com 177 anos história, que serão assinalados no próximo dia 2 de Fevereiro. Há 12 anos à frente dos destinos de Barcarena, e autarca há 16, Vitor Alves sublinha também que este foi um tempo de mudança para a freguesia em termos de mentalidades mas também ao nível da qualidade de vida dos moradores, motivada pela melhoria das acessibilidades e pela construção de novas infraestruturas, sendo de destacar o novo crematório, com abertura prevista para 30 de Março. O Correio da Linha (C.L.) - Ao longo destes anos, o que mudou em Barcarena? Vitor Alves (F.A.) - Mudou sobretudo, uma coisa que me parece extremamente importante, que é a mentalidade das pessoas. Quando aqui cheguei existia um bairrismo exacerbado. Cada um pensava que era mais importante que o outro. Refiro-me às cinco localidades, qual delas a mais importante na óptica dos seus moradores. Hoje em dia, isso acabou por se esbater e acabamos por pensar todos como um todo. Esta mudança foi visível com a malfadada reorganização administrativa, em que as pessoas se preocuparam, no seu conjunto, com a possibilidade de sermos agregados a outra freguesia. C.L. - E qual foi o papel da Junta de Freguesia nesta mudança de mentalidades? F.A. - A Junta de Freguesia teve um papel determinante nesta mudança de mentalidade. Foi um papel de persistência. Fizemos questão de levar esta mensagem de união às pessoas, dizerlhes que Barcarena não é mais ou menos importante do que outra localidade da freguesia. E água mole em pedra dura, tanto bate até que fura, não é? C.L. - Falando de infraestruturas, também foram anos de mudança F.A. - Sim, sem dúvida. Foram criadas algumas infraestruturas muito importantes. Infelizmente, não foram todas aquelas que nos gostaríamos que tivessem sido criadas. Foram construídos novos polidesportivos, novas acessibilidades, novas zonas verdes. O parque escolar foi melhorado substancialmente. Antigas reivindicações, que faziam parte do rol das necessidades sentidas pelos residentes, hoje são uma realidade. Refiro-me por exemplo à Capela de São Sebastião, ao Chafariz do Largo de Barcarena, ao Lavadouro de Queluz de Baixo são todo um conjunto de exigências dos moradores às quais nós conseguimos responder. C.L. - E quais são, neste momento, as maiores carências ao nível de infraestruturas? F.A. - Lamentavelmente, ainda há algumas. Ainda não conseguimos, apesar de já termos o espaço disponível para o efeito, avançar com as obras do Centro de Saúde em Tercena, porque o actual não corresponde minimamente às necessidades da população. Também não conseguimos ainda avançar com a construção de uma escola C+S que abranja toda a freguesia. E esta escola irá colmatar uma outra falha da freguesia, a nosso ver muito importante, que é a inexistência de um polidesportivo coberto, um pavilhão gimnodesportivo. C.L. - Porque é que essas obras não puderam avançar? F.A. - Não avançaram, para já, porque estamos dependentes do Ministério da Saúde, no caso do centro de saúde e do Ministério da Educação, no caso da escola. Quer um quer outro organismo entendem que estes pedidos não estão na primeira linha das necessidades da freguesia. C.L. - Apesar destas carências, tem sido possível fixar população na freguesia? F.A. - Sim. Esta freguesia tem notado um crescimento paulatino e as ligações previstas, em especial o interface que vai ligar Barcarena, Queluz de Baixo e Tercena, vão permitir que se esbatam definitivamente os limites entre localidades. Passaremos a ser apenas uma entidade, apesar de já o sermos em termos de mentalidade. E isso também ajuda a fixar pessoas e a trazer gente nova. C.L. - Em que fase está o crematório de Barcarena? F.A. - O crematório será, tudo aponta, inaugurado no dia 30 de Março. É importante que se saiba que é um projecto que foi levado a cabo exclusivamente por esta Junta de Freguesia. Falo do lançamento do concurso público, da escolha da empresa responsável pela empreitada, do consórcio que vai liderar o projecto durante 25 anos, que é a construtora Tomás de Oliveira todos estes complexos processos foram da nossa inteira responsabilidade. Não houve qualquer participação da Câmara Municipal a não ser na aprovação dos projectos e na cedência do terreno para a construção. Estamos a falar de um investimento de um milhão de euros e o próprio Tribunal de Contas já nos deu os parabéns e não nos apontou uma única falha. Da nossa parte, a única despesa que temos é com o acompanhamento e a fiscalização da obra, a que nos obriga a lei. Acabámos por ser tão bem sucedidos que a cidade de Faro já nos pediu apoio em termos de know-how. Quiseram saber como lançámos o concurso, como é que avançámos para a construção. Nós, apesar de não termos tido quem nos ajudasse, cedemos todas as informações mais necessárias para o avanço do projecto daquela cidade. C.L. - Trata-se de um projecto que trás mais-valias à freguesia? F.A. - Naturalmente. Não se trata de uma PPP (parceria público-privada) mas, por cada cremação, sobra uma percentagem que terá uma receita para a freguesia. Aliás, não seria compreensível de outra maneira. C.L. - Não há muitas respostas no país em termos de equipamentos deste cariz F.A. - Pois não. Para ter uma ideia, temos pessoas desta freguesia que vão ser cremadas em Alcochete, outras em Ferreira do Alentejo. porque não há capacidade de resposta dos crematórios existentes. Por isso, vamos receber corpos do país inteiro, até porque na área metropolitana de Lisboa não há um único crematório com as condições e a capacidade deste. C.L. - É portanto um equipamento que vai suprir as necessidades da região? F.A. - Sem dúvida. Esta nossa iniciativa acabou por inibir a Amadora e Queluz de avançarem para a construção de um crematório porque não faz sentido haver um equipamento com estas características e serem construídos outros por perto. Estamos a falar de um investimento de grande envergadura mas que faz todo o sentido porque se trata de um equipamento que vai de encontro aos anseios da população. A Junta de Freguesia de Barcarena já teve de compartimentar o cemitério apenas a eleitores e residentes da nossa freguesia porque não era já possível receber tanta gente. Se formos analisar os cemitérios existentes no concelho de Oeiras, Carnaxide esgotou a sua capacidade, mesmo uma parte construída há pouco tempo. O cemitério de Oeiras também esgotou e não tem por onde se estender. A única freguesia com meios já existentes e com capacidade para alagamento é Barcarena e foi por isso que lançámos este desafio à Camara Municipal de Oeiras. C.L. - Como estão as acessibilidades da freguesia de Barcarena? F.A. - Em termos de acessibilidades, a Junta de Freguesia teve uma intervenção preponderante ao reivindicar algumas alterações ao trânsito que fizeram toda a diferença na qualidade de vida da população. Falo especialmente da localidade de Tercena, que por força dos nossos vizinhos, residentes em Sintra, vivia diariamente entupida, perturbando e muito as rotinas diárias da população. Hoje, convido qualquer pessoa a passar por Tercena em qualquer período do dia e a verificar que a situação foi plenamente resolvida. C.L. - Mas o que é que motivava tanto trânsito no interior de Tercena? F.A. - O grande problema era que todo o trânsito oriundo de São Marcos desembocava na Fábrica da Pólvora, seguindo, desde aí, para Tercena, para acesso ao IC19. O que fizemos foi pedir que se fizesse um sentido único, descendente, e se proibisse o sentido

9 O CORREIO DA LINHA 25 Janeiro 2013 Foto Carlos Gon;alves ascendente. Não foi fácil mostrar à divisão de trânsito da Câmara Municipal de Oeiras que tínhamos razão demorou uns anos. Mas, de facto, somos nós que vivemos aqui e por isso sabemos, melhor que ninguém, quais são os principais problemas de trânsito e como soluciona-los. Hoje, as pessoas que vêm de São Marcos e queiram apanhar o IC19 através desta freguesia têm de vir a Barcarena e a Queluz de Baixo, que é uma volta enorme, o que acaba por inibir os condutores. C.L. - Sente que este tipo de intervenções são dificuldades pelo facto de, pertencendo ao concelho de Oeiras, estar na zona limítrofe com o de Sintra? F.A. - Eu diria que este problema do trânsito tem duas vertentes. Essa é sem dúvida uma delas. Foram cometidos muitos disparates no concelho de Sintra. Do meu ponto de vista, o que foi feito naquele concelho foi um crime. Trata-se de uma malha urbana muito densa mas com poucas ou nenhumas infraestruturas capazes de responder a esse fluxo de pessoas. Há estradas que são as mesmas há quarenta anos, como é o caso de Massamá e a população cresceu entre noventa a cem por cento nessa zona. A questão é que não foram criadas as condições necessárias para que essa população vá e regresse dos seus empregos de uma forma sustentada. Por isso, diria que o que nos rodeia é, sem dúvida, um grande problema. Um outro problema é a dificuldade que sentimos em sensibilizar a divisão de trânsito da Câmara Municipal de Oeiras. Naturalmente, não é a trabalhar num gabinete em Oeiras que se tem a verdadeira noção das dificuldades que os residentes de Barcarena sentem no dia-a-dia. Ou se acompanha o que se passa ou então é preciso procurar, junto dos eleitos locais, indicações que permitam resolver estes pequenos problemas que às vezes não passam disso mesmo e que podem ter grandes soluções. É um trabalho de proximidade que deve ser realizado pela Junta de Freguesia e que não pode ser feito pela Câmara Municipal. C.L. - Actualmente, no seu papel de autarca, sente a crise? Há mais gente a pedir ajuda à Junta de Freguesia? F.A. - Olhe, para ser sincero, em tantos anos que levo como autarca, porque no fundo já dediquei um terço da minha vida à freguesia, nunca mas nunca assisti ao cenário a que hoje assisto. E não estou a ir por dramatismos. Repare que eu tenho 60 anos de idade, fiz a Guerra Colonial, assisti ao grande êxito que foi a emigração, apanhei depois a chegada das populações que residiam nas antigas colónias portuguesas, em que foram dadas prioridades de emprego a essas pessoas em detrimento daqueles que cá estavam e, depois, passei pela revolução de 25 de Abril de Ou seja, já atravessei, como criança, jovem, homem e pai, algumas das fases mais conturbadas do país, em alturas extremamente difíceis. E como eu, toda uma geração de portugueses. Mas, mesmo assim, nunca esperei ver a juventude do meu país ter de começar a sair, novamente, de Portugal, à procura de emprego fora de portas e nunca pensei termos que, enquanto autarcas, angariar fundos e meios para distribuir pela população, como se distribuía no meu tempo de menino, que era, no fundo, a sopa dos pobres. C.L. - E esse é um trabalho que a Junta de Freguesia está a fazer actualmente? F.A. - Sim, num trabalho conjunto com a paróquia. Nunca, até agora, tinha sido necessário preocuparnos com esta realidade, mas este ano, pela altura do Natal, entregámos dezenas de cabazes. E, mesmo não tendo em conta a pobreza envergonhada que existe, e que nós sabemos que existe, a procura que temos no Banco Alimentar em Queluz de Baixo e na Loja Social que temos em Tercena é enorme nunca pensei regressar a estes tempos. Eram famílias que tinham uma vida regular antes desta crise e que agora vêm bater à porta da Junta de Freguesia a pedir ajuda. Desde ajuda para a renda da casa, para a água, luz e outras contas essenciais, como ajuda para alimentação. Há pessoas que tinham dois veículos e hoje não têm nenhum. Atenção, não reduziram para um simplesmente não têm nenhum. Desfizeram-se de todos os anéis e, se calhar, alguns começaram já a cortar os dedos para não cederem a tentações. C.L. - Nota-se a quebra do rendimento das famílias no comércio da freguesia? Há mais desemprego? F.A. - Nota-se e de que maneira. Temos imenso comércio, em especial na restauração, a encerrar portas. É raro o dia em que não tenhamos conhecimento de mais um estabelecimento comercial que vai encerrar. Qualquer pessoa passa pelas pastelarias e pelos restaurantes vê que estes estão completamente vazios. Falo de casas com passado que, há bem pouco tempo, talvez dois anos atrás, eram um cartaz C.L. - Qual é o futuro de Barcarena na recente reorganização administrativa? F.A. - Barcarena vai ficar conforme o anseio manifestado pela população, pelo Executivo e pelas forças políticas. Vamos manter-nos como estamos, abrangendo as cinco localidades, como até aqui. Sabemos que as coisas não correram tão bem como alguns autarcas desejariam, para as suas freguesias. Estou solidário com eles. Por exemplo, Queijas, entre a hipótese de ficar com Barcarena ou com Carnaxide, preferiria ficar com Barcarena mas tal não aconteceu. Tudo isto não dependeu das freguesias. Houve alguém que decidiu por nós. C.L. - Nalgum momento deste processo temeu que Barcarena fosse anexada a alguma freguesia? F.A. - Sim, chegou a passar-me pela cabeça. Havia duas propostas da Unidade Técnica: uma era Barcarena continuar sozinha e a outra seria a agregação de Barcarena e Porto Salvo. No fundo, isso seria juntar numa mesma freguesia, uma que tem 17 anos e outra que, este ano, comemora já 177 anos de história. Há em Barcarena todo um passado histórico que temos e que não é transmissível. Qual é o passado histórico de Porto Salvo? Poderão ser invocados outro tipo de argumentos mas é preciso ter respeito pela História porque a História não se apaga com uma borracha. É uma memória colectiva que perdura no tempo. Já para não dizer que Porto Salvo veio buscar a Barcarena parte do nosso território para criar a freguesia. Talaíde, por exemplo, fazia parte de Barcarena. Reunir tudo isto, agora, não faria sentido. C.L. - Barcarena tem actualmente quantos eleitores? F.A. - Barcarena tem cerca de eleitores mas perto de vinte mil moradores. É um público-alvo suficientemente grande para uma junta de freguesia poder actuar convenientemente, até porque, é preciso sublinhar, temos cinco localidades dispersas, cada qual com as suas características. Imagine o que seria uma pessoa residente em Queluz de Baixo ter de se deslocar a Porto Salvo para resolver um problema com as dificuldades que existem hoje em transportes. Claro que há internet, hoje em dia, mas dê essa alternativa a uma pessoa de 60, 70, 80 anos pessoas que ainda encaram a Junta de Freguesia como o seu parceiro mais próximo para lhe resolver os problemas. Aqui todos nos conhecemos. As pessoas conhecem o presidente da Junta, conhecem os elementos do Executivo, porque andamos na rua todos os dias. Há uma proximidade, no dia-a-dia, que reforça os laços da comunidade, o que é extremamente importante. C.L. - Estando garantida a permanência da freguesia tal como é, quais são os desafios para os próximos anos? F.A. - Bom, nos próximos anos eu presumo que os desafios vão ser maiores porque as competências das freguesias vão aumentar substancialmente. Isso vai traduzir-se num maior esvaziamento das competências que actualmente são da Câmara Municipal. Espero, de facto, que o caminho seja este. Por vezes olha-se para a delegação de competências como sendo uma esmola dada pela Câmara. Acho isto um autêntico disparate e, nos meus mandados, sempre tenho tentado que esta transferência de competências seja cada vez mais real. Posso dizer que acabei por ultrapassar as expectativas porque há coisas que fazemos, hoje em dia, que a Câmara Municipal tem grandes dificuldades em concretizar por falta de meios humanos. Por outro lado, há coisas em que se perde demasiado tempo com pareceres técnicos que não são necessários em muitos casos. E a Junta de Freguesia tem mais noção da realidade, consegue concretizar projectos com menos dinheiro, menos recursos e em menos tempo. Por isso quero acreditar que o próximo mandato traga mais competências, mais exigências mas também mais autonomia às juntas de freguesia. Digo que quero acreditar porque, já se sabe, ao longo destes últimos anos prometeu-se muita coisa que não se está a cumprir mas tenho fé que esta transferência de responsabilidades vai ser uma realidade. C.L. - Num contexto de tantos desafios, os eleitores de Barcarena podem contar com uma recandidatura nas próximas eleições autárquicas? F.A. - É uma grande possibilidade mas neste momento sou apenas candidato a candidato. C.L. - Como assim? F.A. - Ainda não fui convidado oficialmente e por isso sou apenas um candidato a candidato. Se me convidarem, e dependendo dos termos em que me convidarem, poderei estar disponível. Há uma coisa que eu sempre exigi e que continuarei a reivindicar: total liberdade na escolha das pessoas que me acompanham neste trabalho. Não quero imposições dessa natureza. Aliás, nunca trabalhei de outra maneira a não ser essa. Nessas condições, e com compromissos assumidos por quem se candidata também ao cargo de presidente da Câmara Municipal de Oeiras, serei naturalmente candidato. C.L. - E, em caso de vitória, quais serão as suas principais prioridades? F.A. - Não quer que abra já o jogo, pois não? Ainda é cedo para avançar com ideias concretas mas o que foi dito para trás já abre algumas indicações sobre as minhas principais preocupações. C.L. - Como vão ser as comemorações do 177º aniversário da freguesia, marcadas para dia 2 de Fevereiro? F.A. - O programa vai espelhar a situação do país. Seria muito mal interpretado, presumo eu, que, enquanto andamos a apelar à angariação de alimentos para distribuição, fizéssemos uma festa faustosa. Parece-me francamente que seria um erro. Por esse motivo, obviamente que vamos assinalar o aniversário mas de forma modesta. Haverá uma sessão solene, em que estarão presentes as forças vivas da freguesia e do concelho, no dia 2 de Fevereiro, no auditório de Tercena. Teremos um porto de honra, seguido dos discursos habituais. Também haverá, como faz parte da tradição, uma corrida de carrinhos de rolamentos. São custos mínimos. Tenho esperança que os 180 anos possam ser comemorados com uma festa diferente, a festa que Barcarena merece.

10 10 25 Janeiro 2013 O CORREIO DA LINHA Escola profissional aposta na conservação do património Em 1989, quando foi criada a possibilidade da existência de escolas profissionais privadas, a Câmara Municipal de Sintra, a propósito da candidatura da vila a Património da Humanidade, entendeu que seria útil criar uma escola vocacionada para a área de restauro e conservação do património. Foi assim que nasceu a Escola Profissional de Recuperação do Património de Sintra, de onde saem técnicos de nível intermédio, habilitados e sensibilizados para as exigências dos trabalhos de reabilitação e conservação do Património. A escola, reconhecida pelo Ministério da Educação, funciona em Odrinhas, São João das Lampas, e dá aos seus alunos uma equivalência ao 12º ano ao mesmo tempo que os encaminha para o mercado de trabalho. O jornal O Correio da Linha visitou as salas de aula, o estúdio de fotografia, o laboratório de química e física e as oficinas vocacionadas para as várias áreas como azulejaria, estuques, metais, entre outros, e entrevistou Ana Sofia Bettencourt, directora da Escola, para saber mais sobre os cursos ali ministrados. O Correio da Linha (C.L.) - Qual é o grande propósito da Escola Profissional de Recuperação do Património de Sintra? Ana Sofia Bettencourt (A.S.B.) - O nosso grande objectivo é criar quadros intermédios na área de restauro e conservação do património, que era uma carência enorme que o país tinha. Ainda hoje, a este nível de ensino, só existem duas escolas a nível nacional a de Sintra e uma no Porto. C.L. - Que cursos funcionam na Escola actualmente? A.S.B. - O Ministério da Educação autoriza-nos a ministrar seis cursos. Neste momento temos apenas três em funcionamento: ao de Assistente de Conservação e Restauro, juntaram-se o de Técnico de Fotografia e o de Técnico de Design Interiores/ Exteriores. No curso de conservação e restauro, os alunos ficam a saber trabalhar em seis áreas: azulejaria, cantarias, madeiras, pintura mural, estuques e metais. Com o curso de design, na variante interiores/exteriores, a ideia é criar técnicos capazes de recuperar património público, dando-lhe outras valências mas sempre respeitando aquilo que era a sua história. O curso de fotografia surgiu com a noção de que a fotografia de Património é algo muito complexo, cujo processo exige um técnico devidamente habilitado. Não temos mais cursos porque a escola não tem dimensão para ter mais alunos que são, actualmente, 172. E, na verdade, nós não queremos que ela cresça para além disto porque temos uma relação directa com cada aluno. É uma escola pequena em que conhecemos o percurso dos alunos a fundo. C.L. Qual é a duração destes cursos? A.S.B. - São cursos de três anos, sendo que no final deste percurso os alunos apresentam uma prova de aptidão profissional. São destinados a alunos que vêm do ensino regular, terminam o nono ano e procuram depois cursos mais práticos mas que não os limitem nos caminhos que podem seguir, porque poderão sempre apostar, depois, num curso superior. Estes alunos são admitidos depois de uma prova de seleção que inclui testes psicotécnicos e uma entrevista, de onde saem com noção do perfil de cada curso e das possibilidades que têm em termos de saídas profissionais. Os alunos admitidos pagam apenas a inscrição. As propinas ficam a cargo do Ministério da Educação, como no ensino público regular, e os materiais são fornecidos pela Escola. C.L. - São cursos exigentes do ponto de vista prático? A.S.B. - Sim. Para ter uma ideia, eles têm de ter uma frequência mínima de 95% das aulas práticas sob pena de reprovarem. Mas, por outro lado, também têm as mesmas disciplinas que o ensino regular, claro que com cargas horárias diferentes, mas têm. C.L. - Sendo uma Escola que proporciona uma equivalência ao 12º ano, é possível seguir estudos posteriormente? A.S.B. - Sim, claro. Os nossos cursos não limitam os alunos. No Instituto Politécnico de Tomar é possível seguir esta área ao nível do ensino superior e foi também criado, recentemente, na Universidade Nova de Lisboa, um curso de conservação e restauro na área da investigação. Em ambas as entidades temos alunos que estiveram na nossa escola. Ainda assim, nada os obriga a seguir estudos, até porque o nosso grande objectivo é criar quadros intermédios aptos a intervir em Património classificado. C.L. - No passado já tiveram outros cursos a funcionar? A.S.B. - Com o evoluir da escola já tentámos uma grande variedade de cursos, sempre ligados ao património. Criámos em tempos, por exemplo, um curso de técnico de jardinagem. Este técnico de jardinagem não era um jardineiro mas sim um técnico especializado para intervir em jardins históricos. Entretanto, esse curso foi deixando de ter alunos. Criámos entretanto um curso de museografia porque detectámos uma falta muito grande de técnicos intermédios vocacionados para essa área. Infelizmente, não teve sucesso junto dos jovens. Conciliar a oferta do mercado de trabalho com a motivação e procura dos jovens nem sempre é fácil mas tentamos sempre conseguir um equilíbrio. C.L. - Mas nota um interesse crescente neste tipo de oferta educativa? A.S.B. - Sim. Tem havido cada vez mais procura por parte dos alunos, de todo o país. Temos uma dificuldade, que é o facto de não estamos inseridos num meio urbano, o que dá a sensação de ser difícil o acesso, ainda que tenhamos autocarros aqui à porta desde e para a estação de comboios de Sintra. Por outro lado, esse facto acaba por ter um ponto positivo que é descansar os pais dado que os alunos, quando vêm para aqui, vêm mesmo estudar porque não têm qualquer outro meio de distração. C.L. - Do seu ponto de vista, qual é o papel do ensino profissional numa altura em que há tanto desemprego? A.S.B. - Eu sempre disse que uma das formas que há para despertar os jovens para os estudos é aproximar a escola do mercado e das empresas para que eles possam perceber desde cedo para que áreas se sentem vocacionados. E um bom ensino profissional faz essa ligação e por isso é de apostar. O que não implica limitar os caminhos que o aluno possa, eventualmente, seguir no futuro porque, no fundo, a aprendizagem é feita ao longo da vida. C.L. - E há uma boa ligação desta Escola ao mercado de trabalho? A.S.B. - Sim. Nós temos ligações a muitas empresas com alguma dimensão. E os alunos que de facto são bons não costumam ter dificuldades de inserção no mercado de trabalho. Os nossos mestres são todos técnicos habilitados e bons nas suas áreas, e portanto a rede funciona. C.L. - A Escola tem professores no quadro? A.S.B. - Não, nós não temos professores de quadro porque todos os anos temos de nos candidatar para a oferta formativa que pretendemos para a escola e todos os anos é aberto um concurso por parte do Ministério da Educação para que assim seja. Por exemplo, no ano passado, a Câmara Municipal de Sintra assumiu o financiamento de um curso porque o Ministério não deu financiamento. Ou seja, temos sempre esta limitação, não sabemos como nos vamos gerir a cada ano lectivo. Apesar disso temos um quadro profissional estável, em termos de professores. Alguns estão cá connosco há 25 anos.

11 O CORREIO DA LINHA 25 Janeiro Pintura na Casa da Cultura C.L. - A Escola tem também oferta para a comunidade em geral A.S.B. - Sim. Temos os chamados Cursos Livres, com a duração de 20 horas, geralmente feitos aos sábados. São cursos de restauro de mobiliário, que tem tido imenso sucesso, restauro de peças em faiança, manufactura de azulejos, entre outros. Estes cursos têm em vista a sensibilização para a importância da conservação do património, que é um compromisso que assumimos com a Câmara Municipal de Sintra. Estes cursos estão abertos a toda a gente. C.L. - É importante aproximar a comunidade da Escola e do seu propósito de conservação do Património? A.S.B. - Sim, sem dúvida. É também por isso que estamos a ultimar uma exposição para o Centro Cultural Olga Cadaval que vai estar patente ao longo de todo o mês de Dezembro. Nesta exposição vão marcar presença trabalhos dos três cursos para que as pessoas percebam como é que eles se interligam. l Texto: diana duarte matias l Fotos: j.r. Habitágua desafia jovens de Oeiras A Habitágua, empresa especializada na prestação de serviços associados às redes de água e saneamento, lança um desafio aos alunos das escolas secundárias do concelho de Oeiras. O projeto, intitulado Eco-Empreendedor Jovem, é uma iniciativa que visa promover uma cultura de racionalização do consumo de água nas escolas e na população do Concelho. A missão do projeto, dirigido aos alunos dos 12 aos 20 anos, consiste em contribuir para aumentar a educação, divulgação e literacia deste público jovem, motivando-o para o respeito do valor da água e para a problemática da sua escassez. O concurso pretende enraizar os valores da preservação ambiental, ao mesmo tempo que incentiva o espírito empreendedor, dando aos jovens a oportunidade de desenvolver um projeto inovador que os afetará diretamente. Através de um pequeno vídeo, os participantes irão apresentar uma ideia de negócio com o objetivo de dar origem ao aparecimento de um novo produto, serviço, ou método que reduza o consumo de água na indústria, nos organismos públicos, ou nos domicílios, com o intuito de implementar o projeto no Concelho de Oeiras. Os vencedores do concurso serão revelados no dia 5 de Junho, dia Mundial do Ambiente. Paralelamente ao concurso será adotado, pelas escolas participantes, um programa de racionalização e monitorização do consumo de água, apresentado pela equipa da Habitágua. A Casa da Cultura de Mira Sintra tem patente ate ao dia 10 de Fevereiro, uma esposição de pintura de Alonso Fernandes e Francisco Feliz. A inauguração no dia 19 de Janeiro foi antecedida por diversos momentos musicais que contou com a presença de Joaquim Leite, Paula Simoes, Maria João Raposo, Filipe Santos e muitos artistas da GAVE entre centenas de pessoas que enchiam o auditorio. No inicio Alonso Fernandes e Francisco Felix ofereceram dois quadros cada, a duas instituições, Centro Social Paroquial de Belas (Apoio a idosos) e à Conferencia Vicentina da Paroquia de Belas (Apoio a carenciados) em seguida cantou-se o fado com José Timoteo guitarra e Amadeu de Sousa viola e sob as suas notas musicais actuaram Susana Mesquita, José Rocha, Joaquim Correia, Eugenia Mesquita, João Quintens e da poetisa Felizmina Costa. O pintor Alonso Fernandes tambem mostrou que tem voz para o fado ao entoar dois fados Amar, Amar Perdidamente de Flor Bela Espanca, e uma moda alentejana, Nossa Senhora do Carmo em conjunto com o coro alentejano e com Maria Eugenia Mesquita e para finalizar esta apresentação, o grupo Coral Alentejano Os Populares do Cacém que entoaram diversos canticos alentejanos. Alonso Fernandes tem expostos 39 quadros e Fransisco Feliz expõe 36 quadros conterrâneos, oriundos de Moura, onde se conhecem desde os bancos da escola. Seguiram percursos diferentes profissionalmente mas o destino viria a juntá-los novamente, agora que estão ambos aposentados. Para preencher os tempos livres estes dois artistas plásticos, autodidatas, têm em comum uma enorme paixão: a pintura. Alonso Fernandes utiliza como técnica, óleo sobre tela pintada com espátula, onde procura representar as mais belas e marcantes paisagens de Sintra e Alentejo, mas também do mar, pelo fascinio que nutre pela sua admirável imensidão. A sua obra espelha um cunho muito pessoal, impregnado de poesia, sensibilidade e dedicação, de quem na pintura encontrou um caminho que percorre a vida, sente na pintura a sua plena realização, e apesar Venha conhecer os nossos serviços! de ter desempenhado outra profissão, actualmente a ela dedica todo o seu tempo com a entrega e paixão que a Arte requer e exige. Sente e diz: Pintar é uma forma de me sentir vivo. Francisco Félix tem sobretudo como tema pedaços do seu Alentejo e da sua terra. O estilo de pintura a óleo e acrílico, é marcadamente realista, simples e sem artifícios. Traduz desta forma uma visão quase fotográfica das paisagens urbanas e cores dos campos do Alentejo onde combina tons claros e vivos, revelando um caráter de profunda e refinada sensibilidade. a nossa mascote PRÉ-IMPRESSÃO IMPRESSÃO ACABAMENTOS paginação, digitalização, vectorização, prova de cor, CTP até ao formato 72x102cm de papel linha de acabamento de revista, agrafar, dobrar, vincar, furar, colar a quente, embalagem em manga plástica Parque Industrial Alto da Bela Vista Pavilhão 50 (Sulim Park) CACÉM Tel.: / 89 / 90 Fax: Dep. comercial:

12 12 25 Janeiro 2013 O CORREIO DA LINHA Oeiras aprovou orçamento Orçamento do Município de Oeiras para 2013 é de , traduzindo uma redução de cerca de 12,05% relativamente a 2012 ( ). No entanto, este corte é feito com sentido de justiça e equidade social, aproximando-o da real capacidade de execução, contrariamente à prática recente do Estado que quando corta gera miséria e empobrece a classe média. Em Oeiras, poder-se-ia ter optado por aplicar cegamente a taxa máxima de IMI, o que aumentaria a receita municipal mas contribuiria igualmente para aumentar as dificuldades com que vivem muitas famílias. O Município de Oeiras fixou a taxa do IMI em 0,8% para prédios rústicos, em 0,7% para os prédios urbanos e em 0,350% para os prédios urbanos avaliados nos termos do CIMI, para o próximo ano. Esta redução do IMI para 0.35% para os prédios urbanos avaliados traduzse numa muito significativa poupança para as famílias do concelho.tal situação não significa, no entanto, que sejam descuradas as questões sociais. Este é um orçamento de combate em prol da estabilidade social e pela manutenção do padrão de qualidade de vida mínimo a que todos têm direito, como se comprova pela dotação prevista para as funções sociais ( ), muito acima do executado nesta área em 2012 ( ). Neste sentido, e num contexto de forte contenção orçamental, Oeiras mantém a aposta em programas sociais fundamentais como a comparticipação nas despesas com medicamentos ( ), o Cartão 65+, o serviço Oeiras Está Lá ou a Teleassistência; e aumenta a dotação em rúbricas tão importantes como o Fundo de Emergência Social, de , em 2012, para , em 2013 (um aumento de 150%) e no subsídio para livros e material escolar, de , em 2012, para ,00, em 2013 (um aumento de 549%). Importa ainda referir que, no orçamento de 2013, o apoio social escolar (transportes, refeições escolares, bolsas de estudo para o ensino superior e subsídios para livros e material escolar) representa 77% do orçamento previsto para a área da Educação (em 2011 representava 55%). Ainda que este seja um orçamento de combate em prol da estabilidade social da comunidade, tal não significa que se tenha abdicado de realizar os investimentos necessários. serão feitos dentro do quadro de contração económica atual. Deste modo, para o início, de Maio, da construção de um equipamento tão importante como o novo Centro de Saúde de Algés, responsabilidade da administração central que a camara vai assumir, e a inauguração da Casa dos Corações, um projeto que consiste na adaptação de um fogo de habitação para funcionamento de uma casa de transição para acolhimento de pessoas sem-abrigo. Paralelamente, em 2013 serão inaugurados três novos equipamentos de apoio aos seniores: dois de iniciativa municipal (os Centros Geriátricos de Laveiras e Porto Salvo) e um de iniciativa privada, construído em terreno cedido pelo Município (o Lar da Fundação Belchior Carneiro, em Barcarena). Em 2012, comparativamente a 2011, acentuaram-se os efeitos da crise económico-financeira, nomeadamente ao nível das receitas municipais, no que se refere aos impostos diretos. São disso exemplos a coleta da derrama (quebra de 13,15%, ou seja menos ) e do IMT - Imposto Municipal Sobre Transações (quebra de 27,79%, ou seja menos ). Neste quadro de austeridade, importa também salientar que nas perspetivas financeiras para 2013 prevêem-se ainda as transferências que o Município terá de realizar para a Administração Central, referentes à retenção de 1,5% para a ADSE, a efetuar aos trabalhadores do município bem como a cativação na fonte para o Serviço Nacional de Saúde ( em 2012). Note-se ainda que, no que diz respeito à participação do Município nos Impostos do Estado, para 2013 foramnos retirados por completo o Fundo de Equilíbrio Financeiro (FEF) e o Fundo Social Municipal (FSM), tal como em 2012, situação que apenas se verifica em Oeiras e em outros dois concelhos. Também assim se explica a tendência para a sustentabilidade da economia do concelho e das finanças do Município, num contexto de muito reduzida dependência das receitas do Estado. Quanto à dívida a médio-longo prazo, saliente-se que no final de 2005 era de e, no final de 2012, era de , montante onde se inclui já o recurso ao crédito nos últimos quatro anos, no valor de Contrariamente à Administração Central, o Município de Oeiras tem vindo a pagar dívida e não a aumentá-la. Refira-se que Oeiras manteve um invejável limite de endividamento no valor de , de acordo com a Lei das Finanças Locais, estando, no entanto, impossibilitados da sua utilização pelas alterações impostas pelo Orçamento de Estado de 2012, que a condiciona ao limite de Apesar do panorama nacional atual, em Oeiras aposta-se no futuro. São várias as medidas que visam dar um novo alento ao desenvolvimento económico do concelho a longo prazo. A Câmara Municipal continua apostada em captar investimento externo, com vista à criação de riqueza e de novos empregos, sendo que a estabilidade social será sempre o foco do modelo de desenvolvimento do Concelho. Em Oeiras sabe-se o que é a solidariedade e constroi-se a coesão social todos os dias. A camera apoia os que mais precisam, protegendo os mais vulneráveis e continua a apostar num modelo de desenvolvimento sustentável. Este orçamento permite que o concelho esteja prevenido para os efeitos da crise e se encontre preparado para a ultrapassar. Paco de Artes realiza exposição coletiva Vai a Paço de Artes Associação dos Artistas Plásticos de Paço de Arcos, activar um projecto de Ateliers de Desenho e Pintura, que funcionará no espaço da sua sede, na Rua José Pedro Silva, 14- A, em Paço de Arcos, e que se pretende que inicie a sua actividade durante este mês de Janeiro, encontrando-se algumas inscrições já efectuadas. Os Ateliers serão supervisionados por um professor devidamente qualificado, podendo os interessados utilizar o espaço também em regime de utilização livre, isto é, sem a presença do professor. Os Ateliers serão extensivos a outras vertentes das Artes Plásticas, nomeadamente à Fotografia, à Escultura, etc., assim como às Artes Decorativas. Toda a informação sobre o funcionamento, horário e custos dos Ateliers, pode ser obtida através do Telf (voice mail) ou do EXPOSIÇÃO COLECTIVA 2012 A Paço de Artes - Associação de Artistas Plásticos de Paço de Arcos, vai realizar este ano mais uma vez a sua Exposição Anual Colectiva, referente ao ano de 2012, nas vertentes de Pintura, Escultura e Fotografia, certame que vai contar com a participação dos associados. Nesta manifestação artística vão estar expostos cerca de 50 trabalhos, fruto da criatividade de diferentes sensibilidades numa mistura de cores e estilos, que merece bem ser apreciada. A Exposição Colectiva 2012 terá lugar no Salão Paço de Artes, Sala Elisiário Carvalho, localizado na sede da de Artes, em Paço de Arcos, e terá inauguração no próximo dia 26 de Janeiro pelas horas. Estará patente ao público, além do dia da inauguração, nos dias 27 de Janeiro e 2 e 3 de Fevereiro, das às horas. Alcabideche celebra aniversário Ao longo do mês de janeiro, a Junta de Freguesia de Alcabideche, atualmente liderada por Fernando Teixeira Lopes, comemorou o seu 172º aniversário com um conjunto de atividades culturais, das quais se destacam, por exemplo, o cantar das janeiras no Cascais Shopping no dia 6 e uma exposição patente de 12 a 22 de janeiro, também neste centro, onde a história de Alcabideche foi apresentada em imagens. Já no passado dia 13, decorreu o 12º Corta Mato de Alcoitão. Organizada pelo Núcleo de Atletismo de Alcabideche e pelo Grupo Musical e Desportivo 1º de Julho de Alcoitão, com apoio da Junta de Freguesia de Alcabideche, da Câmara Municipal de Cascais e do comércio local, esta prova esteve aberta a centenas de atletas de ambos os sexos, federados ou não, em representação de clubes, coletividades e grupos informais ou a título individual. A 19 de janeiro, teve lugar, no Auditório da Junta de Freguesia de Alcabideche, a Gala Musical de Aniversário, que contou com a colaboração (e talento) dos alunos da Escola de Música Michel Giacometti. Finalmente, no dia do aniversário, a 22 de janeiro, os 172 anos da localidade foram celebrados com uma Missa Solene na Igreja Matriz de Alcabideche, que assinalou igualmente o dia do Patrono da Freguesia, São Vicente. À noite, decorreu uma sessão solene na Galeria Espaço Montepio.

13 APESPAN organiza concurso A Associação de Pais e Encarregados de Educação da escola secundaria Padre Alberto Neto de Queluz, vai realizar um concurso de fotografia, subordinada ao tema a água e os seus estados podem participar os alunos da escola e os seus familiares, as fotos tanto podem ser entregues Cartaz.indd :57:30 em papel ou enviadas pelo no formato de A4 e a data final da entrega é até ao dia 28 de Fevereiro. A escolha das fotografias vencedoras, será efetuada por um júri de 7 pessoas de diversas classes profissionais da freguesia de Queluz, existe igualmente 7 vencedores que irão receber vales de cheques brinde, no valor do 1º prémio 50 euros - 2º prémio 40 euros - 3º lugar 30 euros e 4º 5º 6º e 7º prémio de 20 euros. Este é o 2º concurso de fotografia que a APESPAN realiza, fazendo com que os alunos tenham criatividade e estejam envolvidos em atividades recreativas. A Associação de Pais da ESPAN tem no site o regulamento para ser consultado, sobre este concurso e outras noticias sobre o que a associação está a criar no inicio de mais um ano Igualmente a APESPAN entregou recentemente, na direção da escola 7 papeleiras para serem colocados, no espaço, junto ao bar para assim os alunos terem mais recipientes para poderem colocar os papeis e outros objetos. O CORREIO DA LINHA 25 Janeiro Edificio dos SMAS na Brandoa remodelado No passado dia 7 de Janeiro, foi assinado o auto de consignação da empreitada de Construção dos Arranjos Exteriores do edifício dos SMAS, na Brandoa, no Concelho da Amadora 1.ª e 2.ª Fases. Esta empreitada objetiva o desenvolvimento de um projeto de arranjos exteriores, de forma a operacionalizar e harmonizar todo o espaço envolvente do edifício dos serviços técnicos dos SMAS da Brandoa e das quatro células que constituem uma reserva de água de m3 para abastecimento à população da Amadora. Os trabalhos da empreitada consistem na construção de um parque de estacionamento com dois pisos, confinante com o edifício dos serviços técnicos existente, de novos acessos a todo o recinto e da construção de novos espaços oficinais, nomeadamente uma ferramentaria e espaços de armazenamento de materiais. De referir, que o acesso ao público passará a ser efetuado através de um elevador com vista panorâmica sobre a Brandoa e parte da cidade de Lisboa. A empreitada também compreende a remodelação de todo o piso -1 do edifício dos serviços técnicos, com a construção de um novo refeitório, de um espaço de Arquivo Técnico e de balneários, para os funcionários. Estiveram presentes, a administração dos SMAS, o Diretor Delegado, os responsáveis pelo Departamento de Infraestruturas e Apoio Técnico, bem como a Divisão de Infraestruturas e Fiscalização e Manutenção, representantes da entidade fiscalizadora LEMO e o adjudicatário da empreitada Construtora Udra, Lda.. BARCARENA ACAUTELA O FUTURO Junta de Freguesia de Barcarena comemora 177º aniversário Crematório de Barcarena inaugurado dia 30 de Março O Forno Crematório e o Centro Funerário de Barcarena serão inaugurados, tudo indica, no próximo dia 30 de Março. Trata-se do primeiro forno crematório do concelho de Oeiras, disponível para servir a população de todo o país. A obra, cujo custo total rondou um milhão de euros. O novo Complexo Funerário, um projecto feito de raiz, inclui um edifício de cerca de 580 m2 do qual farão parte uma capela e uma sala de despedida a antecederem o forno crematório propriamente dito, além uma sala de tanatopraxia (preservação do corpo) uma sala de velório, instalações sanitárias e sala de arrumações. No espaço exterior haverá dois jardins, um dos quais poderá ser usado para quem quiser deixar ali mesmo as cinzas do falecido, e um parque de estacionamento. A Junta de Freguesia de Barcarena acredita que, pela sua qualidade e modernidade, este crematório será uma referência neste género de oferta. A Junta de Freguesia de Barcarena vai assinalar o 177º aniversário no próximo dia 2 de Fevereiro, com uma sessão solene no auditório de Tercena, em que estarão presentes as forças vivas da freguesia e do concelho. Também no dia 2 de Fevereiro vai ter lugar o 8º Grande Prémio Esferacar, uma prova carrinhos de rolamentos, estando a concentração marcada para as 9h00, nas traseiras do Quartel dos Bombeiros Voluntários. A prova terá início às 10h00. Os interessados devem inscrever-se na sede da Junta de Freguesia de Barcarena ou no Grupo Recreativo e Desportivo Os Fixes,os organizadores pretendem fazer reviver uma prática comum entre os jovens de antigamente e proporcionar aos participantes uma actividade desportiva que tem, ao mesmo tempo, vertentes competitivas, recreativas, sociais e culturais.

14 14 25 Janeiro 2013 O CORREIO DA LINHA Queluz aposta na requalificação Sempre preocupada com a manutenção das zonas verdes em Queluz, a Junta de Freguesia realizou recentemente uma obra de requalificação no talude em frente à rotunda Praça de Dom Pedro IV. Nesta zona foram plantadas três árvores e cem agapantos. Foram também colocados seis suportes em madeira, de forma a fazer um muro que possa suster a terra, sem interferir na paisagem. Muito perto deste local, na Rua Pedro Andrade de Caminha e num sítio onde na época da chuva a água fica retida, a Junta está neste momento a levantar o passeio, a colocar mais uma caixa de escoamento e a alterar o sentido do fluxo da água. A Câmara Municipal de Sintra irá depois alcatroar e dar uma pequena inclinação para ajudar a água a fluir para o local correto. Com esta obra ainda foi possível acrescentar mais dois lugares de estacionamento nesta rua. Nas últimas semanas outros melhoramentos têm sido realizados na freguesia. No Parque Urbano Felício Loureiro, foram pintados 108 bancos de jardim e substituídas 160 ripas. Na rotunda, junto à entrada do parque, também já existe uma placa com o nome da mesma: Dona Maria Isabel de Bragança - Rainha de Espanha e Infanta de Portugal. Em 2013, estão previstas mais três obras de requalificação de passeios a realizar pela Junta de Freguesia. Tudo sempre a pensar na melhoria da qualidade de vida dos queluzenses. Neste novo ano, a localidade será também o cenário de várias iniciativas culturais, dirigidas a todos os públicos. Por exemplo, no passado dia 4 de janeiro, a Unique, Associação de Ensino Sénior de Queluz, esteve na sede da Junta de Freguesia para Cantar as Janeiras, como forma de assinalar o Dia de Reis. Ainda na área da música, em 2013, a Junta vai continuar a organizar as Tardes Dançantes na sede dos Bombeiros Voluntários de Queluz. Reserve o último sábado de cada mês para abanar o esqueleto ao som dos artistas José Manuel (26 de janeiro), Domingos (23 de fevereiro), Carla Carapeto (30 de março), Onda Nova (27 de abril), Bruno Ribeiro (25 de maio), Luís António (29 de junho), Duo Latinos (27 de julho), Ricky Carreira (28 de setembro), Fátima Dias (26 de outubro) e Duo Musical (30 de novembro). Diversas atividades culturais e arranjos viarios e paisagisticos são o lema da Junta de Freguesia de Queluz, mas apesar dos arranjos continuam os abusos Faleceu 2/4/1935 3/1/2013 À Familia enlutada o O Corrreio da Linha envia sentidas condolências A NOSSA ESCOLHA CULTURAL A História da Expansão Portuguesa foi pautada por batalhas épicas, pelo domínio dos oceanos pelas nossas naus e pela conquista de novos continentes, mas há sempre um reverso da medalha que fica por contar. A história dos naufrágios e da luta contra o mar, um adversário intempestivo e imprevisível. Desde os primeiros séculos da nacionalidade com os navios das esquadras de D. Fuas Roupinho (1180), da conquista de Faro (1249) e de Manuel Pessanha (1337), à esquadra de Pedro Álvares Cabral, em 1500; passando pelos séculos XVI e XVII, onde, graças ao aumento do comércio originado pela Carreia Ficha Técnica A entrada é livre. No dia 15 de Dezembro, foi inaugurada na sede da Junta de Freguesia de Queluz, uma galeria de fotografia sobre o tema Antigos Presidentes da Junta de Queluz. Nos últimos meses o Sr. Joaquim Alvares Campino, um antigo membro da Assembleia de Freguesia, realizou um trabalho de pesquisa para reunir informação necessária para esta iniciativa, assim como contactar os familiares para que estivesse presentes neste dia, viúvas, filhos e netos ficaram emocionados da Índia, se deu não só a maioria como também as mais dramáticas tragédias marítimas portuguesas, com referência entre tantos outros, aos desastres das naus Águia e Garça, em 1559, ou dos navios da esquadra de D. Manuel de Meneses, em 1627, terminando nos dias de hoje, em 1991, com o naufrágio do pesqueiro Bolama. Uma recolha exaustiva de 60 naufrágios, provocados por acidentes, batalhas navais ou por falha humana, muitos deles ocorridos na traiçoeira barra do Tejo, outros em locais por todo o mundo onde os portugueses andaram, destroços que continuam por descobrir e fascinam os caçadores de jornal mensal de actualidade Administração, Redacção e Publicidade: Rua Prof. Mota Pinto, Loja Oeiras Tel /6 Tlm Director: Paulo Pimenta Secretariado: Betania Paulo Redacção: Igor Garcia Pires, Claúdia Silveira, Ana Marreiros, Tomás Tim-Tim, Verónica Ferreira, Palmira Simões, Diana Duarte Matias Marketing e Publicidade: Sofia Antunes Fotografias: J. Rodrigues e Diogo Pimenta Paginação e Impressão: MX3 - Artes Gráficas Alto da Bela Vista - Pavilhão 50 (Sulim Park) Cacém - Tel.: Administração: Alice Domingues /Paulo Pimenta com mais de 10% Propriedade/Editor: Vaga Litoral Publicações e Edições, Lda. Matr. Nº Cons. Reg. Com. Oeiras - Capital social: N. C Depósito Legal N.º 27706/89 Registo na I.C.S. N.º Tiragem do mês: 15 mil exemplares Preço de Assinatura anual 12 edições: 13 euros ao verem as fotografias dos Presidentes, pois muitos já faleceram. Estas fotografias ficam expostas de forma permanente e pretendem homenagear o trabalho desenvolvido pelos antigos presidentes da freguesia de Queluz. tesouros que ainda sonham com as riquezas que as naus portuguesas transportavam. José António Rodrigues Pereira nasceu em Lisboa em 7 de Junho de 1948, entrou para a Escola Naval em 1 de Setembro de 1966, sendo promovido a capitão-de-mar-e-guerra em 27 de Julho de Autor de Grandes Batalhas Navais Portuguesas, publicado por A Esfera dos Livros.

15 Cascais tem novo espaço gastronómico Situado mesmo no centro de Cascais, na Avenida do Ultramar 7, nº 109, existe um novo espaço que traz o melhor da gastronomia italiana para o concelho, a Lambrettazzurra Pizzeria. Para começar, o chefe de cozinha Humberto Tadeu, reconhecido master especializado na preparação de pizzas, explica como surgiu a ideia de criar este restaurante: Desde sempre que me interesso por pizza. Sou apaixonado por esse prato e até conto com um certificado da Associazione Verace Pizza Napoletana, uma instituição oficial que promove a verdadeira tradição da pizza de Nápoles por todo o mundo. Logo, quis desenvolver este negócio para divulgar essa cozinha tradicional em Portugal, garantindo que quem vier à Pizzeria irá sempre degustar a genuína pizza napolitana. Sendo assim, este prato é o rei do menu da Lambrettazzurra e tem sido muito bem recebido pelos cascalenses: Acredito que o sucesso das nossas pizzas deve-se ao fato de serem um prato muito ligeiro, que não tem demasiados ingredientes, nem enche muito a barriga, para além de permitir uma calma degustação, e posterior identificação, de todos os sabores. Por outro lado, os nossos ingredientes são frescos e a maioria provém da Itália. Por exemplo, os queijos, salames e presuntos chegam desse país e são acompanhados pelos famosos tomates San Marzano, cultivados à volta do Vesúvio, e pelas tradicionais farinhas dos antigos moinhos da cidade de Nápoles. No entanto, como é óbvio, os sabores portugueses não estão fora do menu deste restaurante: As pizzas também incluem bons ingredientes de Portugal, como os orégãos ou os manjericões São produtos perfumados, frescos, primorosos e que dão um toque especial a cada refeição. Além disso, também tenho liberdade para usar outros alimentos tradicionais portugueses, Tive a enorme honra de ser convidado para participar no Encontro Europeu de Artistas no Vaticano e tive o supremo privilégio de ter recebido os cumprimentos pessoais de Sua Santidade o Papa Bento XVI no passado dia 1 de Dezembro num encontro em audiência privada aos artistas da Europa e atribuo a este momento da minha vida, uma ímpar elevação interior e espiritual revestida de uma carga emocional que jamais conseguirei transmitir por palavras. Com a humildade que deve caracterizar os Homens de bem, curvo-me perante a memória deste inesquecível momento envolto numa áurea de Fé, Felicidade, Alegria e Vida. O peso e a carga de uma corrente de energia absolutamente divina, onde cada um dos cerca de presentes são um pontífice (leia-se ponte entre Deus e o Homem), percorreu o meu corpo num imenso e demorado arrepio deixando uma marca de enorme qualidade no meu espírito. A imensidão Espiritual e Humana que é o Papa Bento XVI, mistura-se numa figura que merece todo o nosso respeito, admiração e carinho, sendo seguramente um exemplo a seguir. Este evento teve a particularidade de juntar artistas, sobretudo de circo, teatro e música mas mais do que isso, este momento tornou-me mais próximo de alguma coisa. Acredito que mais próximo da Vida estou e que tenho, agora, a responsabilidade maior de querer ser ainda melhor para os outros! Estiveram reunidas as pessoas e as condições para poder afirmar com convicção que ali, naquele dia, àquela Papa recebe o TIO como o chouriço alentejano. Aliás, os ingredientes do nosso país são os protagonistas de um prato saboroso, original e perfeito para uma sobremesa de pedir e chorar por mais, a pizza doce: Nessa pizza, utilizamos muitos frutos de Portugal. É o caso do tomatecereja, dos morangos, das framboesas, do mirtilo, do gengibre É uma criação da minha autoria e que tem feito muito sucesso na Pizzeria. Inclusive há clientes que até já pedem a pizza doce como prato principal!. O Lambrettazzurra serve ainda uma deliciosa pizza vegetariana, que inclui alimentos frescos, como beringela, courgette, cogumelos, coentros, hortelã e cebolinhos, para além de muitos outros produtos sempre à escolha do cliente. Os preços das pizzas variam entre os sete e os quinze euros. Contudo, os leitores que quiserem conhecer outras maravilhas da gastronomia italiana já podem reservar uma mesa. Além da verdadeira pizza napolitana, é possível degustar outros pratos tão conhecidos da Itália como o Spaghetti ou a Lasagne. As bebidas também têm raízes nesse país mediterrânico: A Itália é igualmente uma região muitíssimo rica em vinhos e isso não podia ser de todo ignorado pela Pizzeria. Portanto, os nossos clientes podem acompanhar o prato principal com um copo de Chianti, de Montepulciano ou de Piedirosso. Há também genuínos licores italianos, como o Amaretto e o Limoncello. A Pizzeria Lambrettazzurra tem serviço de take away e está aberta de segunda-feira a sábado, das 11 às 23 horas, e aos domingos e feriados, das 13 às 21 horas. Para mais informações, basta ligar para o número de telefone ou consultar o Facebook oficial da Pizzeria. O Correio da Linha deseja-lhe um Buon Appetito! hora se deu um Milagre (leia-se coisa maravilhosa). Não posso deixar de render a minha singela mas mais do que justa homenagem ao Padre Delmar Barreiros que nos acompanhou nesta peregrinação como um Mestre e tal como o traço seguro de um Arquitecto, guiou-nos sabiamente pelo caminho da Verdade, da Luz e da Vida. E quando a mestria se aplica com sublime excelência, os discípulos são para toda a vida. Obrigado a todos que me proporcionaram este enorme momento que só vivendo se entende na sua plenitude. Humildemente, Carlos d Almeida Ribeiro Director, actor e encenador do Teatro independente de Oeiras O CORREIO DA LINHA 25 Janeiro Nós e a Medicina Chinesa Traumatismos no desporto As lesões desportivas são comuns para os praticantes de actividades desportivas, sejam elas de ginásio ou de ar livre, agravadas pelo frio nos meses de inverno. Muitas destas lesões tornam-se dores crónicas e desconforto permanente, Mário Lameiras* mesmo por vezes depois de inúmeras sessões de fisioterapia. A medicina chinesa possui respostas para a maioria destas situações. As lesões desportivas representam em regra bloqueios energéticos, sejam devido a estagnação de sangue por ruptura dos tecidos em consequência de um trauma directo, ou devido a ruptura de tecidos por esforço, contusões, etc. Dentro do arsenal terapêutico que a medicina chinesa contém para tratamento das lesões desportivas, não é apenas a acupuntura o método a que se pode recorrer. Também a massagem TuiNa, terapia manual específica que consiste na manipulação das zonas afectadas e actua ainda sobre os canais energéticos próximos da lesão, assim como alguns equipamentos que têm sido desenvolvidos pela investigação médica nesta área, contribuem para que se consigam, por vezes, respostas relativamente rápidas quando comparadas com os processos fisiátricos convencionais. A técnica consiste em repor em circulação o fluxo energético no local do trauma, e por consequência também o sangue, estimulando a regeneração dos tecidos e reposição das funções músculo-esqueléticas. Para além das lesões extensas que atingem os tecidos musculares, as articulações são especialmente sujeitas a lesões por esforço ou simplesmente por desgaste. A partir dos trinta anos, decresce rapidamente a produção de colagénio e de produção de glicosaminoglicanos (proteína que fixa água no tecido cartilaginoso, base da sua regeneração). Aqui é essencial manter a fisiologia energética em bom funcionamento, a fim de potenciar a nutrição celular e evitar bloqueios. O efeito das terapias da medicina chinesa na recuperação das articulações é notável. Muitos estudos comprovam o benefício destas terapias na recuperação do funcionamento articular e sobretudo na recuperação das articulações no período pós-operatório. Cabe ainda lembrar o conselho da sensatez: os esforços físicos devem ser progressivos e deve ter-se em atenção o estilo de vida e a alimentação de cada um, Muitas pessoas com uma forma de vida sedentária não hesitam em lançar-se em grandes esforços físicos sem a devida preparação e sem terem em conta que a estrutura muscular e óssea requer tempo de adaptação. Também o consumo de álcool e o abuso de fast food (mesmo com aparência de alimentação saudável), e horas de sono perdidas sem que o corpo reponha os níveis de descanso necessários, representam obstáculos à prática de exercício físico de forma correcta, o que se vem a reflectir em lesões e traumas físicos. A adopção de um estilo de vida saudável passa por todos estes aspectos. Consulte o seu terapeuta de medicina chinesa que, devidamente habilitado, pode orientar as mudanças necessárias para que o exercício físico seja um prazer e não fonte de preocupações. Terapeuta - Licenciado*

16 16 25 Janeiro 2013 O CORREIO DA LINHA

D. Virgílio Antunes no Centro Social do Senhor da Serra. Bispo de Coimbra na bênção oficial da Residência Cristo Redentor

D. Virgílio Antunes no Centro Social do Senhor da Serra. Bispo de Coimbra na bênção oficial da Residência Cristo Redentor D. Virgílio Antunes no Centro Social do Senhor da Serra Bispo de Coimbra na bênção oficial da Residência Cristo Redentor O bispo da diocese de Coimbra, D. Virgílio Antunes, procedeu à bênção oficial da

Leia mais

Discurso de Sua Excelência o Presidente da República

Discurso de Sua Excelência o Presidente da República Continuarei a percorrer o País, de Norte a Sul, a apelar à união de esforços, a levar uma palavra de esperança e a mostrar bons exemplos de resposta à crise. Discurso de Sua Excelência o Presidente da

Leia mais

Histórico Dados da Colectividade Descrição das Actividades Objectivos a atingir Meios Humanos

Histórico Dados da Colectividade Descrição das Actividades Objectivos a atingir Meios Humanos Histórico Dados da Colectividade Descrição das Actividades s a atingir Meios Humanos O Centro Popular de Trabalhadores do Bairro São João Atlético Clube com Estatutos aprovados em 28/02/1990 e publicados

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES ANO DE 2004

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES ANO DE 2004 APD- DELEGAÇÃO LOCAL DE MEM MARTINS RELATÓRIO DE ACTIVIDADES ANO DE 2004 INTRODUÇÃO O ano de 2004 ficou marcado por alguns acontecimentos relevantes, sinal de que, apesar do passar dos anos, a Delegação

Leia mais

Midas. Toque de. [entrevista]

Midas. Toque de. [entrevista] [entrevista] Toque de Midas Tem 29 anos, nasceu no Porto e é apostador profissional. Pelo menos, para o Estado inglês onde está colectado, porque para as finanças nacionais não passa de um indivíduo com

Leia mais

MINUTA DA ATA NÚMERO SESSENTA E SEIS

MINUTA DA ATA NÚMERO SESSENTA E SEIS MINUTA DA ATA NÚMERO SESSENTA E SEIS Aos vinte e nove dias do mês de março de dois mil e quinze, pelas onze horas, reuniu n o Pavilhão Desport ivo Municipal Engenheiro Ministro dos Santos, sito no Parque

Leia mais

9.ª EDIÇÃO 24 Fevereiro a 02 Março ORGANIZAÇÃO SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL PRODUÇÃO RM PREMIUM EVENTS

9.ª EDIÇÃO 24 Fevereiro a 02 Março ORGANIZAÇÃO SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL PRODUÇÃO RM PREMIUM EVENTS 9.ª EDIÇÃO 24 Fevereiro a 02 Março ORGANIZAÇÃO SINDICATO DOS JOGADORES PROFISSIONAIS DE FUTEBOL PRODUÇÃO RM PREMIUM EVENTS conceito O futebol, fonte de paixão e emoção, continua a potenciar extremismos

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES E CONTAS

RELATÓRIO DE ATIVIDADES E CONTAS RELATÓRIO DE ATIVIDADES E CONTAS 2014 INDÍCE 1. INTRODUÇÃO 2. VOTOS DE AGRADECIMENTO 3. PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO DO MINIGOLFE E APOIO PARA FORMAÇÃO NOS CLUBES 4. ORGANIZAÇÃO DE ESTRUTURAS DE APOIO ÀS

Leia mais

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE SÁTÃO

ASSEMBLEIA MUNICIPAL DE SÁTÃO 1 ATA DA PRIMEIRA REUNIÃO DA REALIZADA NO DIA DEZASSEIS DO MÊS DE OUTUBRO DO ANO DE DOIS MIL E TREZE Após a instalação dos respetivos órgãos municipais, o Sr. Presidente da Assembleia Municipal cessante

Leia mais

MAPA DE PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE CARNIDE - Ano 2014 Nos termos da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro

MAPA DE PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE CARNIDE - Ano 2014 Nos termos da Lei n.º 12-A/2008, de 27 de Fevereiro MAPA DE PESSOAL DA JUNTA DE FREGUESIA DE CARNIDE - Ano 204 Nos termos da Lei n.º 2-A/2008, de 27 de Fevereiro SECÇÃO DE APOIO E DE COORDENAÇÃO GERAL (Capitulo III do Regulamento da Organização dos Serviços)

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 81 Discurso na cerimónia de entrega

Leia mais

Junta de Freguesia da Marinha Grande ATA NÚMERO UM

Junta de Freguesia da Marinha Grande ATA NÚMERO UM ATA NÚMERO UM Aos oito dias do mês de janeiro de dois mil e quinze, pelas dezanove horas nas instalações da Junta de Freguesia de Marinha Grande, sitas na Rua 25 de abril, reuniu em sessão ordinária o

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE. Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006. Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr.

JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE. Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006. Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr. JUNTA DE FREGUESIA DE Nª. SRª GUADALUPE Concelho de Évora OPÇÕES DO PLANO PARA 2006 Largo Abel Augusto nº 4 7000-222 Nª. Sr.ª Guadalupe Tel. e Fax: 266 781 165 Tel.: 266 747 916 email: jfguadalupe@mail.evora.net

Leia mais

Senhor Ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Senhor Ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia,

Senhor Ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Senhor Ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, ATO DE POSSE, 9 DE AGOSTO 2013 Emídio Gomes Presidente da CCDR-N Senhor Ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Senhor Ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Senhor Secretário

Leia mais

Figo: «Objetivo é ajudar quem precisa»

Figo: «Objetivo é ajudar quem precisa» MEIO: WWW.RECORD.PT CORES P&B DATA: 9 DE DEZEMBRO DE 2013 Figo: «Objetivo é ajudar quem precisa» Luís Figo recebeu quase mil crianças na festa de Natal da sua Fundação, no Circo Aquático Show, em Lisboa.

Leia mais

Permitam-me algum informalismo e que leve à risca o Protocolo.

Permitam-me algum informalismo e que leve à risca o Protocolo. 1 - Gostaria de pedir um minuto de silêncio em memória de todos os Bombeiros já falecidos e particularmente de Franquelim Gonçalves, que faleceu no desempenho das suas funções; 25 de maio Inauguração do

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto

Ficha de Caracterização de Projecto Ficha de Caracterização de Projecto Projecto +Skillz E5G Programa Escolhas Promotor: Associação Mais Cidadania 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto Projecto +Skillz E5G Promotor: Associação Mais

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO JUNTA DE FREGUESIA DE S. JOÃO DO CAMPO EDITORIAL SUMÁRIO ANO 7 BOLETIM Nº 27 2012 JULHO AGOSTO SETEMBRO EDITORIAL

BOLETIM INFORMATIVO JUNTA DE FREGUESIA DE S. JOÃO DO CAMPO EDITORIAL SUMÁRIO ANO 7 BOLETIM Nº 27 2012 JULHO AGOSTO SETEMBRO EDITORIAL ANO 7 BOLETIM Nº 27 2012 SUMÁRIO BOLETIM INFORMATIVO EDITORIAL JULHO AGOSTO SETEMBRO A Rua principal, a Dr Jaime Cortesão tem estado cortada EDITORIAL MANIFESTAÇÃO EM LISBOA POSTO MÉDICO ao trânsito, devido

Leia mais

Presidente da Câmara Municipal de Oeiras Teresa Pais Zambujo Vereador da Cultura e Juventude Jorge Barreto Xavier

Presidente da Câmara Municipal de Oeiras Teresa Pais Zambujo Vereador da Cultura e Juventude Jorge Barreto Xavier Presidente da Câmara Municipal de Oeiras Teresa Pais Zambujo Vereador da Cultura e Juventude Jorge Barreto Xavier Oeiras é um Concelho apontado, diria que justamente, como um exemplo de desenvolvimento

Leia mais

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE SINES RELATÓRIO DE GESTÃO

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE SINES RELATÓRIO DE GESTÃO SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE SINES RELATÓRIO DE GESTÃO 2014 1 INTRODUÇÃO Nos dias de hoje, qualquer Instituição ou Entidade tem como dever a apresentação de contas, sendo esta apresentação da responsabilidade

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação

Projeto Pedagógico e de Animação Projeto Pedagógico e de Animação 1 - Memória Descritiva 2 Identificação e Caracterização da Instituição Promotora 3 - Objetivos Gerais 4 - Objetivos Específicos 5 - Princípios educacionais 6 Metodologias

Leia mais

FREGUESIA DE VILARINHO SANTO TIRSO MANDATO 2014/2017. Grandes opções do plano de atividades e investimentos ANO 2014

FREGUESIA DE VILARINHO SANTO TIRSO MANDATO 2014/2017. Grandes opções do plano de atividades e investimentos ANO 2014 1 FREGUESIA DE VILARINHO SANTO TIRSO MANDATO 2014/2017 Grandes opções do plano de atividades e investimentos ANO 2014 2 ÍNDICE - INTRODUÇÃO 3 - AÇÃO SOCIAL E EMPREGO 3,4 - EDUCAÇÃO SAÚDE 4 CULTURA, DESPORTO

Leia mais

O andebol oferece-me coisas que a faculdade não tem é a demonstração de carácter

O andebol oferece-me coisas que a faculdade não tem é a demonstração de carácter O andebol oferece-me coisas que a faculdade não tem é a demonstração de carácter Aos 24 anos Ricardo Pesqueira tem já um longo percurso andebolístico. Cresceu para o desporto no Águas Santas, mas no currículo

Leia mais

Fls. 1. Fich: EDITAL L N.º 11 - Reunião ordinária de 12 de Junho de 2008.doc

Fls. 1. Fich: EDITAL L N.º 11 - Reunião ordinária de 12 de Junho de 2008.doc Fls. 1 EDITAL ANTÓNIO MAGALHÃES, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE GUIMARÃES, FAZ SABER, em cumprimento do disposto no art. 91º da Lei nº 169/99, de 18 de Setembro, alterada e republicada pela Lei 5-A/2002,

Leia mais

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE CASTELO DE VIDE

CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE CASTELO DE VIDE CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE CASTELO DE VIDE ACTA Nº. 4 Ao dia nove de Setembro do ano dois mil e nove, nesta Vila de Castelo de Vide, reuniu na Biblioteca Municipal pelas 10,00 horas, o Conselho

Leia mais

Maratona BTT 5 Cumes realiza-se a 23 de Setembro em Barcelos

Maratona BTT 5 Cumes realiza-se a 23 de Setembro em Barcelos Em 2011 foi a Maratona com maior participação das provas da FPC Maratona BTT 5 Cumes realiza-se a 23 de Setembro em Barcelos A oitava edição da Maratona BTT 5 Cumes foi apresentada na última quinta-feira

Leia mais

ACTA N.º 57/2003 Reunião ordinária do dia 2003.12.15

ACTA N.º 57/2003 Reunião ordinária do dia 2003.12.15 ----------Aos quinze dias do mês de Dezembro do ano dois mil e três, nesta vila de Bombarral e salão nobre do edifício dos Paços do Município, realizou-se uma reunião ordinária da Câmara Municipal de Bombarral,

Leia mais

MUNICÍPIO DE FERREIRA DO ALENTEJO. Câmara Municipal

MUNICÍPIO DE FERREIRA DO ALENTEJO. Câmara Municipal MUNICÍPIO DE FERREIRA DO ALENTEJO Câmara Municipal Acta nº7/200 /2008 REUNIÃO ORDINÁRIA DE 26 DE MARÇO DE 2008 * Presenças : - Presidente Aníbal Sousa Reis Coelho da Costa Vereadores : - Francisco José

Leia mais

Tendo isso em conta, o Bruno nunca esqueceu que essa era a vontade do meu pai e por isso também queria a nossa participação neste projecto.

Tendo isso em conta, o Bruno nunca esqueceu que essa era a vontade do meu pai e por isso também queria a nossa participação neste projecto. Boa tarde a todos, para quem não me conhece sou o Ricardo Aragão Pinto, e serei o Presidente do Concelho Fiscal desta nobre Fundação. Antes de mais, queria agradecer a todos por terem vindo. É uma honra

Leia mais

IISEMANA 13 DE ABRIL / 15H00 SESSÃO DE ABERTURA DA SEMANA DA REABILITAÇÃO URBANA DE LISBOA

IISEMANA 13 DE ABRIL / 15H00 SESSÃO DE ABERTURA DA SEMANA DA REABILITAÇÃO URBANA DE LISBOA INSTITUTO DA CONSTRUÇÃO E DO IMOBILIÁRIO IISEMANA DARE- ABILITAÇÃO ASSIMFOI URBANA 13 DE ABRIL / 15H00 SESSÃO DE ABERTURA DA SEMANA DA REABILITAÇÃO URBANA DE LISBOA C o n f e r ê n c i a s E x p o s i

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ARCOS DE VALDEVEZ MINUTA DA ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE 06 DE JULHO DE 2009

CÂMARA MUNICIPAL DE ARCOS DE VALDEVEZ MINUTA DA ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE 06 DE JULHO DE 2009 CÂMARA MUNICIPAL DE ARCOS DE VALDEVEZ MINUTA DA ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE 06 DE JULHO DE 2009 PRESIDÊNCIA: DR. FRANCISCO RODRIGUES DE ARAÚJO VEREADORES PRESENTES: DR. JOÃO MANUEL DO AMARAL ESTEVES

Leia mais

Exma. Sra. Presidente do Conselho Geral Transitório Exmos. Srs. Conselheiros Exmos. Srs. Professores Exmos. Srs. Funcionários Caros amigos e amigas

Exma. Sra. Presidente do Conselho Geral Transitório Exmos. Srs. Conselheiros Exmos. Srs. Professores Exmos. Srs. Funcionários Caros amigos e amigas Exma. Sra. Presidente do Conselho Geral Transitório Exmos. Srs. Conselheiros Exmos. Srs. Professores Exmos. Srs. Funcionários Caros amigos e amigas Em primeiro lugar gostaria de expressar o meu agradecimento

Leia mais

CETC NEWSLETTER. Nesta edição: OUTUBRO 2015 CETC NEWSLETTER. Editorial 2. Torneio Inter-Equipas 3. Ténis by Adriano Carvalho. Festa do Ténis 2015 6

CETC NEWSLETTER. Nesta edição: OUTUBRO 2015 CETC NEWSLETTER. Editorial 2. Torneio Inter-Equipas 3. Ténis by Adriano Carvalho. Festa do Ténis 2015 6 OUTUBRO 2015 CETC NEWSLETTER Nesta edição: Editorial 2 Torneio Inter-Equipas 3 Ténis by Adriano Carvalho 4 Festa do Ténis 2015 6 Torneio Prova B 9 International Senior Cantanhede I 14 O Mundo do Ténis

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 5

Transcrição de Entrevista nº 5 Transcrição de Entrevista nº 5 E Entrevistador E5 Entrevistado 5 Sexo Feminino Idade 31 anos Área de Formação Engenharia Electrotécnica e Telecomunicações E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

CAPITULO I DENOMINAÇÃO, NATUREZA E FINS. Artigo 1.º

CAPITULO I DENOMINAÇÃO, NATUREZA E FINS. Artigo 1.º - - CAPITULO I DENOMINAÇÃO, NATUREZA E FINS Artigo 1.º A Fundação P.e Félix, criada por iniciativa da Comunidade Católica de São Bernardo em 1989, na comemoração dos vinte e cinco anos da actividade pastoral

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2014

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2014 RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2014 I Apresentação O BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME DE VIANA DO CASTELO, continuou em 2014 a sua política interna para fazer mais, com menos, prestando um serviço público, contratualizado

Leia mais

Seminário Inverno demográfico - o problema. Que respostas?, Associação Portuguesa de Famílias Numerosas

Seminário Inverno demográfico - o problema. Que respostas?, Associação Portuguesa de Famílias Numerosas Seminário Inverno demográfico - o problema. Que respostas?, Associação Portuguesa de Famílias Numerosas Painel: Desafio Demográfico na Europa (11h45-13h00) Auditório da Assembleia da República, Lisboa,

Leia mais

c u r r i c u l u m v i t a e

c u r r i c u l u m v i t a e c u r r i c u l u m v i t a e Informação pessoal Nome Morada Telefone 912079346 Fax Sousa, Cláudia Cristina Assunção Rua Miguel Bombarda, n.º 3, 4ºDto Viseu Correio electrónico floresdelivro@gmail.com

Leia mais

Discurso do Secretário de Estado do Emprego. Octávio Oliveira. Dia Nacional do Mutualismo. 26 de outubro 2013 Centro Ismaili, Lisboa

Discurso do Secretário de Estado do Emprego. Octávio Oliveira. Dia Nacional do Mutualismo. 26 de outubro 2013 Centro Ismaili, Lisboa Discurso do Secretário de Estado do Emprego Octávio Oliveira Dia Nacional do Mutualismo 26 de outubro 2013 Centro Ismaili, Lisboa Muito boa tarde a todos! Pretendia começar por cumprimentar o Senhor Presidente

Leia mais

Estiveram presentes 98 técnicas em representação de 66 Instituições.

Estiveram presentes 98 técnicas em representação de 66 Instituições. 1. No dia 4 de Dezembro, a União Distrital de Santarém em parceria com Segurança Social, levou a efeito o ultimo dos 5 encontros realizados em várias zonas do distrito, sobre o tema "Encontros de Partilha",

Leia mais

magazine A inaugurar a época de bom tempo e de boas sardinhas

magazine A inaugurar a época de bom tempo e de boas sardinhas magazine DESTAQUES Junho 2012 Santos populares Amera 3.0 Planos ambiciosos de animação edição 34 90 exemplares www.amera.com.pt 21 444 75 30 SANTOS POPULARES A inaugurar a época de bom tempo e de boas

Leia mais

LEONARDO CAETANO DE ARAÚJO

LEONARDO CAETANO DE ARAÚJO LEONARDO CAETANO DE ARAÚJO O Conselheiro Leonardo Caetano de Araújo, nasceu em Parada de Gatim, Vila Verde (Braga), a 11 de Maio de 1818, quatro anos antes da independência do Brasil, e faleceu com 85

Leia mais

Índice. I Introdução 2. I Objetivos 2012 3. I 1. Atividades 2012 4. I A- Educação e Juventude 4 I B- Desenvolvimento Social 6 I C- Cultura e Lazer 7

Índice. I Introdução 2. I Objetivos 2012 3. I 1. Atividades 2012 4. I A- Educação e Juventude 4 I B- Desenvolvimento Social 6 I C- Cultura e Lazer 7 Índice I Introdução 2 I Objetivos 2012 3 1 I 1. Atividades 2012 4 I A- Educação e Juventude 4 I B- Desenvolvimento Social 6 I C- Cultura e Lazer 7 I D- Solidariedade e Saúde 8 I E- Desporto 9 I F- Infraestruturas

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Deputados do PSD eleitos pela Região do Algarve Gabinete de apoio Palácio de S. Bento - 1249-068 Lisboa Telef: 213917282 - Fax: 213917445 Mail da coordenação: mendesbota@psd.parlamento.pt NOTA DE IMPRENSA

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013

Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013 Regimento do Conselho Municipal de Educação de Odivelas 2010/2013 O Decreto-Lei n.º 7/2003, de 15 de Janeiro, tem por objecto os Conselhos Municipais de Educação, regulando as suas competências e composição,

Leia mais

Águas de Gondomar considerada novamente uma das Melhores Empresas para Trabalhar. A Águas de Gondomar, de acordo com os resultados publicados na

Águas de Gondomar considerada novamente uma das Melhores Empresas para Trabalhar. A Águas de Gondomar, de acordo com os resultados publicados na info Gondomar Newsletter N.º14 Julho 2012 Semestral Águas de Gondomar considerada novamente uma das Melhores Empresas para Trabalhar A Águas de Gondomar, de acordo com os resultados publicados na revista

Leia mais

19 / 20 MARÇO/ 2011 DE ALMODÔVAR

19 / 20 MARÇO/ 2011 DE ALMODÔVAR 4 VOLTA ª 19 / 20 MARÇO/ 2011 AO CONCELHO DE ALMODÔVAR Henrique Revés Empresário - 41 anos Neste período que atravessamos, só com muito trabalho, dedicação e empenho é que conseguimos manter a dinâmica

Leia mais

500 ANOS DE HISTÓRIA DAS MISERICÓRDIAS CONGRESSO INTERNACIONAL

500 ANOS DE HISTÓRIA DAS MISERICÓRDIAS CONGRESSO INTERNACIONAL 500 ANOS DE HISTÓRIA DAS MISERICÓRDIAS CONGRESSO INTERNACIONAL Braga, 21 e 22 de novembro de 2013 Auditório São Marcos 500 ANOS DE HISTÓRIA DAS MISERICÓRDIAS APRESENTAÇÃO O Congresso Internacional 500

Leia mais

nova Entrada Principal

nova Entrada Principal nova Entrada Principal Refeitório Salas de Aulas Ginásios Campo Coberto Sala Polivalente Biblioteca Serviços Editorial Estamos em crer não restarem dúvidas aos nossos associados,, que teimosamente continuam

Leia mais

Newsletter. Editorial

Newsletter. Editorial Newsletter Editorial Inverno 2009 Há mais de uma dúzia de anos que faço a manutenção do carro numa estação de serviço de Braga, onde fui sempre muito bem atendido. Com o passar dos anos acabei por desenvolver

Leia mais

MUNICÍPIO DE ALCOCHETE

MUNICÍPIO DE ALCOCHETE MUNICÍPIO DE ALCOCHETE ASSEMBLEIA MUNICIPAL N.º 05/08 ACTA DA SESSÃO EXTRAORDINÁRIA DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL REALIZADA EM 19 DE NOVEMBRO DE 2008 1 Aos dezanove dias do mês de Novembro do ano de 2008, nesta

Leia mais

Em conversa com Rita Maia. Celorico de Basto é o meu porto de refúgio, onde me sinto bem (Rita Maia,

Em conversa com Rita Maia. Celorico de Basto é o meu porto de refúgio, onde me sinto bem (Rita Maia, Celoricenses de Sucesso Em conversa com Rita Maia Celorico de Basto é o meu porto de refúgio, onde me sinto bem (Rita Maia, 21 de fevereiro de 2015) Nascida e criada em Celorico de Basto, Rita Maia é uma

Leia mais

-------- Aos três dias do mês de Março do ano de dois mil e três reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila Pouca de

-------- Aos três dias do mês de Março do ano de dois mil e três reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila Pouca de -------- Aos três dias do mês de Março do ano de dois mil e três reuniu no Salão Nobre dos Paços do Município, a Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar, em reunião ordinária para apreciação e deliberação

Leia mais

visão global do mundo dos negócios

visão global do mundo dos negócios Senhor Primeiro Ministro Senhor Ministro da Saúde Senhor Presidente da AM Senhor Presidente do CA da Lenitudes Senhores Deputados Srs. Embaixadores Srs. Cônsules Senhores Vereadores e Deputados Municipais

Leia mais

Câmara Municipal da Amadora Julho 2013

Câmara Municipal da Amadora Julho 2013 Férias Câmara Municipal da Amadora Julho 2013 na Cidade Umas férias divertidas Após um ano letivo bem sucedido as férias de verão são sempre um tempo de descanso, de sonho e de desafio. Responder a estes

Leia mais

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido.

Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2015 ÍNDICE Nota Introdutória Erro! Marcador não definido. Ações Educação e Formação 2 Ação Social 3 Gestão Participada e Finanças 4 Saúde 5 Desporto 5 Juventude 6 Cultura 6 Turismo

Leia mais

Nº 22 - Agosto 2013 - GRATUITO. newsletter E I P D A AGENDA. copywright Escola Intercultural, empresa municipal

Nº 22 - Agosto 2013 - GRATUITO. newsletter E I P D A AGENDA. copywright Escola Intercultural, empresa municipal Nº 22 - Agosto 2013 - GRATUITO newsletter copywright Escola Intercultural, empresa municipal E I P D A ENSINO INTERVENÇÃO PARCERIAS DESENVOLVIMENTO AGENDA 01 EDITORIAL Somos o que fazemos É tempo de férias

Leia mais

Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007

Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007 Pronunciamento à nação do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de posse Palácio do Planalto, 1º de janeiro de 2007 Meus queridos brasileiros e brasileiras, É com muita emoção

Leia mais

Revista de Imprensa Janeiro de 2007. 1 - Destak, 31-01-2007, Agência DNA Cascais capta 18 milhões em 2006

Revista de Imprensa Janeiro de 2007. 1 - Destak, 31-01-2007, Agência DNA Cascais capta 18 milhões em 2006 Revista de Imprensa Janeiro de 2007 DNA 1 - Destak, 31-01-2007, Agência DNA Cascais capta 18 milhões em 2006 2 - Diário Económico, 31-01-2007, Agência DNA Cascais capta 10 projectos em 2006 3 - Jornal

Leia mais

PERÍODO ANTES DA ORDEM DO DIA PERÍODO DA ORDEM DO DIA REGULAMENTO DO TRANSITO NA ÁREA DA CIDADE DE VALENÇA

PERÍODO ANTES DA ORDEM DO DIA PERÍODO DA ORDEM DO DIA REGULAMENTO DO TRANSITO NA ÁREA DA CIDADE DE VALENÇA 24 - JUNHO - 2009 A C T A N.º /2009 ACTA DA REUNIÃO ORDI- NÁRIA DA CÂMARA MUNI- CIPAL DE VALENÇA REALI- ZADA NO DIA 24 DE JUNHO DE 2009. - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - Aos vinte e quatro dias

Leia mais

II Caminhada Entre Gerações

II Caminhada Entre Gerações II Caminhada Entre Gerações Âmbito: Envelhecimento Ativo e Solidariedade entre Gerações Tourigo 12 de maio de 2013 CAMINHAR ENTRE GERAÇÕES O idoso não perde talento com o tempo, não perde nada. O jovem

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2014-2016

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2014-2016 PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL 2014-2016 MARÇO DE 2014 FICHA TÉCNICA Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Águeda março de 2014 Equipa de elaboração: Núcleo Executivo do CLAS de Águeda Colaboraram

Leia mais

ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS)

ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS) ATA Nº 01/12 Reunião Plenária do Conselho Local de Ação Social (CLAS) Data: 26-01-2012 Local: Auditório do Edifício Cultural da Câmara Municipal de Peniche Hora de início: 21h15mn Hora do fecho: 23h30mn

Leia mais

O GoKorfball nasceu de uma conversa entre amigos que procuravam dinamizar o corfebol português e juntar competição e diversão no mesmo evento.

O GoKorfball nasceu de uma conversa entre amigos que procuravam dinamizar o corfebol português e juntar competição e diversão no mesmo evento. Conceito O GoKorfball nasceu de uma conversa entre amigos que procuravam dinamizar o corfebol português e juntar competição e diversão no mesmo evento. Da conversa passou-se à acção e o GoKorfball é hoje

Leia mais

Acta n.º 6 /2006 de 22/03/2006

Acta n.º 6 /2006 de 22/03/2006 -----------------------------------ACTA N.º 6/2006 ------------------------------------------ --------Aos vinte e dois dias do mês de Março de dois mil e seis, pelas quinze horas, no Salão Nobre dos Paços

Leia mais

Fruto do título de campeão nacional conquistado, João Pedro Sanches carimbou o passaporte para estar presente na 1.ª fase do Campeonato do Mundo, que

Fruto do título de campeão nacional conquistado, João Pedro Sanches carimbou o passaporte para estar presente na 1.ª fase do Campeonato do Mundo, que Resistência, coordenação, força e equilíbrio são alguns dos requisitos físicos necessários para a prática do Street Workout. Ainda pouco divulgada no nosso país, é uma modalidade desportiva que atrai cada

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES 2014/2015. Associação Sénior de Odivelas

PLANO DE ATIVIDADES 2014/2015. Associação Sénior de Odivelas PLANO DE ATIVIDADES 2014/2015 Associação Sénior de Odivelas A Universidade Sénior de Odivelas é um projecto inovador que tem por base a promoção da qualidade de vida dos seniores de Odivelas, fomentando

Leia mais

Conselho Local de Ação Social de Cascais XXXI Plenário do CLAS Ata nº 31

Conselho Local de Ação Social de Cascais XXXI Plenário do CLAS Ata nº 31 Conselho Local de Ação Social de Cascais XXXI Plenário do CLAS Ata nº 31 Data:25 de Março de 2015 Local: Fundação O Século Presenças: (anexo 1) Representantes no plenário: 54 presenças (das quais 5 sem

Leia mais

ANDDILetter. Portugal... Uma lança em África. 27 medalhas conquistadas. 25 no Atletismo / 2 no Ténis de Mesa. Edição N.º 69 nov.

ANDDILetter. Portugal... Uma lança em África. 27 medalhas conquistadas. 25 no Atletismo / 2 no Ténis de Mesa. Edição N.º 69 nov. Edição N.º 69 nov. 15 ANDDILetter Portugal... Uma lança em África Foi na cidade de Bloemfontein na África do Sul que, Portugal brilhou no 3º Campeonato do Mundo de Atletismo IAADS e no 1º Campeonato do

Leia mais

Senhor Ministro da Defesa Nacional, Professor Azeredo Lopes, Senhora Vice-Presidente da Assembleia da República, Dra.

Senhor Ministro da Defesa Nacional, Professor Azeredo Lopes, Senhora Vice-Presidente da Assembleia da República, Dra. Senhor Representante de Sua Excelência o Presidente da República, General Rocha Viera, Senhor Ministro da Defesa Nacional, Professor Azeredo Lopes, Senhora Vice-Presidente da Assembleia da República, Dra.

Leia mais

AgitArte no Centro Cultural Olga de Cadaval. 15 de outubro de 2014 ::8

AgitArte no Centro Cultural Olga de Cadaval. 15 de outubro de 2014 ::8 5 15 de outubro de 2014 AgitArte no Centro Cultural Olga de Cadaval ::8 Protocolo de colaboração entre o Município de Sintra e a Associação para o Planeamento da Família Equipas municipais de mediação

Leia mais

Do Associativismo Juvenil

Do Associativismo Juvenil Roteiro Do Associativismo Juvenil Secretário de Estado do Desporto e Juventude Dr. Emídio Guerreiro Viseu - Dia 17 de julho Programa 10h00 - Pequeno-almoço com jornalistas, nos Serviços Desconcentrados

Leia mais

***************************************************************** *** C A M A R A M U N I C I P A L D E S I N E S ***

***************************************************************** *** C A M A R A M U N I C I P A L D E S I N E S *** ***************************************************************** *** C A M A R A M U N I C I P A L D E S I N E S *** ***************************************************************** A C T A N.08/98 PAG.

Leia mais

VOLUNTARIADO REGULAR NO BLVO

VOLUNTARIADO REGULAR NO BLVO Entidade Actividade a Desenvolver Freguesia Público Alvo Santa Casa da Misericórdia de - Elaboração de cabazes e distribuição dos bens do Banco Alimentar (no armazém da Santa Casa). População em geral

Leia mais

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE MONTIJO (CMEM) PERÍODO 2013-2017

REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE MONTIJO (CMEM) PERÍODO 2013-2017 REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE MONTIJO (CMEM) PERÍODO 2013-2017 Aprovado em reunião do CMEM realizada em 9 de abril de 2014 Artigo 1º Noção e Objetivos O Conselho Municipal de Educação,

Leia mais

P L A N O D E A T I V I D A D E S E O R Ç A M E N T O

P L A N O D E A T I V I D A D E S E O R Ç A M E N T O P L A N O D E A T I V I D A D E S E O R Ç A M E N T O p 2 0 1 5 Freguesia de Mire de Tibães Município de Braga Plano de Trabalho relativo ao mandato 2014-2017 OPÇÕES DO PLANO RESPEITANTE AO ANO DE 2015

Leia mais

Ano V N.º 4. Boletim Informativo da Junta de Freguesia da Ribeira Quente. Sexta-Feira 22 de Janeiro de 2010

Ano V N.º 4. Boletim Informativo da Junta de Freguesia da Ribeira Quente. Sexta-Feira 22 de Janeiro de 2010 Ano V N.º 4 Boletim Informativo da Junta de Freguesia da Ribeira Quente Sexta-Feira 22 de Janeiro de 2010 Foi atribuído em 2006, pela Associação de Municípios da Região Autónoma dos Açores, um Diploma

Leia mais

Uma Procissão em Comunhão a Nossa Senhora

Uma Procissão em Comunhão a Nossa Senhora Uma Procissão em Comunhão a Nossa Senhora Os Paroquianos de Canidelo, na noite de 29.05.2015 presentearam Nossa Senhora e Nossa Mãe Maria Santíssima, com uma bela e sublime procissão. Foram quatro procissões

Leia mais

Junta de Freguesia da Marinha Grande ACTA NÚMERO CINCO

Junta de Freguesia da Marinha Grande ACTA NÚMERO CINCO ACTA NÚMERO CINCO Aos quatro dias do mês de Março de dois mil e dez, pelas vinte e uma horas e quarenta e cinco minutos, deu-se início à reunião ordinária do Executivo da Junta de Freguesia, sob a presidência

Leia mais

Universidades/Academias Seniores Retrato no Concelho de Oeiras

Universidades/Academias Seniores Retrato no Concelho de Oeiras Universidades/Academias Seniores Retrato no Concelho de Oeiras Envelhecer é organizar a Juventude ao longo dos anos Paul Élvard As Universidades/academias seniores são uma resposta socioeducativa que visa

Leia mais

AJUDA DE MÃE. APOIO DO FUNDO SOCIAL EUROPEU: Através do Programa Operacional da Região de Lisboa e Vale do Tejo (PORLVT)

AJUDA DE MÃE. APOIO DO FUNDO SOCIAL EUROPEU: Através do Programa Operacional da Região de Lisboa e Vale do Tejo (PORLVT) AJUDA DE MÃE APOIO DO FUNDO SOCIAL EUROPEU: Através do Programa Operacional da Região de Lisboa e Vale do Tejo (PORLVT) Objectivos: Informar, apoiar, encaminhar e acolher a mulher grávida. Ajudar cada

Leia mais

O Fórum Económico de Marvila

O Fórum Económico de Marvila Agenda O Fórum Económico de Marvila A iniciativa Cidadania e voluntariado: um desafio para Marvila A Sair da Casca O voluntariado empresarial e as políticas de envolvimento com a comunidade Tipos de voluntariado

Leia mais

Das conclusões da 10.ª Assembleia de Crianças:

Das conclusões da 10.ª Assembleia de Crianças: Das conclusões da 10.ª Assembleia de Crianças: Ouvir as crianças lutar pelo fim da escravatura de crianças no mundo 41.ª ASSEMBLEIA-GERAL Braga, 28 de Março de 2015 Relatório de Atividades - 2014 INTRODUÇÃO

Leia mais

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida SETEMBRO Regresso à escola/adaptação Facilitar a adaptação/readaptação ao jardim de infância Negociar e elaborar a lista de regras de convivência Diálogo sobre

Leia mais

CURRICULUM VITAE LUÍS FERNANDO ALMEIDA DOS SANTOS. Casado, nascido em Lisboa a 14 de Novembro de 1935

CURRICULUM VITAE LUÍS FERNANDO ALMEIDA DOS SANTOS. Casado, nascido em Lisboa a 14 de Novembro de 1935 CURRICULUM VITAE LUÍS FERNANDO ALMEIDA DOS SANTOS Casado, nascido em Lisboa a 14 de Novembro de 1935 Habilitações Académicas Aluno da Casa Pia de Lisboa e dos Inválidos do Comércio Curso Complementar do

Leia mais

MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA CÂMARA MUNICIPAL REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIDIGUEIRA

MUNICÍPIO DE VIDIGUEIRA CÂMARA MUNICIPAL REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIDIGUEIRA REGIMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIDIGUEIRA A Lei nº.159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo 19º, n.º. 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos

Leia mais

Divisão de Desenvolvimento Económico e Social Serviços de Educação e Juventude. Conselho Municipal de Juventude (C.M.J.) Ata n.

Divisão de Desenvolvimento Económico e Social Serviços de Educação e Juventude. Conselho Municipal de Juventude (C.M.J.) Ata n. Divisão de Desenvolvimento Económico e Social Serviços de Educação e Juventude Conselho Municipal de Juventude (C.M.J.) Ata n.º1 / 2014 Aos sete dias, do mês de março, do ano dois mil e catorze, no salão

Leia mais

R E L A T Ó R I O D E E S T Á G I O

R E L A T Ó R I O D E E S T Á G I O INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO COMUNICAÇÃO E DESPORTO R E L A T Ó R I O D E E S T Á G I O RICARDO JORGE MARCELO ALMEIDA RELATÓRIO PARA A OBTENÇÃO DO DIPLOMA DE ESPECIALIZAÇÃO

Leia mais

ENQUADRAMENTO 2 CORPOS SOCIAIS TRIÉNIO 2007/2009 3 APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE 4 ACTIVIDADES A DESENVOLVER 2007/2008 7 ESTATUTO DE IPSS 8

ENQUADRAMENTO 2 CORPOS SOCIAIS TRIÉNIO 2007/2009 3 APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE 4 ACTIVIDADES A DESENVOLVER 2007/2008 7 ESTATUTO DE IPSS 8 ÍNDICE ENQUADRAMENTO 2 CORPOS SOCIAIS TRIÉNIO 2007/2009 3 APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE 4 ACTIVIDADES A DESENVOLVER 2007/2008 7 ESTATUTO DE IPSS 8 CASINHA DA ROUPA 9 OS RATINHOS DE REBOREDA 10 CRIAÇÃO DA COMISSÃO

Leia mais

PROJECTO - FRANCHISING SOCIAL POTENCIADO PELO

PROJECTO - FRANCHISING SOCIAL POTENCIADO PELO PROJECTO - FRANCHISING SOCIAL POTENCIADO PELO MARKETING SOCIAL DESENVOLVIDO PELA CÁRITAS EM PARCERIA COM A IPI CONSULTING NETWORK PORTUGAL As virtualidades da interação entre a economia social e o empreendedorismo

Leia mais

Testemunhos de Esperança PLANO E ORÇAMENTO. Corpo Nacional de Escutas Núcleo Cego do Maio Póvoa de Varzim, Vila do Conde e Esposende

Testemunhos de Esperança PLANO E ORÇAMENTO. Corpo Nacional de Escutas Núcleo Cego do Maio Póvoa de Varzim, Vila do Conde e Esposende Testemunhos de Esperança 2013 PLANO E ORÇAMENTO Corpo Nacional de Escutas Núcleo Cego do Maio Póvoa de Varzim, Vila do Conde e Esposende Caros Escuteiros, O ano 2013 ficará marcado pela Porta da Fé, no

Leia mais

ILUSTRES PARTICIPANTES DO FÓRUM EM CIÊNCIAS

ILUSTRES PARTICIPANTES DO FÓRUM EM CIÊNCIAS DISCURSO PRONUNCIADO POR SUA EXCELÊNCIA JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS, PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA, NA SESSÃO DE ENCERRAMENTO DO FÓRUM EM CIÊNCIAS DO DESPORTO APLICADAS AO FUTEBOL Luanda, 29 de Agosto

Leia mais

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 Humberto Cordeiro Carvalho admitido pela companhia em 1 de julho de 1981. Eu nasci em 25 de maio de 55 em Campos do Goytacazes. FORMAÇÃO Segundo grau Escola

Leia mais

ASSEMBLEIA NACIONAL GABINETE DO PRESIDENTE

ASSEMBLEIA NACIONAL GABINETE DO PRESIDENTE ASSEMBLEIA NACIONAL GABINETE DO PRESIDENTE Discurso de SE o Presidente da Assembleia Nacional na cerimónia de abertura do XV Fórum da Associação A PONTE. Senhor Presidente do Conselho Directivo da Associação

Leia mais

2-7 Fevereiro 2015 ORGANIZAÇÃO: COM O ALTO PATROCÍNIO DE:

2-7 Fevereiro 2015 ORGANIZAÇÃO: COM O ALTO PATROCÍNIO DE: 2-7 Fevereiro 2015 ORGANIZAÇÃO: COM O ALTO PATROCÍNIO DE: PARCEIROS: MEDIA PARTNER: APRESENTAÇÃO A Fundação O Século leva a cabo em 2015 o 1º Encontro Internacional da Literatura Infanto-Juvenil da Lusofonia,

Leia mais

Histórico de Confrontos. Rio Ave Futebol Clube. Boavista Futebol Clube

Histórico de Confrontos. Rio Ave Futebol Clube. Boavista Futebol Clube Verde Paixão #4 Histórico de Confrontos Rio Ave Futebol Clube Boavista Futebol Clube Rio Ave FC 4x0 Boavista - 01-09-2014 Rio Ave FC 1x1 Boavista - 01-10-2005 Rio Ave FC 2x2 Boavista - 19-02-2005 Rio Ave

Leia mais

Listagem Deliberações - Reunião de Câmara de 02.07.2014 Nº PD ANO ASSUNTO DELIBERAÇÕES

Listagem Deliberações - Reunião de Câmara de 02.07.2014 Nº PD ANO ASSUNTO DELIBERAÇÕES Listagem Deliberações - Reunião de Câmara de 02.07.2014 Nº PD ANO ASSUNTO DELIBERAÇÕES DELIBERAÇÕES COM SUBMISSÃO À A.M.O. 420 2014 Passeio Marítimo - Troço entre a Baía dos Golfinhos e a Praia da Cruz

Leia mais

SPORTING CLUBE DE CASAÍNHOS NEWSLETTER Nº25 FEVEREIRO 2013 S.C.C. NEWSLETTER #25

SPORTING CLUBE DE CASAÍNHOS NEWSLETTER Nº25 FEVEREIRO 2013 S.C.C. NEWSLETTER #25 No próximo sábado, dia 2 de Março, decorrerá uma Via-sacra pelas 21.30 realizada no largo da igreja, pelos grupos de catequese juvenis e também pelo grupo de jovens. No sábado seguinte terá lugar outra

Leia mais

V Fórum Rede Portuguesa de Cidades Saudáveis. As Desigualdades em Saúde e o Planeamento Saudável. Montijo 14 de Novembro de 2014

V Fórum Rede Portuguesa de Cidades Saudáveis. As Desigualdades em Saúde e o Planeamento Saudável. Montijo 14 de Novembro de 2014 V Fórum Rede Portuguesa de Cidades Saudáveis As Desigualdades em Saúde e o Planeamento Saudável Montijo 14 de Novembro de 2014 1. Saudação Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal do Montijo Exmo. Sr.

Leia mais

RUGBY. para TODOS. Escolinhas de Rugby Um projecto de interacção social. Departamento de Desenvolvimento. Henrique Garcia

RUGBY. para TODOS. Escolinhas de Rugby Um projecto de interacção social. Departamento de Desenvolvimento. Henrique Garcia RUGBY para TODOS Escolinhas de Rugby Um projecto de interacção social Departamento de Desenvolvimento Henrique Garcia 1. Introdução A Federação Portuguesa de Rugby tem como missão tornar possível que TODAS

Leia mais