Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O art. 224 do Código Eleitoral dispõe:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O art. 224 do Código Eleitoral dispõe:"

Transcrição

1 Sistemas Eleitorais Voto e Eleições A expressão "sistema eleitoral" designa o modo, os instrumentos e os mecanismos empregados nos países de organização política democrática para constituir seus Poderes Executivo e Legislativo. No Brasil, chamamos de sistemas eleitorais o conjunto de normas que rege e organiza as eleições. O Código Eleitoral prevê a coexistência de dois sistemas eleitorais: majoritário e proporcional. Pelo sistema majoritário, são escolhidos o Presidente e o Vice-Presidente da República, os Governadores e Vice-Governadores dos Estados, os Senadores da República e seus dois suplentes e os Prefeitos e Vice-Prefeitos Municipais. No caso de eleição para Prefeito e Vice, estará eleito o candidato que obtiver o maior número de votos válidos (maioria simples, excluídos os em branco e nulos). Entretanto, nos municípios com mais de 200 mil eleitores, aplica-se a mesma regra da eleição para Presidente e Governador: será eleito Prefeito, em primeiro turno, aquele que obtiver a maioria absoluta (metade mais um) dos votos válidos. Caso contrário, realizar-se-á o segundo turno, concorrendo os dois candidatos mais votados. Em que pese à eleição para Senador, será eleito em primeiro turno aquele que obtiver a maioria simples dos votos válidos, lembrando que o Senador é eleito conjuntamente com os dois suplentes, pois forma-se uma chapa única. Sendo assim, o eleitor não vota no suplente, porém ele poderá vir a substituir ou suceder o Senador eleito. Pelo sistema eleitoral proporcional, são escolhidos os Deputados Federais, Deputados Estaduais e Distritais e Vereadores. Diferentemente da eleição majoritária, serão eleitos tantos candidatos quantos os lugares a serem preenchidos na Câmara dos Deputados, nas Assembléias Legislativas e nas Câmaras Municipais. 1

2 Para se apurar a quantidade de vagas destinada a cada partido e/ou coligação, será necessário executar um cálculo matemático, por meio do qual se obterá o quociente eleitoral e o quociente partidário. Esses quocientes serão a base para a apuração dos candidatos eleitos pelo sistema proporcional. A partir dos votos apurados para determinada legenda, as vagas nas casas legislativas serão preenchidas pelos candidatos mais votados que foram registrados pelos partidos ou coligações, até o limite das vagas obtidas, segundo o cálculo do quociente partidário e distribuição das sobras. Diferença entre votar nulo e votar em branco O voto em branco ocorre quando, ao usar a urna eletrônica, o eleitor escolhe a opção da tecla específica denominada BRANCO e aperta a tecla CONFIRMA. Já o voto nulo ocorre quando, ao usar a urna eletrônica, o eleitor digita um número que não corresponde a nenhum candidato ou partido político oficialmente inscrito junto ao TSE. O voto nulo é apenas registrado para fins de estatísticas e não é computado como voto válido, ou seja, não vai para nenhum candidato, partido político ou coligação. Portanto, os votos em branco e nulos não são contabilizados como votos válidos, por isso não afetam o resultado final das eleições. Ao votar nulo o eleitor estará, em linhas gerais, beneficiando o candidato que obtiver mais votos válidos, tendo em vista que, o candidato que for eleito precisará ter um número menor de votos, por isso, acaba-se elegendo um candidato sem representação política. Logo, com essa abstenção do voto, o cidadão deixa de participar daquele momento político, e em consequência não elege, de forma consciente, um candidato que possa representar os interesses da comunidade onde vive. Deixar de participar da vida política do seu país poderá acarretar uma realidade política prejudicial a todos. É comum ouvir dizer que votar em branco ou nulo irá anular a eleição. Ouve-se dizer também que se em uma eleição mais de 50% (cinquenta por cento) dos votos apurados forem nulos, a eleição será anulada e o pleito será repetido. Isso é pura falácia, pois os votos em branco e nulos não são computados, ou seja, não terão nenhuma validade. 2

3 O art. 224 do Código Eleitoral dispõe: Art Se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do país nas eleições presidenciais, do Estado nas eleições federais e estaduais ou do município nas eleições municipais, julgar-seão prejudicadas as demais votações e o Tribunal marcará dia para nova eleição dentro do prazo de 20 (vinte) a 40 (quarenta) dias. É verdade que o art. 224 do Código Eleitoral prevê a realização de nova eleição caso haja anulação de mais da metade dos votos em uma determinada eleição, porém esses votos deverão ser declarados nulos pela Justiça Eleitoral em um processo regular, no qual será oportunizado o contraditório e a ampla defesa. Portanto, a ocorrência de nova eleição não se deve ao fato de os eleitores terem votado em branco ou anulado os votos. A melhor opção, então, é refletir sobre o destino de seu voto e sobre a importância da sua participação na vida política do seu pais, elegendo com consciência e liberdade os seus representantes. É o seu voto que pode mudar o rumo das eleições e das decisões políticas, sendo assim, seu voto não pode ser jogado na lixeira. Vote consciente! Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário Poder Legislativo O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que se compõe da Câmara dos Deputados (com representantes do povo brasileiro, eleitos pelo sistema proporcional) e do Senado Federal (com representantes dos Estados e do Distrito Federal, eleitos pelo sistema majoritário). O Tribunal de Contas da União é um órgão que presta auxílio ao Congresso Nacional nas atividades de controle e fiscalização externa. No Brasil adota-se o sistema bicameral, ou seja, para a elaboração das Leis é necessária a manifestação das duas Casas (Câmara dos Deputados e Senado Federal). Sendo assim, se uma 3

4 matéria tem início na Câmara dos Deputados, o Senado fará a sua revisão, e vice-versa, à exceção de matérias privativas de cada órgão. O Congresso Nacional tem como principais responsabilidades elaborar as leis e proceder à fiscalização contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial da União e das entidades da Administração direta e indireta. As competências privativas da Câmara dos Deputados constam do art. 51 da Constituição Federal, dentre elas incluem-se: a autorização para instauração de processo contra o Presidente e o Vice- Presidente da República e os Ministros de Estado; a tomada de contas do Presidente da República, quando não apresentadas no prazo constitucional; a elaboração do Regimento Interno, dentre outras. A Câmara dos Deputados é a Casa em que tem início o trâmite da maioria das proposições legislativas. É órgão de representação mais imediata do povo e centraliza grande parte dos debates e decisões de importância nacional. As competências privativas do Senado Federal constam do art. 52 da Constituição Federal, dentre elas incluem-se: processar e julgar, nos crimes de responsabilidade, o Presidente e o Vice-Presidente da República, os Ministros e os Comandantes das Forças Armadas, nos crimes da mesma natureza conexos com aqueles, e ainda os Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), o Procurador-Geral da República e o Advogado-Geral da União; aprovar previamente a indicação de Ministros do STF, de Tribunais Superiores e do Tribunal de Contas da União (TCU) indicados pelo Presidente da República; Governador de território; Presidente e Diretores do Banco Central; Procurador-Geral da República; Chefes de missão diplomática de caráter permanente; Advogado-Geral e Defensor-Geral da União; integrantes das agências reguladoras e titulares de entidades que a lei vier a determinar; autorizar operações de natureza financeira de interesse da União, dos estados, municípios e Distrito Federal e dispor sobre outras questões financeiras dos entes federativos, dentre outras. 4

5 Poder Executivo O Poder Executivo Federal atua para colocar programas de governo em prática ou na prestação de serviços públicos. É formado por órgãos de administração direta, como os Ministérios, e indireta, como as Empresas Públicas e demais Autarquias. O Executivo age junto ao Poder Legislativo, participando da elaboração das leis e sancionando ou vetando projetos. Em caso de relevância e urgência, adota medidas provisórias e propõe emendas à Constituição, projetos de leis complementares e ordinárias e leis delegadas. O Poder Executivo tem a função de governar o povo e administrar os interesses públicos, de acordo com as leis previstas na Constituição Federal. No Brasil, país que adota o regime presidencialista, o líder do Poder Executivo é o Presidente da República, que tem o papel de Chefe de Estado e Chefe de Governo. O Presidente é eleito democraticamente para mandato com duração de quatro anos e possibilidade de uma reeleição consecutiva para igual período. O Presidente da República também possui a prerrogativa de decretar intervenção federal nos Estados, o estado de defesa e o estado de sítio; manter relações com Estados estrangeiros e acreditar seus representantes diplomáticos; celebrar tratados, convenções e atos internacionais, sujeitos a referendo do Congresso Nacional; concessão de indulto e a comutação de penas, ou seja, substituir uma pena mais grave, imposta ao réu, por outra mais branda. Para concorrer ao cargo, o candidato ou candidata deve cumprir alguns requisitos: ser brasileiro nato; ter a idade mínima de 35 anos, completos na data da posse; ter o pleno exercício de seus direitos políticos; ser eleitor e ter domicílio eleitoral no Brasil; ser filiado a um partido político; Em caso de viagem ou impossibilidade de exercer o cargo, o primeiro na linha de substituição a ocupar o cargo de Presidente é o Vice-Presidente. Em seguida vêm o Presidente da Câmara dos Deputados, o Presidente do Senado Federal e o Presidente do Supremo Tribunal Federal. 5

6 Poder Judiciário A função do Poder Judiciário é garantir os direitos individuais, coletivos e sociais e resolver conflitos entre cidadãos, entidades e Estado. Para isso, possui autonomia administrativa e financeira garantidas pela Constituição Federal. São órgãos do Poder Judiciário o Supremo Tribunal Federal (STF), o Superior Tribunal de Justiça (STJ), o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), além dos Tribunais Regionais Federais (TRF) e Juízes Federais, Tribunais e Juízes do Trabalho, Tribunais e Juízes Eleitorais, Tribunais e Juízes Militares e os Tribunais e Juízes dos Estados e do Distrito Federal e Territórios. Supremo Tribunal Federal STF O STF é o órgão máximo do Judiciário brasileiro. Sua principal função é zelar pelo cumprimento da Constituição e dar a palavra final nas questões que envolvam normas constitucionais. É composto por 11 Ministros indicados e nomeados pelo Presidente da República após aprovação pelo Senado Federal. Superior Tribunal de Justiça STJ Abaixo do STF está o STJ, cuja responsabilidade é fazer uma interpretação uniforme da legislação federal. É composto por, no mínimo, 33 Ministros nomeados pelo Presidente da República. Os Ministros do STJ devem ser aprovados pelo Senado Federal antes da nomeação pelo Presidente da República. Além dos Tribunais Superiores, o sistema Judiciário Federal é composto pela Justiça Federal comum e pela Justiça especializada (Justiça do Trabalho, Justiça Eleitoral e Justiça Militar). 6

7 Justiça Federal À Justiça Federal comum compete processar e julgar causas em que a União, Autarquias ou Empresas Públicas federais sejam autoras, rés, assistentes ou oponentes exceto aquelas relativas à falência, acidentes de trabalho e aquelas do âmbito da Justiça Eleitoral e da Justiça do Trabalho. É composta por Juízes Federais, que atuam na 1ª instância, nos Tribunais Regionais Federais (2ª instância) e nos Juizados Especiais, que julgam causas de menor potencial ofensivo e de pequeno valor econômico. Justiça do Trabalho A Justiça do Trabalho julga conflitos individuais e coletivos entre trabalhadores e patrões. É composta por Juízes Trabalhistas, que atuam na 1ª instância e nos Tribunais Regionais do Trabalho, e por Ministros, que atuam no Tribunal Superior do Trabalho. Justiça Eleitoral Com o objetivo de garantir o direito ao voto direto e sigiloso, preconizado pela Constituição, a Justiça Eleitoral regulamenta os procedimentos eleitorais. Na prática, é responsável por organizar, monitorar e apurar as eleições, bem como por diplomar os candidatos eleitos. Também pode decretar a perda de mandato eletivo federal, estadual e municipal, bem como julgar irregularidades praticadas nas eleições. É composta por Juízes Eleitorais, que atuam na 1ª instância e nos Tribunais Regionais Eleitorais, e por Ministros, que atuam no Tribunal Superior Eleitoral. 7

8 Justiça Militar A Justiça Militar é composta por Juízes Militares, que atuam em 1ª e 2ª instância, e por Ministros, que julgam no Superior Tribunal Militar. Sua função é processar e julgar os crimes militares. Justiças Estaduais A organização da Justiça estadual é competência de cada estado e do Distrito Federal. Nela existem os Juizados Especiais cíveis e criminais. É composta por Juízes de Direito (1ª instância) e Desembargadores (nos Tribunais de Justiça, 2ª instância). A função da Justiça Estadual é processar e julgar as causas que não estejam sujeitas à Justiça Federal comum, à Justiça do Trabalho, à Justiça Eleitoral ou à Justiça Militar. Barbara Maria Marotta Secretaria Judiciária Hudson Resende de Oliveira Secretaria Judiciária 8

O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA

O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA ESTADO Conjunto de regras, pessoas e organizações que se separam da sociedade para organizá-la. - Só passa a existir quando o comando da comunidade

Leia mais

DAS ELEIÇÕES. SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE)

DAS ELEIÇÕES. SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE) SISTEMA ELEITORAL (arts. 82 a 86; 105 a 113 do CE) - Conjunto de normas que rege e organiza as eleições. - Processo eleitoral: do alistamento até a diplomação. Eleições: I. Princípio Majoritário Para os

Leia mais

Direito Constitucional -Poder Legislativo- Profº. Cleiton Coutinho

Direito Constitucional -Poder Legislativo- Profº. Cleiton Coutinho Direito Constitucional -Poder Legislativo- Profº. Cleiton Coutinho 01. Quanto ao Congresso Nacional, considere: I. O número total de Deputados, bem como a representação por Estado e pelo Distrito Federal,

Leia mais

Prof. Dr. Vander Ferreira de Andrade

Prof. Dr. Vander Ferreira de Andrade Prof. Dr. Vander Ferreira de Andrade Poder Legislativo Estadual Unicameralismo Assembleia Legislativa Deputados Estaduais: Prerrogativas Poder Legislativo Municipal Unicameralismo Câmara dos Vereadores

Leia mais

Prof. Cristiano Lopes

Prof. Cristiano Lopes Prof. Cristiano Lopes Poder Legislativo Federal ü No Brasil vigora o bicameralismo federativo, no âmbito federal. Ou seja, o Poder Legislativo no Brasil, em âmbito federal, é bicameral, isto é, composto

Leia mais

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS 01 Vereador: Papel Constitucional e Sistema de Eleição Juiz JAILSOM LEANDRO DE SOUSA 02 Quem é o vereador? O Vereador é o Membro do Poder Legislativo Municipal. 03 Qual é o papel do Vereador? O papel do

Leia mais

Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade

Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade 19. Segundo a Constituição Federal, os tratados e convenções internacionais sobre direitos humanos que forem aprovados, em cada Casa do Congresso Nacional,

Leia mais

Quadro Sinótico Competência por Prerrogativa de Função

Quadro Sinótico Competência por Prerrogativa de Função 2016 Quadro Sinótico Competência por Prerrogativa de Função Lucas Rodrigues de Ávila Prova da Ordem 2016 O que é competência por prerrogativa de função? "Um dos critérios determinadores da competência

Leia mais

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS)

COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS) COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A DAR PARECER ÀS PROPOSTAS DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO RELACIONADAS À REFORMA POLÍTICA (PEC 182, DE 2007, E APENSADAS) SUBSTITUTIVO À PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N o 14,

Leia mais

ELEIÇÕES 2016 O QUE VOCÊ PRECISAR SABER

ELEIÇÕES 2016 O QUE VOCÊ PRECISAR SABER ADVOCACIA & CONSULTORIA EVILSON BRAZ Rua Rodrigues de Aquino, n.º 267, 9º Andar/Sala 903 Edf. Asplan, Centro, João Pessoa/PB - (083) 98761-0375/99989-6277/3021-8444 E-mail: evilsonbraz@ig.com.br / Site:

Leia mais

Unidade I INSTITUIÇÕES DO DIREITO. Prof. Me. Edson Guedes

Unidade I INSTITUIÇÕES DO DIREITO. Prof. Me. Edson Guedes Unidade I INSTITUIÇÕES DO DIREITO Prof. Me. Edson Guedes 1. Introdução ao Direito 1.1 Origem do Direito: Conflitos humanos; Evitar a luta de todos contra todos; 1. Introdução ao Direito 1.2 Conceito de

Leia mais

Administração Pública

Administração Pública Administração Pública Sistema Político Brasileiro Professor Cássio Albernaz www.acasadoconcurseiro.com.br Administração Pública SISTEMA POLÍTICO BRASILEIRO O Brasil é uma república federal presidencialista,

Leia mais

Catalogação na Publicação (CIP)

Catalogação na Publicação (CIP) GUIA AOS ELEITORES Catalogação na Publicação (CIP) P221 Pará. Ministério Público. Guia aos eleitores: Perguntas e respostas sobre as eleições municipais de 2016 / Elaboração e Organização de José Edvaldo

Leia mais

O Que Fazem Deputados Federais, Estaduais, Senadores e o Governador? (competências e âmbito de atuação)

O Que Fazem Deputados Federais, Estaduais, Senadores e o Governador? (competências e âmbito de atuação) O Que Fazem Deputados Federais, Estaduais, Senadores e o Governador? (competências e âmbito de atuação) Patricia Brasil Advogada Delegada do Partido Humanista da Solidariedade Junto ao TRE/SP Especialista

Leia mais

DIREITOS POLITICOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS

DIREITOS POLITICOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS CONCEITO: O direito democrático de participação do povo no governo, por seus representantes, acabou exigindo a formação de um conjunto de normas legais permanentes, que recebe a denominação de direitos

Leia mais

Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que se. eleitos, pelo sistema proporcional, em cada Estado, em cada Território e no

Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que se. eleitos, pelo sistema proporcional, em cada Estado, em cada Território e no Art. 44. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional, que se compõe da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Parágrafo único. Cada legislatura terá a duração de quatro anos. Art. 45. A Câmara

Leia mais

Comentários à Prova de Técnico Judiciário Área Administrativa TRE/GO provas em

Comentários à Prova de Técnico Judiciário Área Administrativa TRE/GO provas em à Prova de Técnico Judiciário Área à Prova de Técnico Judiciário Área TRE/GO provas em 01.03.2015 PROVA TIPO 1 Prova http://www.cespe.unb.br/concursos/tre_go_14/arquivos/136tre_go_0 03_01.pdf Gabarito

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Poder Legislativo: Funções Típicas e Atípicas / Congresso Nacional Professora Kerolinne Barboza www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional PODER LEGISLATIVO: FUNÇÕES TÍPICAS

Leia mais

PODER LEGISLATIVO. Profa. Érica Rios

PODER LEGISLATIVO. Profa. Érica Rios PODER LEGISLATIVO Profa. Érica Rios erica.carvalho@ucsal.br FUNÇÕES DO P. LEGISLATIVO TÍPICAS: Legislar Fiscalizar as contas do P. Executivo ATÍPICAS: Administrar (ao prover cargos da sua estrutura ou

Leia mais

NACIONALIDADE. Questões CESPE

NACIONALIDADE. Questões CESPE NACIONALIDADE Ano: 2015Banca: CESPEÓrgão: MPOGProva: Analista Técnico Administrativo - Cargo 2 Acerca dos princípios fundamentais e dos direitos e deveres individuais e coletivos, julgue o item a seguir.

Leia mais

PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO DIVISÃO DE FUNÇÕES ESTATAIS ORGANIZAÇÃO DOS PODERES ESTUDO DOS PODERES SEPARAÇÃO DE PODERES

PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO PODER LEGISLATIVO DIVISÃO DE FUNÇÕES ESTATAIS ORGANIZAÇÃO DOS PODERES ESTUDO DOS PODERES SEPARAÇÃO DE PODERES ORGANIZAÇÃO DOS PODERES SEPARAÇÃO DE PODERES ART. 2.º,, DA CF/88: São Poderes da União, independentes e harmônicos entre si, o Legislativo,, o Executivo e o Judiciário rio. FUNÇÕES LEGISLATIVA EXECUTIVA

Leia mais

LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE Estabelece normas para as eleições.

LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE Estabelece normas para as eleições. LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997. Estabelece normas para as eleições. O grande mérito desta lei é o de, a princípio, tornar permanentes as regras para todas as eleições,pois, até sua edição, o que

Leia mais

Definição como se transformam votos em poder

Definição como se transformam votos em poder Definição. Sistema eleitoral é o conjunto de regras que define como, em uma determinada eleição, o eleitor pode fazer suas escolhas e como os votos são contabilizados para serem transformados em mandatos.

Leia mais

Noções de Estado. Organização da Federação e Poderes do Estado

Noções de Estado. Organização da Federação e Poderes do Estado Noções de Estado Noções de Estado Organização da Federação e Poderes do Estado Estado É a sociedade política e juridicamente organizada, dotada de soberania, dentro de um território, sob um governo, para

Leia mais

CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Victor Barau

CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Victor Barau CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA Victor Barau 1- O Conceito da palavra Democracia Democracia demos = povo, e kratos = autoridade Origem Conceito Moderno: Revoluções Francesa e Americana.

Leia mais

PROCESSO PENAL ANTONIO DOS SANTOS JUNIOR.

PROCESSO PENAL ANTONIO DOS SANTOS JUNIOR. PROCESSO PENAL ANTONIO DOS SANTOS JUNIOR asjunior2004@uolcombr JURISDIÇÃO Poder Judiciário: garantir a realização dos direitos através de seus órgãos; Órgãos devem ter jurisdição (função de conhecer os

Leia mais

(Do Senhor Marcus Pestana)

(Do Senhor Marcus Pestana) PROJETO DE LEI Nº, DE 2013 (Do Senhor Marcus Pestana) Dispõe sobre o sistema eleitoral para as eleições proporcionais, alterando a Lei nº 4.737, de 15 de julho de 1965 (Código Eleitoral), a Lei nº 9.096,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL OFÍCIO- Nº 005/2012 COMISSÃO ELEITORAL/UFAC Ao Senhor Eduardo Henrique de Almeida Aguiar Procurador da República Av. Epaminondas Jacome, nº 3017, Centro NC

Leia mais

CAPÍTULO II DAS NORMAS PARA A ESCOLHA DE CANDIDATOS E FORMAÇÃO DE COLIGAÇÕES EM NÍVEL MUNICIPAL

CAPÍTULO II DAS NORMAS PARA A ESCOLHA DE CANDIDATOS E FORMAÇÃO DE COLIGAÇÕES EM NÍVEL MUNICIPAL Resolução CEN-PSDB n 003/2016 A COMISSÃO EXECUTIVA NACIONAL do PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA - PSDB, no uso da competência que lhe confere o art. 65 c/c o art. 61 do Estatuto, e na forma do que

Leia mais

Projeto: São Mateus do Sul + Culto Conheça os Três Poderes

Projeto: São Mateus do Sul + Culto Conheça os Três Poderes Projeto: São Mateus do Sul + Culto Conheça os Três Poderes 02 de abril de 2015 Equipe: Helinton H. Lugarini Dinea C. G. D. Wiltenburg Promotor de Justiça Dr. Almir Juiz de Direito Dr. Andre O. Padilha

Leia mais

Myrian Massarollo Presidente

Myrian Massarollo Presidente Cálculos eleitorais No Brasil adotamos o sistema político denominado Democracia Representativa. Nele os eleitores concedem um mandato eletivo, ou seja, através do voto, a alguns cidadãos que se candidataram

Leia mais

Direito Eleitoral. Da Apuração nos Tribunais Regionais. Professor Pedro Kuhn.

Direito Eleitoral. Da Apuração nos Tribunais Regionais. Professor Pedro Kuhn. Direito Eleitoral Da Apuração nos Tribunais Regionais Professor Pedro Kuhn www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Eleitoral DA APURAÇÃO NOS TRIBUNAIS REGIONAIS CAPÍTULO III DA APURAÇÃO NOS TRIBUNAIS REGIONAIS

Leia mais

Supremo Tribunal Federal STF Artigo 101

Supremo Tribunal Federal STF Artigo 101 Supremo Tribunal Federal STF Artigo 101 Composto por 11 Ministros de Justiça vitalícios - Taxativamente 11 - Exclusivamente natos - Cidadãos - Mais de 35 e menos de 65 anos de idade - Notável saber jurídico

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA ELEITORAL

ORGANIZAÇÃO E COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA ELEITORAL ÓRGÃOS (art.118, CF e art. 12, CE) 1. Tribunal Superior Eleitoral: órgão máximo da Justiça Eleitoral, com sede na capital federal e jurisdição em todo o território nacional. 2. Tribunais Regionais Eleitorais:

Leia mais

1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS

1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS 1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS DIREITOS POLÍTICOS e REGIME DEMOCRÁTICO O REGIME DEMOCRÁTICO como princípio:

Leia mais

O PT de Floriano, presidido pelo Celso Vieira (imagem), definiu os prazos para tomar as decisões sobre as Eleições Municipais de 2016.

O PT de Floriano, presidido pelo Celso Vieira (imagem), definiu os prazos para tomar as decisões sobre as Eleições Municipais de 2016. O PT de Floriano, presidido pelo Celso Vieira (imagem), definiu os prazos para tomar as decisões sobre as Eleições Municipais de 2016. Num comunicado enviado ao piauinoticias o presidente Celso informou

Leia mais

Direitos Eleitoral - Parte 1

Direitos Eleitoral - Parte 1 Direitos Eleitoral - Parte 1 Com base no Código Eleitoral- Lei 4737/65, Lei n. 9.096/95, Lei 13165/2015, entre outras fontes do direito eleitoral e em questões de provas anteriores do Qconcursos.com. 1.

Leia mais

Prof. Raul de Mello Franco Jr. - UNIARA PODER EXECUTIVO. 3ª aula. Prof. Raul de Mello Franco Jr.

Prof. Raul de Mello Franco Jr. - UNIARA PODER EXECUTIVO. 3ª aula. Prof. Raul de Mello Franco Jr. PODER EXECUTIVO 3ª aula Prof. Raul de Mello Franco Jr. SUBSÍDIOS do PRESIDENTE, do VICE e dos MINISTROS São fixados pelo CN, por decreto-legislativo (art. 49, VIII, CF). Devem ser fixados em parcela única.

Leia mais

Tribunais Regionais Federais e. Juízes Federais. Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais. Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais

Tribunais Regionais Federais e. Juízes Federais. Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais. Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais S Art. 106. São órgãos da Justiça Federal: I - os Tribunais Regionais Federais; II - os. 1 2 Art. 107. Os Tribunais Regionais Federais compõemse de, no mínimo, sete juízes, recrutados, quando possível,

Leia mais

Todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta constituição.

Todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta constituição. O Parágrafo Único do Artigo 1º da nossa Constituição (1988) diz: Todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta constituição. 2012 é ano de o

Leia mais

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1 DIREITOS POLÍTICOS Prof. Fábio Ramos prof.fabioramos@hotmail.com Conjunto de normas que disciplinam as formas de exercício da soberania popular. Princípio da Soberania Popular: Art. 1º, par. único: Todo

Leia mais

CARTILHA DO VOTO CONSCIENTE. ART. 1, parágrafo único da Constituição Federal de 88:

CARTILHA DO VOTO CONSCIENTE. ART. 1, parágrafo único da Constituição Federal de 88: CARTILHA DO VOTO CONSCIENTE ART. 1, parágrafo único da Constituição Federal de 88: Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, de 2006.

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, de 2006. PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, de 2006. Altera os artigos 46, 56 e 79 da Constituição Federal. As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, nos termos do art. 60 da Constituição Federal,

Leia mais

LEGISLAÇÃO COMERCIAL E TRIBUTÁRIA AULA V

LEGISLAÇÃO COMERCIAL E TRIBUTÁRIA AULA V LEGISLAÇÃO COMERCIAL E TRIBUTÁRIA AULA V IV DIREITO CONSTITUCIONAL (continuação) 1. Poder Constituinte Poder Constituinte é o poder que o povo atribui aos Constituintes, pessoas eleitas com o poder-obrigação

Leia mais

PELA REDUÇÃO DO SALARIO DOS DEPUTADOS ESTADUAIS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO JÁ!

PELA REDUÇÃO DO SALARIO DOS DEPUTADOS ESTADUAIS DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO JÁ! PROJETO DE EMENDA CONSTITUCIONAL DE INICIATIVA POPULAR Projeto de Iniciativa Popular de Emenda à Constituição do Estado do Espírito Santo, que altera os Art.49, 2º e art. 26, IV, a a,b,c,d,e,f. PELA REDUÇÃO

Leia mais

D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012

D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012 D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012 Nome do Candidato: Nome do pai: Nome da mãe: Partido Político ou Coligação: Cargo a que concorre: ( ) Prefeito ( ) Vice-Prefeito ( ) Vereador Município: Declaro,

Leia mais

GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016

GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016 GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016 Modelos de EDITAL DE CONVOCAÇÃO CÉDULA DE VOTAÇÃO ATA DA CONVENÇÃO PALAVRA DO PRESIDENTE Prezados filiados do PSD Pará, O PSD está cada vez mais forte e unido em todo

Leia mais

SISTEMA ELEITORAL BRASILEIRO

SISTEMA ELEITORAL BRASILEIRO Gerente de Relações Institucionais: Sheila Tussi da Cunha Barbosa Analista de Relações Institucionais: Cláudia Fernanda Silva Almeida Assistente Administrativa: Quênia Adriana Camargo Ferreira Estagiários:

Leia mais

Direito Constitucional Momento TJ Emilly Albuquerque

Direito Constitucional Momento TJ Emilly Albuquerque Direito Constitucional Momento TJ Emilly Albuquerque DIREITO CONSTITUCIONAL CESPE MS 2013 No que se refere a direitos e garantias fundamentais; direitos sociais, políticos e de nacionalidade; e direitos

Leia mais

Como pensa o examinador em provas para a Magistratura do TJ-RS? MAPEAMENTO DAS PROVAS - DEMONSTRAÇÃO -

Como pensa o examinador em provas para a Magistratura do TJ-RS? MAPEAMENTO DAS PROVAS - DEMONSTRAÇÃO - Curso Resultado Um novo conceito em preparação para concursos! Como pensa o examinador em provas para a Magistratura do TJ-RS? MAPEAMENTO DAS PROVAS - DEMONSTRAÇÃO - Trabalho finalizado em julho/2015.

Leia mais

MÁRIO ELESBÃO LIMA DA SILVA

MÁRIO ELESBÃO LIMA DA SILVA MÁRIO ELESBÃO LIMA DA SILVA 2016 Silva-Regimento Interno da Camara dos Deputados Comentado-1ed.indd 3 08/08/2016 08:12:26 Resolução nº 17, de 1989 REGIMENTO INTERNO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS TÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE PORTO ALEGRE REGULAMENTO ELEITORAL DO NUCLEO DE COORDENAÇÃO

CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE PORTO ALEGRE REGULAMENTO ELEITORAL DO NUCLEO DE COORDENAÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE PORTO ALEGRE REGULAMENTO ELEITORAL DO NUCLEO DE COORDENAÇÃO Art. 1º - O Regulamento Eleitoral trata das eleições para o Núcleo de Coordenação do Conselho Municipal de Saúde

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 2013

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 2013 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 2013, DE Altera a redação do 1º do art. 128 da Constituição Federal, para dispor sobre a nomeação do Procurador-Geral da República a partir de lista tríplice encaminhada

Leia mais

Art. 2º A filiação ao PSB só terá validade se realizada nos termos das normas estatutárias e deste Regimento Interno.

Art. 2º A filiação ao PSB só terá validade se realizada nos termos das normas estatutárias e deste Regimento Interno. Regimento interno CAPÍTULO I Art. 1º O Partido Socialista Brasileiro PSB, com sede e foro na Capital da República Federativa do Brasil, com jurisdição em todo território nacional e duração por tempo indeterminado,

Leia mais

Principais alterações promovidas pela Lei aprovada no Congresso Nacional e que espera a sanção da Presidencia da República.

Principais alterações promovidas pela Lei aprovada no Congresso Nacional e que espera a sanção da Presidencia da República. Principais alterações promovidas pela Lei aprovada no Congresso Nacional e que espera a sanção da Presidencia da República. Observação: como podemos perceber as mudanças propostas são justamente pra não

Leia mais

Curso: LEGISLAÇÃO DO MPU

Curso: LEGISLAÇÃO DO MPU Curso: LEGISLAÇÃO DO MPU Profª Lidiane Coutinho MÓDULO II: O MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - LC 75/93: COMPARATIVO DOS RAMOS LEI COMPLEMENTAR Nº 75/93- MPU MPU MPF MPT MPM MPDFT LEI COMPLEMENTAR Nº 75/93-

Leia mais

REGIMENTO INTERNO CÂMARA DOS DEPUTADOS PROF. GUSTAVO PIRES

REGIMENTO INTERNO CÂMARA DOS DEPUTADOS PROF. GUSTAVO PIRES REGIMENTO INTERNO CÂMARA DOS DEPUTADOS PROF. GUSTAVO PIRES Em regra, os candidatos diplomados deputados federais prestam compromisso em sessão preparatória e podem ser empossados por intermédio de procurador.

Leia mais

Cotas para mulheres?

Cotas para mulheres? Cotas para mulheres? Direito: PEC propõe alterar a Constituição Federal para que, nas eleições para Câmara dos Deputados, Assembleias Legislativas dos Estados, Câmara Legislativa do Distrito Federal e

Leia mais

Processo Legislativo I. Prof. ª Bruna Vieira

Processo Legislativo I. Prof. ª Bruna Vieira Processo Legislativo I Prof. ª Bruna Vieira 1. Processo legislativo (art. 59 ao 69 da CF) É o procedimento formal que deve ser seguido pelos órgãos e pessoas que têm a função de elaborar as normas jurídicas,

Leia mais

Conhecimento Específico Direito Constitucional

Conhecimento Específico Direito Constitucional Conhecimento Específico Direito Constitucional Da Intervenção (Art. 34 a 36) Professor Giuliano Tamagno www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional DA INTERVENÇÃO (ART. 34 a 36) INTERVENÇÃO FEDERAL

Leia mais

ATUALIZADA ATÉ A EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 72, DE 2 DE ABRIL DE 2013 (DIREITOS DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS)

ATUALIZADA ATÉ A EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 72, DE 2 DE ABRIL DE 2013 (DIREITOS DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS) ATUALIZADA ATÉ A EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 72, DE 2 DE ABRIL DE 2013 (DIREITOS DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS) Inclui a ADIN nº 4.357, de 2 de abril de 2013, do Supremo Tribunal Federal, que declara inconstitucional

Leia mais

Quem reforma o sistema eleitoral?

Quem reforma o sistema eleitoral? Quem reforma o sistema eleitoral? O nó que amarra a reforma política no Brasil nunca foi desatado. O motivo é simples. Não há interesse. Historicamente, parlamentares só mudam as regras em benefício próprio.

Leia mais

Sumário CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988... 21 PREÂMBULO... 21. TÍTULO III Da Organização do Estado... 39

Sumário CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988... 21 PREÂMBULO... 21. TÍTULO III Da Organização do Estado... 39 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988... 21 PREÂMBULO... 21 TÍTULO I Dos Princípios Fundamentais... 21 TÍTULO II Dos Direitos e Garantias

Leia mais

SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015

SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015 SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre a Mensagem nº 61, de 2015 (nº 312/2015, na origem), que submete à consideração do Senado Federal o nome do

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA REGULAMENTO DA ELEIÇÃO PARA CARGOS DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL Em atendimento

Leia mais

NOSSA BETIM NA CÂMARA

NOSSA BETIM NA CÂMARA NOSSA BETIM NA CÂMARA Informativo 01. 1º de outubro 2013 O Informativo Nossa Betim na Câmara tem objetivo de promover maior participação cidadã dos betinenses na gestão da cidade. Para isto, periodicamente

Leia mais

DA INTERVENÇÃO FEDERAL (ARTS. 34 A 36) (vários autores) Disciplina: Direito Constitucional II

DA INTERVENÇÃO FEDERAL (ARTS. 34 A 36) (vários autores) Disciplina: Direito Constitucional II DA INTERVENÇÃO FEDERAL (ARTS. 34 A 36) (vários autores) Disciplina: Direito Constitucional II Prof. Dr. João Miguel da Luz Rivero jmlrivero@gmail.com www.rivero.pro.br O Estado Federal fundamenta-se no

Leia mais

Continuando o conteúdo que vimos no início da semana 3, vamos estudar a medida provisória e as leis de iniciativa popular.

Continuando o conteúdo que vimos no início da semana 3, vamos estudar a medida provisória e as leis de iniciativa popular. 1 Continuando o conteúdo que vimos no início da semana 3, vamos estudar a medida provisória e as leis de iniciativa popular. Medidas provisórias A justificativa para a existência da medida provisória,

Leia mais

CONSTITUÇÃO DIREITO CONSTITUCIONAL. Conceito Básico CONSTITUIÇÃO E AS DEMAIS ESPÉCIES NORMATIVAS CONSTITUIÇÃO E AS DEMAIS ESPÉCIES NORMATIVAS

CONSTITUÇÃO DIREITO CONSTITUCIONAL. Conceito Básico CONSTITUIÇÃO E AS DEMAIS ESPÉCIES NORMATIVAS CONSTITUIÇÃO E AS DEMAIS ESPÉCIES NORMATIVAS CONSTITUÇÃO DIREITO CONSTITUCIONAL Prof. Eduardo Tanaka Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 05/10/1988. Constituição Federal CF Carta Magna Lei Maior 1 2 CONSTITUIÇÃO E AS A Constituição

Leia mais

Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO

Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO Regimento Eleitoral para eleição de delegados para o 4º Congresso da Federação Nacional dos Metroviários FENAMETRO Dias 25,26,27 e 28 de agosto de 2011. Capítulo I - Das Disposições Gerais Art. 1º - A

Leia mais

LEGISLAÇÃO APLICADA AO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO PROF. GIL SANTOS

LEGISLAÇÃO APLICADA AO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO PROF. GIL SANTOS AULA 1 EXERCÍCIOS DEFINIÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO 1)Ao tratar das funções essenciais à justiça, estabelece a Constituição Federal, com relação ao Ministério Público, que: A) incumbe-lhe a defesa da ordem

Leia mais

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL PROJETO DE LEI Nº, DE 2016 (Autoria: Poder Executivo) Dispõe sobre a participação popular no processo de escolha dos administradores regionais e a constituição dos Conselhos de Representantes Comunitários

Leia mais

Professora Susanna Schwantes

Professora Susanna Schwantes 1) São Órgãos do Poder Judiciário do Rio Grande do Sul: (a) Tribunal de Alçada e Tribunal de Justiça. (b) Pretores e Conselho da Magistratura. (c) Tribunal do Júri e Juizes de Paz. (d) Juizes de Direito

Leia mais

DA JUSTIÇA DE PAZ: sua história e as funções do Juiz de Paz no novo ordenamento jurídico brasileiro pós Constituição da República de 1988.

DA JUSTIÇA DE PAZ: sua história e as funções do Juiz de Paz no novo ordenamento jurídico brasileiro pós Constituição da República de 1988. DA JUSTIÇA DE PAZ: sua história e as funções do Juiz de Paz no novo ordenamento jurídico brasileiro pós Constituição da República de 1988. Arthur de Almeida Quaresma (Oficial de Registro Civil de Barão

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL PEÇA PROFISSIONAL O governo brasileiro, preocupado com os índices crescentes de ataques terroristas no mundo, vinculou-se à Convenção sobre os Direitos Humanos das Vítimas de Atividades

Leia mais

No Brasil: Misto de Democracia Semidireta ( meios de participação popular) + Indireta (mandato representativo)

No Brasil: Misto de Democracia Semidireta ( meios de participação popular) + Indireta (mandato representativo) DIREITO ELEITORAL - Aula 01 (Conceitos e Princípios do Direito Eleitoral, Aspectos Constitucionais, Composição, competências e funções dos órgãos da Justiça Eleitoral) CONCEITOS: O Direito Eleitoral, ramo

Leia mais

Organograma do exercício da Jurisdição no ordenamento pátrio segundo os parâmetros vigentes na Constituição Federal

Organograma do exercício da Jurisdição no ordenamento pátrio segundo os parâmetros vigentes na Constituição Federal BuscaLegis.ccj.ufsc.br Organograma do exercício da Jurisdição no ordenamento pátrio segundo os parâmetros vigentes na Constituição Federal João Fernando Vieira da Silva salermolima@hotmail.com O exercício

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO 01. Dentre os aspectos peculiares aos órgãos jurisdicionais trabalhistas no Brasil, não se encontra: I - Não existem Varas do Trabalho especializadas em determinadas matérias,

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO

REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO REGULAMENTO ELEITORAL DO SICOOB JUDICIÁRIO Art. 1º - Este Regulamento disciplina os procedimentos que regem as eleições previstas no artigo 69 do Estatuto Social da COOPERATIVA DE ECONOMIA E CRÉDITO MÚTUO

Leia mais

Nacionalidade. Prof. ª Bruna Vieira

Nacionalidade. Prof. ª Bruna Vieira Nacionalidade Prof. ª Bruna Vieira 1. Nacionalidade (art. 12 da CF) É o vínculo de natureza jurídica e política que integra o indivíduo a um determinado Estado. Após isso, o sujeito passa a fazer parte

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional CEM CADERNO DE EXERCÍCIOS MASTER Direito Constitucional Polícia Legislativa Senado Federal Período: 2008-2017 Sumário Direito Constitucional... 3 Estado Democrático de Direito... 3 Direitos e deveres individuais

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL PEÇA PROFISSIONAL O presidente da República apresenta ao Congresso Nacional proposição legislativa que trata de criação, transformação em estado ou reintegração ao estado de origem

Leia mais

Fontes do Direitos: Constituição, lei, costumes, jurisprudência, doutrina e contrato. A Constituição Federal e os tópicos da Economia

Fontes do Direitos: Constituição, lei, costumes, jurisprudência, doutrina e contrato. A Constituição Federal e os tópicos da Economia Fontes do Direitos: Constituição, lei, costumes, jurisprudência, doutrina e contrato. A Constituição Federal e os tópicos da Economia No Brasil, vigora o princípio da Supremacia da Constituição, segundo

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ESQUEMATIZADO: ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ESQUEMATIZADO: ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ESQUEMATIZADO: ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA DE ACORDO COM O EDITAL N 1, DE 24 DE NOVEMBRO DE 201, DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO, TRE-SP CONHECIMENTOS BÁSICOS

Leia mais

EDITAL DE ELEIÇÃO/FUNDEB Nº 001/2010 DE 19 DE JULHO DE 2010.

EDITAL DE ELEIÇÃO/FUNDEB Nº 001/2010 DE 19 DE JULHO DE 2010. PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO DE SERGIPE Nº 26.047 04/08/2010 GOVERNO DE SERGIPE EDITAL DE ELEIÇÃO/FUNDEB Nº 001/2010 DE 19 DE JULHO DE 2010. PROCESSO ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS REPRESENTANTES

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO. Processo Legislativo

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO. Processo Legislativo INTRDUÇÃ A ESTUD D DIREIT Processo Legislativo PDER LEGISLATIV (Arts. 44 ao 75, CF/88) PDER LEGISLATIV NACINAL Possui funções típicas e atípicas: Funções típicas: legislar e fiscalizar. Ex. Art. 59; 49,

Leia mais

DICAS PARA UM VOTO MAIS CONSCIENTE E CRITERIOSO

DICAS PARA UM VOTO MAIS CONSCIENTE E CRITERIOSO ARQUIDIOCESE DE BRASÍLIA ELEIÇÕES 2010 DICAS PARA UM VOTO MAIS CONSCIENTE E CRITERIOSO Elaboração: ARQUIDIOCESE DE BRASÍLIA Assessoria de Imprensa Comissão Justiça e Paz CJP Movimento dos Focolares Contato:

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO DO CONDOMÍNIO NOSSA FAZENDA

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO DO CONDOMÍNIO NOSSA FAZENDA REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DELIBERATIVO DO CONDOMÍNIO NOSSA FAZENDA O Conselho Deliberativo do Condomínio Nossa Fazenda, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo inciso VIII e pelo 2 do Art.

Leia mais

CURSO ESCOLA DE DEFENSORIA PÚBLICA Nº

CURSO ESCOLA DE DEFENSORIA PÚBLICA Nº CURSO ESCOLA DE DEFENSORIA PÚBLICA 2016.1 Nº DATA DISCIPLINA Direito Constitucional PROFESSOR Paulo Nasser MONITOR Bruna Oliveira AULA Aula 10 TEMA: DIREITOS POLÍTICOS E NACIONALIDADE DIREITOS POLÍTICOS:

Leia mais

EDITAL N 001/CECIS, DE 17 DE OUTUBRO DE ABERTURA DE PROCESSO ELEITORAL PARA CONSTITUIÇÃO DA COMISSÃO

EDITAL N 001/CECIS, DE 17 DE OUTUBRO DE ABERTURA DE PROCESSO ELEITORAL PARA CONSTITUIÇÃO DA COMISSÃO EDITAL N 001/CECIS, DE 17 DE OUTUBRO DE 2016. ABERTURA DE PROCESSO ELEITORAL PARA CONSTITUIÇÃO DA COMISSÃO INTERNA DE SUPERVISÃO (CIS) DO PLANO DE CARREIRA DOS CARGOS TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2012

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2012 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2012 Altera os arts. 102, 105, 108 e 125 da Constituição Federal para extinguir o foro especial por prerrogativa de função nos casos de crimes comuns. As Mesas

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA 7.ª revisão 2005 (excertos) Princípios fundamentais. ARTIGO 10.º (Sufrágio universal e partidos políticos)

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA 7.ª revisão 2005 (excertos) Princípios fundamentais. ARTIGO 10.º (Sufrágio universal e partidos políticos) CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA PORTUGUESA 7.ª revisão 2005 (excertos) Princípios fundamentais ARTIGO 10.º (Sufrágio universal e partidos políticos) 1. O povo exerce o poder político através do sufrágio universal,

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS CONVENÇÕES DEMOCRATAS 2015

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS CONVENÇÕES DEMOCRATAS 2015 MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS CONVENÇÕES DEMOCRATAS 2015 Convenções Municipais - de 15 a 30 de agosto de 2015; Convenções Estaduais - de 05 a 30 de outubro de 2015; Convenção Nacional - dia 10 de dezembro de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/2010 - DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL Art. 1º - Este Regulamento fixa normas para eleição da Diretoria Executiva e Conselho Fiscal da, de

Leia mais

AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE

AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE Competência De acordo com o art. 102, I, a, CR(Constituição da República Federativa do Brasil), compete ao Supremo Tribunal Federal processar e julgar, originariamente,

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2016

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2016 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº, DE 2016 Altera os 1º, 2º e 3º, do art. 17 da Constituição Federal e a ele acrescenta os 5º, 6º, 7º e 8º, para autorizar distinções entre partidos políticos, para fins

Leia mais

PODER EXECUTIVO (art. 76 a 91, CRFB/88)

PODER EXECUTIVO (art. 76 a 91, CRFB/88) PODER EXECUTIVO PODER EXECUTIVO (art. 76 a 91, CRFB/88) Sistema de Governo Presidencialista Junção das funções de Chefe de Estado e Chefe de Governo É exercido, no âmbito federal, desde 1891, pelo Presidente

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral da Bahia

Tribunal Regional Eleitoral da Bahia Tribunal Regional Eleitoral da Bahia Editoração Secretaria Judiciária Coordenadoria de Jurisprudência e Documentação Seção de Biblioteca e Editoração e-mail: sj-cojud@tre-ba.gov.br Pesquisa e texto Cristiane

Leia mais

DOCUMENTO PROVISÓRIO. Conselho Nacional de Justiça Anteprojeto de Emenda de Constitucional

DOCUMENTO PROVISÓRIO. Conselho Nacional de Justiça Anteprojeto de Emenda de Constitucional ANEXO II* DOCUMENTO PROVISÓRIO Conselho Nacional de Justiça Anteprojeto de Emenda de Constitucional "Introduz modificações na estrutura do Poder Judiciário" As Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE RONDÔNIA

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE RONDÔNIA PATRULHA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE RONDÔNIA O Brasil tornou-se uma República em 1889, quando um golpe militar liderado pelo Marechal Deodoro da Fonseca tirou D. Pedro II do poder. No Brasil,

Leia mais