CASAS VERDES Bioarquitetura alia charme e sustentabilidade

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CASAS VERDES Bioarquitetura alia charme e sustentabilidade"

Transcrição

1 72 // GALERIA # 44//2011 POR PAULA IGNÁCIO CASAS VERDES Bioarquitetura alia charme e sustentabilidade BENEFÍCIOS DO HIPISMO Prática favorece a postura e dá força aos músculos RENOVAÇÃO Golfe Clube apresenta nova diretoria NO CAMINHO DA ESTRADA REAL Desvendamos os segredos de Cunha, no interior de SP 1 Exposição ajuda o visitante a compreender truques de ilusão de ótica do artista holandês

2 76 // GALERIA 78 // GALERIA 4 5 Escher subverteu as noções clássicas de perspectiva 6 desenhos tridimensionais. Exercitando desenhos, Escher subverteu a noção de perspectiva. Ele dividiu os mesmos em várias partes regulares, criando formas geométricas que se metamorfoseiam em animais, homens e objetos. O utilizado para a construção de mundo real. Após uma visita a cidade de Granada, no Sul da Espanha, Escher passou a fazer desenhos onde tentava seguir os padrões geométricos encontrados nas paredes do palácio de La Alhambra, local de moradia de antigos sultões árabes. Os árabes tinham grande conhecimento de matemática, e criaram padrões de triângulos, quadrados e hexágonos para conseguir preencher todos os espaços À esq.: em desenhos que se dividem sucessivamente, o artista explora a ilusão de repetição infinita; na obra Stars (à dir.), figuras de poliedros auxiliam na construção de imagens tridimensionais em paredes, por exemplo. À sua maneira, representavam a beleza por meio de imagens geométricas, já que a religião islâmica não permite a criação Desenhos geométricos encontrados em ornamentos árabes inspiraram série de litografias de metamorfoses Para tentar compreender como funciona a divisão regular do plano, tomemos como exemplo as mandalas árabes. Elas são circulares ou quadradas, e divididas internamente em partes iguais. Cada parte é preenchida com um desenho geométrico. Escher, por sua vez, usou encher os espaços com desenhos 7

3 80 // GALERIA 82 // GALERIA Nesta página, instalação de O Mundo Mágico de Escher de perspectivas tridimensionais. pois causa a impressão de que Poliedros, espelhos e Faixa de Möbius Além das imagens mouras, Escher se inspirou em estudos das formas de minérios como o cristal para criar veis. Seu irmão era geólogo, e por isso ele teve contato com dos das formas e propriedades dos cristais). Esses minerais possuem o formato de um poliedro. Imaginemos um diaman- quadrado tridimensional transparente. Dentro dele, uma estrela tridimensional. O artista então criava desenhos dentro de cada uma dessas partes. Explorava quais imagens poderiam ser admitidas dentro dos poliedros, o que causava a impressão de Noção de infinito e construção de mundos impossíveis: elementos marcantes Stars mostra exatamente como Outras ideias surgiram a partir da Faixa de Möbius, forma desenvolvida pelo matemático alemão Augustus Möbius. Trata-se de uma construção simples: uma as duas pontas são coladas, dando a impressão de que há dois lados mas, na realidade, só existe um. A ilusão de ótica provocada chamou a atenção de Escher, que criou duas xilogravuras denominadas Laço de Moebius I e Laço de Moebius II. Desta forma, para criar a sensação visual de tridimensionalidade em desenhos, o artista holandês fez uso não somente das formas dos cristais, mas também de espelhos côncavos e convexos, que distorcem as imagens reais e causam efeitos óticos interessantes. 9 8

4 84 // GALERIA 86 // GALERIA 10 Em várias imagens, po- que se dividem em menores, causando a sensação de que a divisão não acaba nunca. A exploração de construções obras como Menor e Menor e Cascata, e é tema recorrente na obra do artista. Durante visita à mostra, com a ajuda de espelhos côncavos e convexos e o posicionamento correto de espelhos diferentes experiências que uti- encontrada na obra do artista. O visitante também tem a oportunidade de assistir a um filme em 3D, e de participar de uma viagem por dentro de alguns de seus principais desenhos. É realmente impressionante em Escher que este ou conhecimento de teorias complexas da geometria e da matemática. Suas criações são até hoje analisadas e utilizadas por matemáticos e educadores do mundo todo, ajudam a compreender noções de perspectiva e convidam a brincar com a existência mágica de Acima, nesta pág., Céu e Água, um de seus trabalhos mais conhecidos. Ao lado: jogos óticos proporcionados por espelhos côncavos e convexos também serviram de inspiração ao artista. Abaixo, imagens impossíveis que passam a ideia de infinito 12 Acima, a obra Subindo e Descendo ; Abaixo, Côncavo e Convexo SERVIÇO EXPOSIÇÃO: ONDE: Centro Cultural Banco do Brasil QUANDO: INFORMAÇÕES: FOTOS 2, 4, 5, 6, 7, 10, 11, 12, 13 E 14: THE M.C. ESCHER COMPANY B.V. BAARN, THE NETHERLANDS E FOTOS 1, 3, 8 E 9: DIVULGAÇÃO

5 74 // GALERIA Mostra comemorativa artistas mais matemáticos de todos os tempos Após uma temporada de Janeiro, O Mundo Mágico de Escher, mostra que celebra o legado do artista holandês Maurits Cornelius Escher, desembarcou em abril na cidade de São Paulo. As 95 peças originais, pinceladas do acervo da Haags Gemeentemuseum, mantenedora do Museu Escher, permanecem expostas até o dia 17 de julho, no Centro Cultural Banco do Brasil, com entrada franca. O curador da exposição, Pieter Tjabbes, esteve no museu dedicado ao artista, na Holanda, e organizou as obras de acordo com um recorte cronológico entre 1919 e São trabalhos raros e muito procurados para exposições. Só existem três coleções no mundo. As gravuras, todas 2 3 elas originais, são muito frágeis e o Haags Gemeentemuseum não poderá exibi-las por mais de quatro anos após a exposição brasileira, conta Tjabbes. Escher nasceu na cidade holandesa de Leeuwarden e viveu entre os anos de 1898 principalmente por litografias uma espécie de gravura que utiliza como materiais a pedra calcária e um lápis gorduroso. Por meio do acúmulo de gordura na pedra, o desenho é tecido. As xilogravuras, por sua vez, são desenhos criados por meio de entalhes em madeira, que podem ser transferidos para o papel. O artista holandês estudou arquitetura e artes, mas teve de abandonar os estudos em razão de problemas de saúde. Mesmo assim, dominou técnicas À esq., litografia inspirada na teoria do matemático Augustus Möbius; à dir., mais uma instalação exposta na mostra itinerante

6 14

UM MOSAICO DE ESCHER Orientanda: Gabriela Baptistella Peres Orientador: Prof. Dr. Mauri Cunha do Nascimento

UM MOSAICO DE ESCHER Orientanda: Gabriela Baptistella Peres Orientador: Prof. Dr. Mauri Cunha do Nascimento UM MOSAICO DE ESCHER Orientanda: Gabriela Baptistella Peres Orientador: Prof. Dr. Mauri Cunha do Nascimento Mauritus Cornelis Escher nasceu em Leeuwarden na Holanda em 17 de Junho1898, faleceu em 27 de

Leia mais

Ilusão de Ótica. Uma seleção de imagens que provocam ilusões visuais

Ilusão de Ótica. Uma seleção de imagens que provocam ilusões visuais Ilusão de Ótica Uma seleção de imagens que provocam ilusões visuais A ilusão de ótica é muito legal, mas quando é de propósito A Essilor reuniu nesta seleção, imagens de um fenômeno que é uma das maiores

Leia mais

M.C. ESCHER E A TEORIA HOMOLOGICA

M.C. ESCHER E A TEORIA HOMOLOGICA M.C. ESCHER E A TEORIA HOMOLOGICA Cesário Antônio Neves Júnior UFPE, Licenciatura em Expressão Gráfica canj_13@hotmail.com Sandra de Souza Melo UFPE, Departamento de Expressão Gráfica ssouzamelo@bol.com.br

Leia mais

Universidade Federal de Alagoas Eixo da Tecnologia Campus do Sertão Programa de Educação Tutorial

Universidade Federal de Alagoas Eixo da Tecnologia Campus do Sertão Programa de Educação Tutorial Exercícios de Características das figuras geométricas planas e espaciais 1º - (ENEM - 2002) - Na construção civil, é muito comum a utilização de ladrilhos ou azulejos com a forma de polígonos para o revestimento

Leia mais

Universidade da Beira Interior. Percepção Visual 1 Ilusões Ópticas Cláudia Patrício 2009

Universidade da Beira Interior. Percepção Visual 1 Ilusões Ópticas Cláudia Patrício 2009 Universidade da Beira Interior Percepção Visual 1 Ilusões Ópticas Cláudia Patrício 2009 Conteúdos índice Introdução 03 Ilusões de movimento 04 Ilusões na publicidade 11 Ilusões artísticas 21 Ilusões nas

Leia mais

Luiz Sacilotto. O artista plástico Luiz Sacilotto nasceu em Santo André, São Paulo, em 1924.

Luiz Sacilotto. O artista plástico Luiz Sacilotto nasceu em Santo André, São Paulo, em 1924. 1 Luiz sacilotto 14 O artista plástico nasceu em Santo André, São Paulo, em 1924. Sacilotto participou do Movimento Concretista Brasileiro, movimento cujas obras não se baseavam em modelos naturais ou

Leia mais

ARTE CINÉTICA OP ARTE

ARTE CINÉTICA OP ARTE ARTE CINÉTICA OP ARTE Na década de 60, alguns artistas europeus e americanos interessaramse em conferir movimento a arte. Novamente a ciência foi a base de desenvolvimento desses trabalhos, pois a finalidade

Leia mais

MOSAICOS Descrição Mosaico tesselação recobrimento do plano

MOSAICOS Descrição Mosaico tesselação recobrimento do plano MOSAICOS Descrição Mosaico ou tesselação ou recobrimento do plano é um padrão de figuras planas que cobre inteiramente o plano sem superposições das figuras nem espaços vazios entre elas. Dizemos que as

Leia mais

Observação da realidade e criação de figuras geométricas

Observação da realidade e criação de figuras geométricas Prática Pedagógica Observação da realidade e criação de figuras geométricas Alunos de 6ª série aprendem o que são mosaicos observando exemplos na natureza e nos pisos de prédios históricos. Daí para criar

Leia mais

MATERIAIS EDUCATIVOS MAR MUSEU DE ARTE DO RIO

MATERIAIS EDUCATIVOS MAR MUSEU DE ARTE DO RIO MATERIAIS EDUCATIVOS MAR MUSEU DE ARTE DO RIO Livros do aluno Escola do olhar Rio de imagens uma paisagem em construção A apresentação de paisagens do Rio de Janeiro em diferentes épocas, representadas

Leia mais

ACTIVIDADE: M.C. Escher Arte e Matemática Actividade desenvolvida pela Escola Secundária com 3º ciclo Padre António Vieira.

ACTIVIDADE: M.C. Escher Arte e Matemática Actividade desenvolvida pela Escola Secundária com 3º ciclo Padre António Vieira. ACTIVIDADE: M.C. Escher Arte e Matemática Actividade desenvolvida pela Escola Secundária com 3º ciclo Padre António Vieira. ENQUADRAMENTO CURRICULAR: Alunos do Secundário (11º ano) Conteúdos Específicos:

Leia mais

2016 O Lugar do Outro. Múltiplo Espaço de Arte, Rio de Janeiro, Brasil Modulações, Centro Universitário Maria Antonia, São Paulo, Brasil

2016 O Lugar do Outro. Múltiplo Espaço de Arte, Rio de Janeiro, Brasil Modulações, Centro Universitário Maria Antonia, São Paulo, Brasil CASSIO MICHALANY São Paulo, SP, 1949 vive e trabalha em São Paulo EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS 2016 O Lugar do Outro. Múltiplo Espaço de Arte, Rio de Janeiro, Brasil 2014 Pintura-objeto. Galeria Raquel Arnaud,

Leia mais

SOMOS ARTISTAS! URL:

SOMOS ARTISTAS! URL: SOMOS ARTISTAS! A seguinte tarefa envolve os domínios Números e Operações e Geometria e Medida, bem como a resolução de problemas. A sua exploração abrange números maiores que 100 e pode ser articulada

Leia mais

MOSAICOS, FAIXAS E ROSETAS NO GEOGEBRA

MOSAICOS, FAIXAS E ROSETAS NO GEOGEBRA MOSAICOS, FAIXAS E ROSETAS NO GEOGEBRA Sérgio Carrazedo Dantas Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) sergio@maismatematica.com.br Guilherme Francisco Ferreira Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: Série: 7ª Ensino Fundamental Professora: Ione Botelho Atividades para Estudos Autônomos Data: 5 / 9 / 2016 Valor: xxx pontos Aluno(a): Nº: Turma: Vamos rever nosso

Leia mais

Inauguração da exposição individual. alheava_a criação do mar. de Manuel Santos Maia. Curadoria de Baltazar Torres

Inauguração da exposição individual. alheava_a criação do mar. de Manuel Santos Maia. Curadoria de Baltazar Torres Inauguração da exposição individual alheava_a criação do mar de Manuel Santos Maia Curadoria de Baltazar Torres 28 Setembro na SEEA - Sala de Exposições da Escola das Artes da Universidade Católica do

Leia mais

Noções de Geometria. Professora: Gianni Leal 6º B.

Noções de Geometria. Professora: Gianni Leal 6º B. Noções de Geometria Professora: Gianni Leal 6º B. Figuras geométricas no espaço: mundo concreto e mundo abstrato Mundo concreto: é mundo no qual vivemos e realizamos nossas atividades. Mundo abstrato:

Leia mais

OBJETIVOS GERAIS DESCRITORES DE DESEMPENHO CONTEÚDOS ATIVIDADES RECURSOS. Breve história da representação da perspetiva.

OBJETIVOS GERAIS DESCRITORES DE DESEMPENHO CONTEÚDOS ATIVIDADES RECURSOS. Breve história da representação da perspetiva. 1º.Período T9 TÉCNICA 9ºANO PLANIFICAÇÃO ANUAL EDUCAÇÃO VISUAL 2016/2017 Compreender diferentes tipos de projeção - Compreender a evolução histórica dos elementos de construção e representação da perspetiva.

Leia mais

d) Escher é um artista holandês que viveu de 1898 a Quantos anos esse artista viveu?

d) Escher é um artista holandês que viveu de 1898 a Quantos anos esse artista viveu? SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 05 / / 03 III ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE MATEMÁTICA 4.º ANO/EF UNIDADE: ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

COLÉGIO SÃO VICENTE DE PAULO BIBLIOTECA JUVENIL MAPA DE LOCALIZAÇÃO DAS ESTANTES

COLÉGIO SÃO VICENTE DE PAULO BIBLIOTECA JUVENIL MAPA DE LOCALIZAÇÃO DAS ESTANTES COLÉGIO SÃO VICENTE DE PAULO BIBLIOTECA JUVENIL MAPA DE LOCALIZAÇÃO DAS ESTANTES VER MAPA E S T A N T E 5 E S T A N T E 4 B E S T A N T E 4 A E S T A N T E 3 B E S T A N T E 3 A E S T A N T E 2 B E S T

Leia mais

Justificação do Serviço Educativo CMAS

Justificação do Serviço Educativo CMAS Justificação do Serviço Educativo CMAS A FIGURA DE ABEL SALAZAR Visita à Casa- Museu As visitas à Casa- Museu são sempre guiadas. Nestas visitas é dado a conhecer o espaço onde Abel Salazar viveu ao longo

Leia mais

Comentários e Exemplos sobre os Temas e seus Descritores da Matriz de Matemática de 4ª Série Fundamental

Comentários e Exemplos sobre os Temas e seus Descritores da Matriz de Matemática de 4ª Série Fundamental Comentários e Exemplos sobre os Temas e seus Descritores da Matriz de de 4ª Série Fundamental TEMA I ESPAÇO E FORMA A compreensão do espaço com suas dimensões e formas de constituição são elementos necessários

Leia mais

Figura 1: Vila africana de Logone Birni [2]

Figura 1: Vila africana de Logone Birni [2] Geometria Fractal Fractais são objetos em que cada parte é semelhante ao objeto como um todo. Isso significa que os padrões da figura inteira são repetidos em cada parte, só que numa escala de tamanho

Leia mais

II Olimpíada Brasileira de Raciocínio Lógico Nível II Fase I 2015

II Olimpíada Brasileira de Raciocínio Lógico Nível II Fase I 2015 1 2 Questão 1 Artur é muito bom em problemas matemáticos e sempre propõe desafios aos seus colegas. Desta vez, Artur criou uma sequência infinita de letras, juntando as palavras que formavam o nome de

Leia mais

ESCHER E O ENSINO DA GEOMETRIA 1

ESCHER E O ENSINO DA GEOMETRIA 1 ESCHER E O ENSINO DA GEOMETRIA 1 Dayene Ferreira dos SANTOS 2 Discente do Curso de Licenciatura em Matemática IFSP/Campus São Paulo José Maria CARLINI 3 Mestre em História da Ciência/PUC-SP Docente do

Leia mais

1ª Parte SÓLIDOS GEOMÉTRICOS. Prof. Danillo Alves 6º ano Matutino

1ª Parte SÓLIDOS GEOMÉTRICOS. Prof. Danillo Alves 6º ano Matutino 1ª Parte SÓLIDOS GEOMÉTRICOS Prof. Danillo Alves 6º ano Matutino "Um monstro ou uma bela senhora, a forma como vemos a Matemática é produto dos nossos esforços." Prof. Jerriomar Ferreira As Formas existentes

Leia mais

Geometria Descritiva. Geometria Descritiva. Geometria Descritiva 14/08/2012. Definição:

Geometria Descritiva. Geometria Descritiva. Geometria Descritiva 14/08/2012. Definição: Prof. Luiz Antonio do Nascimento ladnascimento@gmail.com www.lnascimento.com.br Origem: Criada para fins militares (projeto de fortes militares) para Napoleão Bonaparte pelo matemático francês Gaspar Monge.

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática. Érika Cristina de Freitas

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática. Érika Cristina de Freitas Ornamentos: uma aplicação da modelagem matemática para o ensino Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Matemática Edinei Leandro dos Reis edineileandro@yahoo.com.br Érika Cristina de Freitas erikacfreitas_22@yahoo.com.br

Leia mais

Itaú Cultural inaugura Espaço Olavo Setubal com exposição permanente de obras sobre a história do Brasil

Itaú Cultural inaugura Espaço Olavo Setubal com exposição permanente de obras sobre a história do Brasil Página: 01 Itaú Cultural inaugura Espaço Olavo Setubal com exposição permanente de obras sobre a história do Brasil O Itaú Cultural inaugurou no sábado, dia 13, o Espaço Olavo Setubal, que apresenta de

Leia mais

IMPA e MIS apresentam +COPACABANA. a matemática do chão ao museu. proposta de conteúdo para exposição elaborado por Ambos&& em 31/03/17

IMPA e MIS apresentam +COPACABANA. a matemática do chão ao museu. proposta de conteúdo para exposição elaborado por Ambos&& em 31/03/17 IMPA e MIS apresentam +COPACABANA a matemática do chão ao museu proposta de conteúdo para exposição elaborado por Ambos&& em 31/03/17 INTRODUÇÃO + Copacabana mostra como a matemática pode estar presente

Leia mais

VISITA TEMÁTICA ESPELHOS. Departamento Educativo PNE

VISITA TEMÁTICA ESPELHOS. Departamento Educativo PNE VISITA TEMÁTICA ESPELHOS Departamento Educativo PNE Nas 3 plantas do Exploratorium, Vê, faz, Aprende! e Matemática Viva encontrará os módulos seleccionados através do pictograma azul Já todos observámos

Leia mais

ESCHER E O ENSINO DE GEOMETRIA EM AULAS DE MATEMÁTICA

ESCHER E O ENSINO DE GEOMETRIA EM AULAS DE MATEMÁTICA Resumo ESCHER E O ENSINO DE GEOMETRIA EM AULAS DE MATEMÁTICA Luiz Henrique Ferraz Pereira 1 Ensinar geometria exige do professor uma busca constante de alternativas metodológicas que possam auxiliar o

Leia mais

01 - Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar situações e problemas do quotidiano;

01 - Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar situações e problemas do quotidiano; COLÉGIO TERESIANO DE BRAGA PLANIFICAÇÃO ANUAL - EDUCAÇÃO VISUAL E TECNOLÓGICA COMPETÊNCIAS GERAIS 01 - Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos para compreender a realidade e para abordar

Leia mais

Prova Brasil de Matemática - 9º ano: espaço e forma

Prova Brasil de Matemática - 9º ano: espaço e forma Avaliações externas Prova Brasil de Matemática - 9º ano: espaço e forma A análise e as orientações didáticas a seguir são de Luciana de Oliveira Gerzoschkowitz Moura, professora de Matemática da Escola

Leia mais

PAINTANT STORIES. Lúcia Pantaleoni*

PAINTANT STORIES. Lúcia Pantaleoni* RESENHAS PAINTANT STORIES Lúcia Pantaleoni* A Casa Daros, no Rio de Janeiro, abrigou em um de seus espaços um pintante que impressiona, em primeiro lugar, pela sua dimensão são 100 metros de pintura ;

Leia mais

CONCEITOS MATEMÁTICOS EM OBRAS DE ESCHER

CONCEITOS MATEMÁTICOS EM OBRAS DE ESCHER ISSN 2316-7785 CONCEITOS MATEMÁTICOS EM OBRAS DE ESCHER Alyne Cecilia Serpa Ganz FURB Universidade regional de Blumenau alyneserpa@hotmail.com Resumo Atividade realizada na escola de Educação Básica Carlos

Leia mais

Exposição REVERSPECTIVE. Arte e Movimento PATRICK HUGHES

Exposição REVERSPECTIVE. Arte e Movimento PATRICK HUGHES Exposição REVERSPECTIVE Arte e Movimento PATRICK HUGHES PATRICK HUGHES Patrick Hughes é considerado um dos mais relevantes artistas da atualidade. Suas obras, inspiradas no tripé óptica, perspectiva e

Leia mais

Transformações geométricas. nos Programas de Matemática do Ensino Básico e Secundário

Transformações geométricas. nos Programas de Matemática do Ensino Básico e Secundário Transformações geométricas nos Programas de Matemática do Ensino Básico e Secundário História das transformações geométricas As transformações geométricas fazem parte da história da humanidade, há mais

Leia mais

SIMETRIA E ORNAMENTOS NO PLANO EUCLIDIANO: UMA ABORDAGEM PARA O ENSINO FUNDAMENTAL II

SIMETRIA E ORNAMENTOS NO PLANO EUCLIDIANO: UMA ABORDAGEM PARA O ENSINO FUNDAMENTAL II SIMETRIA E ORNAMENTOS NO PLANO EUCLIDIANO: UMA ABORDAGEM PARA O ENSINO FUNDAMENTAL II Luiza Vasconcelos Coimbra 1 Fernanda da Costa Calsavara 2, Ana Carolina Ferreira Rangel 3, Wanderley Moura Rezende

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 5ºANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 5ºANO PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÂO VISUAL 5ºANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO O aluno é capaz de: Distinguir características de vários materiais riscadores (lápis de grafite, lápis de cor, lápis de cera,

Leia mais

1º Ano º Bimestre Artes Prof. Juventino

1º Ano º Bimestre Artes Prof. Juventino 1º Ano 2015 4º Bimestre Artes Prof. Juventino 19l6 escritores e artistas se manifestaram contra a Primeira Guerra. Foram acusados de não patriotismo e traição cadeia e fuzilamento e Zurique era o local

Leia mais

ESCHER: UMA INTERSECÇÃO ENTRE ARTE E MATEMÁTICA

ESCHER: UMA INTERSECÇÃO ENTRE ARTE E MATEMÁTICA ESCHER: UMA INTERSECÇÃO ENTRE ARTE E MATEMÁTICA Danielle dos Santos Mingatos Escola Villare danielle_mingatos@yahoo.com.br Cátia da Costa Soares Escola Villare roca_soares@uol.com.br Resumo: Este trabalho

Leia mais

Dicas para fazer esboços da natureza. adriaans.com/on- painting/

Dicas para fazer esboços da natureza.  adriaans.com/on- painting/ Dicas para fazer esboços da natureza. http://www.pieter- adriaans.com/on- painting/ geral Sempre Obrigue- se a trabalhar para e na natureza. Nunca copiar imagens, especialmente desenhos de outros. Estudá-

Leia mais

Cliente: Itaú Cultural Veículo: IstoÉ Gente Online Data: 14/01/2015 Página: 01 Seção: Home

Cliente: Itaú Cultural Veículo: IstoÉ Gente Online Data: 14/01/2015 Página: 01 Seção: Home Página: 01 Página: 02 Paisagens brasileiras Depois de quatro anos de reformas, o Itaú Cultural, em São Paulo, abre para o público o Espaço Olavo Setubal, que exibirá as mais importantes representações

Leia mais

1 POLIEDROS 2 ELEMENTOS 4 POLIEDROS REGULARES 3 CLASSIFICAÇÃO. 3.2 Quanto ao número de faces. 4.1 Tetraedro regular. 3.

1 POLIEDROS 2 ELEMENTOS 4 POLIEDROS REGULARES 3 CLASSIFICAÇÃO. 3.2 Quanto ao número de faces. 4.1 Tetraedro regular. 3. Matemática 2 Pedro Paulo GEOMETRIA ESPACIAL II 1 POLIEDROS Na Geometria Espacial, como o nome diz, o nosso assunto são as figuras espaciais (no espaço). Vamos estudar sólidos e corpos geométricos que possuem

Leia mais

O QUE HÁ EM COMUM NESTES DESENHOS?

O QUE HÁ EM COMUM NESTES DESENHOS? O QUE HÁ EM COMUM NESTES DESENHOS? E O QUE OS DIFERE DESTES? A RESPOSTA É PERSPECTIVA. A PERSPECTIVA é um campo de estudo da geometria, em especial a geometria descritiva. Desenhar em PERSPECTIVA é representar

Leia mais

EDITORA DE GRAVURA FINE ART - GICLÉE

EDITORA DE GRAVURA FINE ART - GICLÉE EDITORA DE GRAVURA FINE ART - GICLÉE www.galeriadegravura.com.br ÍNDICE 1 - Sobre Gravura 2 Xilogravura 3 Gravura em metal 4 Litogravura 5 Serigrafia 6 Fine Art / Giclée 7 História sobre o papel 8 Papéis

Leia mais

TEORIA DO DESIGN. Aula 03 Composição e a História da arte. Prof.: Léo Diaz

TEORIA DO DESIGN. Aula 03 Composição e a História da arte. Prof.: Léo Diaz TEORIA DO DESIGN Aula 03 Composição e a História da arte Prof.: Léo Diaz O QUE É ARTE? Definição: Geralmente é entendida como a atividade humana ligada a manifestações de ordem estética ou comunicativa,

Leia mais

Ele usa e. abusa do vidro. Material inspira projetos de arquiteto baiano e se faz presente com arrojo e sofisticação.

Ele usa e. abusa do vidro. Material inspira projetos de arquiteto baiano e se faz presente com arrojo e sofisticação. Vidro em obra Ele usa e abusa do vidro Material inspira projetos de arquiteto baiano e se faz presente com arrojo e sofisticação Fotos: divulgação Sidney Quintela: Existem vidros para praticamente todo

Leia mais

SIMETRIAS NAS OBRAS DE ESCHER: UMA POSSIBILIDADE DE ENSINO POR MEIO DA ARTE

SIMETRIAS NAS OBRAS DE ESCHER: UMA POSSIBILIDADE DE ENSINO POR MEIO DA ARTE SIMETRIAS NAS OBRAS DE ESCHER: UMA POSSIBILIDADE DE ENSINO POR MEIO DA ARTE Adeline Laudicéia Pinatti, (IC), Unespar Câmpus de Campo Mourão, adeline_pinati@hotmail.com João Henrique Lorin, (OR), Unespar

Leia mais

MATEMÁTICA - 3 o ANO MÓDULO 50 POLIEDROS

MATEMÁTICA - 3 o ANO MÓDULO 50 POLIEDROS MATEMÁTICA - 3 o ANO MÓDULO 50 POLIEDROS Tetraedro regular Hexaedro regular Octaedro regular Dodecaedro regular Icosaedro regular B C A F D G E H Como pode cair no enem O poliedro da figura (uma invenção

Leia mais

No Itaú Cultural, uma exposição conta a história do Brasil por meio da arte

No Itaú Cultural, uma exposição conta a história do Brasil por meio da arte Página: 01 No Itaú Cultural, uma exposição conta a história do Brasil por meio da arte A exposição permanente Coleção Brasiliana Espaço Olavo Setubal abre as portas neste sábado para contar a aventura

Leia mais

MATEMÁTICA - 3 o ANO MÓDULO 53 PIRÂMIDE

MATEMÁTICA - 3 o ANO MÓDULO 53 PIRÂMIDE MATEMÁTICA - 3 o ANO MÓDULO 53 PIRÂMIDE Como pode cair no enem (ENEM) Uma indústria fabrica brindes promocionais em forma de pirâmide. A pirâmide é obtida a partir de quatro cortes em um sólido

Leia mais

Roteiro de Recuperação Bimestral Matemática 7º ano

Roteiro de Recuperação Bimestral Matemática 7º ano Roteiro de Recuperação Bimestral Matemática 7º ano Nome: Nº - Série/Ano Data: / / Professor(a): Eloy/Marcello/Renan Os conteúdos essenciais do bimestre. Capítulo 1 Números inteiros Ideia de número positivo

Leia mais

Av. João Pessoa, 100 Magalhães Laguna / Santa Catarina CEP

Av. João Pessoa, 100 Magalhães Laguna / Santa Catarina CEP Disciplina: Matemática Curso: Ensino Médio Professor(a): Flávio Calônico Júnior Turma: 3ª Série E M E N T A II Trimestre 2013 Conteúdos Programáticos Data 21/maio 28/maio Conteúdo FUNÇÃO MODULAR Interpretação

Leia mais

POLÍGONOS Descrição Polígonos Polígonos Polígonos

POLÍGONOS Descrição Polígonos Polígonos Polígonos POLÍGONOS Descrição Polígonos é um conjunto de figuras planas, especificamente são regiões poligonais, às quais por simplificação da linguagem chamamos de polígonos, identificando cada figura pelo nome

Leia mais

Casa-Museu Abel Salazar. Serviços Educativos 2016

Casa-Museu Abel Salazar. Serviços Educativos 2016 Casa-Museu Abel Salazar Serviços Educativos 2016 O Programa Escola na Casa-Museu, inserido na programação de serviços educativos da Casa-Museu Abel Salazar, converge no sentido de promover maior interação

Leia mais

INVENTÁRIO DAS SÉRIES DOCUMENTAIS DA FBB DISPONÍVEIS PARA CONSULTA

INVENTÁRIO DAS SÉRIES DOCUMENTAIS DA FBB DISPONÍVEIS PARA CONSULTA INVENTÁRIO DAS SÉRIES DOCUMENTAIS DA FBB DISPONÍVEIS PARA CONSULTA SR: ACTAS DAS REUNIÕES DO PRÉMIO BISSAYA BARRETO DE MEDICINA SOCIAL 1986.12.12 1987.12.04 (liv.) CDB-F-7-1 SR: COPIADOR DE CORRESPONDÊNCIA

Leia mais

LEGI: O MUSEU INTERATIVO ITINERANTE DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DO LABORATÓRIO DE ENSINO DE GEOMETRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE

LEGI: O MUSEU INTERATIVO ITINERANTE DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DO LABORATÓRIO DE ENSINO DE GEOMETRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE LEGI: O MUSEU INTERATIVO ITINERANTE DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA DO LABORATÓRIO DE ENSINO DE GEOMETRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE Ana Maria M. R. Kaleff anakaleff@vm.uff.br Lhaylla S. Crissaff lhaylla@vm.uff.br

Leia mais

LINHA BRICK Pastilhas inox 3 x 3 cm montadas na forma de tijolos

LINHA BRICK Pastilhas inox 3 x 3 cm montadas na forma de tijolos LINHA BRICK Pastilhas inox 3 x 3 cm montadas na forma de tijolos O clássico álbum The Wall do Pink Floyd lançado em 1979 inspira a Linha Brick com as novíssimas pastilhas de inox 3 x 3 cm montadas na disposição

Leia mais

Exemplos de Brinquedos Criados/Adaptados

Exemplos de Brinquedos Criados/Adaptados Exemplos de Brinquedos Criados/Adaptados 22 Santa Marli Pires dos Santos Descrição 1. TORRE A torre consiste num conjunto de 20 caixas de papelão (com tamanhos diferentes, 1cm de diferença de uma para

Leia mais

Unidade 9 Geometria Espacial. Poliedros Volume de sólidos geométricos Princípio de Cavalieri

Unidade 9 Geometria Espacial. Poliedros Volume de sólidos geométricos Princípio de Cavalieri Unidade 9 Geometria Espacial Poliedros Volume de sólidos geométricos Princípio de Cavalieri Poliedros palavra poliedro tem sua origem no idioma grego (poly significa, muitos, e hedra, faces). Poliedro

Leia mais

A Exposição. Equipes, Elaboração, Etapas do Trabalho

A Exposição. Equipes, Elaboração, Etapas do Trabalho A Exposição Equipes, Elaboração, Etapas do Trabalho Quadro Geral da Disciplina Museológica 1 Museologia Geral Teoria museológica (fato museológico) História dos museus Administração museológica Curadoria

Leia mais

56 CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS - Vol. I

56 CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS - Vol. I Aula n ọ 14 01. (ENEM/1998) As bicicletas possuem uma corrente que liga uma coroa dentada dianteira, movimentada pelos pedais, a uma coroa localizada no eixo da roda traseira, como mostra a figura. O número

Leia mais

PROPOSTA DIDÁTICA. 3. Desenvolvimento da proposta didática (10 min) - Acomodação dos alunos, apresentação dos bolsistas e realização da chamada.

PROPOSTA DIDÁTICA. 3. Desenvolvimento da proposta didática (10 min) - Acomodação dos alunos, apresentação dos bolsistas e realização da chamada. PROPOSTA DIDÁTICA 1. Dados de Identificação 1.1 Nome do bolsista: André da Silva Alves 1.2 Série/Ano/Turma: 6º e 7º ano 1.3 Turno: manhã 1.4 Data: 10/07 Lauro Dornelles e 15/07 Oswaldo Aranha 1.5 Tempo

Leia mais

Estas caixas são interessantes, para aumenta-las, cada vez soma-se um número ímpar, em sequência: 1 1+3= = = =25

Estas caixas são interessantes, para aumenta-las, cada vez soma-se um número ímpar, em sequência: 1 1+3= = = =25 Pitágoras Bombons e tabuleiros. Pitágoras ficou muito conhecido pelo teorema que leva seu nome, talvez esse seja o teorema mais conhecido da matemática. O teorema de Pitágoras. De acordo com este teorema,

Leia mais

Bernardelli: vida e obra

Bernardelli: vida e obra Projeto Bernardelli Objetivos do projeto O objetivo do Projeto Bernardelli é apresentar o estudo realizado na obra de arte, em suporte de papel, "Retrato de uma jovem dama", de Henrique Bernardelli, e

Leia mais

COLÉGIO SHALOM 8 ANO Professora: Bethânia Rodrigues 65 Geometria. Aluno(a):. Nº.

COLÉGIO SHALOM 8 ANO Professora: Bethânia Rodrigues 65 Geometria. Aluno(a):. Nº. COLÉGIO SHALOM 8 ANO Professora: Bethânia Rodrigues 65 Geometria Aluno(a):. Nº. Trabalho De Recuperação final E a receita é uma só: fazer as pazes com você mesmo, diminuir a expectativa e entender que

Leia mais

A EVOLUÇÃO DAS ESTAMPAS

A EVOLUÇÃO DAS ESTAMPAS A EVOLUÇÃO DAS ESTAMPAS LISTRAS 3D, COLAGEM GEOMÉTRICA E PIXEL PLAY Como pensar nisso com os produtos Portobello: LISTRAS "3D" A forma clássica de desenhos e estampas com listras é atualizada com tratamentos

Leia mais

Ambientes externos. área externa. se transformam em áreas sociais

Ambientes externos. área externa. se transformam em áreas sociais área externa Fran Parente Projeto luxuoso do arquiteto Rogério Perez Ambientes externos Fran Parente se transformam em áreas sociais Dicas de especialistas ajudam a deixar lindos os jardins, varandas e

Leia mais

distingue nem caracteriza tipos de projeção axonométrica e cónica distingue, mas não caracteriza tipos de projeção axonométrica e cónica

distingue nem caracteriza tipos de projeção axonométrica e cónica distingue, mas não caracteriza tipos de projeção axonométrica e cónica PERFIL DE APRENDIZAGENS Educação Visual - 3º ciclo Departamento de Expressões Domínio: Técnica T9 Ano 2016/17 9ºANO Meta / Objetivo Nível Descritores Obs.: 1. Compreender diferentes tipos de projeção.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA CAMPUS ALEGRETE PIBID

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA CAMPUS ALEGRETE PIBID PROPOSTA DIDÁTICA 1. Dados de Identificação 1.1 Nome do bolsista: Silviana Izabel Freire Severo. 1.2 Público alvo: 8º e 9º ano 1.3 Duração: 2 horas 1.4 Conteúdos desenvolvidos: Conceitos de isometria,

Leia mais

Desde sempre, sempre desenhei

Desde sempre, sempre desenhei Desde sempre, sempre desenhei Edith Derdyk O desenho é a matriz e a força motriz de meu traçado: ir e vir com o grafite no espaço do papel está tão calcado em meu sistema neurológico que a própria ação

Leia mais

30º Festival de Arte Cidade de Porto Alegre

30º Festival de Arte Cidade de Porto Alegre 30º Festival de Arte Cidade de Porto Alegre trinta anos compartilhando experiências 18 a 22 de julho de 2016 abertura: 18 de julho, 19h O Atelier Livre, através do Festival de Arte Cidade de Porto Alegre

Leia mais

XVIII CONCURSO DE ARTES PLÁSTICAS e de FOTOGRAFIA CAP 2016

XVIII CONCURSO DE ARTES PLÁSTICAS e de FOTOGRAFIA CAP 2016 XVIII CONCURSO DE ARTES PLÁSTICAS e de FOTOGRAFIA CAP 2016 REGULAMENTO 1. PARTICIPANTES Associados do CAP maiores de 12 anos 2. S Pintura Figurativa Pintura Abstrata Pintura Acadêmica Escultura Aquarela

Leia mais

Exposição M. C. Escher Arte e Matemática

Exposição M. C. Escher Arte e Matemática RELATÓRIO DE ACTIVIDADE Exposição M. C. Escher Arte e Matemática Serpentes, xilogravura, 1969 Confrontando os enigmas que nos rodeiam e considerando e analisando as observações que fazia, terminei nos

Leia mais

Domínio: Geometria. CONSELHO de DOCENTES 1.º Ciclo Página 1

Domínio: Geometria. CONSELHO de DOCENTES 1.º Ciclo Página 1 Domínio: Geometria Subdomínio/Conteúdos Localização e orientação no espaço - Ângulo formado por duas direções; vértice de um ângulo; - Ângulos com a mesma amplitude; - A meia volta e o quarto de volta

Leia mais

Ótimo site com diversos exemplos de telescópios de reflexão: br/refletores.html. Professor: Emerson Luis

Ótimo site com diversos exemplos de telescópios de reflexão:  br/refletores.html. Professor: Emerson Luis Ótimo site com diversos exemplos de telescópios de reflexão: http://www.telescopiosastronomicos.com. br/refletores.html Espelhos esféricos Calota Plano de corte 1) Espelho Côncavo C Superfície Refletora

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA SERRA DOS ÓRGÃOS CURSO DE MATEMÁTICA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DA SERRA DOS ÓRGÃOS CURSO DE MATEMÁTICA 1 CENTRO UNIVERSITÁRIO DA SERRA DOS ÓRGÃOS CURSO DE MATEMÁTICA CONSTRUÇÃO DE GRÁFICOS DE FUNÇÕES REAIS DE VARIÁVEIS REAIS A PARTIR DE TRANSFORMAÇÕES ISOMÉTRICAS 1 TRANSFORMAÇÕES GEOMÉTRICAS ISOMÉTRICAS

Leia mais

ESCOLA MAGNUS DOMINI

ESCOLA MAGNUS DOMINI ESCOLA MAGNUS DOMINI ARTES NATURAIS: REVELANDO AS FORMAS GEOMÉTRICAS Isabelle Raíssa Cividini Costa João Martins Barboza Neto Kauã Bussolin Lorena Hoyos Fernandes Pereira MARINGÁ 2016 1. INTRODUÇÃO A natureza

Leia mais

MONTAGEM DE EXPOSIÇÃO: DA CURADORIA À EXPOGRAFIA. Renato Baldin

MONTAGEM DE EXPOSIÇÃO: DA CURADORIA À EXPOGRAFIA. Renato Baldin MONTAGEM DE EXPOSIÇÃO: DA CURADORIA À EXPOGRAFIA Renato Baldin O ESPAÇO Continente 1. Conceituação O Espaço Que espaço é esse? De qual espaço estamos falando? Breve história dos museus... A partir de sua

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BLUMENAU FUNDAÇÃO CULTURAL DE BLUMENAU

PREFEITURA MUNICIPAL DE BLUMENAU FUNDAÇÃO CULTURAL DE BLUMENAU EDITAL Nº 005/2010 - EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS MAB PERÍODO 2011. PREFEITURA MUNICIPAL DE BLUMENAU, ATRAVÉS DA FUNDAÇÃO CULTURAL DE BLUMENAU DECLARA: ABERTO EDITAL DO MUSEU DE ARTE DE BLUMENAU - MAB - EXPOSIÇÕES

Leia mais

(Na foto, Francisco aos oito meses)

(Na foto, Francisco aos oito meses) História de Vida de Francisco José de Souza Sperb A história de vida de Francisco José de Souza Sperb é contada com a colaboração e interesse de sua irmã Valquíria Maria de Souza Sperb. Neste relato foram

Leia mais

DETALHAMENTO DE MATERIAIS PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DA CENTRAL DE ATENDIMENTO AO ALUNO UNINCOR UNIVERSIDADE VALE DO RIO VERDE TRES CORAÇÕES / MG

DETALHAMENTO DE MATERIAIS PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DA CENTRAL DE ATENDIMENTO AO ALUNO UNINCOR UNIVERSIDADE VALE DO RIO VERDE TRES CORAÇÕES / MG DETALHAMENTO DE MATERIAIS PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DA CENTRAL DE ATENDIMENTO AO ALUNO UNINCOR UNIVERSIDADE VALE DO RIO VERDE TRES CORAÇÕES / MG Angélica Ferreira Silva Barbosa Arquitetura e Urbanismo OBJETIVO

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO VISUAL - 9.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO VISUAL - 9.º ANO DE EDUCAÇÃO VISUAL - 9.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO O aluno è capaz de: identificar a evolução histórica dos elementos de construção e representação da perspetiva; distinguir e caracterizar

Leia mais

Alfredo Volpi. Volpi morreu em 1988, em São Paulo.

Alfredo Volpi. Volpi morreu em 1988, em São Paulo. 1 nasceu em Lucca, Itália, em 1896. Chegou ao Brasil com pouco mais de um ano, fixando-se em São Paulo. Aos 15 anos começou a trabalhar como pintor/decorador de paredes e aos 18 pintou seu primeiro quadro:

Leia mais

SOMOS ESPECIALIZADOS EM COMUNICAÇÃO VISUAL

SOMOS ESPECIALIZADOS EM COMUNICAÇÃO VISUAL SOMOS ESPECIALIZADOS EM COMUNICAÇÃO VISUAL Somos especalizados em comunicação visual, sinalização, decoração e adesivagens A R2 COMUNICAÇÃO VISUAL É uma empresa que atua no mercado da indústria gráfica.

Leia mais

PAVIMENTAÇÕES DO PLANO POR POLÍGONOS REGULARES E VISUALIZAÇÃO EM CALEIDOSCÓPIOS

PAVIMENTAÇÕES DO PLANO POR POLÍGONOS REGULARES E VISUALIZAÇÃO EM CALEIDOSCÓPIOS PAVIMENTAÇÕES DO PLANO POR POLÍGONOS REGULARES E VISUALIZAÇÃO EM CALEIDOSCÓPIOS Marli Regina dos Santos Universidade Federal de Viçosa marliregs@hotmail.com Claudemir Murari Universidade Estadual Paulista

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação 03 de História A. 10º Ano Turma C Professor: Renato Albuquerque. 8.junho.

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação 03 de História A. 10º Ano Turma C Professor: Renato Albuquerque. 8.junho. ESCOLA SECUNDÁRIA DE CASQUILHOS - BARREIRO Ficha de avaliação 03 de História A 10º Ano Turma C Professor: Renato Albuquerque Duração da ficha: 15 minutos. Tolerância: 5 minutos 3 páginas 8.junho.2012 NOME:

Leia mais

espaço arte tranquilidade

espaço arte tranquilidade espaço arte tranquilidade 07 MAR 03 MAI curadoria de maria do mar fazenda INSTRUCTIONS de no Espaço Arte Tranquilidade Instructions é o título da próxima exposição do Espaço Arte Tranquili dade, que apresenta

Leia mais

INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO EM ARTE ACERVO E DOCUMENTAÇÃO DE ARTE EM SÃO PAULO MASP BIBLIOTECA E CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO IVANI DI GRAZIA COSTA

INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO EM ARTE ACERVO E DOCUMENTAÇÃO DE ARTE EM SÃO PAULO MASP BIBLIOTECA E CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO IVANI DI GRAZIA COSTA INFORMAÇÃO E DOCUMENTAÇÃO EM ARTE ACERVO E DOCUMENTAÇÃO DE ARTE EM SÃO PAULO MASP BIBLIOTECA E CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO IVANI DI GRAZIA COSTA Biblioteca e Centro de Documentação do MASP A Biblioteca e Centro

Leia mais

Luis Carlos Zabel Curso de Iluminação - Mod. Verde Programa Kairos - Processo De Criação SP Escola de Teatro Orientação Grissel Piguillem

Luis Carlos Zabel Curso de Iluminação - Mod. Verde Programa Kairos - Processo De Criação SP Escola de Teatro Orientação Grissel Piguillem Luis Carlos Zabel Curso de Iluminação - Mod. Verde Programa Kairos - Processo De Criação SP Escola de Teatro Orientação Grissel Piguillem O FANTASMA DA NATUREZA MORTA O FANTASMA DA NATUREZA MORTA. 2 cria

Leia mais

MATEMÁTICA - 3 o ANO MÓDULO 39 POLÍGONOS

MATEMÁTICA - 3 o ANO MÓDULO 39 POLÍGONOS MATEMÁTICA - 3 o ANO MÓDULO 39 POLÍGONOS P O Ponto P A B A e B são distintos A B A e B são coincidentes r A reta r A t reta t = AB B P s r r s A B B α A B α C A B α C A O α B B A C D B A C D α α = β β

Leia mais

A fotografia como processo [Alterações no olhar] Curso de Comunicação Social 3º período Fotografia

A fotografia como processo [Alterações no olhar] Curso de Comunicação Social 3º período Fotografia A fotografia como processo [Alterações no olhar] Curso de Comunicação Social 3º período Fotografia Félix Nadar (1865) Retrato de Charles Baudelaire Professor Jorge Felz - 2007 2 A fotografia nasceu de

Leia mais

INTRODUÇÃO A COMPUTAÇÃO GRÁFICA 3D PROF. ROBERTO BISPO

INTRODUÇÃO A COMPUTAÇÃO GRÁFICA 3D PROF. ROBERTO BISPO INTRODUÇÃO A COMPUTAÇÃO GRÁFICA 3D PROF. ROBERTO BISPO ARTE NA PRÉ HISTÓRIA PALEOLÍTICO X NEOLÍTICO A arte desenvolvida no paleolítico e no neolítico utilizou-se de técnicas que só foram utilizadas milhares

Leia mais

Oferenda Musical de Bach. Série Matemática na Escola

Oferenda Musical de Bach. Série Matemática na Escola Oferenda Musical de Bach Série Matemática na Escola Objetivos 1. Apresentar isometrias no plano por meio de uma música chamada Oferenda Musical de Bach; 2. Discutir isometria na música, isometria nas artes,

Leia mais

Escola Secundária com 3.º CEB Poeta Al Berto Código Sines Ano letivo: 2016/2017 Planificação Anual

Escola Secundária com 3.º CEB Poeta Al Berto Código Sines Ano letivo: 2016/2017 Planificação Anual Departamento/Grupo disciplinar: 600 Artes Visuais Disciplina: Educação Visual Docentes: Vera Gonçalves e Maria Neves Não existe manual adotado Ano: 7.º.º Período 2.º Período 3.º Período 26 26 4 Apresentação/Avaliação

Leia mais

Um ideal pode ser planetário ou pessoal...mostre-nos como é o seu, participando da 20ª edição do Projeto Miniarte.

Um ideal pode ser planetário ou pessoal...mostre-nos como é o seu, participando da 20ª edição do Projeto Miniarte. 1 Um ideal pode ser planetário ou pessoal...mostre-nos como é o seu, participando da 20ª edição do Projeto Miniarte. ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA CAMPUS ALEGRETE RELATÓRIO DE ATIVIDADES

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA CAMPUS ALEGRETE RELATÓRIO DE ATIVIDADES NOME DO BOLSISTA: JÉSSICA MARILDA GOMES MENDES 1)RELATÓRIO REFERENTE AO MÊS DE: Setembro de 2016 2)ATIVIDADES INDIVIDUAIS E ESTUDOS REALIZADOS - Correção e elaboração das oficinas a serem aplicadas na

Leia mais

LITOGRAFÍA SOBRE CHAPA DE ALÚMINIO

LITOGRAFÍA SOBRE CHAPA DE ALÚMINIO LITOGRAFÍA SOBRE CHAPA DE ALÚMINIO Esta técnica de gravura envolve a criação de marcas (ou desenhos) sobre uma matriz (pedra, madeira com emulsão de caseína, chapa de aluminio, poliéster...) com um lápis

Leia mais