MENSAGEM DA DIRETORIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MENSAGEM DA DIRETORIA"

Transcrição

1 MENSAGEM DA DIRETORIA O AREIÃO VITÓRIA está buscando a melhoria contínua da qualidade de seus serviços prestados. Vocês encontrarão neste manual, orientações sobre normas e regras relacionadas à segurança, saúde, meio ambiente e qualidade nas nossas atividades de transportes que devem ser seguidas corretamente. Direitos e deveres, responsabilidades são tratadas neste manual. Esperamos o empenho e participação de todos os colaboradores não só no cumprimento deste manual, mas também com a sugestão de melhorias da qualidade de nossas atividades. Virgínia Reis Diretora Geral 1

2 SUMÁRIO Mensagem da diretoria... 1 EMPRESA... 5 MISSÃO... 5 VISÃO... 5 VALORES... 5 OBJETIVO... 6 RESPONSABILIDADE... 6 POLÍTICA DISCIPLINAR... 7 NORMAS GERAIS... 8 DOCUMENTAÇÃO DO COLABORADOR... 8 CRACHÁS... 8 PAGAMENTO... 8 VALE... 8 CRÉDITO A SALÁRIO... 9 VALE TRANSPORTE... 9 VALE REFEIÇÃO... 9 HORÁRIOS... 9 APRESENTAÇÃO PESSOAL POSTURA DE TRABALHO LOCAL DE TRABALHO EPI CRONOTACÓGRAFO DADOS MÍNIMOS EXIGIDOS NO DISCO DIAGRAMA UNIFORME CELULAR AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO CLASSFICAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO DOS PRODUTOS

3 Areias Britas ARGILA EXPANDIDA PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS VERIFICAÇÕES DIÁRIAS ROTNA PRÉ VERIFICAÇÃO DE TODOS OS DOCUMENTOS DE PORTE OBRIGATÓRIO ROTINA PÓS NORMAS DE TRABALHO INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA RELATÓRIO DE OBSERVAÇÕES MECÂNICAS SOLICITAÇÃO DE REEMBOLSO DE DESPESA COM O CAMINHÃO HORARIO DE CIRCULAÇÃO e RODÍZIO LEI DA BALANÇA TABELA SIMPLIFICADA DE PESOS E EIXOS PROCEDIMENTO DE TRABALHO CARREGAMENTO NO PÁTIO CARREGAMENTO NA PEDREIRA ENTREGA COMO MEDIR UM CAMINHÃO COMO PREENCHER O PROTOCOLO DE ENTREGA DECLARAÇÃO ANEXO I DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ADMISSÃO ANEXO II FiCHA DE ENTREGA DOS EPI S TERMO DE RESPONSABILIDADE PELA GUARDA E USO DE EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - E.P.I ANEXO III TERMO DE RESPONSABILIDADE DE UNIFORME ANEXO IV TERMO DE RESPONSABILIDADE DE celular ANEXO V RELATÓRIO DE MANUTENÇÃO ANEXO VI MAPA- ZMRC

4 4

5 EMPRESA MISSÃO Nossa missão é transportar e fornecer areias e britas com agilidade, rapidez, integridade, comprometimento e ética profissional, agregando o meio ambiente como nosso aliado. VISÃO Ser o melhor - com o objetivo de também ser o maior- distribuidor de areias e britas através do aprimoramento constante da equipe e dos processos logísticos. VALORES Ética Transparência Valorização das pessoas Senso de urgência Trabalho em equipe Comprometimento Simplicidade Empreendedorismo Segurança 5

6 OBJETIVO Orientar os motoristas sobre seus deveres e instruir como proceder nas mais diversas situações diárias, visando a sua segurança, do equipamento e a proteção do meio ambiente. RESPONSABILIDADE É de responsabilidade de todos os colaboradores conhecerem e aplicarem as instruções contidas neste manual. O NÃO cumprimento ensejará em advertência ou penalidades, sendo as reincidências consideradas faltas graves, motivando a sua demissão. Obs.: Em caso de dúvida, deverão procurar a Administração da Empresa para que sejam prestados os esclarecimentos necessários. 6

7 POLÍTICA DISCIPLINAR As condutas descritas a seguir são consideradas atos de indisciplina: Falta sem justificativa; Ato de insubordinação, não cumprir a programação; Embriaguez em serviço; Fumar durante o exercício de suas atividades ou em locais proibidos; Furto ou apropriação indevida; Agressão física ou moral; Abandono de emprego; Excesso de velocidade em local inadequado; Infração de trânsito; Dirigir de forma negligente; Adulterar o conjunto de discos tacógrafo; Falta de cuidados com o veículo; Não portar os documentos obrigatórios; Levar o veículo para residência; Dar caronas; Desvio de rotas; Não utilização de uniformes e EPI completos. Portar arma e/ou drogas ilícitas Quando comprovado o ato indisciplinar o funcionário estará sujeito as seguintes penalidades: Advertência verbal; Advertência por escrito; Suspensão do trabalho com desconto em folha de pagamento; Dispensa por justa causa. 7

8 NORMAS GERAIS DOCUMENTAÇÃO DO COLABORADOR É de suma importância a entrega completa de todas as documentações que envolvem cada processo onde necessite auxílio da EMPRESA (Exemplo: alteração de endereço, casamento, filhos, etc) isso garante o correto pagamento de seus benefícios. Nestes casos também estão inclusos os documentos necessários para admissão, que seguem no Anexo I. CRACHÁS O Crachá identifica o funcionário na Empresa. Seu uso é obrigatório durante sua permanência no posto de serviço. Em caso de perda ou roubo deve ser providenciado Boletim de Ocorrência e encaminhado à Administração da Empresa para confecção de outro novo. Em caso de perda, serão debitadas do colaborador as despesas para emissão de um novo crachá, conforme estipulado no contrato de trabalho. PAGAMENTO De acordo com a Lei, CLT art º, o pagamento deverá ser efetuado até o 5º dia útil do mês seguinte ao trabalho. Entretanto a fim de incentivar nossos colaboradores, a empresa PODERÁ, antecipar a data do pagamento. VALE O Vale é constituído por 40% do piso salarial,poderá ser depositado até o dia 20º do mês. 8

9 CRÉDITO A SALÁRIO Todo pagamento é realizado através de crédito em conta salário. A conta salário é de uso exclusivo para saque de seu pagamento, e a abertura da conta é feita por encaminhamento da EMPRESA à agência que se mantém relacionamento. No ato da abertura da conta você poderá vincular outra conta já existente, sem custo, para recebimento de seu salário. Informe-se no Banco. VALE TRANSPORTE O Colaborador que optar em ter o benefício de vale transporte contribuirá com 6% sobre o piso salarial de sua categoria e o complemento é pago pela EMPRESA. VALE REFEIÇÃO O Vale Refeição deverá ser pago de acordo com o instituído pela categoria, e somente deverá ser pago nos períodos de jornada completa. HORÁRIOS O horário padrão de entrada de segunda à quinta é das 06h00min às 16h00min horas, sexta das 06h00min às 15h00min horas. Aos sábados é obrigatória a presença mediante convocação. Caso exista alguma modificação por conta de ajustes na logística será comunicado verbalmente. O ponto deverá ser marcado a partir do começo das atividades efetivamente; isto sugere que deverá ser marcado após o café. É aconselhável que os tickets emitidos sejam guardados pelos funcionários de modo que se ocorrer alguma incoerência poderá ser usada como justificativa. A pontualidade do funcionário é um dos valores verificados para bonificação. 9

10 SAÍDA O horário de saída oscila de acordo com a logística diária. É aconselhável, do mesmo modo que os tickets emitidos sejam guardados para que, se alguma incoerência ocorrer, poderá ser usado como justificativa. Fica claro que o horário de ponto de saída deverá ser marcado após abastecimento e carregamento do caminhão, para o dia seguinte,ou até o termino das operações com o caminhão. Motoristas que estiverem no pátio após estas tarefas e não marcarem o ponto de saída estarão sujeitos a advertências e penalidades. APRESENTAÇÃO PESSOAL Manter o uniforme sempre limpo, conservado e bem passado; Manter o cabelo arrumado e cortado; Apresentar-se diariamente com barba feita (Bigodes e cavanhaques devem sempre estar bem aparados); Cortar unhas e manter as mãos limpas POSTURA DE TRABALHO Tão importante quanto o asseio é nossa postura pessoal e profissional. Tenha sempre ações condizentes com o exigido do local que se encontra. Sigilo, discrição e ética são itens primordiais em qualquer situação, sendo assim, não poderiam faltar no desempenho de nossas atividades. LOCAL DE TRABALHO O ambiente de trabalho reflete quem somos. Mantenha o local limpo e em ordem, sempre executando as rotinas de serviço com o máximo de comprometimento. UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI S) Os EPI S deverão ser utilizados durante o período de trabalho. É obrigatório o uso de EPI S, conforme Anexo II. 10

11 TACÓGRAFO O Tacógrafo é obrigatório, de acordo com o artigo 105 do CTB e as Resoluções 14/98 e 87/99 do CONTRAN, para os veículos elencados a seguir: Transporte de escolares Caminhões fabricados a partir de 1 de janeiro de 1991 e com PBT superior a 4536 kg Caminhões, fabricados antes de 1 de janeiro de 1991, com CMT acima de 19 toneladas Transporte de passageiros com mais de 10 lugares licenciados na categoria aluguel Transporte de produtos perigosos 11

12 Os veículos que não se encaixem nas características citadas acima estão dispensados do uso do Tacógrafo. O disco diagrama padrão da frota é semanal, portanto deve ser trocado semanalmente, toda segunda feira vigente. O Tacógrafo semanal difere do diário em alguns aspectos, entretanto sua colocação também é simples, conforme aponta os passos abaixo: 1. Aperte o botão do lado esquerdo, segure até a gaveta abrir 2. Preencher o disco corretamente, Nome, Data, km e Placa 3. Coloque o disco, utilizando a guia para acertar o horário, de forma que fique sob a faca de corte. Observe que a furação do disco semanal é redonda 4. Trave novamente o pino central, girando no sentido horário A correção do horário pode ser realizada com auxilio de uma botão existente na lateral do equipamento. Importante que o disco esteja consoante com o horário apontado pelo Tacógrafo. Outro ponto, comumente colocado de forma errada por muitos motoristas, se refere à colocação do disco sob a faca de corte, de forma que fique justo ao equipamento. DADOS MÍNIMOS EXIGIDOS NO DISCO DIAGRAMA Segundo a Resolução 92/99 do CONTRAN, os dados mínimos exigidos no disco diagrama para efeito de fiscalização de trânsito são o nome do condutor, placa do veículo e a data da colocação do disco. Se o veículo percorrer um trajeto extenso em que seja necessário mais de um motorista, o disco deverá conter o nome de todos os motoristas que percorrerão o trajeto. O condutor é obrigado a apresentar o disco diagrama ao agente fiscalizador, o qual deverá após vistoriar o equipamento, assinar no verso do disco, apontando a data da vistoria e seu respectivo registro. Em casos 12

13 de sinistros envolvendo vítimas, o perito policial poderá recolher os discos diagramas para análise e elucidação de fatos relacionados ao acidente. A Resolução 92/99 do CONTRAN ainda determina a obrigatoriedade do porte de um disco diagrama reserva, independente do utilizado no veículo. Além disso, o Tacógrafo deverá estar lacrado, livre de qualquer suspeita de adulteração. O certificado emitido pelo INMENTRO com data da validade da vistoria do cronotacógrafo deverá estar junto com o documento do caminhão. UNIFORME É obrigatório o uso do uniforme. O uniforme deverá ser utilizado de forma regular de modo que deverá estar sempre limpo e apresentável. È proibido utilizá-lo para fins extras profissionais, conforme Anexo III. O prazo mínimo para troca de uniformes é 6 meses, sem custo algum para o colaborador, antes do mesmo o custo será cobrado. CELULAR O aparelho, bem como, o chip do celular, são de propriedade da EMPRESA, e estão condicionados aos termos de uso conforme Anexo IV. AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO O motorista será avaliado mensalmente pela sua postura, conduta de trabalho, rendimento e profissionalismo. Critérios estes que estão relacionados a possíveis bonificações mensais. 13

14 CLASSFICAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO DOS PRODUTOS AREIAS Fina Utilizada para acabamento, normalmente para reboco. Média Utilizada em praticamente todas as fases da obra. Grossa Utilizada para concreto, chapisco e contrapiso BRITAS Tipo 1 Utilizada para concreto, pavimentação, cobertura de terrenos. Tipo 2 Utilizada para concreto, pavimentação, cobertura de terrenos Tipo 3 Utilizada para terrenos irregulares e pavimentação. Tipo 4 Utilizado para pavimentação é a maior pedra Rachão Gabião Utilizados para muros, drenos, contenção de barrancos e encostas. Rachão Utilizado para drenagens de grande porte, pavimentação 14

15 Pedrisco limpo Utilizado grout, assentamento de bloquetes e intertravados. Pedrisco misto Utilizado na fabricação de blocos de concreto Pó de pedra Utilizado para concreto, massa e assentamento. Bica corrida Utilizada como base na pavimentação de ruas e pistas, e na melhoria de acesso à obra, é composta da mistura pó de pedra, brita 2 e brita 3. Brita Graduada Simples Utilizada para pavimentação, composta de pó de pedra, brita 1 e brita 2. Seixo Rolado pode ser utilizado sob o contrapiso, devendo ser bem apiloada e livre de sujeiras. ARGILA EXPANDIDA É um agregado leve que se apresenta em forma de bolinhas de cerâmica leves e arredondadas, com uma estrutura interna formada por uma espuma cerâmica com micrósporos e com uma casca rígida e resistente. Suas principais características são: Leveza, resistência, inércia química, estabilidade dimensional, incombustibilidade, além de isolante térmico e acústico. 15

16 PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS VERIFICAÇÕES DIÁRIAS Diariamente, verificar possíveis irregularidades no veiculo, como: lanternas dianteira e traseira, alarme de ré, luz de freio, farol alto e baixo, pneus furados ou em mal estado de conservação, vazamentos, mola quebrada, sinalização suja ou em mal estado. É obrigatório a verificação da calibragem dos pneus, disco do tacógrafo, ar, óleo e água. Caso haja alguma irregularidade urgente, comunicar imediatamente o Setor de Manutenções para que sejam solucionados os problemas constatados, deverá ser utilizado o formulário do (anexo V), e preenchido conforme indicado. 16

17 ROTINA PRÉ Verificar manutenções obrigatórias: Ar / Óleo/ Água/Calibragem As segundas-feiras trocar disco do tacógrafo. Solicitar a programação Ler a programação e verificar anexos na pasta Esclarecer dúvidas, verificar endereço das entregas. VERIFICAÇÃO DE TODOS OS DOCUMENTOS DE PORTE OBRIGATÓRIO É obrigatório, para que o motorista desenvolva suas atividades, estar de porte dos seguintes documentos: CNH Carteira Nacional de Habilitação; RG Carteira de Identidade. O CRLV Certificado Registro Licenciamento do Veículo, deve estar dentro do porta luvas. Certificado do INMETRO cronotacógrafo. 17

18 ROTINA PÓS Verificar manutenções preventivas Abastecer Carregar Estacionar Verificar se os protocolos/canhotos estão anexos as notas de carregamento e se estão preenchidos corretamente. 18

19 NORMAS DE TRABALHO O motorista é responsável pela guarda e manutenção desse manual. É proibido o deslocamento de veículos fora das rotas de serviço, salvo com expressa autorização da administração. É proibido a pernoite de veículos, de propriedade da empresa, nas residências dos motoristas, exceto com autorização da Administração. É dever do motorista respeitar as leis de transito (CBT Código Brasileiro de Trânsito). Respeitar os limites de velocidade, conforme as leis de Trânsito e placas indicativas, e as específicas deste manual. É terminantemente PROIBIDO ingerir bebidas alcoólicas. É proibido transportar pessoas que não sejam funcionário da empresa, salvo com expressa autorizaão da administração É proibido transportar pessoas em veículos que não possuam compartimento adequado para este fim. Serão de responsabilidade do motorista as multas oriundas de infrações de trânsito, ocasionados pelo mesmo. INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA É obrigatório a utilização de cinto de segurança pelo motorista e outros colaboradores existentes no veículo. É proibido ao motorista e outro o repouso embaixo do veículo. Informar a empresa imediatamente, qualquer defeito que possam ou venham a ocorrer com o veículo, bem como aspectos visuais. Qualquer abalroamento por mínimo que seja,motorista não pode tom ar decisões sem autorização da empresa, que deve ser informada imediatamente. Não remover a tampa do radiador quando a temperatura do motor estiver alta, pois o vapor ao se expandir, poderá causar queimaduras. Em caso de acidentes ou defeito mecânico ou elétrico, deve sinalizar imediatamente a área, usando o triângulo de segurança, pisca alerta do veículo, galhos de árvore, etc... para evitar acidentes Não dirigir outro veículo que não esteja sob sua responsabilidade 19

20 Não entregar outro veículo ou outros equipamentos que esteja sob sua responsabilidade à outra pessoa, sem autorização da direção da empresa. Comunique as condições inseguras e defeitos do veículo à empresa, preenchendo sempre o relatório de manutenção. (anexo V) Todos os acidentes de trabalho de qualquer espécie e natureza (com afastamento, de trajeto, com danos materiais, etc.) devem ser comunicados à empresa, para que sejam tomadas as providências cabíveis e necessárias. Obedecer a todas as placas e avisos de segurança Informar ao encarregado, qualquer conduta imprópria de qualquer funcionário, durante os trajetos Somente execute as tarefas que você tem conhecimento e treinamento para realizá-las Procure ajuda para realizar as tarefas que você não pode executar sozinho Verifique diariamente as condições das ferramentas, dos equipamentos de seu veículo antes de começar a trabalhar. Caso haja alguma irregularidade que possa causar acidentes, o motorista deverá comunicar o seu superior e preencher o relatório de manutenção. Durante o trajeto de casa para o trabalho e do trabalho para casa observe sempre as regras de trânsito, seja qual for o seu meio de transporte. RELATÓRIO DE OBSERVAÇÕES MECÂNICAS É responsabilidade do motorista comunicar qualquer anormalidade com o veículo, devendo preencher o relatório com as observações mecânicas, conforme modelo, para o Setor de Manutenções tomar as providências devidas e retornar a sua regularização. SOLICITAÇÃO DE REEMBOLSO DE DESPESA COM O CAMINHÃO A solicitação de reembolso somente será válida caso esteja vinculada aos seguintes serviços: 20

21 Borracharia (previamente autorizada pela Administração da Empresa) Serviços autorizados pelo Setor de Manutenção Para que o reembolso ocorra, o template de solicitação deverá estar preenchido com a justificativa do serviço, juntamente com a nota fiscal que compete o serviço. HORARIO DE CIRCULAÇÃO E RODÍZIO O Horário de circulação estipulado para circulação na Marginal Pinheiros é até as 16:00h, e na Marginal Tietê é até as 17:00h com extensão de 1:00 hora, ficando ciente o motorista que multas após este período são de inteira responsabilidade do mesmo. Quando for se utilizar do desvio por Mairiporã atentar-se a legislação local: Nas ruas centrais de Mairiporã - avenidas Leonor de Oliveira e Tabelião Passarella, ruas Ipiranga, XV de Novembro, Coronel Fagundes e alameda Tibiriçá: Veículos com placas de FINAL PAR (0, 2, 4, 6, 8) estão proibidos de trafegar NOS DIAS PARES. Veículos com placas de FINAL ÍMPAR (1, 3, 5, 7, 9) estão proibidos de trafegar NOS DIAS ÍMPARES. O rodízio se aplica diariamente, das 7h às 11h e das 16h às 20h, exceto feriados. É proibida a circulação nas Vias Estruturais Restritas que seguem em azul claro de acordo com o Anexo VI no período diurno. O horário de rodízio de placa em São Paulo das 10h00min as 17h00min deve ser respeitado. 21

22 LEI DA BALANÇA Resolução 258 Contran Art.3o. Nenhum veículo ou combinação de veículos poderá transitar com peso bruto total (PBT) ou com peso bruto total combinado (PBTC) com peso por eixo, superior ao fixado pelo fabricante, nem ultrapassar a capacidade máxima de tração (CMT) da unidade tratora. Art. 4º. A fiscalização de peso dos veículos deve ser feita por equipamento de pesagem (balança rodoviária) ou, na impossibilidade, pela verificação de documento fiscal. Art. 5o. Na fiscalização de peso dos veículos por balança rodoviária será admitida à tolerância máxima de 5% (cinco por cento) sobre os limites de pesos regulamentares, para suprir a incerteza de medição do equipamento, conforme legislação metrológica. Parágrafo único. No carregamento dos veículos, a tolerância máxima prevista neste artigo não deve ser incorporada aos limites de peso previstos em regulamentação fixada pelo CONTRAN. TABELA SIMPLIFICADA DE PESO X EIXOS 22

23 Quando o veículo for parado por conta de excesso de carga e de acordo com a programação estipulada a carga estiver fora do conforme a multa será de responsabilidade do condutor uma vez que a programação não foi respeitada. PROCEDIMENTO DE TRABALHO CARREGAMENTO NO PÁTIO 1. Encostar o caminhão próximo ao material que deverá ser carregado. 2. Informar ao maquinista o material, a quantidade, tipo de carga, e o local de entrega. 3. Assinar o vale de carregamento, e pegar a 1ª via. 4. Arrumar a carga e lonar, limpando os para-lamas, para-choques e laterais do caminhão. CARREGAMENTO NA PEDREIRA 1. Identificar-se na portaria e/ou expedição o material que será carregado. 2. Pesar na balança o caminhão vazio ( uma vez ao mês). 23

24 3. Encostar o caminhão próximo ao material que deverá ser carregado. 4. Informar ao maquinista o material, a quantidade, tipo de carga. 5. Pesar o caminhão novamente carregado. 6. Colocar a lona na carga, atentando para não cair nenhuma brita durante o transporte. 7. Remover as britas excedentes que caíram fora da carga, nas laterais do caminhão ( para-lamas e para-choques). 8. Assinar o canhoto e pegar a nota fiscal. ENTREGA 1. Apresentação e identificação na portaria da obra. 2. Pergunta ao almoxarife ou apontador o local de descarga do material. 3. Verificar se o local indicado para descarregar o material é adequado e não oferece risco. 4. Aferir a metragem do caminhão e material juntamente com o almoxarife, acompanhando as medidas na trena e as anotações realizadas no canhoto. 5. Verificar se a quantidade carregada esta batendo com o aferido. 6. Fazer o protocolo de entrega e coletar a assinatura do almoxarife. 7. Descarregar material. COMO MEDIR UM CAMINHÃO Carga Reta - para verificar o volume de uma carga de caminhão no formato reta ou no chapéu, devemos seguir os seguintes passos: 1. Medir as alturas(h) nos seguintes 24

25 pontos: Altura 1 Altura 2 Altura 3 Altura 4 Altura 5 Altura 6 Altura 7 Altura 8 Altura 9 Imagem do caminhão / carga visto de cima 2. Realizar a média das nove alturas do seguinte modo: MÉDIA DAS ALTURAS = H1 + H2 + H3 H4 + H5 + H6 + H7 + H8 + H9/9 25

26 3. Medir a largura e comprimento da caçamba internamente. 4. Multiplicar a medida do comprimento da largura e das alturas: Comprimento X Largura X Média das Alturas = VOLUME m³ Carga Cupim - Para verificar o volume de uma carga de caminhão no formato de cupim, devemos seguir os seguintes passos: 1. Verificar a média das alturas(h): Medir as alturas nos seguintes pontos: Altura 1 Altura mais alta da carga, central. Altura 2 Extremidade frontal da carga 15 cm da borda do caminhão 26

27 Altura 3 Extremidade frontal da carga 15 cm da borda do caminhão Altura 4 Extremidade traseira da carga a 15 cm da borda do caminhão Altura 5 Extremidade traseira da carga a 15 cm da borda do caminhão 2. Realizar a média das 5 alturas do seguinte modo: MÉDIA DAS ALTURAS = H1 + H2 + H3 H4 + H5 /5 3. Medir a largura e comprimento da caçamba internamente. 4. Multiplicar a medida do comprimento da largura e das alturas: Comprimento X Largura X Média das Alturas = VOLUME m³ 27

28 28

29 29

30 ANEXO II FICHA DE ENTREGA DOS EPI S TERMO DE RESPONSABILIDADE PELA GUARDA E USO DE EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - E.P.I. Nome: Cargo: Motorista de Caminhão Recebi da empresa Areião Vitória Ltda., a título de empréstimo, para meu uso exclusivo e obrigatório nas dependências da empresa, conforme determinado na NR- 6 da Portaria 3.214/78, os seguintes equipamentos: Botas Luvas Óculos de Segurança Capacete Capa de Chuva Uniforme Máscara Protetor Auricular Protetor Solar Comprometendo-me a mantê-los em perfeito estado de conservação, ficando ciente de que: 1- Recebi treinamento quanto à necessidade na utilização dos referidos EPI s, a maneira correta de usá-los, guardá-los e higienizá-los, bem como da minha responsabilidade quanto a seu uso conforme determinado na NR-1 da Portaria 3.214/ Se o equipamento for danificado ou inutilizado por emprego inadequado, mau uso, negligência ou extravio, a empresa me fornecerá novo equipamento e cobrará o valor de um equipamento da mesma marca ou equivalente ao da praça (parágrafo único do artigo 462 da CLT). 3- Fico proibido de dar ou emprestar o equipamento que estiver sob minha responsabilidade, só podendo fazê-lo se receber ordem por escrito da pessoa autorizada para tal fim. 4- Em caso de dano, inutilização ou extravio do equipamento deverei comunicar imediatamente ao setor competente. 5- Terminando os serviços ou no caso de rescisão do contrato de trabalho, devolverei o equipamento completo e em perfeito estado de conservação, considerando-se o tempo do uso do mesmo, ao setor competente. 30

31 6- Estando os equipamentos em minha posse, estarei sujeito a inspeções sem prévio aviso. 7- Fico ciente de que não utilizando o equipamento de proteção individual em serviço estarei sujeito as sanções disciplinares cabíveis que irão desde simples advertências até a dispensa por justa causa nos termos do Art. 482 da C.L.T. combinado com a NR- 1 e NR-6 da Portaria 3.214/78. Ciente : ANEXO III TERMO DE RESPONSABILIDADE DE UNIFORME Pelo presente, declaro ter recebido gratuitamente da AREIÃO VITÓRIA LTDA., CNPJ: / , os uniformes, relacionados nesta ficha, conforme artigo 166 da CLT e a NR 6 da Portaria 3314 de 08/06/78, declaro tê-los recebidos gratuitamente e em perfeito estado de conservação e funcionamento. Comprometo-me a utilizá-los para a finalidade a que se destinam, responsabilizando-me pela guarda e conservação dos mesmos. Autorizo o desconto dos seus valores respectivos em folha de pagamento, quando por extravio e/ ou danificação por uso inadequado, conforme artigo 462 1º da CLT. Data Quantidade Descrição Observação Visto 31

32 ANEXO IV TERMO DE RESPONSABILIDADE DE CELULAR Areião Vitória Ltda., situada a Rua Porangatu 07 Jardim Bandeirantes, Guarulhos São Paulo, , inscrita no CNPJ sob o nº / , denominado EMPRESA, entrega neste ato 1 Aparelho celular modelo NOKIA 2220, número (11) ; um bateria; 1 carregador; 1 fone de ouvido; 1 kit manual do usuário, ao funcionário nome, Cargo, portador do RG sob o nº XXXXXXXX doravante denominado simplesmente "USUÁRIO" sob as seguintes condições: 1. O equipamento deverá ser utilizado ÚNICA e EXCLUSIVAMENTE a serviço da EMPRESA tendo em vista a atividade a ser exercida pelo USUÁRIO. 2. Ficará o USUÁRIO responsável pelo uso e conservação do equipamento. 2.1 No caso de perda, quebra, dano ou uso inadequado, o aparelho deverá ser restituído pelo USUÁRIO, ou o valor correspondente ao aparelho de R$ 100,00 (cem reais) e deverá ser devidamente documentado com Boletim de Ocorrência. 3. O USUÁRIO tem somente a DETENÇÃO, tendo em vista o uso exclusivo para prestação de serviços profissionais e NÃO a PROPRIEDADE do equipamento, sendo terminantemente proibido o empréstimo, aluguel ou cessão deste a terceiros. 4. Ao término da prestação de serviço ou do contrato individual de trabalho, o USUÁRIO compromete-se a devolver todos os equipamentos em perfeito estado no mesmo dia em que for comunicado ou comunique seu desligamento, considerando o desgaste natural pelo uso normal do equipamento. 32

33 ANEXO V RELATÓRIO DE MANUTENÇÃO 33

34 ANEXO VI MAPA ZONA MÁXIMA DE RESTRIÇÃO A CAMINHÕES ZMRC 34

35 ANOTAÇÕES E OBSERVAÇÕES DECLARAÇÃO Estou ciente de que pelo não cumprimento das recomendações / obrigações contidas neste manual pode levar a punições (advertência verbal, advertência por escrito, suspensão e até a demissão por justa causa nos casos mais graves). Estou ciente que estas instruções são essenciais para a proteção da minha integridade física e saúde, inclusive a de meus companheiros de trabalho, e aos usuários do serviço. A empresa ministra treinamento de segurança e fornece os EPIs necessários ao desempenho seguro das minhas atividades. Declaro que recebi da Areião Vitória Ltda. o manual do motorista, contendo todas as instruções de trabalho, de segurança e saúde ocupacional, pelo qual me comprometo sempre a cumpri-las durante o exercício do trabalho Nome: RG: 35

ORDEM DE SERVICO nº 4-2011/PR Unidade Transporte Função: MOTORISTA

ORDEM DE SERVICO nº 4-2011/PR Unidade Transporte Função: MOTORISTA ORDEM DE SERVICO nº 4-2011/PR Unidade Transporte Função: MOTORISTA O Instituto de Assistência dos Servidores Públicos do Estado de Goiás - IPASGO, C.N.P.J. 01.246.693/0001-60, em cumprimento às determinações

Leia mais

COOPERATIVA DE TRABALHO DOS PROFISSIONAIS DE AGRONOMIA LTDA.

COOPERATIVA DE TRABALHO DOS PROFISSIONAIS DE AGRONOMIA LTDA. Manual de Uso de Veículo Respeito a Vida! TERMO DE RECEBIMENTO R ecebi da Cooperativa de Trabalho dos P r o f i s s i o n a i s d e A g r o n o m i a L t d a. UNICAMPO, o MANUAL DE USO DO VEÍCULO e após

Leia mais

CARGAS EXCEDENTES/INDIVISÍVEIS A t u a l i z a d o e m

CARGAS EXCEDENTES/INDIVISÍVEIS A t u a l i z a d o e m A P Ê N D I C E E CARGAS EXCEDENTES/INDIVISÍVEIS A t u a l i z a d o e m 2 7 / 0 5 / 1 2 NOTA DO AUTOR: este capítulo traz dicas resumidas acerca da fiscalização de veículos e combinações que ultrapassam

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS ANTES DO INÍCIO DOS TRABALHOS Fornecer cópia deste manual a sua equipe de liderança, e exigir o seu cumprimento de acordo com o Artigo 157 Item I

Leia mais

3 - Quem e como será fiscalizado o tempo de direção dos motoristas autônomos?

3 - Quem e como será fiscalizado o tempo de direção dos motoristas autônomos? Lei 12.619 1 - A lei já está em vigor ou entrará em qual data? R Sim. A lei está em vigor desde o dia 17/06/2012. 2 - O motorista profissional conforme artigo 67C, do CTB, na condição de condutor, é responsável

Leia mais

NÍVEL: Documento: Normas e procedimentos para condutores de veículos/2013.1

NÍVEL: Documento: Normas e procedimentos para condutores de veículos/2013.1 ELABORAÇÃO: Paula dos Santos Costa ANÁLISE CRÍTICA: Virginia de Paula Mesquita APROVAÇÃO: Antônio Reinaldo Santos Linhares DISTRIBUIÇÃO: (ÁREA): Frota - Este documento é válido em todo o comando de frota

Leia mais

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína

Departamento de Água e Esgoto Sanitário de Juína 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e normatizar os procedimentos do Setor de Frotas (Transportes); 1.2) Proteger o Patrimônio Público contra o uso indevido, bem como atender a legislação em vigor e evitar

Leia mais

Seja bem-vindo à BrasilPark!

Seja bem-vindo à BrasilPark! Seja bem-vindo à BrasilPark! A BrasilPark tem por missão oferecer aos seus clientes serviços de extrema eficiência e satisfação. Para que isto ocorra, deve ser permanente o comprometimento de todos nós

Leia mais

International Paper do Brasil Ltda

International Paper do Brasil Ltda International Paper do Brasil Ltda Autor do Doc.: Editores: Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Marco Antonio Codo / Wanderley Casarim Título: Tipo do Documento: SubTipo: Equipamentos de Transporte

Leia mais

FROTA DE VEÍCULOS DO IFRS CAMPUS PORTO ALEGRE

FROTA DE VEÍCULOS DO IFRS CAMPUS PORTO ALEGRE 11/03/2012 FROTA DE VEÍCULOS DO IFRS CAMPUS PORTO ALEGRE Veículos / Modelo Ano Placas GM MERIVA JOY 2007/2008 IOK2202 NISSAN SENTRA FLEX 2009 IRS4402 GM ZAFIRA ELEGANCE 2010 / 2011 IRS3302 MARCOPOLO Modelo

Leia mais

Regulamento Mitsubishi Fun Day 2015

Regulamento Mitsubishi Fun Day 2015 Regulamento Mitsubishi Fun Day 2015 1. Definição: Evento automobilístico voltado ao lazer composto de um deslocamento de extensão variável (passeio em estradas abertas ao trânsito normal) e uma prova do

Leia mais

ATO Nº 030.A de 14 de dezembro de 2009.

ATO Nº 030.A de 14 de dezembro de 2009. ATO Nº 030.A de 14 de dezembro de 2009. Dispõe sobre a utilização e gestão dos veículos próprios e locados pelo CREA-PA, estabelecendo diretrizes e normas a serem cumpridas pelos colaboradores que utilizam

Leia mais

PLANO DE BENEFÍCIOS CARRO RESERVA 1.0 DO OBJETIVO DO PLANO:

PLANO DE BENEFÍCIOS CARRO RESERVA 1.0 DO OBJETIVO DO PLANO: PLANO DE BENEFÍCIOS CARRO RESERVA 1.0 DO OBJETIVO DO PLANO: 1.1 A destinação deste plano de benefício é disponibilizar, ora contratado, diárias de veículo econômico com ar para as pessoas físicas ou jurídicas

Leia mais

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS

GERENCIAMENTO DE VEÍCULOS 1. OBJETIVO Estabelecer o procedimento padrão a ser implementado na Irapuru Transportes Ltda quanto ao gerenciamento (solicitação e programação) de veículos (carretas e cavalos) da frota própria bem como

Leia mais

ÍNDICE. Esperamos que nosso transportador de carga Tracionário, proporcione agilidade e segurança em seu trabalho.

ÍNDICE. Esperamos que nosso transportador de carga Tracionário, proporcione agilidade e segurança em seu trabalho. Esperamos que nosso transportador de carga Tracionário, proporcione agilidade e segurança em seu trabalho. Para que nosso produto tenha um resultado positivo, é de fundamental importância que o Manual

Leia mais

Treinamento Básico de segurança para Operadores de Empilhadeira.

Treinamento Básico de segurança para Operadores de Empilhadeira. Treinamento Básico de segurança para Operadores de Empilhadeira. 1 OBJETIVO: Definir requisitos mínimos para: Operação; Inspeção; Qualificação do operador. 2 INTRODUÇÃO GENERALIDADES Existem basicamente

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº258. 30 DE NOVEMBRO DE 2007

RESOLUÇÃO Nº258. 30 DE NOVEMBRO DE 2007 RESOLUÇÃO Nº258. 30 DE NOVEMBRO DE 2007 Regulamenta os artigos 231, X e 323 do Código Trânsito Brasileiro, fixa metodologia de aferição de peso de veículos, estabelece percentuais de tolerância e dá outras

Leia mais

Neste manual você também pode consultar todas as penalidades do Código de Trânsito Brasileiro, bem como seus direitos e deveres.

Neste manual você também pode consultar todas as penalidades do Código de Trânsito Brasileiro, bem como seus direitos e deveres. Controle de Multas O smartlist de Controle de Multas destina-se a controlar todas as multas do condutor de veículos. Valores, prazos de pagamento, pontos da Carteira de Habilitação e penalidades recebidas.

Leia mais

MANUAL DO COLABORADOR

MANUAL DO COLABORADOR MANUAL DO COLABORADOR 2 SUMÁRIO 1. Apresentação ---------------------------------------------------------- 3 2. Histórico da empresa ----------------------------------------------- 4 3. Serviços prestados

Leia mais

Regulamento Interno. Sumário. Declaração

Regulamento Interno. Sumário. Declaração Regulamento Interno Este é o Regulamento Interno da Casas da Água, o qual passa a fazer parte integrante do contrato de trabalho. O presente Regulamento Interno é válido para a totalidade dos colaboradores

Leia mais

ALTERAÇÕES NA LEI DO MOTORISTA E DO TAC

ALTERAÇÕES NA LEI DO MOTORISTA E DO TAC J uiz de Fora, 04 de Março de 2015. Prezado Associado: ALTERAÇÕES NA LEI DO MOTORISTA E DO TAC O SETCJ F informa as principais alterações introduzidas na Lei 12.619/12 (Lei do Motorista), na Lei 11.442/07

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 405 DE 12 DE JUNHO DE 2012

RESOLUÇÃO Nº 405 DE 12 DE JUNHO DE 2012 RESOLUÇÃO Nº 405 DE 12 DE JUNHO DE 2012 Dispõe sobre a fiscalização do tempo de direção do motorista profissional de que trata o artigo 67-A, incluído no Código de Transito Brasileiro CTB, pela Lei n 12.619,

Leia mais

Guia completo de conduta

Guia completo de conduta Guia completo de conduta Seja bem vindo(a) à Joycar! Este é o nosso guia completo de conduta. Nele serão apresentadas todas as explicações necessárias para que você e todos os nossos clientes tenham sempre

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE BARBALHA EDITAL Nº. 02/2014 RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº01/2014

ESTADO DO CEARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE BARBALHA EDITAL Nº. 02/2014 RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº01/2014 EDITAL Nº. 02/2014 RETIFICAÇÃO DO EDITAL DE PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº01/2014 O MUNICÍPIO DE BARBALHA, Estado de Ceará, através da COMISSÃO EXECUTIVA DO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO, designada

Leia mais

VARREDEIRA ZE072. Manual de serviço

VARREDEIRA ZE072. Manual de serviço VARREDEIRA ZE072 Manual de serviço A varredeira ZE072 foi desenvolvida para trabalhos na construção civil, de manutenção em estradas, ou locais que necessitem o mesmo sistema de remoção de resíduos. Qualquer

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ

ESTADO DE MATO GROSSO CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ INSTRUÇÃO NORMATIVA SGA Nº. 002/2011 DISPÕE SOBRE AS NORMAS E PROCEDIMENTOS REFERENTES AO USO, GUARDA, CONSERVAÇÃO, MANUTENÇÃO E ABASTECIMENTO DOS VEÍCULOS DA CAMÂRA MUNICIPAL DE CUIABÁ DO ESTADO DE MATO

Leia mais

- Responsabilidades do Motorista -

- Responsabilidades do Motorista - NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS OFICIAIS - Responsabilidades do Motorista - 1. Operar conscientemente o veículo, obedecidas as suas características técnicas, e observando rigorosamente

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE VEICULOS CARRENT ALUGUEL & VEICULOS LTDA, CNPJ sob n.o 23.002.258/0001 22 com Rua Bento Albuquerque 2653 A Papicu 60 191 355

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE VEICULOS CARRENT ALUGUEL & VEICULOS LTDA, CNPJ sob n.o 23.002.258/0001 22 com Rua Bento Albuquerque 2653 A Papicu 60 191 355 CONTRATO DE LOCAÇÃO DE VEICULOS CARRENT ALUGUEL & VEICULOS LTDA, CNPJ sob n.o 23.002.258/0001 22 com Rua Bento Albuquerque 2653 A Papicu 60 191 355 doravante identificada LOCADORA e a pessoa física ou

Leia mais

REGULAMENTO PARA USO E FUNCIONAMENTO DO ESTACIONAMENTO DA FACULDADE GUANAMBI (FG)

REGULAMENTO PARA USO E FUNCIONAMENTO DO ESTACIONAMENTO DA FACULDADE GUANAMBI (FG) REGULAMENTO PARA USO E FUNCIONAMENTO DO ESTACIONAMENTO DA FACULDADE GUANAMBI (FG) O DIRETOR GERAL da Faculdade Guanambi (FG), no uso de suas atribuições, e considerando a necessidade de disciplinar o uso

Leia mais

PORTARIA Nº 7.465, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2012.

PORTARIA Nº 7.465, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2012. PORTARIA Nº 7.465, DE 19 DE NOVEMBRO DE 2012. Dispõe quanto à integração, desvinculação, desfazimento, classificação, destinação, uso, identificação e controle, relacionados aos veículos oficiais da frota

Leia mais

4. VEICULOS A DISPOSIÇÃO EXCLUSIVOS DAS AREAS (LOGISTICA/PCP/MANUTENÇÃO)

4. VEICULOS A DISPOSIÇÃO EXCLUSIVOS DAS AREAS (LOGISTICA/PCP/MANUTENÇÃO) 1 de 5 1. OBJETIVO Estabelecer a política e procedimento geral a serem seguidos por toda a companhia em relação a veículos pessoais,, carros fornecidos pela companhia e de despesas com quilometragem a

Leia mais

SUBCONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE

SUBCONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE 1. OBJETIVO Estabelecer procedimento padrão para subcontratar serviços de transporte de cargas, sem exclusividade, subordinação e dependência, com a finalidade da realização da prestação de serviços de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 008, DE 27 JUNHO DE 2007. R E S O L V E

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 008, DE 27 JUNHO DE 2007. R E S O L V E INSTRUÇÃO NORMATIVA N 008, DE 27 JUNHO DE 2007. Recomenda a observação da norma constante no Anexo I. O Sistema de Controle Interno do Município de Lucas do Rio Verde, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

MUNICÍPIO DE GUARANIAÇU Estado do Paraná CNPJ 76.208.818/0001-66

MUNICÍPIO DE GUARANIAÇU Estado do Paraná CNPJ 76.208.818/0001-66 LEI N.º 809/2014 SÚMULA: Disciplina procedimentos de controle da frota e transporte municipal e da outras providências. aprovou, e eu, Prefeito Municipal sanciono a seguinte A Câmara Municipal de Guaraniaçu,,

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSSUNTOS JURÍDICOS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSSUNTOS JURÍDICOS DECRETO N o 525, DE 11 DE JULHO DE 2013. Regulamenta a utilização de veículos oficiais pela administração direta e indireta do Município de Palmas. O PREFEITO DE PALMAS, no uso de suas atribuições que

Leia mais

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE CONTROLE DE ENTRADA E SAÍDA NO CAMPUS CAPIVARI

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE CONTROLE DE ENTRADA E SAÍDA NO CAMPUS CAPIVARI MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE CONTROLE DE ENTRADA E SAÍDA NO CAMPUS CAPIVARI NOVEMBRO DE 2014 1 MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE CONTROLE DE ENTRADA E SAÍDA NO CAMPUS CAPIVARI Este manual tem

Leia mais

Edifício New England Manual do Credenciado

Edifício New England Manual do Credenciado Edifício New England Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012

ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012 ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012 1.) CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1. As empreiteiras que admitam trabalhadores deverão cumprir a Norma Regulamentadora nº

Leia mais

PORTARIA DETRAN Nº 1.310, DE 1 DE AGOSTO DE 2014

PORTARIA DETRAN Nº 1.310, DE 1 DE AGOSTO DE 2014 PORTARIA DETRAN Nº 1.310, DE 1 DE AGOSTO DE 2014 A Diretora Vice Presidente, respondendo pelo expediente da Presidência do Departamento Estadual de Trânsito - DETRAN-SP, considerando as disposições dos

Leia mais

MANUAL MEIO AMBIENTE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO

MANUAL MEIO AMBIENTE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO MANUAL MEIO AMBIENTE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO PVP SOCIEDADE ANÔNIMA Fundada em 1962 1 Índice Introdução...... 04 Política de Saúde e Segurança do Trabalho... 06 1. Prevenção e Controle de Riscos...

Leia mais

TRANSPORTADOR DE PRODUTOS PERIGOSOS GLP EXIGÊNCIAS

TRANSPORTADOR DE PRODUTOS PERIGOSOS GLP EXIGÊNCIAS CONDUTOR VEÍCULO CARGA TRANSPORTADOR DE PRODUTOS PERIGOSOS GLP EIGÊNCIAS CNH Carteira Nacional de Habilitação Comprovante de Curso Específico MOPP (Certificado) CRLV Certificado de Registro e Licenciamento

Leia mais

Manual de Instruções. Carreta Agrícola

Manual de Instruções. Carreta Agrícola Manual de Instruções Carreta Agrícola Parabéns! Você acaba de adquirir um produto de qualidade, desenvolvido com a mais alta tecnologia TRAPP. Este produto lhe proporcionará rapidez e eficiência nos trabalhos,

Leia mais

MANUAL PARA MONTADORAS

MANUAL PARA MONTADORAS 1. PERÍODO DE REALIZAÇÃO DO EVENTO: De 13 a 17 de Abril de 2015, das 08:00 às 18:00h. MANUAL PARA MONTADORAS 2. PERÍODO DE MONTAGENS E DESMONTAGENS DOS STANDS Período de montagem de stands será de 23/03/2015

Leia mais

Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado

Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

PROCESSO DE VERIFICAÇÃO VEICULAR

PROCESSO DE VERIFICAÇÃO VEICULAR Página 1 de 10 Treinamento Recomendado: - formal - leitura (sem necessidade de manter em registro) Controle de revisão Revisão Data Item Descrição das Alterações Emissão inicial. Em virtude do novo núcleo

Leia mais

SKATE ELÉTRICO MANUAL DE INSTRUÇÕES. Leia atentamente este Manual, antes de usar seu SKATE ELÉTRICO. Guarde-o em local seguro, para futuras consultas.

SKATE ELÉTRICO MANUAL DE INSTRUÇÕES. Leia atentamente este Manual, antes de usar seu SKATE ELÉTRICO. Guarde-o em local seguro, para futuras consultas. SKATE ELÉTRICO MANUAL DE INSTRUÇÕES Leia atentamente este Manual, antes de usar seu SKATE ELÉTRICO. Guarde-o em local seguro, para futuras consultas. SEVEN SKATE ELÉTRICO SAC: (11) 5660.2600 Uso doméstico

Leia mais

SEGURANÇA. Segurança... 1. Corpo Do Skate... 2. Como Ligar... 3. Ligar as Luzes... 3. Para Acelerar e Freiar... 4. Mudar a Velocidade...

SEGURANÇA. Segurança... 1. Corpo Do Skate... 2. Como Ligar... 3. Ligar as Luzes... 3. Para Acelerar e Freiar... 4. Mudar a Velocidade... Skate Elétrico 800W Segurança... 1 Corpo Do Skate... 2 Como Ligar... 3 Ligar as Luzes... 3 Para Acelerar e Freiar... 4 Mudar a Velocidade... 4 Instalando os Foot Straps (Tira para os pés)... 4 Recarga

Leia mais

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE INFRAÇÃO

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE INFRAÇÃO O veículo estacionado, afastado da guia da calçada (meio fio) a mais de um metro, faz do seu condutor um infrator cuja punição será: 1 retenção do veículo e multa, infração média. 2 apreensão do veículo

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS - ASSISTÊNCIA AUTOMÓVEL CLASSIC

CONTRATO DE ADESÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS - ASSISTÊNCIA AUTOMÓVEL CLASSIC CONTRATO DE ADESÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS - Os serviços deverão sempre ser solicitados à Central de Atendimento EUROP ASSISTANCE AUTO, através do telefone 0800 707 0081. Os serviços da serão prestados

Leia mais

BATALHÃO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA

BATALHÃO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA BATALHÃO DE POLÍCIA RODOVIÁRIA 1) - Normas Gerais de Circulação e Conduta: a)- Trânsito é a utilização das vias por pessoas, veículos e animais, isolados ou em grupos, conduzidos ou não, para fins de circulação,

Leia mais

Edifício Crespi II Manual do Credenciado

Edifício Crespi II Manual do Credenciado Edifício Crespi II Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

PORTARIA Nº 15, DE 08 DE MARÇO DE 2007.

PORTARIA Nº 15, DE 08 DE MARÇO DE 2007. PORTARIA Nº 15, DE 08 DE MARÇO DE 2007. Regulamenta o uso dos veículos da frota oficial e estabelece normas gerais sobre as atividades de transporte de usuários da FHDSS-Unesp. O Diretor da Faculdade de

Leia mais

TRATORISTA PROVA DE CONHECIMENTO ESPECÍFICO

TRATORISTA PROVA DE CONHECIMENTO ESPECÍFICO TRATORISTA PROVA DE CONHECIMENTO ESPECÍFICO Questão 21 Algumas infrações de trânsito preveem a suspensão do direito de dirigir do condutor ou do proprietário do veículo. Assinale a alternativa que não

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE ACESSO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE ACESSO 25/03/203 PSP-0. INTRODUÇÃO O Procedimento de Controle de Acesso tem como objetivo orientar e padronizar o procedimento de acesso de pessoas as fábricas, garantindo que somente pessoas autorizadas possam

Leia mais

Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado

Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CAMPUS DE PARNAÍBA COORDENAÇÃO ADMINISTRATIVA FINANCEIRA. Manual Setor de Transportes

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CAMPUS DE PARNAÍBA COORDENAÇÃO ADMINISTRATIVA FINANCEIRA. Manual Setor de Transportes Manual Setor de Transportes 1. OBJETIVO Estabelecer procedimento para utilização dos veículos em viagem visando atendimento das necessidades da comunidade da UFPI - campus de Parnaíba. 2. CAMPO DE APLICAÇÃO

Leia mais

PO.00001 01 01/08/2011 EBT-Infra JAO-Dir. 1 - OBJETIVO Descrever as normas e melhores práticas para utilização dos veículos da Place Consultoria.

PO.00001 01 01/08/2011 EBT-Infra JAO-Dir. 1 - OBJETIVO Descrever as normas e melhores práticas para utilização dos veículos da Place Consultoria. Código Revisão Data Emissão Aprovação PO.00001 01 01/08/2011 EBT-Infra JAO-Dir Título: POLÍTICA PARA UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS - PLACE CONSULTORIA 1 - OBJETIVO Descrever as normas e melhores práticas para

Leia mais

Manual de Instruções Tupias TPA-740; TPA-890

Manual de Instruções Tupias TPA-740; TPA-890 Manual de Instruções Tupias TPA-740; TPA-890 Figura 1: VISTA DA TUPIAS (IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA) Advertência: Não execute nenhuma operação com o equipamento antes de ler atentamente este manual. Este

Leia mais

Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção

Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção Por que eu devo utilizar equipamentos de segurança e onde encontrá-los? Os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) foram feitos para evitar

Leia mais

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 6 1 CONCEITO DE SEGURANÇA PATRIMONIAL 3 CRACHÁS ESQUECIMENTO OU PERDA 6 ENTRADA DE EQUIPAMENTOS, FERRAMENTAS E MAT.

TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 6 1 CONCEITO DE SEGURANÇA PATRIMONIAL 3 CRACHÁS ESQUECIMENTO OU PERDA 6 ENTRADA DE EQUIPAMENTOS, FERRAMENTAS E MAT. TREINAMENTO INTEGRAÇÃO MÓDULO 6 1 CONCEITO DE SEGURANÇA PATRIMONIAL 2 ENTRADA E SAÍDA NA PORTARIA 3 CRACHÁS ESQUECIMENTO OU PERDA 4 ACHADOS E PERDIDOS 5 PROIBIÇÕES 6 ENTRADA DE EQUIPAMENTOS, FERRAMENTAS

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SINOP ESTADO DE MATO GROSSO INSTRUÇÃO NORMATIVA STR 001/2009

CÂMARA MUNICIPAL DE SINOP ESTADO DE MATO GROSSO INSTRUÇÃO NORMATIVA STR 001/2009 1 CÂMARA MUNICIPAL DE SINOP ESTADO DE MATO GROSSO INSTRUÇÃO NORMATIVA STR 001/2009 Versão: 01 Aprovação em: 09/11/2009 Unidade Responsável: Coordenadoria de Administração - CAD STR: Sistema de Transportes

Leia mais

Para garantir sua segurança, por favor, leia as instruções cuidadosamente e aprenda as peculiaridades da empilhadeira antes do uso.

Para garantir sua segurança, por favor, leia as instruções cuidadosamente e aprenda as peculiaridades da empilhadeira antes do uso. Manual do usuário 1. Aplicação: Seja bem vindo ao grupo dos proprietários de empilhadeiras TANDER. NEMP é um equipamento usado para levantar e carregar cargas por curtas distâncias. É composto de estrutura

Leia mais

Quadro comparativo da Medida Provisória nº 673, de 2015 (Projeto de Lei de Conversão nº 8, de 2015)

Quadro comparativo da Medida Provisória nº 673, de 2015 (Projeto de Lei de Conversão nº 8, de 2015) ( 2015) 1 Art. 24. Compete aos órgãos e entidades executivos de trânsito dos Municípios, no âmbito de sua circunscrição: Altera a Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997 - Código de Trânsito Brasileiro,

Leia mais

TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SINTESE DAS ATIVIDADES TOTAL DE VAGAS REQUISITO

TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SINTESE DAS ATIVIDADES TOTAL DE VAGAS REQUISITO TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO CARGO Assistente Operacional Assistente Administrativo PRÉ- REQUISITO completo completo TOTAL DE VAGAS VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA 01 R$ 1.813,45 40 horas 02 R$

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SP008893/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 27/08/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR048203/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46261.003680/2010-23 DATA

Leia mais

Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista

Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista Lei 12 619 Regulamentação Profissão Motorista 1. Introdução Este documento tem por objetivo apresentar a solução de software e serviço que atenderá a Lei nº 12.619 de 30 de abril de 2012,publicada no Diário

Leia mais

PORTARIA DETRAN N 1.117, DE 20 DE NOVEMBRO 2015.

PORTARIA DETRAN N 1.117, DE 20 DE NOVEMBRO 2015. PORTARIA DETRAN N 1.117, DE 20 DE NOVEMBRO 2015. Dispõe sobre a expedição de autorização destinada aos veículos de transporte escolar, nos termos do artigo 136 do Código de Trânsito Brasileiro. O Diretor

Leia mais

a) Peso Bruto Total Combinado - PBTC igual ou inferior a 74 toneladas;

a) Peso Bruto Total Combinado - PBTC igual ou inferior a 74 toneladas; RESOLUÇÃO CONTRAN Nº 211, de 13/11/2006 Requisitos necessários à circulação de Combinações de Veículos de Carga - CVC, a que se referem os arts. 97, 99 e 314 do Código de Trânsito Brasileiro - CTB. O CONSELHO

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 210 DE 13 DE NOVEMBRO DE 2006

MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 210 DE 13 DE NOVEMBRO DE 2006 MINISTÉRIO DAS CIDADES CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO RESOLUÇÃO Nº 210 DE 13 DE NOVEMBRO DE 2006 Estabelece os limites de peso e dimensões para veículos que transitem por vias terrestres e dá outras providências.

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE PARELHAS, ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, usando das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município.

O PREFEITO MUNICIPAL DE PARELHAS, ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, usando das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município. DECRETO Nº 011/2014, DE 09 DE ABRIL DE 2014. Altera o Anexo I do Decreto n 007/2014, que dispõe sobre as atribuições, escolaridade e salários dos cargos destinados ao Concurso Público do Município de Parelhas/RN.

Leia mais

ASSISTÊNCIA 24 HORAS - VEÍCULOS DE PASSEIO E HR

ASSISTÊNCIA 24 HORAS - VEÍCULOS DE PASSEIO E HR ASSISTÊNCIA 24 HORAS - VEÍCULOS DE PASSEIO E HR DEFINIÇÕES Beneficiário Entende-se por Beneficiário, todo o condutor de veículo Assistido, devidamente habilitado e autorizado, assim como, toda pessoa transportadora

Leia mais

Código de Trânsito Brasileiro

Código de Trânsito Brasileiro Código de Trânsito Brasileiro O Código de Trânsito Brasileiro estipula competência a setores federais, estaduais e municipais, para aplicar as penalidades de acordo com as infrações que o cidadão cometeu.

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE USO DE VEÍCULOS OFICIAIS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE USO DE VEÍCULOS OFICIAIS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ Universidade Federal do Oeste do Pará Pró-Reitoria de Administração Coordenação de Transportes MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE USO DE VEÍCULOS OFICIAIS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DO PARÁ SANTARÉM PA 2015

Leia mais

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF A Comissão de segurança do Instituto de Química da UFF(COSEIQ) ao elaborar essa proposta entende que sua função é vistoriar, fiscalizar as condições

Leia mais

CONSIDERANDO o disposto no art. 14-A e no inciso IV do art. 26 da Lei nº 10.233, de 05 de junho de 2001;

CONSIDERANDO o disposto no art. 14-A e no inciso IV do art. 26 da Lei nº 10.233, de 05 de junho de 2001; RESOLUÇÃO ANTT Nº 1.737, de 21/11/2006 Estabelece procedimentos de registro e fiscalização, institui infrações e sanções referentes ao Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Carga - RNTRC,

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000204/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/03/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR006500/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46208.002367/2015-27 DATA DO

Leia mais

Estel Serviços Industriais Ltda Av. Presidente Castelo Branco, S/N Centro Empresarial - Aracruz - ES CEP: 29192-503 www.estel.com.br / Tel.

Estel Serviços Industriais Ltda Av. Presidente Castelo Branco, S/N Centro Empresarial - Aracruz - ES CEP: 29192-503 www.estel.com.br / Tel. Estel Serviços Industriais Ltda Av. Presidente Castelo Branco, S/N Centro Empresarial - Aracruz - ES CEP: 29192-503 www.estel.com.br / Tel.: (27) 3256 9393 1 - Objetivo 2 - Documentos de Referência 3 -

Leia mais

Manual de instruções. Rampa de alinhamento

Manual de instruções. Rampa de alinhamento Manual de instruções Rampa de alinhamento Apresentação Primeiramente queremos lhe dar os parabéns pela escolha de um equipamento com nossa marca. Somos uma empresa instalada no ramo de máquinas para auto

Leia mais

Manual do Operador Compactador de solo TV6DF

Manual do Operador Compactador de solo TV6DF Manual do Operador Compactador de solo TV6DF Produto importado e distribuído por: www.ccmdobrasil.com.br - info@ccmdobrasil.com.br CNPJ: 76.068.311/0001-54 Inclui manual em português e certificado de garantia

Leia mais

TF-830 MOTOCICLETA. Leia cuidadosamente antes do uso

TF-830 MOTOCICLETA. Leia cuidadosamente antes do uso TF-830 MOTOCICLETA Leia cuidadosamente antes do uso Leia este manual cuidadosamente antes de usar este produto. O manual o informará como operar e montar o produto de uma forma correta para que nenhuma

Leia mais

GUIA BÁSICO SOBRE EXCESSO DE PESO NO TRANSPORTE DE BRITA

GUIA BÁSICO SOBRE EXCESSO DE PESO NO TRANSPORTE DE BRITA APRESENTAÇÃO O setor de agregados do estado do Rio de Janeiro utiliza essencialmente o modal rodoviário para escoamento de seus produtos até o mercado consumidor. O transporte de brita sobre rodas, apesar

Leia mais

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Qual é o prazo para pagamento dos salários dos empregados? R: O pagamento deve ser realizado até o 5º dia útil do mês seguinte. Esta deve ser a data em que deve

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS ASSISTÊNCIA AUTOMÓVEL. Entende-se por Usuário, todo o condutor do veículo assistido, desde que tenham residência habitual no Brasil.

CONDIÇÕES GERAIS ASSISTÊNCIA AUTOMÓVEL. Entende-se por Usuário, todo o condutor do veículo assistido, desde que tenham residência habitual no Brasil. CONDIÇÕES GERAIS ASSISTÊNCIA AUTOMÓVEL ARTIGO 1 DEFINIÇÕES USUÁRIO: Entende-se por Usuário, todo o condutor do veículo assistido, desde que tenham residência habitual no Brasil. BENEFICIÁRIO: Entende-se

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA I - DO OBJETO

TERMO DE REFERÊNCIA I - DO OBJETO I - DO OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA 1. Contratação de empresa para a prestação de serviço de fretamento de veículos, caminhões do tipo BAÚ, por horas de utilização, com motoristas e ajudantes, para atender

Leia mais

DIREÇÃO DEFENSIVA OU PREVENTIVA. Trânsito seguro é um direito de todos

DIREÇÃO DEFENSIVA OU PREVENTIVA. Trânsito seguro é um direito de todos DIREÇÃO DEFENSIVA OU PREVENTIVA Trânsito seguro é um direito de todos TRANSITO LEGAL DIREÇÃO DEFENSIVA Sabem o que significa? Conduzir de modo a evitar acidentes, apesar das ações erradas dos outros e

Leia mais

Termos e Condições dos Tours e Locações

Termos e Condições dos Tours e Locações Termos e Condições dos Tours e Locações Os Termos e Condições são destinadas a regular o contrato a ser firmado entre a Ruta 40 Motorcycle Adventures e o CLIENTE que irá participar do Tour e/ou locar uma

Leia mais

Estado de Mato Grosso do Sul A Pequena Cativante LEIN 1.195/2001

Estado de Mato Grosso do Sul A Pequena Cativante LEIN 1.195/2001 LEIN 1.195/2001 Institui o Serviço de Transporte Individual de Passageiros em Motocicletas de aluguel (Mototáxi) O Prefeito Municipal de Rio Brilhante, Estado de Mato Grosso do Sul, faz saber que a Câmara

Leia mais

REGULAMENTO PARA O TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS RTPP Resolução nº 3665/11 ANTT Atualizada com as Resoluções ANTT nº 3762/12 e 3886/12

REGULAMENTO PARA O TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS RTPP Resolução nº 3665/11 ANTT Atualizada com as Resoluções ANTT nº 3762/12 e 3886/12 REGULAMENTO PARA O TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE PRODUTOS PERIGOSOS RTPP Resolução nº 3665/11 ANTT Atualizada com as Resoluções ANTT nº 3762/12 e 3886/12 CAPÍTULO 1 Disposições Preliminares - Art. 2º CAPÍTULO

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS PRÓPRIOS DA FATEC. Veículos adquiridos em projetos podem ser utilizados obedecendo as seguintes normativas:

UTILIZAÇÃO DE VEÍCULOS PRÓPRIOS DA FATEC. Veículos adquiridos em projetos podem ser utilizados obedecendo as seguintes normativas: UTILIZAÇÃO D VÍCULOS PRÓPRIOS DA FATC USO D VÍCULOS Veículos adquiridos em projetos podem ser utilizados obedecendo as seguintes normativas:.. Uso Os veículos somente podem ser utilizados para a execução

Leia mais

RESOLUÇÃO SMTR Nº 2578 DE 23 DE JUNHO DE 2015. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TRANSPORTES, no uso das atribuições legais,

RESOLUÇÃO SMTR Nº 2578 DE 23 DE JUNHO DE 2015. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE TRANSPORTES, no uso das atribuições legais, RESOLUÇÃO SMTR Nº 2578 DE 23 DE JUNHO DE 2015. Regulamenta o treinamento dos motoristas do Serviço de Transporte Individual de Passageiros em Veículos de Aluguel a Taxímetro e a homologação de instituições

Leia mais

Prefeitura Municipal de Brejetuba

Prefeitura Municipal de Brejetuba INSTRUÇÃO NORMATIVA STR SISTEMA DE TRANSPORTES Nº 001/2015. Versão: 001. Aprovação em: 29/07/2015. Ato de aprovação: Decreto nº 200/2015. DISPÕE SOBRE O GERENCIAMENTO E CONTROLE DO USO DA FROTA E DOS EQUIPAMENTOS,

Leia mais

Como funciona: Como usar: Nas Praças de Pedágio

Como funciona: Como usar: Nas Praças de Pedágio Como funciona: O ConectCar é um servico de pagamento automático de pedágio, estacionamento e combustível destinado para veículos de passeio. O ConectCar abre automaticamente as cancelas de pedágio e estacionamentos

Leia mais

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL TÍTULO: REQUISITOS DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS Área Responsável: Gerência Geral de Meio Ambiente Saúde e Segurança 1. OBJETIVO Este procedimento tem como

Leia mais

Resolução 363/2010 (processo administrativo autuação)

Resolução 363/2010 (processo administrativo autuação) Resolução 363/2010 (processo administrativo autuação) SEM ALTERAÇÕES (VIDE COMENTÁRIOS EM www.bizuario.blogspot.com E www.bizuario.com ). Resolução 364/2010 (dispositivo antifurto) Capítulo 1.12 696-31

Leia mais

REQUISITOS DE SEGURANÇA PARA PRESTADORES DE SERVIÇOS

REQUISITOS DE SEGURANÇA PARA PRESTADORES DE SERVIÇOS REQUISITOS DE SEGURANÇA PARA PRESTADORES DE SERVIÇOS 1. EPI s (Equipamentos de Proteção Individuais): Equipamento de Segurança de fabricação nacional ou estrangeira destinado a proteger a integridade física

Leia mais

Tabela das Multas. Infração Gravíssima Valor/Multa Tipos de Penalidades R$ 191,54 R$ 574,61

Tabela das Multas. Infração Gravíssima Valor/Multa Tipos de Penalidades R$ 191,54 R$ 574,61 Tabela das Multas 7 pontos na CNH Infração Gravíssima Valor/Multa Tipos de Penalidades Dirigir com a carteira já vencida há mais de 30 dias Recolhimento da carteira e retenção do veículo Não reduzir a

Leia mais

Norma de Utilização dos Veículos do SISAR/BAJ

Norma de Utilização dos Veículos do SISAR/BAJ 1. Objetivo Norma de Utilização dos Veículos do SISAR/BAJ 1.1. Regularizar o uso dos veículos pertencentes ao SISAR/BAJ, em todas as suas unidades. Especificando direito e deveres dos condutores. 2. Campo

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO DE SEGURANÇA

ORDEM DE SERVIÇO DE SEGURANÇA 1 ORDEM DE SERVIÇO DE SEGURANÇA NOME DO FUNCIONÁRIO MATRÍCULA CPF DEPARTAMENTO SIGLA ATIVIDADE DESENVOLVIDA MOTORISTA DE VEÍCULOS DESCRIÇÃO SUMÁRIA Dirigir e/ou operar veículos leves e pesados, transportando

Leia mais

Procedimento Operacional N⁰ do procedimento: PO 20

Procedimento Operacional N⁰ do procedimento: PO 20 1/ 8 Nº revisão Descrição da Revisão 00 Elaboração inicial do documento 01 Revisão e Adequação integral do PO 02 Adequação dos Registros e Padrões Demais envolvidos na análise e aprovação Área / Processo

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Cartão de crédito corporativo

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Cartão de crédito corporativo pág.: 1/4 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos referentes à utilização do cartão de crédito corporativo para pagamento das despesas de viagem e deslocamento dos empregados a serviço da COPASA

Leia mais